Issuu on Google+

Informativo do Governo da Cidade de Embu

Nº 6

Outubro/2009

www.embu.sp.gov.br

Embu corre, dribla, salta, luta, chuta, arremessa

Esporte Cidadão • Projeto de Esporte e Lazer • Segundo Tempo • Comunidade Cidadã

Escola Azteca ponto.com

Um blog na internet. E os professores inovam o jeito de ensinar

Lei do Silêncio faz barulho

Os limites de cada um para reduzir a poluição sonora

Santo Eduardo de Embu

A surpreendente valorização do bairro que tem de tudo


Fala

Povo

Esporte

Gostaria de saber por que no Ginásio Poliesportivo da Escola Valdelice não estão deixando os meninos a partir de 14 anos praticar o futebol de salão? Rose Cabral

Lei do silêncio

Já passou da hora de se criar mecanismo para disciplinar o abuso que tanto prejudica nossa saúde. Não é possível admitir tamanha falta de educação e cidadania de pessoas que querem impor sua vontade, fazendo com que outro cidadão ouça o que ele quer ouvir e na altura que desejar. Torço pelo sucesso da Lei, desde que com critérios justos e bem abalisados. Jairo Feitosa

Obras Quadro Futebol, de Cândido Portinari

Olá, Este Jornal da Cidade estava sendo editado, quando uma notícia sacudiu o Brasil com a força de um tsunami de alegria: a Olimpíada de 2016 será no Rio. A festa, claro, foi geral. E serviu também, entre outras tantas coisas, para coroar o grande esforço que Embu das Artes vem fazendo para incluir mais de 10 mil pessoas, em quatro grandes programas – Segundo Tempo, Comunidade Cidadã, Esporte e Lazer da Cidade, capitaneados pelo Esporte Cidadão – que abrangem 25 atividades esportivas e de lazer, já disponíveis em 30 polos da cidade. A ideia tem como princípio democratizar uma atividade recreativa básica, fundamental para a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida de quem vive no município. A foto de capa desta edição – feita durante a Caravana do Esporte e da Música, da ESPN-Brasil, em

parceria com o Instituto Esporte Educação (presidido pela exatleta Ana Mozer) e o Instituto Sol da Liberdade (da cantora Daniela Mercury) – apenas ilustra um velho sentimento que a cidade nutre pelo esporte. Como se diz por aí, “vamoque-vamo”. Também nesta edição, mostramos como a escola Azteca inova com tecnologia o jeito de ensinar, com um blog na internet. E como a poluição sonora atazana os ouvidos de muita gente na cidade – da calma fazenda Atalaia, na fronteira de Cotia, ao agitado Jardim Santo Eduardo, na divisa com São Paulo. Aliás, está aí um baita bairro, cheio de gente e comércio, que tem hoje o pedaço de chão entre os mais valorizados de Embu, como informa uma reportagem desta edição. Mas há mais, muito mais. Boa leitura!

Expediente O Jornal da Cidade é uma publicação da Secretaria de Comunicação Social do Governo da Cidade de Embu das Artes • Rua Andronico dos Prazeres Gonçalves, 114 - Centro - Embu - SP - Cep: 06804-200 PABX: (11) 4785-3500 - Disque Serviços: 0800-7730005 - Site: www.embu.sp.gov.br Prefeito: Chico Brito • Vice-prefeito: Natinha • Secretário: João de Barros, MTb 16.066/SP Redação: Brunno Rocha, Cristiane Del Gaudio, MTb 25.865/SP, Daniela Karin, MTb 44.134/SP, Júlio Marcondes, MTb 54.343/SP, Maria Regina Teixeira, MTb 25.799/SP Projeto gráfico e editoração: Alexandre de Carvalho, Antonio de Oliveira e Juan Paulo Fotos: Carolina Mas, Guego e acervo da Secretaria • Apoio: Maria Emília Lucas Cardoso, Nadir Prado Bremecker e Tatiane Nunes • Jovens Aprendizes: Jaqueline Barbosa e Júlio Pedreti Distribuição: Bruno Henrique Ramos, Gustavo Fernandes Patez, Manuel Rafael da Silva, Mauro Damasceno e Silvio Moreira da Silva Gráfica: Carlos Augusto e Cleder Felício • Site: Marcelo Souza Ramos Impressão: Bangraf • Tiragem: 50 mil exemplares. Distribuição gratuita E-mail: comunica@embu.sp.gov.br • Tel.: (11) 4785-3633 / Fax: 4704-2451

Telefones úteis

Guarda Municipal: 153 • Centro de Atendimento ao Turista: 4704-6565 Disque Ambulância: 192 • Maternidade Municipal: 4785-0194 • Procon-Embu: 4785-3569 Pronto-socorro Central: 4785-0155 • Pronto-socorro do Jardim Vazame: 4782-4937 Defesa Civil: 4781-1090 • Ouvidoria: 0800 770 4114

2

Outubro/2009

Resposta: Foi elaborada uma grade de horários com planejamento prévio de acordo com o espaço disponibilizado. No ginásio do Valdelice temos dois dias de atividades, terças e quintas-feiras, do Projeto Esporte Cidadão, e na sexta-feira há atividades para pessoas da 3ª idade. No futsal, temos uma turma que tem aula das 8h15 às 9h05 e outra turma das 15h05 às 15h55, ambas da faixa etária de 10 a 14 anos. Por falta de horários, não temos uma turma de jovens, a partir de 14 anos, no Ginásio Valdelice. Porém, há outros polos do projeto Esporte Cidadão que possuem vagas para a modalidade nessa faixa etária. Humberto Panzetti – Secretário de Esporte e Lazer

Quando irão terminar as obras de pavimentação das ruas de acesso ao Memorial Sakai? Parece que a obra parou. Renata Almeida Resposta: As obras de melhoria nas vias de acesso ao Memorial Sakai estão bem adiantadas e serão concluídas em novembro, dentro da previsão de término do cronograma de obras. Milton Oliveira de Jesus - Secretário de Obras, Edificações e Orientação Urbana


O blog da escola Azteca

Educação

Em 2008, a escola começou a estudar o uso do blog na prática pedagógica. Em 2009, a reposição de aulas motivada pela gripe suína o colocou em prática. A proposta do blog permitia a grupos e pessoas interagirem sem restrição temporal. E novas possibilidades se abriam com o uso do recurso: divulgação dos projetos da Unidade Escolar e produção dos alunos, uso para recados, comentários, revisão de textos. Uma pesquisa com alunos e familiares revelou que 75% dos pais disseram sim ao uso do blog. E que a maioria dos estudantes tinha algum tipo de acesso à internet – em casa, na casa de amigos e parentes, na lan house. A escola também reservou a sala de informática, ao menos uma vez por semana, para que todos aprendessem a usar o computador. Na escola há seis deles para

o uso de alunos. O atendimento era em grupos, pois não havia professor orientador na sala de informática, apenas o empenho e dedicação dos profissionais da escola. Hoje, semanalmente, os alunos visitam o blog na sala de informática e fazem comentários conforme a pergunta da semana. Até a turma de pequeninos (os 1°s anos) se envolveu, assim como as mães, que vieram à escola aprender a acessar o blog. É o primeiro passo rumo ao uso de mídias interativas com os estudantes. A atual administração do município pretende implantar as lousas digitais, refletindo um olhar voltado para inserir a tecnologia em sala de aula.

“Blogs”

O que são

“Os blogs são páginas na internet (Web), que contam com um servidor para armazenar as informações. Historicamente, surgiram no final de 2001, no site Blogger.com. Abarcam uma infinidade de assuntos que vão desde diários, piadas, links, notícias, poesias, artigos, ideias, fotografias. Quando “no ar” , isto é, postado na web, qualquer pessoa pode acessá-lo.

Como uma Onda do Mar

Desafios do MOVA

Encontro Regional do Movimento de Alfabetização: programa eficiente.

O entusiasmo marcou as delegações de Minas Gerais, Rio de Janeiro e várias cidades de São Paulo que participaram do 4º Encontro Regional do Mova Sudeste, no final de agosto, na Escola Municipal Paulo Freire, em Embu das Artes. Durante três dias, elas discutiram dez temas e elaboraram uma carta contendo as diretrizes que serão levadas ao Encontro Nacional, em 2010. Os integrantes do MOVA acham que ele é tão eficiente quanto os programas Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Brasil Alfabetizado, pois atuam nas comunidades como difuso-

A página principal do blog da Azteca na internet: de olho no futuro.

res da cidadania e desenvolvem atividades mais do que educativas ao ensinar a conviver e a reconhecer direitos e deveres. “Muitas vezes, fazemos o papel de assistente social e de advogado” – diz a educadora Valéria Matos. A educadora Shirley dos Passos lamentou a falta de reconhecimento do MOVA na luta contra o analfabetismo. Shirley revela até preocupação com a capacitação dos educadores populares, que não têm preparo específico, por exemplo, em LIBRAS (linguagem de sinais), importante na inclusão dos deficientes auditivos.

