Page 1

PARABÉNS MAMÃES! Neste mês de maio, as mães foram muito homenageadas. Nos Centros Educacionais Infantis não foi diferente.Veja na foto as crianças do Maternal e do Pré do CEI Sonho de Criança cantando canções dedicadas às mães. As educadoras apresentaram imagens do cotidiano, através de slides, mostrando as atividades realizadas pelos pequenos do berçário. Neste momento os convidados se emocionaram vendo as imagens das crianças. O encontro foi encerrado com um delicioso bolo de laranja e suco. Parabéns, mamães comprometidas com a educação de seus filhos.

Dica de Leitura: Aventuras de Alvinho Você também acha que ser gente grande é melhor que ser criança? O Alvinho acha. Nesta coleção, o Alvinho era o rei da mentira, até que um dia viveu uma aventura e tanto. E quem disse que a verdade colou? Qual é a melhor solução

para uma criança que mora em um apartamento e quer ter um cachorro? Alvinho é um consumidor inveterado, esperto, inteligente, mas manhoso como ele só. Será que ele não toma jeito...... Um dia levou um susto no porão... Será que ele mudou??? Alvinho tinha mania de levar pra casa tudo o que encontrava na rua, até pedra.... E quando veio morar, na rua da casa dele, um menino que se dizia melhor que todo mundo, Alvinho deu uma lição nele.Você quer saber as Aventuras de Alvinho? Então vá até a biblioteca e comece a ler logo, antes que alguém chegue primeiro que você!!!


Junqueirópolis Maio de 2.013

02

Educação em Ação Projeto "CARTAS: de leitor para leitor"

Primeiramente é fundamental ressaltar que para a efetivação deste trabalho, está em jogo a leitura com compreensão de textos da esfera jornalística, visto que os alunos ao escreverem a carta do leitor devem apresentar a opinião sobre a matéria lida, ou sobre fatos, acontecimentos ou assuntos veiculados na mesma, podendo até mesmo conter argumentos. Na função de Professora Formadora, responsável no momento pelo Programa Ler e Escrever no Município, acredito com base em fundamentações teóricas e práticas que o trabalho central do professor seja estreitar a relação entre teoria e prática, lembrando que quando os alunos desenvolvem atividades significativas, apresentam um maior e melhor resultado. Os textos jornalísticos fazem parte da rotina pedagógica, contribuindo para com o ensino da leitura e da escrita como práticas sociais. Os alunos na Escola, ou fora dela estão em contato frequente com estes textos. A carta de leitor é um gênero do domínio público, de caráter aberto, com o objetivo de divulgar seu conteúdo, possibilitando, assim, ao público em geral a sua leitura. Além do objetivo de opinar, podem também abordar solicitações, reclamações, elogios, agradecimentos, críticas, entre outros. Os textos, quando transformados em objeto didático, não podem perder sua força comunicativa, sendo restritos apenas aos aspectos estruturais ou formais. É importante que as aulas sejam planejadas para alcançar objetivos mais amplos, que extrapolem a sala de aula e até mesmo a escola. A leitura e a escrita não podem ser apenas práticas escolarizadas. Nossos objetivos com a efetivação deste projeto é dar oportunidades para os alunos se desenvolverem como cidadãos de uma sociedade letrada de forma atuante, transformadora. Para a realização deste trabalho, as Escolas Municipais se organizaram com cronogramas abrangendo as salas de 4º e 5º anos inicialmente, mas a proposta é quem sabe, num futuro muito próximo abranger a todos. No Jornal "A Notícia", o trabalho com as cartas de leitor teve início na edição do dia 11 de maio e também no Jornal Educação a partir deste mês. Professora Sidinéia Monteiro Favaretto INDICAÇÕES LITERÁRIAS Olá pessoal do Jornal Educação em Ação. Gostaríamos de agradecer a indicação de livro sugerida pelos alunos do 5° ano da Professora Aline, da Escola Shigueko na edição do mês de abril de 2013, na página 11 "Leitura Literária". Ao lermos os depoimentos a respeito da história, aguçamos a curiosidade e solicitamos à nossa professora que nos presenteasse com a literatura sugerida. Pedimos outras indicações; uma vez que ler nos permite ampliar nossos conhecimentos e viajar no mundo da imaginação. Obrigado! Alunos do 4° ano, da Escola Shigueko, da Professora Rosinéia. Olá alunos da professora Rosinéia, parabéns pela excelente observação. Fiquem atentos, na página 2 sempre há indicações de boas literaturas também. Vocês podem e devem fazer indicações. Parabéns!

AMIGO DA VOZ Caro editor do Jornal Educação em Ação, gostamos muito quando chega o jornal. Achamos que as leituras são de ótima qualidade, além de ficarmos sabendo do que as outras Escolas estão estudando e lendo. Lemos a matéria "Campanha seja amigo da sua voz" escrita pela fonoaudióloga Simone Patrícia Ruiz, da página inicial do jornal do mês de abril deste ano e aprendemos muito. Concordamos com a importância de cuidarmos de nossa voz. O trecho que mais gostamos foi saber que a voz é a expressão da emoção, e que diversas atividades e hábitos podem interferir na qualidade da voz. Parabéns pela matéria! Abraços, alunos do 4º ano, da Professora Sandra Regina Tomilhero Rosa, E. M. Profª Neyde M. B. Fernandes. Olá garotada da professora Sandra. Ficamos felizes em saber que vocês gostam do nosso Jornal. É muito legal poder compartilhar com vocês alguns acontecimentos da nossa Educação. Continuem lendo e apreciando. "CONVERSA COM OS PAIS" Caro editor do Jornal Educação em Ação Gostamos muito desse jornal, principalmente do assunto "Conversa com os Pais". Achamos esse espaço muito importante, pois traz dicas interessantes para nossos pais, que sempre querem o melhor para nós. Gostaríamos que também publicassem dicas de livros infantis. Alunos do 4º ano da professora Ângela, 15 de maio de 2013 Valeu amiguinhos, alunos da professora Ângela, ficamos felizes em saber que gostam deste Jornal. Fiquem atentos tanto neste espaço da página 2, quanto em outros, por exemplo, de cada Escola, pois colocaremos indicações de leitura. Na página 11 da edição de abril, por exemplo, tem uma dica legal feita pelos alunos da Escola Shigueko.

