Issuu on Google+

LOS GLACIARES CERRO TORRE E FITZ ROY: AS TORRES QUE ATRAEM ESCALADORES DE TODO MUNDO

PERITO MORENO: ENORME LÍNGUA DE GELO QUE DESCE DA MONTANHA

PARQUE NACIONAL: EXUBERANTE REGIÃO NO SUL DO CONTINENTE

1

índice


Expediente Los Glaciares é uma publicação eletrônica de distribuição gratuita contando os relatos da viagem à região. É vedada a reprodução total ou parcial do conteúdo desta revista sem a autorização por escrito do autor. Fotos: André Nery Textos: André Nery Edição online: André Nery Audiovisual: André Nery Rua Mostardeiro, 5 / sala 303 Porto Alegre / RS Brasil 90430-001 51 3314-8611

Sobre a foto da capa

www.andrenery.com.br andre@andrenery.com.br

Caminhando por sobre o glaciar

Perito Moreno, não raro nos deparamos com fendas no gelo. Algumas vezes são bem profundas e apresentam os mais distintos tons de azul. Embora não ofereçam muito perigo, trouxeram à minha memória várias histórias de resgate nas montanhas. Deve ser por isso que voltei com uma grande coleção de fotos delas. 2

índice


Editorial

Sempre começa com uma máquina fotográfica. Porém, à medida

que a fotografia troca o filme por uma seqüência de zeros e uns, o computador passa a andar junto e é tão importante quanto a câmera.

Não quero apenas fotografar, quero poder continuar trabalhando no meu material até sua apresentação.

Daí surgiu esta publicação. A revista hoje em dia não está mais

amarrada ao papel e seu formato virtual traz muitas vantagens. Menor custo, fácil distribuição, conteúdo com fotos e vídeos, grande alcance e links nas matérias ou anúncios, sem contar o fato de ser ecologicamente correto. É o futuro batendo à porta.

Para poder exemplificar isso, reuni algumas fotos da minha última

viagem, escrevi alguns textos, sem a mesma preocupação que tenho com as imagens, e produzi essa publicação. Além da ideia de mostrar isso para potenciais clientes, também existe o fato de poder eternizar momentos de uma maravilhosa viagem, que há anos ocupava minha mente.

3

Espero que gostem e conto com sua ajuda na divulgação.

André Nery

índice


Dicas de Viagem

O Design Suites é uma das melhores opções de hospedagem em El Calafate. Tudo o que você precisa para se recuperar entre uma aventura e outra. Está localizado no extremo da cidade com vista para o Lago Argentino. Aberto de setembro a abril, tem diárias a preços acessíveis.

4

índice


O Parque Nacional Torres del

Paine localizado no extremo sul do Chile é uma excelente dica de passeio para quem se desloca até a região. Situado a cerca de 250km de El Calafate, a viagem leva em torno de seis horas, dependendo do movimento na aduana.

Montanhas, lagos, geleiras e

uma fauna variada formam um lindo cenário. Excelente pedida para

caminhadas,

também pode

o

parque

ser percorrido

de carro pelas suas inúmeras estradas.

Em El Calafate, a melhor dica de restaurante é o Casimiro Biguá. São três casas, cada uma oferecendo uma especialidade. Na chegada fomos ao Parrilla & Assador para nos deliciarmos com as carnes. No último dia fomos ao Restaurant & Wine Bar, onde um dos pratos foi a truta da foto ao lado. Todos eles na avenida principal. 5

índice


Viajar pela Argentina é muito

tranqüilo.

As

estradas

estão

em boas condições e muito bem sinalizadas. Há até uma preocupação em mostrar pontos com um belo visual. Nos parques, as trilhas estão demarcadas e há sinalização ao longo de toda sua extensão. Na entrada há um quadro bem completo como muitas informações como distância, tempos percorridos e ganho de altura. Em uma trilha curta chegamos a encontrar um banheiro químico! 6

índice


Confesso que o que sempre

me atraiu na região foram as montanhas, mas não há como negar que o passeio pelo glaciar Perito

Moreno

foi

um

dos

pontos altos da viagem. Muito boa estrutura para o turismo, como os vários quilômetros de passarelas e traslado com a van do estacionamento até o centro de visitantes. Não deixe da fazer a caminhada pelo glaciar, o qual pode ser contratado em El Calafate.

