Page 1

LOCUS Ambiente da inovação brasileira

Ano XVIII  |  no  70 Dezembro  2012

DESENVOLVIMENTO PULSANTE Mercado de saúde já corresponde a 8% do PIB brasileiro e segue em expansão acelerada. Negócios na área atraem MPEs inovadoras de diferentes setores, focadas em soluções para melhoria do atendimento à população

O vice-­‐presidente  do  Banco   Mundial,  Otaviano  Canuto,   ˆƒŽƒ•‘„”‡‘•†‡•ƒƤ‘•†‘ crescimento  econômico

A receita  de  sucesso   dos  vencedores  do   Prêmio  Nacional  de   Empreendedorismo  Inovador

Como as  universidades   brasileiras  estão   abrindo  espaço  para  a   inovação 1


Se a sua empresa tem

de 2 anos de 9 funcionários

Estas soluções são para você: Estratégias Empresariais

Gestão da Inovação

Empretec

Gestão Financeira

Você será capaz de fazer uma análise completa do seu ambiente empresarial, identificando pontos fortes e fracos, redefinindo missões e metas corporativas. Também irá elaborar e implementar um plano de ação estratégica.

2

Um seminário desenvolvido pela ONU que lhe motiva a promover mudanças no seu comportamento, aperfeiçoando suas habilidades de negociação e gestão, proporcionando maior segurança nas decisões e aumentando a chance de sucesso da sua empresa.

Descubra que inovação não é só tecnologia. É uma nova forma de pensar e gerir o negócio: fazendo diferente.

Compreenda todas as informações financeiras da sua empresa e transforme-as em ferramentas para decisões seguras e eficientes. Método prático: você aprende enquanto aplica o conteúdo na empresa.


Quem tem conhecimento vai pra frente | 0800 570 0800 | sebrae.com.br

Ligue agora e veja a disponibilidade no seu estado

0800 570 0800

www.sebraemais.com.br

Internacionalização

Prepare sua empresa para conquistar o mercado global, tornando seu produto ou serviço mais competitivo dentro e fora do País.

Encontros Empresariais

Aprenda com a experiência de empresários do seu ou de outros setores. Compartilhe soluções já testadas e amplie sua rede de parceiros e de contatos.

Gestão da Qualidade

Implemente novas crenças e atitudes que deixarão seus clientes mais satisfeitos e sua empresa ainda mais competitiva. Solução dividida em 5 módulos.

Ferramentas de Gestão Avançada

Promove um modelo de gestão baseado em indicadores e metas, além do acompanhamento sistemático da execução e dos resultados. Você não só desenvolve o pensamento estratégico, mas também o aplica no dia a dia. (Disponível nas capitais do CE, PE, PR, RS, SC e SP). 3


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

ÍNDICE

LOCUS

30

Ambiente da inovação brasileira Ano XVIII ∙ Dezembro 2012 ∙ no 70 ∙ ISSN 1980-3842

ƌĞǀŝƐƚĂ>ŽĐƵƐĠƵŵĂƉƵďůŝĐĂĕĆŽĚĂƐƐŽĐŝĂĕĆŽEĂĐŝŽŶĂůĚĞ ŶƟĚĂĚĞƐWƌŽŵŽƚŽƌĂƐĚĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽƐ/ŶŽǀĂĚŽƌĞƐ;ŶƉƌŽƚĞĐͿ Conselho Editorial :ŽƐĞĂůĚŽdŽŶŚŽůŽ;ƉƌĞƐŝĚĞŶƚĞͿ ĂƌůŽƐŵĠƌŝĐŽWĂĐŚĞĐŽ :ŽƌŐĞƵĚLJ DĂƌůŝůŝnjĂďĞƚŚZŝƩĞƌĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ DĂƵƌŝĐŝŽ'ƵĞĚĞƐ DĂƵƌşĐŝŽDĞŶĚŽŶĕĂ Coordenação  e  edição ĠďŽƌĂ,ŽƌŶ Reportagem ƌƵŶĂĚĞWĂƵůĂ͕ĠďŽƌĂ,ŽƌŶ͕ĚƵĂƌĚŽ<ŽƌŵŝǀĞƐ͕>ĂƌŝƐƐĂĂďƌĂů͕ >ƵĐŝĂŶĂZŝďĞŝƌŽ͕>ƵŝƐŶƚŽŶŝŽ,ĂŶŐĂŝ͕>ƵŝnjĂĂƌƌĞŝƌĆŽĞdŚŝĂŐŽsĞƌŶĞLJ

ESPECIAL Confira quais soluções as empresas incubadas estão desenvolvendo na área de saúde e medicina - um mercado que não para der crescer e exige atualização tecnológica constante. Entre os exemplos, empreendimentos que inovam em diversas áreas - do combate a fraudes em atestados até o desenvolvimento de equipamentos complexos para monitoramento cardíaco

Jornalista responsável ĠďŽƌĂ,ŽƌŶ Ddďͬ^ϬϮϳϭϰ:W

6

Direção de  arte:   ƌƵŶĂĚĞWĂƵůĂ Edição  de  arte:   ,ŝĞĚŽĂƟƐƚĂ

10

Revisão sĂŶĞƐƐĂŽůůĂ

ENTREVISTA

EM MOVIMENTO

Foto da  capa ^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

Otaviano Canuto, vice-presidente do Banco Mundial, explica como a inovação pode ajudar o Brasil a atingir altos patamares de desenvolvimento, a exemplo do Japão e de Cingapura

Planejamento para 2013, resgate de memória, eventos e lançamentos de novos programas colocam em evidência o movimento do empreendedorismo inovador brasileiro

Presidente &ƌĂŶĐŝůĞŶĞWƌŽĐſƉŝŽ'ĂƌĐŝĂ Vice-­‐presidente :ŽƌŐĞ>ƵşƐEŝĐŽůĂƐƵĚLJ Diretoria 'ŝƐĂĂƐƐĂůŽ͕ZŽŶĂůĚŽdĂĚġƵWĞŶĂ͕ ^ĠƌŐŝŽZŝƐŽůĂĞdŽŶLJŚŝĞƌŝŐŚŝŶŝ Superintendência ^ŚĞŝůĂKůŝǀĞŝƌĂWŝƌĞƐ Impressão ƐƚĂĕĆŽ'ƌĄĮĐĂ Tiragem Ϯ͘ϬϬϬĞdžĞŵƉůĂƌĞƐ

Produção                                                        Apoio

4

20 26 38 43

Endereço ^E͕ƋƵĂĚƌĂϭ͕ďůŽĐŽ͕ Ě͘ƌĂƐşůŝĂdƌĂĚĞĞŶƚĞƌ͕ƐĂůĂƐϮϬϵͬϮϭϭ ƌĂƐşůŝĂͬ&ͲWϳϬϳϭϭͲϵϬϮ

46

Telefone: ;ϲϭͿϯϮϬϮͲϭϱϱϱ E-­‐mail:  ƌĞǀŝƐƚĂůŽĐƵƐΛĂŶƉƌŽƚĞĐ͘ŽƌŐ͘ďƌ Website:  ǁǁǁ͘ĂŶƉƌŽƚĞĐ͘ŽƌŐ͘ďƌ Anúncios:  ;ϲϭͿϯϮϬϮͲϭϱϱϱ

49 50

SUCESSOŶƟĚĂĚĞƐĞƉĞƐƐŽĂƐƋƵĞĨĂnjĞŵĂĚŝĨĞƌĞŶĕĂƌĞůĂƚĂŵƐƵĂƐ ƚƌĂũĞƚſƌŝĂƐĚĞƐƵĐĞƐƐŽ͕ƋƵĞĂƐůĞǀĂƌĂŵăĐŽŶƋƵŝƐƚĂĚŽWƌġŵŝŽEĂĐŝŽŶĂůĚŽ ŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌŝƐŵŽ/ŶŽǀĂĚŽƌ INVESTIMENTO    &ŝŶĞƉůĂŶĕĂŽƉƌŽŐƌĂŵĂĚĞƐƵďǀĞŶĕĆŽĞĐŽŶƀŵŝĐĂdĞĐŶŽǀĂ͕ ĐŽŵĂƉƌŽŵĞƐƐĂĚĞĚĞƐĐĞŶƚƌĂůŝnjĂƌƌĞĐƵƌƐŽƐĞŵŽďŝůŝnjĂƌĂŐĞŶƚĞƐůŽĐĂŝƐ EDUCAÇÃO    ůĠŵĚĞĚĞƐĞŵƉĞŶŚĂƌƐƵĂƐĨƵŶĕƁĞƐƚƌĂĚŝĐŝŽŶĂŝƐ͕ƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞƐ ĞŶĐĂƌĂŵĂŐŽƌĂŽĚĞƐĂĮŽĚĞƚƌĂŶƐĨĞƌŝƌĐŽŶŚĞĐŝŵĞŶƚŽƉĂƌĂĞŵƉƌĞĞŶĚĞƌĞŝŶŽǀĂƌ OPORTUNIDADE    WƷďůŝĐŽĚŝǀĞƌƐŝĮĐĂĚŽĞdžŝŐĞĐĂĚĂǀĞnjŵĂŝƐĐƌŝĂƟǀŝĚĂĚĞĞ ƉĞƌƐŽŶĂůŝnjĂĕĆŽŶŽĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽĚĞƐŽůƵĕƁĞƐƉĂƌĂĞͲůĞĂƌŶŝŶŐ INSPIRAÇÃOŽŶŚĞĕĂŽƉĞƌĮůĚŽŐƌĂŶĚĞǀĞŶĐĞĚŽƌĚŽWƌġŵŝŽ&ŝŶĞƉĚĞ /ŶŽǀĂĕĆŽϮϬϭϮŶĂĐĂƚĞŐŽƌŝĂ/ŶǀĞŶƚŽƌ/ŶŽǀĂĚŽƌ͕DĂƌĐŽƵƌĠůŝŽDĂĐŚĂĚŽ͘KƐ ŽƵƚƌŽƐĚŽŝƐĮŶĂůŝƐƚĂƐƚĂŵďĠŵĐŽŶƚĂŵƐƵĂƐŚŝƐƚſƌŝĂƐĚĞƉĞƌƐĞǀĞƌĂŶĕĂ CULTURAŐŝŐĂŶƚĞĂŵĞƌŝĐĂŶĂŵĂnjŽŶĐŚĞŐĂĂŽƌĂƐŝůŽĨĞƌƚĂŶĚŽŵĂŝƐĚĞ ϭϯŵŝůơƚƵůŽƐĚĞĞͲŬƐĞŵƉŽƌƚƵŐƵġƐŶĂƐƵĂůŽũĂǀŝƌƚƵĂů OPINIÃO    DĂƵƌŝĐŝŽ'ƵĞĚĞƐƐƵŐĞƌĞƵŵĂƌĞŇĞdžĆŽƐŽďƌĞĂŝŶƐĞƌĕĆŽ͕ŶŽŵĞƌĐĂĚŽ ďƌĂƐŝůĞŝƌŽ͕ĚĞďŽůƐŝƐƚĂƐĚŽƉƌŽŐƌĂŵĂŝġŶĐŝĂ^Ğŵ&ƌŽŶƚĞŝƌĂƐ


CARTA AO LEITOR

U

ŵŵĞƌĐĂĚŽĞŵĞďƵůŝĕĆŽĞƵŵĂĄƌĞĂĞŵƋƵĞĂƐĨƌŽŶƚĞŝƌĂƐ ĚŽ ĐŽŶŚĞĐŝŵĞŶƚŽ ƐĆŽ ƵůƚƌĂƉĂƐƐĂĚĂƐ Ğŵ ǀĞůŽĐŝĚĂĚĞ ŝŵͲ ƉƌĞƐƐŝŽŶĂŶƚĞ͘KƌĞƐƵůƚĂĚŽĚĞƐƐĂĐŽŵďŝŶĂĕĆŽŶĆŽƉŽĚĞƌŝĂ ƐĞƌŽƵƚƌŽ͗ŝŶŽǀĂĕĆŽ͘ďƵƐĐĂƉŽƌŶŽǀŽƐƉƌŽĚƵƚŽƐ͕ƐĞƌǀŝĕŽƐ

ĞƐŽůƵĕƁĞƐŶĂĄƌĞĂĚĞƐĂƷĚĞƚĞŵĂƚƌú̎ŐŝŐĂŶƚĞƐĚĂĄƌĞĂŵĠĚŝĐĂĞ

LOCUS Ambiente da inovação brasileira

ĐƌŝĂĚŽŵƵŝƚĂƐŽƉŽƌƚƵŶŝĚĂĚĞƐƉĂƌĂƉĞƋƵĞŶĂƐĞŵĠĚŝĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐ͘ ŽŵŽĂƉŽŝŽĚĞŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĞƉĂƌƋƵĞƐƚĞĐŶŽůſŐŝĐŽƐ͕ŶŽǀŽƐĞŵƉƌĞͲ ĞŶĚŝŵĞŶƚŽƐďƵƐĐĂŵƐƵĂĨĂƟĂŶĞƐƐĞŵĞƌĐĂĚŽƋƵĞŚŽũĞĐŽƌƌĞƐƉŽŶĚĞĂ ϴйĚŽWƌŽĚƵƚŽ/ŶƚĞƌŶŽƌƵƚŽ;W/ͿŶŽƌĂƐŝůʹŶŽƐƐƚĂĚŽƐhŶŝĚŽƐ͕ĞƐƐĞ şŶĚŝĐĞĐŚĞŐĂĂϭϴй͘ĞĞƋƵŝƉĂŵĞŶƚŽƐƉŽƌƚĄƚĞŝƐƉĂƌĂŵŽŶŝƚŽƌĂŵĞŶƚŽ ĐĂƌĚşĂĐŽĂƵŵĂƌĞĚĞƐŽĐŝĂůĞdžĐůƵƐŝǀĂƉĂƌĂŵĠĚŝĐŽƐ͕ƉĂƐƐĂŶĚŽƉĞůŽƵƐŽ ĚĞĐĠůƵůĂƐͲƚƌŽŶĐŽ͕ƐĆŽŝŶƷŵĞƌĂƐĞƐƵƌƉƌĞĞŶĚĞŶƚĞƐĂƐƐŽůƵĕƁĞƐĚĞƐĞŶͲ ǀŽůǀŝĚĂƐƉŽƌĞŵƉƌĞƐĂƐĚĞƚŽĚŽŽƉĂşƐ͘ EĂŵĂƚĠƌŝĂĚĞĐĂƉĂĚĞƐƚĂĞĚŝĕĆŽ͕>ŽĐƵƐƚƌĂnjƵŵĂĂŵŽƐƚƌĂĚĞƐƐĞ ƐĞƚŽƌ͕ŝŵƉƵůƐŝŽŶĂĚŽƉĞůŽĐƌĞƐĐŝŵĞŶƚŽĚĂůŽŶŐĞǀŝĚĂĚĞĚĂƉŽƉƵůĂĕĆŽĞ͕ ŶŽĐĂƐŽďƌĂƐŝůĞŝƌŽ͕ƉŽƌƵŵĂĐůĂƐƐĞĞŵĂƐĐĞŶƐĆŽ͕ƐĞĚĞŶƚĂƉŽƌĂƚĞŶĚŝͲ ŵĞŶƚŽƋƵĂůŝĮĐĂĚŽ͘DƵŝƚĂƐĚĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐĐŝƚĂĚĂƐŶĂƌĞƉŽƌƚĂŐĞŵĐŽŶͲ ƚĂƌĂŵĐŽŵƌĞĐƵƌƐŽƐĚĞƉƌŽŐƌĂŵĂƐĚĞĨŽŵĞŶƚŽƉĂƌĂĚĞƐĞŶǀŽůǀĞƌƐĞƵƐ

DESENVOLVIMENTO PULSANTE

ƉƌŽĚƵƚŽƐĞƐĞƌǀŝĕŽƐ͘ŚĄƵŵĂŶŽǀĂĞƐƉĞƌĂŶĕĂĚĞƋƵĞĞdžĞŵƉůŽƐĐŽŵŽ ĞƐƐĞƐƐĞŵƵůƟƉůŝƋƵĞŵĞŵƚŽĚŽƉĂşƐ͗ŽdĞĐŶŽǀĂ͕ŶŽǀŽƉƌŽŐƌĂŵĂůĂŶͲ ĕĂĚŽƉĞůĂ&ŝŶĂŶĐŝĂĚŽƌĂĚĞƐƚƵĚŽƐĞWƌŽũĞƚŽƐ;&ŝŶĞƉͿƉĂƌĂƐƵďǀĞŶĕĆŽ ĞĐŽŶƀŵŝĐĂĚĞŵŝĐƌŽĞƉĞƋƵĞŶĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐŝŶŽǀĂĚŽƌĂƐ͘ EĂ ƐĞĕĆŽ /ŶǀĞƐƟŵĞŶƚŽƐ͕ ĚĞƚĂůŚĂŵŽƐ Ž dĞĐŶŽǀĂ͕ ƋƵĞ ƚĞŵ ĐŽŵŽ ƉƌŝŶĐŝƉĂŝƐ ĚŝĨĞƌĞŶĐŝĂŝƐ͕ Ğŵ ƌĞůĂĕĆŽ Ă ŽƵƚƌĂƐŝŶŝĐŝĂƟǀĂƐĚŽŐġŶĞƌŽ͕ĂƉƌŝŽƌŝnjĂĕĆŽĚĞƉƌŽũĞƚŽƐƌĞŐŝŽŶĂŝƐĨŽĐĂĚŽƐĞŵŝŶŽǀĂĕĆŽʹϲϬйĚŽƐƌĞĐƵƌƐŽƐ ƐĞƌĆŽĂƉůŝĐĂĚŽƐĞŵĄƌĞĂƐŝŶĚŝĐĂĚĂƐƉĞůŽƐĞƐƚĂĚŽƐ͘ĞdžƉĞĐƚĂƟǀĂĠĚĞƋƵĞŽdĞĐŶŽǀĂĨŽŵĞŶƚĞŽĚĞƐĞŶͲ ǀŽůǀŝŵĞŶƚŽĚĞŶŽǀŽƐƉƌŽĚƵƚŽƐ͕ƐĞƌǀŝĕŽƐĞƉƌŽĐĞƐƐŽƐ͕ĂũƵĚĂŶĚŽĂŵŝŶŝŵŝnjĂƌĂƐĂƐƐŝŵĞƚƌŝĂƐĞĐŽŶƀŵŝĐĂƐĞ ƐŽĐŝĂŝƐĞdžŝƐƚĞŶƚĞƐĞŶƚƌĞĂƐĚŝĨĞƌĞŶƚĞƐƌĞŐŝƁĞƐĚŽƉĂşƐ͘ŽƚŽĚŽ͕ZΨϭϵϬŵŝůŚƁĞƐƐĞƌĆŽƌĞƉĂƐƐĂĚŽƐƉĞůĂ&ŝŶĞƉ ĂƉĂƌĐĞŝƌŽƐĞƐƚĂĚƵĂŝƐ͕ŽƉŽƌƚƵŶŝnjĂŶĚŽ͕ƚĂŵďĠŵ͕ƋƵĞŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĚĞĞŵƉƌĞƐĂƐĞƉĂƌƋƵĞƐƚĞĐŶŽůſŐŝĐŽƐƐĞ ŝŶƚĞŐƌĞŵĂĞƐƐĞƐĂŐĞŶƚĞƐĞƉĂƌƟĐŝƉĞŵĚŽƉƌŽĐĞƐƐŽ͘ ůŝĕĆŽĞŶƐŝŶĂĚĂƉĞůŽƐĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌĞƐĂƉƌĞƐĞŶƚĂĚŽƐŶĞƐƚĂĞĚŝĕĆŽĚĂ>ŽĐƵƐ͕ƋƵĞƚƌĂnjŵƵŝƚĂƐŽƵƚƌĂƐŵĂƚĠͲ ƌŝĂƐŝŶƚĞƌĞƐƐĂŶƚĞƐ͕ĠĚĞƋƵĞŝŶŽǀĂƌĠŽĐĂŵŝŶŚŽƉĂƌĂŽġdžŝƚŽ͘ĂŵŝŶŚŽĞƐƐĞƉĞƌĐŽƌƌŝĚŽĐŽŵůŽƵǀŽƌƉĞůŽƐĐŝŶĐŽ ǀĞŶĐĞĚŽƌĞƐĚŽWƌġŵŝŽEĂĐŝŽŶĂůĚĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌŝƐŵŽ/ŶŽǀĂĚŽƌϮϬϭϮ͕ƉƌŽŵŽǀŝĚŽƉĞůĂŶƉƌŽƚĞĐ͕ĐŽŵŽĂƉŽŝŽ ĚŽ^ĞďƌĂĞ͘ŵĐŽŵƵŵ͕ĂƐŚŝƐƚſƌŝĂƐĚĞD//dĞĐŶŽůſŐŝĐŽ͕/ŶĐƵďĂĚŽƌĂĚĂŽƉƉĞͬh&Z:͕^ƵƉĞƌĂ͕ŵďŝĚĂĚŽƐĞ^W ^ŝŵƵůĂƚŽƌƐʹĞƐƐĂƐĚƵĂƐƉƌĞŵŝĂĚĂƐĐŽŵŽŵĞůŚŽƌĞŵƉƌĞƐĂƐŐƌĂĚƵĂĚĂĞŝŶĐƵďĂĚĂ͕ƌĞƐƉĞĐƟǀĂŵĞŶƚĞʹƌĞǀĞůĂŵ ĂƉĞƌƐŝƐƚġŶĐŝĂĚĞƉĞƐƐŽĂƐĞŝŶƐƟƚƵŝĕƁĞƐĚĞƚĞƌŵŝŶĂĚĂƐĂĨĂnjĞƌĂĚŝĨĞƌĞŶĕĂŶĂƌĞŐŝĆŽĞŶŽƐĞƚŽƌĞŵƋƵĞĂƚƵĂŵ͘ EĂƐĞĕĆŽ^ƵĐĞƐƐŽ͕ĂƉĂƌƟƌĚĂƉĄŐŝŶĂϮϬ͕ĠƉŽƐƐşǀĞůĐŽŶŚĞĐĞƌŵĞůŚŽƌĂƚƌĂũĞƚſƌŝĂĚĞĐĂĚĂƵŵĚŽƐǀĞŶĐĞĚŽƌĞƐ͘ ĂũƵŶĕĆŽĚĞƚƌĂũĞƚſƌŝĂƐǀŝƚŽƌŝŽƐĂƐĚĞŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĚĞĞŵƉƌĞƐĂƐ͕ƉĂƌƋƵĞƐƚĞĐŶŽůſŐŝĐŽƐ͕ƉƌŽũĞƚŽƐĞĞŵͲ ƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽƐŝŶŽǀĂĚŽƌĞƐƌĞƐƵůƚĂƵŵŵŽǀŝŵĞŶƚŽƐŝŶĠƌŐŝĐŽ͕ƋƵĞĞŵϮϬϭϮĐĞůĞďƌŽƵŽƐϮϱĂŶŽƐĚĂŶƉƌŽͲ ƚĞĐ͕ƵŵŵĂƌĐŽĚĂŵĂƚƵƌŝĚĂĚĞĚŽĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌŝƐŵŽŝŶŽǀĂĚŽƌŶŽƌĂƐŝů͘>ŽĐƵƐƐĞŽƌŐƵůŚĂĚĞƌĞŇĞƟƌĂ ŐƌĂŶĚĞnjĂĚĞƐƐĞŵŽǀŝŵĞŶƚŽĂĐĂĚĂĞĚŝĕĆŽ͘YƵĞĞŵϮϬϭϯƉŽƐƐĂŵŽƐĐŽŶƟŶƵĂƌĐŽŶƚĂŶĚŽďŽĂƐŚŝƐƚſƌŝĂƐ͘ MƟŵĂůĞŝƚƵƌĂ͊ Conselho Editorial

