Page 1

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

ANO 1 / NÚMERO 3

Folha do Japi

15 a 21 DE ABRIL DE 2011

DIFERENTE PORQUE RESPEITA SUA INTELIGÊNCIA www.folhadojapi.blogspot.com

O Jundiaiense tem o direito

DE IR E VIR COMPROMETIDO

Obras sem planejamento, lentas ou inacabadas e sistema de transporte público ineficiente prejudicam a qualidade de vida da população (pag 4 e 5) BOMBA : Novo PMDB fará oposição ao prefeito Mudança deve provocar fuga em massa do partido (pág 3)

A história do Bolão contada por quem a vivenciou (pág 7)

UIPA pode estar com os dias contados (pág 6) Zé Boquinha: É hora de decisão na NBA (pág 7)


EDITORIAL

POLÍTICA

Uma semana de fortes emoções na política de Jundiaí e outras notícias E

sta semana Jundiaí amanheceu com uma notícia bombástica na política: o PMDB vai passar a fazer oposição ao governo do tucano Miguel Haddad. Essa mudança certamente vai estremecer a base de sustentação do grupo que domina a política em Jundiaí com mão de ferro já há mais de 20 anos. Fortes emoções ainda estão por vir até as eleições de 2012. Fiquem ligados, aqui na Folha do Japi você vai acompanhar tudo com notícias e análises honestas sobre toda essa movimentação no tabuleiro da política local! Outra notícia já nos deixa tristes: a UIPA pode estar com seus dias contados. Sem apoio e verba suficiente, a entidade não consegue mais arcar com as despesas para cuidar dos cães abandonados que recolhe pela cidade ou que são levados até ela.

Quem sabe se os jundiaienses se mobilizarem, a UIPA ainda pode continuar de portas abertas prestando esse importante serviço à cidade? A matéria está na página 6. Outro destaque em nosso jornal diz respeito a um problema que já atinge a todos os jundiaienses, independente de classe social. Obras mal planejadas, lentas ou simplesmente inacabadas e um sistema de transporte público ineficiente e caro complicam a vida das pessoas e comprometem o seu direito de ir e vir. Tudo isso na opinião de especialistas no assunto, que ainda indicam soluções para esses fatos preocupantes. Porque não basta apenas criticar, é preciso também apontar saídas e debater esses assuntos importantes de forma clara e honesta. Boa leitura!

DE OLHO NA MÍDIA

N

ticiou que Jundiaí teve paralisação de mais de 50% da classe médica algo em torno de 400 profissionais. Já no “Jornal de Jundiaí”, a edição de 8 de abril informou que não houve adesão ao protesto e que os usuários dos planos de saúde não perceberam qualquer alteração ou falta de médicos.

Esta coluna tem como objetivo mostrar como alguns órgãos da imprensa jundiaiense tratam determinados assuntos. O propósito é a reflexão: afinal, a quem interessa transformar notícias preocupantes em fatos positivos? Estamos de olho!

2 Folha do Japi

Aliados ao prefeito ficam em situação delicada após intervenção na legenda, que agora ficará sob a presidência de Cláudio Miranda

A

A voz dos leitores A secretária de Saúde respondeu aos questionamentos da reportagem referente à matéria sobre o abandono da Casa de Saúde, depois do fechamento da última edição. Abaixo alguns trechos:

o Dia Mundial da Saúde (7 de abril), médicos e dentistas que trabalham em clínicas particulares e hospitais privados de todo o Brasil fizeram um protesto por melhores condições de trabalho e denunciaram contratos sem regras com as empresas. No dia seguinte, o “Jornal da Cidade” no-

PMDB vira oposição em Jundiaí e promove debandada geral

Hospital Regional: A discussão em torno do Hospital Regional teve início em 2007, quando o imóvel [...] foi desapropriado pela Prefeitura. A implantação do hospital vem sendo tratada com prioridade pela atual Administração junto ao Governo de Estado. As conversações começaram no início de 2009. [...] O Hospital Regional é uma parceria da Prefeitura com o Governo de Estado. [...] AME: As obras de reforma do AME estão na fase final. A Secretaria Municipal de Obras está cumprindo as

últimas exigências estabelecidas pelo Corpo de Bombeiros. [...] a Prefeitura entregará o imóvel ao Governo de Estado, que ficará responsável pela gestão do espaço, compra de mobiliário e equipamentos e contratação de pessoal. [...] - Secretaria Municipal de Saúde Resposta da FJ: O hospital regional foi promessa de campanha do prefeito Haddad (PSDB). Todavia, o ex-governador José Serra afirmou, em 2010, que “nunca tinha acertado nada”. A secretaria de Saúde afirma que o caso é tratado como “prioridade” para em seguida revelar que as conversas começaram “no início de 2009” (estamos em abril de 2011) e terminar a nota sem estipular sequer um previsão de data para a entrega do hospital.

