Page 1

CRISE

magazine

O FUTURO QUE ASSUSTA


D

epomos nas mãos do leitor um novo veículo de informação. Uma reta entre o passado e o futuro. Seu nome é o da constelação que, há décadas, cintila no céu negro e nebuloso da maioria das urbes, mormente da nossa Salesópolis: CRISE. Depois de 16 anos à frente do jornal A Notícia, acreditamos termos dado a nossa contribuição inconteste à constituição opinativa da população, e que já era hora de sair de cena. O jornal A Notícia encerrou as atividades com o Nº 153, em fevereiro deste ano. Ponto Final! Fez parte da integração de Salesópolis, no que tange à cidadania dos moradores do município, ora bravos, ora cordatos; ora lobos, ora ovelhas.Infelizmente, porém, nunca raposas... E, a despeito das vozes discordantes, o “jornalzinho” há de figurar nos anais históricos da formação salesopolitana. Parado o jornal, ficamos em nosso canto, só observando o movimento assinérgico dos entes políticos resultando na atual administração municipal, gestão carente de resultados positivos, mas abundante de atitudes viciosas. Dez meses, e, em tão pouco tempo, a população começa a sentir na carne a insensatez cometida durante o pleito eleitoral. Seus representantes continuam a mostrar a que vieram. Parodiando Maquiavel, em O Príncipe, “...os homens mudam de senhor com satisfação, pensando melhorar, e esta crença os leva a lançar mão de armas contra quem governa na hora. Na verdade, se enganam porque percebem depois, por experiência própria, ter piorado...” Dez meses, e a grávida decadente gestão insiste em parir, mostrando os seus tentáculos pegajosos, tendo por parteira a pusilanimidade administrativa do Executivo, Legislativo e Judiciário. Urgia sair da sombra; que voltássemos. Ouvimos opiniões, e decidimos pela criação e lançamento desta revista, que, de início, será mensal. Um magazine reúne um complexo de possibilidades que, em certo sentido, rivalizam ou ultrapassam as do jornal. O seu raio de ação é incomparavelmente mais amplo no espaço e no tempo. Nesta revista, a política institucional de governo é abordada de uma forma às vezes bem humorada, mas verão que a crítica é séria. Viemos com algumas alterações de logística. Como toda publicação “customer”, ela é direcionada a assinantes: o leitor capacitado receberá o exemplar em sua caixa postal. Por razões óbvias, não se espera que CRISE magazine tenha a longa duração de vários lustros, contudo, como escrever tornou-se um costume (bendito vício), e é, sem falsa modéstia, o que eu e colaboradores sabemos fazer muito bem, por quê, então, não unir o agradável ao útil e ao necessário? CRISE surge com o propósito de suprir necessidades de quem reclama inteligência na leitura, interlocutores no pensamento, linguagem correta, análise com critério e discernimento e, sobretudo, o texto prazeroso. CRISE quer ser lida pelo prazer de ler, pelo prazer de viver. Leiam, vivam, recomendem e interajam! Será a nossa única satisfação. Nelson dos Santos A inteligência humana e a civilização só puderam se desenvolver quando o sucessor do macaco se organizou o bastante para não ter mais de dedicar 100% do seu tempo a correr atrás de comida ou fugir dos predadores. “Um escravo começa clamando por Justiça e termina em busca de uma coroa”. Albert Camus - escritor “O melhor governo é aquele em que há o menor número de homens inúteis” - Voltaire

2

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 >

3 e 4 - Outras leituras 5- O governo dos pequenos (Fidélis) 6 - Saúde Acontece 7- Livros & livros 8 - Vereadora Sandra de Assis 9 - Deputado Gondim 10 - Artigos de Epaminondas Nogueira e Ciro do Valle 11 - Ensaio (Nelson dos Santos) 12 e 13 - O futuro que assusta 14 - Elementos de Matemática 15 - Vereador Francisco Marcelo 16 - Fundadores de Salesópolis (Lourenço Oliveira) 17 - Justiça - embargos infringentes 18 - Conselhos Municipais 19 - Vereador Lélis Reno 20 e 21 - Anunciantes 22 - Variedades 23 e 24 - Eventos

CRISE

esta é uma revista customizada

- Site: www.crisemagazine.blogspot.com * e-mails:revistacrise@bol (ou yahoo).com.br - Av. Victor Wuo, 1050, Bº dos Mirandas - Cep: 08970-000 Salesópolis, SP, Br - Tel.: celular (11) 9 9715-3164 - Editor: Nelson dos Santos - MTb-SR/SP (Skype:nelson.a.noticia) - Os artigos assinados são de responsabilidade dos subscritores - As fotos sem citação de crédito são do acervo da Revista - O anunciante responde pelo veiculado na respectiva peça publicitária - ADVERTÊNCIA: esta publicação não aderiu ao Acordo Ortográfico de 2004. Todo texto de colaboradores será formatado consoante o VOLP anterior.


Da infância à idade adulta Cuidados e sintomas dos principais problemas respiratórios

Doença de Alzheimer é uma enfermidade e não um efeito colateral do envelhecimento

Medidas simples e atenção aos sintomas são a chave para evitar danos mais sérios

As

doenças respiratórias afetam o trato e os órgãos do sistema respiratório, atingindo indivíduos de todas as faixas etárias. No caso de crianças e adolescentes, os problemas podem repercutir posteriormente, na idade adulta. Segundo a pneumologista pediátrica dra. Marina Buarque de Almeida, diretora da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT) e médica da Unidade de Pneumologia Pediátrica no Instituto da Criança - HC - FMUSP, a maioria dos adultos que possuem alguma doença respiratória tiveram as primeiras crises e sintomas na infância. “As doenças respiratórias, quando ocorrem na infância, podem determinar alterações permanentes na vida adulta e, de acordo com a gravidade e com os tipos de alterações, o paciente poderá adquirir seqüelas permanentes e duradouras”, afirma a doutora. AINDA NA GESTAÇÃO Os cuidados com a saúde respiratória da criança devem começar já na gestação. Nesta fase, é importante que a mãe tenha um bom seguimento de pré-natal, mantenha sua saúde, não fume e nem se exponha ao tabagismo passivo. Ao nascimento, é importante incentivar e estimular o aleitamento materno e seguir as orientações do pediatra, que incluem a vacinação de acordo com o calendário vacinal orientado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