7

índice


8

Ă­ndice


A Patagônia com algo mais

Luciane Garcia diretora da Diário de Bordo

Quem viaja para o limite do

quartos charmosos, restaurante, bar, piscina (uma das

continente americano geralmente está

melhores da cidade) em uma área super tranqüila,

procurando aventura, seja a bordo de um

a duas quadras da avenida principal. Perto dele fica

veículo tracionado, sobre uma bicicleta ou contando com as próprias pernas nas inúmeras opções de trilhas. Mas quem

o Los Sauces, bem luxuoso, pequeno, com quartos lindíssimos, um restaurante gourmet, biblioteca e spa.

Fora da cidade encontramos duas opções de

hospedagem de sonho. Uma delas é o super vip Eolo.

disse que todo esse esforço não pode

O hotel faz parte do exclusivo grupo dos Relais &

ser recompensado com um bom hotel.

Chateaux. Fica em uma colina com lindas vistas para o Lago Argentino ou para Valle La Anita. São 17 bem

Meus clientes já perceberam que viagem de

equipadas e charmosas suítes. Os serviços do hotel são

aventura não precisa combinar com um quarto

de primeiríssima qualidade, prezando cada detalhe.

qualquer ou uma refeição insossa. Para quem já sabe

Nas tarifas já estão incluídas as refeições (ao invés

que é possível aproveitar o melhor de dois mundos, o

do almoço, o hóspde que for se aventurar naquele

sul da Argentina apresenta verdadeiras jóias. Design,

dia pode optar por um lanche especial preparado

conforto, bom atendimento e sofisticação não faltam

e entregue em uma charmosa “merendeira”).

no fim do mundo. Em Calafate há diversos hotéis que

Para quem preferir “ouvir” o silêncio e apreciar o

valem cada centavo investido. Sim, estamos falando

isolamento da civilização, encontramos a Hostería Los

em investimento em nós mesmos e, afinal de contas,

Notros, encostado no parque nacional. São apenas

nós merecemos. Na cidade, o Design Suites é um

32 habitações, algumas delas com uma vista de tirar

deles, com arquitetura arrojada, quartos espaçosos,

o fôlego, de frente para o Glaciar Perito Moreno.

jacuzzis para o descanso do final do dia e uma vista

deslumbrante do Lago Argentino. O Esplendor

emoções e lembranças, logo merecem a mesma

Calafate é lindíssimo, com uma decoração de ótimo

atenção na escolha que o nosso destino. Na sua

gosto, quartos bonitos, suítes espaçosas e um spa

próxima viagem, não deixe de considerar uma

ainda em 2010. O Imago Hotel & Spa tem diversos tipos

boa hospedagem junto com sua aventura, pois se

de apartamentos, adega, spa com vários tratamentos

o que estamos procurando é “um bom banho e

e piscina térmica. O tradicional Los Alamos conta com

uma boa cama”, talvez seja melhor ficar em casa.

9

índice

Hotéis e restaurantes também nos proporcionam


Parque Nacional Los Glaciares Montanhas rasgando o solo como se fossem agulhas de granito, glaciares com paredes de até sessenta metros de altura se estendendo por quilômetros, lagunas nos mais variados tons de azul e um vento incansável fazem deste parque uma das mais belas regiões do continente sulamericano.

