Page 1

Inflação/ deflação

Trabalho elaborado por Paula Garcia Para STC_ STC_Sociedade, Tecnologia e Ciência Fundamentos


Índice

Introdução ..................................................................................... 2 Desenvolvimento .......................................................................... 2 Definição: ...................................................................................... 2 Inflação ......................................................................................... 2 Deflação........................................................................................ 2 Causas:......................................................................................... 2 Inflação ......................................................................................... 2 Deflação........................................................................................ 2 Consequências: ............................................................................ 3 Inflação ......................................................................................... 3 Deflação........................................................................................ 3 Conclusão ..................................................................................... 4 Webbiografia ................................................................................. 5

Paula Garcia

Página 1


Introdução

Neste trabalho vai ser demonstrado com exemplos o que é inflação e deflação, quais as causas e consequências.

Desenvolvimento

Definição: Inflação É um conceito económico que representa o aumento de preços dos produtos num determinado país ou região, durante um período. Num processo inflacionário em que o poder de compra da moeda cai.

Deflação É quando os preços médios recuam, ou seja, a taxa torna-se negativa. As empresas reduzem preços como única alternativa de venda e podem ir à falência devido às perdas decorrentes da venda abaixo do custo. Em suma, a deflação é um crescimento negativo dos preços médios.

Causas: Inflação  Emissão exagerada e descontrolada de dinheiro por parte do governo;  Demanda por produtos (aumento no consumo) maior do que a capacidade de produção do país;  Aumento nos custos de produção (máquinas, matéria-prima, mão-deobra) dos produtos.

Deflação Paula Garcia

Página 2


 Excesso de capacidade produtiva

Consequências: Inflação

Um dos efeitos mais importantes da inflação é o facto de reduzir o valor do dinheiro com o passar do tempo, o que significa que se regista uma perda do "poder de compra". Se o preço do pão subir todos os anos, então, com o mesmo dinheiro comprar-se menos pão ou então será necessário mais dinheiro para se comprar a mesma quantidade de pão. Genericamente falando, quando os preços sobem, perdemos o poder de compra porque passa-se a poder comprar menos bens, e a ir de férias para o estrangeiro e, em geral, sobrevivese com menos rendimento. Esta perda do poder de compra afecta não só os consumidores e os agregados familiares, como tem também á consequências para as empresas e governos.

Outra das consequências da inflação elevada ou das expectativas de inflação elevada é o facto de as pessoas terem menos propensão para poupar dinheiro para o futuro. Isto acontece porque a inflação poderia reduzir o poder de compra das poupanças ao longo do tempo. Neste caso, as pessoas que poderiam, mas na realidade, pretendiam poupar para o futuro, mas na prática, gastam o seu dinheiro agora.

Deflação Como as empresas não conseguem vender como antes, mesmo a preços menores, o facturamento e o lucro também acabam reduzidos. Para não ficar no prejuízo, elas são obrigadas a diminuir o ritmo da produção e a demitir funcionários. Com o desemprego alto, ninguém costuma gastar além da conta. Por isso, a oferta de serviços e os estoques crescem. Resultado: excesso de bens e preços menores que os de períodos anteriores. O processo ainda pode ser iniciado, ou agravado, pela baixa oferta de moeda. Quer dizer, falta dinheiro em circulação, seja por causa dos juros altos, que tornam o crédito proibitivo, seja pela falta de investimentos. Essa bola de neve costuma afetar todos os sectores da economia, do agricultor aos fabricantes de eletrodomésticos, além de abalar a própria estrutura social. Isso cria um efeito muito corrupto para a sociedade. Além do desemprego, existem também fatores psicológicos, como o medo de uma crise.

Paula Garcia

Página 3


As pessoas adiam as compras e, esperando sempre por preços menores, deixam de gastar.

Conclusão Na minha opinião existe uma inflação quando por exemplo logo após uma guerra, claro que existem outros factores, mas vou focar este em particular. Registou-se um acréscimo do custo de vida em cerca de trinta vezes entre os anos de 1914 e 1926, durante os dezasseis anos que durou o regime republicano 1910-1926. No Pós I Guerra em Portugal tinha uma dívida externa de 44 423 mil escudos, o custo de vida tinham aumentado três vezes, a dívida à GrãBretanha era de 20 milhões de libras e havia constantes défices orçamentais. Um exemplo de deflação foi no início da Revolução Industrial, em meados do século XVIII, até o início da Segunda Guerra Mundial, os preços geralmente caíram, ano após ano. Isso porque houve um contínuo aumento da produtividade e da produção de bens, gerado pelo livre mercado, que levou a uma queda nos preços. Não houve depressão, no entanto, os custos caíram junto com os preços de venda. Em geral, os salários permaneceram constantes, ao contrário do custo de vida que caiu de tal forma que os salários "reais", ou o padrão de vida de todos, aumentou constantemente. Também pode ser um dos ingredientes para a recessão. Como a demanda está baixa, o empresário irá reduzir os preços dos bens comercializados e, consequentemente irá reduzir também a produção deste bem. Isso ocasionará a demissão de funcionários, pois o ritmo de produção foi diminuído, fazendo com que sobra mão-de-obra. Essa situação em larga escala e com continuidade em relação ao tempo, leva a economia à recessão, que é a diminuição do PIB. As diferencias entre a inflação e a deflação, é que enquanto a inflação aumenta o custo de vida mas sem aumentar os salários, a deflação diminui o custo de vida por haver mais produtos do que demanda, apesar do benefício imediato para o poder de compra, conduz, a curto prazo, a um período de estagnação e sobretudo aumenta, o valor das dívidas, num Portugal endividado, pública e particularmente. Em ambos os casos são prejudicais porque levam a uma ruptura financeira de um país, porque em curto prazo, poderá haver uma estagnação dos preços com níveis de desemprego tendencialmente crescentes e até de

Paula Garcia

Página 4


estagflação (estagnação económica e inflação persistente) com crescimentos económicos reais nulos e negativos. Apesar de haver factores que ultrapassam, o controlo de estabilidade, como por exemplo, guerras, excesso de consumo, acho que ainda um governo de um país devia estar preparado para todas as situações, para quando alguns dos elementos fora do normal acontecesse, houvesse medidas, para que tanto os consumidores como os produtores não sofressem com um desequilíbrio financeiro.

Webbiografia

http://www.suapesquisa.com http://relances.blogspot.com http://ec.europa.eu http://www.infopedia.pt

Paula Garcia

Página 5

Inflação e deflação  

Trabalho sobre a inflação e deflação