N

ALERTA O cigarro é um dos principais inimigos do sistema respiratório. Crianças expostas ao tabagismo desde a gestação podem ter complicações nas vias aéreas e consequente dificuldade ao respirar. Outro fator prejudicial importante é a poluição atmosférica, que contribui com o desenvolvimento de doenças ou pode desencadear crises em pacientes portadores de doença respiratória crônica. “O período com alto índice de poluição ambiental é aquele em que as chuvas tornam-se raras e a umidade relativa do ar torna-se baixa. Este período é, também, o pico da circulação dos vírus respiratórios, que são agressivos ao sistema respiratório e causam, em indivíduos suscetíveis, danos de maior gravidade”. ATENÇÃO AOS SINAIS Tosse freqüente, falta de ar, febre persistente ou dores no peito são alguns sinais que podem significar necessidade de avaliação médica, mesmo se aparecem isoladamente. A falta de fôlego ao praticar atividades físicas, que muitas vezes é aceita como uma conseqüência do sedentarismo, também deve ser considerada, pois pode se tratar de um sintoma de doença respiratória. “É importante ressaltar que mesmo na presença de doenças respiratórias, a prática esportiva, realizada de acordo com a faixa etária e condições de saúde, traz benefícios aos pacientes”, relata dra. Marina. Coluna Mais Saúde Perguntas e sugestões podem ser enviadas para acontece@acontecenoticias.com.br ou para a Rua Cotoxó, 303, conjunto 81-82, São Paulo, SP, CEP 05021-000 *Distribuição Acontece Comunicação e Notícias

Pádua recebe Menção Honrosa em concurso fotográfico

O

fotógrafo salesopolense Pádua participou do concurso fotográfico regional “Revela Mogi”, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura daquela cidade. O evento aconteceu no dia 11 de outubro, no Casarão do Carmo, sob o comando do secretário Mateus Sartori, e reuniu 55 Pádua e o secretário de Cultura de Mogi

participantes de 5 municípios. Pádua recebeu certificado “Menção Honrosa” no referido concurso, com a foto “Olaria”. A foto representa um forno de queima de tijolos, na antiga fazenda Fibrazópolis.

6

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 >

a Universidade de Antuérpia, Bélgica, Christine van Broeckhoven, 59 anos, chefia um departamento de 120 cientistas e assistentes no Instituto de Biotecnologia de Flandres e esteve à frente da pesquisa que identificou as proteínas tau e amiloide como fatores importantes no desenvolvimento da demência. Em maio de 2012, a Fundação americana MetLife reconheceu o valor do seu trabalho com um prêmio de 200 mil dólares para mais pesquisas, citando suas contribuições importantes para a compreensão da doença de Alzheimer: A sua dedicação tem ajudado a chegar mais perto da cura da doença. Esse trabalho é mais urgente do que nunca. Em 2010, estimou-se que o custo global de cuidar de pacientes com Alzheimer era de 450 bilhões de euros e, segundo Broeckhoven, esse valor sobe rapidamente. “Em 2020, uma em cada quatro pessoas terá mais de 65 anos e, por definição, o número de pacientes com demência vai aumentar. Haverá um tsunami de demência. Se tivéssemos um tratamento médico que retardasse em cinco anos o surgimento da doença, o número de pacientes cairia a cerca da metade. Que outro argumento será necessário para convencer políticos e eleitores?” Christine van Broeckhoven prevê que os pacientes receberão um coquetel de tratamentos ajustado às suas necessidades específicas. Mas ressalta que, no caso das doenças do cérebro, não se pode apenas dizer “vou procurar um médico”. Ela acredita que a solução será compreender a complexidade do cérebro humano e as múltiplas influências, como genética, estilo de vida e histórico psiquiátrico, que tornam os indivíduos tão diferentes.

Sexo em baixa Parece que a vida sexual das mulheres está meio broxante. Uma pesquisa feita pela Universidade Harvard, com mais de 30 mil entrevistadas de diversos países, mostrou que 43% têm algum tipo de problema sexual. Outra conclusão é que a estatística não tira o sono da maioria, pois 88% disseram não se importar com esses problemas.


Sandra Regina de Assis Nas últimas eleições municipais, atendendo a apelos de amigos e admiradores do meu trabalho, saí candidata a vereadora pelo PMDB pelo qual fui eleita com expressivos 339 votos

Resumo de vida Nasci e cresci em Salesópolis, filha de José Antonio de Assis e Maria Helena; meu pai foi um humilde cortador de eucaliptos. Morei e estudei na roça, fiz o 2º grau na Escola Olga Chakur Farah, Direito na Universidade Braz Cubas e sou pós-graduada. Sou religiosa, casada e tenho dois filhos: Jean e Kaique. Funcionária da prefeitura de Salesópolis, trabalhei no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), onde fiz atendimento do Bolsa Família, Renda Cidadã, Ação Jovem, Tarifa de Luz, Processos de contribuições autônomas ao INSS, entre outras atividades que visaram sempre ao bem-estar dos mais necessitados. Também fui Conselheira Tutelar, eleita e reeleita no período 2001-2006. Em 2009, fui presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) . Além disso, trabalhei no Fórum Distrital por quase 8 anos, com juízes, promotores e serventuários da Justiça. Em 2001, quando assumi a presidência do Conselho Tutelar, este ficava instalado numa salinha abandonada no Setor de Obras, com computador obsoleto, sem telefone, um carro velho (um gol branco) e sem nenhuma credibilidade junto à população. No final de 2006, juntamente com os demais conselheiros da época, entreguei um Conselho Tutelar forte, com sala no centro da cidade, telefone, computadores adequados e um carro novo (na época, uma Kombi). Em grande parte, graças aos nossos relatórios junto à Promotoria de Justiça, foi criado o Abrigo de Menores e, o mais importante, o trabalho do Conselho passou a ser levado a sério pelos munícipes e obteve a confiança dos juízes e promotores. No CMDCA o período em que atuei foi curto, mas consegui junto à Promotoria de Justiça local liberar importantes recursos que estavam suspensos, verbas estas destinadas a projetos direcionados às crianças e adolescentes no município. No CRAS, juntamente com os demais funcionários, ajudei a implantar o “CAD 7”, um sistema que permite a rapidez no cadastramento dos beneficiários do Bolsa Família, facilitando, aos devidamente cadastrados, a liberação dos créditos pela Caixa Econômica Federal. Em minha atividade de advogada, atendo a todos com muito carinho, respeito e atenção; os meus clientes sabem disso, sabem que amo aquilo que faço e que procuro me aperfeiçoar sempre.