10

índice


11

Ă­ndice


Localizado na província de Santa Cruz, no extremo

mantimentos e logo seguimos para El Chaltén, nosso

sul da Argentina, entre a cordilheira dos Andes e a

destino nos próximos dias.

estepe patagônica, o Parque Nacional Los Glaciares

ocupa uma área de 724 000 hectares. Foi criado em

as reservas e confirmações, o roteiro coube a mim. O

1937 e é o segundo em tamanho no país vizinho. Seu

Alexandre e a Raquel foram gentis o suficiente para

nome deve-se aos vários glaciares que o parque abriga

aceitarem minhas sugestões. E não haveria como

que por sua vez são parte da maior extensão gelada

começar por outro lugar que não fosse El Chaltén,

fora dos pólos, o Campo de Gelo Patagônico Sul.

pequeno povoado ao pé da cordilheira.

Visitar a Patagônia era um desejo antigo,

Enquanto a Luciane ficou encarregada de todas

Desde El Calafate, são pouco mais de duzentos

finalmente realizado no final de 2009. Viajamos em

quilômetros através da estepe por uma estrada recém

dois casais. Saimos de Porto Alegre no dia de Natal com

asfaltada. À medida que nos aproximávamos, maior

destino a Buenos Aires. Aproveitamos a noite na capital

era a cobertura das nuvens e as montanhas, que são

portenha com um excelente jantar no restaurante do

facilmente avistadas da estrada, ficaram apenas na

Faena e cedo na manhã seguinte já estávamos no

imaginação.

aeroporto. Antes do almoço desembarcávamos em

El Calafate, principal cidade para quem vai visitar a

rumamos para nossa pousada, um pouco além dos

região.

limites da cidade. A Estância La Quinta é uma grande

O aeroporto fica escondido entre as colinas e o

área de terra um pouco antes de chegar à El Chaltén.

lago e não se enxerga a cidade, a qual fica a mais de

Quem nos recebeu foi Alfredo, proprietário junto

vinte quilômetros. Pegamos nossos carros, rumamos

com sua esposa, uma bisneta dos colonizadores

para El Calafate para almoçar e comprar alguns

noruegueses. A família Halvorsen chegou mais ao

12

índice

Rodamos pelo povoado para conhecer e logo


sul, mas passado algum tempo tomou rumo norte e

outros carros com câmeras na mesma esperança que

se estabeleceu na região no começo do século XX.

eu. O sol se levantou no leste, mas as montanhas ainda

Alfredo gosta de uma charla e passou boa parte do

seguiam escondidas. Alguns cliques e volto para o

tempo nos contando histórias. A fazenda funciona

calor dos cobertores.

normalmente como uma, mas de outubro a abril ela

abre as portas ao turismo, uma aposta que se mostrou

insistiam em rondar, escolhemos fazer um passeio de

lucrativa. Atende turistas do mundo inteiro, mas

carro até o Lago del Desierto localizado no final da

brasileiros são raros no seu livro de visitas. Ansioso

estrada que entra pelo vale. O povoado de El Chaltén,

para ver as montanhas, perguntei a ele sobre o tempo.

mais novo da Argentina, tem cerca de vinte anos e

Disse que estava fechado há alguns dias, mas, a cada

foi criado no intuito de povoar a região e fortalecer

dia que passava, diminuiam as nuvens.

a presença argentina ali, uma vez que aquela área do

lago era disputada com o Chile.

O dia começa cedo nas latitudes elevadas da

Como o dia amanheceu bonito, mas as nuvens

Patagônia. Como queria fotografar os primeiros raios

do sol atingindo os picos nevados, todos os dias

existe uma bela cachoeira conhecida por Chorillo

acordava por volta de 4h e 30min, me agasalhava

del Salto. Uma caminhada de 500 metros a partir do

bem e com o carro ia até um determinado ponto na

estacionamento nos leva à bela cascata que ainda

estrada onde imaginava que renderia boas fotos.

permite aos mais aventureiros uma subida por entre a

Enquanto procurava por um bom ponto, vi mais dois

mata para conhecer outras quedas menores rio acima.

