__MAIN_TEXT__

Page 1


2

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Agenda | Julho Editorial

d

s

t

q

q

s

s

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

01/07 (SEGUNDA-feira) Memória da Beata Assunta Marchetti 03/07 (Quarta-feira) São Tomé Apóstolo 04/07 (segunda-feira) Santa Isabel Rainha Portugal 12h e 19h - Santa Missa 20h - Reunião da Comissão Sinodal Paroquial 05/07 (Sexta-feira) Santo Antônio Maria Zaccaria 06/07 (Sábado) 08h30 às 12h - Encontro Arquidiocesano do IVC - Todos os Catequistas, de todas as etapas, estão convocados. 11h - Rosário em Comunidade 15h - Reunião do CPP

08/07 (SEGUNDA-feira) 15h - Reunião com colaboradores da Curia Regional sobre o Sínodo Arquidiocesano 09/07 (Terça-feira) Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus 12h e 19h - Santa Missa 11/07 - Quinta-feira- São Bento 12h e 19h - Santa Missa 16/07 (Sexta-feira) Festa de Nossa Senhora do Carmo 12h e 19h - Santa Missa 11/07 - Quinta-feira- São Bento 12h e 19h - Santa Missa 17/07 (Quarta-feira) 07h30 - CAS 2019 14h30 - Reunião Comissão Sinodal Regional- Preparação da Segunda Sessão do Sinodo

18/07 (Quinta-feira) 09:00 - Reunião no CVAPreparação do Pre-Congresso Vocacional Arquidiocesano de Agosto 12h e 19h - Santa Missa 14h - CAS 2019 19/07 (Sexta-feira) 07h30 - CAS 2019 23/07 (Terça-feira) 19h30 - Reunião Comissão Arquidiocesana do Sínodo 26/07 (sexta-feira) 19h- Santa Missa - Entronização do Novo Altar da Comunidade Peruana 28/07 (Domingo) 08h- Retiro Regional dos Catequistas- Arsenal da Esperança

Agenda | Agosto 01/08 (quinta-feira) 08h - Atendimento as famílias carentes- FAC 02/08 (sexta-feira) Das 14h às 17h - Seminário sobre celibato e sexualidade com Christopher West - Par. São Luiz Gonzaga

03/08 (sábado) Rosário em Comunidade 04/08 (domingo) Dia do Padre

Rua da Consolação, 585 São Paulo/SP (11) 3256-5356 facebook.com/igrejadaconsolacao

10/08 (sábado) Encontro Arquidiocesano de Coroinhas - Catedral da Sé 11 a 17/08 Semana Nacional da Família 12/08 (segunda-feira) 20h - Reunião da PASCOM Regional 13/08 (terça-feira) 20h - Reunião da PV Regional 14 e 15/08 (quarta e quinta-feira) Das 19h30 às 22h - Formação Missionária para os Membros das Pastorais

Diretor/Editor Padre José Roberto Pereira

Carlos Eduardo Santana

Maria Eduarda Góis

Silmar de Lima Carbone

Frei Edinaldo da Silva

Tiragem 1.000 exemplares

Thies

Capa Aniversário Padre Paulo Colaboradores Padre José Roberto Pereira Anderson Nunes da Silva

17/08 (sábado) 15h - Reunião do Serviço de Psicologia 19 a 22/08 Retiro Latino Americano de Sacerdotes da RCC - Aparecida 22/08 (quinta-feira) 20h - Formação Missionaria na Paróquia 23 a 31/08 Novena a Nossa Senhora da Consolação

Projeto gráfico

Janete Sebastiana Vargas

Corretora Marilda Aparecida Patrícia Cristina de Oliveira Fonseca Falco Felipe Toledo Grabe Daniel Ávila Fernando Nunes Tiago Tanaka Múrcia

Rua Neila Ribeiro, 290, Pq. Residencial Alcantara -Londrina, PR (43) 3064-1633 ou (43) 99630-3031 contato@adoracomunicacao.com