EXPEDIENTE

Folha do Japi Edição: André Lux Reportagens e fotos: Renata Gutierrez Editores de Arte: José Geraldo de Oliveira e Priscila de Oliveira Tiragem: 5 mil exemplares

iminente mudança de comando e postura do PMDB em Jundiaí promete agitar os bastidores da política na cidade daqui até as eleições do ano que vem. Já é certo que o partido sairá das mãos do atual presidente, Armando Fadigatti, e ficará sob o comando do médico cardiologista, Cláudio Miranda. Enquanto isso, filiados fieis ao governo municipal já preparam suas malas em direção a outras siglas. A legenda deixará de compor a base aliada do prefeito Miguel Haddad (PSDB) e será oposição, inclusive com perspectiva de candidatura própria nas eleições majoritárias de 2012. É o que garante o futuro novo presidente. “O PMDB de Jundiaí seguirá orienta-

ção estadual e vai lançar um candidato a prefeito ou a vice”, crava Miranda, que descarta qualquer possibilidade de composição com o comando tucano de Jundiaí. “Não há condições de ser vice do Miguel, porque fazemos oposição ao PSDB. O projeto político deles está se esgotando já que estão há 20 anos no poder”, analisa. Para Fadigatti, a mudança na direção municipal é vista como “caça às bruxas”. “O diretório estadual na época do Quércia sempre falou para apoiarmos o PSDB. Após a morte dele houve uma mudança nos nomes no diretório estadual e o novo presidente (Baleia Rossi) é filho de Ministro, que está na administração do PT”, reclama.

Nas entrelinhas

Enquanto Miranda desconversa sobre a debandada de filiados, eles já preparam a migração para outros partidos. Os principais nomes, como o secretário da Casa Civil, Juca Chaves Rodrigues, a vereadora Ana Tonelli e o secretário de Serviços Públicos, Walter da Costa e Silva Filho, além do próprio Fadigatti, ainda não confirmam o destino. O certo é que se manterão na base do atual prefeito. “O PMDB tem dois secretários, militantes e concur-

da

política

O LUIZ É ASSIM ? Depois de usar e abusar da mídia local para emplacar a absurda história de que ser um dos 10 vice-líderes do PSDB na Câmara Federal é algo importante, o deputado Luiz Fernando Machado simplesmente sumiu. Até apoiadores da campanha do rapaz estão tentando, sem sucesso, fazer contato. Será fruto dos encantos de Brasília? CRISE DE IDENTIDADE

Assim como o vereador Zé Dias (PDT), que se manteve serviçal ao governo tucano embora tenha sido eleito em 2008 com os votos da oposição, agora é a vez de Ana Tonelli ter uma crise de identidade. O PMDB, partido da vereadora, anuncia que terá candidatura a prefeito em Jundiaí, ano que vem. Para quem será que ela vai pedir votos? COM QUEM SERÁ ?

Contato, cartas, sugestões, críticas ou elogios: folhadojapi@terra.com.br Site: www.folhajapi.blogstpot.com DISTRIBUIÇÃO GRATUITA As opiniões assinadas, são de responsabilidade dos seus autores.

A mexida no PMDB local tem anuência do vice-presidente da República, Michel Temer, e contará com o ex-vereador Cláudio Miranda (de saída do PSC) como garoto-propaganda. Se a ideia não vingar, já que na última eleição Miranda resolveu pular do carro em movimento, existe a chance até de uma indicação para a candidatura de vice-prefeito.

Cláudio Mirando assume a presidência do PMDB e garante: “faremos oposição ao PSDB”

Malas Prontas

O secretário Juca Rodrigues deve deixar a A vereadora Ana Tonelli ficará em situa-

legenda para continuar apoiando o atual

ção delicada se deixar o PMDB

prefeito

sados na atual administração. Saindo do partido levarei junto mais 500 filiados. E o Juca vai para onde eu vou”, promete o atual presidente. A situação da vereadora Tonelli é ainda mais delicada já que, se for desfiliada, poderá

perder a cadeira por infidelidade partidária. Juca Rodrigues e Ana Tonelli não deram retorno aos contatos efetuados pela reportagem da Folha do Japi.