5


DĂƌĐŽƐ/ƐƐĂͬE/

Inovação para mudar de patamar Inovação é a melhor ferramenta para tirar o Brasil da lista dos países de renda média e elevá-lo ao mesmo patamar dos orientais Japão, Coreia do Sul, Cingapura, bem como Hong Kong e Taiwan, na China. Essa é a convicção do vice-presidente do Banco Mundial, Otaviano Canuto dos Santos Filho. Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Canuto foi professor na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e na Universidade de São Paulo (USP), além de ter trabalhado como secretário de Assuntos Internacionais no Ministério da Fazenda. No Banco Mundial, atua na área de Redução de Pobreza e Gestão Econômica. “O melhor incentivo é o retorno de mercado, não o dinheiro público”, afirma, ao defender que não são necessários subsídios para o desenvolvimento de novas ideias e tecnologias. Para ele, a responsabilidade do governo é garantir um cenário bem regulado, no qual o empresário se sinta seguro para investir P OR LUC I A N A R IB E IR O 6


ENTREVISTA > Otaviano Canuto

LOCUS >   Como   o   senhor   avalia   a   situação   da   economia  mundial?  

expectativas negativas e acentua a falta de disposição do setor privado a tirar da gaveta

Otaviano Canuto > É um cenário cheio

projetos de investimento. Mas o baixo ritmo de

de riscos de uma desaceleração conjunta. O

crescimento brasileiro não é algo que pode ser

principal deles é não haver avanço suficien-

explicado somente pelo cenário externo.

te no enfrentamento da situação da Zona do Euro e, a partir disso, a baixa perspectiva de crescimento contaminar as expectativas das principais economias da Europa ‒ em especial França e Alemanha ‒, acabar arrastando toda a

ŵƵŵĚĞƐĞƵƐĂƌƟŐŽƐ͕ŽƐĞŶŚŽƌĂůĞƌƚĂƉĂƌĂĂ ĚŝĮĐƵůĚĂĚĞƋƵĞƉĂşƐĞƐĚĞŵĠĚŝĂƌĞŶĚĂĞŶĨƌĞŶ-­‐ tam para  alcançar  o  patamar  de  alta  renda.  A   ƋƵĞĨĂƚŽƌĞƐŽƐĞŶŚŽƌĂƚƌŝďƵŝĞƐƐĂĚŝĮĐƵůĚĂĚĞ͍

região e, de tabela, o mundo inteiro. O segundo

A uma acomodação dos países em relação à

risco é o de os Estados Unidos não chegarem,

agenda de melhoria institucional, que é neces-

em tempo, a algum acordo sobre o abismo

sária para a nova etapa de evolução do nível de

fiscal. Essa possibilidade já vem afetando o

renda de um país. Não é por acaso que muitos

próprio desempenho da economia americana

países que conseguem transitar de um nível de

‒ que poderia estar indo melhor não fosse a

renda baixo para um nível médio ficam pati-

sombra de incertezas quanto ao resultado da

nando depois. O Brasil é um exemplo. Isso tem

negociação do ajuste fiscal no Congresso. Um

a ver com o que discutimos antes.

terceiro risco, menor, é de os sinais de recuperação de crescimento da China não se materializarem na intensidade necessária para manter o nível dos preços das commodities em um patamar que permita aos países produtores continuarem se beneficiando da expansão chinesa. Então, é um cenário complicado porque há muitos riscos que vão depender de uma

“O CONTEÚDO DO TRABALHO QUE LEVA UM PAÍS A EVOLUIR DO NÍVEL DE RENDA BAIXO PARA O MÉDIO NÃO É O MESMO QUE LEVA UM PAÍS DA RENDA MÉDIA PARA A ALTA”

dinâmica que não é estritamente econômica, mas política.

A agenda para essa nova etapa é outra. É uma agenda que vai ter de envolver um maior

Como está  o  Brasil  nesse  panorama?  Recente-­‐ mente,   foi   anunciado   que   o   PIB   cresceu   0,6%   no  terceiro  trimestre.  O  resultado  é  consequên-­‐ cia  do  cenário  internacional?

esforço de aprimorar não só a infraestrutura

Esse desapontamento com os números do

É uma agenda que está em segundo plano. O

terceiro trimestre tem mais a ver com a exaus-

conteúdo do trabalho que leva um país a evo-

tão do padrão de crescimento da economia nos

luir do nível de renda baixo para o médio não

últimos anos do que com fenômenos externos.

é o mesmo que leva um país da renda média

Os serviços foram os principais responsáveis

para a alta. Isso é o que mostra a experiência

por essa discrepância entre a expectativa de

dos que conseguiram fazer: os cinco asiáticos

crescimento e os números reais que vieram.

‒ Japão, Coreia do Sul, Cingapura, Hong Kong

A verdade é que os serviços vinham compen-

e Taiwan ‒, Israel e Ilhas Maurício. Você tem

sando o desenvolvimento industrial pífio. Já

de ter um quadro institucional que permita

no lado agrícola, durante os anos anteriores,

que as transações econômicas privadas ocor-

tivemos o benefício da elevação dos preços

ram a baixo custo. O suporte vindo do gasto

das commodities ‒ o que deixou de ser o caso.

público em termos de infraestruturas também

O cenário internacional afeta porque reforça

não é suficiente. O ponto-chave é que, para al-

básica, mas também a infraestrutura avançada ‒ uma conexão mais eficiente entre aquilo que se faz nas universidades e no setor privado.

7


ENTREVISTA > Otaviano Canuto

guém investir e assumir riscos, é preciso ter segurança de que não vai ser surpreendido por medidas de política ad hoc.

O Brasil  tem  adotado  essas  medidas?

Como o  senhor  falou,  o  governo  precisa  garan-­‐ ƟƌƵŵĐĞŶĄƌŝŽƉĂƌĂƋƵĞĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐƐĞƐŝŶƚĂŵ ŵĂŝƐ ĐŽŶĮĂŶƚĞƐ ƉĂƌĂ ŝŶǀĞƐƟƌ͘ ůĠŵ ĚŝƐƐŽ͕ ĂƐ ĐŽŵƉĂŶŚŝĂƐƉŽĚĞŵĞdžŝŐŝƌŵĂŝƐŝŶĐĞŶƟǀŽăƐĂƟ-­‐ vidades  de  Pesquisa  e  Desenvolvimento?

O Brasil ainda não tem uma estrutura insti-

Não é incentivo. O melhor incentivo é o re-

tucional que permita dar tranquilidade a esse

torno de mercado, não é o dinheiro público.

respeito. Precisamos de um pouco mais de es-

Isso me dá agonia. Toda vez que a gente con-

tabilidade nas regras.

versa com brasileiro, a primeira ideia que vem é que, se é para caminhar nessa direção, então precisa de incentivo, como se fosse subsídio.

“O BRASIL ATÉ QUE VAI BEM NA ÁREA DE PESQUISA UNIVERSITÁRIA, MAS TEM UM DESCOMPASSO ENORME ENTRE A

Aí é que não pode.

Como o  Brasil  está  nesse  âmbito  de  pesquisa  e   inovação?  Está  se  desenvolvendo? Não no setor privado. O Brasil até que vai

QUALIDADE E A QUANTIDADE DESSA

bem na área de pesquisa universitária, mas

PESQUISA E O DESENVOLVIMENTO

dade e a quantidade dessa pesquisa e o de-

TECNOLÓGICO NO SETOR PRIVADO”

tem um descompasso enorme entre a qualisenvolvimento tecnológico no setor privado. Esse é um problema crônico no Brasil, com algumas exceções. É claro que as exceções

Nessa transição   da   renda   média   para   a   alta,   ƋƵĂůĂŝŵƉŽƌƚąŶĐŝĂĚŽƐŝŶǀĞƐƟŵĞŶƚŽƐĞŵƉĞƐ-­‐ quisa,  desenvolvimento  e  inovação?

estão nos setores em que o país tem atividade de alta renda, como a agricultura ‒ onde ela é sofisticada tecnologicamente ‒, a capa-

Fundamental. Principalmente o investimen-

cidade de exploração de petróleo em águas

to por parte das empresas. É aí que o nosso

profundas e a indústria aeronáutica, a Em-

desempenho é pífio. Não se trata só de dinhei-

braer. O problema é que são poucos exem-

ro. As empresas até têm dinheiro. Não é uma

plos.

questão de ter subsídio. É ter regras que digam ao setor privado: faça investimento em desenvolvimento que você terá um retorno. Você não estará sujeito à incerteza de regras .

O empreendedorismo   desenvolvido   em   am-­‐ bientes   como   incubadoras   e   parques   tecno-­‐ ůſŐŝĐŽƐƚĞŵĂũƵĚĂĚŽŶŽĐƌĞƐĐŝŵĞŶƚŽĚŽƉĂşƐ͍

Isso significa que quem buscar eficiência será

Esse é um dos instrumentos que se usa lá

premiado. Um detalhe importante é o seguin-

fora e que o Brasil tem usado. Obviamente, há

te: é claro que o Brasil tem potencial de cresci-

casos de mais e de menos sucesso, mas é uma

mento, agora o que a gente precisa é operar do

ferramenta que gera resultados. Basta pensar,

lado da oferta agregada. A criação de mercado

por exemplo, na produção de software que se

via políticas públicas combinadas com estabili-

conseguiu em Pernambuco e que tem muito a

dade macroeconômica funcionou bem, deu um

ver com esse esforço.

fôlego enorme ao país nos últimos dez anos, mas é hora de a gente se voltar para as condições de oferta. O problema do baixo crescimento econômico do país agora deriva de um desempenho de aumento de produtividade muito abaixo do que deveria ser. 8

De que   forma   essas   inovações,   muitas   vezes   desenvolvidas   em   incubadoras   e   parques   tec-­‐ nológicos,   podem   contribuir   para   acelerar   o   ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽĚŽƉĂşƐ͍ É a coisa mais importante, é a mais espe-


ENTREVISTA > Otaviano Canuto

DĂƌĐŽƐ/ƐƐĂͬE/

cial, porque ela vai aumentar o valor do que a gente produz no país. O valor cresce de acordo com o conteúdo tecnológico e com o insumo em termos de capital humano que é necessário na produção. É a única maneira de o país ter maior valor na escala global e, portanto, termos um poder de compra de renda alta.

Elas também  podem  ajudar  na  correção  das  as-­‐ simetrias  sociais?  Ou  seriam  ferramentas  espe-­‐ ĐşĮĐĂƐƉĂƌĂŽĐƌĞƐĐŝŵĞŶƚŽĞĐŽŶƀŵŝĐŽ͍ Acho que as coisas devem caminhar em conjunto. O Brasil tem tido um desempenho social bom por conta de priorização das políticas públicas e do aprendizado. Um dos problemas é que uma grande parte dos custos serve de subsídio à gente que não está na base da pirâmide de renda. Aliás, existe um potencial de empreendedorismo do pessoal da parte de baixo da pirâmide, que está aflorando como resultado das oportunidades de mercado, trazidas pela redução da pobreza. É preciso ver que o desenvolvimento do setor de tecnologia de uso não pode ser retardado. Se analisarmos os cinco casos dos países asiáticos, há dois ‒ Japão e Coreia ‒ onde havia uma preocupação muito grande em gerar campeões mundiais. Por outro lado, outros três exemplos ‒ Cingapura, Hong Kong e Taiwan̶, no lugar de tentarem produzir campeões, estabeleceram uma plataforma local de infraestrutura avançada para se tornar um espaço de investimento em atividades de

investidor sobre o resultado de seu esforço,

inovação. No Brasil, isso deveria ser priori-

ninguém vai fazer inovação.

dade. Estabelecer o mais cedo possível uma plataforma de telecomunicações e de informática que facilite a circulação de ideias e o desenvolvimento de inovações.

YƵĂůĂƐƵĂĞdžƉĞĐƚĂƟǀĂƉĂƌĂŽĨƵƚƵƌŽĚĂĞĐŽŶŽ-­‐ mia brasileira? Para levantar a taxa de crescimento e sustentá-la ao redor de 4% teremos de en-

EĞƐƐĞ ƐĞŶƟĚŽ͕ ƋƵĂů Ă ŝŵƉŽƌƚąŶĐŝĂ ĚŽ ĂƉĞƌĨĞŝ-­‐ çoamento do   sistema   de   registro   de   patentes   para  fomentar  essa  inovação?

frentar com mais vontade uma agenda de

Isso é uma precondição para ter alguém

do quadro regulatório para se ter um envol-

fazendo o esforço de inovação. Se você não

vimento de investimento privado em áreas de infraestrutura. L

tem uma estrutura que proteja os direitos do

reformas: reforma tributária, revisão da qualidade do gasto público e fortalecimento

9


EM MOVIMENTO

NACIONAL

Conselho diretor do MCTI aprova plano de investimento do FNDCT para 2013 ƵŐƵƐƚŽŽĞůŚŽͬDd/

tacou a recuperação do FNDCT, após restrições orçamentárias em 2011 e 2012. Toda a nossa ação neste ano foi na linha de estancar esses cortes, e eu diria que eles foram atenuados por uma política agressiva, que começou em 2011 , avaliou. Um dos objetivos para o próximo ano é garantir a interlocução entre o Plano Brasil Maior e a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Participaram da reunião os presidentes da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen/MCTI), An&ƵŶĚŽĠĨŽƌŵĂĚŽƉŽƌƌĞƉƌĞƐĞŶƚĂŶƚĞƐĚŽŐŽǀĞƌŶŽ͕ĚĂĐŽŵƵŶŝĚĂĚĞĐŝĞŶơĮĐĂ ĞĚŽƐĞƚŽƌĞŵƉƌĞƐĂƌŝĂů

Representantes do governo, da comunidade científica e do setor

gelo Padilha, do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE, orga-

fundos setoriais, que se reúnem em

nização social supervisionada pelo

dezembro.

MCTI), Mariano Laplane, da Coor-

empresarial definiram as diretrizes

De acordo com ministro do

denação de Aperfeiçoamento de

para alocar os R$ 4,4 bilhões previs-

MCTI, Marco Antonio Raupp, a

Pessoal de Nível Superior (Capes/

tos para o Fundo Nacional de Desen-

pasta deve lançar mão de parce-

MEC), Jorge Guimarães, e da Socie-

volvimento Científico e Tecnológico

rias com outras áreas do Governo

dade Brasileira para o Progresso da

(FNDCT) em 2013. As definições

Federal para aumentar sua capaci-

Ciência (SBPC), Helena Nader, entre

orientam os comitês gestores dos

dade de investimento. Raupp des-

outras autoridades.

Parques tecnológicos passam por avaliação do PNI O Comitê Consultivo do Programa Nacional de Apoio às Incubado-

10

nos dias 21 e 22 de novembro, na sede do CNPq, em Brasília (DF).

atuantes em polos brasileiros. O Comitê apontou, ainda, alguns

ras de Empresas e Parques Tecnoló-

Na ocasião, foram apresentados

gargalos a serem superados para que

gicos (PNI) se reuniu em novembro

dados parciais sobre as fases de

os parques tecnológicos ganhem mais

para avaliar a gestão dos parques

implantação dos parques, as novas

aderência no Brasil. Foi destacada a

tecnológicos brasileiros. O encontro

iniciativas para atrair empresas às

necessidade de maior visibilidade para

aconteceu durante a programação

unidades consolidadas e as linhas de

atrair mais empresas, além da adoção

do workshop Parques Tecnológicos:

crédito disponíveis para o fomento

de uma tributação diferenciada para

Atualidades e Tendências, realizado

da inovação de instituições privadas

empreendimentos focados em P&D.


EM MOVIMENTO

NACIONAL

ĂǀŝĚZĞŐŽ:ƌͬ͘Dd/

Governo Federal lança Startup Brasil

KŵŝŶŝƐƚƌŽĚŽDd/͕DĂƌĐŽŶƚŽŶŝŽZĂƵƉƉ͕ůĂŶĕĂŽWƌŽŐƌĂŵĂ^ƚĂƌƚͲƵƉƌĂƐŝůĞŵĐĞƌŝŵƀŶŝĂƌĞĂůŝnjĂĚĂĞŵ^ĆŽWĂƵůŽ

O Programa Start-up Brasil foi

e coloca o governo como participan-

primeiro local no exterior previsto

lançado no último dia 29 de novem-

te de um grande mecanismo voltado

para atuação é o Vale do Silício, na

bro, em São Paulo (SP), pelo ministro

para o empreendedorismo e a inova-

Califórnia, Estados Unidos.

de Ciência, Tecnologia e Inovação,

ção na área de TI, cuja característi-

O objetivo do programa é for-

Marco Antonio Raupp. O ministro

ca é a rápida evolução tecnológica ,

talecer a emergência de empresas

destacou a necessidade de que o

afirma Raupp.

de base tecnológica, com grande

governo, com o programa, seja ágil

O ministro anunciou a intenção

impacto e foco no atendimento das

para acompanhar o ritmo do setor

de estender a experiência a outros

demandas de mercado. Na primeira

de tecnologia da informação (TI).

setores. Alguns, como o de óleo e

etapa, serão selecionadas seis ace-

gás, possuem inclusive característi-

leradoras. Cada uma escolherá até

cas semelhantes , comentou.

oito startups, num total de 40. Cada

Na ocasião, Raupp lançou edital para selecionar aceleradoras e star-

startup receberá R$ 200 mil para o

tups. O MCTI também celebrou um acordo de cooperação com a Agên-

Parceria

desenvolvimento do negócio em até

cia Brasileira de Promoção de Expor-

O presidente da Apex, Mauri-

12 meses. Os recursos são não reem-

tações e Investimentos (Apex-Brasil)

cio Borges, afirmou que a agência

para internacionalização do progra-

abraçou a causa e já tem gestores

Os interessados podem submeter

ma. A iniciativa, com investimento

preparados para atuar na iniciati-

propostas de aceleradoras até 31 de

de R$ 40 milhões, é parte do Progra-

va. Nós vamos buscar atração de

janeiro de 2013 e a divulgação dos

ma Estratégico de Software e Servi-

investimentos com escritórios em

resultados está prevista para 1º de

ços de Tecnologia da Informação (TI

vários países para que os resultados

março, seguida do início das opera-

Maior). O programa é emblemático

apareçam em pouco tempo , disse. O

ções.

bolsáveis.

11


NACIONAL

Café Anprotec & Parceiros destaca trajetória do movimento 'ŝůŵĂƌ&Ġůŝdž

contem com o MCTI, contem com a Secretaria , destacou. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) foi representado pelo secretário de Inovação, Nelson Fujimoto. Entre os desafios da Anprotec está a articulação do fomento ao empreendedorismo inovador para a promoção da competitividade. Continuem contando com a parceria do MDIC , disse. Parceiro da Anprotec em diversos projetos e iniciativas, o Sebrae foi representado pelo diretor técnico da instituição, Carlos Alberto dos Santos. O Sebrae e a Anprotec têm um relacionamento antigo, com convênios

ƐƐŽĐŝĂĚŽƐƉƌĞƐƟŐŝĂŵŽĞǀĞŶƚŽĞŵƌĂƐşůŝĂ

que datam do início da década de 1990. A relação com

O tradicional Café da Manhã Anprotec & Parceiros reuniu associados e entidades da área de CT&I em Brasília

esse movimento é de uma concretude que ajuda muito nosso trabalho , afirmou.

(DF), no último dia 11. O encontro foi dedicado a agrade-

Também participaram do evento representantes de

cimentos e identificação de novos desafios. Os ativos mais

outras instituições parceiras, como a Financiadora de Es-

importantes da Anprotec são seus associados, os parceiros

tudos e Projetos (Finep), a Confederação Nacional da In-

e as empresas que formam o movimento , destacou a presi-

dústria (CNI), a Associação Brasileira das Instituições de

dente da Anprotec, Francilene Garcia.

Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI), o Centro de

O secretário executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luis Antônio Elias, parabeni-

Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

zou a Associação. Quando a Anprotec foi criada, havia o

Logo após a realização do Café da Manhã Anprotec &

sonho de termos a sociedade do conhecimento no Brasil.

Parceiros, associados participaram do Workshop de Cena-

Com o entusiasmo dos agentes envolvidos, esse sonho

rização Empreendedorismo+25, no qual discutiram e pro-

vem se concretizando , disse.

puseram posicionamentos e estratégias para a atuação da

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inova-

Anprotec nos próximos anos. Divididos em grupos, eles

ção do MCTI, Alvaro Prata, também destacou a importância

apontaram dificuldades e oportunidades para o movimen-

do empreendedorismo inovador. Cada vez mais me impres-

to em relação ao cenário internacional, macroeconômico,

siono com a pujança desse movimento no Brasil. Por isso,

político e institucional.

Anprotec promove 7ª Assembleia Geral No último dia 10 de dezembro,

das ao longo de 2012, a prestação

dade Positivo, de Curitiba (PR) e a

foi realizada em Brasília (DF), a 7ª

de contas e a apreciação do Plano

Universidade Federal do Rio Grande,

Assembleia Geral Extraordinária da

de Ação Anual e da Proposta Orça-

de Rio Grande (RS), que se somam

Anprotec.

mentária para o exercício de 2013,

aos outros 285 associados.

Com a presença de 32 associados, a assembleia tinha como pauta

12

entre outros temas de interesse da Associação.

a movimentação de sócios, a apre-

A assembleia aprovou a filiação

sentação das atividades desenvolvi-

de mais duas entidades: a Universi-

Entre as decisões relativas à Proposta Orçamentária, foi aprovado o reajuste do valor da anuidade, em 6,95% para todas as categorias.


NACIONAL

Projeto resgata a história do movimento do empreendedorismo inovador no Brasil

Workshop definiu bases para Rede de Conhecimento A Rede de Conhecimento para Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas teve suas bases lançadas no último dia 10 de dezembro, durante um workshop sobre o tema. Promovido pela Anprotec, com o apoio do Sebrae, o evento foi realizado em Brasília (DF) e reuniu cerca de 40 pessoas, entre associados, parceiros, conselheiros e diretores da Associação.

Lançado no aniversário de 25 anos da Associação, no últi-

sil , afirma a presidente da Associação, Francilene Garcia.

O workshop foi iniciado com a apresentação dos principais resultados de

mo dia 30 de outubro, o projeto

Como resultado desse trabalho,

uma pesquisa de campo desenvolvida,

Memória Anprotec tem por obje-

a Anprotec espera oferecer, em

a pedido da Anprotec, pela Fundação

tivo resgatar, registrar e divulgar

diferentes canais de comunicação,

Instituto de Administração (FIA). A

a história e as contribuições da

informações históricas e estratégi-

partir desse levantamento, foi possível

Associação ao movimento do em-

cas para o movimento do empreen-

identificar processos de gestão de co-

preendedorismo inovador, ao de-

dedorismo inovador brasileiro.

nhecimento utilizados pelas instituições

senvolvimento econômico, cientí-

Entre essas informação estão

fico e tecnológico, e, sobretudo, à

a trajetória da própria Anprotec,

Após conhecerem os resultados da

sociedade brasileira.

o reconhecimento aos líderes do

pesquisa, os participantes foram divi-

associadas.

