Page 1

Como fazer, reutilizando ?

1


Índice 1.º Capítulo

Educação Ambiental e Sustentabilidade

Uma ajuda para a Sustentabilidade Sensibilização Ambiental: O que se ambiciona? Reciclagem de Materiais

2.º Capítulo

3 5 6

Ecobrinquedos

Papel do Ecobrinquedo na Criança N.º 1 - Vai Vem N.º 2 - Papa Bolas N.º 3 - Caça a Bola N.º 4 - Cavalo de Pau N.º 5 - Pinto, Caranguejo, Polvo e Tartaruga N.º 6 - Caixa Teatro N.º 7 - Trapezistas no Circo N.º 8 - Molas, os Contadores de Histórias N.º 9 - Televisão N.º 10 - Fantoche N.º 11 - Barcos com Molas N.º 12 - Carro (Garrafa de sumo) N.º 13 - Barco de Cartão

10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

Bibliografia & Webliografia Ficha Técnica e Contactos

24 24

2


1.º Capítulo

Educação Ambiental e Sustenbilidade Uma Ajuda para a Sustentabilidade

A intervenção transformadora aplicada nos objectos (resíduos sólidos urbanos) utilizados nos trabalhos desenvolvidos nos nossos workshops, não resolve em si de modo definitivo o problema do fim de vida dos mesmos em termos ambientais, pois embora alterado, o objeto continua a existir.

O que é a Educação Ambiental ? A educação ambiental constitui um processo de reconhecimento de valores e de clarificação de conceitos, promovendo a aquisição de capacidades, comportamentos e atitudes necessárias para abarcar e apreciar as relações de interdependência entre Homem, o seu meio cultural e o meio ambiente.

No entanto subsistem uma série de razões válidas que muito justificam este tipo de intervenção. Estas baseiam-se particularmente  em resultados obtidos através dos métodos utilizados, quando as embalagens são seleccionadas para servirem de matéria prima nos trabalhos propostos nas nossas ações. Em vez de objectos já consumidos e normalmente inutilizados, estes passam para a situação de matéria-prima lúdica e pedagógica (gratuita) para o desenvolvimento criativo e para possível estudo em disciplinas escolares de teor ambiental e outras. Inúmeras vezes nas escolas, os problemas orçamentais são sentidos nas disciplinas de trabalhos manuais, devido aos custos na obtenção de materiais diversos tais como papel, cartolinas  e outros que são necessários em grande quantidade. Ao concretizar estas ações, os indivíduos não só estarão a poupar o meio ambiente e o orçamento escolar, como também servem de instrumento educativo contribuindo para um mini exemplo de sustentabilidade interna, exemplificando o processo com as crianças. Enquanto se mantêm nesta situação, estes materiais estão a poupar o acréscimo nas estações de resíduos e um dia mais tarde, quando chegarem de facto ao seu fim de vida, talvez nessa altura já existam novas soluções ecologicamente inovadoras, como solução a dar a este tipo de resíduos. Entretanto, graças à prática da reciclagem reconstrutiva, a sua utilidade foi prolongada e desta vez para fins mais educativos. Desta forma, e com este tipo de atitude, vamos certamente ao encontro de boas perspectivas para conseguir avanços na sensibilização, principalmente nas novas gerações, para que o mais breve possível se possa alcançar uma sustentabilidade capaz  de (garantir) um futuro melhor. De seguida apresentaremos alguns dos conceitos chave para trabalhar os Eco Brinquedos.

“A modificação de mentalidades, na forma de encarar o meio ambiente, o respeito por todos os seres vivos, entre eles o Homem, e de atitudes na valorização dos recursos naturais como valores imprescindíveis à vida na Terra.” (Branco, 1990)

3


Educação Ambiental e Sustentabilidade Uma Ajuda para a Sustentabilidade

1.º Capítulo

O que é o Meio Ambiente? • É tudo o que nos rodeia e com o que interagimos; • É o meio natural e o meio criado pelo Homem; • É a análise global que não se pode dissociar das interações naturais, sociais e da interação que sobre ela é dinâmica e permanente.

«É o conjunto de sistemas físicos, químicos e biológicos e dos factores económicos, sociais e culturais com efeito directo ou indirecto, mediato ou imediato, sobre os seres vivos e a vida quotidiana no Homem.» Lei de Bases do Ambiente, 1987, art. 5.º, Reis, 1992

4

Preocupação

ambiental


1.º Capítulo

Educação Ambiental e Sustentabilidade Sensibilização ambiental: o que se ambiciona?

