Page 1

gira revista

revista do concelho de Vila Franca de Xira e arredores diretor António Dias | revistagira.com | €1 | assinatura anual €24 número 12 | mensal | setembro de 2017

esta terra é gira

herman josé

“Nunca falarei mal das corridas de toiros”

segue-nos no facebook

O maior entertainer do showbiz nacional atua a 8 de setembro, às 21h30, na Póvoa de Santa Iria. Oportunidade para uma conversa única.

autárquicas: ENTREVISTAS AOS CANDIDATOS passeio: VINDIMAR EM LAZER


A sessões fotográficas A tua loja, a tua biografia, o aniversário de alguém especial, um evento único ou uma reportagem à séria. Tu contas, nós gravamos. Memórias eternas.

h cobertura vídeo

B livros e brochuras

CAPTA O MOMENTO

CONTA ME historias conteúdoS

w social media

P

À TUA MEDIDA

O 916 769 296 info@contamehistorias.com

www.contamehistorias.com

os t en s ! i m já t a e ç rá or g ped


gira número 12 setembro 2017

propriedade: António Manuel Domingues Dias NIF: 216 680 611 diretor e editor: António Dias assessoria: Ana Paula Vieira colaboradores: Sónia Teles (farmácia), Guida Alves (psicologia), Maria Martins (moda), David Fernandes Silva (estórias), Alexandra de Jesus (lifestyle), Paula Martins (nutrição), Daniel Gonçalves (pets) publicidade: revista gira: 243 761 130 | 968 236 531 Voz Ribatejana Lda. sede do editor: rua doutor Manuel Branco, nº30 2005-388 Vale de Santarém telefone: T: 968 236 531 redação: rua doutor Manuel Branco, 30, Vale de Santarém web: www.revistagira.com mail: revistagira@revistagira.com facebook: /revistagira impressão: soartes/Carregado tiragem: 5.000 exemplares depósito legal: 415958/16 número registo na ERC: 126901

foto de capa © Ana Paula Vieira Para aparecer na capa da gira ou no interior contacte 968 236 531 ou revistagira@revistagira.com. Fotografia, filmagens, reportagens giras. Empresariais ou pessoais. As nossas produções são giras!

© setembro de 2017 Todas as imagens e textos desta publicação são propriedade da revista gira. É interdita a cópia ou a utilização de qualquer conteúdo sem a devida autorização do proprietário. O estatuto editorial da revista gira está disponível no sítio www.revistagira.com

5

12 moda Novidades de outono Há lojas com imensas novidades

18 agenda Isabel Stilwell na Falcoaria A escritora lança um livro infanti/juvenil a 17 de setembro na Falcoaria Real

24 entrevista Herman José O humorista vai estar a 8 de setembro na Quinta da Piedade, na Póvoa de Santa Iria

30 reportagem Autárquicas As entrevistas aos candidatos vilafranquenses

46 passeio Vindimar com prazer Há quintas que aceitam turistas para vindimar.

COLUNISTAS SECÇÕES David Fernandes Silva:6 Maria Martins: 13 Alexandra de Jesus: 17 Andreia Hortênsio: 42 Guida Alves: 43 Paula Martins: 44 Sónia Teles: 45 Daniel Alves: 46

efemérides: 7 diretório: 15 editorial: 21 saúde: 44 pets: 46


6 // curiosidades // setembro

Corte, cultura e turismo história

David Fernandes Silva*

Tirando alguns trabalhos mais abrangentes (como é, para o século passado, a ‘Cronologia do Século XX’, de José Costa, ou a ‘Cronologia da História da Póvoa’, de António Godinho, para esta freguesia), faz falta para o “universo local” uma história geral concelhia (ou, pelo menos, uma cronologia, além do século XX). Isto não invalida que haja muitos estudos sobre aspectos da História local e muitos e bons estudiosos/historiadores da mesma. Seria um trabalho hercúleo, mas necessário, porque nos permitiria uma visão muito mais global da nossa realidade e histórias locais. Esse esforço possibilitaria também compreender algumas questões que são “usadas” em certos contextos até para a “promoção turística”. Há dias, em Óbidos, apercebi-me como é “vendável” o facto de aquela vila ter sido corte da rainha Dona Catarina de Áustria. Parece-me lindamente que Óbidos o faça, mas dei por mim a pensar a quantidade de vezes que Vila Franca foi ponto de passagem e permanência de reis e rainhas e, inclusive, corte régia, sem que disso se dê destaque. No caso concreto de Óbidos (tal como Alenquer) a presença das soberanas era normal, uma vez que essas terras eram da Casa da Rainha. Mas, como explicar que este burgo, esta

terra tenha acolhido (sem ir buscar outros reis) duas das mais notáveis figuras régias dessa época: a própria rainha Dona Catarina de Áustria (15071578), viúva de D. João III e avó de D. Sebastião, e a infanta Dona Maria (1521-1577), filha de D. Manuel I, duquesa de Viseu e, ao mesmo tempo, sobrinha e cunhada da rainha Dona Catarina? Se uma era mecenas, colecionadora e erudita, a infanta Dona Maria não lhe ficava atrás, sendo, além da mulher mais rica de Portugal na sua época, era também a mulher mais culta e maior patrona e amante das artes que Portugal conhecera. Fizeram corte em Vila Franca de Xira, onde residiram, pelo menos, entre Julho de 1569 e Junho de 1570. Nessa ocasião, receberam, na casa que lhes servia de Paço, o rei D. Sebastião em 23 de Janeiro de 1570. E, porque mais não sabemos, só podemos imaginar quão notáveis devem ter sido os dias dessa corte, plena de vida cultural e como disso se podia fazer uso, por exemplo, do ponto de vista turístico. À falta de uma ‘História Geral’, aqui fica mais uma “pincelada” para a História desta nossa Vila Franca, que pode não ter castelo, nem chocolate, nem ginja, mas foi corte régia, na sua simplicidade e glória e, mais ainda, “Capital de Cultura”.

*estoriador

o autor escreve conforme a antiga grafia


7

24.set.1985

20.set.2009

Foi inaugurada neste dia a recuperada Falcoaria Real de Salvaterra de Magos. O edifício recebe milhares de visitantes todos os anos e o número tem vindo a crescer desde dezembro de 2016, quando a falcoaria foi reconhecida como património imateral da humanidade pela UNESCO. É um espaço único na Península Ibérica e está intimamente ligado à história da monarquia portuguesa que transformou a vila ribatejana num importante centro da vida social e artística da corte portuguesa. Hoje é um espaço turístico de excelência.

5.set.1950

Foi criado o Clube Desportivo de Benavente. As atividades com maior movimento são o futebol e a pesca desportiva. Nas quatro linhas, promovem desporto desde os benjamins aos juniores. Na pesca desportiva já tiveram vários vencedores de concursos.

23.set.1989

Assinala-se mais um aniversário da biblioteca municipal Irene Lisboa. Situada no centro de Arruda dos Vinhos, no antigo Palácio do Morgado, o edifício homenageia a escritora, professora e pedagoga portuguesa nascida na freguesia de Arranhó.

Neste dia a Castanheira do Ribatejo foi re-elevada à categoria de vila. Atualmente unida à freguesia de Cachoeiras, já tinha sido vila e sede de município (o seu foral data de 6 de julho de 1514), tendo sido os seus senhores os Ataíde, condes da Castanheira.

30.set.1901

É inaugurada a praça de toiros de Vila Franca de Xira. No entanto, só depois da morte José Pereira Palha Blanco, em 1937, o emblemático monumento vilafranquense ficaria cognominado de “Palha Blanco”.

26.set.1511

Damião de Góis, nascido em Alenquer, entra, com nove anos de idade, para o Paço da Ribeira como pajem do rei D. Manuel.


8 // notícias // setembro

evento

inauguração

Vila Franca já tem campo de padel

Já estão disponíveis novos espaços desportivos junto às piscinas de Vila Franca de Xira. A requalificação do espaço custou ao município 53 mil euros e contemplou um novo campo de padel, acompanhando a evolução de uma modalidade cada vez mais apreciada e, agora, possível de praticar na cidade sede de concelho. recrutamento

Bombeiros procuram novos heróis

Arruda recebe evento inédito

Arruda dos Vinhos é palco de um festival inédito de street food. O conceito de promover a comida de rua está cada vez mais em voga com novas empresas no mercado. Entre 22 e 24 de setembro, o jardim municipal terá bancas, rouloutes, música e animação para crianças e adultos.

Os bombeiros precisam de reforços. As inscrições para novos cursos estão a decorrer e as aulas deverão começar no final de setembro. Para o fazeres basta que te desloques à corporação mais próxima de casa e faças o pedido. A recruta será dada em conjunto com todos os bombeiros do concelho de Vila Franca de Xira, dividindo as turmas por escalões etários. Ser soldado da paz é uma profissão de risco mas que fornece ao cidadão ferramentas e capacidades importantes para a vida, como lidar com o stress, gerir emoções, conhecimentos técnicos ao nível da saúde, segurança, entre outros. Durante o verão, em que as necessidades são maiores, os bombeiros são pagos.


9

candidatura

Arruda quer valorizar tertúlias móveis

As tertúlias móveis de Arruda dos Vinhos pretendem candidatar-se a património imaterial de Portugal. A ideia foi apresentada a 14 de agosto, durante um almoço das tertúlias. António Narciso, da tertúlia “Amigos da Galera”, acredita que “esta medida pode trazer mais visitantes a Arruda”. Estes espaços movimentam evento

milhares de pessoas todos os anos, entre organizadores e visitantes, que se reúnem em torno da gastronomia portuguesa, das tradições tauromáquicas e da cultura arrudense. E tudo começou em 1971 com João Manuel Paulino da Costa (na foto). “A tertúlia que ajudei a criar, em 1971, chamava-se ‘Os Amigos do Toiro’ e foi a

primeira em Arruda. Teve tanto sucesso que quando começou a ficar pequena decidimos arranjar um espaço no exterior para acolher mais visitantes”, recorda. Aquilo que começou a ser uma galera transformou-se, anos mais tarde, num autocarro e hoje são um ícone vivo de uma tradição que se pretende preservar.

Alenquer está a apostar cada vez mais no vinho

Quase 80 por cento da produção vinícola da região de Lisboa brota de terras alenquerenses. Diversas quintas já descobriram este potencial, como é o caso da Casa Santos Lima que exporta a maioria do que produz e já organiza visitas turísticas. O crescimento tem sido enorme e a Câmara Municipal de Alenquer está a apostar na promoção. Há um museu, uma quinta ampelográfica onde se guardam as 50 castas de uva autóctone e entre 22 e 24 de setembro a habitual festa do vinho ganha outra dimensão. “Haverá música, animação, street food, stands de produtores, provas de vinhos, entre outros”, promete o presidente do município. Pedro Folgado quer fazer deste setor um dos motores da economia

da região. O edil avisa, no entanto, que há ainda um longo caminho a percorrer quando, por exemplo, nos restaurantes da capital, os vinhos de Lisboa passam ao lado de muitas ementas. O autarca vê o néctar dos deuses como um dos principais fatores de desenvolvimento de Alenquer mas acredita que o município tem outras potencialidades que deve desenvolver. Para já, “A Alma do Vinho” será mais um dos contributos nesse sentido. E para atrair ainda mais visitantes, haverá muita animação, com concertos e os cabeças de cartaz serão Cuca Roseta, a 22 de setembro; Richie Campbell, a 23 de setembro; e David Antunes, a 24 de setembro. Os bilhetes custarão entre €3 e €5.


10 // notícias // setembro

manifestação

Associação está cansada de tanta poluição A proTEJO - Movimento pelo Tejo marcou uma manifestação, em frente ao Ministério do Ambiente, para 14 de outubro, às 15h. O objetivo é protestar contra os contínuos “episódios de poluição extrema” de que é alvo o maior

curso de água doce que atravessa Portugal, sobretudo a partir de Vila Velha de Ródão. Em comunicado, a associação, com sede em Vila Nova da Barquinha, pretende “apelar ao governo para agir com eficácia e determinação na contenção

futebol

FC Alverca ajuda Bombeiros e Companheiros da Noite

É apresentada a 9 de setembro à tarde a equipa sénior de futebol do FC Alverca. O evento marca o 78º aniversário do clube e terá um caráter solidário: o preço da entrada será um alimento não perecível ou bebidas que depois serão entregues à Associação Companheiros da Noite e aos Bombeiros Voluntários de Alverca. O jogo em casa com o Alta de Lisboa contará com diveras estrelas como Mantorras, Ramires, Nelson Morais, Rui Borges, Manu, entre outras. Recorde-se que a equipa principal participa no campeonato distrital pró nacional da Associação Futebol de Lisboa cujo jogos começam este mês. “Depois de uma época positiva”, como elogia o presidente da instituição, esta será uma temporada com “uma equipa jovem e forte” e por isso Fernando Orge acredita numa boa prestação. Presidente há quase sete anos, o responsável recorda que encontrou um clube financeiramente “à deriva” e que depois de “um longo trabalho de organização, o clube está saudável”.

dos agentes poluidores” uma vez que “a brigada de fiscalização não está a ter os resultados pretendidos”. Entretanto, neste mês de setembro, será discutida, na Assembleia da República, uma petição contra a poluição do rio Tejo. campanha

Associações precisam de jovens

8 em cada 10 jovens não participa na vida associativa da sua terra. As redes sociais, a televisão ou os jogos de computador retiram o interesse pelas causas sociais. Por isso a Federação Nacional de Associações Juvenis (FNAJ) vai lançar uma campanha para captar o interesse dos mais novos pela vida associativa. A FNAJ irá utilizar as redes sociais, andará pelas escolas e organizará debates onde se discutirão as vantagens do movimento associativo. Nuno Paixão, da Associaçõe de Jovens de Benavente, conhece casos de colegas que viram o seu currículo “ser valorizado em entrevistas de emprego”, por terem sido voluntários. “Há imensas vantagens em ser voluntário”, defende.