8

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 >

Sempre fui muito séria e dedicada em tudo que me propus a fazer. Como vereadora não poderia ser diferente. Vou trabalhar por uma Salesópolis melhor, um município com mais dignidade, com mais respeito, colocando o cidadão e sua família em primeiro lugar. Quero fazer juz à confiança e não decepcionar aqueles que votaram em mim. É vital a credibilidade nos vereadores, na Câmara Municipal, neste período de carência pelo qual passa a minha, a nossa Salesópolis Para conseguir maior independência política na Câmara, a vereadora Sandra de Assis recentemente demitiu-se do quadro de funcionários da Prefeitura, no qual ocupava o cargo de Chefe de Seção.


As contribuições do Deputado Gondim para com a população de Salesópolis

Aterro e sabesp

O deputado Luiz Carlos Gondim e vereadores de Salesópolis foram recebidos pelo Secretário de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, para fazer dois pediGondim e Edson Giriboni dos importantes para o município: a reconstrução da Ponte do Aterrado e a compensação, ao município, com a renovação do contrato com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Sobre o primeiro pedido, o deputado Gondim lembrou que esteve no início do ano com o secretário pedindo a reconstrução da via de acesso aos bairros Tietê Acima, Aparecida, Comunidade do Arrepiado e Pedra Branca, que tem 2 mil moradores. “Com as chuvas do início do ano, a ponte foi totalmente destruída. Conseguimos junto ao secretário da Casa Civil, Edson Aparecido, e com a Defesa Civil a liberação de R$ 200 mil para fazer uma nova ponte. No entanto é fundamental que a pasta analise e estude a possibilidade de fazer uma ponte definitiva colocando fim a este problema que nos atormenta todos os anos”, comentou Gondim. Na oportunidade, o deputado disse que a obra deveria ser feita de forma urgente porque os moradores precisam percorrer um trajeto de cerca de 14 quilômetros para chegar até a cidade, sendo que o trajeto alagado é de apenas dois quilômetros. Já sobre a renovação do contrato com a Sabesp, o projeto respectivo está sendo analisado na Câmara Municipal de Salesópolis. O contrato entre a Prefeitura e a empresa para o fornecimento de água e tratamento de esgoto foi encerrado em junho de 2006, sendo que a Sabesp presta serviços na cidade sem qualquer vínculo com a administração. Condim e Dilma Penna

Liberação de verba para o aterro A Defesa Civil do Estado atendeu ao pedido do deputado Luiz Carlos Gondim e liberou a verba de R$ 200 mil para fazer a reconstrução da “Ponte do Aterrado”. O aterro, ou passagem, foi destruída no início de janeiro devido às chuvas, e impediram a circulação de mais de 2.000 moradores dos bairros Tietê Acima, Aparecida, Comunidade do Arrepiado e Pedra Branca. O deputado Gondim foi avisado da liberação do recurso pelo secretário da Casa Civil, Edson Aparecido. Por sua vez, o prefeito Benedito Rafael da Silva tomou conhecimento do fato pelo subsecretário da Casa Civil, Rubens Cury, que lhe telefonou informando a destinação do recurso, e logo de pronto o administrador municipal foi à capital para entregar o projeto para reconstrução da ponte.

Gondim quer médicos em salesópolis Em reunião com o secretário de Estado, Giovanni Guido Cerri, o deputado Luiz Carlos Gondim pediu a permanência dos médicos em Salesópolis, a fim de que continuem prestando atendimento nas unidades básicas de saúde da cidade, evitando mais problemas para a população que necessita de assistência médica e que já sofre com as deficiências do SUS. Estes médicos são vinculados ao Estado mas estavam emprestados aos município, que podia contar com os serviços sem ter que arcar com os gastos para o pagamento dos profissionais. O benefício foi conquistado desde 1996, por conta de um pedido do médico e deputado Gondim, junto com outros profissionais da área, para ajudar as cidades. “Junto comigo, os primeiros médicos que vieram do Dr.

Arnaldo para Biritiba e Salesópolis foram o Dr. Carlos Crisma (ginecologista) e a Dra Elizabete (pediatra). Ficou combinado que todos deveriam cumprir uma carga de 10 horas semanais”, explica o deputado. O secretário recebeu uma denúncia de que os médicos não vinham cumprindo a carga horária e que estavam trabalhando por um período menor do que o combinado. Contudo, cada um deles atendia mais de 25 pessoas por dia. Por isso, Giovanni Guido Cerri decidiu intervir e pedir para que voltassem aos postos de origem, no caso, o Hospital Dr. Arnaldo Pezzutti Cavalcante. A intenção também foi a de verificar a situação de cada um, carga horária e adequá-los à nova lei de cargos e salários, projeto aprovado na Assembléia Legislativa para melhorar os rendimentos dos profissionais da área. “Durante a reunião com o Guido Cerri, pedi a ele que volte a liberar os médicos para que continuem atendendo em Salesópolis, evitando prejuízos à população. Trata-se de uma grande equipe formada por cardiologista, pneumologista, ginecologista, dermatologista, pediatras, endocrinologista, ortopedistas, oftalmologistas, ultrassonografistas. São 28 médicos que estão deixando de atender em Salesópolis. O deputado Gondim alertou ainda o secretário sobre as conseqüências dessa medida, porque a falta de profissionais na rede básica, além de comprometer o atendimento nas cidades, interromper o tratamento que já vinha sendo feito com vários pacientes, provocará uma corrida aos outros hospitais da rede pública. “Pode-se ter certeza que vai superlotar o Hospital Luzia de Pinho Melo, o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) e as Santas Casas de Mogi e de outras cidades. Enquanto isso, os médicos vão ficar ociosos no Dr. Arnaldo, que não precisa de todos eles para funcionar, ponderou Gondim.