A educação ambiental permite que as pessoas, agora e no futuro, atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social, económico, de realização humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um uso razoável dos recursos da terra e preservando as espécies e os habitats naturais.

O que podemos fazer? • Informar/ interagir sobre os impactos ambientais, sociais e económicos dos resíduos e sobre a necessidade de reduzir os seus resíduos; • Desde o pré-escolar é necessário vincular uma mensagem de preservação do ambiente dos valores ambientais; • A educação ambiental concerne na formação cívica do indivíduo e da cidadania através do seu desenvolvimento pessoal e social, apresentando características, objetivos e finalidades muito próprias.

Contribuir

Aplicar

Transmitir

para o desenvolvimento de uma consciência crítica nas questões ambientais;

no dia a dia comportamentos ambientalmente corretos;

o interesse pelas questões ambientais e pela importância de pôr termo à degradação da Natureza e do meio onde nos envolvemos;

Optar

Estar

Ter

por comportamentos que tenham em conta as consequências para os outros e futuras gerações;

atenta para o meio que nos rodeia, para ter um melhor conhecimento dos problemas existentes, fomentando em todos, atitudes corretas para os resolver;

cidadãos e cidadãs conscientes e participativos nas adequadas tomadas de decisões.

5


Educação Ambiental e Sustentabilidade Sensibilização ambiental: o que se ambiciona?

1.º Capítulo

Reutilizar Reduzir Tentar comprar produtos cuja embalagem seja reciclável; Partilhar produtos com outras pessoas (revista, jornal); Preferir embalagens de vidro; Comprar produtos avulso; É também fundamental diminuir os consumos de água e energia.

Usar o verso de folhas de papel como rascunho; Aproveitar as cascas de frutas, ovos e restos de legumes para fazer composto; Aproveitar algumas embalagens para outros fins, por exemplo caixas de sapatos para arquivos; Utilizar sacos duráveis para ir às compras.

Reciclar

6


1.º Capítulo

Educação Ambiental e Sustentabilidade Sensibilização ambiental: o que se ambiciona?

Curiosidades sobre a reciclagem ... sabia que ?

Mil quilos de papel reciclado evita o abate de 15 a 20 árvores.

Mil latas de bebida podem transformar-se numa bicicleta.

Quase todos os produtos de papel/ cartão podem ter quantidades variáveis de papel reciclado.

Uma lata de bebida pode ser infinitamente reciclada sem perder qualidade.

Cinco garrafas de plástico recicladas dão polyester para 1 t-shirt XL; 10 chegam para 1 par de calças; 25 para uma camisola de malha polar.

7


Educação Ambiental e Sustentabilidade Sensibilização ambiental: o que se ambiciona?

1.º Capítulo

papel

Tempo de decomposição do lixo

3 a 6 meses

A reciclagem e o tratamento do lixo assumem um papel fundamental na conservação e sustentabilidade do meio ambiente, pois além de diminuirmos a extração de recursos naturais, estamos a reduzir também a acumulação de resíduos na malha urbana. Isto traz imensos benefícios a nível social, económico e ambiental. Embora não seja possível reaproveitar todas as embalagens, um primeiro passo conta muito para que se generalize um bom comportamento de educação ambiental. De modo a termos consciência de como determinados resíduos demoram tempo a desaparecer no meio ambiente, eis aqui uma pequena amostra dos tempos de decomposição de alguns que nos são muito familiares.

garrafa de plástico

400 anos

8

jornal

pneus

600 anos

palito de madeira

6 meses

pastilha elástica

5 anos

latas e copos de plástico

50 anos

vidro

4000 anos

6 meses

pedaços de pano

6 meses a 1 ano

lata de aço

10 anos

alumínio

+ de 500 anos

cigarro

nylon

20 meses

fralda de pano

1 ano

tampas de garrafa

150 anos

cerâmica

indeterminado

+ de 30 anos

fralda descartável

450 anos

plástico

100 anos

borracha

inderteminado


1.º Capítulo

matéria-prima

pro reci dução cla gem trituração

Educação Ambiental e Sustentabilidade Sensibilização ambiental: o que se ambiciona?

indústria

envasadores

A produção do objeto tem uma importância de grande peso para muitas das propriedades e qualidades do futuro objeto. Pode-se chamar também fase de fabrico e é normalmente a única que a maioria das pessoas identifica para além da fase de uso do objecto.