Educação em Ação

Informativo das Ações Municipais de Educação Uma publicação pedagógica da Diretoria Municipal da Educação de Junqueirópolis Tiragem: 2.200 exemplares

Diretor Responsável – José Henrique Rossi Jornalista responsável – José Costa MTB 279-2 Presidente da República - Dilma Vana Rousseff Ministro da Educação – Aloizio Mercadante Oliva Governador do Estado – Geraldo José R. Alckmin Filho Secretário da Educ. – Herman Jacobus Cornelis Voorwald Prefeito Municipal – Hélio Furini Secretário Municipal – José Henrique Rossi Conselho Editorial:

- Silvana Dias - Ilzete Aparecida Jampani - Maria Edna do Rosário Bonancim - Danila Aparecida Bussula - Simone Pedrini Manoel - Odalina Bozelli Santos - Selma Pelloso Carboneze

- Cleusa Tramarin Ishimura Leite - Geórgia Paula Rodolfo Costa - Eunice de Oliveira Colucci - Bernadete Prates Fernandes Basso - Terezinha Linhares Trevisan - Lídia Matsubara Yagi - Sidinéia Monteiro Favaretto


Junqueirópolis Maio de 2.013

Educação em Ação

03

E.M. Professor Jair Luiz da Silva Quem reescreve um conto, aprende um tanto"

Parceria entre Jornal A Notícia e Educação

Os alunos do terceiro ano da professora Carmem estão desenvolvendo o projeto didático "Quem reescreve um conto, aprende um tanto!" do material de apoio de Ler e Escrever. Este projeto, além de incentivar a leitura, tem o objetivo de ampliar o universo literário e seu vocabulário para o aluno e fazê-lo conhecer variadas estruturas de frases. Assim, ao produzirem as reescritas dos contos, as crianças criam uma nova versão, participando de várias etapas que vão desde a leitura inicial até a revisão. Aqui está uma reescrita produzida pelos alunos Alissa e Vinícius. Os Três Cabritinhos Era uma vez três cabritinhos travessos que gostavam de pastar em uma colina que tinha o capim bem verdinho. Mas, para se chegar até lá, eles tinham que atravessar uma ponte sob a qual morava uma bruxa terrível, com o nariz curvo, olhos grandes e arregalados. Já estava quase anoitecendo. Os três cabritinhos resolveram que iriam em ordem crescente. O pioneiro foi o caçula. "Trip, trap, trip, trap..." __ Quem está andando em cima da minha ponte? ___ Rosnou a megera. __ Sou eu, o menor dos cabritos. Vou pastar na colina para engordar um pouquinho. __ Espere aí que já vou te comer! __ Oh não! Por favor, sou tão magrinho! Espere um pouco que lá vem meu irmão mais velho. Ele é muito maior do que eu. "Trip, trap, trip, trap..." __ Quem está passando por cima da minha ponte? __ Sou eu, cabritinho médio, vou pastar na colina para engordar. Deixe-me ir, lá vem meu irmão mais velho. Ele é muito maior do que eu. "Trip, trap, trip, trap..." __ Quem está atravessando a minha ponte? __ Sou eu, o maior cabrito. __ Espere aí que já vou te devorar inteiro! Mas agora a resposta foi diferente: __ Pode vir que sou valente, bruxas não temo, para isso tenho dentes fortes e chifres que são de ferro. Ela tentou agarrá-lo, mas ele não perdeu tempo. Avançou contra a bruxa e a derrubou no rio que passava por debaixo da ponte. Assim ele se reuniu com seus irmãos. Quanto à bruxa, nunca mais se ouviu falar dela.

Fernando Ramos durante uma das entrevistas realizada.

No dia 13 de maio, o repórter Fernando Ramos esteve em nossa escola para conceder entrevista aos alunos dos quartos e quintos anos. Trata-se de uma das etapas do projeto "Cartas: de leitor para leitor" que está sendo desenvolvido pelas escolas municipais em parceria com o jornal A Notícia. As crianças elaboraram questões referentes ao jornalismo, que foram, respondidas e esclarecidas com grande eficiência pelo entrevistado, tratando a todos com muito carinho. Através desse veículo de comunicação, queremos agradecer a disponibilidade desse profissional por estar colaborando com mais esse trabalho. Numa outra etapa do projeto, o jornal está sendo lido em sala de aula e cartas ao leitor estão sendo produzidas pelos alunos de forma coletiva e publicadas no jornal semanalmente. Nessas cartas, os alunos comentam notícias, fazem críticas, elogios ou dão sugestões. Trata-se de um trabalho de grande importância, onde a criança tem oportunidade de vivenciar um portador de textos tão variado como o jornal, além de perceber uma função social em suas produções escritas.

Carta do leitor Resposta da carta anterior Olá galera do 4º ano da Profª Renata Fiquei muito feliz em receber a carta que vocês escreveram. Pude perceber que são bons leitores, pois apresentam bons argumentos e um apurado senso crítico. É de pessoas assim que precisamos para melhorar esse mundo. Parabéns e continuem assim, participando de tudo. Quanto às sugestões propostas, procurei atendê-los, mas vejam que se colocarmos muitas atividades recreativas, não sobrará espaço suficiente para publicarmos nossas notícias. Espero que gostem da edição deste mês. Beijos a todos. A Coordenação 20/05/2013


04

E.M. Professor Jair Luiz da Silva Queridos leitores do Jornal da Educação

Essa foto é parte da atividade do EMAI sobre "Trajeto" que desenvolvemos em sala de aula. Através dessa atividade aprendemos várias coisas, principalmente a nos localizarmos, que dependendo da posição do observador a informação da localização pode variar, e também sobre os pontos de referência que podem ser casas comerciais, escola, creches, entre outros. Aproveitamos para desejar uma boa leitura desse jornal que é o máximo!!!!! Alunos do 3º ano da profª Silvana, 02 de maio de 2013