Realizado desde 2003 em parceria entre a Secretaria de Educação e o Instituto Ciência Hoje, o projeto Embu na Onda do Mar leva os alunos das quartas séries do ensino fundamental das escolas municipais para realizar viagens de estudo e pesquisa científica no litoral sul de São Paulo. Sob orientação de educadores, que participam de um curso de formação, as crianças escolhem um assunto e formulam questões que serão observadas na atividade em campo. Além de entrarem em contato com um ecossistema diferente da cidade onde vivem, as crianças

Alunos de Embu se esbaldam em Santos.

conhecem a praia, o Parque Estadual da Serra do Mar, o Parque Ecológico Cotia-Pará, o Orquidário, o Museu de Pesca e o Porto de Santos, durante um dia inteiro de passeio. Já em sala de aula, a garotada realiza um trabalho sobre a expedição.

Embu recebe Cinetransformer

Cinetransformer, o caminhão que se transforma em cinema, com capacidade para 92 pessoas, equipado com dois banheiros e lanchonete com pipoca e refrigerante, ficou estacionado um dia inteiro na Praça da Lagoa, em Embu. Durante o dia foram realizadas

cinco sessões, as quatro primeiras destinadas às escolas e a última aos adultos. Para as crianças foi apresentado o filme Hugo: o Tesouro da Amazônia – sobre a preservação do meio ambiente e o cuidado com os animais. Já os adolescentes e adultos assistiram Marley e Eu.

Cinema no caminhão: sessões concorridíssimas.

Outubro/2009

3


Saúde Embu vacina 21 mil crianças contra a poliomielite Segundo a Secretaria de Saúde, 87% das crianças, com até quatro anos de idade, foram vacinadas na 2ª fase da Campanha de Vacinação, em setembro. O número foi abaixo do esperado – a secretaria pretendia vacinar 95% das crianças de Embu das Artes. Por isso, a Prefeitura

estendeu a vacinação contra a poliomielite em todas as unidades de saúde do município até atingir a meta.

Conferência de Saúde Ambiental Sob o lema “Saúde e Ambiente: vamos cuidar da gente”, a Prefeitura de Embu realizou a Conferência Municipal de Saúde Ambiental, no Parque do Lago Francisco Rizzo. O encontro fez parte da etapa preparatória para a Conferência Estadual, que ocorre no fim do mês, e para a 1ª Conferência Nacional de Saúde Ambiental (CNSA), que será entre 15 e 18 de dezembro, em Brasília. “Meio ambiente é vida, e vida é saúde” – disse o secretário de Meio Ambiente, João Ramos. “Embu é uma cidade que percebeu a importância de canalizar córregos, tirar lixo da rua, entre outras ações que evitam doen-

ças como a dengue e a leptospirose e preservam o meio ambiente” – disse a secretária de Saúde, Sandra Magali Fihlie. Depois da cerimônia de abertura, os participantes foram divididos de acordo com os três eixos temáticos das propostas que compõem a Política Nacional de Saúde Ambiental: 1) desenvolvimento e sustentabilidade socioambiental no campo, na cidade e na floresta; 2) trabalho, ambiente e saúde: desafios dos processos de produção; e 3) consumo nos territórios e democracia, educação, saúde e ambiente: políticas para construção de territórios sustentáveis.

Rapidinhas

O encontro de Saúde Ambiental discutiu a sustentabilidade no campo, na cidade e na floresta.

4

Outubro/2009

Olha a gotinha.

A marcha pela saúde mental

O cartaz da semana de luta foi autografado pelos participantes.

Treze representantes ligados à Associação de Atenção à Saúde Mental de Embu e Região (AASMER), entre usuários e técnicos, participaram da Marcha dos Usuários da Saúde Mental, em Brasília. O movimento luta pela reforma psiquiátrica antimanicomial. Para a marcha, a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária recebeu 140 inscrições do Estado de São Paulo. A falta de apoio, no entanto, limitou a 44 o número de participantes. O grupo de Embu foi o maior da grande São Paulo.

A marcha terminou na Praça dos Três Poderes. O dia de atividades incluiu shows com Trem Tan-Tan (MG) e Harmonia Enlouquece (RJ). Na Tenda Cultural o público viu uma exposição de fotografias e cartazes de 22 anos de luta antimanicomial, referências ao artista plástico e interno Arthur Bispo do Rosário e fotos realizadas em manicômios. Houve, ainda, exposição e venda de livros e de produtos de 30 projetos de trabalho ligados à Rede de Saúde Mental e Economia Solidárias – artesanato, camisetas, marchetaria, bolsas, colares.

Debate em Porto Alegre

Viagem

O secretário de Participação Cidadã de Embu, Pedro Pontual, participou no dia 24 de setembro, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), do ciclo de debates sobre a Democracia Participativa no Brasil. Falou sobre as experiências do Orçamento Participativo (OP) como instrumento de participação e democracia.

Uma delegação – composta pelo prefeito Chico Brito, pelo viceprefeito Natinha e por vereadores de Embu – foi a Brasília a fim de buscar recursos para a cidade. A equipe visitou diversos ministérios e voltou com a promessa de um 2010 mais generoso do que o ano de 2009. É esperar para crer.


Santa Tereza discute o futuro

Obras

Moradores se reuniram para discutir o projeto de urbanização que dará nova face ao lugar considerado uma porta de entrada do bairro. Atualmente, a área que fica ao lado do Cemitério dos Jesuítas, subindo em direção ao bairro, ainda é usada para despejo de entulho e lixo, mas até o final do ano a região terá novo paisagismo e as ruas estarão asfaltadas. O muro que separa a rua Liberty da avenida principal já foi derrubado. No lugar haverá um gradil para proteger os pedestres e uma ampla calçada

com pista para caminhada. A área próxima ao conjunto habitacional ganhará quadra, parque infantil e iluminação. Já o trecho de terra que liga a Liberty à avenida João Paulo II será fechado. O espaço será reurbanizado e transformado em área de lazer. O paisagismo se estenderá até o muro do cemitério municipal com gramado e palmeiras imperiais.

Canteiro nas imediações do Cemitério dos Jesuítas.

Audiência pública sobre a BR-116 Doze municípios do Consórcio Intermunicipal da Região Sudoeste da Grande São Paulo – Conisud – e do Consórcio Intermunicipal do Vale do Ribeira – Codivar – compareceram à reunião para analisar o andamento das obras da rodovia Régis Bittencourt – BR 116 e as interferências diretas na rotina das cidades. O encontro foi em Itapecerica da Serra. Os prefeitos fizeram reivindicações que surgiram com o andamento das obras – passarelas, viadutos, pontes, retornos, vias marginais e ciclovias. O término da

Brasil, Eneo Palazzi, ressaltou que entre as atribuições da concessionária que administra a rodovia estão a segurança e

o cuidado com o patrimônio público. Palazzi comentou o atraso no Plano de Exploração da Rodovia (PER) e pediu a compreensão dos municípios ao considerar a necessidade de cumprir formalidades, realizar estudos aprofundados e outras providências como desapropriações e licenças. Ricardo Madalena, superintendente do DNIT, empresa que gerencia a estrada, se comprometeu a atender às demandas pendentes do PER e propôs que os prefeitos se organizem para levar as reivindicações à DERSA.

As propostas para o início do projeto de recuperação urbana e ambiental do Jardim do Colégio começaram a ser discutidas. Mais de 200 pessoas participaram da reunião com a Prefeitura, realizada em frente ao bar do líder comunitário Jabá. Diversos problemas podem ser resolvidos em curto prazo, como a instalação de lixeiras, placas de identificação de rua e a numeração social das casas. Além das obras de recuperação urbana e ambiental, cada morador receberá o título de propriedade do imóvel.

Para 2010, está prevista a urbanização da praça do local, com quadra, iluminação, playground, construção de uma creche e ampliação do posto de saúde do Jardim São Marcos para que um número maior de pessoas do Jardim do Colégio possa ser atendido. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, a região tem 1.751 habitantes residentes em 750 domicílios, dos quais 578 possuem ligação de água . A renda familiar é de um salário mínimo e meio.