Esta fase terá a mesma importância de qualquer outra, sobretudo porque hoje sabemos que a morte dos objetos pode arrasar, tal como a sua produção, a morte do próprio ambiente e com ele a dos próprios seres vivos. Esta fase está fundamentalmente ligada simultaneamente à ecologia e à economia através do processo da reciclagem.

Ciclo Infinito

uso

do o ã ç

to

u prod

embalagens

iza

il e ut

Esta fase é constituída por: a embalagem e acondicionamento, o fornecimento, exposição e venda do produto acabado. É aí que os destinatários do produto (consumidores) manifestam as suas necessidades.

distribuição

morte do objeto A morte do objeto dá-se quando este deixa de desempenhar as funções para que estava predestinado. Esta fase, é muitas vezes esquecida ou omitida, mas tem cada vez mais razão de ser considerada. Quando vemos um cemitério de automóveis ou uma lixeira, podemos então entender como a acumulação cada vez maior de objetos desativados ou mortos pode provocar não só a poluição visual, mas também do ar, dos terrenos e das águas.

limpeza e selecção

coleta

consumidor

9


2.º Capítulo

Ecobrinquedos Criatividade

O Papel do Ecobrinquedo na Criança

O Currículo Nacional do Ensino Básico define um conjunto de competências essenciais e experiências educativas, que devem ser proporcionadas a todos os jovens nas diferentes áreas, ao longo dos 9 anos de ensino básico. No capítulo dedicado à educação artística, o desenvolvimento da criatividade surge como um dos eixos centrais desta área. Os jovens, no final do ensino básico, devem ser capazes de: • Procurar soluções originais, diversificadas, alternativas para os problemas; • Selecionar informação em função do problema;

O Ecobrinquedo poderá ser visto como uma forma de “jogo”. Este jogo poedrá ser visto como instrumento de atuação pedagógica para a educação para a infância. De geração em geração os jogos renovam-se, transformam-se e dão lugar a novos jogos, mas o objetivo continua a ser o mesmo, que é desenvolver o conhecimento, o domínio, a utilização do corpo, e o estímulo do raciocínio e ampliação do processo de socialização. Através da “brincadeira” e do “estimular a criatividade”, a criança consegue alcançar as mais diversas competências de forma agradável e descontraída, conquistando com isso uma aprendizagem contínua, promovendo assim que a própria adquira o seu conhecimento e se torne num adulto crítico, dinâmico e participativo. As atividades de manipulação e exploração de diferentes materiais, deverão ser praticadas com frequência por crianças de tenra idade, visto que, “proporcionam explorações sensoriais importantes, a libertação de tenções e o desenvolvimento da motricidade fina”. O prazer de ir dominando e descobrindo a plasticidade e a resistência dos materiais, leva progressivamente, os jovens a utilizá-los de forma pessoal, deixando-se envolver numa atividade criadora”. No âmbito dos Ecobrinquedos, mais do que um jogo ou uma brincadeira, o papel fundamental é que a criança consiga entender a importância de reutilizar e reciclar o lixo, que eles desvalorizam, pois a sociedade atual vive na predominância do consumo e o importante é alertá-las de que com materiais usados podemos dar asas à nossas criatividade e criar um brinquedo novo e apelativo, com tanto ou mais interesse do que aqueles que eles são induzidos a consumir.

10

• Escolher técnicas e instrumentos com intenção expressiva; • Inventar símbolos/ códigos para representar o material artístico; • Participar em momentos de improvisação no processo de criação artística.

A criatividade como um processo cognitivo A criatividade é a habilidade de fazer permanentemente perguntas sobre o mundo e de procurar novas combinações das coisas que já existem. No ato criativo o indivíduo treina ambos os hemisférios cerebrais, tornando-se consequentemente mais flexível e adaptável a situações novas que requerem novas abordagens de pensamento. Todo o ser humano tem um potencial criativo. É no ato criativo que tudo se transforma, se recicla e se canaliza. Guiamos os participantes à consciência de seu valor pessoal, acreditar, respeitar e confiar em si. Coisas que nem sempre são tão simples assim, mas que, com a ajuda do poder da criatividade e da arte que em todos habita, é eventualmente atingido.


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 1 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Vai e Vem duração

• Promover a intercomunicação lúdica entre 2 jogadores.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

fácil

2

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Duas metades de uma garrafa de plástico; • Argolas de plástico de pacote de queijo fresco; • Corda de sisal; • Fita-cola de papel; • Papel autocolante ou tinta de spray para o ilustrar.

