Page 1


Editorial

VAMOS EM FRENTE Temos acompanhado que a indústria de motocicletas tem retomado suas atividades de forma gradual e cautelosa, o ritmo do mercado vem sendo ditado pelo aumento do consumo da motocicleta, a procura aumentou e evidentemente por conta da paralisação das montadoras no Polo Industrial de Manaus por conta da Covid-19, faltou moto no mercado. Talvez um fato inédito em anos. Essa procura se deu por conta do crescimento do número de entregadores por aplicativos. Assunto que tratamos também nessa edição falando sobre a importância dos motoboys e motofretistas durante a pandemia, leia os relatos de três desses profissionais falando a respeito de como estão enfrentando esse período. Os depoimentos são marcantes. O Associado em Destaque dessa edição é a Danidrea, empresa especialista em motopeças, que há 32 anos, produz peças essenciais e altamente técnicas para o mercado de reposição. Falaremos também, sobre o papel fundamental do mercado de reposição e reparação durante a pandemia, principalmente porque, fomos considerados como serviços essenciais para a população e no momento que as motos estão em destaque, a manutenção e a troca de peças teve que continuar, fazendo com que esse segmento ganhasse um grande destaque. Uma informação muito importante e aguardada por todos foi a mudança de data do XI Salão das Motopeças. A Anfamoto alterou a data do evento para abril de 2021, a fim de garantir a segurança e a saúde de todos. Por conta ainda da falta de um protocolo oficial para os eventos de grande porte em São Paulo, e por entender também que o próprio mercado estava receoso em participar de um evento ainda em 2020, tendo em vista que ainda não há uma vacina para a Covid-19. A EICMA – Salão de Milão e a Intermot – Salão de Colonia, também adiaram as realização de seus eventos para 2021. E falando ainda em Covid, a Anfamoto, distribuiu cartazes para lojistas de São Paulo, com orientações para o atendimento, colaborando com o retorno dos estabelecimentos e orientação aos clientes. Falamos também sobre as principais medidas tributárias e de crédito adotadas pelo governo federal para o enfrentamento da Covid-19. Na seção Sua Moto em Detalhes, especialista dão dicas para quem deixou a moto parada durante a quarentena e os cuidados que devem ser tomados na manutenção nesse período. No Caderno Duas Rodas trazemos a principais novidades do mundo da motocicleta e as notícias mais relevantes do momento, dentre elas as novidades no Código de Trânsito Brasileiro, na CNH e nos Detrans.

Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças Presidente: 1º Vice Presidente: 2º Vice Presidente: Tesoureiros:

Orlando Cesar Leone Valdenir dos Santos Galvão Valério Valente Amarildo Severino Fernandes

Conselho Deliberativo - Presidente :

Gianfranco Menna Zezze

Membros do Conselho Deliberativo:

Carlos Alberto Fiorotti Hélio Tenório da Silva Waldemar Ivo de Medeiros

Suplentes do Conselho Deliberativo:

Carlos Manoel Jr. Celso Pedro Franciosi Mônica Orlando de Oliveira

Membros do Conselho Fiscal:

Antonio Rubens Teixeira Filho Giancarlo Vancini José Maurício Felipe

Suplentes do Conselho Fiscal:

Alexandre Saba José Jacob Fernandes Sandra Brandani Picinato

Coordenadores de Setoriais: Fabricante: Freios: Escapamentos: Capacetes:

Anfamoto Valério Valente Anfamoto Anfamoto

Coordenação Editorial:

Fabia Helena Allegrini Pereira

Editor responsável:

Jacylete Abreu – MTB 825-CE

Serviços Gráficos: Editor de Arte:

Gráfica Hawai Luis Fernando L. Corrêa

Cuidem-se e boa leitura!

Secretaria:

Patricia Sartori

Coordenação de Eventos:

Equipe Anfamoto

ANFAMOTO em Revista:

Equipe Anfamoto

Assessora da Presidência:

Fabia Helena Allegrini Pereira

PUBLICIDADE & COMERCIAL

Número de Registro: 823713350

EDIÇÃO 151 - MAI/JUN 2020 A responsabilidade sobre opiniões e fatos presentes nos artigos assinados na “ANFAMOTO em Revista” é exclusiva de seus autores, não exprimindo necessariamente o pensamento desta publicação nem a posição da ANFAMOTO.

Av. Nove de Julho, 3229 Cjtos 208/209/210 Jardim Paulista CEP 01407-000 - São Paulo-SP PABX: (11) 3052-2002 - Fax: (11) 3885-7637 E-mail: anfamoto@anfamoto.org - Site: www.anfamoto.org


Sumário Palavra do Presidente Covid-19 o vírus que sufocou o crescimento

Mercado Indústria de motocicletas retoma gradualmente suas atividades

Associado em destaque Danidrea: Especialidade em Motopeças

Espaço Anfamoto XI Salão das Motopeças é adiado para abril de 2021

Especial A importância dos motoboys e motofretistas na pandemia

Capa O papel fundamental do mercado de reposição e reparação durante a pandemia

Legislação Principais medidas tributárias e de crédito adotadas pelo governo federal para o enfrentamento da Covid-19

Sua Moto em Detalhes Saiba quais cuidados devem ser tomados na manutenção e o que fazer durante o período em que estiver parada

Espaço Anfamoto

8 10

16 XI Salão das Motopeças é adiado para abril de 2021

14 16

Capa

20 22

22 O papel fundamental do mercado de reposição e reparação durante a pandemia

26 Sua Moto em detalhes

38

Caderno Duas Rodas

42

Notícias

44

Dicas & Lançamentos

46

Associados

47

38 Saiba quais cuidados devem ser tomados na manutenção e o que fazer durante o período em que estiver parada


Palavra do Presidente

COMO SERÁ O NOVO NORMAL?

Orlando Cesar Leone - Presidente

Há mais de 150 dias falamos da pandemia que mudou o mundo. Mesmo em ritmo de incerteza, continuamos com nossas atividades sem saber como será o amanhã e como será o pós pandemia. Nesse momento quais medidas efetivas poderemos tomar? São muitas as questões que ainda pairam em muitos setores da economia e da sociedade como um todo. Muitas coisas serão repensadas. A Covid-19 ressaltou as muitas desigualdades de um país doente que tentava se recuperar de forma arrastada. Uma sucessão de erros de tantos anos na economia, na saúde, na educação, na habitação e no saneamento básico. Anos de erros que estão nos custando tanto nesse momento. A impressão que temos é que começamos errado e que continuamos no caminho errado. A quarentena mal planejada, o isolamento precoce, geraram um custo social e político difícil de serem sustentados. Após todo o susto e adequação a esse momento de incerteza e medo, passamos a viver de forma diferente e a olhar as situações de outra maneira. Estamos atravessando de fato uma crise sem precedentes, além disso a pandemia deixou um terrível efeito colateral: a total falta de qualquer expectativa quanto ao crescimento. Muitas empresas encerraram suas atividades por conta da quarentena estabelecida ou levaram a zero seus faturamentos. Essa retomada não será fácil e nem de um dia para o outro, apesar de Paulo Guedes, ministro da Economia, afirmar que o fundo do poço foi em abril. A reabertura do varejo não teve o resultado esperado, mesmo sabendo que há variação de segmento para segmento. O forte impacto no sistema econômico nos forçam a necessidade de repensar o modelo tradicional e de repensar o futuro. Dentro do “novo normal” uma estrela se consolidou: a Mo08

Anfamoto em Revista - Edição 151

tocicleta. Sim, com muitas vantagens que todos conhecemos, agilidade, economia, já são feitos modelos menos poluentes, a moto ganhou destaque durante a pandemia. Principalmente como uma fonte de renda para aqueles que perderam seus empregos com carteira assinada. Os entregadores ganharam destaque durante essa fase crítica de isolamento pela qual passamos. Já temos notícias que faltam motocicletas para venda, pois as montadoras ficaram um longo período sem atividade por conta da pandemia. O mercado de motopeças acabou sentido a crise no início, pois a perspectiva do que vinha pela frente era muito ruim e não se sabia quanto tempo tudo isso ia durar, mas se estabilizou rapidamente até puxado pela necessidade de manutenção nas motos que circulam. Precisamos voltar o olhar para o futuro e analisar o mundo que vem pela frente, o pós pandemia. Os entregadores mantiveram toda uma cadeia produtiva ativa. Essa categoria precisa ser retirada do limbo, não mais classificada como sub emprego. Precisa de uma legislação eficiente, de educação financeira e de trânsito. Colaborar principalmente para que a categoria seja reconhecida como um nicho econômico e que precisa ter os direitos trabalhistas reconhecidos e preservados. Ainda continuamos com uma série de desafios que já eram perenes antes da pandemia, e ainda continuam urgentes. O governo deve voltar o olhar rapidamente para sair do embate Executivo X Câmara X STF, e conseguir retomar uma agenda positiva para retomada do crescimento, para as reformas necessárias, incentivos diretos para as empresas que precisam voltar a empregar e gerar renda. A roda da economia precisa girar. A indústria brasileira precisa de incentivos para voltar a ser produtiva em sua capacidade, tirar do sucateamento o parque industrial, a desoneração da folha é uma medida eminente. Não é só isso, precisamos investir em educação e capacitação para que tenhamos bons profissionais que possam enfrentar os novos desafios e estejam mais preparados. Precisamos voltar a sermos competitivos. O legado que ficará no mundo pós pandemia é que precisaremos nos reinventar. Imaginar o futuro parece mais um exercício para videntes. Mas não é preciso ser vidente, para saber que nada será igual no mundo que vamos encarar daqui para frente. O novo normal será pautado pela mudança de hábitos, objetivos e valores e todos precisam compreender e se adequar rapidamente a essa realidade, olhar velhos modos com novas perspectivas. Um forte abraço e boa leitura Orlando Cesar Leone - Presidente


Mercado

Indústria de motocicletas retoma gradualmente suas atividades A produção se intensificou no final de maio, com 80% das fábricas em operação. No varejo a média diária de vendas cresceu em 10,7% na primeira semana de junho.

paração com o mesmo período de 2019 que foi de 456.772 unidades.

DESEMPENHO POR CATEGORIA

A indústria brasileira de motocicletas registrou em maio a produção de 14.609 unidades no Polo Industrial de Manaus (PIM), segundo informações da Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares. Este volume representa alta de 887,8% em relação a abril que foi de 1.479 unidades, isso se deve pois em abril a produção ficou praticamente paralisada, com 70% das fábricas do PIM sem atividade. Na comparação com maio do ano passado, 100.998 unidades, houve queda de 85,5%. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano foram fabricadas

10

Anfamoto em Revista - Edição 151

313.687 motocicletas, representando uma redução de 33,1% na comparação com o mesmo período de 2019 que foram 468.984 unidades.

VENDAS NO ATACADO Em maio as fábricas repassaram para as concessionárias 18.355 motocicletas, representando um crescimento de 254,8% no comparativo com abril que foi de 5.173 unidades e queda de 80,8% ante maio do ano passado que foi de 95.577 unidades. No acumulado de 2020, as vendas no atacado somaram 300.930 unidades, correspondendo a uma queda de 34,1% na com-

Em maio, a Street se manteve como a categoria mais comercializada no atacado com 7.593 unidades, representando uma alta de 214,8% em relação a abril que foi de 2.412 unidades e 83,2% inferior a maio de 2019 que foi de 45.285 unidades. O segundo lugar também se mante com a Trail, com 3.743 unidades comercializadas, volume 201,1% superior em relação ao mês anterior que foi de 1.243 unidades e redução de 80,5% na comparação com maio de 2019, totalizando 19.173 unidades. Na sequência com 3.293 unidades comercializadas, a Scooter teve resultado 633,4% superior do que o registrado em abril que foi de 449 unidades. Em relação a maio do ano passado que foi de 9.480 unidades, houve recuo de 65,3%. No acumulado do ano, a Street contínua como a categoria líder no Brasil, com 153.052 unidades e 50,9% de participação. No ano passado, nesse mesmo período, o percentual era de 50%. A Scooter, que está no quarto lugar entre as categorias mais vendidas, com 27.732 unidades, detém hoje 9,2% do mercado. Em 2019, o percentual era de 8,6%. Veja comparativo de vendas mensais no atacado por categoria na página 11.


EMPLACAMENTOS

Os emplacamentos registram pequena alta em maio em comparação a abril do presente ano. Segundo levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), foram licenciadas 29.192 motocicletas, correspondendo a um aumento de 3,3% na comparação com abril que foi de 28.246 unidades, e recuo de 70,2% em relação a maio de 2019, que foi 97.989 unidades. Com 20 dias úteis, a média diária de vendas em maio foi de 1.460 unidades. Na comparação com abril, quando foram produzidas 1.345 unidades, que teve um dia útil a mais, foi registrada alta de 8,6%. Na comparação com maio de 2019, que foram de 4.454 unidades, com 22 dias úteis, houve queda de 67,2%. A região Nordeste foi a que mais emplacou motocicletas no Brasil, em maio, com 7.634 unidades, seguida pela Sudeste com 6.423 unidades, Centro-Oeste com 5.562 unidades, região Sul com 5.083 unidades e Norte com 4.490 uni-

dades. O ranking de licenciamentos por estado foi liderado por Minas Gerais com 4.500 unidades, seguido pela Bahia com 3.153 unidades, Mato Grosso com 2.731 unidades, Paraná que somou 2.419 unidade e por fim o Pará com 1.734 unidades. O Estado de São Paulo, que historicamente representa o maior mercado do País, foi o que mais sentiu o impacto da pandemia e registrou apenas 444 motocicletas emplacadas, ficando na 19ª posição no ranking nacional. No acumulado do ano, as vendas no varejo somaram 304.286 unidades, correspondendo a uma retração de 32,4% na comparação com o mesmo período de 2019, quando somou 450.011 unidades.

EXPORTAÇÃO

mesmo período do ano passado. Segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra volumes de embarques totais de cada mês, os três principais mercados para as motocicletas produzidas no PIM foram: Canadá com 224 unidade e 30,7% do volume total exportado, Austrália com 212 unidades e 29%, e Guatemala com 106 unidade e 14,5%. No acumulado do ano, as exportações somaram 7.847 unidades, representando uma queda de 57,3% na comparação com o mesmo período do ano passado somando 17.538 unidades. O maior volume foi enviado para Argentina, 4.285 unidades e 43% do total exportado. Na sequência, vieram Colômbia com 1.372 unidades e 13,8% e Estados Unidos com 1.284 unidades e 13% do total exportado.