Rodovia Régis Bittencourt: problema que atinge cidades até o Vale do Ribeira.

duplicação da BR-116 e o preço dos pedágios também constaram das discussões. O superintendente da OHL

Jardim do Colégio: as obras vão rolar

Recuperação urbana do Jardim do Colégio começou pelas ruas do bairro.

Educação no trânsito

Homenagem da imprensa

Na Prefeitura, dia 7 de setembro, nossa banda deu boas-vindas ao público. Seguiram-se o grupo Batuca Lata, do Centro de Referência do Idoso, o desfile da Guarda Civil Municipal e os hinos nacional e da independência. Terminou com um coral de estudantes, que entoou a canção de exaltação a Embu.

As crianças da comunidade do Jardim São Luiz tiveram uma tarde diferente no Centro de Atenção à Saúde da Família (CASF) São Luiz. A garotada assistiu a uma palestra sobre educação no trânsito, realizada pela Secretaria de Trânsito e Transporte da Prefeitura de Embu.

O Dia da Imprensa foi comemorado pela mídia regional no hotel Del Verde, em Itapecerica da Serra. O prefeito Chico Brito recebeu uma placa por sua liderança política. O ex-prefeito Geraldo Cruz foi parabenizado por ser o aniversariante do dia. Houve entrega de prêmios e show do cantor Guilherme Arantes.

Outubro/2009

Rapidinhas

Independência ou morte

5


7º Festival de Flores e Plantas

Turismo

Evento tradicional na cidade, a festa celebrou os 40 anos da Feira de Artes, quando artistas e artesãos incluíram o Embu no movimento de valorização da paz mundial e da harmonia entre os povos.

O Festival de Flores saudou a chegada da primavera na cidade.

O festival foi realizado nos dias 26 e 27 de setembro e 3 e 4 de outubro, das 9 às 18 horas, com entrada gratuita, no Parque do Lago Francisco Rizzo. Em meio à diversidade da produção local de

flores e plantas, a atração de destaque foi o estande Arte ao Vivo, onde os visitantes viam artistas e artesãos executando suas obras. Shows musicais, oficinas e workshops completaram o roteiro.

Embu marca presença no Revelando São Paulo Quatorze artistas de Embu das Artes abrilhantaram a 13ª edição do Revelando São Paulo – Festival da Cultura Paulista Tradicional, realizado entre 11 e 20 de setembro, no Parque da Água Branca, em São Paulo. O evento teve o objetivo de mostrar a diversidade cultural e artística das cidades do Estado: encontros de violeiros, fandangos, bonecões, romeiros, tropeiros, danças, reisadas, caminheiros, artesanato tradicional e culinária típica de cada região. 80 estandes de culinária, 155 de artesanato e 300 grupos de manifestações artísticas se apresentaram durante o festival.

Segundo o secretário de Turismo, Ronaldo da Silva, o estande de Embu era o maior da exposição, com 75 m², recheado de cerâmicas, esculturas, forjaria artística, pintura naif, trançado e cipó. “É um momento de integração entre todos os municípios paulistas” – disse Silva. Para o secretário de Cultura, Paulo Oliveira, no Revelando os artistas tiveram a oportunidade de divulgar e vender seus trabalhos, além de entrar em contato com outras expressões culturais. “Embu prova mais uma vez que é um importante polo produtor de arte e cultura” – ressaltou o secretário.

Comunicação

Helaine Malca e as peças dos artistas da cidade: brilho no Revelando

Carolina Mas, a revelação das fotos O tema Arborização Urbana fez parte da programação das comemorações do Dia da Árvore, em setembro, no Parque do Lago Francisco Rizzo.

Rapidinhas

A árvore frondosa vista a partir da porta de uma casa abandonada

6

Além das fotos publicadas no material de divulgação da Prefeitura, nova chance para ver o trabalho da jovem fotógrafa – e do experiente profissional

Guego – será no início do ano que vem, quando ambos revelarão o cotidiano da cidade no Centro Cultural Mestre Assis do Embu.

Nossa bromélia

Adeus, Jeanete

Prefeito na Globo

A bela e delicada bromélia Tillandsia lineares, encontrada nas obras do Rodoanel, floresceu. Em extinção, a rara flor não era vista desde os anos 1930. Duas mudas irão para o Parque Tizo. Segundo biólogos do consórcio Sul 5, outras mudas já voltaram para o lugar de origem, na área do futuro Parque da Cidade.

Morreu dia 23 de setembro, de câncer, a ex-secretária de Educação de Embu, entre 2001-2003, Jeanete Beauchamp, ex-diretora do departamento de educação infantil do MEC. Com o olhar voltado para a educação humanitária, Jeanete reorganizou a rede educacional da cidade. O enterro foi em Assis, sua cidade natal.

O prefeito de Embu das Artes, Chico Brito, foi entrevistado ao vivo no SPTV, 1ª edição, da TV Globo. Falou das obras de saneamento, urbanização e recuperação ambiental que despoluirão rios e córregos da cidade, como o Pirajuçara. Os recursos vêm do PAC com contrapartida do governo municipal.

Outubro/2009


Sobre sonhos e esperança As experiências de vida são essenciais para a educação. É possível a transformação dos sonhos em realidade. Duas lições da companhia teatral Arte Tangível. A obra, inspirada no mestre Paulo Freire (1921-1997), reuniu um público de 150 pessoas numa quarta-feira, na Escola Municipal Paulo Freire. O cenário de uma sala de aula com sete cadeiras, uma mesa de professor e uma pequena lousa se transforma na casa do menino Paulo – com seu quintal repleto de árvores frutíferas, na Recife dos anos 1920. Foi nesse ambiente que Paulo Freire aprendeu com a mãe as primeiras palavras

escritas, graças aos gravetos utilizados como instrumentos de educação. Frases do pensamento freiriano pontuam o espetáculo. “É preciso educar nossos medos para que eles não nos paralisem. Mudança não acontece por acaso ou destino. Devemos lutar por ela. Cidadania pressupõe diálogo, direito de voz.” Pela primeira vez o grupo Arte Tangível encenou a peça no espaço que leva o nome de quem a inspirou.

Cultura

Desde 2006, a peça já atraiu mais de 4 mil espectadores.

Teatro e Candomblé

O texto de Sobre Sonhos e Esperança é assinado pelos atores Luciana Saul e Thomaz Holesgrove. A brasileira e o australiano se conheceram na Itália. De lá vieram com a ideia de trabalhar com o Teatro Antropológico, com influências da cultura afro-brasileira do candomblé e seus orixás. O resultado alia de forma singular a linguagem oral à corporal. O espetáculo encenado desde 2006 já atraiu quatro mil espectadores.

Aplausos de pé

Administração

Prefeitura reduziu jornada de trabalho de psicólogos e assistentes sociais de 40 para 30 horas semanais. Discutida há anos na Comissão de Recursos Humanos da Prefeitura, a Lei foi enfim assinada, beneficiando 38 assistentes sociais e 27 psicólogos. Agora, a nova tarefa será reformular o Estatuto dos Funcionários e o Plano de Cargos e Carreira para que os servidores mais dedicados sejam contemplados. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de

Embu, Sebastião Caetano da Paixão, agradeceu ao empenho da Comissão de Técnicos, que contribuiu para a redução da jornada. E ressaltou: “O Sindicato agradece, mas relembra que também há necessidade de ajustar as profissões de nutricionistas, fonoaudiólogos e fisioterapeutas”. Para a presidente da Federação Nacional dos Psicólogos, Fernanda Magno, “trata-se de uma vitória”.

Os servidores se levantaram para aplaudir o prefeito.

A ação da Guarda Civil Ambiental Segurança Governo investe na fiscalização para combater crimes ambientais na cidade.

GCM Sampaio: de olho no ambiente.

Há dois meses em atividade, a Guarda Civil Ambiental de Embu vem realizando uma fiscalização eficiente nas regiões verdes do município, em especial na Área de Proteção Ambiental (APA). Foram realizadas várias

autuações, com apreensão de caminhões e aplicação de multas por corte ilegal de árvores e despejo de entulho. Animais silvestres, como bicho preguiça, cobras e lagartos, também foram resgatados e devolvidos

Festival de Flores na TV

O pouco tempo de entrevista na Globo não permitiu ao prefeito falar que no centro de Embu das Artes se pode pescar. No ribeirão Ressaca, por exemplo, diante da Prefeitura, não raro há pessoas sentadas em seus banquinhos, pescando. Dentre 39 cidades da Grande São Paulo, Embu se orgulha desse privilégio.