Premiação de cartazes anti-drogas O Banco do Brasil promoveu um concurso de cartazes anti-drogas, onde os alunos deveriam fazer desenhos retratando os benefícios da vida sem as drogas. Através do tema "VIVA MELHOR SEM DROGAS", os professoThays e Sandi Elen, durante almoço na AABB, onde foram res desenvolveram um entregues os prêmios. trabalho de conscientização, pesquisa e debate. Em seguida, cada aluno fez o desenho que melhor representasse o tema. As alunas ThaY Alves Domingos da profª Anna Carolina e Sandi Elen Almeida da Cunha da profª Daniela, ambas do 5º ano, foram as vencedoras e como prêmio receberam R$100,00 (1º lugar) e R$70,00(2º lugar). A entrega dos prêmios aconteceu na sede da AABB de Junqueirópolis, no dia 19 de maio, durante almoço de comemoração ao dia das mães. Veja as vencedoras e seus cartazes.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Cartaz da aluna Thays da profª Anna Carolina.

1º Encontro com pais da Escola Jair Luiz da Silva de Junqueirópolis No dia 26 de abril aconteceu o 1º Encontro com os pais dos alunos do 2º ano da Escola Municipal Prof. Jair Luiz da Silva, ministrado pela psicóloga Eliana Marcelino Rodrigues Biagi. O tema Convivência Familiar, abordado durante o encontro, trouxe esclarecimentos aos pais, que compareceram de forma expressiva. Segundo a psicóloga Eliana, esse trabalho visa, dentre outras coisas, aproximar os pais da escola, refletir sobre as novas organizações familiares e seu relacionamento, bem como o papel dos pais na educação dos filhos, além de compreender a importância do limite, através do afeto e do diálogo. Outros encontros aconteceram em datas posteriores com outros anos escolares. O objetivo é que todos os pais tenham a oportunidade de participar dessa palestra, firmando a parceria que a escola deve ter com a família.

Cartaz da Aluna Sandi Elen da profª Daniela.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Reunião de Pais e Mestres A escola Jair realizou no dia 14 de maio a primeira reunião de pais e Mestres do ano letivo. Na oportunidade, os pais tiveram um contato direto com os professores de seus filhos, onde puderam tomar conhecimento do trabalho que está sendo desenvolvido em sala de aula e do aproveitamento do conteúdo por seus filhos. A participação da família nessas reuniões é de suma importância para o sucesso das crianças, contribuindo para que elas se sintam importantes e amadas pelos pais.


Centro Educacional Infantil “Cristo Redentor” Brincadeira uma linguagem natural da criança Brincadeira é uma linguagem natural da criança, por isso, deve estar presente no seu dia-adia. É através das atividades lúdicas que as crianças sentem-se livres para expressarem seus sentimentos, seus pensamentos e a percepção das coisas. Ao participar de uma brincadeira junto a elas, os adultos entram no seu mundo sem invadi-lo e proporcionam momentos riquíssimos de aprendizagem, além de poder ajudá-las em seus conflitos emocionais. A atividade com blocos de montar tem como objetivo que as crianças aprendam as cores e formas, ao mesmo tempo desenvolvendo a criatividade e a coordenação motora. Nesta fase, é importante propiciar à criança a visualização, exploração, contato e manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores e formas. Desenvolve também as percepções visuais, auditivas e táteis. Para que a criança aprenda ela precisa interagir com o objeto de ensino. EDUCADORA: ROSELI

o5

Mamãe querida O mês de maio é um mês especial. É o mês da MAMÃE. Aproveitando esta data tão especial, a educadora Cleunice confeccionou com seus pequenos um lindo "maxi" colar de presente. As crianças ficaram muito ansiosas para terminar e entregar logo o presente. Para a confecção foram utilizados materiais como: retalhos de EVA colorido, fio prateado, lantejoulas em forma de coração e flor e cola. Cada criança escolheu o EVA e a lantejoula de sua preferência e foi montando o colar com o fio prateado. Depois de prontos os colares, cada um foi embalado em caixas rosa feitas de cartolina e adornado com um laço de fita também na cor rosa. O objetivo com essa atividade foi desenvolver habilidades de coordenação motora fina, cálculos matemáticos, percepção visual, atenção e concentração, afetividade e aprender cores. As crianças ficaram eufóricas para entregar logo a lembrancinha pras mães, inventavam até histórias de como entregariam. MÃES tudo o que seus filhos fazem, falam e pensam, é em função da família que tem. Valorizem muito cada momento vivido, sonhado, partilhado com eles, pois felizmente nós educadoras participamos da vida deles também e valorizamos cada gesto vivenciado junto deles. Eu, educadora Maria Cleunice Olivier juntamente com meus alunos, desejamos a todas as mães um "Feliz dias das Mães!!!!!" EDUCADORA: MARIA CLEUNICE

Descobrindo as Cores e Formas As crianças aprendem brincando... descobrem um mundo que está a sua volta a partir da curiosidade, da observação e de perguntas... muitas perguntas! O que é isso? Porque é assim e não do outro jeito? E muitas vezes nós somos surpreendidos com a inteligência, a simplicidade e a facilidade que eles têm de assimilar as coisas. Muitas vezes nós, professores e educadores, ensinamos algo, contamos histórias, realizamos atividades variadas e naquele momento parece que não conseguimos alcançar o nosso objetivo... Como nós "subestimamos" as crianças! Elas entendem muito mais, vão além e nos mostram isso às vezes naquele momento, mas geralmente nós somos "pegos de surpresa" quando menos esperamos escutamos uma frase como: olha professora o que eu fiz! É o cavalo da história que você contou! O peixe do rio! O triângulo que você mostrou!... e ele é dessa cor (vermelho,amarelo, azul...), etc... Então "nós", percebemos que aquilo que havia sido falado, ensinado, através de uma atividade direcionada, ou mesmo de uma história, foi assimilado sim e até mais do que era esperado! Nós devemos apenas aprender a esperar, e isso é o que as crianças nos ensinam diariamente. Esperar o momento deles, e o que nós estamos plantando hoje, nós iremos colher amanhã!