11 finalizado

concurso

Maestro de Benavente finalista

João Domingos Raquel é um dos cinco finalistas da prova “Bravo Maestro”, onde 120 maestros de todo o mundo mostraram o seu trabalho na tentativa de serem escolhidos como revelação à escala global. O músico vive e trabalha em Benavente, onde é professor de música no agrupamento de escolas, sendo também maestro da banda de Óbidos. A final do concurso está prevista para 23 de setembro. O vencedor irá ao Paraguai dirigir um concerto e terá direito a gravar um CD. obras

Reaberto túnel entre a Póvoa e Vialonga

Já terminaram as obras no túnel de ligação da Póvoa de Santa Iria a Vialonga. Foi construído um passeio pedonal, desde a rua da Quinta da Piedade até à entrada do túnel e foram melhoradas as iluminações e o piso. A empreitada da responsabilidade da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira custou quase 16 mil euros.

estradas

Marcas rodoviárias com melhoramentos

Até ao final do mês de setembro serão melhoradas as marcas rodoviárias nas estradas do concelho de Vila Franca de Xira. Com um custo aproximado de 34 mil euros, esta medida pretende beneficiar e reforçar a eficiente sinalização e a segurança do trânsito em várias vias municipais, sobretudo ao longo das freguesias de Alverca do Ribatejo, Vialonga e Vila Franca de Xira.

Novo quartel dos bombeiros de Vialonga já está Era um anseio daquela a ser construído freguesia que ainda vive portas meias com instalações provisórias há mais de três décadas. Depois de muita pressão e apoios da população, foi conseguido assegurar os quase um milhão de euros necessários para a obra. A Câmara Municipal irá investir mais de 2oo mil euros. As novas instalações ficarão junto ao Centro Comunitário de Vialonga e deverão estar prontas em meados de 2018.

estas e outras notícias regionais no facebook da gira e em www.revistagira.com


12 // moda // setembro

Happy days

loja online | www.emeboheme.pt

modelo: Maria Martins produção: Maria Martins fotografia: Ana Paula Vieira

Novidades frescas e boas na éMe bohèMe. Estamos a dizer adeus ao verão com alegria porque este outono vai ser fenomenal, cheio de cor e energia...


13 a moda é isto!!!

O kimonno (ou quimono) está in! Maria Martins*

MARCAS éMe bohèMe moda e acessórios: Maïttè, Tendências, Nekane, Karamel, ML, Rüga, Ferrache, Beneditas, Bastta calçado: Cubanas, Ruika, Xuz aromas: Castelbel, Boles d’Olor, Lothantique, Mathilde M., Yankee Candle, gourmet: In Tube, Kusmi Tea ‘

eMe boheMe

CONTACTOS

ALVERCA | Avª Capitão Meleças, 56 LISBOA | Estrada da Luz, 148C Tlf. 918 771 434 Segunda a sexta 10:00 - 19:00 Sábados 10:00 - 17:00 Abertos ao almoço

Kimono significa "coisa de vestir" e é um termo de origem japonesa. A blusa kimono é uma peça com aparência delicada, sendo uma excelente alternativa aos blazers ou cardigans. Esta peça chave veio agregar à moda um estilo nos looks mais arrojados e foi muito bem recebida pelas mulheres mais jovens, mas a faixa etária não é, de todo, um fator inibidor em relação a esta tendência. E como se conjuga esta peça fantástica, perguntamos nós? Pois bem, seguem algumas dicas. Os kimonos adequam-se muito bem a peças justas como uma saia-lápis ou calças (jeans ou de alfaiataria). Para as mais ousadas, nada como juntar uma calça boyfriend, jogger, ou calções. Outra dica, usar como vestido e ainda pode colocar um cinto para dar mais estilo. Se a ideia for uma produção para eventos ou locais mais formais, pode-se usar fechado e em tecido mais pesado. No entanto, caso opte por um look mais básico ou monocromático, poderemos usar o kimono aberto e abusar nos padrões. Esta peça de roupa surge em diferentes cortes e modelos, desde os padrões asiáticos, até aos padrões mais românticos em tons pastel, com ou sem franjas, mas de preferência ficam bem em tecidos glamorosos que concedem movimento, como seja a seda! O movimento no visual é importante! Curtos ou compridos, lisos ou estampados, quer faça frio, quer faça calor, os kimonos vieram para ficar! *fashion adviser & personal shopper


14 // moda // setembro

be unique #outono #novidades #friends #beautiful #school #trendy

modelo Inês Oliveira roupa Áras produção Inês Oliveira fotos Ana PaulaVieira

rua dr. miguel bombarda vila franca de xira arasbyinesoliveira 939 232 100 byinesoliveira


15

vestuário

vila franca

MOOD Moda feminina com as melhores marcas, como G.Sel, Rinascimento, entre outras. Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, 17 segunda a sexta: 9h às 20h sábados: 9h às 18h 263 031 968

ÁRAS Nova loja de vestuário feminino, com um toque de modernidade. Avenida Miguel Bombarda Vila Franca de Xira segunda a sexta: 9h às 20h sábados: 9h às 18h 937 012 474

alverca

éMe bohèMe A mulher boémia, elegante, em harmonia com a natureza. Loja com acessórios, calçado, aromas para casa, gourmet. Caso único de elegância. E agora também com loja em Lisboa, na estrada de Benfica Av. Capitão João Almeida Meleças, 56 211 940 464 918 771 434

QUEEN HOME Marcas de qualidade, exclusivas, que transformam qualquer mulher numa rainha. Rua José António Veríssimo da Silva, loja 7 216 010 306

SILHOUETTE Concept Store com vesturário, calçado e acessórios. Destaque para a marca exclusiva de malas Gabs. Rua do Trabalhador, 6 loja 3 219 593 876 segunda a sábado 10h30 às 19:30

castanheira

ESTILO FIEL As melhores marcas, exclusivas e com uma história única: Lois, Naf Naf, Mike Davis, Rockport, entre tantas outras. Rua Palha Blanco 133C 263 270 131

retrosarias

vila franca

RISCOS PITORESCOS Projeto jovem, com classe, onde tudo é possível, desde que a imaginação o permita. Rua Miguel Esguelha, 6 934 402 228

restaurantes

vila franca

150 GRAMAS Comida eclética, com charme e qualidade pelo chef Pedro Teles e a gestão de Ricardo Leal. Rua Serpa Pinto, 92 12h30 às 15h 19h30 às 23h encerra domingo à noite e segunda-feira

CASALEIRO'S Confeção gourmet, com produtos de primeira qualidade. (antigo Calçada) EN248 Bisau, Cotovios 219 511 864 | 968 458 883 casaleirosrestaurant.pt KOMIKALA Pratos confecionados com gosto caseiro. Centro Comercial da Mina 965 313 700

alhandra

PETISCOS NA MESA Novo espaço com pratos diários diferentes e uma seleção de petiscos suculentos de chorar por mais.

Avenida Sousa Martins T: 219 511 191

VILLA RIO Rua Sousa Martins, 114 Nova imagem e nova decoração para um dos espaços mais emblemáticos da região. Agora também com serviço de almoço. de segunda a sexta: 12h às 24h sábado: 12h às 4h domingo: 12h às 20h encerra à segundasfeiras.

alverca

O CHAFARIZ Restaurante de comida típica portuguesa com gosto a pratos caseiros e ingredientes frescos. Com música ao vivo regularmente. Largo Dr. Jaime Marques Simão, 3 Arcena T: 938 708 980 das 12h às 15h e das 19h às 24h

cafés/bares alverca CHÁARA Pratos saudáveis. Atendimento excelente e espaço acolhedor. Praça engenheiro José Vaz Guedes, 41, Malvarosa T: 219 571 012

decoração

alverca

QUEEN HOME INTERIORS Novo espaço requintado com as melhores marcas nacionais e serviço personalizado de decoração. Com assinatura de Ana Marçalo. Urbanização da Malvarosa T: 966 257 184 T: 216 010 306 queenhome@sapo.pt

saúde vila franca de xira CLÍNICA DR. PEDRO MOTA Espaço renovado para melhor cuidar dos seus dentes Praceta Jornal Vida Ribatejana, 7 Vila Franca de Xira T: 918 280 717

night clubs

vila franca

SOHO Av. Combatentes da Grande Guerra, 23 sábados das 22h às 4h

póvoa sta iria

AMAZING KLUB Rua Polígono das Atividades Económicas 23h às 4h encerra de domingo a quarta.

vialonga

STATION Rua general Humberto Delgado, 4 Verdelha do Ruivo

motos

póvoa

NP MOTOS Somos uma das melhores empresas de comércio de produtos para veículos motorizados de duas rodas. Temos oficina, boutique e marcas exclusivas como a UM. Av. D. Vicente Afonso Valente, Lt G, Fração E T: 219 522 795 T: 912 088 013 segunda a sexta: 9h às 19h30 sábado: 9h às 13h

Para fazer parte do nosso diretório contacte: revistagira@revistagira.com ou o telefone 968 236 531


16 // moda // setembro vestido: Colcci sapatos: Dona V

DENNY ROSE

Novidades lindas

A Marú Atelier chegou à Queen Home. Peças elegantes, originais e divertidas. Com pormenores deslumbrantes e um toque de sofisticação que só vais encontrar na tua loja preferida. O outono está quase a chegar mas o verão ainda tem muito para dar. Por isso, ainda temos roupa leve para as noites quentes que ainda prometem vir. #queimarosúltimoscartuchos #aqueenhomeélinda

vestido: Marú Atelier sapatos: Dona V

modelo: Mónica Silva produção: Mónica Silva Ana Cristina Marçalo fotografia: Ana Paula Vieira


#beautiful #queenhome

17 moda

A rotina é boa, até um certo ponto

vestido: Marú Atelier sapatos: Dona V

Alexandra de Jesus*

saia e body: Marú Atelier sapatos: Dona V

interiors

cloths and acessories

R. José António R. Josué Martins Veríssimo da Silva romão,Loja 4 loja 7, ALVERCA malvarosa Encomendas:

219 574 160 966 257 184

216 010 306 936 963 061

Setembro! Chegaste! Uma espécie de janeiro para muitas mulheres. Para mim é de certeza! Uma reorganização da nossa cabeça. O que falhou na nossa opinião nos últimos meses e o que temos de melhorar, mudar ou solucionar. O que tem solução e o que podemos relativizar para começar a "guerra" da rotina! Que dor a rotina (eu faço tudo para não a ter). Não tenho filhos, mas tenho sempre algo de rotina que amo ter, como por exemplo tomar pequeno almoço fora alguns dias da semana, dormir uma sestinha e fazer atividade física. Tenho, todos os dias, que ter um ou dois prazeres. Faz bem! Aliás, faz-nos bem! Agora a rotina das famílias... ui! É de outro género mas as crianças sem rotina não se constroem. Setembro é uma dor de cabeça na encomenda e compra dos livros escolares. As mochilas novas, estojos novos (para algumas crianças tudo a combinar). Tudo caríssimo e tudo para durar pouco! Injusto! E o peso das mochilas? Devia ser proibido que as crianças andassem com aquele peso todo as costas! Começa também o trânsito! As paragens dos pais às portas das escolas; o desejo de boa sorte para o dia; e o desejo que realmente tudo corra bem. De seguida, siga para o trabalho! As semanas simultaneamente passam a correr como algumas custam a passar. No final, o que interessa é que o ano letivo corra bem (muito) e que tenhamos dinheirinho para tudo o que queremos, fruto do nosso trabalho. Mas setembro ainda há praia. Há calor. Há sandálias. Há roupa gira para comprar. Há sunsets . Há restaurantes para conhecer. Afinal de contas, estamos em Portugal! Love Portugal! *artista plástica


18 // agenda // setembro isabel stilwell

“Tinha todos os ingrediantes para me enstusiasmar”

Isabel Stilwell apresenta, a 16 de setembro, às 16h, na Falcoaria Real de Salvaterra de Magos, o seu primeiro livro para crianças. A autora desvenda à gira alguns pormenores.