Em maio, foram exportadas 236 motocicletas, significando uma retração de 44,6% na comparação com a abril de 2020, quando foram exportadas 425 unidades e de 92,7% ante as 3.232 motocicletas embarcadas para o exterior no

Fonte: Abraciclo

COMPARATIVO DE VENDAS DE MOTOCICLETAS NO ATACADO MENSAL POR CATEGORIA (maio/20) /

(maio/20) /

(maio/19)

(abril/20)

-83,2%

214,8%

3.743

-80,5%

201,1%

95

128

-99,2%

34,7%

9.480

449

3.293

-65,3%

633,4%

NAKED

1.992

374

1.278

-35,8%

241,7%

BIGTRAIL

1.892

192

1.107

-41,5%

476,6%

OFF-ROAD

1.344

62

213

-84,2%

243,5%

CUSTOM

667

149

574

-13,9%

285,2%

SPORT

396

197

426

7,6%

116,2%

maio/19

abril/20

maio/20

STREET

45.285

2.412

7.593

TRAIL

19.173

1.243

MOTONETA

15.526

SCOOTER


Mercado

12

Anfamoto em Revista - Edição 151


ASSOCIADO EM DESTAQUE

DANIDREA: ESPECIALIDADE EM MOTOPEÇAS

Paixão pela motocicleta. Foi a centelha que despertou, o jovem Hélio Joaquim dos Santos para uma viagem de 22 dias ao Uruguai, percorrendo mais de 5.500 km. Impulsionado por seu espírito empreendedor, porém com poucos recursos financeiros, abriu em 1983 a Moto Real, quando começou suas atividades como distribuidor de motopeças e lançou pioneiramente a linha de ferramentas especiais para atender as oficinas mecânicas. Visionário, queria transformar a loja no bairro do Ipiranga, em São Paulo, em um grande atacado de motopeças. Esse sonho se concretizou quando migrou sua loja para Rua General Osório, no centro de São Paulo. Hélio percebeu que havia falta de fornecedores de alguns produtos para o segmento. Por ter formação técnica e conhecimento em processos industriais passou a produzir alguns desses itens. Foi quando em outubro de 1988 fundou a Danidrea. O nome da empresa homenageia seus filhos Daniel e Andrea. A Danidrea iniciou suas atividades fabricando ferramentas especiais para o segmento de duas rodas. O ponto de partida

foram duas peças: a caixa de direção e a bucha da balança. Contava apenas com três funcionários e o seu fundador. Desde 2008 a empresa está instalada em Valinhos, em uma área de 7.000 m². Conta com um moderno parque industrial com diversas máquinas e equipamentos voltados para produtividade e precisão. Atualmente a empresa conta com 35 funcionários e representantes comerciais em todos os estados do Brasil. Fabrica uma extensa linha de produtos, a maior parte deles bastante técnicos, para suspensão, motor, freios, rodas e ferramentas para oficinas. Buchas do garfo traseiro, flexíveis de freio, eixos, caixas de direção, entre outros. Recentemente foram lançados kits de transmissão e uma gama de produtos para o público Off Road. Exporta seus produtos para América do Sul e América Latina através de parceiros comerciais. O diretor Adjunto da Danidrea, ressalta que o mercado de motopeças é muito promissor, apesar de termos presenciado uma queda de motos vendidas nos últimos anos, sempre acreditamos no potencial de

crescimento. E nesse momento em que vivemos, marcados pela pandemia do coronavírus, o mercado mostrou sua força, uma vez que a moto teve papel fundamental e se fez ainda mais necessária. “Vimos nossa demanda crescer e estamos nos adaptando a essa nova realidade, contratando, mais pessoas e investindo em nossos processos, tomando os devidos cuidados”, finaliza Daniel Felice dos Santos. A Danidrea é uma empresa à frente do seu tempo, recentemente investiu em placas solares, e é uma das primeiras empresas do segmento a ser auto suficiente em energia. Além disso, desde maio vem entregando máscaras de proteção facial, com os pedidos, para contribuir com a segurança de mecânicos e balconistas durante a pandemia. “A Danidrea é uma empresa que também se preocupa com a satisfação do consumidor, para isto temos como filosofia fazer o “nosso melhor a cada dia”, isso significa pensar em cada detalhe para ter produtos de qualidade, com preço justo e um bom atendimento. Prezamos pelo bom relacionamento com nossos clientes, e valorizamos nossos profissionais que são altamente capazes e treinados. Infelizmente muitas vezes sofremos com a concorrência desleal e já aprendemos bastante com isso, sem jamais perder nossa essência. Nossos desafios superados fizeram da Danidrea uma empresa segura com o qual o cliente sabe que pode contar e isso é autêntico, não se pode copiar”, diz Daniel Felice dos Santos, diretor adjunto. Danidrea: (19) 2136.0888 www.danidrea.com.br

Vista aérea da fábrica da Danidrea em Valinhos

14

Anfamoto em Revista - Edição 151


ESPAÇO ANFAMOTO

XI SALÃO DAS MOTOPEÇAS É ADIADO PARA ABRIL DE 2021 A Anfamoto - Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças, após uma minuciosa análise, junto aos expositores e visitantes, e ainda por falta das diretrizes especificas dos protocolos de eventos do Plano São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo, que regula o faseamento de retomada de atividades no estado e por consequência na cidade de São Paulo, e por fim uma extensa negociação com o Expo Center Norte, comunicamos que o XI Salão Nacional e Internacional das Motopeças, foi adiado para 14 a 17 de abril de 2021, no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, em São Paulo – SP. Desde o adiamento anterior de agosto para novembro de 2020, a Anfamoto vem mantendo intenso diálogo com o mercado para definir a melhor data para realização com segurança para todos Expositores, Visitantes e colaboradores. Obtivemos ampla aceitação na mudança de data. Levamos em conta para fazer o adiamento, todos os desafios que o momento nos imporá, principalmente, quanto as medidas de distanciamento social, que nosso Salão não nos permite fazer nesse momento, até por conta da configuração do Pavilhão. Bem como nos colocamos no lugar de cada expositor, avaliando os in-

vestimentos que tem feito para a manutenção de suas empresas e na preocupação com os representantes e visitantes que vem de outros estados que também tem que fazer um investimento em viagem e hospedagem. Sendo assim temos total confiança de que a nova data de realização trará maior segurança e garantirá que a realização do Salão seja feita com total conformidade as regras e protocolos que serão adotados. E com todos esses cuidados certamente os visitantes não deixarão de vir a feira e realizar excelentes negócios. Por fim, sabemos da importância do evento para toda cadeia do segmento de motopeças e duas rodas. Uma feira totalmente voltada à negócios, que certamente será um impulsionador para as empresas fortalecerem ainda mais as relações e realização de negócios, após um período tão turbulento pelo qual passamos. A Anfamoto agradece todo o apoio recebido e a total compreensão por parte de todos os expositores, representantes, visitantes e fornecedores, em um momento em que todos precisamos nos unir para buscar o ideal comum e a segurança de cada um. Não é uma decisão fácil, mas certos de que estamos empregando nossos melhores esforços para manter o nível de qualidade e segurança que merece o Salão Nacional e Internacional das Motopeças. Nos vemos em 2021!

X Salão Nacional e Internacional das Motopeças 2018

16

Anfamoto em Revista - Edição 151


ESPAÇO ANFAMOTO

ANFAMOTO DISTRIBUI CARTAZES PARA LOJAS DE MOTOPEÇAS EM SÃO PAULO Com a adoção dos protocolos instituídos pela prefeitura e o governo de São Paulo, Anfamoto – Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças, distribuiu para lojistas da grande São Paulo, material informativo, para ser fixado nas lojas para auxiliar na orientação do cumprimento desses protocolos na prevenção do Coronavírus na cidade. Orlando Cesar Leone, presidente da Anfamoto, destaca que ação é uma forma de reforçar o trabalho e compromisso da entidade em conjunto com os lojistas, para que seja possível a retomada das atividades do setor conforme as determinações da prefeitura e governo, em segurança e para que ninguém seja penalizado. “A informação é a melhor forma de se prevenir e assegurar que as atividades possam ser executadas com toda segurança e qualidade possíveis”, fala o presidente da Anfamoto. Nos cartazes constam orientações para a utilização obrigatória de máscaras, utilização do álcool em gel, distância dentro do estabelecimento, cobrir a boca se for tossir ou espirrar mesmo de máscara, não compartilhar objetos e obedecer ao fluxo da loja. “Não queremos retroceder e fechar tudo novamente, queremos que todos possam trabalhar com segurança e conscientes dos protocolos de saúde, tanto dos colaboradores quanto dos consumidores”, completa Orlando Cesar Leone.

Cartaz com Orientações da prenveção da COVID-19


ESPECIAL

A IMPORTÂNCIA DOS MOTOBOYS E MOTOFRETISTAS NA PANDEMIA O distanciamento social colocou em destaque uma das categorias mais estigmatizadas da sociedade

D

e odiados à amados, da profissão muitas vezes marginalizada à trabalho essencial em tempos da Covi-19, os motoboys e entregadores ganharam uma importância extra em meio a essa crise. Para que as pessoas possam ficar em suas casas, cumprindo isolamento social, com a falta de atendimento presencial de muitos setores e restaurantes fechados esses profissionais se tornaram o elo entre os estabelecimentos e os consumidores. As entregas de comida, remédios, compras de supermercado, encomendas diversas e documentos. Motoboys e entregadores sempre foram alvo de críticas pelo modo de pilotar de alguns poucos profissionais, principalmente aqueles que passam no corredor e acabam arrancando o espelho de alguns carros. Mas apesar de ainda serem mal tratados, muitas vezes essa categoria tem visto seu valor reconhecido por muitos. O trabalho

desses entregadores tem sido fundamental nesses tempos de pandemia Embora seja considerado um serviço essencial, eles também estão expostos, e muitas vezes ignoram o risco, por ser um período em que vão poder aumentar a renda financeira, já que os pedidos via aplicativos aumentaram muito. Os entregadores pegam e entregam os produtos que retiram de restaurantes, farmácias, supermercados, escritórios e levam às residências dos consumidores, sem saber quem os entregará e quem os receberá. Os motoboys também têm que fazer todos os protocolos sanitários e muitas vezes falta respaldo para que isso aconteça. Cada profissional acaba adotando seu próprio protocolo. Atualmente alguns aplicativos oferecem a possibilidade de o cliente não ter contato com o entregador, quando a mercadoria é deixada na portaria e o pagamento é efetuado online, mas

“Vou falar a verdade, essa pandemia aí querendo ou não ajudou um pouco. Temos muitas entregas para fazer. O que é ruim é que estamos expostos a esse vírus. Tomando muito cuidado ao chegar em casa, por causa da minha mãe. As pessoas não nos agradecem, em nada, sempre nos tratando muito mal. Mesmo que estejamos fazendo o mundo girar, eles não veem isso. O aplicativo para qual trabalho me forneceu gratuitamente máscara de proteção e álcool gel de 1 litro. Mas o maior risco hoje, não é nem comigo, meu maior medo é trazer alguma coisa ruim para minha mãe, que já tem idade. Gostaria que as pessoas tratassem os motoboys melhor. Como gente de verdade. Parece que não gostam de nós, mesmo saindo da minha casa para levar alimentos para eles” relata Tiago Torralvo Silva, 30 anos e cinco de profissão.

20

Anfamoto em Revista - Edição 151

não são todos que têm essa opção. Anteriormente à pandemia os serviços mais burocráticos, como bancos, cartórios eram mais utilizados, agora, porém nesse momento em que a pandemia está ainda obrigando as pessoas a ficarem em casa, os motoboys migraram para os aplicativos para poder melhorar a renda, muitos que perderam seus empregos por conta da crise, viram nos serviços de entregas por aplicativo um meio de sobrevivência. Mas nem sempre é assim, muitas vezes os entregadores têm problemas com os aplicativos, muitas vezes são até bloqueados e impedidos de trabalhar. Recentemente foram feitas duas manifestações de entregadores por App em São Paulo, para mostrar principalmente que os Apps precarizam as relações trabalhistas. Esses profissionais são expostos a longas jornadas de trabalho, têm baixa remuneração e condições ruins de trabalho. A maior queixa é que faltam EPI´s e melhores condições de trabalho, como um local de descanso e para utilizar um banheiro. Outra queixa constante dos entregadores são as penalizações aplicadas para quem recusa chamados. Em meio a esse aumento no número motoboys que depois da pandemia praticamente dobrou em todo o País, outro número assusta, o de acidentes. Em São Paulo, segundo o Infosiga, que monitora os acidentes na cidade e no estado, embora tenha havido


uma queda no número de acidentes, os motociclistas seguem liderando o número de mortes e acidentes e isso é um alerta! Foram 891 mortes em 2020 contra 916 no primeiro semestre de 2019. Esses números mostram que apesar de um menor movimento nas ruas o número de acidentes permanecem altos e para piorar esse quadro muitos dos motociclistas que se acidentam não têm sequer convênio médico ou qualquer outro tipo de seguro. O pós-pandemia também gera muita incerteza, será que o serviço permaneceno mesmo patamar? Muitos estabelecimentos, principalmente restaurantes ainda não têm como voltar completamente ao “normal”. Pode ser que diminuam os pedidos e aumente a taxa de desemprego. “Precisamos voltar o olhar para o futuro e analisar o mundo que vem pela frente, o pós-pandemia. Os entregadores mantiveram toda uma cadeia produtiva ativa. Essa categoria precisa ser retirada do limbo, não mais classificada como sub emprego. Precisa de uma legislação eficiente, de educação financeira e de trânsito. Colaborar principalmente para que a categoria seja reconhecida como um nicho econômico e que precisa ter os direitos trabalhistas reconhecidos e preservados”, aponta Orlando Cesar Leone – Presidente da Anfamoto. Agradecemos a todos os motoboys e entregadores, que também estão nessa linha de frente levando e trazendo milhares de encomendas todos os dias. Se arriscando, para garantir o seu sustento e de sua família. Muito obrigado!

“Nessa infeliz crise de pandemia, quando muitos profissionais de diversas áreas sofreram impacto negativo eu em particular posso afirmar que a profissão de motoboy não teve uma estagnação. Nesta crise, o governo considerou nosso serviço essencial, então continuamos nas ruas, atendendo todo mundo. O que em termos de economia para gente tem sido bom. Não conheço um motoboy do meu ciclo de amizades da área que possa dar um resumo negativo de faturamento, principalmente no que se refere aos serviços de delivery através dos app. As maiores dificuldades são a eterna exposição ao tempo (sol, chuva, frio ou calor), medo do contágio, andar com máscara dentro do capacete, ter que higienizar as mãos constantemente, entre outras. Meus amigos que trabalham com app de delivery disseram que as empresas distribuíram máscaras e álcool em gel para os motoboys cadastrados. Mas eu diria que isso teve mais efeito simbólico do que efetivo. Minha empresa distribuiu também os dois. Posso dizer, sem dúvida, que nosso maior risco é o acidente, que devemos evitar a todo instante quando estamos pilotando as motos. Nessa perspectiva, o maior desafio é manter-se vivo. Nossa rotina foi alterada de forma razoável, nada muito gritante. Enfim, nesta crise, continuamos com um tom a mais. Eu, graças a Deus sou registrado em uma empresa de motofrentistas e trabalho entregando pizza. E posso afirmar: não importa a crise que o país enfrente, Deus é Deus, motoboy é motoboy e o brasileiro come pizza até debaixo da água”, falou Diego Morais, 28 anos, há 1 anos e meio na profissão.

“Graças a Deus essa pandemia está me ajudando muito. A demanda de pedidos está sendo maior, estou sempre dando o melhor de mim para tudo. O problema é só a doença que me deixa com um pouco de medo pois tenho um filho e ele é muito frágil. Mas Deus está comigo e ele nunca há de deixar acontecer nada de mal e nem com nenhum motoboy. Nesse momento a única dificuldade é a falta de reconhecimento. Eu levo a comida até você porque você não quer sair de casa para não pegar a doença, mas eu também tenho família, eu também sou um ser humano como qualquer outro. Mas uma coisa eu tenho, tenho força de vontade de ser alguém melhor, não só mais um entre milhares, por isso eu saio cedo da minha casa e deixo meu filho e minha mulher dormindo pra ir trabalhar ou melhor pra ir levar a comida pra muitas pessoas e as vezes nem um obrigado eu escuto. Isso é muito triste! Eu também sou uma pessoas de pele e osso e também tenho um coração. No meu ponto de vista hoje posso falar que estou realizado e graças à minha profissão estou podendo manter minha casa durante essa pandemia, pois a demanda de pedidos pelo aplicativo aumentou muito No meu ponto de vista hoje posso falar que estou me realizando, graças a minha profissão estou podendo manter minha casa devido a pandemia a demanda de pedido pelo aplicativo aumentou muito. O maior risco para mim é acontecer algo que me impeça de volta para casa. O maior desafio para mim nesse momento é ter que deixar minha família e ir enfrentar essa doença para poder levar os alimentos para outras pessoas, e sempre tomando o máximo de cuidado possível para não colocar em risco a vida do próximo, a minha e a da minha família. Todos precisam compreender nossa importância”, diz Jaiel de Jesus Souza, 23 anos e há quatro na profissão.


