Issuu on Google+

Dia Mundial da Alimentação

Nesta edição

Inauguração do Centro Escolar de S. João

• • • • • • •

Notícias Atividades do Agrupamento Cursos Profissionais Desporto Escolar Aguarelas do Tempo Atividades do Agrupamento Curso Vocacional

• • • • • • •

Educação para a saúde Acontece na Biblioteca Clube de Saberes e Sabores Clube Descoberta Oficina do Ambiente Cineclube Deco Jovem


2 | reflexos | janeiro 2014 | notícias do agrupamento

notícias do agrupamento | janeiro 2014 | reflexos | 3

CENTRO ESCOLAR DE S. JOÃO Escola Básica dos Enxertos

Dia de S. Martinho

Patrulha da Energia

No dia 11 de Novembro, comemorou-se o S. Martinho no Centro Escolar de S. João (EB Enxertos). A festa começou logo pela manhã, com um programa cheiinho de surpresas, onde não faltaram canções, danças, provérbios, adivinhas e, como manda a tradição, a dramatização da famosa lenda de S. Martinho, o episódio mais conhecido do milagroso cavaleiro, aquele em que partilha a sua capa com um mendigo e trouxe o verão aos dias cinzentos de outono. À tarde, algo de mágico aconteceu, fizemos uma fogueira onde assamos algumas castanhas, participamos em jogos tradicionais e enfarruscamo-nos uns aos outros.Cinco estrelas!

O Centro Escolar de S. João (EB Enxertos) escola veste as cores do ambiente. Associados, à sua defesa, criamos a “Patrulha da Energia”. É um modo de organização, através do qual, a gente pequena aprende a poupar, a gerir e a pensar no dia de amanhã. Uma disciplina perfeita! As situações “levadas da breca” são penalizadas com cartão vermelho. Excelente trabalho! Fiquem atentos, as nossas patrulhas andam por aí...

Inauguração do Centro Escolar de S. João No dia 11 de setembro, foi inaugurado o

Centro Escolar de S. João (EB Enxertos). O edifício totalmente remodelado e irreconhecível abriu portas para uma cerimónia solene. Para todos os amigos que partilharam connosco este momento, o nosso muito obrigado. Obrigada pela vossa presença, pelo vosso sorriso, pela vossa gentileza, pelos vossos elogios… Temos um caminho a percorrer… mas só fará sentido com a vossa luz. Contamos convosco!

“De Barriguinha Cheia”

Presidente da Câmara Municipal e Diretor do Agrupamento descerram a lápide comemorativa

Perspetivas da inauguração

Escritora Palmira Martins visitou a nossa escola Para comemorar o dia das Bibliotecas Escolares, no dia 28 de outubro, recebemos a escritora Palmira Martins. Concluiu o curso do Magistério Primário em 1973 e a Licenciatura em Ensino - 1º CEB, em 2000. Escreve para a Infância desde 2009. Desde criança que sente uma atração especial por livros. Fazendo parte de uma família numerosa, onde para estudar já exigia muitos sacrifícios aos seus progenitores, os únicos livros que tinha em casa eram os compêndios escolares. Compensava essa falta com a frequência assídua à carrinha da “Biblioteca Itinerante da Gulbenkian” que, à época, passava na aldeia. Outra forma de conseguir ler as histórias que a encantavam era, de longe a longe, juntar os 60 centavos necessários para adquirir um livro de bolso da coleção formiguinha, da Majora. Foi por esse meio que tomou contacto e se encantou com o mundo mágico das fadas, princesas, reis e rainhas, bruxas, anões ou gigantes desse mundo mágico da literatura infanto-juvenil. Encantou com o “Grilinho Tenor” e a “Lagarta Serafina”. Adoramos! Obrigada!

Durante o mês de Outubro o Centro Escolar de S. João (EB Enxertos) e Rotary Kids Vizela dinamizaram a campanha “De Barriguinha Cheia”, que beneficiou o PAV (Plano Alimentar de Vizela). Foi nosso objetivo promover ativamente esta ação de responsabilidade social, integrando de forma voluntária preocupações sociais, e contribuindo assim, para um espírito solidário e uma sociedade mais justa. A nossa campanha foi um sucesso! Aos que nos ajudaram a dar vida a este projeto, o nosso muito, muito obrigada. Uma criança “De Barriguinha Cheia” não morre de fome. “Ninguém é tão pobre, que não possa ajudar, nem tão rico, que não necessite de ajuda.”

A equipa que participou na campanha Barriguinha Cheia

Palestra “Dentinho de Leite” No dia 5 de dezembro o médico dentista Simão Pedro Pacheco esteve no Centro Escolar de S. João para a palestra “Dentinho de Leite”. O debate foi protagonizado juntamente com os alunos do 2ºC e serviu para dar a conhecer aos mais pequenos todos os cuidados que estes devem ter com os seus dentes e, sobretudo, para desmistificar o medo do dentista. Numa nota enviada para a Comunicação Social, lê-se que “o cuidado com a dentição é sinónimo de um sorriso lindo e saudável” e que “os dentes de leite servem como guia para a fixação correta da dentição permanente além de auxiliar a mastigação e o desenvolvimento da fala”.

Alunos do 2º C com o Dr. Simão Pedro Pacheco


4 | reflexos | janeiro 2014 | notícias do agrupamento

Escola Básica e Jardim de Infância do Monte Tozé Carvalho visita o Rafael O jogador da equipa B do Futebol Clube do Porto e representante de Portugal na seleção, Tó Zé Carvalho, teve conhecimento através de familiares do problema que estava a afetar o aluno Rafael da escola do Monte. Na altura estava em Israel ao serviço da seleção, mas logo que regressou mostrou-se bastante sensibilizado e quis oferecer pessoalmente uma camisola autografada ao menino. Assim foi, no passado dia vinte e dois de novembro, o Rafael foi surpreendido com uma visita muito especial. O Tó Zé deslocouse a Vizela acompanhado pela sua namorada e visitou o Rafael. Não há palavras para descrever a emoção e alegria estampadas no rosto do menino. Também o Tó Zé ficou bastante emocionado e feliz por ter contribuído para este momento de felicidade. Este jogador teve um gesto digno de louvor, mostrou que para além de ótimo profissional é um excelente ser humano. Dora Carvalho- EB Lagoas

Salame de Chocolate

Ingredientes 100g de manteiga 100g de açúcar 100g de chocolate em pó 1 ovo 200g de bolacha Maria Modo de preparação Passe a bolacha pela máquina de picar. Amasse muito bem a manteiga com o açúcar, misture o ovo e bata muito bem. Junte o chocolate, volte a mexer bem e, por fim, as bolachas moídas. Faça com preparado um rolo, semelhante a salame, e enrole-o em papel prata. Antes de servir cortar em fatias. BOM APETITE! Turma do 3º ano EB Monte

Lembrança de Natal

notícias do agrupamento | janeiro 2014 | reflexos | 5

Dia de S. Martinho na EB do Monte Na nossa escola comemoramos sempre o dia de S Martinho. De manhã trabalhámos sobre este dia. Logo após ao recreio ensaiámos a peça que iríamos apresentar. Às duas horas fomos para o polivalente para atuarmos. Decorreu muito bem. Depois, em grupo, fomos para o recreio fazer atividades. O mais divertido foram os jogos tradicionais que eram: rebentar o balão, apanhar a bolacha em prato de farinha, acertar nas latas, o jogo da colher, corrida de obstáculos, macacas… O mais importante foi a nossa fogueira que estava uma maravilha! Enfarruscamo-nos e também comemos muitas castanhas e bebemos sumos. Foi muito divertido e passámos uma tarde fantástica.

Vida fantástica Caem folhas folhas de outono outono colorido colorido como o arco-íris arco-íris com sete cores cores brilhantes brilhantes como o Sol Sol que aquece o mundo mundo onde nós vivemos vivemos felizes felizes dos pés à cabeça cabeça onde imaginamos imaginamos o futuro futuro que é fantástico fantástico é escrever escrever este poema.

Turma D-4º ano E B Monte

“Corre, Corre Cabacinha” Ajuda a Avozinha a escolher o itinerário para chegar segura a casa. “Corre, Corre Cabacinha” Ajuda a Avozinha a escolher o itinerário para chegar segura a casa.

Turma B – 2º ano da EB Monte Turma do 1º ano, EB Monte.


6 | reflexos | janeiro 2014 | notícias do agrupamento

Escola Básica e Jardim de Infância Maria de Lurdes Sampaio Melo S. MARTINHO E FEIRA DE OUTONO

notícias do agrupamento | janeiro 2014 | reflexos | 7

EB Maria de Lurdes ostenta pela décima terceira vez a Bandeira Verde A EB Maria de Lurdes, em Santo Adrião de Vizela, ostenta mais uma vez a Bandeira Verde. O galardão foi hasteado no estabelecimento de ensino, símbolo da existência de boas práticas ambientais no espaço escolar e na sensibilização da comunidade. No passado dia 17 de dezembro realizou-se a cerimónia, envolvendo alunos, professores, assistentes operacionais, representante da Câmara Municipal de Vizela, Presidente da Junta de Freguesia de Santo Adrião, Presidente da Associação de Pais e adjunto da direção do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela. As várias entidades manifestaram a disponibilidade em colaborar com a escola no desenvolvimento das iniciativas contempladas no projeto Eco-escola. Como todos sabemos, a colocação da Bandeira Verde constitui um compromisso associado ao interesse da escola em ser um exemplo de cidadania para a restante comunidade. É importante salientar que este galardão exige um empenhamento por parte de toda a comunidade educativa, que está de parabéns, pois com o seu trabalho e envolvimento obteve esta conquista. O nosso muito obrigado.

Visita do Sr. Bispo à EB Maria de Lurdes Sampaio Melo No passado dia 8 de novembro, a EB Maria de Lurdes, em Vizela-Santo Adrião, com a colaboração da Associação de Pais e Amigos da Escola Maria de Lurdes, promoveu pela segunda vez uma “Feira de Outono”, aberta a toda a comunidade, e o “Magusto Escolar”. Na “Feira de Outono” foi possível adquirir doces da época e produtos hortícolas, entre outros, verificando-se uma grande adesão da comunidade. Nesse mesmo dia, realizou-se o “Magusto Escolar”, promovendo um excelente convívio entre a comuni-

dade escolar, dando continuidade à tradição. Esta atividade foi continuada pela Associação de Pais no dia seguinte, dia 9 de novembro, onde foi possível saborear castanhas, bolo de carne e sardinhas, caldo verde, bifanas, entre outros… A EB Maria de Lurdes agradece a boa colaboração da Associação de Pais e de toda a comunidade envolvida, que possibilitou o desenvolvimento destas atividades, permitindo angariar verba para auxiliar a concretização de outras atividades escolares.

Festa de Natal da EB Maria de Lurdes Na passada sexta-feira, dia 13 de dezembro, realizou-se a “Festa de Natal” da EB Maria de Lurdes, nas instalações do salão paroquial, em Santo Adrião, Vizela. A Festa de Natal envolveu os docentes, os discentes, as assistentes operacionais, um representante da CAP do agrupamento, a vereadora da educação da câmara municipal, Dr.ª Dora Gaspar, o presidente da associação de pais, Sr. António Monteiro, o presidente da junta de freguesia, Dr. Carlos Magalhães, a componente do apoio à família e a grande maioria dos encarregados de educação. Na festa assistiu-se a um conjunto diversificado de expressões artísticas, à entrega de presentes aos alunos, realizada pela junta de freguesia e pelo “Pai Natal” da associação de pais, assim como, desenvolveu-se um lanche convívio, dinamizado também pela Associação de Pais. Verificou-se um ambiente de entusiasmo e interesse por parte de todos os intervenientes, salientando-se a boa articulação existente entre os envolvidos na festa, o que permitiu e enriqueceu o convívio e a alegria das crianças.

No dia 12 de novembro, a EB Maria de Lurdes Sampaio Melo, Santo Adrião, foi visitada pelo Sr. Bispo D. António Taipa, acompanhado pelo Sr. Padre Filipe, pároco da freguesia de Santo Adrião. O Sr. Bispo foi recebido por várias entidades presentes, entre as quais o Diretor Dr. Abílio Costa e Adjunto da Direção Prof. Victor Fernandes do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela, a vereadora da Educação Dr.ª Dora Gaspar, o Presidente da Associação de Pais da EB, Sr. António Monteiro, o Presidente da Junta de Freguesia, Dr. Carlos Magalhães e os docentes da EB Lagoas. De seguida, D. António Taipa percorreu um colorido e ornamentado tapete até uma sala, onde foi felicitado pelos alunos, professores e auxiliares com uma canção de boas vindas. Seguiuse um breve diálogo com os alunos, a visita às instalações da escola e um almoço convívio com todos os presentes. No final, foram feitas ofertas ao Sr. Bispo e ao Sr. Pároco. O corpo docente da escola agradece a boa colaboração com a Associação de Pais, com a Junta de Freguesia e outras individualidades, que muito contribuíram para o sucesso desta atividade.