foto: José Sérgio

“O convite foi-me feito pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos e pela Falcoaria Real. O desafio era escrever um livro infantil/juvenil que envolvesse, necessariamente, o reinado de D. Manuel I, a propósito dos 500 anos sobre o foral concedido pelo rei, e a Falcoaria Real. Tinha todos os ingredientes para me entusiasmar. Já sabia um pouco sobre falcões, porque o meu último romance histórico é sobre Isabel de Aragão, e o rei D. Dinis era um apaixonado pelos seus falcões. O herói desta nova história é o segundo filho de D. Manuel, o infante D. Luís, porque sabemos que foi ele que fez muitas obras no paço, e esteve sempre muito ligado a Salvaterra de Magos. A infância deste príncipe muito inteligente e capaz, aluno de professores como Pedro Nunes (sim, esse Pedro Nunes!) acontece num tempo muito emocionante, em plena época dos descobrimentos. Não posso desvendar o enredo mas julgo que qualquer criança a partir dos oito anos o lê com entusiasmo. Espero, acima de tudo, que os mais novos descubram que a História não tem de ser uma ‘seca’ ”.

a gira estará presente nas jornadas da Cultura da Falcoaria Real e fará reportagem do evento no sítio da gira e na página de facebook


19

sexta :: 1

feira

VILA FRANCA

FESTA ANUAL DA PÓVOA DE SANTA IRIA Junto ao viaduto da EN10 Póvoa de Santa Iria 09h às 24h gratuito Hoje com Vanessa Silva e garraida às 1h30.

solidariedade

TOMA LÁ DÁ CÁ Pavilhão do Futebol Clube Alverca T : 219 580 956 18h às 20h gratuito Às segundas, quartas e sextas, a Associação Somar Etapas em parceria com o Futebol Clube e a Junta de Freguesia Alverca Sobralinho promovem troca solidária de manuais escolares.

sábado :: 2

VILA FRANCA

feira

ANTIGUIDADES Rua Almirante Cândido dos Reis Vila Franca de Xira T : 263 200 770 9h gratuito Sempre no primeiro sábado de cada mês as ruas de Vila Franca de Xira enchem-se de objectos com história.

FESTA ANUAL DA PÓVOA DE SANTA IRIA Junto ao viaduto da EN10 Póvoa de Santa Iria 9h às 24h gratuito Muita animação hoje com bênção dos barcos avieiros às 18h, duas garraiadas e Axel à noite. solidariedade

solidariedade

COLHEITA DE SANGUE Centro Comercial Serra Nova Póvoa de Santa Iria T: 916 187 181 8h30 às 12h30 gratuito A associação de dadores

benévolos de sangue da Póvoa de Santa Iria organiza mais uma colheita de sangue e registo de dadores de medula óssea. ARRUDA

concurso

C´URT ARRUDA Centro Cultural do Morgado Arruda dos Vinhos T: 263 977 000 15h gratuito Mesas redondas, concertos fazem parte desta apresentação deste ciclo de curtas metragens. ALENQUER

concerto

LUCKY DUCKIES Largo da Igreja Carregado 22h gratuito Concerto integrado nas festas do Carregado

domingo :: 3

VILA FRANCA

concerto

FESTA ANUAL DA PÓVOA Ruas Póvoa de Santa Iria 9h às 24h gratuito Muita animação choje com garraiada à tarde e a cantora Ana Ritta. ARRUDA

música

FESTA DE ARRANHÓ Largo da localidade Arranhó 9h gratuito. Começa hoje o programa profano das festas com rally paper, inauguração de exposição e largada de touros com bar e petiscos até 10 setembro.

segunda :: 4

VILA FRANCA

cinema

O ACORDADO Junta de Freguesia

Vila Franca de Xira T : 263 200 770 15h gratuito O filme em exibição dentro do programa cinema às segundas.

feira

FESTA ANUAL DA PÓVOA Juntao à EN10 Póvoa de Santa Iria 9h às 24h gratuito Muita animação hoje Alma Com Dança e os Cristais da Noite.

quarta :: 6

VILA FRANCA

debate

TARDE DE CONVERSA Núcleo Museológico Alverca T : 219 570 305 16h gratuito Tema de debate as memórias de conventos franciscanos, como o mosteiro das freiras Clarissas de Santa Maria de SubSerra e o convento de frades franciscanos de Nossa Senhora dos Anjos de Soveral.

sexta :: 8

VILA FRANCA

música

ATENEU AO LARGO Praça Afonso de Albuquerque Vila Franca de Xira T : 263 271 418 21h30 gratuito Animação no centro da cidade com uma noite de fados.

celebração

88º ANIVERSÁRIO Núcleo da Liga dos Combatentes Vila Franca de Xira T: 263 276 146 10h €22 Celebração de missa na igreja matriz e do 2.º aniversário do monumento aos combatentes

de Vila Franca de Xira. Finaliza com almoço convívio e entrega de diplomas.

sábado :: 9

VILA FRANCA

música

ATENEU AO LARGO Praça Afonso de Albuquerque Vila Franca de Xira T : 263 271 418 21h30 gratuito Animação no centro da cidade com o a banda "Minas".

desporto

ZUMBA FITNESS COLOURS PARTY Praia dos Pescadores Póvoa de Santa Iria T : 263 285 600 17h00 gratuito Mais uma actividade no âmbito do Programa Cultural de Verão da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Rio Spot

JOGAR E AJUDAR Estádio de Futebol Alverca T : 936 673 740 1 alimento 15h30 Jogo de apresentação, futebol clube de Alverca e Alta de Lisboa, um jogo solidário também uma vez que a entrada é paga através de um alimento que reverte para os Bombeiros Voluntários de Alverca e os Companheiros da Noite.

solidariedade

TODOS PELO RICARDO Simms Vila Franca de Xira T : 913 353 146 €2 22h Um evento solidário que visa angariar fundos para proporcionar melhores condições de vida ao Ricardo. ARRUDA

tour

VISITA GUIADA Igreja matriz Nossa Senhora da Salvação


20 // agenda // setembro Arruda dos Vinhos T : 263 977 000 10h gratuito Necessário efectuar inscrição.

T : 263 200 770 15h gratuito Mais uma sessão de cinema às segundas.

VILA FRANCA

debate

domingo :: 10

cinema

DOMINGOS MÁGICOS Fábrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 gratuito 11h Exibição do filme " A Vida secreta dos nossos bichos" de Chris Renaud.

encontro

FESTA ANIMAL 2017 Jardim da Quinta da Piedade Póvoa de Santa iria gratuito das 10h às 19h Muito animação animal com encontro de raças, palestras, jogos, demonstrações, artesanato, aula de zumba e muito mais.

passeio

ALVERCA SOBRALINHO Jardim do Choupal Alverca T: 216 042 284 €7,50 10h Caminhada até ao palácio do Sobralinho finalizando com porco no espeto. BENAVENTE

música

15KM Parque 25 de Abril T: 963 706 834 9h30 €5 a partir de Limite de inscrições até 8 de setembro. Prémios para os primeiros classificados.

segunda :: 11

VILA FRANCA

cinema

WORLD TRADE CENTER

Junta de Freguesia Vila Franca de Xira

quinta :: 14

VILA FRANCA

ASSOCIATIVISMO E DESENVOLVIMENTO LOCAL Ateneu Vilafranquense Vila franca de Xira T : 263 271 418 21h gratuito Participam todos os candidatos à presidência do Município de vila Franca de Xira.

lançamento

LIVRO DA BF16 Fabrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 18h gratuito Livro do programa curatorial.

encontro

4º CONGRESSO DO INTERNATO MÉDICO Hospital Vila Franca de Xira T : 263 006 500 09h30 N/D Este congresso reúne internos de Ano Comum e internos de formação específica, cujo Internato Médico nas unidades da José de Mello Saúde e de dois outros hospitais.

sexta :: 15

VILA FRANCA

cinema

MANUEL DE OLIVEIRA E EU Museu do Neo Realismo Vila Franca de Xira T : 263 285 626 21h30 gratuito Documentário de João Botelho.

música

ATENEU AO LARGO Praça Afonso de Albu-

querque Vila Franca de Xira T : 263 271 418 21h30 gratuito Animação no centro da cidade com o a banda PHM ALENQUER

gastronomia

JANTAR VINICOS Diversos restaurantes Alenquer 20h consumo Vários restaurantes associaram-se a esta temática e elaboram os seus menus em volta da celebração das vindimas.

sábado :: 16

VILA FRANCA

música

CLÁSSICA NA FÁBRICA Fábrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 18h Stretto Duo interpretam em acordeão e violoncelo composições de Javier Jaso, Christop Keller e Martyas Seiber.

ATENEU AO LARGO Praça Afonso de Albuquerque Vila Franca de Xira T : 263 271 418 21h30 gratuito Hoje com os Grifo.

passeio

EMBARQUE NA NATUREZA Barco varino Vila Franca de Xira T : 263 285 603 15h €6 Passeio pelo Tejo no barco varino. As inscrições são obrigatórias.

música

RIO SPOT Praia dos Pescadores Póvoa de Santa Iria T : 263 285 600 17h00 gratuito Animação cheia de energias com os Sound Academy

ALENQUER

tertúlia

BAGOS COM ALMA LITERÁRIA Quinta D Carlos Alenquer T : 263 730 900 gratuito 16h Conversas sobre vinho e literatura.

desporto

CORRIDA DAS VINDIMAS Ruas da vila Alenquer T : 263 730 900 €2,50 21h O valor é em forma de donativo que reverte a favor dos Bombeiros Voluntários de Alenquer e Merceana.

domingo :: 19

VILA FRANCA

cinema

DOMINGOS MÁGICOS Fábrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 gratuito 11h Exibição do filme " A Vida secreta dos nossos bichos" de Chris Renaud

passeio

EMBARQUE NA NATUREZA Barco varino Vila Franca de Xira T : 263 285 603 10h €6 Passeio pelo Tejo no barco varino do Parque das Nações a Vila Franca.

desporto

10ª PEDALADA PELO AMBIENTE Concelho Vila Franca de Xira T : 263 285 600 09h Gratuito Um percurso pelo concelho que visa alertar a população para um meio de transporte sustentável.

solidariedade

COLHEITA DE SANGUE


// 21 Sede dos dadores de sangue da Póvoa Póvoa de Santa Iria T: 916 187 181 8h30 às 12h30 gratuito Colheita de sangue e registo de dadores de medula óssea, na sede da associação, no bairro da Chepsi. ALENQUER

DESENVOLVIMENO LOCAL Ateneu Vilafranquense Vila franca de Xira T : 263 271 418 21h gratuito Participam todos os candidatos à Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira. ALENQUER

desporto

feira

I PASSEIO BTT DAS VINDIMAS Sociedade Filarmónica União e Progresso Abrigada T : 263 730 900 9h gratuito Necessária a inscrição. Se pretender almoçar tem o custo de 5 euros.

sexta :: 22

IV PASSEIO PEDESTRE DAS VINHAS E DAS VINDIMAS Parque Urbano da Romeira Alenquer T : 263 730 900 9h30 gratuito Conheça melhor os vinhos e as vinhas de Alenquer.

visita

QUINTAS DE PORTAS ABERTAS Museu do vinho Alenquer T : 263 730 900 14h gratuito As quintas abrem as portas para que conheça o seu interior.

segunda :: 18

VILA FRANCA

cinema

FLORES PARTIDAS Junta de Freguesia Vila Franca de Xira T : 263 200 770 15h gratuito Mais uma sessão de cinema às segundas.

quinta :: 21

VILA FRANCA

debate

ASSOCIATIVISMO E

A ALMA DO VINHO Parque Urbano da Romeira Alenquer T: 263 730 900 14h €2 e 5€ Produtores, enoturismo, provas comentadas, espaço infantil, street food e muito mais. Hoje com o grupo Raízes. VILA FRANCA

encontro

JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO Museu do Neorealismo Vila Franca de Xira T: 263 285 626 10h30 e 14h30 gratuito Sob o tema “Património e Natureza” o encontro irá especialistas de todo o mundo.

livro

RETRATOS DAS MULHERES DE ALVERCA Museu Municipal Nucleo Alverca T: 219 570 305 18h gratuito As imagens da exposição em álbum digital.

formação

SHOULDER FOR RESIDENTS AND YOUNG SURGEONS Hospital VFX Vila Franca de Xira T: 263 006 500 8h30 Os moderadores são um conjunto de ortopedistas percursores da sub-especialização na área, mentores e referência para os mais jovens.

editorial

A culpa morre sempre solteira António Dias*

Foi um dos verões mais trágicos em Portugal. Os fogos vitimaram 64 pessoas em Pedrógão Grande, 13 morreram com a queda de uma árvore no Funchal, outras duas pessoas perderam a vida na Costa da Caparica depois de uma avioneta ter aterrado de emergência num areal. As redes sociais vibraram de fúria, os noticiários gastaram horas com diretos, os políticos insurgiram-se, a população vociferou. Depois da crise, o vento amainou, as pessoas recompuseram-se e tudo voltou ao normal. Menos as famílias das vítimas. Essas carregam para o resto da vida o fardo das dúvidas. “Porquê? Estava tudo tão bem e, depois, foi a hecatombe”. Não há demissões, nem prisões, nem julgamentos, nem relatórios definitivos. É tudo atirado para ad eternum e, mais uma vez, a culpa morre solteira. Há culpados nisto tudo. Gente que procedeu mal, que se descuidou e que estava desatenta. Mas são tantas as forças envolvidas que nunca há um alvo concreto. Atiram-se culpas e esgrimem-se defesas e nunca se chega a uma conclusão. Ninguém tem medo da justiça e isso é aterrador. A meio deste mês, entramos, uma vez mais, em campanha eleitoral e todos os candidatos irão, de novo, trocar argumentos. Quem fez, orgulha-se do trabalho feito. Quem esteve na oposição aponta o dedo em riste. O povo reclama obras e apoios e subsídios e tudo a que tem direito. A tendência dos últimos anos demonstra uma insatisfação dos eleitores pela política. Estarão os políticos conscientes desta realidade? Não será necessário mais diálogo e mais ação? Ou só sabemos agir quando já é tarde?