Aposentados votam pela permanência da atual diretoria Associação dos Aposentados e Pensionistas pretende ampliar a farmácia e implantar biblioteca e sala de informática

O

s associados votaram pela permanência da atual diretoria à frente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e região, em 09 de abril. “A confiança depositada é o que nos alimenta a dar continuidade e ter novos projetos” afirma Edegar de Assis, presidente reeleito. Para os próximos anos a associação pretende ampliar a farmácia, implantar uma biblioteca com livros doados por associados e pela população e instalar uma sala Informática. “O prédio será reformado, o engenheiro já fez o projeto e agora vamos contratar a construtora para dar início”. A Associação atende a mais de 15 cidades da região e tem oito mil asso-

Nova diretoria da Associação dos Aposentados

ciados. O maior problema enfrentado pelo idoso, segundo Edegar, é a morosidade no processo previdenciário e por isso a associação oferece assistência jurídica para os associados. Os

aposentados também podem participar das aulas de dança, Tai Chi Chuan, Ioga, entre outras. “A cada dois meses realizamos palestras sobre saúde”, finaliza o presidente reeleito.

Folha do Japi 3


Em Jundiaí, o direito de ir e vir da população

está comprometido Segundo especialista, obras sem planejamento, lentas ou inacabadas e sistema de transporte público ineficiente prejudicam a qualidade de vida da população

E

m grandes cidades as pessoas se movimentam em massa de onde moram para onde trabalham, estudam, compram e têm seu lazer. Se estes locais são distantes entre si, inviabilizam o deslocamento a pé, gerando a necessidade de uso de equipamentos de transporte individual ou coletivo. O individual poderá gerar trânsito. “O que mais me chama atenção em Jundiaí é o Sistema Integrado de ônibus que obriga pessoas a fazerem viagens longas e demoradas”, analisa Lúcio Gregori, engenheiro aposentado da CET(Companhia de Engenharia de Tráfego). Ele foi o palestrante de evento sobre Mobilidade Urbana, promovido pelo Movimento Jundiaí Livre, na Câmara Municipal de Jundiaí, na última terçafeira. Durante a palestra, Gregori, apontou também a falta de inclusão entre os terminais como principais falhas no Situ de Jundiaí. “Para a pessoa sair do Eloy Chaves com destino à Colônia, deverá pegar um ônibus lotado saindo do terminal do Eloy, com paradas nos terminais Central, Vila Arens e Colônia. É um absurdo. Para se

Obras lentas e mal planejadas, como a da 9 de Julho, prejudicam a população

4 Folha do Japi

chegar no horário em um compromisso deverá sair com pelo menos duas horas de antecedência”, analisa. Para solucionar o problema, o palestrante sugeriu a implantação do sistema de bilhete único, adotado em São Paulo. Desta maneira a passagem valerá por um determinado tempo e a pessoa terá flexibilidade em mudar de ônibus sem pagar mais. “O transporte coletivo tem que ser parecido com o transporte individual. A pessoa sai do lugar que está na hora conveniente, faz o trajeto que quiser e chega ao seu destino”, afirma. Ainda de acordo com ele, o valor da passagem do transporte coletivo em Jundiaí está cada dia mais alto. “Se a pessoa utilizar três ônibus no valor de R$ 2,65 terá um gasto de quase R$ 8 por dia. No final do mês fica mais barato ele financiar uma moto”, enfatiza. A Prefeitura de Jundiaí, por outro lado, informa novamente que há renovação da frota de ônibus, com a inclusão de ônibus modernos e com acessibilidade universal, a criação do Ganha Tempo e do sistema de GPS.

Pilar do viaduto que deveria ligar a Ponte São João ao Centro está abandonado há 20 anos

O que é o Movimento Jundiaí Livre?

O engenheiro Lúcio Gregori critica o transporte público de Jundiaí e a falta de mobilidade urbana na cidade