A festa das flores e plantas que Embu das Artes realizou pela sétima vez para brindar a chegada da primavera também ganhou espaço na TV aberta. Foi divulgada pelo secretário de Meio Ambiente, João Ramos, no programa Notícias & Mais, da CNT (canal 26 UHF) na sextafeira, dia 2 de outubro.

Rapidinhas

Pescaria no Centro

ao seu habitat natural. Ajude o governo a fiscalizar irregularidades. Denúncias podem ser feitas pelos telefones: 153 ou (11) 4781 - 3249.

Outubro/2009

7


Embu das Arte

Projetos ousados incluem mais de 10 modalidades esportivas que vão do at

O Esporte Cidadão Há 9.500 vagas para 25 modalidades em 29 polos esportivos espalhados por toda a cidade. A terra das artes jamais praticou tanto esporte, em tantas modalidades diferentes. Com o projeto Esporte Cidadão, a Prefeitura abriu 9.500 vagas para crianças (de mais de 6 anos), jovens e adultos. Somente no Complexo Educacional Professora Valdelice Prass, no Parque Pirajuçara, foram feitas 2.480 inscrições para oito modalidades – esgrima, basquete, futsal, vôlei, xadrez, recreação, ginástica localizada e adaptada. O cardápio é vasto e variado: são 25 modalidades em 29 núcleos pelo município. Tudo feito para a cidade ter o esporte como política pública de inclusão social, educação e cidadania. Esportes tradicionais estão nas quadras e campos, do futebol ao atletismo. A novidade está em modalidades inéditas, como a esgrima,

o kickboxing e a luta olímpica, que tiveram grande procura. A esgrima, por exemplo, reúne 40 alunos por turma, e tem fila de espera.

Ineditismo

Segundo a Federação Paulista de Esgrima, Embu das Artes é a primeira cidade do país a oferecer o esporte gratuitamente. De acordo com a entidade, há 500 esgrimistas federados em diversas cidades do Brasil – estima-se que o número de praticantes do esporte seja dobrado. Para dar início às aulas em setembro, todos os materiais necessários para as diversas modalidades esportivas foram comprados pela Prefeitura. No caso da esgrima, os praticantes usam coletes, armas, máscaras e luvas, entre outros equipamentos.

Bolas, bambolês, capacetes, skates, raquetes: opções não faltam para o povo de Embu.

Touché! Um jogo de armas Touché (“toquei”, em francês) era o grito dos esgrimistas antes do uso dos sensores eletrônicos. E é este o objetivo da esgrima – tocar o adversário sem ser tocado. Os pontos de toque no corpo são específicos de cada arma: florete, sabre e espada, as armas brancas com que se joga a esgrima (palavra do germânico provençal que significa “proteger”). Um dos nove esportes presentes na Olimpíada desde Atenas-1896, a esgrima é um jogo e não uma luta. “Todos podem praticar esgrima” diz o mestre Claudinho. O professor elogia o fato de a Prefeitura ter aberto inscrições para crianças a partir de 6 anos. “Isso para a gente é muito bom porque se ela gostar realmente da esgrima, joga”- avalia Claudinho, pensando nos futuros esgrimistas.

Duelo de floretes

Um aquecimento dá a prévia da primeira aula prática de esgrima. É o quarto encontro de mestre Claudinho e seus alunos, no Ginásio

8

Outubro/2009

do Esporte Cidadão e foi direto na opção. “Nunca demos brinquedos de armas de fogo, sempre demos espada” – explica a mãe, Vera Lúcia Gusmão. Gustavo Lemes dos Santos, 9 anos, “fazia futebol, mas não gostava muito” – diz a avó Teresa Lemes. Quando o folheto lhe veio às mãos, a escolha foi certeira. “Eu vi na Olimpíada, antes não sabia o que era esgrima” – conta a avó de Gustavo que, por ser filho único, brinca de espada com o cachorro.

Da hora!

Os lutadores tomam posição: vence aquele que toca com a ponta do florete o tronco do adversário.

Valdelice. A metodologia envolve velocidade, agilidade, reflexo, coordenação motora, preparo físico e resistência. Segundo Claudinho, os alunos não viam a hora de jogar. Colete, máscara, luva e florete à mão, um a um, meninos e meninas, foram ao jogo. “Combate. Em guar-

da, linha, passo à frente, afunda, em guarda” – são os comandos do professor. “Se o esgrimista é atacante, vai ser atacante sempre, se é defensivo, será defensivo sempre” – diz. No Hermínio Espósito a ansiedade por jogar é a mesma. Thiago, 8 anos, viu esgrima no folheto

Quando Tatiana Almeida da Silva, 28 anos, mostrou à filha Thayssa, 7, a lista de modalidades do Esporte Cidadão para que ela escolhesse a sua preferida, a menina disse: – Eu quero esgrima. – Mas filha, esse esporte tem espada – replicou a mãe. – Eu quero esgrima – insistiu Thayssa, segura de sua escolha. Moradora do Parque Pirajuçara, a menina se encantou pelo esporte ao assisti-lo na Olimpíada de Pequim pela televisão, ano passado. “Ela falou que era legal, bonito” – lembra a mãe de Thayssa, que tinha à época 6 anos. Depois da primeira aula prática, a menina, sorrindo, resumiu: “Legal. Achei da hora”.


tes e dos Esportes

mil pessoas – especialmente jovens – em tletismo à luta olímpica, do futebol à esgrima.

Um mestre na esgrima Ele queria ser Zorro – de capa, chapéu e espada. Hoje é um mestre da esgrima. Ex-atleta, ele treinou esgrimistas para campeonatos sul-americanos, pan-americanos e foi técnico da equipe brasileira juvenil na Olimpíada de Barcelona, em 1992. Professor Claudinho, ou Cláudio Gonçalves dos Santos, 38 anos, desde 1980 reside no Jardim Castilho. Mestre D’armas pela Escola de Educação Física do Exército, ele morou um ano no Rio de Janeiro para fazer o curso, voltado especialmente à esgrima. Basta assistir a uma de suas aulas para perceber sua paixão pelo esporte. Os olhos brilham quando fala de esgrima, que faz parte de sua vida desde menino. O pai era zelador do Esporte Clube Pinheiros quando perguntou a Claudinho, com 10 anos, qual esporte ele queria praticar: judô, vôlei ou esgrima. O garoto respondeu: “Esgrima. Eu quero ser o Zorro.” “Tudo é um sonho. Trabalhar no Embu para mim é gratificante porque vou divulgar um esporte que até então só tinha em clubes elitizados” – afirma Claudinho. Mostrando paixão por desafios, o mestre da esgrima de Embu traça uma meta ambiciosa. “Meu objetivo é classificar um cadeirante para a equipe brasileira e fazer pequenos

As regras do combate

O duelo de esgrima é numa pista de 14 metros de comprimento e de 1,5 a 2 metros de largura. O idioma oficial é o francês. Espada: empunhadura (copo) maior; toca qualquer parte do corpo; das três, é a arma menos flexível.

Prefeito

Fala Claudinho e os alunos; afiando os floretes.

campeões” – completa Claudinho. Como bom professor, Claudinho reverencia seus mestres. Ângelo Pio Buonafina o iniciou no mundo da esgrima. Quando, em 1987, o mestre adoeceu, Claudinho foi convidado a substituí-lo. Então, deixou de competir e não parou mais de dar aulas. Claudinho já mostrou a arte da esgrima nos palcos e na televisão. Coreografou Hamlet, espetáculo de Zé Celso Martinez Corrêa, criador do Teatro Oficina. Trabalhou também com a coreógrafa cubana Laura Alonso na montagem de Romeu e Julieta e, como figurante, gravou oito capítulos finais da novela Que Rei Sou Eu, da Rede Globo.

Florete: empunhadura (copo) menor; lâmina mais flexível que a espada; toca-se com a ponta apenas o tronco. Sabre: arma de lâmina mais flexível entre as três; toca-se o tronco com a ponta e o corte (lateral da arma) e contracorte.

Equipamentos da esgrima: colete, luva, máscara e as armas – sabre, espada e florete.