Loteamentos e multas

Os vereadores lembraram que já tiveram uma audiência com o promotor, mas não obtiveram resultados satisfatórios. O secretário Edson Aparecido sugeriu duas ações para tentar pôr fim às autuações aos moradores de Salesópolis. A primeira, uma reunião no Ministério Público do deputado Gondim e os vereadores e moradores da cidade para propor um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) até a votação da Lei Específica e, a segunda ação, caberá ao secretário que se comprometeu em falar com o desembargador-presidente do Ministério Público, Márcio Rosa, sobre a situação de Salesópolis. Dias depois, o deputado, acompanhado pelo prefeito de Salesópolis, pela secretária de Meio Ambiente, do presidente da Câmara Municipal, Marcelo do Quico, e mais seis vereadores foram recebidos pela promotora de Justiça Lidia Helena Ferreira da Costa Passos, responsável pelo Centro de Apoio Operacional - Urbanismo e Meio Ambiente (CAO-UMA), da Promotoria de Urbanismo e Meio Ambiente do Ministério Público do Estado, e por Luis Fernando Rocha, promotor de Justiça secretário executivo do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente. A reunião, agendada pelo deputado Gondim, aconteceu na sede do Ministério Público em São Paulo.Na oportunidade, o parlamentar e comitiva expuseram sobre a situação envolvendo a sociedade salesopolense com a aplicação das multas aplicadas pela Polícia Ambiental, em decorrência de terem construído suas residências em área de proteção de mananciais. Em pouco mais de uma hora, expuseram os problemas causados pelas autuações: “Os moradores já habitavam na cidade antes da criação da lei e, infelizmente, estas multas têm causado comoção social na cidade porque inúmeras pessoas que receberam estas autuações são de baixa renda”, comentou o parlamentar. Gondim aproveitou para protocolar no Ministério Público, um ofício propondo um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para cessar as autuações aos moradores até que a Lei Específica Tietê-Cabeceiras seja aprovada. A promotora Dra. Lidia Passos ressaltou que iria conversar com seu colega, Dr. Ricardo Manuel Castro, do GAEMA (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente), para verificar a situação jurídica, e propôs a formação de um grupo de trabalho envolvendo o MP, Polícia Ambiental, Cetesb, Prefeitura, Câmara e outros agentes públicos para buscar melhores entendimentos na legislação e solução ao problema apresentado.

Luiz Carlos Gondim, acompanhado de políticos de Salesópolis, foi recebido pelo secretário de Estado Chefe da Casa Civil, Edson Aparecido, para tratar das multas que as pessoas estão recebendo pela Polícia Ambiental (seguindo determinação do Ministério Público), tanto na Zona Rural quanto na Zona Urbana, por terem construído suas residências em área de Despachando com o secretário Sílvio Torres proteção de mananciais. O deputado Luiz Carlos Gondim acompanhou a visita do Durante a reunião, que secretário de Estado de Habitação, Silvio Torres, que esteve aconteceu no Palácio dos Banem Mogi das Cruzes no dia 29 de agosto para despachar com deirantes, o deputado Gondim os prefeitos do Alto Tietê e discutir os problemas de moradia falou sobre a situação das famíenfrentados em cada uma das cidades. lias da cidade e da tramitação da Lei Específica Tietê-Cabeceiras, “Uma das preocupações é com que permitirá entre outros mecanismos de atuação, a definição relação aos problemas enfrentados por das regras para regularização de loteamentos e assentamentos moradores de Salesópolis, que estão em áreas de mananciais. sendo prejudicados pela legislação am“Esta lei, que poderá ajudar a pôr fim às autuações na cidade, biental, e muitos ameaçados de terem deverá chegar na Assembléia para tramitação somente no primeiro de sair de suas próprias casas. Algumas semestre de 2014, entretanto, é fundamental darmos uma solução famílias que já estão estabelecidas no imediata para cessar as multas aos habitantes de Salesópolis que local há muitos anos, estão agora sendo multadas por residir em moram antes da criação da Lei Estadual 898, de 18/12/1975, áreas de proteção”, explicou Gondim, que conversou sobre o que disciplina o uso de solo para a proteção dos mananciais”, assunto com o secretário, o qual se comprometeu em ajudá-lo disse o deputado. a buscar uma solução para o problema junto ao governador As multas aplicadas variam de R$ 2 mil a R$ 12 mil. Um Geraldo Alckmin. dos bairros com maior número de autuações pela fiscalização da Silvio, por sua vez, destacou a importância dos parlamentares Polícia Ambiental é o do Totozinho Cardoso, por onde passa um na representatividade das regiões junto ao Governo do Estado córrego de pequeno porte. para ajudar a acelerar os trâmites e conseguir melhorias para Segundo os próprios moradores, mais de 800 famílias podem os municípios. “O deputado Gondim é considerado um grande ser prejudicadas, mas há informações que em outros bairros os parceiro e está sempre disposto a ajudar”, afirmou Sílvio Torres. moradores também estão recebendo as autuações. < CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 > 9


GREVES

Dr. Epaminondas Nogueira (*)

de 60 anos; um com mulher e filhos pequenos, outro, um casal Constituição de 18 setembro de 1946 envelhecido, pessoas que têm necessidades e responsabilidades definia o trabalho como uma função diferentes, especialmente, em relação a terceiros, como citado. social. Logo, a paralisação do trabalho é uma Tais pessoas têm que resolver cada uma delas assumir os disfunção. riscos de participar de uma greve. Riscos que vão desde o enDisfunção é a perda do sentido ou da eficácia frentamento de eventual repressão, à incompreensão dos colegas da ação de um órgão. na hipótese de recusar a participação, à perda do emprego, de Transportando essas noções para a vida benefícios decorrentes da função, da descontinuidade do tempo social, a greve equivaleria à necrose do de serviço e das carências de seguros, tecido social, ao desfazimento do formato a greve é o conflito de perda da cobertura da assistência da organização social, como acontece médica para si e para os familiares etc. com a forma dos nossos corpos quando de mais desastrosas Essas pessoas ficam mais apreenmorremos. conseqüências sivas quando os movimentos grevistas É, portanto, de muito longe o pior vão sendo animados por companheiros que têm estabilidade no emprego, e o mais dramático dos problemas da em razão de mandatos sindicais, e muitas vezes não tem pé na realidade. sociedade, já que significa a sua desorganização. Ao longo dos anos em que nos dedicamos ao DIREITO DO TRABALHO vimos inúmeros Nesse sentido, não se limita às partes em trabalhadores se lastimando da participação em movimentos grevistas, especialmente porque conflito, mas atinge a todos, como podemos ver em tempos de redução de pessoal os primeiros a serem demitidos são aqueles em cujo histórico pela redução da produção e suas conseqüências profissional havia o registro de integrarem greves, ao passo que seus líderes são poupados. de diminuição dos bens e serviços cujos preços Acresça-se que se trata de problema sazonal, e mais ainda, que é a oportunidade para a aparição sobem, pela insegurança e pela perda do tempo das lideranças sindicais de aventureiros. que jamais se recupera. Finalmente, muitas são as greves promovidas pelos empregadores para pressionar governos e Ainda quando justa, a greve significa sempre fornecedores ou clientes. anarquia, badernas, agitações, aflições e medos O trabalhador é nesse jogo um simples peão no tabuleiro. Isso é um tiro no próprio pé pelo emcomo o de perder empregos, benefícios como pregador que compromete a sua credibilidade, treina seu pessoal para o exercício da intolerância, aposentadoria, a miséria enfim. do desprezo pela arte da negociação e, mais dia menos dia, chega Basta considerar que há grevistas de todas as a sua vez. (*) Epaminondas Nogueira é idades, de todas as condições sociais, econômicas Concluindo, sem sombra de dúvida, no que concerne ao relac- advogado especializado em causas trabalhistas e previdenciárias. Mantém e familiares. ionamento das partes do contrato de trabalho, a greve é o conflito escritório em Mogi das Cruzes Considere-se um grevista de 18 anos e outro de mais desastrosas conseqüências.