N

ão tem como falar de mobilidade urbana em Jundiaí sem citar as obras públicas de infraestrutura. Uma das principais, atualmente, é a realizada na avenida 9 de Julho. “Essa obra começou com conceito errado, ocupou área ambiental frágil e faltou, claramente, planejamento”, analisa Liane Makowsky, presidenta do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), núcleo de Jundiaí. Jundiaí é uma cidade com grande dificuldade de mobilidade urbana, por possuir ruas estreitas, aclives e declives e as avenidas não cumprem o seu papel. A 9 de Julho ficou abandonada por anos sem ligar nada a lugar algum,

afirma o presidente do Sindicato dos Engenheiros de Jundiaí, Luiz Bandini. Para ele, Jundiaí sofre por ter grandes obras inacabadas, como o viaduto que deveria ligar a Ponte São João ao Centro. Além disso, possui uma Rodoviária que não tem acesso à parte Sul da Anhanguera. Logo no início das obras da 9 de Julho, a FUMAS (Fundação Municipal de Ação Social) divulgou o término das obras para setembro de 2010. Havia também a informação sobre a implantação de uma pista para ciclistas. “Não há qualquer indício da construção de uma ciclovia e essa terceira pista é o maior absurdo que já vi em toda minha vida. E a passagem do pedestre como fica?”, questiona Lúcio Gregori. A construção do viaduto que pretende ligar a Ponte São João ao Centro, iniciada há 20 anos,

poderia desafogar o trânsito na região central e leste em horários de pico. “Esta obra é necessária”, acredita Liane. “O tempo de promessa é o mesmo de permanência do PSDB na administração. O que há é uma descontinuidade administrativa e para mim isso é um estelionato eleitoral”, critica Bandini. Para o engenheiro, com a arrecadação anual de Jundiaí (mais de R$ 1 bilhão) as obras deveriam ser mais bem planejadas. “Estão aquém da qualidade de Jundiaí”, lamenta. A Prefeitura informou que as obras que vão ligar a região central à Ponte São João tiveram início em fevereiro e serão desenvolvidas em duas fases. A obra, que duplica a rua Aléssio Zomignani até a rua Dino, está orçada em R$ 5 milhões e a construção das duas pontes em R$ 2 milhões.

É formado por cidadãos e cidadãs de diversos setores da sociedade que compartilham dois objetivos em comum: tornar a nossa cidade mais democrática e socialmente inclusiva. Envolve entidades e pessoas que amam Jundiaí e que acreditam na democracia e na soberania popular para decidir seus caminhos. É um Movimento que visa mobilizar a sociedade para uma alternativa diferente desta que esta colocada pelo atual Prefeito. O movimento não visa eleições e pretende promover debates sobre temas como educação, saúde, mobilidade urbana, entre outros. fonte: (jundiai-livre.blogspot.com)

logotipo utilizado na campanha

Folha do Japi 5


DEFESA AOS ANIMAIS

ESPORTE

UIPA de Jundiaí poderá fechar as portas por falta de verba om dívidas semanais de R$ 3.200 mil e falta de mão obra qualificada, a União Internacional Protetora dos Animais (UIPA) de Jundiaí poderá fechar as portas. A Associação atende, desde 1983, cães abandonados e hoje, superlotada, não pode mais recolher nenhum animal. “Nossa situação está cada dia mais complicada”, afirma Carmela Paniza, presidente da entidade. Somente a partir de 2008, 20 anos após a criação da associação, a Prefeitura de Jundiaí firmou parceria com a UIPA, mas contribui com apenas R$ 5 mil mensais. Segundo Carmela esta quantia é pequena diante da grandeza do trabalho em benefício da cidade. “A prefeitura nunca nos ajudou, somos nós quem ajudamos a recolher os animais abandonados por Jundiaí e, desta maneira, podemos dizer que a cidade tenha ficado mais bonita com menos cachorros pelas ruas”, desabafa a presidente. A UIPA recebe auxilio de R$ 15 de 400 associados por mês, totalizando valor de R$ 6 mil. Esta quantia somada ao valor enviado pela Prefeitura chega a R$ 11 mil, porém as despesas superam a marca de R$ 20 mil. A associação possui hoje 700 animais e apenas seis funcionários remunerados e cinco voluntários para cuidar de-

les. “Precisaríamos de pelo menos oito funcionários, nos aliviaria muito a carga”. Para Carmela a luta é diária para dar conta destes animais. “O trabalho é cansativo e com esta equipe reduzida fica mais puxado”. De acordo com Carmela não existe mais a famosa carrocinha em Jundiaí graças à criação da UIPA. “É triste saber que muitos animais morreram em câmeras de gás e aproximadamente 25 cães eram mortos diariamente por choque”, revolta-se. E ainda hoje, aponta, as cidades que não possuem uma associação como a UIPA cometem a eutanásia nos animais. “Recebemos ligações diárias de pessoas que querem doar seus animais. Recentemente quiseram enviar uma ninhada”, afirma. A adoção também é um problema, já que a grande maioria é ‘vira-lata’ e adulto. “As pessoas dão preferência para animais de pequeno porte e filhotes. Dificilmente alguém adota um cão adulto”, lamenta.