*jornalista


22 // agenda // setembro ALENQUER

música

A ALMA DO VINHO Parque Urbano da Romeira Alenquer T: 263 730 900 14h €2 e 5€ Continua a festa do vinho, com comida, animação e Cuca Roseta

ARRUDA

música

ARRUDA STREET FOOD FESTIVAL Jardim Municipal Arruda dos Vinhos T : 263 977 000 10h consumo A gastronomia saí à rua.

sábado :: 27

VILA FRANCA

cinema

O GEBO E A SOMBRA Fabrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 16h30 gratuito Filme de Manoel de Oliveira baseado na obra homónima de Raul Brandão.

passeio

ROTAS DAS LINHAS DE TORRES Passeio Ribeirinho Vila Franca de Xira T : 263 280 350 15h gratuito Vila Franca ao tempo das invasões francesas.

workshop

BELIEVE IN PORTUGAL Biblioteca Municipal Póvoa de Santa Iria T : 219 533 050 15h30 gratuito Andresa Salgueiro explica como viveu durante 1 ano, 11 dias, 11h e 1m com apenas €1111.

aniversário

SOHO Av. Combatentes da Grande Guerra T : 263 274 254

23h consumo A empresa gestora de vários espaços noturnos comemora o seu 24º aniversário.

ALENQUER

música

A ALMA DO VINHO Parque Urbano da Romeira Alenquer T: 263 730 900 14h €2 e 5€ Continua a festa do vinho, hoje com Richie Campbell.

desporto

II WINE RUN Fábrica Nova da Romeira Alenquer T : 263 730 900 €25 11h Uma corrida vínica de 12 km com prova de tapas e vinhos da região. ARRUDA

festa

A festa do vinho continua, hoje com David Antunes

desporto

IV CIRCUITO JOVEM DAS VINDIMAS Circuito Urbano Alenquer T : 263 730 900 9h gratuito Várias provas durante todo o dia para jovens dos vários escalões. Troféus para os vencedores. ARRUDA

festa

ARRUDA STREET FOOD FESTIVAL Jardim Municipal Arruda dos Vinhos T : 263 977 000 10h consumo A gastronomia saí à rua.

segunda :: 25

VILA FRANCA

cinema

ARRUDA STREET FOOD FESTIVAL Jardim Municipal Arruda dos Vinhos T : 263 977 000 10h consumo A gastronomia saí à rua.

VIDA INACABADA Junta de Freguesia Vila Franca de Xira T : 263 200 770 15h gratuito Mais uma sessão de cinema às segundas.

VILA FRANCA

VILA FRANCA

domingo :: 24

cinema

DOMINGOS MÁGICOS Fábrica das Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 gratuito 11h Exibição do filme "A Vida Secreta dos Nossos Bichos" de Chris Renaud.

ALENQUER

festa

A ALMA DO VINHO Parque Urbano da Romeira Alenquer T: 263 730 900 14h €2 e 5€

terça :: 26

exposição

MULHERES DA NOSSA TERRA Junta de Freguesia Vila Franca de Xira T : 263 200 770 21h gratuito Haverá música.

quinta:: 28

VILA FRANCA

inauguração

EXPOSIÇÃO DE VASCO GARGALO Fábrica da Palavras Vila Franca de Xira T : 263 271 200 gratuito

19h Integrada no Ciclo EmaisE (exposições editoriais)

sábado :: 29

VILA FRANCA

inauguração

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO E SALÃO DE ARTESANATO Parque Urbano Vila Franca de Xira T : 262 285 600 18h00 gratuito Começa mais uma feira anual em Vila Franca.

sábado :: 30

VILA FRANCA

música

ROCK SOLIDÁRIO Centro Cultural do bom Sucesso Alverca T : 219 576 104 21h30 €5 Um concerto solidário para com Os voluntários Amigos da Rua. Participam os 4US e Zé Variações.

passeio

EMBARQUE NA NATUREZA Barco varino Vila Franca de Xira T : 263 285 603 15h €6 Passeio pelo no barco varino de Vila Franca ao Parque das Nações.

feira

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO E SALÃO DE ARTESANATO Parque Urbano Cevadeiro Vila Franca de Xira T : 262 285 600 13h00 gratuito Um programa recheado de eventos.

A lista completa e atualizada em revistagira.com. Vê os nossos roteiros culturais em vídeo no facebook e fica a saber o que podes fazer no fim de semana. Às terças às 20h.


23

Layz beleza

e estética

unhas de gel | gelinho | verniz | manicure | pedicure | pestanas | unhas em acrílico tratamento rosto | sobrancelhas com microblading | mudança de visual extensões permanentes | depilação a laser de diodo | branqueamento dentário

Já éramos excelentes e agora ficámos ainda melhores. Para lá dos inúmeros serviços de estética, decidimos inovar e agora também retribuímos à comunidade todo o carinho e apoio que recebemos. Tânia Miller (em baixo, à direita), mora em Alenquer e foi a primeira felizarda com um passatempo mensal de mudança de visual. A proprietária de um ginásio no Carregado considera esta uma iniciativa muito importante, até para “incentivar as mulheres portuguesas a valorizarem o seu potencial estético”. Para participar basta fazer gosto na página de facebook do centro de estético Layz e esperar pelo sorteio. E boa sorte!

onteiro, ita:Josy MSo para a direFe anda ares rn Da esquerda e so do Car Layz Santos

antes

depois Rua da Aviação ALVERCA segunda a sábado 9h às 20h

916 657 467


24 // entrevista // setembro

Herman José

A LEZÍRIA é

apaziguadora

Que perguntas se podem fazer ao maior humorista português? Tudo já lhe foi questionado. Tudo ele já viu, sentiu e viveu. Quando fala, há um peso e uma enorme seriedade nas palavras. É o poder de quem já passou por quase tudo e sabe o que diz. Uma carreira longa, de 43 anos, onde conheceu muitas estrelas, sendo interveniente de grandes mudanças do país. Faz parte da História de Portugal. A preparar novidades para o “Cá Por Casa”, na RTP1, que regressa em outubro, e com espetáculos constantes ao vivo, ele lá desceu do alto do firmamento para falar com a gira. “Lembram-se da Gina?”, diz com um sorriso maroto.“Vocês trazem um pouco do imaginário erótico da revista”, e solta uma gargalhada sonora enquanto prepara mais um gole de sumo de laranja servido à mesa do Mezzogiorno, no Chiado, com a mãe ao lado. O António Dias conversou com Herman José e a Ana Paula Vieira assistiu a tudo de câmara em punho.


25


26 // entrevista // setembro Imagino que isto seja um cliché, mas é uma honra conhecê-lo. Crescemos a rir consigo. E vão morrer comigo também. Se tudo correr bem hei-de ir ao vosso enterro. Vila Franca de Xira, certo? Lá estarei com muito gosto (risos).

E pedimos desculpa por ocuparmos o pouco tempo livre que tem com a sua mãe. Eu tenho a vida muito bem compartimentada. Nisso sou muito alemão. Quanto mais disciplinados formos, mais tempo livre e qualidade de vida teremos. Nada me cansa mais do que a desorganização. Por isso é que o produto germânico é muito bom. Não porque trabalhem mais, mas porque é construído com rigor. É isso que o mantém na liderança? Não tenho dúvidas nenhumas.

Serão os cómicos portugueses menos esforçados que os americanos, por exemplo, que se multiplicam em trabalhos e nunca se queixam? Às vezes, a culpada é a preguiça, outras é a falta de estímulo. O país é pobre e paga mal. As pessoas mal remuneradas têm pouca imaginação. Veja o português, que emigra e começa a ganhar mais, se ele não é um trabalhador maravilhoso. A certa altura, o mercado é tão pequeno e pindérico que as pessoas acomodam-se e desistem. Sentem poucas hipóteses de crescer.

Pereira é muito bom e mantém-se na área de que mais gosta que é a escrita. Faz rádio todas as manhãs, crónicas e por aí fora. Para trabalhar ao vivo é preciso ter paixão.

Admitiu, uma vez, que era preguiçoso. Tento combater isso. Tenho uma grande vantagem porque sou ambicioso e muito hedonista. Como tal, tenho que trabalhar para manter o meu nível de vida. Na altura do “Herman Sic” não se acomodou? Fazia férias. Estava todas as semanas na televisão a fazer um programa em direto de duas horas e meia e precisava mesmo de parar. Não fazia espetáculos e por isso pegava no barco e ia para Ibiza e tinha férias como toda a gente. Mas quando voltava ao trabalho era duríssimo. Fazia quase um "Globos de Ouro" por semana.

Mas há muito a ideia que teve um período áureo e foi forçado a voltar à estrada. Está a fazer a pergunta como se eu tivesse voltado para as obras. Eu sofria muito mais antes do que agora. Um programa de duas horas e meia é insuportável e dificílimo. Com os espetáculos, voo para todo o mundo. E, repare, o mercado ao vivo está apertado. Na primeira fila está a Mariza, o Zambujo, os Amor Eletro, eu e pouco mais. Por isso, foi um privilégio recuperar este lado. Tudo aquilo que tenho foi construído nos espetáculos e não na televisão. Em 1991 andava de Rolls Royce e, em 1992, comprei um Bentley e não foi a televisão que pagou isso.

Duas horas e meia de programa em direto é dificílimo e insuportável

Os "Gato Fedorento" começaram a ganhar dinheiro com os contratos publicitários e parece que se cansaram. Nesse caso, o grupo acabou e três deles perderam nitidamente a convicção. O Ricardo Araújo


27 Pouca gente o sabe. Não têm que saber, nem temos o direito de lhes vomitar as nossas motivações. As pessoas têm que ir ver os nossos espetáculos e divertirem-se. Uma vez disse que um dos grandes desafios do humorista era esconder os sentimentos reais. Assim que se chega ao palco, o cerébro fica dividido em dois. Automaticamente. A vida pessoal fica de fora. Aconteça o que acontecer, tem que se dar a volta e o público é o mais importante. E quem for incapaz de o fazer, está na profissão errada. Nas entrevistas que dá, já surge o tempo verbal passado. "Foi rei da televisão", por exemplo. Assusta-o? A televisão deixou de ter reinados porque passou a estar muito espartilhada e há cada vez mais plataformas e meios. Há umas pessoas a quem a vida corre melhor, pontualmente. Quem é o rei agora?

O Manuel Luís Goucha ou a Cristina Ferreira? Eles são dois bons apresentadores de televisão. Nada mais do que isso. Não criam. Se, um dia, na manhã da TVI, vier outro senhor e outra senhora a apresentar o programa da manhã do canal que lidera passam eles a ser os apresentadores.

televisão. Mas também acho tudo extraordinário. Acho incrível que após os atentados em Barcelona se vá rezar ao mesmo tipo que deixou que o crime acontecesse. Aquela coisa do Rui Veloso, rei do rock; o Herman, rei da televisão; a Amália Rodrigues, rainha do fado; tudo isso acabou. Agora somos milhões.

Qual acha que pode ser o caminho? Não temos que achar. É preciso acordar todos os dias e independentemente da realidade sabermonos adaptar a ela. Se amanhã alguém for atropelado e ficar tetraplégico tem a obrigação de aprender a viver numa cadeira de rodas e conseguir a sua felicidade. É preciso uma posição humilde.

E isso nasce naturalmente como aconteceu com o Instagram? Isso faço para me divertir a mim próprio. Os meus programas de televisão começaram assim. Mas é muito engraçado ver revoadas de miúdos de 12, 13, 14 e 15 anos que vão aos meus espetáculos e se divertem comigo.

