Issuu on Google+


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Calor Encoberto

Disponibilização e Tradução: Rachael Moraes Revisora Inicial: Solsama Revisora Final: Angéllica Formatação: Rachael Moraes Logo/Arte: Suzana Pandora

Resumo: Nick pensa que seu chefe filho da puta da CIA, o mandou numa perseguição sem futuro. Caçar um agente do mesmo grau, que é um lobisomem? Que piada! Boa em seu trabalho como investigadora particular, graças aos seus super sentidos de lobisomem, força e velocidade, Melody Gray está muito feliz com sua vida. Até que um agente da CIA aparece procurando por seu irmão. O que uma garota deve fazer para manter este magnífico, homem de pele cor de chocolate longe de seu irmão? Mantendo a atenção dele nela, claro, e que caminho melhor para realizar isto, do que com sexo. Especialmente quando sua alma de lobisomem estiver uivando que este pedaço de mal caminho é seu, seu companheiro, mesmo ele sendo humano. Ou ele não é? Incapaz de resistir ao fogo entre eles, Melody e Nick voltam-se para a tia dele, uma sacerdotisa Vodu poderosa, para ajudá-los a compreender o que acontece quando um humano, um lobisomem e o vodu são misturados com o desejo opressivo para reivindicar um ao outro de todas as formas sexuais possíveis.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Um Vestido em calças de camuflagem e uma camisa meia apertada, preta, ele entrou no escritório como se possuísse o lugar. ‚Você é Melody Gray?‛ A arrogância em seu tom enviou uma onda de adrenalina o suficiente nas veias de Melody para afastar sua fadiga. A arrogância em um humano era duro de engolir. Nenhum deles era tão forte, quanto pensavam que eram. Mas, era um cliente em potencial e preferia pagar pelo próprio sustento ao invés de viver do dinheiro do seu pai. Quando ele limpou a garganta ruidosamente, mais irritação veio à superfície. Como o inferno entrou aqui, de qualquer maneira? Onde estava John? Ele deveria manter panacas como aquele fora de seu escritório. Seu estômago rosnou e se lembrou. Ele tinha ido buscar algo para ela comer. Endireitando os ombros, Melody afastou o cabelo atrás de sua fronte. Maldição, mas estava acabada. Ela precisava dormir, mas agora tinha que tratar bem um cliente. Ela piscou novamente e olhou para cima. Seu olhar conseguiu chegar até a boca. Ele tinha nos lábios uma zombaria superior. Mordendo a parte de dentro da boca para controlar sua própria expressão, Melody fez o melhor que pôde para controlar sua antipatia imediata e forçou um olhar em branco sobre seu rosto. Que panaca! Ela não iria gostar deste aqui mesmo. Lançando um olhar para a pasta de papéis que ele levava, se levantou e estendeu a mão. ‚O que posso fazer por você, Sr.…?‛ Ele ignorou a mão estendida. ‚Nick Price, CIA. Você parece acabada.‛ A raiva chamejou, quando Melody luziu no rosto cor de chocolate dele. Este sujeito não era só um panaca arrogante, ele era um filho da puta. ‚Escute, Nick Price da merda da CIA...se você estiver me falando à verdade. Desde quando agentes da CIA começaram a usar roupas de camuflagem, ao invés de ternos baratos, pretos?‛ ‚Não é da sua conta, mas eu estou disfarçado.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Bem, eu acabei de passar as últimas quarenta e oito horas com muito pouco sono procurando por uma fugitiva de doze anos que pensava que podia sobreviver na floresta de Nevada. Então, foda-se, cabeça de merda, e não deixe a porta bater na sua bunda quando sair.‛ ‚Você beija sua mãe com essa boca?‛ Ele lhe mostrou o distintivo e então lançou um retrato sobre a escrivaninha. ‚Eu estou procurando por este homem.‛ Melody olhou fixamente a fotografia desfocada em sua escrivaninha e tentou focalizar a vista. Cristo, um fodido agente do governo. Era um verdadeiro fodido distintivo da CIA que acabara de lhe mostrar, não era? O que diabo ele queria? Ela não estava em condições de enfrentá-lo agora. Estava muito cansada. ‚Minha mãe está morta.‛ ‚Eu sinto muito.‛ Ele não olhou ou soou como se estivesse se desculpando. Ele apontou o retrato. ‚Você viu esse sujeito?‛ Levantando a fotografia, ela piscou um pouco mais para enfocar, e o encarou. ‚Sim, eu o vi. Porque você o quer?‛ Ela não olhou para cima, mas o movimento sutil do pé e a mudança da respiração lhe disseram que esta não era a resposta que esperava. Sorrindo para si mesma, soltou o retrato na escrivaninha. Ha! Ele não esperava que admitisse isto. ‚Ele disse que seu nome era Jake Fields. Ele entrou querendo nos contratar para achar sua esposa. Disse que ela sumiu com uma pilha de seu dinheiro.‛ Ela disse. O agente da CIA apertou as palmas contra a escrivaninha e se debruçou para frente. ‚O nome verdadeiro dele é Jake Hurley, e o dinheiro foi desviado do governo. Tem qualquer idéia de onde está agora?‛ Ela inalou devagar. O cheiro dele era completamente masculino. Ele não usava nenhuma águade-colônia. O lobisomem na alma dela lutou para afastar a fadiga, Melody lutou para manter seu cérebro funcionando. Quando examinou o rosto dele, o lobisomem em sua alma mexeu por um momento. Algo nos olhos dele… Melody piscou novamente. O esgotamento caiu mais firmemente sobre seus ombros, deixandoa mais fatigada. Sua alma de lobisomem suspirou e caiu numa soneca profunda. ‚Era nosso dinheiro. Você vai me ajudar ou não?‛ A voz era concisa, e ele não se aborreceu em esconder a irritação.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Afastando o olhar da zombaria nos lábios dele, empurrou o retrato de volta através da escrivaninha. Ele tinha alguma resposta boba para qualquer pergunta que fizesse. E estava muito cansada para perguntar mais. ‚Meu assistente trabalhou com ele. Quando John voltar do almoço, eu verei o que ele lembra. Volte amanhã, e nós daremos a você, tudo que tivermos.‛ Depois que dormir e puder pensar novamente. Price pegou a fotografia, encarou-a um momento, e concordou com a cabeça. ‚Eu voltarei.‛ Virando-se, saiu do escritório dela. Melody não se moveu, até que ele saiu do escritório e desapareceu pela porta da rua. Caindo na cadeira, olhou fixamente para a parede oposta, entretanto não olhou para os retratos pendurados lá. Abrindo uma gaveta, retirou um telefone celular e ligou o número particular de seu pai. O fantasma que perseguia Garth aparecera para ela.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dois Com o aroma de pinheiro recentemente lavado e da floresta molhada o cercando, Nick se debruçou contra a árvore e tentou ficar numa posição mais confortável no chão úmido. Os pedaços pequenos de xisto quebrados de uma velha pedreira deitavam-se dispersos ao redor e debaixo da árvore de pinho, onde se escondia. Era desconfortável ficar sentado e sua bunda estava ficando fria, enquanto o tecido de suas calças absorvia a umidade das agulhas de pinho embaixo dele, mas este lugar tinha a melhor visão da grande janela dianteira da cabana de Melody Gray. Além disso, ele fizera vigilância em lugares piores. Pelo menos, não estava num campo aberto ou num monte cheio de formigas. Ele afastouse de uma pedra afiada e enfocou seus binóculos na cabana. Depois de sair do escritório de Gray mais cedo aquele dia, vagou rua abaixo, debruçou-se contra o poste de uma luminária, e assistiu a porta da frente até que seu parceiro retornou. Depois de dar-lhes dez minutos, voltou ao escritório. De jeito nenhum esperaria até amanhã para dar a eles tempo de destruir o que podia ser evidência incriminadora. Quando entrou, a porta interna para o escritório dela estava fechada, mas seu parceiro John tinha sido mais que afável. Depois que Nick se identificou, o parceiro de Gray tirou um arquivo da uma gaveta, copiou tudo bem na frente de Nick, e lhe deu um novo calhamaço de papéis numa pasta. Então, desejou sorte a Nick em achar Fields. Entretanto Nick desejava confrontar Gray novamente, não podia fazer mais que agradecer seu parceiro e partir. John permaneceu com as pernas abertas e braços cruzados acima do tórax, quase como se estivesse desafiando Nick a tentar passar por ele. O rugido de um motor poderoso tirou Nick de seus pensamentos, e enfocou seus binóculos na estrada que levava a cabana. Quando o SUV verde de Melody Gray apareceu acima da crista da colina e parou próximo à cabana, Nick refletiu sobre as informações que leu no arquivo que conseguira do parceiro de Gray. Parecia que tinham lhe dado tudo. Todas as informações sobre o homem que eles conheciam como Jake Fields estavam lá....da data em que contratou a agência, até a data em que terminou o contrato. Cada hora que trabalharam estava faturadas, viagens para outras cidades na busca de evidências, procuras de registros, vigilância, tudo. Nada lá indicava que Jake Fields ou Jake Hurley era qualquer coisa mais para eles, do que um cliente que os empregou por duas semanas. Mas…


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Refocando os binóculos, quando Melody Gray saiu do veículo e se encaminhou para a porta lateral de sua cabana, Nick se concentrou nela. Ela tropeçou uma vez, se ajeitou, trocou a mochila que levava para seu outro ombro, então de forma cansada subiu os dois degraus para a varanda e desapareceu de sua visão, quando entrou na cabana. Franzindo a testa, Nick focou na grande janela na frente de casa e esperou por ela reaparecer. Nada sobre ela nesta cidade, ou as informações que recebeu ditavam sua conexão com o homem que estava caçando, tinha algo de diferente do que ela lhe revelou. Ele não teve nenhuma razão para estar aqui. Ele devia partir para caçar sua presa. Exceto… Melody Gray estava mentindo. Seu instinto lhe falava isso e seu instinto nunca estava errado. Todas as informações no arquivo estavam limpas, legíveis, e lógicas...muito limpas, legíveis, lógicas. Ele apostaria sua reputação profissional nisto. Tudo que tinha que fazer era mantê-la sob vigilância, até que compreendesse do por que ela estava protegendo Hurley. Se estivesse certo sobre ela estar mentindo, e tinha certeza que estava, mais cedo ou mais tarde ela o levaria ao homem que seu chefe jurava que era um lobisomem. Um esquilo sentado num galho acima dele tagarelou em desgosto e subiu longe, enviando um chuveiro de pingos de chuva frios sobre sua cabeça e ombros. Nick murmurou uma maldição veemente sobre a ascendência de seu superior. Lobisomem! Emil Sorescu era um cretino idiota. Ele fez Nick jurar segredo, quando o chamou em seu escritório...antes de lhe atribuir este trabalho. A princípio, Nick pensou em falar aos seus superiores sobre a missão de Sorescu, entretanto decidiu contra isto. Oficialmente, Nick estava procurando por possíveis terroristas que entraram sorrateiramente nos Estados Unidos através da fronteira canadense e estavam esperando por instruções sobre onde atacar. Se Nick tentasse dizer que Sorescu o mandara perseguir um lobisomem, seu chefe certamente negaria tudo. Então Nick seria a pessoa que pareceria um cretino idiota. E tinha mais, Sorescu tinha influência o suficiente para deixar Nick amarrado a uma escrivaninha, pelos próximos vinte anos. Ficar preso em um escritório todo dia o enlouqueceria. Nick mudou de posição novamente para relaxar um músculo espasmódico. Um pássaro caiu sobre um galho fino acima dele, e mais gotas da água glaciais acertaram seu pescoço. Cristo, que farsa! Esta era a tarefa mais fodidamente estúpida que já tivera. Assim que se livrasse de Hurley, se transferiria


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

para outro departamento tão longe de seu chefe idiota, quanto pudesse conseguir. Mais cedo ou mais tarde, o idiota iria se descontrolar e faria algo realmente louco para acabar com o caso, e Nick não planejava estar em qualquer lugar próximo dele para ser levado junto. Não, Nick Price ia se arranjar sozinho. Afastando outra pedra afiada que estava picando sua canela, Nick murmurou outra maldição, mas manteve seus binóculos treinados em Melody Gray caminhado na sala de estar. Lá, tirou a camisa apertada acima de sua cabeça, soltou-a no chão, e se encaminhou na entrada que levava ao quarto, que também estava localizado na frente da cabana. Nick se debruçou mais e reajustou seus binóculos. Ele tinha investigado a cabana de Gray, antes de ela voltar para casa. Ela tinha um sistema de segurança muito bem instalado, entretanto estava confiante que podia quebrar o código sempre que quisesse. Ele não o fez porque sabia que não teria tempo para entrar, procurar tanto quanto queria, e então sair antes dela voltar para casa. No momento, era suficiente que a sala de estar e seu quarto estavam na frente da casa, com cortinas que estavam puxadas das janelas de ambos os aposentos. Entretanto, a janela do quarto não era tão grande quanto aquela na sala de estar, ainda teve uma boa visão do que fazia, enquanto se movia de um quarto até o próximo. No quarto, tirou a calça jeans e então o sutiã e a calcinha. Em um canto pequeno de sua mente, Nick notou que eram de algodão branco. Calcinhas de vovós. Sim, ela era provavelmente tão frígida quanto o cabelo louro prateado. Uma pergunta que surgiu em sua mente sobre ela, entretanto, foi respondida quando ela girou e se estirou. O cabelo do púbis era da mesma cor prateada, como o de sua cabeça. Ela era uma loira natural. Seu olhar vagou de volta até os peitos dela. Os mamilos eram rosa! Porra, mas nunca tinha visto uma mulher com mamilos rosados antes. Então ele agitou a cabeça. ‚Merda, Price.‛ Ele murmurou para si mesmo. ‚Quem se importa? Você não está aqui para comê-la, você está aqui para fazer um trabalho. Faça.‛ Ele controlou a leve ereção em sua virilha, enquanto continuava a observar sua presa. Quando baqueou abaixo nua sobre sua cama e não se moveu, Nick deixou seus binóculos caírem pendurados, pela correia contra seu tórax. Ele fizera uma pequena verificação pela cidade, antes de terminar aqui. Uma menina adolescente tinha se perdido nas montanhas, e Melody Gray tinham sido parte do time de procura que passou dois dias a procurando, então lhe tinha dito a verdade, quando disse que estava exausta. Gray não estaria indo em qualquer lugar pelas próximas doze ou quatorze


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

horas, o que lhe dava bastante tempo para procurar e investigar o escritório dela hoje à noite. Se ele não achasse o que queria lá, iria investigar a casa dela em um dia ou então. Quando se levantou, o sentimento que ele estava sendo observado fez os cabelos atrás em seu pescoço se arrepiarem. Puxando o revólver do coldre embaixo de seu casaco, girou. O lobo prata mosqueado que o tinha observado saltou nos arbustos e desapareceu. Um fio de suor abriu o lado de sua cabeça. Lobisomem? Era possível? ‚Cristo, Price.‛ Ele rosnou para o ar vazio, ‚Controle-se. Aquele maldito idiota do Sorescu está te deixando louco. Era só um lobo.‛ Quando o lobo não reapareceu, Nick guardou sua arma de fogo, pôs seus binóculos na bolsa e voltou até a estrada de acesso onde estacionara o jipe. Lobisomens eram invenções de imaginação do seu chefe, criações imaginárias de cabeças-de-vento em Hollywood ou daquelas mulheres taradas, de meiaidade que escreviam romances, igual a vampiros. Inferno, agora mesmo ele estava no meio de lugar nenhum, e todo mundo sabe que os lobos estavam retornando a lugares distantes nas Montanhas Rochosas, se eles partissem completamente. De tudo que leu, e leu muito sobre lobos desde que ele recebeu esta tarefa, eles quase sempre ficavam tão longe de humanos quanto possível. O lobo que vira provavelmente tropeçou nele puramente por acaso. O vento estava soprando do lado errado para pegar seu odor, ou o teria evitado completamente. Era um lobo real. Lobisomens não existiam. Depois de marchar continuamente para cima por vinte minutos, Nick alcançou seu veículo. Uma vez que alojou seu equipamento, subiu, fez uma virada de três pontos, e voltou montanha abaixo. Quando acabasse de investigar o escritório de Gray, poderia voltar para seu motel para dormir por umas horas. Da cobertura de espessa das árvores de pinho, o lobo grande, cinzento cheirou o ar e assistiu o jipe desaparecer montanha abaixo. Enrolando os beiços, ele rosnou. Ele não esqueceria deste odor de humano.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capitulo Três Melody estava dormindo como um bebê, seus braços embrulhados ao redor de um travesseiro, quando ele deslizou em seu quarto. Por um momento, simplesmente a encarou. Então, sorriu astutamente. Esta era uma chance perfeita para um pouco de vingança. Virando, se dirigiu ao banheiro e retornou um minuto mais tarde com um copo de água. ‚Acorde, Raio de sol. Você vai dormir o dia todo?‛ Com aquelas palavras, pingou {gua em seu rosto. Ela acordou batendo os braços e pernas e amaldiçoando. ‚Que diabo…‛ Tirando a maldita água fora de seus olhos, enfocou nele e então estalou. ‚Brendan, seu cretino! O que te fez fazer isto?‛ Brendan simplesmente sorriu da briga de sua irmã, certo que só o lençol enrolado ao redor das pernas dela, a continha de pular em cima dele. ‚A vingança pode ser uma filha da puta, e eu lhe devia.‛ Ele respondeu, conforme se afastava. Ela estava desenredada, e ser agarrado por Melody normalmente costumava ser uma experiência muito dolorosa. Igual a sua irmã Belle, Melody nunca mostrou qualquer vacilação em um ataque...e ela era mais forte e mais dura que sua irmã mais nova. Garth era o único de seus três irmãos que ela nunca derrotara em uma briga, e isso era só porque ele pesava uns bons 45 quilos mais do que ela. ‚Veja que eu não lancei o copo todo em você, como eu deveria. Já que uma vez você esvaziou uma balde inteiro da {gua em mim.‛ Penteando seu cabelo para fora da fronte com seus dedos, ela rosnou. ‚Isto é porque era para você e Garth, e ele é muito grande, eu precisei de todo o balde. Além disso, você dificilmente ficou molhado, já que você me ouviu chegando.‛ Brendan fixou o copo na cômoda. Ela estava conseguindo um reflexo dourado em seus olhos e sua forma estava começando a obscurecer. Melhor mudar de assunto. ‚Por que você dormia como os mortos? Alguém podia ter entrado aqui.‛ ‚Vai sonhando, meu irmão. Você é a única pessoa diferente de mim, que sabe o código de segurança do meu sistema de alarme, que é alto suficiente para despertar os mortos.‛ Finalmente desenredada dos lençóis, se levantou e agarrou o robe. Diferentemente de humanos, lobisomens não se


