Issuu on Google+

AMETISTA IRANIANA 4 de março de 2013.

O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, disse à maior organização lobista pró-Israel dos Estados Unidos, nesta segunda-feira (4), que o presidente Barack Obama “não está blefando” sobre a determinação dos EUA em impedir que o Irã obtenha uma arma nuclear.

Os Estados Unidos e muitos de seus aliados suspeitam que o Irã possa estar usando seu programa nuclear civil como cortina de fumaça para desenvolver armas atômicas, uma possibilidade que Israel, que é vista como a única potência nuclear do Oriente Médio, vê como uma ameaça mortal.

Biden disse que uma bomba nuclear nas mãos iranianas seria uma “ameaça existencial” a Israel, representaria perigo a outros aliados norte-americanos no Oriente Médio e desestabilizaria o mundo.

É realmente muito necessário investigar a fundo o programa nuclear iraniano, pois é muito suspeito que um país do nada comece a fazer testes e experimentos com o enriquecimento de Urânio em suas usinas e esconda durante anos quais seus objetivos, meios e resultados, privando a imprensa de realizar matérias com substância e veracidade, privando o mundo de saber se esta ou não correndo um enorme risco. O Urânio passou a ser a ametista do Irâ.

O presidente Barack Obama deve mais uma vez se mostrar firme em sua posição de líder, e honrar o cargo de “Príncipe” como diria Maquiavel, e ser temido por alguns do que querer ser amado por todos, afinal de contas, não existe apenas o Irã com assuntos secretos por baixo de


sua flâmula. Mas é claro, o temor deve ser usado em última instância, métodos diplomáticos e coesos devem ser tomados para que a situação se resolva de forma pacífica.

Talvez a ideia do presidente Mahmoud Ahmadinejad seja de prevenir seu país contra uma possível ofensiva e repressão norte americana, caso estes vejam no programa nuclear iraniano, uma ameaça a sua hegemonia e também a seus parceiros no Oriente Médio.

De qualquer forma creio que isso deve ser um assunto a ser minuciosamente investigado, pois como no caso da Coréia do Norte, o mundo já não é mais tão grande e armas já não são mais a mesma. O presidente do Irã já mostrou diversas vezes que é uma pessoa de difícil diálogo e de interesses duvidosos e um tanto quanto agressivos em relação aos demais países, resta saber se sua “personalidade” é forte o bastante para por em xeque muitos assuntos que dependem de perguntas não respondidas.

André Saraiva


Ametista iraniana