Esses são alguns resultados da aprendizagem diária das crianças, fruto da imaginação, da observação, da repetição, da criatividade que eles têm quando desenvolvemos algum trabalho direcionado como, por exemplo, o que estamos trabalhando a todo o momento (as cores, as formas, a imaginação, linguagem oral ( através de histórias, conversas) etc... Eles demonstram por meio do lúdico, tudo aquilo que percebem e atendem no dia-a-dia; é brincando que nós visualizamos as habilidades que cada um tem. EDUCADORA: KELLI


Junqueirópolis Maio de 2.013

Educação em Ação

06

Centro Educacional Infantil “Sonho de Criança” Produção artística para a mamãe! Embasada nos objetivos do Referencial Curricular Infantil que propõe oportunizar à criança a exploração de movimentos gestuais gráficos, manipulação de materiais com diferentes texturas e o desenvolvimento do gosto e respeito por sua criação, a Educadora Elisabete aproveitou sua rotina para lembrar o carinho a ser dedicado às mães. Assim, foi proposto às crianças pintura em um coração de cartolina usando tinta guache vermelha e esponja de espuma, desenvolvendo a coordenação motora fina, orientação de espaço, noção de textura e principalmente a utilização da cor vermelha. As crianças amaram a realização desta atividade e para dar significado à produção artística realizada presentearam a mamãe com esta criação, fazendo a entrega no dia da reunião para homenageá-la. Educadora Elisabete

Jogo da memória em ação! Os jogos realizados no CEI tendem a provocar a comunicação entre os alunos, fazendo com que se sintam mais à vontade no ambiente escolar, pois segundo Lopes(1998) é mais fácil aprender por meio de jogos, e também, segundo Vigotsky a criança que manuseia jogos desde cedo de forma lúdica é um ser mais feliz e está apto a se desenvolver de forma criativa. Assim, a atividade com jogo de memória foi proposto para as crianças do Pré em duas etapas, primeiro apresentamos as peças e logo após as crianças memorizam as mesmas. O principal ponto, no inicio, é que as regras fossem compreendidas e que todos se adaptem a elas. Esperar a vez é uma das determinações mais difíceis de cumprir. A primeira satisfação da criança é sentir-se ativa e participante. O jogo tem como objetivo trabalhar a memorização, identificação de figuras, estabelecimentos do conceito igual/diferente e orientação espacial. As crianças nesta atividade brincam e se divertem ao mesmo tempo que estão construindo sua personalidade e compreendendo o mundo a qual faz parte. Educadora Daiane

Aprendendo a coordenar os movimentos

Com o objetivo de melhorar o controle psicomotor das crianças, fazê-las descobrirem suas capacidades e limitações, ensiná-las a manter o equilíbrio, ajudá-las a perceber as distâncias e aumentar o dinamismo, foi proposto às crianças do Berçário II uma atividade dinâmica, pois nesta faixa etária (dos 12 aos 24 meses) a criança está se descobrindo e ao ser desafiada ela reage buscando ir além de suas limitações. Para esta atividade foi disposto no chão bambolês com uma placa de EVA no centro, e estimulamos as crianças a pularem de um bambolê para outro sem tirá-lo do lugar. Surpreendemos-nos muito com a capacidade de compreensão das crianças na realização das ações propostas, pois a maioria conseguiu realizar. Foi um momento prazeroso e satisfatório, pois conseguimos envolver as crianças. Segundo o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil, quanto mais rico e desafiador for o ambiente, mais ele possibilitará a ampliação de conhecimentos acerca de si mesmos, dos outros e do meio em que vivem. Educadoras Lucilene e Andressa

Aprendizagem dos bebês no brincar!

O Berçário I vem realizando inúmeras atividades na perspectiva de propiciar momentos de prazer e aprendizagem aos bebês de 4 a 18 meses de idade, pois o brincar está relacionado aos aspectos cognitivo, social e intelectual dando suporte e parâmetros à aprendizagem, desenvolvendo a criatividade, a coordenação motora, a imaginação e as diversas habilidades trabalhadas na criança. Neste contexto, foi realizada uma atividade com bambolês, organizados verticalmente ao solo e presos em sequência formando um túnel, onde os bebês tiveram a oportunidade de explorar diversas formas, como passar por dentro, passar nas laterais, puxar e vencer o desafio de atravessar. Essa atividade proporcionou desafios, trabalhou a lateralidade, o espaço e a socialização estabelecendo relações afetivas. Educadoras: Sonia e Miriam


Junqueirópolis Maio de 2.013

Educação em Ação

07

Centro Educacional Infantil “Criança Feliz” Educação, Saúde e Família: Uma parceria que dá certo No dia 19 de Abril o Centro Educacional Infantil Criança Feliz em parceira com a Secretaria de Saúde, ofereceu a vacina da gripe para todos os alunos matriculados, sendo que os mesmos necessitavam apresentar sua carteirinha de vacinação junto com os pais ou responsáveis. A ação visa tanto à prevenção quanto o tratamento e o diagnóstico precoce dos tipos de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir o número de hospitalizações por pneumonias bem como a mortalidade por complicações da influenza, uma vez que, o objetivo da campanha não é eliminar a doença, mas prevenir e reduzir os casos graves e outras complicações. A Coordenadora Terezinha Linhares Trevisan e funcionários agradecem a disponibilidade, atenção e prontidão da Saúde que estão sempre disponíveis para atender as solicitações que enfoquem as necessidades que surgem no decorrer do ano letivo, assim como a presença dos pais e responsáveis que ali marcaram presença e contribuíram para mais uma Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, e foi um sucesso. Ressalta-se que a família e a escola formam uma equipe. É fundamental que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir, pois cada uma deve fazer sua parte para que alcance o caminho do sucesso, que visa priorizar a saúde e o bem estar de todas as crianças.

