Page 1


“De facto, eram ambos relógios Breguet, extraordinariamente precisos, extraordinariamente resistentes (…).” Patrick O’Brian, “Blue at the Mizzen”, 1999


Marine Royale – Automático Alarme – 5847BR


Desde tempos remotos, a rotação da Lua é um dos maiores mistérios.

O famoso Disco Celeste de Nebra da Idade do Bronze é uma das representações do firmamento mais antigas que se conhecem: foi encontrada a menos de 200 km de Glashütte. © Repartição de Conservação de Monumentos e Arqueologia de Saxónia-Anhalt, Juraj Lipták

O

s nossos antepassados celebravam rituais complicados para medir o andamento do tempo através da rotação dos astros. Hoje, uma curta consulta do SAXONIA CALENDÁRIO ANUAL é suficiente para obter a hora exacta actual – desde

o segundo até ao estado da Lua, passando pela data e pelo dia da semana. Apesar desta variedade de complicações úteis, o mostrador está tão bem organizado que quase se esquece a refinada técnica que se esconde por trás: apenas uma Torres • Rua Aurea 253 – 255 • Lisboa


Nós resolvemo-lo, pelo menos para os próximos 122 anos.

vez por ano, no dia 1 de Março, se torna necessário corrigir a data grande patenteada. A correcção do indicador das fases da lua pode inclusivamente ser deixada às gerações futuras, uma vez que, partindo de um princípio aritmético, só dentro Tel. +351 213 47 27 53

de 122 anos é que ele precisa de uma correcção de um dia. Montar o movimento automático com 476 peças é o ritual complexo da moderna medição do tempo que os mestres-relojoeiros continuam a executar com uma precisão sem igual. www.lange-soehne.com


editorial

novo / new layout Por Paulo Torres

N

In the previous magazine we launched the bilingual version and in this edition we have renewed the format. We now have a more visual and impactful layout and believe we have found the right balance for the magazine. This edition also marks the start of fashion editorials featuring jewellery and watches and the return to the publication of interviews with various, interesting, famous personalities. In terms of watchmaking news, I highlight something that will leave no one indifferent – the new Rolex Sky Dweller. It’s the purest expression of perceived high quality in a watch whilst all the other aspects are emotional and irrational. Continuing with the Reverso Portuguese Art Project, which was started by my uncle Pedro Torres, we present the most recent edition by the painter Julião Sarmento. In an unprecedented partnership with Chopard, we invited a restrict group of clients for cocktails and a stand-up dinner, at an exhibition of the Swiss brand’s novelties, followed by a concert by José Carreras and a backstage visit to meet the Spanish tenor. From our portfolio of luxury brands, we have selected jewellery and other accessories for personal use both for the independent, glamorous woman as well as for the sophisticated, modern man. Wishing you a good read and a very enjoyable summer.

a revista anterior passámos a edição bilingue e neste número renovámos o formato. Temos um layout mais visual e impactante pelo que pensamos ter encontrado o equilíbrio da revista. Este número marca também o início das produções de moda com jóias e relógios e retoma a publicação de entrevistas às mais diversas e interessantes personalidades. Das novidades relojoeiras destaco aquela que não deixa ninguém indiferente - o novo Rolex Sky Dweller. Tratase da mais pura expressão de qualidade percebida num relógio, quando todos os outros aspectos são emocionais e irracionais. Dando continuidade ao projecto - Reverso Arte Portuguesa - iniciado pelo meu Tio, Pedro Torres, apresentamos a mais recente edição pela mão do Pintor Julião Sarmento. Numa parceria inédita com a marca Chopard convidámos um restrito grupo de clientes para um cocktail dinnatoire com exposição das novidades da marca Suíça a que se seguiu o espectáculo de José Carreras e visita aos bastidores para apresentação do Tenor espanhol. Do nosso portefólio de marcas de luxo seleccionámos jóias e acessórios de uso pessoal tanto para mulheres independentes e glamorosas como para homens sofisticados e modernos. Com votos de boa leitura desejo também uma prazerosa época de veraneio.

4


TO BREAK THE RULES, YOU MUST FIRST MASTER THEM. AN EVOLUTION OF THE RULE BREAKING AUDEMARS PIGUET ROYAL OAK LUXURY SPORTS WATCH, THE ROYAL OAK OFFSHORE POSSESSES A DRAMATIC AND PURPOSEFUL AESTHETIC THAT TURNS FUNCTIONAL ELEMENTS INTO ICONIC DESIGN FEATURES. AT 44 MILLIMETRES DIAMETER, THE OFFSHORE COMMANDS A UNIQUE PRESENCE, AND IS RESOLUTELY GEARED TOWARDS POWER AND PERFORMANCE. UNIQUELY, THOSE SURFACES MOST EXPOSED TO TRAUMA ARE EXECUTED IN HIGHLY INNOVATIVE MATERIALS. HERE THE SIGNATURE OCTAGONAL BEZEL AND PUSHPIECES ARE FORMED IN HIGH - DENSITY CERAMIC – SCRATCHPROOF AND SEVEN TIMES HARDER THAN STEEL.

ROYAL OAK OFFSHORE RE IN PINK GOLD AND CERAMIC. C. CHRONOGRAPH.

5www.audemarspiguet.com


sumário index

N.26

Director / Editor in Chief Paulo Torres Director Executivo / Executive Editor Rui Rocha (ruirocha@torres.pt) Colaboradores / Contribuitors Fernando Correia de Oliveira Miguel Seabra Rodrigo Moita Deus Rui Galopim de Carvalho Susana Lucena

Julho / July 2012

Tradução / Translation Janette Ramsay Design thisislove studio

Cartas do Leitor Miguel Seabra - O Céu é o Limite Rolex Cemtury Fernando C. Oliveira - Um Mundo composto de Mudança Chopard Susana Lucena - La Peregrina A. Lange & Söhne Jóias Torres Breguet Chaumet Jaeger-LeCoultre Presentes de Casamento Jaeger-LeCoultre Julião Sarmento Living Beauty - Editorial de Moda Audemars Piguet Entrevista - Mário Assis Ferreira No próximo Número H.Stern Montblanc Evento Boutique Rolex no C. Colombo Mimí Franck Muller Rodrigo M. Deus - A dúvida é noiva do saber Tag-Heuer Amor à primeira Vista Raymond Weil Tisento Porsche Design Hotel Pestana Palace Noivos 2012 Óscares 2012 Gran Prix de Monaco 2012 Rui Galopim de Carvalho - O Valor Dos Diamantes: Os 4 C’s Vivamarinha Caleidoscópio Exposição Chopard

08 10 14 18 20 26 31 34 38 40 44 46 48 50 54 66 70 79 80 82 84 86 88 90 92 96 98 100 102 104 106 108 110 113 116 118

Readers’ Letters The Sky is the limit Rolex

Fotografia / Photography Nian Canard, João Andrés, Nuno Correia Banco de imagem das marcas / Brand’s Image bank Impressão / Printing António Coelho Dias, S.A. Tiragem / Print Run 10.000 exemplares

Cemtury The World is made of Change Chopard La Peregrina A. Lange & Söhne Jóias Torres Breguet Chaumet Jaeger-LeCoultre Wedding Gifts Jaeger-LeCoultre Julião Sarmento Living Beauty - Fashion Editorial

Capa / Cover Fotografia / Photography: Nian Canard Modelo / Model: Ana Filipa (L’Agence) Torres Joalheiros reserva-se no direito de alterar os preços sem aviso prévio. Todos os preços mencionados correspondem às referências, salvo erro tipográfico, mas as imagens podem sofrer alterações. Torres Joalheiros reserves the right to change prices without prior notice. All prices shown correspond to the references, except in cases of typographical error, but the images are subject to change.

Audemars Piguet Interview - Mário Assis Ferreira Next Number H.Stern Montblanc Boutique Rolex at Colombo Shopping Centre Mimí Franck Muller Mistrust goes hand in hand with knowledge Tag-Heuer Love at first Sight Raymond Weil Tisento Porsche Design 2012 Bride and Groom Show Oscars 2012 Gran Prix Monaco 2012 The Value of Diamonds - The 4 C’s Vivamarinha Kaleidoscope Chopard Exhibition

Torres Rua Áurea 253/255, 1100-062 Lisboa [+351] 213 472 753 / torres@torres.pt Pimenta Rua Augusta 253/257, 1100-062 Lisboa [+351] 213 424 564 / geral@pimenta.pt Torres Colombo C. Colombo, Av. Lusíada Loja 0.130/132, 1500-391 Lisboa [+351] 217 167 000 / colombo@torres.pt Boutique Rolex C. Colombo, Av. Lusíada Loja 0.133, 1500-391 Lisboa [+351] 210 079 290 rolex.colombo@torres.pt Torres Cascais Rua Frederico Arouca 414, 2750-355 Cascais [+351] 214 830 977 / cascais@torres.pt Torres Cascaishopping Cascaishopping Loja 0.8/9, Estr. N 9 2645-543 Alcabideche [+351] 214 603 008 cascaishopping@torres.pt

www.torres.pt geral@torres.pt

6


cartas do leitor READERS’ LETTERS

porque são os rubis vermelhos? Why are rubies red?

deve dizer-se quartzo hialino ou cristal-de-rocha? Should one say hyaline quartz or rock crystal?

Denis Hayoun - Diode SA © Christie’s

Sr. / Mr. Martin Pedro, Parede Caro Leitor, A cor nos minerais tem origem diversa, não raras vezes devido a razões de composição química. O rubi é um corindo, mineral (óxido de alumínio) que quando quimicamente puro é incolor. Quando existem impurezas crómio, este fica cor-de-rosa (safira rosa) e, se a quantidade for suficiente, torna-se vermelho.

D. / Ms. Natércia Pimentel, Carregado Cara Leitora, Ambas as designações estão correctas, de acordo com a nomenclatura gemológica da CIBJO - Confederação Mundial de Joalharia. A primeira é, contudo, mais comum no mundo académico e a segunda no mercado joalheiro, mas ambas se referem à variedade incolor e transparente de quartzo.

Dear Reader, The colours of minerals have many different origins, often they are due to their chemical composition. The ruby is corundum, a mineral (aluminium oxide) that is colourless when chemically pure. When there are chromium impurities, it turns pink and when there is more of this impurity, it turns red.

Dear Reader, Both terms are correct according to the gemmology nomenclature of CIBJO – The World Jewellery Confederation. Nevertheless, the first one is used more commonly in the academic world and the second, in the jeweller’s market, both refer to the colourless and transparent quartz variety.

8


Torres Rua テ「rea 253/255, Lisboa | Pimenta Rua Augusta 253/257, Lisboa | Torres Colombo C. Colombo, Lisboa | Torres Cascais Rua Frederico Arouca 414, Cascais | Torres Cascaishopping Cascaishopping, Alcabideche

momentos brilhantes | brilliant moments

www.torres.pt


10


crónica chronicle

o céu é o limite

The Sky’s the limit rolex sky-dweller Por/By Miguel Seabra Imagens/Pictures: © Rolex, Jean Daniel Meyer

A Rolex granjeou fama por se cinjir ao essencial da relojoaria mecânica: mostrar o tempo do modo mais simples possível – mas também com a melhor qualidade possível. Rolex gained fame for having dedicated itself to the essential in mechanical watch-making: to show time in the simplest way possible – but also with the best quality possible.

Calibre 9001

J

á se sabe que a Rolex faz a apologia do essencial e descarta o supérfluo, previligiando a simplicidade tanto na vertente mecânica como estética em detrimento de complicações relojoeiras suplementares que podem afectar o rendimento de um relógio ou torná-lo mais vulnerável. Se bem que a manufactura genebrina tenha no seu historial calendários triplos associados a cronógrafos muito valorizados em leilões, há já várias décadas que tem mantido uma linha dura – refutando dotar os seus modelos de complexidades emblemáticas da alta relojoaria como o turbilhão, os calendários perpétuos ou as repetições minutos e grandes sonneries. A missão da Rolex é sobretudo transformar os seus relógios em instrumentos de uso diário que são fiáveis até nas circunstâncias mais extremas; é melhorar até à exaustão as características intrínsecas dos seus calibres mecânicos, a combinação entre caixa e bracelete, os índices de estanqueidade e legibilidade. E o seu catálogo só incluia pequenas complicações de grande utilidade para acompanhar nalguns modelos a indicação básica das horas, dos minutos e dos segundos: janela para a data e/ou dia da semana, segundo fuso horário, cronógrafo. A mais recente vedeta da colecção veio alterar ligeiramente esse cenário: o SkyDweller é um relógio dedicado ao viajante contemporâneo que quer ter no pulso um relógio Rolex que lhe dê algo mais mas que não deixe de representar a essência da marca. Patentes e Originalidade Denominado Oyster Perpetual Sky-Dweller, o mais recente protagonista da Rolex exala qualidade em todos os mais pequenos detalhes e está carregado de inovação ao mesmo tempo que mantém o perfil inconfundível da marca numa equilibrada caixa com 42 milímetros de diâmetro. A função de segundo fuso horário existia já sob a forma de ponteiro suplementar em modelos como o GMT-Master ou o Explorer II da linha Professional, mas no Sky-Dweller surge num disco integrado no mostrador e está associada a um calendário anual ajustado automaticamente consoante os meses de 30 ou 31 dias; a indicação do mês surge discretamente em pequenas janelas na orla do mostrador e o acerto das funções de calendário através da coroa é despoletado pela rotação de uma luneta canelada que não só facilita a tarefa como faz dispensar qualquer botão suplementar. No total, o original cocktail tecnológico do Sky-Dweller ostenta 14 patentes – cinco das quais exclusivas do modelo. É alimentado mecanicamente pelo novo calibre 9001 de corda automática desenvolvido e manufacturado nas instalações da Rolex em Genebra com a certificação de cronómetro (elevado grau de precisão atribuído pelo COSC) e 72 horas de reserva de marcha. E, noblesse oblige, está apenas disponível em metal precioso: ouro amarelo, ouro branco ou ouro rosa (numa liga própria

11


Miguel Seabra

da marca designada Everose). Prestígio e perfeição na simbiose entre a forma e a função: o Sky-Dweller é mais um grande relógio que personifica a essência da Rolex. It is well known that Rolex stands for what is essential and that it discards all that is superfluous, focusing on simplicity both in terms of the mechanics and aesthetics rather than watch-making complications that can affect the performance of a watch or make it more vulnerable. Whilst the manufacturer from Geneva has developed triple calendar chronographs in the past that are highly valued at auctions, it has maintained a hard line approach for various decades – refusing to equip its models with symbolic complexities such as the tourbillion, the perpetual calendar, the minute repeater and grande sonnerie. Rolex’s main mission is to transform its timepieces into instruments for everyday use that are reliable, even under the most extreme conditions; to improve, to a point of exhaustion, the intrinsic characteristics of its mechanical calibres, the combination between the case and bracelet, the water resistance and legibility. Its portfolio only included small but very useful complications that were added to the basic indications of hour, minutes and seconds: a window for date and/or day of the week, a second time zone and/or chronograph. However, the most recent star of the collection has slightly changed this scenario: the Sky-dweller is a watch especially dedicated to the modern traveller who wants to wear a Rolex with a little extra but that continues to represent the brand’s essence.

Patents and Originality Called the Oyster Perpetual Sky-Dweller, the most recent Rolex protagonist exudes high quality and is laden with innovation whilst it maintains the brand’s unmistakable profile in a balanced 42 mm diameter case. The second time zone function already existed with an extra hand in models such as the GMT-Master or the Explorer II professional models, but in the Sky-Dweller it appears as a ring on the dial and has an automatic adjusting annual calendar depending on whether the month has 30 or 31 days; months appear discretely in apertures positioned around the dial’s periphery and the calendar setting function of the crown is triggered by the rotation of a fluted bezel that not only makes the task easier but also avoids the need for an additional button. Overall, the original technological cocktail of the SkyDweller boasts 14 patents – five of which are exclusive to this model. With automatic winding 9001 calibre developed and manufactured in-house, with a certified chronometer (high level of precision attributed by COSC) and 72 hours power-reserve. And, as noblesse oblige, it is only available in precious metal versions: yellow, white or rose gold (in a proprietary alloy of the brand known as Everose). Prestige and perfect symbiosis between form and function: SkyDweller is yet another great timepiece that personifies the Rolex essence.

12


13


14


rolex yacht-master highlights destaques

Novidade | New

R

elógio do navegador por excelência, o Oyster Perpetual YACHT-MASTER de ROLESIUM 40mm aperfeiçoa as últimas inovações da Rolex em matéria de ergonomia, de conforto e de confiabilidade dos elementos da pulseira, do fecho e da luneta. Essa profunda renovação exalta a personalidade solidamente instalada de um modelo nobre, desportivo e elegante, criado em 1992, e que simboliza os laços privilegiados que unem a Rolex ao mundo da navegação a vela.

The essential sailing watch, the 40 mm ROLESIUM Oyster Perpetual YACHT-MASTER benefits from the latest Rolex innovations in terms of the ergonomics, comfort and reliability of the bracelet, clasp and bezel. This extensive update enriches the well-established personality of this sleek, sporty and distinguished model born in 1992. The YACHT-MASTER is a symbol of the privileged links Rolex enjoys with the world of sailing.

Caixa Tipo: OYSTER (monobloco média com fundo e coroa de rosca). Diâmetro: 40 mm. Material: ROLESIUM (associação de superliga de aço inoxidável 904L e de platina 950), acabamento polido. Fundo da caixa: Enroscado com caneluras Rolex. Luneta: Bidirecional giratória graduada 60 minutos em platina 950, acabamento fosco, graduação polida em relevo. Coroa: De rosca com sistema de tripla impermeabilidade TRIPLOCK. Protetores da coroa: Protetores forjados na caixa. Vidro: Safira sintética à prova de riscos. Lente de aumento: CYCLOPS (2,5 ×) sobre a data, tratamento antirreflexo duplo. Estanqueidade: 100 metros

Case Type: OYSTER (monobloc middle case, screw-down case back and winding crown). Diameter: 40 mm. Material: ROLESIUM (combination of 904L stainless steel superalloy and 950 platinum), polished finish. Case back: Screw-down with Rolex fluting. Bezel: Bidirectional rotatable 60-minute graduated in 950 platinum, sand-blasted finish, polished raised graduations. Winding crown: Screw-down, TRIPLOCK triple waterproofness system. Crown guard: Integral part of the middle case. Crystal: Scratch-resistant sapphire, CYCLOPS lens (2.5 ×) over the date, double anti-reflective coating. Waterproofness: 100 metres (330 feet).

Movimento Calibre: 3135, Manufactura Rolex; Mecânico de corda automática bidireccional por rotor PERPETUAL. Precisão: Certificação oficial de Cronômetro Suíço (COSC). Funções: Horas, minutos e segundos no centro; Data às 3 horas com mudança instantânea, ajuste rápido; Paragem dos segundos para ajuste preciso da hora. Oscilador: Frequência, 28.800 vibrações por hora (4 Hz); Espiral PARACHROM azul paramagnética; Curva terminal Breguet; Grande roda de balanço com movimento de inércia variável; Ajuste de alta precisão por meio de quatro parafusos MICROSTELLA de ouro; Ponte do balanço transversal. Número de rubis: 31 rubis. Reserva de corda: Cerca de 48 horas

Movement Calibre 3135 Manufacture Rolex Mechanical movement with bidirectional selfwinding via PERPETUAL rotor. Precision: Officially certified Swiss chronometer (COSC). Functions: Centre hour, minute and seconds hands Instantaneous date at 3 o’clock with rapid setting stop-seconds for precise time setting. Oscillator: Frequency, 28,800 beats/hour (4 Hz). Paramagnetic blue PARACHROM hairspring. Breguet overcoil. Large balance wheel with variable inertia. High-precision regulating via four gold MICROSTELLA nuts, Traversing balance bridge. Jewelling: 31 rubies. Power reserve: Approximately 48 hours.

Mostrador Cor: Azul, acabamento Sun. Marcadores de horas: Apliques CHROMALIGHT de alta legibilidade (luminescência de longa duração) de ouro branco 18 quilates. Ponteiros: Ponteiros CHROMALIGHT de ouro branco 18 quilates, ponteiro dos segundos vermelho. Pulseira Tipo: OYSTER (três fileiras), elos maciços. Material: Superliga de aço inoxidável 904L, elos centrais polidos, elos externos, acabamento acetinado e orlas polidas. Fecho: OYSTERLOCK, desdobrável com dispositivo de segurança, Sistema EASYLINK com extensão rápida de 5 mm.

Dial Colour: Blue, sunray finish. Hour markers: Highly legible CHROMALIGHT appliques (long-lasting luminescence) in 18 ct white gold. Hands: CHROMALIGHT hands in 18 ct white gold, red seconds hand. Bracelet Type: OYSTER, three-piece solid links. Material: 904L stainless steel superalloy, polished centre links, satin-finished outer links with polished edges. Clasp: Folding OYSTERLOCK safety clasp, EASYLINK 5 mm comfort extension link.

