Page 1

ANO X / Nº 30 / DEZEMBRO DE 2012

MAIS SAÚDE PARA A FAMÍLIA POLICIAL MILITAR

Saúde do homem Hospital de Base deixa de atender aos usuários da APAS Funcionários públicos também podem aderir aos planos da APAS

APAS_Dezembro_2012.indd 1

05/12/12 21:16


bem-estar A nossa maior inspiração é o seu

Por isso, não entregamos apenas resultados. Há 30 anos, entregamos, também, afeto, confiança, segurança e toda a atenção que você precisa para cuidar da sua saúde.

• Análises clínicas

• Sexagem fetal

• Coleta infantil

• Coleta domiciliar

• Teste de paternidade

• Resultados pelo site

• Ambiente exclusivo para crianças

• Convênio com diversos Planos de Saúde

Sempre procurando estar à frente do nosso tempo, investimos cada vez mais em tecnologia de ponta e na qualidade dos nossos serviços. E já que exigimos o melhor de nós mesmos, só podemos nos contentar com 100% da sua satisfação. Afinal, é a sua preciosa vida que passa pelas nossas mãos.

Agora com coleta de exames laboratoriais em empresas e análises veterinárias

Rua Rio Branco, 14-52 Centro Bauru/SP Fone/Fax: (14) 3223-3076 / (14) 3879-1753 contato@dirceudalpino.com.br www.dirceudalpino.com.br

APAS_Dezembro_2012.indd 2

05/12/12 21:16


Editorial EXPEDIENTE Diretoria Executiva Presidente João Baptista de Campos Lima Diretor Vice-Presidente Osmani dos Santos Almeida 1º Diretor Secretário Luiz Aparecido Leonel dos Santos 2º Diretor Secretário Jovercy Bergamaschi 1º Diretor Financeiro José Francisco Escoura 2º Diretor Financeiro Paulo Cesar Cingano 1º Dir. de Comunic. Social Aldamir Salvatico 2º Dir. de Comunic. Social Mario Donizete dos Santos Diretor de Patrimônio Marinalvo Marcos Pereira Editoria Aldamir Salvatico Elizabeth Bomfim Nazário Kelly Cristina Altafim Arte & Diagramação Khein Design Impressão Graphpress Textos Aldamir Salvatico Elizabeth Bomfim Nazário João Baptista de Campos Lima Kelly Cristina Altafim Colaboração Dr. Filemon S. Casafus Francisco R. Sanches Jr. Fotos Aldamir Salvatico Kelly Cristina Altafim Eli de Fátima Betramini Milton Kosaka - Hobby Foto 12º Grupamento de Bombeiros Tiragem 6.000 exemplares Circulação Semestral Sede Rua Maria José, 1-71 - Centro Bauru / SP - Fone: (14) 3214-5500 Filial Rua Mal. Vasques, 236 - V. América Lins / SP - Fone: (14) 3522-7000

João Baptista de Campos Lima Diretor Presidente

É chegada a hora de me despedir! Agradeço a Deus pela missão cumprida a frente da nossa APAS. Nos 18 anos de existência da Entidade, fiz questão de vestir a camisa de presidente por quatro mandatos, somando oito anos na luta pela saúde de nossos policiais e seus familiares. Tive a grata satisfação de ver nossa Associação nascer e crescer, foi um início difícil que superamos graças à confiança de 2.400 associados que acreditaram na proposta de um grupo de voluntários. Foi preciso muita garra dos dirigentes e colaboradores, para transformá-la em uma operadora de planos de saúde registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar. E hoje, após longos 18 anos posso afirmar que a APAS Bauru é uma das operadoras mais conceituadas da região, pois honra rigorosamente seus compromissos com prestadores de serviços e fornecedores, além de oferecer uma das maiores redes de atendimento. Infelizmente, durante esse último mandato, tivemos que tomar decisões importantes, que embora tenham sido consideradas “duras” e provocado o descontentamento inicial de muitos, foram necessárias para garantir um futuro sólido para a Entidade e a continuidade da qualidade do atendimento aos nossos 9.868 usuários. A todos os associados, que depositaram sua confiança em nossa gestão, meu muito obrigado! Tenho certeza de estar deixando nossa Associação estável financeiramente e consolidada no mercado de saúde suplementar, além de contar com uma equipe de colaboradores preocupada com a qualidade dos serviços oferecidos. Aos colaboradores, que tomo a liberdade de chamá-los de amigos, enalteço-os, rogando que continuem dedicados e atuantes como foram em minha gestão. Finalizo desejando aos membros da nova diretoria sucesso e sabedoria na administração da APAS nos próximos anos.

Revista APAS Bauru 03

APAS_Dezembro_2012.indd 3

05/12/12 21:17


Saúde

SAÚDE DO HOMEM O envelhecimento populacional é um fenômeno mun- consciência sobre as doenças e procuram mais frequendial. Observa-se, na maioria dos países, que a proporção de temente os serviços de saúde. Na tentativa de melhorar o atendimento médico pessoas com 60 anos ou mais cresce de forma mais rápida que a de outras faixas etárias. Espera-se que em 2050, o masculino, foi lançada pelo Ministério da Saúde em 2009, número de idosos chegue a dois bilhões, sendo 80% deles a Política Nacional de Atendimento Integral à Saúde do Homem. Durante a elaboração desse projeto foram conhabitantes de países em desenvolvimento. Segundo o censo demográfico do IBGE de 2010, siderados vários fatores sócio-culturais como barreira à ima expectativa de vida da população brasileira aumentou 25,4 plantação da proposta. O estereótipo do gênero enraizado anos de 1960 até a atualidade e poderá chegar a 80 anos na sociedade patriarcal e o medo de descobrir doença são variáveis culturais que dificultam em 2040. a adesão do homem às medidas Nesse contexto, foi claramen...em 2007, apenas 2,5 propostas. Esses dados revelam o te demonstrada pelos dados estatísticos, uma menor expectativa milhões de homens realizaram preconceito e a sensação de invulnerabilidade como pilares fundado homem em relação às mulheres, consultas urológicas e, no mentais da maior morbi-mortaliresultando na feminização da popue menor expectativa de vida lação idosa. mesmo período, 17 milhões dade do homem, que prioriza o trabalho Grande parte desse processo é decorrente da negligência de mulheres consultaram o e a saúde dos outros membros da família. Como consequência, a do homem em relação à própria ginecologista. maioria dos homens retarda o diagsaúde. nóstico das doenças e utilizam com Um artigo publicado na Folha de São Paulo em março de 2009, mostrou que as mulheres maior frequência hospitais de maior porte e alta complexipossuem maior percepção das doenças e usa mais constan- dade, pois as doenças costumam ser descobertas em fases mais adiantadas. temente os serviços de saúde. Entre as doenças urológicas mais importantes com Dados do SUS revelaram que, em 2007, apenas 2,5 milhões de homens realizaram consultas urológicas. Por grande impacto na saúde e na qualidade de vida do homem, outro lado, no mesmo período, 17 milhões de mulheres estão a hiperplasia prostática benigna, o câncer prostático e consultaram o ginecologista, ratificando que elas têm maior a disfunção erétil.