A

Plantação de sisal

O Paraitinga Ciro do Valle

P

araitinga, na língua tupi-guarani que predominava na região paulista significa: rio de águas claras.(Para(rio); -i-(águas); tinga-(claras). A história de Salesópolis está intimamente ligada ao Rio Paraitinga. Sua demarcação cartográfica original (divisor de águas) ia de sua foz, na confluência com o Rio Tietê, até a sua nascente. Hoje, após os ajustes políticos, ele nasce no município de Paraibuna. Se o Rio Tietê é famoso em todo o estado, o Paraitinga é o mais importante para o município. Só nos últimos 35 anos é que a água que abastece a cidade passou a ser captada do Tietê. A origem do primeiro núcleo habitacional se deu no século XIX. Era ao lado de uma represa natural, constantemente alagada, compreendendo exatamente toda a extensão do atual lago artificial. A primeira atividade econômica foi a pesca; mas a olaria, nas suas bordas argilosas, teria sido a principal fonte de renda de Antonio Martins de Macedo (Aranha), reconhecido como o primeiro hospedeiro onde se formou São José do Paraitinga e, posteriormente, Salesópolis. Em suas margens despontaram a agricultura de subsistência: arroz, feijão, cana de açúcar e fumo. No pós 1ª Guerra, conheceu a batata inglesa entremeada com a agropecuária. A permanência de proletários em suas margens as manteve com poucas alterações. Nos anos quarenta, recebeu o plantio do sisal

10

< CRISE - Ed. 1 - outubro de

(fibra), o que resistiu por sessenta anos gerando renda e progresso. O assentamento da Colônia Japonesa, nos arredores do hoje Distrito do Remédio, trouxe diversificação de produtos que dependiam diretamente dele. Há ainda destaque para os Ardachinikoff, descendentes de russos que ainda vivem de plantas irrigáveis. Nos anos cinqüenta foi a vez do aproveitamento da esteira para banana. A fase econômica da taboa, ou “tabôa” (cerca de vinte anos), ocorreu sem a danificação do aspecto físico da região, mas ele passou a ser drenado para a agricultura. O solo era argiloso contendo uma pequena camada de areia. Ainda nos anos sessenta, o aperfeiçoamento do eucalipto para a celulose levou a exploração dessa madeira para as suas cabeceiras, o que predomina até 2013 > hoje. Em 1978, Salesópolis pas-

sou a fazer parte da Grande São Paulo e seu território integrou a área de proteção de mananciais. Em 2001, o município virou Estância Turística e, em 2005, a Represa do Paraitinga tornouse realidade. Sua função, agora, é auxiliar no abastecimento da Metrópole; com o advento do reservatório, o Paraitinga vem oferecer também lazer aos paulistanos e visitantes. Constituindo-se em APP, o município teve impedido o avanço de atividades industriais, deteve-se o progresso da agropecuária, da taboa, do carvão e concentrou-se na exploração da monocultura do eucalipto que, por si, afeta diretamente o volume aqüífero das nascentes. Este é o desafio: acompanharmos a metamorfose, nos adaptarmos às suas mudanças; nos prepararmos para o futuro e resguardar aquilo que já foi, e que jamais será o mesmo.

Campo repleto de tabôa


Vereador Marcelo do Quico

F

rancisco Marcelo Corrêa, até agora o vereador mais votado na história política do município (623 votos), é formado em Economia pela UMC, com pós-graduação em Administração Hospitalar pela Universidade de Ribeirão Preto. Como experiência profissional na administração pública, Marcelo do Quico, como é conhecido e chamado, exerceu atividades de escriturário na Prefeitura de Mogi das Cruzes (1991-1992) e gerente da Secretaria Municipal de Saúde de Ferraz de Vasconcelos (20092011), pela qual supervisionava a central de regulação de consultas e exames. Anteriormente, de 2003 a 2007, atuou como Assistente Técnico de Planejamento de Ações de Saúde na DIR-III, um órgão da Secretaria de Estado da Saúde, onde pôde auxiliar a população carente do Alto Tietê a ter acesso a marcações de consultas e exames de alta complexidade. Muito natural, portanto, que Marcelo dirija as suas atenções, como vereador e presidente da Câmara, para o setor de saúde de Salesópolis, área que sobejamente conhece e que ele mesmo define como “caminhando para um caos completo”.

Marcelo tem aprovado o seu anteprojeto de vacinação domiciliar a idosos Lei nº 1.674 de 5/06/2013 Aprovada pela Câmara de Vereadores, sancionada e publicada pelo Executivo Municipal: Art. 1º Fica instituído o “Programa de Visitas em Domicílio”, destinado à vacinação de idosos e acamados, no Município da Estância Turística de Salesópolis. § 1º - O programa previsto no caput deste artigo aplicase aos idosos e acamados que, comprovadamente, estejam impossibilitados de se locomover até o local de vacinação. § 2º - A Secretaria Municipal de Saúde fica autorizada a implantar o programa com a disponibilização dos profissionais e o cronograma de atendimento. Art. 2º - As unidades de saúde municipais farão o cadastro dos idosos e acamados a fim de cumprir o disposto nesta lei. Parágrafo único: A Prefeitura fará a divulgação deste programa para que as famílias possam cadastrar seus idosos. Art. 3º - Considera-se idoso, para os fins desta lei, a pessoa com idade igual ou superior a 60 anos. Art. 4º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

M

arcelo também apresentou outros dois importantes anteprojetos que pretendiam agilizar o atendimento a quem procura os serviços de saúde municipal. Um dos projetos refere-se à criação de uma Central Reguladora de Vagas, e o outro prevê a possibilidade de os pacientes terem como marcar o retorno médico no mesmo dia da consulta no setor de especialidades. Na ótica do vereador, a definição do retorno seria estabelecida logo após o paciente deixar o consultório, o que iria facilitar a vida dos usuários, principalmente da área rural, que não precisariam voltar posteriormente só para a marcação do retorno. Uma questão de agilidade administrativa, explica Marcelo.