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Segunda a Sexta 07h | 12h05 | 18h | 19h 07h |

Sexta 12h05 |

Editorial

Horários de Missa

3

18h

Sábado 12h | 17h Domingo 08h | 10h | 12h | 17h Missa com Orações por Cura e Libertação Todo último sábado do mês às 18h Missa da Divina Misericórdia Todo segundo domingo do mês às 15h

Horários de Confissões Segunda a Sexta 09h às 11h

Quarta, Quinta e Sexta 15h às 17h

Atendimento Secretaria Segunda a Sexta 09h às 13h30 - 14h30 às 19h Sábado 09h às 13h - 17h às 19h Domingo 08h às 13h - 17h às 20h


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Palavra do Pároco

4

Sínodo?

Como será a preparação das paróquias para o

A

ação proposta a todas as paróquias, em 2019, é conhecer melhor a história da própria paróquia, desde as origens até os dias atuais. Ao conhecer a história, encontram-se pessoas, fatos e acontecimentos que marcaram essa história; aparecem cenas e momentos particularmente fortes, que ajudam a perceber como a mesma foi “construída” por muitos paroquianos que, no passado, fizeram a sua parte para a vida e a missão dessa Igreja local. Cada paróquia poderá encontrar a forma mais adequada para promover uma verdadeira mobilização dos paroquianos em torno do conhecimento da sua história.

O efeito que se espera disso é um amor maior do povo pela própria paróquia, uma identificação mais profunda com ela e o crescimento do senso de pertença eclesial e através da pertença a uma comunidade concreta.

Como cada paróquia pode colocar em prática essas indicações para o ano de 2019?

Em 2019, comemora-se o centenário da Carta Apostólica do Papa Bento XV - “Maximum illud”, sobre “a grande e sublime missão da Igreja”, que se prolonga até o fim dos tempos. Com essa Carta Apostólica, Bento XV lançou um forte apelo à renovação missionária da Igreja, sobretudo em vista da evangelização “de toda criatura”, conforme o mandato de Cristo aos apóstolos, antes de se elevar ao céu (cf Mc 16,15). Para comemorar esse centenário, o Papa Francisco pediu que a Igreja no mundo inteiro promova em outubro de 2019 um “mês missionário extraordinário”. A promoção do “mês missionário extraordinário”, em outubro de 2019, combina bem com o caminhar do nosso sínodo e vai contribuir, certamente, para alcançarmos de maneira mais eficaz o objetivo do sínodo. Cada paróquia e comunidade, atendendo ao apelo do Papa Francisco,

Por Padre José Roberto Pereira Pároco

torne-se cada vez mais uma “Igreja em saída”, indo ao encontro daqueles que vivem distantes da prática da fé, convidando-os a participarem da vida da Igreja; é necessário falar do Batismo dos filhos, da catequese em todas as fases da vida, sobretudo das crianças e adolescentes. É urgente falar do casamento cristão, revalorizando o sacramento do Matrimônio. É necessário voltar a falar da assistência religiosa aos doentes e moribundos, do funeral cristão, da esperança cristã. Talvez a paróquia necessite mesmo fazer um “mutirão missionário”, para ir ao encontro do povo e ajudar as pessoas a reencontrarem o caminho que leva ao encontro com Deus e a Igreja. Que o Espírito Santo nos ilumine, fortaleça e conduza! Que intercedam por nós a Mãe da Igreja e Senhora da Assunção, nosso Padroeiro São Paulo Apóstolo, os Santos Padroeiros de nossas comunidades e os Santos de São Paulo, nossos companheiros de caminho, que nos precederam na vida e na missão desta Igreja metropolitana.