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

sentiam desconfortáveis nus, mas as manhãs nas montanhas eram frias. ‚Eu devia chutar sua bunda daqui de volta para Idaho.‛ ‚Esqueça isto.‛ Brendan disse gesticulando em direção ao robe que se erguera na parte inferior da cama. ‚Venha correr comigo. Nós não corremos pela floresta juntos faz muito tempo.‛ Balançando a cabeça, Melody sorriu, quando sentiu que a irritação com seu irmão desaparecia. Brendan estava certo. Ela não correu com ele, ou qualquer outro membro de sua família, em muito tempo, algo que sentia falta mais do que gostava de admitir. ‚Eu adoraria, vamos.‛ A névoa de prata rodou onde Brendan tinha permanecido e quase imediatamente dissipou-se. Um lobo prateado permaneceu em seu lugar....com uma camisa vermelha envolvendo completamente sua cabeça. Melody começou a rir. ‚Idiota! É isso que consegue por tentar exibir-se. Papai é o único que pode mudar de forma com suas roupas.‛ Depois de usar suas patas para puxar a camisa fora de sua cabeça, o lobo luziu a ela. Garth pode, também. E você pensa que Papai conseguiu isto logo da primeira vez? A prática faz a perfeição, sabe. Agora se apresse e mude, assim nós podemos correr. Eu estou ansioso para entrar na floresta. ‚Lá fora.‛ Melody respondeu, quando foi à frente pela sala de estar. ‚Eu quero ligar o alarme novamente.‛ Problemas? Ela encolheu os ombros, enquanto fechava a porta da frente e ligava o sistema de alarme. ‚Eu não sei. Havia um agente da CIA em meu escritório procurando por Garth, entretanto ele não sabia seu verdadeiro nome. Eu lhe dei o arquivo falso que eu tinha, mas eu não penso que acreditou nisto.‛ Uma das razões porque eu estou aqui. O papai recebeu sua mensagem. Ela olhou fixamente para seu irmão. ‚Eu telefonei para Papai ontem. Você não podia ter chegado aqui de Nova Iorque tão rápido. Desde quando lobisomens têm asas?‛ A luz refletiu nos colmilhos brancos, quando Brendan abriu a boca no que só podia ser uma risada. Eu já estava na casa de Belle, assim eu não tive que viajar muito. Uma névoa prateada mais clara faiscou, quando Melody mudou para a forma de um lobo branco. Não pode me pegar, enviou para seu irmão e saltou em direção à floresta.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Com um ganido feliz, Brendan saltou depois dela. Deuses, como gostaria que todos os seus irmãos estivessem aqui, assim poderiam correr juntos. Fazia muito tempo desde que correram como uma alcatéia. Horas mais tarde, com a língua refestelando, seguia sua irmã em uma pequena clareira onde o odor doce da água fresca penetrou o ar. Eles correram milhas após milhas, perseguindo cervos, coelhos e um urso preto de dois anos de idade, pelo simples prazer disto. Mais de uma vez, Melody uivou do encanto de correr livre, e calafrios cresceram rapidamente na coluna vertebral de Brendan. Nunca em todas as suas viagens, encontrara um Were ou um lobo com uma voz tão adorável quanto sua irmã. Seu pai disse a eles que voz da sua mãe tinha sido bonita, e a primeira vez que ouviu a criança Melody uivar, sabia que a voz dela era igual à de sua mãe. É por isso que ele a tinha chamado de Melody. Depois de deixar sua irmã beber do fluxo pequeno, Brendan imergiu a cabeça e começou a lamber sedentamente. Foi puro instinto que o fez saltar de volta, quando o lobo estranho catapultou através do fluxo. Ainda assim, Brendan não foi rápido o suficiente. Os dentes do outro lobo não o atingiram, mas o ombro bateu a lateral de Brendan, e ele ficou caído. Levantando-se, girou para enfrentar seu atacante. Trancando seus dentes, rosnou uma advertência. Ele não queria lutar com um Irmão da Floresta, mas ele iria se fosse obrigado. Rosnando estrondosamente, um lobo grande, cinza-mosqueado o enfrentou, seus olhos amarelos, queimando com raiva. Brendan não desviou do olhar fixo do outro macho. Cristo, mas este aqui devia realmente ser territorial. Obviamente, ele e Melody não iam poder sair dessa sem uma briga. Oh bem, com ajuda da sua irmã, ele poderia subjugar este lobo sem infligir dano demais....assim esperava. Antes de o outro lobo poder atacar, porém, Melody se transformou e andou entre eles. ‚Maldição, Drake, pare com isto.‛ Os olhos do outro lobo nunca deixaram Brendan, quando ele a respondeu. Você é minha. Este macho não tem nenhum direito sobre você. Antes de Brendan poder reagir para aquele comentário, sua irmã pôs as mãos nos quadris e luziu ao grande lobo cinza. ‚Este macho é meu irmão, meu parente, meu gêmeo. Maldição, até os lobos são idiotas!‛ O lobo selvagem parou de rosnar e trocou seu olhar para rosto de Melody. Ele é seu parente? ‚Foi o que eu acabei de dizer, cretino.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O insulto estava completamente perdido no lobo. Lambendo a saliva de seus beiços, ele se sentou de volta em suas coxas e curvou a cabeça. Minhas desculpas, parente de minha companheira. Eu não sabia. Mudando para humano, Brendan cruzou os braços acima de seu tórax e voltou sua total atenção para sua irmã. ‚Companheiro? Existe algo que você não disse a família, Melody?‛ Amaldiçoando longa e ruidosamente, Melody virou-se e foi para o outro lado da pequena clareira. Então, ela girou e retrocedeu. ‚Mas que droga, Drake, seu obstinado, idiota, panaca, burro! Eu não sou sua companheira. Eu não quero ser sua companheira. Eu não vou gastar o resto de minha vida vivendo no bosque sem banhos de banheira, futebol, e chocolate. Quantas vezes eu tenho que dizer a você? Não! Não! Não! Eu não serei sua companheira!‛ Seu irmão olhou o lobo. ‚Isso soa como não para mim.‛ O lobo olhou para Brendan. Eu não a entendo. Eu não tenho a cabeça de um porco. Nem pareço com um burro. E eu não sei que tipos de animais são idiotas e burros, e ela não me diz. ‚Oooo! Pé-no-saco, seu cabeça de merda!‛ Batendo o pé e arrastando outra série de maldições atrás dela, Melody girou e retrocedeu para o outro lado da clareira novamente. Ouvindo seu irmão rir, apenas a deixou mais brava. Maldito daquele lobo Drake! Por que não podia aceitar um não, como resposta? Ela não queria ser sua companheira, agora ou sempre. Ele não era o macho dela. Agora, se ele balançasse seu mundo, quando examinasse os olhos dele, não teria pensado duas vezes sobre juntar-se a ele, ainda que significasse desistir de chocolate. Mas, não o fez. O lobisomem em sua alma não uivou com prazer sempre que Drake aparecia. Talvez Brendan podia convencê-lo a deixá-la em paz. Virando-se uma vez mais, acenou a seu irmão. ‚Dá para você, por favor, lhe dizer que eu não quero ser sua companheira! Ele não me escuta.‛ Em vez da condolência que esperava, Brendan sorriu. ‚Eu não sei, Mel. Ele é um lobo bem instalado. Você podia ter escolhido alguém pior.‛ Quando o queixo dela caiu, ele continuou. ‚E você sabe o quão persistente os lobos são. Eu lhe dizendo para deixá-la em paz, não vai funcionar. Você só tem que ser paciente. Ele ficará cansado de esperar por você...eventualmente.‛ Fechado a boca abruptamente, Melody calou-se por alguns minutos. Então. ‚Machos! Vocês são ambos idiotas! Eu estou indo para casa.‛ A névoa prateada rodou novamente, e o lobo branco que era Melody correu para o sul.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Quando o lobo cinza ia segui-la, Brendan o agarrou pelo pescoço e o puxou de volta só para soltá-lo assim que mostrou os dentes e girou para morder. Lançando suas mãos ao alto, Brendan disse. ‚Minhas desculpas, Irmão de Floresta, mas se você continuar hostilizar minha parenta, eu terei que defendê-la.‛ O lobo o encarou com um olhar amarelo. As Leis da Alcatéia permitem que eu corteje qualquer fêmea sem parceiro, que eu desejar. Ela não é só....não tem companheiro, mas também deixou sua alcatéia natal muito tempo atrás. Mesmo como parente dela, você não tem o direito de negá-la a mim. Você viveu entre os humanos por tanto temp,o que esqueceu as Leis? Brendan agitou a cabeça. ‚Eu não esqueci, Irmão da Floresta, mas vivendo no meio de humanos me tornou, eu e todos os meus irmãos, mais próximos do que é habitual. Nós ainda lutamos um pelo outro, não importa quantas milhas nos separam.‛ O lobo virou a cabeça de lado para um momento. Eu reconhecerei isto, se você reconhecer meu direito de cortejá-la. Suspirando, Brendan passou os dedos de ambas às mãos por seu cabelo. De acordo com a Quarta Lei da Alcatéia, o lobo tem o direito, desde que ambos não tenham companheiro. Espero que, as negativas de Melody logo funcionassem, e este macho buscaria um companheiro em outro lugar. ‚Eu reconheço seu direito.‛ Erguendo-se, o lobo movimentou a cabeça. Bom. Eu deixarei você ir para seu reencontro com sua parente, no momento. Mas eu voltarei por ela. ‚Assim seja.‛ Brendan disse, conforme se preparou para mudar. Uma outra coisa, lobisomem. Brendan olhou fixamente nos olhos dourados do lobo. Havia um homem observando a casa de madeira dela ontem. Brendan endureceu. ‚Que homem?‛ Eu nunca o cheirei antes, mas ele se sentou entre o pinho na colina e olhou abaixo na cabana dela com um objeto preto que segurava na frente de seus olhos. Espero tê-lo assustado, eu permiti que me visse. Ele tinha uma das varas que cospe fogo e morte assim eu me escondi dele. Eu não penso que eu tive sucesso em minha tentativa para assustá-lo. ‚Porra!‛ Brendan rosnou principalmente para si mesmo. Então, olhando para o lobo, curvou a cabeça. ‚Meu obrigado, Irmão de Floresta. Afasta-se deste homem, ele pode ser perigoso.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Eu protegerei minha companheira. Exalando devagar, Brendan agitou a cabeça. Ele estava começando a entender por que Melody estava muito obviamente frustrada com este lobo em particular. ‚Eu darei sua advertência a ela.‛ A névoa rodou, e o lobo cinza prateado que era Brendan saltou na direção que Melody tomara. Drake o assistiu desaparecer. Este lobo era sortudo que fosse parente de Melody, caso contrário seria um lobo morto agora mesmo. Lançando de volta sua cabeça, Drake soltou um uivo longo, solitário. Fazia muito tempo agora, que tinha estado sozinho. Melody encheria o vazio em seu coração. Ele estava certo disto.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Quatro A poeira dançava nos raios do sol, quando Melody bateu a porta lateral aberta e pisou em sua cozinha e sala de estar até seu quarto. Maldito aquele cabeça-de-vento do Drake! Ele era mais teimoso que qualquer outro animal que já encontrara, inclusive seu próprio pai. E agora Brendan sabia sobre ele! Em menos de duas horas, a família inteira saberia, e não teria mais paz. Que droga! Iria estrangular Drake. Fechando os olhos, respirou fundo várias vezes. O desvio que fez até a casa certamente não ajudou a diminuir sua ira. Primeiro o maldito fantasma que perseguia Garth tinha que aparecer e então teve que lidar com Drake. Quando a porta abriu novamente e então fechou, Melody girou para encarar seu irmão, enquanto caminhava em seu quarto ajeitando a calça jeans, até sua cintura. Cutucando o dedo no tórax dele, ela começou, ‚Brendan, se você disser...‛ Ela nunca teve a chance de terminar a ameaça. ‚Cale-se, pegue algumas roupas, e venha para a cozinha.‛ Ele rosnou. Virando-se, deixou-a olhando fixamente para a entrada vazia. Lutando com o robe que levantou de sua varanda, onde o descartara mais cedo e o vestindo, ela o seguiu em direção | parte de tr{s da cabana. ‚Que diabo você pensa que est{ fazendo, dando-me ordens como se eu fosse um de seus empregados, em minha própria casa?‛ Ela rosnou, quando chegou até ele. ‚Bem, não sou, e você não é…‛ Depois de olhar fora da janela da cozinha, ele ficou próximo | mesa. ‚Cristo, Melody, dá para calar a boca e escutar?‛ Quando teve toda a atenção dela, continuou depois que empurrou a camisa acima de sua cabeça, ‚Você est{ sendo vigiada. Seu lobo me disse que viu um homem na colina acima de sua cabana te observando. Eu fui lá em cima, antes de voltar para a casa. O lobo está certo. Existe um sujeito lá em cima camuflado com um par de binóculos de alta tecnologia.‛ Por um momento Melody simplesmente encarou seu irmão. Então, depois de um grunhido longo, baixo, girou e se dirigiu à de volta para porta. ‚Aquele fodido cretino da CIA. Espere até que eu ponha minhas mãos e dentes nele.‛ Ela luziu atr{s acima de seu ombro. ‚E Drake, não é meu lobo.‛ Seu irmão agarrou a parte de trás do robe dela, antes que pudesse deixar a cozinha. ‚Que merda, Melody. Deixe o fulano da CIA em paz. Já que ele está aqui, não está perseguindo Garth. Eileen está grávida.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Isso deteve Melody, e ela girou. ‚Garth vai ser pai? Eu vou ser tia novamente?‛ Ela sabia que estava sorrindo agora como uma idiota, mas não se importou. Outro filhote para adicionar ao clã eram notícias maravilhosas. ‚Quando o bebê vai nascer?‛ ‚Não nos próximos seis meses ou mais, mas a última coisa que nós precisamos é que Garth esteja se escondendo no Canadá. Belle te contou como foi à vida de Eileen em todos aqueles anos, em que Garth não sabia onde estava. Ela está finalmente relaxada e feliz com a alcatéia de Belle e Alex, e a família gostaria de manter isto assim. O contato de papai na CIA já terminou a licença e pode finalmente voltar ao trabalhar. Ele deve ser capaz de dar um jeito neste sujeito, perseguindo Garth em uma semana ou mais. Você pode mantê-lo ocupado neste período?‛ Cruzando os braços sobre seu tórax, Melody concordou com a cabeça para seu irmão. ‚Eu posso mantê-lo ocupado.‛ Brendan movimentou a cabeça então sorriu. ‚Você pode sempre pedir ajuda ao seu namorado.‛ O punho que ela enterrou em seu estômago o fez perder o ar dos pulmões. Quando ele finalmente parou de sufocar, ofegou, ���Merda, Melody. Eu estava só brincando. Por que você teve que me esmurrar tão forte?‛ ‚Bem, eu estou doente e cansada de sua brincadeira. Aquele lobo é quase tão pé no saco, quanto você. Quanto antes ele me deixar em paz, melhor.‛ Com as mãos nos quadris, Melody assistiu, enquanto seu irmão agitava a cabeça e disse. ‚Eu não penso que este lobo particular desistirá de você agora que se decidiu. Você pode ter que desaparecer durante algum tempo. Depois de conseguirmos resolver tudo com Garth, por que não vai visitar Papai e Moira? Seu lobo não poder{ seguir você para Nova Iorque.‛ ‚Ele não é meu lobo, Brendan, então não torne a obsessão dele, maior do que já é. Ele sairá mais cedo ou mais tarde. Eu sou mais teimosa do que ele.‛ Seu irmão riu. ‚Muito ruim que ele não seja humano. Você podia tê-lo preso por espionar.‛ Empurrando-o fora do caminho, Melody agarrou a chaleira de chá e a encheu com a água. ‚V{ para casa, Brendan, antes que arranque uma parte do tão espesso, cabelo de prata que você tanto ama. Você não quer ter que explicar os lugares calvos para todas aquelas mulheres, que vivem correndo atrás de você.‛ Com outra risada, saltou sobre uma cadeira da cozinha e calçou as botas. ‚Eles iriam correr atrás de mim até mais, querendo saber como eu fui ferido.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Depois de colocar a chaleira cheia no fogão, Melody voltou-se para seu irmão. ‚Um dia você vai achar uma mulher que não pensa que você é a melhor coisa do mundo, e eu espero que eu esteja lá para ver isto. Você quer algum ch{ antes de partir?‛ Um sorriso largo intenso seu rosto, Brendan se levantou. ‚Não obrigado. Eu tenho que voltar para Garth e deixá-lo saber o que está acontecendo aqui.‛ ‚Você ficará com Garth e Eileen?‛ Ele agitou a cabeça. ‚Na pousada Bed and Breakfast da alcatéia de Belle por um dia ou dois. A cabana de Garth é do lado de uma montanha no meio de lugar nenhum, e ele tem um par de lobos velhos vivendo debaixo da varanda da frente, que insistem em rosnar para mim.‛ Quando Melody parou de rir, sorriu e então disse. ‚Bom para eles. Eles reconhecem um semvergonha quando vêem um.‛ Brendan devolveu o sorriso. ‚Assim como seu Drake reconhece sua companheira, quando ele a vê?‛ Ele deu um passo rápido e então a puxou em um abraço apertado antes dela poder acertá-lo. ‚Cuide-se, Mel. Tome cuidado com aquele sujeito da CIA. Garth disse que ele é muito, muito bom, e isso o torna completamente muito perigoso. Ligue se você me precisar, e eu voltarei. Se tivermos que livrarnos deste sujeito, nós iremos. Eu posso ter certeza de que seu corpo nunca será achado.‛ Melody o abraçou de volta. ‚Isso ser{ o último recurso. Nós teríamos os Federais por toda parte na cidade e nos negócios de todo mundo. A Alcatéia aqui é pequena, mas eles ainda não querem chamar atenção para si mesmos.‛ Brendan deu um passo atrás e a encarou. ‚Você não teve alguma dificuldade com algum deles, não é, porque você se recusou a juntar-se?‛ Melody sorriu e agitou a cabeça. ‚A Alcatéia aqui em Beacon Falls é organizada muito livremente. Eu não penso que qualquer Were daqui já se juntaram ‘oficialmente '. O xerife Dan Rivers é o Alfa, e sua esposa Shirley é uma boneca. Eles assumiram a obrigação de adotar todos os Weres na redondeza. Cail Marrom é o doutor da cidade, e sua esposa Julie, ajuda Shirley no café. Aqueles quatro são o centro da Alcatéia. Existem talvez, três ou quatro dúzias mais ou menos de Weres que residem na cidade e a zona rural e na floresta circundante. Todos eles vêm e vão como querem, e desde que não chamam atenção para si mesmos, Dan os deixa em paz.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Seu irmão balançou a cabeça. ‚O Alex de Belle cuida de um navio muito mais organizado. Ele e seus Betas mantêm tudo organizado e encaminhado. Claro, eles têm cerca de cem membros em sua Alcatéia.‛ A chaleira começou a assobiar. ‚Você tem certeza que não quer ch{?‛ Melody perguntou novamente, quando ergueu a chaleira e desligou o fogão. Depois de despejar a água quente em uma xícara, deixou a chaleira na pia e então pegou um saquinho de chá de uma caixa de lata próxima. Seu irmão negou com a cabeça. ‚Não, agora que te deixei a par de tudo, eu preciso voltar. Eu provavelmente passarei por Kearnan, entretanto. O papai e Moira decidiram visitar todo mundo, e a casa de Belle está centralmente localizada, por assim dizer.‛ Ele sorriu. ‚Então eu também estou entregando uma ordem para ter certeza de que você estará na casa de Belle em duas semanas, ou você enfrentará a ira do Papai.‛ ‚E se o cretino da CIA não tiver ido?‛ ‚Ele terá ido. O amigo de papai na CIA prometeu que resolveria tudo em uma semana, então tenha certeza de que estará na casa de Belle. Você não encontrou Moira ou nossas novas irmãs ainda, e Papai quer dar aos companheiros de Belle e Kearnan os cumprimentos.‛ Depois de soprar em seu chá quente, Melody arqueou uma sobrancelha. ‚Não, Eileen?‛ Seu irmão devolveu o sorriso. ‚Ele aprovou Eileen muito tempo atr{s, e desde que Kearnan e Serena têm uma filha, ele vai amar a companheira de Kearnan à primeira vista. Ele provavelmente dará a Alex um tempo difícil, entretanto.‛ Melody agitou a cabeça. O novo companheiro de Belle ia passar uns maus bocados. ‚Pobre Alex, acasalando a garotinha do Papai. Eu espero que ele esteja na reunião. Você sabe como Papai pode ser.‛ Brendan deu um sorriso mais largo. ‚Por que você não traz seu lobo com você? Eu aposto que Papai gostará dele.‛ Sufocando no meio de um gole, Melody soltou sua xícara na mesa e pulou para seu irmão. Ele já estava correndo fora da cozinha, através da sala de estar, e fora pela porta da frente. Melody estava em seu encalço. Quando estourou pela porta e saltou fora da varanda, ele embrulhou os braços ao redor dela em um abraço apertado. ‚Lembre-se, nós estamos sendo observados.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Embrulhando os braços ao redor das costelas dele, o apertou até que grunhiu. ‚Não tão forte assim!‛ ‚Você merece isto. Se nós não estivéssemos sendo observados, eu morderia você, mas aquele cretino lá em cima, definitivamente entenderia a mensagem errada.‛ Soltando Melody, Brendan deu um passo para trás. ‚Como eu disse, sou cuidadoso. Este sujeito é um profissional, e está procurando por lobisomens. Isso o faz mais perigoso do qualquer um que nós encontramos. Não perca oportunidades. Eu vou passar pelo escritório do xerife e falarei com ele, enquanto nosso amigo está aqui observando você. Faça algo suspeito para mantê-lo aqui por enquanto, certo?‛ Melody franziu a testa. ‚Que diabo eu j{ faço que seja suspeito? Você quer que eu fique parada aqui e uive para o sol ou algo assim?‛ Rindo, Brendan abraçou a irmã mais uma vez e então saiu pela varanda. ‚Lembre-se, Papai espera ver todos nós, na casa de Belle.‛ Movimentando a cabeça, Melody acenou quando seu irmão deslizou no SUV. Ela permaneceu de pé ao sol até que desapareceu nas árvores. Então, retornou a varanda e verificou se as cestas com plantas que pendiam do telhado precisavam ser regadas. Depois disto, voltou para a cabana, agitando a cabeça enquanto fazia isso. Algo suspeito para manter o fantasma na colina interessado? O que diabos deveria fazer? Construir uma bomba? Fechando a porta da frente firmemente atrás dela, bloqueou a vista dele e ligou o alarme, entretanto duvidava muito que Nick Price tentaria entrar enquanto estivesse em casa. Ele não a impressionou como sendo tão estúpido, ainda que provavelmente pensasse que podia dominá-la. Melody sorriu e então pensou. Ela adoraria vê-lo tentar. Deixando as cortinas de sala de estar abertas, fechá-las seria muito suspeito, caminhou na cozinha, limpou o chá derramado, e teve certeza que a porta de traz também estava fechada. Então, fez outra xícara de chá. Enquanto bebia, agitou sua cabeça. Droga, mas ela e Brendan tinham sido sortudos. Se ele abordasse sua cabana pela frente, ao invés da parte de trás e mudasse para a forma humana lá, Nick Price, agente da CIA, não teria que sair perseguindo Garth. Ele desceria aquela colina, depois deles. Concedido, juntos eles dariam cabo dele prontamente, mas, como disse a Brendan mais cedo, isso teria trazido mais agentes federais para cidade procurando por ele. Não só os Weres de Beacon Falls teriam ficado infelizes, existiam humanos aqui que não queriam qualquer um xeretando.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Terminando seu chá, Melody pôs a xícara na pia e foi até o quarto. Ela precisava de um chuveiro e então ir até a cidade. Não importa o que Brendan disse ou queria, tinha negócios a resolver. Relanceando um olhar nas cortinas abertas uma de cada lado da janela, Melody considerou fechá-las. Então, sorriu. Nick Price a estava observando? Bem, talvez devesse dar-lhe algo para olhar que valesse a pena. Abrindo a tira do robe, o deslizou fora de seus ombros e deixou cair ao redor de seus pés. Levantando os braços, ficou nas pontas dos pés e curvou as costas. Depois de se endireitar, sorriu, teve certeza que estava bem em frente à janela, e agarrou os peitos. Se o ‘Sr. Nick-fodido-Price’ da merda da CIA queria observá-la, lhe daria um show, que valeria a pena ver. Retirando-se sobre sua cama, abriu as pernas e deslizou a mão para baixo acima de seu estômago.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Cinco ‚Quem inferno é esse?‛ Nick murmurou para si mesmo, enquanto andava à esquerda e reenfocava seus binóculos para assistir o poderoso quatro por quatro desaparecer estrada abaixo na floresta, o pó ondulando atrás dele. Pelas últimas quatro horas, Nick tinha estado na colina acima da casa de Melody Gray. Dois veículos tinham estado estacionados próximo à cabana quando chegou, e pacientemente tinha estado esperando ver quem era o convidado dela. Com o tempo continuou e não viu nenhum movimento na cabana, considerou se aproximar mais. Então Melody caminhou nua em seu quarto seguido pelo sujeito de cabelo prata, enquanto ele estava ajeitando as calças. Quando Melody e seu convidado desapareceram de sua linha de visão novamente, Nick abaixou os binóculos e agitou a cabeça. Eles devem ter tido um inferno de uma foda na cozinha. Então, ela o perseguiu através da sala de estar e fora da cabana, antes do abraço de adeus. Um Jay azul1 irritado no galho acima de Nick gritou e então soltou um ramo em sua cabeça. ‚Malditos pássaros.‛ Ele murmurou, enquanto ia para a direita e deslizava um pouco na grama suave. ‚Eu mal posso esperar sentir o cimento debaixo de meus pés novamente. Fodido Sorescu e esta tarefa. Ele é um cretino idiota que precisa ter a merda da cabeça examinada. Lobisomens minha bunda.‛ Um galho estalou atrás dele e se girou, a memória do lobo que vira na noite anterior saltou em sua mente. O flash de um rabo branco o fez ficar imediatamente relaxando. Um cervo. Nada para se preocupar. Por alguns segundos, olhou fixamente no bosque onde o cervo desapareceu e então agitou a cabeça. ‚Deixe de vadiar, Price.‛ Ele rosnou para si mesmo. ‚Você j{ esteve até suas axilas na água do pântano com serpentes venenosas e cuspindo a fricção de uma tempestade de areia fora de sua boca, enquanto um vigia estava atirando em você. Todas as coisas consideradas, isto é um trabalho fácil. Tudo