8 | reflexos | janeiro 2014 | notícias do agrupamento

notícias do agrupamento | janeiro 2014 | reflexos | 9

Escola Básica da Devesinha

A maior flor do mundo um livro de José Saramago

Escola Básica da Devesinha hasteou mais uma Bandeira Verde No dia 7 de novembro, a Escola Básica da Devesinha hasteou mais uma Bandeira Verde, a sexta bandeira. Esta cerimónia decorreu no pavilhão do CCD e contou com a presença do presidente da Câmara, Dinis Costa, o presidente da Junta, Manuel Pedrosa, o presidente da Associação de Pais, Armindo Ribeiro, elementos da Direção do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela, nomeadamente o Diretor Abílio Costa e o adjunto Victor Fernandes, encarregados de educação, familiares e amigos. A professora Paula Pacheco, coordenadora da escola, procedeu à abertura da cerimónia, agradecendo a presença de todos, passando, logo de seguida, a palavra aos apresentadores, alunos do 4.º ano, que, em nome de toda a escola, deram as boas-vindas aos presentes e explicaram o motivo da cerimónia, referindo que a Bandeira Verde é um dos prémios que a Escola da Devesinha recebe ao desenvolver com empenho e entusiasmo o Projeto Eco-Escolas. Com esta cerimónia, a escola pretendeu homenagear todos aqueles que têm colaborado na defesa do ambiente, referindo todos os que trabalham diretamente com a escola, nomeadamente, os alunos, os assistentes operacionais, os professores, a Direção, a Junta de Freguesia, a Câmara Municipal e também os encarregados de educação, familiares e amigos que, notavelmente, se envolveram e contribuíram decisivamente para o desenvolvimento do projeto. Após a visualização de um vídeo representativo das atividades desenvolvidas no âmbito deste projeto, no ano letivo 2012/2013, com a ajuda dos encarregados de educação, familiares e amigos,

a escola levou a cabo a ideia de realizar um desfile de moda, com roupas construídas com materiais de desperdício. Esta iniciativa teve como objetivo mostrar as diferentes formas de utilizar o “lixo” e alertar e sensibilizar os mais distraídos, para a importância da reciclagem. O sorriso estava estampado no rosto de todos pois, de uma forma tão criativa e divertida, as crianças animaram aquela tarde com uma alegria contagiante. Seguidamente, apresentou-se o programa “Patrulha da Energia” cujo principal objetivo é a poupança de energia e água. Os apresentadores explicaram que com este projeto é possível, de uma forma prática, desenvolver uma experiência educacional e de sensibilização ambiental. De forma a agilizar a implementação deste projeto, oficializou-se esta iniciativa com a apresentação dos alunos responsáveis pela patrulha e com a assinatura do documento de compromisso de honra. No final, já no exterior da escola, os alunos, em fila e devidamente organizados, fizeram passar a bandeira encaminhando-a, assim, até ao local onde foi hasteada e aplaudida. Por último, num ambiente de festa, todos os presentes tiveram a oportunidade de saborear um grande bolo, oferecido pela Associação de Pais. Cumprida esta cerimónia, a escola da Devesinha tem agora outros projetos a concretizar, que visam sensibilizar para a educação ambiental. Esta cerimónia foi, certamente, um grande momento de partilha e divulgação, para com a comunidade educativa, das muitas ações que a escola tem vindo a dinamizar.

Comemoração do Dia da Floresta Autóctone No âmbito da comemoração do Dia da Floresta Autóctone, a nossa escola promoveu atividades de elaboração de cartazes que tinham como principal objetivo alertar e sensibilizar a comunidade local para a importância da conservação das florestas formadas por árvores nativas. Assim, o pátio da nossa escola serviu de exposição a todos os trabalhos desenvolvidos por todas as turmas. Consideramos que foi muito importante explorar este tema que nos inspirou e entusiasmou a ler mais sobre o assunto, a escrever textos, a ilustrar cartazes alusivos ao tema e a partilhar os conhecimentos adquiridos com a pesquisa de informação. 2.º B

O Natal O Natal é maravilhoso Maravilhoso é receber os presentes Presentes sempre partilhados Partilhados em cada dia Dia em que somos todos amigos Amigos cheios de felicidade Felicidade das crianças Crianças imensamente bonitas Bonitas são as tradições Tradições variadas e deliciosas Deliciosas são a bondade e a alegria Alegria vivida nesta época de Natal Natal que eu adoro e que é fantástico! José Pedro Costa – 3.º D

Era uma vez um menino Que gostava de passear Percorria campos e bosques Sem nunca se cansar. Um dia resolveu Explorar um novo caminho Andou, andou, andou Sentia-se feliz, sozinho. Numa charneca avistou Uma colina redondinha Resolveu subir a encosta E viu uma flor murchinha. Decidiu naquele momento Que tinha de a salvar Foi ao rio vinte vezes Buscar água para a regar.

Os pais preocupados Foram á sua procura Encontraram-no a sonhar Com a sua grande aventura.

Aquela flor transformou-se Na maior flor do mundo E o menino de tão cansado Caiu num sono profundo.

O menino era um herói Para toda a sua aldeia Salvar aquela incrível flor Foi uma fantástica ideia

Era uma vez um menino que saiu do seu quintal e foi passear sozinho. Foi na direção do rio mas cortou a direito pelos campos e bosques. Ele ia muito feliz… Andou, andou, andou e viu uma colina redonda como uma tigela voltada. Resolveu subi-la e, lá em cima, viu uma flor murcha. Tinha que a salvar… Ela precisava de água mas o rio estava tão longe! O menino não desistiu e foi vinte vezes ao rio. De cada vez só conseguia dar à flor três gotas de água que trazia nas mãos. A flor foi crescendo, crescendo… Já parecia uma árvore! O menino ficou cansado e acabou por adormecer à sombra da flor. Ela quis agradecer-lhe e cobriu-o com uma das suas pétalas. As horas passaram e os pais ficaram preocupados. Foram à sua procura e só o encontraram ao fim da tarde, a dormir. Ficaram espantados ao ver aquela flor enorme! O menino conseguiu salvar aquela flor. Todas as pessoas da aldeia acham que ele é um herói! Ana Carolina Cunha, Francisco Alves Pedro Caldas 4º F

«Os Escritonautas» 4ºF: Rui, Diana F., Beatriz, Diogo e Francisco

Água é fonte de vida

Água é fonte de vida Água é essencial Precisamos muito dela Viver sem ela é fatal!

Água é fonte de vida Eu quero mergulhar Nos dias de calor, É tão bom refrescar!

Água é fonte de vida Que sede! Vou beber… Vou regar aquela planta Para ela não morrer!

Água é fonte de vida Serve para energia criar Ela é tão valiosa Que vou ter que a poupar!

O segredo da Lagarta Serafina de Palmira Martins A toupeira explicou Que uma razão havia Para aquela lagarta Comer de noite e de dia Ela tinha um segredo Estava quase a revelar Noutro lindo inseto Se iria transformar

«Os Tagarelas»: Henrique, Nuno, Diana Ribeiro e Rafael |4º F

O Grilinho Tenor de Palmira Martins

Os bichos não sabiam Como isso era possível Também queriam transformar-se Isso seria incrível!

O Grilinho Tenor Que cantava ao anoitecer Cantava tão bem Que o menino o queria ter

O Grilinho Tenor Conseguia falar Explicou ao menino O que se estava a passar

O Grilinho Tenor O menino apanhou Cantava tão bem O menino adorou

O Grilinho Tenor O menino libertou Nos Festivais de Verão Ele participou

A Lagarta Serafina Estava sempre a comer E as folhas do maracujazeiro, Estavam a desaparecer

Todos queriam que a toupeira Ficasse a ser professora Ela aceitou mas pediu Ajuda à cotovia cantora

O Grilinho Tenor Parou de cantar Preso estava infeliz Só queria chorar

O Grilinho tenor Conseguiu a liberdade E com este menino Fez uma nova amizade

Os outros animais Que viviam no jardim Ficaram preocupados Por ela comer assim

Estavam todos na escola Quando à porta alguém bateu -Quem será? – perguntaram. -Sou a Serafina.– respondeu.

A comida ia acabar A lagarta ficava obesa Isso traria problemas Com toda a certeza

A transformação da Serafina Deu-lhe uma nova vida Já não era uma lagarta Era uma borboleta colorida!

O menino achou Que ele estava a mudar Ficou totalmente mudo Ninguém o ouvia cantar

«Os Golfinhos»4º F: Beatriz, José Lucas, Nelson Freitas


10| reflexos | janeiro 2014 | notícias do agrupamento

notícias do agrupamento | janeiro 2014 | reflexos | 11

Poesias de Natal

A Formiga Rabiga Era uma vez uma formiga chamada Rabiga, que era tratada por Formiga Rabiga. Ela morava num formigueiro à beira do celeiro. A Formiga Rabiga sonhava ser branquinha como a neve. Todos os dias olhava para o espelho e dizia: - Que linda eu seria se fosse branquinha e não preta como a noite! Certo dia encontrou, no celeiro, um monte de farinha. Decidiu esfregar-se nele. Assim, ficou branquinha como a neve e foi dar um passeio. Pelo caminho encontrou outras formigas mas, antes de poder cumprimentar alguém, uma das formigas disse: - Que belo naco de farinha, olhem só! - Deve ser delicioso! Vamos levá-lo! – exclamou outra formiga. - Que boa decisão! – disseram em conjunto. Pegaram na Rabiga ao colo… Mas, aflita, a Formiga Rabiga disse: - Não, não… não sou farinha! Sou formiga, sou formiga! - Não, não és! És branca e as formigas são pretas! - Mas a farinha não fala e eu sim!... As formigas refletiram e, com medo, atiraram a formiga ao chão. A Rabiga ficou aleijada e a coxear. A Formiga Rabiga percebeu que ser branquinha estava a darlhe muitos problemas…

O Magusto da nossa escola Ontem, dia 11 de Novembro, realizamos o magusto escolar. Este ano foi mesmo no dia de S. Martinho! De manhã, dramatizamos e fizemos a banda desenhada de S. Martinho. Construímos os nossos”cartuchos” com garrafas de plástico e decoramo-los com castanhas de papel. Reutilizamos materiais porque somos eco-estudantes. De tarde, divertimo-nos imenso com vários jogos:”tiro ao alvo”;”corrida de sacos”;”salto à corda”;”acróstico”;”canção”e”dança de roda”. Finalmente, fizemos uma fogueira onde assamos algumas castanhas. Mas a maior parte delas foi assada na padaria. Muitas crianças saltaram a fogueira e enfarruscaram as caras. Este magusto foi especial para nós porque somos finalistas! Foi um dia de tradição e de muita diversão!

Dia de S. Martinho No dia de S. Martinho Foi o magusto escolar Desenhamos, dramatizamos De tarde, fomos brincar.

Depois de muito brincar Comemos as castanhinhas Estavam deliciosas Adorámo-las quentinhas!

Fizemos imensos jogos Saltamos a fogueira Enfarruscamos as caras Foi um dia “à maneira”.

Nós que somos finalistas Vamos sentir saudades Destas festas da escola E das nossas amizades.

Feliz Natal! E todos ficam divertidos! Lindas luzes a brilhar Iluminam as ruas. Zlim, zlão, zlim, zlão!... Tocam os sinos. Nesta época natalícia, Andamos todos contentes. Temos alegria e amor, Até na hora dos presentes. Lindo é o aniversário de Jesus! Inês Leite – 3.º D

A escritora Palmira Martins visitou a nossa escola - Pensando melhor, acho que quero voltar a ser preta! No caminho para casa, encontrou uma bacia, lavou o corpo todo e voltou a ser preta. Mas, de repente, começou a espirrar bastante, estava constipada… Teve de ficar na cama muitos dias e aprendeu a lição… Matilde Pereira Gaspar - turma D – 3.º ano

Natal!... É Natal! A felicidade chega... Temos e recebemos presentes. A família reúne-se toda. Lá vem o trenó do Pai Natal! Metemos as meias na lareira. Assim temos mais presentes. Rimo-nos às gargalhadas. As luzes enfeitam a casa. Vem aí o Pai Natal! Iremos festejar sempre o Natal! Lareiras acendem-se luminosas. Haverá mesmo presentes este ano?! Oh, que pena, se não houver! Sim!... Também acho! O Natal é tão maravilhoso e amoroso! Francisca Ribeiro – 3.º D

Eu adoro o Natal! Porque traz a união, o respeito e a cooperação. Eu adoro o Natal! Porque as pessoas são carinhosas e tornam-se mais amorosas. Eu adoro o Natal! Porque é uma festa incrível! Estamos todos reunidos, sentimos grande alegria e somos verdadeiros amigos. Maria João Carneiro – 3.º D É Natal! É Natal! Nasceu Jesus Menino. Alegria sem igual!... Toca, bem alto, o sino. Aqui está o Salvador, Luz, vida e amor! Rodrigo Rocha – 3.º D O Natal é maravilhoso! Tem muito brilho e um Pai Natal amoroso. O Natal é magia, alegria, paz e carinho. É sorrir e sentir harmonia. O Natal é ser carinhoso, é ser bastante solidário e ter um coração fabuloso! Simão Pedro Peixoto – 3.º D

O carro do senhor Camilo não anda

O carro do senhor Camilo não anda é o título de mais um conto que faz parte da coletânea de “Histórias Extraordinárias e Estapafúrdias de Vizela” que o autor vizelense José Lopes Videira escreve. Esta história tem por base a história do senhor Camilo que, quando lhe saiu a lotaria, realizou um dos seus sonhos: ter um táxi igual ao que teve o seu padrinho. Então, o senhor Camilo comprou o táxi e estacionou-o na praça de táxis da nossa célebre Praça da República. E, com ele, desejava prestar os melhores serviços aos vizelenses. Mas, o carro, insistentemente, liga, mas não anda, como nos diz o autor. É à volta deste facto que a ação se desenrola, tendo como personagens, como não poderia deixar de ser nos contos do Sr. Videira, vários vizelenses conhecidos de todos nós, ou, quem sabe, um de nós mesmo. Além disso, faz sempre referência a vários locais da cidade, sendo a Praça da República, neste caso, o local central. É um texto muito divertido, em que mais uma vez, a ficção e a realidade andam de mãos dadas, surtindo um belíssimo efeito. O desfecho da história é surpreendente… , descubram por que razão liga, mas não anda o carro do senhor Camilo. Parabéns, Sr.º Videira! Ana Isabel Oliveira

4º F – EB Devesinha A ilustração da capa foi realizada pelas netas do Sr. José Videira.


