Issuu on Google+

N達o pode fazer tudo, mas, existe algo que pode fazer.

Adopte!

1


2


A

União Zoófila foi fundada a 17 de Novembro de 1951. É uma associação de utilidade pública administrativa sem fins lucrativos e rege-se pelos seus estatutos. Tem como objectivo principal a defesa, protecção e tratamento de animais do mésticos

em risco.

A União Zoófila não recebe qualquer ajuda do estado ou de outro organismo público. Vive do pagamento das quotas dos seus sócios e dos donativos feitos pelas pessoas que mais sensiveis estão à causa dos animais.

Albergamos centenas de animais (canídeos e felídeos) arcando com todas as despesas relativa a alimentação, tratamento diário e cuidados veterinários.

3


Como Ajudar

Cada um de nós tem diferentes possibilidades de ajudar uma associação zoófila como a nossa. Para quem tenha disponibiidade de tempo e capacidade física e emocional pode envolver-se connosco no terreno e fazer parte da nossa força de voluntariado. Quem tenha disponibilidade financeira pode ser nosso associado, apadrinhar cães ou gatos ou simplesmente realizar donativos monetários ou em géneros.

4


N

ormalmente por detrás de cada animal abandonado esconde-se uma história terrivel de maus tratos, maldade e miséria humana. Um animal abandonado viu o seu mundo desabar, perdeu todos os elementos que lhe davam confiança e equilibrio. Quando adoptamos um animal estamos a devolver-lhe essa mesma confiança por isso esteja certo de que se lhe der aquilo que ele precisa, mimos, abrigo, comida e brincadeira o animal que outrora fora abandonado será seu amigo fiel o resto dos seus dias. Na União Zoofila existem centenas de animais que esperam algum dia vir a ter um lar, uma família. No nosso albergue poderá encontrar bébés, jovens, adultos e séniores, temos também aqueles que por algum azar ficaram sem uma pata, sem um olho ou com outro tipo de deficiência física.

Se procura um companheiro fiel e amigo não hesite! Visite-nos pois temos o cão ou gato certo para si.

5


6


O que é Apadrinhar um animal abandonado? Apadrinhar um animal abandonado é contribuir directamente para a sua protecção e bem-estar. Através do apadrinhamento está a contribuir com um valor mensal que cobrirá uma parte da despesa que a associação tem com o animal em causa.

Quem são os candidatos a Apadrinhamentos? Os candidatos a apadrinhamento são todos os animais da União Zoófila, pois a escolha do animal fica ao critério do padrinho. É no entanto importante e necessário que sejam em primeiro lugar apadrinhados os animais mais carenciados e com menos probabilidades de serem adoptados, mais concretamente:

7


Quais os deveres do Padrinho / Madrinha? Não existe uma obrigação da pessoa que apadrinha. Digamos que o apadrinhamento é um compromisso moral que a pessoa que apadrinha tem com o animal. É uma forma de ajudar a melhorar as condições daquele animal dentro do Albergue. A quota poderá deixar de ser paga a qualquer momento desde que a União Zoófila seja avisada com 15 dias de antecedência, momento esse que se considera que a pessoa deixa de apadrinhar o dito animal. O Padrinho ou Madrinha de um animal apesar de não ter obrigações poderá e deverá visitar o seu afilhado(a) no horário de funcionamento da União Zoófila assim como levá-lo a passear. Desta forma está a ajudar à socialização do animal. Um dos objectivos do apadrinhamento é que os Padrinhos divulguem o seu protegido de modo a potenciar a adopção do mesmo. Deste modo estará a salvar duas vidas....a do animal que saíu e a do que irá entrar para o lugar deste.

8


9


Quais são os direitos do Padrinho / Madrinha? • O padrinho ou madrinha de um animal tem o direito de saber o estado de saúde do animal caso este sofra alterações. • O animal terá registado na sua ficha o nome do seu Padrinho / Madrinha. • O valor pago pelo apadrinhamento é dedutível do IRS. Receberá periódicamente uma fotografia do seu ‘protegido’.

Qual é o valor do apadrinhamento? O valor da quota de apadrinhamento é de 13€/mês para os cães e 8€/mês para os gatos. Temos de referir que o custo que um animal ( seja ele cão ou gato) representa para a associação é muito superior ao que aqui apresentamos por isso consideramos que estes valores são o mínimo que a pessoa deverá pagar. O Padrinho ou Madrinha é livre (e deverá indicar na ficha de apadrinhamento) de contribuir para outro tipo de ajudas ao animal tais como vacinas, esterilizações, castrações, banhos, tosquias...etc....

10


11


12


A

União Zoófila precisa de pessoas dispostas a fazer Voluntáriado pelos nossos animais Existe um grupo de voluntários que se dedica de forma desinteressada ajudando às centenas de animais que dependem desta associação. Para fazer parte deste grupo tem de estar preparado(a) para realizar trabalhos como limpeza das boxes dos animais e dos corredores de circulação, escovar e mimar os nossos animais, estender e apanhar mantas, ajudar na recolha e armazenamento de ração, etc... É importante que esteja em condições de ter uma assiduidade regular pois isso é importante para aumentar a sua experiência na lide dos animais e a confiança dos animais, funcionários e outros voluntários no seu trabalho. Se não é capaz de ter uma presença regular de pelo menos de 15 em 15 dias então talvez o voluntariado no canil não seja o mais apropriado para ajudar a UZ.

13


S

eja uma das nossas Famílias de Acolhimento Temporário. Esta é mais uma das formas que está ao seu alcance para ajudar algum dos animais que protegemos.

Se não pode assumir a responsabilidade de adoptar para a vida um animal, porque não coloca a hipótese de o ajudar, por um período de tempo limitado? Para alguns casos, pode fazer toda a diferença: entre sobreviver ou não, entre recuperar a confiança nas pessoas e poder ser adoptado, ou ficar irremediavelmente condenado a viver o resto da vida num canil/gatil. É com a boa vontade e dedicação de alguns voluntários e Famílias de Acolhimento Temporário (FATs) que se tem ajudado a salvar a vida a tantos dos animais que acolhemos, alguns dos quais já tiveram o privilégio de encontrar um novo dono. Ao inscrever-se como FAT da nossa associação, vai poder ajudar animais em risco de vida. Durante uns dias ou semanas, terá também o privilégio de sentir toda a ternura e amor que estes animais são capazes de dedicar a quem os protege.

14


15


16


São várias as situações em que os cães e gatos da UZ precisam de ser acolhidos temporariamente: • Muitas vezes são-nos entregues crias com poucos dias de vida, órfãos. Que são demasiado bebés para sobreviver num canil/gatil sem a presença da mãe - por vezes até mesmo a presença da mãe não é suficiente para garantir que os bebés sobrevivem em condições tão adversas. • Há cães e gatos que deprimem com a vida no canil/gatil, deixam de comer, colocando em risco a sua vida. Acontece sobretudo a animais que tiveram um dono, estavam habituados ao conforto de um lar e não conseguem aceitar a sua nova condição. • Há também animais tímidos e receosos, que mais facilmente se deixam dominar pelos restantes animais do canil e que podem por isso ser agredidos/mordidos. • Há cães e gatos que necessitam de tratamento e de estarem isolados dos outros, até porque o stress do canil contribui para que a doença não regrida.

V

erá que vale mesmo a pena ajudar um destes amiguinhos. O acolhimento Temporário não é definitivo. A U.Z. compromete-se a receber sempre o animal de volta nas instalações.

17


Uni茫o Zo贸fila www.uniaozoofila.org

18


Brochura União Zoófila