Jornal da Cidade: Qual o bacuidem do lugar em que vivem, lanço de dez meses de atividaintegrem-se à comunidade. Fordes da Secretaria de Esporte mar futuros atletas é consequêne Lazer? cia natural desse trabalho. Quero Chico Brito: Em menos de um democratizar o acesso ao esporano, alguns resultados já estão te, abrindo os equipamentos púevidentes. Basta ver os campos, blicos para toda a comunidade. quadras e praças da nossa cidaJornal da Cidade: Embu das de. Mas eu diria que os melhores Artes contribuirá para o país frutos serão colhidos a médio e fazer sua melhor Olimpíada longo prazos. Programas como em 2016? o Esporte Cidadão, por exemChico Brito: A escolha do Rio plo, que abriu dez mil vagas em como sede da Olimpíada de 2016 25 modalidades, podem ser consolida o Brasil como Nação considerados a coluna vertebral no cenário internacional. Consida política de esporte. Veja que derando os avanços sociais e ecoo Programa Esporte e Lazer na nômicos que o país alcançou – a Cidade (Pelc) inclusão de “O esporte é instrumento de tem recursos 30 milhões inclusão social e melhoria do Programa de brasileiNacional de ros na esfera da qualidade de vida” Segurança social, o conPública com Cidadania, voltado trole da inflação, a consolidação da a jovens dos 14 aos 23 anos em democracia –, as perspectivas são comunidades em risco de viode que a próxima década será do lência ou vulnerabilidade social. Brasil. Com os investimentos já Embu foi a primeira cidade do feitos e os novos que virão, Embu Estado a receber esse prograserá um destino para turistas do ma do governo federal e atende mundo inteiro com a Copa do 800 jovens. Sem falar que a genMundo de 2014 e a Olimpíada de te oferece formação continua2016. Temos o projeto para um da aos profissionais do Esporte, novo centro esportivo, no atual com oficinas e clínicas. Como Estádio Municipal, com ampliagestor público tenho clareza de ção das arquibancadas, das pistas que o esporte é instrumento de atletismo e das piscinas. Ao de inclusão social e melhoria da incluirmos a esgrima no Esporte qualidade de vida. Cidadão não sabíamos que Embu Jornal da Cidade: Formar seria a primeira cidade do país a campeões é meta do governo? oferecer de graça esse esporte – Chico Brito: A principal meta é modalidade paraolímpica de pouformar cidadãs e cidadãos íntecos atletas no Brasil. Quem sabe, gros, com valores morais e étinão realizaremos o sonho de ter cos, que respeitem o próximo, um atleta olímpico.

Outubro/2009

9


Esporte para todos A cidade enfrenta um senhor desafio: oferecer recreação aos maiores de seis anos

Xô, depressão Movimentos ritmados por uma música ao fundo. Assim grupos de usuários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) começam o dia duas vezes por semana. Há um ano e meio com a turma, o professor André Luís Maestri, 28 anos, observava pouca participação dos alunos em atividades como futebol de salão. Então, ele introduziu a ginástica, o relaxamento corporal, as atividades recreativas e caminhadas monitoradas. Deu certo. Agora, antes

das aulas, eles fazem uma roda de conversa e o papo rola. A proposta de Maestri é que os alunos deixem de ser pacientes e continuem praticando a atividade física para melhorar a qualidade de vida. “A gente se recupera mais rápido, sabia?” – diz Dalva de Oliveira, 49 anos, a mais falante na sala. Há quatro anos tratando-se de depressão, Dalva afirma que sem o CAPS os pacientes não são nada. “Todo mundo gosta da ginástica e o professor é muito bom”.

Ginástica, a opção de quem se trata de depressão.

Xadrez é xeque-mate

Paraolímpico

Cesta de um

Francisco Marciano Gomes Domiense, 31 anos, traz duas balas no corpo. Um assalto em 2001, no Campo Limpo, lhe roubou a capacidade de andar pelas próprias pernas. Desde então, Francisco pratica basquete adaptado. “É minha paixão” – observa esse embuense do Valo Verde, que reside no Santa Tereza com a esposa e dois filhos. Antes do trágico incidente, ele jogava futsal. Agora, ele quer voltar a defender o basquete de Embu, esporte que pratica na Associação de Assistência ao Deficiente, na capital. “Já fui chamado para disputar na seleção paraolímpica” – conta, e completa: “Conheço todos os cadeirantes da região. Posso juntar uns vinte, montar um time de basquete e se quiserem posso até dar aulas. Vou me dedicar só ao esporte”.

Quadra cheia no vôlei

Os adversários pensam como devem mexer as peças no tabuleiro

Concentração, capacidade de raciocínio e calma são os atributos de quem pratica xadrez. No ginásio Hermínio Espósito a modalidade atraiu 40 crianças de 6 a 12 anos. Crystal Gomes Fouyer, 7 anos, explica como optou pelo esporte: “O meu pai tem um tabuleiro e eu sempre quis jogar xa-

Francisco fica de pé mas não anda: basquete adaptado é uma alternativa de esporte.

drez”. O instrutor da modalidade é Washington dos Santos Oliveira, o Tintim. Morador de Taboão, esse estudante de Educação Física – que representa Embu nas competições de caratê – dá aulas de xadrez e recreação “para sociabilizar as crianças pela brincadeira”.

No vôlei, a aula da turma da manhã no Ginásio José Anacleto, Jardim Santa Tereza, é dominada por meninas, a maioria no grupo de 45 crianças. Lá, houve um total de 200 inscrições. Técnico das equipes feminina e masculina de Embu, Bila do Vôlei – apelido do professor Clóvis Ferreira Barbosa, de 44 anos – ensina o esporte desde 1989. Jogou seis meses na Pirelli, time de feras

como William, Renan, Xandó e Badalhoca. Ele elogia o trabalho do Governo Municipal, mas observa que é preciso avançar. “As bolas, os materiais são bons, o projeto está bonito. A Prefeitura está de parabéns. Só peço que ouçam mais os professores na hora de bater o martelo” – afirma. Segundo ele, ainda falta apoio. Desde 1999 foram realizados apenas dois torneios de vôlei na cidade.

Meninas agitam futsal

Meninas no futsal: sem medo de caneladas

No futsal, as meninas costumam jogar em times mistos, sem medo de bola dividida, canelada ou chutes fortes. Atualmente, 12 garotas praticam o esporte dominado por meninos no Ginásio Amauri Severo dos Santos, no Jardim Casa Branca. “Acho

10

Outubro/2009

uma maravilha” – afirma Laiana Bovo Messias, 13 anos, jogadora de futsal desde os 9. São-paulina roxa, ela já se contundiu, trincou o punho, deslocou quatro dedos do pé direito, mas nada a afastou da quadra. Selecionado para o Esporte Cidadão, Tauan Costa Garcia, 23 anos, formado em Educação Física e Massoterapia pela PUCPR, estudou na universidade o esporte voltado às crianças nas periferias. Segundo ele, é muito gratificante o trabalho aplicado às crianças carentes e a oportunidade de colocar em prática o que aprendeu.

Na quadra, com o técnico Bila: dois torneios de vôlei em dez anos.

Luta olímpica, também inédita A luta olímpica é ensinada pela octocampeã paulista e tetra nacional Fernanda Peres, 30 anos. O convite para dar aulas no Esporte Cidadão foi uma surpresa para ela, que desde 2000 é da seleção brasileira de Luta Olímpica. “Meu foco é formar atletas de competição” – diz Fernanda. Lesões a tiraram dos Jogos Panamericanos de Santo Domingo

(2003) e do Rio, em 2007. Fernanda recupera-se agora de uma cirurgia na coluna. Sua principal meta é competir na Olimpíada do Rio 2016. Quem tiver interesse na luta olímpica, ainda há vagas. As aulas são no Estádio Municipal, de manhã e à tarde, para a faixa etária de 6 a 17 anos. Haverá um novo horário, à noite, para os adultos.


Três em um Segundo Tempo, Comunidade Cidadã e Esporte e Lazer na Cidade têm como princípio a democratização da atividade esportiva, a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida

Segundo Tempo

O público-alvo são crianças e adolescentes expostos aos riscos sociais, como drogas e criminalidade. O programa oferece reforço alimentar para a turma.

Comunidade Cidadã

Aprender brincando. São assim as aulas oferecidas às crianças, adolescentes, adultos e idosos do projeto Comunidade Cidadã, parceria entre o Governo da Cidade de Embu das Ar-

Os participantes praticam duas modalidades coletivas e uma individual. A cada três meses é feita uma avaliação dos trabalhos para saber o que necessita melhorar no projeto. As aulas do Segundo Tempo são às segundas, quartas e sextasfeiras, em quatro núcleos, nas escolas municipais Astrogilda, Jequitibá, Villa-Lobos e Reynaldo Ramos da Gama, nos jardins Vista Alegre, Pinheirinho, Batista e Fátima, respectivamente. Cada unidade atende 200 crianças e adolescentes. São oferecidas aulas de xadrez, basquete, futsal, dama, vôlei de areia, futebol de areia e handebol.

tes e o Instituto Esporte e Educação, presidido por Ana Moser, ex-atleta de vôlei. O núcleo do Jardim Dom José atende 600 pessoas, nas modalidades futebol, handebol, basquete, ginástica, vôlei, alongamento e caminhada. “A ideia é criar um movimento para incentivar a prática do esporte educacional com a participação da comunidade. Tanto que o nome do projeto foi escolhido pela população do Jardim Dom José por meio de uma votação” – revelou o coordenador do Comunidade Cidadã, professor do Instituto Esporte e Educação, Alan Leão.