CAPA

O PAPEL FUNDAMENTAL DO MERCADO DE REPOSIÇÃO E REPARAÇÃO DURANTE A PANDEMIA A pandemia pegou todos de surpresa, em um momento que a economia ainda apresentava baixo crescimento, mas já mostrava algum sinal de recuperação. O mercado de motopeças, principalmente no que diz respeito à reposição sempre se mostrou valente e superou crises graves em outros momentos como as de 2012 e 2014. Especialmente nesse momento, em que as montadoras de motocicletas praticamente paralisaram sua produção por quase dois meses, o mercado de reposição de peças e reparação de motocicletas atravessou a crise de maneira mais serena. Considerados como essenciais, oficinas e lojas de motopeças, tiveram papel fundamental, embora o consumidor tenha se confinado para se proteger da Covid-19, os entregadores com motocicleta continuaram em plena atividade. Destaca22

Anfamoto em Revista - Edição 151

mos a importância desses profissionais nesse momento, pois foram eles que garantiram que boa parte da população pudesse ficar em casa recebendo em segurança suas encomendas de alimentos, bebidas, farmácias e outros produtos, dando suporte ainda para que outros segmentos também se mantivessem aquecidos durante esse período. O segmento de reposição de motopeças teve um papel fundamental durante esse pe-

ríodo, pois o mercado necessita estar devidamente abastecido para garantir o fornecimento das peças e acessórios para que a manutenção nas motocicletas pudesse ser feita. Outro ponto importante foi que por conta do isolamento muitas pessoas passaram a utilizar a motocicleta como meio de transporte individual para deixar de usar o transporte público. Esse fato acaba contribuindo também para aquecer e movimentar o


mercado de reposição. Naturalmente, no início da pandemia, com muitas incertezas e acontecimentos, informações desencontradas e mesmo o medo da contaminação, o fechamento precoce do comércio de rua afetou o mercado até que tudo começasse a se estabilizar. Logo, num segundo momento e como o setor foi considerado essencial, a procura pelas peças começou a se normalizar e o abastecimento ficou garantido. “Historicamente maio, é o melhor mês para o mercado de motopeças e acessórios, e mesmo com a pandemia, esse ano não foi diferente. No início o mercado se retraiu, mas com o passar dos dias a tendência foi de voltar à atividade com as devidas precauções. Seguramente, com praticamente a interrupção de vendas de motos zero km, a manutenção nas motos cresceu, bem como os entregadores também foram responsáveis por manter o mercado ativo”, comentou Orlando Cesar Leone – Presidente da Anfamoto - Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças. O mercado enfrentou, além da pandemia em si, outras dificuldades, o medo do desabastecimento por conta da falta de matéria-prima para produção e por conta da paralisação das linhas de produção em outros países. Além do custo da matéria-prima que teve um aumento significativo, principalmente

alavancado pela alta do dólar. Com o impacto inicial da pandemia no Brasil, as empresas se viram na necessidade de adequar suas empresas, diminuir o quadro de funcionários e até mesmo de suspender suas atividades, implementar o trabalho administrativo no modelo “home office” e intensificar as vendas por outros canais. Os índices de inadimplência também foram altos no início, mas com as medidas anunciadas pelo governo e o decorrer dos dias as empresas se organizaram e pediram prorrogação dos títulos. Em pesquisa realizada pela Anfamoto com lojistas de diversos estados e cidades do Brasil, obtivemos aproximadamente 180 respostas, que mostraram que 63% das lojas funcionaram durante a pandemia, essas lojas em sua maioria têm até cinco funcionários. 84% dessas lojas funcionam em conjunto com oficina mecânica. Muitas dessas lojas precisaram tomar medidas quanto à manutenção dos seus colaboradores, como férias coletivas, regime de Home Office, redução da jornada de trabalho e até mesmo a suspensão dos contratos de trabalho. Algumas delas precisaram

tomar medidas mais drásticas como a demissão. 86% dos lojistas responderam que a loja é sua única fonte de renda. Uma boa constatação foi que 60% dos lojistas não estão em atraso com as contas de consumo, fornecedores, impostos e salários. Um dado surpreendente é que 73% dessas lojas não vendem por e-commerce. 95% dos lojistas pretendem reabrir suas lojas após o término da pandemia. O comportamento do consumidor já vem apresentando mudanças ao longo dos últimos anos. E para mercado de motopeças e acessórios, os canais digitais já vinham se consolidando como uma alternativa de vendas e de mudanças de conceitos. Com a pandemia esse canal ganhou ainda mais destaque, principalmente com o varejo parcialmente fechado. As empresas vêm investindo em marketing e estratégias para


CAPA

fidelização do cliente nesse modelo, que ganha força fora dos modelos tradicionais de venda. As empresas ainda precisam se modernizar nesse sentido e a atual situação obrigou uma revisão de conceitos e comportamento dentro das organizações. “A sociedade, o país e todos os segmentos do mercado estão passando por uma situação na

24

Anfamoto em Revista - Edição 151

qual todos terão que repensar os seus negócios, formas de trabalho, parcerias, foco, tecnologia e agilidade cada vez maior para mudar. Sem isso o mercado corre o risco de não evoluir”, diz Everton Mello, gerente comercial do segmento de motocicletas da TMD Friction. O que se nota é que na retomada as empresas certamente

terão sistemas de gestão mais focados nas pessoas, no capital humano, na capacitação. As que não estiverem preparadas nesse sentido terão mais dificuldades de, novamente, se tornarem competitivas. “Independente de uma crise, temos de estar abertos a mudanças e a novas técnicas de vendas e/ou administração empresarial. Nem todas se adequam ao nosso negócio, mas as que se adequam, devem ser testadas. O que não podemos, sob nenhuma hipótese, é perder a humanidade no trato com nossos clientes e parceiros, porque aumentamos o uso da tecnologia. Entendemos que com o distanciamento causado pela pandemia, este é o nosso maior desafio neste momento”, Michele Alves, gerente nacional de vendas da Melc Motopeças. O mercado de reposição e de reparação mostrou seu valor durante a crise. Mas o fato é que nada será como antes, uma retomada, uma saída de uma crise econômica, política e de saúde, não se faz de uma hora para outra. Pensando em termos de cadeia todos os elos devem ser avaliados, desde aquele que fornece a matéria-prima, os fabricantes, os distribuidores e atacadistas, as lojas, concessionarias e oficinas até a ponta final que é o consumidor. Os diversos desafios já sabidos, tornam-se mais evidentes por conta da crise, a indústria que já enfrentava tradicionalmen-


te um momento difícil, com baixo crescimento, pouca competitividade, parque industrial sucateado tem que pensar na recuperação de mercado, no novo comportamento do consumidor, nos investimentos e continuidade dos projetos, bem como na manutenção dos empregos. Essa crise trouxe muitos ensinamentos para as empresas, mostrando a importância de estarem aptas e atentas aos movimentos de tecnologia, utilização de ferramentas de gestão, investimento em capacitação, novos canais de atendimento ao consumidor e modernização das estruturas. Mas principalmente, mostrou que sem a união e organização de todos, sociedade, empresas e poder público muito pouco se avança. Para Fabiano Castellani, diretor comercial da Pneus Technic, depois de toda tempestade vem a bonança! Essa velha frase faz todo sentido atualmente. Para ele o legado que a crise deixará vai muito além do econômico. “Sempre tentei enxergar além dos problemas, além dos olhos dos meus concorrentes, em me antecipar, estar atento a todo e qualquer movimento de mercado ou situação. O mundo está cada vez mais dinâmico e desafiador. É importante estar sempre aberto para ouvir as pessoas e dar a devida importância a cada notícia que chega até você, compartilhando e apren-

dendo com as pessoas que te rodeiam, sejam elas quem for, do porteiro ao presidente, pois se fizer isso a probabilidade de falhar nas horas difíceis será bem menor. Continue em frente sempre buscando fazer o que é certo e será recompensado um dia!”, diz o executivo. “As pessoas e as empresas tiveram que se reinventar, do dia para noite, tiveram que mudar a forma de se relacionar com colaborares e clientes. O que podemos destacar também dentro dos mais importante desse legado foram, a efetivação do home-office e tornar essencial o uso de ferramentas digitais”, diz Aleksander Buniak, gerente comercial da Montanna Distribuidora. Mesmo com toda essa força de trabalho, e uma nova consciência no mercado, não sairemos ilesos dessa crise e a retomada não será fácil. Ainda temos um

longo caminho pela frente, pois não podemos viver, apenas em torno da Covid-19. Uma nova fase vai surgir e precisamos encontrar o caminho das novas oportunidades e voltar a crescer, empregar e produzir. “Continuamos com urgência de ações, condições para produzir e crescer. A agenda pública deve ser retomada, as reformas também. O país vive em condições de precariedade, precisamos sair do assistencialismo e passar a sustentabilidade econômica principalmente. O legado que teremos de tudo isso é que precisamos avançar urgentemente com o diálogo político e com os caminhos que nos levem ao crescimento, educação e saúde”, finaliza o presidente da Anfamoto Orlando Cesar Leone.


LEGISLAÇÃO

PRINCIPAIS MEDIDAS TRIBUTÁRIAS E DE CRÉDITO ADOTADAS PELO GOVERNO FEDERAL PARA ENFRENTAMENTO DA COVID-19 Em meio a pandemia muitas leis, decretos, medidas provisórias, entre outras medidas foram adotadas. Para auxiliar você e sua empresa a entender melhor todas essas mudanças e novidades, fizemos uma compilação do que julgamos mais relevantes para ter sempre à mão e consultar. As medidas adotadas, e em implementação, pelo governo federal para combater os efeitos econômicos e sociais da crise gerada pela covid-19 alcançaram R$ 521,3 bilhões de impacto primário em 2020. Esse número representa um total de R$ 508,5 bilhões de novas despesas e R$ 12,8 bilhões de redução de receitas. Informações atualizadas em 02/07/2020.

TRIBUTOS E DESBUROCRATIZAÇÃO 1 - Suspensão de cobrança e renegociação de tributos federais: • Suspensão por 90 dias: a) de prazos para os contribuintes apresentarem impugnações administrativas no âmbito dos procedimentos de cobrança. b) da instauração de novos procedimentos de cobrança. c) do encaminhamento de certidões da dívida ativa para cartórios de protesto. d) da instauração de procedimentos de exclusão de parcelamentos em atraso. • Transação extraordinária de débitos inscritos na dívida ativa, incluindo a redução da entrada para até 1% do valor da dívida e diferimento de pagamentos das demais parcelas por 90 dias, observando-se o prazo máximo de até 84 meses ou de até 100 meses para pessoas naturais, microempresas ou empresas de pequeno porte, bem como as demais condições e limites estabelecidos na Medida Provisória nº 899/2019, pelo portal “Regularize” no site da PGFN. 2 - Prorrogação de prazos para recolhimento dos tributos do Simples Nacional de do Micro Empreendedor Individual - MEI PIS, Cofins, IPI, IRPJ, CSLL e CPP

26

Período de apuração da receita

Data calendário para pagamento

NOVA data para pagamento

Número de dias postergado

Março / 2020

20/04/2020

20/10/2020

183 dias

Abril / 2020

20/05/2020

20/11/2020

184 dias

Maio / 2020

20/06/2020

21/12/2020

184 dias

Anfamoto em Revista - Edição 151


Simples Nacional – Prorrogação do pagamento do ICMS e do ISSQN

Período de apuração da receita

Data calendário para pagamento

NOVA data para pagamento

Número de dias postergado

Março / 2020

20/04/2020

20/07/2020

91 dias

Abril / 2020

20/05/2020

20/08/2020

92 dias

Maio / 2020

20/06/2020

21/09/2020

93 dias

MEI – Prorrogação do pagamento dos tributos federais, estadual e municipal

Período de apuração da receita

Data calendário para pagamento

NOVA data para pagamento

Número de dias postergado

Março / 2020

20/04/2020

20/10/2020

183 dias

Abril / 2020

20/05/2020

20/11/2020

184 dias

Maio / 2020

20/06/2020

21/12/2020

184 dia

NOTA: Recomenda-se consulta a área ou empresa responsável pela contabilidade da empresa para maiores esclarecimentos de como proceder com o recolhimento. A medida foi adotada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional por meio da Resolução nº 152, de 18 de março de 2020, publicada no Diário Oficial da União, edição do dia 18 de março, com vigência a partir da própria data. 3 – Suspensão e parcelamento do FGTS das competências de março, abril e maio de 2020 O recolhimento das competências de março, abril e maio, que vencem em abril, maio e junho, respectivamente, podem ser suspensos. A primeira parcela venceu em 07/07/2020. 4 - Suspensão de prazos processuais perante a RFB até 29/05/2020 e procedimentos de cobrança diversos (Portaria RFB nº 543/2020, artigos 6 e 7). 5 – Prorrogação do prazo para pedidos de parcelamento de dívida com a Fazenda Nacional O prazo passou de 31 de março para 31 de dezembro de 2020. 6 – Prorrogação do prazo de validade das seguintes Certidões Negativas, válidas por 90 dias a partir de 24/03/2020: • Certidões Negativas de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND). • Certidões Positivas com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEND). 7 – Prorrogação do prazo para apresentação da Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei) e da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis) referentes ao ano-calendário 2019 das empresas optantes pelo Simples Nacional: As declarações poderão ser entregues até 30 de junho de 2020.


LEGISLAÇÃO 8 – Redução da alíquota de contribuição para o Sistema S As alíquotas das contribuições recolhidas ao Sesi, Senai, Sesc, Senac, Sest, Senat, Senar e Sescoop, entre 1º de abril e 30 de junho de 2020, foram reduzidas em 50%. 9 – Redução da alíquota do IOF para 0% nas operações de crédito Nas operações de crédito contratadas no período entre 3 de abril e 3 de julho de 2020. 10 - Prorrogação do prazo para recolhimento do PIS, da Cofins e da Contribuição Previdenciária Patronal das competências de março e abril de 2020. Os valores devidos serão pagos em agosto e outubro de 2020, respectivamente, junto ao pagamento das competências de julho e setembro. 11 - Prorrogação da apresentação da DCTF e da EFD-contribuições do PIS, COFINS e CPP (Contribuição Previdenciária Patronal) da competência de março, abril e maio As declarações devem ser apresentadas em 15 de julho de 2020. 14 - Ações INMETRO INMETRO aprova condições extraordinárias para realização das atividades de avaliação da conformidade durante a pandemia do coronavírus (COVID-19). Suspenção de prazos para apresentação de recurso nos processos administrativos de apuração de infração administrativa. 15 - Suspensão da CND (Certidão negativa de débitos) e outras obrigações até 30/09/2020. A MP 958/2020 suspende a necessidade de algumas certidões para obtenção de crédito novo ou renegociação com bancos públicos, permitindo que empresas com pendências com a União possam obter financiamentos com recursos públicos. Tal medida valerá até o dia 30 de setembro de 2020 e já está em vigor. De acordo com a MP, as seguintes certidões estão dispensadas: • Comprovação de que a empresa está em dia com a entrega da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS; • Certidão de Quitação Eleitoral; • Certidão Negativa de inscrição em dívida ativa da União; • Certificado de Regularidade do FGTS; • Certidão Negativa de Débitos; • Quitação de débitos relativos ao Imposto Territorial Rural -ITR; • Ausência de inscrição no Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor públicos federal -CADIN. • Apesar da MP, ainda está mantido o dispositivo constitucional que determina que pessoa jurídica em débito com seguridade social não possa contratar com o poder público ou dele receber benefícios fiscais ou creditícios.

CRÉDITO 1 - Linha emergencial de crédito para folha de pagamentos (Medida proposta na MP 944/2020, em tramitação no Parlamento) • Já em operação pelas instituições financeiras, o também chamado de “Programa Emergencial de Suporte a Empregos” 28

Anfamoto em Revista - Edição 151


consiste em uma linha de crédito criada pelo governo federal para pequenas e médias empresas pagarem a folha de salários dos seus funcionários. • Serão disponibilizados R$ 40 bilhões (R$ 20 bilhões por mês) para o financiamento de 2 meses da folha de pagamento de pequenas e médias empresas, sendo R$ 34 bilhões oriundos do Tesouro Nacional e R$ 6 bilhões de recursos dos bancos de varejo. • Linha de crédito destinada a empresas com faturamento bruto entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões. Governo estima que a medida vai beneficiar mais de 12 milhões de trabalhadores e 1,4 milhão de pequenas e médias empresas. Linha emergencial de crédito para folha de pagamentos: • Contratação: de abril até 30 de junho de 2020 • Público Alvo: empresas com faturamento de R$ 360 mil e R$ 10 milhões • Itens financiáveis: Folha de pagamento • Período elegível: 2 meses • Limite financiável: R$ 2.090 por mês por trabalhador • Recursos e riscos: 85% do tesouro e 15% do setor bancário • Spread: Sem spread • Juros: 3,75 a.a (Selic) • Carência: 6 meses • Condição: Não demitir por 2 meses • Débitos e inadimplência: Podem ser restritivos com apontamentos em bureaus de crédito e registros de inadimplência de informações de crédito mantido pelo Banco Central. • Operação de desembolso: Sistema bancário – diretamente para o trabalhador 2 – BNDES Medida Emergencial: foi anunciado um total de R$ 55 bilhões em medidas para combate à crise em decorrência do vírus Covid-19, sendo: • R$ 30 bilhões em Refinanciamento de Dívidas, sendo R$ 19 bilhões para as operações diretas e R$ 11 bilhões para indiretas. • R$ 20 bilhões repassados do PIS-PASEP para o FGTS, para saque pelos trabalhadores. • R$ 5 bilhões em novos financiamentos para capital de giro para MPMEs. Medida Emergencial – Refinanciamento de Dívidas: suspensão de pagamentos para operações diretas e indiretas não automáticas Possibilidade de suspensão de juros remuneratórios e principal por seis meses Válida para Operações Diretas e Mistas (subcréditos diretos) e Operações Indiretas não automáticas e Mistas (subcréditos indiretos), prevendo: • Suspensão das prestações com vencimento entre abril de 2020 (inclusive) e setembro de 2020 (inclusive). • Nesse período de seis meses poderão ser renegociadas as prestações (principal e/ou juros), incluindo, quando for o caso, parcelas de juros durante o período de carência. • Está disponível para a maior parte das operações feitas com recursos do BNDES por meio de um agente financeiro, inclusive prestações do Cartão BNDES.