A presença de Maria enche a vida do Carmelo

Por Frei Edinaldo da Silva Carmelita

N

a Idade Média, alguns cristãos, que foram lutar nas Cruzadas contra os muçulmanos na Terra Santa, encontraram no Monte Carmelo um lugar propício para iniciar um outro tipo de batalha: a luta contra o mal, que existe dentro e fora de nós. Esses cristãos europeus perceberam a riqueza espiritual que o Monte Carmelo guardava e como seria proveitosa para sua nova vida. Vivendo no lugar onde, segundo o Antigo Testamento, Elias havia demonstrado ao povo e aos profetas de Baal que o Senhor é um só e está presente na nossa vida (1Rs 18), os eremitas do Carmelo construíram uma capela dedicada a Virgem Maria, a quem chamavam “Senhora do Lugar”. Assim, no monte do testemunho da unidade de Deus, marcado pela presença do profeta Elias e consagrado à Bem-aventurada Virgem Maria, os Carmelitas serviam ao Senhor, meditando as Sagradas Escrituras, na oração e no trabalho silencioso. Ao serem expulsos do Monte Carmelo, os Carmelitas vão para a Europa. Pouco a pouco adaptaram sua vida à realidade europeia, mas sem perder suas raízes espirituais. Além da oração e do trabalho manual, os Carmelitas colocaram-se à disposição da Igreja para a pregação, para a administração dos sacramentos e formação do povo. Meditando sua origem, reconheceram-se como a Ordem da Virgem Maria. Viram n’Ela um exemplo de discípula de Cristo, de mulher orante e atenta aos irmãos, ou seja, um retrato do que deve ser um cristão. Os Carmelitas colocaram-se sem temor sob os cuidados de Maria. O Escapulário tornou-se um sinal desse amor e confiança. “Flor do Carmelo, vinha florida e singular (...) aos Carmelitas, sede propícia, ó Estrela do Mar”, assim cantavam e cantam os devotos de Nossa Senhora do Carmo até hoje. A presença de Maria enche a vida da Ordem religiosa a ela consagrada. Santos como Teresa de Jesus, João da Cruz, Teresinha do Menino Jesus, Edith Stein, Titus Brandsma,

Elisabete da Trindade e tantos outros, sentiam-se honrados e felizes em pertencer à Ordem da Virgem. Uma honra que se desdobrava em comprometimento e seriedade perante a consagração de suas vidas a Deus a exemplo de Maria. Ser devoto de Nossa Senhora do Carmo significa viver para Cristo, como ela viveu, ter uma vida de oração perseverante e sincera e nunca desistir de viver as virtudes da fé, esperança e caridade. Trazer consigo o Escapulário do Carmo, mais que um objeto de devoção ou proteção, é pertencer à grande família do Carmelo, tendo Maria como Mãe e Irmã, no seguimento de Jesus e no serviço generoso aos irmãos.

5

Mãe de Deus

Carmo Nossa Senhora do

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Pastoral em Ação

6

Escapulário O uso do

O

costume de usar o escapulário data da Idade Média. Naquela época, era frequente permitir-se aos leigos ingressarem nas ordens religiosas como oblatos ou membros associados. Esses oblatos participavam das orações e boas obras dos monges, e era-lhes permitido usar o escapulário monástico. O escapulário era então uma longa peça de pano igual à que se enfia pela cabeça do monge, cobrindo-lhe a frente e as costas, sobre a túnica. Para ficarem mais práticos, os escapulários usados pelos membros leigos das ordens terceiras começaram a diminuir de tamanho, até chegarem às pequenas dimensões dos escapulários de hoje.

No entanto, é preciso entender corretamente o conteúdo dessa promessa feita pela Virgem: a perseverança final- isto é, a salvação- para quem morrer usando o escapulário. A graça que Nossa Senhora concede aos que usam o escapulário e morrem com ele é a de se arrependerem de todos os pecados cometidos em vida, já que é uma verdade de fé que só se pode salvar quem estiver em estado de graça na hora da morte.