Sempre admirou cidades como Nova Iorque e Londres. Quando regressa, sente o país muito pequeno para si? Podia ter tido a coragem de ter trabalhado e a obrigação de ter tentado a minha sorte lá fora. Optei por não o fazer e, como tal, não tenho o direito de me queixar do mercado. A minha preocupação é ser o mais interessante no país onde trabalho. Tenho a felicidade de ser conhecido pelo mundo fora. Este ano irei a Espanha, EUA, Alemanha, África do Sul, e encontro plateias cada vez mais inteligentes onde a nova emigração se mistura com a antiga. Tive essa experiência na Austrália, com

Não tenho o direito de me queixar do meu mercado

A Cristina está a criar um mini império. Se considerar uma revista um império...

O Herman nunca se inibe, volta e meia, de dar umas ferroadas. Sou só realista. Acho extraordinário que se possa admirar apresentadores da manhã como reis da


28 // entrevista // setembro enchentes de gentes que estão lá há 50 anos e outras que foram para lá há cinco. Juntam-se todas e riem-se das mesmas coisas.

Sente que leva uma vida de glamour? Se eu trabalho tanto agora não é para pôr o dinheiro numa caixa e quando morrer meter tudo num jazigo. Eu gosto de ter uma vida boa mas não tenho o direito de atirar isso às pessoas. Desde há uns anos que optei por deixar de o fazer. Vou colocar a história da seguinte maneira: quando ainda vivia com uma certa dificuldade, fingia que tinha muito dinheiro. Quando comecei a viver muito bem, comecei a ficar calado, que é que o que se deve fazer quando se tem educação.

Podia ter amealhado uma fortuna e ficado em Nova Iorque, por exemplo. Cheguei a ter um apartamento lá só que depois percebi que pagava tanto em condomínio como um mês num hotel de cinco estrelas.

Podia ter escolhido um país mais barato, como o Brasil. O drama é o mesmo: fica tudo a dez horas de distância! O que interessa ter casa lá se os espetáculos são aqui? E quem paga as contas?

cisa de trabalhar é uma falácia. O Sting é dos tipos mais esforçados porque tem que sustentar o seu lindo castelo na Inglaterra, a casa na Toscânia e a sua moradia em Malibu.

A sua criatividade nasce de onde? De estar com as pessoas. Os espetáculos são muito bons para isso. É a vida que nos inspira e estar sempre de janelas abertas ao mundo.

Acha Portugal hoje mais caricato? Há uma coisa que nunca muda que é a burrice. Mais de 90 por cento da humanidade é profundamente burra, sejam ricos, pobres, democratas ou nazis. E essa burrice, que é deliciosa, é sempre caricaturável. Depois, existem os outros 10 por cento que são infelizes porque são perfeitamente lúcidos, porque não têm esta coisa da fé, de achar que a vida é um euromilhões conduzido por entidade divina algures na Santa Casa.

Mais de 90 por cento da humanidade é burra

É o dinheiro que o move? Claro! A mim e à humanidade. Acho muita piada quando dizem: "ah e tal, tenho muito prazer em voltar aos palcos, estava cheio de saudades do público". O que elas querem dizer é: "tenho muita necessidade de pagar as contas". Outro exemplo: "estou muito contente de estar a fazer esta novela porque esta personagem é muito bonita". O que estão a pensar é: "ai que bom que já tenho emprego outra vez. Deus queira que isto dure três meses". A ideia de que um rico não pre-

Nunca se inibiu de falar sobre a sua descrença. Evito porque chateia as pessoas. Mas fascina-me como se delega tudo numa entidade que se desconhece. As pessoas morrem numa procissão e não se questionam da existência de algo divino.

Está a preparar o “Cá Por Casa”, na RTP. Nos mesmos moldes, deve começar em outubro. Quero introduzir algumas novidades, mas estou na fase de sonhar com elas. Preciso disso para me estimular. A rotina mata qualquer ato criativo.

Muita gente sonha num possível regresso de "O Tal Canal". As pessoas pedem muito isso. Só que um pro-


29 grama desse género é caríssimo e as televisões preferem investir nas novelas. Há poucas verbas para grandes voos.

Chateia-o? Não, porque agora é que estou verdadeiramente feliz, com a dose certa de televisão versus espetáculos ao vivo. Estar obsessivamente a fazer só TV é algo que me mata. As pessoas gostavam era de ter a idade de quando viam "O Tal Canal".

E o país... E queriam estar novamente jovens e felizes. Às vezes dizem-me: "Ah, o 'Herman Enciclopédia' é que era bom!" E eu respondo: "era bom ou gostavas de ter 17 anos de novo?" É o mesmo que pedirem ao Paul Mcartney: 'canta lá outra vez o 'Yesterday'!" Nada é repetível. Depois de 43 anos de carreira que balanço faz da vida? Pessoalmente, acho que estamos a viver a fase mais prática de sempre. Isto dos telefones com APP; a facilidade com que se escreve; de irmos aos sítios e os palcos serem sempre bons e a qualidade de som bestial; ter públicos informados e novas gerações divertidas. É das alturas mais giras de todas.

se arranjar reportório, alegria, música e conteúdos para que todas as pessoas fiquem do princípio ao fim encantadas. E eu, com o tempo, tornei-me especialista nisso. É das coisas mais difíceis que há, tanto que tenho pouca concorrência. Não há nenhum jovem do stand up que vai para um palco popular e que aguente duas horas sem parar. Porque as pessoas desmobilizam. E eu evoco tudo: algumas personagens, como o Serafim Saudade, e mais de 40 anos de criação, misturado com várias músicas, histórias de carreira e outras piadas que se foram apurando com o tempo.

Estamos a viver a fase mais prática de todas

Não será tudo demasiado? Se me pergunta se quero que a minha concorrência morra toda, era capaz dizer que sim. Mas também não peço tanto (risos).

Que espetáculo vai apresentar na Póvoa? É o tipo de performance que mais gosto porque abarca todo o tipo de público, do mais popular ao mais sofisticado. Com música é facil, mas quando se lida com o humor é mais complicado. Tem que

Vai a um território com forte tradição tauromáquica. Gosta? Nunca me vai ouvir falar mal de corridas de toiros, por muito que isso indigne os meus amigos defensores dos direitos dos animais. É uma tradição que tem um lado histórico e estético fascinante e que chamou a atenção de pessoas como Hernest Hemingway, entre outros. Quem conhece a arte, os homens que lidam com os toiros, quem trabalha no campo, os sítios preparados para o efeito, os ganaderos, não se atreve a dizer mal das corridas. Tenho um grande carinho pelos bastidores.

Que memórias lhe traz o Ribatejo, a lezíria e aquela

região? É uma zona do país que gosto muito por ser plana e apaziguadora. Antes de haver autoestradas, quando vinha do norte e passava por dentro com destino a Azeitão, aquele percurso fazia parte da minha paisagem de vida. Adoro. Herman José atua sexta-feira, 8 de setembro, às 21h30, na Quinta da Piedade, na Póvoa de Santa Iria. As entradas são gratuitas. Ao longo do mês iremos publicar excertos vídeo da entrevista no facebook e sítio da gira na internet


30 // reportagem // setembro A 1 de outubro a população é chamada a escolher os seus representantes autárquicos. Há três boletins de voto com os respetivos candidatos à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia que elege o presidente da Junta de Freguesia. No concelho de Vila Franca de Xira há dezenas de listas e a gira decidiu conhecer todas as caras que pretendem trabalhar em prol da sua terra. Temendo a abstenção, o desligamento da população pela política e com uma sociedade a mudar à velocidade da luz, o que pretendem todas estas pessoas? Contribuir para a mudança.

AGORA

António Dias

Ana Paula Vieira

escolha

Num concelho com mais de 136 mil habitantes, cerca de 110 mil são eleitores. Em 2013, mais de 55 por cento decidiu ficar em casa. “O desligamento pela política é cada vez maior”, reconhecem, unanimemente, todos os candidatos. É talvez esse o maior fantasma destas eleições a par dos indecisos. O descrédito afasta os cidadãos dos seus autarcas e Vila Franca de Xira, pela sua proximidade com Lisboa, tem sido palco de um fluxo migratório urbano que introduziu alterações ainda pouco analisadas: as zonas a norte e as afastadas do rio são tendencialmente rurais e apegadas às tradições, a sul encontramos um dormitório e gente mais desligada da cultura vilafranquense. A União das Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, por exemplo, já elegeu dois mandatos do Bloco de Esquerda, enquanto que na Castanheira do Ribatejo esse combate ainda mal começou. Num município tão díspar é, por isso, impossível fazer previsões e esteriotipar. "É na variedade de identidades que está o nosso valor", defende Adélia Gominho, candidata pelo partido Pessoas Animais Natureza (PAN). "Não acho que exista um choque entre rural e urbano. Penso que é mais saudável e interessante promover as nossas diferenças". O atual presidente e candidato pelo Partido Social-

ista (PS) garante que tem isso em conta. "Não promovemos apenas a tauromaquia. Temos uma bienal de fotografia, um Cartoon Xira com imenso sucesso, somos palco de grandes eventos desportivos, como o Duatlo das Lezírias, já tivemos uma prova nacional de triatlo em Alhandra, a Volta a Portugal em Bicicleta voltou ao concelho, um Festival da Juventude, entre outros exemplos. Somos um concelho inclusivo e atento a todas as transformações". Alberto Mesquita congratula-se com o seu primeiro mandato à frente dos destinos do município. "É claro que estar há mais de 20 anos na Câmara, primeiro como vereador e, depois, como vice-presidente, me deu as capacidades e conhecimentos para levar a cabo um bom trabalho. O que fiz foi dar continuidade a um projeto que já vinha de trás e pelo qual muito me orgulho". É, porém, esta continuidade que é criticada pela coligação MAIS (PSD, CDS, MPT E PPM). "Dá a sensação que tudo é feito apenas para cumprir um calendário sem objetivos ou estratégia. Precisamos de mais", defende Helena Pereira de Jesus. A atual vereadora exige uma mudança, "porque a situação é demasiado grave para continuar. As pessoas parece que perderam a esperança e é preciso que haja um rumo". Alberto


32

alberto mesquita

“Tenho orgulho na obra feita”

regina janeiro

“Nunca vou baixar os braços

Mesquita assegura que a direção existe: "queremos um projeto sustentável para os terrenos da escola da Armada e da Cimianto e já avançámos com a compra dos terrenos; estamos a preparar dezenas de quilómetros de ciclovias; iremos reformular o troço da EN10 entre Alverca e a Póvoa, tornando-a numa avenida com melhores condições de segurança; já começou a construção do parque ribeirinho dos Moinhos da Póvoa que fará a ligação do caminho até ao limite sul do concelho; estamos a negociar com operadores turísticos a vinda de rotas que passem pela região; em breve serão anunciadas novas empresas a instalar-se na Castanheira do Ribatejo; entre outras iniciativas. Há estratégia só que são necessários vários mandatos para a concretizar", avisa. O candidato do BE acredita, porém, que "a população está descontente" e que "esta fase está acabar". Para Carlos Patrão, "a política, aqui, é feita de ciclos de 20 anos e este está no fim". Opinião partilhada pela candidata da CDU (PCP e PEV) que oferece uma abordagem diferente sobre os problemas. "Temos que acabar com este discurso negativo de que nada tem solução. O presidente pode dizer que tentou resolver as questões mas isso é insuficiente. O Vila Franca Centro está sem resposta há décadas; a escola da Armada foi abandonada em 2009 e só a quatro meses das eleições é que decidiram tomar uma posição; o estacionamento continua caótico e há problemas graves para resolver que são encarados quase com um encolher de ombros. Temos que acreditar na nossa força, na mudança, temos que insistir. É esse o papel dos autarcas, porque são eles

“É p mud

que conhecem melhor a realidade local e têm a responsabilidade de fazer pressão e nunca baixar os braços enquanto não resolverem o assunto", argumenta Regina Janeiro. Alberto Mesquita recusa a crítica. "No caso do Vila Franca Centro, por exemplo, sugeri comprar o espaço do estacionamento mas essa parcela não foi a leilão". Contudo, a contestação sucede-se de todos os quadrantes: desleixo nos espaços verdes, falta de limpeza urbana e a decadência do parque habitacional. "É preciso recuperar os nossos centros históricos", pede Regina Janeiro. "Deveria existir uma maior interligação entre o rio e as povoações, evitando criar este oásis pedonal afastado das pessoas", aponta Adélia Gominho. Carlos Patrão é perentório: "Vila Franca de Xira não pode continuar a ser o caixote do lixo de Lisboa". E exemplifica: "o aterro do Mato da Cruz irá continuar para lá de 2020; a co-incineração na Cimpor é feita sem controlo; e casos de legionella têm que ser evitados". Helena Pereira de Jesus dá como exemplo o Tejo. "O rio tem que ser mais explorado e nada está a ser feito nesse sentido". E lamenta a inexistência de atividades lúdicas na sede concelho depois das 19h. "Às vezes há um silêncio na cidade Vila Franca que me assusta! O jardim Constantino Palha deveria ter mais gente, o passeio ribeirinho não tem esplanadas e a casa de banho está num estado lastimável. Enfim, é a decadência do nosso concelho, a 15 minutos de Lisboa". Já Regina Janeiro tem saudades do passado. "Não defendo um regresso ao antigamente, mas no tempo da CDU existiam empresas, três salas de cinema e as pessoas não precisavam de