• Primeiro corta-se o fio com o comprimento desejado pelos participantes, depois aplica-se numa das extremidades as argolas de plástico como manípulo. • Em segundo plano trabalha-se com as duas garrafas que são cortadas pelo bocal, mais ao menos no centro de cada uma. • Em seguida unem-se os dois bocais pelo centro que são colados com fita-cola de papel e decoram-se com muita criatividade. • Quando terminada a execução do vai e vem, insere-se o fio que não tem as argolas e depois de encaixado, aplicam-se as argolas nessa mesma extremidade, ficando assim dois manípulos em cada uma delas.

Regras do Jogo: Pretende-se passar a garrafa de um lado para o outro do adversário e não permitiar que a mesma pare do nosso lado, através de um fio com um impulso na abertura dos fios.

11


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 2 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Papa Bolas duração

• Estimular a competição entre os jogadores promovendo o espírito de equipa.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

6

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Cartão; • Um copo de iogurte colorido pequeno; • Um saco de tecido; • Molas da roupa; • Cordel; • Tintas para colorir.

• No cartão desenha-se o papa bolas com uma grande boca, depois de colorir têm de prender as extremidades da cabeça do papa bolas com molas a um saco de pano, assim fica pronto. • As bolas podem ser feitas de inúmeras formas, mas com papel de jornal velho e alguma fita-cola de pintor, constrói-se uma, que vai ficando maior e mais consistente quanto mais pressão se realizar ao modelá-la. Por fim, para unificar tudo aplica-se a fita-cola de pintor e pode-se colorir ou decorar da forma que lhes parecer mais criativo.

Regras do Jogo: Colocados por trás de uma linha, tentarão que as bolas entrem no saco do Papa Bolas. Podem utilizar bolas de espuma, ou de papel de jornal. Quem conseguir introduzir mais bolas no saco, será o mais habilidoso.

12


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 3 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Caça a Bola duração

• Exercitar a concentração e o sentido prático.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

1

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Copo de papel; • Cartolina ou cartão; • Conta de madeira colorida ou mesmo uma bola de pingue-pongue; • Cordão (50cm, aprox.); • Tintas para colorir a gosto.

• Primeiro passo passa por decorares o teu copo, depois fazes um furo na extremidade de baixo, bem no centro. • Passas um fio e fazes um no por dentro, de forma a não se puder soltar. • Em seguida unem-se os dois bocais pelo centro e decoram-se, com muita criatividade. • Na outra extremidade do fio prendes a bola que irá saltar para dentro do copo, ou pelo menos esse é o objetivo.

Regras do Jogo: O copo tem uma aberuta que serve para apanhar a bola. Para isso devemos segurar o copo na mão, com o cordão pendurado. Faz-se balançar o cordão, movendo o copo e tentando “encestar” a bola lá dentro.

13


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 4 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Cavalo de Pau duração

• Promover a criatividade e as manualidades..

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

complexo

7

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Paus de vassouras velhas; • Meias velhas e grossas, de preferência em turco; • Material de enchimento (bolas de esferovite, pedaços de espuma, sintético, etc.); • Botões; • Fitas de cetim ou quaisquer outras; • Restos de feltro de cores variadas; • Linhas e agulha ou, se forem feitos pelas crianças, cola apropriada; • Camarão fechado pequenino; • Lixa grossa e lixa fina.

• Lixar muito cuidadosamente o pau, primeiro com uma lixa mais grossa e depois com a mais fina. • Colocar o material de enchimento dentro da meia até ser possível dar-lhe a forma da cabeça do cavalo e depois enfiar a cabeça no pau. • Se necessário, passar uma linha dobrada à roda do pescoço para que o enchimento não saia e a cabeça se mantenha no lugar. Enrolar uma fita da largura do pescoço (ou uma tira retirada do canhão da meia se este for muito alto) à volta do pescoço, apertando o suficiente para que fique firme. Fixar esta tira com agulha e linha dobrada ou com cola. • Cortar as fitas para os arreios. Recortar as orelhas, os olhos, os dentes, e os remates para os arreios (os olhos e os remates também poderão ser feitos com botões). • Ensaiar as posições de todos estes elementos e fixá-los muito firmemente, cosendo-os ou colando-os.

Regras do Jogo: A regra deste jogo é só não te picares e seres o mais criativo possível, poderás fazer um cavalo ou mesmo um burro ou até uma rena deixa a tua imaginação cavalgar.