13

índice

Logo que começa o rípio (estrada de chão)


14

Ă­ndice


Na página oposta um dos saltos no caminho ao Lago del Desierto, El Chaltén visto do alto do Chorillo del Salto, a placa da entrada do parque na estrada e o Lago del Desierto. Nesta página, a estrada que leva a esses lugares e o mesmo salto visto de dentro da mata.

15

índice


Chorillo del Salto

16

Ă­ndice


De volta à estrada, seguimos acompanhando

as curvas do Rio de Las Vueltas que recolhe águas do degelo do Fitz Roy. À medida que íamos subindo, mais estreito ficava o vale, mais grossas as árvores e mais bonito o cenário. Depois de inúmeras curvas, passamos por duas cachoeiras ao lado da estrada e em seguida chegamos ao lago. Rodeado de montanhas nevadas e uma ou outra opção de caminhada, logo notamos que o destaque fica mesmo é para a estrada e não para o destino. Ao longo desse trecho de cerca de quarenta quilômetros, temos diferentes vistas

A trilha começa no limite norte da cidade e tem

das montanhas, que em determinados momentos

pouco menos de dez quilômetros até o acampamento

conseguiam se sobrepor às nuvens.

Poincenot, com um ganho de altura de 350 metros.

Rodar de carro por pequenas estradas está

Com pouco mais de uma hora de caminhada chegamos

entre meus programas favoritos, mas quem vem

à bifurcação que nos leva à Laguna Capri. Dali

a El Chaltén, capital argentina do trekking, é para

seguimos adiante e em um par de horas estávamos no

caminhar. Sendo assim, programamos para o dia

acampamento Poincenot. Aqui ficam acampados os

seguinte uma caminhada até os acampamentos do

turistas que querem conhecer a região, enquanto que

Fitz Roy, montanha mais alta da região. Para estar

o acampamento Rio Branco, para o qual nos dirigimos

bem preparado para o dia seguinte, nos deliciamos

a um qulômetro à frente, é destinado apenas para os

com uma parrillada. Embora pequena, El Chaltén

escaladores.

cresce rápido e apresenta diversas opções hoteleiras,

gastronômicas e de roteiros de aventura.

concordaram em subir até a Laguna de Los Três, uma

Achei que dali regressaríamos, mas os quatro

íngreme rampa de dois quilômetros de extensão e 450 metros de subida. Enquanto a Raquel e o Alexandre subiam facilmente, fui lentamente acompanhando a Luciane que chegou exausta lá em cima. O vento frio e a neve acabaram deixando uma sensação ruim, mas deu tempo para umas fotos daquele visual incrível. Chegamos de volta ao acampamento Rio Branco já com um total de oito horas de caminhada e sem nada mais para comer. Por sorte, pudemos abastecer

17

índice


Nossa caminhada de treze horas pela trilha nos levou até a Laguna de Los Três, que é a laguna com blocos de gelo na imagem panorâmica abaixo. A sua esquerda está a Laguna Sucia e no fundo o Poincenot e o Fitz Roy escondidos pela névoa. Na foto acima, o Alexandre cruzando o rio. Na foto da página seguinte a trilha da laguna vista desde próxima do acampamento Poincenot. Ela começa sobre a linha das árvores na extrema direita e vai serpenteando morro acima.

18

índice


as garrafas com água de uma fonte. Dali até o carro

dez horas da noite, ainda estava claro, o que garantiu

nos consumiu mais de quatro horas, fechando nosso

um retorno tranqüilo e com tempo de pegar os

“passeio” em quase treze horas. Mesmo passando das

restaurantes abertos.