1

São pássaros da floresta tímida, raramente se movendo longe de cobrir. A chamada gritando geralmente permite que você saiba geralmente, quando a ave está em movimento, para assistir a um pássaro voando entre as árvores com seus distintivos flash do branco na garupa. Jays são famosos por seus hábitos alimentares, você pode vê-los enterrar as nozes para recuperar mais tarde no inverno.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

que você tem que fazer é descobrir o que Gray realmente sabe, então pode partir. Hurley foi para o Norte. Sua trilha aumentar{.‛ Virando, focou os binóculos para examinar a janela do quarto de Melody...e quase os soltou. Ela estava na cama com as pernas abertas, se masturbando. Seus binóculos de alta tecnologia eram tão sensíveis, que podia ver as gotas de umidade nos lábios da vagina dela. Engolindo em seco, Nick deixou os binóculos caírem contra seu tórax pela correia. Cristo, aquele sujeito que tinha estado com ela pelas últimas quatro horas não a satisfizera? Era por isso que ela o perseguiu através da sala de estar? Ela ainda estava excitada? Quem era ela, uma ninfomaníaca? Olhando para cima na escuridão, os galhos verdes do pinheiro no céu azul sem nuvens, Nick jurou para si mesmo e se levantou. Ele devia descer a montanha para seu hotel, empacotar tudo e sair atrás de Hurley. É isso que devia fazer. Para o inferno com o intestino que continuava lhe dizendo que Melody Gray sabia mais sobre seu alvo, do que estava divulgando. Seu intestino estava lhe dizendo outra coisa agora...esta mulher Gray era mais dificuldade do que queria e iria foder sua vida, até mais do que Sorescu. A coisa esperta a fazer era estar tão longe, quanto pudesse. Escorando as mãos nos quadris, Nick continuou olhando fixamente para o céu. Fugir de uma mulher? Merda, nenhum homem já o assustara de um trabalho, nem aquele torturador na Argélia. E a única mulher que tinha medo de qualquer forma, era a tia que o criou. Um sorriso breve levantou os cantos de sua boca. Sua Tia Jasmine era uma mulher que ninguém sacaneava. Ela lançaria maldições de vodu na hora e partiria. Um pequeno riso estourou de sua garganta e Nick agitou a cabeça. Tia Jasmine estaria pondo uma maldição se não terminasse, o que começou aqui. Se ele pensava que Melody Gray sabia algo, então seria melhor descobri o que era. Sua Tia Jasmine , até sem seu suposto vodu, podia transformar sua vida num inferno de muito mais, do que Melody Gray. Nick bufou. Vodu, ha! O vodu era tão real quanto lobisomens. Mas sua Tia Jasmine acreditava nisto, e era a pessoa mais importante em sua vida. Ela o criou depois que seus pais tinham morrido naquele acidente de trânsito. Ela teve certeza que ele entendeu ambos os lados de sua herança, a AfroAmericana e a britânica, embora muitos de seus amigos desaprovaram sua ‚educação branca.‚ Tia Jasmine não se importou com o que eles pensavam. A mãe de Nick não se importou que o homem que amou fosse branco. Para ela, o interior de uma pessoa era o que importava, e Sua Tia Jasmine teve certeza que Nick aprendeu isto.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick continuou a sorrir em suas memórias. Tia Jasmine se ofereceu para cuidar de um menino de onze anos, sem hesitar um segundo e devolveu a alegria em sua vida. Ela era sua tia, mãe e irmã, tudo de uma vez só e o apoiou em todos os seus empenhos. Ela tinha ficado tão orgulhosa, quando se formou, então nem mesmo piscou quando lhe disse que queria juntar-se a CIA, embora ela não confiasse na agência para cuidar de ‚seu menino‛. Não, o apoiou cem por cento. Agora, só o desapontamento em seus olhos ou uma palavra triste em sua voz macia faria seu coração doer. Ela ensinou que ele terminasse o que começasse e não estava para desapontar o mundo. Então, se quisesse acreditar em vodu, tudo bem com Nick. Tão frustrante quanto Melody Gray provavelmente se tornaria, iria ficar aqui até que compreendesse exatamente o que ela era. Levantamento o binóculos, os enfocou em Melody e imediatamente cuspiu fora uma maldição. Uma das mãos dela segurava um seio enquanto o dedo polegar sacudia o mamilo, e os dedos de sua outra mão estava dançando no monte de Vênus e ao redor do clitóris. Ele olhou para o céu mais uma vez, quando uma gota de suor abriu ao lado de seu rosto. Ele devia partir, mas ao invés abaixou seu olhar e levantou os binóculos. Nem por sua vida, podia deixar de olhar. Enquanto assistia Melody arquear as costas e bombear os quadris contra sua mão, seu pênis estremeceu e se encheu. Fechando os olhos, Nick focou sua vontade para recuperar o controle de seu corpo. Ao longo dos anos, observara desapaixonadamente mais de um ato sexual enquanto seguia suspeitos, muitos muito mais eróticos....ou pervertidos, do que aquela de uma mulher se masturbando. Nunca uma vez seu corpo reagiu para qualquer coisa que viu. Agora seu pênis estava esticado contra sua perna, ficando mais duro a cada segundo. O que diabos sobre esta mulher particular, mandava seu controle para o inferno? Quando seu corpo recusou-se a se controlar apropriadamente por sua vontade, Nick abriu os olhos. Friccionando os dentes, ignorou seu agora pênis pulsante. Nenhuma mulher iria fazê-lo perder seu autocontrole, nem mesmo se tivesse que viver com o pênis duro o dia todo. Cercada pelo odor de sua estimulação, Melody gemeu e suspirou, enquanto seus dedos dançavam em seu clitóris. Ela não queria ter ficado tão excitada, planejava simplesmente tocar a si mesma durante algum tempo, para seu vigia se concentrar nela ao invés seguir Brendan. Mas o pensamento de Nick Price a observando e a memória do quão…duro…seu torso aparecia naquela camisa apertada que usava, quando entrara pela primeira vez em seu escritório, depressa acabou com


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

seu plano. Ao invés, fantasiou que ele estava aqui agora, com a camisa tirada e seus bem definido, músculos cor de café cobertos com suor liso, enquanto seu escuro, nu e com o pênis ereto. E ele tinha o mesmo sorriso superior que esteve usando em seu rosto em seu escritório ontem. Enquanto esfregava seu clitóris, Melody estremeceu. Filho de uma cadela, mas Price tinha uma atitude convencida, uma que adoraria esbofetear fora de seu rosto. Entretanto, quando seu clitóris apertou e começou a pulsar, ela deslizou mais fundo em sua fantasia.

Nick Price deslizou a mão áspera dentro de suas coxas e enterrou um par de dedos em sua boceta escorregadia. “Oh deuses.” Melody gemeu, enquanto arqueava contra sua mão. “Por favor…” “Gosta disso? Quer mais?” Ele perguntou enquanto empurrava os dedos dentro e fora. “Sim, oh, sim!” Gemendo, se fixou. “Porra, mas você está molhada.” Afastando a mão longe, a pôs entre as pernas dela e afastou-lhe mais as coxas. “Abra essas pernas para mim, bebê.” Quando ele pôs os quadris contra os dela e deslizou o pênis baixo contra seu clitóris, os gemidos de Melody se tornaram gemidos frustrados. “Pare de brincar, droga! Eu preciso de seu pênis dentro de mim, agora!” Ele abaixou a cabeça e chupou seu mamilo formigante. Então, ele levantou o rosto e examinou seus olhos. “O que você quiser, bebê.” Uma punhalada dura teve o pênis dele enterrado em sua vagina. Melody uivou de prazer. Ele puxou de volta e empurrou novamente, enterrando-se muito mais fundo. Novamente se retirou, e novamente empurrou profundamente. Melody embrulhou suas pernas ao redor da cintura dele e seus músculos internos chuparam o pênis dele tão profundamente dentro dela, na medida em que podia. O ritmo dele aumentou e ela o acompanhou...punhalada por punhalada, torça para torção. Arquejando, cravou os dedos na pele lisa, escura do traseiro dele e tentou o puxar mais fundo. “Sim, bebê. Isto mesmo. Agarre minha bunda. Aperte-a.”

Perdida em sua fantasia, Melody gemeu, quando comprimiu o mamilo. Com as coxas e os músculos abdominais estremecendo, arqueou as costas e esfregou seu clitóris com mais força. Quando a cama balançou embaixo dela, explodiu num orgasmo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Em cima na colina, mais suor correu pela fronte de Nick, enquanto assistia Melody virar a cabeça nas laterais e girar os quadris de modo selvagem. Um momento ela tinha os calcanhares apoiados contra o colchão, no próximo estava os levantando no ar. Ela abriu mais as pernas e então as fechou contra os dedos. O tempo todo, seus quadris trançavam e giraram, enquanto os esfregava contra sua mão. O coração de Nick bateu e seu pênis pulsou em uníssono dentro de sua calça jeans apertada. Friccionando os dentes, lutou contra o desejo de libertar sua ereção e bombear até atingir o clímax. O sexo nunca era parte de um trabalho que fazia, e não estava para mudar agora, mesmo que fosse consigo mesmo. No quarto, Melody de repente parou de se mover, quando seu corpo endureceu. Só os dedos em seu clitóris se moveram até, finalmente, seu corpo inteiro curvar-se para fora da cama. Mesmo na colina, Nick ouviu seu grito de êxtase. Naquele momento exato, o fogo estourou das bolas de Nick, e o quente, pegajoso esperma esporeou em sua calça jeans apertada, enquanto cambaleava para se equilibrar. Soltando os binóculos contra seu tórax, ergueu a mão esquerda e agarrou um rebento próximo para evitar cair de joelhos. Cristo! Ele nem mesmo se tocara e seus joelhos estavam iguais à gelatina, e quase não podiam o sustentar. Ele não teve que olhar para saber que um grande lugar molhado estava manchando a perna esquerda de sua calça jeans. Agitando a cabeça, olhou fixamente abaixo na cabana. Que tipo de mulher era esta Melody Gray? Ninguém jamais o afetou assim antes. Ainda respirando fortemente, Melody balançou as pernas para o lado da cama e sentou. Uma vez que seu coração parou de bater tão forte, se levantou só para se deixar cair na cama quando seus joelhos cambalearam e suas pernas não a sustentaram. Empurrando o cabelo para trás do rosto, encarou a si mesma no espelho da cômoda. Uma gota de suor caiu de sua fronte sobre sua bochecha. Seu rosto estava ruborizado, assim como seus peitos. Ambos ainda estavam formigando, e seus mamilos estavam maiores do que já os vira. Os espasmos de excitação estavam ainda apunhalando sua vagina. Por todos os deuses, nunca tivera um orgasmo assim antes, mesmo com outra pessoa! Agitando a cabeça, respirou fundo várias vezes e se levantou. Ela cambaleou um pouco, mas desta vez ficou de pé. Depois de mais algumas respirações fundas, cambaleou até o chuveiro.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Trabalho, tinha que chegar ao trabalhar. Talvez então, pudesse manter sua mente em assuntos mais sérios, assim como iria manter Nick Price longe da trilha do seu irmão. Seu bufo estourou ao redor do banheiro pequeno. Se ele fosse metade tão bom na realidade, quanto fora em sua fantasia, poderia algemá-lo em sua cama por algumas semanas. Ela podia pensar sobre mais de um jeito para mantê-lo ocupado...e exausto. Quando ligou a água do chuveiro, bufou uma segunda vez. O que estava pensando? Manter Price em sua casa? Nem no inferno. Ela não se importou o quão bom ele fosse na cama. Nick Price era um homem perigoso, e iria mantê-lo sob rédeas curtas. Quem se importava em quão bom o sexo de mentira era de qualquer maneira?


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Seis Quando Melody entrou no escritório de sua agência, não precisou ler o sinal pois John levantou e disse. ‚Invadiram o escritório.‛ para saber que Nick Price tinha estado lá, enquanto o edifício tinha estado vazio. Seu odor não penetrava só o escritório exterior, mas também o escritório dela. Seguindo o rastro de Price de lugar de lugar, depressa achou os quatro dispositivos eletrônicos que dispersara em vários locais nos dois escritórios. O que nós devíamos fazer? Melody piscou e agitou a cabeça. A maioria dos lobisomens sem Alcatéia raramente se comunicava mente-a-mente, enquanto na forma humana. Por alguma razão era mais difícil algo a ver com o fato de que eles pudessem falar como humanos e seus cérebros queriam usar as cordas vocais, de acordo com os cientistas lobisomens que estudaram o assunto. Ainda assim, era um bom jeito para conversar reservadamente com alguém. Olhando fixamente para John, focou seus pensamentos e concentrou-se. Nada. Se nós destruirmos ou os incapacitarmos, ele saberá que nós os achamos. Neste momento, ele pensa que nós somos um bando de cretinos particulares. Eu não o quero pensando diferente. Nós precisamos mantê-lo ocupado, até que o contato do meu pai o consiga de volta a Washington. John sorriu para ela. Você é a chefe. Melody movimentou a cabeça. Certo então, conversação normal, com alguma fofoca local para manter Price entretido. ‚Qualquer coisa nova, John?‛ Ela perguntou, enquanto se encaminhava para seu escritório. Ela deixou a porta aberta. Uma vez que Nick Price estivesse cansado de escutar as fofocas da cidade que ela e John conversariam pela próxima hora, provavelmente ficaria tão chateado que entraria no escritório com alguma desculpa esfarrapada sobre uma inconsistência no arquivo de Jake Fields só para ver o que eles estavam fazendo. Melody sorriu. Acabar com a paciência de um fantasma pé no saco dos cretinos da CIA, enquanto pensasse que não sabia o que ele estava fazendo podia ser divertido. John levantou uma pilha de arquivos. ‚Nada novo. Como sempre, nós temos uma tonelada de papelada para cuidar.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody enrugou o nariz. Merda, mas isso era uma grande pilha de arquivos. Eles realmente tinham deixado isto de lado por tanto tempo? Considerando o quanto estavam distantes de uma grande cidade, estava freqüentemente pasma com quantos negócios tinha. ‚Eu odeio burocracia.‛ A risada de John ondulou ao redor ela. ‚Muito ruim. Tem que ser feito. Eu continuo dizendo a você para contratar um secretário. Existem muito mais investigações aqui no interior para investigadores privados do que imaginei. Eu deveria ser semi-aposentado, sabe.‛ Melody bufou. ‚Você? Se aposentar? O inferno congelará primeiro.‛ Depois de uma piscada rápida para seu colega de trabalho, mudou de assunto. Hora de começar a entreter Price. ‚Como est{ Penny? Ela está se sentindo melhor hoje?‛ Penny era a cachorra prenha irlandesa do vizinho John, mas Price não sabia disto. John compreendeu imediatamente. ‚Ela est{ bem, eu acho. Bem corajosa em relação a mim. A única pessoa que deixar se aproximar agora dela é Frank.‛ ‚Penny é sua, sabe. Eu não sei por que você não pode deixá-la só, e eu não sei por que Martha tolera você vagueando atrás de Penny. Ela iria te bater com uma frigideira, do que compartilhar você.‛ John riu. ‚É tudo porque Penny tem cabelo vermelho. Você já viu qualquer coisa tão suave e sedosa em toda sua vida?‛ ‚Você e cabelos vermelhos. Um dia destes vai te meter em um grande problema, e Martha te expulsará com o rabo entre as pernas.‛ ‚Agora, Melody, você sabe que minha Martha me ama. Ela não pode viver sem mim.‛ Mordendo a parte interior da bochecha para evitar rir, Melody respirou fundo e então disse. ‚Você continua dizendo isto a si mesmo, John. Não diga que eu não o adverti. Como vão os gêmeos de Wallace, a propósito?‛ ‚Aqueles dois? Se metendo em confusões como sempre. Todo mundo pensou que a catapora fosse diminuir a velocidade deles, mas fugiram do quarto, pegaram as bicicletas, e tentaram pedalar naquela barranca íngreme atrás da casa deles. Eles acabaram colidindo na cerca da velha senhora Deigen e derrubando a roupa limpa estendida.‛ Melody riu. ‚A velha senhora Deigen, huh? Aqueles meninos estão em grande dificuldade.‛ ‚Sim.‛ John disse, quando puxou o cachimbo fora da gaveta e o bateu contra sua palma. ‚Ela agarrou cada um por uma orelha e os arrastou até o escritório do xerife. Folk disse que o olhar no rosto da mãe deles, quando os levou de volta para casa poderia assustar até um esquadrão de Rangers.‛ Ele


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

terminou, enquanto colocava o tabaco no cachimbo. Acendendo-o, pôs o cachimbo entre os lábios e soprou. Melody agitou a cabeça. ‚Eu pensei que você disse a Martha que tinha desistido de fumar essa coisa fedorenta? Você sentirá muito quando ela descobrir que você não fez.‛ Soprando, ele sorriu e então disse. ‚Mas ela não descobrir{, desde que você não lhe diga.‛ A porta bateu antes de Melody poder responder, e teve que se controlar assim não riu na cara de Nick Price. Parecia que não podia agüentar a fofoca local por mais do que alguns minutos. ‚Bom dia, Sr. Price, o que nós podemos fazer por você?‛ Melody perguntou, enquanto desviava o olhar do torso dele....maldição, mas ele era musculoso e examinava seu rosto. Diferente do dia anterior, quando encontrou Nick pela primeira vez, Melody não estava mais cansada. Ela estava completamente acordada agora, com seus sentidos totalmente alertas. O olhar dela viajou dos lábios dele ao queixo forte, preto e móvel, que estava em uma linha apertada, examinou seus olhos cor de chocolate, e quase caiu no chão, quando sua alma de lobisomem rugiu com plenitude. Meu! Ele é meu, meu, meu! Companheiro! Meu companheiro! Ele é meu companheiro! Ofegando para recuperar o fôlego, Melody se dobrou e agarrou a extremidade da escrivaninha de John para se impedir de cair ou saltar nos braços de Price. ‚Melody!‛ John ganiu, quando ele saltou para seu lado. ‚O que est{ errado? Você está bem?‛ Ele colocou uma mão nas costas dela e agarrou seu ombro com a outra. ‚Eu…eu…‛ Com sua ajuda, ela se empurrou na vertical. As juntas estavam embranquecendo, enquanto segurava a extremidade da escrivaninha, lutou para controlar o lobisomem furioso dentro de si...o lobisomem que queria se lançar sobre corpo duro de Price. Momentaneamente chocado pela ação inesperada de Melody, Nick simplesmente a encarou quando praticamente se dobrou, perguntando-se à toa se a masturbação explosiva dela naquela manhã podia ter algo a ver com isto. Quando seu parceiro saltou para o lado dela, entretanto, ele franziu o cenho. Talvez ela estivesse doente. ‚Eu posso pegar algo para você? Água? Eu devia chamar um doutor, 9-1-1 ou algo?‛ Quando ela virou o rosto em direção dele e o fuzilou com selvageria, os olhos com manchas de douradas, Nick deu um passo atrás. Cristo, mas isso era um olhar misterioso. Então ele carranqueou. Ontem, os olhos dela eram claros, azuis, ele estava absolutamente certo disto. De onde aquelas manchas de ouro vieram? Que diabo estava acontecendo?


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Soltando a cabeça de forma que seu cabelo longo, quase branco de loiro caísse para frente e cobrisse seu rosto, respirou profundamente e então expirou. ‚Nada…Sr. Price.‛ Ela sufocou fora. ‚Isso…não ser{ necess{rio. Eu estou bem.‛ Nick se aproximou mais. Ele teve que conseguir outro olhar nos olhos dela. ‚Você não parece bem. Sua lateral dói? Você poderia ter apendicite.‛ Ela agitou a cabeça, respirou fundo e se endireitou. ‚Eu posso lhe assegurar, Sr. Price, eu não tenho apendicite.‛ O olhar fixo em seus olhos azuis era um desafio e uma advertência. Nick deu um passo para trás novamente. Desafio? Advertência? Que diabo estava acontecendo? As perguntas e suspeitas rondavam em sua mente, Nick olhou fixamente de volta. Fazendo careta, ela desviou o olhar e tomou outra respiração funda. A expressão em seu rosto ficou completamente em branco e o olhar em seus olhos se tornou completamente indecifrável. Ela o olhou nos olhos novamente. ‚O que nós podemos fazer por você, Sr. Price?‛ Procurando por qualquer sinal de debilidade que podia explorar, Nick a encarou. ‚Eu tenho algumas perguntas sobre o arquivo que você me deu.‛ O olhar dela não deixou o seu. ‚Converse com John. Era o caso dele.‛ Virando, andou a passos largos para seu escritório e fechou a porta firmemente atrás dela. ‚O que você quer saber?‛ O parceiro dela perguntou. ‚Eu pensei que tudo que eu tinha estava perfeitamente claro.‛ Nick desviou o olhar fixo longe da porta do escritório de Melody e voltou sua atenção para John Stevens. Enquanto escutava o que o parceiro de Gray dizia com metade de sua mente, a outra metade estava bloqueada pelas ações de Melody Gray. Aquele olhar de choque e surpresa em seus olhos tinha sido real. O que causou isto? Ela estava escondendo algo sobre Hurley, que não tinha-lhe dito. Ele estava certo disto agora. Em seu escritório, Melody desmoronou em sua cadeira e encarou a parede. Sua alma estava xingando contra ela, mas recuperar o controle agora. De todos os seus irmãos, era a mais forte. Ela fora a primeira a realizar a transformação de forma de lobo em humana, a primeira de seus irmãos e irmã para dominar e manter a forma humana tanto quanto quisesse. Seu pai não tinha sido a favor dela começando sua própria agência de detetive longe de sua proteção, mas se manteve firme, tinha gritado e rosnado com ele, e fez o que bem quis. Até este dia, sua vida tinha sido maravilhosa. Agora, porém, um homem tinha virado sua vida de cabeça para baixo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Uma lágrima caiu em sua bochecha, e a afastou. Acasalar com Nick Price? Um humano? O maldito fantasma da CIA que perseguia seu irmão era seu companheiro, era a outra metade de sua alma? Que diabo estava acontecendo? Isto não deveria acontecer! Oh, soube que algum dia, de preferência em anos bem distantes de agora, encontraria o homem que deveria ser seu companheiro. Mas hoje? Um humano? Ela não estava pronta. O que fez para merecer este destino? Quando outra lágrima caiu sua bochecha, Melody fungou e então rosnou. Nick Price era o homem que quis trancar seu irmão longe, para o resto da vida! Como ele podia ser seu companheiro?