Complexo do Bolão foi o primeiro a ser construído com cúpula de concreto no Brasil e com um dos maiores vão livres do mundo

C

om 84 anos de idade, muita história e uma memória invejável, Orlando Brandini presenciou a construção do complexo Dr. Nicolino de Luca, o famoso Bolão. Era 1948 quando os projetos foram desenvolvidos pelo então prefeito Vasco Antônio Venchiarutti. À época, o desenho foi feito de forma arrojada e inédita. Aos poucos a estrutura do ginásio foi sendo levantada e, no dia 04 de outubro de 1953, foi inaugurado durante os Jogos Abertos do Interior. “O complexo deveria homenagear o Dr. Vasco Venchiarutti, autor do projeto. Mas sei que recebeu o nome de Nicolino porque foi o primeiro a falecer do grupo”, conta. À época, de qualquer ponto de Jundiaí era possível visualizar a grandeza do monumento. O estilo arquitetônico foi o primeiro a ser construído em cúpula de concreto no Brasil e com um dos maiores vãos livres do mundo. O formato oval deu

Entidade cuida de cães abandonados há mais de 20 anos na cidade

C

A história contada por quem a viveu origem ao apelido ‘Bolão’. Após se aposentar, Brandini, que jogou basquete de 1937 a 1946, teve a ideia de resgatar a história dos esportes da cidade e em 2003 inaugurou o Museu do Centro de Memória do Esporte Jundiaiense, dentro do próprio Bolão. Segundo ele, muita coisa acabou perdida. “Os troféus estavam completamente abandonados, porque museu não dá voto, não é mesmo?”, ironiza. Atualmente o acervo do museu conta com 2.268 troféus, 200 medalhas e mais de quatro mil fotos. O espaço está aberto ao público que queira conhecer histórias sobre o esporte da cidade e ver fotos de legendas do esporte como a Magic Paula, Romão de Souza, Paulo Batista de Seno, Marcel e Mauri de Souza, as meninas do vôlei do Leite Nestlé, entre outras. Ou somente para escutar uma boa história do senhor Orlando Brandini..

Carmela, presidente da UIPA, lamenta a falta de apoio

Registro histórico do início das obras do Bolão

COLUNA DO ZÉ BOQUINHA

A

Primeiro time defendido pela consagrada Magic Paula

ADOÇÃO E APOIO

Anuncie no Folha do Japi folhadojapi@terra.com.br 6 Folha do Japi

Orlando Brandini junto ao acervo do museu do esporte que ele ajudou a criar

A UIPA promove todos os segundos e quartos sábados do mês uma feira para adoção de animais no hipermercado Carrefour, das 9h às 16h. E no terceiro sábado do mês expõe os cães na loja Morasco, na rua Graciliano Ramos, 94, Vila Rio Branco, das 9h às 13h.

Caso haja interesse em ajudar a união basta depositar R$ 15 ou mais no Banco do Brasil em nome da UIPA, agência: 65196 e conta corrente: 678-5. Para obter mais informações a presidente disponibiliza seu telefone: 9936-3470.

partir de sábado, 16 de abril, tem inicio os play-offs do maior campeonato de basquete do mundo. Depois de 82 rodadas na fase de classificação, a NBA já tem os duelos para se apurar os finalistas dos lados leste e oeste e depois o campeão da temporada. Nesta primeira fase devemos salientar que no lado leste, o duelo entre Orlando Atlanta será bastante equilibrado. Chicago, Miami e Boston são favoritos absolutos contra Indiana, Philadelphia e New York, respectivamente. Na segunda fase, o cruzamento entre Miami e Boston deverá ser dos mais empolgantes. O vencedor poderá fazer a final contra o surpreendente Chicago Bulls que tem a melhor campanha da liga: 62 vitórias, lideradas por Derrick Rose, que

provavelmente será eleito o melhor jogador do campeonato. O Bulls não chegava a uma posição de destaque desde 1998, quando Michael Jordan parou de jogar. No lado oeste, Oklahoma versus Denver será a disputa de maior equilíbrio. San Antonio, Lakers e Dallas são favoritos contra Memphis, New Orleans e Portland. Nas semifinais, Lakers x Dallas será a série mais equilibrada. O San Antonio Spurs deverá encontrar muitas dificuldades se tiver Oklahoma pela frente. Esta temporada nos reservará duelos muito mais emocionantes do que a passada. Fica difícil apontar um favorito absoluto, a partir das semifinais. O fator “casa” poderá ser decisivo. Lembrando que as séries serão disputadas em melhor de 7 jogos.