15


Yacht-Master Ref. 116622 - 78800 â‚Ź 9.650

16


Rolex

Day-Date II Ref. 218235-83215 € 31.300

Datejust Lady 31 Ref. 178341-72161 € 11.950

Rolex Deepsea Ref. 116660-98210 € 10.050

Milgauss Ref. 116400GV-72400 € 6.850

17

Cosmograph Daytona Ref. 116515LN € 23.950

Datejust II Ref. 116333-72213 € 9.700


destaques highlights

cemtury By TORRES

Ideais para ocasiões especiais, as jóias Cemtury deslumbram em cada momento. Ideal for special occasions, Cemtury jewellery dazzles at all times. Preços sob consulta. / Prices upon request.

18


19


crónica chronicle

um mundo composto de mudança the world is made of change

Entre Genebra e Basileia jogam-se todos os anos as tendências da relojoaria mundial. Num momento de cautelosa expectativa para uns, de euforia “asiática” para outros. It’s between Geneva and Basel that every year the world’s watchmaking tendencies are played out, at a time of cautious expectation for some and Asian euphoria for others. Por/By Fernando Correia de Oliveira Nos salões relojoeiros de Genebra e Basileia / At the watch salons of Geneva and Basel

O

ano relojoeiro internacional começa tradicionalmente com a realização do Salão Internacional de Alta Relojoaria, em Genebra. E este Janeiro não foi excepção. O SIHH, nome por que é conhecido, derivado do acrónimo francês, vai na sua 22ª edição e surgiu como uma reacção de um grupo do luxo, o Richemont Group àquilo que considerou na altura a falta de condições na histórica feira mundial do sector, que se realiza em Basileia. Essa “dissidência” foi ganhando peso ao longo dos anos, não pelo número de marcas envolvidas – nunca ultrapassaram as 20 e na edição deste ano estiveram 18 – mas porque essas marcas constituem um poderoso portefólio no que respeita à Alta Relojoaria. O SIHH é uma espécie de clube privado. Funciona durante uma semana nas instalações do Palexpo de Genebra, só se pode ter acesso a ele por convite e os melhores retalhistas do mundo vão lá para fazer as suas encomendas, em ambiente de grande luxo, exclusividade e sofisticação – o champanhe corre à vontade, as refeições servem de complemento aos negócios firmados – sem muito barulho, numa calma aparente. As noites são de agenda carregada de eventos, onde a “beautifull people” mundial marca presença e onde os negócios continuam… Na edição de 2012 o SIHH teve um aumento de assistência da ordem dos 10 por cento – mais de 13 mil visitantes, incluindo 1200 jornalistas. O enviado da Jóias de Família, que cobre há 20 anos o Salão, sentiu um ambiente geral de “calma e cautelosa confiança”. Os números de vendas de 2011 foram de recorde absoluto e, face às crises financeiras e economias estagnadas nos mercados maduros norte-americano, europeu e japonês, as marcas presentes no SIHH “apenas” desejavam que 2012 fosse tão bom como o ano anterior (especialmente puxado pela China, mas também pela Índia e por consumidores como os brasileiros, que compram muito no exterior). Quanto a produtos, não se pode falar de uma tendência clara no SIHH 2012. Por um lado, as marcas desenvolveram modelos de linhas mais simples, apelando ao acervo histórico de cada uma delas. Mas não abandonaram de todo a abordagem “bling bling” que dominou a “bolha relojoeira” da primeira década do século.

20


Fernando correia de oliveira

De qualquer modo, não apareceram novidades mecânicas, puramente relojoeiras, de grande impacto. Isto porque, disseram-nos alguns dos principais players, “a preocupação agora é produzir rápido, vender rápido e muito, ter stocks mínimos nos pontos de venda” e as Grandes Complicações relojoeiras são de produção limitada, demoram muito tempo a produzir e têm prazos de entrega de vários anos. Baselworld Não se pode fazer uma comparação entre o Salão de Genebra e a Baselworld, a maior feira de Relojoaria e Joalharia do mundo. A edição de 2012 ocorreu em Março, teve um número recorde de visitantes – 104.300, de mais de 100 países, entre eles 3.320 jornalistas, vindos de mais de 70 países. Embora se trate de uma feira profissional, dois dos dias da semana Baselworld são abertos ao público. A feira é, indiscutivelmente, o espelho do sector, com os seus 1.815 expositores. O ambiente na Baselworld 2012 era de completa euforia, contrastando com a cautela de Janeiro no SIHH. Aparentemente, as fábricas estão a produzir a todo o vapor… para a China. Observadores mais prudentes dizem-nos mesmo que essa dependência da indústria relojoeira do mercado chinês se está a tornar perigosa. De qualquer modo, e em mais de 40 anos de existência, 2013 será histórico para a feira de Basileia. Estreará novas instalações. A 25 de Abril do próximo ano abrirá as suas portas num ambiente que se quer mais sofisticado, numa “resposta” ao SIHH. As marcas vão fazer investimentos

A.Lange & Söhne Saxónia Extra-plano

Destaques: Novidades para 2012 Highlights: 2012 Novelties A.Lange & Söhne Valor relojoeiro sempre seguro, a marca de Glashütte conseguiu em duas décadas aquilo que muitas outras só obtiveram em séculos – entrar para o restrito grupo das manufacturas de Alta Relojoaria e… ficar lá. Lange 1 Tourbillon Perpetual Calendar. Calibre automático, da manufactura (L082.1), decorado e montado à mão. Platinas e pontes em prata, centro do micro-rotor em ouro, periferia em platina. Turbilhão, com sistema patenteado de paragem, calendário perpétuo, com grande data, dia da semana, mês e ano bissexto; indicação de dia/noite e de fases da lua. Caixa de 41,9 mm, em platina rosa, vidro de safira na frente e no verso. Mostrador em prata maciça. Ponteiros em ouro rosa rodiado. Limitado a 100 exemplares. Saxónia Extra-plano. O mais fino da marca. Calibre da manufactura (L093.1), de carga manual, decorado e montado à mão, platinas em prata. Caixa de 40 mm de diâmetro e 5,9 mm de espessura, em ouro branco. Mostrador em prata, ponteiros em ouro rodiado, vidro de safira na frente e no verso. Always a safe choice in terms of value, in just two decades the brand from Glashütte has managed to do something that others only achieved after centuries – to become part of the restrict group of Fine Watchmaking Manufacture…. And to stay there. Lange 1 Tourbillion Perpetual Calendar. Automatic calibre (L082.1), decorated and assembled by hand. Sliver plates and bridges, gold micro-rotor centre, platinum periphery. Tourbillion with patented stop seconds, perpetual calendar with outsize date, date-of-week, month and leapyear display; Day/night indicator and moon-phase display. 41.9 mm case in rose platinum, sapphire-crystal on the front and back. Solid silver dial. Hands in rhodium rose gold. Limited edition of 100. Saxonia Thin. The thinnest watch ever created by the brand. Manufacture calibre (L093.1), manually wound, hand-decorated and assembled, plates in silver. Case with a diameter of 40mm and 5.9mm high, in white gold. Silver dial, hands in rose gold, sapphire-crystal front and back.

A.Lange & Söhne Lange 1 Tourbillon Perpetual Calendar

21


crónica chronicle

Audemars Piguet Audemars Piguet Royal Oak Chronograph

O Royal Oak, um dos modelos mais significativos da história da relojoaria faz 40 anos. Concebido por Gerald Genta, foi apresentado na Feira de Basileia de 1972 – era o primeiro relógio desportivo, de uma manufactura de Alta Relojoaria, em aço, vendido ao preço de um em ouro. O ano de 2012 assiste a várias reedições e declinações dele. Este Royal Oak Chronograph tem caixa de 41 mm, em ouro rosa, com faces polidas e escovadas, mostrador com decoração “Grande Tapisserie”. Cronógrafo automático (calibre AP2385), com rotor em ouro. Há versões em aço. Já o Royal Oak extra-plano, com caixa de 39 mm, em aço, vem equipado com o calibre AP 2121, automático. Mostrador azul, com decoração “petit tapisserie”, com índices em ouro branco. Vidro de safira na frente e no verso, estanque até 50 metros.

Audemars Piguet Royal Oak extra-plano

The Royal Oak, one of the most important models in the history of watchmaking, celebrates its 40th anniversary. Designed by Gerald Genta, it was presented at the Basel fair in 1972 – it was the first sports watch to be made by a fine watchmaking manufacturer, in steel vendido ao preço de um and gold. In 2012, various re-editions and declinations of this model have been launched. This Royal Oak Chronograph has a 41mm case in rose gold with polished and brushed faces, a dial with “Grande Tapisserie” decoration. Automatic chronograph (calibre AP2385), with a gold rotor. Steel versions are also available. The Extra-Thin Royal Oak, with a 39 mm case in steel, comes equipped with automatic calibre AP 2121. With a blue face with “petit tapisserie”, decoration, with indexes in white gold. Sapphire crystal on the front and back, water resistant to 50 metres. Breguet O nome com mais peso na história relojoeira, ou não fosse directa herdeira daquele que consideram ser o melhor de entre os melhores, de todos os tempos – Abraham-Louis Breguet. O mundo das Grandes Complicações. Veja-se o Classique Chronometrie. Caixa de 41 mm, em ouro rosa, frente e verso em vidro de safira. Estanque até 30 metros. Mostrador em ouro prateado e guilloché à mão. Indicador de reserva de corda, às 5 horas; pequenos segundos às 6 horas; indicador de décimos de segundo à 1 hora, com ponteiro em silício. Calibre mecânico de alta frequência (10 Hz), de carga manual, autonomia para 60 horas. Escape e espiral em silício. O Heritage phase de lune dame, com caixa tonneau de 35 x 25 mm, em ouro rosa, com mostrador em madrepérola e anel prateado, é estanque até 30 metros. Indicação de fases de lua, num calibre automático, da manufactura (586L). Também disponível em ouro branco. The most important name in the history of watchmaking, the direct heir to the man considered the best among the very best, ever - Abraham-Louis Breguet. The world of Grand Complications. Let’s take a look at the Classique Chronometrie. 41 mm case in gold rose, front and back in sapphire crystal. Water resistant to 30 metres. Dial in silvered gold and handmade guilloche. Power reserve indicator at 5 o’clock; small seconds at 6 o’clock; silicon hand indicating tenths of a second at 1 o’clock. High frequency mechanic calibre (10 Hz), hand-wound, 60-hour power-reserve. Silicon balance-spring. The Heritage phase de lune dame, with a 35 X 25 mm tonneau case in rose gold with a mother of pearl dial and silver-plated ring, water resistant to 30 metres. Moon-phase indication, in manufacture automatic calibre (586L). Also available in white gold. Chaumet Poucas são as marcas que fazem relógios verdadeiramente femininos. A maior parte delas adapta em tamanho e forma modelos masculinos. Não é o caso da casa da Place Vendôme. E onde o histórico Classe One continua a reinar. O Class One Titane Deep tem caixa de 33 mm, em titânio colorido, uma estreia na relojoaria. Luneta unidireccional, coroa de enroscar, é estanque até 100 metros. Calibre de quartzo. Há várias cores disponíveis e versões com ou sem diamantes.

22

Breguet Heritage phase de lune dame Breguet Classique Chronometrie


Fernando correia de oliveira

Chopard Classic Manufactum Chopard L.U.C Lunar Twin

Chaumet Class One Titane Deep

avultados, na construção de stands novos, os grupos vão concentrar as suas marcas em espaços mais lógicos. Tendências de Basileia? Tal como em Genebra, tão variadas como as cores do arco-íris. Talvez se possa dizer que o preto, em revestimentos PVD ou DLC continua por aí, mas… Por um lado, regresso aos modelos clássicos, com edições comemorativas e de aniversário, inspiradas na estética dos anos 50 e 60; por outro, o reforço da chamada relojoaria conceptualista, com novas e arrojadas leituras do tempo. Uns e outros, empregando novos materiais, ligas e compósitos registados para uso exclusivo. Terminamos com uma nota de ironia: desde há décadas que a indústria relojoeira tem feito caixas “com tamanho asiático”, pequenas, para pulsos mais finos que os ocidentais. Mas os asiáticos, sobretudo os chineses, querem ostentar de forma clara a sua subida de estatuto e… compram relógios cada vez maiores. O revivalismo ocidental, ajudado pela crise e pela memória de tempos melhores, está agora a voltar aos tamanhos mais pequenos. Como diria Camões, “o mundo é composto de mudança”. The international watchmaking year traditionally begins with the Salon International de la Haute Horlogerie, in Geneva. This January was no exception. The SIHH, as it is known, deriving from the French acronym, is in its 22nd edition and was born as a reaction by a luxury group, the Richemont Group, to what they considered the lack of conditions at the sector’s historic world fair, which takes place in Basel. This “dissidence” has grown in importance over the years, not due to the number of brands involved – never more than 20 and at this year’s edition, there were 18 – but because these brands form part of a powerful fine watchmaking portfolio. SIHH is like a private club. It lasts a week and takes place at the

23

Few are the brands that make truly feminine timepieces. Most of them are adaptations in size and form of the male models. That’s not the case for Place Vendôme, where the historic Class One continues to reign. The Class One Titane Deep has a 33 mm case, in coloured titanium, a first in watchmaking. Unidirectional bezel, screw-in crown, water resistant to 100 metres. Quartz movement. There are various colours available, with and without diamonds. Chopard Aliar a estética refinada a uma base técnica muito sólida tem sido a filosofia da casa, que trata os relógios como jóias. O Classic Manufactum tem caixa de 38 mm, em ouro branco, estanque até 30 metros. Calibre automático, da manufactura (01.04-C), com 60 horas de autonomia. Mostrador tipo porcelana. Há versões em ouro rosa ou amarelo. O L.U.C Lunar Twin tem caixa de 40 mm, em ouro branco, estanque até 30 metros. Vidro de safira na frente e no verso. Calibre da manufactura, automático (L.U.C 96.21-L), com dois tambores de corda, tecnologia Twin. Pontes decoradas com Côtes de Genève. Cronómetro certificado COSC. Indicação de data e fases de lua (com desvio de apenas um dia em cada 122 anos). Combining refined aesthetics with a very solid technical base has been the brand’s philosophy, treating the watches as jewels. The Classic Manufactum has a 38 mm case, in white gold, water resistant up to 30 metres. Automatic manufacture calibre (01.04-C), with 60 hours power reserve. Porcelain-type dial. Available in rose or yellow gold. The L.U.C Lunar Twin has a 40 mm case, in white gold, water-resistant to 30 metres. Sapphire crystal on the front and back. Manufacture automatic calibre (L.U.C 96.21-L), with the two barrels Twin technology. Bridges decorated with Côtes de Genève. COSC certified chronometer. Date and moon-phase indication (with a deviation of just one day every 122 years).


crónica chronicle

Palexpo in Geneva, upon invite only, where the world’s best retailers go to place their orders, in a luxurious, exclusive and sophisticated environment - champagne flows freely, meals complement the closing of business deals – without much noise, amidst apparent calm. The nights are filled with events where the World’s beautiful people are present and where business continues… In the 2012 edition, there was a 10 per cent increase in the number of people attending the SIHH, more than 13 thousand visitors, including 1200 journalists. The Jóias de Família correspondent, who has been covering the Salon for 20 years, felt that the general atmosphere was of “calm and cautious confidence”. Sales in 2011 reached record heights and in light of the financial crises and stagnated economies in the mature North American, European and Japanese markets, the brands present at SIHH “just” hoped that 2012 would be as good as the previous year (mainly due to China but also India and consumers such as the Brazilians who buy a lot abroad). Regarding the products, there was no single clear trend at SIHH 2012. On the one hand, the brands developed models with simpler lines, based on their historic collections. But they haven’t completely abandoned the “bling bling” approach that dominated the “watchmaking bubble” of the first decade of the century. Nevertheless, there were no mechanical novelties of great impact, purely related to watchmaking. This because, according to the main players, “the concern now is to produce quickly, sell large quantities quickly, have minimum stocks at the point of sale” and the grand watchmaking complications are of limited production, they take a long time to produce and have delivery deadlines of many years. Baselworld We cannot compare the Geneva salon and Baselworld, the largest watchmaking and jewellery fair in the world. The 2012 edition that took place in March, had a record number of visitors, 104,300 from more than 100 countries, among them 3,320 journalists from more than 70 different countries. Although this is a professional fair, it is open to the public two days of the week. There’s no doubt that the fair reflects the sector with its 1,815 exhibitors. The atmosphere at the 2012 Baselworld was of total euphoria, contrasting with the cautiousness in January at the SIHH. Apparently, the factories are producing at full speed… for China. The more prudent observers told us that the watchmaking industry’s dependence on the Chinese market is becoming dangerous. Nevertheless and after 40 years, 2013 will be historic for the Basel fair. It will take place at new facilities. On 25 April of next year it will open its doors in a more sophisticated environment, responding to SIHH. The brands are going to make large investments in the construction of new stands and groups are going to concentrate their brands in more logical spaces.

Basel trends? Just as in Geneva, they are as varied as the colours of the rainbow. One could say that black, with PVD or DLC coatings, continues to be present but… On the one hand, there was a return to the classic models, with commemorative or anniversary editions, inspired by the aesthetics of the 50s and 60s; on the other hand, there were the so-called conceptualist timepieces with new and bold interpretations of time. All of which using new materials, exclusively registered alloys and composites. We finish with on an ironic note: for decades the watchmaking industry has been making “Asian size” cases that are small, for wrists that are narrower than those of Westerners. But the Asians, especially the Chinese, want to clearly show-off of their new status and are buying increasingly larger watches. The western revivalism, spurred on by the crisis and the memory of better days, are now going back to wearing smaller sizes. As Camões would say “the world is made of change”.

Raymond Weil Freelancer Urban Black

Raymond Weil Uma casa independente, que continua a fazer tranquilamente o seu caminho. Com estética inspirada no mundo da música, modelos desportivos ou mais clássicos. O Freelancer Urban Black tem caixa em aço, de 42 mm, revestida a PVD negro. O seu nome evoca a independência da marca, uma das últimas no sector. Cronógrafo automático. Rotor revestido a PVD negro. Vidro de safira na frente e no verso. O Maestro Pequenos segundos tem caixa de 39,5 mm, em aço, revestida a PVD ouro rosa. Calibre automático. Frente e verso em vidro de safira. An independent watchmaker that continues to calmly move forward. With aesthetics inspired by the music world, sports models or more classical ones.

24


Fernando correia de oliveira

Raymond Weil Maestro Pequenos Segundos / Small Seconds

TAG Heuer Link Lady

TAG Heuer Carrera Calibre 17 Jack Heuer

for instantaneous adjustment of up to 5 mm. Automatic manufacture calibre (3135). COSC certified chronometer.

The Freelancer Urban Black has a 42 mm steel case, coated in black PVD. Its name evokes the brand’s independence, one of the latest in the sector. Automatic chronograph. Rotor coated in black PVD. Sapphire-crystal glass on the front and back. The Maestro Small Second has a 39.5 case in steel, coated in gold rose PVD. Automatic calibre. Front and back in sapphire-crystal.

TAG Heuer

Rolex Em equipa que ganha… mexe-se sempre, desde que seja para melhorar. Aqui não há revoluções, apenas constantes evoluções, e cada uma delas atingindo o superlativo – mais fiabilidade, durabilidade, conforto. O Oyster Perpetual Sky-Dweller, (p.10) com caixa de 42 mm, em ouro branco, amarelo ou ouro EVEROSE vem equipado com um calibre novo da manufactura, o 9001, automático. Cronómetro certificado COSC. Indicação GMT com mostrador de 24 horas, calendário anual com sistema SAROS (ajuste bidireccional e sem restrições). Os meses são indicados por 12 janelas. O Oyster Perpetual Yacht-Master (p.14) tem caixa de 40 mm, em Rolesium, uma combinação de aço e platina. Luneta bidireccional, em platina. Luminosidade dos índices e ponteiros sistema Chromalight. Pulseira com sistema Easylink, que permite ajustamento instantâneo até mais 5 mm. Calibre da manufactura, automático (3135). Cronómetro certificado COSC. In a winning team… it’s always moving, as long as it’s for better. Here there are no revolutions, just constant evolutions, and each reaching a superlative – more trustworthy, durability and comfort. The Oyster Perpetual Sky-Dweller (p.10), with a 42 mm case in white, yellow or EVEROSE gold, comes equipped with the COSC certified chronometer. GMT indication with a 24 hours dial, annual calendar with a SAROS system (unrestricted, bidirectional adjustment). The months are shown in 12 windows. The Oyster Perpetual Yacht-Master (p.14) has a 40 mm case in Rolesium, a combination of steel and platinum. Bidirectional bezel in platinum. Chromalight system indices and hands luminescence. Easylink system bracelet, allowing

O rei dos cronógrafos continua na sua senda de registo de tempos rápidos… ou não estivesse há muito ligado ao desporto motorizado. Mas a delicadeza feminina (agora com uma nova embaixadora, Cameron Diaz) não é esquecida. O novo Link Lady vem em dois tamanhos: 29 mm e 34,5 mm. Caixa e pulseira em aço, integradas. Com diamantes. Há versão em ouro rosa. Calibre de quartzo. O Carrera Calibre 17 Jack Heuer é um cronógrafo automático, tributo a Jack Heuer, descendente do fundador da companhia, e que acaba de fazer 80 anos. Caixa em aço, de 41 mm. No verso, a assinatura dele e o brasão da família, que remonta ao século XV. Edição limitada a 80 exemplares. The King of chronographs continues on its course of registering rapid time… the reason why the brand has been linked to motorized sport for so long. But the feminine course (now with a new Ambassadress, Cameron Diaz) hasn’t been forgotten. The new Link Lady comes in two sizes: 29 mm and 34.5 mm. Integrated case and bracelet in steel. With diamonds. Available also in rose gold. Quartz calibre. The Carrera Calibre 17 Jack Heuer is an automatic chronograph and tribute to Jack Heuer, descendant of the company’s founder, who has just turned 80. Steel 41 mm case. On the back, his signature and family shield that dates back to the 15th century. Limited edition of 80.