Contar e recontar histórias Contar e ouvir histórias são atividades comuns na rotina das crianças e um espaço privilegiado para a promoção do desenvolvimento e da aprendizagem. As histórias colocam as crianças em contato com a realidade mágica. Uma atividade que pode oferecer oportunidades de Linguagem Oral é a "Roda da História", além disso, a Roda da História proporciona o prazer pela leitura fazendo com que as crianças construam espontaneamente o hábito de ler. Quando uma criança ouve a leitura de uma história, assimila funções sintáticas da língua, além de aumentar seu vocabulário. Porém, aquele que lê a história deve dominar a arte de contá-la, estar preparado suficientemente para fazê-lo com apoio no texto, sabendo utilizar o livro como acessório integrado à técnica da voz e do gesto. Nesse sentido, as educadoras do maternal III e IV resolveram fazer um momento de leitura diferente onde uma de suas alunas foi a contadora de história do dia. Ao recontar história a criança desenvolve uma estrutura de linguagem interna mais sofisticada do que a usada no cotidiano. Por isso é muito importante montar estratégias para que a criança seja orientada a recontar, pois isso auxilia a prestar atenção nos elementos importantes: cenário, personagens, questionamentos e músicas desenvolvendo desenvoltura, imaginação e criatividade. Veja na foto a aluna Ana Julia da Silva Rocha contando história a seus amiguinhos Educadoras: Lilian e Monica Aparecida

Brincadeiras de roda

Desde o nascimento o ser humano se compõe em um completo sistema corpóreo, em que está por desvendar. E inicialmente, isso ocorre intensamente, nos seis primeiros anos de vida, a capacidade de aprendizaA sala de aula é um gem e evolução cognitiva, espaço onde as crian- afetiva, motora e social é inças passam uma boa tensa. parte de seu tempo. NesPor isso, é muito imporse sentindo, o CEI deve tante deixar que as crianças favorecer um ambiente se movimentem cada vez mais para que dessa forma obtenham um maior agradável onde as crian- controle sobre seu próprio corpo apropriando-se das possibilidades de ças se sintam protegidas interação com o mundo. e acolhidas, e ao mesmo As crianças engatinham, caminham, manuseiam objetos, correm, saltempo seguras para se tam, brincam sozinhas ou em grupo, com objetos ou brinquedos, experimenarriscar e vencer desa- tando sempre novas maneiras de utilizar seu corpo e seu movimento. Ao fios. De acordo com o movimentarem-se, as crianças expressam sentimentos, emoções e pensaRCNEI (1998), quanto mentos, ampliando as possibilidades do uso significativo de gestos e postumais rico e desafiador for ras corporais. O movimento humano, portanto, é mais do que simples desloesse ambiente, mais ele lhes possibilitará a ampliação de conhecimento camento do corpo no espaço: constitui-se em uma linguagem que permitem acerca de si mesma, dos outros e do meio em que vivem. às crianças agirem sobre o meio físico e atuarem sobre o ambiente humano, Portanto é preciso proporcionar diversas situações de brincadeiras e mobilizando as pessoas por meio de seu teor expressivo. (RECNEI, 1998). aprendizagens as crianças, para que através das vivencias e das trocas, Neste enredo, as crianças das Educadoras: Renata e Tatiana particiestas se desenvolvam integralmente. pam de brincadeiras de roda e de danças circulares como "A galinha do Os alunos do Pré I da Educadora Carina brincaram e aprenderam bas- vizinho" e "Ciranda, cirandinha", favorecendo o desenvolvimento da noção tante com os alinhavos dos numerais. Esta atividade tem como objetivo de ritmo individual e coletivo, introduzindo as crianças em movimentos ineestimular a coordenação viso motora, a direcionalidade, concentração, psi- rentes à dança. Brincadeiras tradicionais como "A linda Rosa Juvenil", na comotricidade e noções matemáticas importantes para a construção da qual a cada verso corresponde um gesto, proporcionam também a oportuideia de número e contagem oral. nidade de descobrir e explorar movimentos ajustados a um ritmo, conserSegundo Zanhuchi (2005), quando brinca, a criança prepara-se para a vando fortemente a possibilidade de expressar emoções. vida, pois é através da atividade lúdica que ela passa a ter contato com o As crianças se divertem muito, onde requebram também conforme a mundo físico e social, e a partir daí começa a compreender como são e cultura da qual fazem parte, aprendendo conteúdos ditos escolares de como funcionam as coisas. maneira lúdica, crescendo de maneira integral. Educadora Carina Educadoras: Renata e Tatiana

Aprender brincando


Centro Educacional Infantil “Nosso Teto”

o8

Educação e Saúde, a parceria que dá certo O governo federal está desenvolvendo um projeto de parceria entre Educação e Saúde nas escolas públicas, promovendo a atenção e os cuidados com a visão, prevenindo a obesidade, estimulando a prática de atividades físicas, além de alertar sobre os riscos e danos do uso de drogas, entre outras doenças. As escolas inscritas desenvolverão ações do programa Saúde na Escola em suas unidades, para que seus objetivos sejam atingidos, cada uma no aspecto pertinente à sua realidade. As escolas e CEIs de nosso município estão inscritas no programa e já receberam material de apoio para que desenvolvam essas ações voltadas ao tema, como uma cartilha com orientações sobre o programa, cartazes de divulgação nas instituições em locais visíveis a todos que as frequentam, revistas de educação, entre outros, para que cada educador realize com seus alunos, desde a conscientização através da oralidade, falando na roda da conversa sobre o assunto, até no desenvolvimento de atividades voltadas para esse aprendizado, como as brincadeiras que movimentam o corpo e estimulam a mente, entre outras. Com base em todas essas informações, planejei e realizei com as crianças o preparo de uma salada de frutas, que depois de pronta, foi servida no lanche da tarde a todas as crianças do CEl. Houve colaboração da coordenadora Lídia ao fazer o pedido das frutas, da nutricionista Ivone que permitiu a introdução da salada excepcionalmente aquele dia no