Projeto instituindo o Programa de Incentivo ao Conhecimento dos Pontos Turísticos de Salesópolis, de autoria do vereador Marcelo, é tornado lei pela Prefeitura Municipal Artigo 1° - Fica instituído o Programa Municipal de Incentivo ao Conhecimento dos Pontos Turísticos de Salesópolis, com o objetivo de propiciar aos alunos da rede municipal de ensino, amplo conhecimento de todo o acervo cultural e turístico do Município. Artigo 2º- As escolas municipais da Estância Turística de Salesópolis deverão, durante o ano letivo, programar e incentivar os alunos a visitarem os pontos turísticos do Município. Artigo 3º - A Prefeitura Municipal desenvolverá e promoverá, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, o Plano de Trabalho, bem como, o Cronograma de Ação do Programa, estabelecendo parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, por sua Diretoria de Turismo, à qual caberá a produção de panfletos, livros, vídeos e outros recursos de divulgação, com dados históricos dos pontos turísticos do Município, para a utilização dos professores e monitores quando da visitação dos alunos. Parágrafo Único - Compete à Prefeitura Municipal criar concursos premiações e incentivos para os alunos visitarem os pontos turísticos de Salesópolis e, para tanto, poderá utilizar-se de patrocínio de entidades privadas e do comércio. Artigo 4º - Para viabilizar a realização de projetos específicos, previstos no Plano de Trabalho do Programa Municipal de Incentivo ao Conhecimento dos Pontos Turísticos de Salesópolis, poderá a Prefeitura Municipal utilizar-se de patrocínio de entidades privadas e do comércio. Artigo 5° - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação. Artigo 6° - Revogam-se as disposições em contrário.

Todavia, a atual secretária da Saúde, Karyn Cristina de Miranda Fonseca Camargo, posicionou-se contra a iniciativa, argumentando que os dois projetos se contradiziam, iriam trazer impacto financeiro à Prefeitura e que marcações de consultas - principalmente de retornos - com muita antecedência, levam a altas taxas de não compararecimento pelos pacientes. O prefeito resolveu acolher os despachos da secretária, tornando inviável a prosperidade dos anteprojetos do vereador. O vereador Marcelo é de opinião que falta humildade à atual secretária da Saúde para trabalhar entre nós. Que ela veio de um município de grandes facilidades financeiras, ainda não desceu do pedestal e fica olhando a

população carente por cima de seus saltos altos. Segundo as falas de Marcelo na tribuna da Câmara, está faltando comando por parte da secretária e o prefeito irá pagar altos ônus por isso. Números preocupantes Conforme divulgação do vereador, é a seguinte a situação na Secretaria Municipal de Saúde: -- 450 pedidos de exames clínicos por fazer; -- 190 pessoas aguardando consulta com o Dr. Carlos Chrisman; -- mais de 100 pessoas aguardando consulta com o Dr. Feitosa; -- 620 mulheres na fila de consulta ginecológica.

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 > 15


“O Lélão chegou!!!” Este foi o brado retumbante que valorizou a campanha do candidato a vereador Lélis Reno. A maneira diferente de se aproximar dos eleitores, e de com eles se identificar, sempre constituiu marca registrada de Lélis, e, com sua ascensão à Câmara Municipal, abriu-se nova perspectiva de uma verdadeira fiscalização dos atos do prefeito e de seus subordinados, de uma real oposição aos desmandos do Executivo.

B

enedito Lélis Renó nasceu em Conceição dos Ouros, Minas Gerais, porém seus pais mudaram-se para Salesópolis trazendo-o criança. Aqui cresceu, estudou, trabalhou e deu seu apoio político ao município em três mandatos consecutivos de vereador (1998 a 2000). Neste período, foi presidente da Câmara por dois anos. Trabalhou na Santa Casa Frederico Ozanan e 20 anos no Banco Banespa, de onde se demitiu para tocar o seu próprio comércio - o conceituado Restaurante Nhá Luz. Eleito vereador pelo PT, Lélis tem como meta fazer um trabalho consistente que lhe permita obter o reconhecimento da população.

Requerimentos: 136 - O vereador solicitou cópias de documentos dos poços artesianos, ou semi-artesianos, dos bairros dos Pintos, Barro Amarelo, Mirandas, Pico Agudo, Nascente do Tietê e Nhá Luz. Os documentos pedidos são: 1) recibos de pagamentos da prestação de serviços, referentes à perfuração dos poços das escolas rurais, 2) laudo técnico da análise da qualidade da água, no ano da perfuração, 3) histórico da profundidade dos poços, 4) nome da empresa contratada, 5) laudo técnico da análise da água, que coloca os poços como impróprios para consumo, 6) cópia do contrato de prestação de serviço, da empresa que atualmente vem abastecendo as escolas com caminhão pipa, que possuem poços impróprios para consumo das crianças, 7) cópia de recibo pago à SABESP para o fornecimento da água que estão sendo abastecidas as escolas, 8) cópia dos recibos de pagamento da compra dos galões de vinte litros de água, da Distribuidora Mogiana ou distribuidores locais, 9) comprovante do valor do galão de água unitário e quantidade de gasto mensal; 137 - Requereur cópia da retificação de dispensa de licitação, do Processo