25


destaques highlights

chopard unique

Imperiale Arabesque Ouro rosa e Ametista / Rose Gold and amethyst Pendente/Pendant Ref. 799220-5003 € 3.240 Anel/Ring Ref. 829221-5039 € 2.570

Happy 8 Ouro branco com brilhantes / White gold with diamonds Pendente/Pendant Ref. 799209-5001 € 2.080 Brincos/Earrings Ref. 839210-1001 € 10.400

26


Chopard

Óculos de Sol/Sunglasses Ref. 95211-0141 € 436

Carteira Iphone/ Iphone Case Il Classico Ref. 95012-0108 € 124

Mala/Bag all Day Imperiale “M” Ref. 95000-0377 € 1.360 Carteira Média Imperiale/ Medium wallet Imperiale Ref. 95015-0137 € 455

Esferográfica/Ball Point Imperiale Ref. 95013-0320 € 240

27


Chopard

Imperiale Chrono Ref. 388549-3002 € 7.920

Happy Sport Chrono Mystery Pink Ref. 288515-9013 € 8.170

28

Happy Sport Medium Ref. 278551-3001 € 4.750


Chopard

L.U.C Lunar One Ref. 161927-5001 Preço sob consulta / Price upon request

L.U.C XPS Ref. 161932-5001 € 14.910

29


Chopard

Classic Racing Superfast Ref. 161291-5001 € 21.500

Mille Miglia Gmt Ref. 168550-3001 € 4.950

Botões de punho / Cufflinks Shift Knobs Ref. 95014-0016 € 240

Óculos de Sol/Sunglasses Ref. 95217-0142 € 290

Caneta/Fountain pen Classic Racing Ref. 95013-0163 € 715

30


la

peregrina Ao longo de mais de dois mil anos muitas pérolas, ou colecções de pérolas, tornaram-se famosas pelo seu valor intrínseco e/ou pela sua associação a grandes figuras da História. A famosa La Peregrina é uma delas. For more than two thousand years many pearls or collections of pearls have become famous for their intrinsic value and/or their association to great personalities of the past. The famous La Peregrina is one of them. Por/By Susana Lucena


crónica chronicle

L

a Peregrina é uma das mais famosas pérolas do mundo e faz jus ao seu nome, pois a sua história estende-se por quase quinhentos anos, tendo passado pelas mãos de um escravo africano que a descobriu no Golfo do Panamá, por vários Reis e Rainhas europeus. Mais recentemente, a pérola pertenceu à actriz Elizabeth Taylor. Em Dezembro de 2011, La Peregrina, montada num colar Cartier, é vendida em leilão pela Christie’s de Nova York. Com um preço inicial estimado entre dois e três milhões de dólares, o colar bateu o recorde de preço para uma jóia com uma pérola deste cariz, sendo arrematado por 11.842.500,00 dólares. A explicação para este recorde explica-se pela qualidade, forma (de pera perfeitamente simétrica) e tamanho da pérola, mas também pela sua história. No passado recente tem-se verificado que proveniência histórica associada a peças de joalharia, aumenta sempre o preço final de leilão, por vezes atingindo o dobro ou o triplo do valor estimado, contudo desta vez ultrapassou-se aquela fasquia. A magnífica pérola, que encantou a nobreza europeia por tantos séculos e adornou uma das mais lindas actrizes de Hollywood, tem agora outro dono. O fascínio da La Peregrina advém da sua beleza, mas também da sua história. Façamos uma viagem no tempo. La Peregrina foi descoberta em meados do século dezasseis por um escravo negro. A pérola foi então entregue ao explorador espanhol Don Pedro de Temez, tendo o escravo sido recompensado com a sua liberdade, como era tradição na época. Don Pedro Temez oferece a pérola pessoalmente ao Príncipe Filipe II, o Príncipe herdeiro de Espanha, que por sua vez a presenteia à sua noiva, a Rainha Maria I de Inglaterra, a qual ficou conhecida pelo nome de “Bloody Mary”. A pérola foi usada pela soberana como um pendente ou um broche, como se pode constatar pelo famoso quadro pintado por Hans Eworth, que se encontra patente na National Portrait Gallery em Londres, bem como noutros retratos pintados por diversos artistas durante os tumultuosos anos do seu reinado, entre 1553 e 1558. Após a morte da soberana em 1558 a gema retorna ao acervo das jóias da Coroa espanhola, onde permanece durante duzentos e cinquenta e cinco anos. A gema foi muito apreciada pelos Reis e Rainhas espanhóis e testemunho disso são os vários quadros pintados por Velásquez, onde os soberanos aparecem a usar a La Peregrina. Em 1660, o Rei Filipe IV de Espanha usou a pérola como ornamento no seu chapéu, no casamento de sua filha Maria Teresa com o Rei Luís XIV de França. Existe um quadro de Velásquez onde se vê o Rei montado num cavalo, usando no chapéu La Peregrina. Em 1808, Napoleão Bonaparte, imperador francês, conquista Espanha e coloca José Bonaparte, seu irmão mais velho, no trono espanhol. O reinado de José Bonaparte é extremamente impopular e cinco anos mais tarde quando foge de Madrid, após a França ter sido vencida pelas forças

La Peregrina

conjuntas anglo-luso-espanholas na batalha de Vitoria, leva consigo as jóias da Coroa espanhola, incluindo La Peregrina. A pérola permaneceu na posse da família Bonaparte, acabando nas mãos de Carlos Luís Bonaparte, mais tarde Napoleão III, Imperador de França. Durante o seu exílio em Inglaterra, o último Imperador francês vendeu a pérola a James Hamilton, duque de Abercorn, que por sua vez a ofereceu, montada num colar, à sua mulher que a usava em ocasiões formais no Buckingham Palace. A família Hamilton foi proprietária da pérola até 1969, quando a venderam num leilão da Sotheby’s em Londres. No leilão da Sotheby’s londrina, a pérola foi arrematada pelo actor Richard Burton por trinta e sete mil dólares, tendo-a oferecido à sua mulher, a actriz Elizabeth Taylor, no dia de São Valentim (como é conhecido o Dia dos Namorados em vários países). Aquando da sua aquisição, La Peregrina vinha suspensa num colar de pérolas, o que não foi do agrado do casal, pelo que decidiram redesenhar o colar socorrendo-se dos experts da Cartier e sob as orientações de Elizabeth Taylor foi criada uma obra de arte, em que a pérola foi montada num colar deslumbrante composto por pérolas, rubis e diamantes. A actriz foi vista em muitas ocasiões a usar o maravilhoso colar com a histórica pérola, até à sua morte em vinte e três de Março de 2011. Como nota final, é de referir que Elizabeth Taylor perdeu La Peregrina poucas horas após a ter recebido como presente. Numa busca frenética pela mesma, veio a encontrá-la na boca de um dos seus cachorros, como se de um osso se tratasse, conseguindo recuperá-la da boca daquele, notavelmente, em perfeitas condições. La Peregrina is one of the world’s most famous pearls and it lives up to its name as its history dates back almost five

32


susana lucena

Maria I de Inglaterra por/by Hans Eworth Elizabeth Taylor com/with La Peregrina

hundred years, having belonged to an African slave, who discovered it in the Gulf of Panama, various European kings and queens and more recently, the pearl belonged to the actress Elizabeth Taylor. In December 2011, La Peregrina, set in a Cartier necklace, was sold at a Christie’s auction in New York. With an initial price estimated at three million dollars, the necklace broke the world record for a price of a jewel, having been sold for 11,842,500.00 dollars. The reason for this record is its quality, shape (perfectly symmetrical pear- shaped) and size, but also due to its history. In the recent past, the history of jewellery items always increases the final auction price, sometimes achieving double or triple the estimated value, nevertheless, this time it went even futher than this. This magnificent pearl that enchanted European nobility for so many centuries and adorned the most beautiful Hollywood actresses, now has a new owner. The fascination for the La Peregrina is not only due to its beauty but also its history. Let’s go back in time. La Peregrina was discovered in the middle of the 16th century by a black slave. The pearl was then handed over to the Spanish explorer, Don Pedro de Temez, and the slave was rewarded by being given his freedom, as was the tradition at the time. Don Pedro de Temez personally offered the pearl to Prince Felipe II, the Crown Prince of Spain, who in turn gave it to his fiancée, Queen Mary I of England, who came to be known as “Bloody Mary”. The pearl was worn by the Sovereign as a pendant or broach, as can be seen in the famous painting by Hans Eworth, at the National Portrait Gallery in London, as well as in other portraits painted by numerous artists during the tumultuous years of her reign between 1553 and 1558. After the death of the Sovereign, in 1558, the jewel became part of the collection of the Crown Jewels, where it remained for two hundred and fifty years. The jewel was very much appreciated by the Spanish kings and queens as can be seen in the various paintings by Velásquez, where the Sovereigns can be seen wearing La Peregrina. In 1660, King Philip IV of Spain wore the pearl as an ornament on his hat, at the marriage of his daughter Maria Teresa to King Louis XIV of France. There’s a painting by Velásquez where the King is seen on a horse wearing the La Peregrina on his hat. In 1808, Napoleon Bonaparte, the French Emperor, conquered Spain and placed his eldest brother on the Spanish throne. The reign of Joseph Bonaparte was extremely unpopular and five years later, when he fled

33

from Madrid after France had been defeated by the joint Anglo-Portuguese-Spanish forces in the battle of Vitoria, he took the jewels of the Spanish crown with him, including La Peregrina. The pearl remained in the possession of the Bonaparte family, ending up in the hands of Charles Louis Napoleon Bonaparte, later Napoleon III, the emperor of France. During his exile in England, the last French emperor sold the pearl to James Hamilton, Duke of Abercorn, who in turn gave it, mounted on a necklace, to his wife who used to wear it to formal occasions at Buckingham Palace. The Hamilton family owned the pearl until 1969 when they sold it at a Sotheby’s auction in London. At the London Sotheby’s auction, the pearl was purchased by Richard Burton, on Valentine’s Day. When it was bought, La Peregrina was hanging on a pearl necklace, which didn’t please the couple so they decided to re-design the necklace with the help of the Cartier experts. With Elizabeth Taylor’s guidance, a work of art was created, where the pearl was mounted on a stunning necklace made up of pearls, rubies and diamonds. The actress was seen wearing the marvellous necklace with the historic pearl, on numerous occasions, until she died on 23 March, 2011. As a final note, it’s worth mentioning that Elizabeth Taylor lost La Peregrina a few hours after having received the present. In a frantic search for the necklace, it was found inside the mouth of one of her dogs, as if it were a bone. Amazingly, they managed to retrieve it from the dog’s mouth, in perfect condition.


a.lange

&

söhne

Lange 1

Turbilhão / Tourbillon “Homage To F. A. Lange”


a.lange & sohne

O

The LANGE 1 TOURBILLON “Homage to F. A. Lange” emphasises the determination of Lange’s master watchmakers to further refine even what is already perfect. To commemorate the 165th anniversary, they have endowed this masterpiece with a stop-seconds mechanism for the first time.

LANGE 1 Turbilhão “Homenagem a F.A. Lange”, enfatiza a determinação do mestre dos relojoeiros Lange para refinar ainda mais o que já é perfeito. Para comemorar o 165º aniversário dotaram esta obra-prima com um mecanismo de paragem dos segundos pela primeira vez.

Especificações Ref. 722.050 Movimento: Manufactura Lange calibre L961.2, corda manual, fabricado segundo os mais exigentes padrões de qualidade Lange e em grande parte, decorados e montados à mão, regulação de precisão em cinco posições; platina três quartos feita de prata alemã não tratada; roda de coroa com acabamento de estrias paralelas; pontes da roda intermedia e do turbilhão de ouro cor de mel, mecanismo gravado manualmente. Nº de partes do movimento: 381peças. Nº de rubis: 51, dos quais 2 contra-pivots de diamante. Escape: Escape de ancora. Sistema de oscilação: Balanço aparafusado Glucydur resistente ao choque, espiral do balanço da mais alta qualidade fabricada “in house”, frequência de 21,600 semi-oscilações por hora, regulação de precisão em forma de pescoço de cisne. Reserva de Corda: 72 horas quando totalmente carregado. Funções: Indicador de horas, minutos, segundos subsidiários; Grande data; indicador de reserva de corda; turbilhão de um minuto com paragem dos segundos patenteada. Elementos de manipulação: coroa para carregar o relógio e acertar a hora, dispositivo de pressão para acerto da data às 10 horas. Dimensões da caixa: 38,5mm diâmetro e 9,8 mm altura. Dimensões do mecanismo: 30,6 mm diâmetro e 5,9 mm altura. Caixa: ouro cor de mel. Mostrador: Ouro maciço, prata, guilhochado. Ponteiros: Ouro cor de mel. Vidro e fundo transparente: Cristal de safira (dureza 9) com tratamento anti-reflexo. Correia: pele de crocodilo vermelho acastanhada cosida manualmente com fivela Lange de ouro maciço cor de mel. Edição: 150 relógios. Preço sob consulta.

Specifications Ref. 722.050 Movement: Lange manufacture calibre L961.2, manually wound, crafted to the most exacting Lange quality standards and largely decorated and assembled by hand; precision-adjusted in five positions; three-quarter plate made of untreated German silver; crown wheel cock with sunburst finish; intermediate wheel cock and tourbillion bar in honey-coloured gold, movement side engraved by hand. No. of movement parts: 381. No. of jewels: 51, of which 2 diamond endstones. Escapement: Lever escapement. Oscillation system: Shock-resistant glucydur screw balance, superior-quality balance spring manufactured in-house, frequency 21,600 semi-oscillations per hour, whiplash precision index adjuster. Power reserve: 72 hours when fully wound. Functions: Time display in hours, minutes, subsidiary seconds; Lange outsize date; power-reserve indicator; one-minute tourbillon with patented stop seconds. Operating elements: Crown for winding the watch and setting the time, date correction push piece at 10 o’clock. Case dimensions: Diameter 38.5 mm and height 9.8 mm. Movement dimensions: Diameter 30.6 mm and height 5.9 mm. Case: Honey-coloured gold. Dial: Solid gold, argenté, guilloched. Hands: Honey-coloured gold. Glass and caseback: Antireflectioncoated sapphire crystal (hardness 9).Strap: Hand-stitched, red-brown crocodile strap with Lange prong buckle in solid honey-coloured gold. Edition: 150 watches. Price upon request.

Calibre L961.2

35


Saxonia Automatic Ref. 380.026 â‚Ź 19.300

36


A. Lange & Sรถhne

Datograph Perpetual Ref. 410.025 Preรงo sob consulta / Price upon request

Saxonia Annual Calendar Ref. 330.032 Preรงo sob consulta / Price upon request

37


destaques highlights

paixão e jóias torres passion and innovation

A

s colecções de jóias Torres conciliam dois factores fundamentais para esta casa joalheira, a tendência e a tradição. A paixão pelas pérolas raras e exclusivas, enriquecidas com brilhantes transformam estas jóias numa atracção irresistível e apropriadas para esta época estival.

The Torres jewellery collections combine two fundamental factors for these jewellers, trends and tradition. The passion for rare and exclusive pearls, enriched with diamonds, make these jewels irresistibly attractive and perfectly suited for the summer season.

Anel/Ring Ouro branco, brilhantes e pérola Dourada / White gold, diamonds and golden pearl. Ref. SN371869 € 2.596

Brincos compridos / Long Earrings Ouro branco, brilhantes e pérola Australiana / White gold, diamonds and australian pearl. Ref. SN371868 €5.003

Anel/Ring Ouro branco com brilhantes e pérola Chocolate. / White gold, diamonds and chocolate pearl. Ref. SN394692 € 7.082

38


jewellry jóias torres

inovação Colar/Necklace Pérolas Australianas / Australian pearls Ref. SN394691 € 62.350

Colar/Necklace Pérolas Chocolate com fecho de brilhantes / Chocolate pearls with diamond locket Ref. SN394690 € 41.299

39


breguet Tradition Breguet 7047 Tourbillon FusĂŠe Or Rose

40


breguet

Tradition Breguet 7047

A

Emblemática colecção «Tradition» de Breguet é enriquecida este ano com um modelo de ouro rosa de 18 quilates. Este relógio Grande Complicação com turbilhão tipo fuso e espiral Breguet de silício junta-se aos modelos existentes de ouro amarelo e de platina. Inspirado pelos lendários relógios de subscrição concebidos por A.-L. Breguet, esta obra de arte simboliza um regresso às raízes e uma visão de marca decididamente orientada para o futuro. A estética depurada e moderna desvelam o curso do turbilhão e a transmissão por fuso e corrente situados sobre a platina. Este modelo escultural destaca os contrastes e efeitos de profundidade que dão vida a cada componente. Quatro patentes protegem essas realizações técnicas e simbolizam a excelência relojoaria de Breguet.

Breguet’s emblematic “Tradition” collection is enriched this year with a model in 18-carat rose gold. This Grande Complication timepiece with fusee-type tourbillon and Breguet balance-spring in silicon joins the existing yellow gold and platinum models. Inspired by the legendary “souscription” watches created by A.-L. Breguet, this objet d’art symbolises both a return to roots and a resolutely futureoriented brand vision. Its pure, modern aesthetic sets the stage for the tourbillon and the fusee-and-chain transmission positioned on the top of the plate. This sculptural model highlights the contrasts and depth effects, thereby giving life to each component. Four patents protect these technical accomplishments and symbolise Breguet’s watchmaking excellence.

Especificações Movimento: Corda manual, turbilhão revestido a antracite, Calibre 569, 18.800 alternâncias / h, 16 linhas, 43 rubis, 50-horas de reserva de corda, ponte superior da caixa do turbilhão de titânio, balanço Breguet de titânio com 4 parafusos de ajuste de ouro, espiral de silício. Funções: Horas, minutos, segundos e indicador de reserva de corda. Caixa: Ouro rosa de 18K, finamente canelada, 41 mm. Vidro e fundo em cristal de safira. Asas soldadas e extremidades arredondadas. Resistente à água até 30 m / 3 ATM / 3 bar. Mostrador: Descentrado às 7 horas, ouro rosa 18 K, guilhochado manualmente, tratamento negro de ouro rosa de 18K. Numerado individualmente e assinado Breguet. Turbilhão 60-segundos à 1 hora. Ponteiros “Breguet” de aço polido. Bracelete: Pele de crocodilo castanha com fivela de ouro rosa 18K. Preço sob consulta.

Specifications Movement: Hand-wound, anthracite-coated tourbillon, Calibre 569, 18,800 vib/h, 16 lignes, 43 jewels, 50-hour power reserve, titanium upper tourbillon carriage, titanium balance with 4 gold adjustment screws, silicon balancespring. Functions: Hours, minutes, seconds, and power-reserve indicator. Case: 18K rose gold, finely fluted middle, 41 mm. Sapphire crystal, front and back. Welded lugs with rounded ends. Water-resistant to 30 m / 3 ATM/ 3 bar. Dial: Off-centre at 7 o’clock, hand-guilloché, black-coated 18K rose gold. Individually numbered and signed Breguet. 60-second tourbillon at 1 o’clock. Moon-tipped “Breguet” hands in polished steel. Bracelet: Brown alligator with 18K rose gold pin buckle. Price upon request.

41


destaques highlights

Classique Complications Ref. 7337BA 1E 9V6 Preço sob consulta / Price upon request

Classique Ref. 5327BR 1E 9V6 Preço sob consulta / Price upon request

Classique Ref. 5140BA 12 9W6 € 16.400

42


breguet

Reine de Naples Ref. 8918BA 58 864 D00D Preço sob consulta / Price upon request

Marine Ref. 5817ST 12 5V8 â‚Ź 13.500

43


destaques highlights

chaumet beE my love

A Chaumet comemora a manifestação dos sentimentos com uma colecção irresístivel de anéis “Bee my love”. Chaumet celebrates the expression of feelings with an irresistible collection of rings, “Bee my love”.

