Issuu on Google+

Espaço da Notícia Esportes

F

altam pouco menos de 40 dias para a Copa do Mundo no Bra-

sil. Os investimentos em megaeventos como a Copa do Mundo vêm demonstrando uma realidade que só existe na imaginação de uma minoria. É importante se perguntar quem sofrerá as consequências dos gastos exorbitantes com mobilidade urbana, aeroportos estádios etc. (Caio Lúcio Silva)

O outro lado da moeda O Brasil de Felipão, de Neymar, de ou Kaká, o Brasil pentacampeão, seja com volantes classudos ou brucutus, pode ganhar ou perder a Copa de 2014.  O Brasil de 200 milhões de pessoas, aquele que acordará no dia 14 de julho de 2014 para trabalhar, este sairá da Copa derrotado. Qualquer que seja o resultado da final. (Folha de são Paulo)

“Nesse contexto a vida continua para milhões de brasileiros com copa, sem copa não mudou nada em suas vidas.”

Hospitais sem estrutura

(Marcos André Praça) Estádio em construção

Falta de estrutura na educação

Meio Ambiente É errado dizer que a água está acabando, pois, a água do mundo nunca irá acabar, tendo em vista que o ciclo da água, ou ciclo hidrológico é um ciclo fechado, ou seja, não se perde água, e muito menos ganha-se água para o planeta Terra. Deste modo podemos dizer que o volume de água existente hoje no planeta Terra é o mesmo volume existente há milhões de anos atrás, e que será o mesmo volume daqui a milhões de anos, e sempre. A grande questão está na qualidade desta água.

A água potável, de qualidade, está ambiente pode ser irreversíveis e em um volume cada vez menor de- as consequências bem piores. vido às ações negativas do homem nas bacias hidrográficas. Poluição por resíduos químicos provenientes de industrias são o difíceis de tratar. Se o ciclo da agua não acontece a tendência dos níveis dos reservatórios e rios e baixar comprometendo o abastecimento de várias cidades do Brasil. Se cada um fizer a sua parte talvez amenizará o problema “ou não”. Os danos causados ao meio


Jornal curso