Além de entrevistas com pes-

movimento no país, o contexto

didos em grupos para avaliar o modelo

soas que ajudaram a construir o

histórico em que o movimento se

institucional da Rede de Conhecimento.

movimento no Brasil, o projeto

desenvolveu ao longo do tempo,

Entre as questões debatidas, estavam

contempla uma ampla pesquisa

seus principais resultados e os

as metodologias a serem aplicadas, os

documental e iconográfica, a fim

agentes (parceiros) que contribu-

temas que deveriam ser priorizados e a

de reunir arquivos, imagens e rela-

íram para seu alcance. Por fim, a

infraestrutura necessária a seu funcio-

tos sobre a trajetória da instituição.

iniciativa tem como meta traçar

namento. Os principais temas sugeridos

Para isso, a Anprotec conta com

um panorama atual do movimen-

para discussão no compartilhamento de

a colaboração de seus associados,

to, apontando seus principais de-

experiências foram: a atração de empre-

parceiros, dirigentes e colaborado-

safios e as perspectivas de desen-

endimentos inovadores a parques tec-

res, bem como de empreendedores

volvimento futuro.

nológicos e incubadoras de empresas, a

que tenham passado pelo movi-

Para participar do projeto, os

sustentabilidade desses mecanismos, a

mento. É de extrema importância

associados da Anprotec podem

gestão de pessoas e as políticas públicas

que os integrantes de nosso mo-

acessar o hotsite www.memoria-

relacionados ao movimento.

vimento se envolvam e colaborem

anprotec.org.br e enviar informa-

Com as bases definidas, a Anprotec

com o projeto, para que tenhamos

ções, além de imagens e outros re-

trabalhará para o engajamento dos as-

um relato fiel à trajetória do em-

gistros importantes para a história

sociados na implantação e operação da

preendedorismo inovador no Bra-

do movimento.

Rede. 13


EM MOVIMENTO

NORDESTE

Aberta Chamada de Trabalhos para Seminário da Anprotec e Conferência da IASP A 30ª Conferência Internacional

para melhorar a vida nas cidades.

tema do evento.A primeira etapa de

de Parques Científicos e Tecnoló-

Este ano, em função de tantos

seleção dos trabalhos para o Semi-

gicos da IASP e o XXIII Seminário

marcos importantes na história das

nário encerra no dia 25 de março de

Nacional de Parques Tecnológicos e

entidades nacionais que organizam

2013.

Incubadoras de Empresas serão re-

o Seminário Nacional ‒ o aniver-

A IASP também está selecionando

alizados em conjunto na cidade do

sário de 25 anos da Anprotec e de

trabalhos para apresentação duran-

Recife (PE), de 14 a 17 de outubro

40 anos do Sebrae ‒ foi repensado

te o evento. Os resumos podem ser

de 2013, sob organização local do

o modelo de Chamada de Trabalhos

enviados até o próximo dia 11 de ja-

Porto Digital. O tema do evento será

até então aplicado no evento. Dessa

neiro. Os autores dos trabalhos sele-

Parques Tecnológicos Modelando

forma, o Comitê Científico inovou ao

cionados pela IASP serão notificados

Novas Cidades e a idéia é questionar

eliminar a exigência de enquadra-

até 25 de fevereiro de 2013 sobre o

os gestores de habitats de inovação,

mento em plataformas estratégicas.

resultado da avaliação.

bem como os empreendedores des-

Assim, será possível inscrever traba-

ses ecossistemas, sobre o que eles

lhos que relatem experiências mais

duas chamadas, acesse:

podem fazer (ou já estão fazendo)

abrangentes, desde que respeitado o

www.iasp2013brazil.com

Para mais informações sobre as

Piscis investe no óleo de tilápia de olho no mercado de biodiesel ^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

de vísceras de tilápia, que, além de poder ser usado como base para a produção de biodiesel, serve também como ração animal. Atualmente a empresa coleta cerca de 70 toneladas de vísceras por mês no entorno do Açude Castanhão, extraindo cerca de 1/3 desse volume de óleo destinado a ração animal. A Piscis é incubada no Centro de Ensino Tecnológico (Centec), de fortaleza (CE), e neste ano ficou em terceiro lugar na etapa Nordeste do Prêmio Finep de Inovação, na categoria Inovação Sustentável. Em 2011, a empresa foi finalista do Prêmio Nacional de Inovação da CNI na categoria Desenvolvimento Sustentável e foi reconhecida como empresa Ecoeficiente durante o ICID, evenMůĞŽĚĂƐǀşƐĐĞƌĂƐĚĞƟůĄƉŝĂƉŽĚĞƐĞƌƵƐĂĚŽŶĂƉƌŽĚƵĕĆŽĚĞ ďŝŽĚŝĞƐĞůĞƌĂĕĆŽĂŶŝŵĂů

14

to internacional sobre o clima, realizado em Fortaleza. Outros projetos na pauta para 2013 são as pesquisas

A Petrobras e o Ministério da Pesca e Aquicultura

sobre a extração de enzimas contidas nas vísceras de ti-

assinaram um memorando para ampliar os programas

lápia e o aproveitamento das carcaças de peixes mortos

cooperativos com foco na produção de biodiesel a par-

durante o processo produtivo. A partir daí devem ser ob-

tir de matéria-prima residual do pescado. De olho nesse

tidos insumos para geração de energia e produção de

mercado, a cearense Piscis investe na produção de óleo

composto orgânico para agricultura.


EM MOVIMENTO

NORTE

Pará sedia workshop empresarial para projetos inovadores Durante o Workshop Plano Em-

pa/ICBT) e da Universidade do Esta-

acesso à capital de risco; assessoria

presarial, que aconteceu no último

do do Pará (Ritu/Uepa), a plataforma

especializada para capacitação em

dia 27 de novembro, em Belém (PA),

recebeu financiamento da Finep, do

Gestão de Empreendimento; pla-

foi apresentada a Plataforma para

Sebrae e do CNPq.

nos de negócios, acompanhamento

a Criação e Promoção de Empreen-

O workshop aconteceu no Cen-

e execução de trabalhos referentes

dimentos Tecnológicos Inovadores

tro de Ciências Naturais e de Tec-

à internacionalização de empresas;

(PIETRA). Desenvolvida pelas incu-

nologia da Universidade do Estado

além de atendimento individual nas

badoras da Universidade Federal do

do Pará (UEPA). A Plataforma apre-

áreas de aprimoramento de tecno-

Pará (PIEBT/UFPA), do Centro Uni-

sentada propõe oferecer treinamen-

logia e otimização de Plano de Ne-

versitário do Estado do Pará (Cesu-

to para elaboração de projetos e

gócios.

Produção científica na região amazônica tem destaque em encontro preparatório A forma como a Ciência vem sendo desenvolvida na Amazônia e a busca por soluções para necessidades futuras da área foram algumas das questões debatidas durante o 3º Encontro Preparatório do Fórum Mundial de Ciência 2013. Com o tema Diversidade Tropical e Ciência para o Desenvolvimento, o encontro aconteceu em novembro, na capital Manaus (AM). O evento foi coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM), em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazo-

nização das Nações Unidas para a

realizado em novembro de 2013,

nas (Fapeam).

Educação, Ciência e Cultura (Unes-

no Rio de Janeiro (RJ).

co).

A coordenação das ações do

Pela primeira vez em sua histó-

evento no Brasil é de responsabi-

O Fórum Mundial de Ciência

ria, o fórum ocorrerá fora de seu

lidade do Ministério da Ciência,

foi criado em 1999, em Budapeste

país de origem. O tema da sexta

Tecnologia e Inovação (MCTI), em

(Hungria), e ocorre bianualmente

edição é A Ciência para o Desen-

parceria com as principais institui-

desde 2003, com o apoio da Orga-

volvimento Global. O evento será

ções científicas brasileiras.

Fórum Mundial

15


EM MOVIMENTO

CENTRO-OESTE

CDT/UnB formaliza entrada de empresas selecionadas para o Hotel de Projetos ZŽĚƌŝŐŽĂůĐŝŶͬhŶŐġŶĐŝĂ

No último dia 19 de novembro, a diretoria do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB) recebeu os sócios das empresas selecionadas para o Hotel de Projetos. Na ocasião, foram celebrados os Termos de Compromisso, firmando a pré-incubação Edição 2012/2013. Os representantes de cada empreendimento fizeram uma apresentação de suas propostas, destacando o diferencial e a importância ĞƌŵƷĚĞnjƐĞĚĞƐƉĞĚĞĚĂĚŝƌĞƚŽƌŝĂĚŽdͬhŶ͕ĂƉſƐϮϮĂŶŽƐĚĞƐĞƌǀŝĕŽƐƉƌĞƐƚĂĚŽƐ dos seus produtos para a sociedade. o coração bem aberto, porque me Despedida Em seguida, os termos foram assipropus a ajudar esse Centro e vou

nados pelos empreendedores e pelo

O professor Bermúdez falou so-

diretor do CDT/UnB, Luis Afonso

bre sua saída do CDT/UnB, após

Bermúdez, que aproveitou a oca-

mais de 20 anos na direção. Eu re-

Ele vai assumir o Decanato de

sião para encerrar a administração

almente estou saindo, mas não saio

Administração e Finanças da Uni-

à frente do Centro.

com o coração apertado. Saio com

versidade de Brasília (DAF).

continuar ajudando , destacou.

Tecnologia auxiliará o investimento correto em parques tecnológicos e incubadoras ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

Um mecanismo desenvolvido pelo CDT/UnB tem como objetivo auxiliar o MCTI e agências de fomento a analisar as práticas, investimentos e resultados de parques tecnológicos e algumas incubadoras que recebem apoio financeiro de ambos. A metodologia foi apresentada durante o workshop Parques Tecnológicos: atualida-

des e tendências, realizado nos dias 21 e 22 de novembro, na sede do CNPq, em Brasília (DF). Por meio de pesquisas documentais e visitas técnicas a parques e incubadoras, uma equipe cataloga dados que depois são repassados para um software. O programa gera indicadores de desempenho importantes para a ĚŝƌĞƚŽƌĂĚŽd͕ĚŶĂůǀĂDŽƌĂŝƐ͕ĂƉƌĞƐĞŶƚĂŽƉƌŽŐƌĂŵĂ 16

avaliação dos processos de gestão.


EM MOVIMENTO

SUL

ƌƵŶŽdŽĚĞƐĐŚŝŶŝͬWhZ^

Empresas ganham Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação na PUCRS

Paraná participa da Rede de Gestão Integrada de Ciência, Tecnologia e Inovação A Rede, inaugurada em dezembro, vai permitir que as universidades do Paraná façam videoconferências com a Secretaria Estadual, e que o Estado participe das decisões nacionais. A iniciativa reúne as secretarias estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em uma infraestru-

KE'/ĂƚƵĂƌĄŶŽĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽĚĞĚŝĂŐŶſƐƟĐŽƐ͕ƉĞƐƋƵŝƐĂƐ͕ĞǀĞŶƚŽƐ͕ĂƐƐĞƐƐŽƌŝĂĞĐŽŶƐƵůƚŽƌŝĂ

O Núcleo de Apoio à Gestão da Ino-

Dentre as atividades que o núcleo

vação (NAGI) ‒ unidade que integra a

desenvolverá, está um projeto finan-

Rede de Inovação e Empreendedoris-

ciado pela Finep, para capacitação

mo da PUCRS ‒ iniciou suas atividades

de 50 empresas de base tecnológica

em novembro e tem entre seus obje-

no Rio Grande do Sul. A finalidade da

tivos dar suporte a organizações de

pesquisa é o nivelamento em gestão

diferentes segmentos, desenvolvendo

da inovação e foco na estruturação do

ou melhorando aspectos de gestão da

plano de gestão da inovação.

inovação por meio de diagnósticos,

Mais

informações

pelo

e-mail

pesquisas, seminários, workshops, as-

nagi@pucrs.br ou pelo telefone (51)

sessoria e consultoria.

3353-4830.

tura avançada destinada a ensino e pesquisa. Entre os objetivos estão a melhoria da comunicação entre as secretarias, a ampliação da participação dos gestores estaduais na elaboração de políticas e programas, a promoção de treinamentos e a redução dos custos com reuniões. Como parte do projeto, as secretarias foram conectadas às redes metropolitanas locais e tiveram seus técnicos treinados pela Escola Superior de Redes (ESR).

Parque binacional promove cooperação entre projetos de pesquisa Nos últimos dia 12 e 13 de no-

nos dois países durante o primeiro

quisadores argentinos dos campi da

vembro, o Parque Tecnológico Bina-

workshop binacional, realizado na

Unam, situados nas cidades de Posa-

cional (PTBi), projeto que integra as

Universidad Nacional de Misiones

das, El Dorado e Oberá.

cidades de Pato Branco, no Paraná,

(Unam).

O workshop foi realizado com

e Posadas, capital da província de

Professores brasileiros da Univer-

a parceria do Sistema Regional de

Misiones, na Argentina, deu mais um

sidade Tecnológica Federal do Para-

Inovação (SRI), apoiado pelo Se-

passo importante rumo à sua con-

ná (UTFPR), campi de Pato Branco,

brae/PR, Fadep, UTFPR, Faculdade

cretização.

Dois Vizinhos e Francisco Beltrão,

Mater Dei, Unam, Parque Tecnológi-

Reuniram-se 90 pesquisadores,

juntamente com professores da Fa-

co de Misiones e prefeitura de Pato

sendo 42 brasileiros, para discutir

culdade de Pato Branco (Fadep),

Branco, por meio da Pato Branco

projetos de pesquisas realizados

aproximaram experiências com pes-

Tecnópole. 17


EM MOVIMENTO

SUDESTE

Araxá implanta parque tecnológico A existência de terras-raras e de minerais como nióbio e fosfato em

e o parque deve iniciar as atividades

dos, onde funcionará a sede admi-

em 2013.

nistrativa do centro de tecnologia avançada.

Araxá (MG), no Alto Paranaíba, mo-

A Cidade Tecnológica do Triân-

tivou a criação de um parque tec-

gulo Mineiro, nome escolhido para

Já foram firmadas parcerias com

nológico no município. O objetivo é

o parque, será construída em uma

várias instituições de ensino supe-

criar instrumentos de promoção do

área de 168 hectares, localizada às

rior brasileiras e as negociações

empreendedorismo inovador, ge-

margens da BR-262, que já foi de-

estão avançadas junto às universida-

rando empresas a partir da coope-

sapropriada pela prefeitura. Além

des de Coimbra (Portugal), Salaman-

ração com a academia e centros de

disso, a administração do municí-

ca (Espanha), além da University of

pesquisa nacionais e internacionais.

pio também desapropriou a área

Colorado Boulder e da Worcester

O projeto, orçado em R$ 40 mi-

de um antigo hotel, que ocupa um

Polytechnic Institute, (WPI), ambas

lhões, está em fase de implantação

terreno de 12 mil metros quadra-

nos Estados Unidos.

Unicamp abre turma para curso de Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

e inovação. Entre o conteúdo, há tópicos em gestão da inovação aberta, as práticas organizacionais das empresas inovadoras e as políticas de inovação brasileira, com os programas de incentivo à inovação no Brasil. O objetivo é capacitar profissionais que gerenciam funções críticas do sistema de inovação de produtos, processos, serviços e negócios em empresas. O programa conta com corpo docente que envolve professores do DPCT e de outras instituições de ensino, como a FGV/SP, Poli/USP, UFSCar e UFRJ. O prazo para inscrição se encerra no dia 14 de março de 2013.

hŵĂĚĂƐƐĞƚĞƚƵƌŵĂƐĨŽƌŵĂĚĂƐŶĂhŶŝĐĂŵƉ͕ĞŵǀŝƐŝƚĂƚĠĐŶŝĐĂăŵďƌĂĞƌ

Estão abertas as inscrições para o curso de Especialização em Gestão

18

As aulas do curso serão oferecidas quinzenalmente: às sextas-feiras, das

camp). O início das aulas está progra-

18h30 às 23h, e aos sábados, das

mado para 22 de março.

8h30 às 13h.

Estratégica da Inovação Tecnológica,

Os candidatos selecionados for-

Para mais informações, acesse

oferecido pelo Departamento de Po-

marão a sétima turma do curso, com-

www.extecamp.unicamp.br ou en-

lítica Científica e Tecnológica (DPCT)

posto por módulos sobre processos e

tre em contato pelos telefones (19)

da Universidade de Campinas (Uni-

ferramentas de gestão de tecnologia

9445-9335 e (19) 3521-4191.


EM MOVIMENTO

SUDESTE

'ůĂƵĐŝŽĞƩŵĂƌ;&ŝŶĞƉͿ

Movimento é destaque no Prêmio Finep de Inovação Tecnológica 2012

ĂĞƐƋƵĞƌĚĂƉĂƌĂĂĚŝƌĞŝƚĂ͗ƉƌĞƐŝĚĞŶƚĞŝůŵĂZŽƵƐƐĞīĞŶƚƌĞŐĂŽƐƚƌŽĨĠƵƐƉĂƌĂWĞŶƚŽƉĚŽƌĂƐŝů͕/ŶĂƚĞůĞŵĂnjŽŶƌĞĂŵƐ

Sem sombra de dúvida, para um

o PIEBT são associados à Anpro-

200 empresas na área de pesqui-

país como o Brasil, a inovação é um

tec, assim como o grande vencedor

sa, desde as incubadas no próprio

fator básico para o desenvolvimen-

da categoria Instituto de Ciência e

Inatel até grandes multinacionais ,

to. Transformar conhecimento em

Tecnologia: o Instituto Nacional de

informa o diretor.

invenção e transformar invenção

Telecomunicações (Inatel), de Santa

em aplicação prática, no processo

Rita do Sapucaí (MG).

Incubadora

produtivo, é requisito para uma pro-

Segundo o diretor do Inatel,

A incubadora do Inatel foi fator

dução competitiva com custo menor,

Marcelo de Oliveira Marques, a

decisivo na conquista do prêmio.

maior qualidade . Foi dessa forma

conquista é fruto do longo traba-

Gerenciada pelo Núcleo de Empre-

que a presidente Dilma Rousseff

lho, que começou há 47 anos com

endedorismo (Nemp) do Instituto,

iniciou seu discurso na cerimônia

o objetivo de estabelecer vínculos

seu objetivo é promover o proces-

de entrega do Prêmio Finep de Ino-

sólidos entre a academia e o mer-

so de inovação desde o estágio em-

vação 2012, realizada no Palácio do

cado. Buscamos conectar o conhe-

brionário das empresas incubadas.

Planalto no último dia 19 de dezem-

cimento acadêmico e a indústria,

De acordo com o coordenador geral

bro. Entre os vencedores das nove

e isso fortalece a posição do Ina-

da incubadora e do Nemp, Rogério

categorias premiadas estão empre-

tel perante órgãos de fomento de

Abranches da Silva, as empresas

sas incubadas, associados e parcei-

pesquisa em inovação , afirma. Um

graduadas são inseridas no merca-

ros da Anprotec.

aspecto que diferencia o Inatel em

do com condições de compreender

Na categoria pequena empresa,

seu campo de atuação, segundo

e produzir ações inovadoras tanto

a vencedora foi a Amazon Dreams,

Marques, é uma estrutura especí-

no aspecto tecnológico, quanto na

de Belém (PA), participante do Pro-

fica para atender as exigências do

área de gestão.

grama de Incubação de Empresas

setor produtivo.

Durante todo o tempo há pelo

de Base Tecnológica (PIEBT) da

O Inatel Competence Center

menos 11 empresas incubadas e

Universidade Federal do Pará. Na

(ICC), órgão interno do instituto, é

mais três em estágio de pré-in-

categoria de Tecnologia Assistiva,

responsável por gerenciar e trans-

cubação. Algumas das empresas

a premiada foi a Pentop do Brasil,

mitir todo o conhecimento cientí-

graduadas já foram reconhecidas

incubada no Centro de Incubação

fico produzido por seus pesquisa-

e premiadas no município de San-

e

Empresarial

dores a empresas parceiras. Por

ta Rita do Sapucaí e até em âmbito

(CIDE), de Manaus (AM). O CIDE e

ano, atendemos aproximadamente

estadual , comemora.

Desenvolvimento

19


&ŽƚŽƐ͗tŝůƐŽŶZƵĂŶŝƐ

SUCESSO

Os melhores do ano P OR LUI Z A C A R R E IR Ã O

A 16ª edição do Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador, concedido pela Anprotec com o apoio do Sebrae, mais uma vez reconheceu empreendimentos que têm se destacado por seu desempenho nos negócios e no fomento à inovação. Foram 62 inscrições nas cinco categorias e a premiação foi entregue na noite de 20 de setembro, durante o encerramento do XXII Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, em Foz do Iguaçu (PR). Os vencedores, que você conhecerá na sequência, ganharam troféus, passagens para participar de uma viagem de estudos ou negócios e um prêmio em dinheiro. Conquistaram, principalmente, o reconhecimento pelos seus esforços de gerar desenvolvimento científico, social e econômico em um país que ainda está se firmando como ambiente de negócios inovadores.

20


ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

n

aI s e pr s Em r

a

ad

b cu

r to l ho mula e i M AS P

SB

ŐĂƷĐŚĂ^W^ŝŵƵůĂƚŽƌƐĞŶĐŽŶƚƌŽƵŶŽ ŵĞƌĐĂĚŽĚĞƐŝŵƵůĂĚŽƌĞƐĚĞǀŽŽƐƵŵŶŝĐŚŽ ĚĞĂƚƵĂĕĆŽƉĂƌĂƐĞĚĞƐƚĂĐĂƌŶĂĐŝŽŶĂůŵĞŶƚĞ

Instalada no Complexo Tecnológico Unitec, da Uni-

cia de simuladores e o interesse dos clientes em haver uma

versidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), a SBPA

empresa brasileira que fornecesse equipamentos, serviços

Simulators produz simuladores de voo para treinamento

de manutenção e suporte e outras soluções tecnológicas

e formação aeronáutica. Com faturamento de R$ 880 mil

voltadas para o treinamento aeronáutico , relata.

em 2012 (até o mês de outubro), a empresa tem crescido

Foi então que ele se uniu ao atual diretor comercial da

significativamente e já planeja sua inserção no mercado

SBPA, Adriano Oliveira, que tinha experiência na área de

externo, por meio da participação do Programa de Inter-

softwares de design, documentações e normas da aviação

nacionalização para Inserção Competitiva em Mercados

civil. A dupla lançou-se com um projeto no 1º Torneio Em-

Internacionais ‒ promovido pelo Sebrae/RS, pela Fede-

preendedor da PUCRS, em novembro de 2007. A premiação

ração das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) e pelo

motivou a transformação da ideia em negócio e, em segui-

Centro Internacional de Negócios (CIN-RS).

da, foram aceitos pela Unidade de Inovação e Tecnologia

Para o diretor da empresa, Luciano Zoppo, a possibili-

(Unitec), da Unisinos, onde a empresa se instalou em 2008.

dade de customização dos produtos e a relação custo/be-

A premiação abriu caminho para outros reconhecimen-

nefício favorável são alguns dos diferenciais da empresa,

tos, como a seleção para o programa Primeira Empresa

além da agilidade nas operações de suporte, manutenção

Inovadora (Prime/Finep); a subvenção do Inova Pequena

e atualização. A SBPA Simulators inova ao nacionalizar

Empresa RS 2010 para desenvolver um simulador de heli-

a tecnologia de simuladores de voo, com base nas ten-

cóptero; o case de Inovação do Sebrae Nacional em 2010;

dências de mercado e nas solicitações de clientes e pros-

e a participação, como expositora, na feira CeBIT, realizada

pects , afirma. Escolas de aviação, aeroclubes, empresas

em Hannover, na Alemanha, em 2012.

aéreas e universidades estão entre os principais clientes

A incubação na Unitec é considerada pelos sócios a

da empresa. Além da sede em São Leopoldo (RS), a SBPA

mola propulsora para o desenvolvimento da empresa.

possui um setor de manutenção e montagem na cidade de Gravataí (RS).

A incubadora nos deu credibilidade no início do negócio, possibilitou a realização de diversos cursos gratuitos

A ideia do negócio surgiu a partir da demanda do mer-

e subsidiados de muita qualidade, ofereceu consultorias

cado pelos serviços de manutenção de simuladores. Zoppo

nas áreas de projetos, finanças, gestão, planejamento, for-

atuava em um laboratório da Faculdade de Ciências Aero-

mação de gestores, nos abriu portas para participação na

náuticas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande

CeBIT 2012, possibilitou contatos estratégicos e nos deu

do Sul (PUCRS). Durante as visitas técnicas, percebi a carên-

visibilidade na mídia , resume Zoppo.