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Sete ‚Eu ainda digo que você devia ir para casa.‛ John disse, enquanto segurava a porta do Big Kate Taverna de Cavalheiros e Salão de Dança, o bar e restaurante favorito de muitos dos habitantes da cidade. ‚Você teve um bom choque.‛ ‚E o que eu faria l{?‛ Melody perguntou quando entrou no bar. ‚Sentar e olhar fixamente para as paredes? Dar uma corrida? Se eu fizesse isto, Drake apareceria, então eu teria que lidar com outro macho que não quero. Não obrigado. Eu quero uma cerveja...algumas cervejas.‛ Estatelando-se sobre um tamborete no fim do bar, chamou a atenção do garçom de bar, levantou dois dedos, e olhou de esguelha para seu parceiro. ‚Você quer uma cerveja também, certo?‛ O forte garçom do bar foi até o fim do bar segurando duas suando, de longo gargalo, garrafas marrons em sua mão. Assim que fixou uma na frente dela, Melody a agarrou, abriu, e sorveu a cerveja gelada. Batendo a cerveja vazia no balcão, ela disse, ‚Dê-me outra.‛ ‚Suponho que você não quer um copo.‛ O garçom do bar murmurou, enquanto erguia uma sobrancelha em John. O parceiro de Melody encolheu os ombros. ‚Dia difícil no trabalho?‛ O grande homem perguntou, enquanto colocava outra cerveja para Melody. ‚Eu não quero conversar sobre isto, Bart.‛ Ela respondeu, enquanto pegava a garrafa gelada mais próxima. Desta vez, entretanto, simplesmente bebeu a cerveja. Rodando a cadeira, assistiu seu parceiro e o garçom do bar de canto de olho, enquanto fingia olhar fixamente para os dois homens jogando sinuca. Novamente o garçom de bar arqueou uma sobrancelha para John. John agitou a cabeça e então disse. ‚Martha vem me encontrar aqui para jantar.‛ ‚Você quer uma mesa no jantar?‛ John olhou de esguelha para Melody. ‚Nós preferimos ficar aqui na parte de trás do bar, Bart.‛ ‚Certo. A do canto certo?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O parceiro da Melody pôs o pé na grade de metal, descansou um braço no bar, e movimentou a cabeça. ‚Isso está bom.‛ Ele ergueu a cerveja e tomou um gole longo, lento. ‚Tem pescado ultimamente?‛ Enxugando o bar já limpo com uma toalha branca, Bart agitou a cabeça. ‚Não. Não tive tempo. Estava pensando em ir domingo, entretanto. Interessado em ir junto?‛ Ignorando a conversação ao seu lado agora que não era sobre ela, Bart e John podiam conversar sobre pesca por horas a fio, Melody deslizou fora de seu tamborete e passeou em direção à mesa de sinuca. Uma vez lá, escorou um quadril no tamborete no fim do bar e continuou dando goles em sua cerveja, enquanto se forçava a tentar se concentrar no jogo. O lobisomem em sua alma não lhe permitiria qualquer paz. Meu companheiro! Vá agora. Acasale-se com ele. Agora! Ela tragou mais cerveja. Maldição, mas a metade animal dela era persistente. Uma vez que sua metade lobo tinha a mente em algo, era como um cachorro cuidando de um osso. O grunhido interno em comparar um lobo a um cachorro, um animal que desistiu da liberdade e se unira aos humanos, causaram um estremecimento aos lábios de Melody, mas seu sorriso não durou muito. Atrás de outro trago da cerveja, afastou o cabelo fora de sua fronte. Maldição! Ela não estava pronta para ser acasalada, não é? E por que um humano, especialmente um tão arrogante quanto Nick Price? Ela nem mesmo gostava dele. Não é? A lembrança de Nick, quando entrara pela primeira vez em seu escritório estalou em sua mente, o bonito escuro rosto e uma cabeça suavemente raspada, calças de camuflagem, e uma camisa apertada, preta acima de um tórax largo e bíceps bem desenvolvidos. E embora suas calças de camuflagem fossem soltas, o traseiro dele parecia bem bonito nelas, quando saiu do escritório. O barulho de uma bola batendo outra e os risos masculinos a tiraram de seus pensamentos. Piscando, se achou olhando fixamente no rosto sorridente do dono da loja de alimentação local. ‚Que tal um jogo, Melody? O Ben aqui não é qualquer tipo de desafio.‛ Ele esmagou o dedo puxando velas de ignição, daquele velho caminhão seu. Concentrando-se no aroma confortante da boa comida que flutuava da cozinha atrás do bar, o picante odor da cerveja que ela levava, e os odores familiares dos protetores de bar, Melody começou a relaxar. Empurrando lobisomem resmungão para a parte de trás de sua mente, ela bateu com força a porta fechada em seus pensamentos sobre Nick, girou para o homem alto que a desafiou e sorriu.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Certo, Dan. Eu gostaria.‛ Isto me dará qualquer outra coisa para pensar. ‚Você os extorque. Eu encaçapo.‛ Agarrando o taco de sinuca, girou ao redor de seus dedos por alguns momentos, enquanto caminhava para o outro lado da mesa da sinuca, rolando o pescoço e ombros para se relaxar. Curvandose sobre a extremidade da mesa, atirou a bola da vez no triângulo colorido de bolas no outro lado da mesa. As bolas rolaram em todas as direções, quando a bola branca as acertou. Nenhuma encaçapou. Dan sorriu. ‚Seu jogo está ruim, Melody. Talvez eu te derrote hoje à noite.‛ Melody agitou sua cabeça. ‚Você não tem chance, Dan. Eu estou só lamentando por você e decidi te dar uma vantagem.‛ Quando o riso masculino ecoou em torno do bar, Melody começou a relaxar. Todo mundo aqui era um amigo. Indo para o outro lado da mesa, Dan conseguiu encaçapar a bola dois e depois a cinco, mas não conseguiu a número seis, Melody sorriu. ‚Minha vez. Você está pronto para aprender agora, Dan?‛ Ele agitou a cabeça sentidamente. ‚Faça seu pior, Mel.‛ Melody sorriu mais largo. ‚Eu planejo fazer meu melhor.‛ Um estalo r{pido de seu pulso e as dez bolas rolaram nos buracos dos cantos da mesa, depressa seguidas pelas treze e a nove. ‚Parece que você está em apuros, Dan.‛ Ben disse de sua cadeira no bar, quando Melody afundou a bola onze. ‚Ela está quente hoje | noite.‛ Quando Melody estava para correr a mesa e bater a bola oito no bolso lateral, um odor atraente flutuou através do lugar e se embrulhou ao redor dela. Sua alma de lobisomem empurrou aquela porta na mente escancarada. Meu! Meu! Meu! Ela bateu a bola fora de centro. Ele bateu na bola quatro e a encaçapou em um buraco lateral. ‚Maldição!‛ Endireitando-se, lutou para controle enquanto fazia seu melhor para ignorar o homem que estava sentado sobre um tamborete no bar. Por que Nick Price tinha que aparecer justo, quando conseguiu deixá-lo em um canto minúsculo de sua mente onde ele não podia a aborrecer? Dan gritou para ela. ‚Obrigado, Mel.‛ Alinhando-se e atirando, ele bateu outra de suas bolas na caçapa. Girando suas costas para Nick, Melody acenou para o espaço, enquanto mantinha o lobo dentro dela firmemente sob controle. Ela não era uma cadela no cio, para agitar o rabo para seu companheiro para fazer ele a perseguir.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela endureceu, até mais quando seus olhos se arregalaram. Seu companheiro? As juntas da mão embranquecidas dela se embrulharam ao redor do taco de sinuca. Seu companheiro? Ela o chamara disto? Até para si mesma? ‚Melody!‛ Ela voltou à atenção para a mesa de sinuca. ‚O que!‛ ‚Pare de sonhar acordada, menina! Dan errou. É sua vez.‛ Ben gritou. Depois de um leve, ela esperava que despercebido, tremor, Melody examinou a mesa de sinuca e então agitou a cabeça no alvo fácil que ela tinha. Tudo que tinha que fazer era bater a bola branca na doze para encaçapá-la no buraco lateral. Ainda assim, levou um momento para alinhar o tiro. Perder seria muito vergonhoso. Enquanto se concentrava, ignorou o barulho e odores de outras pessoas no bar....até que alguém parou diretamente atrás dela. ‚Aqui, querida, deixe-me ajudar você com isto.‛ Inclinando-se acima das costas dela, colocou a mão no taco. A frustração sexual masculina a atingiu em cheio. Não outro! ‚Kenny, se afaste antes de eu faça você se arrepender de estar vivo.‛ Ela rosnou. A respiração morna afagou ambos os lados de seu pescoço, quando ele riu e então sussurrou em sua orelha, ‚Vamos lá, Melody, querida. Você sabe que não pode resistir a mim. Além disso, você é minha. Nenhum outro Were por aqui é bom o suficiente para você.‛ Ele esfregou as partes intimas contra o traseiro dela. ‚Vamos a algum lugar onde nós possamos ficar sozinhos.‛ ‚Vai se danar.‛ Movendo os quadris de lado, Melody arrancou o taco de sinuca para trás. Quando bateu nas bolas de Kenny, ele gritou, empurrou as mãos para cobrir sua braguilha e dobrou-se de dor. Quando a cabeça dele baixou, Melody ergueu o taco e a assim conectou solidamente com o queixo dele. Levantando uma mão de sua braguilha para agarrar o queixo, uivou novamente e caiu de joelhos. Girando, o taco de sinuca em suas mãos, Melody rosnou. ‚Eu adverti que você me deixasse em paz, Kenny.‛ ‚Você…cadela…vadia! Você me paga…por isto!‛ Kenny ofegou, enquanto lutava para se levantar.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Quando seus três amigos vestidos de couro e correntes convergiram para Melody, o som de uma espingarda suprimiu as maldições ofegantes de Kenny. ‚Qual o problema aqui?‛ Perguntou uma nova voz. Afastando-se dos quatro homens diante dela, Melody encarou o xerife. ‚Kenny me assediou e eu me defendi.‛ O homem alto empurrou o chapéu para atrás em sua cabeça e olhou para Dan e Ben. Ambos encolheram os ombros. ‚Ele veio por trás dela, enquanto estava se preparando para jogar.‛ Ben disse. ‚Então ele se esfregou contra ela. Eu teria feito a mesma coisa que Melody fez.‛ Movimentando a cabeça, o xerife olhou fixamente para Kenny. ‚Você foi advertido para deixar Melody em paz. Ela não tem nenhum interesse em você, Kenny. O quão estúpido você é?‛ O homem jovem, de cabelos loiros lutou para se levantar. ‚Eu a quero! Nenhum outro por aqui é forte suficiente para aças....‛ Bart deu um tiro com a espingarda novamente, quando o xerife avançou e agarrou Kenny pelas lapelas de sua jaqueta de couro. O que ele ia dizer abruptamente parou. ‚Cale-se, Kenny, e saia daqui, antes de eu te prender por perturbar a paz.‛ Rosnando uma maldição, o jovem homem se libertou do aperto do xerife. Acenando para Melody, ele rosnou. ‚Você lamentar{ isto, cadela.‛ O xerife o agarrou pelo braço e o empurrou em direção | porta. ‚V{ agora, antes de eu adicionar fazer ameaças de danos corporais à lista.‛ Ainda rosnando e seguido por seus camaradas, Kenny andou aos tropeções pelo bar e saiu pelas portas de balanço. Agitando a cabeça, o xerife acenou para Bart. ‚Você pode colocar sua espingarda no lugar agora e é melhor não estar carregado!‛ Ele girou para Melody. ‚Você está bem?‛ Melody movimentada a cabeça. ‚Eu estou bem.‛ ‚Kenny não vai agüentar quieto esta rejeição pública, Melody. É melhor se cuidar e me chamar se houver qualquer dificuldade.‛ O xerife adicionou quietamente. Juntando seu cabelo para trás, Melody meneou a cabeça. ‚Eu posso lidar com Kenny. Você não tem que se preocupar sobre mim.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚É sobre Kenny que eu estou preocupado.‛ O xerife respondeu com um sorriso. ‚Eu não quero ter que explicar para a mamãe dele, se você o castrar da próxima vez.‛ A tensão que tinha envolvido Melody afrouxou com o comentário do xerife. Todo mundo na cidade constantemente balançavam as cabeças com as tentativas de Kenny, para cortejar Melody desde que chegara quatro anos atrás, embora ela tenha deixado bem claro em mais de uma ocasião que não estava interessada. Até hoje, suas rejeições tinha sido relativamente gentis. Melody suspirou. Talvez tivesse exagerado, mas suas emoções tinha estado em uma montanha russa, desde examinou os olhos de Nick Price mais cedo aquele dia. Neste estado, nenhum lobisomem podia controlar completamente suas reações. Infelizmente, a maior parte da cidade não sabia que ela e Kenny eram lobisomens. ‚Você tem certeza que está bem, Melody? Você parece um pouco extenuada.‛ Melody deu um sorriso fraco. ‚Eu estou bem, Xerife, realmente.‛ O xerife olhou John de esguelha. Ele movimentou ligeiramente a cabeça. Melody friccionou os dentes. Se não houvesse quaisquer humanos aqui. Ela daria a seus irmãos lobisomens: John, Bart e o xerife...uma tremenda reprimenda, e talvez alguns beliscões bem dados. Ela não precisava deles atuando como se fossem seus pais novamente. Honestamente, se não os conhecesse melhor, juraria que seu pai os tinha cuidando dela. Aquele suspeito começou a girar na mente dela, os olhou de esguelha e começou, ‚Escute, você, será que meu papai …‛ Ela foi interrompida por outra voz, que causou o lobisomem nela vibrar de prazer. ‚Quer jogar sinuca outra vez, Sra. Gray?‛ Em pé no outro lado da mesa, Nick Price esfregava um giz de sinuca. ‚Eu encaçaparei.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Oito Antes dela poder responder, Nick girou, juntou as bolas, mirou na bola da vez e bateu seu taco nela. Quando o barulho de bola batendo em bola reverberou em torno do lugar, esferas sólidas e listadas rolaram e ricochetearam em torno da mesa de sinuca e nas laterais. Nenhuma bola foi encaçapada. Por um momento ela olhou fixamente à mesa. Então, suspirando mentalmente, cedeu ao lobo dentro dela. Que mal podia fazer um jogo de sinuca? ‚Você tem certeza, que sabe jogar este jogo?‛ Ela perguntou enquanto se debruçava sobre a mesa e batia uma bola listada num buraco do canto. ‚Você acerta as bolas nos buracos.‛ Nick respondeu. ‚Eu posso lidar com isto.‛ O sorriso dela era um pouco superior, quando encaçapou outra bola. ‚Nós veremos.‛ Girando as costas para ela, Nick passeou pelo bar, soltou uma nota de dez dólares, e levantou dois dedos. ‚Ela vai acabar contigo, sabe.‛ O garçom do bar disse, quando deu a Nick as cervejas. Grunhindo em reconhecimento, Nick se virou e processou o comentário do garçom do bar em sua mente. Na superfície, podia ter estado comentando sobre o domínio óbvio da sinuca de Melody. Por outro lado, o garçom de bar podia estar se referindo a qualquer outra coisa. Nick chegara no bar, antes da confusão com o jovem punk chamado Kenny. Ela girara o taco de sinuca em suas mãos mais de uma vez, indubitavelmente inconscientemente. Julgando por sua habilidade, ou era uma jogadora de bastão na faculdade ou tinha treinamento em artes marciais. De alguma maneira, Nick não podia imaginar Melody Gray como o tipo que girava bastões. Sua intuição tinha se provado correta, quando incapacitou Kenny com dois movimentos do taco. Tinha sido bem feito, sem qualquer movimento extra. Nick estava impressionado. Colocando a cerveja de Melody em uma mesa, bebeu a dele e a assistiu fazer o caminho em torno da mesa, conforme encaçapava bola após bola. Parando na frente dele, se curvou sobre a mesa para fazer uma jogada um pouco difícil. Nick permitiu seu olhar se mover sobre o comprimento de suas pernas longas, enquanto bebia mais cerveja. A princípio, pensou sobre ela sendo muito alta e muito fraca para seu gosto, mas o modo como a calça jeans dela apertada o traseiro era bom, muito bom.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Continue olhando fixamente para o traseiro de Melody assim e você terá um buraco em sua calça jeans, HOMEM da CIA.‛ O garçom do bar disse em uma voz alta, justo na hora em que Melody estava para atirar. Enquanto Nick o amaldiçoava silenciosamente por compartilhar aquele pedaço de informação, o taco de Melody não conseguiu acerta a bola da vez, e ficou ereta. Nick deu-lhe a outra garrafa. ‚Eu peguei outra cerveja para você.‛ Depois de atirar ao garçom de bar um olhar que devia tê-lo congelado em seu lugar, agarrou a garrafa da mão de Nick. ‚Sua vez.‛ Virando-se, foi para o outro lado da mesa de bilhar. Sorrindo para si mesmo, enquanto ela abria a garrafa e tomava outro trago longo, Nick olhou as bolas coloridas. Não existia nada como álcool para soltar língua das pessoas. Alinhando o taco na bola da vez, Nick a atirou na direção da bola quatro. Ele perdeu a bola que pretendia acertar, mas conseguiu bater a bola sete, que saltou fora do outro lado da mesa e rolou no buraco lateral. Sua oponente bufou. ‚Se você me disser que pretendia fazer isto, eu sou uma debutante de Houston.‛ Pegando o olhar dela com o seu, Nick sorriu. ‚Isto é parte do meu plano para acalmar você, em complacência.‛ Ela chamejou as narinas e endureceu. Nick piscou. Na luz escura, os olhos dela pareciam ter clarões de ouro. Então, ela quebrou o contato e bebeu mais cerveja. Nick errou a próxima tacada. Quando Melody baixou a cerveja e começou a alinhar sua tacada, Nick virou para verificar lateralmente o resto do bar. Algumas mulheres se juntaram ao parceiro de Melody e o xerife, suas esposas provavelmente. Todos os quatro estavam olhando fixamente para ele. Girando suas costas para eles, Nick começou a recalcular. Obviamente, as pessoas nesta cidade, pelo menos algumas delas, eram muito mais protetoras de Melody Gray, do que antecipara. Ele olhou de relance em direção ao bar. O garçom do bar forte tinha o mesmo olhar de avaliação em seus olhos, quando se debruçou contra o bar e a encarou fixamente. Mais cedo, quando retirou aquela espingarda