Nos nossos dias, há um total de dezoito tipos de escapulários difundidos entre os católicos, cada um originado numa ordem religiosa diferente. Mas o mais usado é o escapulário marrom da ordem Carmelita, cuja especial padroeira é a Virgem do Carmo. A popularidade do escapulário marrom é devida, em parte, às graças específicas que estão associadas pela própria Virgem Maria nas suas aparições a São Simão Stock e ao Papa João XII: a garantia de todo aquele que o usar devotamente não morrerá em pecado mortal, e o privilégio sabatino.

Em suma, para alcançar o privilégio da perseverança é preciso: 1) Usar o escapulário do Carmo, imposto e abençoado devidamente pelo sacerdote; 2) Usá-lo piedosamente, ou seja, esforçando-se por cumprir os deveres cristãos; 3) Levá-lo posto na hora da morte.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

7

Pastoral em Ação

Alcoólicos

Anônimos

Apesar de não se vincular a nenhuma religião ou seita, o Alcoólicos Anônimos prega ser impossível vencer o alcoolismo sem a proteção de um ser superior, de um ente supremo que ajude o alcoólico a manter a sobriedade.

O

Alcoólicos Anônimos (AA) é uma irmandade que congrega portadores de alcoolismo, uma doença incurável. Sua proposta é ajudar o alcoólico a parar de beber.

classe social ou poder econômico, ideologia política ou crença religiosa. Analisando, porém, a composição dos diferentes grupos, conclui-se que todos os extratos sociais estão neles representados.

Para ser admitido no AA, não existem taxas nem mensalidades. A única exigência é o desejo de abandonar a bebida. Ninguém declara endereço ou profissão,

Os membros do AA são protegidos pelo mais absoluto anonimato que, além de preservar a identidade dos alcoólicos, afasta qualquer ideia de projeção

pessoal ou de terceiros que possa contaminar a estrutura da irmandade, regulamentada pelas Tradições (normas condensadas pelos pioneiros e aprovadas democraticamente que asseguram a unidade da instituição). Apesar de não se vincular a nenhuma religião ou seita, o AA prega ser impossível vencer o alcoolismo sem a proteção de um ser superior, de um ente supremo que ajude o alcoólico a manter a sobriedade.


8

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Pastoral Ação Consoladora dosem Aflitos

Como funciona as reuniões? Ao chegar ao AA, o alcoólico é recepcionado por companheiros que abandonaram a bebida há algum tempo, e todos dizem que hoje conseguiram evitar o primeiro gole. A reunião começa com uma prece encontrada num necrotério dos EUA, cuja mensagem se encaixa perfeitamente na filosofia da irmandade. A seguir, têm lugar os depoimentos dos veteranos que, ao expor uma história de vida muito semelhante à dos recémchegados, provocam neles identificação profunda. “É sempre o mesmo drama, só mudam os atores”, reconhece Cláudio, um alcoólico em recuperação. “É começar a beber, viver um primeiro momento de satisfação e euforia, para depois tornarse dependente, perder a credibilidade, a razão, a moral, a vontade de viver”. Infelizmente o alcoolismo é uma doença progressiva e de difícil controle. Depois a palavra é dada aos novatos que farão uso dela se quiserem. Nada é obrigatório no AA. O primeiro passo para a recuperação é admitir que existe uma doença, o alcoolismo, porque enfrentar o problema e alcançar a sobriedade só é possível se houver esforço e empenho pessoal do interessado. Mesmo que haja recaídas (o alcoolismo é uma doença recidivante), as portas do AA estarão sempre abertas e os companheiros acolherão o dependente que retorna sem críticas nem censuras. As reuniões são lideradas por um coordenador diferente a cada dia, a quem cabe abrir a sessão e organizar ordem dos depoimentos. A organização no AA todos são iguais. Não existem chefes. Segundo um de seus membros, “o único chefe é o resultado da consciência coletiva que se manifesta através de um Deus amantíssimo”. Qualquer decisão, depois de debatida, é posta em votação e vence a vontade da maioria. Essa organização, aparentemente anárquica, funciona sem