04 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 4

05/12/12 21:17


Saúde HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB) A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é o aumento do volume da próstata que acontece com o decorrer da idade e resulta em manifestações clínicas atribuídas a esse aumento. Esse fenômeno é muito comum depois dos 40 anos e estabiliza-se em torno dos 75 anos de idade. Esse processo não representa uma doença maligna, mas a hereditariedade parece desempenhar um papel importante no desenvolvimento da doença. Os principais sintomas da hiperplasia prostática são jato urinário fraco, esforço para urinar, gotejamento e aumento da micção noturna. O paciente que apresenta esse quadro deve realizar toque de próstata e exame de sangue para dosar o PSA, uma substância produzida na próstata que aumenta no plasma quando há algum tipo de problema na mesma. Esse exame, porém, não especifica o tipo de doença existente no órgão. A uréia e a creatinina também devem ser dosadas para avaliar a função renal. A realização de exame de urina é importante para descartar infecção urinária associada à presença de sangue na urina que pode significar outra patologia urológica e, eventualmente, sangramento da próstata que está aumentada. A ultrassonografia prostática traz informações importantes sobre o tamanho da próstata, comprometimento da

bexiga devido ao esforço miccional, protrusão da próstata para dentro da bexiga e volume urinário residual depois de urinar, além de revelar vários dados importantes para o tratamento e seguimento da patologia. Quando não tratada, a hiperplasia prostática pode evoluir com infecção urinária de repetição, formação de pedra na bexiga, insuficiência renal, retenção urinária e sangramento da próstata, complicações que, muitas vezes, exigem procedimento cirúrgico. O tratamento inicial na maioria dos pacientes com hiperplasia prostática benigna é medicamentoso. Os alfabloqueadores (doxasozina e tansulosina) aumentam o jato urinário, diminuem o esforço miccional e a frequência urinária, principalmente a noturna. A Finasterida e a Dutasterida reduzem o tamanho da próstata e consequentemente a obstrução mecânica do canal uretral. Esses medicamentos também diminuem a possibilidade de complicações em próstatas muito grandes. O tratamento cirúrgico está indicado para aquele paciente que não obtém melhora com os medicamentos ou que apresenta complicação da hiperplasia prostática benigna. A escolha do tipo de cirurgia (raspagem da próstata e cirurgia aberta) depende basicamente do tamanho da próstata, ficando a cirurgia aberta restrita para as próstatas muito aumentadas.

CÂNCER DE PRÓSTATA O câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente nos homens, atingindo mais de 47 mil homens no Brasil em 2006, acarretando aproximadamente 8.000 mortes. A incidência de câncer de próstata está intimamente relacionada com a idade e é incomum em homens com menos de 45 anos. Inúmeros fatores influenciam a neoplasia da próstata, como extensão da doença no momento do diagnóstico, tipo de tumor, o valor do PSA e a idade do paciente. Sabe-se que essa doença é mais letal nos indivíduos mais jovens ou naqueles casos com câncer agressivo, mas com evolução favorável na maioria dos idosos e nos tumores com crescimento mais lento. A hereditariedade também joga um papel na gênese do câncer de próstata, havendo maior risco de ocorrência em pessoas com histórico familiar do tumor. Atualmente, existem evidências de que a alimentação hipercalórica e rica em gordura também está associada ao câncer de próstata. O PSA e o toque de próstata são fundamentais para rastreamento da doença. Nos casos de elevação do PSA ou com toque prostático alterado, deve ser realizada uma biópsia

do órgão para verificar a presença de tumor maligno. A extensão da doença é importante para definir o tratamento. Para os casos de tumor localizado, restrito à próstata, indica-se um dos tratamentos com finalidade curativa, a prostatectomia radical ou radioterapia. A cirurgia, cujas complicações tem diminuído com as novas técnicas, apresenta uma pequena vantagem em relação à radioterapia conformacional e à braquiterapia. Para aqueles casos em que o tumor extrapola os limites da próstata, o prognóstico é pior e o tratamento deve ser individualizado de acordo com o estado geral do paciente e tipo do tumor. Quando é realizada a prostatectomia radical nestes pacientes, a ressecção é mais ampla, diminuindo a possibilidade de preservar os nervos da ereção. A radioterapia, combinada ou não à hormonioterapia, também é uma opção terapêutica. Nos casos de paciente muito idoso ou com grave comprometimento do estado geral, a escolha pode ser um tratamento hormonal isolado. Atualmente, muitos pacientes com neoplasia de prósta-

Revista APAS Bauru 05

APAS_Dezembro_2012.indd 5

05/12/12 21:17


Saúde ta com extensão tumoral para fora do órgão, acabam realizando uma combinação dessas três modalidades de tratamento. O câncer de próstata avançado representa uma forma incurável da doença, mas as alternativas de tratamento têm avançado e aumentado a sobrevida dos pacientes nessa fase. O pilar fundamental do tratamento do câncer de próstata em fase avançada ainda é a hormonioterapia, mas a quimioterapia tem revelado vários medicamentos que melhoram a dor e aumenta a expectativa de vida.

Várias discussões recentes, envolvendo o uso do PSA e o tratamento do tumor de próstata, foram veiculadas pela mídia. No entanto, no último congresso americano de urologia realizado em maio de 2012 em Atlanta, o consenso foi manter o rastreamento para todos os homens acima de 45 anos com realização de PSA e toque de próstata. O tratamento deve ser realizado conforme o estágio da doença, a técnica disponível e, principalmente, seguindo uma decisão conjunta entre médico urologista e paciente.