33

helena pereira de jesus

preciso dança

carlos patrão

“Este ciclo está a acabar”

ir procurar emprego fora", recorda, com entusiasmo. “É preciso atrair investimento, novas empresas, apoiar as start ups, criar ninhos de empresas, por exemplo". Perante o trabalho feito pelo PS, com o parque de microalgas na Póvoa, a título de exemplo, a comunista atira: "é pouco! E a plataforma da Castanheira do Ribatejo? Os eleitores estão fartos de promessas e de cartazes. Qualquer pessoa desenha cidades em 3D e cola num papel. É preciso cumprir". Alberto Mesquita assevera: "se reparar no nosso programa eleitoral de 2013 atingimos todos os objetivos e ainda alcançámos outros, como a substituição das coberturas de fibrocimento nas escolas da nossa responsabilidade. E queremos chegar a todas", promete. A discussão, claro, é eterna. Ambos os lados degladiam argumentos. Regina Janeiro promete garra, Helena Pereira de Jesus aponta a sua experiência profissional dentro da Câmara, Carlos Patrão demonstra o seu trabalho na Assembleia Municipal e Adélia Gominho gostaria de ver novas vozes dentro do município. "Há gente com ideias inovadoras". Tema central desta nova candidata do partido mais pequeno na Assembleia da República será levantar questões fraturantes na região. "Não queremos acabar com a tauromaquia apenas achamos que o município tem que cessar o financiamento a este tipo de espetáculos. A autarquia, por exemplo, subsidia associações do setor em 60 mil euros, a mesma verba que é dada aos grupos de teatro do concelho. Temos que decidir se queremos continuar assim". Mesmo Helena Pereira de Jesus gostaria

adélia gominho

“O PAN tem 75 mil eleitores”

de mudar “o Colete Encarnado” que “se transformou num festival de verão, com pouco de tauromaquia”. Também aqui “o dinheiro precisa de ser melhor investido”. Apesar de alguns candidatos elogiarem a estabilidade financeira da autarquia, todos defendem mudanças. “Que interessa poupar se depois não há investimento?”, questiona Helena Pereira de Jesus. Perante o iminente negócio com os terrenos da antiga escola da Armada, Regina Janeiro pede prudência. “Ao todo, serão quase 29 milhões de euros só naquele projeto. Estaremos a hipotecar metade da capacidade de endividamento da autarquia. Mesmo os outros partidos reconhecem que é necessária melhor avaliação”. Já Carlos Patrão desconfia do excedente. “É muito estranho que em ano de eleições surjam sempre mais dez milhões de euros”. A candidata do PAN lê “todos os relatórios de contas” mas prefere contribuir com um novo olhar. “O que falta dentro da autarquia é fazer ouvir as vozes que continuam de fora de todas estas discussões. Os 75 mil eleitores do nosso partido merecem ser ouvidos”. Todos esperam vencer. O PS está contente com obra feita; a CDU acredita que irá reconquistar a Câmara; o PSD sente “uma necessidade de mudança que “é palpável”; o BE acredita “no fim de ciclo” e o PAN tem do seu lado uma cada vez maior preocupação da população pelas questões da saúde e dos direitos dos animais. Será interessante analisar os resultados que serão conhececidos a 1 de outubro. A campanha começa a 18 de setembro. Que a batalha comece!


34 // reportagem // setembro

vila franca de xira

Com 18 mil habitantes, esta é a sede administrativa do concelho mas a que tem “perdido maior relevância”, acusam alguns dos candidatos. “O Vila Franca Centro, a urbanização da Bella Guarda, a escola da Armada e o projeto imobiliário suspenso junto ao Tejo”, são alguns dos maiores exemplos apontados pelos candidatos da oposição de como “Vila Franca está a morrer”. Todos reconhecem que a maioria destes casos passa ao lado das competências da freguesia. "Porém", refere Nuno Onça, número um na lista do BE, "cabe ao presidente da Junta exigir e fazer pressão”. Ou, como contrapõe José Pavanito Guerreiro, candidato pela coligação MAIS, "mesmo que seja um problema complicado, deve acompanhar todo o processo até ele estar resolvido". João Conceição, que concorre pela CDU, atualmente no poder, reconhece as dificuldades. Uma das questões que não tem receio em enfrentar é "a falta de limpeza urbana e o desleixo pelas espaços públicos", como acusa João Santos, do PS. O candidato comunista responde: "creio que no centro da cidade isso não acontece. É mais preocupante em redor, como Povos e o Bom Retiro. Só que é impossível, com os meios que temos, atacar em todas as frentes. Quando chegámos à autarquia, encontrámos problemas financeiros graves que tivemos que resolver. Ao mesmo tempo, mantivemos as nossas promessas e cumprimos quase todas bem como chegámos a áreas novas, como o programa 'Cidade Sem Barreiras', que remodelou dezenas passeios com o intuito de ajudar indivíduos com mobilidade re-

“É impossível fazer mais com os meios que temos”

João Conceição

“Recuso o discurso negativo. Precisamos de esperança”

Joao Santos

duzida. É uma prova do nosso esforço e empenho em fazer sempre mais, mesmo sem os meios adequados". É comum o mesmo lamento em todos as freguesias: demasiadas competências e poucas verbas. Os executivos argumentam que fazem demasiado com pouco. João Santos, do PS, recusa o discurso negativo. "Acho que é possível fazer mais e que Vila Franca está viva. Com o apoio do atual presidente da Câmara, preparamo-nos para reabrir o museu Etnográfico; já nos candidatámos a fundos europeus para recuperar áreas de Povos e do Bom Retiro; iremos defender o Colete Encarnado a património imaterial de Portugal e avançará em breve a requalificação do largo 5 de Outubro". O candidato socialista prefere manter-se ao lado das lutas partidárias, "caso contrário não teria aceite este desafio. Depende dos próprios vilafranquenses, como os comerciantes, de se modernizarem e trabalharem para um futuro melhor". Já Nuno Onça acredita que "vai haver mudança. Os eleitores têm que decidir se querem ficar no marasmo ou não". O candidato bloquista refere ainda que o exemplo tem que vir de cima. "A Câmara, por exemplo, dá como prenda aos funcionários no natal um vale de compras de uma cadeia de supermercados em vez do comércio local. Isto não é lutar pelos interesses dos munícipes". Com a possível compra dos terrenos da Armada, esperam-se vários anos de discussões. O BE quer emprego qualificado, a coligação MAIS defende um projeto sustentável, o PS espera recuperar o poder na Junta e a CDU está confiante na vitória.

“Dialogar não custa dinheiro. É trocando ideias que avançamos”

José Pavanito Guerreiro

“Temos que decidir se mantemos o marasmo ou não”

Nuno Onça


35

alhandra, s. j. dos montes e calhandriz

A par da Castanheira do Ribatejo e de Cachoeiras, a União das Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz é onde a divisão entre população urbana e rural é mais nítida. É um dos problemas que todos reconhecem. Alexandre Café, do BE, sugere, por exemplo, assembleias de freguesia ao ar livre. "Temos tantas horas de sol que é perfeitamente exequível. E era importante começar a transmitir essas reuniões pela internet para que os eleitores saibam o que os representantes estão a discutir". Anabela Bastos, autarca durante 12 anos pelo PS, defende uma requalificação da EN248-3 que atravessa São João dos Montes e a reabertura das piscinas da Calhandriz, "fazendo acordos com instituições do concelho que queiram utilizar as instalações". Óscar Soares quer pensar as três povoações mais como "uma união e menos como três entidades separadas. Fazemos parte de um conjunto e temos que trabalhar unidos", refere o candidato pela coligação MAIS. O presidente da Junta reconhece este e outros problemas. "Nada mais pudemos fazer porque não temos os meios. Esta agregação das freguesias, que a CDU é totalmente contra, levou a mudanças na forma de trabalhar e que complicou o exercício das nossas funções. Além disso, sentimo-nos desapoiados pela Câmara que nos atribuiu tarefas sem os respetivos meios financeiros. E é impossível fazer omeletes sem ovos", resume Mário Cantiga. As estradas de terra batida, que ainda envergonham o autarca, "nunca poderão ser alcatroadas com o escasso orçamento. A Câmara nunca reúne e isso atrasa

“A Câmara coloca-nos de parte e nunca se reúne connosco”

Mário Cantiga

“A falta de dinheiro não pode ser a desculpa para nada fazer”

Anabela Bastos

a resolução dos problemas. Basta alcatroar uma estrada por ano. Pelo menos haveria uma esperança", desabafa. O candidato comunista admite, igualmente, que a comunicação "ainda é uma falha que tem que ser melhorada". Outra das grandes questões é o ambiente. Com situações graves para resolver, como o passivo ambiental da Cimianto, a co-incineração na Cimpor e o aterro do Mato da Cruz, Alexandre Café pede "mais fiscalização" e Anabela Bastos admite mesmo o encerramento do aterro. Mário Cantiga assegura que tem feito toda a pressão com a Cimpor e chegou a ser responsável “pelo despedimento”, por incumpriento das regras, “de um técnico ambiental". O atual presidente da Junta admite que vai até onde pode. E, claro, há o Tejo. Óscar Soares queixa-se do desprezo pelo rio. "Olhamo-lo de terra e não estamos a aproveitar as verdadeiras potencialidades deste curso de água. Tem que haver mais desportos náuticos, podemse trazer mais turistas e têm que se construir novos pontos de acesso. Estas são algumas das nossas prioridades, a par de fixar os jovens", refere o também membro da escola náutica do Alhandra Sporting Club. Anabela Bastos elogia o trabalho do executivo municipal PS que está a promover programas de apoio a habitação jovem e diz que “é importante comunicar melhor as vantagens fiscais que existem para os proprietários possam recupar o seu imóvel”. Óscar Soares quer mais jovens nas freguesias. “Vêm muitos à Euterpe ou ao Alhandra mas não ficam cá. E isso que tem que se inverter”.

“É importante fixar os jovens nas freguesias e aproveitar melhor o rio Tejo”

Óscar Soares

“A Junta deve comunicar melhor o seu trabalho”

Alexandre Café


36 // reportagem // setembro

alverca e sobralinho

A cidade de Alverca é a mais populosa de todo o concelho e juntamente com o Sobralinho formam uma União de Freguesias com mais de 36 mil habitantes. Profundamente urbana e industrial e que "cresceu sem regras", como critica Carlos Gonçalves, da CDU. O candidato comunista acredita que mais urbanizações são importantes mas só quando "construídas com espaços verdes, acessos e serviços que permitam melhor qualidade de vida". Carlota de Pina partilha a mesma opinião e aponta o estacionamento como um dos maiores problemas. "É urgente criar bolsas de estacionamento e trabalhar com especialistas para traçar um plano sustentável de parqueamento nas localidades". Para a candidata da coligação MAIS, choca-a "os trabalhadores da limpeza urbana ainda andarem de vassoura e pá quando existem alternativas mais eficientes para limpar as ruas, jardins e passeios". João Fernandes concorda que estes são problemas graves e aborda outros, como a "falta de diálogo entre políticos e população". Para o candidato número um da lista do BE "é necessário falar com os cidadãos, nem que seja por convocatórias no correio, antes de desenhar os projetos para a sua rua, praceta ou parque infantil". O jovem ator também critica o aproveitamento político de algumas propostas bloquistas. "Há uns meses, circulei por Á-dos-Melros, Á-dos-Potes, Alto de Arcena, Quinta da Panasqueira e após constatar uma série de problemas, apresentei, numa das últimas assembleias de freguesias, uma série de medidas. Em resposta, o presidente da Junta preferiu elo-

“Há ainda muito para fazer e prometo nunca desistir”

“É chocante ver como estão degradados os espaços verdes”

giar o trabalho feito mas uns tempos depois fui lá e reparei que estava tudo resolvido. Acho que isto é desonesto". Por seu turno, Afonso Costa, que se candidata ao quarto mandato, recusa as críticas. "Temos feito um grande trabalho de envolvimento da população e de obras por todas as localidades. Mas sei que há muito por fazer. A escola Gago Coutinho tem que ser teminada o mais depressa possível; é preciso recuperar os caminhos pedonais na EN10; construir um nó de acesso à A1 no Sobralinho e retirar pesados da estrada nacional; e temos que voltar a aproximar o rio da população. Por isso, queremos recuperar a praia fluvial das Maçãs e com a nova administração da Força Aérea acreditamos que estamos mais próximos de criar uma nova ligação entre o Tejo e Alverca". Há ainda as vivendas da OGMA que "poderão vir a ser compradas à ENFORDEF". Muitos problemas, muitos milhões de euros, questões que extravassam as competências da Junta. "Uma coisa que posso prometer é que nunca vou desistir". A oposição torce o nariz. "As pessoas estão fartas de promessas e por isso nunca o farei", avisa Carlota de Pina. "Queremos trazer as pessoas ao debate e nada do que iremos fazer será aprovado sem auscultar os eleitores”, garante Carlos Gonçalves, da CDU. Finalmente, o candidato do BE promete continuar o mesmo empenho que demonstra na Assembleia de Freguesia. “Ainda estamos à espera das medidas para promover o ciclismo ou a reversão dos cortes aos grupos de teatro. Não se podem tomar medidas destas sem pensar”.