21


Mel ho

r Em pres

idad

os

aG

radu ada

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

Amb

WĂƌĐĞƌŝĂƐĐŽŵĂWĞƚƌŽďƌĂƐĞĂh^WƌĞĂĮƌŵĂŵŽƐƵĐĞƐƐŽ ĚĂŵďŝĚĂĚŽƐŶŽŵĞƌĐĂĚŽĚĞŵŽŶŝƚŽƌĂŵĞŶƚŽĚĞ ŽŶĚĂƐ͕ĐŽƌƌĞŶƚĞƐ͕ŵĂƌĠƐĞďĂƌŝŵĞƚƌŝĂ

22

O ingresso no Parque Tecnológico da Universidade Fe-

rado. A partir da entrada na incubadora é que nos trans-

deral do Rio de Janeiro, neste ano, foi um novo marco para

formamos de fato em uma empresa. Contratamos pessoas,

a Ambidados, empresa de pesquisa, desenvolvimento e

obtivemos reconhecimento no mercado e as portas foram

serviços voltada para o setor de portos e offshore. Criada

se abrindo. Além de oferecer serviços, passamos também a

em 2006 e residente desde o final de 2007 na Incubadora

desenvolver novas tecnologias, o que incrementou o fatu-

da Coppe/UFRJ, alcançou os objetivos do processo de incu-

ramento. Em 2010 iniciamos em outro ramo de atuação, re-

bação. A incubadora cumpriu bem o seu papel e nós con-

presentando produtos estrangeiros no Brasil , relata Wilsa.

seguimos obter independência e seguir crescendo , conta

Além do apoio da incubadora, ela aponta como fatores fun-

a empreendedora Wilsa Atella. O sucesso foi confirmado

damentais para o sucesso da empresa o desenvolvimento

com o reconhecimento como Melhor Empresa Graduada

de produtos que atendam a demandas específicas e custo-

no Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador.

mizadas dos clientes e a proximidade geográfica.

A Ambidados, que registrou faturamento de R$ 3 mi-

O mercado externo também está na mira da Ambida-

lhões em 2011, oferece serviços de monitoramento de

dos, que em 2009 participou de uma capacitação oferecida

ondas, correntes, marés e batimetria. Desenvolve, também,

pelo Sebrae para atuar fora do Brasil e já forneceu serviços

equipamentos como ondógrafos e boias, atendendo por-

de monitoramento para empresas internacionais. O fato

tos e empresas que trabalham em alto mar, na explora-

de conseguirmos nos cadastrar para prestar serviços para

ção ou no transporte de petróleo. A empresa compartilha

empresas petroleiras nacionais, que são muito exigentes,

a patente de um ondógrafo com o Centro de Pesquisas

faz com que tenhamos capacitação e nível de excelên-

e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello

cia para a internacionalização também , observa Wilsa. A

(Cenpes/Petrobras) e tem outro projeto compartilhado

preocupação em manter e elevar o nível de qualidade é

com a Universidade de São Paulo (USP) ‒ grandes institui-

demonstrada pela preparação para a obtenção das certi-

ções parceiras, ao lado do Laboratório de Engenharia Oce-

ficações ISO 9001 (qualidade), ISO 14001 (meio ambiente)

ânica da UFRJ, que contribui com atualização tecnológica e

e OHSAS 18000 (saúde e segurança), cujas auditorias serão

fornecimento de mão-de-obra especializada.

realizadas no mês de janeiro de 2013. Já estamos bem es-

São 30 funcionários entre oceanógrafos, engenhei-

truturados administrativamente e agora estamos obtendo

ros, físicos e colaboradores voltados à análise de sistemas

essas certificações apenas para comprovar nossos procedi-

‒ uma grande diferença em relação a 2006, quando não

mentos e nossa adequação. É apenas uma formalização do

havia funcionários, nem um modelo de negócios estrutu-

que já fazemos hoje em dia , ressalta a diretora.


ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

e ra a das pao r o ad ad ns cub riento Inte n I r O s l hoesas o e Us e J M pr çã gia UFR / E EmGera nolo PP a Tec CO a r de do uba

Inc

ŝŶĐƵďĂĚŽƌĂĚĂŽƉƉĞͬh&Z:ĂƉŽŝĂ͕ĚĞƐĚĞϭϵϵϰ͕ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽƐŝŶŽǀĂĚŽƌĞƐ͕ĞƐƉĞĐŝĂůŵĞŶƚĞŽƐ ǀŽůƚĂĚŽƐăƐĄƌĞĂƐĚĞƉĞƚƌſůĞŽĞŵĞŝŽĂŵďŝĞŶƚĞ

A Incubadora de Empresas Coppe/UFRJ foi um dos

tação, propriedade intelectual e o próprio ambiente do

empreendimentos pioneiros voltados a acolher e apoiar

Parque Tecnológico, com grandes empresas divulgando

negócios nascentes no Brasil. A criação da incubadora

pesquisas e formando parcerias. Além disso, por termos

resultou de uma discussão de oito anos dentro da univer-

sido uma das primeiras incubadoras do país, participa-

sidade, pois esse conceito era praticamente desconheci-

mos muito ativamente desse movimento, promovendo

do no Brasil. Havia poucas incubadoras e existiam cor-

conexões , completa. Com 19 empresas residentes atu-

rentes de pensamento contrárias a esse tipo de atividade

almente, a Incubadora da Coppe/UFRJ irá inaugurar, em

junto a uma universidade pública , lembra o diretor da

março de 2013, um novo prédio com capacidade para

Incubadora e do Parque Tecnológico da UFRJ, Mauricio

mais nove empresas do setor de petróleo ‒ uma iniciati-

Guedes. Fundada em 1994, nove anos antes do estabe-

va que tem o apoio da Finep e da Companhia EZX.

lecimento do parque, a Incubadora da Coppe/UFRJ é re-

Das 48 empresas que já passaram pela incubadora,

conhecida por acolher empreendimentos multissetoriais

várias se destacam por seu desempenho no mercado. A

voltados à inovação, especialmente nas áreas de petró-

Ambidados, graduada neste ano, foi eleita Melhor Em-

leo e meio ambiente. Esse reconhecimento lhe valeu o

presa Graduada no Prêmio Nacional de Empreendedoris-

prêmio de Melhor Incubadora de Empresas Orientadas

mo Inovador. É um caso muito interessante que surgiu

para a Geração e Uso Intenso de Tecnologias.

a partir de uma estudante de mestrado da Coppe, com

Para Guedes, a razão do destaque da incubadora na

excelente capacidade para captar oportunidades de

geração de tecnologias está intimamente associada ao

mercado e um dos casos ainda raros de empresas que

ambiente acadêmico que a cerca. O público que preten-

foram licenciadas pela Petrobras para produzir uma pa-

demos atingir é formado principalmente por alunos de

tente. Tem se desenvolvido muito nos últimos anos, com

mestrado e doutorado, que acumularam conhecimentos

potencial elevado de crescimento , avalia Maurício. Essa

na sua formação e estão transformando isso em empre-

foi a segunda vez consecutiva que a Incubadora da Co-

gos, novos serviços e produtos , explica. Entre os fatores

ppe/UFRJ viu uma de suas graduadas sendo premiada.

que estimulam o desenvolvimento das empresas incuba-

Em 2011, a conquista foi da Visagio, consultoria especia-

das, ele cita os serviços de apoio em marketing, expor-

lizada em Engenharia de Gestão.

23


ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

Melhor In u badora de EmpresascO o Desenvo rientada para Setorial: lvimento Local e MIDI Tecno lógico

KD//dĞĐŶŽůſŐŝĐŽ͕ĚĞ&ůŽƌŝĂŶſƉŽůŝƐ;^Ϳ͕ ƉƌĞƐƚĂƐĞƌǀŝĕŽƐĞŵŝŶĐƵďĂĕĆŽƚƌĂĚŝĐŝŽŶĂů ĞƚĂŵďĠŵĞŵŝŶĐƵďĂĕĆŽǀŝƌƚƵĂů

O que é preciso para promover um setor localmen-

de empresas baseadas em conhecimento em Florianó-

te, a ponto de torná-la a maior fonte de arrecadação do

polis, com o objetivo de ajudar a transformar a cidade

município e uma referência nacional? De acordo com a

em um polo reconhecido não apenas pelo turismo, mas

experiência do MIDI Tecnológico, de Florianópolis (SC),

também pela existência de um segmento de empreen-

a lista inclui capacitações, consultorias em diversas áre-

dimentos competentes e inovadores , explica o coorde-

as, infraestrutura física e tecnológica, envolvimento com

nador da incubadora e secretário executivo da Acate,

investidores e uma atuação de peso no associativismo.

Gabriel Sant Ana. A coordenadora técnica do MIDI, Joi-

Gerido pela Associação Catarinense de Empresas de Tec-

ce Adinete Ramos, complementa: Ao implementar um

nologia (Acate) e mantido pelo Sebrae/SC, o MIDI Tecno-

projeto fundamentado no desenvolvimento de novas

lógico proporciona às empresas incubadas uma ligação

empresas de base tecnológica, que aproveitem o po-

imediata a associações importantes do setor de tecno-

tencial das universidades e centros de tecnologia locais

logia ‒ um dos fatores responsáveis por ter sido eleita a

para gerar produtos e serviços, buscamos também ga-

Melhor Incubadora de Empresas Orientada para o Desen-

rantir que esse segmento promova a modernização de

volvimento Local e Setorial.

outros setores da economia local, catarinense e brasi-

Fundado em 1998, o MIDI acolhe atualmente 23 em-

Além do formato tradicional de incubação empresa-

as como educação, construção civil, saúde, mobilidade e

rial, o MIDI Tecnológico utiliza o sistema de incubação

games, entre outras. Dados de 2011 revelam que as em-

virtual, que oferece o mesmo tratamento da incubação

presas incubadas e as 66 já graduadas pelo MIDI alcança-

tradicional a empresas que não ficam instaladas no pré-

ram um faturamento de R$ 60 milhões, viabilizando 4,6

dio da incubadora: todos os serviços e formas de apoio,

mil empregos diretos e indiretos. O trabalho realizado

incluindo, a utilização de espaços físicos de uso comum.

pela incubadora junto a essas empresas tem reflexo na

O crescimento da procura nos processos seletivos aber-

alta taxa de sobrevivência dos pequenos negócios, pró-

tos pela incubadora se chocava com a limitação física

xima a 93%, e na transformação do setor de Tecnologia

do número de empresas que poderiam ser atendidas.

da Informação no grupo de atividade que mais fatura e o

Dessa forma, era necessário recusar bons projetos que,

segundo que mais paga Imposto Sobre Serviços (ISS) na

sem o apoio da incubadora, seriam encerrados , explica

capital catarinense.

Sant Ana. Das 23 empresas incubadas hoje, 11 se encai-

O MIDI Tecnológico atua para fortalecer o segmento

24

leira , afirma.

presas de tecnologia com viés inovador, atuando em áre-

xam nessa modalidade.


ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

de tura o o t e ul m j Pro da C doris r l ho ão de Meomoçpreen Pr Em or: ra a, Supe do ovad c u Ed ora In d ra e a Sup Incub da

KƉƌŽũĞƚŽ^ƵƉĞƌĂĚƵĐĂ͕ĚĂŝŶĐƵďĂĚŽƌĂĚĞ ĞŵƉƌĞƐĂƐ^ƵƉĞƌĂ͕ĚĞZŝďĞŝƌĆŽWƌĞƚŽ;^WͿ͕ ůĞǀĂĂĐƵůƚƵƌĂĞŵƉƌĞĞŶĚŽƌĂƉĂƌĂĂĞƐĐŽůĂ

Em Ribeirão Preto (SP), a disseminação da cultura

institucionais; e uma revista de atualidades para adolescen-

empreendedora começa muito antes dos potenciais

tes. Em 2013, o Supera Educa deve levar os estudantes a

empresários chegarem à universidade. Com o projeto

conhecerem grandes empresas e trabalhar questões como

Supera Educa, a incubadora Supera vem fomentando o

gestão de pessoas, produção, marketing e finanças, por

empreendedorismo entre estudantes do Ensino Médio,

meio do contato com a prática. A meta é ampliar o projeto

com resultados que garantiram o reconhecimento como

para outras escolas e para a rede pública do município.

Melhor Projeto de Promoção da Cultura do Empreendedorismo Inovador.

O empreendedorismo inovador também é priorizado dentro da Incubadora Supera, que, hoje, acolhe 24 empre-

Desenvolvemos uma metodologia de incentivo ao

sas nas fases de pré-residência e incubação. Para Cicconi, a

empreendedorismo com o objetivo de que os estudantes

validação da viabilidade dos negócios junto ao mercado é

do Ensino Médio pensem na possibilidade de, no futuro,

o fator mais importante para o fomento ao empreendedo-

abrir uma empresa e, quem sabe, até incubá-la , explica o

rismo. Não basta o projeto ser fantástico na teoria, o mer-

gerente de Novos Negócios da Supera, Eduardo Cicconi.

cado tem que querê-lo. Por isso esta questão dinâmica da

Participaram do projeto piloto, realizado em 2011 junto

incubadora: sempre buscamos melhorar nossos processos

ao Colégio Marista de Ribeirão Preto, cerca de 160 ado-

para garantir o sucesso das empresas incubadas , enfatiza.

lescentes, que apresentaram 40 projetos, dos quais quatro

As adaptações e mudanças de rumo orientadas às ne-

foram selecionados para uma incubação realizada em

cessidades do mercado marcam a história da Incubadora

estrutura criada na própria escola. Em 2011, auxiliamos

Supera. Criada em 2003, ela tem quatro sedes: uma unida-

os alunos a construírem um modelo de negócio. Neste

de no campus da USP, uma junto à Fundação Hemocen-

ano, prestamos consultorias para os projetos e continua-

tro, uma nos Campos Elíseos e a outra no Colégio Marista,

mos realizando dinâmicas com as turmas que ainda não

todas em Ribeirão Preto. Em 2012, iniciou a construção

haviam participado , explica Cicconi.

de um novo edifício que irá reunir as unidades da incuba-

O resultado foram quatro propostas de negócio bastan-

dora ‒ com exceção da existente no Colégio Marista ‒ e

te diferentes: o desenvolvimento de um quadrifone para

aumentará a capacidade de empresas residentes de 23

que duas pessoas possam compartilhar músicas usando

para 60. Além do desenvolvimento de equipamentos mé-

fone de ouvido; uma empresa de organização de eventos

dicos, hospitalares e odontológicos, a Supera hoje abriga

e preparação de palestrantes; um negócio voltado para a

também empreendimentos nas áreas de agronegócios,

área de marketing, produção de vídeos e apresentações

tecnologia da informação e biotecnologia. L

25


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

INVESTIMENTO

Apoio in loco O novo programa de subvenção econômica da Finep, o Tecnova, distribuirá R$ 190 milhões aos estados para incentivo à inovação de MPEs P OR T HI AG O V E R NE Y

26

Com o objetivo de diminuir as barreiras

tenham como foco o desenvolvimento de

para o fomento à inovação, a Financiadora

novos produtos, serviços e processos que

de Estudos e Projetos do Ministério da Ci-

agreguem valor aos negócios e ampliem

ência, Tecnologia e Inovação (Finep/MCTI)

seus diferenciais competitivos.

lançou, em setembro de 2012, o Tecnova,

Para o chefe do Departamento de Ope-

um programa de subvenção econômica

rações de Subvenção da Finep e coordena-

para micro e pequenas empresas com fa-

dor do programa, Marcelo Camargo, o di-

turamento anual de até R$ 3,6 milhões. A

ferencial do Tecnova é a atuação estadual.

proposta, que prevê o repasse de R$ 190

Pela primeira vez, 60% dos projetos serão

milhões por meio de parceiros estaduais, é

relacionados a temas locais [ver infográfico

a primeira do Governo Federal a priorizar

na página 29], permitindo que sejam consi-

o financiamento de projetos regionais em

deradas a assimetria econômica e as dife-

inovação. Serão apoiadas iniciativas que

renças que temos no país. Será possível que


organizações como incubadoras de empre-

trata-se de criar um ambiente amigável e

sas e parques tecnológicos atuem de forma

concentrar os esforços entre os diversos

integrada para o desenvolvimento dos pro-

agentes envolvidos na inovação , explica.

jetos selecionados , avalia.

A primeira etapa do programa foi ini-

A presidente da Anprotec, Francilene Gar-

ciada com o lançamento da carta-convite,

cia, destaca o papel das entidades promoto-

que apresentava as regras de seleção dos

ras de empreendimentos inovadores nesse

parceiros estaduais. Em resposta à carta, os

processo. Em vários estados, consórcios em

governos de 22 Estados indicaram a can-

construção incluem parques e incubadoras,

didatura da instituição responsável para a

parceiros importantes, devido ao relaciona-

Finep. Nesse processo, depois da assinatu-

mento e ao conhecimento do público-alvo do

ra do contrato, os Estados devem oferecer

Tecnova: as empresas inovadoras , observa.

uma contrapartida financeira, que varia

Os setores do Programa Brasil Maior e

proporcionalmente de acordo com cada

os temas prioritários na agenda da Estraté-

região. Os selecionados serão divulgados a

gia Nacional de Ciência, Tecnologia e Ino-

partir do dia 28 de janeiro de 2013. Depois

vação serão contemplados pelo restante da

serão lançados os editais estaduais de fo-

subvenção do Tecnova. Cerca de 40% do

mento.

&ŽƚŽƐ͗ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

INVESTIMENTO

ĂŵĂƌŐŽ͕ĚĂ&ŝŶĞƉ͗ ŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĞƉĂƌƋƵĞƐ ƉŽĚĞŵĂƚƵĂƌŶŽ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽĚĞ ƉƌŽũĞƚŽƐ

aporte deve financiar áreas como petróleo e gás, energias alternativas e tecnologias da informação e comunicação.

Parcerias estaduais Para dar condições de estruturação sufi-

Além dos recursos da Financiadora, o

cientes aos parceiros, a Finep disponibilizará

Sebrae participará de forma complementar

uma verba adicional de R$ 19 milhões para

com mais R$ 50 milhões ‒ valor que as em-

infraestrutura, administração e consolidação

presas selecionadas poderão utilizar para

dos agentes locais. Para cada estado das re-

realização de atividades voltadas à gestão

giões Sul e Sudeste será disponibilizado até

de negócio.

R$ 1,3 milhão, enquanto as demais regiões contarão com até R$ 900 mil por unidade

Como funciona

federativa. Poderão participar da seleção os

O Tecnova será dividido em duas fases

órgãos e entidades da administração pública

distintas: a seleção das instituições par-

direta ou indireta de qualquer esfera de go-

ceiras e a escolha das micro e pequenas

verno, ou entidades privadas sem fins lucra-

empresas. A Finep apoiará a realização de

tivos representadas por fundações de apoio.

todas as atividades operacionais de res-

Na trajetória da Finep, existem impor-

ponsabilidade das organizações estaduais

tantes iniciativas de ações descentralizadas,

‒ desde o fomento e seleção das propostas,

em parceria com os estados, via FAPs [Fun-

até a contratação, liberação dos recursos

dações de Amparo à Pesquisa], assim como

e acompanhamento físico e financeiro. A

com as incubadoras. O Tecnova traz uma

meta global é de que cerca de 800 MPEs

nova edição da subvenção econômica des-

sejam beneficiadas nos próximos três

centralizada, desta vez viabilizando e incen-

anos, com aportes financeiros que variam

tivando a estruturação de consórcios nos

de R$ 120 mil a R$ 400 mil.

estados , observa a presidente da Anprotec,

Para o presidente da Finep, Glauco Ar-

ŽƌŐĞƐ͕ĚĂ&ĂƉĞŵŝŐ͗ƉĂƉĞů ĚĂƐ&WƐĠĨƵŶĚĂŵĞŶƚĂů ŶĂŶŽǀĂƉƌŽƉŽƐƚĂĚĞ ĚĞƐĐĞŶƚƌĂůŝnjĂĕĆŽ

Francilene Garcia.

bix, a descentralização incentivará uma

Segundo o presidente da Fundação de

nova cultura de inovação. Trabalharemos

Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fape-

com agentes estaduais, que irão conferir

mig), Mario Neto Borges, a parceria da Finep

mais capilaridade à nossa atuação. Agora,

junto às FAPs é um avanço em relação a ou27


INVESTIMENTO

tras formas de subvenção. As FAPs entram

tente no estado permitiu que mobilizássemos

com importantes contrapartidas financeiras,

a Rede Mineira de Incubadoras, o Sebrae, o

têm uma capilaridade importante e também

IEL/MG [Instituto Euvaldo Lodi] e os parques

conhecem de perto a realidade de seus es-

tecnológicos como parceiros na proposta da

tados para fazer a divulgação, a seleção e o

Fapemig, que conta com a interveniência da

acompanhamento dos projetos , avalia.

Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

O estado já se mobiliza para articular seus

Ensino Superior , conclui Borges.

agentes e aproveitar as oportunidades que o

Tocantins foi outro estado que confir-

Tecnova oferece. Em Minas Gerais temos um

mou a participação e anunciou os parceiros

histórico de sucesso na área de subvenção

envolvidos. A Secretaria Estadual de Ciên-

direta às empresas. A conjuntura hoje exis-

cia e Tecnologia de Tocantins (SECT) indi-

Entrevista: Odenildo Sena, Secretário de Estado de CT&I do Amazonas e presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) Locus >  Quais  são  as  potencialida-­‐

ĞƐĚĞ ϮϬϭϭ͕ ƉŽƌ ŝŶĐŝĂƟǀĂ ĚĂ ^d/͕ Ž ŵĂnjŽŶĂƐ ŵĂŶͲ

des do  Tecnova  em  relação  a  outras  

ƚĠŵĚŽŝƐĨſƌƵŶƐƉĞƌŵĂŶĞŶƚĞƐƉĂƌĂĚŝƐĐƵƐƐĆŽƐŽďƌĞŽƐƌƵͲ

ĨŽƌŵĂƐĚĞƐƵďǀĞŶĕĆŽĞĐŽŶƀŵŝĐĂ͍

ŵŽƐĚĂƉŽůşƟĐĂĚĞdΘ/ŶŽĞƐƚĂĚŽ͗ƵŵĚĞŐĞƐƚŽƌĞƐĚĞŝŶƐƟͲ

^ĞŶĂ х EŽ ĐĂƐŽ ĞƐƉĞĐşĮĐŽ ĚŽ dĞĐŶŽǀĂ͕ Ă ŝŶŝĐŝĂƟǀĂ ĚĞ

ƚƵŝĕƁĞƐĚĞĞŶƐŝŶŽĞƉĞƐƋƵŝƐĂĞŽƵƚƌŽĚĞŝŶƐƟƚƵŝĕƁĞƐůŝŐĂĚĂƐ

ĚĞƐĐĞŶƚƌĂůŝnjĂĕĆŽ ƌĞǀĞůĂ͕ ƐŽďƌĞƚƵĚŽ͕ Ă ŵĂƚƵƌŝĚĂĚĞ ĚŽƐ ƐŝƐͲ

ăŝŶŽǀĂĕĆŽ͘ƐƐŝŵ͕ĚĞŵĂŶĚĂƐůĂƚĞŶƚĞƐĚĂĄƌĞĂĚĞŝŶŽǀĂĕĆŽ͕

ƚĞŵĂƐĞƐƚĂĚƵĂŝƐĚĞdΘ/ʹƌĞƉƌĞƐĞŶƚĂĚĂƉĞůĂĐƌŝĂĕĆŽĚĂƐ

ďĞŵĐŽŵŽĂĚĞĮŶŝĕĆŽĚĞƐĞƚŽƌĞƐƉƌŝŽƌŝƚĄƌŝŽƐƉĂƌĂŽĞƐƚĂĚŽ͕

&ƵŶĚĂĕƁĞƐƐƚĂĚƵĂŝƐĚĞŵƉĂƌŽăWĞƐƋƵŝƐĂ;&WƐͿʹĞĂĞdžͲ

ũĄǀŝŶŚĂŵƐĞŶĚŽĚŝƐĐƵƟĚŽƐŚĄĂůŐƵŵƚĞŵƉŽ͘

ƉĞƌŝġŶĐŝĂ ĂĚƋƵŝƌŝĚĂ ŶĂ ĐŽŽƌĚĞŶĂĕĆŽ ĚĞ ŽƵƚƌŽƐ ƉƌŽŐƌĂŵĂƐ

ůŝŶŚĂŵŽƐ͕ ĞŶƚĆŽ͕ ĂƐ ǀŽŶƚĂĚĞƐ ĞdžƉƌĞƐƐĂƐ ƉŽƌ ĞƐƐĞƐ

ĚĞƐƵďǀĞŶĕĆŽĞdžŝƚŽƐŽƐ͘/ƐƐŽŝŶĚŝĐĂ͕ĞŶƚƌĞŽƵƚƌĂƐƋƵĞƐƚƁĞƐ͕

ŝŵƉŽƌƚĂŶƚĞƐ ĂƚŽƌĞƐ Ğ ŽƐ ƌĞƋƵŝƐŝƚŽƐ ĞƐƚĂďĞůĞĐŝĚŽƐ ƉĞůŽ

Ă ĐĂƉĂĐŝĚĂĚĞ ĚĞƐƐĞƐ ŐŽǀĞƌŶŽƐ ĞƐƚĂĚƵĂŝƐ ĚĞ ƉƌŽƉŽƌ ĚĞͲ

WƌŽŐƌĂŵĂ dĞĐŶŽǀĂ͘ ĞƉŽŝƐ ĚĞĮŶŝŵŽƐ ƋƵĞ Ă ŐŽǀĞƌŶĂŶĕĂ

ŵĂŶĚĂƐƉŽŶƚƵĂŝƐ͕ƐĞŵƉĞƌĚĞƌŽĨŽĐŽĚĂŝŶƐĞƌĕĆŽŶĂĐŝŽŶĂů

ĚŽ ƉƌŽŐƌĂŵĂ ƐĞƌŝĂ ĚĞ ƌĞƐƉŽŶƐĂďŝůŝĚĂĚĞ ĚĂ &ƵŶĚĂĕĆŽ ĚĞ

ĐŽŵƉĞƟƟǀĂ͕ ƉĂƌĂ ƌĞƐŽůƵĕĆŽ ĚĞ ŐĂƌŐĂůŽƐ ŝĚĞŶƟĮĐĂĚŽƐ ŶŽƐ

ŵƉĂƌŽăWĞƐƋƵŝƐĂĚŽƐƚĂĚŽĚŽŵĂnjŽŶĂƐ;&ĂƉĞĂŵͿ͕ĚĂ

ƉƌŽĐĞƐƐŽƐƉƌŽĚƵƟǀŽƐůŽĐĂŝƐ͘WŽƌŽƵƚƌŽůĂĚŽ͕ƌĞĂĮƌŵĂƚĂŵͲ

^d/ͬD͕ĚĂŐġŶĐŝĂĚĞ&ŽŵĞŶƚŽĚŽƐƚĂĚŽĚŽŵĂnjŽͲ

ďĠŵŽĐŽŵƉƌŽŵŝƐƐŽĚŽ'ŽǀĞƌŶŽ&ĞĚĞƌĂůĞŵŵŝŶŝŵŝnjĂƌŽ

ŶĂƐ;ĨĞĂŵͿ͕ĚŽ/ŶƐƟƚƵƚŽƵǀĂůĚŽ>ŽĚŝ;/>ͬDͿ͕ĚŽ^ĞƌǀŝͲ

ĂďŝƐŵŽĞdžŝƐƚĞŶƚĞŶĂĚŝƐƚƌŝďƵŝĕĆŽĚĞƌĞĐƵƌƐŽƐƉĂƌĂĂĄƌĞĂĚĞ

ĕŽEĂĐŝŽŶĂůĚĞƉƌĞŶĚŝnjĂŐĞŵ/ŶĚƵƐƚƌŝĂů;^E/ͬDͿĞĚĂ

dΘ/ ƉĂƌĂ ĞƐƚĂĚŽƐ ĐŽŶƐŝĚĞƌĂĚŽƐ ƉĞƌŝĨĠƌŝĐŽƐ͕ ĐŽŵƉĂƌĂĚŽƐ

ZĞĚĞŵĂnjƀŶŝĐĂĚĞ/ŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĚĞŵƉƌĞƐĂƐ;ZĂŵŝͿ͘

ĂŽƐŐƌĂŶĚĞƐĐĞŶƚƌŽƐƉƌŽĚƵƚŽƌĞƐĚĞŝŶŽǀĂĕĆŽŶŽƉĂşƐ͘

Como  o  senhor  analisa  a  geração  de  oportunidades   ăƐĞŵƉƌĞƐĂƐĂƉĂƌƟƌĚĂĚĞƐĐĞŶƚƌĂůŝnjĂĕĆŽĂŽƐĞƐƚĂĚŽƐ͍

ŽŵŽŽdĞĐŶŽǀĂƉŽĚĞŝŶĐĞŶƟǀĂƌ͕ĂƉĂƌƟƌĚĂƐƵďǀĞŶĕĆŽ ĞĐŽŶƀŵŝĐĂ͕ŽĨŽŵĞŶƚŽĞƐƚĂĚƵĂůăŝŶŽǀĂĕĆŽƚĞĐŶŽůſŐŝĐĂ͍ dĞŶĚŽ ƉŽƌ ďĂƐĞ Ă ĞƐƚƌĂƚĠŐŝĂ ĚĞ ŐŽǀĞƌŶĂŶĕĂ ũĄ ĐŝƚĂĚĂ͕

 ƉƌŝŶĐŝƉĂů ǀĂŶƚĂŐĞŵ Ġ Ž ĂƵŵĞŶƚŽ ĚĂ ĐĂƉĂĐŝĚĂĚĞ ĚĞ

ƚĞŵŽƐ ǀĄƌŝĂƐ ŵĞƚĂƐ ĐŽŵŽ ŵĂŝŽƌ ƉĂƌƟĐŝƉĂĕĆŽ ĚĂƐ DWƐ

ƉĂƌƟĐŝƉĂĕĆŽĚĞŵŝĐƌŽĞƉĞƋƵĞŶĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐůŽĐĂŝƐŝŶƚĞƌĞƐͲ

Ğŵ ŝŶŽǀĂĕĆŽ ĚĞ ƉƌŽĚƵƚŽƐ Ğ ƉƌŽĐĞƐƐŽƐ͖ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽ

ƐĂĚĂƐĞŵƐƵďǀĞŶĕĆŽĞĐŽŶƀŵŝĐĂƉĂƌĂŽĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽ

ĚĞƚĞĐŶŽůŽŐŝĂƐĂƉĂƌƟƌĚĂƐƉŽƚĞŶĐŝĂůŝĚĂĚĞƐůŽĐĂŝƐ͖ĂŐƌĞŐĂͲ

ĚĞƉƌŽĐĞƐƐŽƐĞƉƌŽĚƵƚŽƐŝŶŽǀĂĚŽƌĞƐʹŽƋƵĞƚŽƌŶĂĂĐŽŵͲ

ĕĆŽĚĞǀĂůŽƌĂŽƐƉƌŽĚƵƚŽƐƌĞŐŝŽŶĂŝƐ͕ĞŶƚƌĞŽƵƚƌŽƐ͘WŽƌĠŵ͕

ƉĞƟƟǀŝĚĂĚĞĞŵďƵƐĐĂĚŽĨŽŵĞŶƚŽŵĂŝƐũƵƐƚĂĞĨŽĐĂĚĂĞŵ

ŽŽďũĞƟǀŽŵĂŝŽƌĚŽdĞĐŶŽǀĂƉĂƌĂŽŵĂnjŽŶĂƐ͕ĞŵŶŽƐƐĂ

ƉƌŽďůĞŵĂƐĚĞŝŶƚĞƌĞƐƐĞĚŝƌĞƚŽĚŽƐĞƐƚĂĚŽƐ͘

ǀŝƐĆŽ͕ Ġ ĐŽŶƐŽůŝĚĂƌ ƵŵĂ ĞƐƚƌĂƚĠŐŝĂ͕ ũĄ Ğŵ ĐƵƌƐŽ ŶŽ ĞƐƚĂͲ ĚŽ͕ĞŵƋƵĞĂŝŶŽǀĂĕĆŽƚĞĐŶŽůſŐŝĐĂƐĞũĂ͕ĚĞĨĂƚŽ͕ƵŵĞŝdžŽ

Como foi  a  mobilização  no  Amazonas? 28

ŶŽƌƚĞĂĚŽƌĚŽĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽƐƵƐƚĞŶƚĄǀĞůĚŽŵĂnjŽŶĂƐ͘


INVESTIMENTO

ïWRWDOGH5PLOK¡HVHPVXEYHQŠ¼RHFRQœPLFD SDUDILQDQFLDPHQWRGDVGHVSHVDVGHFXVWHLRGDV HPSUHVDVLQRYDGRUDV ï5PLOK¡HVUHSDVVDGRVSHOD)LQHSSDUDDSRLR¢ LQIUDHVWUXWXUDHRUJDQL]DŠ¼RGRVSDUFHLURVHVWDGXDLV SDUDFDSDFLWDŠ¼R ï5PLOK¡HVRULXQGRVGR6HEUDHSDUDDSRLDU DWLYLGDGHVGHJHVW¼RGHQHJ¾FLRSDUDDVHPSUHVDV VHOHFLRQDGDV

CONDIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES PARA APLICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

RECURSOS

TECNOVA 3RGHPSDUWLFLSDUHPSUHVDV

ïSHORPHQRVGRVUHFXUVRV GHYHPHVWDUUHODFLRQDGRVD WHPDVGHVXEYHQŠ¼RQDFLRQDO FRQVLGHUDQGRRVVHWRUHVGR 3URJUDPD%UDVLO0DLRUHRX SULRULGDGHVGD(VWUDWJLD 1DFLRQDOGH&7,GR0&7, 3ULRULGDGHVSHWU¾OHRHJ£V HQHUJLDVDOWHUQDWLYDVH7,& ïDWGRVUHFXUVRV ILQDQFHLURVVHU¼RDSOLFDGRVHP DWFLQFRWHPDVRXVHWRUHVD VHUHPLQGLFDGRVSHORVHVWDGRV

ïFRPIDWXUDPHQWRDQXDOGH DW5PLOK¡HV ïHPRSHUDŠ¼RK£QRP¯QLPR VHLVPHVHVFRQWDQGRGDGDWD GHODQŠDPHQWRGRVHGLWDLVQRV HVWDGRV ïTXHQ¼RSDUWLFLSDUDPGR 3DSSHGH

SELEĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE EMPRESAS

CONDIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES FINANCEIRAS

ĂŻFDGDHPSUHVDVHOHFLRQDGDUHFHEHUÂŁGH5PLOD 5PLO

carĂĄ duas organizaçþes: o Instituto Euvaldo Lodi (IEL/TO), como operador ďŹ nanceiro, e a Fundação de Amparo Ă Pesquisa de Tocantins (FAPT), como executora principal. O

ïDVHPSUHVDVGHYHU¼RDSRUWDUFRQWUDSDUWLGDILQDQFHLUD HTXLYDOHQWHDGRYDORUUHFHELGRFRPRVXEYHQŠ¼R HFRQœPLFD ï2SUD]RGHH[HFXŠ¼RGRVSURMHWRVGHDWPHVHV

lançamento do edital estadual estå previsto para o primeiro semestre de 2013. No caso do Maranhão, a secretåria esta-

regional Ê um fator decisivo na geração de

dual de CiĂŞncia, Tecnologia e Ensino Supe-

novas oportunidades para o estado. Quan-

rior, Rosane Guerra, aďŹ rma que o recurso

do havia somente o edital nacional, o acesso

deve beneďŹ ciar de 10 a 33 empresas. Nossa

das MPEs ao recurso era inviĂĄvel. Com essa

expectativa Ê fomentar a utilização de tec-

descentralização, Ê possível priorizar ques-

nologia de ponta no dia-aâ&#x20AC;&#x2019;dia das empresas,

tĂľes regionais. O diferencial do programa ĂŠ

visto que historicamente um nĂşmero redu-

que, alĂŠm de proporcionar um fomento Ă s

zido de empresas maranhenses promovem

empresas, ajuda o prĂłprio poder pĂşblico

essas ferramentas. Apresentamos o projeto

estadual a realizar uma integração com en-

em dezembro , diz. A Secretaria estima que o

tidades de pesquisa e aumentar seus inves-

edital estadual serå lançado entre fevereiro e março de 2013. L

timentos em inovação , analisa.

ZĹ˝Ć?Ä&#x201A;ĹśÄ&#x17E;Í&#x2022;Ä&#x161;Ä&#x201A;^dÍŹ DÍ&#x2014;Ä&#x17E;Ć?Ć&#x161;Ä&#x201A;Ä&#x161;Ĺ˝Ć?Ä&#x17E;Ć&#x2030;Ć&#x152;Ä&#x17E;Ć&#x2030;Ä&#x201A;Ć&#x152;Ä&#x201A; Ć&#x2030;Ä&#x201A;Ć&#x152;Ä&#x201A;Ä&#x201A;Ć&#x2030;Ć&#x152;Ĺ˝Ç&#x20AC;Ä&#x17E;Ĺ?Ć&#x161;Ä&#x201A;Ć&#x152; Ç&#x20AC;Ä&#x201A;ĹśĆ&#x161;Ä&#x201A;Ĺ?Ä&#x17E;ĹśĆ?Ä&#x161;Ĺ˝dÄ&#x17E;Ä?ŜŽÇ&#x20AC;Ä&#x201A; Ĺ?Ç&#x20AC;ƾůĹ?Ä&#x201A;Ä&#x2022;Ä&#x2020;Ž͏&Ä&#x201A;Ć&#x2030;Ä&#x17E;ĹľÄ&#x201A;

Segundo o diretor de Tecnologia e Inovação da SECT, Alan Rickson, a atuação

29


30


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

CAPA

Esbanjando saúde Os números não deixam dúvida: R$ 160 bilhões movimentados por ano, 18% do PIB americano, 8% do PIB no Brasil. O mercado de saúde figura como um dos mais promissores nichos de atuação tanto para gigantes quanto para MPEs inovadoras. Baseadas em Pesquisa e Desenvolvimento, empresas de todo o país têm surpreendido a concorrência com o alto nível dos produtos e serviços que oferecem

P O R E D UA R D O KO R M I V E S

31


CAPA

A aquisição da operadora

graúdo de micro e pequenas

total em 2050. Mas a exemplo

de plano de saúde Amil pela gi-

empresas inovadoras de base

de outros segmentos, o princi-

gante americana UnitedHealth,

tecnológica

pal motor do crescimento é o

um negócio de US$ 4,9 bilhões

todo o país.

espalhadas

por

novo mercado consumidor ge-

concretizado em outubro, não

Em termos globais, o Brasil

rado com a ascensão da nova

deixa dúvida: o mercado bra-

ainda é peixe pequeno ‒ nos

classe média. A formalização

sileiro de saúde virou um mar

Estados Unidos, o setor de saú-

do emprego (65% dos benefici-

tão grande de oportunidades

de responde por uma fatia de

ários do país estão em planos

que caminha para se tornar o

18% do PIB ‒, mas os prognós-

empresariais) e o ganho de po-

terceiro maior do mundo, atrás

ticos são muito favoráveis para

der aquisitivo fizeram com que

apenas de Estados Unidos e

os próximos anos. O próprio di-

o plano de saúde virasse sonho

China.

retor-presidente da UnitedHe-

de consumo da classe C depois

Ao mesmo tempo em que

alth, Stephen Hemsley, decla-

do eletrodoméstico, do carro

atrai grandes tubarões globais

rou que o grupo espera que o

zero e da viagem de avião.

do porte da UnitedHealth, com

mercado brasileiro cresça duas

75 milhões de clientes e recei-

vezes mais rápido que o ameri-

ta de US$ 102 bilhões por ano,

cano. Entre as explicações para

esse mercado ‒ estimado pelo

a velocidade da expansão está

Saúde

Instituto Brasileiro de Geogra-

o envelhecimento da popula-

Saúde) estima avanço de 11%

fia e Estatística (IBGE) em 8%

ção. Estimativas apontam que

para o setor este ano, muito

do Produto Interno Bruto (PIB)

a fatia de brasileiros na faixa

acima da expansão medíocre

ou R$ 160 bilhões anuais em

etária acima de 60 anos deve

de 1% esperada para a econo-

2010 ‒ estimula o crescimento

dobrar nos próximos 20 anos

mia como um todo. De acordo

de um cardume cada vez mais

e alcançar 30% da população

com o último dado divulgado

Oportunidades A Federação Nacional de Suplementar

(Fena-

pela Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS), em

_NÚMEROS

setembro, um quarto dos brasileiros (48,7 milhões) eram

ͻKDŝŶŝƐƚĠƌŝŽĚĂ^ĂƷĚĞŐĂƐƚĂĂŶƵĂůŵĞŶƚĞR$ 8  bilhões  ĞŵĐŽŵƉƌĂƐĚĞŵĞĚŝĐĂ-­‐ ŵĞŶƚŽƐ͕ĞƋƵŝƉĂŵĞŶƚŽƐĞƉƌŽĚƵƚŽƐĚĞƐĂƷĚĞ   ͻKŵĞƌĐĂĚŽĚĞƐĂƷĚĞŶŽƌĂƐŝůĐŽƌƌĞƐƉŽŶĚĞĂ8%  do  PIB   ͻKƌĂƐŝůĐŽƌƌĞƐƉŽŶĚĞĂ1,2%ĚŽŵĞƌĐĂĚŽŵƵŶĚŝĂůĚĞƐĂƷĚĞ   ͻ^ĆŽƉƌĞƐĐƌŝƚĂƐ35  milhões  ĚĞƌĞĐĞŝƚĂƐƉŽƌŵġƐŶŽƌĂƐŝů   ͻKƌĂƐŝůƚĞŵ60  mil  ĨĂƌŵĄĐŝĂƐ͕  350  mil  ŵĠĚŝĐŽƐĞŵĂƟǀŝĚĂĚĞ͕197  ĨĂĐƵůĚĂĚĞƐ ĚĞDĞĚŝĐŝŶĂ;ĂƚƌĄƐĂƉĞŶĂƐĚĂ1ŶĚŝĂͿĞ504  milůĞŝƚŽƐĚŝƐƉŽŶşǀĞŝƐ;ƐĞŶĚŽ354  mil   ĚŽ^h^Ϳ   ͻ^ĆŽ1  milhão  ĚĞŝŶƚĞƌŶĂĕƁĞƐƉŽƌŵġƐŶŽƉĂşƐ͕ĂůĠŵĚĞ267  milhões  de  aten-­‐ ĚŝŵĞŶƚŽƐĂŵďƵůĂƚŽƌŝĂŝƐŵĞŶƐĂŝƐ &ŽŶƚĞƐ͗^h^͕DŝŶŝƐƚĠƌŝŽĚĂ^ĂƷĚĞ͕&ĞŶĂƐĂƷĚĞ͕/'ĞE^

usuários de planos privados de assistência médica com ou sem odontologia. Nos últimos cinco anos, o mercado recebeu 9,4 milhões de novos clientes, o equivalente à população de Portugal. O mercado da classe C vai estourar. O aumento da expectativa de vida e o crescimento socioeconômico geram mudanças no estilo de vida. Hoje, desenvolver um software para sistema hospitalar ou um aplicativo para dispositivos móveis para ajudar a emagrecer causa grande impacto , afirma Vitor Asseituno, médico e co-fundador do Empreender-

32


Saúde, que faz o meio-campo

não precisa estar presente na

entre empreendedores, fundos

clínica ou no hospital.

de investimentos e empresas Tecnologia de ponta

tradicionais. Diante de tantas oportunida-

Além de oferecer melhor

des de inovação, argumenta ele,

resolução, amostragem e nível

não faz sentido esperar as solu-

de informação, o aparelho cria-

ções virem de fora. Os números

do pela Gelt tem o potencial de

do Ministério da Saúde revelam

evitar mortes. Em uma situa-

um déficit na balança comercial

ção hipotética na qual um pa-

de produtos na área de saúde

ciente infartado seguisse para

superior aos US$ 7 bilhões em

o hospital, os exames pode-

2008. É necessário estimular

riam ser realizados na própria

pessoas capacitadas. Precisa-

ambulância, economizando um

mos de mais empreendedores

tempo precioso. Outro públi-

com Ph.D , afirma Asseituno.

co potencial são os pacientes

Em 2012, o Empreender-

de pequenas cidades, onde

segunda

não existe um especialista em

edição do programa Startup

cardiologia. Ainda em 2013, a

Saúde Brasil, cuja proposta é

Gelt espera concluir o projeto

acelerar empresas nascentes

de uma camiseta do tipo se-

com alto potencial de impacto

gunda pele com holter. Com

em seus mercados. A seleção

ela, será possível monitorar

atraiu mais de 400 projetos.

um paciente 24 horas por dia

Entre as 10 empresas escolhi-

e, em caso de mal estar, rea-

das estava a Gelt Tecnologia,

lizar

com sede em Londrina (PR),

e enviá-lo ao especialista na

que promete mudar a cara da

Central de Telemedicina. O

telemedicina cardíaca.

retorno do laudo, tão preciso

Saúde realizou a

um

quanto um exame tradicional,

para lançar comercialmente o

não demoraria mais que cinco

Cardiocare no início de 2013.

minutos.

empresa

está

Trata-se de um aparelho por-

ƐƐĞŝƚƵŶŽ͕ĚŽŵƉƌĞĞŶĚĞƌͲ^ĂƷĚĞ͗Ă ĐůĂƐƐĞĂƋƵĞĐĞƵŽŵĞƌĐĂĚŽ

eletrocardiograma

pronta

A

&ŽƚŽƐ͗ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

CAPA

'ĞůƚdĞĐŶŽůŽŐŝĂĨŽŝƵŵĂĚĂƐƐĞůĞĐŝŽŶĂĚĂƐ ŶŽƉƌŽŐƌĂŵĂ^ƚĂƌƚƵƉ^ĂƷĚĞĞĚĞƐĞŶǀŽůǀĞ ƉƌŽĚƵƚŽƐĐŽŵŽŽĂƌĚŝŽĐĂƌĞ

O Cardiocare também de-

tátil e digital capaz de realizar

safia

cinco diferentes exames: ele-

atualmente

os

preços

trocardiograma de repouso,

res de equipamentos. Hoje,

eletrocardiograma de esforço,

comprar os aparelhos sepa-

looper, holter e monitoramen-

radamente para esses cinco

to cardíaco. Os resultados são

exames demanda em torno de

transmitidos por banda larga

R$ 50 mil. O dispositivo da

móvel (3G) e armazenados

empresa paranaense custará

na nuvem. Assim, um médi-

20 vezes menos, ficando na

co pode acessar dados de seu

faixa dos R$ 2,5 mil. O preço

paciente por meio de qualquer

ainda pode cair se o médico

dispositivo móvel conectado à

optar por baixar e configurar

internet e ‒ o que é melhor ‒

em tempo real apenas algu-

por

praticados fornecedo-

33


CAPA

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

exclusiva para médicos. Público não falta. Existem 350 mil profissionais ativos no país e as 197 faculdades existentes aqui ‒ número de cursos inferior apenas ao registrado da Índia ‒ formam quase 17 mil médicos por ano. A diferença é que a proposta da Doctors Way como rede social de profissionais não é simplesmente publicar o currículo ou ofertas de emprego, como o LinkedIn. Sua função primordial é ajudar no dia a dia do trabalho. Mais de 2,5 mil médicos já ZŝƐŽůĂ͕ĚŽ ŝĞƚĞĐ͗ĚĂƐ ϭϯϱĞŵƉƌĞƐĂƐ ŝŶĐƵďĂĚĂƐ ĂƚƵĂůŵĞŶƚĞ͕ϰϬ ĂƚƵĂŵŶŽƐĞƚŽƌ ĚĞƐĂƷĚĞ

mas das funcionalidades, por

de plano de saúde , diz Tony

criaram um perfil. Em vez de

meio de um sistema de compra

Novaes, sócio-presidente da

compartilhar frases da Clari-

que é semelhante às lojas de

Gelt. Bastante assediada por

ce Lispector e fotos de gatos,

aplicativos para smartphone.

investidores-anjos e empresas

eles trocam opiniões sobre

Em vez de empurrar o pacote

estrangeiras, a empresa já pos-

exames e diagnósticos, leem

completo, a Gelt decidiu tornar

sui as patentes registradas da

estudos sugeridos por outros

o software modular e flexível.

tecnologia no Brasil e no exte-

membros da rede, postam

O desenvolvimento dele e do

rior. O mercado de saúde tem

artigos médicos e ainda po-

hardware demandou 10 anos

muito a evoluir, o Brasil depen-

dem assistir a aulas e trechos

de pesquisa e R$ 3 milhões em

de muito dos grandes fabrican-

de congressos. Além de ser

investimento ‒ R$ 2,3 milhões

tes internacionais. O governo

gratuito, o conteúdo tem um

dos quais vindos de editais de

só passou a investir mais em

apelo forte para o médico que

subvenção da Finep. Embora

PMEs nos últimos cinco anos ,

atende apenas numa clínica,

ainda não esteja oficialmente

avalia Novaes.

por exemplo, e tem dificuldade de se encontrar e conversar

no mercado, o retorno não poderia ter sido melhor até ago-

34

Na nuvem

com colegas.

ra. Em agosto, a Gelt foi aceita

Outra empresa que en-

As oportunidades na área

na incubadora do Instituto Pe-

trou na lista da Startup Saú-

de saúde não passaram des-

dro Nunes da Universidade de

de Brasil foi a Doctors Way,

percebidas no processo seleti-

Coimbra, em Portugal, o que

que pega carona no gosto dos

vo do Centro de Inovação, Em-

permitirá expandir a empresa

brasileiros por redes sociais

preendedorismo e Tecnologia

em solo europeu. Além disso,

‒ 53% dos que acessam a in-

(Cietec), maior incubadora da

em fevereiro de 2013, ela será

ternet visitam ao menos uma

América Latina, que funciona

a única empresa da América

delas diariamente, segundo

na Universidade de São Paulo

Latina a participar da final do

pesquisa do Ibope NetRatin-

(USP). Desde 2007, o número

MIT Award - International En-

gs divulgada este ano. Ocor-

de empresas do segmento de

trepreneurship and Innovation

re que o Doctors Way não é

saúde e medicina cresceu 25%

Competition. Toda a produção

uma rede social comum. Ela

no portfólio do Cietec, soman-

inicial de mil unidades já foi

exige o número de CRM na

do 40 de um total de 135 em-

vendida para uma operadora

hora do cadastro, ou seja, é

presas incubadas atualmente.