deslizes, porque todos estão imbuídos da responsabilidade que têm perante si mesmos e o grupo. O AA não aceita doações de particulares nem de órgãos públicos ou privados. Não aceita, também, trabalho voluntário. Os encargos ficam todos por conta dos membros da irmandade composta apenas por alcoólicos. Há três cargos, entretanto, que podem ser ocupados por não alcoólicos: presidência da junta de custódio, tesouraria geral e segunda vice-presidência.

Por Dráuzio Varella Médico

Oração a Santo Onofre pela libertação do alcoolismo Meu glorioso Santo Onofre, que pela Divina Providência fostes santificado e hoje estais no círculo da Providência Divina, confessor das verdades e consolador dos aflitos. Ó Santo Onofre que pela fé, penitência e força de vontade vencestes o vício do álcool, concedei-me a força e a graça de resistir à tentação da bebida. (Diga sua intenção e o nome pessoa por quem está fazendo esta oração) Santo Onofre que vencestes o vício do álcool, através da penitência e da oração, olhai para todas as nossas famílias que sofrem por causa desta doença. Afastai delas as terríveis consequências deste mal, que têm causado a destruição de muitos lares. Livrai também meus amigos e toda a juventude dos males de nosso tempo: o álcool, as drogas, as más companhias e as diversões permissivas. Que não me falte o pão, o teto, as vestes, que me permita viver honestamente e isento do pecado. Santo Onofre, intercedei pelos alcóolatras e seus familiares. Santo Onofre, intercedei pelos alcóolatras e seus familiares. Santo Onofre, intercedei pelos alcóolatras e seus familiares. Amém.

Em nossa paróquia, nos fundos da igreja, temos as reuniões que acontecem todos os dias, às 19 horas.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

9

Artigo Especial Consoladora dosAflitos

ARTIGO ESPECIAL

Aniversário Sacerdotal de 40 anos

Padre Paulo


Artigo especial

10

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

E

m 15 de outubro de 1945, em Itaiçaba-CE, nascia o menino Paulo Flavio da Silva. Foi batizado e crismado na paróquia da cidade sob a invocação de Nossa Senhora da Boa Viagem. Seus pais, Francisco Gomes Silva e Maria Francisca Silva Gomes, já falecidos, tiveram outros filhos: Pedro Fausto, Maria de Fátima, Francisco Reuler (in memorian), Raimundo Fábio, Rogério, Fabíola, Rosângela, José Flávio e Pedro Jorge. Ainda quando pequeno, seus pais mudaram-se para a cidade vizinha de Jaguariana. Lá foi alfabetizado no Grupo Escolar, onde cursou todo o primário. Após fazer a primeira Eucaristia, tornou-se coroinha, acompanhando diversas vezes o pároco nas missas da matriz de Sant’Ana e nas Capelas dos Distritos. Sua vocação para o Sacerdócio manifestouse muito cedo. Em sua infância eram corriqueiras as brincadeiras de organizar missas e procissões com as crianças de sua idade. Terminando o primário, foi para o seminário menor de Limoeiro do Norte, onde por um ano preparou-se para o ginásio sob a orientação da Irmã Teresa Celores Goes, filha da Caridade, que lecionava no seminário, preparando os seminaristas novatos para iniciar o ginásio. Ao fim de um ano, a então Irmã Teresa entregava aquela garotada, que tinha saído de casa tão cedo, para agora começarem com os padres holandeses os estudos muito puxados da 1ª série do ginásio começando as aulas de latim e muitos outros mártires. Nas férias visitava a família, mas sempre recordando-se do seminário, onde a vida era movida pelos estudos, oração, aulas de música e recreios animados. As atividades eram intensas durante a semana. Aos domingos, a missa solene era cantada em gregoriano tornando-se um dia muito esperado. Terminando o Ginásio, transferiu-se juntamente com seus amigos para o seminário da Prainha, em Fortaleza, para fazer o Curso Clássico. Era o tempo do Concílio e começaram as grandes mudanças na Igreja. Foram apenas três anos no seminário da Prainha. Quando