Projeto de Esporte e Lazer da Cidade (PELC)

O Projeto de Esporte e Lazer da Cidade (PELC), do governo federal, oferece oficinas de esporte e recreação para crianças, jovens e adultos. São disponibilizadas ativi-

dades de dança, futsal, handebol, liang-gong, percussão, pintura em tecido, reciclagem, recreação, violão, voleibol e xadrez. O curso de reciclagem atraiu a jovem Pâmela Martins, 13 anos. “Entrei no curso para ensinar os meus amigos a fazer artesanato com materiais recicláveis” – revela Pâmela. “As peças que produzo aqui, minha mãe pega pra ela” – falou, aos risos, a garota Lorena Oliveira de Moura, de 12 anos, do Jardim Santa Tereza. Em Embu das Artes são dois núcleos do PELC, um no Jardim Santa Tereza e outro no Jardim dos Moraes. São atendidas 400 pessoas por núcleo e as aulas são de segunda a quinta-feira.

A criançada de Embu, maior beneficiária dos projetos de esporte da cidade.

As atrações no

Hermínio Espósito

Copa Brasil de Kickboxing Entre 14 e 16 de agosto foi realizada a Copa Brasil de Kickboxing 2009, com 600 atletas de mais de dez Estados do Brasil. A competição valeu como seletiva para o Sulamericano da categoria, que será disputado em dezembro, no Paraguai.

Embu participou com quatro atletas. Marcelo Pelegrini ficou na 2ª colocação na categoria até 54 kg, Camila Pacheco e Welson Oliveira foram campeões nas categorias até 48 kg e até 71 kg, respectivamente. Thiago Damascena foi o 4º colocado na categoria até 75 kg.

Copa Embu das Artes de Caratê Interestilos No dia 28 de junho foi organizada a Copa Embu das Artes de Caratê Interestilos. Participaram da competição 400 atletas de 32 cidades pau-

listas. A delegação embuense contou com 35 atletas, sendo que 29 conseguiram medalhas – 1 de ouro, 5 de prata e 23 de bronze.

Amistoso de rúgbi Brasil X França A seleção brasileira de rúgbi enfrentou, no dia 2 de setembro, a seleção da França. O amistoso fez parte do calendá-

rio do Ano da França no Brasil. A partida terminou 50 a 6 para a França e foi assistido por 3 mil pessoas.

Quem foi

Hermínio Espósito? As primeiras iniciativas de incentivo ao esporte na cidade foram esforço de Hermínio Espósito, que tinha especial afinidade pelos jovens e virou nome do Estádio Municipal. Ele foi vereador na década de 1970 e, na ocasião, presidente da Comissão de Urbanismo, Obras e Serviços Públicos da Câmara. Foi o idealizador da Guarda Mirim Municipal e, durante anos, diretor da Federação Paulista de Ciclismo. Faleceu aos 61 anos, em outubro de 1979, deixando o registro de uma personalidade dedicada e cativante, “exemplo

para muitos que hoje são pais de família” – afirma seu ex-aluno Mauro Damasceno, 49 anos, motorista da Prefeitura.

Outubro/2009

11


Bairro Querido Santo Eduardo de Embu O bairro, um dos que mais cresce na cidade, foi também um dos mais votados no Portal da Prefeitura. “Cada lugar um lugar, cada lugar uma lei, cada lei uma razão e eu sempre respeitei, em qualquer jurisdição, qualquer área. Jardim Santo Eduardo, Grajaú, Missionária. Funxal, Pedreira e tal, Joaniza. Eu tento adivinhar o que você mais precisa” Racionais MC’s Fórmula Mágica da Paz Embu ou São Paulo, em que cidade o Jardim Santo Eduardo se localiza? Quem mora nas ruas do bairro mais próximas ao Capão Redondo, na periferia sul paulistana, acha que vive em São Paulo. Não é verdade. O Jardim Santo Eduardo pertence a Embu e é uma das regiões mais antigas

A rua central do Jardim Santo Eduardo: comércio popular na periferia.

e desenvolvidas do município. Ele faz divisa com os bairros embuenses dos Jardins Irene, Presidente Kennedy, Dom José, Ângela e da Luz. São mais de 12 mil habitantes, divididos em 3.032 domicílios. O local é servido de transporte, escolas, postos de saúde e comér-

Antigamente...

Maria de Loudes lembra “das lamparinas”.

Tereza Ferreira dos Santos, 60, dona de um bazar na Rua Santos Dummont, lembra de quando se mudou para o local, há trinta anos. “Aqui andava vaca, cavalo

12

Outubro/2009

Atendimento da Prefeitura, onde a população usufrui serviços – abertura de empresa, emissão de certidão, parcelamento de débitos, escrituração fiscal e solicitação de serviços públicos. Os investimentos contribuíram para o aumento do valor do metro quadrado dos imóveis em 250%, desde 2001.

Reduto de skatistas e até carneiro. Agora melhorou 100%”. Sua vizinha, Maria de Lourdes, 92, foi uma das primeiras moradoras do bairro. “A gente usava lamparina e a água era de poço.” Da vizinhança, ela não se queixa. “Eles são ótimos” – disse orgulhosa Maria de Lourdes, que vive no bairro há 35 anos. Agápio Dias de Lima, 63, é comerciante. Morador do Capão Redondo, São Paulo, desde 1981, ele se desloca até Embu para ganhar o pão de cada dia. “Estou aqui há 28 anos e posso dizer que o Santo Eduardo mudou para melhor”.

Um pedacinho da Bahia Na esquina da Estrada de Itapecerica a Campo Limpo com a Rua Lorena, um baiano de Jequié faz sucesso. “Quem experimenta meu acarajé nunca esquece” – afirma Cláudio Cardoso, que há dois anos vende acarajé e abará todos os dias. Seu segredo está na massa, feita apenas de feijão. “Não coloco farinha.” Gente até de Guarulhos e São Bernardo vem apreciar o acarajé, servido na forma tradicional ou fatiado no prato, com vatapá, camarões e vinagrete. A procura pela iguaria é tanta que ele já abriu outro ponto, também no Jardim Santo Eduardo.

cio – posto de gasolina, supermercados, lotéricas, Correios e as Casas Bahia, a única da cidade. Além disso, concentra o maior número de agências bancárias – Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco –, só perdendo para o Centro. O bairro possui uma Praça de

Cláudio e seu acarajé: uma delícia.

Jardim Santo Eduardo, ao vivo: manobras radicais da molecada ligada no skate.

Inaugurada em fevereiro de 2007, a Praça de Esporte e Lazer do Jardim Santo Eduardo, entre as Ruas Formosa e Maringá, recebe pessoas de todas as idades. A área inclui duas quadras, vestiário, playground e uma pista de skate. Além disso, é arborizada e possui bancos para descanso. Apesar dos mais de 20 times de futebol do bairro, a prancha sobre rodas desperta o interesse da garotada. Marcos Maciel, 23, morador do Jardim do Colégio, vem aqui praticar suas manobras de skate desde os 10 anos. Marcos desliza sobre escadarias de igreja, escolas e em ruas movimentadas. Antes de a pista ficar pronta, ele andava na Praça da Lagoa, no Centro.

O talento para o esporte lhe rendeu prêmios em campeonatos de skate de rua em Curitiba e Porto Alegre. Junto com o seu grupo, o Classe-d – que ganhou este nome por causa da música do rapper MV Bill –, Marcos produziu um documentário com verba do Programa de Incentivo ao Protagonismo Juvenil (ProJovem de Embu). Durante dois anos, os skatistas filmaram suas manobras em diversos locais. O filme, intitulado “Só se for D”, foi lançado em abril deste ano, no Centro Cultural Mestre Assis do Embu. O trabalho é referência para os iniciantes no esporte, aplaudido pelo público em cada exibição. Confira o trailer no Youtube.