12| reflexos | janeiro 2014 | cursos profissionais

cursos profissionais | janeiro 2014 | reflexos | 13

Dia Mundial da Alimentação em Grande magazine do curso de técnico de auxiliar de saúde AIREV: uma instituição de mérito O 12.ºG visitou a AIREV em Vizela no dia 8 de Outubro de 2013 entre as” como objetivo a observação dos cuidados a ter com pessoas portadoras de deficiência, bem como as suas necessidades e atividades que realizam. As alunas tiveram também a oportunidade de conhecer as instalações, interagir com os utentes que frequentam a instituição bem como esclarecer as suas dúvidas. Pode constatar-se que todos aqueles utentes não necessitam apenas de tratamentos médicos ou cuidados de saúde, sendo pessoas mais vulneráveis e mais frágeis a nível emocional, precisam de atenção, carinho e apoio em “dose dupla”.

Dia Mundial da Alimentação no AECV

No âmbito do Dia Mundial da Alimentação entrevistámos a professora Fátima Gonçalves da Direção para a conhecermos melhor, mas sobretudo para conhecer as suas preocupações em relação à alimentação no Agrupamento. Para ouvir a entrevista na íntegra segue a ligação: http://bit.ly/19ZCIO1

ÍNDICE: Artigos de Interesse Especial Raio X à AIREV: uma instituição de mérito 1 A moda das bebidas DETOX 2 Entrevista 3 Dia Mundial da Alimentação 4 Editorial Esta é a primeira edição de um boletim de notícias do Curso Profissional de Auxiliar de Saúde de Vizela. Podem perguntar-se o porquê do nome “SALUZine”, é fácil explicar, “SALUS” advém de saúde em latim e “magazine” traduz uma ideia do que pretendemos com este boletim, mostrar aquilo que é feito no curso de uma forma personalizada.

Quer na escola básica, quer na secundária, dia 16 de outubro foi o mote para repensar a forma de nos alimentarmos. Foram realizados rastreios e distribuída muita fruta quer simples, quer sob a forma de batidos e espetadas, sempre com a colaboração de alunos. Na escola básica foi o 9.º D que dinamizou esta atividade. Na escola secundária o Curso Profissional de Restauração assumiu a responsabilidade e dinamizou as atividades deste dia. Fica um obrigado a todos quanto trabalham todos os dias para uma melhor alimentação dos alunos do Agrupamento.

Liliana Moreira e Luís Barata

A moda das bebidas DETOX Dezenas de blogues e sites dedicados ao assunto, vídeos de receitas no Youtube, celebridades que se passeiam pela rua de sumo verde na mão. Se lá fora se pode falar de um verdadeiro fenómeno, por cá ainda se estranha a mistura de frutas e raízes, vegetais cruas, ervas frescas e os chamados superalimentos bagas goji, camucamu, cacau cru, as algas clorela e spirulina, sementes de chia e erva trigo que ajudam a desintoxicar o corpo. Mas vai deixar de ser assim…. Sugerimos que investiguem as vantagens dos sumos que misturam muitas vezes alimentos improváveis a bem da saúde e até já deram origem a uma loja empreendedora em Lisboa e no Porto. Para saber mais consulte a Visão e comece já a experimentar com uma receita rápida destoxificante: 1 fatia de melão 1 fatia de ananás ou abacaxi Hortelã fresca 1 pedaço pequeno de gengibre 150 ml infusão de chá verde Bagas de goji Utilizar liquificador ou varinha. Ler mais: http://tinyurl.com/pmktyhq

Alunas do 9.ºD ajudaram a fazer batidos e espetadas de fruta na escola básica Alunos do 9.ºD realizaram rastreio de IMC, tensão arterial e percentagem de gordura e água na cantina da Escola Básica. Facebook Filomena Padrão


14| reflexos | janeiro 2014 | cursos profissionais

cursos profissionais | janeiro 2014 | reflexos | 15

Visita à AIREV

I ENCONTRO DOS ALUNOS

“Queremos ser iguais, quando a diferença nos inferioriza! Queremos ser diferentes, quando a igualdade nos descaracteriza” Boaventura Sousa Santos

No dia catorze de novembro, realizou-se o I Encontro dos alunos do Curso Profissional de Técnico de Auxiliar de Saúde das turmas 10º G, 11º F, 12º G, com o objetivo de partilhar informações e experiências da formação em contexto escolar e em contexto de trabalho. Este evento teve a colaboração dos alunos do Curso Profissional Técnico de Secretariado, que elaboraram e distribuíram os convites, certificados de presença, os cartazes de divulgação, a preparação do auditório e secretariaram a reunião. Contaram ainda com a colaboração dos alunos do Curso Profissional de Restauração, que no final do evento serviram um coffe break e proporcionaram um ambiente mais descontraído de convívio entre os alunos das diferentes turmas.

Curso Profissional de Técnico de Apoio à Saúde

Foi uma grande lição de vida numa hora: 1) Saber que há seres humanos que dependem totalmente da nossa ajuda, leva-nos a agradecer todos os dias as benesses que temos! E há sempre alguém pior OU muito pior que nós.... 2) Saber que existem outros seres humanos que ajudam incondicionalmente o nosso próximo é mais uma forma de reduzir os nossos problemas a questões de somenos importância! A AIREV é uma fonte de bondade, carinho e bem fazer e recebeu-nos com os braços abertos e acima de tudo com o coração! Só podemos dizer um grande “Bem-Haja” APRENDIZAGENS DE GESTÃO/TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Os relatórios que os aalunos realizaram sobre esta visita resumem alguns aspetos importantes: os serviços disponibilizados pela instituição, o papel da comunicação com estes utentes e algumas das pequenas vitórias que se conseguem com o apoio da comunidade. Mas espero que consigam ir mais além... conseguem “verse na pele” de uma auxiliar da AIREV? Que atelier gostariam de dinamizar? Gostariam de fazer voluntariado? Como seria um dia a trabalhar nesta instituição? Como era o tipo de liderança da Dr.ª Sara e da Dr.ª Rafaela? Como é feita a responsabilização dos colaboradores? Que desafios se levantam à ação de um profissional nesta casa?

Merece ainda destaque a definição muito clara de serviço social que se adequa às pessoas e famílias e não o contrário! Finalmente, ressalva-se a importância da integração dos utentes na comunidade e a constante frequência de atividades fora da instituição: devemos todos agradecer este esforço, pois muitas vezes as nossas vidas passam ao lado do que realmente é importante! OS PORMENORES... QUE FAZEM A DIFERENÇA.... Esta é a foto de um marcador que possui os dias de aniversário de cada um dos utentes/clientes/seres humanos que populam esta instituição! É nestes pequenos pormenores que se nota a importância das pessoas para a instituição! Quando é que as escolas/ os nossos locais de trabalho vão ter um quadro assim?

Instituto Português do Sangue explica o seu trabalho aos alunos No passado dia 5 de novembro tivemos nas instalações da nossa escola o Instituto Português do Sangue e Transplante -  IPST, IP que tem por missão garantir e regular, a nível nacional, a atividade da medicina transfusional e da transplantação e garantir a dádiva, colheita, análise, processamento, preservação, armazenamento e distribuição de sangue humano, de componentes sanguíneos, de órgãos, tecidos e células de origem humana. Podemos observar no dia da Sessão de Colheita uma das equipa multidisciplinares do Centro de Sangue e da Transplantação que se deslocou à nossa instituição para realizar a Colheita de Sangue. Seguiram-se as seguintes etapas que foram necessárias para que tal pudesse acontecer: Inscrição de Dadores -  existência de 1 mesa, 2 cadeiras e tomada elétrica para computadores portáteis; onde os dadores dão os seus dados para se candidatarem à doação de sangue. Triagem Clínica - existência de 1 mesa, 2 cadeiras e tomada elétrica para computadores portáteis. O local definido tem que garantir a privacidade da entrevista. Neste etapa os candidatos a dadores são vistos por um médico especializado que avalia o seu estado e decide se pode passar à etapa seguinte. Colheita de Sangue - existência de cadeira própria com

apoio de braço, balança automática/agitadora para o sangue. É importante que o chão não seja alcatifado (seja lavável). Esta é a fase da Sessão de Colheita que requer mais espaço. Nesta etapa os dadores fazem a doação, que corresponde a cerca de 470ml de sangue para ambos os sexos. É importante salientar que cada dador só contacta com um saco de colheita único e aberto à frente do dador para garantir a máxima segurança do mesmo Pequena refeição - Antes da doação é oferecido aos dadores um pequeno lanche constituído por pão e manteiga e chá com açúcar no caso dos níveis de glicose serem relativamente baixos , e no fim da colheita é novamente oferecida uma pequena refeição para o dador se recompor da doação. Para ser um doador, a pessoa deve pesar no mínimo 50 kg, estar munida de um documento com foto, além de ter entre 18 e 65 anos de idade e estar devidamente descansado e alimentado. Atendendo aos requisitos físicos e de saúde, tu podes ser um doador. A doação demora dez minutos e pode ajudar a salvar vidas.

DO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE

As alunas do 12º G explicaram as razões da escolha do curso e deram o seu testemunho sobre a 1ª fase de estágio realizado. Deram a conhecer as diferentes tarefas realizadas: higienização dos doentes e dos espaços, alimentação, transporte de análises biológicas, encaminhamento dos doentes, tratamento de processos clínicos e outras tarefas de rotina diária. De uma maneira geral demonstraram satisfação e motivação pelas tarefas diversificadas que desempenharam, bem como o acompanhamento que tiveram e da forma como foram acolhidas, tendo o estágio vindo a confirmar a sua escolha vocacional. No entanto, referiram algum impacto inicial no contacto com doentes na hora do banho, na mudança das fraldas, mas acrescentaram que tudo se tornou muito natural nos dias seguintes e que a rotina diária acabou por desvalorizar esse sentimento. Quatro das dezasseis alunas, disseram que não sentiram o acompanhamento necessário pelas monitoras, no sentido de as orientar para as tarefas, explicando os processos a adotar mas esperam encontrar esse apoio na 2ª fase de estágio. Depois de todas fazerem uma análise individual deste percurso académico, a diretora de curso esclareceu o papel desempenhado pelos monitores e orientadores de estágio e deu a palavra aos membros da plateia que puderam, professores e alunos, questio-

nar as alunas do 12º ano, que foram respondendo e esclarecendo todas as dúvidas apresentadas. Após dialogarem com os alunos e professores da plateia, as alunas do 12º ano deixaram alguns conselhos aos colegas: porem em prática as noções de ergonomia, pois evitariam lesões musculares; o vocabulário técnico que aprendem nas aulas é fundamental no discurso em contexto hospitalar; terem coragem, determinação, humildade, responsabilidade e manterem uma boa relação com os utentes e a equipa de trabalho; estarem predispostos para agirem para o bem dos doentes e da instituição que representam. No final, a professora Fernanda Ribeiro, Diretora de Curso, salientou a importância de fazerem as escolhas fundamentadas que sirvam os interesses futuros de cada um. A área de saúde exige competências técnicas, pessoais e vocacionais que permitam um desempenho profissional que vá de encontro às expectativas dos doentes e da equipa onde estarão inseridos. Esta iniciativa pretendeu levar mais informação aos alunos para decidirem conscientemente o seu futuro profissional. Fernanda Ribeiro


16| reflexos | janeiro 2014 | cursos profissionais

cursos profissionais| janeiro 2014 | reflexos | 17

Atividades dos alunos do Curso de Técnico de Restauração (variante mesa/bar) A turma do 11º ano (11ºI) do Curso Profissional de Técnico de Restauração (variante mesa/bar) têm sido solicitados para colaborar em vários serviços de diferentes instituições, tendo a escola sempre recebido referências muito elogiosas sobre o seu desempenho. A inauguração no novo centro escolas dos Enxertos, a inauguração da Associação para a Integração e Reabilitação Social de Crianças e Jovens Deficientes de Vizela, a comemoração do 2º Aniversário da “Hora da Poesia” e o Baile foram os principais eventos que a turma colaborou na sua dinamização. A inauguração do Centro Escolar dos Enxertos ocorreu a 11 de setembro pelas 15h00. As principais funções dos alunos consistiram no serviço de um pequeno lanche acompanhado por serviço de bebidas. Já na inauguração da AIREV, que se realizou a 21 de setembro, os alunos serviram doces aos convivas, fazendo para isso, serviço volante e serviram as bebidas, em dois pontos destinados para o efeito. Neste evento estiveram presentes os utentes, funcionários e direção da AIREV, o presidente da Câmara Municipal de Vizela, um representante da Segurança Social de Braga e a comunidade vizelense. No dia 26 de outubro, os alunos fizeram um serviço volante de bolo de aniversário e de bebidas. Este evento tinha a finalidade de comemorar o 2º aniversário do programa de rádio “A Hora da Poesia”, dinamizado pela professora Conceição Lima. Neste programa são declamadas algumas poesias pela professora Conceição Lima e por alguns dos seus convidados. O evento era aberto à comunidade vizelense e a convidados da dinamizadora do programa. Nos dias 11 de novembro, os alunos organizaram e serviram um coffee-break na inauguração da exposição “Viagem Paleológico”, no museu dos Bombeiros Voluntários. A 23 de novembro, os alunos puderam passar pela enriquecedora função do serviço de um jantar buffet “O Baile”, que visou recriar os históricos bailes do Largo do Carmo do século XIX, e

Baile do Século XIX

Inauguração do Centro Escolar de S. João

Inauguração do Centro Escolar de S. João

2º Aniversário da Hora da Poesia

que se realizou no Museu da Sociedade Martins Sarmento em Guimarães. Os alunos tiveram uma reunião antecedente ao evento com os organizadores, a fim de perceberem qual o seu papel neste evento e reconhecer o local e materiais a utilizar no dia. As suas principais funções passaram pela montagem de vários pontos de serviço, para as comidas e bebidas, tendo também realizado serviço volante de acepipes. A participação dos alunos neste tipo de atividades, permite-lhes avaliar a formação que têm adquirido no seu curso e o seu desempenho em contexto de trabalho. Os alunos gostam de colaborar positivamente nestes eventos, mostrando-se sempre disponíveis para participar em qualquer evento na escola e extra escola.