G

raciosa e delicada, carinhosa e divertida, a colecção Bee My Love expressa sentimentos, sob a égide da abelha. O ícone da casa desde o império, e um símbolo de poder e imortalidade, esta musa alada inspirou nove anéis em forma de favo de mel. O mel torna-se um metal precioso, criando três modelos em ouro amarelo, branco ou rosa. O brilho dos favos de mel meticulosamente polidos cintila ainda mais com a luminosidade dos diamantes na versão semi ou totalmente engastados. Cada modelo incorpora um desejo, uma ocasião, ou uma mensagem, e se une com os outros numa série infinita de combinações… os anéis da sua escolha encaixam-se para criar uma peça exclusiva de joalharia: a Sua! Graceful and delicate, tender and fun, the Bee My Love collection expresses feelings under the aegis of the bee. The House’s icon since the Empire, and a symbol of power and immortality, this winged muse has inspired nine, honeycomb-shaped rings. Honey becomes a precious metal, creating three models in yellow, white or pink gold. The meticulously polished shine of the honeycombs sparkles even brighter with the brilliance of diamonds on the semi or fully-set versions. Each model embodies a desire, an occasion, or a message, and joins with the others in an infinite array of combinations… The rings of your choice fit snugly together to create a unique item of jewellery: Yours!

44


Anel/Ring Ouro branco com brilhantes / White gold paved with diamond Ref. 081891 €2.780 Anel/Ring Ouro rosa com brilhantes / Rose gold paved with diamonds Ref. 081935 €2.670 Anel/Ring Ouro rosa com brilhantes / Rose gold half-paved with diamonds Ref. 081933 €1.750

Anel/Ring Ouro rosa / Rose gold Ref. 081931 €640 Ouro branco / White gold Ref. 081930 €720 Ouro amarelo / Yellow gold Ref. 081885 €640

Anel/Ring Ouro amarelo com brilhantes / Yellow gold half-paved with diamonds Ref. 081932 €1.750 Anel/Ring Ouro amarelo com brilhantes / Yellow gold paved with diamonds Ref. 081934 €2.670 Anel/Ring Ouro branco com brilhantes / White gold halfpaved with diamonds Ref. 081890 €1.850


destaques highlights

jaeger-lecoultre Savoir-faire

A Manufactura engloba no seu portefólio um impressionante leque de estreias mundiais, criações superlativas e modelos lendários. The Brand has an impressive range of worldwide firsts in its portfolio, superlative creations and legendary models.

D

esde 1833, a Jaeger-LeCoultre foi a primeira manufactura a estabelecer-se no Vale de Joux, na Suíça e teve o papel pioneiro de reunir um extenso conjunto de ofícios técnicos e artísticos debaixo de um mesmo tecto. Marca indelével no desenvolvimento da relojoaria em toda a região, a Manufactura engloba no seu portefólio um impressionante leque de estreias mundiais, criações superlativas e modelos lendários. Entre eles, o Reverso, o Duoplan, o Master Control, o Memovox Polaris, o Gyrotourbillon e o Atmos. Guiados por um savoir-faire intemporal e por uma constante busca de aperfeiçoamento técnico, os mestres relojoeiros, os engenheiros e os artesãos concebem cada relógio em harmonia, sempre com a mesma paixão. Cada obraprima, herdeira de 178 anos de perícia relojoeira, requer o contributo de não menos do que 40 profissões de tecnologias de ponta em sintonia com as mais nobres tradições do Vale de Joux. Com uma vasta herança que inclui mais de 1000 calibres e 300 patentes registadas, a Jaeger-LeCoultre permanece como referência na relojoaria de alta qualidade. Established in 1833, Jaeger-LeCoultre was the first manufacture to have been established in Vale de Joux, Switzerland and it played a pioneering role by bringing together a broad range of technical and artistic professions under the same roof. An indelible mark in the development of watch-making all over the region, the brand has an impressive range of worldwide firsts in its portfolio, superlative creations and legendary models. Among them the Reverso, the Duoplan, the Master Control, the Memovox Polaris, the Gyrotourbillon and the Atmos. Guided by timeless savoir faire and a constant quest for improved technology, the master watch-makers, engineers and artisans conceive each watch harmoniously and always with the same passion. Each masterpiece, heir to 178 years of watch-making expertise, requires the contribution of nothing less than 40 leading-edge technological professionals while being crafted in harmony with the noblest traditions of the Vale de Joux. With a vast heritage encompassing more than 1000 calibres and 300 registered patents, Jaeger-LeCoultre remains the standard in high-end watch-making.

46


Jaeger-LeCoultre

Master Grande Tradition Tourbillon 43 Referência: Q1662510 Movimento: Turbilhão mecânico de corda automática JLC 978, 28’800 alternâncias/hora, 48H de reserva de corda, 33 rubis, 302 peças no total e 7,05mm de altura. Funções: Horas, minutos, segundos, turbilhão, o ponteiro da data salta das 15 às 16 para evitar esconder o turbilhão; data ajustável nas duas direções, 2º fuso horário e indicação das 24H. Caixa: Ouro rosa 18kt, vidro e fundo de safira, estanque até 50 metros. Coroa com rápida mudança da zona horária sincronizada com a data. Dimensões: Ø 43mm. Bracelete: Pele de aligátor com fecho de báscula em ouro rosa 18kt. Preço sob consulta. Reference: Q1662510 Movement: Mechanic self winding tourbillon JLC 978, 28’800 vibrations per hour, 48H power reserve, 33 jewels, pieces number and 7,05mm height. Functions: Hours, minutes, seconds, turbillon, the date hand jumps from 15 to 16 to avoid hiding the tourbillion; date is adjustable in both directions, 2nd time zone and 24-hour display. Case: Rose gold 18kt, sapphire crystal caseback, water resistant to 50 metres. Quick crown-operated travel time zone change synchronized with the date. Dimensions: Ø 43mm. Bracelet: Alligator strap with folding clasp in rose gold 18kt. Price upon request.

47


Alianças amendoadas / Almond weeding rings 1 Ouro amarelo polido / Polished yellow gold. 2 Ouro amarelo polido com 3mm / Polished yellow gold about 3mm. 3 Ouro amarelo polido larga / matte yellow gold. Preço sob consulta / Price upon request Brincos compridos / Long Earrings Ref. SN387123 Ouro branco com brilhantes e pérola. White gold with diamonds and pearl. € 2.381

presentes

de casamento

wedding gifts

Talher Topázio / Topázio Flatware MOD Taglio Prata 925. Preço sob consulta / Price upon request Balde de gelo/ Ice Bucket Prata 925. Preço sob consulta / Price upon request


weeding gifts presentes de casamento

Pendente / Pendant Ref. SN360691 Ouro branco com brilhante. / Pendant in white gold with diamond. € 12.912 Tornilhos / Earrings Ref. SN342956 Ouro branco com brilhante. White gold with diamond. € 16.586

Anel Solitário / Solitaire Ring Ref. SN236282 Ouro branco com brilhante. White gold with diamond. € 10.455 Anel / Ring Ref. SN393191 Ouro branco com brilhantes e pérola. White gold with diamonds and pearl. € 2.999 Anel Memória Ref. SN392192 Ouro branco com sete brilhantes. / Ring Memory in white gold with seven diamonds. € 5.063

D

e todos os anéis, aqueles que têm uma magia especial são, sem dúvida, os de noivado e as alianças de casamento. O anel de casamento mais emblemático é o solitário ou aliança de memória com 3, 5 ou 7 brilhantes. Quanto às alianças existe uma enorme variedade de modelos, materiais e acabamentos. Hoje em dia a troca de presentes entre os noivos tem cada vez mais adeptos. Por tradição, o anel de noivado está para a noiva como o relógio clássico está para o noivo. Para as prendas do jovem casal dispomos, em cada loja, de um serviço próprio que cria listas de casamento personalizadas nas quais os convidados escolhem peças propostas pelos noivos. Também é possível abrir uma ficha de cliente para a compra de talheres à peça de vistosos faqueiros em prata de lei. Among all sorts of rings, the ones that are especially magical are, without doubt, engagement and wedding rings. The most symbolic wedding ring is the solitaire or the memory ring with 3, 5 or 7 diamonds. Regarding engagement rings, there is a huge variety of models, materials and finishings. Nowadays, the exchange of presents between the bride and groom is becoming increasingly popular. Tradition says that the engagement ring is to the fiancée as the classical watch is to the fiancé. We have a specific service available in each store for personalized wedding lists so guests can choose presents specifically proposed by the bride and groom to be. It is also possible to open a customer file whereby one can purchase individual cutlery items from very attractive sterling silver flatware sets.

Raymon Weil Tradition Ref. 54661-STC-00300 Caixa em aço, Quartzo. / Case in steel, Quartz. € 595

49


highlights destaques

jaeger-lecoultre arte portuguesa | Portuguese Art

reverso julião sarmento

Dando nova sequência a um projecto de elevado cariz artístico e cultural, a JaegerLeCoultre associou-se a Julião Sarmento para mais um descendente da nobre linhagem Arte Portuguesa – que consiste na representação plástica do tempo por parte de vários artistas nacionais de nomeada. Neste caso, no aproveitamento do emblemático modelo Reverso como tela original para a criação artística.

Continuing the highly artistic and cultural project, Jaeger-LeCoultre, has come together with Julião Sarmento, for another descendent of the noble Arte Portuguesa range, consisting of the representation of time, by various renowned Portuguese artists. This time the symbolic Reverso model was used as the original canvass for the artistic creation.

51


reverso Julião Sarmento

D

Reverso Julião Sarmento Especificações Referências: Q373247P (ouro rosa 18 kt). Edição limitada a 20 peças ; Q373842P (aço) ; Edição limitada a 30 peças. Cada relógio vem acompanhado de uma serigrafia de 75x112 cm assinada pelo artista. Movimento: Mecânico de corda automática Calibre 976 da Jaeger-LeCoultre ; 151 peças ; 28 800 alt/ h; 48 horas de reserva de corda. Funções: Horas ; Minutos ; Pequenos segundos. Caixa: 30 x 48,5 x 9,7 mm ; Ouro rosa 18 kt ou aço ; Reversível ; Verso personalizado em esmalte e fundo gravado com a assinatura de Julião Sarmento ; Estanque até 30 metros. Bracelete: Pele de jacaré com fecho de báscula em ouro rosa 18kt ou aço. € 17.900 (ouro rosa 18 kt) e € 9.900 (aço)

a personalização à arte portátil Devido à sua arquitectura original e reversível, nenhum outro relógio de pulso está tão associado às artes como o Reverso – cujo segundo rosto tem proporcionado um espaço portátil para personalizações e divagações artísticas desde a sua criação em 1931. Cedo se tornou evidente que o Reverso era ideal para devaneios criativos; as possibilidades técnicas e estéticas abertas pelas suas características próprias têm sido oportunamente aproveitadas pela Jaeger-LeCoultre – que ao longo de oito décadas foi dotando o verso com prodigiosas complicações relojoeiras ou belas manifestações artísticas. O percurso do Reverso foi permitindo à histórica manufactura suíça reunir no seu portefólio uma larga panóplia de personalizações artísticas, desde a simples gravação de iniciais até composições em esmalte. As edições limitadas Reverso/Arte Portuguesa assumem papel destacado entre as mais belas interpretações de sempre do Reverso; o projecto foi idealizado por Pedro Torres e tem contado com a participação de consagrados artistas plásticos contemporâneos lusos, convidados a utilizar o verso do Reverso para transmitir a sua própria interpretação do tempo. O resultado: obras de arte intemporais de elevado valor intrínseco e emocional com a assinatura de Júlio Pomar, Manuel Cargaleiro, Paula Rego, José de Guimarães e agora Julião Sarmento; o desafio proporcionou relógios que provam que a arte e o tempo são um excelente investimento. O Tempo feminino de Julião Sarmento Julião Sarmento escolheu a representação de um corpo feminino para a sua interpretação do tempo: «Sou muito identificado com a representação do corpo feminino; todo o meu trabalho gira à volta da iconografia feminina e tenho uma série de obras que são uma espécie de mulher expectante, que está à espera, o que tem a ver com o espaço e com o tempo», explica. «Tem a ver com o espaço no qual a mulher existe, que ela preenche, e com o tempo indeterminado em que ela lá está. Não é um tempo fugaz, é um tempo eterno. Foi esse o sentido que me interessou na conexão entre uma imagem de marca, a minha imagem de marca, e a ideia do tempo que não acaba». in Espiral do Tempo 39 O Reverso/Arte Portuguesa Julião Sarmento declinase em duas edições limitadas com mecanismo de corda manual que têm por base o Grande Reverso 976: a de ouro rosa (17.900 €) tem uma tiragem de 20 exemplares com mostrador preto e pequenos segundos circulares; a de aço (9.900 €) é de 30 exemplares com submostrador rectangular dos pequenos segundos. Cada relógio é acompanhado de uma serigrafia assinada pelo autor – com a peculiaridade da serigrafia que acompanha o modelo em ouro ser de cor amarela forte, enquanto a serigrafia que acompanha a versão em aço é a preto e branco.

52


Julião Sarmento reverso

From personalisation to portable art Due to its original and reversible design, no other wristwatch has been so closely linked to the arts as Reverso – with a second face providing a portable space for artistic personalisation and digressions since their creation in 1931. It soon became clear that Reverso was ideal for these creative digressions; the technical possibilities and aesthetics provided by its unique characteristics have opportunely been taken advantage of by Jaeger-LeCoultre – that for eight decades has been giving the reverse side prodigious timepiece complications or beautiful artistic manifestations. The Reverso has allowed the historic Swiss manufacturer to put together in its portfolio a panoply of personalised artistic works, from the the simple engraving of initials to compositions in enamel. The limited editions of Reverso/Arte Portuguesa have an important role among the best Reverso interpretations ever; the project was an idea by Pedro Torres and has counted on the participation of renowned, modern, Portuguese artists, who have been invited to use the reverse side of the Reverso to transmit their own interpretation of time. The result: timeless works of art of intrinsic and emotional value, signed by Júlio Pomar, Manuel Cargaleiro, Paula Rego, José de Guimarães and now Julião Sarmento; the challenge has led to a series of watches that prove that art and time are an excellent investment.

Specifications Referências: Q373247P (ouro rosa 18 kt). Edição limitada a 20 peças ; Q373842P (aço). Edição limitada a 30 peças. Each watch comes with a printing of 75x112 cm signed by the artist. Movement: Mecanical self-winding ; Jaeger-LeCoultre calibre 976; 151 pieces ; 28 800 vibrations/ h; 48 hours power reserve. Functions: Hours ; Minutes ; Small seconds. Case: 30 x 48,5 x 9,7 mm ; 18kt rose gold or steel ; Reversible ; Customized back in enamel and bottom engraved withh the signature of Julião Sarmento ; Water-resistant to 30 metres. Bracelet: Alligator leather with folding clasp in 18kt rose gold or steel. € 17.900 (rose gold 18 kt) and € 9.900 (steel).

O Tempo feminino de Julião Sarmento Julião Sarmento chose the representation of the human body for his interpretation of time: I very much identify with the representation of the human body; «all my work has revolved around the female icon and I have a series of works that are a kind of expectant woman, who is waiting, that has to do with space and time», explains the artist in the most recent edition of Espiral do Tempo. «It has to do with the space in which women exist, that she fulfils, and the undetermined time that she is there for. It’s not fleeting time, it’s eternal time. This was the sense that interested me in the link between the image of a brand, my brand image and the idea of time that never ends». The Julião Sarmento Reverso/Arte Portuguesa has two limited editions with manual winding mechanisms based on the Grande Reverso 976: there are 20 rose gold versions (€17,900) with a black face and small circles for seconds; there are 30 steel versions (€9,900) with a rectangular sub-dial showing the seconds. Each watch comes with a silkscreen print signed by the author. The the print that comes with the gold model is in bright yellow and the print that comes with the steel version is black and white.

53


Living

Beauty Fotografia Photography Nian Canard Produção Production Ricardo Preto Maquilhagem Make-Up Nana Benjamim assistida por/assisted by Sara Fonseca Cabelos Hair Helena Vaz Pereira Modelos Models Ricardo Claudino | Elite Ana Paula | Elite Ana Filipa | L’Agence Agradecimentos Thanks Pestana Palace Hotel


Ana Paula: Anel/Ring H.Stern Colecção/Collection Cobblestones.


Ana Paula: Anel/Ring Mimí Colecção/ Collection Cocktail. Brincos/Earings H.Stern Colecção/Collection Gotas Deco. Vestido/Dress Emilio Pucci na/at Loja das Meias. Sandálias/Sandals Gianvito Rossi na/at Stivali. Ricardo: Relógio/Watch Jaeger-LeCoultre Reverso. Lenços/ Scarves e/and Gravata/tie Chopard. Fato/Suit Penhalta. Camisa/Shirt Givenchy. Óculos/Glasses Gucci. Mala de viagem/Suitcase Louis Vuitton.

56


Ricardo: Relógio/Watch Rolex Milgauss. Camisa/Shirt Carolina Herrera. Ana Paula: Colar, pulseira e anel / Necklace, pulseira and ring Mimí Colecção/Collection Blanche. Argolas/Earrings Cemtury.

57


Ana Filipa: Colar/Necklace Mimí Colecção/Collection Elizabeth. Brincos/Earrings Mimí S. Tropez. Anel/Ring Mimí. Colecção/ Collection Juliet. Vestido/Dress Ricardo Preto. Ricardo: Relógio/Watch Rolex Cosmograph Daytona. Camisa/ Shirt Gucci na/at Fashion Clinic.

58


Ricardo: Relógio/Watch Jaeger-LeCoultre AMVOX2DBS. Blazer, camisa, laço e lenço / Blazer, shirt, bow tie and scarf Hackett. Calça/Pants Carolina Herrera. Cinto/Belt Hugo Boss. Ana Filipa: Anel mão direita/Ring right hand H.Stern Colecção/Collection Cobblestones. Anel mão esquerda/Ring left hand Mimí Colecção/Collection Juliet. Vestido/Dress Elie Saab na/at Stivali. Ana Paula: Relógio/Watch Jaeger-LeCoultre Reverso. Anéis/ Rings Torres. Vestido/Dress Elie Saab na/at Stivali.

59


Ricardo: Relógio/Watch Rolex Yatch-Master II. Botões de Punho/Cufflinks TF EST.1968. Fato e camisa / Suit and shirt Etro, gravata/tie Dolce&Gabbana tudo na/all at Fashion Clinic. Ana Filipa: Fio com cruz/Chain with cross Torres. Escravas/ Bracelets Cemtury. Relógio/Watch Chopard Happy Sport. Anel/Rings Torres. Mala/Bag Chopard Caroline Mini. Top Chloé e/and saia/skirt Carven ambas na/both at Stivali. Sapatos/ Shoes Dior e/and capeline Ralph Lauren ambas na/both at Loja Das Meias. Ana Paula: Óculos/Sunglasses Chopard. Relógio/Watch Chopard Happy Sport. Brincos/Earrings Chopard Colecção/ Collection Copacabana. Top Chloé e/and sandálias/sandals Gianvito Rossi na/at Stivali. Saia/Skirt Miu Miu na/at Fashion Clinic.

60


61


Ana Filipa: Relógio/Watch Rolex Datejust. Colar/Necklace H.Stern Colecção/Collection Fluid Gold. Vestido/Dress Alberta Ferretti na/at Espace Cannelle. Lenço/Scarf Hermès. Ana Paula: Colar/Necklace Chopard Colecção/Collection Copacabana. Anel/Ring Mimí Colecção/Collection Juliet. Brincos/Earrings Chopard Colecção/Collection Copacabana. Vestido/Dress Alberta Ferretti na/at Epace Cannelle. Lenço/ Scarf Hermès. Ricardo: Relógio/Watch Chopard Mille Miglia GTXL Alfa Romeo. Blazer e camisa / Blazer and shirt Gucci, calça e cinto / pants and belt Dolce&Gabbana tudo na/all at Fashion Clinic. Gravata/Tie Salvatore Ferragamo na/at Loja das Meias.

62


Ricardo: Relógio/Watch Franck Muller Curvex Master Banker. Blazer, camisa e gravata / Blazer, shirt and tie Ermenegildo Zegna. Anel/Ring H.Stern Colecção/ Collection Grupo Corpo.

63


Ana Paula: Anel e colar com pérolas tahiti castanhas / Ring and necklace with tahiti brown pearls Colecção/ Collection Torres. Macaco/Boilersuit Celine na/at Loja das Meias, Sandálias/Sandals Louis Vuitton. Ricardo: Relógio/Watch Chopard L.U.C. Crono One. Botões de Punho/ Cufflinks TF EST.1968. Fato/Suit, camisa/shirt e/and gravata/tie Ermenegildo Zegna. Sapatos/Shoes Sergio Rossi na/at Fashion Clinic. Ana Filipa: Anel e colar com pérolas australianas / Ring and necklace with australian pearls Colecção/ Collection Torres. Relógio/Watch Rolex Datejust Pearlmaster. Vestido/ Dress Gucci na/at Stivali. Casaco/ Coat Gucci na/at Fashion Clinic.

64


Ana Paula: Colar/Necklace Chopard Colecção/Collection Happy Heart. Escrava/Bracelet Cemtury. Vestido/ Dress Miu Miu na/at Fashion Clinic.

65


Revelar o coração pulsante do relógio Revealing the beating heart of the watch

66


highlights destaques

Calibre 4101

audemars piguet

Millenary 4101

C

lássico moderno A Colecção Millenary anuncia uma estética neo-clássica para o Terceiro Milénio. O seu formato oval único proporciona aos nossos designers um excepcional alcance ao revelar os intrincados acabamentos internos destes modelos. O resultado envolve a tensão entre liberdade criativa e disciplina técnica.

Modern classic The Millenary collection heralds a neo-classical aesthetic for the Third Millenium. Its unique oval shape provides our designers with exceptional scope to reveal the intricate handfinished inner workings of these models. The result embraces the tension between creative freedom and technical discipline.

Especificações Referência: 15350OR.OO.D093CR.01. Funções: Horas, minutos, pequenos segundos. Tipo de balanço: Com blocos de inércia variável. Frequência da roda de balanço: 4,00 (= 28.800 alternâncias por hora) Hz. Tipo de fixação do pino da mola de balanço: pino móvel aparafusado. Tipo de espiral: Breguet. Direção da corda automática: bidireccional. Tipo de massa oscilante: Monobloco de 22 quilates de ouro. Número de rubis: 34. Reserva de corda: 60 horas. Caixa: vidro de safira e verso da caixa à prova de reflexo. Largura da Caixa: 47 mm. Espessura da Caixa: 13 mm. Estanqueidade: 20 metros. Mostrador: disco central exterior preto, contador pequenos segundos preto, algarismos romanos e ponteiros aplicados em ouro rosa. Número de peças: 284. Bracelete: Pele de crocodilo costurada manualmente com fecho de báscula AP de ouro rosa 18 kt. Preço sob consulta.

Specifications Reference: 15350OR.OO.D093CR.01. Functions: Hours, minutes, small seconds. Type of balance: With variable inertia blocks. Frequency of balance wheel: 4,00 (=28.800 alternances/hour) Hz. Type of balance-spring studholder: Screwed mobile stud. Balance-spring type: Breguet. Direction of automatic winding: Bidirectional. Type of oscillating weight: Monobloc in 22-carat gold. Number of jewels: 34. Power reserve: 60 hours. Case: Glareproofed sapphire crystal and caseback. Case width: 47 mm. Case thickness: 13 mm. Water-resistant: 20 metres. Dial: Black off-centred disc, black small seconds counter, pink gold applied Roman numerals and hands. Number of parts: 284 pieces. Bracelet: Hand-stitched crocodile leather with 18-carat pink gold AP folding clasp. Price upon request.

Particularidades Movimento em formato oval; movimento construído tridimensionalmente; mecanismo automático com rolamentos de cerâmica; Anglo das pontes do lado do mostrador recortadas por diamante; Horas, minutos e submostrador dos segundos descentrados no mostrador; Roda de balanço visível do lado do mostrador, escape de alavanca suíço invertido.

Specificities Oval shaped movement; Three-dimensional built movement; automatic mechanism with ceramic ball bearings; Bevels of the Dial side bridges are diamond graved; Hours and minutes dial and seconds subdial both excentred; Balance wheel visible from dial side; Inverted swiss lever escapement.

67


audemars piguet

Millenary Ref. 15350OR.OO.D093CR.01. Preรงo sob consulta / Price upon request

Royal Oak Dual Time Ref. 26120OR.OO.D002CR.01 Preรงo sob consulta / Price upon request

68


audemars piguet

Royal Oak Offshore Ref. 26170TI.OO.1000TI.01 € 23.200

Royal Oak Offshore Ref. 25940OK.OO.D002CA.02 Preço sob consulta / Price upon request

69


entrevista interview

Um utilizador dos prazeres da vida! an enjoyer of life’s pleasures!

entrevista com / interview with mårio assis ferreira Por/By Carlos Torres Imagens/Pictures: Š Constantino Leite

70


interview entrevista

F

omos encontrá-lo no seu gabinete de trabalho do Casino Estoril. Um espaço forrado a telas de artistas portugueses que disputam a sala com toda a parafernália de pastas e “dossiers” inerentes à gestão de um grupo empresarial com a dimensão da Estoril Sol, e do qual Mário Assis Ferreira é administrador executivo desde 1984 e Presidente a partir de 2000. Sobre uma mesa de madeira comprida, dezenas de cachimbos dispostos sem ordem aparente revelam à partida um pouco da personalidade desta figura que actualmente se funde com a história de sucesso dos mais emblemáticos casinos de Portugal. Tomamos lugar num conjunto de confortáveis sofás verdes e preparamo-nos para uma conversa informal que irá abordar a realidade actual do negócio dos Casinos no nosso país, a excelente ferramenta de divulgação cultural que é a revista Egoísta e o seu gosto pessoal por carros velozes e belos relógios. No final sobra-nos ainda algum tempo para dissecar de forma sucinta a tão tradicional “inveja” portuguesa manifestada com infeliz frequência perante quem usufrui do sucesso que plantou e do mérito de uma vida de trabalho. A primeira questão sobre se o Casino Estoril continua a ser o maior da Europa foi recebida por Mário Assis Ferreira com uma pausa que aproveitou para acender o seu cachimbo que tinha já preparado. O odor agradável e adocicado que se espalhou no ar antecedeu a sua resposta em tom calmo e seguro: Mário Assis Ferreira: “Entrei para a Estoril Sol em 1984 como administrador, e a minha missão como responsável executivo pelo Casino Estoril iniciou-se pouco depois, em 1987. Nessa altura o Casino Estoril ocupava um lugar modesto no ranking Europeu, mas graças a todo um conjunto de iniciativas e de alterações conceptuais em que fomos pioneiros não apenas em Portugal, mas, também, na Europa, quatro anos depois o Casino Estoril tinha atingido o estatuto de maior casino europeu. E assim se manteve até há uns poucos anos atrás, quando em 2006, e graças ao desdobramento da concessão da Estoril Sol, fizemos o Casino Lisboa que, quer pela sua localização, quer pelo seu modelo conceptual mais direcionado para a juventude, já ultrapassou, em termos de receitas, o Casino Estoril, volvidos 2 anos sobre a sua inauguração. Neste momento, face aos dados estatísticos de que disponho, o Casino Estoril e o Casino Lisboa são os dois maiores Casinos da Europa. Não obstante a nossa preocupação em criar modelos conceptuais diferenciados para as duas Unidades que visassem buscar como “target” públicos-alvo também diferenciados, designadamente no segmento etário e sócio-económico, a verdade é que o Casino Lisboa não deixou de beneficiar de um efeito de alguma canibalização sobre o Casino Estoril. Na actual fase em que nos encontramos, gosto de afirmar – a título de piada – que um é o “maior” e o outro é o “melhor” da Europa.

We met him at his offices at the Estoril Casino. A space full of paintings by Portuguese artists that share the room with all the usual paraphernalia of files inherent to the management of a business group the size of Estoril Sol, where Mário Assis Ferreira has been the Executive Director since 1984 and Chairman since 2000. Dozens of pipes are laid out, in no particular order, on a long wooden table, indicating the strong personality of this figure who is currently part of the history of success of one of Portugal’s most iconic casinos. We take our seats on comfortable green sofas and get ready for an informal chat that will touch upon the reality of the casinos’ business in Portugal, Egoísta magazine, an excellent tool for promoting culture, and his personal taste for fast cars and beautiful watches. At the end of the interview we still have some time to analyse, in a summarized way, the traditional “envy” of the Portuguese, sadly so often manifested towards someone who enjoys the success he has reaped and the merit of a lifetime’s work. The first question on whether the Estoril Casino continues to be the largest in Europe, was followed by a pause as Mário Assis Ferreira lights the pipe he has prepared. The sweet, pleasant smell that lingers in the air precedes his calm and confident reply: Mário Assis Ferreira: “I started working as a Manager for Estoril Sol in 1884 and my mission as the Executive responsible for the Estoril Casino began shortly afterwards, in 1987. In those days, the Estoril Casino occupied a modest position in the European ranking, but thanks to a set of measures and conceptual changes that were pioneering, not only in Portugal but in the whole of Europe, four years later, the Estoril Casino became the largest European Casino. It maintained this position until a few years ago when in 2006 and thanks to the unfolding of the Estoril Sol concession, we opened the Lisbon Casino that due to its location and its overall conceptual model, that targets young adults, has already overtaken the Estoril Casino in terms of revenue, just two years after its inauguration. At the moment, based on the statistical data that I have, the Estoril Casino and the Lisbon Casino are the two largest Casinos in Europe. Despite our efforts to create conceptually different models for the two units, aimed at a different target groups, specifically in terms of socio-economic terms, the truth is that the Lisbon Casino did benefit from the cannibalization over the Estoril Casino. With regards to the phase we are going through now, I like to state – as a joke – that one is the “biggest” and the other is the “best” in Europe.

71


entrevista interview

Em 2006 falava-se de crise. Em 2012 o tema continua a ser o mesmo. Desde que em Abril desse ano inaugurou o Casino Lisboa, o espaço tem correspondido às expectativas de longo prazo que lhe tinha reservado? MAF: Sem pretender contrariá-lo, em 2006 não se falava em crise: apenas alguns videntes e poucos economistas alertavam, sem prazo certo, para essa probabilidade. Probabilidade essa que, de facto, sobre todos nós tombou no 2º semestre de 2008 e, a partir daí, só se tem agudizado. Quanto ao Casino Lisboa excedeu largamente as expectativas. Foi de facto um casino que permitiu a construção de um modelo original que não teve de ser herdado com as suas idiossincrasias e que foi totalmente pensado de raiz na sua concepção, inclusive a orgânica e funcional. É, portanto, um casino de certo modo imune às crises porque está de tal modo racionalizado e pragmatizado que, praticamente, não carece de ajustamentos por mais que a crise determine uma redução na capacidade aquisitiva dos portugueses e por mais que – pelo menos até certo limite – tal determine uma excessiva queda de receitas decorrente da continuidade e agravamento da crise. Nem tanto por falta de frequência do público, que essa mantém-se intacta e até tende a crescer, mas da sua capacidade de dispêndio para jogar, se divertir e ir aos nossos espectáculos”. O Casino Lisboa tem uma oferta diferenciada em relação ao Casino Estoril? MAF: “Tem uma oferta diferenciada em vários aspectos. Antes de mais, em relação a todos os Casinos da Europa, – que são “Salas de Jogos com serviços anexos” – quer o Casino Estoril, quer o Casino Lisboa, têm ofertas totalmente diferenciadas, na medida em que são centros multidisciplinares e polivalentes com todo um conjunto de actividades lúdicas que vão desde a alta gastronomia até às exposições de arte, aos espectáculos, aos grandes concertos, aos ciclos de Jazz e às galas internacionais. Com excepção do Casino de Monte Carlo, que só o faz durante os três meses do verão, os Casinos Estoril e o Casino Lisboa têm, de facto, ao longo de todo o ano, um elenco de actividades de natureza cultural, social, artística e de apoio às artes e à cultura que os identifica como característica diferenciadora dos Casinos da Estoril Sol. A programação do Casino Lisboa é constituída por produções normalmente internacionais com períodos curtos de duração de duas a três semanas, para além da animação, aberta ao público, no Arena Lounge; enquanto que as produções do Casino Estoril, para além das Galas internacionais, grandes concertos e peças de teatro, que são eventos instantâneos, assenta em grandes produções de “music-hall” diárias, cuja duração varia entre seis a nove meses. Trata-se de uma oferta artística cujo mérito nem sempre é devidamente valorizado pois não existe nenhuma outra entidade privada em Portugal, mesmo aquelas que estão vocacionadas para esse efeito, que desenvolva um espectro de actividades culturais tão abrangente quanto os

In 2006 there was talk about the crisis. In 2012 the theme continues. Since you inaugurated the Lisbon Casino in April of that year, has it responded to the long term expectations that you set for it? MAF: Not wanting to contradict you, in 2006 there was no talk of crisis: just a few fortune tellers and economists alerted to the fact that there was a chance that there could be one, at some stage. A chance that hit us in the second semester of 2008 and has worsened since then. Regarding the Lisbon Casino, it has largely exceeded expectations. It is a casino with an an original model that did not have to be inherited, with its own idiosyncrasies that was totally conceived from scratch, even in organic and functional terms. It is, therefore, a casino that to a certain extent is immune to crises because it has been streamlined and made pragmatic to such an extent that it practically doesn’t require any adjustments despite the fact that the crisis has led to a decrease in the purchase power of the Portuguese that - at least to a certain extent - would determine an excessive drop in revenue resulting from the continued and worsening of the crisis. Not so much due to lack of public attendance, as this is intact and even tending to grow, but due to the amount of money people are able to spend on gaming, enjoying oneself and going to our shows”. Does the Lisbon Casino offer different things to the Estoril Casino? MAF: “They differ in many ways. Firstly, in relation to all the other casinos in Europe that are “Gaming Rooms with annexed services”, they are multidisciplinary and polyvalent centres with a whole set of entertaining activities that range from high quality cuisine, art exhibitions, shows, concertos and jazz events to international galas. With the exception of the Monte Carlo Casino, that only offers these kinds of events during the three-month summer period, the Estoril and Lisbon Casinos offer a range of cultural, social and artistic events supporting the arts and culture throughout the year, making the Estoril Sol casinos different to others. The Lisbon Casino’s calendar of events is mainly made up of international productions with short durations of two to three weeks, in addition to all the fun available to the public in the Arena Lounge; whilst the Estoril Casino, in addition to the international galas, great concerts and theatre productions, that are one-off events, there are also great music hall productions every day, running for six to nine months. This artistic offering doesn’t always receive the merit it is due as there are no other private entities in Portugal (even those who try to do so) that offer such a broad range of cultural activities as the Estoril Sol Casinos”. Does Egoísta, the cultural magazine of the Estoril Sol Casinos, continue to be a cult object? MAF: “It’s been 12 years of editorial saga and very soon after the first editions, it became a cult magazine and certainly the magazine published in Portugal that has

72


interview entrevista

Casinos da Estoril Sol”. A Egoísta, a revista cultural dos Casinos da Estoril Sol continua a ser um objecto de culto? MAF: “São 12 anos de uma saga editorial que, de facto, logo ao fim dos primeiros números a consagrou como “revista de culto” e a transformou, seguramente, na revista mais premiada que alguma vez se publicou em Portugal. Ganhou mesmo mais prémios, nacionais e internacionais, do que o próprio número de edições. Eu considero que a Egoísta é um instrumento fundamental para a transversalidade imagética da Estoril Sol, porque ela ultrapassa a fronteira física dos nossos Casinos e se dirige a um público altamente seleccionado, a “opinion leaders”, a todo um sector institucional e empresarial, e a todo um exigente grupo de leitores para quem a originalidade do grafismo e dos conteúdos da revista constituem, de facto, “uma pedrada no charco”. Eu diria que o conceito que inspira a Egoísta, – e que é, aliás, o mesmo que eu adopto em relação a tudo aquilo que diz respeito às actividades dos nossos Casinos, – é que “tudo o que está bem é porque já está obsoleto”. E a Egoísta reflecte exactamente essa postura. Se verificar a sua apresentação, em cada capa e em cada edição, – e são sempre edições temáticas –, procuramos superar aquilo que fizemos

received the most awards. It has actually won more prizes and awards than its number of editions. I believe that Egoísta is a fundamental tool for the imaginative transversality of Estoril Sol because it goes beyond the physical borders of our Casinos and targets a highly selective public, opinion leaders, the institutional business sector and a whole group of demanding readers who see the originality of the graphic work and content of the magazine as having a ripple effect. I would say that the concept that inspires Egoísta, which is in fact the same as the one I adopt in relation to all of our Casinos’ activities – is that “everything that’s fine is so because it has become obsolete”. Egoísta reflects exactly that, if you notice the cover of each edition – always based on a theme – we always try to go even further than we did previously and to surprise readers, without ever being tempted to do more of the same. The truth is that for each edition of Egoísta, we receive hundreds of letters from personalities from all areas, who I respond to personally, where they transmit their enthusiasm for this cultural initiative that, furthermore, is unique in Portugal and Europe as a whole, as it is developed and sponsored by a business group that has Casinos as its core business. In fact – “et pour cause” – it is a publication that never discusses gaming or casinos.

“A inveja não é mais do que a admiração sem esperança” “Envy is nothing more than admiration without hope” Mário Assis Ferreira

anteriormente e criar o efeito da surpresa no leitor, sem nunca nos deixarmos contaminar pela tentação de fazer mais do mesmo… E a verdade é que, a cada edição da Egoísta, são centenas as cartas que recebo das mais representativas personalidades, às quais respondo pessoalmente e onde nos são transmitidas considerações entusiásticas sobre esta iniciativa cultural que, além do mais, é única em Portugal e única na Europa, enquanto realizada e patrocinada por um Grupo Empresarial cujo “core business” é Casinos. Aliás, – “et pour cause” –, é uma publicação que nunca fala nem de jogo nem de casinos.” Alguma vez considerou uma edição online? MAF: “É uma revista que é muito difícil imaginá-la por outra via que não seja a sua edição física em papel. Em minha modesta opinião uma edição online, descaracterizá-la-ia e deixaria de ser a Egoísta. Porquê? Pelo tipo de impressão, pela gramagem e especificidade do papel rugoso que é utilizado, pelos cortes que são feitos em cada página para acentuar um ponto de referência na página seguinte, pelo cheiro a tinta de tipografia que deixou de existir nas últimas

Have you ever considered an on-line edition? MAF: “It’s very difficult to imagine this magazine in any format other than its physical edition on paper. In my modest opinion, an on-line edition would make it lose its essence and it would no longer be Egoísta. Why? Because of the type of printing, the specific textured paper that is used, the cuts that are made on each page to highlight a point of reference on the following page, the smell of the typography ink that has disappeared in recent generations but is still part of our memories. As you leaf through Egoísta all these memories come flooding back. In addition to all of this, the lettering is like that of a 50s typewriter. All the exuberance of the graphic work, the portfolios of the world’s and Portugal’s most famous photographers, there are a whole set of peculiarities that make Egoísta a unique object of cult, physically tactile, that Estoril Sol has reaped many benefits from in terms of image and recognition for the support for culture”.

73


74


interview entrevista

gerações mas que ainda faz parte da nossa memória. Ao desfolhar-se a Egoísta sente-se de novo essa saudade. A que acresce, por exemplo, a tipologia do “lettering” – que é o de uma máquina de escrever dos anos 50, – toda a exuberância do grafismo, os portefólios dos mais famosos fotógrafos do mundo e portugueses, enfim, todo um conjunto de peculiaridades que transformam a Egoísta, de facto, num objecto único de culto, fisicamente táctil, do qual a Estoril Sol tem retirado os maiores dividendos de imagem e de consagração no apoio à cultura.” As suas grandes paixões materiais, para além dos cachimbos, são os carros e os relógios. Reconhece afinidades em ambos? MAF: “Eu não lhes chamaria bem paixões, são antes uma forma que encontrei de me autocompensar das 14 a 16 horas que trabalho todos os dias, desde há 25 anos, na Estoril Sol. Digamos que eu me enclausurei no trabalho e que a forma que tenho de me autopremiar, um pouco, por esse esforço, é a de gostar muito de carros e imenso de relógios, para além dos cachimbos, de que tenho mais de 300 exemplares. Prazeres que me permitem, apesar da idade, ir aguentando este ritmo diário que tenho mantido ao longo destas mais de duas décadas, sem fins de-semana e sem férias. Há um aforismo popular anglo-saxónico que diz que “The difference between a man and a boy, is the price of the toy”. São prazeres não propriamente baratos mas que, de certo modo são dissociáveis no apelo que em mim despertam. Gosto de ter um carro rápido, um carro que tenha uma grande capacidade de aceleração como uma forma de evasão para, quando, de madrugada, saio do trabalho, poder sentir o despertar da adrenalina e, enfim, apesar de ser um condutor que não tem tido multas por excesso de velocidade, poder vibrar, pelo menos, com o arranque da viatura e ouvir o barulho do motor. Esse é um prazer sensorial que uma vida de intenso trabalho me tem permitido manter desde os meus 18 anos porque, com essa idade, tinha já um conjunto musical que era o mais famoso de Portugal e se chamava “Quinteto Académico”. Uma aventura de juventude que me permitiu ganhar o dinheiro suficiente para que, com apenas dezoito anos, o meu primeiro carro fosse um Porsche. No que diz respeito aos relógios, tenho a impressão que a minha atracção por eles tem a ver com algo comum ao sexo masculino. No fundo, corresponde quase como que a uma compensação/frustração em relação ao facto de as mulheres usarem joias e os homens terem necessidade de encontrar num relógio qualquer coisa que compense esse “capitis diminutio” relativamente ao sexo oposto. E, por isso, os relógios que tenho, e que fui somando ao longo da vida, para além de alguns com complicações algo sofisticadas, primam, sobretudo, por serem objectos que esteticamente me agradam muito. Por isso eu diria que mais do que um profundo conhecedor de relojoaria no seu aspecto técnico, é o seu aspecto estético e a sua diferenciação que me atrai

Your great material passions, in addition to pipes, are cars and watches. Do you feel there is an affinity between both? MAF: “I wouldn’t exactly call them passions rather they are ways that I have found to treat myself for the 14 to 16 hours I have been spending at work, every day, for the past 25 years, at Estoril Sol. Let’s say that I shut myself off in work and the way I reward myself a little for all this effort, is liking cars a lot and watches immensely, in addition to the more than 300 pipes I own. Pleasures that allow me, despite my age, to maintain the daily pace that I have kept up over more than two decades, without weekends or holidays. There’s a popular British saying, “the difference between a man and a boy, is the price of the toy”. They are toys that aren’t exactly cheap but are worth it for the pleasure they give me. I like having a fast car, with powerful acceleration, as a means of escape so that when I leave work in the early hours of the morning, I can feel the awakening of adrenaline (although I haven’t had many speeding fines) and to be able to get a thrill from the start-up of the car and hearing the roar of the motor. This is a sensorial pleasure that a life of intense work has allowed me to have since I was 18 when, at that age, I was already part of the most famous music group at the time, called Quinteto Académico. An adventure when I was young that allowed me to put together enough money, at that age, to buy a Porsche as my first car. Regarding watches, I believe that my attraction for them has to do with being a man. Deep down, it’s almost as if they are compensation for the frustration we have in relation to women wearing jewellery. Men need to find in a watch something that compensates for this capitis diminution we have in relation to the opposite sex. That’s why the watches I own and that I have collected throughout my life, in addition to a few with sophisticated complications, are objects that aesthetically appeal a lot to me. That’s why I would say that more than being a profound connoisseur of watches from a technical point of you, it’s their aesthetics and their distinguishing features in relation to what is usual in normal watches that appeal to me.” What was it that first awakened your passion for watches? MAF: “It was at the age of 22 on the day I went to work as a lawyer at the Ministry of Finance, that my father gave me my first “serious” watch. It was a Patek Philippe bought at the Torres Jewellery store on the corner of the Santa Justa elevator. An object given to me as a talisman at the start of my professional career. It was this watch that I have kept devotedly until today, that awakened my taste for watches and for over the past forty years, whenever I can and finances permitting, I buy a new one. Is there a model you especially like to wear? MAF: “I very much like the Patek Philippe, F.P.Journe, of which I have a Vagabondage II, Jaeger-leCoultre and

75


entrevista interview

em relação àquilo que é usual na generalidade dos relógios comuns. O que despertou pela primeira vez a sua paixão pelos relógios? MAF: “Foi no dia em que eu entrei, com 22 anos, como Jurista no Ministério das Finanças e o meu Pai me ofereceu o meu primeiro relógio “a sério”. Tratava-se de um Patek Philippe comprado na Joalharia Torres, na loja de esquina ao pé do elevador de Santa Justa. Uma peça oferecida como um talismã no início de uma carreira profissional. Esse relógio, que ainda hoje guardo com devoção, fez despertar em mim esse gosto pelos relógios e, ao longo dos últimos quarenta e tal anos, sempre que posso e sempre que tenho condições económicas para o fazer, volto a adquirir uma nova peça. Tem algum modelo que lhe dê um prazer particular em usar? MAF:“Eu gosto muito do Patek Philippe, do F.P.Journe, de cuja marca tenho um Vagabondage II, da Jaeger-leCoultre e da A.Lange & Sohne. Para além destes, gosto de alguns modelos de outras marcas, mas se eu tivesse que escolher aqueles que fazem parte do elenco das minhas preferências, detinha-me neste circulo. E no que respeita à sua preferência por carros? Há algum que mereça mais a sua atenção? MAF:“Tenho dois carros, um pessoal que utilizo na minha vida particular e o outro da empresa, que utilizo em serviço e pelo qual paguei metade do preço do meu próprio bolso. O meu carro pessoal é um Porsche, uma marca que sempre tive desde os meus 18 anos e que, como é óbvio, comprei à minha custa. Considera-se um coleccionador? MAF: “Não me considero um verdadeiro coleccionador. Sou antes um utilizador dos prazeres que a vida me pode proporcionar no escasso tempo que disponho para tirar da vida outras compensações que não sejam a de trabalhar. Isto, porque a verdade é que também o trabalho é, para mim, um motivo de prazer. Eu diria que quando se alcança esta fase madura da vida se compreende que ser rico não é ter dinheiro, é ter tempo, e o tempo passa a ser um bem cada vez mais escasso. Aliás, admito que, subliminarmente, a valorização que dou ao tempo esteja associada ao meu gosto pelas máquinas que o medem, ou seja, os relógios. Mas o tempo também é importante para, sensatamente, saber escolher um carro. Porque ter tempo é, também, ter a capacidade de auto análise e de sentir até que ponto a nossa idade, os nossos reflexos, a nossa capacidade motora, a nossa maestria de condução, nos permite ter um carro com as características daqueles que eu gosto. Porque no dia em que deixar de ter essas capacidades, passarei, possivelmente, a andar de Smart. Não, não tenho o menor impulso coleccionista. Tenho sim o impulso de um utilizador das coisas que me dão prazer e, tendo capacidade para as ter e idade para as disfrutar, procuro tê-las.”

A.Lange & Sohne. In addition to these I like some models of other brands, but if I had to choose my favourite, it would be one of these. And what about your favourite cars? Is there one that deserves your special attention? MAF: “I have two cars, my own one that I use for in my personal life and a company car, that I use for work and that I paid half of. My personal car is a Porsche, a brand I have had ever since I was 18 and that I obviously bought myself”. Do you consider yourself a collector? MAF: “No I don’t consider myself a true collector. I’m more of an enjoyer of the pleasures that life has been able to give me in the short space of time that I have for rewards other than work. This because work is also a pleasure for me. I would say that when one reaches this mature phase in life you realize that being rich isn’t about having money, it’s about having time and time is an increasingly scarce asset. In fact I admit that subliminally, the value I give to time is associated to the machines that measure them, watches. But time is also important to be able to choose a car sensibly. Because having time is also having the capacity to analyse and feel to what extent, our age, reflexes, motor capacity, and our driving skills will allow us to have a car with the characteristics that we like. The day I no longer have these capabilities, I will possibly start driving a Smart. No, I don’t have the impulse nature of a collector. Yes, I have the impulse for using things that give me pleasure and so as long as I can have them and whilst I’m at an age to be able to enjoy them, I will do so”. Do complicated watches seduce you? MAF: “I like watches with complications. Unfortunately my finances do not allow me to have a tourbillon, because tourbillions “cost an arm and a leg”. In relation to to chronographs and rattrapant chronographs or watches with dual time indications, I really like these timepieces which are true works of art and not just mechanical manufactures. All my watches are mechanical and some are not even automatic because just as I write by hand, using just a pen, I also appreciate and feel my watches not only for the time they tell but also for what they represent in terms of aesthetics, both visual and tactile. I like to turn them over, I like to see the back of the mechanisms. I know the movement of an automatic watch very well and also of a manually- wound watch, but I especially like handling the latter and winding them up every day. This is an action that creates a sensorial and artisanal relationship with the object”. After all these years, running the most iconic casinos in Portugal, do you continue to have challenges and goals that you want to achieve? MAF: “One thing are the challenges and goals I would like to achieve and that I aim to achieve, another thing are the objectives that the Portuguese economic conjecture and context dictate as limitations. I would say that I never stop dreaming, but I always dream awake. It’s dreaming awake,

76


interview entrevista

Os relógios complicados seduzem-no? MAF: “Eu gosto de relógios com complicações. Infelizmente a minha capacidade económica não me chega para ter nenhum “turbilhão”, porque os “turbilhões” “estão pelas horas da morte”. Mas no que diz respeito a cronógrafos e cronógrafos “rattrapantes” ou relógios de duplo fuso horário, acho muita piada a esses instrumentos do tempo que são, de facto, obras que já não são apenas manufacturas mecânicas, mas verdadeiras obras de arte. Todos os meus relógios são mecânicos e, alguns deles, nem sequer são automáticos porque, tal como escrevo artesanalmente, apenas com uma esferográfica ou com uma caneta, também em relação aos meus relógios eu aprecio-os e sinto-os, não apenas pelas horas que medem, mas, também, por aquilo que eles representam em termos estéticos, quer visuais, quer tácteis. Gosto de os virar, gosto de ver a parte de trás dos mecanismos. Conheço bem o roteiro do movimento de um relógio automático e de um relógio de corda manual, mas estes últimos dão-me um especial prazer no seu manuseio e em dar-lhes corda todos os dias. Um acto que me cria uma relação sensorial e artesanal com o objecto.” Ao fim de todos estes anos à frente dos mais emblemáticos Casinos de Portugal continua ainda a ter novas metas e desafios que se propõe alcançar? MAF: “Uma coisa são as metas e os desafios que eu gostaria de alcançar e que me proponho alcançar, outra coisa são as metas que a conjunctura e o contexto económico português me dita como limitações. Eu diria que nunca deixo de sonhar, mas sempre sonho acordado. E sonhando acordado, vivo na esperança de que o que já está feito nunca seja uma obra acabada mas, apenas, uma etapa que possa ser sempre desenvolvida, rumo a uma obra melhor, seja por mim ou por outros que me sucedam. E faço votos para que os conceitos em que acredito, e que são muito distantes da simples recondução do conceito de um casino a “um espaço de jogos com serviços anexos”, continuem a prevalecer. Gostaria muito de ter condições e de ter os recursos para insaciavelmente buscar a diferença. Pois é muito mais fácil alcançar a qualidade do que mantê-la e, para a manter, é necessário mudar e, mudar, significa criar a diferença. A verdade é que ninguém consegue ser melhor que toda a gente. Mas qualquer um consegue ser diferente dos demais. Porque existe um cromossoma que faz parte da génese

that I live in the hope that what has already been done will never be a finished job but just a step that can be further developed, towards a better job, be it by me or by those who come after me. I hope that the concepts that I believe in, that go far beyond the simple renewal of the concept of a casino to “a gaming area with annexed services”, will continue to prevail. I would very much like to have the conditions and resources to insatiably seek difference. It’s much easier to achieve high quality than to maintain it and in order to maintain it, one must change and change means making a difference. The truth is that no one can be better than everyone. But anyone can be different to the rest. Because there is a chromosome that is part of everyone’s genesis and that makes one different to the various other billions of human beings that occupy the planet. This chromosome resides in the ability to create something that is different and that is the essential part of maintaining the concept of high quality. Sometimes a large investment isn’t even necessary, just an idea, determination, the right conditions and the will to make things happen. Whatever I can do for Estoril Sol in this sense, I will do. And if one day I no longer have the conditions available to do so, I will know how to draw the necessary lessons from it.” Do you think that the “envy” so typical and almost traditional of the Portuguese, has been further exacerbated now? MAF: “I think that one of the consequences of a true democracy is that all men are born equal, but never end up the same. They are products of their circumstances and of themselves. They are a product of their initiative, vision, entrepreneurship, their capacity for sacrifice, of a whole set of options that at times, during adolescence and when one is less mature, start to be created regarding the future. That’s why in a democracy that is working well, there will always be differences. I know dozens of countries in the world and I know, for example, that ambition is the common denominator, a dominating characteristic in all human beings and it’s natural that it should be so as it’s part of their DNA. But regarding Portugal, it may be the only country that I know where there is a feeling that goes beyond ambition and that is envy. For a significant portion of the Portuguese population, what is more important than ambition, sacrifice and effort which are inherent for progress, is to destroy those who started off at the same level but ended up going further.

77


entrevista interview

de cada indivíduo e que o faz diferente entre os vários biliões de seres humanos que ocupam o planeta. E nesse cromossoma reside a capacidade de criar algo que seja diferencial e que é a matriz essencial para manter o conceito de qualidade. Por vezes nem sequer é necessário um grande investimento, basta a ideia, basta a determinação, basta ter as condições e a vontade de a concretizar. O que eu puder fazer pela Estoril Sol nesse sentido, fá-lo-ei. E se um dia deixar de ter condições para tal, saberei extrair as respectivas consequências.” Acha que a “inveja”, tão típica e quase tradicional em alguns portugueses, está neste momento mais exacerbada? MAF: “Acho que uma das consequências da democracia real é de que todos os homens nascem iguais, mas nunca acabam iguais. Eles são o produto das circunstâncias e de si próprios. São o produto da sua capacidade de iniciativa, da sua visão, do seu empreendedorismo, da sua capacidade de sacrifício, de todo um conjunto de opções que, às vezes, logo na adolescência e ainda nos verdes anos, se começam a construir em relação ao futuro. Por isso, numa democracia a funcionar correctamente sempre haverá diferenças. Eu conheço muitas dezenas de países do mundo, diria mesmo que conheço uma grande parte do mundo, e sei que, por exemplo, a ambição é um denominador comum, uma característica dominante em todo o ser humano e é natural que o seja pois faz parte do seu ADN. Mas, tanto quanto observo relativamente a Portugal, talvez este seja o único país, que bem conheço, onde existe um sentimento que, geralmente, ultrapassa o da ambição e, esse, é o da inveja. Para uma significativa parte da população portuguesa, mais importante do que a ambição, o sacrifício e o esforço inerente em progredir, é destruir aqueles que, tendo partido do mesmo patamar, acabam por subir mais alto. Nessa mesquinha acepção, a inveja não é mais do que a admiração sem esperança. Ela não me preocupa particularmente porque quando não se têm telhados de vidro temos de ser a verdade de nós próprios e percorrer a vida com serenidade, com bom senso, com sentido de equilíbrio e de exemplo, de molde a evitar a inveja mas, se necessário, com coragem para a enfrentar. Há épocas em que esse sentimento, algo próximo de uma retaliação de frustrações, se desenvolve com particular acuidade. E, infelizmente, estamos agora num desses tempos, como natural decorrência da crise. No actual contexto, atitudes ostensivas não são recomendáveis nem são sinónimo de bom senso. Mas quando se tem sentido de equilíbrio e transparência de processos nada mais justo que saber aproveitar aquilo que uma vida de trabalho e de sacrifícios nos proporcionou. Em nome da verdade e da verticalidade, não temos de ter vergonha de, nós próprios, podermos e devermos viver, se não muito bem, pelo menos razoável e dignamente, como merecido dividendo do esforço de uma vida dedicada a trabalhar, a fazer uma obra e a cumprir uma missão ao serviço de uma causa.”

In this petty context, envy is nothing more than admiration without hope. It doesn’t particularly worry me because when you don’t have glass ceilings, we have to be true to ourselves and go through life serenely, sensibly, with a sense of balance and setting an example in order to avoid envy but, if necessary, with the courage to confront it. There are times when this feeling, similar to retaliation for frustrations, develops more acutely. Unfortunately we are going through a period like this now, a natural consequence of the crisis. In the current context, it is not to be recommended or synonymous with good common sense. But when there is a sense of balance and transparency in the processes, there is nothing fairer than knowing how to make the most of what a lifetime of work and sacrifices have given us. In the name of the truth and verticality, we don’t need to be ashamed of ourselves, we can and should live, if not very well, at least reasonably well and in a dignified manner, as the deserved dividend of a lifetime dedicated to work, fulfilling a task and a mission in the service of a cause.”

78


próximo número next number

Ancient America

A nova Colecção da H.Stern, é um mergulho na riqueza cultural Pré-colombiana The Ancient America Collection: a deep dive into a Pre-columbian culture

Q

ue tal transformar-se num jaguar? Ele era associado à força e ao poder e os felinos em geral simbolizavam o mundo dos humanos. Ou quem sabe converter-se num peixe? Por viver sob as águas, ele simbolizava nutrição e vida. Conheça mais na próxima edição… How about transforming yourself into a jaguar? They are associated to strength and power and in general felines symbolize the world of mankind. Or would you rather transform yourself into a fish? As they live underwater, they symbolise nutrition and life. Find out more in the next edition...

Anel/Ring Ouro rosa e diamantes, inspirado no Jaguar / Rosé gold and diamonds, Jaguar-inspired

Brincos/Earrings Ouro nobre amarelo e diamantes, Inspirado no peixe / Yellow, Noble Gold and diamonds, Fish-inspired

79


destaques highlights

h.stern obra de arte masterpiece

Grupo Corpo in “21”, José Luiz Pederneiras

A

trupe de dança brasileira, o Grupo Corpo, foi interpretada desde a sua concepção até à apresentação criativa em palco. As figuras formadas por todos os bailarinos elevam o contorno das joias. A coreografia e o figurino foram traduzidos na textura do ouro. O resultado surpreende pelo charme e brasilidade da joalharia com o nome de balés do Grupo Corpo apresentados desde 1992 em todo o mundo.

The Brazilian dance troupe, Grupo Corpo, was interpreted from its conception to the creative presentation on stage. The images formed by all the dancers rise to the contour of the jewelry. The choreography and costumes were translated into the texture of gold. The result surprises by the charm and Brazilianness in jewelry named for ballets of Grupo Corpo presented worldwide since 1992.

80


h.stern

Anel/Ring Flor de ouro amarelo / Yellow gold flower. Ref: HSTA2O192695 €3.900

Pendente/Necklace Ouro amarelo Ref: HSTP2O191717 €6.400

Anel/Ring Ouro amarelo e Noble Gold / Yellow gold and noble gold Ref: HSTA2OE174875 € 4.600

81

Brincos/Earrings Ouro amarelo com brilhante cognac / Yellow gold with cognac diamond Ref: HSTA2B174926 € 5.200


montblanc destaques highlights

carlo collodi edição escritores | writers edition

C

om dedicação em todos os detalhes, o design dos instrumentos de escrita com acabamento em nobre resina castanha escura é evocativo do mundo mágico dos contos de fada de Pinóquio. Com uma tampa esqueletizada, coroada com o emblema cor de marfim da Montblanc, a delicada gravação da grelha de malha mostrando Pinóquio com os seus companheiros e o aparo de ouro de 18 cts de cor champanhe completa a edição desta preciosa canetatinteiro. With every loving detail, the design of the writing instruments finished in dark brown precious resin is evocative of Pinocchio’s magical fairy-tale world. With a skeletonised cap, crowned with the ivory-coloured Montblanc emblem, the delicate engraving of the lattice grille-showing Pinocchio and his companions – and the champagne-gold 18 k nib complete this edition of a precious fountain pen.

82

Carlo Collodi Edição limitada a 12.000 canetas-tinteiro; Aparo e corpo de nobre resina castanha escura; Sobreposição da tampa esqueletizada; Acabamentos revestidos a ouro cor de champanhe; Aparo de ouro 18 cts cor de champanhe. Limited edition to 12.000 fountain pens; Cap and barrel of dark-brown precious resin; Skeletonised cap overlay; Champagne-tone gold – plated fittings; 18 K champagne. Ref. 106640 €805


montblanc

Montblanc TimeWalker Dual Carbon Ref. 105805 €5.700

Montblanc Sport Lady Jewellery Ref. 102362 €3.070

Botões de Punho Ref. 104505 €305

Capa para iPhone Ref. 108009 €170

83


evento happening

boutique rolex no C. Colombo boutique rolex at colombo shopping centre

U

m ambiente de festa e glamour serviu de pano de fundo para a apresentação das novas colecções de relógios Rolex. Vários foram os convidados que se deslocaram à primeira Boutique Rolex em Portugal para num mesmo espaço apreciarem uma vasta gama de modelos representativos do universo de exclusividade Rolex.

A festive and glamorous atmosphere provided the setting for the presentation of the new Rolex watches’ collections. Many were the guests who visited the first Rolex Boutique in Portugal to admire the vast range of exclusive Rolex models.

Filomena Gonçalves e Miranda de Sousa

Susana Correia, José e Clara Calheiros

João e Kiki Pina Cardoso com Rita Torres

Pedro e Fátima Lobo do Vale

Ana Clara Palmeira e António Ponces de Carvalho

Margarida Figueiredo e Marionela Gusmão

84


happening evento

Interior Boutique Rolex

Ambiente exterior da Boutique Rolex

Fernando Soares, Susana Correia e Sandra Dimoise

Peter e Mercedes Motek com Rita e João Carlos Torres

Vítor e Alexandra Gusmão e António Simões do Paço

85

Carlos Fonseca Ferreira, Filomena Morim e Rui Rocha


destaques highlights

mimí Sou/I’m MIMÍ

Leela Pendentes/Pendents Refs. MMP320C1A1B; MMP320C319B; MMP320C3LB € 980 cada/each

Cocktail Anel/Ring Ref. MMA043R26 € 5.900

Nagai Brincos/Earings Ref. MMO115A17 € 510

86


E

stação após estação, tenho transformado os meus instintos em jóias que as mulheres gostam e entendem.

Season after season, I have transformed my instincts into jewels that women love and understand.

Blanche Colar/Necklace Ref. MMC294C1Z € 4700 Pulseira/Bracelet Ref. MMB295C1Z € 2600

87


franck muller

heart Homenagem Ă feminilidade Homage to femininity


Franck Muller

A

colecção Heart é uma Homenagem à feminilidade, graças à sinuosa e silhueta curva que apresenta quer a caixa quer o vidro de safira, que é particularmente difícil de produzir (o qual, aliás, é encontrado em todos os relógios FranckMuller). O resultado é uma linha essencial que encarna o espírito das mulheres que amam a elegância e beleza. A “Heart” é o emblema desta fascinante e multi-facetada linha. A colecção Heart apresenta tons de prata, bordeaux, preto e azul. O coração é o símbolo de elegância pura. A pele de jacaré, que combina com a cor do mostrador escolhido, enfatiza a extrema delicadeza desta colecção especial.

The Heart collection pays homage to femininity, thanks to a sinuous and curved silhouette which features both a fascinating case as well as a sapphire glass that is particularly difficult to produce (which, incidentally, is found on all Franck Muller watches). The result is a must-have line that embodies the spirit of women who love elegance and beauty. The ‘heart’ is the emblem of this fascinating multi-faceted line. The Heart collection features silver, burgundy, black and blue hues. The heart is the very symbol of pure elegance. The alligator strap, which matches the dial colour chosen, emphasizes the extreme delicacy of this special collection.

Especificações Referência: 5002 M QZ 6H D2 Movimento: Quartz. Funções: Horas e minutos. Estanqueidade: 3 ATM. Decoração do movimento: Côtes de Genève, Granulado circular, sol com revestimento bicolor. Mostrador: Sol estampado lacado a branco com números árabes vermelhos. Caixa: Coração ouro rosa 18 ct, 90 diamantes – 4.02 cts. Dimensões da caixa: Largura: 34.50mm x Comprimento: 39.80mm x Altura: 7.80mm. Coroa: cabuchon montado na coroa. Bracelete: Pele de jacaré vermelha cosida manualmente. Preço sob consulta.

Specifications Reference: 5002 M QZ 6H D2 Movement: Quartz. Functions: Hour and minutes. Water-resistance: 3 ATM. Cover Movement Decoration: Côtes de Genève, circular graining, sun and bi-colour rhodium plating. Dial: Sunstamped lacquered white dial with red Arabic numerals. Case: Heart: 18 carat rose gold, 90 diamonds – 4.02 cts. Cases Dimensions: Width: 34.50mm x Length: 39.80mm x Height: 7.80mm. Crown: Crown set with cabochon. Strap: Hand-sewn red alligator strap. Price upon request.

Casablanca Automatic Chronograph Ref: 8880CCCDT/OVBRCA € 26.740

Cintrée Curvex Lady Diamonds Ref: 2852QZDPO/ACBRPR € 14.820

89


crónica chronicle

A dúvida é noiva do saber mistrust goes hand in hand with knowledge Por/By Rodrigo Moita de Deus

É sabido que a pergunta teve um primeiro casamento menos feliz com a resposta. Do enlance nasceram dois filhos. Um casalinho. O duvido e a dúvida. Ao contrário. A dúvida, mais velha, e o duvido, mano caçula da família.

It is well known that the question had a less than happy first marriage to the answer. From this union, two children were born. A boy and a girl. Mistrust and distrust. Contrary. Distrust, the eldest, and mistrust, the youngest sibling of the family.

90


Rodrigo moita de deus

À

primeira vista são parecidos. Rapaz e rapariga. Mas parecidos. E à primeira vista discutimos um acento. Sim acento. São parecidos, sim. À primeira vista. Porque à segunda vista as diferenças são quase todas. O duvido é meio-irmão do descrente e do desconfiado. Tio do suspeito. E muito próximo do cínico. Sobretudo do cínico. A dúvida é outra coisa. É tia da incerteza. Mãezinha da indecisão. É interrogação. É interrogação permanente. É pergunta. A dúvida pode até ser donna e como tal mobile, prima do escrúpulo. O duvido é que não. A dúvida, ao contrário do que dizem, não é filha do pai pergunta. Mas comprovadamente filha da mãe resposta. Vê-se logo naquelas trombas. Não há dúvidas nenhumas sobre isso. A mãezinha resposta sempre foi muito esquisita com os namoricos da filha. A dúvida, nós sabemos, andou com muitos. Nunca foi esquisita. Para desgosto da mãe que sempre insistia: a minha menina tem de casar bem. Mas quem quer uma rapariga tão fácil? A resposta andava de olho no saber que vivia ao fundo da rua. Ah! Isso sim era um rapaz para a sua princesa. Juntem a dúvida e o saber e nasce prole vastíssima de… (suspense) interrogações. E as interrogações são ainda melhores que as perguntas. Mais racionais. Mais sofisticadas. Mais sustentadas. É o aperfeiçoamento genético da semântica. Como se faz com os cães mas com as palavras. E sabendo de antemão que o duvido é estéril a coisa faz-se por varonia mas feminina. Assim: filha da resposta é a dúvida. Filha da dúvida é interrogação. Filha da interrogação também pode dar saber. Pode. Mas quanto mais se sabe mais dúvidas temos. At first glance they’re similar. A boy and a girl. But similar. At first glance we discuss a prefix. Yes, a prefix. Yes, they’re similar. At first glance. Because at second glance, they are almost completely different. Distrust is the half brother of the unbeliever and the suspicious. Uncle of the suspect and almost cynical. Especially cynical. Mistrust is something else. She’s the aunt of uncertainty. Mother of indecision. She’s interrogation. Permanent interrogation. She’s a question. She may even be donna and as such mobile, cousin of scruple. Distrust isn’t. Mistrust, contrary to what they say, isn’t the daughter of the father question. But has proven to be the daughter of the mother answer. You can tell by the bad moods. There is nothing whatsoever to mistrust about that. Mummy’s reply was always very picky when it came to her daughter’s boyfriends. We know mistrust had lots of them. She was never picky. Much to her mother’s horror, who had always insisted: my little girl must choose the right husband. But who would want such an easy girl? Answer was on the lookout for knowledge, who lived at the bottom of the road. Ah! He would be the ideal man for her princess. But when you put mistrust and knowledge together, a variety of …. (suspense) interrogations are born. And interrogations are even better than questions. More rational. More sophisticated. More substantive. It’s the genetic improvement of semantics. As one does with dogs but with words instead. And knowing upfront that I doubt is sterile, the lineage will be female. Therefore: daughter of the answer is mistrust. Daughter of mistrust is interrogation. Daughter of interrogation can also lead to knowledge. It can. But the more we know, the more mistrustful we are.

91


tag heuer

destaques highlights

grand carrera calibre 36 rs caliper

Grand Carrera 36 RS Caliper Referência: CAV5186.FC6304 Movimento: Cronógrafo automático Calibre 36 com certificado C.O.S.C. Horas, minutos, segundos lineares permanentes nas 9H, minutos do cronógrafo RS (Rotating Sistem) nas 3H e as horas do cronógrafo RS nas 6H, data com correcção rápida. Reserva de corda para cerca de 50 horas. Caixa: Titânio com tratamento PVD preto, vidro de safira anti risco com tratamento antireflexos dos dois lados, estanque até 100 metros. Bisel com escala taquimétrica. Diâmetro: Ø 43mm. Bracelete: Aligátor preta com pesponto amarelo e fecho de báscula de dupla segurança em titânio. € 9.350 Reference: CAV5186.FC6304 Movement: Automatic chronograph Calibre 36 with C.O.S.C. certified. Hours, minutes, linear permanent seconds at 3 and chronograph hours counter at 6, both displayed by Rotating System, rapid date correction. Power reserve about 50 hours. Case: Titanium with black PVD treatment, anti-scratch sapphire crystal with double anti-reflection treatment, water resistant to 100 metres. Tachymeter scale on bezel. Diameter: Ø 43mm. Bracelet: Black alligator strap and titanium folding clasp with double safety. € 9.350

O

Grand Carrera Calibre 36 RS Caliper é o primeiro cronógrafo mecânico do mundo que mede e exibe o tempo em 1/10º de segundo. A incomparável Escala Rotativa do Caliper realça a escala de 1/10º segundo nas leituras de relance. O movimento com certificado C.O.S.C. oscila em 36.000 incríveis vibrações por hora.

The Grand Carrera Calibre 36 RS Caliper is the world’s first mechanical chronograph which measures and displays time to 1/10th of a second. The unequalled Caliper Rotating Scale magnifies the 1/10th second scale for at-a-glance readings. The C.O.S.C. certified movement oscillates at an astonishing 36000 vibrations per hour.

92


tag heuer

Formula 1 Chronograph Ref: CAU1117.FT6024 € 1.750

Carrera Monaco Grand Prix Ref: CV2A1F.FT6033 € 4.700

Monaco Concept 24 Calibre 36 Ref: CAL5111.FC6299 € 11.990

93


tag heuer

Formula 1 Alarm Ref: WAU111B.BA0858 € 1.300

Formula 1 Ceramic Bicolor Ref: WAH1221.BB0865 € 2.750

Formula 1 Ceramic Pavée Ref: WAH1219.BA0859 € 4.350

94


tag heuer

Formula 1 Alarm

95


destaques highlights

Amor

à primeira vista love at first sight

TF Est. 1968 Depois do sucesso alcançado com o modelo Turbilhão para botões de punho e canetas, T F Est. 1968 apresenta o novo modelo Fases da Lua. After having successfully launched its model “Tourbillion” cufflinks and pens, T F Est. 1968 presents the new model “Moon Phase”. Botões de punho / Cufflinks Ref. CMP-PR01 Aço inoxidável; ouro rosa plaqueado, fibra de carbono preta. Stainless steel; Rose Gold plated; Black carbon. € 363

FORTIS

b-42 black mars 500 Numa nave espacial em habitat artificial de 180 m2 - seis jovens de diferentes nações foram trancados para simular um voo real para o planeta vermelho, isolado, sem luz do sol ou ar fresco, com duração de 520 dias. Este cronógrafo era parte do projecto e foram feitas 500 peças. In an artificial spaceship habitat of 180 m2 – six young men from different nations were locked up to simulate a real flight to the red planet, isolated, without sunlight or fresh air, for the duration of 520 days. This chronograph was part of the project and were issued 500 pieces. Ref. 638-28-13L13 Preço sob consulta/Price upon request

96


love at first sight amor à primeira vista

OMNIA

mais do que joias More than Jewels Fio de prata com pendente / Chain with pendant Prata e jade / silver and jade. Ref. P1039. €429 Brincos / Earrings Prata e jade / Silver and jade. Ref. E1039. €308

versace

mystique hibiscus Todos os relógios Versace são feitos na Suíça. A alta qualidade de cada relógio da Maison é garantida pelos rigorosos controlos e estritos critérios exigidos para a certificação Suíça. All Versace watches are made in Switzerland. The high quality of each timepiece from the Maison is guaranteed by the rigorous controls and strict criteria demanded for Swiss certification. Ref. 19Q99D1H1S001 Caixa 38 mm. Movimento Quartz Ronda 762.2. Mostrador: branco com hibisco e decoração estilo barroco. € 1.050 Ref. 19Q99D1H1S001 Case: 38 mm. Movement: Quartz Ronda 762.2. Dial: White with hibiscus and Baroque style decoration. € 1.050

TROLLBEADS

the original since 1976 A magia da pulseira intermutável Palmeiras, areia e conchas recordam-nos momentos das férias na praia. Monte a história de todas as suas memórias nesta bracelete da praia. The interchangeable magic bracelet Palm trees, sand and shells remind us the moments of beach holidays. Mount the story of all your memories in this beach bracelet.

97


destaques highlights

raymond weil va, pensiero

A linha Nabucco da Raymond Weil, reconhecida pelo seu design arrojoado, recebe agora um novo elemento concebido em titânio que recupera as formas míticas da colecção. The Raymond Weil Nabucco Collection, known for its bold design, now has a new titanium case bringing back the Collection’s mythical forms.

O

Nabucco Va, Pensiero – nome baseado no famoso coro de Verdi – transmite o mesmo poder e nobreza da ópera do grande compositor italiano. Os seus sofisticados materiais, a sua precisão e o seu design sedutor evocam um mundo urbano e revolucionário, fazendo deste novo relógio um verdaderio símbolo de liberdade e de independência. O cronógrafo destaca-se pela maturidade e elegância, devido ao seu mostrador sablé em tons de cinzento, em contraste com arquitectura poderosa da caixa. The Nabucco Va, Pensiero – name based on the famous Verdi chorus – transmits the same power and nobility as the great Italian composer’s opera. Its sophisticated materials, precision and seductive design, evoke an urban and revolutionary world, making this watch a true symbol of freedom and independence. The chronograph stands out thanks to its maturity and elegance, due to its sable face in tones of grey contrasting with the powerful design of the case.

98


raymond weil

Nabucco Va, Pensiero Referência: 7820-STC-05607 Nome alusivo ao famoso coro do terceiro acto da ópera Nabucco de Verdi (1842). Movimento: Cronógrafo mecânico de corda automática. Funções: Horas, minutos, segundos, cronógrafo e data. Reserva de corda: 46h. Caixa: Titânio e aço, vidro e fundo em safira com tratamento anti-reflexos, estanque até 200 metros. Dimensões: Ø 46mm diâmetro e 15,5 mm espessura. Coroa: com logo RW. Fundo da caixa: aparafusado. Estanqueidade: 200 metros, 660ft, 20 atm. Bracelete: Pele genuína Crocodylus Niloticus, fecho de báscula com duplo sistema de segurança. € 4.650 Reference:  7820-STC-05607 The name refers to the famous chorus of the third acto f Verdi’s opera Nabucco (1842). Movement: Mechanic self-winding Chronograph. Functions: Hours, minutes, seconds, chronograph and date. Power reserve: 46 h. Case: Titanium and stainless steel, sapphire crystal with antiglare treatment, estanque até 200 metros. Dimensions: Ø 46mm diameter and 15,5 mm height . Crown: with RW logo. Case back: screweddown. Bracelet: genuine Crocodylus Niloticus strap, folding clasp with double push-security system. Water resistance: 200 meters, 660ft, 20 atm. € 4.650

Maestro Ref: 2838-STC-00659 € 1.250

Jasmine Ref: 5235-PC5-00659 € 1.550 Maestro Chronograph Ref: 7737-STC-00659 € 2.550

99


ti sento

milano 100


ti sento milano

A

fusão animal e mineral com a mãe Terra A veia inspiradora que tem sido aproveitada para a Colecção Terra é a Africana - e os resultados são tão fantásticos como seriam de esperar. Por respeito para com o poder dos elementos naturais, a inspiração é traçada a partir da paisagem, cores e texturas da terra. Produzidas em prata e engastadas com pedras em pavé, estas peças únicas, algumas das quais inspiradas pela arte tribal, transformam quem as usa. Padrões pitón que se deslocam pelo braço serpenteantes e pedras opalescentes misturam-se com a suavidade do esmalte e couro de luxo. Combinando modernidade com a simplicidade da paisagem africana, este é um exemplo atrevido de luxo desnudado. Animal meets mineral meets mother earth The vein that has been tapped for the Terra Collection is an African one - and the results are as fantastical as they are desirable. With deference to the power of natural elements, inspiration is drawn from the landscape, colours and textures of the earth. Crafted in silver and set surrounded by pavé set stones, these unique pieces - some of which are inspired by tribal art - transform the appearance of the wearer. Python patterns sneak up the arm and opalescent stones mix with smooth enamels and luxurious leather. Fusing modernity with the simplicity of the African landscape, this is a brazen example of luxury laid bare.

TERRA COLLECTION Conjunto de pulseiras com design delicadamente entrançado de prata com pedras lunares ovais que combinam com pulseiras de esmalte acetinado incrustadas com zircónias.

101

Stacked bracelets: Delicate rope-twisted silver set with statement oval moonstones combine with pavé-edged satin enamel and Zironcia-encrusted bracelets.


destaques highlights

porsche design A paixão por trás do relógio negro the passion behind the black watch

A

actual tendência dos relógios pretos foi iniciada pela Porsche Design há muitos anos atrás. Em 1972, o Professor Ferdinand Alexander Porsche, fundador da Porsche Design, foi responsável pelo lançamento do primeiro relógio preto. O preto mate é agora integrado através da duradoura tecnologia de revestimento PVD (Physical Vapour Deposition) aplicada ao relógio. Ferdinand Alexander Porsche gostava desta cor. O próprio considerava «o preto como a única cor que não desvia a atenção da forma.» Como é habitual nos relógios da Porsche Design, o P’6780 Diver seduz pela sua verdadeira funcionalidade. A construção

em três partes permite que o relógio seja operado sem necessidade de luvas: para tal os botões localizados na zona superior da estrutura da caixa devem ser premidos de modo a desbloquear a caixa interior e deslocá-la. A coroa e a luneta são assim facilmente ajustáveis. Quando a caixa está fixa em segurança na estrutura externa nem a coroa, nem a luneta podem ser movidas inadvertidamente. O P’6780 Diver oferece ainda uma legibilidade fora de série graças ao contraste dos ponteiros brancos no mostrador. As asas são flexíveis para um óptimo conforto no pulso. O avançado sistema vedante mantém a caixa interior resistente até uma profundidade de 1000 metros (328 pés, 100 ATM)

102


porsche design

sem recurso a válvula de hélio ou a coroa aparafusada. Como é usual com a Porsche Design, o uso da cor é essencial em ambientes extremos. Uma pequena faixa azul destaca os primeiros 15 minutos, sendo que a mesma cor é também usada para debruar o ponteiro luminescente dos minutos. Os restantes ponteiros, os indexes e os numerais do mostrador e da luneta também são revestidos com tratamento luminescente. A óptima legibilidade proporcionada debaixo de água garante maior segurança no momento da descompressão. Por outro lado, em terra o contraste entre o azul o preto mate garante um “look” perfeito. The current black watches trend was started by Porsche Design many years ago. In 1972, Professor Ferdinand Alexander Porsche, founder of Porsche Design, launched the first black watch. Matte black has now been integrated using the long-lasting PVD (Physical Vapour Deposition) coating technology. Ferdinand Alexander Porsche liked this colour. He believed that “black is the only colour that doesn’t distract from the form”. As is usual with the Porsche Design watches, the P’6780 Diver seduces with its true functionality. The construction in three parts allows the watch to be handled without the need for gloves: the buttons located in the area above the casing structure is pressed in to unlock the inside case and move it. The crown and the bezel can then be easily adjusted. When the case is safely fixed onto the external structure neither the crown nor the bezel can be moved inadvertently. The O P’6780 Diver also offers extraordinary legibility thanks to the contrast of the white hands on the face. The straps are flexible for optimum comfort on the wrist. The advanced sealant system keeps the inside casing resistant to a depth of 1000 metres (328 feet, 100 ATM) without the need for the use of a helium or screw down valve. Typical of the Porsche Design, the use of colour is essential in extreme environments. A small blue band highlights the first 15 minutes and the same colour is also used on the luminescent minute’s hand. The remaining hands, the indexes and the numbers on the face are also coated using a luminescent treatment. The perfect legibility provided under water guarantees more safety during decompression. On the other hand, back on land, the contrast between the blue and the matte black guarantee a perfect look.