19

índice


O dia seguinte encontrou a todos com dores,

restaurante preferido.

nas mais diferentes escalas. Optei por dormir um

pouco mais e, claro, perdi o amanhecer. Enquanto a

pela primeira vez nos quatro dias o céu estava aberto

Luciane preferiu ficar na pousada, sai com a Raquel e

e estrelado. Ao chegar na estância, peguei as câmeras

o Alexandre para fazer a caminhada até o Cerro Torre,

e voltei com o Alexandre até o mirador da cidade

outra famosa montanha da região, e que hoje estava

para algumas fotos noturnas. Por sorte o vento estava

visível. Claro que antes disso fui até a estrada fazer

muito calmo, mas a temperatura rondava perto de

fotos do visual, mesmo que com sol alto. Pegamos a

zero. Voltei satisfeito e, com pouco mais de três horas

trilha e em uma hora estávamos no mirador, um ponto

de sono, já estava na estrada novamente, desta vez

no meio da caminhada que tem uma bela vista tanto

para pegar aquele amanhecer há tanto planejado.

do Torre como do Fitz Roy. Fiz inúmeras fotos ali, subi

uma colina para uma outra série de fotos e optamos

um timelapse (um clic a cada dois segundos para

por voltar, uma vez que as nuvens ameçavam cobrir o

depois transformar em filme), rodava com o tripé de

pico novamente.

um lado para o outro tentando captar toda aquela

Curtimos um pouco a cidade e fomos jantar

luz maravilhosa que banhava de vermelho e depois

na pizzaria administrada pelas netas de um dos

laranja aquelas paredes de granito. Com algumas

conquistadores do Cerro Torre. Nas paredes, fotos

centenas de fotos no cartão, voltei com a alma lavada

das clássicas ascenções de 1959 e 1971, e, enquanto

para baixo dos cobertores e mais algumas horinhas

jantávamos, víamos o dia e as nuvens se esconderem

de sono antes de pegar a estrada.

atrás do Fitz Roy. Aquela atmosfera de montanha me

contagiou tanto que elegi Patagonicus como meu

Calafate é que podemos avaliar o visual de quem

20

índice

Ainda enebriado por tudo aquilo, reparamos que

Enquanto uma câmera presa na cerca fazia

De volta à famosa ruta 40 que nos levaria a El


Cerro Torre, Torre Egger , Punta Herron e Aguja Standhardt vistos na primeira luz do dia

21

Ă­ndice


22

Ă­ndice


Na página anterior duas imagens da Patagonicus, a pizzaria com fotos nas paredes das expedições clássicas da região. El Chaltén de madrugada, nossa pousada, a Estância Quinta , e eu aos pés dos gigantes da Patagônia. Nesta página o Lago Viedma e o glaciar de mesmo nome vistos desde a estrada e os flamingos na Laguna Nimes em El Calafate.

Sobraram dois dias para El Calafate, sendo que

um deles exclusivamente para o Glaciar Perito Moreno. Aproveitamos o que restava deste primeiro dia para passear pela cidade e curtir um pouco a piscina do hotel. Um dos passeios em El Calafate é na Laguna Nimes, uma reserva natural das aves da região que acaba rendendo boas fotos para quem tem paciência e uma boa tele.

Vai chegando ao final nossa viagem pela

chega à cidade. Por quilômetros aquelas montanhas

Patagônia, mas não antes de mais um delicioso jantar

nos acompanharam, agora somadas ao lago e glaciar

em terras argentinas. Comemoramos os quatro uma

Viedma à nossa direita. Nosso destino era Torres del

bem sucedida viagem e nos preparamos para voltar

Paine, o parque no lado chileno distante umas seis

com muitas imagens e boas recordações na bagagem

horas de carro, mas esse relato fica para outra ocasião.

e a certeza de um breve retorno a esse local especial.

23

índice


a captação A mesma câmera produz as fotografias tradicionais,

fotografias

imersivas

ou

panorâmicas, timelapse e até vídeo.

a a p re se nt a ç ã o Com o auxílio do computador, suas imagens são tratadas, editadas e podem virar fine art prints, ampliações, livros sob demanda, audiovisual, apresentações, galerias na web, sites ou mesmo revistas online com esta.

Traga sua necessidade e a gente desenvolve o projeto em conjunto com você

um e st úd i o, vá r i a s sol uçõ e s

24


Los Glaciares