DISFUNÇÃO ERÉTIL O envelhecimento populacional também aumentou os problemas relacionados à função sexual do homem. No entanto, na prática médica geral, poucos profissionais incluem as questões relacionadas à esfera sexual nas consultas e, como muitos idosos acreditam que a relação sexual deve acabar com a idade, não relatam seus problemas e desconsideram a importância do sexo como fator fundamental para a manutenção da qualidade de vida. Naturalmente, o desejo diminui com o envelhecimento, levando à diminuição da frequência dos atos sexuais. Porém, o desejo diminuído não é o único fator responsável pelos problemas sexuais do homem idoso. As causas são múltiplas, estando envolvidos fatores sociais, culturais, psicológicos, emocionais e religiosos. As doenças, o uso de medicamentos e alterações da própria idade, também estão entre os principais fatores. Mas, essas alterações não devem impedir uma vida sexual ativa e deve ser estabelecido um tratamento quando o paciente assim o desejar. O idoso apresenta uma diminuição na produção hormonal e é muito comum a presença de doenças que causam disfunção erétil por comprometimento do pênis e/ou dos vasos sanguíneos. Estudos mostram que aproximadamente trinta e cinco por cento (35%) dos homens da terceira idade, apresenta causa psicológica da disfunção erétil. Entre os jovens, setenta por cento (70%) dos indivíduos com impotência tem causa psicológica e apenas trinta por cento (30%) é decorrente de algum problema físico. Portanto, a impotência masculina pode ter causa psicogênica e orgânica. Entre as causas psicogênicas podemos citar a depressão, perda de cônjuge, perda de privacidade, dependência e tabus. As doenças mais comuns que podem causar impotência são diabetes, pressão alta, colesterol elevado, diminuição do hormônio masculino, doença de Parkinson, cirurgias radicais da próstata, tortuosidade do pênis (Doença de Peyronie), radioterapia, doença de Alzheimer e várias outras doenças neurológicas. O tabagismo, um hábito amplamente combatido pela medicina, é considerado uma causa importante de ateros-

clerose, um processo degenerativo que leva a obstrução das artérias de todo o organismo, inclusive das pequenas artérias penianas responsáveis pela ereção. Vários medicamentos para controlar a pressão arterial, antidepressivos, ansiolíticos, “remédios” para dormir entre outros também causam problemas de ereção. O diagnóstico da disfunção erétil envolve o aspecto psicossocial e físico do indivíduo. Além de avaliar a presença de doenças, o médico deve questionar passados de cirurgias e radioterapias, uso de medicamentos, alcoolismo e hábito de fumar. Exames para verificar níveis sanguíneos de testosterona, glicemia, colesterol e triglicerídeo devem ser realizados. Também é importante descartar a doença de Peyronie, causada por aparecimento de placa no pênis e que leva à tortuosidade do órgão. Muitos dos pacientes necessitam de uma avaliação e tratamento psicoterápico. O tratamento inicial da impotência de causa orgânica é o controle e o combate à causa que originou a disfunção erétil. Concomitantemente deve ser prescrito um “inibidor da fosfodiesterase”. O uso desse grupo de medicamentos é seguro desde que sejam observados os critérios médicos e não haja nenhuma contraindicação. O paciente portador de doença grave do coração e aqueles que têm dor no peito aos mínimos esforços, não devem tomar esses medicamentos antes de uma avaliação médica. O uso de nitratos (sustrate, isordil, monocordil) constitui contraindicação absoluta para a prescrição dos inibidores da fosfodisesterase. Alguns pacientes com problema de ereção têm nível diminuído de testosterona e devem receber a alternativa da reposição hormonal se não tiver contraindicação. A reposição de testosterona, hormônio responsável pelos caracteres masculinos, não pode ser realizada em portadores do câncer de próstata. Estudos recentes mostram que indivíduos considerados curados do tumor de próstata podem ser tratados com reposição de testosterona, mas esta conduta deve ser individualizada e o paciente deve ser informado dos riscos e benefí-

06 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 6

05/12/12 21:17


Saúde cios do tratamento. Se os medicamentos orais falharem, pode ser realizado o tratamento com injeção intracavernosa, que consiste na aplicação direta de um medicamento no pênis, através de uma pequena agulha. Este tratamento deve ser oferecido ao indivíduo que não respondeu ao tratamento oral e após controle da causa da impotência. Por último, se os medicamentos e a injeção intracavernosa não tiverem resposta favorável, deve ser apresentada ao paciente a opção de colocar uma prótese peniana através de um procedimento cirúrgico. Até a década de 1960, o tratamento da disfunção erétil era limitado à psicoterapia e à reposição de hormônio masculino, mesmo quando a causa não era psicogênica ou não havia diminuição dos níveis de testosterona. Em 1975 começou o uso de prótese peniana e, na década de 80, a injeção intracavernosa de medicamento. Nessa época, o homem com problema de ereção já tinha uma gama bem maior de tratamento ao seu alcance. Em 1998, o Viagra revolucionou a medicina e marcou a história da humanidade reabilitando inúmeros homens com impotência. Na atualidade, o conhecimento no campo da sexualidade evoluiu muito e foram alcançadas várias vitórias no tratamento, porém um grande número de fatores culturais,

psicológicos e sociais ainda impede que o homem moderno com disfunção sexual procure assistência profissional. A experiência médica mostra que a atitude do homem com dificuldade de ereção e sua capacidade de procurar ajuda influenciam no sucesso terapêutico. A relação sexual melhora a autoestima e a autoconfiança do homem idoso e é dentro desse contexto que os médicos e a sociedade devem encarar a sexualidade na terceira idade. Segundo Leon Tolstoi, escritor russo, citado no livro “Disfunção Sexual Masculina” do Dr. Sidney Glina, do Instituo H. Ellis de São Paulo, “o homem sobrevive aos terremotos, às epidemias, aos horrores da doença e a todas as agonias da alma, porém a maior tragédia de todos os tempos foi, é e será, a tragédia do quarto de dormir”.

Dr. Filemon A. Silva Casafus Urologista - CREMESP: 119.152 - Clínica Integra Av. Com. José da Silva Martha, 3-30 - Fone: (14) 3313-6740 Referências Bibliográficas: 1) Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia; Vol. 6, N1, 2003. 2) Hiperplasia Prostática Benigna. Miguel Srougi. Editora Atheneu, 2011. 3) Algoritmos em uro-oncologia. Antônio Carlos L. Pompeo, Eric R. Wroclawski, Marcus V. Sadi. Elsevier Editora, 2007. 4) Disfunção Sexual Masculina: conceitos básicos e tratamento. Sidney Glina: Instituto H. Ellis, 2002. 5) Urologia Geriátrica. Miriam Dambros, Valdmar Ortiz, João Toniolo Neto. Editora Roca, 2009.