cardápio, além do carinho e dedicação das merendeiras Érica e Amélia ajudando a fazer a salada. As crianças foram orientadas a fazer a higienização das mãos para que pudessem manipular as frutas, além de todas usar a touca, uma atitude saudável e educativa; com a ajuda das merendeiras, as frutas foram picadas pelas crianças e por mim e enquanto picavam as frutas, além do aprendizado sobre alimentação saudável, pois muitas crianças mostram resistência para comer frutas, legumes, verduras, etc, puderam identificar cores das mesmas, aprender noções de quantidade, higiene na manipulação de alimentos, e ao servir a salada, tiveram prazer em saborear o alimento preparado por eles, que ficou uma delícia! Definitivamente, saúde e educação andam juntas. Não basta educar apenas para aprender ler e escrever, mas educar também para a saúde para a vida. Dados da Embrapa ( Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em 2006, comprovaram que 26 milhões de comida ao ano são perdidas no Brasil; Consumo consciente dos alimentos é saudável e educativo. EDUCADORA Rosânia

Vivenciando o mundo do Faz de Contas

Falando das Emoções

No faz de conta a criança vive e revive situações que lhe causaram alegria, medo, tristeza e ansiedades, dando-lhe a oportunidade de expressar e trabalhar de forma mágica estes sentimentos e emoções , podendo compreendê-los e reorganizá-los. Esta fantasia leva a criança para um mundo que lhe dá possibilidade de vivenciar aventuras estimulando desta forma a sua criatividade e imaginação. No faz de conta brincar é uma verdade, é uma atitude frente à realidade, é uma ação em que a criança toma conta, se envolve no tempo e no espaço, transformando cada brinquedo ou brincadeira em um recurso de aprendizagem. Nas brincadeiras elas alimentam o espírito imaginativo e exploratório. Cabe a nós, pais e educadores, estimularmos e motivarmos a criança para este exercício de desenvolvimento, promovendo interação, vínculos afetivos e de respeito ao outro, através da brincadeira, uso de materiais e objetos coletivamente. É necessário, também, deixá-los reconhecer a imagem do seu próprio corpo e dos amigos ao olharem-se no espelho, ajudar a criança refletir sobre ela mesma elevando a sua autoestima, promover experiências de auto cuidado, instigar a expressão oral e corporal por meio das narrativas e imitação promovidas durante a brincadeira, respeitando principalmente o seu ritmo e sua imaginação. Educadoras Roseli e Sandra

Se procurarmos o significado de emoção, iremos encontrar a seguinte descrição: Abalo moral ou afetivo; perturbação, geralmente passageira, provocada por algum fato que afeta o nosso espírito (boa ou má notícia, surpresa, perigo). Na infância as emoções ainda não estão definidas para as crianças, portanto elas não sabem reconhecer o que é o medo, a raiva, o impulso, etc. Este processo de aprender a reconhecer as emoções, muitas vezes não estão presentes nem mesmo em nós adultos, o que chamamos de autocontrole emocional. Levando em consideração que cada educadora convive diariamente com várias emoções, tanto dos alunos como de si própria, resolvemos trabalhar com esse assunto tão delicado, tendo como objetivo o desenvolvimento emocional das crianças, a interação entre aluno/aluno e aluno/educadora e a solucionar por ventura, os problemas de comportamento que surgirem. Foi apresentado para a turma um novo amigo (boneco), o João Sorrisão, esse amigo irá nos ajudar a falar de nossas emoções, colamos em pregadores algumas carinhas expressando algumas emoções, como alegria, tristeza e medo, cada criança poderá escolher a carinha que expressa a emoção que esta sentindo naquele momento, após cada um ter pego sua carinha, uma a uma irá ate o João e colocará o pregador na parte superior da sua cabeça e irá expor para a turma o por quê daquela emoção naquele momento, lembrando que se a criança não se sentir a vontade em falar para toda turma ela poderá se manter em silencio, após todos terem falado, a educadora faz uma socialização geral com a turma. EDUCADORA PATRÍCIA BONAMIN


E.M. Profª Neyde Macedo Brandão Fernandes Cidadania- alunos visitam a lagoa de tratamento No último dia 09/05/13, os alunos do 5º ano da professora Solange realizaram uma visita a Lagoa de tratamento de Junqueirópolis, com objetivo de reforçar o trabalho em sala de aula, sobre o tema "Água". Os alunos observaram o local e explicações realizadas pelo responsável do setor Sr. Luis. Após realizaram uma produção onde relataram os conhecimentos adquiridos, e como fechamento foi realizado um debate em sala de aula. Os alunos do 3ºano da professora Tábita, estão desenvolvendo um projeto didático chamado "Quem reescreve um conto, aprende um tanto!". O projeto teve inicio nesse 2º bimestre e os alunos já estão totalmente envolvidos com a magia dos contos tradicionais. O primeiro conto escolhido foi "Os três porquinhos". Os alunos já estão reescrevendo o conto em duplas, mas para tanto, fizeram várias leituras e análises. A seguir está a 3ª etapa do projeto: Etapa 3A: Produção oral com destino escrito (os alunos ditam e a professora escreve)

Os três porquinhos Era uma vez três porquinhos que moravam felizes com a mãe. Certo dia, a mãe chamou os porquinhos e lhes disse: __ Vocês já são grandes o suficiente para morarem sozinhos! E cada um recebeu sua parte da herança e seguiu seu caminho. O primeiro porquinho construiu sua casa de palha, porque era muito preguiçoso. O segundo porquinho, também preguiçoso, só queria brincar com o primeiro porquinho, então resolveu construir sua casa de madeira. Já o terceiro porquinho, que era muito trabalhador, construiu sua casa com tijolos e cimento. O lobo mau rondava ali por perto e estava faminto, sua comida favorita era porquinho assado, por isso foi bater na porta do primeiro porquinho, e ordenou: __ Abra a porta, senão eu vou soprar! O porquinho não abriu, o lobo soprou, e a casa de palha se desfez. Em seguida o porquinho correu para a casa do segundo irmão. O lobo foi atrás dele e também derrubou a casa de madeira. Assim os dois porquinhos correram para a casa do terceiro irmão. O terceiro porquinho acolheu seus irmãos, e o lobo chegou em seguida, mas não conseguiu derrubar a casinha com seu sopro. Em seguida subiu no telhado e desceu pela chaminé, mas teve uma surpresa, queimou o rabo no caldeirão de sopa, e fugiu com muita dor para nunca mais voltar. Assim os dois porquinhos aprenderam a deixar preguiça de lado e fazer suas casas com tijolo e cimento.