14

• Perfurar o pescoço do cavalo abaixo da nuca. Inserir firmemente o camarão para ter a certeza de que não sairá. • Passar um cordão através deste camarão e dar-lhe um nó para formar a rédea. Em alternativa, não usar o camarão e conseguir o mesmo efeito enrolando o cordão à volta do pescoço e fixando-o com os nós necessários.


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 5 Ingredientes & Ferramentas

Pinto, Caranguejo, Polvo e Tartaruga duração

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

10

>5

Objetivos • Desenvolver a motricidade fina, promovendo a imagem estilizada.

acessibilidades

Passo a passo: • Pinto: Com o pacote na vertical, abrem-se as abas superiores. Uma das abas é pintada de cor-de-laranja de forma a fazer de bico. No caso de a abertura do pacote ser uma pequena tampa de plástico colocada na parte superior esta poderá servir para desenhar um olho, em caso contrário, este olho poderá ser simplesmente desenhado. O outro olho é feito com um botão no qual, antes de ser colado, se deve passar linha preta em cruz. Feita a “cara” do “Pinto” todo o pacote deverá ser decorado.

• Pinto: 1 pacote de leite; • Caranguejo: 1 pacote de

leite, cartão, 2 tampas de garrafas de plástico pequenas; • Polvo: 1 garrafa de água de 1 litro, cartão; • Tartaruga: Jornal; • Tintas para colorir; • Tesoura; • Fita-cola de papel; • Agrafador; • Cordel.

• Caranguejo: Com o pacote na horizontal começa-se por desenhar uma boca; o restante pacote é pintado de cor-de-laranja e amarelo (pormenores). Com o pacote sempre na horizontal colam-se, no cimo, duas tampas brancas com uma pinta negra no meio (olhos). As tenazes são feitas com cartão pintadas e coladas nos lados do pacote. • Polvo: Desenham-se em cartão três tentáculos. Na garrafa de água são feitos três cortes de maneira a sustentar os “tentáculos”. Na parte superior da garrafa é pintada a “cara” do polvo, toda a garrafa deve estar pintada.

Regras do Jogo: Criar e puxar pela imaginação, pois estes brinquedos podem ser para decoração, para contar uma história ou até podem ser usados como piões de um jogo.

• Tartaruga: Pega-se em papel de jornal e amachuca-se, mondelando a forma da tartaruga. Depois envolve-se à volta com fita de papel. Após esta fase, pinta-se a tartaruga.

15


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 6 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Caixa Teatro duração

• Sensibilizar para as várias vertentes de dramaturgia, promovendo a criatividade.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

6

>5

acessibilidades

Passo a passo: • Uma caixa que abra para a frente, em que um dos lados maiores faz de tampa não solta e que, de preferência, tenha uma divisória; • Folhas brancas; • Cartão; • Pauzinhos (como os dos restaurantes chineses); • Régua; • Tesoura; • Material de desenho/ pintura; • Cola UHU; • Cola quente.

• Mede-se o fundo da caixa e desenham-se em folhas brancas três rectângulos com a mesma medida. • Em cada rectângulo será desenhado um cenário. Por exemplo, na história do Capuchinho Vermelho, poder-se-á desenhar a casa da mãe, o bosque e, por fim, o quarto da avozinha. Neste caso, o quarto da avozinha deverá ficar no fundo da caixa, já que se trata da “última cena”, sendo que os outros dois desenhos deverão ser colados nos dois lados do separador, ou, no caso de este não existir, num cartão cortado à medida da caixa para exercer esta função. • Depois de colados estes desenhos/ cenários, deverá fazer-se o “chão” da caixa, que dependerá naturalmente da história. Assim, mede-se a base da caixa e desenha-se, mais uma vez, numa folha branca, um rectângulo com a mesma medida. Depois do desenho feito - pedras, um jardim… - há que ter atenção ao facto da caixa ter que fechar, pelo que se corta o desenho em dois rectângulos de larguras diferentes, consoante a dobra da caixa. • Noutra folha em branco desenham-se e pintam-se as personagens, recortam-se e colam-se em cartão grosso. De seguida colam-se, de preferência com cola quente, aos “paus de chinês” que devem ser previamente cortados e revistos para que não constituam nenhum perigo para as crianças.

Regras do Jogo: Pretende-se passar a garrafa de um lado para o outro dos adversários e não deixá-la parar do nosso lado, através de um fio com impulso e abertura dos fios.