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

velha, o sangue de Nick esfriou. Ele não tinha dúvida que estava carregada e o garçom do bar a teria usado. Quando Nick se concentrou nos cabelos do pescoço de Melody. A tensão no bar que originalmente atribuíra a confusão de Melody com Kenny, não dissipara. Ao invés, estava ficando mais espessa. Por quê? Sem entender, Nick bebeu mais cerveja e forçou seu corpo tenso a relaxar, pelo menos...parecer relaxado. O xerife sabia do por que ele estava na cidade. Nick parara no escritório dele e explicara sua presença logo depois que fez sua visita inicial no escritório de Melody Gray. A execução da lei local nunca estava muito feliz sobre a presença de quaisquer oficiais federais, e Nick sempre os deixava saber que estava na cidade e por que estava lá. Ele conseguia muito mais cooperação deste jeito. Este xerife em particular tinha sido mais que afável. Ele até lhe ensinara o caminho para o escritório de Melody. Claro, Nick agradeceu, e não disse ao xerife que já tinha conhecido Melody. Mas, naquele momento, não pensara que estaria nesta cidade, mais do que tinha estado nas outras em que tinha seguido Jake Hurley. ‚Você ainda está jogando ou o que?‛ Nick retrocedeu sua atenção para Melody. Ela estava debruçada contra uma mesa, segurando a cerveja numa mão e girando o taco de sinuca na outra. Ela deve ter errado outra tacada. Ele olhou sobre a mesa. Todas as bolas listadas tinham ido e também a maior parte das sólidas. A bola preta oito ainda estava na mesa, assim como a vermelha três e amarela um. ‚Esteve tocando as minhas bolas também, huh?‛ Ele comentou em uma voz, que só que ela podia ouvir. Por um momento, ela ficou de queixo caído. Então o rubor subiu de seu pescoço até suas bochechas. Sorridente, lhe virou as costas e estudou a mesa, pelo menos fingiu estudar a mesa. Debaixo de olhos semicerrados, olhou o resto do bar e os protetores dela. Os dois pares que olhavam fixamente para ele muito atentamente anteriormente, estavam ocupados fazendo os pedidos para uma garçonete e o dono de bar estava servindo dois novos protetores, que se sentavam no outro lado do bar. Ainda, a tensão permanecia. ‚Não se importe com Bart.‛ Melody disse em uma voz suave. ‚Seu latido é pior que sua mordida.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Não tente me dizer que aquela espingarda não está carregada, ou que ele não teria usado isto.‛ Nick respondeu tão suavemente quanto ela, enquanto fingia contemplar a próxima tacada. O riso dela dançou sobre sua espinha. ‚Est{ carregada com sal de pedra, mas tem apenas o suficiente para um tiro. Iria só machucar um pouco.‛ Nick bufou, pela primeira vez que em um tempo muito longo não disposto a confiar na sua voz. O que era tão fascinante sobre esta mulher, a quem ele não achou atraente na primeira vez que a viu? O que a estava fazendo tão desejável agora? ‚Sabe, se você enfileirar seu taco para a bola três deste lado da mesa e deixá-la rolar até fim, vai ser encaçapada no canto.‛ Nick acenou para ela. ‚F{cil para você dizer.‛ ‚Venha aqui. Eu mostrarei a você.‛ Agarrando o pulso dela, ela o arrastou para o outro lado da mesa. ‚Veja, alinhe-se deste jeito.‛ Antes de Nick ter uma chance de dizer qualquer outra coisa, ela o fez se curvar sobre a mesa enquanto deitava em suas costas com os braços embrulhados ao redor dele, suas mãos apertando o taco de sinuca. Os peitos dela estavam encostados contra as costas dele, enquanto os quadris e coxas dela apertavam seu traseiro. O perfume sutilmente doce dela o cercou, dando a seus sentidos uma promessa do que? Seu pênis se contraiu, e teve dificuldade de se concentrar nas bolas na mesa, quando as duas bolas entre suas pernas começaram a formigar. A respiração morna dela acariciou sua orelha. ‚Só puxe de volta e dê uma estocada para frente.‛ Ela sussurrou roucamente. Estocada! Aquela palavra em particular trouxe imagens à sua mente que não quis reconhecer. Com o suor escorrendo em sua sobrancelha, Nick concordou. A bola três reagiu do jeito que ela disse que iria. O som de murmúrios detrás o bar o alcançou. Soava como se o garçom do bar não estivesse muito feliz com instrução de Melody. ‚É muito bom ter você em minhas costas assim.‛ Nick murmurou. ‚Mas a chance de pedras de sal da espingarda do garçom do bar acertando meu traseiro, não é tão atraente assim.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Oh!‛ Empertigando-se, deu um passo atrás. ‚Eu sinto muito!‛ Agarrando sua cerveja, drenou o último líquido da garrafa. Então olhou fixamente para ele por um momento, seus olhos se alargando. ‚Com licença, eu voltarei logo.‛ Virando nos calcanhares, desapareceu na direção do banheiro das mulheres. Expelindo uma respiração funda, Nick bebeu o resto da garrafa e a levantou ao vazio. Mais uma, só mais uma cerveja, e estava certo que poderia descobrir o que ela não estava lhe dizendo sobre Hurley. Quando Melody alcançou o banheiro das mulheres, empurrou-se contra a porta. Não moveu. ‚Só um minuto.‛ Uma voz feminina falou. ‚Merda!‛ Sem pensar duas vezes, Melody entrou no banheiro masculino e fechou a porta atrás dela. Desde que ainda era relativamente cedo à noite e Bart não tinha muitos clientes ainda, o banheiro masculino estava vazio e limpo. Pondo as mãos contra a pia, se encarou no espelho. Companheiro! Companheiro! Companheiro! Chorou sua alma. ‚Oh, cale a boca!‛ Ela juntou o cabelo para trás com sua mão direita e continuou a olhar fixamente para si mesma. O que ela iria fazer? Ceder? Acasalar com Nick Price? Sua reflexão sorriu feliz. ‚E se ele não me quiser?‛ Ela murmurou em voz alta. Deuses, ele é humano! Suspirando, baixou o olhar para o chão. Maldição, mas precisava conversar com alguém que não vivia nesta cidade, alguém em quem confiava implicitamente. Erguendo a cabeça, ela olhou para o espelho. Só existia uma pessoa em quem confiava mais do que confiava em si mesma. Puxando o telefone celular fora do bolso, ligou um número. No outro lado, o telefone tocou uma vez, duas vezes, cinco vezes, oito… Melody piscou. ‚Vamos. Levante. Eu preciso de você.‛ ‚Oi? Melody, é você?‛ Melody sentiu como se um peso enorme tinha sido erguido de seus ombros. Piscando fora as lágrimas de alívio, tragou uma vez. ‚Belle, eu tinha medo que você não estivesse.‛ ‚Mel, o que est{ errado? Por que a recepção está tão ruim? Estes telefones deveriam ser de última geração.‛ ‚Eu estou no banheiro dos homens do bar local.‛ ‚Banheiro dos homens? Por que no mundo, você está no banheiro dos homens?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Oh, Belle, eu não sei o que fazer.‛ A voz da sua irmã ficou preocupada. ‚Mel, o que aconteceu? Eu devia chamar o Papai?‛ ‚Não! Não o Papai! Ele não pode me ajudar.‛ ‚Então o que est{ errado?‛ ‚Belle, eu achei meu companheiro.‛ A voz que lhe respondeu era exultante. ‚Mel! Isto é maravilhoso. Quem é?‛ Melody não tentou esconder a tristeza e incerteza em sua voz. ‚Não, não é maravilhoso. Ele é um humano. O que é pior, ele é o agente da CIA que está caçando Garth. Oh, Belle, o que eu faço?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Nove No outro lado do telefone, Belle olhou fixamente para a parede. ‚O destino certamente está brincando com nossa família.‛ Ela murmurou, mais para si mesma. Primeiro eles perderam sua mãe, fazendo o pai deles sofrer na solidão por anos, até que encontrou Moira. Antes de ela o aceitar, seu irmão Kearnan teve que algemar sua companheiro Serena à cama, enquanto o próprio Alex teve que superar o preconceito dele e de sua alcatéia sobre o fato da mãe dela, ser uma loba e não um Were. Garth e sua companheira Eileen tinham sidos separados por anos, porque seus pais sofriam do mesmo preconceito, e Eileen tinha sido forçado a acasalar com um macho que batia nela, antes dela e Garth ficarem juntos. O lobo interno de Melody agora escolhera um humano, que queria trancar Garth em uma cela e jogar a chave fora. Maldição, mas sua família tivera mais do que sua parte de testes e tribulações, antes deles acharem seus companheiros. Era melhor Brendan cavar um buraco e se esconder nele pelo resto de sua vida, ela adicionou para si mesma. Deste jeito, com a montanha russa do destino tornarão o cabelo cinza dele em branco. Sobre o peitoril ensolarado, Callie ergueu sua cabeça. Viva sua vida um dia de cada vez. Belle olhou de relance a gata. ‚Isto é f{cil para você dizer.‛ Ela murmurou. ‚Você é uma gata.‛ Callie bateu uma pata branca com sua língua rosa. A vida não é fácil. A vida não é dura. A vida só é do jeito que é. ‚Eu não tenho tempo para discutir filosofia com você agora.‛ Levantando-se, a gata se estirou e então saltou para o chão. Eu não sei o que é filosofia, mas eu conheço o que é viver. Coma, durma, acasale. Isto é tudo. Isto é suficiente. A voz triste de Melody deslizou na orelha de Belle. ‚O que você disse? Belle, você est{ ainda aí? Com quem você est{ conversando? O que eu vou fazer?‛ Suspirando, Belle voltou sua atenção para a irmã. ‚Callie disse coma, durma e acasale. Talvez você deva seguir o conselho dela.‛ ‚Conselho de uma gata? Minha vida está se partindo ao meu redor, e você está conversando com sua gata?‛ Enquanto Belle assistia sua gata passear pelo chão até a cozinha, se concentrou em sua irmã. Melody era umas das mais poderosas mulheres que Belle conhecia. Ela nunca foi assim insegura sobre


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

qualquer coisa. Até quando sua mãe morreu, Melody juntou sua vontade, guiou sua irmã e irmãos, e afastaram o pai de seguir a mãe deles nos caminhos da lua. Depois que eles entraram no mundo humano, Melody sempre tinha estado lá para Belle, não importava qual o problema. Esta devia ser a primeira vez que em suas vidas, que Melody não sabia o que fazer. Belle mastigou seu lábio. Melody era uma mulher forte, e sempre confiava em seus instintos antes. Não era que não soubesse o que fazer. Ela não queria fazer isto. ‚Mel, você tem que confiar em si mesma. Nós somos mais lobos do que humanos. Confie na loba em sua alma. Ela sabe o que está fazendo. Ela não teria escolhido este homem, se ele não fosse merecedor.‛ ‚Isto é f{cil para você dizer. Você se apaixonou por um lobisomem. Este sujeito é humano! Como pensa que reagirá quando eu ficar toda peluda, especialmente enquanto estiver caçando Garth, assim pode prendê-lo para o governo o dissecar?‛ Belle se concentrou numa única palavra que sua irmã disse. ‚Amor? Você o ama?‛ Então, fez careta ao ouvir o ‚Oh foda‛ que saltou do telefone em sua orelha. No outro lado da linha, Melody puxou o telefone longe de sua orelha e olhou de queixo caído. Então gritou, ‚Amá-lo? Você está louca? Eu mal o conheço! Eu só falei com ele três vezes!‛ E fodeu a si mesma enquanto ele assistia, e praticamente derreteu nas costas dele quinze minutos atrás. Seus mamilos estão ainda formigando, sua consciência adicionou em um tom astuto. Acasale agora! Adicionou sua alma de lobisomem. ‚Isto não é amor, isto é luxúria.‛ Ela murmurou, enquanto colocava o telefone de volta em sua orelha. ‚O que era isso sobre luxúria?‛ Sua irmã perguntou. ‚Nada. Você entendeu mal.‛ ‚Eu duvido. A luxúria foi à primeira coisa em minha mente quando eu vi Alex.‛ ‚Mas Nick é humano!‛ Melody repetiu. ‚E Moira também.‛ Belle respondeu, ‚E olhe o quão feliz ela e Papai são. Além disso, a transfusão de sangue realçará suas habilidades e instintos naturais o suficiente para ele agüentar qualquer coisa que você fizer.‛ ‚Ele é negro.‛ ‚Quem se importa com isto? Você está só tentando apresentar desculpas. Alex e Serena são nativos americanos.‛ Belle argumentou.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Que tal ele caçar Garth?‛ O riso de Belle rolou pelo telefone. ‚Uma vez que seu companheiro tem a transfusão de seu sangue, ele será um Were quase igual a Garth. Eu não penso que ele quererá ser um estudo científico.‛ Seu companheiro. Engolindo em seco, Melody piscou para afastar uma lágrima. Até para si mesma, suas desculpas soavam patéticas. ‚E se ele não me quiser?‛ A princípio, mais silêncio. Então a voz de Belle rugiu pelo telefone. ‚Não querer você? Você está brincando? Droga, Melody, o que há de errado com você? Você é o membro mais confiante da família. Escute a si mesma. Você está lamentando como um filhote deixado na chuva!‛ ‚Eu não estou!‛ ‚Então do que você chamaria isto?‛ Melody olhou fixamente para si mesma no espelho. O que estava errado com ela? Por que estava duvidando de si, de sua loba interna? Maldição, estava agindo como uma daquelas insípidas, muito estúpidas heroínas de um livro de romance. A porção de sua alma que era loba pura, nunca tinha estado errada. De alguma maneira, algum jeito, Nick Price deveria ser seu companheiro se ela gostasse disto ou não. Se ele gostasse disto ou não. Ela olhou fixamente para seu rosto pálido no espelho. Assim seja. Uma alta batida na porta interrompeu sua contemplação. ‚Eh, você vai ficar aí a noite toda?‛ Reorganizando seus pensamentos, Melody concentrou-se no telefone mais uma vez. ‚Belle, eu tenho que ir. Obrigado por escutar. Você foi uma grande ajuda.‛ Antes de sua irmã poder responder, Melody desligou o telefone. Seu olhar conectou com a máquina de preservativos na parede. Ela enrolou os lábios. Companheiro, companheiro, companheiro, rosnou sua alma. ‚Parece que eu vou ter que começar a beber chá de acônito novamente, ou estarei grávida na próxima vez que eu entrar no cio.‛ Ela murmurou, enquanto procurava no bolso alguns centavos. O homem no corredor tropeçou para trás em surpresa, quando Melody saiu do banheiro dos homens. Com os ombros retos, sorriu. ‚Desculpe, mas eu realmente precisava usar o banheiro.‛ Passando pelo homem, voltou para o bar.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick estava debruçando contra o bar de carvalho liso. Quando o abordou, ele mostrou outra garrafa da cerveja. Tomando a cerveja dele, a deixando no bar. Então, tomou a garrafa da mão dele e a fixou no bar também. ‚Ponha elas na minha conta, Bart.‛ Agarrando o pulso de Nick, ela tentou puxá-lo em direção à porta da parte de tr{s. ‚Vamos.‛ Ele não se moveu. ‚Quando eu compro bebida para uma senhora, eu estou acostumado que ela beba isto.‛ Xingando em exasperação, Melody disse, ‚Eu tive o suficiente, e tenho outra coisa para dizer a você.‛ Isso fez ele se interessar exatamente, como soube que seria. ‚O que?‛ ‚Fora daqui, se você não se importar.‛ Ela adicionou, ‚Por favor?‛ Por um momento a olhou fixamente. Então movimentou a cabeça. ‚Certo. Eu imagino que é sobre o caso em que eu estou trabalhando.‛ Melody movimentou a cabeça. Desta vez quando o puxou, ele a seguiu. ‚Por que a porta da parte de tr{s?‛ ‚Às vezes Steve pensa que ele é meu pai.‛ ‚Steve?‛ Ela apontou o queixo na direção da mesa onde os dois casais de meia-idade estavam apreciando seus jantares. ‚O xerife.‛ Puxando Nick de volta pelo corredor que levava aos sanitários públicos, Melody passou por eles e empurrou a porta do fim do corredor aberta, saindo na ruela. Assim que Nick ficou do lado de fora, ela fechou a porta. A luz acima da porta era escura, entretanto lobisomens viam melhor na escuridão do que humanos de qualquer maneira. Ela não teve nenhuma dificuldade vendo a antecipação no rosto de Nick. Ela teve um sentimento que ele estava antecipando algo, completamente diferente que o que estava para conseguir. ‚Então o que você quer…‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody não lhe deu a chance de terminar. Empurrando ele contra a parede da parte de trás do bar, moldou seu corpo contra o dele, embrulhou os braços ao redor do pescoço dele, e o beijou...longo, lentamente, e completamente. Ela deslizou a língua ao redor dos lábios dele e quando abriu a boca, riu baixo em sua garganta. Apesar de ter ficado tenso, não lutou contra ela. Meu! O lobo em sua alma uivou de felicidade. Quando deslizou a língua na boca dele, sentiu o pênis endurecer contra sua coxa. Porém, ele não caiu direto em seus braços. Embrulhando os dedos ao redor dos braços dela, desenredou a língua da sua e a empurrou para longe. ‚O que porra você est{ fazendo?‛ Melody olhou fixamente em seu rosto. Ele era só uma polegada mais alto do que ela, então olhá-lo fixamente nos olhos não era problema. Maldição mas ele teve que ter controle fenomenal para separar-se daquele beijo. Por dentro ela estava agitada e se derretendo feita gelatina. ‚Beijando você.‛ disse finalmente, ligeiramente perturbada pela voz ofegante. ‚Você sabe o é que beijar, não é? Ou você passou toda sua vida adulta perseguindo pessoas?‛ Ele ignorou completamente seu coment{rio. ‚Por quê?‛ Foi tudo que disse. Esticando o lábio inferior, Melody forçou um pequeno suspiro que soprou alguns fios de cabelo fora de seu rosto. Merda, como era teimoso. ‚Porque você é quase o homem mais sensual que eu já encontrei. Por que lutar contra a atração?‛ Quando sorriu e então lambeu o lábio superior com a ponta de sua língua, Nick sentiu seu pênis já duro, endurecer ainda mais. Ter aquela língua nele… Suas bolas se apertaram. Ele lutou contra o desejo para envolver os braços ao redor dela. ‚Por quê?‛ Ele perguntou novamente. ‚Eu acabei de dizer a você o por que.‛ ‚Não, por que a atração? Certamente, não estava lá no primeiro dia em que entrei em seu escritório.‛ O lento encolher de ombros levantou seus peitos e então ela os deixou cair. Na luz escura, ele podia ver seus mamilos cutucando contra a camisa que vestia. ‚Eu acho que você me conquistou.‛ Já


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

que a metade inferior de seu corpo estava ainda grudada contra o dele, roçou a coxa contra o pênis duro. ‚Eu acho que conquistei você, também.‛ Nick agitou a cabeça. ‚Escute…‛ Ela inclinou o rosto perto de seu. ‚Você parar{ de tentar analisar esta…atração…e só se divertir?‛ Ela deslizou a língua junto aos lábios dele e rodou os quadris contra a coxa e o pênis agora dolorido. Nick endureceu, respirou fundo e então falou. ‚Foda-se!‛ Jogando fora precaução e sua regra um dia irrompível, de nunca ficar envolvido com ninguém que estivesse investigando, Nick cedeu aos impulsos que sentia toda vez que via Melody Gray. Rodando ambos ao redor, a empurrou contra a porta e atacou a boca dela com a sua. Ela contra-atacou apunhalando a língua em sua boca, então chupando-a. Seus dentes clicaram e bateram. Suas línguas lutaram por controle. Ele segurou os peitos dela e os apertou. Ela estremeceu e embrulhou uma perna ao redor da coxa dele. Gemendo, Nick abriu mais a boca, sua língua agora dançando com a dela. Seu pênis estava mais duro do que já tinha estado e suas bolas estavam queimando. Ele nunca quis tanto, não, precisar se enterrar tanto em uma mulher antes assim. De alguma maneira ela deslizou a mão entre eles, algo que não pensou que fosse possível, considerando quão próximos seus corpos estavam, abriu sua calça jeans, deslizou a mão na frente de suas calças, agarrou seu pênis e o puxou livre de seus pugilistas, sua mão quente circulando e acariciando a cabeça. ‚Você vai me fazer gozar muito cedo.‛ Nick gemeu em sua boca. ‚Tire. Tire fora esta maldita calça jeans.‛ Ela exigiu contra a boca dele, enquanto baixava a perna e empurrava o cós de sua calça jeans. A porção superior de seu pênis pulsou livre. ‚Você está muito duro!‛ Ela murmurou contra sua boca. ‚Eu preciso de seu pênis.‛ Com muito mais força que ele pensou que uma mulher pudesse ter, ela o girou de forma que suas costas estivessem contra a parede, ficou de joelhos, puxou suas calças e roupa íntima até seus tornozelos, e chupou seu pênis.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Oh Cristo.‛ Ele gemeu. Ele abriu as pernas e se balançou contra a parede, batendo os punhos contra a parede. A língua dela era mágica, o calor de sua boca derretia, enquanto chupava e mordiscava. Ele empurrou os quadris para frente e ela o chupou. Ele deslizou o pênis mais fundo na boca dela, à medida que chupava. Suavemente, juntou os dentes no pênis dele enquanto deslizava para dentro e fora. A pressão afiada fez os músculos de seu estômago ondular. Ela chupou seu pênis e substituiu os dentes pela língua. Nick gemeu e enterrou os dedos nos cabelo dela. Quando ela deslizou a língua ao redor dele, afagou suas bolas e as rolou em sua mão. Era demais. Ele teve que se enterrar dentro dela. Agarrando seus ombros, Nick afastou a boca dela de seu pênis, deslizou as mãos sob os braços dela, a ergueu, e girou ambos novamente, assim suas costas ficaram contra a parede. ‚Roupas. Fora. Agora.‛ Ele não esperou por ela se despir. Empurrando a camisa dela acima de seus peitos, abriu o sutiã na parte da frente, curvou-se, beliscou um mamilo tenso, então o chupou. Quando beliscou o mamilo já tenro, Melody bateu o punho contra a parede. Oh deuses, quando ela já quisera tanto um homem! Ela rasgou os botões de sua calça jeans, estalando alguns no processo. Empurrando a calça jeans abaixo de seus quadris, agarrou o pênis dele novamente. Quando deslizou a mão entre as coxas dela, arqueou-se contra ele e seus dedos deslizaram dentro dela. Ela se sentia reduzida a pó. ‚Cristo, você est{ molhada.‛ Aninhando-se no pescoço dele, Melody beliscou-lhe o lóbulo da orelha. ‚Eu quero você, dentro de mim, agora!‛ ‚Não tanto como eu quero estar dentro de você!‛ Ele esfregou o pênis contra a parte interna de sua coxa. ‚Preservativo.‛ Ela ofegou. ‚Em meu bolso!‛ Só levou-lhe alguns momentos para se curvar, pegar o invólucro plástico de seu bolso, abri-lo e pôr o preservativo. ‚Agora, bebê. Agora eu estou pronto para você.‛ Ele respirou em sua orelha, enquanto enterrava o rosto no pescoço dela.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody abriu mais as pernas e então amaldiçoou em frustração, quando as calças jeans prenderam ao redor de seus tornozelos, não a deixando erguer as pernas para envolvê-las ao redor dos quadris dele. Existiam desvantagens em usar botas. Sua calça jeans não era um impedimento. Agarrando o traseiro dela, Nick a ergueu contra a parede e, usando seu joelho para abrir suas coxas tão largas quanto pôde, a soltou sobre seu pênis duro. Envolvendo os braços ao redor do pescoço dele, Melody soluçou quando seus músculos internos estiraram para acomodar o pênis espesso. Ela estremeceu, quando a ergueu e a empalou novamente. Apertando seus músculos internos, torceu os quadris enquanto beliscava o ombro dele. ‚Sim, oh sim. Mais duro. Mais duro.‛ Ele a levantou e a penetrou. O traseiro dela esfregou contra a madeira áspera da parede. Ela não se importou. Com o corpo apertado contra o dela, Nick continuou a mover os quadris e a enfiar seu pênis nela tão profundamente, quanto podia. ‚Porra, bebê, sua boceta está quente e molhada. Isto mesmo, aperte-me. Torça seus quadris. Isto mesmo. Mais r{pido.‛ O odor de sexo os cercou e o lobisomem na alma de Melody uivou de prazer. Ela beliscou o outro ombro dele e o apertou mais forte. ‚Mais fundo. Mais duro.‛ Ela gemeu. Seus dedos deslizaram abaixo até o traseiro dele. Quando a pressão ficou mais forte, seus mamilos apertaram-se no ar fresco. Os músculos de seu abdômen estremeceram. Melody soluçou. ‚Agora. Oh, agora!‛ A luz relampejou atrás de seus olhos. Nick rodou os quadris e a penetrou repetidas vezes. Ele não estava sendo gentil, mas do modo como ela continuava beliscando seu pescoço e ombros, rápido percebeu que gostava de sexo agressivo. Ele certamente não se importou. Suas bolas em chamas estavam apertadas contra seu corpo e seu pênis estava pronto para explodir. Ela estava se contorcendo e saltando contra ele, sua quente, molhada boceta apertando seu pênis muito mais firmemente, do que qualquer outra mulher que tivera. Tanto quanto quis prolongar seu prazer e o dela, seu corpo se recusava a cooperar. Ele não podia conter-se. Quando ela gritou. ‚Agora!‛ A penetrou uma última vez. Seu gemido alto ecoou com o