o9

Com o objetivo de favorecer a apropriação da leitura de texto literário como momento prazeroso, os alunos do 2º ano da Profº Denise desenvolveram atividades com o conto João e Maria (recontaram, interpretaram e reescreveram). Para finalizar confeccionariam a casinha de doces, onde João e Maria ficaram presos. Foi um momento de envolvimento de todos, no qual a leitura tornou-se significativa por meio das diferentes formas trabalhadas com os alunos e os mesmos puderam dar vida e forma a sua imaginação enquanto produziram a casa de doces.

Conto João e Maria (Reescrita - Aluna Brenda) Em uma cabana havia uma família muito pobre. E nesta cabana morava um lenhador, a madrasta e dois filhos, que se chamavam João e Maria que eram do primeiro casamento. Disse o lenhador José: _ As coisas em casa estão bem apertadas! Assim vamos morrer de fome e as crianças serão as primeiras. A madrasta Natália sugeriu que os abandonassem na floresta. No aposento ao lado João e Maria escutaram tudo, Maria começou a chorar. João ficou tranqüilo, saiu da cabana e pegou várias pedrinhas que brilhavam ao clarão da lua. Ao amanhecer a Nati falou: _ Vamos apanhar lenha. As crianças atrás e o José e Nati a frente. Quando chegaram na floresta foram abandonados, adormeceram e depois de quatro horas eles acordaram já era 7:00 horas foram seguindo as pedras e chegaram a sua casa. A madrasta ficou furiosa. - Como? Disse a Nati. A Nati resolveu abandoná-los de novo! E foi exatamente o que aconteceu dessa vez, João e Maria escutaram, e João foi pegar mais pedras, mas Nati tinha trancado a porta. - E agora? No dia seguinte foram abandonados e dessa vez João espalhou todo seu pão e o da Irma fazendo uma trilha. Quando chegou a floresta foram abandonados e dessa vez os pássaros comeram tudo. Um pássaro que voava em cima os convidava para irem a um lugar. Quando viram era uma casa cheia de doces, o telhado de chocolate com as paredes de bolo e as janelas de jujuba, Maria foi enchendo a boca de bolo. - Quem esta mordendo minhas paredes? -É o saci perere? Disse as crianças, nada assustadas. De dentro da casa saiu uma velha horrorosa, toda desdentada e chamou-lhes para entrar. _ Vou preparar uma jantinha, depois de comerem bastante foram dormir. Mal sabiam eles que a velha era uma bruxa. De madrugada a bruxa pegou João e levou ao porão, de manhã Maria acordou viu seu irmão preso. Todos os dias a bruxa ia ver se João estava engordando e pedia para ver seu dedo, João estendia um ossinho de galinha e ela falou: - Você ainda estava muito magro. A bruxa resolveu comer João mesmo assim. A velha falou para Maria que ia assar o pão,mas ia fazer um belo assado de João. Pediu para Maria ver se o forno estava bom e Maria perguntou: - Como se entra no forno? - Você é mesmo uma boba e enfiou a bruxa para dentro do forno. Maria correu e soltou o irmão. Revistaram a casa e encontraram várias pedras preciosas e saíram correndo. Encontraram um rio, pensaram: - Como vamos atravessar este rio? Então apareceu um lindo cisne, João subiu na costa dele e mandou Maria fazer o mesmo. - Não vamos cansar demais o bichinho. Disse Maria. - Um de cada vez. Então atravessaram o rio e começaram a reconhecer os lugares, então acharam a cabana deles e correram para os braços do pai. A madrasta já havia falecido. João tirou várias pedras preciosas do bolso e Maria desamarrou o avental deixando cair uma chuva de pedras preciosas. E viveram felizes para sempre.


Junqueirópolis Maio de 2.013

Educação em Ação

10

E.M. Profª Neyde Macedo Brandão Fernandes Os alunos do 1º ano da professora Josiane, nas aulas de matemática, utiliza-se de jogos, é uma forma lúdica de aprender os conhecimentos matemáticos geralmente tão complexos. Com os jogos os alunos criam estratégias e desenvolvem o raciocínio e as habilidades matemáticas correlacionadas às operações, números, representações. Além dos conceitos matemáticos, eles aprendem a respeitar regras, a lidar com frustrações (perder ou ganhar), interagir socialmente e a cooperatividade.

Afetividade A Professora Laurice da pré-escola desenvolveu com seus alunos uma atividade significativa visando o desenvolvimento afetivo e para isso utilizou-se das cores e do momento que antecedeu o dia mães. Os alunos escolheram as cores, carimbaram as mãos no color set para que este se transformasse em um coração que representaria o amor por suas mães. Ainda com esta motivação os alunos criaram flores copos de leite de EVA utilizando a mão como forma e puderam presentear as mães, tias, avós que são as mulheres de suas vidas.

Educação Física

A Professora Poliana desenvolveu nas aulas de Educação Física dos 1º anos a brincadeira "Coelhinho sai da toca", que é uma das atividades que integra o Projeto Brincadeiras do livro Ler e Escrever utilizado nas salas de aula, trabalhando a interdisciplinaridade de forma prazerosa e com o objetivo de alcançar um melhor resultado na aprendizagem dos alunos.

