Page 1

s

de cólera

o amor não é só mimo, chocolates e ursos de peluche Um problema social preocupante que é cada vez mais relações amorosas saudáveis.

es eles não têm e estão a viver ções violentas. falar com eles a desconstruir mitos que estão os ao problema ncia no namoro tos. (…) o facto de haver ciúme sinal de amor.

ana Fabião, aço Branco’

’’

de intimidade dos jovens. ‘(O)Usar & Ser Laço Branco’ é um programa de intervenção entre pares e, em conjunto com a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, tem desenvolvido uma série de acções em escolas secundárias, mas também junto de universitários com o objectivo de sensibilizar os jovens para esta problemática. «Quando começámos a visitar algumas escolas e nos confrontámos com alguns jovens, eles diziam-nos, contrariamente ao que os adultos pensam, que a violência no namoro era muito frequente. E começámos a trabalhar neste sentido. Fazemos todos formação na área dos direitos humanos, educação pelos pares e uma das estratégias que utilizamos nas nossas forma-

Como saber se estás a viver um amor violento Existe violência quando, numa relação amorosa, uma das partes (seja o rapaz ou a rapariga) exerce poder e controlo sobre a outra e... Uma das partes pensa que: - Tem o direito de decidir determinadas coisas pela namorada - É necessário impor o respeito - Ser masculino é ser agressivo e usar a força Enquanto a outra acredita que: - As crises de ciúme e o sentimento de posse significam amor - É responsável pelos problemas da relação - Não pode recusar ter relações sexuais quando o/a namorado/a deseja

ções é o Teatro do Oprimido. É apresentada uma peça, é feito o debate, e são desconstruídos alguns mitos», conta Joana Fabião, coordenadora do projecto. O ciúme, a falta de respeito pelo outro, mas também a ideia romântica de que o parceiro vai mudar de comportamento, são normalmente as causas que levam jovens a manter relacionamentos com base na violência. Depois é a vergonha de assumir perante a família e os amigos que se vive num ambinte amorosamente hostil. «Aquilo que acontece nas relações de violência doméstica, acontece também nas relações de violência no namoro. O namorado bate, agride, mas depois é muito querido e tenta apagar

aquilo que fez rapidamente. Há sempre a esperança de que ele mude e isso acaba por fazer com que as relações se mantenham. Acabar com aquela relação e assumir perante os outros que foi vítima de violência causa-lhes desconforto e muita vergonha e, por vezes, também é um motivo para que se mantenham na relação. Normalmente, a violência agrava-se, tanto em intensidade como em frequência», explica. Para Joana Fabião, esta é uma questão complexa que tem a ver sobretudo com questões culturais e conceitos muito enraizados na nossa sociedade que precisam ser descontruídos. «Muitas vezes eles não têm noção de que são vítimas de violência e que estão a viver relações violen-

Daniel Macedo e Ana Carvalho Conhecem alguns casos em que os namorados sejam ou tenham sido violentos? Nunca presenciei, mas já me contaram situações desse género.

tas. Temos que falar com eles e ajudá-los a desconstruir os mitos que estão associados ao problema da violência no namoro e que são muitos. Entre marido e mulher, todos nós temos que meter a colher, o facto de haver ciúme não é sinal de amor. São pequenos exemplos que têm que ser desconstruídos porque senão eles interiorizam isto como verdades absolutas», diz.

Os jovens hoje em dia têm muito esses comportamentos? Acho que sim. Penso que entre namorados cada vez há mais casos de violência, seja física ou psicológica. Cada vez há formas mais subtis de violência e cada vez menos declarada, as pessoas têm vergonha de assumir perante os outros que são vítimas de algum tipo de violência.

Os actos abusivos envolvem, maioritariamente, insultar, difamar, gritar, embora também tenhamos encontrado a ocorrência de actos de violência mais severa.

Porque é que acham que isso acontece? Ultimamente os valores e as crenças das pessoas têm mudado muito e hoje em dia há menos paciência e as pessoas são menos tolerantes umas com as outras, há menos respeito.

‘‘

’’

Sónia Caridade, investigadora da Universidade do Minho

pUBLICIDADE

Agora pode criar um Clube de Poker online exclusivo, com uma tabela de líderes, estatísticas e classificações dos jogadores. Estes são os Home Games. o novo conceito de jogos da PokerStars, de uso gratuito e disponível apenas em PokerStars.com/homegames.

Novo Na

Crie ainda hoje o seu próprio clube privado de poker online.

[14 FEV 2011]

09

Violência no namoro 2  

Reportagem sobre violência no namoro