Issuu on Google+

ANSA: promovendo a justiça e solidariedade

ANSA é uma sociedade civil sem fins lucrativos cuja ação é inspirada em valores de militância e compromisso pelos pobres e excluídos da sociedade, a luta contra as causas das injustiças, o respeito e resgate da cultura indígena, sertaneja e da organização popular e a defesa da natureza. As distâncias A ANSA situa-se na região do Baixo Araguaia (150.000 km2), no nordeste do estado de Mato Grosso, entre os rios Araguaia e Xingu. Região isolada e afastada do Brasil “civilizado”, possui renda per capita equivalente a 65% da média nacional e 50% da população ganha menos de 2 USD por dia. Os serviços públicos são precários e o modelo produtivo monocultor aprofunda as desigualdades sociais destroindo o meio ambiente e as culturas tradicionais.

Nossas origens A ANSA foi fundada pela “Tia Irene” e o bispo Pedro Casaldáliga junto com outros leigos militantes, durante a ditadura militar, quando a região era foco de implantação de grandes latifúndios. Desde a sua criação, foi uma instituição de solidariedade a serviço da dignidade, dos direitos e da construção de uma cidadania plena dos povos indígenas, posseiros e “ribeirinhos”.

O que fazemos Trabalhamos em 4 áreas: saúde comunitária, educação e cidadania, economia solidária e meio ambiente. A base social da organização está constituída pelos associados e trabalhadores, sendo a Assembléia o máximo órgão de deliberação e fiscalização. Os projetos da ANSA beneficiam diretamente ao redor de 6.000 pessoas em 15 municípios. Procuramos que os projetos tenham os seguintes critérios: • Que nasçam do diálogo com os beneficiários (proximidade). • Que atendam necessidades básicas das pessoas (pertinência). • Que tenham uma visão a longo prazo que supere o assistencialismo (processo). • Que construam capacidades nos beneficiários e dentro da organização (aprendizagem). • Que integrem valores de solidariedade, respeito à cultura, ao tempos das pessoas, ao meio ambiente e aos movimentos e expressões populares (reforçando o local).

Comércio ilegal de madeira na Amazônia

Camponeses: 2.524,00 Moradores bairros carentes: 739,00 Indígenas: 630,00 Crianças indígenas: 530,00 Crianças e adolescentes: 95,00 Pacientes de hanseníase: 505,00 Lideranças institucionais: 582,00

A ameaça de uma globalização injusta Desde a colônia, o Brasil aposta em um modelo de crescimento que o insira na economia global como grande exportador agrícola. Atualmente, este processo apóia-se, por um lado, na quantidade de terras baratas, de água abundante e na presença de grandes empresas (“agronegócio”), e, por outro lado, no crescimento da demanda de matérias-primas, alimentos e bioenergia. O crescimento baseado em monoculturas de exportação gera grandes prejuízos ao país: dependência As monoculturas estendem-se e recuam segundo os ciclos do mercado internacional. Devido às boas perspectivas de exportação, novas infra-estruturas estão sendo abertas na Amazônia Legal, intensificando os conflitos sociais e o desmatamento. No Baixo Araguaia, após o gado, chegou a soja. A previsão é

A Amazônia é desmatada num ritmo de 20.000/25.000 km2 anuais sendo o total desmatado até hoje de 17%. Nela, 25.000 grandes proprietários ocupam a mesma área que 1,5 milhões de pessoas (segundo o INCRA 45% das áreas são griladas).

dos preços internacionais dos poucos produtos exportados, risco da perda da soberania alimentar, privatização do orçamento da União, perdas de recursos naturais (queimadas e desmatamento), além de criar conflitos sociais (concentração de terras, emigração, desemprego, perda de culturas tradicionais e trabalho escravo). de uma grande extensão de oleaginosas e cana-deaçúcar para produção de biocombustíveis. Em todos esses ciclos o chamado desenvolvimento beneficiou exclusivamente aos grandes proprietários, a maioria de fora da região.

Desmatamento na Amazônia em km2 (x 1000)

Manaus

Desmatamento até 2050: 2.150

AMAZONAS

Desmatamento Desmatamento até o nível até hoje: 700 de colapso: 1.290

Santarém

Ponta de Almeida São Luis

PARÁ Porto Velho Floresta Amazônica Atual: 4.300

0

São Félix do Araguaia

500

1.000

1.500

2.000

2.500

3.000

3.500

4.000

RONDÔNIA

4.500 5.000

MATO GROSSO

Região do Baixo Araguaia

Número de pessoas envolvidas nos conflitos do campo brasileiro CPT - Caderno de conflitos LEGENDA

Estrada pavimentada Estrada a ser pavimentada Hidrovia Ferrovia

Número de municípios: 126

Itacoatiara

Visita de seguimento do agente de crédito

Amazônia Legal

Vitória Santos Paranaguá São Francisco do Sul


Os problemas da nossa região do Baixo Araguaia

Principais projetos da ANSA Fábrica de Polpas Araguaia, desde 2002, desenvolve projetos que procuram alternativas ao modelo produtivo dominante através de pequenas experiências de produção agroecológica e de agroextrativismo.

Reforma Agrária incompleta

No total 1600 famílias são beneficiadas.

Pobreza e suas manifestações:

Crédito Popular Solidário, desde 2000, oferece microcréditos a grupos solidários, a maioria mulheres, para a geração de emprego e renda nos municípios de São Félix do Araguaia, Alto Boa Vista.

Desemprego e exclusão

problemas de saúde, educação e marginalidade das crianças

Aproximadamente, 600 famílias são beneficiados.

Projeto de Educação para a Cidadania

Destruição ecológica

Como você pode nos ajudar • Informando-se e conhecendo os problemas desse “outro Brasil” das regiões mais excluídas. Visite o nosso site (www.ansaraguaia.org.br) • Consumindo e poupando de forma responsável, pensando no meio ambiente e nas populações prejudicadas como conseqüência do estilo de vida moderno. • Divulgando o que aprendeu conosco. • Comprometendo-se na sua cidade para a construção de uma sociedade mais justa e solidária. • Contribuindo economicamente com nossa organização e projetos. Titular - Associação Nossa Senhora da Assunção I Banco Br adesco S/A I Agência 618/1 I Conta 1183-5 l Código s wift: BBDEBRSPBSALFA I www.ansaraguaia.org.br

Projeto SerInã, desde 2005, promove a educação e a cidadania em São Félix do Araguaia. Com atividades lúdicas e pedagógicas, busca resgatar a auto-estima, a cultura local, a conciência ambiental e social além da nutrição de crianças e adolescentes.

Aproximadamente, 600 jovens são beneficiadas. Projeto Fontilles Araguaia, desde 1997, luta contra a hanseníase, sensibilizando à população e oferecendo formação aos membros do sistema sanitário local sobre o diagnóstico e tratamento. Aproximadamente, 600 pessoas são beneficiadas. Programa Gestar, desde 2002, incentiva a gestão e educação ambiental às atuações dos agentes da região (prefeituras, escolas, camponeses, etc.) e mostra alternativas para um modelo sustentável. Aproximadamente, 2.200 pessoas são beneficiadas.

Av. Gov. José Fragelli, n 1050 • Vila Nova • CEP: 78670-000 • São Félix do Araguaia - MT Brasil tel: +55 (66) 3522 16 38 • fax: +55 (66) 3522 15 35 • e-mail: ansaraguaia@ansaraguaia.org.br


Folder_institucional_ANSA