Inauguração da AIREV

Inauguração da AIREV

Baile do Século XIX

2º Aniversário da Hora da Poesia

Baile do Século XIX


18| reflexos | janeiro 2014 | cursos profissionais

saberes e sabores | janeiro 2014 | reflexos | 19

Alunos do Curso Profissional Informática Visitam a Fábrica de Ciência Viva e instalaçõpes da PT Inovação No dia 13 de Novembro, a turma do 12º Ano do Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos realizou uma visita de estudo a Aveiro, com o objetivo de visitar a Fábrica de Ciência Viva e as instalações da PT Inovação. “Na Fábrica da Ciência Viva, começamos por visitar o Sítio dos Robôs onde estavam expostos vários tipos de sensores e atuadores, que não são nem mais nem menos que componentes de um robô. Neste sítio pudemos contactar com vários tipos de sensores usados no nosso quotidiano: sensores de ultrassons, utilizados para medir distâncias e que existem em muitos sistemas de estacionamento de automóveis; sensores de infravermelhos, utilizados para detectar a proximidade de objetos e que existem em sistemas de abertura de portas, ou acendimento de luzes quando as pessoas se aproximam, etc… ; entre outros. Experimentamos alguns robôs, nomeadamente, um aspirador automático e um dinossauro REX brinquedo. Também vimos alguns projetos elaborados por alunos da universidade de Aveiro no âmbito da robótica, como por exemplo um robô que pecorria um labirinto até atingir o seu destino. De seguida entramos na Oficina de Robôs onde pudemos colocar a “mão na massa” e aprender a programar um robô da LEGOÔ. Neste local divertimo-nos e ao mesmo tempo aplicamos os conhecimentos básicos de programação aprendidos nos anos anteriores. Conseguimos programar um robô para seguir uma linha e marcar golo no final. Depois de tanta informação e programação estavamos cheios de fome. Alguns de nós dirigiram-se ao Forum de Aveiro para almoçar, outros foram deliciar-se com o piquenique que levaram de casa, junto à ria. De seguida, uma vez que estava um belo dia de sol, demos um agradável passeio sobre as margens da ria, ali no centro de Aveiro. No fim do almoço, partimos para a a empresa PT Inovação para conhecermos as suas instalações e os seus projetos em de-

SUDOKU

OFICINA DE SABERES E SABORES Mais uma vez, a oficina de Saberes e Sabores realizou a habitual atividade de celebração da quadra natalícia, que este ano foi alargada a toda a comunidade escolar do agrupamento de escolas de Caldas de Vizela. Esta efetuou-se no dia 11 de dezembro, na Escola Seundária. Foi distribuído bolo de maçã e nozes e filhós de abóbora, acompanhados com chá. Dizem que não existem amores à primeira vista, mas tenho a certeza que ficou apaixonado à primeira dentada. Por isso, para o caso de querer confecionar estes doces em casa, pode seguir as receitas dos mesmos, a seguir apresentadas. Sílvia Oliveira, 12ºC

senvolvimento.” A PT Inovação é uma empresa tecnológica focada no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores para o mercado das telecomunicações e das tecnologias de informação. Um dos projetos mais relevantes aqui desenvolvido e testado foi o Serviço MEO. “Começamos com uma palestra inicial, seguida de uma apresentação video sobre a empresa e os seus projetos mais relevantes. Continuamos com uma visita guiada aos pontos mais importantes da empresa. Entramos em laboratórios onde tivemos que colocar uma espécie de autocolantes nos sapatos, para evitar descargas de eletricidade estática muito prejudiciais aos equipamentos eletrónicos em teste. Por fim regressamos a Vizela. Foi uma visita intensa e muito interessante dentro da nossa área de estudo” Os alunos do 12ºF

RECEITAS Filhós de abóbora Ingredientes -Abóbora cozida com uma pitada de sal -6 ovos -raspa e sumo de uma laranja -25g de fermento de padeiro -750gr de farinha sem fermento - 1 cálice de licor ou vinho do porto (facultativo) - 1 colher de sopa de manteiga Esprema a abóbora e junte a manteiga para derreter. Raspe a laranja e esprema o sumo e dissolva o fermento nesse sumo. Junte os outros ingredientes, batendo. Vá adicionando a farinha até que a massa fique consistente mas tenra. Vai a levedar perto de uma fonte de calor. Quando esta estiver bem levedada (3 a 4 horas), frita-se a massa às colheradas e colocam-se as filhós em papel absorvente. Serão imediatamente envolvidas em açúcar com canela.

Bolo de maçã e canela Ingredientes -2 chávenas de açucar -2 chávenas de farinha sem fermento - 1 chávena de nozes partidas aos bocados -1 chávena de óleo -6 ovos -2 a 3 colheres de chá de canela - 4 maças golden cortadas aos pedaços - 1 colher de chá de fermento Bata muito bem os ovos com o açucar, o óleo e a canela. Deite a farinha, onde se misturou o fermento, as nozes e as maçãs e misture delicadamente.Passe esta massa para uma forma previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha.Leve a cozer em forno a 200ºC. Retire do forno depois de cozido, desenforme e deixe arrefecer.


20| reflexos | janeiro 2014 | curso vocacional

O MUNDO DOS FÓSSEIS EM VIZELA! A exposição do projeto Carlos Dias «Trilobites» esteve presente no Museu dos Bombeiros Voluntários de Vizela, durante quinze dias, de 9 a 23 de novembro. A turma do 9.º ano, do Curso Vocacional de Turismo e Lazer, a funcionar na Escola Secundária do nosso Agrupamento, foi responsável pela organização da exposição «Viagem ao Paleozóico». Esta iniciativa surgiu no âmbito da disciplina de Ciências Naturais e o professor Luís Barata liderou todo o processo. Apesar de estar patente apenas duas semanas, por razões logísticas, a exposição recebeu a visita de mais de 1000 pessoas, sobretudo alunos do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela (dos seus diferentes Ciclos, incluindo Profissionais), mas também de escolas das redondezas, como Infias, Colégio de Vizela e Agrupamento de Escolas João de Meira. Merece destaque o facto de ter sido a primeira vez que esta exposição teve algumas obras de elevado interesse científico patente e ter contado com guias personalizados para os diferentes visitantes. Duas turmas de alunos (7.º Ano e Curso Vocacional 9.º) foram destacados e foram preparados para receber o explicar aos visitantes as diferentes estações em exposição. Esta é uma das exposições do projeto Carlos Dias «Trilobites», cujo conteúdo se baseia na representação artística de alguns exemplos de seres vivos que existiram durante a Era Paleozoica, pelo que é um trabalho didático que transporta o visitante ao passado. Carlos Dias, o proprietário dos artigos expostos, é um autodidata que estuda a Paleontologia e os fósseis de trilobites em particular e confidenciou que se sente feliz por poder colaborar com as escolas, no sentido de divulgar este conhecimento. Ele possui uma vasta coleção de fósseis recolhidos em Valongo, Gondomar e Arouca e concilia esta paixão com a sua profissão de mecânico. Os alunos do 9ºCV consideraram esta experiência enriquecedora, porque puderam desenvolver as suas competências como guias, vendedores, rececionistas, secretários e operadores técnicos. Afirmaram ter sido gratificante lidar com os vários visitantes, em especial com a s crianças e agradecem toda a colaboração prestada pelos Bombeiros Voluntários, Câmara Municipal – que cedeu o autocarro para o transporte das crianças, professores intervenientes e, em especial, ao professor de Ciências e ao Senhor Carlos Dias.

curso vocacional | janeiro 2014 | reflexos | 21

Escola Básica dos Enxertos VIAGEM AO PALEOZÓICO As turmas do 3º ano da E.B. Enxertos foram visitar a exposição “VIAGEM AO PALEOZÓICO” (TRILOBITES), no dia 13 de novembro, no museu dos Bombeiros Voluntários de Vizela e gostaram muito. A visita foi guiada por alunos da Escola Secundária de Vizela e orientada pelo professor Luís Barata. É importante salientar que o Paleozóico é uma época anterior ao aparecimento dos dinossauros na Terra. Os “animais” que vimos foram feitos em acrílico e chapa pelo artista plástico Carlos Dias e pretende representar alguns exemplares dos seres vivos que existiam e a sua evolução e adaptação da água para a terra. Passamos a descrever o que são trilobites: “As Trilobites eram organismos marinhos pertencentes ao grupo dos artrópodes (como por exemplo: insetos, aranhas, caranguejos, lagostas). Eram excelentes nadadoras e possuíam um exoesqueleto de natureza quitinosa, impregnado de cálcio, que lhes permitiu deixar abundantes fósseis. É através dos fósseis que se sabe que as Trilobites existiram. (Fósseis são os restos ou vestígios de materiais de antigos organismos/seres vivos ou manifestação da sua atividade que ficaram mais ou menos bem conservados nas rochas.) As Trilobites extinguiram-se no final do Paleozóico, tendo durado, cerca de 300 milhões de anos. O seu estudo permite-nos obter informações muito importantes relativas à evolução da vida na Terra. Existiram numa época chamada Câmbrico (570Ma).” E.B Enxertos - 3ºs D/F

Alunos do Curso Vocacional visitam lojas de artesanato em Vizela

Este ano funciona pela primeira vez na nossa escola o Curso Vocacional de Turismo e Lazer (9º ano VOC). No âmbito da sua formação estes alunos visitaram várias lojas de artesanato da nossa cidade bem como alguns pontos turísticos.


22| reflexos | janeiro 2014 | acontece na biblioteca

Este ciclo de crónicas da BCRE, 2013-14, será sempre uma oportunidade para deixar aos leitores uma panorâmica das atividades desenvolvidas, tendo em vista os utilizadores - alunos, professores e assistentes operacionais; a Leitura, nas suas múltiplas vertentes, livro, e-book, áudio livro; e as Literacias da Informação, digitais, mediáticas, informativas… Como a própria Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) preconiza, o Programa Rede de Bibliotecas Escolares, lançado em 1996, pelos Ministérios da Educação e da Cultura, tem como objetivo “instalar e desenvolver bibliotecas em escolas públicas de todos os níveis de ensino, disponibilizando aos utilizadores os recursos necessários à leitura, ao acesso, uso e produção da informação em suporte analógico, eletrónico e digital”. Neste contexto, o suporte papel ou o eletrónico estão e estarão sempre associados às bibliotecas e à Leitura, o que é obviamente preponderante na formação de qualquer cidadão ativo, informado e crítico. Receção aos novos alunos Como vem sendo apanágio ao longo dos anos, no primeiro dia de aulas e em colaboração com os diretores de turma, foram recebidas na BCRE todas as turmas de 10º ano e os alunos de outros anos, que se encontravam a frequentar pela primeira vez a nossa escola. A todos foram fornecidas informações sobre os recursos disponibilizados e o modo de funcionamento da BCRE, procurando incentivar o gosto pela Leitura e a importância do Livro nos seus vários formatos. Embora se verifiquem os habituais constrangimentos com a rede de internet, o esforço para a melhorar continua em marcha e deseja-se que o ano letivo possa decorrer com mais acessibilidade, pois este constitui um problema que dificulta um ensino cada vez mais virado para o uso das TIC e da pesquisa online, imprescindíveis no seio de qualquer estabelecimento de ensino. Recolha de dados via eletrónica No início do ano letivo, mais uma vez, os diretores de turma puderam ver o seu trabalho bastante simplificado, no que diz respeito à recolha e atualização de dados socioeconómicos dos alunos, com a utilização do programa Stataluno, criado para o efeito e monitorizado através da BCRE.

Prémio Camões 2013 Sendo esta uma iniciativa que pretende valorizar os escritores de Língua Portuguesa, de enorme alcance e importância para os países de língua oficial portuguesa, todos os anos a BCRE procura dar a conhecer, através de uma exposição, o escritor premiado, bem como a sua dimensão literária. O Prémio Camões foi instituído em 1988 pelos Governos de Portugal e do Brasil e, segundo o texto do protocolo constituinte, consagra anualmente «um autor de língua portuguesa que, pelo valor intrínseco da sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua comum». Miguel Torga foi o primeiro escritor a ser distinguido com o prémio, em 1989, e desde então já foram premiados João Cabral de Melo Neto, José Craveirinha, Vergílio Ferreira, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, José Saramago, Eduardo Lourenço, Pepetela, António Cândido, Sophia de Mello Breyner Andresen, Autran Dourado, Eugénio de Andrade, Maria Velho da Costa, Rubem Fonseca, Agustina Bessa-Luís, Lygia Fagundes Telles, Luandino Vieira, António Lobo Antunes, João Ubaldo Ribeiro, Arménio Vieira, Ferreira Gullar, Manuel António Pina e Dalton Trevisan. Este ano o Prémio Camões foi para o escritor moçambicano Mia Couto.

acontece na biblioteca | janeiro 2014 | reflexos | 23

Literacia mediática

Os Media Locais: uma questão de inclusão e de cidadania – com a Rádio Vizela

Lenda de S. Martinho – Centro Escolar de S. Miguel

Em parceria com a BCRE, a turma de 12º ano de Educação para a Infância deslocou-se ao Centro Escolar de S. Miguel para celebrar o dia de S. Martinho com os meninos do Jardim de Infância. Esta iniciativa, inicialmente prevista para alunos (JI) do nosso Agrupamento, foi inviabilizada e, para não defraudar as alunas que entusiasticamente preparavam uma dramatização da Lenda de S. Martinho, acabou por ser no Agrupamento vizinho que pôde ser concretizada, o que acabou também por se tornar num bom exemplo de articulação entre os dois agrupamentos do concelho, tal como sucedera com as palestras sobre Literacia Mediática para o Ensino Secundário. Ao Agrupamento de Escolas de Infias fica aqui o nosso (triplo) agradecimento.

Já em Novembro, dia 12, decorreu a segunda palestra, no auditório da Escola de Infias, de novo para alunos das duas escolas. Para abordar o tema “Os Media Locais: uma questão de inclusão e de cidadania” foi lançado o desafio à Rádio Vizela (RV) que, amavelmente acedeu. As jornalistas, Fátima Anjos, Helena Lopes e Zélia Fernandes, e o diretor técnico, José Marinho, deram a conhecer o seu papel ao serviço deste meio de comunicação local, interagindo com o público presente, sobre o seu conhecimento e condição de público ouvinte da RV e/ou leitor do jornal RV. O impacto da TV na sociedade – com Hélder Silva

Assertividade - CPCJ

Por proposta apresentada à BCRE, “Assertividade” foi o tema de duas palestras realizadas no auditório, para alunos de quatro turmas do 10º ano. A psicóloga, Marta Araújo, da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vizela, ligada à educação e formação de jovens e adultos, levou os alunos a refletirem sobre as competências individuais de comunicação enquanto resultantes de processos de aprendizagem, nomeadamente de aprendizagem social.

Por proposta da Biblioteca da Escola Secundária de Infias, na pessoa da Professora bibliotecária, Emília Monteiro, a BCRE pôde desenvolver em parceria uma outra iniciativa, relacionada com a formação dos utilizadores no âmbito das Literacias Mediáticas, que se traduziu em duas palestras para alunos do ensino secundário. Na primeira, realizada no dia 14 de Outubro no auditório da nossa escola, o orador foi o jornalista da RTP, Hélder Silva, que amavelmente acedeu a participar e as turmas envolvidas, duas de cada escola, de 12º ano, puderam assim escutar as palavras de um conhecedor da matéria, jornalista, professor universitário e excelente comunicador. Perceber / analisar o impacto da televisão na sociedade de hoje e responder a algumas questões levantadas pelo público, foi o propósito do conferencista.

Implantação da República No âmbito da celebração do dia 5 de outubro de 1910, comemoração da Implantação da República, a BCRE, em parceria com o grupo de História, realizou a exposição relativa a esta efeméride, cujo valor histórico é inegável, mesmo estando já este ano fora do grupo de feriados nacionais.

ter lugar em data a programar, após o estudo das obras desses autores. Nas quatro turmas de prosseguimentos de estudos – 10º ano – a mesma estratégia foi posta em prática, de modo diferente, uma vez que os objetivos programáticos o são também. Assim, a apresentação das obras do contrato de Leitura deste período, cónicas e/ou livros de memórias e diários, foram apresentadas na biblioteca e em articulação com a professora bibliotecária, em sessões programadas para o efeito para cada turma. Ricardo Araújo Pereira, Miguel Sousa Tavares, António Lobo Antunes, Mia Couto, Gonçalo Cadilhe, entre outros, foram os autores sugeridos, de acordo com obras suas publicadas. Pudemos constatar de imediato uma procura dos exemplares existentes na BCRE, muito acima do que é habitual, comparativamente com anos anteriores, o que é significativo para o futuro. Por outro lado, deste modo, a comemoração traduziu-se efetivamente numa maior sensibilização para os Livros e a Leitura.

“Outubro, mês internacional das bibliotecas escolares” “Marketing porta a porta” Durante o mês de outubro, a BCRE procurou desenvolver algumas iniciativas no âmbito desta comemoração. Procurando ir sempre ao encontro da sua missão primária, que é a da motivação para a Leitura, dentro da divulgação de algumas áreas do seu fundo documental, a BCRE procurou este ano investir numa estratégia de “marketing porta a porta”, isto é, ir junto de algumas turmas promover a Leitura e o Livro. Assim, no 10º dos cursos profissionais e de acordo com as solicitações dos professores de Português, os alunos foram sensibilizados para o contrato de Leitura de obras de escri- Vitrine da BCRE Neste mês de Outubro, contores locais, nomeadamente de Helder Magalhães e Sandra sagrado às bibliotecas, uma Guimarães. As palestras com outra iniciativa, a “Vitrine da estes escritores e a aquisição de BCRE”, espaço criado no polimaior número de exemplares valente, pretende ter idêntico das suas obras foram apostas propósito, através da divulgada BCRE que se enquadrarão ção das novas aquisições e de obviamente nas metas curricu- sugestões à Comunidade Edulares a alcançar. A primeira irá cativa. A equipa da BCRE deseja a todos os leitores do Reflexos, alunos, pais, professores, pessoal técnico, um excelente Novo Ano 2014! P/A equipa da BCRE, a professora bibliotecária, Alice Abreu

bibescvizela@gmail. com http://astronomicesnabiblioteca.webnode.pt


24| reflexos | janeiro 2014 | astronomia

astronomia | janeiro 2014 | reflexos | 25

O Square Kilometre Array – SKA

“2011, Odisseia na BCRE” e o site “Astronomices na BCRE”

Um dos maiores projetos científicos do século XXI Para conhecermos a história do SKA (Square Kilometer Array) é necessário reportarmo-nos a setembro de 1993, quando a União Radiocientífica Internacional (URSI) criou um grupo de trabalho com a missão de apresentar os objetivos científicos e as especificações técnicas para um radiotelescópio de última geração. Paralelamente, em 1997, oito instituições de seis países (Austrália, Canadá, China, Índia, Holanda e Estados Unidos) assinaram um Memorando de Acordo, no sentido de cooperarem num programa de estudo de tecnologia de ponta para um futuro radiotelescópio. O SKA é assim um projeto mundial de radiotelescópio, que pretende revolucionar a nossa compreensão do Universo, capaz de detetar ondas de rádio com uma sensibilidade sem precedentes, uma enorme fidelidade e qualidade de imagem, capaz de solucionar algumas das questões fundamentais em Astronomia, procurando responder a uma das maiores perguntas de sempre da humanidade: Estamos sozinhos no universo? Localizado na Austrália e na África do Sul e com uma vida útil estimada de 50 anos, o SKA, que se estenderá ao longo de um círculo de 3.000 km de diâmetro, será composto de milhares de pratos de receção e milhões de recetores de ondas de rádio ligados entre si e a combinação dos seus sinais fará com que os maiores radiotelescópios do mundo existentes pareçam anões ao seu pé. Quando o SKA estiver a funcionar em pleno, em 2020, o volume de dados, que as suas 3.000 parabólicas e outros tipos de antenas vão recolher do Cosmos, será 200 vezes maior que o atual volume de dados mensal da Internet. O SKA será um projeto extraordinário", disse Keith Grainge, da Universidade de Manchester. "A quantidade de dados que precisamos para transportar das antenas para os processadores é equivalente à taxa de tráfego de Internet de todo o mundo em 2011. Além disso, vamos ter de sincronizar os relógios em cada antena a um bilionésimo mil (0,000000000001) de um segundo. Sediado em Manchester, o SKA envolve instituições de 19 países e é considerado um dos cinco grandes projetos científicos do século XXI. Como acontece com outros projetos similares de pesquisa global com esta amplitude e importância, o SKA foi dividido em vários módulos, sendo cada um deles gerido por um consórcio de especialistas/instituições internacionais. Estes módulos, que permitirão o desenvolvimento tecnológico mundial, vão desde o desenvolvimento de novos pratos e antenas para o telescópio, aos complexos sistemas de computação e de software, daquela que será uma das maiores instalações de Ciência jamais construídas. Estando Portugal também envolvido neste projeto, a participação portuguesa envolve o Instituto de Telecomunicações (IT) da Universidade de Aveiro, o Centro de Investigação em Ciências Geoespaciais (CICGE) da Universidade do Porto, o Centro Multidisciplinar de Astrofísica (CENTRA) do Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa e a Lógica, uma empresa municipal que gere o Parque Tecnológico de Moura, no Alentejo. Fontes: • http://www.skatelescope.org/ • http://www.ska.ac.za/ • http://www.atnf.csiro.au/projects/ska/ • http://tinyurl.com/psuth9q • http://tinyurl.com/lf2benm

http://astronomices-nabiblioteca.webnode.pt

O SKA em números • •

200 vezes a totalidade de informação que circula hoje por mês na Internet vai ser recebida pelo SKA a partir de 2020. 3.000 antenas parabólicas e 250 conjuntos de antenas compactas vão compor o SKA. Em termos de funcionamento, o supertelescópio terá a forma de uma estrela, que ocupará um círculo com 3.000 km de diâmetro. 1.500 milhões de euros será o custo estimado do futuro radiotelescópio. É muito dinheiro em termos absolutos mas, comparado com outros grandes projetos científicos, não é. Exemplo: o LHC, o grande acelerador de partículas do CERN, custou seis mil milhões. 1.000.000 de metros quadrados é a totalidade da área coletora do radiotelescópio na sua rede de antenas, ou seja, 1 km2. Daí o nome com que foi batizado: Square Kilometre Array (SKA). 5 grandes projetos científicos globais vão marcar o século XXI: o SKA; o ITER (central de fusão nuclear, a energia

das estrelas); o LHC (o superacelerador de partículas do CERN, na Suíça, já operacional); o ALMA (complexo de 66 telescópios em construção no Chile); e o telescópio ótico E-ELT, do Observatório Europeu do Sul (a ser também construído no Chile). Portugal participa em todos estes projetos. 50 anos-luz é a distância máxima a que o SKA poderá detetar um radar de aeroporto - ou um dispositivo semelhante - localizado num planeta com vida inteligente. 1.000 milhões de pens USB de 1 Gigabyte por dia seriam necessárias para guardar os dados em bruto das observações do futuro telescópio. E o poder de processamento do supercomputador do SKA em 2020 será equivalente a 1.000 milhões de PC de hoje. 10 voltas à Terra poderiam dar, de ponta a ponta, os cabos de fibra ótica que serão instalados na rede de comunicações do radiotelescópio. 19 países, incluindo Portugal, vão participar neste projeto global. As suas tecnologias inovadoras serão testadas nos EUA, África do Sul, Austrália e em território nacional. 3 parceiros científicos portugueses estão associados ao SKA: o Instituto de Telecomunicações de Aveiro, a Universidade do Porto e o Instituto Superior Técnico de Lisboa. António José Martins

Estes dois projetos da BCRE têm exigido um significativo investimento, não só pelo feed-back da comunidade educativa, mas também e sobretudo pela dimensão e impacto que a criação da página “Astronomices-nabiblioteca” tem tido, a concluir pelo número de visitantes nacionais e internacionais. Criada em maio de 2012, contava em dezembro desse ano com 888 visitantes, 3260 visitas, em 11358 páginas visitadas. Considerando essas visitas por nacionalidade e, em ordem decrescente, estiveram: 1º - Estados Unidos; 2º - República Checa; 3º - Portugal; 4º - Brasil; 5º - Ucrânia; 6º - Suécia; 7º - Índia; 8º - Alemanha. Mas, em 2013, os números são muito diferentes, para melhor e de modo bastante surpreendente para a equipa da BCRE. Veja-se: só em setembro e outubro últimos, verificaram-se 2063 visitantes e 9487 visitas. Se analisarmos os dados deste ano e considerarmos o período compreendido entre 1 de janeiro e 30 de novembro, os números são de facto muito elucidativos da importância que este site tem no contexto global do mundo da Web: foi visitado por 6358 visitantes; 30798 visitas, em 66183 páginas, numa “onda” sempre crescente, que se traduziu, em novembro último, numa média diária de 207 visitantes, 427 visitas num total mensal de 1162 visitantes em 6221 visitas. Tal como em 2012, temos, em 1º lugar, os visitantes dos Estados Unidos. Seguem-se a China, a Alemanha, Portugal, a República Checa, a Ucrânia, o Canadá e a Grã-bretanha. Ao longo do ano, visitaram ainda o site pessoas de outras nacionalidades, Espanha, França, Itália… De facto, a consulta dos dados estatísticos levou a equipa a colocar no site um conjunto de informação que não se limitasse à Língua Portuguesa. Em inglês, alemão, francês, espanhol e até italiano e checo, semanalmente, são postados textos, fotos, imagens, sugestões de livros e filmes que passam por esta multiplicidade de idiomas. Claro que o nosso objetivo inicial era o de focalizar a comunidade educativa da nossa Escola/Agrupamento para as questões da Astronomia, mas o impacto obtido tem “obrigado” a alargar esses horizontes muito para além das “paredes” da Escola. Se o leitor ainda não visitou a nossa página, aqui fica o nosso convite! Visitantes Período

Total

Maio* a dezembro de 2012

888

Janeiro a novembro de 2013

6358

Média mensal

Visitas Total

Média mensal

111

3260

407

578

30798

3080

Países visitantes “Top +” 2012

2013

Estados Unidos

Estados Unidos

República Checa

China

PORTUGAL

Alemanha

Brasil

PORTUGAL

Ucrânia

República Checa

Suécia

Ucrânia

Índia

Canadá

Alemanha

Grã Bretanha


26| reflexos | janeiro 2014 | aguarelas do tempo

aguarelas do tempo | janeiro 2014 | reflexos | 27

Prever o tempo na escola

OUTONO: Tarde pintada!

Há mais de uma década que o Clube Descoberta da Escola Secundária de Vizela divulga, através do RV Jornal e da Rádio Vizela, dados relativos ao tempo, registados pela estação meteorológica instalada no mini parque meteorológico da escola. Também o jornal escolar Reflexos tem contado com a nossa colaboração e tem sido um meio privilegiado de divulgação de algumas curiosidades relativas ao tempo e clima! Pelo terceiro ano consecutivo o 12º E (todos os alunos, sem exceção), elaboram as crónicas “aguarelas do tempo” e vão lê-las à Rádio Vizela. É uma forma diferente de viver e sentir a escola, pesquisando e trabalhando extra-aula, enriquecendo conhecimentos e descobrindo abordagens completamente diferentes de conteúdos que aparentemente são complexos. Vamos partilhar parte de duas das crónicas realizadas neste primeiro período, esperando que sejam do vosso agrado.

A Geada não é neve!

DIAS COMEMORATIVOS

Rafaela e Ana Maria As manhãs desta última quinzena têm-nos apresentado um manto branquinho a que algumas pessoas chamam neve, contudo, não se trata de neve (forma de precipitação) mas de geada (forma de condensação). A geada é a formação de uma camada de cristais de gelo na superfície dos corpos e é provocada pela descida da temperatura (arrefecimento brusco) e o principal fator que está na sua origem é a massa de ar polar. Quando a superfície terrestre liberta muita energia para o espaço, sobretudo quando há ausência de nuvens, dá-se a formação da geada. Este arrefecimento, associado à humidade existente à superfície, leva à condensação sobre o solo à medida que a temperatura vai diminuindo. Se a diminuição for pouco significativa, forma-se o orvalho, se for muito acentuada os cristais solidificam e forma-se a geada. Este fenómeno pode também ocorrer quando a água existente no ar sublima, isto é, quando a água passa do estado gasoso diretamente para o estado sólido sem passar pelo estado líquido, fenómeno caraterístico do interior do país. Em Portugal continental, pode verificar-se geada em todo o território, no entanto umas localidades podem ser mais afetadas que outras. Em média, o número de ocorrências deste fenómeno varia entre menos de dois dias em Sagres- que está sob influência marítima- e mais de cem dia nas áreas montanhosas do interior e centro. Quanto a localidades povoadas podemos destacar com mais frequência de ocorrências a região de Trás- os- Montes (Bragança, Chaves, Mirando do Douro, entre outras). Existem também regiões em Portugal que não se localizam muito no interior e que não possuem altitudes elevadas mas que têm mi-

A crónica “aguarelas do tempo” retoma a sua função de informar os leitores sobre fenómenos meteorológicos e, nós, que neste momento frequentamos o 12º E (Línguas e Humanidades), vamos continuar a colaborar nestas crónicas quinzenais que versarão temáticas relacionadas com a previsão e as consequências dos fenómenos atmosféricos. Estamos na estação do Outono, a mais colorida das estações do ano, com as folhas das árvores a mudarem sistematicamente de cor, as castanhas a serem vendidas na praça da República e a temperatura a oscilar entre valores próximos dos tipicamente de Verão e valores mínimos a anunciarem a necessidade do conforto das lareiras! Enquanto o centro e norte da Europa se debatem com uma tempestade provocada por uma depressão cavada, em deslocação para norte, no nosso país as temperaturas mantêm-se em valores normais para esta época do ano. O Anticiclone dos Açores continua bastante ativo e deslocado para norte, possibilitando estes dias solarengos que estão prestes a dar lugar ao caraterístico tempo outonal com nevoeiro, precipitação e vento moderado. Durante este mês de outubro a estação meteorológica da escola registou valores bastante significativos que vamos partilhar com os leitores. Assim, a temperatura média situou-se nos17,1º C, registando a máxima de 28,2º C no dia 8 de outubro e a temperatura mínima de 4,2º C no passado dia 30 de outubro. O total de precipitação deste mês foi de 199,8 mm, distribuídos por 24 dias, apenas superado pelo mês de janeiro em que tivemos precipitação durante 26 dias, num total de 248,6 mm. Contrariamente ao ano meteorológico anterior a precipitação foi bastante mais sig-

Um novo ano letivo e, à semelhança dos anos anteriores, o grupo de Geografia assinala “Dias Comemorativos”, começando pelo Dia Mundial do Turismo, comemorado a 27 de Setembro, data definida pela Organização Mundial do Turismo, em 1980. Por se tratar de uma data muito próxima do início das atividades letivas, a generalidade do trabalho de pesquisa é efetuada pelos professores, embora a realização dos cartazes e a montagem da exposição fique a cargo dos alunos. Constitui uma excelente oportunidade para motivar os alunos para o estudo da diversidade cultural e proporcionar uma “viagem turística global”, alertando para a importância que esta atividade económica poderá ter para o futuro do nosso país. Neste sentido, para além das imagens, expusemos artesanato, livros, azulejos … de alguns dos países representados., com particular incidência para os países do sul da Europa (contrariando a crise!), a Croácia (último país a integrar a União Europeia) e para a Turquia, eterna candidata à União Europeia.

croclimas. Tal facto provoca a ocorrência frequente de geadas na estação fria em regiões como Tomar, Aljezur, Leiria, entre outras. Em Vizela, a geada é um fenómeno que ocorre com alguma frequência, como tem sido visível na última semana, enquanto a neve ocorre esporadicamente. Ana Maria e Rafaela Martins, 12º E

Patrícia Barbosa e Ana Rita Gomes nificativa, quer em volume, quer em número de dias. Choveu em todos os meses, embora em julho só tenha acontecido durante 4 dias, em agosto um dia e em setembro 7 dias. Até este momento caíram 1134 mm de água sobre o solo, num total de 142 dias de chuva. Enquanto o frio e a chuva não nos impedem de apreciar as belas paisagens vizelenses, apetece partilhar convosco parte de um poema de Miguel Torga, escrito em Coimbra em 1966, que carateriza desta forma sublime o outono: Tarde pintada por não sei que pintor. Nunca vi tanta cor tão colorida! Ana Rita Gomes e Patrícia Barbosa, 12º E


28| reflexos | janeiro 2014 | clube descoberta

clube descoberta | janeiro 2014 | reflexos | 29

Leva contigo um direito!

DIAS COMEMORATIVOS

A turma E do 9º ano, da Escola Básica de Caldas de Vizela visitou a exposição, tendo explorado os vários aspetos da mesma e, com o apoio de um pequeno questionário elaborado para o efeito, manifestaram opiniões como as que se seguem: ” Os aspetos que mais gostei nesta exposição foram as imagens dos vários monumentos referentes às cidades e/ou países e os objetos expostos nas vitrinas. Em termos económicos o turismo desempenha um papel cada vez mais importante em Portugal (assim como em outros países), visto que, os estrangeiros que nos visitam fazem despesas no nosso país (no alojamento, na restauração, na visita aos museus, etc.), contribuindo assim para o aumento da riqueza e do reconhecimento cultural”. José Pedro Silva Freitas, n.º 9, 9º E “No dia 8 de outubro, deslocámo-nos à Escola Secundária para visitar uma exposição onde pudemos observar trabalhos relacionados com o turismo e pudemos também ver algumas peças tradicionais de alguns países, principalmente daqueles onde o turismo contribui bastante para a economia dos mesmos.(…) Com esta visita aprendemos o quanto o turismo é importante, devido ao facto de criar emprego (direta ou indiretamente) em vários serviços ligados ao turismo, tais como, na hotelaria, restauração, etc.; promover outras atividades económicas tal como o comércio, transportes, etc., ajudando também a divulgar o artesanato e as tradições locais”. Margarida Rodrigues, n.º 2, 9º E

Depois da expressiva e criativa exposição sobre a ONU, comemorada a 24 de outubro, entrámos no mês de novembro e foram vários os dias assinalados, com particular destaque para o dia internacional da tolerância (16 de novembro) e dia da erradicação de todas as formas de violência contra a mulher (25 de novembro). Destes dias deixamos algumas das mensagens expostas: Tolerância não é uma opção nas relações humanas, mas uma necessidade insubstituível. Algusto Cury O hábito de tudo tolerar pode ser a causa de muitos erros e de muitos perigos. Frase de Marcus Tullius Cícero “Vi demonstrarem uma grande intolerância em defesa da tolerância.” Samuel Taylor Coleridge “Nenhuma qualidade humana é mais intolerável do que a intolerância.” Giacomo Leopardi

Há coincidências que nos interpelam e, neste dia 10 de dezembro, aconteceram várias e com especial simbolismo. A primeira prende-se com o funeral do carismático Nelson Mandela, um dos prisioneiros de consciência mais vezes referido quando se aborda a temática dos Direitos Humanos, precisamente no dia em que mundialmente se celebra o dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A outra coincidência prende-se com o título que atribuímos à palestra que todos os anos, neste dia, levamos a efeito na Escola Secundária, “Leva contigo um direito”. De forma inesperada, dois alunos do 12º E, o Pedro Almeida e o Pedro Neto, comunicaram que gostariam de partilhar, com alguns colegas da escola, os 30 direitos da DUDH (Declaração Universal dos Direitos Humanos), fruto do trabalho que estavam a elaborar. Decidimos, de imediato, alargar a iniciativa a toda a escola e, sem imaginar, materializou-se, desta forma, o título atribuído à palestra! A palestra propriamente dita, em que participaram os alunos do 9º C, da Escola Básica, acompanhados pelo Padre Machado e pela professora Sónia Oliveira, o 12º B e o 10º D, alunos dos professores António José Martins e Elódia Canteiro, decorreu como habitualmente, de forma muito interessante, num Auditório repleto, embelezado com um arranjo de Natal, feito pelo 9º VOC. Salientam-se momentos de reflexão, proporcionados pelos poemas declamados pela Juliana e pela Inês, e pelos pequenos vídeos realizados pelos alunos do 12º D, acompanhados pela exploração de alguns dos direitos mais significativos para os autores dos trabalhos. A globalidade dos presentes avaliou a atividade, complemen-

tada pela exposição patente ao público no átrio do Pavilhão A, como excelente, solicitando que, em iniciativas futuras, seja abordado especificamente o direito à educação. Fica o registo, e fica também a sensação de termos contribuído para “despertar consciências” e para a “luta contra o esquecimento”. António José Martins e Elódia Canteiro

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não Porque os outros usam a virtude Para comprar o que não tem perdão. Porque os outros têm medo mas tu não. Porque os outros são os túmulos caiados Onde germina calada a podridão. Porque os outros se calam mas tu não. Porque os outros se compram e se vendem E os seus gestos dão sempre dividendo. Porque os outros são hábeis mas tu não. Porque os outros vão à sombra dos abrigos E tu vais de mãos dadas com os perigos. Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner


30| reflexos | janeiro 2014 | cineclube

educação para a saúde | janeiro 2014 | reflexos | 31

Cineclube

Emoções na Sexualidade

O Cineclube, no âmbito da atividade de criação de um repositório fílmico para fomentar o gosto pelo cinema e estimular o espírito crítico, apresentando opiniões fundamentadas, está a colaborar com o Departamento de Informática (Grupo 550) e com a Biblioteca e Centro de Recursos Escolar (BCRE) na celebração de dias comemorativos. Nesta sequência, para comemorar o Dia Internacional das Montanhas (11 de dezembro), o Cineclube exibe o filme “Estamos Vivos” (título original: “Alive”). Este filme, realizado por Frank Marshal em 1993, é trazido ao público escolar nesta data para sublinhar o poder inquestionável da Natureza, mostrando como a frágil condição humana consegue adotar medidas desesperadas para sobreviver num ambiente extremo.

Os atores Ethan Hawke, Vincent Spano, Josh Hamilton, entre outros, encarnam alguns dos jogadores de uma equipa uruguaia de rugby, cujo avião em que viajavam se despenha nos Andes, deixando apenas 25 sobreviventes. Com narração de Jonh Malkovitch e argumento de John Patrick Shanley, o filme baseia-se nos factos reais descritos no livro de Piers Paul Read, “Alive: The Story of the Andes Survivors”. No âmbito do desenvolvimento de atividades do Plano Anual, o Cineclube pretende ainda exibir, também em parceria com o Departamento de Informática (Grupo 550), o filme biográfico “jOBS”, realizado por Joshua Michael Stern, em 2013. Do autor Matt Whiteley, conta com a participação, entre outros, de Ashton Kutcher, Dermot Mulroney e Josh Gad, retratando a incrível história da ascensão de Steve Jobs desde que abandonou a faculdade até se tornar um dos empreendedores criativos mais reverenciados do século XX. Para além destas exibições, o Cineclube pretende organizar um ciclo de cinema sobre a Memória do Holocausto, a realizar no final do mês de janeiro, e brevemente será divulgado o concurso XXS, de curtas-metragens. Este concurso pretende ser uma incubadora de curtas para festivais de maior dimensão, contando atualmente com o apoio incondicional do Cineclube.