LEGISLAÇÃO • A suspensão de pagamento da dívida deve ser negociada e acordada com a Instituição Financeira onde a operação foi contratada. Importante observar que, para suspensão e renegociação de financiamento, não será exigida apresentação da Certidão Negativa de Débitos das empresas.

Refinanciamento de dívidas • Recursos disponíveis: R$ 30 bilhões, sendo 19 bilhões para operações diretas e R$ 11 bilhões para operações indiretas. • Vigência: Até 30/09/2020 • O que fica suspenso: Prestações com vencimento entre abril e setembro de 2020 • O que pode ser renegociado: Montante principal e/ou juros das prestações, incluindo os juros durante o período de carência • O que não pode ser renegociado: O prazo final de amortização, periodicidade do pagamento e encargos contratuais. • Quando e como serão pagas as prestações suspensas nesse período: O valor suspenso será incorporado ao saldo devedor e redistribuído nas prestações restantes da dívida. As parcelas que restarem serão maiores do que a negociada. • Se aplica para financiamentos contratados após 22/03/2020: Não se aplica: a renegociação é para apenas contratações anteriores ao dia 22/03/2020. • Pode participar da renegociação se estiver inadimplente: Ficará a critério do agente financeiro repassador, sendo certo que as prestações anteriores a abril não poderão ser prorrogadas. Medida Emergencial – BNDES Crédito Pequenas Empresas: alteração dos critérios de faturamento e limite de financiamento

COMO ESTAVA

Montante disponível

COMO FICA ATÉ 30/09/2020

R$ 5 bilhões

Critério

Faturamento anual de até R$ 90 milhões

Faturamento anual de até R$ 300 milhões

Limite de financiamento

Até R$ 10 milhões

Até R$ 70 milhões

Carência

Até 2 anos

Até 2 anos

Prazo

Até 5 anos

Até 5 anos +TLP, TFB ou Selic +, 1,25% a.a. Taxa BNDES

Taxas de Juros

13,64% a.a., média entre jan a nov de 2019

+Taxa do agente financeiro Possivelmente a taxa será a mesma, pois a linha não recebeu subsídio.

Ampliação de acesso ao crédito do BNDES com fintechs (medida a ser detalhada) Adoção da linha BNDES FINAME Materiais Industrializados: • Visa dar maior agilidade na contratação do financiamento e maior flexibilidade no uso dos recursos. • Financia aquisição de insumos para produção, renovação de estoques e sua ampliação (aproximadamente 2.500 itens industrializados, inclusive bens não credenciados no CFI - padrão FINAME). • Oferece limite de crédito por 2 anos. • Prazo de pagamento até 84 meses, definido junto ao agente financeiro • Permite reembolsar materiais adquiridos nos últimos 6 meses antes da assinatura do contrato. 30

Anfamoto em Revista - Edição 151


Lançamento do Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Covid-19: • Empréstimo emergencial que visa à ampliação imediata da oferta de leitos emergenciais, bem como de materiais e equipamentos médicos e hospitalares. Empresas de outros setores que buscam converter suas produções em equipamentos e insumos para saúde também serão contempladas. • Orçamento de R$ 2 bilhões. • Apoio direto (solicitação feita diretamente ao BNDES). • Taxas: TLP + remuneração BNDES (1% a.a.) + até 4,6% de taxa de risco de crédito. • Prazo: Limitado a 60 meses, incluído o prazo de carência de 3 a 24 meses. O prazo de utilização será de até 6 meses 3 – Caixa Econômica Federal Redução de taxas de juros e extensão de prazos do crédito: • Redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% ao mês (7,1% a.a.). • Carência de até 60 dias nas operações de capital de giro já contratadas. • Disponibilização de linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência (para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços). • Oferta de linha de crédito para aquisição de máquinas e equipamentos, com prazo de pagamento de 60 meses. • Possibilidade de pausa no pagamento de prestações por 90 dias Liberação de R$ 110 bilhões em crédito, sendo: • R$ 60 bilhões para capital de giro, principalmente para empresas do setor imobiliário e as pequenas e médias. • R$ 6 bilhões para o crédito agrícola. • R$ 40 bilhões para compra de carteiras de crédito consignado e de financiamentos de veículos detidas por bancos médios, caso essas instituições financeiras tenham dificuldades. • R$ 5 bilhões para Santas Casas, com taxa de 10% ao ano. Construção civil: • Caixa anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor da construção. São cerca de R$ 43 bilhões em recursos com objetivo de contribuir para a sustentabilidade da carteira habitacional e manutenção da adimplência das operações Ações para empresas:  • Antecipação de até 20% dos recursos do Financiamento à Produção de empreendimentos para obras a iniciar; • Antecipação da liberação dos recursos correspondentes a até 3 (três) meses, limitado a 10% do custo financiado, para obras em andamento e sem atrasos no cronograma; • Liberação de recursos de financiamento à produção não utilizados pela empresa nos meses anteriores, limitado a 10% do custo financiado; • Pausa no financiamento à produção de 90 dias, para clientes adimplentes ou com até 2 (duas) parcelas em atraso; • Outras ações, como: permitir pagamento parcial de prestação do financiamento por até 90 dias; possibilidade de prorrogação do início das obras por 180 dias; admitir reformulação de cronograma de obras, entre outras. 4 – Banco do Brasil Liberação de R$ 100 bilhões em crédito em linhas já existentes: • R$ 48 bilhões para empresas.


LEGISLAÇÃO • R$ 25 bilhões para o agronegócio. • R$ 24 bilhões para pessoas físicas. • R$ 3 bilhões para administrações públicas municipais e estaduais. 5 – O CODEFAT instituiu a linha de crédito Proger Urbano Capital de Giro, no âmbito do Programa de Geração de Emprego e Renda Linha de crédito voltada para o atendimento da demanda por financiamento de capital de giro isolado com as seguintes condições: Condições gerais linha de crédito PROGER Capital de Giro • Finalidade: Apoio financeiro, mediante abertura de crédito, para atender necessidades básicas de capital de giro visando a manutenção dos negócios e a geração/manutenção de empregos. • Público alvo: Pessoas jurídicas com faturamento bruto anual de até R$ 10 milhões (dez milhões de reais). • Itens financiáveis: Os relativos ao ciclo operacional da empresa • Itens não financiáveis: bens destinados ao consumo, duráveis ou não duráveis, não relacionados ao empreendimento. • Limite financiável: Até 100% do crédito aprovado, observado o teto financiável da linha de crédito. • Teto-limite: R$ 500 mil reais, por empresa, vedado o uso de crédito rotativo • Prazo de financiamento: Em até 48 meses, incluídos até 12 meses de carência. • Encargos financeiros: Taxa de longo prazo – TLP, acrescida de taxa efetiva de juros até 12,00% (doze por cento) ao ano. • Condições especiais: Mínimo de 60% da quantidade de operações formalizadas junto às empresas enquadradas no Art. 3º da Lei Complementar 123, de 14/12/2006. • Restrições: Não será concedido financiamento às pessoas jurídicas inadimplentes perante qualquer órgão da Administração Pública Federal Direta e Indireta ou Cadastradas no Cadin. • Garantias exigidas: Serão admitidas como garantias de operação aquelas aceitas pela política operacional da instituição financeira operadora, observadas as normas do Banco Central do Brasil. 6 - Liberação de mais de R$ 5 bilhões de crédito para micro e pequenas empresas com recursos do FAT • Limite de até R$ 600 mil e prazo de 60 meses com carência de até 12 meses (a depender da disponibilidade de recursos do FAT), inclusive para o setor de turismo. • Operação com prazo de até 120 meses, incluindo carência de até 30 meses. 7 - Dívidas bancárias: facilitação da prorrogação, por 60 dias, dos vencimentos de clientes pessoas físicas e de micro e pequenas empresas. Aplicável a contratos vigentes que estejam com parcelas em dia e limitados aos valores já utilizados (repactuação de dívida). 8 - Alterações regulatórias do Conselho Monetário Nacional (CMN) e Banco Central no sistema financeiro: Aumento da liquidez conferindo maior segurança ao sistema para expandir o crédito:

Data

Medida

Aumento na parcela dos recolhimentos compulsórios 16/03 considerados no LCR (Indicador de Liquidez de Curto Prazo)

32

Anfamoto em Revista - Edição 151

Norma

Aumento da Liquidez

Circular 3.986/2020 do Banco Central

R$ 135 bilhões

Obs. Para clientes com capacidade financeira e adimplentes. Vale por 6 meses


Circular 3.987/2020 do Banco Central

Houve nova redução em 30/03

BC: fazer operações de oferta de liquidez em dólares por meio da compra com compromisso de revenda 18/03 (repos) de títulos soberanos do Brasil de posse de instituições financeiras nacionais

Circular 3.990/2020 do Banco Central

R$ 50 bilhões

Os títulos serão comprados pelo Banco Central com desconto de 10% em relação aos preços de mercado

Novo Depósito a Prazo com Garantias 23/03 Especiais (novo CDB com garantia aos investidores)

Resolução 4.785/2020 do Banco Central

R$ 200 bilhões

Opção adicional para captação para instituições associadas ao Fundo Garantidor de Créditos (FCG)

BC: conceder empréstimos com lastro 24/03 em debêntures, por meio de Linha Temporária Especial de Liquidez (LTEL)

Resolução 4.786/2020 do Banco Central

R$ 91 bilhões

Para contratação por bancos (múltiplos, comerciais, de investimento e caixas econômicas)

Resolução 4.787/2020 do Banco Central

R$ 2,2 bilhões

Flexibilizado o percentual de 100% de lastro na captação e de reinvestimento do valor captado

Circular 3.993/2020 do Banco Central

R$ 68 bilhões

Segunda redução (primeira em 16/03)

Banco Central está desenvolvendo arcabouço legal e operacional

R$ 670 bilhões

16/03

24/03

Redução temporária do compulsório de recursos a prazo: de 31% para 25%

Flexibilização nas LCA – Letras de Crédito do Agronegócio

Nova Redução (temporária) do 30/03 compulsório sobre recursos a prazo: de 25% para 17% S/D

BC: fazer empréstimos aos bancos com lastro em letras financeiras garantidas por operações de crédito (carteiras de crédito)

Ampliação da liquidez do sistema financeiro – R$ 1,216 trilhão = 16,7% do PIB Liberação de capital das instituições financeiras para aumentar o crédito OBS: Não é possível somar o efeito abaixo com o efeito das medidas sobre liquidez

Data

Medida

Documento

Aumento do potencial do crédito

Obs.

16/03

Dispensa os bancos e cooperativas de aumentarem provisionamento em caso de repactuação, por 6 meses

Resolução 4.782/2020 do Banco Central do Brasil

17/03

Redução do Adicional de Conservação de Capital Principal (ACCP) de 2,5% para 1,25% por um ano

Resolução 4.783/2020 do Banco Central do Brasil

R$ 640 bilhões

Melhora condições para renegociações

20/03

Bancos desobrigados a deduzir do capital efeitos tributários de operações de over hedge (proteção contra a variação cambial) em investimentos em participações no exterior

Resolução 4.784/2020 do Banco Central do Brasil

R$ 520 bilhões

Aumenta a folga de capital diante de perdas que seriam provocadas pela desvalorização do real

Aumento potencial do crédito - R$ 1,16 trilhão = 15,8% do PIB

Flexibiliza a reestruturação de operações de crédito para permitir pausar cobranças de empréstimos


LEGISLAÇÃO Em abril, o Banco Central e CMN adotaram novas medidas regulatórias: Data

06/04

Medida

Documento

Conselho Monetário Nacional (CMN) proibiu n/d (Valor Econômico, temporariamente distribuição de lucros e aumento da remuneração de administradores de 06/04/2020) instituições financeiras 

Objetivo Evitar que recursos importantes para a manutenção do crédito sejam utilizados em outras despesas Libera R$ 3,2 da exigibilidade de capital para novas operações

09/04

BC reduziu requerimento de capital de operações p/ PMEs (faturamento de R$ 15 milhões a R$ 300 milhões)

Circular 3.998/2020 do Banco Central

Permite reestruturação de R$ 228 bilhões em operações

9 - Caixa e Sebrae - FAMPE: linha para Capital de Giro para micro e pequena empresa Linha de crédito de R$ 7,5 bilhões para Capital de Giro para MPE disponibilizada pela Caixa e garantida pelo Sebrae por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe). Disponível para empresas dos setores da indústria, comércio e serviços com faturamento de até R$ 4,8 milhões. Para acessar o crédito é necessário: Assistir um vídeo tutorial com orientações sobre o crédito no site do Sebrae. • Para assistir é necessário cadastro da empresa, com CNPJ, no Portal Sebrae. • Ver o vídeo é condição obrigatória para conseguir iniciar a conversa com a Caixa. • O banco terá acesso automatizado às informações necessárias para checar os clientes que assistiram ao vídeo. • Além disso, é necessário esperar 72 horas após ver o vídeo para procurar a Caixa, tempo necessário para atualização dos seus dados.

Cadastrar no site da CAIXA o valor pretendido, clicando no ícone TENHO INTERESSE. • A CAIXA irá analisar o pedido e entrará em contato com a empresa solicitante. • É necessário ter conta na CAIXA para adquirir o crédito. • Para acessar o crédito, a empresa deve ter pelo menos 12 meses de faturamento e não haver nenhuma restrição nem de CPF nem de CNPJ. Observações: • A efetividade das medidas de expansão da liquidez dependerá da política de crédito dos bancos. • Segundo dados públicos existente, há empoçamento de crédito: elevada liquidez não está se concretizando em aumento do crédito. • Não houve, até o momento, medidas dirigidas particularmente à redução do spread bancário. A redução de compulsórios poderá, todavia, contribuir para sua redução, a depender da política de crédito dos bancos.

34

Anfamoto em Revista - Edição 151


CONDIÇÕES DA OPERAÇÃO Linha para capital de giro para micro e pequena empresa – Parceria Caixa e Sebrae – FAMPE Condições gerais Público Alvo: Empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões Itens financiáveis: Capital de giro Garantia: Até 80% de cobertura pelo FAMPE Requisitos: Assistir o vídeo no portal do Sebrae, ter no mínimo 12 meses de faturamento, ter conta na Caixa Econômica Federal Débitos e Inadimplência: Será restritivo apontamentos em bureau de crédito e registros de inadimplência no sistema de informações de crédito mantido pelo BC. Condições por porte de faturamento

MEI

Microempresa

Pequena Empresa

Até R$ 81 mil

Até R$ 360 mil

De R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões

Até R$ 12,5 mil

Até R$ 75 mil

Até R$ 125 Mil

Carência

9 meses

12 meses

12 meses

Amortização pós carência

24 meses

30 meses

36 meses

Taxas de Juros

1,59% a.m

1,39% a.m

1,19 a.m

Limite de Faturamento Valor Máximo do empréstimo por CNPJ

OUTRAS MEDIDAS PARA EMPRESAS Objetivo: facilitar a continuidade das operações e manutenção dos empregos no período da crise 1- “Programa Antidesemprego” com medidas trabalhistas de caráter temporário, enquanto durar o estado de calamidade pública (Medidas propostas na MP 927/2020, em tramitação no Parlamento). Permissão para que a empresa determine a transferência para o sistema remoto (teletrabalho) diretamente com o trabalhador, com um prazo de notificação de 48 horas. Flexibilização das regras sobre férias: • Simplificação do procedimento para a antecipação de férias, também com notificação de 48 horas • Dispensa de comunicação ao órgão local do Ministério da Economia e ao sindicato • Permissão de concessão de tempo proporcional de férias para trabalhadores que não tenham o período aquisitivo de 12 meses • Permissão para pagamento até o 5° dia útil subsequente ao mês da concessão e do 1/3 constitucional até a data em que é devida a gratificação natalina. Facilitação do processo de banco de horas e de prazo para sua compensação em até 18 meses contados da data de encerramento do estado de calamidade pública.