CAPA

Sérgio Risola, diretor executivo

retina, entre outros) com célu-

Organização Mundial de Saú-

do Centro, afirma que a área

las de polpas de dentes. Mas

de (OMS) mostram que mais

só perde em tamanho para a

por enquanto o que fazemos é

de 50% dos medicamentos

de Tecnologia da Informação

armazenar essas células para

que circulam no mundo foram

e Comunicação (TIC). Essa é

poder utilizá-las mais tarde .

prescritos, vendidos ou preparados de forma inadequada.

uma tendência que vem se veFuturo

doras e parques tecnológicos ,

A

empresa

No Brasil, estudo do Ministério desenvolveu

da Saúde aponta que 30% das

uma tecnologia de criopreser-

internações estão relacionadas

Uma das novas promessas

vação, ou seja, o congelamento

ao uso incorreto dos remédios.

do Cietec é a Revolugenix,

de material genético para pos-

Como resultado, a empresa

classificada entre os seis pri-

terior extração de células-tron-

desenvolveu uma plataforma

meiros colocados da etapa re-

co retiradas de polpa dentária.

de TI chamada Euprescrevo,

gional de São Paulo do Desafio

O serviço tem como usuários

em que médicos e dentistas po-

Brasil 2012, uma das maiores

diretos os cirurgiões-dentistas

dem gerar receitas on-line gra-

competições nacionais de star-

‒ que se credenciam na Revo-

tuitamente a partir de tablets

tups. A empresa trabalha para

lugenix para poder realizar a

e smartphones conectados à

oferecer soluções em um mer-

coleta ‒ e como consumidores

internet. O próprio sistema cal-

cado ainda incipiente, mas que

finais os pacientes. A expecta-

cula a quantidade necessária

espera revolucionar a saúde.

tiva de faturamento inicial é

de medicamento para o trata-

Trata-se da reconstrução de

de mais de R$ 1 milhão anual

mento com base na posologia

tecidos

quando a empresa estiver to-

determinada (atendimento a

talmente instalada.

normas do SUS). A receita do

analisa Risola.

humanos

utilizando

células-tronco, algo que ainda está restrito aos laboratórios

Incubada no Cietec desde

paciente fica registrada e pode

2010, a Sollis - Soluções Inte-

ser facilmente acessada por

Recém-chegado de um con-

gradas à Saúde, decidiu atacar

profissionais. A ideia é garantir

gresso nos Estados Unidos,

outro problema sério: as 35

uma prescrição segura e legí-

Vinícius Marchiori, fundador

milhões de receitas médicas

vel, possível de ser acessada e

da Revolugenix, afirma que as

preenchidas no papel todos

integrada aos sistemas de ges-

pesquisas na área têm avan-

os meses no Brasil. Dados da

tão de saúde, além de mostrar

de pesquisa.

çado rapidamente, mas há muito chão antes de terapias serem adotadas clinicamen-

WŝdžĞŽŶ͕ĚĞ &ůŽƌŝĂŶſƉŽůŝƐ ;^Ϳ͕ĂƚƵĂŶĂ ŐĞƐƚĆŽĞŶŽ ƉƌŽĐĞƐƐĂŵĞŶƚŽ ĚŝŐŝƚĂůĚĞ ŝŵĂŐĞŶƐ ĚŝĂŐŶſƐƟĐĂƐ ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

rificando em todas as incuba-

te. Há um consenso sobre a necessidade de mais conhecimento e segurança antes de utilizarmos células-tronco, mas há também a certeza de que precisamos continuar e levar para a clínica o que já sabemos . Marchiori, dentista e especialista em Biologia Molecular, afirma que hoje se tem consciência de que será possível, no futuro, reconstruir partes do corpo (osso, córnea e 35


CAPA

WůĂƚĂĨŽƌŵĂĚĞ d/ĠƵƟůŝnjĂĚĂ ƉĂƌĂŐĞƌĂĕĆŽ ĚĞƉƌĞƐĐƌŝĕƁĞƐ ŵĠĚŝĐĂƐĞ ŽĚŽŶƚŽůſŐŝĐĂƐ ŽŶůŝŶĞ

o que a pessoa está tomando.

aporte financeiro ocorreu no

to e distribuição de imagens

Com o sistema, podemos en-

fim de 2011. Turbinada com o

médicas,além da informatiza-

viar a receita diretamente para

dinheiro do novo sócio minori-

ção dos principais processos

a farmácia, eliminando o uso

tário, a empresa catarinense viu

de operação de um centro

do papel afirma Caio Gonçal-

seu faturamento crescer 120%

de medicina diagnóstica.

ves Ribero, sócio da Sollis.

no primeiro semestre deste ano

tecnologia será um dos prin-

A

Outro nicho com alto poten-

e anunciou, em agosto, uma fu-

cipais diferenciais competiti-

cial para inovação é o de gestão

são com a Medical Systems, de

vos do produto final ofertado

e processamento digital de ima-

São Bernardo do Campo (SP),

ao mercado, pois nosso time

gens diagnósticas. Se nos Esta-

que desenvolve sistemas de

integrado dominará todo o

dos Unidos e na Europa esse

gestão de informações radioló-

processo de desenvolvimento

mercado já é considerado ma-

gicas e digitais.

de soluções , afirma Fernan-

duro, com alto grau de digitali-

A nova empresa, batizada

do Peixoto, diretor de P&D da

zação, estima-se que apenas 8%

Pixeon Medical Systems, rece-

Pixeon Medical Systems, que

das clínicas e laboratórios bra-

beu nova injeção de dinheiro

acabou eleita a empresa do

sileiros possuam esse tipo de

da Intel Capital. Tornou-se a

ano do setor pela consultoria

tecnologia. Encarando concor-

única com operações de pes-

Frost & Sullivan.

rentes globais de peso, como

quisa em software para me-

GE e Fujifilm, a Pixeon, empresa

dicina diagnóstica 100% rea-

Versatilidade

graduada do MIDI Tecnológico,

lizadas no país. Nasceu com

Apesar da forte concentra-

de Florianópolis, desenvolveu

1,2 mil clientes ‒ entre eles

ção das MPEs de saúde no cen-

soluções que despertaram o

argentinos e chilenos ‒ , que

tro do país, as regiões Norte e

interesse da Intel Capital, braço

compram suas soluções de

Nordeste também abrigam pro-

de venture capital da Intel. Um

digitalização,

jetos inovadores relevantes. O

armazenamen-

Porto Digital, parque tecnológico localizado em Recife (RE) é o endereço atual de duas empresas iniciantes citadas com frequência em rankings que enumeram as empresas brasileiras mais promissoras na área. A Atestados.med.br, instalada desde setembro na incubadora C.A.I.S. do Porto, prepara-se para lançar comercialmente um sistema de emissão digital de atestados médicos. O objetivo, explica o médico Eduardo Pires, co-fundador da empresa, é atacar o que ele chama de máfia de falsificações desses documentos. A Associação Brasileira das Empresas de Medicina de Grupo (Abramge) dá uma ideia do tamanho do problema: estima que as fraudes de ates-

36


tados consomem 20% das des-

a acabar com um símbolo dos

pesas de atendimento do setor.

problemas da saúde pública

Além do prejuízo financeiro,

brasileira: as eternas filas na

esses atestados servem de sub-

madrugada para atendimento

sídio para processos contra

no SUS. Para isso, desenvol-

empresas. Para os hospitais, é

veu uma central eletrônica de

difícil manter o controle porque

regulação para gestão do sis-

eles não sabem quem emitiu.

tema de saúde pública capaz

O médico alega que usaram o

de integrar hospitais, clínicas

nome e o carimbo dele indevi-

e laboratórios com seus usu-

damente , diz Pires.

ários, que podem estar locali-

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

CAPA

O sistema em nuvem de-

zados em qualquer lugar. Uma

senvolvido pela empresa per-

grande vantagem da solução

nambucana gera um código

é permitir que moradores de

de barras ou um QR Code no

cidades pequenas agendem

documento impresso, que é

com antecedência consultas

validado pelo departamento de

médicas nas cidades em que

recursos humanos da empresa

buscam atendimento. O siste-

digitalmente, via site ou aplica-

ma, que gerencia mais de 30

Graduada em 2006 no Cen-

tivo para dispositivos móveis.

mil consultas mensais em 18

tro de Incubação e Desenvolvi-

O rastreamento não apenas

cidades espalhadas por Ala-

mento Empresarial (CIDE) de

inibe fraudes, mas também cria

goas, Sergipe e Acre, ganhará

Manaus, a empresa pretende

um banco de dados alimentado

um novo módulo, focado na

deixar de ser uma companhia

em tempo real com informa-

atualização de informações

local e em 2013 e brigar por

ções sobre a saúde do traba-

em tempo real pelos agen-

espaço nas prateleiras de gran-

lhador. O médico tem acesso

tes de saúde. Nosso objetivo

des varejistas nas regiões Nor-

aos documentos arquivados

futuro é criar um sistema de

te, Nordeste e Sudeste. Depois

para sua própria segurança e o

transparência total. Quando

de muita negociação, fechou

funcionário recebe uma cópia

o Ministério da Saúde liberar

um acordo com duas redes de

por e-mail. O aplicativo certifi-

um comprimido, saberá quem

drogarias, a Brasil Farma e a

cador para o sistema operacio-

o tomou , explica José Roberto

Farmácia do Trabalhador, que

nal iOS, da Apple, já pode ser

de Oliveira, sócio da Acone.

juntas somam quase 1,6 mil

tada e dor nas costas.

lojas.

baixado de graça na App Store.

A fábrica, que produz

A versão para dispositivos An-

Biocosméticos

65 mil unidades por mês, será

droid sairá em breve.

Outra empresa que se pre-

ampliada em 150%.

para para um salto de cresci-

Queremos ser o maior la-

gera oportunidades na área

mento é a Prönatus, de Manaus.

boratório de biocomésticos do

de TI. Basta dizer que não há

Vencedora do Prêmio Finep de

país. O maior fator limitante é

praticamente nenhuma inte-

Inovação Tecnológica 2005 na

a logística , analisa o empreen-

gração de bancos de dados

região Norte na categoria pro-

dedor Evandro Araújo Silva. O

do setor. Uma das empresas

duto, a Prönatus desenvolve

frete rodofluvial faz com que

veteranas no segmento é a

biocomésticos, produtos que

um pedido demore 18 dias para

Acone, com sede no Parque

carregam propriedades medi-

chegar a São Paulo ou 40 dias a

Tecnológico de Sergipe (Sergi-

cinais de plantas da Amazônia

Santa Catarina. Mas vale a pena

peTec), em Aracaju. A empre-

e são indicados para proble-

sa começou em 2001 disposta

mas como acne, pele desidra-

o trabalho. Afinal, o mercado está esbanjando saúde. L

O caos na saúde também

WŝƌĞƐ͕ĚĂ ƚĞƐƚĂĚŽƐ͗ ƚĞĐŶŽůŽŐŝĂ ƉĂƌĂĐŽŵďĂƚĞƌ ĨƌĂƵĚĞƐĞŵ ĂƚĞƐƚĂĚŽƐ ŵĠĚŝĐŽƐ

37


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

EDUCAÇÃO

Aprendizado para ruptura Universidades brasileiras convivem com o dilema de fomentar a inovação sem abandonar tradições seculares. É hora de responder à expectativa da sociedade do conhecimento POR DÉBOR A HORN

38

Há poucas décadas, o tripé ensino, pes-

dinamismo cultural e tecnológico, institui-

quisa e extensão parecia suficiente para

ção alguma ficaria inerte a transformações.

definir os eixos de atuação das universi-

Novas funções e expectativas marcam a

dades brasileiras. Comprometidas com a

trajetória das universidades no século XXI.

formação de recursos humanos, essas ins-

A sociedade hoje espera que as institui-

tituições faziam da graduação profissional

ções de ensino e pesquisa estejam entre os

sua principal entrega à sociedade. Pesquisa

protagonistas do desenvolvimento social e

e desenvolvimento, bem como a interação

econômico, envolvendo dimensões éticas e

com a comunidade, tinham papel coadju-

políticas mais abrangentes. Isso implica em

vante. Mas a evolução rumo à economia do

uma revisão da própria missão dessas ins-

conhecimento mudou esse cenário, dele-

tituições e em uma mudança cultural rele-

gando às universidades a função de empre-

vante, pois a academia é um ambiente com

ender e inovar. Em uma era marcada pelo

tendência à manutenção do status quo ,


em inovação, Gina Paladino.

Nicolas Audy, organizador do livro Inovação e empreendedorismo na Universidade ‒ publicado pela EDIPUCRS em 2006.

Novos modelos Fazer com que tradição e inovação andem

Segundo Audy, a inovação emerge como

lado a lado tem se revelado o grande desafio

terceira missão das universidades, ao lado

das universidades que investem em novos

de ensino e pesquisa, de modo que a inte-

modelos de atuação. A universidade é uma

ração com a sociedade ‒ antes chamada de

instituição secular, milenar em alguns casos.

extensão ‒ permeia todas as atividades de-

Mudanças de cultura nesses ambientes são

senvolvidas. No Brasil e na América Latina

sempre difíceis. Para fomentar a cultura

em geral, essa é uma transformação recente,

empreendedora, por exemplo, é preciso con-

iniciada na virada deste século. Foi um des-

vencer diferentes atores de que essa é uma

pertar tardio em relação a outros países. Nos

ação relevante não apenas para a instituição,

Estados Unidos, esse modelo é adotado des-

mas para a comunidade que a cerca ‒ gera

de a década de 1950, tendo como ícone a

postos de trabalho, renda, desenvolvimento ,

Universidade de Stanford, na Califórnia. Na

afirma o reitor da Universidade Federal de

Inglaterra, esse movimento teve início nos

Itajubá (Unifei), Renato Aquino.

anos 1970, se estendendo a outros países

Prestes a completar 100 anos, a Unifei

da Europa e também à Ásia na década se-

é outro exemplo recorrente quando se tra-

guinte , explica. Ao assumirem essa postura,

ta de cultura empreendedora na academia.

complementa Audy, universidades de China,

Localizada no sul de Minas Gerais, Itajubá é

Malásia, Filipinas e Cingapura impulsiona-

uma cidade de 90 mil habitantes, que tem

ram o desenvolvimento científico e tecnoló-

na Universidade Federal ‒ originada de um

gico, contribuindo para o crescimento eco-

Instituto de Engenharia ‒ um dos principais

nômico da região onde estão inseridas.

motores do desenvolvimento regional. Uma

Embora esteja em meio à curva de apren-

das ferramentas da Unifei nesse processo é

dizado quanto a suas novas funções, boa

o Núcleo de Inovação, Transferência de Tec-

parte das universidades brasileiras se mostra

nologia e Empreendedorismo (Nitte), criado

disposta a protagonizar o desenvolvimen-

em 2004 com a missão de estabelecer cone-

to. Algumas, inclusive, criaram rupturas ao

xões com o mercado no desenvolvimento de

adiantarem a mudança cultural ‒ caso da Uni-

projetos inovadores. Entre os mecanismos

versidade Federal do Rio de Janeiro, na im-

ligados ao NITTE estão três incubadoras de

plantação de sua incubadora e posteriormente do Parque Tecnológico do Rio, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul,

:ŽƌŐĞEŝĐŽůĂƐƵĚLJ͗ ƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞƐĚĞǀĞŵ ƐĞƌƉƌŽƚĂŐŽŶŝƐƚĂƐĚŽ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽ

hŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞĚĞ ^ƚĂŶĨŽƌĚ͕ŶŽƐƐƚĂĚŽƐ hŶŝĚŽƐ͕ĨŽŝƉŝŽŶĞŝƌĂŶĂ ŝŵƉůĂŶƚĂĕĆŽĚĂĐƵůƚƵƌĂ ĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌĂŶĂ ĂĐĂĚĞŵŝĂ ^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

afirma o vice-presidente da Anprotec, Jorge

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

EDUCAÇÃO

com o Tecnopuc, e da Universidade Federal de Santa Catarina, engajada na implantação do Sapiens Parque.

Evoluímos muito. Há

15 anos ainda encontrávamos uma barreira ideológica, um preconceito grande em relação ao fomento ao empreendedorismo e à inovação nas universidades. Essa barreira foi ultrapassada, mas uma década representa pouco tempo quando falamos de mudanças culturais. Precisamos amadurecer essa nova postura , afirma a economista e consultora 39


&ŽƚŽƐ͗ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

EDUCAÇÃO

empresas e um programa de pré-incubação.

manutenção e apoio, do segundo condomínio

A diferença está na importância que esse

de empresas e de uma área de convivência,

Núcleo tem no organograma da Unifei. Hoje

além da urbanização de 128 lotes para insta-

ele responde diretamente à Reitoria, o que

lação de empresas de base tecnológica. A im-

significa que a cultura do empreendedoris-

plantação de um parque tecnológico sempre

mo e da inovação já estão enraizadas na ges-

representa um projeto de ruptura na univer-

tão da Universidade , afirma Aquino.

sidade, que exige uma gestão diferenciada e

O NITTE também é responsável pela implantação do Parque Científico e TecnoƋƵŝŶŽ͕ĚĂhŶŝĨĞŝ͗ ŵƵĚĂŶĕĂĐƵůƚƵƌĂůĠĚŝİĐŝů

ĂŵƉƵƐĚĂhŶŝĨĞŝ͕ Ğŵ/ƚĂũƵďĄ;D'Ϳ͗ ĂƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞ ĐĞŶƚĞŶĄƌŝĂĨŽŵĞŶƚĂŽ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽƌĞŐŝŽŶĂů

um intenso envolvimento da instituição com outros parceiros , afirma Aquino.

lógico de Itajubá (PCTI), instalado no campus da Unifei e que teve sua primeira fase

Parcerias

inaugurada em dezembro de 2012. A Fase

O reitor destaca, também, que a abertura

1 do PCTI ocupa uma área de 40 mil metros

da universidade às demandas do mercado

quadrados e foi planejada para abrigar três

e da comunidade amplia seu potencial de

Centros de Estudo, Investigação e Inovação

contribuição ao desenvolvimento. Exemplo

(CEII) ‒ de Eficiência Energética, de Qua-

disso está acontecendo na implantação de

lidade de Energia e Redes Elétricas Inteli-

um campus da Unifei em Itabira, cidade do

gentes e de Materiais Biofuncionais. Além

sudoeste de Minas Gerais que foi palco da

disso, irá sediar o Núcleo de Tecnologias

criação da companhia Vale do Rio Doce,

para Educação e Gestão (Nuteg), um Condo-

hoje Vale, em 1942. A Unifei mantém um

mínio de Empresas Incubadas, Graduadas e

relacionamento de mais de 30 anos com a

Entidades de Apoio e um ou dois Centros de

Vale, uma mineradora consciente de que

Pesquisa de empresas que atuem em áreas

um dia o produto que ela explora na região

de maior potencial de interação com os gru-

irá acabar. Com a ajuda da Universidade, a

pos de pesquisa e inovação da Unifei.

empresa decidiu implantar uma estrutura

Ao todo, R$ 31 milhões foram investidos

que garantisse a continuidade do desen-

na obra ‒ divididos entre a Unifei, o Governo

volvimento local quando isso acontecer.

de Minas Gerais, o setor empresarial, a Finep

Juntos, estamos construindo a transição da

e os Ministérios da Educação, da Ciência, Tec-

economia extrativista para a economia do

nologia e Inovação e das Minas e Energia.

conhecimento , relata Aquino.

Para a Fase 2, está prevista a construção de

Com apoio da Prefeitura Municipal de

um edifício administrativo, de um centro de

Itabira e do Ministério da Educação, além da própria Vale, a Unifei empreendeu a construção do campus avançado da Universidade ‒ que atende cerca de 2,5 mil alunos. A Vale se comprometeu a adquirir os equipamentos necessários à montagem de modernos laboratórios de Engenharia, que deverão dar suporte às atividades de ensino, pesquisa e inovação. A proposta para o campus de Itabira é de uma universidade essencialmente inovadora e tecnológica, com ensino e pesquisa voltados às demandas atuais e futuras de mercado, incentivo ao empreendedorismo, incluindo a incubação de empresas, e comprometimento com o desenvolvimento

40


EDUCAÇÃO

local e regional , defende Aquino.

por objetivo capacitar mil pesquisadores de Institutos Federais de Ensino Superior (IFES)

Impactos reais

para a promoção de projetos focados no de-

Na Universidade de Brasília (UnB), no

senvolvimento local e regional. O resultado

Distrito Federal, a ruptura também gera

dessa ação foi excelente. Na avaliação final,

resultados expressivos. Criada em 1962, a

cerca de 70% dos participantes afirmaram

instituição conquistou neste ano o 8º lugar

estar preparados para trabalhar com a temá-

geral em um ranking lançado pelo jornal Fo-

tica do empreendedorismo e da inovação em

lha de S. Paulo, a partir de um estudo que

suas instituições , relata Ednalva.

avaliou 192 universidades brasileiras. Sa-

A UnB foi precursora, também, na inser-

bemos que, além da qualidade do ensino,

ção do empreendedorismo na grade curri-

os quesitos pesquisa e inovação tiveram um

cular dos cursos de graduação que ofere-

peso significativo na avaliação da instituição.

ce. Desde 1995, quatro disciplinas sobre o

Podemos atribuir o bom resultado à cons-

tema reúnem 1,1 mil estudantes a cada se-

tante interação entre a UnB e a sociedade.

mestre. Essas disciplinas estão integradas

Desenvolvemos, ao longo do ano, de 100 a

aos currículos de 14 cursos de graduação,

150 projetos em parceria com empresas e

ou seja, esse é um tema que está no DNA de

governo, focados na geração de produtos e

nossa universidade , afirma Edinalva.

serviços inovadores. Esses projetos envolDesafios

fessores e estudantes de graduação e pós-

Assim como a UnB, diversas universida-

-graduação , avalia a diretora do Centro de

des brasileiras já incorporaram o empreen-

Desenvolvimento Tecnológico da Universi-

dedorismo inovador à cultura acadêmica.

dade de Brasília (CDT/UnB), Ednalva Morais.