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

grito dela, quando um vulcão de calor estourou por seu pênis. Um rugindo encheu suas orelhas e seus joelhos tremeram. Enterrando o rosto no pescoço dela, foi forçado a se debruçar contra ela, assim não cairia. Cristo, mas nenhuma mulher já o afetara assim.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dez Melody respirou fundo varias vezes. Uma vez que seu coração parou de tentar sair de seu peito, ofegou, ‚Deixe-me descer.‛ Depois de uma respiração profunda, Nick se afastou dela e soltou as mãos de seu traseiro, depois que estava certo de que as pernas dela a sustentariam. Ela aplainou as mãos contra o tórax dele e rodou as pontas dos dedos contra seu peitoril firme. ‚Eu acho que devíamos voltar para minha cabana.‛ ‚Meu quarto de hotel é mais perto.‛ Nick murmurou, as pálpebras meio fechadas quando lhe sorriu. Ele segurou a nádega dela e a apertou. ‚Hmm. Oh sim.‛ Ela beliscou o pescoço dele. A mão dele apertou mais a nádega dela. ‚Eu nunca a imaginei como uma mordedora.‛ Ela arrastou a língua acima do lugar que acabara de beliscar. Humm, mas ele tinha um gosto bom. ‚Você não gosta disto?‛ Ele rosnou ‚Eu gosto.‛ Enviou calafrios torcendo e girando de cima abaixo na espinha dela. Melody deslizou a mão por baixo do braço dele. ‚Vamos.‛ Andando para longe dela, ele enfiou o pênis em sua calça jeans. Quando ela ajeitou a própria calça jeans, Melody riu. ‚Está apertada?‛ Ele devolveu o sorriso. ‚Apertada o suficiente. Você está pronta?‛ Ele estendeu a mão. Colocando o sutiã de volta sobre seus peitos tenros, Melody firmou o gancho, puxou a camisa no lugar, e deslizou a mão na dele. ‚Mais do que você pensa.‛ A loba em sua alma praticamente estava zumbindo com satisfação, enquanto o sorriso que lhe deu na luz escura, fez seus músculos do estômago apertar de novo. Ela estremeceu. ‚Frio?‛ Ela agitou a cabeça. ‚Antecipação.‛ A risada rouca dele deixou sua alma de lobisomem uivando, para fazer sexo ali mesmo na ruela novamente. Melody controlou o desejo. Uma vez na noite contra uma parede áspera, de madeira era suficiente, especialmente quando uma cama confortável estava perto.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Na boca da ruela, uma sombra escura assomou contra o brilho das lanternas elétricas do telhado da varanda do bar. ‚Você cadela vadia! Eu posso cheirar ele em por toda parte sua! Você é minha!‛ O grunhido que Melody reverberou fora das paredes da ruela. O odor do seu atacante era inconfundível. ‚Quando você vai entrar nesta sua cabeça-dura que eu não pertenço a qualquer um, Kenny!‛ O brilho de uma faca refletiu num raio de luz perdido. ‚Se eu não posso ter você, ninguém terá!‛ Quando Melody se moveu para frente, Nick simultaneamente tentou empurrá-la para trás dele e avançar para defendê-la. O movimento dele tirou-lhe o equilíbrio, e eles caíram juntos. Segurando a faca para baixo, Kenny saltou em direção a eles. Seu uivo sobrenatural quebrou a paz relativa da rua, quando ele cortou um músculo e nervo. Nick grunhiu, quando o sangue saiu do corte profundo na parte interna de sua coxa. ‚Seu filho da puta.‛ Ele xingou, quando se desenredou de Melody e avançou. Seu punho conectou com queixo de Kenny e o outro homem voou para trás. ‚Maldição, Nick, pare de se mover. Você está sangrando.‛ Melody rosnou, enquanto passava por ele. ‚Volte antes que ele a apunhale, também!‛ Nick comandou, enquanto segurava o ferimento e tentava se levantar. Ele sabia que estava sangrando, demais se ele fosse qualquer juiz do líquido morno e pegajoso que escorria entre seus dedos. O viado filho da puta devia ter cortado uma artéria. Ele tentou agarrar Melody com sua mão livre, mas ela o evadiu. Enquanto o líquido morno corria em sua perna, ele tropeçou. Juntando suas forças, andou atrás de Melody. Novamente tropeçou, então caiu em seus joelhos. ‚Porra, isto é pior que eu pensei.‛ Ele murmurou. Com sua mão livre, pareceu levar uma eternidade para alcançar seu tornozelo, agarrou o revólver escondido no coldre debaixo de sua calça jeans. Como a vista borrada, conseguiu agarrá-lo em sua terceira tentativa e tirá-lo do coldre. Levantando-o, piscou para desembaçar a vista, então agitou a cabeça e piscou novamente. Sua mão tremeu e amaldiçoou. Não havia como disparar contra Kenny, com Melody tão perto. Ele não podia garantir sua pontaria. Existia só uma outra coisa a fazer. Apontando a arma do lado oposto da parede dele, disparou. A explosão ecoou pela ruela.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Quando a arma de fogo caiu de seu fraco aperto, desmoronou contra uma lata de lixo. O tiro era alto o suficiente para despertar os mortos, e eles estavam na ruela próxima ao restaurante onde o xerife estava comendo. Ele não ignoraria o que ouviu. Se Melody pudesse afastar-se daquela faca e agüentar por alguns minutos… Uma vez mais Nick piscou para clarear sua vista e amaldiçoou silenciosamente. Ele estava perdendo sangue muito rápido. Melody e seu atacante eram nada além de uma névoa nublada branca e marrom na frente dele. Ele piscou e tentou se concentrar na briga que não podia ver. Em algum lugar perto, um cachorro ganiu. Quando se debruçou contra a lata de lixo, Nick grunhiu. O latido de um cachorro. Bom. Em uma cidade pequena, as pessoas se aproximavam para ver o porque um cachorro estava latindo. Então, quando um tiro de outro revólver agitou o silêncio da noite, a escuridão se fechou ao seu redor. Quando o som do primeiro tiro explodiu ao redor deles, Melody tirou a faca da mão de Kenny, quando ele momentaneamente congelou. A faca voou pelo ar e deslizou longe na escuridão. ‚Certo, cretino, agora lute justamente.‛ Sem se aborrecer para remover qualquer roupa, Melody mudou. A névoa branca prateada rodou e faiscou ao redor quando a roupa dela caiu por terra. Segundos mais tarde, um lobo branco rosnou e saltou em direção a Kenny. Tropeçando um passo atrás do ataque de Melody, seu oponente também se transformou. Porém, ele mudou para a forma de lobo embaralhado em sua roupa humana. Quando os dentes de Melody fizeram um corte fundo na lateral dele, ele ganiu de dor. Com os dentes a mostra, Melody saltou longe de Kenny e girou para voltar a atacar. Ele atacara seu companheiro! Ele morreria! Porém, antes dela poder aproximar-se dele, outro tiro quebrou o silêncio da noite, a dois pés na frente dela, uma bala atirou pó e então ricochetou na parede exterior do restaurante. ‚Transforme-se de volta, Melody.‛ O xerife comandou em uma voz baixa. ‚Agora! Antes de quaisquer humanos verem você! Isto é uma ordem! Você também, Kenny.‛ Rosnando em desgosto, Melody teve de concordar. O xerife era o Alfa da Alcatéia aqui, e ela o obedeceria.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Que diabo está acontecendo?‛ O xerife rosnou uma vez que eles eram humano novamente. Ambos começaram a falar ao mesmo tempo. ‚Ela fodeu com outro…‛ ‚Ele esfaqueou….‛ ‚Faca? Quem foi esfaqueado?‛ Enquanto ajeitava a roupa, Melody congelou. Nick estava estranhamente quieto. ‚Nick!‛ Metade vestida, saltou de volta na escuridão. Quando Melody alcançou o lado dele, seu coração pareceu saltar em sua garganta. Ele estava sentado em uma poça do próprio sangue, uma poça que estava se expandindo devagar. Enquanto procurava o ferimento dele, as outras duas vozes dos homens a seguiram na escuridão. ‚Ela fodeu um humano, Xerife. Ela é minha companheira e fodeu um humano!‛ Kenny rosnou. ‚Ele mereceu morrer.‛ Sua audição aguda notou o som de passos rápidos e de um corpo sendo jogado contra uma parede sólida. ‚Morrer?‛ O xerife rosnou. ‚Você o matou? Você matou um agente da CIA? Seu cretino filho da puta! Você pôs a Alcatéia inteira em perigo. Eu devia pôr uma bala em sua cabeça agora mesmo.‛ O som de espingarda de Bart sendo preparada ecoou pela escuridão da ruela. Ele deve ter vindo pela porta de trás. Sua voz era baixa e mortal. ‚Só saia do caminho, Xerife, e eu cuidarei disto para você.‛ Quando ela deslizou a mão pela coxa de Nick, empurrou sua mão de lado. O sangue esguichou contra sua palma. ‚Xerife! Envie alguém até o doutor! Nick está esguichando sangue de sua artéria femoral.‛ ‚Ele j{ est{ a caminho. Eu enviei Dan para chamá-lo, antes de vir aqui. Mantenha sua mão no ferimento, Melody. É o melhor que nós podemos fazer até que médico chegue aqui. E você, Kenny, se ele morrer, você também morre. Você comprometeu a segurança da Alcatéia. Esta cidade podia acabar fervilhando de agentes federais. Todos os Weres teriam de partir.‛ ‚Eu não me importo. Ela é minha companheira! Minha! Nenhum outro a pode ter! Nem Were, nem humano! Eu matarei todos eles primeiro.‛ A respiração ofegante de Kenny quebrou no silêncio.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Ele é louco, Xerife. Melhor o livrar de sua miséria.‛ Bart disse. O suspiro do xerife rolou ao redor de Melody, enquanto apertava ambas as mãos contra o ferimento de Nick. ‚Mesmo que eu quisesse, Bart, eu não posso. Ele tem o direito de se defender perante a Alcatéia inteira, e eles têm o direito de decidir. Eu o manterei preso até que nós possamos nos juntar para uma reunião.‛ Uma nova voz juntou-se o do xerife. ‚Você precisa de mim?‛ Melody não deu ao xerife a chance de responder. ‚Por aqui, Cail. Nick está sangrando quase até a morte.‛ ‚Kenny apunhalou o agente da CIA.‛ O xerife adicionou. ‚Melody diz que parece bem ruim. Depois de eu prender Kenny, eu irei até a clínica para ver como ele está indo, Doutor.‛ Um raio dividiu o céu e trovão retumbou. ‚Dá para vocês dois pararem de conversar, maldição! Cail, venha aqui!‛ Em segundos, o doutor estava ajoelhando ao seu lado. Bart levou a espingarda de volta para o edifício e retornou com uma lanterna grande, colocando a luz no ferimento de Nick. ‚Cristo, isto é ruim.‛ O doutor murmurou. ‚Melody, mantenha a pressão no ferimento, enquanto eu faço um torniquete ao redor da coxa. Eu não posso fazer qualquer outra coisa aqui.‛ Uma vez que os primeiros socorros foram rapidamente aplicados, ele olhou Melody de relance. ‚É melhor terminar de se vestir, antes que Ben e Dan cheguem aqui com a maca. Eu preciso deles concentrados em levar este sujeito para a clínica, não em seus peitos.‛ Outro raio iluminou a ruela. Mais um trovão rolou em torno do céu. Melody tirou os olhos de rosto p{lido do Nick. ‚O que?‛ Ela olhou abaixo para si. Seus peitos pálidos desnudos, manchados de sangue brilhavam na luz da lanterna. ‚Oh, sim. Certo.‛ Erguendo-se, encontrou sua camisa e a passou por cima da cabeça e a desceu até cobrirem os peitos. Ela estava pondo o sutiã em um bolso da calça, quando os dois humanos chegaram com uma maca. Quando eles a abaixaram próximo de Nick, Dan ofegou e branqueou à vista de todo o sangue. Outro flash brilhante de raio iluminou o céu. Mais um trovão ressoou. Um pingo de chuva grosso caiu sobre o braço de Melody. ‚Só o que eu preciso.‛ O doutor rosnou. ‚A previsão do tempo é de tempestades a noite toda. Não há como pedir um helicóptero para levar este sujeito, e eu duvido que ele esteja estável o suficiente para colocá-lo em qualquer tipo de veículo.‛ Ele olhou os homens segurando a maca. ‚Maldição, Dan. É


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

melhor não desmaiar. Você ajudou o açougueiro o suficiente para que a visão de sangue não te aborreça.‛ Dan engolindo em seco, o que foi audível para todo mundo. ‚Mas aquilo não era sangue humano, Doc.‛ ‚Cristo. Bart, dê a Dan a lanterna e ajude Ben a erguer este sujeito sobre a maca.‛ Mais gotas de chuva caíram. Melody pairou. ‚O que eu devia fazer?‛ ‚Só fique fora do caminho.‛ ‚Agora espere um minuto, Cail. Nick é…‛ ‚Maldição, Melody. Isto pode esperar. Se você o quiser vivo, você ficará fora de meu caminho! Nós temos que levá-lo para a clínica, antes de chover mais forte do que já está. Este ferimento é ruim o suficiente. A última coisa que ele precisa é ficar encharcado, e pegar pneumonia.‛ Rosnando, Melody deu um passo atrás. De seu próprio modo, o doutor era tão Alfa quanto o xerife. Deuses, mas às vezes odiava Alfas. Quando Nick foi levado para longe, a chuva caiu mais forte.

Meia hora depois, o doutor olhou fixamente para seu paciente e agitou sua cabeça. ‚Isto é o melhor que eu posso fazer. Eu consertei a artéria, o melhor que pude. Deve ser bom até que eu possa levá-lo para um hospital, mas ele precisa de mais sangue.‛ Ele movimentou a cabeça para as bolsas quase vazias próximas a cama de Nick. ‚Esta é a última bolsa que eu tenho.‛ Melody compassava de um lado para outro. Nick podia morrer! Meu, uivou sua alma. Ele é meu! Ajude-o! Melody não hesitou. Se Nick morresse, como viveria sem ele? ‚Dê-lhe o meu.‛ O som de uma tábua rangendo no quarto próximo era mais que audível, quando o xerife e doutor olharam fixamente para Melody. Pondo as mãos nos quadris, olhou fixamente para eles. ‚Você me ouviu.‛ ‚Melody…‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela chamejou as narinas e se debruçou para frente. ‚Nem me venha com ‘Melody', Cail. Ele é meu companheiro. Ele teria meu sangue de qualquer maneira.‛ ‚Agora, Melody…‛ ‚Eu não vou escutar você também, Xerife.‛ O doutor se afastou da cama e parou na frente de Melody. Ela encontrou seu olhar sem vacilar. ‚Mel, ele tem que aceitar você e seu sangue de livre arbítrio. Não pode forçá-lo.‛ Ela agitou a cabeça. Sua alma de lobisomem estava uivando com dor e fúria. Salve ele! Salve ele! Salve ele! ‚Eu não o estou forçando. Eu estou salvando a vida dele.‛ O doutor passou os dedos pelo cabelo. ‚Não.‛ Melody disse antes que ele ou o xerife pudesse dizer qualquer coisa. ‚Eu sei que vocês querem o melhor para mim, mas este é Nick. Todos os deuses sabem que eu lutei contra este acasalamento. Pelo amor de Deus, ele é humano, e quer levar meu irmão para o governo. Vocês realmente pensam que eu queria que isto acontecesse?‛ Nenhum homem respondeu. ‚Está feito. Ele é meu companheiro. Você dois sabe o que é isso. Se seus companheiros estivessem na mesma situação, suas almas se partiriam se não pudessem ajudá-los e sabem disto.‛ Ambos os homens suspiraram. Um longo tremor percorreu todo o corpo de Melody. As lágrimas caíram e tentou piscá-las fora. Algumas escaparam e caíram em suas bochechas. ‚Cail, por favor, ele é meu companheiro.‛ O doutor suspirou novamente e agitou a cabeça. O xerife ergueu seu chapéu perto de uma cadeira. ‚Ela está certa, Doc. Ela não poderá viver consigo mesma, se não o ajudar.‛ Ele pôs o chapéu em sua cabeça, contraiu os lábios, então sorriu. ‚Além disso, uma vez que ele tem um pouco do sangue dela, ele praticamente será um Were. Ele não entregará o irmão dela para o governo, não se ele não quiser se tornar uma experiência.‛ Depois de alguns segundos de olhar fixamente para o rosto muito pálido de Nick, o doutor movimentou a cabeça. ‚Certo. Deite-se na cama próximo a ele, Melody. Um quarto de seu sangue será como se fosse dois de um humano, e o ferimento dele curará o suficiente para que não precise ir para um hospital, uma vez que o sangue Were estiver em seu sistema. Adicione o fato de que sua mãe era uma loba pura, bem, nós vamos ter que observá-lo cuidadosamente.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