Revista APAS Bauru 00

APAS_Dezembro_2012.indd 7

05/12/12 21:17


Saúde

Homens, quando é hora de procurar ajuda psicológica? A saúde do homem vem sendo questionada a partir muito, entende-se que o paciente envolvido em algumas do comportamento de risco que o mesmo tem tomado, dessas situações, deverá ser ouvido, pois necessita falar dos muitas vezes aprofundado ou mesmo imposto por uma seus medos, fantasias, percepções negativas e distorções sociedade masculinizada. Estereotipado por natureza cul- de pensamentos que poderão ser nocivos. Ao chegarem tural ou por condicionamento, os fazem procurar menos ao consultório de psicologia, ansiosos para encontrar um ajuda médica e psicológica que as nome que signifique parte daquilo que ...“Pesquisas recentes mulheres. O grande vilão para os estão sentindo, na busca de uma palavra homens ainda tem sido os exames que encerre a dor, a angústia e a culpa ou mostram que os homens de próstata (exame retal) e outros dúvidas que os afligem, o psicoterapeuta são mais sensíveis a dor problemas que estão ligados a área contará com ferramentas psicológicas que sexual (ejaculação precoce, falta de acolherão esses pacientes. do que as mulheres”... ereção ou perda dela, etc.). Para o homem, são momentos difíPesquisas recentes mostram que os homens são mais ceis de sua vida, encontrando no psicoterapeuta todo apoio sensíveis a dor do que as mulheres, talvez seja esse um fator necessário para atravessar de forma menos dolorosa esse que os afastam dos consultórios. O homem precisa ater- período. Nessa condição se estabelece entre psicoterase mais à saúde preventiva. O “sexo forte” tenta encontrar peuta e paciente apoio mútuo para que possam buscar alálibis para evitar exames preventivos. As justificativas mais ternativas, diluir informações médicas, ampliar conceitos e comuns são: falta de tempo, desencontros de horários, procurar novas opções. constrangimentos e, por acharem que sabem o momento Portanto, o psicólogo é aquele que orienta, cuida, certo de procurar ajuda. constrói e reconstrói idéias, pensamentos e soluções visanGraças à ajuda de profissionais médicos de diversas do sempre superação e a retomada do seu bem estar. especialidades, que entendem a importância do tratamento multiprofissional e interdisciplinar, abrangendo todas as necessidades de um tratamento mais completo, muitos Francisco Romão Sanches Jr. Psicólogo - CRP-SP: 70.205 dos seus pacientes são encaminhados para que recebam R. Domiciano Aredes, 180 - Duartina - SP atendimento psicológico e de outros profissionais ligados a Fone: (14) 3284-4156 área da saúde. A mídia também tem feito sua parte, conscientizando em Formação de Psicólogo e Licenciatura Plena em Psicologia pela Universidade e desmistificando os desconfortos de alguns exames pre- Graduado do Sagrado Coração de Jesus. É autor do Livro “NÃO PROCURE FORA O QUE ESTÁ DENventivos ou doença já diagnosticada. Na questão psicológi- TRO DE VOCÊ”. ca, que me cabe neste momento, o psicólogo estará contribuindo em todas as esferas do movimento psicológico, emocional e sentimental, oferecendo total apoio para que o paciente se prepare para lidar com esses sentimentos de angustia, ansiedade e depressivos, provocados pela dor, pela doença ou por sua eminência, desta maneira, prestará assistência ao paciente, seus familiares e cuidadores, minimizando sentimentos dolorosos e trabalhando com os aspectos emocionais decorrentes da dor e da doença. A velha e conhecida cura através da fala ainda vale

08 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 8

05/12/12 21:17


Em Foco

Eleita nova Diretoria da APAS Em Assembléia Geral, realizada no último dia 24 de outubro, foram eleitos por aclamação a nova Diretoria, Conselhos e Comissão dos Associados para administrar a Associação no quadriênio 2013 - 2016, que tomará posse no próximo dia 02 de janeiro. Veja abaixo os membros eleitos: Conselho Deliberativo Benedito Roberto Meira Nelson Garcia Filho Celso Bergamaschi Marinalvo Marcos Pereira Simone de Fátima Augustinho Conselho Fiscal Flávio Jun Kitazume Vilson da Silva Marques Antonio Carlos Francisco dos Santos Dyarsi Teixeira Ferraz Nelson Osmar Gonçalves Galvão Diretoria Executiva Maximiano Cassio Soares - Presidente Airton Iosimo Martinez - 1º Vice-Presidente Aldamir Salvatico - 2º Vice-Presidente Marlei de Lima P. Zorzetto - 1º Dir. Secretária Jovercy Bergamaschi - 2º Diretor Secretário

José Francisco Escoura - 1º Dir. de Finanças Paulo César Cingano - 2º Diretor de Finanças Hilário Nunes Da Silva - Diretor Social Jair Antonio Filho - Diretor de Patrimônio Heraldo Carlos Monteiro - 1º Suplente Eros Antonio Pereira - 2º Suplente Comissão de Representantes Dos Associados Osvair Hidalgo Adauto Rodrigues Cordeiro Aparício Batista do Nascimento Hideo Beppu João Francisco Ferreira Mário Machado - Repr. Associados Agregado / Facultativo Os cargos de cada membro dos Conselhos serão definidos em reunião dos mesmos após a posse dos eleitos.

Revista APAS Bauru 11

APAS_Dezembro_2012.indd 9

05/12/12 21:17


Em Foco

Editando a revista APAS Criada com a finalidade de levar informações sobre saúde e orientações sobre a correta utilização do plano aos associados, a Revista APAS teve o seu primeiro exemplar publicado em 1997 ainda em formato de jornal, editado por uma jornalista autônoma e com periodicidade bimestral. Em dezembro de 2003, na edição de número 12, com a troca da Diretoria da Associação, sua publicação passou a ser semestral, o projeto gráfico foi remodelado, já em forma de revista, além de novas seções e espaço para manifestação dos associados. Com o passar dos anos e crescimento da APAS, surgiu a necessidade de inovação da Revista, pois ela passou a ser um dos principais meios de comunicação da Entidade com seus associados e prestadores de serviços. Com a edição nº 24, em dezembro de 2009, a Diretoria optou por trazer a editoria da Revista para dentro da APAS, buscando adequá-la às informações necessárias e úteis a seus leitores. A partir de então criou-se a equipe editorial formada pelo Diretor de Comunicação Social, Aldamir Salvatico e pelas colaboradoras Elizabeth Bomfim Nazário e Kelly Cristina Altafim, apoiadas pela empresa Khein Design, responsável pelo

design gráfico. Nesse novo projeto, aumentou-se o número de páginas, seções para cada tipo de assunto, publicação de textos sobre saúde escritos por profissionais renomados, contribuindo para o enriquecimento da publicação, como também iniciou-se a venda de espaços publicitários para patrocinar o custeio de 6.600 exemplares. No último mês de junho, em comemoração aos 18 anos da APAS Bauru, a Revista novamente ganhou um novo projeto gráfico que fez parte da nova identidade visual da Associação, com um editorial mais limpo que facilitou a leitura e priorizou a interação entre revista e leitor. O planejamento da próxima edição se inicia imediatamente após a publicação da última, momento onde se define o conteúdo e o calendário para todo o trabalho editorial, visando sempre não prejudicar as atividades da função de cada um dos envolvidos, considerando-se que se trata de uma atividade paralela às demais. Existe sempre a preocupação da equipe editorial no sentido de publicar textos elucidativos com o objetivo de sanar dúvidas existentes e conscientizar o Associado sobre a importância dos cuidados com a saúde, da correta utilização de seu plano e de incentivar a transformar a medicina curativa em preventiva.

