Issuu on Google+

Expressão 5 ABSOLUTA

Política

Campos, 1ª quinzena de agosto de 2013

Câmara de portas e ouvidos abertos edson batista, presidente da câmara

Vereador concedeu entrevista ao Programa de Rádio Expressão Absoluta e falou sobre assuntos de relevante interesse da sociedade acerca do funcionamento e atuação da Câmara Municipal de Campos

os assuntos foram concurso, contingenciamento, transparência e manifestações angelica@radioabsoluta.com.br

Os primeiros seis meses da atual legislatura da Câmara Municipal de Campos foram tema de entrevista realizadas com o Vereador Edson Batista no Programa Expressão Absoluta, apresentado por André Freitas, na Rádio Absoluta 1470AM. O atual presidente da Câmara começou comentando os momentos que antecederam a sua eleição para presidir a Casa. Segundo ele, foi natural o surgimento de nomes alternativos ao seu, dentro do próprio grupo político governista na época da posse e consequente eleição da mesa diretora. - Qualquer decisão política precisa ser discutida para ser sedimentada. Ao final dessas conversas, houve consenso que culminou numa unidade muito grande que está sendo demonstrada na prática – disse. Temas polêmicos também foram abordados na entrevista, tais como o contingencia-

mento dos salários dos vereadores e cargos em comissão em 10%, decretados em janeiro deste ano, e a decisão de não convocar os aprovados no concurso público realizado na gestão anterior. - A Câmara fez uma projeção de aumento de receita num momento em que o Brasil e mundo inteiro estavam em crise, em recessão. A projeção de crescimento foi de 18%, nem a China está crescendo nessa proporção. E ficou evidente que se isto fosse colocado em prática alteraria toda faixa de pagamento de pessoal. E quando a prefeita mandou o orçamento para a Câmara houve a necessidade de fazer um ajustamento. E alguns setores que são adversários nossos começaram a questionar. Fizemos ajustes e contingenciamos o salário dos vereadores e dos cargos em comissão. Foi uma medida correta no sentido de nos ajustarmos à Lei de Responsabilidade Fiscal - declarou. Ainda com relação à questão do concurso, Batista declarou que a convocação dos concur-

sados é desnecessária. - Temos um efetivo de 50 funcionários, desde antes da Constituição Federal de 1988. Todos eles anteriormente eram contratados e foram efetivados. O custo do funcionalismo hoje supera a folha de Vereadores. Isto está no portal da transparência da Câmara, com o valor do salário de todos os servidores. Os novos profissionais são desnecessários para a Câmara, mas se a justiça entender de um modo diferente, nós vamos acatar. Quem paga é a sociedade. Eu sou transitório na Câmara. Em última análise, existe uma ação popular questionando o concurso estamos esperando todas as questões judiciais serem esclarecidas e enquanto houver pendências judiciais a serem esclarecidas não haverá

convocação de concursados frisou. Sobre os movimentos e manifestações que surgiram no país inteiro, o presidente da Câmara disse que a classe política está vivendo um momento de muito descrédito. Entretanto, ponderou que os políticos são eleitos pela sociedade. - Nós somos marcianos nem lunáticos, nós somos eleitos peça nossa sociedade, pela nossa comunidade. Não podemos satanizar a classe política e santificar a sociedade. O que ocorre de acertos e erros na sociedade reflete na classe política. Em todos os níveis, em todas as categorias, há os bons e os maus. Não dá pra dizer que temos uma sociedade só de santos e uma classe política só de satãs. Eu acre-

dito que o aperfeiçoamento da democracia passa muito pela transformação da classe política, mas também pelo comportamento da sociedade - argumentou. Edson Batista fez questão ainda de destacar que assumiu a Câmara com três propósitos: fazer um Legislativo participativo, através da realização de audiências públicas, sessões especiais, e abrindo canais de comunicação com a sociedade; transparência, mediante a inauguração do portal da transparência, colocando à disposição da sociedade os salários de todos os vereadores, servidores e comissionados; e a preservação do patrimônio histórico e cultural, por se tratar de um grande e importante acervo.

Anúncios, reportagens e sugestões: (22) 9840-7100

Expressão Expediente Campista

Angélica Carvalho

Diretoria: André Freitas Paulo Freitas

André Freitas Comunicação Rua Guilherme Docek, 51 Pq. Jóquei Clube Campos dos Goytacazes - Estado do Rio de Janeiro CNPJ: 17.234.664/0001-18 Circulação: Campos, Quissamã, São João da Barra, São Fco. de Itabapoana, São Fidélis, Cardoso Moreira, Carapebus e Macaé.

Gráfica: Editora Esquema - Niterói - RJ Representante comercial: Tráfego Publicidade Av. Rio Branco, 185/ 1813 Centro, Rio de Janeiro, RJ


Expressao pagina 5