A tensão deixou o corpo de Melody, quando os músculos e mente relaxaram. Com seu sangue, Nick viveria.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Onze O som de respiração de alguém trouxe Nick da inconsciência. Antes de ele abrir os olhos, sabia que Melody estava perto de seu lado esquerdo. O odor dela podia ser sentido, ou pelo menos a fragrância de seu perfume. ‚Você tomou banho de perfume?‛ Ele murmurou quando arrastou seus olhos abertos. A alegria floresceu na voz dela. ‚Nick?‛ Ele piscou algumas vezes e então focou o rosto dela, quando se debruçou sobre ele. Suas características parecidas mais afiadas de alguma maneira, limpas, os olhos azuis manchado de ouro, pele de marfim suave, lábios desejáveis. O odor dela era quase irresistível, ainda, por alguma razão, mais atraente que qualquer coisa já experimentara. Ele escolheu ignorar isto, quando lembrou da briga na ruela. Sangue, muito sangue. Ele foi apunhalado...mal. ‚O que aconteceu com o sujeito que nos atacou?‛ ‚Ele est{ na prisão.‛ Grunhindo afirmativamente, Nick tentou tocar em seu ferimento e descobriu que seus pulsos estavam amarrados com correia em espessas, algemas de manga de couro de lã forrada, presas ao lado das grades da cama. ‚Que diabo?‛ ‚Você não deixava seu ferimento em paz. Você continuava tentando puxar seus pontos ou empurrar o IV, então o doutor teve que amarrar seus pulsos com a correia.‛ A resposta dela fazia sentido, mas Nick acenou a ela de qualquer maneira. Ele não gostou de estar preso. ‚Você pode me soltar agora. Quanto tempo eu fiquei desacordado?‛ O sorriso dela parecia iluminar o quarto inteiro. ‚Você tem estado inconsciente por mais ou menos trinta e seis horas.‛ Nick olhou para baixo e moveu sua perna tentativamente. A dor embaçada recompensou seus esforços. Não machucou tanto quanto esperava. Ele olhou para Melody novamente. Ainda sorridente, estava olhando fixamente seu tórax. Então lambeu os lábios.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Seus mamilos estavam cutucando contra a camisa de malha vermelha. O sorrido dela se alargou mais enquanto seu olhar vagava o corpo dele de cima abaixo e voltava ao seu tórax. ‚Você est{ definitivamente rasgado.‛ Naquele momento, Nick percebeu que estava nu com exceção do lençol que o cobria. Ele ouviu o pequeno aumento de respiração, quando seu pênis se contraiu. ‚Sabe.‛ Ela disse enquanto se debruçava sobre ele e passava um dedo sobre seu tórax nu, até seu ombro e então abaixo seu braço para os pulsos presos. ‚Meu irmão algemou a companheira dele em uma cama. Eu aposto que o sexo foi fant{stico.‛ Seu pênis fez mais que estremecer. Começou a formar barraca na conjuntura de suas coxas. Ele fez o melhor para ignorar isto. ‚Bom para eles. Agora me solte.‛ Ela vagou o olhar por seu tórax e foi para o rosto. Ela lambeu os l{bios novamente. ‚Eu não.‛ Nick chamejou suas narinas. O odor picante, atraente do desejo dela o envolveu e engolfou. A barraca entre suas coxas moveu-se. ‚Eu não penso que ele quer que eu te solte.‛ Ela disse em uma voz baixa, enquanto passeava e arrastava um dedo em cima do pênis coberto pelo lençol. Ao sentir o roçar de algodão suave contra sua pele, o atormentou tanto como o odor dele. Ainda, lutou para reter o controle tanto do corpo, como da situação. Ele usou o tom baixo, perigoso de voz que normalmente reservava para situações desesperadas. ‚Melody. Deixe-me ir. Agora.‛ Ela o ignorou e sua risada adicionou combustível para o fogo que queimava em sua virilha. Espalhou-se sobre estômago, quando ela parou de afagar seu pênis sob o lençol e os dedos pousaram sobre seu abdômen apertado e foram para sua cintura onde estava a ponta do lençol. Ela o enganchou com um dedo e o arrastou lentamente sobre seu abdômen, sua virilha, seus quadris, suas coxas. O ar fresco atingiu suas coxas, quando seu pênis dançou ao ar livre, doendo pelo toque dela. Ela ignorou isto. Com os olhos estreitados, observou o rosto dela. Ela lambeu os lábios, enquanto percorria com um olhar cada parte de seu corpo. ‚Eu nunca vi uma cor tão deliciosa em um humano antes...como um rico caramelo, escuro. Você é tão gostoso quanto parece?‛ Nick a olhou. Por que não estava no controle desta situação? Estar preso não devia fazer qualquer diferença. Acontecera antes. ‚A outra noite devia ter respondido a essa pergunta.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O sorriso dela era preguiçoso e indolente. ‚Eu estava muito ocupada sentindo, para pensar sobre saborear.‛ Ela arrastou dois dedos em cima do estômago e tórax dele e então os girou em torno do cabelo púbico, negro e enrolado. ‚Seu cabelo é tão suave.‛ Ela olhou para rosto dele. ‚Não doeria nada você deixar crescer alguns em sua cabeça, sabe.‛ Como uma borboleta flertando de flor em flor, os dedos delicados aterrissados aqui e lá no tórax dele. ‚Eu gosto da minha cabeça do jeito que é.‛ Os dedos dela deslizaram, até seu abdômen novamente. Seus músculos de estômago estremeceram, enquanto seu pênis empurrava novamente. Rindo, ela pegou o lençol e o pôs nos tornozelos dele. ‚Eu gosto do cabelo em suas pernas também, especialmente aqui, dentro da coxa.‛ Quando ela arrastou os dedos ao longo da parte interna sua coxa ilesa, roçou contra as bolas dele. Elas formigaram e apertaram. ‚Maldição, Melody!‛ Ela lhe sorriu novamente. ‚Sim?‛ As mãos estavam tão fechadas, que suas juntas eram brancas, Nick forçou as algemas de espesso que o seguravam à cama. Eles não cederam uma polegada. Ele trincou seus dentes. ‚Solte-me..‛ Curvando-se sobre ele, passou as mãos pelo tórax dele, olhou fixamente em seu rosto, e disse, ‚Não.‛ Então, depois de se endireitar, puxou a camisa sobre a cabeça. Ambos os peitos de marfins saltados e seus mamilos duros, rosas olharam fixamente nele. Ela desabotoou a calça jeans, deslizou-os junto com a calcinha abaixo das pernas e os chutou. ‚Eu sempre me perguntei como seria fazer amor com alguém que estava preso.‛ Ela disse com um pequeno ofego. ‚Você não?‛ O olhar de Nick estava colado na virilha dela, nos cachos sedosos, prateados e aveludados, nos lábios vermelho sob eles. A fragrância do desejo sexual dela era mais forte agora, mais atormentadora, quase ao ponto onde podia sentir seu gosto. Ela cheirava a calor e paixão de primavera indomada, de um tempo quando o sexo era um desafio, uma vitória, e uma derrota...tudo ao mesmo tempo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Naquele momento, Nick parou de tentar controlar os impulsos de seu corpo. Só Deus sabia por que, mas a queria mais do que jamais quis qualquer outra mulher. A lembrança do sexo na ruela, só aumentou seu apetite por ela, não o satisfizera. Ele precisava de mais, muito mais. O cabelo prateado dela caiu para frente e acariciou suas coxas, quando se curvou e chupou seu pênis. ‚Cristo!‛ Um raio de eletricidade cresceu rapidamente em suas costas e seus músculos do estômago se apertaram. A boca dela era quente e molhada, sua língua experiente provocando enquanto dançava, abaixo e ao redor de sua ereção. Então ela ergueu a cabeça e deu-lhe um sorriso travesso. ‚Você tem um gosto bom....quente, picante e masculino. Mas eu quero fazer mais que saborear você. Eu quero sentir seu pênis duro profundamente dentro de mim, enchendo-me e me estirando até que eu não saiba onde eu termino e você começa.‛ Antes de ele poder dizer qualquer coisa, ela rastejou sobre a cama e o escarranchou. Com as narinas chamejando e músculos de estômago apertando até mais, Nick assistiu quando lentamente se abaixou sobre sua quente, pulsante ereção, assistiu como seu pênis escuro desaparecia no corpo de marfim branco. Seus sentidos giraram, mais alertas do que tinham sido antes. Visão, cheiro, som, toque, sabor...todos eram mais sensíveis que antes. E ele se vangloriou neles. Esquecendo tudo exceto o quão molhada, lisa e quente estava ao redor de seu pênis, Nick cedeu ao prazer físico. ‚Isto mesmo, querida.‛ Ele rosnou, quando se levantou e se abaixou repetidas vezes, indo mais rápido a cada vez. ‚Foda você mesma. Calvague-me...mais duro.‛ Com a cabeça lançada para trás, ela concordou. Pegando seus peitos, apertou os mamilos. ‚Toque seus mamilos, querida. Aperte-os mais duros.‛ Fechando e abrindo os punhos, Nick lutou para se livrar, quando os músculos internos de Melody se apertaram ao redor de seu pênis, conforme se abaixava, então se soltavam quando se erguia. Mas as algemas estavam firmes e, embora quisesse muito tocá-la, não podia fazer mais que acariciar a pele lisa de suas coxas abertas com as pontas de seus dedos. Ainda, a assistindo agarrando os próprios peitos e tocando os mamilos era quase tão bom, quanto se ele mesmo o fizesse. ‚Vamos, querida. Belisque seus mamilos. Sim, assim.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela concordou. Seus mamilos incharam e endureceram. Os próprios mamilos de Nick começaram a doer e seus músculos do estômago se apertaram, enquanto a assistia afundar-se em seu pênis. ‚Vamos, querida. Cavalgue-me mais duro, mais r{pido.‛ Erguendo os braços acima de sua cabeça, Melody se ergueu, curvou as costas, rodou os quadris, e se afundou com força sobre seu pênis. Ignorando a punhalada rápida de dor em sua coxa, Nick gemeu e ergueu os quadris. Suas bolas estavam queimando e seu pênis doeu mais do que antes. ‚Mais duro, querida, mais duro. Calvague-me mais duro!‛ Ela concordou e baixou o braço. Seus dedos acharam o clitóris e o esfregou junto com pênis duro dele. ‚Sim, bebê, toque seu clitóris.‛ O modo como os dedos dela acariciavam e dançavam acima deles dois fizeram Nick friccionar os dentes. Assistindo-a se tocar, o fez lutar contra suas algemas. Ele quis as mãos dele entre as coxas dela, os dedos provocando seu clitóris. Ele rosnou profundo em sua garganta, um som que nunca fizera antes, mas não pensou sobre isto, não se importou que seu corpo não parecia o mesmo que tinha sido antes. Tudo que podia se concentrar era na mulher que fodia seu pênis. Até a dor em sua perna foi esquecida, até que seu mundo consistiu só do sentimento que se espalhava sobre sua virilha. O suor enfeitou sua testa e seu corpo ficou liso, enquanto erguia os quadris.Um raio de luz relampejou atrás de seus olhos. ‚Mais rápido, bebê.‛ Ele repetiu. ‚Calvague-me mais rápido.‛ Com os braços agora cruzados acima da cabeça, Melody fez o que lhe pedia. Apertando os quadris dele com suas coxas, se movia sobre o pênis dele, então rodava os quadris novamente. O pênis dele duro como pedra a estiraram e a enchiam mais profundamente toda vez que deslizava sobre ele. ‚Oh deuses!‛ ‚Isto mesmo, bebê. Você está lisa e molhada. Goze para mim, querida. Goze para mim.‛ Ele empurrava os quadris para cima à medida que ela descia. Outro gemido escapou de Melody e segurou os peitos novamente. Ela chamejou suas narinas e inalou o odor do desejo dele. Sua respiração pegou em sua garganta, quando os músculos nos braços e ombros dele incharam, conforme tentava se livrar das algemas de couro que o prendiam à cama. Ele


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

trincou os dentes e empurrou com mais força, mas as algemas eram feitas para segurar até o mais poderoso lobisomem. Nick Price estava a sua clemência, e isso era o afrodisíaco mais potente que ela já experimentara. Arquejando, seus braços ainda puxando as algemas, ele arqueou os quadris ainda mais. ‚Vamos, querida. Você me deixou quente, tão quente. Eu estou pronto para gozar.‛ Ele empurrou o pênis tão profundamente no corpo dela, na medida do possível. Estremecendo em quão profundamente empurrou o pênis nela, Melody olhou fixamente em seu rosto. O suor enfeitava com contas a sobrancelha dele. Seu escuro, olhar de chocolate estava preso em sua virilha. Suas narinas chamejaram. Respirações rápidas escapavam parcialmente da boca aberta. Ele lambeu os lábios. Melody gemeu. Oh, ter aquela língua em seu clitóris. Ela se ergueu e rolou fora da cama. ‚O que diabo…‛ Raiva e choque soavam na voz dele. Virando, Melody balançou a perna acima de seu torso. ‚Eu quero sua língua.‛ Ela gemeu. Então ela deslizou a boca acima de seu pênis. Enquanto ela o chupava, posicionou o corpo até que pudesse alcançar o clitóris dela com a língua. Ele lambeu uma vez, duas vezes, e ela estremeceu. Então, ergueu sua cabeça e a chupou. ‚Mais.‛ Ela gemeu ao redor seu pênis. ‚Mais.‛ A respiração quente dele provocou seu clitóris e vagina. Ele lambeu, a chupou. ‚Você tem gosto de paixão, de paixão quente, selvagem.‛ Ele deslizou a língua em sua vagina e chupou mais forte. Perdida na paixão, Melody chupou o pênis dele tão profundamente quanto podia, arrastou a língua de cima abaixo, mordiscou a cabeça escura e se divertiu no gosto salgado de seu pré-gozo. O lobisomem em sua alma uivou em triunfo. Ele baixou a cabeça. ‚Cavalgue-me, querida. Cavalgue-me mim novamente.‛ Arquejando, deu ao pênis dele uma última, lambida longa, então se virou. Sua boceta estava molhada e lisa e deslizou facilmente sobre ele. Ele rodou os quadris. Enquanto desfrutava dos sentimentos que percorriam seu corpo, Melody notou o flash rápido de dor nos olhos dele. A coxa dele! Ela tinha se concentrado somente em seu prazer e esquecido completamente sobre o machucado.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Fechando os olhos, aumentou o ritmo e se balançou para cima e para baixo mais e mais rápido. Tanto quanto queria prolongar seu prazer, não queria agravar o machucado dele, quando estava se curando tão bem. ‚Oh deuses, sim!‛ Correndo os dedos de sua mão direita sobre os cabelos púbicos, esfregou seu clitóris com seu dedo médio...uma vez, duas vezes, três vezes....e explodiu em êxtase, quando seus músculos internos se fecharam em torno do pênis duro como pedra, enterrado profundamente dentro dela. Em baixo dela, Nick clamou e estremeceu como alcançou seu próprio orgasmo. Trêmula, Melody derreteu sobre corpo estendido de Nick. Suspirando, se aninhou no pescoço dele. Por um tempo, seus corações bateram em uníssono. Enquanto os minutos passavam, seus corações diminuíram a velocidade, suas respirações voltaram ao normal. Sentindo-se completa pela primeira vez na vida, Melody se ergueu um pouco, escorou os braços no tórax de Nick, e olhou para o rosto dele. A expressão dele era defensiva e fechada quando lhe retribuiu o olhar. Sorridente, ela beijou sua boca. Erguendo a cabeça, olhou para o rosto dele novamente. Antes de ela poder dizer qualquer coisa, porém, uma batida alta explodiu no quarto seguido por uma voz igualmente alta. ‚Melody, abra a maldita porta!‛ Erguendo-se fora da cama, olhou fixamente para a porta. Maldição, por que o doutor tinha que aparecer agora?


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Doze Nick estava deitado impotente na cama, quando mais pancadas reverberaram em torno do quarto e Melody começou a vestir a roupa. Quando girou em direção à porta, ele estalou. ‚Cristo, Melody, cubra-me!‛ Parando no caminho, girou e olhou fixamente para ele. Ele estava nu na cama, seu agora pênis flácido enrolado acima de suas bolas. Ela sorriu. ‚Você parece bom o suficiente para comer. Eu não te provei o suficiente.‛ ‚Melody!‛ Ela não escondeu a exasperação em sua voz. ‚Droga, Nick. Ele é um doutor e já te viu nu.‛ Apesar disto, andou ao lado da cama e empurrou o lençol até os quadris dele. ‚Melhor?‛ Ela também apertou o botão que levantou a outra metade da cama. Nick bufou. Pelo menos ele não estaria deitando de costas, enquanto conversava com o doutor. Golpes mais altos atingiram porta. ‚Eu estou indo, eu estou indo.‛ Ela disse, enquanto puxava a camisa acima da cabeça. Quando Nick viu as nádegas dela moverem de um lado para outro, enquanto caminhava até a porta, agitou a cabeça um pouco para tirar isto dos pensamentos. O que porra estava ele fazendo com esta mulher? Cristo, mas ela estava se tornando cada vez mais atraente. Ridículo! Ele não estava interessado em qualquer uma mulher, especialmente uma tão...fraca. Não é? Quando alcançou a porta, destrancou-a e então saiu do caminho, quando a porta abriu com força. ‚Cristo, Melody.‛ Foi tudo o que o doutor lhe disse. ‚Sr. Price, eu sinto muito por não estar aqui quando você acordou, mas tive outra emergência. Como você está se sentindo?‛ Ele parou por um momento, seu nariz chamejando. Ninguém podia deixar de sentir o odor de sexo que flutuava em torno do quarto. Frustrado por sua falta de controle sobre a situação inteira, Nick não escondeu a raiva de sua voz. ‚Solte estas algemas. Agora!‛ As sobrancelhas do jovem médico se ergueram e olhou para Melody. Ela sorriu e encolheu os ombros.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick não teve nenhuma dificuldade ao ouvir a rápida maldição que o doutor murmurou, enquanto se curvava sobre o primeiro pulso e então o outro. ‚Eu sinto muito, Sr. Price. Você continuou tentando arranhar seus pontos ou puxar o IV da parte de tr{s de sua mão.‛ Nick esfregou os pulsos. ‚Que IV?‛ ‚Eu o tirei antes de eu sair esta manhã. Você não precisava mais.‛ Sentando-se ao lado da cama, o doutor sacudiu o lençol fora de coxa ferida de Nick, removeu a bandagem, e sondou o ferimento. ‚Muito bom. Quase curado.‛ Nick se debruçou para frente. ‚Quase curado?‛ Isso era impossível. ‚Eu pensei que era ruim.‛ Levantando-se, o doutor movimentou a cabeça. ‚Era.‛ ‚Se foi tão sério, o que estou fazendo aqui? Por que não fui mandado para um hospital?‛ ‚Nós tivemos uma tempestade logo depois que você foi apunhalado. Não havia como conseguir um helicóptero aqui, e eu não quis você numa ambulância percorrendo as estradas acidentadas da montanha, com um corte tão ruim quanto o seu. A artéria foi cortada e você estava perdendo muito sangue.‛ ‚Quanto?‛ ‚Você precisou de três quartos de sangue, para eu ter certeza que você estava fora de perigo.‛ Cruzando os braços sobre o peito, Nick olhou fixamente para o doutor. ‚Não sabia que você tinha um banco de sangue aqui.‛ ‚Nós não temos. Eu não tive tempo para verificar seu tipo de sangue, então eu tomei um quarto de cada um dos dois homens que te trouxeram aqui, eles eram ambos O positivo, e....Melody doou um quarto do sangue dela.‛ Nick grunhiu e olhou para a mulher que o confundia, mais do que qualquer outra com quem já se encontrara. De repente seus olhos borraram e uma névoa preta os cobriu. Quando piscou, tinha ido. ‚Algo est{ errado?‛ A voz do doutor soava preocupada. Nick pôs sua palma na testa e piscou mais algumas vezes. ‚Não. Nada.‛ Puxando uma caneta de luz do bolso de seu casaco branco, o doutor examinou ambos os olhos do paciente e grunhiu. ‚Considerando que você tem estado adormecido por um dia e meio e perdeu tanto sangue quanto perdeu, um pouco de vertigem não seria surpresa.‛ ‚Eu quero minhas roupas.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Aquelas que você estava vestindo quando foi trazido aqui estavam cobertas de sangue e tiveram de ser cortadas. Eu pedi ao xerife para ir ao seu quarto de motel e te trazer alguma roupa. Mabel não deixaria mais ninguém entrar no quarto sem permissão.‛ Nick não se aborreceu em esconder seu desgosto, entretanto teve que concordar com o raciocínio do doutor. Ele não deixou nada importante abandonado, mas tinha um fax alugado. Quem saberia que tipo de informações chegou, enquanto estava inconsciente? E o xerife local era indubitavelmente o tipo de oficial da lei que verificaria quaisquer fac-símiles. Esta era sua jurisdição e queria descobrir o que Nick estava fazendo. Nick sabia, desde seu primeiro encontro que o xerife era um homem esperto que sabia que havia mais na história do que Nick lhe contara. Se houvesse fac-símiles no quarto de motel de Nick, o xerife os leria. Nick faria a mesma coisa na posição do xerife. Quando o odor de outra pessoa se moveu na clínica, a névoa preta novamente cegou Nick. O suor apareceu inesperadamente em sua testa e seu estômago se agitou. Ele tragou uma vez, duas vezes, e controlou o enjôo súbito. A negridão atrás de seus olhos desapareceu. A voz de Melody atravessou sua concentração. ‚Nick? Você está bem?‛ Uma nova voz invadiu sua consciência. ‚Alguém aqui precisa de roupas?‛ Abrindo os olhos, Nick viu o estranho que entrou no quarto meio nu, muito confiante ao redor de Melody. Novamente seu estômago se agitou...desta vez de raiva. Pelo menos, este sujeito viu Melody nua. Se ele a tocasse novamente… ‚Quem diabos é você?‛ Nick rosnou. Com o sorriso desaparecendo, o estranho de cabelos cinza parou perto. ‚Nick!‛ Melody exclamou. ‚Este é Brendan, meu irmão.‛ Assim que identificou o estranho, Nick viu a semelhança em suas características e os cabelos loiro-prateados, apesar dos de Melody serem mais claro. Seus músculos tensos relaxaram e se amaldiçoou quando fizeram isso. Por que devia se importar sobre quem era este sujeito? ‚Você algema mulheres em sua cama?‛ Todas as três pessoas no quarto ficaram de queixo caído por alguns segundos, então o irmão de Melody começou a rir repentinamente. ‚Não, este é Kearnan. Diferente dele, eu não tenho que algemar mulheres em minha cama. Elas estão perfeitamente felizes em estar lá em primeiro lugar.‛ Ele lançou um pouco de roupa sobre o colo de Nick. ‚O xerife me pediu para trazer estas roupas, desde que eu


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

estava vindo aqui de qualquer maneira. Ele teve um acidente de trânsito para cuidar.‛ Ele olhou o médico de relance. ‚Você pode ter um pouco mais de clientes para sua clínica, Doutor.‛ O médico anuiu com a cabeça, mas não partiu. Ao invés disso todos os três continuaram a olhar fixamente para Nick. Nick devolveu o olhar e considerou o que aprendeu nos últimos minutos. Melody tinha dois irmãos. Assim que suspeitou de Melody, enviou um fac-símile para a sede solicitando informações sobre ela. Ele recebeu muito pouco, só seu local e trabalho atual...e o fato que seu pai possuía uma das companhias de fragrância mais lucrativas no país. Agora sabia que ela tinha dois irmãos. Porém, quando chegou na cidade, descobriu tudo que podia sobre Melody. Ele sabia que ela não tinha parentes vivendo na área. Então o que seu irmão Brendan estava fazendo aqui agora, e por que tinha estado na casa dela alguns dias atrás? Uma simples visita? Ou existia qualquer outra coisa acontecendo? E eles sempre andavam ao redor um do outro nus? O que eram eles, nudistas? Nick se mexeu na cama. Considerando que estava nu com exceção de um lençol com três pessoas que o olhavam fixamente, tomando a ofensiva poderia ser sua melhor aposta. Ele trocou um olhar com o irmão de Melody. ‚Que diabo você est{ fazendo aqui?‛ O outro homem olhou para a irmã. ‚Você não explicou as coisas para ele ainda, não é?‛ Melody balançou a cabeça. ‚Eu não tive chance.‛ O estômago do Nick enrolou novamente. Novamente, apesar do constrangimento que crescia em sua mente, ele o subjugou. ‚Disse-me o que?‛ ‚Sua transfusão…‛ Começou o doutor. ‚Eu direi a ele, Cail.‛ Melody inseriu. ‚É minha responsabilidade.‛ Um sorriso convencido em seu rosto, o irmão de Melody movimentou a cabeça na direção da roupa no colo de Nick. ‚Você poderia querer estar vestido.‛ Recusando ser intimidado pelo superior olhar nos olhos do outro homem, Nick afastou o lençol de lado, levantou-se e se vestiu. Se aquele bastardo de cabelo cor de prata pensava que Nick estava intranqüilo por estar nu na frente deles três, ele ia mudar de opinião. Em mais de uma ocasião, Nick tinha sido forçado a deixar um lugar em vários estados de nudez. A modéstia não significava muito quando sua vida estava em jogo. ‚Então.‛ Ele disse, depois que puxou camisa sobre a cabeça, ‚Comece a explicar.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O irmão da Melody entregou-lhe um pedaço de jornal. ‚É melhor você ler isto. O xerife disse que você provavelmente quereria ver isto imediatamente.‛ Pegando o papel da mão do outro homem, Nick depressa leu a mensagem. Sua tarefa estava terminada. Apenas isso. Ele podia aceitar em retorno algum tempo de férias e então enviar o relatório para a sede ao final do próximo mês. As manchas negras apareceram atrás de seus olhos. Ele as piscou longe. ‚Nick?‛ Amassando o papel em seu punho, olhou para Melody. ‚O que você tem que explicar.‛ Ele olhou para o doutor. ‚Além de como um corte que drenou pelo menos três litros de sangue de mim, se curou em um dia e um meio ao ponto que mais se parece com um arranhão?‛ Melody mordeu o l{bio. ‚Talvez você queira se sentar?‛ Ele cruzou os braços acima de seu tórax. ‚Eu estou bem. Comece a falar.‛ Ela olhou primeiro para o irmão e então para o doutor. ‚Lembra porque você veio aqui em primeiro lugar? Você est{ procurando por Jake Hurley?‛ ‚Eu sei por que estou aqui.‛ Ela mordeu o l{bio. ‚Bem, eu sei que você o está realmente caçando, porque ele deveria ser um lobisomem.‛ Por alguns segundos, Nick só a fitou. Como ela sabia? Sua missão era segredo de Estado. ‚Isto parece um conto de fadas.‛ Um sorriso nervoso tocou sobre os cantos da boca dela. ‚Para falar a verdade não. Você sabe, ele realmente é.‛ Quando Nick a fitou fixamente, o estômago dele rodou de novo. Os lugares pretos dançaram diante de seus olhos. ‚É o que?‛ ‚Um lobisomem. E seu nome não é Jake Hurley. É Garth. Garth Gray. Ele é meu irmão.‛ ‚O cara que algema mulheres na cama?‛ Nick estalado. Ele teve que dizer algo. ‚Não, Eileen nunca permitiria isto.‛ ‚Eileen?‛ ‚A companheira dele…er, esposa.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick se mexeu. ‚Então, se Jake Hurley realmente é um lobisomem e também é seu irmão, isso faz de você um lobisomem também. Com quem está tentando brincar? Você acha que eu sou louco?‛ Ela agitou a cabeça novamente. ‚Desde que você recebeu um quarto de meu sangue…‛ Nick bufou. ‚Eu sou um lobisomem, também?‛ ‚Não exatamente. Você não pode mudar para a forma de lobo, mas seus sentidos são muito melhores que eram antes. Você pode ver, ouvir, e especialmente cheirar muito melhor. Você está mais forte e pode correr mais rápido e por mais tempo. E você se cura mais rápido. É por isso que seu ferimento está tão melhor em tão pouco tempo.‛ Sorrindo maliciosamente, Nick olhou para os outros dois homens no quarto. ‚Desde que você é seu irmão, isso faz de você um lobisomem. Que tal você, Doutor? Você é um cachorro também?‛ Ainda com um sorriso superior nos lábios, o irmão de Melody disse. ‚Eu disse a você que ele não acreditaria. Quer mostrar para ele ou eu mesmo faço isso?‛ Depois de um suspiro longo, Melody disse. ‚Eu farei isto.‛ Enquanto Nick assistia, uma névoa de prata apareceu ao redor de Melody e suas roupas caíram por terra. Fina a princípio, a névoa ficou mais espessa, rodando mais rápido. Então, tão depressa quanto se formou, desapareceu. Em lugar de Melody....em cima de sua roupa...estava sentada uma loba branca prateada. Com o estômago rolando, Nick deu um passo atrás. As manchas pretas cada vez maiores começaram a dançar antes seus olhos. Alguns rugidos altos em suas orelhas bloquearam todo outro som. A

névoa

prateada

apareceu

novamente.