José Roberto Lux, o Zé Boquinha, foi jogador e técnico profissional de basquete por 51 anos e hoje é comentarista de basquete e futebol dos canais de TV a cabo ESPN e da rádio Estadão ESPN.

Folha do Japi 7


CULTURA E CARIDADE

‘Um só coração’ alegra as festas de centenas de crianças de Jundiaí Nesta Páscoa, entidade distribui 800 caixas de bombons no Jardim Novo Horizonte

A

união de cinco amigos faz a diferença na Páscoa e no Natal de muitas famílias de baixa renda em Jundiaí. Há quatro anos a ONG “Um só Coração” atua na cidade distribuindo alegria, chocolates e brinquedos. No domingo, 17, a organização entrega 800 caixas de bombons para 400 crianças do Jardim Novo Horizonte. “Este ano optamos por caixas de bombons para que as crianças aprendam a partilhar com a família os chocolates”, salienta o investigador de polícia e integrante da ONG Valdemar de Moraes, o Xororó. “No dia da entrega oferecemos ainda cachorro quente, pipoca e muita festa”, entusiasma-se Edgard de Campos. Para eles, o importante não é penas fazer a entrega dos presentes, mas sim ver a alegria e a gratidão das crianças para com o trabalho deles. “Voltamos radiantes! É muito gratificante e não tem preço que pague isso”, afirma Daniel de Moraes. Segundo os amigos, as caixas de bombons foram arrecadadas em apenas 25 dias. “Nossa melhorar propaganda é o boca-à-boca”, ana-

lisa o fundador da ONG Pedro Carbonari. Para a entrega, a entidade conta com o apoio do Caminhos da Alegria, do Moto Clube Jundiaí, do Clube do Carro Antigo, entre outros grupos que, juntos, somam mais de 400 pessoas. “Aceitamos ajudas, doações, mas não queremos dinheiro e nem politicagem”, ressalta Xororó. Para o Natal, a associação pretende começar a arrecadar brinquedos de outubro a novembro. A idade das crianças escolhidas para receber os presentes vai de zero a 10 anos. “Fazemos isso com amor”, finaliza Edgard.

ONG “Um Só Coração” ajuda a alegrar as festas das crianças em Jundiaí

DVD: Tropa de Elite 2

por André Lux

A impressão que fica depois do final de “Tropa de Elite 2” é que o diretor José Padilha ficou com a consciência pesada por causa das acusações de que o primeiro filme tinha mensagem fascista e tentou se redimir na continuação. Por isso, o segundo é bem diferente do original. O Bope e o personagem André Matias aparecem pouco e o foco fica em cima do capitão Nascimento (Wagner Moura) que é promovido a subsecretário de Segurança do Rio de Janeiro. Mas o herói do filme é um professor de História e defensor dos direitos humanos (personagem inspirado em um político do PSOL carioca), que acaba ganhando os holofotes da mídia e é por isso eleito deputado estadual, gerando à princípio profundo ódio no Nascimento. Só que no final o defensor dos direitos humanos e o capitão Nascimento acabam unindo forças para lutar contra os

8 Folha do Japi

bandidos (policiais e políticos corruptos que comandam as milícias nas favelas cariocas). No aspecto técnico o segundo filme perde para o primeiro. O que o “Tropa de Elite” original tinha de dinâmico, ágil e forte este tem de lento e sem graça. Entre mortos e feridos, “Tropa de Elite 2” é bem menos agressivo que o primeiro filme, porém, paradoxalmente, tem menos impacto e por isso mesmo gera menos polêmica. Mas o importante é que o diretor Padilha teve a chance de se redimir e deve agora estar dormindo mais tranquilamente. É o primeiro caso que eu conheço de uso do cinema para expiar uma crise de consciência!

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA AS MÃES DE CHICO XAVIER (nacional) Sala 1 CÓPIA FIEL (legendado) Sala 3 - Moviecom Arte ESPOSA DE MENTIRINHA (legendado) Sala 3 EU SOU O NÚMERO 4 (dublado) Sala 6 FÚRIAS SOBRE RODAS (legendado) Sala 3 PÂNICO 4 (dublado) Sala 7 RIO Salas 2 e 4 e Sala 5 (em 3D)

CONSULTE OS HORÁRIOS NO SITE: www.moviecom.br

Folha do Japi 3  

Edição virtual da Folha do Japi número 3

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you