CONCURSO DE FOTOGRAFIA “2014 - Ano internacional da Cristalografia” “2014 - Ano internacional da Agricultura Familiar”

A ONU declarou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. A iniciativa pretende sensibilizar governos e sociedades sobre a importância e a contribuição da agricultura familiar para a segurança alimentar e a produção de alimentos, combinando a antiga sabedoria dos agricultores familiares com a evolução tecnológica moderna. Os cristais cuja presença nos é familiar em pedras preciosas, em brilhantes flocos de neve ou em simples grãos de sal, estão em toda parte na natureza. O estudo da sua estrutura e propriedades dá-nos uma profunda visão do arranjo dos átomos no estado sólido e fornece-nos conhecimentos que permitem novas descobertas nas ciências da química, da física, da biologia e medicina. Por estas razões, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a resolução de que 2014 será o Ano Internacional de Cristalografia, 100 anos depois da atribuição do Prémio Nobel pela

descoberta da difração de raios-X. O Concurso de Fotografia organizado pela Oficina do Ambiente e pela turma do 11º Ano H (docente responsável: Luís Vila), integra-se na comemoração do Ano Internacional da Cristalografia e do Ano Internacional da Agricultura Familiar e decorre de 02 de dezembro de 2013 a 28 de fevereiro de 2014. A participação no concurso está aberta a alunos do 3º ciclo e do ensino secundário do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela. Podem concorrer todos alunos e formandos do agrupamento de escolas, individualmente ou em grupo (cada grupo deverá ser constituído até ao limite máximo de 2 participantes). Para as especificações técnicas de acesso ao Concurso, os alunos deverão consultar o respetivo regulamento, que se encontra afixado em vários locais da Escola. Serão atribuídos prémios aos três concorrentes melhor classificados.

“A sexualidade é uma energia que nos motiva para encontrar amor, contacto, ternura e intimidade; ela integra-se no modo como sentimos, movemos, tocamos e somos tocados, é ser-se sensual e ao mesmo tempo ser-se sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental”. Organização Mundial de Saúde (OMS) A abordagem da sexualidade encarada como um todo é o patamar superior da educação sexual. Ultrapassada a fase de prevenção das consequências indesejadas (gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis etc.), através do conhecimento da fisiologia da sexualidade humana apenas na sua vertente física, torna-se evidente que só a conjugação harmoniosa de todos os fatores – psíquicos, emocionais e afetivos – permite verdadeiramente uma sexualidade inteligente que abarque todas as dimensões do Ser humano. A sexualidade inteligente permite ao/à adolescente conhecer as suas reações emotivas, desenvolver a sua afetividade, respeitar a individualidade do Outro, evitar a violência no namoro e resis-

tir às pressões a que é sujeito pelos media, pelos pares e sociedade em geral. Atingir o desenvolvimento consciente, de todas as dimensões que o constituem como Pessoa, torna-se um objetivo rumo à maturidade. Creio que educar neste campo implica um envolvimento abrangente de todos os intervenientes no processo- Escola, Família e Adolescentes – de forma, a que haja uma concertação de meios e mensagens. Neste contexto, cabe à Escola e um papel proeminente, uma vez que reúne o know-how necessário para uma liderança com estas caraterísticas. Assim, com o intuito de envolver as famílias, a escola cumprirá a sua vocação educativa disponibilizando aos pais a formação essencial para um diálogo intergeracional sem mistificações ou tabus. Este é, aliás, um dos grandes objetivos/desafios da Escola de hoje: o envolvimento efetivo da Família/Encarregados de Educação no processo educativo dos seus filhos/educandos. Levar os jovens a conhecerem – se como Pessoa é o passo fundamental para uma sexualidade harmoniosa e consciente que contemplará todas as dimensões do ser humano.

Alunos do Curso Vocacional criam bijutaria

Nos dias dois e onze de dezembro de 2013, os alunos do Curso Vocacional de Turismo e Lazer (9º ano VOC) organizaram uma feira de vendas de artigos de bijutaria que realizaram nas aulas de artesanato.


32| reflexos | janeiro 2014 | poesia

poesia | janeiro 2014 | reflexos | 33

Ao longo do primeiro período foram frequentes os momentos de criação de textos poéticos em situação de sala de aula bem como em sessões de articulação da equipa das Bibliotecas Escolares com os professores titulares de turma/ professores de português. Dos alunos mais novos aos mais velhos todos experimentaram usar as palavras para exprimir as suas ideias em forma de estrofe, com mais ou menos versos, mais ou menos sonoridade, mais ou menos rimas, mas sempre de forma criativa. A qualidade de muitos poemas justifica a sua divulgação. Estes são apenas alguns. Muitos outros podem ser apreciados em www. liga-teapoesia.blogspot.com Já agora um conselho: Para ESCREVER poesia é preciso LER poesia. A maior flor do mundo

Não ou sim?

Poema em T

Era uma vez um menino Que gostava de passear Percorria campos e bosques Sem nunca se cansar.

Não ou sim? Não ou sim? ou brinco com o cão ou brinco com o Martim.

O Tiago Teme o tsunami.

Um dia resolveu Explorar um novo caminho Andou, andou, andou Sentia-se feliz, sozinho. Numa charneca avistou Uma colina redondinha Resolveu subir a encosta E viu uma flor murchinha. Decidiu naquele momento Que tinha de a salvar Foi ao rio vinte vezes Buscar água para a regar. Aquela flor transformou-se Na maior flor do mundo E o menino de tão cansado Caiu num sono profundo. Os pais preocupados Foram à sua procura Encontraram-no a sonhar Com a sua grande aventura. O menino era um herói Para toda a sua aldeia Salvar aquela incrível flor Foi uma fantástica ideia. Reconto da história “A maior flor do mundo” de José Saranago, 4º F, EB Devesinha

Os tigres Os tamboris Não ou sim? As tulipas Não ou sim? Os terraços ou ando a pé As toupeiras ou ando no carro velho que faz um Temem o tsunami. grande chinfrim. Oa trolhas Não ou sim? Os turistas Não ou sim? Os trapezistas ou eu te beijo a ti Os talhantes ou tu me beijas a mim. Os tradutores Temem o tsunami. Não ou sim? Não ou sim? Os terrenos ou vou ao museu sozinho Os teleféricos ou vou com o Joaquim. Os túneis Os teatros Não ou sim? As tasacs Não ou sim? Temem o tsunami. ou vou de avião ou voo de trampolim. A Terra teme o tsunami. Não ou sim? Não ou sim? ou comes o bolo ou dás-me a mim.

Tempo, Não tragas o tsunami.

Quero um amigo Quero um amigo para brincar comigo para me abraçar para me ajudar para ser meu amigo! Quero um amigo Egoísta, não! Quero um amigo do coração. Pedro Diogo, 2º C, EB Enxertos Quero um amigo que seja um tesouro sonhei com um amigo com coração de ouro. Ele era feliz Espalhava alegria Não era real Era só fantasia Procuro esse amigo No meu dia-a-dia Espero por ti Amigo alegria. Gonçalo José, 2ºC, EB Enxertos

Poema coletivo do 2º C da EB Mª de Lurdes Sampaio e Melo Liberdade Não ou sim? (construído à semelhança do Poema não ou sim? em P de Luísa Ducla Soares ou faço uma viagem in Poemas da Mentira e da Verdade) Liberdade onde estás? Dá-me a tua graça ou fico em Portugal, enfim! Dá-me o teu respeito Não me deixes só Excertos dos poemas da turma 3ºC Vagueando sem esperança. daEB Devesinha (criados à semelhança do poema Francisca e Nair, 4º D, Sim ou não? de Luísa DuclaSoares EB Joaquim Pinto in Poemas da Mentira e da Verdade)

A viagem Já os meus avós diziam “O melhor de uma viagem está na jornada, não no destino” Cresci a ouvir histórias Contos de aventuras, lendas e mitos Agora, crescido, o que quero é partir Para vales, montanhas E mares Para um dia poder contar As minhas aventurs Vividas e sonhadas Há quem me chame aventureiro Mas quem me conhece Sabe que sou um mero sonhador! Rafael Costa, João Gomes, 9º B, EB Caldas de Vizela As malas da vida Malas leves, pesadas lembranças Distantes, com a crença de chegar Caminhos estreitos e perigosos Avanço sem temer Lentamente, com o objetivo de chegar Atravessando marés, desertos e tempestades Sem nunca perder o rumo Malas pesadas, tristes Mas há que seguir. Desavenças e aventuras, tudo para lá chegar.

Nas nuvens

A vida

Adormeço sob as estrelas No meu ouvido ecoa Uma linda melodia As nuvens contam uma história Como se fosse magia.

A vida é uma escalada Mas a vista é linda Cada degrau um lição.

Vive o presente Sem nunca pensar no futuro Lua, viaja comigo, Não existe destino Minha grande companheira, Somos nós que o escolhemos Espero que fiques junto de mim Pelo caminho que vamos Durante esta vida inteira. Bem ou mal, são nossas as escolhas, Diogo Gonçalves e Bea Pinto, 6º A, EB as consequências. Caldas de Vizela Quem sou eu? Sou pássaro, sou folha, sou nuvem Que será que sou eu? Sou pássaro perdido, Sou folha voando sozinha, Sou nuvem viajando? Dou-vos uma pista Voo por muitos lados Seguindo o vento puro Venho da primavera Libertei-me no outono Quem sou eu? Ana Rafaela e Beatriz Eulália, 6º E, EB Caldas de Vizela

VascoFerreira, Rui Leite, 9º F, EB Caldas de Vizela Inimiga é A pobreza que faz mal aos meninos A maldade que magoa Amigo é O pirilampoque faz sonhar os meninos O vagabundo sempre em viagem Com olhos cheios de curiosidade E coragem. Eduardo e Rita, 4º D, EB Joaquim Pinto

Somos nós quem decide. Catarina Pacheco e Irina Pedrosa, 9º A, EB Caldas de Vizela

Coração amigo Dá-me um abraço Leva-me contigo No teu regaço Diogo e Ana Leonor, 4ºD, EB Joquim Pinto

FICHA TÉCNICA Propriedade: Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela Coordenação: Antero Ferreira Redação e composição: Filipe Salgado, Olga Simões, Benjamim Mendes. Colaboração: Alunos e professores do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela Contactos: reflexos@aevizela.edu.pt Depósito legal: 77276/94 Preço: Distribuição gratuita Tiragem: 500 exemplares


34| reflexos | janeiro 2014 | pirouettes

atividades | janeiro 2014 | reflexos | 35

VISITA DE ESTUDO

O BARROCO DE BRAGA NAS OBRAS DE ANDRÉ SOARES E CARLOS AMARANTE Le Village d’Astérix enneigé se remet doucement d’un hiver glacial comme jamais, quand Astérix et Obélix font la plus étonnante des découvertes : un jeune homme enfermé dans un glaçon, échoué sur la plage ! Panoramix est formel : il s’agit d’un Picte. Mais qui sont les Pictes ? Des peuples de l’ancienne Ecosse, redoutables guerriers aux multiples clans, dont le nom, donné par les Romains, signifie littéralement « les hommes peints ». Astérix chez les Pictes, c’est donc un voyage épique, en compagnie de Mac Oloch et de la belle Camomilla, vers une contrée riche de traditions. Au fil des pages, on découvre un peuple attachant dont les différences culturelles se traduisent en gags et jeux de mots mémorables. De l’eau de malt, des noms en Mac, des lancers de tronc, des bardes adeptes de la cornemuse, les origines du mur d’Hadrien et du monstre du Loch Ness sont dévoilés ! Et même des Gaulois en kilts, par Toutatis !

No dia 11 do mês de Novembro de 2013, as turmas D e E do 11º ano do curso de Línguas e Humanidades realizaram, no âmbito da disciplina de História, uma visita de estudo ao Barroco em Braga. Para complemento da visita de estudo, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer o Campus de Gualtar da Universidade do Minho. No início da visita de estudo ao Barroco em Braga foram destacadas, aquando da visualização da fachada da capela de Santa Maria Madalena da Falperra e vários outros edifícios, algumas características do estilo barroco. O gosto pelo movimento, transmitido pela utilização de curvas e contra-curvas e fachadas ondulantes; o horror ao vazio, de que resulta a decoração exuberante dos espaços, preenchidos com baixos-relevos, azulejos e talha dourada; procura de ilusões ópticas através de planos assimétricos como ovais e elipses, foram aspectos aos quais o professor deu importante destaque. Foi também referido que o Barroco não só se manifestou na arquitectura, mas também na arte, literatura, música e até na maneira de pensar e de sentir. Prosseguimos a visita para a capela do Bom Jesus do Monte, onde os alunos tiveram “ a oportunidade” de descer o seu imenso escadório e encontrar em cada patamar fontes alusivas aos cinco sentidos e virtudes do ser humano.

Les premières vignettes d’Astérix chez les Pictes !

Des Romains et de la bagarre, c’est tout ce qu’on aime! Le nouvel album Astérix chez les Pictes promet d’offrir le meilleur d’Astérix, mais aussi des surprises et des nouveautés, avec en premier lieu les terribles guerriers Pictes. En voici justement un, reconnaissable à son kilt, digne d’un ancêtre de nos amis écossais. On note un motif en tartan atypique, rappelant le damier d’un drapeau de Formule 1. Une idée d’Albert Uderzo pour rendre ce clan picte particulièrement reconnaissable… et ridicule!