“Há formas mais eficientes de limpeza urbana do que as atuais”

“A freguesia precisa de uma mudança para melhor” ???

Afonso Costa

Carlos Gonçalves

Carlota de Pina

JoãoFernandes


37

castanheira do ribatejo e cachoeiras

A União das Freguesias da Castanheira do Ribatejo e das Cachoeiras anseia, sobretudo, "por mais emprego". Esta é uma afirmação praticamente unânime em todas as forças políticas. Depois do encerramento da Ferro Portugal, da restruturação da Martini e do impasse da Plataforma Logística, os candidatos defendem mais trabalho para a sua população. O presidente da Câmara Municipal afiançou à gira que, "nos próximos meses irão instalar-se ali novas empresas e que a Exide Technologies vai investir 22 milhões de euros". No entanto, o atual presidente da Junta e candidato pela CDU prefere ser cauteloso. "Já prometeram várias vezes novas empresas e o que é certo é que depois nada acontece. É ver para crer", remata. O responsável é muito crítico da gestão PS, quer na autarquia quer na administração central. Critica "o presente envenenado" que foi a agregação das freguesias e as "poucas verbas e apoios" que vêm da sede do concelho. "Não podemos trabalhar com estes recursos". O socialista Pedro Castelo defende o seu partido: "não nos podemos esquecer das contrapartidas que vieram com a plataforma logística, como o pavilhão desportivo e o quartel de bombeiros. Houve uma crise que afetou o mundo e acredito que haverá mudanças em breve". José Zenha prefere falar da falta de diálogo que sente entre o poder político e os eleitores. "Oiço isso nas ruas quando falo com as pessoas. Foi por isso que aceitei ser candidato. Acho que falta uma maior aproximação e é necessário auscultar os cidadãos". Para o candidato da coligação MAIS,

“O PS pensa mais nas eleições e menos nos eleitores”

Luís Almeida

“Comunicar melhor é importante para aproximar os eleitores”

Pedro Castelo

a prioridade são "os espaços verdes, a reabilitação urbana e a ordenamento do estacionamento que, atualmente, empurra idosos e carinhos de bebés para o meio da estrada". O BE partilha das mesmas queixas e critica as obras feitas a poucos meses das eleições. "Na rua em frente ao quartel dos bombeiros havia buracos que foram tapados e o jardim ao lado está agora em obras". Vanessa Mendes concluiu que "o problema não é dinheiro. Se não existissem verbas isto não estaria a ser feito". O candidato do PS considera que a União de Freguesias deveria ter mais ambição e por isso coloca no horizonte projetos que "podem ser difícieis mas são concretizáveis", como a construção de um lar de idosos e um parque urbano no corredor entre a EN10 e a rua Palha Blanco; requalificação da zona ribeirinha da Vala do Carregado; remodelação da zona envolvente ao polidesportivo no lugar das Quintas; e novos espaços de lazer na antiga ETAR das Cachoeiras". Já o atual presidente exige "um novo centro cultural há muito prometido" e espera que "a vitória da candidata comunista à Câmara possa trazer mais apoios às juntas da CDU" que, garante, "são discriminadas em relação às socialistas". Vanessa Mendes prefere falar de pequenos pormenores, como criar espaços de convívio para os idosos” “acesso à internet para os desempregados possam enviar currículos". As ideias são muitas e o candidato social-democrata espera uma mudança porque "o marasmo tem que acabar. Sinto que as pessoas estão fartas da situação atual e é provável que nas eleições haja surpresas”.

“Parece que a Castanheira estagnou. Sinto isso nas ruas e nas pessoas”

José Zenha

“Pequenas medidas podem fazer muita diferença” Vanessa Mendes


38 // reportagem // setembro

póvoa de santa iria e forte da casa

Com mais de 40 mil habitantes são a união de freguesias mais populosa de todo o país. Há concelhos com menos gente que a Póvoa. A título de exemplo, Arruda dos Vinhos tem 13 mil cidadãos. Perante a imensidão do trabalho e com um orçamento que nunca estica, Jorge Guerreiro, o atual presidente e candidato a mais um mandato, reconhece que só concluiu "cerca de 80 por cento do que se propôs fazer na campanha anterior". Os seus concorrentes apontam diversas falhas, "a começar pelo desleixo dos espaços verdes", como destaca António Inácio; "o atraso na implementação das medidas propostas pelo BE e aprovadas em Assembleia de Freguesia", assinala Catarina Lourenço; "a falta de diálogo entre o PS e o movimento associativo", considera David Costa; ou "a má gestão das verbas disponíveis", como critica Nuno Caroça. Este último, candidato pela coligação MAIS, e empresário há 20 anos, orgulha-se de "saber gerir uma empresa que, mesmo com poucos recursos, faz um excelente trabalho". O social-democrata concluiu assim que "é possível com o mesmo dinheiro fazer mais". Do lado dos comunistas defende-se uma "mudança de postura. O atual presidente nunca responde aos apelos das várias coletividades. Muitos desconhecem quem ele é. Esse é um ponto crucial no nosso trabalho, porque o movimento associativo é a força viva da nossa região", enaltece David Costa. Jorge Guerreiro sorri. "Existem mais de 20 associações e mesmo que eu esteja ausente há alguém do executivo presente. O presidente da Junta não tem que estar em todo o lado. Sou líder

“O nosso trabalho nunca está feito”

Jorge Guerreiro

“Queremos ouvir a população antes de tomar medidas”

David Costa

de uma equipa de muita gente e todos eles representam o mesmo programa e os mesmos objetivos". António Inácio diz, por seu turno, que tem do seu lado "a experiência à frente da Junta do Forte da Casa". O antigo autarca apresenta a primeira e única candidatura independente que alguma vez existiu no concelho. "O PS quis avançar com um candidato que nitidamente nada fez pela União das Freguesias. Por isso, e como gosto muito da minha terra, decidi concorrer a bem do futuro da população". O candidato pelo movimento "Póvoa+Forte" promete recuperar alguns projetos do passado, como "o magusto de natal e o carro oficina, para ajudar os mais idosos a resolver pequenas tarefas domésticas". A par disto propõe ainda "melhorar os espaços ajardinados, trazer agências bancárias para o Forte da Casa e trazer uma loja de cidadão para a Póvoa". Catarina Lourenço conhece os trâmites da Assembleia de Freguesia. O BE conseguiu eleger, pela primeira vez, em 2013, dois mandatos e "orgulhamo-nos de ser a bancada que mais ideias e moções apresenta". Dá como exemplo o sítio na internet ou a recuperação do oratório de São Jerónimo", entre outas iniciativas. A candidata assegura que a sua maior vantagem é que “é uma cidadã comum que luta pelos seus direitos e que quer o melhor para a sua terra". Nuno Caroça defende uma Junta "menos reativa e mais pró ativa". O candidato da coligação MAIS pede uma maior aproximação dos eleitores com os políticos. "Bastam coisas simples, como publicar as atas e

“Sei gerir uma empresa com poucos recursos

Nuno Caroça

“Somos a bancada que apresenta mais propostas”

Catatina Lourenço


39 as resoluções da Freguesia no sítio da internet. É preciso usar melhor as redes sociais para informar e dar a conhecer o trabalho que se desenvolve e com isso trazer a população para o debate público". Os comunistas advertem, porém, que o facebook "não pode ser apenas uma ferramenta de propaganda do PS. Há que enfrentar as críticas e aceitar as sugestões que chegam à página", alerta David Costa, da CDU. Com um novo player no terreno e tendo em conta os resultados das últimas eleições autárquicas, será interessante analisar os números que sairão das urnas a 1 de outubro.

“Tenho uma equipa jovem e cheia de força”

António Inácio

“O trabalho da freguesia deve-se ao sacrifício dos trabalhadores da Junta”

José António Gomes

“A população está cansada da falta de diálogo do executivo da CDU”

Ana Catarina Machado

“Pode-se fazer muito na terra com a partilha eo voluntariado”

Fábio Mousinho Pinto

vialonga

A população de Vialonga duplicou em duas décadas e o investimento imobiliário foi intenso nesta freguesia. No entanto, não há uma piscina pública; não existe acesso direto ao comboio; “as linhas de autocarros são insuficientes", como garante a candidata do PS; "o quartel dos bombeiros está provisório há demasiado tempo"; como critica a coligação MAIS; e as lutas políticas entre o PS e a CDU estão a "atrasar o progresso da região", queixa-se Ana Catarina Machado. No entanto, a socialista aponta culpas à CDU que mantém "um estigma e uma postura de falta de diálogo com o poder central". José António Gomes refuta esta tese. "Pedimos, por exemplo, há mais de seis meses, uma reunião com a Câmara Municipal para resolvermos os problemas dos parques infantis e até hoje nada. Ora, é impossível encontrar soluções se, do outro lado, não há resposta". O descontentamento parece mesmo alastrar a outras forças políticas, como as forças de direita que estranham todas estas lutas "quando há um visível resurgimento de novos movimentos associativos e gente cheia de vontade de trabalhar", aponta Fábio Mousinho Pinto, dando como exemplo o Vialonga Em Movimento que “feito muito pela freguesia”. Para o social-democrata, é neste tipo de iniciativas, "no voluntariado e na partilha de esforços que está o caminho. É preciso uma mudança, não podemos votar no mesmo candidato todos os anos". O atual presidente e número um da lista comunista defende-se com a falta de meios. "Este ano, recebemos menos 180 mil euros para o orçamento e tudo é mais caro. É impossível chegar a todo o lado. E muito do trabalho deve-se ao empenho dos trabalhadores que só receberam um aumento porque o salário mínimo subiu”. José António Gomes tem muitos sonhos para Vialonga, como "transformar o antigo palácio da Flamenga num lar de idosos". Porém, “tudo depende de recursos financeiros e de uma posição política em relação às prioridades para cada freguesia". Lina Batista, candidata do BE para Vialonga nunca respondeu aos insistentes pedidos da gira para uma entrevista. Ao longo do mês de setembro iremos publicar excertos em vídeo destas entrevistas no sítio da gira e na página de facebook


40 // passeio // setembro

o prazer de

vindimar

Começaram as vindimas e há diveras quintas na região que permitem um dia de trabalho em troca de uma experiência intemporal. Com a apanha mecânica, colher uvas à mão e acompanhar o processo até ao espezinhamento passou a ser um método vintage com o glamour de outros tempos. Preparado para um dia de vindima?


41


42 // passeio // setembro

+ info

Companhia das Lezírias T: 263 654 593 €35 a €70

Quinta das Carrafouchas T: 917 262 385 €55 Quinta do Gradil T: 917 791 974 €50 a €120

Bernardo Cabral fala com entusiasmo sobre os projetos que a Companhia das Lezírias está a implementar. O enólogo responsável pela parte vinícola desta empresa estatal enumera a lista de novidades, como novos espaços, novas marcas e novos produtos, e destaca uma: “a possibilidade de o visitante poder participar nas vindimas, e acompanhar todo o porcesso desde a apanha da uva até ao pisamento já na adega”. A ideia foi lançada há poucos anos e tem colhido cada vez mais adeptos. “Sobretudo turistas estrangeiros que gostam de passar um dia e viver uma experiência que consideram exótica”. Os alemães, irlandeses, suecos ou dinamarqueses são especialitas em cerveja. Para eles, o vinho é um produto de luxo que pagam ao preço de produto importado. “É cativante ver o entusiasmo com que eles aderem e passam um dia de uma forma simples e divertida”. A Companhia das Lezírias não é pioneira nesta iniciativa que tem sido replicada em diversas quintas viní-

colas no país. Terá sido da região do Douro que a moda começou. É mais um produto do enoturismo que está tão em voga. Uma forma de adquirir novas receitas financeiras mas, sobretudo, dar a conhecer os produtos de cada empresa. A Adega Mãe, em Torres Vedras, é uma das maioras produtoras vinícolas da região demarcada de Lisboa e vê neste serviço uma forma de atrair visitantes e mostrar toda a sua história incrementando o interesse pela marca. O objetivo é contribuir para uma experiência divertida. Já lá vai o tempo que vindimar era um trabalho árduo. Por isso, todo o processo é acompanhado com guias e enólogos. Começa-se com provas de vinhos, explicações históricas, passeios pelas vinhas, visita às adegas e, lá pelo meio, são fornecidas as ferramentas para cortar uns cachos. E esta é a altura perfeita para o fazer porque decorrem as vindimas que se prolongam até outubro. No entanto, é durante o mês de setembro que a maioria destes roteiros funciona em pleno.