Administrativo Nº 1471/13 para locação do imóvel de Amélia de Carvalho Torraga, conforme publicação no Diário Oficial, de 22 de agosto de 2013; 138 - Este requerimento pede ao prefeito encaminhar cópia do contrato da empresa vencedora - Estre Ambiental S/A, do Aterro Sanitário, para disposição final de resíduos sólidos urbanos, oriundos da coleta domiciliar, conforme publicação no Diário Oficial de 22 de Agosto de 2013 - Pregão Presencial Nº 07/13; 139 - Neste requerimento, Lélis pediu a cópia do Pregão Presencial Nº 24/2013, firmado com a Real Construtora e Serviços Ltda., em 26 de Junho de 2013, valor global de R$ 397.500,00, conforme publicação no Diário Oficial de 22 de Agosto de 2013; 140 - Lélis pediu, também, cópia das Notas Fiscais referentes à aquisição de dois veículos a serem utilizados na Secretaria de Saúde, da empresa Lucy Serviços Ltda. - ME, conforme publicação no Diário Oficial de 22 de Agosto de 2013. ................................................................... Na Tribuna da Câmara, o vereador Lélis Renó explicou as origens e as necessidades dos seus requerimentos. Com relação ao req. 136, Lélis afirmou que a Prefeitura não deu resposta, e, por isso, entrou com pedido no M.P pedindo as providências cabíveis. Quanto ao Req. Nº 137, Lélis lembrou que durante a campanha eleitoral o candidato, ora eleito prefeito, dizia em alto e bom-tom que devolveria os imóveis alugados pelo seu antecessor e construiria prédios. Contudo, não é isso que se observa e, se se somar os valores pagos atualmente em aluguéis, certamente, em um mês, seria possível construir um barracão pré-montado para abrigar várias secretarias municipais. O vereador afirmou que é preciso saber administrar bem o dinheiro público, porque ao mesmo tempo em que o prefeito alega falta de dinheiro, se contradiz e acaba de contratar mais um funcionário para a Prefeitura, prejudicando assim todos os servidores e causando desordem na administração municipal. Também disse que quer conhecer os contratos relativos aos Req. Nºs 138 e 139 para saber o o quê e como exatamente se está contratando. Lélis falou que tem recebido informações e até cartas de munícipes dando conta de haver possíveis uperfaturamentos nas compras e aquisições diversas feitas pela Prefeitura. Portanto, ressaltou que irá acompanhar cada caso, como fez com a compra dos sucos para as escolas. E, sobre o caso dos sucos, finalizou dizendo que seu requerimento nº 121* ainda não foi respondido, motivo pelo qual pretende, junto a outros casos, dar entrada no Ministério Público. (*121 (10/6/13)- Solicita cópia das notas fiscais e laudo assinado pela nutricionista responsável pela compra de 36.000 copos de suco, marca Fresk, da Empresa Imbamad Alimentos Ltda, e também informar a data de validade do produto)

Vereador Benedito Lélis Renó Na Promotoria, Lélis pede providências para sanar o descaso da Prefeitura em prover um minimo de segurança aos alunos das Escolas “Mestra Henriqueta” e “Olga Chakur” “ Senhor Promotor de Justiça, Na qualidade de Vereador deste município, temos recebido inúmeras reclamações de moradores (especialmente pais de família, cujos filhos estudam nas duas maiores escolas da área central da cidade, bem como munícipes preocupados com o tráfico de entorpecentes que atingem muitos menores em nossa cidade), acerca da falta de iluminação noturna na Avenida Antonio Paulino de Miranda, onde se localizam as Escolas Olga Chakur Farah e Mestra Henriqueta. Ocorre que, na dita avenida, em frente às citadas escolas, na última gestão municipal foi construída uma praça dotada de jardins com plantas e bancos, postes e luminárias. Sucede que, com a mudança de gestão, mesmo com o relógio medidor já instalado, até agora não foi feita a ligação elétrica das luminárias. Por certo Vossa Senhoria tem conhecimento de que muitos adolescentes têm usado a frente destas escolas para tráfico de drogas, sendo que a falta de iluminação, no horário noturno, pode facilitar a ação delituosa. A população cobra ação deste Vereador junto ao Ministério Público para garantir a segurança e a integridade dos estudantes, e somos solidários no entendimento de que obras inacabadas devem ser terminadas, mesmo aquelas edificadas em gestões de adversários políticos, sob pena de malversação da verba pública. Assim, solicitamos a Vossa senhoria a apuração dos fatos, em nome do interesse coletivo e da segurança das crianças, adolescentes e jovens que estudam nestas escolas ou mesmo que transitam pela Avenida Antonio Paulino de Miranda.”

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 > 19


Programa Farmácia Popular

O

ESPELHO MÁGICO

T

Cabeleireiros

Sueli de souza Tel.: 4696-3048 4696-3905

20

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 >

Programa Farmácia Popular do Brasil atende os cidadãos brasileiros, oferecendo medicamentos com preços baixos em milhares de estabelecimentos pelo País. O programa Farmácia Popular foi criado pelo Governo Federal em 2004 para beneficiar as pessoas que compram remédios mensalmente para manter o tratamento das doenças que são mais comum ente elas. Na Farmácia Popular, os preços dos remédios são bem mais baixos do que nas drogarias de redes privadas, o que ajuda bastante quem necessita desses medicamentos. Para que esse benefício chegue a todos os cidadãos brasileiros, o Programa Farmácia Popular possui sua rede própria de estabelecimentos farmacêuticos, que se encontra hoje em muitos dos municípios do país. Além disso, o Programa firma parceria com outras farmácias e drogarias que fazem parte da rede privada, para que essas dêem desconto também nos medicamentos da lista do Programa. Essas farmácias possuem um banner em seus estabelecimentos com a mensagem: “Aqui tem Farmácia Popular”. Os medicamentos são comprados de laboratórios farmacêuticos, oficiais públicos ou privados. Quando necessário, são adquiridos por meio de pregões. O beneficiado pode comprar três tipos de medicamentos - para diabetes, hipertensão e anticoncepcionais -, pagando até 10% do valor do produto. O restante do valor fica a cargo do Governo. A Farmácia Popular, atualmente, disponibiliza cerca de 108 medicamentos para a população que contam com preços que podem chegar até 90% de desconto, comparando-se com os preços que drogaria e farmácias privadas oferecem. Para pegar ou comprar os medicamentos com esse desconto,

basta ir a uma farmácia ou drogaria credenciada, com documento oficial com foto, CPF e receita prescrita pelo médico. Os descontos são para muitos dos medicamentos para asma, colesterol alto, parkinson, glaucoma e osteoporose, além de fralda geriátrica. Já as do governo oferecem 108 tipos de medicamentos, todos com 90% de desconto. Confira alguns exemplos: - O medicamento Aciclovir, custa R$54,00 em uma drogaria convencional. Na Farmácia Popular e drogarias vinculadas ao Programa, ele sai por R$7,00. - O ácido fólico, que é um medicamento voltado para mulheres em período de gestação, custa um pouco mais que R$4,00 contendo 10 comprimidos, já na Farmácia Popular custa apenas R$0,54. - O sulfato ferroso, que é usado principalmente para tratamento de anemia vai custar mais de R$ 7,00 nas drogarias convencionais, enquanto que nas drogarias da Farmácia Popular custará R$ 0,80. Os medicamentos são de graça para doenças como diabetes, hipertensão e asma.


< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 > 21


Crianças em festa

T

odo o ano, o grupo “Ação Criança Feliz”, tendo à frente Marcos Nepomuceno (Dunga), não se esquece da gurizada da cidade. Virou tradição, e no dia 19 de outubro, na Sociedade Esportiva Salesopolense, os petizes tiveram um dia só para eles. Além dos painéis de diversão, com pulas-pulas, escorregadores e cama elástica, foram distribuídos 1.200 sorvetes, 1.600 lanches, 1.600 sucos, 500 “iceguts”, além de pipoca e frutas. Mais de 500 brinquedos também foram entregues às crianças. Os organizadores enfatizam que o evento só é possível graças ao concurso voluntário das pessoas e da colaboração financeira dos parceiros do projeto. E a festa continua, com a programação, para 14 de dezembro, do Almoço de Natal das Crianças, dia em que será servido macarronada e doces, havendo a entrega de presentes (bolas e ursinhos)e o sorteio de bicicletas. O momento culminante será a chegada do Papai-Noel. Quem quiser colaborar deve ligar para (11)9 9885-9896 ou 4696-1353.

corrida de saco

Preparando os lanches

Jiu-Jitsu do Projeto Guri

< CRISE - Ed. 1 - outubro de 2013 > 23


ÚLTIMAS LBV em Mogi das Cruzes: espaço para a garotada crescer com saúde e felicidade

U

m ambiente seguro e acolhedor para crianças quando não estão na escola. Um imenso jardim, biblioteca, quadra de esportes e salas, nos quais a garotada pode fazer atividades artísticas, culturais, educativas e de lazer, o que proporciona tranqüilidade aos pais que não tem onde deixar os filhos enquanto trabalham. Assim é o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade em Mogi das Cruzes/SP, que atende 250 meninas e meninos de 6 a 12 anos, provenientes de famílias de baixa renda, sendo 125 no período da manhã e 125 à tarde. No local, eles participam do Programa LBV - Criança: Futuro no Presente!, despertando talentos, realizando sonhos e preparando-os para a cidadania plena. Naquela unidade, as crianças têm o apoio de profissionais e voluntários capacitados, que auxiliam nas suas principais necessidades, de acordo com a idade. O objetivo é contribuir para a melhoria da qualidade de vida delas e minimizar a exclusão social das comunidades em situação de pobreza. Com a ajuda de seus colaboradores, este ano, a Instituição inaugurou a quadra poliesportiva coberta - para proteger as crianças do sol e da chuva - e o refeitório foi adaptado com equipamentos modernos e mesas com cantos arrendados para garantir a segurança e comodidade dos atendidos. No refeitório, são servidas quatro refeições diárias para a garotada que ainda recebe uniforme e material pedagógico. Tudo isso para favorecer o bem-estar, a saúde e o desenvolvimento das crianças, com o diferencial

da LBV: aplicar em todas as atividades o ensino e a prática dos bons valores, instruindo as crianças, bem como suas famílias a contribuir para uma sociedade mais justa, fraterna e onde haja oportunidades iguais para todos. Em Mogi das Cruzes, o Centro Comunitário de Assistência Social da LBV está localizado na Estrada Akiji Kakeya, 22, Vila Moraes. Informações pelo tel.: (11) 4796-1926 ou pelo site www.lbv.org.br.

Peneira de Talentos

N

a manhã de 22 de agosto, uma quinta-feira, a Sociedade Esportiva Salesopolense estava colorida e cheia de viço. Acontecia naquela data e local a “peneirada de talentos”, visando a apreciar as várias nuances apresentadas pelos guris e gurias, de tenra idade, e o eventual aproveitamento nos quadros de grandes times futebolísticos do Estado e, quiçá, do país. Exemplo patente é o atleta-ídolo Neymar, oriundo de Mogi das Cruzes. Estavam presentes também jogadores das cidades vizinhas de Santa Branca e Biritiba Mirim, os quais foram acolhidos com simpatia pelo presidente da S.E.S, Paulo “Paiakan” Os garotos foram observados por José Silva, “olheiro” do São Paulo Futebol Clube, que na ocasião confidenciou a esperança imediata em dois atletas mirins. A garotada cerca os olheiros ávida pelos resultados da avaliação...

José Silva, Ling (Biritiba), João mão-de-ferro (Sta Branca), Paiakan, Severo e Marcelo Correia (Sta Branca)

O

presidente estadual da União Brasileira de Municípios (UBAM) em São Paulo, ex-prefeito de Salesópolis, Francisco Rodrigues Corrêa, conhecido popularmente como “Quico”, está programando um grande encontro dos prefeitos e prefeitas de todo Estado paulista, que possui ao todo 645 municípios. O evento, segundo Quico, tem o objetivo de dotar os gestores de informações gerais sobre outras fontes de recursos para as prefeituras, tendo em vista o imenso déficit orçamentário provocado pelo governo da União com as desonerações de impostos e a falta de uma política de investimentos para as cidades, como também sobre o Sistema de Convênios do Governo Federal (SICONV), objetivando treinar técnicos das prefeituras. Quico tem alertado os prefeitos paulistas quanto ao prazo final para que Municípios se adequarem a novas regras relacionadas aos resíduos sólidos, evitando que a partir de abril de 2014 se tornem inaptos a receberem recursos federais. O encontro deverá acontecer na Sede da Funasa em São Paulo, com o apoio do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e outras empresas que defendem o Selo Ambiental 2014 que será lançado pela UBAM no próximo ano. O Selo Ambiental 2014 será entregue aos prefeitos cujos municípios atingirem o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), através do planejamento ambiental, reurbanização das cidades, com maior cobertura de sistema de saneamento básico e destinação de resíduos sólidos. Quico espera contar com o apoio da Associação Paulista de Municípios (APM).

Crise ed 1 web  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you