16

• À caixa pode-se acrescentar uma cortina como no teatro. Recortam-se dois rectângulos de tecido que se franzem e se colam por dentro na parte superior da caixa, unidos ao centro. Através de dois furos feitos nas paredes laterais (ligeiramente abaixo de meia altura da caixa e quase nas extremidades das paredes), passa-se um cordão que vai prender as cortinas, para que permaneçam abertas.


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 7 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Trapezistas no Circo duração

• Promover o trabalho em grupo e destreza manual.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

complexo

8

>5

acessibilidades

Passo a passo: • Uma caixa de cartão; • Cartão; • Tesoura; • Cola; • Tintas para colorir; • Arame (maleável e rijo).

• Cortam-se os quatro vértices da caixa até meia largura de modo a que seja possível dobrar o cartão para dentro para que esta fique com metade da fundura e com as paredes reforçadas. • Toda a caixa volta a ser reforçada com cartão cortado e colado em toda a sua superfície interior. Corta-se um triângulo de cartão com a base igual à altura ou ao comprimento da caixa consoante se queira usá-la na vertical ou na horizontal e cola-se no cimo da caixa, para sugerir uma tenda de circo. • Em cada vértice do triângulo põe-se uma bandeira feita com um palito com um pequeno triângulo de feltro colado e pinta-se a “tenda do circo”. • Desenham-se em cartão os trapezistas, vistos de perfil. As medidas do boneco devem ser calculadas de forma a que, quando colocado no centro da caixa possa rodar sobre si próprio sem bater nas paredes. Desenham-se a cabeça e o corpo juntos, e, separadamente, cada um dos braços e pernas. Pinta-se o boneco e quando estiver seco furam-se a parte superior dos braços, as coxas, as mãos e as partes do tronco onde as pernas e os braços deverão encaixar. Monta-se o boneco, utilizando um arame maleável que termina com uma dobra de modo a manter o boneco montado. Este arame terá de ter alguma folga para permitir que os braços e as pernas rodem livremente.

Regras do Jogo: Este é um brinquedo que pode ser usado como uma prenda para um dia festivo, pois é um brinquedo frágil e que se torna bonito quanto mais simbolismo tiver.

• Situa-se o boneco na caixa e gira-se para ver se dá a volta sem obstáculos. Quando definido o sítio onde deverá ficar, fura-se a caixa e prende-se o trapezista através de um arame passado pelos furos das mãos. Este arame deverá ser rijo para que o boneco rode. Na parte de trás da caixa, o arame deverá ser dobrado para que faça a função de uma manivela com a ponta protegida para que não constitua nenhum perigo. Depois de tudo montado, poder-se-ão desenhar no fundo da caixa duas linhas que partem das mãos dos trapezistas até ao teto e que representam as suas cordas.

17


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 8 Ingredientes & Ferramentas

Molas, os Contadores de Histórias duração

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

fácil

10

>3

• Cartão; • Molas da roupa em madeira; • Tesoura; • Material de paintura/ desenho; • Cola quente.

Objetivos • Desenvolver a motricidade fina e estimular a criatividade.

acessibilidades

Passo a passo: • Num quadrado (ou qualquer outra forma geométrica) de cartão, desenham-se, e pintam-se dois bonecos (por exemplo). Os bonecos devem ser desenhados livremente, tendo apenas em conta que os braços têm de ter a largura de uma mola. • Os braços que estão do “lado de dentro” do desenho pintam-se normalmente. Nos braços que estão do “lado de fora” do desenho são coladas molas de madeira que se pintam de acordo com a pintura dos outros braços. • Nos braços/ mola poder-se-ão deixar recados, desenhos, fotografias, ou mesmo utilizá-los como suportes para cenários de histórias que se vão contando.

Regras do Jogo: Usar a imaginação e contar uma história com as personagens criadas.

18


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 9 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Televisão duração

• Promover as manualidades, a destreza criativa e a imaginação em grupo.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

10

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Caixa de detergente em pó com pega; • Rolo de papel ou tiras de papel onde se possa desenhar (ex: kraft); • Pau mais comprido que a largura da tira de papel; • Tesoura; • Material de desenho/ pintura.

• Corta-se uma janela na caixa. Deixam-se intactos a parte oposta a esta janela, o fundo e a parte superior da caixa. • Fazem-se nas laterais da caixa duas ranhuras com largura suficiente para que o papel consiga passar de um lado ao outro da caixa sem se danificar. • O comprimento do papel deve ser, pelo menos, o triplo da largura da caixa. A margem inicial (que terá um comprimento igual à distância que vai da parede da caixa ao inicio da janela), deve ficar em branco. • Ao longo do comprimento do papel devem ser desenhados diferentes quadrados/ rectângulos, da medida e forma da janela da caixa. Em cada rectângulo a criança deve desenhar uma cena da história que quer contar. Depois de pintadas as cenas, a margem inicial será colada num pau redondo onde toda a tira vai enrolar.