Para essas, um novo desafio se impõe: con-

Entre os fatores que contribuíram para

vencer seus estudantes e pesquisadores de

as mudanças culturais na UnB, Ednalva

que vale a pena empreender. Nos últimos

destaca a evolução dos marcos legais e a

cinco anos, temos um cenário em que o em-

renovação do quadro de pesquisadores. A

preendedorismo compete com muitas ou-

legislação vigente no Brasil para atuação

tras opções de carreira, antes praticamente

das universidades não é perfeita, mas nos

inexistentes. Temos um mercado de traba-

permite avançar ‒ tivemos ganhos impor-

lho aquecido, que em algumas regiões beira

tantes com a Lei da Inovação, a Lei do Bem

o pleno emprego. Com alta empregabilida-

e a Lei da Propriedade Intelectual. Esse

de e boa remuneração, os jovens se sentem

avanço foi reforçado pelo ingresso de jo-

cada vez mais atraídos pelas oportunidades

vens pesquisadores na Universidade. Hoje,

criadas por esse mercado. Além disso, te-

dois terços dos pesquisadores da UnB têm

mos uma oferta considerável de bolsas de

menos de cinco anos na instituição, o que

estudos no Brasil e no exterior , explica a

também representa um fator importante

economista Gina Paladino.

nesse processo , afirma.

Segundo Gina, esse cenário de múltiplas

A experiência de 26 anos no fomento ao

oportunidades exige que entidades pro-

empreendedorismo e à inovação permitiu ao

motoras do empreendedorismo inovador

CDT/UnB propagar esse modelo para outras

‒ universidades, incubadoras de empresas,

instituições. Por meio de um convênio com

parques tecnológicos e outros mecanismos

a Secretaria de Educação Profissional e Tec-

‒ ofereçam condições favoráveis ao desen-

nológica do Ministério da Educação (Setec/

volvimento dos negócios. É hora de aper-

MEC), o Centro liderou um projeto que tinha

feiçoar os instrumentos de suporte aos ne-

'ŝŶĂWĂůĂĚŝŶŽ͗Ġ ƉƌĞĐŝƐŽĐƌŝĂƌĐŽŶĚŝĕƁĞƐ ĨĂǀŽƌĄǀĞŝƐƉĂƌĂĂƚƌĂŝƌ ĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌĞƐ ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

vem cerca de 700 pesquisadores, entre pro-

41


EDUCAÇÃO

gócios. Somente assim será possível atrair

Se um dia o engajamento das universida-

talentos para a geração de novas empresas ,

des em projetos de desenvolvimento regio-

afirma. Entre as dificuldades de enfrentar a

nal foi questionado, hoje a percepção desse

concorrência, está a escassez de recursos

papel parece cada vez mais natural. Há um

para acelerar o crescimento dos empreen-

otimismo nesse sentido, pois tivemos uma

dimentos. Não basta haver o recurso. É

conscientização muito grande dos gestores

preciso que ele seja aplicado na hora certa,

das universidades no que diz respeito à re-

no projeto certo. Entidades de apoio devem

novação da cultura acadêmica. Passamos a

estar preparadas e articuladas para que as

uma postura cada vez mais proativa frente

limitações financeiras não impeçam suas

às demandas da sociedade , conclui Audy. A inovação agradece. L

empresas de crescer , completa.

42

www.mdic.gov.br

www.brasilmaior.mdic.gov.br


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

OPORTUNIDADE

Perto do conhecimento Crescimento do mercado de e-learning exige desenvolvimento de ferramentas inovadoras, direcionadas a diferentes processos de aprendizagem POR L ARISSA CABR AL

A clássica imagem de uma sala de aula,

rativo, o avanço tecnológico permite uma

com lousa, professor e coleguinhas enfilei-

intensa troca virtual de conhecimento, ge-

rados está cada vez mais distante dos atuais

rando uma verdadeira revolução no proces-

ambientes de ensino e aprendizagem. Tanto

so pedagógico. O mercado de soluções para

na educação formal, quanto no meio corpo-

e-learning acompanha esse crescimento em 43


OPORTUNIDADE

todo o mundo, com destaque para merca-

meiros clientes , destaca o diretor da UaiTI,

dos emergentes, como China, África do Sul

Charles Schaefer.

e Brasil, que atraem grandes empresas já consolidadas.

na aquisição de ferramentas e soluções. Já

prehensive Report, divulgado em julho de

o mercado acadêmico era menos arrojado,

2011, indica que o mercado global de servi-

com cursos modestos em recursos como ví-

ços e produtos no setor alcançou US$ 32,1

deos, animações e ferramentas de interação

bilhões, em 2010. Com taxa de crescimento

em tempo real. Esse cenário tem mudado

de 9,2% ao ano, esse valor pode chegar a

bastante. As universidades, principalmente

US$ 49,9 bilhões em 2015. Já um levanta-

as privadas, viram no e-learning uma boa

mento da E-Consulting Corp, realizado en-

oportunidade para ampliar o alcance de

tre novembro de 2009 e fevereiro de 2010,

suas capacitações e os investimentos em

revelou que o mercado brasileiro para essa

tecnologia praticamente se igualaram em

modalidade havia crescido 25,9% nos qua-

ambos os mercados , revela.

um faturamento total de R$ 612 milhões.

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

44

arning corporativo era o que mais investia

Um estudo da Ambient Insight Com-

tro anos anteriores, fechando 2009 com

ŚĂƌůĞƐ^ĐŚĂĞĨĞƌ͕ĚĂhĂŝd/͗ WDƐƚġŵĞƐƉĂĕŽŶŽ ŵĞƌĐĂĚŽĚĞĞͲůĞĂƌŶŝŶŐĞ ĂƐŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐƉŽĚĞŵ ƐĞƌƉƌŽƉƵůƐŽƌĂƐĚĞ ŶĞŐſĐŝŽƐŶĂĄƌĞĂ

Segundo o empreendedor, antes o e-le-

Criada em 2008, a UaiTI nasceu como uma empresa de desenvolvimento e imple-

No Brasil, o cenário futuro é ainda mais

mentação de sistemas online. Com o tempo,

otimista. Os grandes eventos esportivos de-

percebeu o potencial de venda para peque-

vem impulsionar o mercado, para suprir a

nas e médias empresas. O primeiro produto

carência de profissionais qualificados em

para e-learning foi chamado de iCapro, e é

setores estratégicos. Seja pelo custo redu-

dedicado à publicação de treinamentos on-

zido ou pela facilidade logística, os treina-

line. Um dos usuários do iCapro é a PHPri-

mentos à distância figuram como solução

me, uma escola de Belo Horizonte voltada

perfeita para o gargalo da capacitação.

a treinamentos na área de desenvolvimento

Exemplo disso é o programa Bem Receber

de software. Se fosse mandar desenvolver

Copa, lançado pelo Governo Federal em

uma solução, a escola esbarraria no alto

parceria com a Fundação Getulio Vargas

custo de implantação e personalização.

(FGV), que visa qualificar profissionais, a

Com o iCapro, a escola pôde se dedicar

distância, para receber os turistas da Copa

apenas à qualidade dos vídeos e conteúdos

de 2014.

para o curso , explica Schaefer.

Em paralelo à demanda de cursos e capacitação online, cresce o número de

Expansão acelerada

entidades interessadas no investimento e

O Censo da Educação Superior de 2010,

fomento do setor, bem como a quantidade

realizado pelo Instituto Nacional de Estudos

de empresas dedicadas ao desenvolvimento

e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

de soluções inovadoras. Uma delas é a Uai-

(Inep), do Ministério da Educação (MEC),

TI, incubada na Fumsoft, de Belo Horizonte

aponta que a modalidade EaD, quase ine-

(MG). O mercado de e-learning brasileiro é

xistente há 10 anos, já responde por 14,6%

bastante pulverizado, sem concentração em

do total das matrículas na graduação. Em

pequenos grupos de grandes players, o que

2001, apenas 5.359 estudantes estavam

facilita que pequenas e médias empresas

matriculados na modalidade. Já em 2010,

possam competir. Nessa ótica, uma incuba-

foram 930.179 matrículas.

dora pode ser de grande importância, pois

De acordo com a Associação Brasileira

dá apoio com o networking para encontrar

do Ensino a Distância (ABED) atualmente a

parceiros, conselheiros e até mesmo os pri-

modalidade movimenta cerca de R$ 1 bilhão


OPORTUNIDADE

por ano, compreende mais de 3,5 milhões de consumidores e vem crescendo aproximada-

_SOLUÇÕES SOB MEDIDA

mente 20% anualmente. Não há dúvidas de que o mercado está em expansão. Só na área de graduação e pós-graduação são quase 1

ƐƐŽůƵĕƁĞƐĞŵĞͲůĞĂƌŶŝŶŐƉŽĚĞŵƐĞƌĚĞƐĞŶǀŽůǀŝĚĂƐĚĞĂĐŽƌ-­‐

milhão de alunos , destaca o presidente da

ĚŽĐŽŵĂĚĞŵĂŶĚĂĚŽƐĚŝĨĞƌĞŶƚĞƐƐĞƚŽƌĞƐ͕ĐŽŵŽŽĂĐĂĚġŵŝĐŽ͕Ž

ABED, Luciano Sathler. Para ele, a busca

ĐŽƌƉŽƌĂƟǀŽĞĂŝŶĚĂŽĚĞĐƵƌƐŽƐĚĞǀĂƌĞũŽŽƵĐƵƌƐŽƐƉĂƌĂŽĐŽŶƐƵ-­‐

agora é por interatividade, ferramentas que

ŵŝĚŽƌĮŶĂů͘KŵĞƌĐĂĚŽĚĞĞͲůĞĂƌŶŝŶŐǀŽůƚĂĚŽăĂĐĂĚĞŵŝĂĐŽŵƉƌĞ-­‐

não sejam autoinstrucionais, que contenham

ĞŶĚĞƉƌŽŐƌĂŵĂƐĚĞĨŽƌŵĂĕĆŽĞƵŵƐŝƐƚĞŵĂĚĞĂĐŽŵƉĂŶŚĂŵĞŶƚŽ

respostas abertas e possibilitem o exercício

ĚĂƐŶŽƚĂƐ͘

da criatividade.

ůĠŵ ĚŝƐƐŽ͕ ĞdžŝƐƚĞ ƵŵĂ ŐƌĂŶĚĞ ĚĞŵĂŶĚĂ ƉŽƌ ĨĞƌƌĂŵĞŶƚĂƐ ĚĞ

No meio corporativo, a capacitação de

ŝŶƚĞƌĂĕĆŽƋƵĞƉŽƐƐŝďŝůŝƚĞŵĂĂǀĂůŝĂĕĆŽĚŽƐĂůƵŶŽƐĞĂŐĞƌĂĕĆŽĚĞ

profissionais de forma rápida, eficiente e

ƌĞůĂƚſƌŝŽƐ ĚĞ ĂƉƌŽǀĞŝƚĂŵĞŶƚŽ͘ Ɛ ƐŽůƵĕƁĞƐ ƐĆŽ ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝĚĂƐ ƉŽƌ

com baixo custo é o fator de atração das

ƵŵĂĞƋƵŝƉĞĐŽŵƉŽƐƚĂƉŽƌĞƐƉĞĐŝĂůŝƐƚĂƐĞŵĞĚƵĐĂĕĆŽ͕ĚĞƐĞŶŚŝƐƚĂƐ

empresas para a educação a distância. É

ŝŶƐƚƌƵĐŝŽŶĂŝƐĞŝůƵƐƚƌĂĚŽƌĞƐ͕ĞŶƚƌĞŽƵƚƌŽƐ͘ŽĨĞƌƚĂ͕ĞŵŐĞƌĂů͕ĠĚĞ

cada vez mais comum que grandes com-

ĐƵƌƐŽƐĐŽŵŵĠĚŝĂĞůŽŶŐĂĚƵƌĂĕĆŽ͘

panhias criem suas próprias universidades, com base na EaD ‒ caminho seguido por Motorola, Mc Donald s, Cisco Systems, Unimed, Souza Cruz, Accor e Banco do Brasil. O mercado para e-learning continua em expansão, dada a constante busca das

:Ą Ž ŵĞƌĐĂĚŽ ĐŽƌƉŽƌĂƟǀŽ Ġ ŵĂŝƐ ŇĞdžşǀĞů͕ ĐŽŵ ĐƵƌƐŽƐ ĚĞ ƚŽĚŽ ƟƉŽĚĞĚƵƌĂĕĆŽĞĨŽƌŵĂƚŽĞŶĆŽƉƌĞĐŝƐĂŵ͕ŶĞĐĞƐƐĂƌŝĂŵĞŶƚĞ͕ĂƚĞŶ-­‐ ĚĞƌĂůĞŐŝƐůĂĕĆŽĞƐƉĞĐşĮĐĂ͘EŽĐŽŶƚĞdžƚŽĐŽƌƉŽƌĂƟǀŽ͕ŽƐĐƵƌƐŽƐƚġŵ ƋƵĞƐĞƌŵĂŝƐŝŶƚƵŝƟǀŽƐ͕ƉĂƌĂƉƌĞŶĚĞƌĂĂƚĞŶĕĆŽĚŽĂůƵŶŽĞƉŽƐƐŝďŝ-­‐ ůŝƚĂƌĂďƐŽƌĕĆŽƌĄƉŝĚĂĚŽĐŽŶƚĞƷĚŽ͘

empresas pela alta performance, independentemente do setor de atuação , constata

cional cheguem a R$ 10 bilhões em 2013.

o diretor de Professional Services da Mi-

A empresa teve início como um projeto de

croPower, que mantém e gere o conteúdo

mestrado desenvolvido na Universidade Fe-

do Portal e-learning Brasil, Augusto Gaspar.

deral de Pernambuco (UFPE), que foi trans-

Segundo ele, formar times de alta perfor-

formado em negócio na incubadora C.A.I.S,

mance implica na capacitação de todos os

do Porto Digital. Só o fato de estar em um

colaboradores e na preparação de líderes.

ecossistema de inovação nos abriu portas

Diante disso, o e-learning desempenha um

e gerou oportunidades com parceiros pro-

papel importante, pois permite levar infor-

dutores de conteúdo e potenciais clientes-

mações a um grande número de pessoas

-âncoras , destaca Diniz.

rapidamente e com grande eficiência. Para

A Redu possui uma API (Application Pro-

Gaspar, a principal demanda atual está fo-

gramming Interface) aberta, que permite às

cada na integração das informações, pois

instituições ampliarem as experiências de

percebeu-se que as iniciativas de aprendi-

aprendizagem integrando recursos educa-

zagem e desempenho, isoladas e espalha-

cionais abertos (open source), como simu-

das pela organização, não trazem os resul-

ladores, jogos e softwares educativos. A

tados esperados e na velocidade necessária.

plataforma também permite que os alunos

Assim, a integração, antes de ser uma ten-

criem, compartilhem e até comercializem

dência, é uma necessidade , completa.

seus próprios aplicativos. Percebemos que

De acordo com André Diniz, um dos

através da API aberta poderíamos ampliar

sócios e fundadores da empresa recifense

as experiências de aprendizagem de forma

Redu, que atua na área, há expectativa de

produtiva e divertida , destaca o empreendedor. L

que os investimentos no segmento educa-

45


^ŚƵƩĞƌƐƚŽĐŬ

INSPIRAÇÃO

Mentes inovadoras Sem recursos e incentivos externos, inventores que conquistaram o 15o Prêmio Finep de Inovação mostram que perseverança é fundamental para quem busca o novo POR L ARISSA CABR AL

46

Criado com a finalidade de reconhecer e

moso Troféu Ouro, além de R$ 100 mil. Em

divulgar iniciativas inovadoras desenvolvi-

dezembro foi divulgado o nome do ganhador

das no Brasil, o Prêmio Finep de Inovação

da etapa nacional, que recebeu mais R$ 100

Tecnológica chegou à 15ª edição em 2012,

mil e uma medalha da Organização Mundial

contabilizando 588 projetos inscritos ‒ um

da Propriedade Intelectual.

aumento de 56% em relação ao ano ante-

Entre as motivações dos inventores ino-

rior. Em meio às disputadíssimas categorias

vadores está a persistência em acreditar na

voltadas a empresas e instituições está a de

realização de ideias e projetos vistos como

Inventor Inovador, criada com o objetivo de

complicados ou impossíveis aos olhos da

reconhecer e valorizar aqueles que fazem

maioria das pessoas. Esse é o caso do consul-

da inovação um objetivo particular.

tor técnico e gestor de Pesquisa e Desenvolvi-

Os vencedores da fase regional da catego-

mento Marco Aurélio Machado, de Campinas

ria foram conhecidos ao longo do último mês

(SP), premiado na Região Sudeste e o grande

de novembro e receberam como prêmio o fa-

vencedor da etapa nacional. Machado criou


as Unidades de Digestão de Amostras, dis-

não estão em uma posição fácil. Na escola,

positivos que prometem baratear o custo de

quando eram questionados sobre a minha

análise de laboratórios químicos e biológicos,

profissão, meus filhos ficavam na dúvida.

pois aceitam qualquer tipo de amostra e rea-

Ainda assim, sempre foram e são meus fãs,

gente. Construídas em plástico, as unidades

até nas vezes em que quase coloquei fogo

resistem à pressão de 120 atm e temperatura

na casa , lembra o inventor, animado com

de até 220ºC, quando praticamente não há

as perspectivas positivas para suas Unida-

amostra que não possa ser digerida.

des de Digestão de Amostras, que podem

A inovação se destaca por reduzir o cus-

ser negociadas com empresas americanas

to operacional dos laboratórios. Em média,

e europeias. Se o negócio se confirmar, os

um equipamento para digestão de amostra

próximos passos serão direcionados à ob-

por micro-ondas fabricado no exterior che-

tenção de licença para a patente de produ-

ga ao Brasil custando cerca de US$ 35 mil,

ção em países estrangeiros.

podendo chegar a US$ 60 mil. Com a tecnologia desenvolvida por Machado, o custo pode ser reduzido para valores entre R$ 15 mil e R$ 25 mil.

ŶĚƌĞŝĂZĞŐŽĂƌƌŽƐ

INSPIRAÇÃO

DĂƌĐŽƵƌĠůŝŽDĂĐŚĂĚŽ͕ ĚĞĂŵƉŝŶĂƐ;^WͿ͗ƐŽůƵĕĆŽ ƉĂƌĂďĂƌĂƚĞĂƌŽĐƵƐƚŽ ĚĞĂŶĄůŝƐĞƐůĂďŽƌĂƚŽƌŝĂŝƐ ŐĂƌĂŶƟƵŽƉƌġŵŝŽŶĂĐŝŽŶĂů

Sonho de criança Premiado como Inventor Inovador da Região Sul, Camilo Morejon é docente,

Desenvolvido com recursos próprios, o

pesquisador e gestor de Inovação do cur-

projeto levou cerca de quatro anos para sair

so de Engenharia Química da Universidade

do papel. Se houvesse investidores exter-

Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), de

nos, esse tempo poderia ser de no máximo

Toledo (PR).

um ano , afirma o inventor. Para Machado,

Como grande parte dos inventores, sua

que hoje tem 53 anos, a qualidade da Es-

trajetória profissional começou quando

cola Técnica Estadual Conselheiro Antonio

criança, sonhando em ser engenheiro. Na

Prado (ETECAP), de Campinas (SP), e a base

época, ele, hoje com 44 anos, residia em um

adquirida no Centro de Pesquisas da Rho-

pequeno município do interior da Bolívia e

dia, em Paulínia (SP), onde trabalhou, foram

enfrentava limitações financeiras.

fundamentais para sua formação. As expe-

truía meus brinquedos com sucata e meus

riências me enveredaram à busca de solu-

pais devem ter percebido que a melhor he-

ções simples para problemas vistos como

rança deles seria o investimento na minha

insolúveis , analisa. Machado é técnico bio-

educação , afirma ele, que sempre estudou

químico, biólogo e, atualmente, estudante

em instituições públicas ‒ na universidade,

na Faculdade de Teologia da Universidade

conquistou três méritos universitários e

Metodista de Campinas.

dois diplomas ao mérito.

Cons-

Para ele, que crê na máxima a necessi-

Graduado em Engenharia Química pela

dade é a mãe das invenções , o cenário bra-

Faculdade Nacional de Engenharia, da Uni-

sileiro parece, de certo modo, desfavorável

versidade Técnica de Oruro (UTO), na Bo-

à inovação, pois são raros os empresários

lívia, Morejon obteve no Brasil o título de

que apoiam os Professores Pardais da

Mestre em Engenharia Química e Doutor em

vida real. A Finep tem muita importância

Engenharia Mecânica, pelo Instituto Alberto

nesse contexto e precisa fazer ainda mais,

Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa

incentivando possíveis empresas investido-

de Engenharia (Coppe/UFRJ). Hoje, atua na

ras a saírem do comodismo e a apostarem

área de energias alternativas e meio ambien-

na produção nacional , desafia o inventor.

te. Percebi que minha versão criança, como

A família de Machado também colabo-

criador de brinquedos feitos de sucata, era

rou com a sua trajetória profissional. Eles

o que realmente me deixava feliz e vi que a 47


&ŽƚŽƐ͗ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

INSPIRAÇÃO

ĂŵŝůŽDŽƌĞũŽŶ͕ĚĞ dŽůĞĚŽ;WZͿ͕ĚĞƐĞŶǀŽůǀĞƵ ƵŵƉƌŽũĞƚŽƉĂƌĂŽ ŵŽŶŝƚŽƌĂŵĞŶƚŽ͕ ƚƌĂƚĂŵĞŶƚŽ͕ƌĞĐŝĐůĂŐĞŵĞ ŝŶĚƵƐƚƌŝĂůŝnjĂĕĆŽĚĞƌĞƐşĚƵŽƐ

aplicação do conhecimento era o mais im-

Originário de uma família de classe média, ele

portante , reconhece.

formou-se Engenheiro de Produção Mecâni-

A invenção premiada tem como mote

ca pela Faculdade de Engenharia Industrial

uma solução ambiental. O grande volume

(FEI), e é especialista em Engenharia de Petró-

de resíduos orgânicos gerados na área ur-

leo pela Universidade de Fortaleza (Unifor).

bana (onde equivalem a 69% do lixo), rural

A melhoria ambiental também é a meta

e industrial, motivou a criação, na Unioeste,

da invenção premiada de Truchlaeff, que

de um conjunto de tecnologias voltadas ao

criou uma máquina para descontamina-

seu aproveitamento ‒ uma forma de trans-

ção e desinfecção, visando uma eficiente

formar problemas ambientais em oportu-

potabilidade e tratabilidade da água e dos

nidades de geração de emprego e renda. A

efluentes, com a utilização de produtos

iniciativa foi idealizada em 2002, com um

menos agressivos ao meio ambiente. A tec-

projeto para o monitoramento, tratamento,

nologia, que consegue competir financeira-

reciclagem e industrialização de resíduos

mente com técnicas internacionais e levou

provenientes de diversas fontes. Com um

sete anos para ser desenvolvida, está em

perfil essencialmente prático, a iniciativa

uso na região metropolitana de Fortaleza

esbarrou na escassez de recursos.