Da esquerda para a direita: primeiro exemplar de 1997; Primeira remodelação para o formato de revista em 2003 e alteração em 2009. 10 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 10

05/12/12 21:17


Regulação

Novas Coberturas e a Análise de Risco da carteira APAS Bauru Conforme divulgado no site da Agência Nacional de Saúde Suplementar, encontra-se em discussão no Congresso Nacional, a inclusão de medicações domiciliares para tratamento do câncer no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, com cobertura obrigatória pelas Operadoras de Planos de Saúde (OPS) a exemplo dos ministrados durante os períodos de internação ou quando ambulatorial, contemplados no referido Rol. Tal medida impacta diretamente nos custos assistenciais das OPS, fator utilizado para cálculo dos índices de reajuste anual aplicados aos planos. A análise do quadro de riscos dos beneficiários da APAS Bauru avaliou as ocorrências médicas dos últimos doze meses e realizou uma projeção para o próximo ano. Foram identificados 25 novos casos de oncologia e segundo a projeção realizada, prevê-se a ocorrência de outros 29 fatos relacionados ao câncer com maior incidência no sexo feminino e entre beneficiários com idade média de 61 anos.

Esse número poderia ser reduzido através da conscientização dos envolvidos da necessidade de mudança de alguns hábitos que propiciam o desenvolvimento do câncer, como o fumo, ingestão de bebidas alcoólicas, aliado às medidas preventivas como o autoexame das mamas para as mulheres e a visita ao urologista pelos homens. Medidas essas que permitem a descoberta precoce do problema, possibilitando melhores resultados nos tratamentos, além de torná-los menos dolorosos e com custos menores. Somente após o primeiro ano da entrada em vigor dessas novas regras, a APAS deverá realizar novos cálculos atuariais para conhecer o real impacto dessa nova cobertura nos custos assistenciais da Associação, pois estará assumindo despesas totalmente desconhecidas e cumulativas, levando-se em conta o número de pacientes afetados e o período desses tratamentos, visando sempre manter a sustentabilidade financeira aos planos oferecidos.

Gestão de patologias e previsão de incidências para 2013

Revista APAS Bauru 11

APAS_Dezembro_2012.indd 11

05/12/12 21:17


Prevenção

Programas de Prevenção a Doenças Primeiros Resultados

O principal resultado obti do com o programa foi a melhora da qualidade de vida dos pacientes e seus familiares, além da redução de complicações e hospitalizações.

Cavalini, Daniela (Nagis), Giovana, Cintia (Nagis), André (Nagis), Kelly, Cel. Lima, Leandro (Nagis)

No último mês de novembro, a empresa Nagis Health responsável pelos programas de promoção a saúde e prevenção de doenças da APAS apresentou aos gestores da Associação os primeiros resultados dos programas ativos: Programa de Monitoramento Domiciliar (PMD) e Programa de Monitoramento da Saúde (PMS). No período de 11/2011 a 10/2012, 42 beneficiários passaram pelo PMD e 40% das altas do programa ocorridas no mesmo período se deram por melhora / estabilidade do paciente. O principal resultado obtido com o programa foi a melhora da qualidade de vida dos pacientes e seus familiares, além da redução de complicações e hospitalizações. Atualmente 20 pacientes são assistidos por esse programa e recebem visitas periódicas de médico, enfermeira e assistente social, programadas de acordo com a necessidade de cada associado. No mesmo período, o PMS monitorou 142 beneficiários, fechando o mês de outubro/2012 com 45 pacientes ativos. Nesse programa além de acompanhamento do paciente por uma assistente social e por uma enfermeira, é realizado um trabalho de informação e orientação com os familiares. Em todos os casos assistidos pelo programa, observou-se a melhora na qualidade de vida e também a redução de utilização média mensal do plano por beneficiários.

Ações Planejadas para 2013

Como próximos passos para o ano de 2013, definiu-se as seguintes ações: • Alteração do nome do PMS para Programa de Monitoramento de Casos (PMC) • • • Criação do Programa de Monitoramento da Saúde para Risco Cardiovascular • • Convênio com academia para concessão de descontos aos beneficiários participantes do programa • • Campanha de vacinação contra a gripe • • Palestras com médicos especialistas

12 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 12

05/12/12 21:17


Prevenção

Envelhecendo com qualidade de vida O envelhecimento da população e o novo perfil dos brasileiros, agora com maior conhecimento de suas possibilidades de longevidade com saúde e qualidade de vida, despertam nos responsáveis pelo bem estar da chamada terceira idade preocupações antes despercebidas ou não valorizadas como deveriam. A avaliação das utilizações de nosso plano de saúde mostra com clareza que o avançar da idade tráz junto o aumento da vulnerabilidade às doenças e consequentemente os custos se elevam à medida que os diversos sintomas se manifestam. Entre outras a artrose, a arteriosclerose, a osteoporose, as doenças cardiovasculares e as mais diversas degenerações próprias da idade exigem não só a presença de novas terapias e a implantação de medidas preventivas, mas também a presença de equipes multidisciplinares de profissionais da saúde, perfeitamente atualizados em seus conhecimentos e focados no bem estar dessa nova população. Os novos idosos são realmente bem diferentes dos anteriores que se faziam reconhecer, às vezes muito precocemente, como pessoas em final de vida, improdutivas e descartáveis. Hoje ele, o novo idoso, está mais informado, valoriza o seu bem estar e utiliza a maturidade e a experiência vivida para enfrentar as divergências e desafios emergentes no cotidiano. Nesse contexto, somam-se também a importância da convivência familiar e social se opondo ao isolamento e outras condutas alienadoras impostas ao idoso, que o predispunham às precoces doenças degenerativas, psíquicas e até mesmo sociais e culturais. Devemos ainda acrescentar as condições ambientais e o estilo de vida como fatores importantíssimos para que o envelhecimento não ocorra com a mesma precocidade e velocidade do passado. Se o tempo passa de forma igual para todos, a lógica se resume em torná-lo o mais agradável possível e isto exige transformações, mudanças cujo caminho é o conhecimento obtido ao se descobrir as perspectivas dessa nova camada da população, tanto os que já fazem parte como aqueles que estão por chegar à terceira idade. Para isso trabalha a APAS Bauru e se você não é idoso, nós esperamos que você chegue lá, mantendo o novo perfil e experimentando com saúde e qualidade de vida, todo o aprendizado que há de vir.

A MARCA DA INOVAÇÃO E DA QUALIDADE

Descontos especiais para associados APAS

Aceitamos todos os cartões de crédito. Dividimos em até 3 vezes sem juros Entregamos em domicílio.