Regras do Jogo:

• A tira, já desenhada e pintada, encaixa na ranhura da caixa. A folha vai sendo puxada cuidadosamente, para que as imagens passem sem se danificarem, à medida que se vai contando a história, como se de uma televisão “a sério” se tratasse.

A regra do jogo desta ação passa pela a criação das matérias que se querem reproduzir com eles, ao nível da escrita e da oralidade com que eles transmitem os programas, as histórias ou mesmo as novelas que querem reproduzir no seu ecrã de televisão.

19


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 10 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Fantoche duração

• Promover o trabalho em grupo e desenvolver a imaginação e a criatividade.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

8

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Papel de jornal; • Pincel velho grande; • Garrafa de plástico; • Tecido; • Botões, restos de feltro, guizos, etc.; • Fita-cola de papel; • Barro/ massa branca modelar/ pasta de papel e cola branca; • Tesoura; • Cola

• Faz-se uma bola com jornal que será a cabeça. Reveste-se na totalidade com fitacola de papel e prende-se, ainda com a fita-cola, ao pincel (extremidade com pelos). Forra-se a bola com barro e molda-se a cara, reforça-se a união da bola ao pincel também com barro formando o pescoço. • Pinta-se a cabeça. • Corta-se a garrafa de plástico um palmo acima do gargalo. Coloca-se a garrafa já cortada (a parte que tem o gargalo) em cima do tecido e calcula-se que tecido é necessário para dar a volta à garrafa. Vê-se ainda que quantidade de tecido é necessária em termos de altura e corta-se o dobro. • Decora-se o tecido.

Regras do Jogo: Brincar ou representar.

• Com a garrafa invertida, cola-se o tecido à garrafa de baixo para cima (iniciando, portanto, no gargalo). Põe-se o pincel com a cabeça dentro da garrafa, a cabeça na parte superior, mais larga, e o pincel, passando através do gargalo. • Prende-se o tecido que sobrou na parte de cima da garrafa ao pescoço do boneco. • Puxando o pau do pincel para baixo ou para cima, permite o movimento do boneco.

20


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 11 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Barcos com molas duração

• Desenvolver a intercomunicação lúdica e estimular as manualidades.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

médio

5 a 10

>4

acessibilidades

Passo a passo: • Molas da roupa; • Tintas; • Botões; • Restos de tecidos; • Palitos; • Tesoura; • Cola branca ou UHU; • Cola de baton; • Cartolinas; • Cartão ou esponja;

• Em primeiro lugar abre-se as molas e retira-se a parte de metal; • Em seguida da esponja ou cartão corta-se um quadrado inferior ao tamanho da mola, para servir de base para o barquinho; • Cola-se esse quadrado, espeta-se um palito ou mesmo um pau de gomas mas mais curto; • Por sim corta-se a vela, faz-se dois furos nas extremidades e na extremidade superior aplica-se a bandeira feita com o tecido, no centro da vela aplicam-se os adornos, pode ser um botão ou aquilo que a imaginação permitir.

Regras do Jogo: Neste brinquedo a regra resume-se ao conseguirem fazer boiar o barquinho num pouco de água.

21


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 12 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Carro (Garrafa de sumo) duração

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

complexo

4

>7

• Promover a destreza manual e a capacidade de execução. acessibilidades

Passo a passo: • 4 Garrafas de Sumol; • Caixas de cereais; • Jornal; • Tampas de garrafa; • Alicate de corte; • Arame; • Tintas; • Tesoura; • Fita-cola de pintor; • X-ato; • Fio; • Cola UHU.

• Primeiro passo passa por cortar as quatro garrafas da mesma forma, tira-se a base da garrafa e depois fazem-se cortes com mais ou menos 5 cm de largura, até ao final da mesma (ao bocal), deixando uns 7 cm do bocal. • Depois de todas as garrafas estarem cortadas na vertical, terão que realizar dois furos nas extremidades de cada tira e dois furos perto do espaço do bocal, onde terminaram os cortes. • Dando a volta a cada tira e unindo os furos com o arame faz como se estivesse a dar um ponto de costura deixando para dentro de cada dobra as pontas do arame enroladas. • Terminadas as rodas, passamos à parte da carroçaria que poderá ser realizada com outra garrafa desumo ou com as caixas de cereais, ai decorarão como pretenderem e como idealizarem o seu carro, contando sempre que têm de fazer quatro furos, dois de cada lado equilibrado e na parte da frente do carro terão de aplicar um fio que poderá ter na extremidade uma tampa de garrafa, para que assim se possa puxar o carro todo o terreno.