(CE), pela Companhia de Água e Esgoto do

Os materiais utilizados no desenvolvimento da tecnologia, principalmente para

ůĄƵĚŝŽdƌƵĐŚůĂĞī͕ĚĞ WĂƵĚĂůŚŽ;WͿ͕ĐƌŝŽƵ ƵŵĂŵĄƋƵŝŶĂƉĂƌĂ ĚĞƐĐŽŶƚĂŵŝŶĂĕĆŽĞ ĚĞƐŝŶĨĞĐĕĆŽĚĞĄŐƵĂĞ ĞŇƵĞŶƚĞƐ

Ceará (Cagece) e em cinco usinas de produção de açúcar e álcool de São Paulo.

a construção dos protótipos, vieram dos

No mercado há cerca de 12 anos, Cláudio

ferros velhos da cidade. Para a usinagem, a

Truchlaeff contabiliza mais de 40 patentes

equipe contou com o apoio de empresários

depositadas. Nem todas se transformam em

e metalúrgicas. Após a conquista de alguns

produtos totalmente aceitos, mas, segundo

resultados, surgiram apoios financeiros do

o engenheiro, boa parte traz benefícios am-

CNPq (Bolsa produtividade DT-Nivel II),

bientais e sociais, o que o motiva a buscar

UGF/Fundo Paraná e Fundação Araucária.

investidores.

Morejon acredita que no sistema brasi-

Para o inventor de 51 anos, a riqueza de

leiro de Ciência e Tecnologia prevalece o

uma nação está relacionada a mentes prepa-

incentivo à produção de conhecimento de

radas para pensar em soluções, a um ambien-

forma teórica e não o incentivo à aplicação

te propício para o crescimento, à formação

do saber. Isso contribui para o distancia-

de cadeias produtivas e ao apoio financeiro.

mento entre universidades, empresas e so-

Aqui, utilizamos a cafeína extraída na China,

ciedade. Felizmente, o cenário está mudan-

mas os grãos de café são brasileiros. Para

do e o Brasil entendeu que a riqueza de um

fabricar a substância, teríamos que comprar

país é fruto da transformação da atividade

uma máquina da Alemanha, o que é muito

intelectual em produtos, processos e tecno-

caro. Tais fatores inviabilizam a fabricação da

logias inovadoras , afirma.

cafeína no Brasil. Não seria mais fácil construirmos a máquina aqui? , questiona.

Superação e trabalho

dora e empreendedora dos brasileiros. Con-

premiado pela Finep é também um empre-

tudo, no cenário atual, há quem espere até

endedor. Cláudio Truchlaeff é proprietário

seis anos pela concessão de uma patente e há

da Claeff Engenharia e Produtos Químicos

quem desista frente ao valor do custo Brasil .

Ltda, sediada em Paudalho (PE), onde hoje

Para não desanimar diante de tantos desafios,

atua como diretor e gerente de Pesquisa e

o premiado inovador tem a receita: Temos que ser idealistas e desbravadores . L

Desenvolvimento de Produtos e Processos. 48

O inventor acredita na capacidade inova-

Na região Nordeste, o Inventor Inovador


CULTURA

De olho no potencial público de leitores brasileiros, a Amazon, gigante varejista de e-books, lançou a versão em português do seu site no último 6 de dezembro. De início,

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

Amazon chega (finalmente) ao Brasil

a empresa norte-americana oferece mais de 13 mil e-books em português, dos quais aproximadamente 1,5 mil são gratuitos. Com a chamada Comece a ler onde quiser , a Amazon anunciou também a venda do leitor de livros digitais Kindle, que aqui chega pelo preço de R$ 300,00. O aparelho deve começar a ser vendido nas próximas semanas e os interessados podem cadastrar seu e-mail no site para entrar na fila de espera. Quem quer adquirir e-books no site, mas não tem paciência para esperar, ou dinheiro para comprar o leitor, pode instalar o aplicativo do Kindle, disponível para tablets, celulares e computadores. As editoras Companhia das Letras e Globo disponibilizaram, respectivamente, cerca de 500 e 1 mil livros eletrônicos no site da Amazon. Além de autores brasileiros consagrados, como Luis Fernando Veríssimo, Daniel Galera, Rubem Fonseca, Machado de Assis e Lya Luft, os usuários têm acesso aos mais de 1,5 milhão de títulos em outros idiomas.

Serviço: www.amazon.com.br

   /ŵƉĞƌĂƟǀŽ  Leia  ŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌĞƐdžƚƌĂŽƌĚŝŶĄƌŝŽƐ͕ůŝǀƌŽƋƵĞƌĞƷŶĞĞŶƚƌĞǀŝƐƚĂƐĐŽŵŐƌĂŶͲ ĚĞƐŶŽŵĞƐĚŽĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌŝƐŵŽ͕ĐŽŵŽDŝĐŚĂĞůĞůů;ĞůůͿ͕^ƚĞǀĞ:ŽďƐ;ƉƉůĞͿ͕ZĞĞĚ ,ĂƐƟŶŐƐ;EĞƞůŝdžͿĞWŚŝů<ŶŝŐŚƚ;EŝŬĞͿ͘KũŽƌŶĂůŝƐƚĂ:ŽŚŶ͘LJƌŶĞƐĞůĞĐŝŽŶŽƵĂƐĐŽŶͲ ǀĞƌƐĂƐƋƵĞƚĞǀĞĐŽŵϮϱŚŽŵĞŶƐĞŵƵůŚĞƌĞƐƋƵĞĂĐƌĞĚŝƚĂƌĂŵŶĂƐƐƵĂƐŝĚĞŝĂƐĞĐŽŶƐͲ ƚƌƵşƌĂŵ ĞŵƉƌĞĞŶĚŝŵĞŶƚŽƐ ĚĞ ƐƵĐĞƐƐŽ͘ ŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌĞƐ džƚƌĂŽƌĚŝŶĄƌŝŽƐ͕ ĚĞ :ŽŚŶ ͘ LJƌŶĞ͘ĚŝƚŽƌĂĂŵƉƵƐ͕ϮϬϭϮ͕ϮϲϰƉĄŐŝŶĂƐ͘ Assista   ĂŽ ĚŽĐƵŵĞŶƚĄƌŝŽ YƵĞŵ ƐĞ ŝŵƉŽƌƚĂ͕ ƋƵĞ ƌĞůĂƚĂ ŚŝƐƚſƌŝĂƐ ĚĞ ϭϴ ĞŵƉƌĞĞŶĚĞͲ ĚŽƌĞƐƐŽĐŝĂŝƐŶŽƌĂƐŝůĞŶŽŵƵŶĚŽ͘ĚŝƌĞƚŽƌĂDĂƌĂDŽƵƌĆŽĐŽŶǀŝĚĂŽĞƐƉĞĐƚĂĚŽƌĂ ĂƌƌĞŐĂĕĂƌĂƐŵĂŶŐĂƐĞŵƉƌŽůĚĞƵŵŵƵŶĚŽŵĞůŚŽƌ͕ŵŽƐƚƌĂŶĚŽŽƉŽĚĞƌƚƌĂŶƐĨŽƌŵĂĚŽƌ ĚĞƉĞƐƐŽĂƐĐŽŵŽŽďƌĂƐŝůĞŝƌŽ:ŽĂƋƵŝŵĚĞDĞůŽ͕ĐƌŝĂĚŽƌĚŽƉƌŝŵĞŝƌŽďĂŶĐŽĐŽŵƵŶŝƚĄƌŝŽĚŽƌĂƐŝů͕ŽĂŶĐŽWĂůŵĂƐ͘ Fique  atento  ăƐŶŽǀŝĚĂĚĞƐƐŽďƌĞŽĚŽĐƵŵĞŶƚĄƌŝŽsĂŝƋƵĞĚĄʹĐĂƌĂĚĂƐƐƚĂƌƚƵƉƐďƌĂƐŝůĞŝƌĂƐ͕ĐŽŵƉƌĞǀŝƐĆŽĚĞ ƉƌĠͲůĂŶĕĂŵĞŶƚŽƉĂƌĂŽŝŶşĐŝŽĚĞϮϬϭϯ͘KĮůŵĞƌĞƚƌĂƚĂĂƚƌĂũĞƚſƌŝĂĚĞƐĞŝƐďƌĂƐŝůĞŝƌŽƐƋƵĞ͕ďĂƐĞĂĚŽƐĞŵďŽĂƐƐĂͲ ĐĂĚĂƐĞŵƵŝƚĂĚŝƐƉŽƐŝĕĆŽ͕ĐŽŶƐƚƌƵşƌĂŵĞŵƉƌĞƐĂƐĚĞƚĞĐŶŽůŽŐŝĂĐŽŵŽŽďũĞƟǀŽĚĞĚĂƌƵŵĂĐŽŶƚƌŝďƵŝĕĆŽƉŽƐŝƟǀĂ ăƐŽĐŝĞĚĂĚĞ͘ƐƐŝƐƚĂĂŽƚĞĂƐĞƌŶŽƐŝƚĞĚĂŶĚĞĂǀŽƌƌĂƐŝů;ǁǁǁ͘ĞŶĚĞĂǀŽƌ͘ŽƌŐ͘ďƌͿ͕ƉƌŽĚƵƚŽƌĂĚŽĚŽĐƵŵĞŶƚĄƌŝŽ͘ 49


OPINIÃO

A volta pra casa

ŝǀƵůŐĂĕĆŽ

Maur ic io Gue des Diretor do Par que Te c noló gico da UF R J P residente da I A S P – A s s o c iaç ã o Inter nac ional de Par ques Te c noló gicos

K

ĐůŝŵĂĚĞĮŵĚĞĂŶŽŶŽƐĐŽŶǀŝĚĂĂƌĞŇĞƟƌƐŽďƌĞŽƐϭϬϬŵŝůďƌĂƐŝůĞŝͲ ƌŽƐƋƵĞŝƌĆŽĞƐƚƵĚĂƌŶŽĞdžƚĞƌŝŽƌĂƚĠϮϬϭϱ͕ĐŽŵďŽůƐĂƐĚĞŐƌĂĚƵĂĕĆŽ͕ ƚĞĐŶſůŽŐŽ͕ĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽƚĞĐŶŽůſŐŝĐŽ͕ĚŽƵƚŽƌĂĚŽƐĂŶĚƵşĐŚĞ͕ĚŽƵͲ ƚŽƌĂĚŽƉůĞŶŽĞƉſƐͲĚŽƵƚŽƌĂĚŽ͕ŽĨĞƌĞĐŝĚĂƐƉĞůŽƉƌŽŐƌĂŵĂŝġŶĐŝĂ^Ğŵ

&ƌŽŶƚĞŝƌĂƐ͘KƐŝŶǀĞƐƟŵĞŶƚŽƐƉƌĞǀŝƐƚŽƐƐĆŽĚĞh^Ψϯ͕ϮďŝůŚƁĞƐ͘ ƉĞƐĂƌĚĞƵŵĂĐĞƌƚĂůĞŶƟĚĆŽͲĂƚĠŽŵŽŵĞŶƚŽĨŽƌĂŵĂƚĞŶĚŝĚŽƐƉŽƵĐŽŵĂŝƐĚĞ ϭϱŵŝůĞƐƚƵĚĂŶƚĞƐͲŽƉƌŽŐƌĂŵĂĂƉŽŶƚĂŶĂĚŝƌĞĕĆŽĐĞƌƚĂ͕ĂĐĞůĞƌĂŶĚŽŽĐƌĞƐĐŝŵĞŶƚŽ ĚĞŶŽƐƐĂĐŽŵƵŶŝĚĂĚĞĐŝĞŶơĮĐĂĞƚĞĐŶŽůſŐŝĐĂĞĨŽĐĂŶĚŽĞŵĄƌĞĂƐŶĂƐƋƵĂŝƐŽƉĂşƐ ƚĞŵĐĂƌġŶĐŝĂƐŝŵƉŽƌƚĂŶƚĞƐ͕ĐŽŵŽĞŶŐĞŶŚĂƌŝĂƐ͕ĐŝġŶĐŝĂƐĞdžĂƚĂƐĞĚĂƚĞƌƌĂ͕ďŝŽůŽͲ ŐŝĂ͕ ĐŝġŶĐŝĂƐ ďŝŽŵĠĚŝĐĂƐ Ğ ĚĂ ƐĂƷĚĞ͕ ĐŽŵƉƵƚĂĕĆŽ Ğ ƚĞĐŶŽůŽŐŝĂƐ ĚĂ ŝŶĨŽƌŵĂĕĆŽ͕ ĨĄƌŵĂĐŽƐ͕ďŝŽƚĞĐŶŽůŽŐŝĂ͕ŶĂŶŽƚĞĐŶŽůŽŐŝĂ͕ƉĞƚƌſůĞŽ͕ĞŶĞƌŐŝĂƐƌĞŶŽǀĄǀĞŝƐ͕ŝŶĚƷƐƚƌŝĂ ĐƌŝĂƟǀĂ͕ĐŝġŶĐŝĂƐĚŽŵĂƌĞƉƌŽĚƵĕĆŽĂŐƌşĐŽůĂƐƵƐƚĞŶƚĄǀĞů͕ĞŶƚƌĞŽƵƚƌĂƐ͘hŵĂƐƵƌͲ ƉƌĞĞŶĚĞŶƚĞĚĞĐŝƐĆŽĚĂ:ƵƐƟĕĂ&ĞĚĞƌĂůĚĞƚĞƌŵŝŶŽƵƌĞĐĞŶƚĞŵĞŶƚĞƋƵĞĞƐƚĞǀĂƐƚŽ ůĞƋƵĞĚĞƉƌŝŽƌŝĚĂĚĞƐĨŽƐƐĞĚĞƐĐŽŶƐŝĚĞƌĂĚŽĞƋƵĞŽƉƌŽŐƌĂŵĂĂƚĞŶĚĞƐƐĞŝŶĚŝƐƟŶͲ ƚĂŵĞŶƚĞĚĞŵĂŶĚĂƐĚĞƚŽĚĂƐĂƐĄƌĞĂƐĚŽĐŽŶŚĞĐŝŵĞŶƚŽ͘ŽŵŽĨŽŝƵŵĂĚĞĐŝƐĆŽ

ĞŵĐĂƌĄƚĞƌůŝŵŝŶĂƌ͕ĞƐƉĞƌĂŵŽƐƋƵĞũĄƚĞŶŚĂƐŝĚŽĐĂƐƐĂĚĂĞƋƵĞƉƌĞǀĂůĞĕĂŽďŽŵƐĞŶƐŽ͕ĚĂŶĚŽĂŽŐŽǀĞƌŶŽĂ ƉƌĞƌƌŽŐĂƟǀĂ;ĞƉŽƌƋƵĞŶĆŽĂŽďƌŝŐĂĕĆŽͿĚĞĚĞĮŶŝƌƉƌŝŽƌŝĚĂĚĞƐƋƵĞŵĞůŚŽƌĂƚĞŶĚĂŵĂŽƐŝŶƚĞƌĞƐƐĞƐĚŽƉĂşƐ͘ KƵƚƌĂƐĐƌşƟĐĂƐƐƵƌŐĞŵĂƋƵŝĞĂůŝ͕ŝŶĞǀŝƚĄǀĞŝƐĂƵŵƉƌŽŐƌĂŵĂƋƵĞƌĞƷŶĞŽƵƐĂĚŝĂĞƵŵŽƌĕĂŵĞŶƚŽƌŽďƵƐƚŽ͘ ůĞŐĂͲƐĞĐĞƌƚĂĨƌŽƵdžŝĚĆŽŶŽƐĐƌŝƚĠƌŝŽƐƉĂƌĂƐĞůĞĕĆŽĚĂƐƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞƐĚĞĚĞƐƟŶŽĞƚĂŵďĠŵĨĂůƚĂĚĞŝŶǀĞƐƟͲ ŵĞŶƚŽƐĞŵƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞƐďƌĂƐŝůĞŝƌĂƐ͘ůŐƵŶƐĂĮƌŵĂŵƋƵĞĂƐŶŽƐƐĂƐƵŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞƐŶĆŽƚĞƌĆŽĐŽŶĚŝĕƁĞƐĚĞ ĂďƐŽƌǀĞƌ ƚŽĚŽ ĞƐƐĞ ŶŽǀŽ ĐŽŶƟŶŐĞŶƚĞ ĚĞ ƉĞƐƋƵŝƐĂĚŽƌĞƐ͘ DŝŶŚĂ ƌĞƐƉŽƐƚĂ Ă ĞƐƐĂ ĐƌşƟĐĂ͗ ĂŝŶĚĂ ďĞŵ͘ ƐƚĂ Ġ ƵŵĂŐƌĂŶĚĞŽƉŽƌƚƵŶŝĚĂĚĞĚŽƉĂşƐĚĂƌƵŵƉĂƐƐŽƉĂƌĂĐŽƌƌŝŐŝƌĂŐƌĂǀĞĚŝƐƚŽƌĕĆŽƋƵĞƌĞƉƌĞƐĞŶƚĂĂďĂŝdžşƐƐŝŵĂ ƉƌĞƐĞŶĕĂ ĚĞ ƉĞƐƋƵŝƐĂĚŽƌĞƐ Ğŵ ŶŽƐƐĂƐ ĞŵƉƌĞƐĂƐ͘  ƋƵĞƐƚĆŽ ĐĞŶƚƌĂů Ġ ĞdžĂƚĂŵĞŶƚĞ Ž ƌĞƚŽƌŶŽ͗ ƵŵĂ ƉĂƌĐĞůĂ ĐŽŶƐŝĚĞƌĄǀĞůĚĞƐƐĞƐũŽǀĞŶƐĚĞǀĞƌŝĂĞŶĐŽŶƚƌĂƌŽƉŽƌƚƵŶŝĚĂĚĞƐƉĂƌĂƚƌĂďĂůŚĂƌĞŵƉĞƐƋƵŝƐĂĞĚĞƐĞŶǀŽůǀŝŵĞŶƚŽ ŶĂƐĞŵƉƌĞƐĂƐďƌĂƐŝůĞŝƌĂƐ͘ŚŽƌĂĚĞĂƌƌƵŵĂƌĂĐĂƐĂƉĂƌĂĞƐƐĞŵŽŵĞŶƚŽ͘ WŽĚĞŵŽƐ͕ƉŽƌĞdžĞŵƉůŽ͕ĨĂnjĞƌƵŵŵƵƟƌĆŽĚĂƐŝŶĐƵďĂĚŽƌĂƐĞƉĂƌƋƵĞƐƚĞĐŶŽůſŐŝĐŽƐĚĞƚŽĚŽŽƉĂşƐƉĂƌĂƌĞĐĞďĞƌ ĚĞďƌĂĕŽƐĂďĞƌƚŽƐĞƐƐĞƐϭϬϬŵŝůŶŽǀŽƐƉĞƐƋƵŝƐĂĚŽƌĞƐ͘hŵĂĂĕĆŽĐŽŶƐŝƐƚĞŶƚĞƉŽĚĞƐĞƌĐŽŶƐƚƌƵşĚĂĐŽŵĂƉĂƌƟĐŝƉĂͲ ĕĆŽĚĞEWƋ͕ĂƉĞƐ͕&ŝŶĞƉ͕E^͕^ĞďƌĂĞĞ&WƐ͕ŽĨĞƌĞĐĞŶĚŽƚƌĞŝŶĂŵĞŶƚŽĞŵĞŵƉƌĞĞŶĚĞĚŽƌŝƐŵŽ;ĂŝŶĚĂĚƵƌĂŶƚĞ ŽƐĐƵƌƐŽƐŶŽĞdžƚĞƌŝŽƌͿĞĂƉŽŝŽĂƚŽĚŽƐĂƋƵĞůĞƐƋƵĞĚĞƐĞũĞŵĐƌŝĂƌƵŵĂĞŵƉƌĞƐĂŝŶŽǀĂĚŽƌĂĂŽǀŽůƚĂƌƉĂƌĂĐĂƐĂ͘ KƉŽƚĞŶĐŝĂůĚĞƵŵĂĂĕĆŽĚĞƐƐĂƐƉŽĚĞƐĞƌĂǀĂůŝĂĚŽĞŵƵŵĂƌĄƉŝĚĂǀŝƐŝƚĂĂŽƐŝƚĞĚŽƉƌŽŐƌĂŵĂ͕ŶŽƋƵĂůƵŵĂ ĨĞƌƌĂŵĞŶƚĂĚĞďƵƐĐĂƉĞƌŵŝƚĞƐĂďĞƌ͕ƉŽƌĞdžĞŵƉůŽ͕ƋƵĞƚĞŵŽƐϰϰĞƐƚƵĚĂŶƚĞƐŶĂhŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞĚĞ,ĂƌǀĂƌĚ͕Ϯϴ ŶŽD/d͕ϮϬŶĂhŶŝǀĞƌƐŝĚĂĚĞĚĞKdžĨŽƌĚŽƵ͕ĂŝŶĚĂ͕ƚƌġƐďŽůƐŝƐƚĂƐĚĞDĂƚĞŵĄƟĐĂŶĂĐĂĚĞŵŝĂĚĞŝġŶĐŝĂƐĚĂ ŚŝŶĂ͘hŵĐůŝƋƵĞĂŵĂŝƐĞƐĞƚĞŵĂĐĞƐƐŽĂŽĐƵƌƌşĐƵůŽĞĂŽĞͲŵĂŝůĚĞĐĂĚĂƵŵ͘ YƵĞƚĂůĚŝƐƉĂƌĂƌŵŽƐ͕ĐŽŵŽƐǀŽƚŽƐĚĞƵŵ&ĞůŝnjŶŽEŽǀŽ͕ƵŵĐŽŶǀŝƚĞƉĂƌĂƵŵĂĞdžƉĞƌŝġŶĐŝĂĞŵƉƌĞĞŶĚĞͲ ĚŽƌĂŶĂǀŽůƚĂĂŽůĂƌ͍ 50


&$!%| %$ย†ย”%$&%

ยก; <1>/- - ;<;>@A:50-01 01 /;9<->@584-> /;:41/591:@; /;9 <->@5/5<-:@1?01@;0;;9A:0; ">;3>-91 ?1

Vi @-<- 1:B5;0;$1?A9;?@>A@A>-0;0;>@53;;9<81@;N"ยฒ?@1>195:38ยจ?/;9 :; 9ยŸD59; ZUU<-8-B>-?ฦฎฦฎฦฎ-@ยงWZNUXNWUVX Wi @-<- 1:B5;0;@1D@;/;9<81@; 19<;>@A3Aยจ? /;9$1?A9;?@>A@A>-0;195:38ยจ? ฦฎฦฎฦฎ-@ยงVUNU[NWUVX Xi @-<- 1:B5;0;@>-.-84;  19<;>@A3Aยจ? /;9$1?A9;?@>A@A>-0;195:38ยจ? Xi ฦฎฦฎฦฎ-@ยงV^NU]NWUVX

CCC 5-?<WUVX.>-F58 /;9 $1-85F-ยฅยก; 

!>3-:5F-ยฅยก;

"->/1>5-

51


Empreendedorismo e inovação para transformar o Brasil

@anprotec

52

anprotec

www.anprotec.org.br

SCN Quadra 01 - Bloco C - Salas 208 a 211 - Ed. Brasília Trade Center Brasília - Distrito Federal - CEP: 70711-902 - Telefone: +55 (61) 3202-1555

Locus - Edição 70  

A revista Locus é uma publicação trimestral da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you