LEGISLAÇÃO Permissão para antecipação de feriados não religiosos, sem prejuízo financeiro. Suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho, incluindo obrigatoriedade de realização de exames médicos ocupacionais, clínicos e complementares. Permissão para prorrogação, a critério do empregador, por prazo de 90 dias, de acordos e convenções coletivos vencidos ou vincendos no período de 180 dias a partir da entrada em vigor da MP 927/2020. Classificação do Covid-19 como não doença do trabalho, exceto em caso de comprovação de nexo causal. Fiscalização do trabalho será, no período de 180 dias, exclusivamente orientadora, exceto para irregularidades relacionadas ao trabalho escravo e infantil, grave e iminente risco, acidente fatal e ausência de registro do empregado. Facilitação do desembaraço de insumos e matérias primas industriais importadas antes do desembarque. Antecipação de recebíveis de contratos das empresas com a administração pública: medida anunciada, mas ainda sem instrumento normativo Publicação do “Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda”, que cria o Benefício Emergencial a ser pago em caso de suspensão de contrato de trabalho ou redução de jornada e salários. Medida autoriza o empregador a reduzir salários e jornadas ou suspender contratos de trabalho, com direito a estabilidade temporária do empregado e recebimento de benefício emergencial pago pelo governo. Governo federal estima que a medida terá um custo superior a R$ 51 bilhões, e pode beneficiar 24,5 milhões de trabalhadores. Redução de jornada e salários: • Empregador poderá acordar redução proporcional de jornada e salários nos percentuais 25%, 50% e 75%, por acordo individual ou coletivo. O valor da hora de trabalho será preservado. • Prazo máximo de 90 dias, durante o estado de calamidade pública • Acordo individual de redução de jornadas para empregados que recebem até três salários mínimos (R$3.117) ou mais de dois tetos do RGPS (R$12.202,12). E acordo coletivo para funcionários entre essas duas faixas. • O Benefício Emergencial a ser pago pelo governo ao trabalhador será equivalente ao percentual de redução de jornada multiplicado pelo valor de seguro desemprego que o empregado teria direito. • Pagamento do Benefício será ocorrerá no prazo de até 30 dias após firmado o acordo. • Empregado terá direito a estabilidade no emprego após fim da redução de jornada pelo período equivalente de redução, limitado a 90 dias. Suspensão de contrato de trabalho: • Empregador poderá acordar a suspensão de contrato de trabalho, por acordo individual ou coletivo. • Prazo máximo de 60 dias, durante o estado de calamidade pública. • O empregado terá direito a receber Benefício Emergencial, com valor equivalente a: • 100% do seguro desemprego, para empregados de empresas com faturamento bruto menor que R$ 4,8 milhões • 70% do seguro desemprego, para empregados de empresas com faturamento bruto acima de R$ 4,8 milhões. Nesse caso, a empresa arcará com 30% do salário do funcionário com contrato suspenso. • Empregado terá direito a estabilidade no emprego após fim da suspensão de jornada pelo período equivalente de redução, limitado a 60 dias. O empregador poderá, a seu critério, complementar a renda do trabalhador com contrato suspenso ou jornada reduzida. 36

Anfamoto em Revista - Edição 151


A “ajuda compensatória mensal” terá as seguintes características: • Natureza indenizatória; • valor definido em acordo individual ou em negociação coletiva; • não integrará IRPF do empregado; • não integrará base de cálculo da contribuição previdenciária e de FGTS; • poderá ser excluída o lucro líquido da empresa. O recebimento do Benefício Emergencial não impede o trabalhador de receber o seguro desemprego em caso de demissão sem justa causa após o período de estabilidade. É necessário o empregador comunicar acordos com trabalhadores de redução de jornada ou suspensão de contratos no âmbito do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. O site para comunicação dos acordos já está disponível: https://servicos.mte.gov.br/bem/

COMBATE AO COVID-19: GASTO PÚBLICO E SUSTENTAÇÃO DA RENDA Objetivo: melhorar acesso a bens necessários ao combate ao Covid-19, flexibilizar condições para gastos públicos em atendimento às necessidades da área da saúde, e manutenção da renda da população necessitada. 1. Decretação de estado de calamidade pública, permitindo aos governos aumentar o nível de gastos, mesmo que haja queda nas receitas, como é esperado por conta da crise do Covid-19: Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 88/2020, aprovado em 20/03 pelo Senado. 2. Abertura de crédito extraordinário em favor dos Ministérios da Educação e da Saúde, Cidadania, Justiça, Mulher e Presidência (R$ 7,85 bilhões). 3. Abertura de crédito em favor do Ministério da Defesa, para o enfrentamento do Coronavírus (R$ 11,3 milhões). 4. Destinação de saldo do seguro obrigatório (DPVAT) para o Sistema Único de Saúde (SUS) (R$ 4,5 bilhões). 5. Destinação de recursos para incluir mais de 1 milhão de pessoas no Bolsa Família (R$ 3,1 bilhões) (medida anunciada em 16/03/2020). Em 23/03/2020 o Ministério da Economia comunicou expansão suplementar do programa, com objetivo de atingir 1,2 milhão de famílias. 6. Adiamento por 120 dias dos procedimentos de bloqueio e suspensão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). 7. Antecipação da primeira e segunda parcelas do décimo terceiro de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) para os meses de abril e maio, respectivamente (R$ 30 bilhões). 8. Suspensão, por dois meses, do ajuste anual de preço dos medicamentos 9. Prorrogação do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda das pessoas físicas – IRPF 2020: o prazo passou de 30 de abril para 30 de junho de 2020. 10. Antecipação do abono salarial para junho (R$ 12,8 bilhões). 11. Auxílio emergencial de R$ 600 por mês durante três meses para trabalhadores informais, desempregados, microempreendedores individuais (MEIs) que integrem família de baixa renda e trabalhadores intermitentes, atendendo cerca de 54 milhões de pessoas (R$ 98,2 bilhões). 12. Liberação de saque do FGTS no valor de até R$ 1.045 (um salário mínimo) a ser efetuado em junho (MP 946, a ser apreciada no Congresso). 13. Crédito mais barato para beneficiários do INSS: juros máximos reduzidos de 2,08% a.m. para 1,80% am; prazo máximo de 72 meses para 84 meses (R$ 25 bilhões) 14. Recursos para vacinas, ajuda a brasileiros no exterior (R$ 393 milhões) 15. Novo crédito extraordinário para Saúde (R$ 2,6 bilhões) 16. Isenção de conta de luz para população de baixa renda. 9 milhões de famílias de baixa renda com consumo mensal inferior a 220 kwh estão isentas de pagar conta de luz entre 1º de abril e 30 de junho. Fonte: https://coronavirus.fiesp.com.br/blog/principais-medidas-economicas http://www4.planalto.gov.br/legislacao/portal-legis/legislacao-covid-19


Sua Moto em Detalhes

Moto parada na quarentena

Saiba quais cuidados devem ser tomados na manutenção e o que fazer durante o período em que estiver parada

C

om o período de isolamento social por conta da Covid-19, não é possível fazer passeios de motocicleta ou até sair para dar aquela voltinha e sentir o vento no rosto. Para garantir a saúde de sua moto na quarentena veja algumas dicas de especialistas para fazer a manutenção de alguns itens em casa e garantir que ela esteja pronta para o retorno às ruas, pistas e trilhas.

COMO DEIXAR CORRETAMENTE A MOTO PARADA? Certamente sem poder pilotar, sua moto vai ficar estacionada, mesmo que em sua garagem. O ideal é que seja em local coberto e arejado. De preferência plano e longe da umidade. Não esqueça de deixar os pneus calibrados com a pressão recomendada pelo fabricante. É recomendado ain38

Anfamoto em Revista - Edição 151

da que a moto ou scooter fiquem estacionadas utilizando o cavalete central. Caso não tenha é recomendável um suporte para manter um ou os dois pneus sem contato com o chão para evitar deformidade nos pneus.

COMBUSTÍVEL Antes de parar de vez a sua companheira, encha o tanque, se possível com gasolina premium, de alta octanagem. Com o tanque cheio a evaporação é menor, pois reduz o ar no tanque que é responsável por provocar oxidação nas partes metálicas. Motos que são carburadas, devem manter a “torneirinha” do tanque fechada e se possível o carburador seco. A gasolina de alta octanagem tem maior prazo de validade, sendo assim dura mais, e mantém as características. Além disso esse tipo de combustível tem menor teor de


etanol em sua composição e são menos agressivos. Mas ainda assim a evaporação e deterioração, podem gerar depósitos e impurezas, que podem também danificar o sistema de alimentação e do motor. Alguns modelos de motocicleta têm o motor do tipo flex, que são projetados para consumir gasolina ou etanol, mesmo assim é recomendado abastecer com a gasolina de alta octanagem, pois o etanol combustível, é do tipo hidratado e tem maior teor de água em sua composição.

BATERIA Como a motocicleta vai ficar parada é bom checar a carga da bateria. Ao estacionar é recomendável desligar a bateria, desconectando o polo negativo, sempre com o cuidado em isolar sua ponta. Certifique-se que essa ação é possível. Nas motos de maior cilindrada e com sistemas eletrônicos mais sofisticados, essa ação pode ser mais complexa, pois pode acabar desprogramando algumas informações de painel. Nesse caso, para evitar esse problema, e conseguir preservar a bateria carregada, que é vital para a partida elétrica nas motos maiores, existem carregadores portáteis, de pequeno porte, que podem ser ligados na tomada. Esses aparelhos têm baixo consumo e atuam somente quando a bateria apresenta queda de carga. “Outra medida que deve ser tomada é manter a moto em local seco e coberto para evitar oxidação em interruptores em geral, como chaves de ignição, chaves de luz, interruptores de partida, entre outros, assim como, nos dispositivos de sinalização e farol”, diz Fabrício Boesing – analista técnico de produto eletroeletrônico da Vedamotors.

ÓLEO E LUBRIFICAÇÃO O principal cuidado com o motor é com o óleo lubrificante, que requer uma atenção especial. O óleo pode oxidar e ficar contaminado quando a motocicleta permanecer um longo período parada, sem atividade. O óleo escorre para o cárter, deixando as partes superiores do motor com uma lubrificação deficiente e secas. Portanto é recomendável sua troca antes de estacionar definitivamente a moto, observando sempre o período de troca recomendada no manual e o tipo de óleo recomendado pelo fabricante. Outro ponto também é a lubrificação das correntes das motos, as de maior cilindrada geralmente têm correntes com retentores (O-Rings), que pos-

suem anéis de vedação, sendo assim, ao fazer a limpeza e a lubrificação antes da parada da moto, deve-se evitar solventes e aplicar o óleo adequado ou a graxa específica. Se a moto não tiver acelerador eletrônico, os cabos também devem ser lubrificados para aguardar o tempo durante o qual vai ficar parada a motocicleta. O filtro de óleo também é um componente de suma importância para o motor da sua motocicleta, pois se estiver contaminado e não for substituído pode contaminar o novo lubrificante. Dessa forma antes de estacionar a sua moto é necessário que seja feita a substituição independente da quilometragem. “Para alguns modelos de baixa cilindrada dos principais fabricantes, mesmo que você tenha rodado somente 100 km nos últimos seis meses, é recomendável que seja efetuada a troca do óleo e do filtro de óleo após decorrido esse período”, orienta Ruan Carlos Postae – analista técnico de engenharia, da Vedamotors.


Sua Moto em Detalhes

RETENTORES

ineficiência do freio. O barulho pode desaparecer rapidamente com a moto em movimento, mas caso isso não ocorra, um profissional deve ser procurado para avaliar o sistema de freio”, alerta Raulincom Borges da Silva, coordenador de assistência técnica da TDM Friction/Cobreq. Antes de voltar a utilizar a moto, também é importante checar o nível do fluido e verificar se há vazamentos. Outra orientação é consultar o prazo de validade e troca do fluido conforme a indicação do fabricante da motocicleta, mas, com a moto parada devido ao período de isolamento, o ideal é seguir com a troca considerando o tempo e não a quilometragem. É importante frisar que o líquido não deve ser completado se estiver abaixo do nível e sim substituído.

A suspensão da moto é considerada um item de segurança, uma vez que ela atua para manter os pneus em contato com o solo, gerando aderência, controle, estabilidade e conforto. Como falamos no início da matéria nesse caso também , o ideal é manter a moto no cavalete central, pois como ficará parada por um longo período na mesma posição, seu peso estará concentrado em um único ponto específico da suspensão, o que poderá causar possíveis deformações nos retentores, ocasionando vazamentos. Outro cuidado importante é quanto o acúmulo de impurezas, pois pode ocasionar danos ao sistema de suspensão. Recomenda-se após a moto ficar parada por longos períodos a limpeza do sistema de suspensão para assim evitar danos aos componentes.

Para evitar o ressecamento das borrachas da motocicleta em decorrência do tempo parada, utilize silicone e evite desengraxantes e outros produtos químicos. No banco, hidratantes específicos para couro ajudam a conservar. Nos pneus nunca use “pretinho”, além de atacar a borracha, pode provocar perda de aderência na hora de fazer as curvas. Novamente ressaltamos a importância da moto estar parada no cavalete central, pois uma única posição por muito tempo e os pneus em contato com o solo podem causar deformação e achatar mesmo que de leve com perda de pressão.

FREIOS

NA HORA DE LIGAR A MOTO

Os diversos sistemas e conjuntos de motocicletas são muito desprotegidos, expostos a intempéries, quando comparados a automóveis, por exemplo. A oxidação entre os discos e pastilhas de freio pode ocorrer em motocicletas que ficam paradas por longo período. O risco é maior quando ficam expostas ao tempo, em locais com incidência de maresia e umidade alta. O ideal é manter a moto em uma garagem fechada e livre de umidade. “Antes de sair de casa com a moto após o período de isolamento, teste os freios, daí a recomendação é inicialmente andar com velocidade reduzida e ficar atento a qualquer ruído anormal ou

Quando chegar o momento mais esperado que tudo, de poder ligar sua moto e sair por aí, e de ter religado a bateria e dar a partida na chave, deixe nos primeiros momentos a moto em marcha lenta, para que o óleo circule e aqueça. Mas não se esqueça se a moto ficou parada por um período superior a quatro meses antes de rodar é recomendável drenar e descartar o combustível, dispensando da maneira correta. É bom fazer esse procedimento pois o prazo de validade do combustível não é preciso.

40

Anfamoto em Revista - Edição 151

BORRACHAS E PNEUS

Bom passeio!!


CADERNO DUAS RODAS Nova Honda CBF 500F é porta de entrada para motos maiores

A Honda CB 500F 2020 teve grandes mudanças que fizeram com que a naked ficasse mais distante dos modelos compactos premium e se aproximassem mais de motos maiores. O visual está mais agressivo, o sistema de iluminação totalmente em LED, painel digital com tela escura, embreagem assistida e conta também com um inédito alerta de frenagem de emergência. A CB 500F é uma das melhores opções para quem quer ter sua primeira moto grande, embora com muitas novidades o modelo enfrenta uma forte concorrência no segmento, as mudanças no modelo 2020 são um ponto muito forte em seu favor, mas o preço ainda conta como desvantagem. Ainda assim as vantagens são grandes e o modelo está presente em todas as concessionárias da Honda no Brasil, a naked tem garantia de três anos, sem limite de quilometragem e vem com o Honda Assistance durante o período que durar a garantia.

Ducati Panigale V2 ganha nova combinação de cores A Panigale V2 é um dos principais lançamentos da marca para esse ano e é também a sucessora da 959 Premiere. Na moto foi apresentada em 2019 no World Premiere, na ocasião foi mostrada somente com a tradicional pintura vermelha, mas a Ducati informou que a V2 terá também uma nova combinação de cores, a White Rosso. Nessa versão o branco predomina, o vermelho aparece nas entradas de ar dianteiras, no defletor lateral e nas todas. O que diferencia da versão já apresentada é a disposição do nome do modelo, que foi posicionado na parte inferior das laterais da carenagem. O piloto Pecco Bagnaia, que disputa a temporada 2020 da MotoGP pela Pramac Racing, pilotou a nova Panigale V2. O piloto declarou que a Panigale V2 é uma moto muito divertida e estável, e que apesar de ter uma forte personalidade, ela permite que o piloto ande 42

Anfamoto em Revista - Edição 151

rápido e com segurança, sem fazer muito esforço. A Panigale V2 com a nova pintura, chega às lojas europeias em julho. No Brasil ainda não é comercializada e esperamos que seja lançada em breve.