Segurança no trânsito

Trânsito

Semana Nacional teve a missão de conscientizar pedestres e motoristas sobre a responsabilidade de cada um. A Secretaria de Trânsito e Transportes de Embu (STT) promoveu ação com agentes uniformizados nos bairros mais movimentados, orientando a população e os motoristas sobre a importância da educação, respeito, gentileza e tolerância no trânsito, por meio da distribuição de panfletos e faixas explicativas sobre o tema. Atualmente, as mortes no trânsito não se dão apenas em função dos acidentes – há muitas vítimas fatais em decorrên-

cia de brigas e discussões. Essas mortes não são computadas nas estatísticas do Sistema Nacional de Trânsito (SNT). Além da imprudência, imperícia e acaso, também o estresse faz parte dos transtornos que desencadeiam a violência. Por isso, é função do poder público ressaltar valores ligados à cidadania – tais como respeito e cortesia, cooperação, colaboração, solidariedade e tolerância –, para um trânsito seguro e harmônico.

Agentes incentivaram os motoristas a serem mais tolerantes

As ações da Secretaria de Trânsito e Transportes • Travessia Segura: proporciona aos pedestres uma travessia mais segura. • Cidade Itinerante: instrui alunos da rede municipal sobre os conceitos básicos de educação no trânsito. As crianças praticam o dia-a-dia no trânsito, brincando numa pista simulada. • Sinalização horizontal: pinturas e restaurações de faixas de pedestres. • Aquisição de duas viaturas novas para fiscalização. • Instalação de semáforos inteligentes. • Fiscalização ostensiva do transporte público e escolar.

Ouvidoria mostra trabalho

Controladoria Geral

Em agosto, na Câmara dos Vereadores, o controlador geral, Marcos Rosatti, apresentou o relatório de atividades de abril a junho. No período, o órgão recebeu 857 demandas – 256 em abril, quando entrou em atividade, 288 em maio e 313 em junho –, demonstrando que a população começa a reconhecer a nova secretaria como canal para fazer denúncias, reclamações, elogios e sugestões do serviço público da cidade. No trimestre foram registradas reclamações por mau atendimento de servidores, obras irregulares, ruídos e podas de árvores. As ocorrências se concentraram nas Secretarias de Saúde (268), Obras (140) e Serviços Urbanos (68). Em junho, as ligações gratuitas pelo 0800 770 4114 foram o meio mais utilizado pela popula-

O pessoal que foi à Câmara gostou da apresentação.

ção, registrando 182 chamadas, seguido do atendimento pessoal (na própria secretaria, na Prefei-

tura), que recebeu 78 pessoas. A Ouvidoria tem ainda um espaço no portal da Prefeitura na inter-

net. E a página do Cidadão Online recebeu 31 e-mails. Os cidadãos podem também enviar suas demandas por carta, opção de 22 pessoas durante o mês. Organizadas pelas regiões do Orçamento Participativo, a região 5, Centro, registrou mais denúncias, seguida das regiões 1 (Vazame), 2 (Santo Eduardo) e 3 (São Marcos). A região do Jardim Casa Branca, 10, foi a que menos acionou a Ouvidoria. Para que haja mais transparência e eficiência nas ações da Prefeitura, a Controladoria prepara um projeto de lei para que ocorram audiências públicas em todas as secretarias municipais. É garantido o sigilo absoluto nos casos de denúncia.

Inauguração Obras da Giroflex

Governo

Mais uma grande empresa instala-se na cidade: mais empregos para o povo de Embu. No dia 25 de setembro, numa área de 9.000 m² da Avenida Elias Yazbek, próximo ao Rodoanel, foi inaugurado o Centro de Distribuição da Giroflex, que recebeu investimentos de R$ 4,5 milhões de reais. Segundo o presidente da empresa, Osvaldo Ribeiro, Embu foi escolhida não somente pela localização geográfica, mas também pelo forte apelo cultural e artístico.

A lei de incentivo às empresas e ao empreendedorismo e a Escola Técnica Estadual (Etec), que está sendo construída na cidade para qualificar os jovens do município, também foram fatores importantes na escolha. Segundo o Governo da cidade de Embu das Artes até 2011 serão investidos mais de R$ 100 milhões de reais em obras de infraestrutura.

Centro de Distribuição da Giroflex: R$ 4,5 milhões investidos no município.

Giroflex

Sobre a

Nonononononononononononononononnononoononononononononoonnonono

Fundado em 1951, o Grupo Giroflex é líder nacional no setor de assentos e mobiliário corporativo pela excelência da qualidade de sua linha de produtos. A empresa é a maior do segmento na América Latina. Possui 49 representantes no Brasil, nove no exterior e exporta para Europa, América Latina, Caribe e África.

Outubro/2009

13


Obras Cidadã Participação Fórum reforça democracia Realizado no Centro Cultural Valdelice Prass, no Parque Pirajuçara, encontro contou com a participação de representantes das 13 regiões do Orçamento Participativo. A participação popular no governo de Embu das Artes ficou clara no Fórum do Orçamento Participativo (OP) 2009. E a atuação conjunta com os vereadores também: as lideranças comunitárias têm de andar de mãos dadas com os vereadores, e estes de mãos dadas com o Orçamento Participativo. O sucesso do governo, desde 2001, é a promoção da união para o bem das comunidades. Há muito a fazer na cidade. Discutir receita e despesa, por exemplo. A receita oscila em virtude da queda na arrecadação e do repasse de recursos. Um problema é o índice de inadimplência do IPTU. Em 2008, dos

23 milhões projetados na receita do IPTU, apenas R$ 12 milhões foram arrecadados – só a educação infantil gastou R$ 25 milhões no ano passado Para o coordenador do OP, João (Casquinha) Rodrigues de Souza, há três cidades em Embu das Artes: o Centro Histórico e entorno, de 30 mil habitantes, as chácaras e áreas verdes, de 15 mil moradores, e a densamente povoada, onde residem 200 mil pessoas, 70% da população. Para atender a essa demanda haverá nova territorialização, ampliando de 13 para 20 as regiões do OP em 2010, de acordo com critérios usados para o Censo.

Inaugurado o Centro de Referência da Pessoa com Deficiência

Deficientes ganham novo ponto de encontro em Embu.

O prédio leva as mesmas cores das escolas municipais recém-reformadas e se localiza no número 336 da Rua Solano Trindade, no Centro. O novo espaço das pessoas com deficiência produz e divulga suas informações; monitora e avalia as políticas públicas voltadas para o setor; articula os agentes públicos e a sociedade civil envolvidos com o segmento; e, ainda, é um laboratório para ações e práticas formativas. O secretário de Participação Cidadã, Pedro Pontual, afirmou que o Centro de Referência servirá de complemento às atividades do Centro de Convivência, inaugurado em março. A coordenadora do Centro de

14

Outubro/2009

Referência da Pessoa com Deficiência, Janaína Ferreira Borba, ressaltou a importância de consultar os deficientes durante a reforma do prédio. “O Paulinho – da Associação para Emancipação dos Deficientes de Embu – aprovou a rampa.” O local possui banheiros adaptados e identificação dos espaços em braile. Ela informou que este mês começa o curso de Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). Em dezembro, o Centro Educacional para Deficientes Armando Vidigal, no Jardim São Marcos, será reformado. Além disso, existe um projeto de padronização das calçadas para facilitar a locomoção das pessoas com deficiência.

O Fórum do Orçamento Participativo: participação popular na gestão democrática.

Obras por toda a cidade

Os integrantes do OP queriam saber sobre as obras da cidade – as realizadas e as em andamento, programadas para 2010. Foram informados que até o final do ano serão entregues a praça do Jardim dos Moraes, a drenagem e urbanização da Avenida Realismo e a canalização e urbanização em trechos dos Jardins Santa Tereza e Santa Emilia. E, no início de 2010, a Escola Técnica de Embu, 60% financiada pela Prefeitura, e o corredor de ônibus da Avenida Rotary.

Sobre as falhas na iluminação das vias da cidade, a Prefeitura assegurou que abrirá licitação para que uma nova empresa faça a manutenção da rede elétrica do município, substituindo a Eletropaulo. Também foi anunciada a assinatura de um convênio com o Ministério da Cultura para a implantação de oito núcleos culturais até 2012 – um deles prometido para o Capuava. O projeto envolve oficinas de música, aulas de teatro e canto, entre outras atividades.