Première image d’un paysage écossais signée Didier Conrad, vol de macareux inclus. Et premier jeu de mots imaginé par Jean -Yves Ferri, avec le très musical Loch Andloll. Pas de doutes, ça va swinguer dans Astérix chez les Pictes! Quel plaisir de revoir le Village sous la neige! Une idée d’Albert Uderzo, qui voulait retrouver une ambiance peu vue dans la série. Seul Abraracourcix s’en plaint: les terrains enneigés ne sont pas propices aux déplacements sur bouclier!

Deux nouveaux gradés Romains, dans la plus pure tradition de la série. Leurs silhouettes, créées par Albert Uderzo, forment un duo à la Laurel & Hardy comme il les affectionne. A voir leurs mines

lité historique, les tatouages des guerriers du Nord de l’actuelle Ecosse ayant inspiré aux Romains le nom de Picti, c’est-à-dire «hommes peints». Une autre bonne nouvelle au passage: nos Pirates préférés semblent être au rendez-vous du nouvel album!

inquiètes, on dirait que les terres écossaises ne sont pas très accueillantes pour les armées de César… Et la surprise: un nouveau personnage qui se bat aux côtés d’Astérix. Un Picte, bien sûr! En témoigne son kilt, mais aussi son imposant tatouage. Un clin d’œil à la réa-

À chegada ao centro da cidade, concentrámo-nos numa praça junto da Igreja de Santa Cruz e junto da Igreja e Fachada do Hospital de S. Marcos e aí foi lançado aos alunos o desafio de encontrarem dois galos na fachada da Igreja de Santa Cruz. De seguida dirigimo-nos para o palacete do Raio, também popularmente conhecido por Casa do Mexicano, onde nos deparámos com uma fachada característica de um género artístico que se situa entre o barroco e o rococó. O tempo escasseava e por isso a visita prosseguiu a um passo constante pela Casa Rolão; a Basílica dos Congregados; considerada por Robert Smith a mais importante e “mais emocionada” obra de André Soares devido à sua expressão imponente e austera e à beleza das suas janelas; o arco da porta nova; o antigo passo do arcebispo, a actual Biblioteca Pública e o Edifício da Câmara; Igreja e convento do Pópulo e por fim a Casa dos Maciéis Aranhas. Finalizada assim a visita de estudo aos edifícios do Barroco, acreditamos que os alunos retiveram as ideias fundamentais que caracterizam o Barroco: horror ao vazio, simetria e ilusão óptica. Após uma manhã cansativa, os alunos dirigiram-se à Universidade do Minho onde pararam para almoçar e conviver entre si. Depois desta breve pausa os alunos tiveram oportunidade de conhecer, por meio de uma visita guiada, diversas unidades do Campus de Gualtar da Universidade do Minho em que se destacou o pavilhão desportivo. Esta visita foi muito atractiva e apelativa para os alunos, despertando o interesse pelo prosseguimento de estudos. Chegado, assim, o final da visita os alunos regressaram a Vizela. Os alunos: Jéssica Oliveira, nº 15, 11º D Marta Lopes, nº 10, 11º E Sara Gabriela, nº 14, 11º E

Capela de S. Maria Madalena na Falperra

Basílica dos Congregados

Fontes com os cinco sentidos

Igreja e Fachada do Hospital de S. Marcos


36| reflexos | janeiro 2014 | notícias

Oito Mortos,dezenas de feridos graves Centenas de milhares de hectares ardidos 2013 está a terminar. Escassos dias volvidos e estaremos em 2014! Geralmente a memória torna-se curta e facilmente esquecemos o flagelo que atinge mais ou menos todos os anos, a floresta portuguesa. Mas o incêndio florestal não se limita a destruir a floresta nativa, com muita frequência queima povoados florestais e atinge populações. Aqui, por onde passa rapidamente destrói tudo: casas, pomares, mata pessoas e aninais, queima maquinaria e reduz a cinzas áreas agrícolas e vinhas. Tudo. Passa o dia, passa a romaria, diz a sabedoria popular! O outono aproximou-se o inverno está a chegar e o assunto passou ao esquecimento. Mas o que nos espera para 2014? Recorrendo a Charles Lyell (1797-1875) que no seu livro Principles of Geology definia o principio das causas atuais: um somatório de pequenos acontecimentos. Recorrendo ao histórico, Portugal este ano, reuniu as condições de severidade mais gravosas dos últimos 14 anos e um dos dez anos mais propicio a incêndios florestais desde 1850! Encontramos a justificação para o grande número de incêndios florestais e de fogachos. Rapidamente esquecemos. Porém a questão inicial mantem-se: "O que nos espera em 2014?" Invariavelmente, se nada se alterar, se as condições de estado de tempo igualarem às de 2003/2005/2013, teremos um cenário de destruição e terror para o verão de 2014. Obviamente pensamos: a Justiça é lenta, o Policiamento é reduzido, a Legislação deveria ser mais severa, os caminhos florestais não estão tratados, a floresta não é limpa.... tudo parece estar sempre na mão dos outros.... Curiosamente: os outros somos nós! As casas grandes fazem-se de tijolos pequenos, e este por sua vez à custa de minúsculos cristais de argila! Assim é um erro grave pensarmos que os contributos individuais, por muito pequenos que sejam, se tornem insignificantes. Depende de todos nós: a limpeza dos terrenos na interface urbano/florestal, denunciar as situações de risco junto à entidades competentes, não lançar pontas de cigarro para o chão, não lançar lixo nas florestas, sensibilizar as comunidades para o problema... Deixo o repto: vamos todos contribuir para melhorar a situação? Prof Vitorino Fausto Tadeu, 11º Grupo B

desporto escolar | janeiro 2014 | reflexos | 37

Corta-mato Escolar Realizou-se no passado dia 20 de Novembro o corta-mato escolar. Nesta atividade estiveram presentes 390 alunos, divididos pelos seguintes escalões: Infantis A masculinos, 134 alunos, Infantis A feminino, 92 alunas, Infantis B masculino, 85 alunos, Infantis B feminino, 46 alunas, Iniciados femininas, 21 alunas, iniciados masculinos, 60 alunos, Juvenis femininas, 21 alunas, juvenis masculinos, 57 alunos, Juniores femininas 5 alunas e 21 juniores masculinos. Foi uma manhã de atividade física diferente, principalmente para os alunos que vieram da escola EB 2, 3. Visitaram a escola secundária e participaram de forma empenhada no corta-mato. A turma do 11ºH, ajudou na organização da atividade, elaborou os cartazes de divulgação e colaboraram nas tarefas de partida/chegada, distribuição de reforço alimentar, reportagem fotográfica e juízes de percurso. Os três primeiros classificados de cada escalão foram os seguintes:

Inf A Fem. 1º

18

Sara Moreira

5ºB

17

Maria Costa

5ºB

33

Lara Neto

5ºE

Inf A Masc. 1º

100

Diogo Lopes

5ºA

105

Simão Oliveira

5ºA

116

André Alves

5ºD Juv. Fem.

Inf B Fem. 1º

240

Patrícia Martins

6ºE

235

Helena Costa

6ºE

202

Beatriz Teixeira

6ºA

Inf B Masc. 1º

357

Tiago Pinto

7ºA

358

André Costa

7ºC

305

Daniel Silva

6ºA

Inic. Fem. 1º

421

Bruna Monteiro

8ºC

400

Paula Martins

9ºC

405

Ana Silva

9ºD

• • • •

http://www.proteccaocivil.pt/Pages/default.aspx http://www.proteccaocivil.pt/clube/index.html http://www.ipma.pt/pt/index.html http://tinyurl.com/pozycee

505

523

544

António Alves Alexandre Mendes Luís Ferreira

619

Ana Catarina Antelo

11ºB

610

Joana Duarte

10ºC

609

Marta Melro

10ºC

Juv. Masc. 1º

750

Martinho

11ºH

724

Jorge Freitas

10ºB

729

Ângelo Gomes

10ºB

Jun. Fem. 1º

802

Ana Sousa

12ºA

800

Inês Costa

12ºB

801

Jéssica

10ºG

Jun Masc.

Ini. Masc. Para saber mais:

9ºC 9ºD 9ºB

711

Guilherme Lopes

12ºF

719 

Cristiano Ferreira

11ºH

906

Tiago Martins

11ºA


38| reflexos | janeiro 2014 | oficina do ambiente

oficina do ambiente | janeiro 2014 | reflexos | 39

AS ALGAS NOS AQUÁRIOS TROPICAIS Introdução

Nos aquários de água tropical e nos aquaterrários em geral, é comum o aparecimento de diversos tipos de algas, de diferentes características e com consequências estéticas, físicas, químicas e biológicas distintas. É o que acontece nos aquários e no aquaterrário que existem no espaço físico da Escola Secundária de Caldas de Vizela, com mais intensidade em determinadas alturas do ano. As algas com interesse para a aquariofilia podem ser classificadas em “boas” e “más”. As consideradas boas estão presentes em pequenas quantidades, o que é indicativo de boa qualidade de água e são facilmente controladas quer por peixes que as consumam quer pela simples remoção durante as rotinas de manutenção. Estas algas são a consequência natural de a água se encontrar com os habituais nutrientes e sujeita a uma fonte de luz. As algas consideradas más, podem ser um indicador de uma má qualidade de água ou constituírem um tipo de alga que invadiu o aquário de uma forma descontrolada prejudicando as condições gerais que o aquariófilo pretendia atingir. No entanto, o rótulo de “má” é subjetivo. Por exemplo, existe um tipo de alga verde, com aspeto de cabelo, que é considerada uma praga por aquariófilos americanos mas é cultivada por aquariófilos europeus como sendo um valioso suplemento alimentar para os peixes. O aparecimento exponencial de algas nos aquários está associado a inúmeros fatores. Assim, iluminação excessiva, elevadas concentrações de nutrientes na água, sobrepovoamento de peixes, excesso de alimentação e deficiente filtração, são alguns dos fatores mais comuns para o desenvolvimento de algas.

Algas Castanhas Formam grupos de manchas acastanhadas macias e são em geral diatomáceas. Normalmente a sua presença indica falta de luz. O aumento dos níveis de luminosidade potencia o desaparecimento destas algas. Retiram-se facilmente limpando o vidro, ou aspirando a área afetada.

Água Verde As algas verdes unicelulares podem, por vezes, reproduzir-se tão depressa que a água se torna verde, sendo este fenómeno causado, regra geral, por uma grande intensidade de luz, nomeadamente, luz solar direta. Este tipo de infestação pode ser removido através de filtros específicos ou por esterilização da água por meio de radiação ultravioleta.

Tipos de Algas (as mais comuns) Azuis-verdes, cianobactérias, algas pegajosas Crescem rapidamente em camadas viscosas azuis-verdes. Espalham-se depressa por todo o lado, muitas vezes têm um cheiro intenso e indicam em geral má qualidade de água. No entanto, as algas azuis-verdes podem fixar azoto e podem ser vistas em aquários com nitratos extremamente baixos. Podem sufocar as plantas e acabar por matá-las. Tratam-se na realidade de cianobactérias. Podem ser fisicamente removidas, mas a reinfestação pode ocorrer, se as condições no aquário permanecerem as mesmas.

Algas em camada Crescem no vidro do aquário, dando origem a um aspeto enevoado quando se olha através do vidro. Removem-se facilmente limpando o vidro. São uma ocorrência normal quando existem níveis elevados de luminosidade.

Outros tipos de algas Existem muitos outros tipos de algas, normalmente mais associadas a aquários plantados. A sua classificação baseia-se no aspeto geral que apresentam. Como exemplo, temos as algas em forma de pontos, algas algodão, algas em forma de barba, algas em forma de cabelos, algas filamentosas, algas em forma de chifre e algas em forma de escova. Profiláticos para as algas / Peixes limpadores de algas Os esporos das algas estão em todo o lado e poderão estar sempre presentes num aquário, a não ser que se tomem algumas medidas drásticas. Para aquários só com peixes, um equipamento com emissão de raios ultravioleta corretamente montado para desinfeção, eliminará os esporos de algas existentes e prevenirá o seu ressurgimento. Para aquários plantados, esta não é uma boa solução uma vez que a luz ultravioleta irá oxidar também alguns oligoelementos necessários às plantas limitando assim o potencial crescimento destas. Infelizmente, condições que são boas para o crescimento de plantas também o são para as algas. Felizmente, as plantas normalmente ganham na competição pelos nutrientes disponíveis com as algas. No entanto, se existe um desequilíbrio com os nutrientes, as algas usam, de uma forma oportunista, tudo aquilo que não é usado pelas plantas superiores. Diferentes algas usam diferentes nutrientes e, quando um desequilíbrio temporário ocorre, a proliferação drástica e espontânea destes organismos é possível mesmo em aquários aparentemente estáveis. Muitos tratamentos passam pela utilização de produtos químicos mais ou menos agressivos, mas o seu aconselhamento está fora do âmbito deste apontamento. O controlo mais eficaz de algas num aquário plantado é feito através de peixes que consomem algas. Para uma maior eficácia, deve assegurar-se que, aquando da montagem de um novo aquário, as algas não se instalam antes das plantas terem a oportunidade de se adaptarem devidamente. Por esta razão e para complementar o filtro biológico, é recomendado que alguns peixes resistentes consumidores de algas sejam colocados logo de início.

Para saber mais: • • •

arcadenoe.sapo.pt http://www.bioaquaria.pt http://www.aquahobby.com


Dia Mundial da Alimentação No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Alimentação, 16 de outubro de 2013, a DECOJovem promoveu um concurso de fotografia ao qual os alunos do 11ºH responderam relembrando a importância de uma alimentação saudável e equilibrada, fotografando os seus frutos e legumes preferidos. Ficam aqui alguns dos registos fotográficos mais significativos.


Reflexos 47