Adega Mãe T: 261 950 105 €25 a €65

Na Quinta do Gradil, no Cadaval, é possível apreciar o lado rústico da vida no campo, admirar o palacete oitocentista e passear pela adega industrial de grandes dimensões. São várias realidades que se completam. No ano passado, mais de três mil pessoas passaram por aqui. Em alguns destes locais a vindima pode ser apenas de meio dia, noutros pacotes o programa dura o dia inteiro. Há também a possibildiade de almoçar, caso prefiras ficar mais


43 tempo. As escolhas são ainda poucas, mas há cada vez mais quintas interessadas no enoturismo e que veem no turismo uma nova fonte de rendimento e divulgação do seu produto (ver edição edição número 8 de da gira de maio de 2017). Apesar do caráter de entretenimento, é importante que neste dia leves calçado apropriado, roupa que pode ser deitada fora a seguir e que uses protetor solar. Se bem que algumas destas quintas fornecem farda para te precaveres de possíveis acidentes. Lembra-te que vais andar no campo, no meio de videiras, pó, sulcando terrenos e espaços usados para trabalho mecânico. Mas nada que te deva assustar. A experiência é recreativa, pitoresca e, acima de tudo, enriquecedora. O vinho faz parte da História de Portugal e há muita gente que desconhece todos os processos que envolvem a produção do vinho. É importante perpetuar tradições e esta é uma forma lúdica, interessante, diferente e saudável de o fazer.

psicologia

Suicidío, alguns sinais de alerta Guida Alves*

A 10 de setembro assinala-se o dia internacional de prevenção contra o suicídio. Durante este mês reforça-se a importância da prevenção deste problema que vitimou 11 em cada 100 mil portugueses. A ideação suicida pode ser ou não partilhada pelos indivíduos que a vivenciam. A ideação suicida ou a passagem ao ato do suicídio, normalmente surge como consequência de uma doença psicológica não tratada, como é o caso da depressão severa, stress pós traumático (abuso sexual ou outras situações de vida inesperadas como é o caso do desemprego, do divórcio, etc. Por outras palavras, o suicídio transmite o desejo de um indivíduo em desaparecer ou terminar com o seu sofrimento. Contudo o seu desejo em comunicar o seu sofrimento aos outros é um pedido de ajuda. O suicídio encontra-se entre as 10 primeiras causas de morte, sendo que por cada suicídio ocorrem 11 tentativas sem sucesso. Cerca de 20 por cento das pessoas que tentam suicidar-se, se não procurarem ajuda especializada, repetem essa ação no prazo de um ano, aumentando a probabilidade de eventualmente morrerem por suicídio. Os factores de alerta podem ser variados, no entanto existem alguns que são mais evidentes, tais como, histórias de tentativa de suicídio; frases de alerta (não aguento mais, quero desaparecer , nada faz sentido, etc.); mudança repentinas de hábitos (descuido com a imagem de si, desinteresse por actividades e hobbies que até então eram muito desejados); isolamento, apatia, afastamento repentino da rede de suporte familiar e de amigos; comportamentos destrutivos, como consumir álcool ou drogas em excesso; entre outras. Para que possa ajudar ou ser ajudado/a, o médico ou outros profissionais da saúde deverão saber o que se passa com o indivíduo em risco. Os profissionais de saúde se forem convenientemente informados, poderão tomar as medidas terapêuticas necessárias, ajustar a medicação ou modificar o tratamento do paciente em sofrimento. O controlo adequado de uma crise depressiva, a prevenção e a atenuação dos sintomas, fazem com que a pessoa volte a acreditar na vida e a viver. Contate o SOS VOZ AMIGA através dos números 213 544 545, 912 802 669 e 963 524 660 (das 16h às 24h) ou um profissional de saúde da área da sua residência. Quer esteja nesta situação ou mesmo se conhecer alguém e precise de conselhos para saber como atuar. *psicóloga clínica


44 // saúde // setembro conselho

O regresso à rotina Paula Martins*

Para muitas pessoas, esta é a fase de transição entre as férias e o regresso à “normalidade”. Passámos dos exageros do natal, para o ginásio e, depois, para a dieta pré-biquini. E, agora, que vamos voltar a tapar o corpo com roupa de inverno é urgente ter cuidado para não cair em excessos. Os conselhos da nossa nutricionista.

O outono vai começar para a dar lugar às rotinas, aos horários apertados para entrar nos empregos e deixar as crianças na escola, às horas de almoço curtas de mais que fazem esquecer as tardes demoradas na esplanada. E, quase sempre, esta transição do verão para o outono é feita sem períodos de adaptação, demasiado rápida para nós, indivíduos de hábitos, é tudo tão repentino que aumenta a dificuldade em voltar à regra e aos planos saudáveis. Os verões continuam a arrastar consigo o abuso nos gelados (alguns com calorias suficientes para cobrir um terço das nossas necessidades diárias), o consumo exagerado de bolas de berlim na praia (há quem presenteie cada dia das férias com esta bombinha calórica), o excesso de bebidas frescas (quase sempre açucaradas ou alcoólicas), estas e outras extravagâncias continuam a fazer parte da época estival dos portugueses. Contudo, não vamos esquecer que já vai havendo quem prefira a fruta como snack na praia, que há quem escolha os sumos naturais aos refrigerantes, que há quem dê destaque às saladas e legumes frescos na mesa, em vez de aperitivos salgados ou com excesso de gordura.

Lembre-se de deixar tempo suficiente de manhã para tomar um bom pequeno almoço, evitando começar o dia em stress ou pressas. Prepare as lancheiras (hoje em dia no mercado existem imensas com várias formas e tamanhos, escolha a que melhor se adapta a si) para que toda a família possa usufruir de lanches saudáveis e cuidados ao longo do dia. Procure na sua zona um local para almoçar que seja calmo e com opções de alimentação equilibradas, isto se não puder almoçar em casa ou levar a marmita consigo. Deixe sempre sopa preparada para que na hora de chegar a casa ao fim do dia, tenha sempre o jantar adiantado. Prefira processos de confeção simples e sem recurso a grandes quantidades de gordura, experimente elaborar uma ementa semanal onde conjuga os seus pratos habituais com algumas receitas novas. Tudo isto vai mantê-lo motivado e organizado. Em setembro, informe-se sobre as opções de atividade física existentes perto de si ou combine com um grupo de amigos e juntem-se para fazer exercício. Faça mais por si!

Lembre-se de deixar tempo suficiente de manhã para tomar o pequeno almoço Comece o dia sem pressas


3 dicas para regressar à rotina

1 Opta por frutas

2

Come mais sopas

3

Regressa ao ginásio

+ info

nutrisaber.com paulacfmartins@gmail.com

*nutricionista

45 conselho

Dar tudo em prol do doente Sónia Teles*

Já faz quase um ano desde que comecei a partilhar aqui temas farmacêuticos. Este mês pareceu-me a altura ideal para vos falar desta profissão. A 25 de setembro assinala-se o Dia Internacional do Farmacêutico e, no dia seguinte, o Dia Nacional do Farmacêutico. Os objetivos que nortearam a instituição destas datas especiais foram a divulgação da profissão farmacêutica na sociedade, a promoção de encontros de profissionais da área e para assinalar a importância do papel do farmacêutico na promoção da saúde. A ação dos farmacêuticos vai muito para além do trabalho nas farmácias que a população conhece melhor. Estes profissionais podem-se encontrar na área das análises clínicas, da indústria, da distribuição farmacêutica ou nos serviços farmacêuticos hospitalares. Em qualquer dessas áreas, a atividade farmacêutica tem o doente como objetivo central. Se nos focarmos apenas na área da farmácia de oficina, a nossa principal preocupação deve ser a promoção de uma utilização segura, eficaz e racional do medicamento. O farmacêutico é o último profissional de saúde com que o doente contacta antes de ir para casa fazer o seu tratamento. Esta é uma grande responsabilidade da qual não nos devemos demitir. No momento da dispensa, há que assegurar que o doente recebe toda a informação sobre a utilização do medicamento. A dispensa de receituário não pode ser uma dispensa cega, ou seja, deve-se olhar para a prescrição com sentido crítico. Deste modo é possível detetar possíveis problemas que podem ter escapado ao médico. Os utentes costumam fidelizar-se a uma farmácia (ouvimos tanta vez “esta é a minha farmácia”) e isso permite conhecer bem os seus problemas de saúde. O farmacêutico é também fundamental na resolução de alguns problemas de saúde. Tendo em conta a dificuldade em aceder aos serviços de saúde, a farmácia é o local onde os utentes recorrem em primeiro lugar. Mesmo com as dificuldades que o setor farmacêutico tem enfrentado, os farmacêuticos continuam a dar o seu melhor em prol da saúde dos utentes. *farmacêutica


46 // animais // setembro

Cuidados a ter com animais idosos Daniel Gonçalves*

Já se sabe que, quanto mais pequeno for o cão, maior é a sua expetativa de vida. O processo de envelhecimento começa mais cedo em cães de porte grande. Mas em ambos os casos são necessários cuidados especiais e estar atento aos sinais de envelhecimento. Um cão pequeno começa a dar parte de fraco a partir dos 11 anos, enquanto nos cães maiores poderão sentir fraquezas a partir dos sete anos de idade. E como detetar isso? Há diversos sintomas que o seu cão está a atingir a terceira idade: dificuldade em ver ou ouvir, mudança de cor nos pelos, desintesse em brincar ou correr. Às vezes, a estas mudanças acrescem problemas de saúde e isso é que pode complicar as coisas. Hoje em dia, com a alimentação exagerada e pouco exercício físico, os animais de estimação atingem a obesidade muito cedo. A artrite é comum, quando os ossos ficam desgastados; e a doença periodontal pode levar a infecções graves, até perda dos dentes, o que pode acelerar outros problemas de saúde. Há ainda riscos de hipotireoidismo, que leva à desregulação do peso; e o os cancros que podem afetar diversos orgãos do animal. Perante este cenário é importante estar precavido e tentar evitar que as complicações surjam. E tudo começa com uma alimentação cuidada. É indicado uma ração específica para os canídeos mais idosos, com maior taxa de fibras. Entretanto, eles também podem entrar em emagrecimento para manter a sua temperatura. Caso note uma magreza excessiva, por causa da diminuição do olfato, deve ofe-

recer alimentos bem saborosos, estimulando o animal a comer mais e com maior frequência. Outra boa dica é, além de oferecer pequenas porções durante todo o dia, ir incentivando a alimentação várias vezes ao dia. Claro que deve tentar manter o seu animal ativo. Mas sem exageros. Os cães precisam também de estímulos. Contudo, se eles preferem ficar parados é porque assim o organismo lhes exige. Portanto, fique do lado dele e faça-lhes companhia. Esta será a fase em que ele mais precisará de si. Oferecer alimentação natural é também uma boa ideia, pois são comidas saudáveis. Alimentos húmidos ou a ingestão de líquidos como a água favorece a micção, diminuindo o risco de pedras nos rins e infeção urinária. Aqui, é preciso enfatizar uma coisa: a alimentação natural não são restos da comida! E, finalmente, um conselho muito pessoal é conhecer o seu amigo. Reconhecer os seus limites e dificuldades é extremamente importante para lhe proporcionar uma vida tranquila, saudável e feliz.

+ info

Rua do Tejo, 18, loja A (junto aos bombeiros) PÓVOA DE SANTA IRIA

T: 219 561 814

especialista em animais*


Bem vindo! Está a ver o logótipo ao lado? Já o viu

por aí, certo? Estamos por cá há algum

tempo. Temos a nossa própria marca de produRua do Tejo, 18 loja A PÓVOA DE SANTA IRIA

219 561 814

(junto aos bombeiros) segunda a sábado 9h às 20h lojakoala@sapo.pt

tos, clientes fiéis e recebemos toda a gente de

braços abertos. É claro que ouviu falar de nós. Somos o Koala, claro!

APOIA A gira

DADOS PESSOAIS

Se gostaste do que leste e do que viste, então assina a gira. Ela é gratuita mas precisa do teu apio para continuar a cobrir eventos, fotografar, filmar, entrevistar e apoiar a tua terra. Ela é única e ao assinares a gira farás parte de um clube sem igual.

nome morada

-

código postal email

localidade

nif profissão

telefone

-

-

data de nascimento

A TUA ASSINATURA

O TEU PAGAMENTO

A TUA OPINIÃO

1 ano 12 edições

cheque

onde conheceu a revista gira ?

dinheiro

quais os artigos que mais gostou?

€24

2 ano 24 edições

€40

transferência bancária

recorte e envie para: revista GIRA, rua doutor Manuel Branco, 30, 2005-388 Vale de Santarém info: 968 236 531 | www.revistagira.com


gira #12 setembro 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you