Regras do Jogo: Não se magoarem com a construção deste brinquedo, pois é o que envolve mais materiais de corte e alguma perícia. Depois de pronto, basta conduzi-lo com a ajuda de um cordel.

22

• Depois de decorado e aplicadas as rodas, poderão fazer uma abertura na parte da frente do carro e com o jornal construir um boneco, que poderá ser moldado com a fita-cola de pintor, por forma a no fim ser pintado e decorado, coloquem-no no carro a conduzir, o volante poderá ser uma tampa de garrafa.


2.º Capítulo

Ecobrinquedos

Fichas de apoio

n.º 13 Ingredientes & Ferramentas

Objetivos

Barco de cartão duração

• Desenvolver a motricidade fina e promover a criatividade, estimulando-se a entreajuda.

dificuldade

n.ºparticipantes

idades

complexo

4

>5

acessibilidades

Passo a passo: • Caixas de Sumo; • Caixas de leite; • Tesoura; • Cola UHU; • Corda de sisal; • Agrafador; • Pincéis; • Atachas; • Cartolinas.

• Em primeiro corte a caixa de sumo da compal, deixando uma parte superior cortada com uma terminação em bico; • Corte o pacote de leite com 9 cm e desembrulhe a parte de cima ficando em bico, com um telhado; • Depois aplique o dentro da caixa da sumo, com cola UHU, como sendo a casa das máquinas, não se esqueça de fazer uma janela para o marinheiro poder ver o caminho, • Colorir tudo e decore a seu gosto. • Na parte de cima da caixa de leite, aplique um rectângulo de cartolina em forma de telhado, cole bem e agrafe a corda sisal numa das extremidades do telhado, na outra extremidade do barco agrafe a outra parte da corda, na corda poderá estender a roupa, sendo assim recorte de uma cartolina uma camisola e depois com as atachas prenda a sua roupa para não fugir com o vento.

Regras do Jogo: Brincar muito aos marinheiros ou aos piratas.

23


Bibliografia e webliografia ROGERS, E.; KOSTIGEN, T. (2008). O Livro Verde, Lisboa, Estrelapolar. GONÇALVES, F.; PEREIRA, R.; AZITEIRO, U.; PEREIRA, M. (2007). Actividades Práticas em Ciência e Educação Ambiental, Lisboa, Instituto Piaget. SOUSA, A.; (2003). Educação Pela Arte e Artes na Educação, Lisboa, Instituto Piaget. ROCHA, Carlos Sousa - Teoria do Design, p 190, 191, 193, 194, Plátano Editora 1995 Lisboa. BERGER, SHOSHANA; HAWTHORNE, GRACE. ReadyMade - How to make (almost) everything, Thames & Hudson, 2006 http://ecorecreacao.blogspot.com/2009/11/imagens-do-mini-curso-no-rabuunisinos.html http://www.iesb.br/ModuloOnline/Napratica/?fuseaction=fbx.Materia&CodMateria=5436 http://videos.sapo.pt/OyfVAbhLgzHlHuf9SkVW

Ficha técnica Título: EcoBrinquedos Coordenação do projeto: Paulo Pires Textos: Patrícia Reis Ilustração e grafismo: Fernando Pinto Copyright © 2013 Anime - Projecto de Animação e Formação ISBN: 978-989-97978-0-2 © Reservados todos os direitos de publicação em Português e da tradução para todas as línguas. Proibida a reprodução ou transcrição de qualquer parte do texto e imagem por qualquer meio, mecânico ou eletrónico, incluindo, fotocópia, sem o consentimento do editor.

24

Onde nos pode contactar? www.animepaf.org e-mail: anime.paf@gmail.com telef.: +351 210809669 tlm.: +351 962517700 fax: +351 210874655 Mercado Jovem - Mercado Municipal da Quinta do Conde Horário de funcionamento: de 3.ª feira a sábado, das 10h00 às 13h00. telef.: +351 211818093 Pode contribuir para o desenvolvimento deste projeto, dando o seu donativo para o NIB: 0035 0141 00091516930 95

Ecobrinquedos Anime  

Manual de construção de brinquedos reciclados

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you