Fone: (14) 3234-1818

Revista APAS Bauru 00 Rua Quinze de Novembro, 13-86 (esq. com Antonio Alves) • Estacionamento próprio

APAS_Dezembro_2012.indd 13

05/12/12 21:18


APAS_Dezembro_2012.indd 14

05/12/12 21:18


APAS_Dezembro_2012.indd 15

05/12/12 21:18


Credenciado

Negociações com a rede credenciada Desde o segundo semestre de 2011, como se tem acompanhado através da veiculação em diversas mídias, as operadoras de planos de saúde suplementar do Brasil têm sido alvo de algumas ações do movimento médico, que através de iniciativas como as paralisações nos atendimentos buscam acordos em relação aos valores recebidos pelas consultas, honorários e inserção de índices para reajuste nos contratos firmados com as operadoras. A realidade da APAS Bauru é diferenciada quando comparada com grandes operadoras, principalmente no que condiz à defasagem de valores, argumentada pelas manifestações. A política direcionada para os credenciamentos e renegociações que a Diretoria Executiva tem adotado nos últimos anos está centrada na equiparação entre os profissionais de qualquer especialidade, laboratórios, clínicas, hospitais de mesmo padrão e outras operadoras. Atualmente as negociações e novos contratos de prestação de ser-

viços são embasados na realidade dos municípios da área de abrangência da Entidade, como também, nos valores oriundos das mensalidades dos beneficiários, pois é necessário o equilíbrio entre receita e despesa. A APAS Bauru busca entender quais são os interesses dos profissionais da saúde, valorizando seu trabalho e remunerando de forma justa os serviços prestados. Porém, nem sempre a tarefa é fácil, e as etapas das negociações se estendem ou tornam-se conflituosas. Construir um relacionamento, no qual o acordo seja bom para os dois lados e as partes fiquem satisfeitas, minimizam os riscos de surgirem problemas futuros. Antes de sentar em uma mesa de negociação, é realizada uma análise de todos os aspectos que serão abordados, estudando os pontos técnicos que serão tratados e as possibilidades possíveis, para evitar o fechamento de acordos impossíveis de serem cumpridos no futuro. Ao contrário de algumas tími-

das tendências que buscam valorizar certas especialidades, a proposta da APAS Bauru é remunerar os profissionais de saúde de forma justa e igualitária, firmando parcerias reais com os prestadores, objetivando ofertar aos beneficiários, serviços de qualidade e eficiência. Conforme levantamentos e análises destaca-se que a maior parte dos custos da operadora é proveniente da utilização de materiais e medicamentos e não necessariamente do trabalho do credenciado, portanto, nas negociações busca-se amenizar estes custos evitando acordos com incidências de taxas por utilização de equipamentos, de salas, de comercialização e outras tantas que aos poucos vão sendo incluídas nas tabelas hospitalares. Essas decisões exigem minuciosa avaliação dos itens da tabela constante ou incluídos. Em contra partida buscamos satisfazer os profissionais que, dia a dia, estão engajados e preparados para atender nossos beneficiários com qualidade e competência.

Os números da assistência médico-hospitalar PERÍODO CUSTO EFETIVO

PERÍODO

CUSTO PREVISTO

DIFERENÇA

Nov / 11

R$ 2.520.206,00

Nov / 12

R$ 2.772.226,60

R$ 252.020,60

Dez / 11

R$ 2.576.783,00

Dez / 12

R$ 2.834.461,30

R$ 257.678,30

Jan / 12

R$ 2.365.715,00

Jan / 13

R$ 2.602.286,50

R$ 236.571,50

Fev / 12

R$ 2.500.137,00

Fev / 13

R$ 2.750.150,70

R$ 250.013,70

Mar / 12

R$ 2.586.866,00

Mar / 13

R$ 2.845.552,60

R$ 258.686,60

Abr / 12

R$ 2.472.383,00

Abr / 13

R$ 2.719.621,30

R$ 247.238,30

Mai / 12

R$ 3.050.740,00

Mai / 13

R$ 3.355.814,00

R$ 305.074,00

Jun / 12

R$ 2.659.936,00

Jun / 13

R$ 2.925.929,60

R$ 265.993,60

Jul / 12

R$ 2.810.595,00

Jul / 13

R$ 3.091.654,50

R$ 281.059,50

Ago / 12

R$ 2.517.168,00

Ago / 13

R$ 2.768.884,80

R$ 251.716,80

Set / 12

R$ 2.677.130,00

Set / 13

R$ 2.944.843,00

R$ 267.713,00

Out / 12

R$ 2.270.746,00

Out / 13

R$ 2.497.820,60

R$ 227.074,60

TOTAL

R$ 31.008.405,00

R$ 34.109.245,50

R$ 3.100.840,50

TOTAL

16 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 16

05/12/12 21:18


Credenciado

Impacto financeiro das negociações com os prestadores de serviços CUSTO ASSISTENCIAL PREVISTO Out/13

Set/12

Set/13

Ago/12

Ago/13

jul/12

jul/13

Jun/12

Jun/13

Mai/12

Mai/13

Abr/12

Abr/13

Mar/12

Mar/13

Fev/12

Fev/13

Jan/12

Jan/13

em milhões

Out/12

Dez/11 Nov/11 0

0,5

1

1,5

2

2,5

3

em milhões

CUSTO ASSISTENCIAL EFETIVO

Dez/12 Nov/12 3,5

0

0,5

1

1,5

2

2,5

3

3,5

Revista APAS Bauru 00

APAS_Dezembro_2012.indd 17

05/12/12 21:18


Notas

Não efetue pagamentos fora do seu plano de saúde Reiteramos nossas recomendações anteriores sobre pagamentos efetuados durante a realização de procedimentos devidamente autorizados pela APAS. Sob a argumentação da má qualidade dos materiais nacionais, porém sem nenhuma comprovação científica, com frequência recebemos solicitação de informações sobre reembolso por utilização de materiais importados, os quais não possuem cobertura obrigatória pela legislação dos planos de saúde,

mas que oneram em muito as finanças de nossos associados. A APAS preocupa-se em com a qualidade do material autorizado e exige de seus fornecedores a apresentação de nota fiscal contendo todos os dados do paciente e os números de série e registro do material na ANVISA, dados estes que permitem o rastreamento do material utilizado, conforme previsto em lei. Antes de efetuar pagamentos sob qualquer pretexto, procure informar-se sobre o assunto.

Hospital de Base de Bauru deixa de atender aos usuários da APAS Em razão das recentes alterações na estrutura de sua gestão e conforme OF/CIRC/GAB/I-AHB-316/12, de 03 de dezembro de 2012, a partir do dia 28/12/2012, o Hospital de Base de Bauru, não estará mais conveniado à APAS Bauru, em decorrência da notificação de rescisão contratual enviada pela Associação Hospitalar de Bauru à APAS, permanecendo disponíveis os demais hospitais da rede credenciada para atender a demanda de atendimento dos nossos beneficiários.

