Issuu on Google+


All life is an experiment. The more experiments you make the better.


VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

Voltaire apresenta-se como um projecto artístico e cultural de cariz anti institucional. Este projecto propõe-se a aproveitar um espaço devoluto no centro do Porto, dando-lhe uma nova vida, onde se irá promover o trabalho de artistas fora do circuito comercial artístico e artistas em ascensão, divulgando as suas produções e fazendo-as chegar ao público - com o intuito de dinamizar e desenvolver actividades de produção e exibição. Este incide nas áreas da Pintura, Escultura, Instalação, Fotografia, Performance, Ilustração etc; Voltaire procura também uma interacção com o público, não se limitando a ser apenas uma galeria onde as pessoas entram, olham e saem, mas onde podem passar o seu tempo a conviver com outras pessoas e com a arte; Disponibilizaremos livros e revistas sobre arte, cultura e literatura para ler no local, e para além dos artistas convidados a expor, haverá também uma Open Wall para qualquer pessoa se aventurar a criar (apropriação da expressão “do it yourself” - fluxos).

A palavra Voltaire - pseudónimo do escritor e filósofo François Arouet – expressa, actualmente, certos princípios ligados a acções e pensamentos deste escritor: defesa da liberdade, sobretudo do pensar, criticando a censura; Critica às instituições políticas; defesa do livre comércio, sendo portanto, contra o controlo do estado na economia; defesa das liberdades civis (de expressão, religiosa e de associação); Em suma, a vontade de fazer acontecer, tendo em conta estes princípios, foi o que levou ao surgimento do nome.

1


4

VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

•À cultura do esbanjamento opomos a cultura do aproveitamento e re-aproveitamento.

Produzir o máximo com o mínimo.


VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

•Todo o artista tem o direito de expôr o seu trabalho, quando lhe apetecer e onde bem entender, sem qualquer tipo de exclusividade. •A criatividade é o instrumento fundamental para o desenvolvimento humano, e sendo a arte criatividade por excelência, não só não se deveria negá-la a ninguém como deveria ser actividade generalizada, cuja carência desemboca na desumanização e embrutecimento. As tão proclamadas sociedades da cultura esbarram com os índices de violência e delinquência. •Da arte, são sinónimos as faculdades primárias: Inteligência, Raciocínio, Sentimento, Percepção, Expressão, Imaginação e Intuição. •A contradição e a ironia são a condição do artista. O artista é oamplificador da consciência colectiva.

•Todo o ser humano é, em potência, um artista. Alguém capaz de expressar o que pensa e o que sente. Alguém capaz de utilizar como ferramenta a imaginação, sensibilidade e inteligência. Adquirir o “oficio” artístico implica a oportunidade de exercê-lo, possibilidade a que muitos vêm negada pelas políticas culturais. •A arte supera a mediocridade através do pensamento, lugar do saber e do conhecimento. (mediocridade - expressão do capitalismo massificador e empobrecedor das consciências)

5


6

VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

“UM ESPAÇO ABANDONADO É UM DESPERDÍCIO QUE SÓ PODE SER TOLERÁVEL ATÉ QUE ALGUÉM PRECISE DESSE ESPAÇO”


VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

Que isto sirva para relembrar a importância de libertar espaços das garras do capitalismo e criar alternativas que sejam semente e base dum mundo diferente, possibilitando a subsistência, a educação e a cultura a muita gente.

7


10

VOLTAIRE - projeto artĂ­stico-cultural 2014

Grande parte do que ĂŠ tratado enquanto lixo pode-se tornar num verdadeiro recurso se for bem aproveitado.


VOLTAIRE - projeto artĂ­stico-cultural 2014

11


14

VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

1.50 de altura mais 10 cm de consciência. A marcação de um trabalho e um estudo corporal incorporado com 10 cm de algo que o define, a sua reflexão.


VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

Em Perversa, apesar de ser uma filha violada pelo próprio pai, coloco a mulher numa posição, onde o sentido sexual feminino-masculino é levado ao extremo – por um lado temos alguém frágil e de tenra de idade, no entanto segura de si e do seu corpo, por outro lado temos um homem como tantos outros tentados ao pecado da carne, sobrepondo os seus instintos à moralidade. É uma narrativa, baseada num texto das “Novas Cartas Portuguesas”, livro que mais tarde integro na minha mais recente obra “Posse e Devoção”. As bases de trabalho que venho a dedicar o meu tempo são maioritariamente estudos de género/sexuais e feministas. Interessa-me a exploração do corpo e da essência sexual da mulher, descobrir o seu íntimo e transportá-lo para algo abstracto que seja uma reflecção contemporânea do Ser. Não me interessa dramatizar ou inferiorizar mas sim colocar a mulher numa posição de guerreira e santificá-la de algum modo.

15


16

VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

Na arte e na minha forma de expressão, interessa-me sobretudo poder criar histórias de carácter ambíguo e de jogar com a complementaridade das coisas, numa tentativa de mostrar os dois lados da mesma moeda. Agrada-me a questão da permanente procura e a possibilidade de questionar através da arte, muito mais do que tentar obter respostas.

“Páginas de Nada” é um projecto baseado num texto com o mesmo nome que se apresenta em forma de reflexão acerca do negativo e da sua complementaridade.


VOLTAIRE - projeto artístico-cultural 2014

O vazio, a ausência, os seus contrários e a relação entre este todo, é a temática deste projecto, que conta com abordagens distintas como escultura, vídeo, livro de artista, ilustração e impressão. Este projecto apresenta-se dividido por capítulos, cada um referente a uma abordagem diferente e sustentados por uma frase retirada do texto base, criando no seu conjunto final uma interpretação do texto “Páginas de Nada”.

17



Voltairejornal