Audiência discute rumo orçamentário No auditório do Centro Cultural Mestre Assis do Embu foi realizada a Audiência Pública do Orçamento Participativo, com a apresentação da proposta plurianual de investimentos (20102013) e da lei orçamentária anual (2010). Ambas foram encaminhadas à Câmara no dia 30 de setembro, que terá até dezembro para analisar, discutir, propor emendas e aprová-las. A audiência contou com delegados e conselheiros do Orçamento Participativo (CMO) e a população que, mesmo com a forte chuva, encheu o auditório – foi uma chance para ela opinar sobre os rumos do município. A jovem Luciléia Oliveira, 27 anos, foi ver como era uma audiência. “Vim para ficar ciente das ações do governo”. Júlio César, 22 anos, já participou de outras audiências: “Estive na que tratou

Orçamento de 2010: R$ 268 milhões.

da ‘Lei do Silêncio’, mas do Orçamento Participativo é a primeira vez. É a oportunidade de as pessoas conhecerem mais e interagir”. O secretário Pedro Pontual ressaltou que “mais importante do que a audiência do orçamento é acompanhar as execuções previstas nele”. Para 2010, mais de 50% dos recursos são próprios, 35,96% são de convênios federais e o restante virá de outras fontes. O montante perfaz o valor de R$ 268 milhões, seis milhões e meio a mais que as despesas previstas.

PPA e LOA O Plano Plurianual, ou PPA, traça as diretrizes orçamentárias do governo pelo período de quatro anos. Ele é feito no primeiro mandato de cada prefeito e é válido para os quatro anos subsequentes.” Já a Lei Orçamentária Anual (LOA) mostra as receitas que o governo planeja arrecadar no ano seguinte e determina os gastos e investimentos que serão realizados a partir dessa receita estimada.


Orientação Urbana

Lei do Silêncio faz barulho

Audiência pública que tratou da lei da Poluição Sonora foi no Centro Cultural Valdelice Prass. Estiveram presentes o prefeito Chico Brito, o vice-prefeito Natinha, vereadores e representantes de igrejas e do comércio, interessados em discutir os limites para a propagação do som na cidade. Na ocasião, foram apresentadas imagens ilustrativas num telão sobre as condições técnicas e situações em

que o abuso do barulho se torna prejudicial à saúde – o registro crescente de chamados à Guarda Civil Municipal para atendimentos de perturbação da paz atesta a urgência da lei. Esse foi um dos fatores principais para se propor a audiência pública, conforme justificou o ouvidor-geral, Marcos Rosati:

Manacá-da-serra: árvore símbolo de Embu

“A medida vai favorecer não só a saúde pública, mas também a cidadania”. A lei proposta pelo Executivo terá ampla discussão com a população e com os vereadores. O objetivo é garantir a saúde das pessoas, pois o abuso dos limites da audição compromete física e mentalmente. Em novembro, ela será remetida à Câmara.

Meio Ambiente

Ela venceu a eleição realizada na internet e em urnas no Parque Rizzo e nas Escolas participantes do projeto Maquete ECO. O manacá-da-serra recebeu 415 de um total de 956 votos. A grumixama, que estava em terceiro lugar na preferência, ficou em 2º lugar, com 295 votos e, em terceiro, a chuva-de-ouro recebeu 246. O anúncio foi feito durante o Seminário Áreas Verdes de Embu, em setembro.

Manacáda-serra

Chuvade-ouro

Grumixama

Total

Site

147

37

73

257

Parque Rizzo

69

55

62

186

Projeto Maquete Eco

199

154

160

513

Total Geral

415

246

295

956

Manacá-da-serra agora é embuense.

Árvore e reflexão

Lição velha de guerra; respeito à natureza.

Cerca de 180 pessoas, a maioria jovens estudantes do ensino médio, acompanharam as palestras dos professores Geraldo Daher Corrêa Franco, biólogo do Instituto Florestal, e Rose Mary Reis Duarte, da pósgraduação da Universidade São Judas, no seminário Áreas Verdes de Embu, realizado no dia da árvore (21 de setembro), no Parque do Lago Francisco Rizzo, que enfocava a importância da proteção ao meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da cidade. Levados a refletir sobre o meio ambiente, os estudantes criaram

reproduções em miniatura da riqueza e da destruição da natureza, no projeto Maquete ECO, expostas durante o evento. Daher destacou a importância dos biomas brasileiros – Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Pantanal e Campos Sulinos. Inserido na Mata Atlântica, o município de Embu das Artes possui vegetação florestal do tipo ombrófila, isto é, uma floresta “amiga da chuva”, sempre verde e típica de regiões mais altas. Em todo o Estado de São Paulo estima-se que restem apenas 10% a 13% da cobertura vegetal nativa. “Temos

um mar de fragmentos de vegetação. A maior parte está em unidades de conservação” – disse o biólogo. A área da Reserva Florestal do Morro Grande, entre Embu e Cotia, é um exemplo. Ainda segundo Daher, há alta riqueza e presença de espécies ameaçadas e não preservadas no entorno da reserva. Já Rose abordou temas como a biodiversidade, vital para a preservação do equilíbrio ambiental. “Quanto maior a biodiversidade, maior a sustentabilidade do meio ambiente” – explicou ela.

Outubro/2009

15


Flagrantes do nosso sucesso

Que o pessoal gosta do Jornal da Cidade, tudo bem. Mas, caramba, duas pessoas pegando carona na mesma notícia é demais! Só deixaram barato na página das palavras cruzadas. Desse jeito, a gente tem de duplicar e dizer 100 mil vezes muito obrigado!

O Rio de Janeiro continua lindo. Agora, a cidade está olimpicamente bela. E o Cristo Redentor a redime de tudo nos traços dos cartunistas - do Globo, da Veja, do Estadão. Deus salve o Rio.

Cruzadas

Palavras 1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

Sudoku 8 9 6 5 4

3 2 4

2

3 7 2 9 6

3

4

5

2 9

1 8 5 2 3

7 4

3 9 1 8 6

3 7 2

6

Respostas

7

9 8 7 6 5 4 3 2 1

2

3

4

5

6

7

8

9

T I V O I S T I E L T T O I E U V R E T A R E E R I N O R A S A

10

11

12

13

D A L I N O V A 14

P A N T O M I M A S

15

Sudoku 8 5 7 3 2 1 9 6 4

1 4 2 7 9 6 8 5 3

9 6 3 8 4 5 1 2 7

6 8 9 5 1 7 3 4 2

5 7 1 2 3 4 6 8 9

3 2 4 9 6 8 5 7 1

2 3 5 6 7 9 4 1 8

4 9 6 1 8 2 7 3 5

7 1 8 4 5 3 2 9 6

Outubro/2009

A R G U M E N T A I

1. Estância do bairro 5 do Orçamento Participativo de Embu • 2. Flagelo terrível • 3. Chefe etíope • 4. Peixe de água doce da América do Sul; Sigla do Amazonas • 5. É, em inglês; Inalada no cigarro • 6. Faixa, normalmente de couro, que cinge o meio do corpo; Nome comum de hotéis alemães • 7. Sigla da International Standardization for Organization; Palavra com que se designa pessoa, animal, coisa • 8. Partido Comunista; A arte do final do século vinte; Núcleo de Prestação de Serviço • 9. Apresentai argumentos • 10. Pronome da segunda pessoa do singular; Terrestre • 11. Instituto Superior de Educação Ocidente • 12. Vidros Temperados e Laminados; Órgão onde se geram os fetos dos mamíferos (pl) •13. Termo jurídico para audiência; Raiva • 14 Que tem pouco tempo de existência; Salvador, pintor espanhol • 15. Expressão por meio de gestos (pl)

I P S C O P N O O P M E N P A S

Vertical

R T I C I S I E L N A T T P R O I A R A G E A A T S A D O M A L

1. O Orçamento de Embu das Artes • 2. Número do computador; Bairro de Embu, da Região do São Marcos-Pirajuçara • 3. Nome de um compositor brasileiro; Parte mais dura da madeira; (...) John, artista inglês • 4. Depois de Cristo; Empresa de Telégrafos americana; Garoto (em Portugal); Instituto Virtual do Turismo • 5. Vogais que formam o feminino; Palavra que substitui ou acompanha um substantivo; Super uva • 6. Espécie de Renault Clio; Caminhava; Gênero Leve de Teatro Musicado • 7. Sopro de vento agradável; Norma Regulamentadora; Departamento de Informática • 8. Movimento de Pequenos Agricultores; Se Ligue; Gargalhavam • 9. Que se assou; Nome dos Jogos Americanos; Caminho marítimo • 10. País malaio; Compostos que provêm dos ácidos.

A P O C A L I P S E

Horizontal

P I N D O R A M A

10

10

9

16

Cruzadas

Palavras

8


Jornal da Cidade • Outubro de 2009