Yamaha YZF-R6 ganha edição especial de 20 anos

Indian Motorcycle apresenta climatização nos assentos de suas motos Com o objetivo de proporcionar uma pilotagem mais confortável em qualquer estação do ano, a Indian Motorcycles apresentou recentemente nova tecnologia, tornando o passeio refrescante no verão e aquecendo no inverno. O sistema é o Clima Command Classic Seat, que regula a temperatura do assento de acordo com o desejo do piloto e passageiro. Não há nenhuma diferença estética entre os bancos de série e os que possuem esse sistema, a única diferença é que possuem um modo termoelétrico para difundir o calor e os dutos de resfriamento e grafeno, que é um material que otimiza a distribuição do calor ou de frio. Infelizmente no Brasil não teremos acesso a esse sistema pois a Indian não tem representação oficial no Brasil desde 2018.

Referência na categoria Supersport, a Yamaha YZF-R6 foi lançada em 1999 e virou referência em todos os mercados em que atua. A geração produzida entre 1999 e 2000 tinha motor de quatro cilindros de linha, refrigerado a água e com injeção eletrônica e alcançava 120cv de potência. Para comemorar os 20 anos da YZF-R6, a Yart Yamaha Austria Racing Team, aproveitou para homenagear essa moto que é ícone da categoria, com a criação de uma edição exclusiva, com pintura retro que remete a primeira versão de 1999. Não foi feita nenhuma alteração mecânica na edição comemorativa, a não ser a instalação de um escapamento completo da eslovena Akrapovic. A princípio a versão comemorativa da R6 estará disponível apenas no revendedor austríaco. Para quem tiver interesse informações sobre a moto podem ser obtidas, encaminhando e-mail para office@yart7.com, com o assunto Yamaha YZF-R6 20th Anniversary.

LANGEN Motorcycles revela motocicleta 250CC com motor dois tempos A startup britânica Langem Motorcycles, do ex-chefe de design da CCM Chris Ratcliffe, revelou um projeto com o nome “The 2 Stroke”, que traduzindo quer dizer “A Dois Tempos”. O motor do modelo é um V2, dois tempos que entrega muita potência, principalmente quando se leva em conta o seu tamanho. Além de potente a moto também é leve, pois usa materiais como alumínio e fibra de carbono, a The 2 Stroke pesa 112 kg. O valor da moto não foi divulgado, mas pelos materiais utilizados pode ser que o preço seja bastante competitivo.


Notícias NOVAS REGRAS DA CNH, CÓDIGO DE TRÂNSITO E DETRAN A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei No 3267/19, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Entre as principais alterações esta a mudança do prazo de validade da CNH de 5 (cinco) para 10 (dez) anos, para motoristas com idade inferior a 50 (cinquenta) anos. Para motoristas com mais de 50 anos a renovação da CNH deve ser feita a cada 5 (cinco) anos. E por fim aqueles com mais de 70 (setenta) anos, a renovação será feita a cada 3 (três) anos. Entre as mudanças, o projeto amplia o prazo para renovação dos exames de aptidão física e mental para renovação da CNH e estabelece o uso de cadeirinha para o transporte de crianças de até 10 (dez) anos que ainda não atingiram 1,45 metro. O projeto regulamenta ainda a circulação de motocicleta entre os veículos, mantém a exigência de exames toxicológicos para motoristas das categorias C, D e E, e prevê limites diferentes de pontuação na carteira de motorista, antes da suspensão no prazo de 12 meses. Hoje a suspensão da CNH é feita quando o condutor atingir 20 pontos em 12 meses. Pelo novo projeto a CNH terá 3 níveis de pontuação. Será suspensa com 20 pontos se o condutor cometer 2 ou mais infrações gravíssimas, com 30 pontos ao atingir uma infração gravíssima, ou com 40 pontos, se não houver infrações gravíssimas. Na legislação atual o uso de farol baixo é obrigatório em rodovias, túneis ou sob neblina ou cerração. Com a nova redação o uso de farol baixo durante o dia passa a ser obrigatório apenas em rodovias de pista simples, também em túneis, sob neblina ou cerração. Nos casos de recall e licenciamento, atualmente um veículo só não pode ser licenciado se tiver débitos de multas e fiscais. Pelas novas regras além de multas e 44

Anfamoto em Revista - Edição 151

débitos fiscais, veículos com recall pendentes há mais de dois anos não poderão ser licenciados. Já no caso das motocicletas atualmente não há proibição ou sequer regulamentação para o trânsito de motos no corredor. Com a nova regulamentação motocicletas poderão transitar no corredor quando o tráfego estiver lento ou parado. Eles devem rodar entre as duas faixas mais à esquerda da via, e em velocidade segura. No caso dos capacetes e viseiras, hoje, está em vigor uma resolução que diz que a viseira deve ficar abaixada sob pena de multa média. Já o CTB afirma que usar capacete sem viseira é uma infração gravíssima. No texto novo usar capacete sem viseira passa a ser infração média, assim como usar capacete com a viseira levantada. Ainda com relação à motocicletas, atualmente o CTB diz que não é permitido levar na garupa criança menor de 7 (sete) anos ou que não tenha, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança. A multa para infração é gravíssima. A nova regra prevê o aumento da idade mínima para 10 anos e a multa permanece como infração gravíssima. Outras mudanças que foram feitas, são nas aulas noturnas para quem vai tirar a CNH. A partir da aprovação final no Senado não haverá mais obrigatoriedade de aula noturna. E ainda, atualmente rodar com o veículo sem os documentos de porte obrigatório ou com as placas fora do padrão é infração leve, com multa de 3 (três) pontos na CNH. No texto atual prevê que esses casos serão punidos apenas com multa, sem incluir os pontos na CNH. Os demais destaques ao projeto foram rejeitados, com a conclusão da votação na Câmara, a matéria seguirá para votação no Senado.

POR CONTA DA PANDEMIA DA COVID-19 RALLY DE SÃO PAULO TEM SUA DATA MODIFICADA NOVAMENTE E ACONTECERÁ EM

OUTUBRO DE 2020

A pandemia da Covid-19 tem mexido com o calendário de muitos eventos em vários estados e cidades do Brasil. E novamente mexeu com o calendário do Sertões Series. Em comunicado recente a organização do campeonato informou que o Rally de São Paulo teve a data alterada novamente. A princípio, a etapa abriria a temporada 2020, que aconteceria entre os dias 28 e 30 de maio, porém em abril, a organização anunciou que a etapa aconteceria de 03 a 05 de dezembro. Agora o Rally de São Paulo foi antecipado e será realizado de 01 a 03 de outubro de 2020. Com isso, o Sertões Series Santa Cataria, que seria realizado nessas datas, foi adiado para o primeiro trimestre de 2021. Segundo o comunicado da organização, a decisão sobre a data do Rally de São Paulo, foi tomada em conjunto com o governo paulista, e levou em consideração a pandemia e a oportunidade de reaquecer a economia na região do Vale do Ribeira. Além disso, a competição servirá de aquecimento para o Rally dos Sertões, que foi adiado e tem largada prevista para o dia 7 de novembro, em São Paulo. A edição 2020 seria parte do calendário mundial de Cross Country neste ano, mas a Federação Internacional de Motociclismo e a Dunas, empresa que organiza os Sertões, decidiram que a prova brasileira voltará ao mundial apenas em 2021, isso por conta das restrições de viagem internacionais que vigoram atualmente. O calendário atualizado do Sertões Series 2020, ficou assim: • 26 a 29/8 – Series Jalapão • 01 a 03/10 – Series São Paulo • 07 a 15/11 - Sertões


EICMA – SALÃO DE MILÃO É ADIADO PARA 2021 DEVIDO A PANDEMIA. INTERMOT QUE ACONTECERIA EM OUTUBRO TAMBÉM FOI CANCELADA Foi anunciado no final de junho, que o Salão de Motos de Milão, EICMA, o adiamento para 2021 da edição de 2020, que estava prevista para acontecer em novembro. O adiamento se deu por conta da pandemia da Covid-19, que principalmente na Itália teve um efeito devastador. A 78ª Edição da EICMA acontecerá de 09 a 14 de novembro de 2021, no mesmo pavilhão.

A Intermot - Salão de Colônia, na Alemanha, também teve a edição prevista para acontecer em outubro cancelada. A organização da feira, considera que os investimentos das empresas já estão comprometidos para o próximo ano, e por isso decidiram criar um evento digital que acontecerá até o fim do ano, seria uma espécie de Salão virtual. Vamos aguardar da data.


DICAS & LANÇAMENTOS

#1 Pneus Technic

#2 Valflex

#3 Nasa

Conheça a nossa linha de pneus Endurance com conceito On/Off Road.

A VALFLEX amplia sua linha de retentores, sempre buscando produtos de qualidade para oferecer a seus clientes.

A Jaqueta Nasa Onix Force tem alto nível de fabricação e desempenho. Possui forração térmica e removível que protegem contra tais condições na pilotagem, são produzidas com material 100% impermeável, proteção CE nos ombros, cotovelos e costas, faixa refletivas, regulagens, tecnologia Vent Tech System, bolsos internos e externos e ainda possui conexão com a calça.

Disponível para pronta entrega! PneusTechnic fabricados no Brasil com tecnologia de ponta!

Conheça nossa linha completa acessando nosso site www.valflex.com.br.

Acesse nosso site www.pneustechnic.com.br e conheça nossa linha de pneus.

MAIS INFORMAÇÕES: (11) 4977-8831

MAIS INFORMAÇÕES: (11) 3335-4955

#4 Maxx Premium

#5 Diafrag

#6 Brandy

Conheça os cabos de embreagem, acelerador, velocímetro e freio da Maxx Premium.

A Dia-frag, marca nacional de peças originais, lança o seu Kit de Motor com cilindro produzido em sua moderna fábrica de Monte Alto - SP. Mais um produto de Qualidade Original, genuinamente brasileiro!

ByRacer é nova marca da Brandy exclusiva para linha de vestuário. No lançamento estamos disponibilizando quatro novos produtos, Balaclava, Tubo Multiuso, Manga de Proteção Solar, e a exclusiva Camiseta Manga longa com Polegar, todos feitos com tecidos Microfibra certificados, com diferenciais como Proteção Solar, Tecnologia Anti-Odor.

Os cabos Maxx Premium são desenvolvidos dentro do mais alto padrão de Qualidade Internacional ISO9001, para garantir o melhor desempenho nas acelerações e frenagens. Os cabos são fabricados dentro das especificações originais de fábrica, garantindo a segurança que você precisa. A qualidade que você conhece com o preço que você deseja. MAIS INFORMAÇÕES: (11) 2475-7000 46

MAIS INFORMAÇÕES: (11) 2317-3388

Agora todo mundo “U.S.A” Nasa dos pés a cabeça.

Anfamoto em Revista - Edição 151

MAIS INFORMAÇÕES: (16) 3244-5000

MAIS INFORMAÇÕES: (16) 3995-9955


Lista de Associados

FABRICANTES A.A.S. Moto Ind. e Com.(Pedro A. Souza) R. Centralina, 268-A 08410-100 - São Paulo - SP Tel.: (11) 2961-6902 - Fax.: (11) 2961-4665 E-mail: aasmoto@ig.com.br Fabricante de Guarnição para ponteiras de escapamentos e elementos para filtro de ar (espuma) Alba Industrial Impermeáveis Ltda Rua Fernão Pompeu de Camargo, 835 Jd. Trevo - 13041-025 - Campinas -SP Tel.: (19) 3272-9821 / Fax: (19) 3272-9795 Site: www.albaindustrial.com.br Fabricante de conjuntos impermeáveis, capas p/ motos, sobre botas, luvas, casacos, blusões e mochilas Arbyn Favaro Tecnometal R. Eng. Guilherme Cristiano Frender, 1.114 Aricanduva 03477-000 São Paulo- SP Tel.: (11) 2727-3777 / Fax: (11) 2722-1444 E-mail: arbyn@arbyn.com.br www.arbyn.com.br AWA Motos Rua Lavineo de Arruda Falcão, 1272 14808-390 – Araraquara – SP (16) 3301-1890 E-mail: marina.murari@awamotos.com.br Site: www.awamotos.com.br Baterias Heliar Av. Antonio Carlos Cômitre, 540 6º andar Campolim 18047-620 Sorocaba-SP Tel.: (11) 3416-8125 Site: www.heliar.com.br Brandy Indústria e Comércio Ltda. Rua: Caconde 660 - Salgado Filho 14079-016 Ribeirão Preto - SP (Ref.: Marginal da Rod.Anhanguera Km 317) Tel (16) 3995-9955 / Fax (16) 3995-9953 e-mail: brandy@brandy.com.br Site: www.brandy.com.br Fabricante de: Coxim, pastilhas, guia, tensor, filtros, reparador, lubrificantes e linha de óleos. Brake Shoes Ind. e Com. de Materiais de Atrito Eireli – EPP Rua Eng. Frederico Fischer Junior,95 09411-080 – Ribeirão Pires – SP Tel.: (11) 4822-7171 E-mail: adm@fischerfreios.com.br

BRV Ind. De Artigos Plast. Metal. Ltda Rua Ituverava, 89 03151-020 – São Paulo – SP Tel.: (11) 2273-7329 Site: http://brvmoto.wix.com/brv-moto# Fabricante de Borrachas e plásticos. Caramori Ind. e Com. Ltda. Av. Dr. Alberto Jackson Byington, 1777 06276-000 - Osasco - SP Tel (11) 3601-4522/Fax (11) 3601-2608 E-mail: caramori@mail.com Fabricante de acessórios e baús. Cerâmica e Velas de Ignição NGK do Brasil Ltda. Estrada Mogi - Salesopolis, Km 9 - Cocuera

08701-970 – Mogi das Cruzes - SP Tel (11) 4793-8000 Site: www.ngkntk.com.br Fabricante de Velas de ignição, cabos de ignição, terminais supressivos e sensores de oxigênio

Dagostin / Maximo Fabr. De Peças p/ Motocicletas - Máximo Rod. SC 443, Km 17,9

B. Graziela

88830-000 Morro da Fumaça – SC. Tel (48) 3434-4711 Site: www.exijamaximo.com.br Fabricante de retrovisores para motocicleta. Danidrea Ind. e Com. Ltda. R. Aristides Crivellaro, 474 Morro das Pedras 13279-813 Valinhos – SP Tel (019) 2136-0888 E-mail: danidrea@danidrea.com.br Site: www.danidrea.com.br Fabricante de Caixa de Direção, Reparos p/ Freios, Buchas p/ Suspensão,Travas p/ Coroa. Deltacapas Comercial e Industrial Ltda Av.: Das Industrias, 750 – prédio: 02 – modulos: 04 e 05 Dstrito Industrial 94930-230 Cachoeirinha-RS tel.: (51) 3238-4000 - fax: (51) 3238-4004

Cia Magnetron Ind. E Com. de Componentes Alameda Arpo, 760 – E 83210-290 – São José dos Pinhais – PR 41-3381-8800 www.magnetron.com.br Cometa Ind. e Com. de Moto Peças Ltda. R. Sitha, 301 Jd. Inamar 09981-070 Diadema – SP Tel (11) 4091-1517/Fax (11) 4091-6006 Site: www.cometamoto.com.br Fabricante de manetes, manicotos e pedais. Controlflex - Ind. Cabos Comando Ltda. R. Carmelina Garcia, 790 – Altos da Fortaleza 18113.010 - Votorantim - SP PABX: 15 3353.9000 – SAC 0800 10 6969 Site: www.controlflex.com.br

Demtec Artefatos de Borracha Ltda. Rua: Maria Rosa de Jesus, 200 V. Sto. Antonio 08534-030 Ferraz de Vasconcelos – SP Tel.: (11) 2280-3661/4674.5435 Call free- 0800.707.3661 e-mail: vendas@demtec.com.br site: www.demtec.com.br Fabricante de Coletores de Admissão, Bucha da Coroa e Coxim. EBF Ind. e Com. de Artefatos Plásticos Ltda Rod. Eng. Ermênio de Oliveira Penteado, km 54,5 13340-600 – Indaiatuba – SP Tel.: 19-3825-4460 E-mail: sac@ebfcapacetes.com.br Site: www.ebfcapacetes.net.br Fabricante de Capacetes

Corteco América do Sul- Freudenberg Av. Piraporinha, 411- Jd. Oriental 09950-902 - Diadema - SP Tel (11) 4072-8000 Site: www.corteco.com.br Fabricante de retentores e selos haste de válvulas, Juntas de motor, reparo da direção hidráulica, kit câmbio, filtros de ar-condicionado e kit de roda com e sem rolamento Costa e Brito Ind. e Com. Ltda-ME BRC Racing Av.Gilberto Carvalho, s/nº lt. C123 24944-000 – Maricá – RJ Tel/Fax: (21) 3606-2074 Site: www.escapamentosbrc.com.br Fabricante de Escapamentos