Troca das credenciais APAS e Unimed Bauru

Clínica

Odontológica

C

M

Y

Dra. Ana Rúbia Barbosa Delgallo

CM

CROSP 44.000

Odontologia Estética, Preventiva e Reparadora

MY

CY

Planos Especiais para Tratamentos Ortodônticos e Implantes Tel. (14) 3227-9384 Rua Eng. Saint Martin, 13-62 Centro - Bauru

Prevenção em saúde bucal gratuita para associados APAS menores de 13 anos, gestantes e pacientes especiais

Em substituição às atuais credenciais APAS e Unimed Bauru que vencem no próximo dia 31 de dezembro, os beneficiários da APAS receberão via Correios as novas credenciais de identificação com validade até 31/12/2014. Para garantir o recebimento de suas credenciais, é importante que os associados mantenham atualizados seus endereços de correspondência junto à Associação, o que pode ser feito através dos telefones 3214-5500 (Bauru) e 3522-7000 (Lins), pessoalmente na sede da APAS ou pelo site: www.apasbauru.com.br > link: Serviços > Atualização de endereço.

CMY

K

18 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 18

05/12/12 21:18


Notas

Funcionários Públicos também podem aderir aos planos da APAS Conforme previsto no Estatuto Social da Entidade, funcionários públicos e integrantes das Forças Armadas também podem aderir aos planos de saúde comercializados pela APAS Bauru. O plano Facultativo, destinado a essa categoria, oferece os mesmos benefícios dos demais planos da Operadora, além de possuir valores de mensalidades mais atrativos que os do mercado.

BENEFÍCIOS OFERECIDOS • Ampla rede credenciada nas mais diversas especialidades, além de manter contrato com as Unimed’s Bauru, Lençóis Paulista e Lins, Assistência Médico-Hospitalar São Lucas, UNESP Botucatu, IMC/HC de São José do Rio Preto e Fundação Dr. Amaral de Carvalho de Jaú. • “Campanha de Prevenção em Saúde Bucal”, que consiste no atendimento preventivo gratuito a crianças de 0 a 12 anos, gestantes e portadores de qualquer deficiência, nestes casos, sem limite de idade. • Convênio com a farmácia AFAM, localizada nas dependências da APAS Bauru, que comercializa medicamentos com descontos de até 28% aos associados. • Convênios com farmácias de manipulação, academias de ginástica e faculdades que oferecem descontos aos associados. • Empréstimo de materiais ortopédicos (muletas, cadeiras de rodas e anuncio_meiapagina.pdf 1 11/8/12 4:42 PM de banho).

NOVO COMANDANTE GERAL Em nome de seus associados, colaboradores e Diretores, a APAS Bauru cumprimenta o Cel PM Benedito Roberto Meira, Presidente do Conselho Deliberativo da Entidade, pela assunção ao cargo de Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, desejando-lhe sucesso nessa nova missão.

VOCÊ TEM VÁRIAS RAZÕES PARA SER COOPERADO!

M

Y

Facilidades

Realize seus sonhos e conquiste a tão sonhada estabilidade financeira

Adquira produtos e serviços de qualidade, com preços acessíveis

Embarque na viagem dos seus sonhos e divirta-se nas férias e folgas

Saúde

Aplicações

Assistências

Aplique recursos com segurança e os melhores rendimentos do mercado

Conte com o apoio da cooperativa por meio de assistências em prol do seu bem-estar

Lazer

CM

MY

Educação

Marketing - nov/12

C

Crédito

CY

CMY

K

Invista na sua formação e no desenvolvimento profissional

Cuide da saúde da sua família

VISITE NOSSAS UNIDADES E USUFRUA DO AMPLO LEQUE DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS! PA Bauru: Rua Batista de Carvalho, 10-54 - Centro - CEP: 17010-000 - Tel. (14) 3214-4500/4353 - bauru@coopmil.coop.br PA Lins (APAS): Rua Marechal Vasques, 236 - 1º andar - V. América - CEP: 16400-145 - Tel. (14) 3532-6960 - lins@coopmil.coop.br Consulte todas as unidades em www.coopmil.coop.br

APAS_Dezembro_2012.indd 19

Acompanhe a CoopmilRevista nas redes sociais APAS Bauru

00

05/12/12 21:18


Tecnologia

NOVO PORTAL DA APAS No próximo mês de janeiro, entrará no ar o novo Portal da APAS Bauru. A mudança tem como objetivo além de atender as exigências da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), oferecer maior acesso às informações dos beneficiários e prestadores de serviços, além de tornar o Portal o principal meio de aproximação aos serviços da APAS. O diferencial desse novo Portal é um design moderno, com links exclusivos para beneficiários e prestadores, disponibilizando os conteúdos de maneira funcional.

Veja os principais serviços disponíveis no Portal:

ACESSO PÚBLICO - Consulta à rede credenciada - Informações sobre os Planos da APAS - Notícias - Contato APAS EXCLUSIVO BENEFICIÁRIOS (ASSOCIADOS) - Segunda via de cartão de identificação - Segunda via de boleto bancário - Demonstrativos financeiros - Histórico de atendimento EXCLUSIVO PRESTADORES - Digitação de Guias - Envio XML - Consulta de autorizações e produções - Recurso de glosas - Alteração cadastral - Consulta Tabela Geral de Eventos (TGE) - Demonstrativos

RADIOTERAPIA DE ALTA QUALIDADE PARA BAURU E REGIÃO RT 3D (radioterapia conformada tridimensional), IMRT (modulação de intensidade do feixe), IGRT (radioterapia guiada por imagem), RADIOCIRURGIA E RADIOTERAPIA ESTEREOTAXICA FRACIONADA, BRAQUITERAPIA DE ALTA TAXA DE DOSE (HDR). Dra. Ana Tarsila Fonseca Souza Radio-oncologista CRM 132.424

Dr. João Victor Salvajoli Radio-oncologista CRM 31.056

Rua Profª Nair Araujo Antunes, nº 1-50 - Presidente Geisel CEP 17033-495 - Bauru - SP / Tel: (14) 3203-4303

00 Revista APAS Bauru

radioterapiabauru@gmail.com • www.radioterapiabauru.com.br

APAS_Dezembro_2012.indd 20

José Carlos da Cruz Físico em Radioterapia

Leandro Barros Amaral Físico em Radioterapia

AMPLO ESTACIONAMENTO ATENDEMOS CONVÊNIOS

05/12/12 21:18


Utilização Consciente

Você sabe para que serve o Pronto Atendimento?

UTILIZAÇÃO DE P.A.

Com certeza a maioria das pessoas ao ler essa pergunta deve responder: “É claro que sei para que serve!” Mensalmente a Seção de Contas Médicas da APAS Bauru analisa um grande número de faturas de atendimentos em Pronto Atendimento (P.A.) e o que se observa é que cerca de 80% desses não são casos de urgência. Por esse motivo, resolveu-se utilizar esse espaço para esclarecer aos beneficiários sobre a finalidade desse serviço. O objetivo do P.A. é dar atendimento a pessoas em situações de urgência ou emergência com risco à saúde, como por exemplo: acidentados, suspeita de infarto ou AVC (derrame), fraturas, pneumonias, etc. Mais precisamente, pode-se afirmar que no Pronto Atendimento é praticada a medicina curativa, aquela que trata o sintoma naquele momento e que, ao usar esse serviço para situações de rotina, você estará correndo riscos de

contrair doenças típicas de ambientes hospitalares. É fundamental que se crie o hábito da prática da medicina preventiva, através da realização de consultas de rotina com um clínico geral ou especialista, quando necessário, para um tratamento adequado que trate as causas dos sintomas e resolva de vez o problema. Também é importante citar os impactos financeiros que esse tipo de atendimento traz ao plano de saúde e consequentemente ao beneficiário. Além de ter um custo mais elevado, a consulta de urgência não dá ao paciente o direito de retorno, como as consultas eletivas (pré-agendadas). Dessa forma, caso o sintoma não desapareça e você precise retornar ao médico, você terá que assinar uma nova guia de consulta, gerando nova despesa. Portanto, não esqueça: “Só procure o pronto atendimento quando realmente precisar.”

MÊS

ANO

Quantidade Consultas

Custo Consulta

Custo Insumos/Taxas/Mat/Med

Custo Total

Outubro

2011

1032

R$ 39.470,29

R$ 87.715,91

R$ 127.186,20

Novembro 2011

1063

R$ 45.623,73

R$ 107.747,17

R$ 153.370,90

Dezembro 2011

879

R$ 37.162,58

R$ 71.871,02

R$ 109.033,60

Janeiro

2012

899

R$ 38.350,91

R$ 95.787,79

R$ 134.138,70

Fevereiro

2012

725

R$ 31.468,13

R$ 74.165,67

R$ 105.633,80

Março

2012

571

R$ 26.235,97

R$ 60.153,51

R$ 86.389,48

Abril

2012

806

R$ 37.115,91

R$ 89.510,69

R$ 126.626,60

Maio

2012

943

R$ 45.907,35

R$ 116.985,55

R$ 162.892,90

Junho

2012

853

R$ 41.780,43

R$ 114.038,97

R$ 155.819,40

Julho

2012

1064

R$ 48.692,75

R$ 138.685,75

R$ 187.378,50

Agosto

2012

986

R$ 45.110,33

R$ 144.826,97

R$ 189.937,30

Setembro

2012

878

R$ 39.315,24

R$ 128.467,66

R$ 167.782,90

TOTAL

10.699

R$ 476.233,62

R$ 1.229.956,66

R$ 1.579.004,08

891,58

Média de atendimentos mensais

147,58

Custo médio por atendimento R$

Revista APAS Bauru 21

APAS_Dezembro_2012.indd 21

05/12/12 21:18


Associado

o. c s o n o c e l a F quer S A P A A e você saber o qu er. tem a diz s Mande sua cas ti us gestões, crí . ou elogios

A APAS disponibiliza vários meios de comunicação para seus beneficiários solicitarem informações, tirar dúvidas, registrar reclamações ou sugestões. Confira os canais disponíveis para sua manifestação de forma rápida e direta: • Por telefone • Por e-mail: apas@apasbauru.com.br • • Pelo site: www.apasbauru.com.br no link “Fale Conosco” • • Através da “Ficha de Manifestação” disponível na sede da APAS Bauru e filial Lins

Dificuldade nos agendamentos

ANO IX / Nº 28 / DEZEMBRO

ANO IX / Nº 26 /

DE 2011

DEZEMBRO DE 2010

Os associados, nos últimos meses, têm informado a APAS que comumente encontram dificuldades para agendar a 1ª consulta médica. Há uma preocupação da Associação em equilibrar a demanda, conforme procura por determinada especialidade, porém alguns prestadores de serviços disponibilizam uma agenda regrada, situação que a APAS só saberá se o beneficiário comunicar a Operadora. Essa questão já vem sendo assunto no país de uma forma geral e para resolver o problema da melhor forma possível, a APAS precisa que seus beneficiários comuniquem qualquer problema em relação aos agendamentos de consulta.

ília policial militar

Mais saúde para a fam

Mais saúde para a fam

ília policial militar

HO

IMPACTOS FINANCE IRO

S

Alto custo e resulta

do ruim

Mais saúde para a família polic

ial militar

LINHAME REALIN LI ALI SAL NSA NS MEN S ME DAS DA

SAÚDE x TRABAL

Interação necessária

R

SAÚDE DA MULHE

NEGOCIAÇÕES CON

TRATUAIS

PROGRAMA ÇÕEES NO PRO ALTTERAÇÕ AL ÃO À SAÚDE E OÇÃ PROMOÇ DE PRO ÇÃO DE DO NÇÃ VENÇ PREVEN ACIDENTE VASCULAR

Histórias de superação

Feliz Natal

CEREBRAL

DESAFIOS PARA 2012

Adesão de novos Associa dos e Novo Rol de Coberturas da ANS

AUTORIZAÇÕES ON-L

Saiba como proceder

INE

Garanta já sua propaganda para a próxima edição. (14) 3214-5500 ou revista@apasbauru.com.br 22 Revista APAS Bauru

APAS_Dezembro_2012.indd 22

05/12/12 21:18


Responsável Técnico Dra Francine Saltão Rufino Costa e Silva CRM: 99.173

Um novo conceito em atendimento

Precisão e Qualidade nos Exames Laboratoriais Estacionamento Próprio

Rua Rio Branco, 13-58 - Centro - Bauru - SP - Tel.: (14) 3234-1717 - www.medlabbauru.com.br

Clínica

APAS_Dezembro_2012.indd 23

05/12/12 21:18


www.cdibauru.com.br

CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA • TOMOGRAFIA HELICOIDAL

Novo aparelho de Ressonância Magnética de 1,5T, mais moderno e com mais espaço interno para maior conforto.

24

ANOS

Equipe de médicos especialistas em diagnóstico por imagem, garantindo qualidade e agilidade na entrega dos resultados, com opção de envio via internet para maior comodidade. Horário de funcionamento extendido para agenda-

mento dos exames conforme a disponibilidade do paciente, inclusive fora do horário comercial. Local com amplo estacionamento, facilitando o acesso para pacientes portadores de necessidades especiais.

Rua Monsenhor Claro, 7-60 - Centro - Bauru • Fone/Fax: (14) 3227-1818 / 3227-2728 Atendimento de urgência: (14) 9792-6688 • cdibauru@cdibauru.com.br APAS_Dezembro_2012.indd 24

05/12/12 21:18

Revista APAS Bauru - edição dezembro/2012  

Revista da Associação Policial de Assistência à Saúde de Bauru - edição dezembro/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you