as atividades foram encerradas, todos os jovens foram convidados a irem para outras casas de formação. Paulo foi para o seminário Regional do Nordeste, em Recife, onde cursou Filosofia, Teologia e Pedagogia na Universidade Católica. Depois de muito estudo, atividades pastorais, Paulo chega ao final de sua formação. Tendo recebido o Diaconato, resolveu ir a São Paulo, para uma nova experiência de vida. Já em São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, o recebeu com muito carinho e colocou-o na Paróquia de Nossa Senhora da Consolação. Prosseguiu seus estudos teológicos e pedagógicos na PUC de São Paulo. A convite da Liga das Senhoras Católicas, foi trabalhar na coordenação pedagógica do Educandário Dom Duarte, onde trabalhou por muitos anos. Em 1º de julho de 1979, foi ordenado Presbítero, e incardinado na Arquidiocese de São Paulo. Em 1985, os Salesianos de Dom Bosco, assumiram a direção do Educandário Dom Duarte e não havendo mais necessidade de Padre Paulo permanecer no instituto, ele aceita o convite para ir trabalhar como Capelão Militar nas Forças Armadas, ingressando assim para a Aeronáutica. O ano de adaptação à vida militar foi muito duro, mas com garra e ajuda de Deus venceu todas as dificuldades, formandose Tenente Capelão em dezembro de 1985. Padre Paulo foi sempre muito bem acolhido na Aeronáutica, chegando ao posto máximo dos capelães, Coronel Capelão. Desde que entrou para o Serviço Pastoral das Forças Armadas, na Aeronáutica, dedicouse, como instrutor, colaborando na formação intelectual e moral dos jovens oficiais, sargentos, cabos e soldados que ingressam para serviço na Aeronáutica, além das atividades de cunho de assistência religiosa. Para incrementar a evangelização do meio militar, juntamente com o Reverendíssimo Senhor Abade do Mosteiro de São Bento de São Paulo, em 1994, fundou a Fraternidade Beneditina dos Oblatos de São José, Instituto de Vida Apostólica, formado por leigos e clérigos, militares e civis que se dispõem viver segundo a Regra de São Bento e trabalhar na evangelização do meio militar.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Artigo especial

Detentor de sólida formação musical, dirige o Coral da Paróquia Nossa Senhora da Consolação. É regente do Coral da Policia Militar do Estado de São Paulo e do Coral da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo e nas celebrações religiosas próprias dos militares, como a Páscoa dos Militares e Semana da Asa, sempre abrilhantam estes eventos.

11

Atualmente, além do serviço pastoral em nossa paróquia, cuida da Capelania do Hospital da Força Aérea de São Paulo, levando conforto espiritual aos Militares e dependentes internados no Hospital. Na Paróquia de Nossa Senhora da Consolação, Padre Paulo foi sempre uma presença ativa e estimada. Durante muitos anos, além das celebrações das Santas Missas, cuidou da Catequese, da Liturgia, do Coral, da preparação e celebração dos casamentos. Sua vida está intimamente ligada à história de nossa paróquia, a qual o tem como um ícone precioso. Depois de Monsenhor Francisco Bastos, é o padre com mais anos de permanecia na paróquia. Que Deus e a Virgem Santíssima, a qual Padre Paulo é muito devoto, o conserve ainda por muitos anos, dando testemunho de amor e de inteira entrega da vida a Deus e aos irmãos.

No domingo, 30 de junho, celebramos a Santa Missa em Ação de Graças pelos 40 anos de Ordenação Sacerdotal do Padre Paulo Flávio da Silva.


Aconteceu

12

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Crisma No dia 09 de junho, Solenidade de Pentecostes, os jovens de nossa comunidade receberam o Sacramento da Confirmação, pela imposição das mãos do bispo Dom Joércio Gonçalves.

Missa de 7º dia do cantor André Matos No dia 15 de junho, foi celebrada em nossa paróquia a Missa de Sétimo Dia do cantor André Matos.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

13

Festa Junina da Consolação Durante os finais de semana do mês de junho, realizamos a tradicional Festa Junina da Consolação.

Aconteceu


14

CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Corpus Christi

Aconteceu

Celebramos no dia 20 de junho a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor.

Natividade de São João Batista Celebramos no dia 24 de junho a Solenidade da Natividade de Sâo João Batista, nosso co-padroeiro


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

Formação

FÉRIAS ESCOLARES: o que fazer com as crianças?

E

sse é o momento mais aguardado pelas crianças. Elas fazem planos de viajar, brincar, jogar videogame, dormir até tarde, passear no parque ou até mesmo ficar em casa sem fazer nada. A criançada entra em um momento de felicidade quando ouve a palavra férias. Depois de cumprirem todas as obrigações, de terem horário para acordar, horário para dormir, terem que estudar e fazer lição de casa, as merecidas férias chegam para aliviar a cabeça e dar uma pausa naquela rotina que muitas vezes as deixam estressadas e cansadas. Um estudo realizado pela Academia Norte Americana de Pediatria (APP), mostrou que o período de férias é de grande importância para o desenvolvimento das crianças, tanto no ambiente escolar, quanto no convívio social. Através das brincadeiras a criança absorve mais informações. As férias ajudam o cérebro da criança a formar conteúdo. É interessante que todos da casa se possível, possam se programar para que as férias sejam ainda mais divertidas. Esse é o momento para fazer muitas atividades juntos: passear, jogar bola, assistir um filme juntos e aproveitar cada momento, pois o tempo passa rápido e a criança que um dia se tornará um adulto, sempre se lembrará desses momentos especiais vividos em família.

Alguns pais muitas vezes não conseguem conciliar as férias do trabalho com as férias escolares do filho. Isso causa até um pouco de chateação, mas o mais importante é saber que o seu filho está bem. Se você não pode viajar com seu filho, então poderá programar algo para que ele fique em boas mãos e você possa trabalhar tranquilo. Se a criança já for grandinha, poderá ficar em casa lendo livros, assistir filmes, jogar videogame, mas nada em excesso, tudo com a supervisão de alguém. O tempo ocioso também faz bem para a criança. Pode se programar com os amigos da escola que também estão em férias, conversar com os pais dos amigos para fazerem algo juntos, um passeio no parque, jogar futebol, ou até mesmo participar das oficinas, cursos rápidos de férias. É importante lembrar que caso haja interesse em fazer algum curso, a iniciativa tem que partir da criança, e não fazer nada por obrigação nas férias, pois este é o momento para ela ficar tranquila consigo mesma, e fazer somente o que a deixa feliz. Podemos observar a importância das férias escolares para as crianças. Cada pai programa-se como pode e faz o que acha necessário para seu filho. O mais importante é saber que a criança está bem e está curtindo suas férias da melhor maneira, dentro daquilo que é possível para cada família.