EBF VAZ - Ind. Com. Ltda. Av. Arquimedes, 615 - Cx.Postal 00436 13211-840 - Dist. Indl. Jundiaí - SP Tel (11) 4585-3900 /Fax (11) 4582-1613 E-mail: clientes@ebf.com.br Fabricante de Coroas, Pinhões e Engrenagens. Ebram Metalurgica Imp. Exp. Ltda R. da Primavera, 194 09980-040 Diadema – SP F. (11) 4051-2066 Fax: (11) 4051-2066 E-mail: ebramvendas@yahoo.com Site: www.aronipmotos.com.br Fabricante de Aros e raios


Lista de Associados

EGK Motoparts Ind. e Com. Ltda R. Iolando Ribeiro Boaventura, 394 Jd.Maringá 03525-120 São Paulo – SP Tel/Fax: (11) 2021-2491 www.egkmotoparts.com.br E-mail:vendas@egkmotoparts.com.br Fabricante de correntes de comando, filtro de ar, filtro de óleo e caixas de direção Eninco Eng. Ind. e Com. Ltda. Tel (43) 3571-8640 Site: www.eninco.com.br Fabricante de raios e aros em alumínio e aço para motos e bicicletas. Fischer Pastilhas e Freios Especiais Rua Eng. Frederico Fischer Jr., 75 09411-080 – Ribeirão Pires – SP Tel.: (11) 4822-7171 - Fax: (11) 4822-7193 Vendas: (DDR) (11) 4822-7181 E-mail: vendas@fischerfreios.com.br Site: www.fischerfreios.com.br Fabricante de pastilhas de freio, patins e discos de embreagem. FNA - Fábrica Nac. de Amortecedores Ltda. AV. Perimetral Bruno Segalla, 11.114 -Kayser 95098-752 - Caxias do Sul - RS Tel: (54) 3213.6500 - Fax: (54) 3213.6511 E-mail: vendas@fna.ind.br Site:www.fna.ind.br Fabricante de Amortecedores e cilindros Fras-le S/A Rod 122, km 66,1 nº 10945 95115-550 – Caxias do Sul – RS 54-3239-2000 www.fras-le.com GEMOTO R. 28 de Junho, 386 V. Morangueirinha 87040-280 Maringá – PR Tel/fax (44) 3028-8559 Site: WWW.gemoto.com.br E-mail: gemoto@gemoto.com.br Fabricante de: escapamentos, guidões, pedais de partida,pedais de apoio (estribos), cavalete laterais, suporte aranha de farol Goaltech Produtos Químicos Ltda Av. Gupé, 10397 sl.03 06422-120 – Barueri - SP 11-4195-0550/ 11-2533-3250 Email: smarcon@gulfairbrasil.com Gow Helmets Indústria e Comércio Ltda Av. Riachuelo, 73 76970-000 Pimenta Bueno – RO F. (69) 3451-2550 E-mail: gow@gowcapacetes.com.br Fabricante de Capacetes

48

Anfamoto em Revista - Edição 151

Grua Ind. e Com. Ltda. R. Prof. João Machado, 325 - Freguesia do Ó 02927-000 - São Paulo - SP Tel (11) 3931-0891/Fax (11) 3931-5744 Site: www.grua.com.br Fabricante de cabos de comando, bucha da coroa e da balança, ferramentas especiais. GVS SPORT Ind. e Com. de Peças Ltda Estrada Municipal, 1840 - Jundiazinho 07600-000 Terra Preta Mairiporã - SP Tel: (11) 4486-2611 Fax: (11) 4343-5012 Site: www.gvssport.com.br Fabricante e retrovisores Impacto Peças para Automotores Ltda (Motobor +) Rua Dom João V, 266 05075-050 - São Paulo-SP Tel.: (11) 2365-5006 Site: www.motobormais.com.br Ind. e Com. de Motopeças Chapam Av. Longarone, 1329 - Bairro De Villa 88840-000 - Urussanga - SC Tel/Fax (48) 3465-1453/3465-3290 Email: chapam@terra.com.br Site: www.chapam.com.br Fabricante de alças, antenas, bagageiros, cavaletes, guidões, pedai de freio, protetores, suportes diversos, etc. Industrial Levorin S.A. Avenida Monteiro Lobato,nº 2641, 07190-901 - Guarulhos - SP Telefone: 11-2464.6610, 11-99249.2439 Email: fcentofanti@levorin.com.br www.levorin.com.br Jayfex Consultoria e Com. Exterior Ltda Rua Tupy, 565 89214-400 – Joinville – SC 47-3467-0071 www.jayfex.com.br / www.hardt-way.com Jeskap Ind. Com. Imp. Exp. Ltda – Epp Rua Pedro Criste, 65 06900-000 – Embu Guaçu – sp (11) 4661-8020 E-mail: adm@jeskap.com.br Site: www.jeskap.com.br Jojafer Com. de Peças e Acess. p/ Motos Ltda-EPP Av. Rangel Pestana, 256 sl. 04 09185-220 – Santo André – SP Tel.: (11) 4978-3178 Fax: (11) 4474-2078 Site: www.jojafer.com.br E-mail: jojafer@uol.com.br Krieck Componentes Mecânicos LTDA ROD. BR 470 Nº 4521 89130-000 – Indal – SC 47-3333-1991 www.krieck.com.br administrativo@krieck.com.br

KSPG Automotive Brasil Ltda. Rod. Arnaldo Julio Mauerberg, 4000 BL- 1 13460-000 - Nova Odessa - SP Tel (19) 3466-9360 Site:www.ms-motor-service.com.br Fabricante de Produtos automotivos Mahle Metal Leve S.A Rod. Eng. João Tosello, SP 147, Km 96 – Pinhal 13486-264 Limeira – SP Tel.:(19) 3404-7700 / Fax:(19) 3404-7711 Site: www.mahle.com.br Pistões com Pino: pistão + pino; - Pistões com Anel: pistão + pino + anel, Kits p/ Motores: pistão + pino + anel + camisa, - Anéis: anel, - Válvulas: válvula; Guias de Válvulas: guias de válvulas Marelli Cofap do Brasil Av. Manoel da Nóbrega, 196 09380-120 - Mauá - SP 0800 019 4054 www.mmcofap.com.br Megaville Ind. e Com. de Peças para Motocicletas Ltda. Rua: Candeias, 225 89233-410 - Joinville - SC Tel/Fax (47) 3426-3302 E-mail: vendas@industriamegaville.com.br Site: www.industriamegaville.com.br Fabricante de bobinas, estatores linha completa, chicotes, baterias 2,5 amp á 7 amp., rele de partida e de pisca, cdi e retificadores, porta escovas e reparos, pedal de partida, camara de ar, guidão / suporte do báu, cachimbos de vela, coxim e bucha da coroa, protetor de mão, trava pneu, linha motoserra / modulo e pinhão, volante magnético. Melc Ind. e Com. Ltda. Av. Armando Giassetti, 501 Torres S. José 13214-525 Jundiaí – SP Tel.: (11) 4815-9200/9202 Site: www.melc.com.br Fabricante de Peças Plásticas em geral. Metalúrgica Fortuna Ltda. Rod. Marechal Rondon, KM 517 (600 mts) 16204-104 - Birigüi - SP Tel (18) 3642-3846 / Fax (18) 3641-1052 E-mail: vendas@fortunaescapamentos.com.br Fabricante de Escapamentos p/ motocicletas MGL Mecânica Grizante Ltda. R. Maria Aparecida Dequeche, 1365 Distr. Indl. João Batista Caruzo 13848-662 - Mogi Guaçu - SP Tel (19) 3891-2904/ Fax (19) 3891-5789 E-mail: mgl@mglmotos.com.br Site: www.mglmotos.com.br Fabricante de Buchas, molas, porcas, parafusos, etc.


Lista de Associados

MGO Molas Ind. De Motopeças Estrada Vovó Carolina, 2931 08473-370 – São Paulo – SP Tel: (11) 2731-5608 Tel: (11) 2731-5724 contato@mgomolas.com.br MT ACESSÓRIOS Rua Conego Agostinho, 1856 62900-000 – Russas – Ce Tel.: (88) 3411-2305 E-mail: mt.acessorios@hotmail.com Site: www.mtacessorios.com.br Nachi Brasil Ltda Av. João XXIII, 2330 08830-000 Mogi das Cruzes – SP Tel.: (11) 3284-9844 Fax (11) 3284-1751 Site: www.nachi.com.br Fabricante de: Rolamento de rodas, transmissão e virabrequim p/ motocicletas e p/ aplicações auto-elétrico e industrial Pantaneiro Ind. E Com. De Capas Eireli Rua Visconde de São Leopoldo, 795 93025-400 – São Leopoldo – RS Tel.: (51) 3590-4217 Site: www.pantaneirocapas.com.br Paramotos Ind. Com. e Importação Ltda. Av. Jovino Fernandes Sales, 677 37130-000 - Alfenas - MG Tel/Fax (35) 3291-3355/3392-2630 E-mail: paramotos@uol.com.br Fabricante de peças em plástico p/ motocicletas Plasmoto Ind. Com. e Repres. Ltda.-ME R. Sete de Setembro, 71B 11013-350 Santos – SP Tel/Fax (13) 3234-1211 E-mail: plasmoto@uol.com.br Fabricante de peças de plásticos em geral. Piracapas Capas e Bancos p/ Motoc. Ltda. R. Augusto de Lello, 1.000 13414-132 - Piracicaba - SP Tel (19) 3421-7800/Fax (19) 3421-6455 Site: www.piracapas.com.br E-mail: piracapa@terra.com.br Fabricante de Capas p/ Bancos. Polivisor - Ind. e Com. de Viseiras Ltda-EPP Av. Dr. Comendador Santoro Mirone, 970 13347-300 - Indaiatuba - SP Tel (19) 3935-7352 Fax (19) 3935-1327 Site: www.polivisor.com.br e-mail: polivisor@polivisor.com.br Fabricante de viseiras e acessórios para capacetes.

Polimet Ind. Met. Ltda Av Industrial, 797 - Campo de Boituva 18550-000 Boituva - SP Tel.: (15) 3363-8633 e-mail: polimet@polimet.com.br Fabricante de barras estabilizadoras, bagageiro, escapamento, guidão, protetor, estribo pedais de freio e alças Protercapas Ltda Av. Ângelo Altoé, 2040 – Loja 1 Bananeiras 29375-000 Venda Nova do Imigrantes - ES Tel (28) 3546-6276 SAC 0800-285-3050 Site: www.protercapas.com.br E-mail: protercapas@protercapas.com.br Fabricante de capas e acessórios Pro-Tork Ind. Com. Equip. P/ Motoc. R. Odilon Leite Rodrigues, 1479 Sala 1 Parque Industrial III 84940-000 - Siqueira de Campos - PR Tel.: (43) 3571-8500 E-mail: marketing@protork.com Site: www.protork.com Fabricante de escapamentos, bagageiros, guidãos, protetores, tanques de combustível, espelhos ProVision Com. de Plásticos e Acessórios Ltda. R. Das Dalias, 214 03202-060 São Paulo – SP Tel.: (11) 2341-4605 Site: www.provisionviseiras.com.br Rinaldi S/A Ind. de Pneumáticos R. Luiz Alegretti, 193 - Licorsul 95700-000 - Bento Gonçalves - RS Tel (54) 3455-7500 / Fax (54) 3455-7575 E-mail: rinaldi@rinaldi.com.br Site: www.rinaldi.com.br Fabricante de Pneus e câmaras de ar Roncar Ind. e Com. Ltda Site: www.roncar.com.br Fabricante de escapamentos, alças de selim, protetores e guidões. Route- Enerbrax Acumuladores Ltda. Av. Rodrigues Alves, 6018 Pq. Paulista 17034-285 Bauru – SP. Tel.: (14) 2107-4000 Fax.: (14) 2107 4001 E-mail: comercial@enerbrax.com.br Site: www.bateriasroute.com.br Fabricante de: Baterias RTO - Ind. e Com. de Artefatos de Borracha Ltda. Av. Itaberaba, 1286 02734-000 - São Paulo - SP Tel (11) 3975-4437 E-mail:rtoretentores@ig.com.br Fabricante de artefatos de borracha, retentores e diafragmas.

SKF DO BRASIL LTDA Av. Marginal do Ribeirão dos Cristais, 200 07750-000 - Cajamar - SP Telefone : 11- 4448 8624 www.skf.com Sabó Ind. e Com. de Autopeças S/A R. Matteo Forte, 216 – Lapa 05038-160 São Paulo – SP Tel: (11) 2174-5994 Fax: (11) 2174-5777 E-mail: daniella@sabo.com.br Site: www.sabogroup.com.br Slyck Ind e Com. de Retrovisores Ltda R. José Del Roio, 316 12908-844 - Bragança Paulista - SP Tel /Fax (11) 4603-1331 E-mail: slyckretrovisores@terra.com.br Fabricante retrovisores SOFAPE Fabricante de Filtros Ltda (Tecfil) Rod. Pres. Dutra, km 213,8 07183-904 – Guarulhos – SP Tel.: 11-2145-5890 Site: www.tecfil.com.br Fabricante de Filtros Soretto Fáb. de Cabos Automotivos Ltda Rua Arthur Rodrigues de Castro, 352 135570-410 São Carlos – SP Tel.: (16) 3411-6688 E-mail: Waldemar@dewan.com.br Site: www.dewan.com.br Sportive Ind. E Com. de Peças p/ Motocicletas Eireli Estrada Geraldo Costa Camargo, 472 galpões 63 e 97/98/99 13187-115 – Hortolândia – SP Tel.: 19-3965-8864 Email: Sportive.plasticos@terra.com.br Fabricante de plásticos para motocicletas

Technic do Brasil Ltda R. Vereador José Nanci, 335 09290-415 Santo André – SP F. (11) 4977-8838 Fax: (11) 4977-8877 E-mail: marketing@pneustechnic.com.br Site: www.pneustechnic.com.br Fabricante de Pneus para motocicleta TMD Friction do Brasil S/A (Cobreq) R. Tupi, 293 - Vila Mariana 13330-000 - Indaiatuba - SP Tel (19) 3894-9783 / Fax (19) 3875-8432 Site: www.cobreq.com.br Fabricante de Pastilhas e Lonas de Freios. TOP Light Av. Armando Giassetti, 501 Torre S.José 13214-525 Jundiaí- SP Tel.: (11) 4815-9202 e-mail: comercial@toplight.ind.br site: www.toplight.ind.br Fabricante de lentes e lanternas traseiras completas.


Lista de Associados

Torbal |Ind. e Com. de Escapamentos LTDA

Wester Ind. e Com Ltda R. Gustavo Zimmermann, 8463 - Bloco A

RUA NITERÓI, 499 08573-270 – ITAQUAQUECETUBA – SP

Itoupava Central 89063-002 Blumenau - SC

11-4640-1853 www.torbal .com.br compras@torbal.com.br

Tel.: /FAX: (47) 3337-5054 Site: www.wester.com.br E-mail: wester@wester.com.br Fabricante de peças e acessórios para moto

Valflex Juntas e Filtros Ind. Com. Ltda. R. Artur Pereira, 11/13 - JD Iguatemi 08381-580 - São Paulo - SP Tel/Fax (11) 2317-3388 FAX (11) 2917-2595 Site: www.valflex.com.br E-mail: valflex@valflex.com.br Fabricante de Juntas p/ Motos e peças em geral. Valplas Ind. e Com. Motopeças Ltda R. José Del Roio, 501 - JD. São Lourenço 12908-844 Bragança Paulista - SP Tel.: (11) 4603-1331 e-mail: valplas@valplas.com.br site: www.valplas.com.br Fabricante de: Piscas, lentes e lanternas Vedamotors Ind. e Com. de Juntas Ltda Rod. BR-470, 2795, KM 129 Bairro Salto Pilão CEP: 89182-000 Lontras (SC) Brasil Tel.: (47) 3411-0500 E-mail: vedamotors@vedamotors.com.br Site: www.vedamotors.com.br Fabricante de juntas e jogo de juntas, anéis de escape, peças em borrachas, coxim, buchas, filtros de ar, óleo e combustível, biela, kit cilindro, kit pistão, válvula, disco de embreagem, vareta válvula, guarnições, reparo do carburador e injeção, componentes eletroeletrônicos. Vedox Indústria de Motopeças Ltda Loteam. Norte Center, Qdra 02, lotes 7 e 14 Portão 42700-000 Lauro de Freitas – BA. Tel: (71) 3415-6655 Site:www.vedox.com.br E-mail: vedox@vedox.com.br Fabricante de Oring´s, retentores, buchas e guarnições Wabtec Brasil Fab. e Man. de Equipamentos Ltda R. 19 de novembro, 305 - São Cristovão 15910-000 - Monte Alto - SP Tel (16) 3244-5000 / Fax (16) 3243-2046 E-mail: comercial@diafrag.com.br Site: www.wabtec.com Fabricante de Coletores, patins, pastilhas de freio, mesas, cubos, flange e mesas.