Carta do leitor Todos os anos as Escolas Municipais trabalham com cartas do leitor, que são cartas enviadas a editores de jornais e revistas comentando e opinando sobre as matérias públicas.A Professora Formadora Sidinéia Favareto com o objetivo de auxiliar o desenvolvimento das atividades em sala propôs as Coordenadoras Pedagógicas e ao jornalista Fernando Ramos que os Jornais Educação em Ação e A Notícia publicassem as cartas dos leitores escritas pelos alunos com suas Professoras. As Professoras adoraram a idéia de ver as cartas publicadas e para iniciar este novo Projeto foram realizadas palestras com os alunos que puderam participar ativamente por meio de perguntas.

Pais na Escola No dia 09 de maio foi realizada a primeira reunião de pais deste ano letivo, tendo em vista que no mês de maio é comemorado o dia das mães, o Projeto Guri fez uma apresentação e em seguida os responsáveis foram recebidos nas salas de aula pelas professoras onde puderam verificar o rendimento escolar das crianças, receberam orientações e explicações acerca do desenvolvimento escolar e das progressões de aprendizagem. Aproveitando a oportunidade as professoras informaram ao responsáveis os eventos que estarão sendo realizados pelos alunos durante o ano - Feira de Ciência e Leitura, Excursões, Palestras, Reuniões, Sarej, Saresp, dentre outros eventos.

Convivência Familiar Durante o mês de maio a Psicóloga Eliane Biagi e a Psicopedagoga Fernanda Leandro estão realizando encontros com os pais para falar sobre Convivência Familiar e esclarecer dúvidas com relação ao desenvolvimento afetivo e comportamental das crianças de acordo com suas faixas etárias e as influências dos meios sociais e de comunicação.


Junqueirópolis Maio de 2.013

Educação em Ação

11

E.M. Profª. Shigueko Oto Iwaki Trabalhando Gêneros Textuais

Os alunos do 4º ano, da Profª Solange, estão desenvolvendo um trabalho com diferentes gêneros textuais. Dentre eles, os instrucionais e narrativos. Após terem trabalhado o texto instrucional "O Barco", eles fizeram a dobradura e produziram uma narrativa sobre o mesmo. Esta atividade possibilitou o trabalho interdisciplinar envolvendo os conteúdos de Matemática, Artes e Língua Portuguesa.

Montando Sólidos Geométricos Os alunos dos 2º anos das professoras Ana Cláudia, Fabiana e Delza desenvolveram o projeto de montagem de alguns sólidos geométricos, atividade proposta no livro didático de matemática. Trouxeram materiais como: caixa, embalagem de creme dental e outros objetos que se assemelham aos sólidos para enriquecer o trabalho desenvolvido. Com isso os alunos puderam conhecer e construir os sólidos a partir de materiais que fazem parte do cotidiano deles.

Minha viagem de barco Você já viajou de barco? Eu já!!!! Eu e minha família. Vou contar como foi... Estávamos no nosso pequeno barco, pescando tranquilamente, quando começou uma tempestade que não parava mais, o barco balançava muito, ia para um lado, ia pro outro e não conseguíamos segurá-lo. Avistamos uma pequena ilha e fomos para lá. Passamos a noite lá, com medo de sermos atacados por algum animal feroz, de manhã a chuva já tinha parado e quando estávamos voltando para casa vimos peixes, golfinhos e muitos tubarões. Foi emocionante. Chegando em casa, contamos a todos a nossa aventura, tomamos um delicioso banho, sentamos na mesa de jantar e conversamos felizes... Aluna: Gabrielly Rodrigues Velosa

Reunião de Pais No dia 17 de Maio na Escola Shigueko aconteceu a 1ª Reunião de Pais, os pais puderam conversar com os professores sobre o rendimento escolar do seu filho. Esse momento é de extrema importância na parceria escola / família para garantir aos alunos uma escola de qualidade. Obrigado pais pelo gesto de amor e atenção para com seu filho (a). Parabéns!!!


12

E.M. Profª. Shigueko Oto Iwaki Projeto Político Pedagógico da Shigueko No dia 8 de Maio toda a escola parou para discutir o Projeto Político Pedagógico, a escola reuniu pais, professores, funcionários e equipe gestora para uma reflexão inicial sobre o significado e importância do PPP (Projeto Político Pedagógico). O Projeto Político Pedagógico é o principal documento da Escola, é a expressão da cultura da escola com sua (re) criação e desenvolvimento, pois expressa a cultura da escola, impregnada de crenças, valores, significados, modos de pensar e agir das pessoas que participaram da sua elaboração.

Momento Cívico Os alunos dos 5º anos das professoras Aline, Ana Paula e Cléria foram responsáveis pelo momento cívico do mês de Abril. As apresentações contemplaram todas as datas comemorativas do respectivo mês, com momentos de leituras, de dança com a coreografia da música "Ursinho Game" responsabilidade da professora Viviane da oficina de dança. Parabenizamos todos pela brilhante apresentação.

Entrevista com a Comunidade No dia 30 de Abril, os alunos dos 3º anos da Escola Shigueko com a professora Daniela da Oficina Hora da Leitura visitaram a Praça Álvaro de Oliveira Junqueira para uma entrevista com a comunidade sobre as profissões em comemoração ao dia 1º de Maio, Dia do Trabalho. Após as entrevistas foram feitas as discussões e análises dos resultados obtidos, aonde se chegou à conclusão que foram 381 entrevistados num total de 90 profissões diferentes. A pesquisa colaborou para desenvolver a leitura, a escrita, a socialização, o trabalho em grupo e o conhecimento das diferentes profissões desconhecidas por vários alunos. Parabéns professora e alunos!!!

Dinâmica Musical

Os alunos dos 1º, 2º e 3º anos da professora Jéssica da Oficina de Esportes desenvolveu durante suas aulas a dinâmica musical, movimentos ritmados para trabalhar habilidades motoras, coordenação, concentração e memorização através de danças lúdicas. Todos participaram com muita alegria...

Educação em Ação - Maio de 2013  

Informativo da Divisão Municipal de Educação de Junqueirópolis/SP - Edição de maio de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you