15

Curtir cada momento, e fazer com que sejam inesquecíveis e saber que esses momentos serão sempre lembrados pelo seu filho, pois ficam gravados na cabecinha dele. Aproveitem bem a importância das férias escolares! Após esse descanso nas férias, as crianças voltam mais felizes, mais dispostas a aprenderem até mesmo aquela matéria que elas consideram chata. A mente fica mais aberta ao aprendizado, e isso é muito bom para o progresso na escola. O convívio com os amigos também melhora, e até aquelas crianças que são mais tímidas, voltam mais falantes, e assim conseguem aumentar o seu círculo de amizades, o que é muito importante para que elas conheçam, aprendam a conviver e respeitar pessoas diferentes. Fonte: Colégio São Joaquim – Lorena/SP


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

220anos deHistória... A Igreja e seus Símbolos

16

Igreja da Consolação Os Sinos que embalam a

O

s sinos da Paroquia Nossa Senhora da Consolação soaram pela primeira vez em 08 de setembro de 1952, dia da Festa da Padroeira. O relógio, um dos maiores da cidade que fica na torre dos sinos, foi construído pela firma inglesa J.B.K, a mesma que construiu o famoso Big Bem em Londres. A torre de 75m de altura foi concluída em 1970 e conta com um carrilhão de cinco sinos, restaurados em 2012.

O carrilhão de cinco sinos, possuí ladrilhos em mosaico e mármore que desenham a fachada e a porta de entrada é trabalhada em furo forjado batido. O sino maior, pesando duas toneladas, badala em dó sustenido (Consolatrix); os médios, em fá (Santana) e em sol sustenido (São João Batista) e o menor em lá sustenido (Santos Anjos).


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

17

A Igreja e seus Símbolos 220 anosde História...

Quando construído era o maior de São Paulo e se a tecnologia da época permitisse “ficaria junto às nuvens, próxima da palavra do Senhor”, expressou um engenheiro na época. Após restauração em 2012 os sinos voltaram a soar na Igreja Nossa Senhora da Consolação, onde sete sinos foram instalados. Além dos quatro sinos que a igreja tinha foram restaurados e a paróquia ganhou mais três. Foi um presente dos donos do Terraço Itália, restaurante vizinho à Igreja.

A primeira missa com os novos sinos da Consolação foi celebrada pelo cardeal arcebispo Metropolitano, Dom Odilo Pedro Scherer. Os equipamentos foram instalados no último pavimento das torres da igreja, que foi construída em 1909. Nos últimos anos a igreja vem passando por várias reformas internas e externas e vem sendo feito um grande trabalho para manter viva a história desta igreja tão importante para nossa cidade.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

A Igreja e seus Símbolos 220anos deHistória...

18

Além do combate as infiltrações que ameaçam as pinturas, recuperação dos vitrais, o processo para troca dos sinos foi um momento muito importante na paroquia e para toda comunidade, que todos os dias tem em sua rotina o soar dos sinos da Paroquia Nossa Senhora da Consolação.


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

19

220anosdeHistória...


CONSOLATRIX · JULHO E AGOSTO 2019

220anosdeHistória...

20

Oração a Nossa Senhora do Carmo

“Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu. Doce e sempre Virgem Mãe de Deus, incomparável. Sede propícia aos carmelitas. Ó Estrela do mar. Virgem Maria! Senhora do Carmo, Mãe da Misericórdia; A Ti rogamos graças junto a Nosso Senhor Jesus Cristo! Mãe do Carmo, Senhora Nossa, que nos recebe como filhos e filhas muito amados, Que nos ensina a Oração do Coração, Assim contemplamos Vosso Filho Jesus; Mãe Piedosa, Ensina-nos a calarmos nas dificuldades Para ouvirmos vossos ensinamentos; Ensina-nos o acolhimento ao próximo, Ajudai-nos a sermos perseverantes nos trabalhos da Santa Igreja; Pedimos vossa maternal intercessão junto a Jesus Cristo Nosso Senhor, Para sermos seus instrumentos na Evangelização; Pedimos vossa benção Mãe Senhora Nossa, Agora e sempre. Amém!”

Profile for Adora Comunicação Católica

Revista Consolatrix - julho/agosto  

Revista bimestral da Paróquia Nossa Senhora da Consolação- São Paulo!

Revista Consolatrix - julho/agosto  

Revista bimestral da Paróquia Nossa Senhora da Consolação- São Paulo!

Advertisement