50

Anfamoto em Revista - Edição 151

ATACADISTAS Abrascort Coml. Import. de Correntes Lt R. Francisco Szurek, 170 Cid Indl 81350-140 Curitiba – PR Tel.: (41) 2169-9999 Fax: (41) 2169-9900 e-mail: vendas@abrascort.com.br Site: www.abrascort.com.br Acepeças - C. Acess. e Peças p/ Biciclos Ltda. Av. Tocantins, 56 - Centro 76400-000 - Uruaçu - GO Tel/Fax (62) 3357-1102 Alfa Motos Av. Diogo Naves, 251 – Qd. 8 – Lote 9 74370-695 – Goiânia – GO E-mail: alfamotos.adm@gmail.com Atlanta Com. Repres. Imp. e Exp. Ltda. R. Conselheiro Nébias, 396 01203-000 - São Paulo - SP Tel/Fax (11) 3224-9377 Site: www.atlantamotos.com.br E-mail: atlanta@atlantamotos.com.br Ciclo Cairu Ltda. R. Cairu, 601 Setor Industrial 76970-000 Pimenta Bueno – RO Tel.: (69) 3451-0500 Fax: (69) 3451-2367 e-mail: vendas@ciclocairu.com.br Site: www.ciclocairu.com.br Com. de Motos Matsuo Ltda. R. Guaycurus, 532 05033-001 - São Paulo - SP Tel (11) 3864-2711 Site:www.motomatsuo.com.br Comercial Automotiva Ltda. - DPK R. Edmundo Navarro Andrade, 1700 Pq. Indl. 13031-695 Campinas – SP Tel.: (19) 3772-8649 Fax.: (19) 3772-8655 Site: www.dpk.com.br Comercial Motociclo S/A. R. Francisco Souza dos Santos, 731 1º andar - Jd Limoeiro 29164-153 - Serra - ES DISQUE-PEÇAS: 0800-979 1055 Site: www.motociclo.com.br

Evemotos Com. De Motopeças Ltda. – ME Rua Conselheiro Nébias, 407 01203-000 – São Paulo – SP (11) 3221-8575 / 3222-0418 E-mail: contato@evemotopecas.com.br Site: www.evemotopecas.com.br GV1 IMP. E EXP. LTDA Av. Nove de Julho, 3229, Sala 503 Jardim Paulista - São Paulo - SP 01407-000 Hiper Motos Ltda. Av. Ricardo Caran Guimaraes 170 Distrito Industrial 35164-554 - Ipatinga - MG Tel/Fax.: (31) 3801-4000 E-mail: hipermotos@ hipermotos.com.br Imotopeças Digital de Varejo de Motopeças, Acessórios e Duas Rodas Ltda Av. Nove de Julho, 3229 sls. 506 à 509 01407-000 – São Paulo – SP Tel.: 11-3539-6811 Email: imotopecas@imotopecas.com.br Site: www.imotopecas.com.br INTERNACIONAL FORTUNE BUSINESS R. Urbano Santos, 547. 07182-320 – Guarulhos - SP 11- 2087-7755 www.ifbimport.com.br comercial@ifbimport.com.br L.M. Moto Av. Brasil, 2420 35590-000 - Lagoa da Prata - MG Tel.:0800-702-4044 Site: www.lmmoto.com.br E-mail: contato@lmmoto.com.br Lagoa Motoparts R. José Américo de Almeida, 14 30520-230 - Belo Horizonte - MG Tel/Fax (31) 2121-0005 Site: www.lmp.com.br Láquila Peças Ltda. R. Riciere Bernardi, 283 Campo Fundo 83430-000 Campina Grande do Sul – PR Tel (41) 3012-6333 Site: www.laquila.com.br Leone Motoparts Solutions R. General Osório, 691 01213-003 - Santa Ifigênia - SP wleoneoriginalparts@gmail.com Montanna Distribuidora de Motopeças Ltda. R. Ásea, 97 - Vl. Monteiro Lobato 07190-020 - Guarulhos - SP Pabx (11) 2475-7000 Site: www.montanna.com.br


Lista de Associados

MarkC&A Com Dist E Import Ltda R. Cel. Carvalho, 2978 Barra do Ceará 60.341-630 Fortaleza - CE Tel.: (85) 3304-7000 Melo Distribuidora de Peças Ltda R. Tefé, 487 – praça 14 69020-090 Manaus – AM Tel.: (92) 2121-4000 Site: www.melopecas.com.br Motospirit R. Urbano Santos, 151. 07182-320 – Guarulhos - SP 11- 2087-7750 Moto Nanuque Ltda. Av. Mucuri, 1.587 - Centro 39860-000 - Nanuque - MG Tel (33) 3621-4321/Fax (33) 3621-4070 Mundopeças do Brasil Ltda. R. Edgar Linhares, 499 - Nova Esperança 88336-210 - Balneário Camboriú - SC Tel.: (47) 3366-1728 / (47) 3366-0449 e-mail: mundopecas@mundopecas.com.br Site: www.vmg-far.com.ar / www.amortiguadoresfar.com.ar Orleon Motopeças R. Gal. Osório, 521 Santa Efigênia 01213-001– São Paulo – SP. Tel.: (11) 3225-2233 e-mail: orleonmotos@terra.com.br Pellegrino Distribuidora de Autopeças Ltda Rua Ernesto de Castro, 37 – Mooca 03042-900 – São Paulo – SP Tel.: 0800-178288 Site: www.pellegrino.com.br RCC Coml. Import. Ltda Av. Camara Filho, 1723 QD. 125 LT 20 74375-150 Goiania – GO Tel/Fax:(62) 3519-1999 e-mail: Elton@rcccomercial.com.br Site: www.rcccomercial.com.br RCL Peças Ltda Rodov. RN 117, nº 450 Dr. Sebastião Maltez 59780-000 Caraubas – RN Tel.: (84) 3337-2547 Fax.:(84) 3337-2924 E-mail rclvendas@hotmail.com R. Damásio o (Ceará) Importação de Peças e Acessório Ltda R. Felix Pacheco, 866 Centro 64001-160 Teresina – PI Tel.: (86) 3131-8300 Fax: (86) 3131-8444 E-mail: rdamasio@rdamasio.com.br

RPR Motopeças – CAR Central Rua Ernesto de Castro, 37 – Mooca Cep: 03042-900 – São Paulo – SP Tel.: 11-2168-6000 Fax: 11-2168-6006 Site: www.rpr.com.br

Moto TEC R. Florianópolis, 1231 Guanabara 89207-000 Joinville – SC Tel.: (47) 3426-2901 Fax: (47) 3427-1335 Site: www.mototecracing.com.br e-mail: mototec_racing@hotmail.com

Sandro Motos R. Vitorio Gasparo, 160 Mini Indl. Adail Vetorazzo 15046-768 S. José do Rio Preto- SP Tel.: (17) 2139-9999 E-mail.: sandro@sandromotopecas.com.br

Nova Suzuki Com. Import. Export. Ltda. Al. Jurupis, 1415 Moema 04088-004 São Paulo - SP Tel/Fax: (11) 5531- 1455 e-mail: gado@nacar.com.br Site: www.novasuzuki.com.br

SBS Com. de Veículos Ltda. R. Visconde do Rio Branco, 320 14015-000 Ribeirão Preto – SP Tel (16) 3977-2777 E-mail: sbs@convex.com.br

Promotos Com. de Peças e Motos Ltda Av. XV de Novembro, 300 Centro 86300-000 Cornélio Procópio – PR Tel.: (43) 3524-2040 Fax: (43) 3523-2002 Site: www.promotos.com.br E-mail:falecom@promotos.com.br

SK AUTOMOTIVE DISTRIBUIDORA DE AUTOPEÇAS LTDA AV. PRES. CASTELO BRANCO, 7777 05034-000 – SÃO PAULO – SP 11-3616-0622 www.skautomotive.com.br Tmac Comércio de Autopeças Ltda Rua Dias da Silva, 479 02114-001 – São Paulo – SP Tel.: (11) 3542-1738 E-mail: alex@tmacimport.com.br UNIFORT LTDA AV. AMAZONAS, 4333 32602-505 – BETIM – MG (31) 2191-5500 www.unifort.com.br Victor Moto Peças Av. Jabaquara, 402 / 406 04046-000 - São Paulo - SP Tel (11) 2275-8478/Fax (11) 2275-9804 Site: www.victormotopecas.com.br e-mail: comercial@victormotopecas.com.br Wing Com. Moto Peças Ltda R. Gal. Osório, 495 01213-000 - São Paulo - SP Tel: 0800 772 22 02 - (11) 3223-1107 Fax: (11) 3223-6613 e-mail: vendaswing@wingmotos.com.br www.wingmotos.com.br

Wal Custom R. General Osorio 604 - Shopping General Lojas 12, 13, 14 Santa Efigênia 01213-010 –São Paulo - SP Tel.: (11) 3337 0222 / Fax 3331 3882 E-mail: walcustom@walcustom.com.br Wheeling Motopeças Av. Água Fria, 1114 Água Fria 02332-000 São Paulo- SP Tel.: 11- 2262-3560 Fax.: 11-2953-2453 E-mail: wheelingmotopecas@ wheelingmotopecas.com.br Site: www.wheelingmotopecas.com.br

REPRESENTANTES ACD Com. e Repres. Ltda Av. Santos Dumont, 2828 S/1001 60150-161 – Fortaleza – CE Tel.: (85) 3133-1013 Fax: (85) 3133-1021 Site: www.acdgroup.com.br E-mail: taurusce@acdgroup.com.br A.V.Lopes Representações Ltda Rua Conde de Agrolongo, 470 – Loja A 21020-190 - Rio de Janeiro –RJ Tel.: (21) 2564-1787 - 2564-6148 e-mail: avlopesrep@gmail.com

LOJISTAS

Binatti Representações R. Edgar Linhares, 515 B 88336-210 - Balneário Camboriú - SC

Moto Boutique JK Comércio Ltda. Av. Juscelino Kubtschek, 835 Vl. Nova Conceição 04543-010 São Paulo – SP Tel.: (11) 2579-4076

Tel.: (47) 3366 7860 Fax: (47) 3366 7860 E-mail: binatti@binatti.com.br Site: www.binatti.com.br MSN: binatti@binatti.com.br SKYPE: binatti_repres


Lista de Associados

Cabral e Araujo Representações Ltda Av. Maria Lacerda Montenegro, 3490 Sl. 101/102 59152-600 Parnamiriam – RN Tel.: (84) 4009-9250 e-mail: comercial@cabralearaujo.com site: www.cabralearaujo.com Curaçao do Brasil Ltda R. Felix de Sousa, 247 Vila Congonhas 04612-080 São Paulo- SP Tel (11) 2145-4700/Fax(11) 2145-4747 Site: www.curacaodobrasil.com.br E-mail: info@curacaodobrasil.com.br Deatik Com. e Representações Ltda R. Marcos Macedo, 1333 s/ 2212 Aldeota 60150-190 Fortaleza - CE Tel.: (85) 3264-6000 Fax: (85) 3261-3322 E-mail: deatik@deatik.com.br Site: www.deatik.com.br Jaime Zapellini Representações Ltda R. Lorival Zocatelli, 41 Vila Lenzi 89252-540 Jaraguá do Sul - SC Tel/Fax (47) 3275-1921 E-mail: zape@netuno.com.br JG Representações Ltda Av. Santos Dumont, 1510 Sl. 1508 60150-160 - Fortaleza-CE Tel. 85-3456-3056 Email: edimar@grupojg.com.br Martins Representações Ltda R. Açucenas, 20 Sala 2 Nova Suiça 30421-232 Belo Horizonte – MG Tel.: (31) 3377-9452 e-mail:martinsrep@martinsrep.com.br Mateus Moreno Representações Coms. – EPP Av. Santos Dumont, 371 – Sl. 23 Tel: (11) 4453-3530 E-mail: mateus@motoemarcas.com.br Site: www.motoemarcas.com.br Mutual Intern. Representações Ltda. Av. Santos Dumont, 2828 sl-1704/1705 Aldeota - Cep 60150-161 Fortaleza - CE Tel.: (85) 3133-1002/1004 Fax: (85) 3133-1010 Site: www.acdgroup.com.br Noa Comércio e Representações Ltda Av. Conselheiro Carrão, 889 03403-000 São Paulo – SP Tel.: (11) 98368-9873 / 2653-2886 E-mail: noa@noarepresentante.com.br Site: www.noarepresentante.com.br Nuno Figueiredo Representações Ltda Al. Ezequiel Mantoanelli, 220, Quadra i Lote 22 Jd Panorama - 13340-350 - Indaiatuba – SP Tel.: (19) 3825-1020 Fax: 0800-725-5580 E-mail: nfcomercial@terra.com.br / nfvendas@terra.com.br

52

Anfamoto em Revista - Edição 151

Reapla Repres. Comercio Ltda. Av. Pres. Kennedy, 698 Campinas 88101-900 São José – SC Tel.: (48) 3241-2535 Fax: 0800 6452535 Vendas2@reapla.com.br Reney Soares Representações Ltda. R. Prof.clemente Pinto, 41- Medianeira 90870-220 – Porto Alegre –RS Tel.: (51) 3233- 0511 /FAX: (51) 3231-6014 E-mail: reneys@terra.com.br Representações Fênix Av. Barreiras, 2364 45051-160 – Vitória da Conquista – BA Tel.: (77) 98818-1481 Email: representacoesfenix@hotmail.com Ricardo Dearo Representações Ltda Rua José Mega, 111 14091-480 – Ribeirão Preto – SP Tel.: 16-3289-3955 Celular (16) 99766-9684 Email: paulo.dearo@terra.com.br Sandro Representações Ltda. R. Monsenhor Veras, 480/1103 91340-020 Porto Alegre – RS Tel.: (51) 3219-2119 E-mail: sandrorepresentacoes@terra.com.br Site: www.sandrorepresentacoes.com.br Sudamérica Marketing Repres. S/S Ltda-Me Av. Dr. Luiz Arrobas Martins, 548 Veleiros 04781-001 - São Paulo - SP Tel.: (11) 5548-4226 / Fax. (11) 5521-6923 E-mail: sudamerica@terra.com.br Site: www.kmcchain.com.br Vasques Representações Comerciais Ltda. R Antonio Bicudo, 541 São Lourenço 79041-320 Campo Grande - MS (67) 3341-3426 Fax: (67) 3341-6777 E-mail: vasques@vasquesrep.com.br

NOVO ASSOCIADO Taurus Blindagens ltda. AV. TAURUS, 10 83.800-000 - MANDIRITUBA – PR (41)3626-8000 www.taurushelmets.com Nakata Automotiva Av. Fukuichi Nakata – Pavilhão C, 451/539 09950-400 - Diadema - SP 11 3602 8015 www.nakata.com.br

ENTIDADE DE CLASSE Motorcycle Industry Council, Inc. (Mic) 2 Jenner Street, Suite 150 Irvine, CA 92618-3812 - USA Fone (1) (714) 727-4211 - extension 3028 Fax (1) (714) 727.4217 ASSOMOTOS- Associação das empresas Revendedoras e Prestadoras de Serviço de Moto Peças Rua Antenor Frota Wanderley, 535 60020-350 – Fortaleza – CE Tel.: (85) 3254-7661 E-mail: assomotos.ceara@hotmail.com


Serviços

www.montanna.com.br vendas 11 2475-7000

PARA MÃO-DE-OBRA NO ESTADO DE SÃO PAULO - 2016 (VALORES EM REAIS R$)

(11)

2317-3388

valflex@valflex.com.br 54

Anfamoto em Revista - Edição 151


Profile for Anfamoto

Anfamoto em Revista - Edição 151  

O papel fundamental do mercado de reposição e reparação durante a pandemia e mais.

Anfamoto em Revista - Edição 151  

O papel fundamental do mercado de reposição e reparação durante a pandemia e mais.

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded