Page 1

Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias 2011-2012

Filosofia - 11º A

Silogismo 12/10/11

Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Silogismo categórico Premissa maior

Todo o gato

é

mamífero

Premissa menor

Os siameses

são

gatos

Conclusão

Logo, os siameses

são

mamíferos

. Um

silogismo categórico é um raciocínio dedutivo constituído por três proposições: as duas primeiras recebem o nome de premissas e a terceira, que delas deriva necessariamente, tem o nome de conclusão. . Um silogismo categórico contém três termos, cada um dos quais aparece nas diferentes proposições duas vezes. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Termos do silogismo • Termo maior: ______ • Termo menor: ______ • Termo médio: _______

• O termo maior é o predicado da conclusão, aparecendo também na premissa maior (contudo, é o facto de ser predicado da conclusão que permite identificá-lo como maior). • O termo menor é identificado como sujeito da conclusão (a essa função deve o nome de termo menor) e aparece também na premissa menor. • O termo médio é aquele que aparece em ambas as premissas, mas não aparece nem pode aparecer na conclusão. • Assim, a classificação dos termos é efectuada tendo em conta a função que desempenham no silogismo. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


• Uma premissa é classificada em função dos termos nela presentes. Assim, dá-se o nome de premissa maior à proposição que contém o termos maior e médio e de premissa menor à proposição que contém os termos menor e médio. • Aos silogismos categóricos pode ser dada forma simbólica substituindo os termos por letras. Assim, simboliza-se: Todos os idiotas são felizes. Todos os futebolistas são idiotas. Logo, todos os futebolistas são felizes.

Todos os M são P Todos os S são M Logo, Todos os S são P

Um silogismo é válido se, e apenas se, satisfaz todas as regras de validade silogística, que se distribuem por regras para termos e regras para proposições. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Verdade material e validade formal Num raciocínio/argumento há dois aspectos a considerar: o formal (validade) e o material (verdade)

A Matéria de um argumento diz respeito ao conteúdo das proposições que o constituem, aquilo que elas significam, expressam da realidade. É a seu respeito que falamos de verdade e falsidade. A proposição é verdadeira quando está de acordo com a realidade; é falso quando não está de acordo com a realidade. Deste modo, a verdade material refere-se à adequação entre o conteúdo do nosso pensamento e aquilo que a realidade é. A verdade é uma propriedade das proposições. A Forma de um argumento diz respeito ao modo como as proposições são encadeadas, independentemente da matéria que possam exprimir, e é a este respeito que se fala de validade ou não validade; tem a ver com o acordo do pensamento consigo mesmo, à luz das regras e princípios lógicos. Validade é uma propriedade dos argumentos.

Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


• Num raciocínio a questão da verdade só se levanta ao nível das proposições, de cada proposição em particular (premissas e conclusão) e a questão da validade formal coloca-se apenas ao nível da estrutura, da forma do argumento em relação ao encadeamento de juízos. • Numa primeira análise, podemos dizer que quando as premissas dadas permitem aceitar uma conclusão, o argumento é válido; quando as premissas não são suficientes para aceitar a conclusão ou quando se verificam contradições internas ou os seus elementos são incompatíveis, então o argumento não é válido. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


• Um argumento pode ser válido e a sua conclusão pode ser falsa. • Um argumento pode não ser válido e a sua conclusão ser verdadeira. • Um argumento é correcto/sólido quando é válido e todas as suas premissas são verdadeiras. • A validade dos argumentos é independente do conteúdo, da matéria das proposições que o constituem, e depende exclusivamente da sua forma ou estrutura formal, isto é, do modo como as premissas estão encadeadas, segundo as regras e princípios lógicos. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Contexto do pensamento

Contexto da linguagem

Valor lógico

Juízo

Proposição

Verdade /Falsidade

Raciocínio

Argumento

Validade/Invalidade

À lógica formal importa apenas a coerência interna do pensamento, ou seja, a forma válida dos raciocínios, fazendo abstracção do conteúdo empírico ou da verdade e falsidade das proposições. Para avaliar um argumento é preciso: - Determinar se as premissas são todas verdadeiras; - Determinar se as premissas apoiam logicamente a conclusão. Argumento válido é aquele em que as premissas apoiam logicamente a conclusão Argumento sólido é válido e tem premissas verdadeiras. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Exercícios Nota: no que diz respeito aos argumentos filosóficos, é preciso saber usá-los para defender e criticar teses, reconstituí-los, avaliá-los, confrontá-los e defender autonomamente posições teóricas com base neles.

Escreva os seguintes argumentos na formapadrão do silogismo categórico: 1 - Dado que as pessoas invejosas não são de fiar, e como tenho alguns colegas invejosos, parece-me prudente não confiar neles. Nenhuma pessoa invejosa é de fiar Alguns colegas são pessoas invejosas Alguns colegas não são de fiar. Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


2 – És injusto, António, porque todos somos injustos. Todos os homens são injustos António é homem António é injusto

3 – Há filósofos mediterrâneos, pois alguns filósofos são gregos, e os gregos são mediterrâneos. Todos os gregos são mediterrâneos Alguns filósofos são gregos Alguns filósofos são mediterrâneos Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | www.agrupamento-fajoes.pt | E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt


Silogismo  

Silogismo - filosofia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you