Worldtimer Ref: 6750.1344.180 € 11.470

P6780 Diver Referência: 6780.4543.1218 Movimento: Mecânico de corda automática ETA 2892-A2. Funções: Horas, minutos, segundos, data e indicação do tempo de mergulho (marcador azul). Mostrador: Indexes e ponteiros luminescentes. Caixa: Basculante em aço com tratamento PVD preto acoplada a uma estrutura em titânio com tratamento PVD preto, vidro de safira com tratamento anti-reflexos dos 2 lados, estanque até 1000 metros. Dimensões: Ø 46,8mm Bracelete: Cauchu com fecho de báscula em aço com tratamento PVD preto e extensão de mergulho. € 8.710 Reference: 6780.4543.1218 Movement: Mechanical self-winding ETA 2892-A2. Functions: Hours, minutes, seconds, date and dive time indication (blue marker). Dial: Luminescent hands and indexes. Case: Tipper in steel with black PVD treatment coupled to a structure with titanium black PVD treatment, sapphire crystal with anti-reflection coating on 2 sides, waterproof to a depth of 1000 meters. Dimensions: Ø 46,8mm Bracelet: Caoutchouc with folding clasp in steel with black PVD treatment and diving extension. € 8.710

103

P’6620 Dashboard Ref: 6620.1347.0269 € 4.840


hotel pestana palace

noivos 2012 2012 bride and groom show Imagens/Pictures: Š Paulo Padrela

104


show exposição

O

rganizar um casamento obriga a preparar, atempadamente, uma infinidade de detalhes relacionados com o enlace... O vestido, o fotógrafo, as alianças, a decoração, o bouquet, as iguarias, a animação da festa... Tudo esteve em exposição, para que os noivos pudessem, ao vivo e a cores, ficar a par das últimas tendências. Após o desfile dos modelos da nova colecção Penhalta para 2012, os convidados tiveram oportunidade de degustar in loco algumas sugestões e serviços que o Pestana Palace Hotel disponibiliza para que a festa do enlace seja inesquecível. O Pestana Palace Hotel apresentou sugestões para mesas de banquete, arranjos florais, decorações, fotógrafo, música para a cerimónia e copo-de-água, o destino da lua-de-mel, Rent-a-car…, aconselhando os noivos, para uma boda fantástica. Esta foi mais uma iniciativa em que a Torres Joalheiros marcou presença com uma exposição de alianças, anéis de noivado, faqueiros e serviço de Listas de Presente de Casamento. Se quer ter o casamento com que sempre sonhou, está na hora de meter mãos à obra.

Organizing a wedding involves planning in advance, an infinite number of details related to the marriage … The dress, the photographer, the wedding rings, the decoration, the flowers, the food, and the entertainment for the party… everything was on exhibition so that the bride and groom could get to know the latest trends first hand. After the 2012 Penhalta collection fashion show, guests were given the opportunity to taste, in loco, some of the suggestions and services that the Pestana Palace Hotel has to offer to make the wedding party unforgettable. The Pestana Palace Hotel presented suggestions for the banquet’s tables, flower arrangements, decoration, photographer, music for the ceremony and the wedding reception, the honeymoon destination, rent-a-car etc…, giving the bride and groom advice for a fantastic wedding. This was yet another initiative where Torres Joalheiros was present, with an exhibition of engagement rings, wedding rings, cutlery sets and wedding present list services. If you want to have the wedding you always dreamt of, it’s time to get to work!

105


destaques highlights

ÓscarEs the Oscars

Berenice Bejo, Actriz/Actress

Georgina Chapman, Actriz/Actress

Penélope Cruz, Actriz/Actress

Michel Hazanavicius, Realizador/Director

Melissa McCarthy, Actriz/Actress

Missi Pyle, Actriz/Actress

Los Angeles, Domingo, 26 Fevereiro, 2012 Los Angeles, Sunday, February 26, 2012

106


the oscars óscares

Penelope Cruz, Michel Hazanavicius, Berenice Bejo, Melissa Mccarthy, Missi Pyle & Georgina Chapman usam Chopard na 84ª Edição dos Óscares da Academia Penelope Cruz, Michel Hazanavicius, Berenice Bejo, Melissa Mccarthy, Missi Pyle & Georgina Chapman wear Chopard to the 84th Annual Academy Awards

A

presentadora nos Óscares da Academia Penelope Cruz estava deslumbrante na carpete vermelha usando um colar com diamantes (56 ct) em lapidação pera, brincos com diamantes (15 ct) em cacho e bracelete com diamantes (43 ct) em forma “fancy”, ambos montados em platina. Michael Hazanavicius, vencedor do melhor Director pelo filme aclamado pela critica – o artista – seleccionou um relógio Chopard L.U.C. XP Tonneau de ouro branco com uma pulseira de pele de jacaré e fivela de ouro branco. Candidata a Melhor Actriz Secundária, Berenice Bejo estava deslumbrante na carpete vermelha usando um par de brincos de esmeralda e diamante em gota com duas esmeraldas em lapidação pera (20 ct) suspensas por duas esmeraldas com lapidação brilhante (3 ct) e dois diamantes (4 ct), com forma de pera, ambos montados em platina e ouro branco. Indicada para Melhor Actriz Secundária, Melissa McCarthy estava linda com um par de brincos “lustre” com diamantes em forma de pera (10 ct) montados em platina, realçados com “pavé” de diamantes rosa em ouro rosa, e um anel (24 ct) cocktail com turmalina rosa de lapidação brilhante, com mais de 500 diamantes montados em ouro branco. A Actriz do “Artista” Missi Pyle estava linda na carpete vermelha usando um par de brincos “lustre” (16 ct) em forma de pera, um colar com diamantes em forma “fancy” com mais de 80 diamantes (34ct) e uma fileira de cinco anéis (9 ct) de diamantes, ambos montados em platina. A Designer de Moda Georgina Chapman estava linda na carpete vermelha usando um par de brincos 822 ct) em cacho de lapidação pera e marquise e uma pulseira de diamantes forma “fancy” com mais de 100 diamantes (60 ct), ambos montados em platina. Academy Awards’ presenter Penelope Cruz looked stunning on the red carpet wearing a pear-shape diamond necklace (56 carats), diamond cluster earrings (15 carats) and fancy-shape diamond line bracelet (43 carats), all set in platinum. Winner for Best Director for the critically acclaimed film – The Artist – Michel Hazanavicius selected to wear Chopard’s L.U.C. XP Tonneau white gold watch with an alligator strap and gold pin buckle. Best Supporting Actress nominee Berenice Bejo looked stunning on the red carpet wearing a pair of emerald and diamond drop earrings featuring two pear-shape emerald drops (20 carats) suspended from two brilliant-cut emeralds (3 carats) and two pear-shape white diamonds (4 carats), set in both platinum and white gold. Nominated forBest Supporting Actress, Melissa McCarthy looked beautiful in a pair of chandelier earrings featuring pear-shape white diamonds (10 carats) set in platinum, accented with pink diamonds paveset in rose gold, and a brilliant-cut pink tourmaline cocktail ring (24 carats), set with over 500 white diamonds in white gold. The Artist actress Missi Pyle looked beautiful on the red carpet wearing a pair of pear-shape diamond chandelier earrings (16 carats), a fancy shape diamond necklace featuring over 80 white diamonds (34 carats) and a five-row diamond ring (9 carats), all set in platinum. Fashion Designer Georgina Chapman looked beautiful on the red carpet wearing a pair of pear and marquise-cut diamond cluster earrings (22 carats) and a fancy-shape diamond line bracelet featuring over 100 white diamonds (60 carats), both set in platinum.

107


aautomobilĂ­stica lenda Jacky Ickx, Auto Union C-type Audi

no pulso

the motor-racing legend on the wrist 108


happening evento

Grelha de partida / Starting grid

Corrida / Race

Karl-Friedrich Scheufele, Albert II Prince of Monaco, Jacky Ickx

Ref. 168992-3032 Edição limitada e numerada de 500 peças. 500-Piece limited numbered Edition.

Pit Stop Comitiva/Entourage

grand prix de monaco historique chronograph 2012

C

inza mate, cores vibrantes, faixas de corrida: o novo relógio Grand Prix de Monaco Historique 2012 é uma homenagem aos carros de corrida dos anos 70. Históricas “máquinas de velocidade” enfrentam-se de dois em dois anos no Grand Prix de Monaco Historique, cujo cronometrista oficial é a Chopard.

Matt grey, vivid colours, racing stripes: the new Grand Prix de Monaco Historique 2012 watch is a tribute to 1970s racing cars. Historical “speed machines” face off very two years in the Grand Prix de Monaco Historique, for which Chopard serves as official timekeeper.

109


o valor do

diamante the value of diamonds os 4c’s | the 4c’s

Chopard L’Heure du Diamant


chronicle crónica

Na edição anterior abordou-se o elevado valor intrínseco do diamante em muito associado aos aspectos mineiros e de ocorrência mundial. Agora, vejamos os factores de mercado e de qualidade que os diferenciam. The previous Torres magazine edition discussed the high intrinsic value of diamonds, very much associated to aspects such as mining and occurrence across the world. Now let’s take a look at the market and quality factors that differentiate them. Por/By Rui Galopim de Carvalho

N

em todos os diamantes são iguais e, como tal, apresentamse no mercado tanto com preços, ora acessíveis, ora absolutamente astronómicos, como o que, recentemente foi vendido em leilão por mais de 40 milhões de dólares, cor-de-rosa intenso, com 24,78 quilates. Pondo os diamantes de cor, os chamados fancies, de parte, dadas as suas especificidades e extrema raridade, o que faz variar e diferenciar o valor desta gema são quatro factores. Estes sempre presidiram à avaliação do diamante, mas foram devidamente sistematizados e tornados fáceis de compreender e, muito especialmente, de comunicar apenas a partir de 1953 quando Richard T. Liddicoat, então líder do GIA – Gemological Institute of America, definiu os agora famosos 4 C’s e que são o sustentáculo dos cada vez mais solicitados certificados ou Diamond Grading Reports. Tal como já havia sido introduzido na edição anterior, os 4C’s são as iniciais em inglês dos quatro critérios que presidem à classificação, ou graduação, do diamante: Peso (carat) - É a unidade de peso das gemas com a sigla ct, correspondendo a 200mg, sendo que se apresenta o peso do diamante com rigor à segunda casa decimal. É de senso comum que quanto mais pesado, ou maior, for um diamante, mais raro e valioso ele é, em especial a partir dos 2 quilates, dando-se aqui sustento à frase popular que “um diamante de 1 quilate não é o mesmo que 1 quilate de diamantes”. Lapidação (cut) - Determina o estilo e forma da lapidação (e.g. talhe brilhante redondo, talhe princesa, talhe esmeralda). Tantas vezes descurada na apreciação das pedras, porventura por desconhecimento, todavia, a qualidade da lapidação é crucial para o aspecto visual do diamante, o talhe princesa, talhe no que toca ao seu brilho, fogo (cores do arco-íris) e cintilação. Pedras bem proporcionadas, de boa simetria e polimento, são, em regra, pedras mais vistosas. Pureza (clarity) - Aqui se apreciam as características visuais internas e externas (no caso do sistema do GIA) que se observam à vista desarmada e/ou com ampliação de 10 vezes. A maior ou menor visibilidade destas características é que define os graus de pureza numa escala alfanumérica que inclui, do mais raro ao mais comum, FL, IF, VVS, VS, SI, I1, I2 e I3, podendo alguns ter subdivisões (e.g. VVS1, VVS2). Cor (color) - Aqui o que se afere é o grau de desvio da ausência total de cor, ou seja, verifica-se a presença maior ou menor da tonalidade, em regra, amarela observável nas pedras. Quanto mais incolor, mais raros e, portanto, mais valorizados. A forma como se comunicam estas colorações é por letras, de D a Z, sendo o D o totalmente incolor e o Z o amarelado muito evidente, na fronteira com os fancies. No mercado português, no universo da melhor joalharia, já vão sendo comuns pedras na ordem de 1 quilate, em lapidações de boa qualidade, com purezas VS, mais raramente VVS, e cores G e H. O salto qualitativo para pedras de cor D e purezas IF atira os valores para elevados patamares de absoluta escolha pessoal, sendo habitualmente obtidos por encomenda.

111


rui galopim de Carvalho

No two diamonds are the same, at times they can be found in the market at accessible prices and other times, at absolutely astronomical prices, such as the one that was recently sold at an auction for more than 40 million dollars, a 24.78 carats and intense pink coloured diamond. If we don’t include the coloured diamonds, known as “fancies”, due to their characteristics and rarity, what makes the value of this gem vary and differ, are four factors. These are the factors that have always reigned when it comes to evaluating diamonds and were systematised, made easy to understand and more importantly, easier to communicate, in 1953 when Richard T. Liddicoat, head of GIA - Gemological Institute of America at the time, defined the now famous 4 C’s that are the support for the Diamond Grading Reports certificates that are becoming increasingly more in demand. As introduced in the previous edition, the 4 Cs are the initials in English of the following four classification criteria for the grading of diamonds: Carat - Is the weighing unit of gems abbreviate to “ct”. A carat is defined as 200 mg, therefore the weight of the diamond is very precise, to the nearest second decimal. It’s common sense that the more the diamond weighs or the larger it is, the rarer and more valuable, especially when it reaches 2 carats, supporting the popular phrase that “1 diamond of 1 carat is not the same as 1 carat of diamonds”. Cut - Determines the style and form of the cut (e.g. round, princess or emerald). So often neglected in the assessment of the stones, often through lack of information, the quality of the cut is crucial to the diamond’s appearance, the princess cut defines its brightness, fire (colours of the rainbow) and its scintillation. Stones that are proportional, asymmetric and polished are, by rule, more attractive. Clarity - This is where the internal and external visual aspects are graded (according to the GIA categories), observed at a distance and/or magnified by 10 times. The visibility or not of these characteristics is what defines the degree of purity of the diamond on an alphanumeric scale that includes, from the rarest to the most common, FL, IF, VVS, VS, SI, I1, I2 and I3, with sub-divisions (e.g. VVS1, VVS2). Colour - Here what is evaluated is the absence of colour, in other words, the degree of tone, generally yellow that can be observed on stones. The less colour, the rarer and therefore more valuable they are. The way they grade these colourings is using letters, from D to Z, with D being total absence of colour and Z with very evident yellow, almost a fancy.

Anel/Ring Chaumet

In the Portuguese fine jewellery market, it is common nowadays to find 1 carat stones, with good quality cut, VS purity but rarely VVS and G and H colours. The qualitative jump to a D colour and IF purity greatly increases price and these diamonds can be obtained upon request according to personal choice.

Talhe de Esmeralda / Emerald cut

112


vivamarinha um hotel Ă parte, num lugar Ă  parte the hotel apart from anywhere else

113


destaques highlights

O

nde a vida existe por completo. Onde o tempo é um privilégio desenhado em momentos únicos. Onde ser feliz é tão elementar como estar em casa. Em sua casa. No centro da Quinta da Marinha conforte-se em alojamentos totalmente equipados, relaxe no SPA ou tome um long drink no Glass Terrace. Tudo isto, sem ter de sair de casa. O Vivamarina está situado a um quilómetro da Paria do Guincho e a três quilómetros do centro de Cascais e da sua Marina, beneficiando ainda de uma completa rede de acessos e transportes, permitindo assim que a deslocação para o Aeroporto de Lisboa e centro da Capital seja feita em 30 minutos. É afinal fácil, viver o melhor da vida.

Where you can live life to the full. Where time is a privilege etched in unique moments. Where being happy is as easy as being at home. In your own home. In the centre of the Quinta da Marinha, enjoy the comfort of fully equipped accommodations, relax in the SPA or have a long drink at the Glass Terrace. All this, without having to leave home. The Vivamarinha is located a kilometer from Guincho Beach and three kilometers from the centre of Cascais and the Marina, its comprehensive access and transport network also means that Lisbon Airport and the centre of the capital are just 30 minutes away. After all, it’s easy to live the best of life. E-mail: reservations@vivamarinha.pt www.vivamarinha.pt

Lounge

Piscina Swimming Pool

114


Quarto Deluxe Deluxe Room

Sala de Reuni천es Meetings Room

115

Health Spa and Fitness Center


caleidoscópio kaleidoscope

glenfiddich

age of discovery 19 yo

Glenfiddich apresenta o seu primeiro single malt whisky de 19 anos, amadurecido em cascos de carvalho previamente utilizados para envelhecer Vinho da Madeira. Glenfiddich Age of Discovery é uma edição limitada, que celebra o espírito pioneiro dos marinheiros portugueses nos Descobrimentos no século XV. Glenfiddich today launches its first-ever 19 year old single malt Scotch whisky, which has been matured in oak casks previously used to age fine Madeira wine. Glenfiddich Age of Discovery Madeira Cask Finish celebrates the pioneering spirit of Portuguese explorers in the 15th Century.

caran d’ache yuri gagarin

Para assinalar o 50º aniversário do primeiro voo espacial tripulado, a 12 de Abril de 1961, a Maison de Haute Écriture criou uma edição limitada Yuri Gagarin de 1961 canetas permanente e 1961 roller. To mark the 50th anniversary of the first manned spaceflight on 12 April 1961, the Maison de Haute Écriture, has created a prestigious Yuri Gagarin Limited Edition of 1961 fountain pens and 1961 rollers pens.

Ermenegildo Zegna

acessórios / accessories Estes items cada vez mais importantes no guarda-roupa masculino oferecem tons clássicos e materiais de prestígio, feitos em pele de crocodilo preto ou castanho-escuro. Elegância e exclusividade também nos detalhes, como nas fivelas de paládio polidas. These increasingly important items in the male wardrobe offers classic tones and prestige materials, made of black or dark brown crocodile leather. Elegance and exclusiveness in detailing too, as in the polished palladium buckles.

116


kaleidoscope caleidoscópio

lexus gs 450 h

louis vuitton jelly bag

“Para a colecção de Primavera-Verão da Louis Vuitton, decidimos que queríamos fazer algo muito bonito, e muito delicado, e muito terno e encher tudo de cores bonitas e muita luz, texturas luxuriantes, coisas translúcidas e transparentes”, disse Marc Jacobs, director criativo da Louis Vuitton. “For SS 2012 Louis Vuitton collection, we decided we wanted to do something very pretty, and very gentle, and very loving, and just fill it with pretty colors and beautiful light, luminous textures, things that were translucent and transparent”, said Marc Jacobs, Artistic Director of Louis Vuitton.

HERMÈS

ampulheta em vidro de murano Hourglass in Murano glass Uma peça excepcional criada para a Hermès por Marco Mendacci, numa edição limitada de apenas 24 peças. A silhueta esguia em vidro Murano, assente num pedestal de base sólida em couro, pára o tempo para uma pausa ou apenas para sonhar... durante precisamente 24 minutos.

O Lexus recebeu o ‘Production Vehicle Interior Innovation of the Year’. Prémio da Automotive Interiors Expo, para o sistema de climatização, incluindo a tecnologia nanoe ® em destaque na Nova Geração GS. O GS apresenta um design exterior completamente novo e um interior que reflecte a filosofia de design L-finesse da Lexus. O novo design exterior, arrojado e dinâmico inclui um tratamento frontal mais agressivo, tornando a Nova Geração GS mais possante, com uma presença imponente e um desempenho em estrada próprio de um sedan Lexus de elevada performance. Lexus received the ‘Production Vehicle Interior Innovation of the Year’ Award from Automotive Interiors Expo, for the climate control system including nanoe ® technology featured in the all-new GS. The GS features an all-new exterior and interior reflecting a further development of Lexus’ unique, L-finesse design philosophy. Its new, bold and dynamic exterior design includes a more aggressive frontal treatment, giving the new GS the powerful, commanding road presence appropriate to a Lexus performance sedan.

An exceptional piece created especially for Hermès by Marco Mendacci in a limited edition of 24 pieces. A slender Murano glass silhouette, set atop a full-grain Swift calfskin pedestal, pauses time, meting it out in a stream of sand for a break, nap or daydream... lasting exactly 24 minutes.

117


exposição exhibition

exposição chopard chopard exhibition

Colecção / Collection Copacabana

P

or ocasião da vinda de José Carreras a Lisboa, Torres Joalheiros e Chopard convidaram alguns clientes para o concerto que teve a participação especial da jovem fadista Carminho. Foi servido um Cocktail Dinnatoire na Sala do Tratado, do Pavilhão Atlântico, na qual esteve patente uma exposição de Alta Relojoaria e Joalharia Chopard. No final do concerto foi proporcionada uma visita ao back stage onde os clientes puderam conhecer José Carreras pessoalmente.

On the occasion of the visit of José Carreras to Lisbon, Torres Jewellers and Chopard invited some clients to the concert with the special participation of the young fado singer, Carminho. A cocktail dinner was served in the Tratado Salon of the Pavilhão Atlântico where the Chopard Fine Watchmaking and Jewellery exhibition was taking place. After the concert, a back stage visit was offered to clients so they could meet José Carreras personally.

118


exhibition exposição

Carlos e Maria de Fátima Fonseca

Susana Correia, Rui Rocha e Fernando Soares

Lúcia Morales D’Abril e irmã com Ricardo Torres

Filomena Moreira da Silva e António Ponces de Carvalho

João e Dorothy Alves

Fernando e Cristina Antas da Cunha

Maria João Grilo e Mafalda Gonçalves

Sala de Exposição / Exhibition Room

Colecção / Collection Happy Diamonds

119


exposição exhibition

Carlos Loureiro e Maria João Afonso

Ricardo Torres e Alberto Carreras

Estêvão Lucena e Cristina Antas da Cunha

Madalena e João Pinheiro, Marcel de Botton e Mulher com Filomena Torres

Samuel e Maria João Sanches

Sandra e João Paço com Estêvão Lucena

Colecção/Collection Imperiale

José Carreras com convidados

José Carreras cumprimenta Maria João Afonso

120


HAPPY DIAMONDS COLLECTION

121


Magazine Torres nº 26  

Revista Torres Joalheiros

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you