Em

momentos,

Melody

apareceu

diante

dele...completamente vestida. Nick agarrou as costas de uma cadeira para se apoiar. ‚Esse foi um truque legal.‛ ‚Eu posso fazer se você quiser. Assim como o doutor, com exceção das roupas.‛ O irmão de Melody disse numa voz convencida. Ele girou para sua irmã e adicionou. ‚Eu estou impressionado, Mel. Eu pensei que Papai era o único na família que podia se transformar dentro e fora da roupa.‛ ‚Eu tenho praticado.‛ Foi à resposta dela. Então ela voltou-se para ele, ‚Nick, você está bem?‛ Suas vozes pareciam vir de uma grande distância. Com o coração acelerando no peito, Nick tentou se ajustar, se o que acabou de testemunhar com a realidade que acreditava. Lobisomens não existiam. Eles não podiam. Se eles fizeram, e Melody era um, então ele fez sexo com um…


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O rugir em suas orelhas aumentou. Seu estômago rolou e estremeceu. As manchas diante de seus olhos borraram-se em uma névoa preta. De em algum lugar bem no fundo dele, uma escura, perigosa voz disse. Eu estou livre! Quando a névoa preta rodou cercando Nick, Melody saltou para a frente, só para ser puxada de volta por seu irmão e Cail agarrando seu braço. ‚O que estar acontecendo com ele?‛ ‚Não faço idéia.‛ O doutor declarou. ‚Geralmente, humanos ficam enjoados na transfusão inicial. Isto é tudo.‛ Ele nem tinha acabado de falar quando a névoa se dissipou. Emaranhado nas roupas de Nick, um magro, de olhos arregalados, lobo preto, com a língua refestelando para fora enquanto arquejava fortemente, olhou fixamente para eles com olhos dourados, manchados de negro. Em um momento, a névoa se refez e desapareceu. Nick reapareceu diante deles de quatro, sua roupa ainda emaranhada ao redor dele. Cambaleando para se levantar, seus olhos dourados estavam selvagens com medo e ira, e ele gritou. ‚O que diabos vocês fizeram comigo?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Treze Saltando e passando por Melody, Nick escarranchou a porta e desapareceu por ela. Melody começou a correr atrás dele só para ser parada, quando seu irmão agarrou seu braço. ‚Mel, deixe ele ir.‛ Com as narinas chamejando, Melody olhou ao seu irmão. Suas palavras eram afiadas e sucintas. ‚Solte-me.‛ Ele não a deixou ir. Ao contrário, a segurou mais firmemente. ‚Melody, ele não é o que nós pensamos. Ele não devia ter podido se transformar.‛ ‚Ainda, mais uma razão para eu o seguir.‛ ‚Você podia ser machucada.‛ ‚Ele é meu companheiro. Ele não me machucar{.‛ ‚Merda, Melody, ele não entende o que isso quer dizer. Você viu os olhos dele? Eles eram amarelos! Eles deviam ter retornado a cor normal. O sangue Were fez algo com ele. Existe mais sobre este

Nick Price que nós entendemos. Ele não é humano!‛ ‚Nem eu! Agora, deixe-me ir, antes de eu arranque sua mão fora!‛ ‚Deixe-a ir, Brendan.‛ Cail inseriu. ‚A transfusão o afetou estranhamente, mas ele está completamente desorientado pela mudança. Melody é uma poderosa Were em seu direito. Ela poderá evitar qualquer perigo real para ele.‛ Livrando-se do aperto do seu irmão, Melody arremessou-se porta afora atrás de Nick. Passando as mãos pelos cabelos quando a porta após a saída de sua irmã, Brendan se voltou para o doutor, que estava agora tirando um livro fino de fora da gaveta, da parte inferior de um gabinete velho empurrada contra a parede. ‚Que diabo está acontecendo Doutor? Você disse que Price era humano.‛ O médico agitou a cabeça, enquanto passava as páginas do livro. ‚Eu disse que ele não era Were mas assumi que ele era completamente humano. Eu verifiquei o sangue dele em busca de qualquer rastro de sangue Were antes de fazer a transfusão, mas não procurei por qualquer outra coisa, desde que tinha que fazer a transfusão rápido. Eu notei algo estranho sobre seu monócitos, mas ele perdeu tanto


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

sangue que não tive tempo para estudá-los tanto quanto devia. Afinal, quais as chances de que seria qualquer outra coisa exceto humano?‛ Brendan se debruçou mais perto. ‚O que você est{ procurando?‛ O doutor não respondeu, mas continuado sacudindo páginas. Então, ele parou e deslizou uma página sob o dedo até que veio para descansar embaixo de um preta, figura em forma de ferradura. ‚Maldição.‛ ‚O que?‛ Brendan perguntou. O doutor olhou fixamente para o parágrafo abaixo da figura. ‚Vodu.‛ ‚O que?‛ O doutor olhou para cima. ‚O companheiro da sua irmã é um descendente direto de um sacerdote vodu ou sacerdotisa verdadeira, próximo o suficiente para que a magia vodu combinada com o sangue Were deu-lhe a habilidade de mudar. A reação dele me diz, que ou não sabia ou não acreditava. Eu duvido que exista qualquer perigo para Melody.‛ ‚Isto é f{cil para você dizer.‛ Brendan rosnou. ‚Ela não é sua irmã.‛

Parando na calçada, Melody olhou para ambos os lados e partiu. Nick não estava em nenhum lugar para ser visto. ‚Você está procurando por aquele cara da CIA?‛ Um homem velho chamou do outro lado da rua. Melody focou no par de camaradas sentando na frente da loja de hardware, cortando alguns pedaços de madeira. ‚Que lado ele foi, Hank?‛ ‚Ele correu rua abaixo para o caminhão, mais rápido que um coelho sendo perseguido por um coiote. Nunca viu ninguém correr tão rápido.‛ ‚Ele me disse que era um corredor na academia.‛ Melody respondeu enquanto ia na direção da taverna em um passo tranqüilo. Hank e seu camarada eram humanos. Vendo uma pessoa correndo mais rápido do que alguém, devia ser capaz de poder ser explicado muito bem com uma desculpa quando usara. Se ela corresse atrás de Nick, ver duas pessoas correrem mais rápido do que era normal daria a


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Hank motivo para muitas perguntas. Seu veículo tinha sido estacionado na taverna, também. Esperançosamente, Nick dirigira-se a seu motel, em vez de seguir viagem. Ela precisava conversar com ele, explicar o que estava acontecendo. Dez minutos mais tarde, parou no estacionamento do motel vazio próxima ao caminhão de Nick. Dando uma respiração profunda, momentaneamente descansou a testa no volante. A transformação de Nick tinha sido um choque. De alguma maneira tinha que fazê-lo entender… Melody levantou a cabeça e olhou fixamente para si mesma no espelho retrovisor. Entender o que? Se ela estivesse no lugar dele, reagiria diferente? Mas que escolha tinha? Ele precisava de sangue. Mas não necessariamente o seu, sua consciência sussurrou. Cail podia ter conseguido mais sangue de algum outro humano para Nick. Ele não precisava de seu sangue para sobreviver. Ele é meu companheiro! Rosnou o lobisomem em sua alma. Ele é meu! ‚Oh merda.‛ Melody murmurou para seu reflexo. ‚Agora eu estou tendo um argumento a três comigo mesma.‛ Empurrando a porta aberta, deslizou fora de seu veículo e cheirou o ar. O odor de Nick a guiou para a porta de motel, na frente do caminhão estacionado. Depois de mais uma respiração profunda, andou a passos largos para a porta, agarrou a maçaneta, e girou. Para sua surpresa, abriu. Ele não tinha fechado a porta. Então, considerando seu estado de espírito, isso não era de espantar. Empurrando a porta aberta, entrou. As luzes estavam desligadas e as cortinas pesadas estavam fechadas. Com exceção da luz que entrava pela porta aberta, o quarto estava na escuridão total. O clique de um clipe de bala sendo empurrado numa pistola ecoou no quarto pequeno. ‚Ponha seu mãos ao alto, antes que eu atire.‛ Com as narinas chamejando, rodou a cabeça para sentir o odor de Nick e o achar no quarto escuro. Apesar disso, levantou as mãos. ‚Sou eu, Melody.‛ ‚Eu pude te cheirar, quando você abriu a porta.‛ Sua voz era amarga. Ela tragou. ‚Por favor, Nick, deixe-me explicar.‛ ‚Explicar como você me transformou numa aberração?‛ A raiva na voz dele tocou seu coração. E se ele não entendesse? ‚Você não é mais uma aberração do que eu sou.‛ ‚Meu ponto exatamente.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Nick…‛ A mão segurando o revólver não oscilou. ‚Cale-se e escute. Você quis salvar seu irmão. Eu posso entender isto. Mas me tornar uma aberração foi longe demais, Melody Gray. Dê-me uma boa razão por que eu não devia atirar em você agora.‛ Melody sentiu a raiva crescer. ‚Eu não te dei meu sangue para salvar meu irmão. Eu te dei meu sangue para salvar sua vida, porque você é meu companheiro.‛ ‚O que diabos quer dizer com isto?‛ Ela deu um sorriso fraco que não sabia se podia ver. ‚É basicamente o mesmo que ser casado.‛ Melody estremeceu no bufo de desgosto dele. ‚Você me conhece a menos de uma semana, fodeu comigo duas vezes, e decidiu se casar comigo....sem perguntar se eu estaria interessado?‛ Melody lutou para controlar sua raiva. ‚Não funciona assim! Os lobos sabem quando encontram seus verdadeiros companheiros. Assim que eu olhei em seus olhos, a metade lobo de minha alma ficou louca. Você é meu companheiro de alma, e, e se você olhar profundamente dentro de si mesmo, saberá que estou dizendo a verdade.‛ Ele baixou a arma de fogo na cômoda e andou em direção a ela. ‚Vê se me dá uma porra de um tempo. Certo, você é boa de cama, mas não vou casar com qualquer mulher que só conheço há alguns dias, especialmente uma tão misteriosa quanto você. Agora saia daqui.‛ Ela agitou a cabeça. ‚Não. Não até que você entenda o que est{ acontecendo com você.‛ Com as mãos nos quadris, ele se debruçou para frente. ‚Oh, eu entendo o que está acontecendo comigo.‛ Melody agitou a cabeça novamente, enquanto lutava contra seu lobo interior, que queria se jogar nos braços de Nick. ‚Não, você não sabe. Você tem que se proteger, guardar sua identidade até dos mais próximos agora. Você não pode deixar humanos terem seu sangue. Não apenas você estaria em perigo, mas estaria arriscando as vidas de milhares de outros. Por favor, Nick…‛ A raiva continuava no tom da voz dele. ‚Por que você não pensou sobre isso, antes de fazer isto comigo? Aquele fac-símile que seu irmão me deu era uma revogação. Este caso está fechado. Seu irmão estaria seguro, sem você acabar com minha vida.‛ Ela bateu o pé. Por que ele tinha que ser tão teimoso! ‚Maldição! Isto não é sobre meu irmão. Ele podia ter te matado pelo menos dez vezes nos últimos anos.‛ Ele cruzou os braços sobre o tórax. ‚Ele podia ter tentado.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela pôs as mãos nos quadris. ‚Não, idiota. Ele teria te matado e deixava seu corpo apodrecer no meio de lugar nenhum.‛ ‚Então por que ele não fez isto? Teria me salvado de muito sofrimento.‛ Melody deu um passo para mais perto. ‚Porque, seu idiota, ele trabalha para a CIA também. Ele sabe exatamente qual teria sido a reação....enviar mais agentes para descobrir o que aconteceu com você. Ao invés disso, ele escolheu correr e se esconder, nunca ficando muito em um lugar, nunca podendo acomodar-se e viver uma vida normal até…‛ ‚Até? O que mudou?‛ ‚Ele achou a companheira dele.‛ Ele levantou s mãos. ‚Cristo. Não, esta historia fiada de companheiro novamente.‛ ‚Não é conversa fiada.‛ Ela rosnou entre dentes. Por quê? Oh por que este difícil, teimoso, cabeça-dura humano tinha que ser seu companheiro? Ela queria mais que qualquer coisa apagar a zombaria do rosto dele, então saltar sobre ele e foder até que nenhum deles pudesse caminhar. ‚Corte a merda desta mentira sobre companheiro, Melody. Você tem uma grande imaginação, eu concordo, mas te entendi naquela noite em que nós jogamos sinuca. Você é uma princesa mimada que nasceu em berço de ouro, embora esteja fingindo que trabalha duro agora. Eu pedi informações sobre você. Seu pai é um importante criador de perfumes, que possui uma companhia de renome que continua aumentando de valor. Você está de bobeira agora, e quando me viu, decidiu ver se era mesmo verdade os rumores sobre homens negros.‛ Ela ficou de boca aberta e então a fechou. ‚Verdade sobre homens negros?‛ ‚Sim, se nossos pênis são grandes ou não.‛ Melody não se conteve. Ela estava muito brava. Saltando através do quarto, embrulhou a mão ao redor da garganta dele, e o bateu contra a parede. ‚Seu cretino fodido! Você não sabe nada. Princesa mimada? Eu?‛ Momentaneamente atordoado, quando manchas de luzes brilhantes dançavam ao redor de sua cabeça, Nick não demorou a recobrar os sentidos. Melody se movia muito mais depressa do que ele antecipara. Maldito sangue de lobisomem. Juntando suas forças, agarrou os braços dela, os girou e encostou o corpo dela contra o seu, de forma que ela estava agora presa contra a parede. Ela não lutou, e a luz vindo da porta aberta iluminou as lágrimas que rolavam silenciosamente sobre as bochechas dela. ‚Deixe-me dizer a você o quão princesa eu sou, Nick Price da merda da CIA. Eu


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

nasci nas Montanhas Rochosas em uma caverna, tendo vista para um vale despovoado. Eu não tinha nem um ano de idade, quando minha mãe foi baleada....e morta. Meu pai ficou profundamente deprimido. As únicas coisas que o mantinham vivo era minha irmã, meus irmãos e eu, e era óbvio para nós que uma vez que pudéssemos cuidar de nós mesmos, ele se mataria.‛ O choque percorreu o corpo do Nick. Isto era a verdade? ‚Por que ele não foi para a polícia? Sua mãe foi assassinada.‛ ‚Polícia! Nós não teríamos conseguido qualquer ajuda deles. Minha mãe era uma loba! Meus irmãos e eu fizemos Papai nos ensinar a nos transforma. Como crianças humanas, nós precisávamos dele muito mais tempo do que como lobos. Nosso plano funcionou. Papai nos levou para viver com uma alcatéia de lobisomens. Você sabe o que era isso? Minorias humanas, não importam de onde eles são, não são os únicos que lidam com preconceito e racismo. A maior parte dos outros nos tratava com desprezo, porque minha mãe era uma loba de verdade. Nós fomos ridicularizados, desprezados, depreciados. Se Papai não fosse tão poderoso quanto ele era, nossas vidas teriam sido piores. Não foi até que ele criou a água-de-colônia e mudamos para Nova Iorque que nossas vidas melhoraram.‛ Foi à vez de Nick bocejar e então se compôs. ‚Sua mãe era uma loba? Uma loba de verdade? Eu fiz sexo com uma…‛ ‚Uma mulher, seu idiota.‛ Melody rosnou. ‚Uma mulher que gostou muito...assim como você.‛ Inclinado-se para a frente, ela apertou a boca contra a dele. Desprevenido para seu ataque, Nick congelou. Quando ela deslizou a língua junto a seus lábios, automaticamente abriu a boca. O suspiro dela encheu sua boca seguida depressa pela língua, quando balançou a cabeça de lado e moveu os lábios lentamente sobre os dele. Fundo em sua alma, algo rugiu para a vida. Lançando os braços, ele arrastou a mão para baixo nas laterais da cintura dela, enquanto deslizava uma coxa entre as dela. Enquanto suas línguas dançavam juntas, seu pênis se espessou e endureceu. Ela ergueu os braços e os embrulhou ao redor do pescoço dele. Ele deslizou as mãos da cintura dela até o traseiro, os agarrou e puxou os quadris dela contra os seus. Ela se esfregou contra a coxa dele, e podia sentir os mamilos duros dela em seu tórax. Enquanto o seu beijo prosseguia, o odor dela cercou, o odor de rosas, mulher e desejo. Ele chupou a língua dela mais em sua boca. O desejo para arrancar as roupas dela e enterrar seu pênis profundamente dentro dela estava quase o dominando....quase.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Percebendo o que estava fazendo, Nick afastou a boca da dela. Melody Gray era a mulher mais quente que já conhecera. Ele teve que admitir isto. Mas isso não significava que não podia resistir, se quisesse. E ele queria. Ela não era importante para ele. Ela não seria importante para ele. Ele iria se afastar dela, sem um segundo pensamento. ‚Nick?‛ Seus olhos estavam nublados de paixão e promessas. Nick se afastou dos braços que o prendiam. ‚Parta. Agora! Eu… fique longe de mim. Eu preciso ir para casa.‛ A confusão apareceu no rosto dela, e ela estremeceu. ‚Nick…‛ Afastando-se dela, bateu o punho na cômoda ao seu lado. Uma rachadura apareceu na superfície do móvel. ‚Maldição, Melody. Deixe-me sozinho!‛ Ela deu uma respiração profunda e então foi até a porta. Quando a alcançou, virou-se para ele. ‚Eu o deixarei no momento, Nick. Mas você precisa de mim, tanto como eu preciso de você. Você pode lutar contra mim e quer você acredite nisto ou não, eu sou a única mulher no mundo que pode fazer você feliz. Aquele beijo que acabamos de compartilhar prova isto. Você é meu, Nick, e eu sou sua. Você não pode lutar contra o destino.‛ Girando, saiu pela porta e desapareceu. O som de seu veículo sendo ligado e partindo rolou pela porta. Nick ergueu a cabeça e olhou seu reflexo. Havia luz suficiente para ver as manchas pretas flutuando em seus olhos agora dourados. Melody estava errada. Tinha que estar. Ela não era a única mulher que podia fazê-lo feliz. Quando estivesse em casa, provaria isto para si mesmo e para ela. Sua Tia Jasmine, o ajudaria a compreender como lidar com esta....esta mudança. Tinha que haver algo que pudesse fazer para conseguir sua vida de volta ao normal.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Quatorze Volte! Companheiro! Meu companheiro! Trincando os dentes, Melody saiu da autovia e pegou a estrada que levada a sua cabana. Sua metade lobo tinha estado furioso com ela, desde que saiu do quarto de motel de Nick. Mas Melody era filha do seu pai. Ela podia e controlava o sangue Were. Enquanto dirigia ao longo da última colina, Melody deixou escapar uma maldição e estacionou próximo ao SUV de seu irmão. Ele tinha que vir para sua cabana. Ele estava esperando do lado de fora na varanda. A brisa trazida da montanha rodou em torno das cestas de flores na beirada de sua varanda e levou o odor leve das flores que plantara neles. Ela ignorou isto. ‚O que você quer?‛ ‚Eu sinto muito, Mel.‛ De todas as coisas possíveis que seu irmão Brendan podia ter dito para ela, condolência era a última coisa que Melody esperava. Ela piscou para afastar as lágrimas dos olhos. ‚Nick disse que estava indo para casa. Eu não tenho idéia de onde isto fica. O que eu vou fazer, Brendan?‛ Brendan levantou uma pasta de papéis. ‚Eu penso que eu sei.‛ Arrancando isto da mão dele, enquanto passava por ele, Melody desligou o sistema de segurança e então destrancou a porta da frente. Uma vez do lado de dentro, puxou as poucas folhas da pasta de papéis e as leu. ‚Vodun?‛ ‚Vodu.‛ Seu irmão respondeu por detrás ela. ‚Vodu? O que a religião tem a ver com Nick podendo se transformar?‛ Brendan passou por ela e caiu sobre seu sofá. Inclinado-se, descansou os cotovelos nos joelhos e apertou as mãos. ‚Não é só uma religião. Alguns sacerdotes e sacerdotisas têm sangue mágico, alguma magia muito poderosa. O doutor disse que Nick deve ser um parente próximo de um. Misturando seu sangue Were com o mágico dele, deu-lhe o poder para se transformar. O doutor também pensa que ele não sabia sobre isto, já que ficou tão chocado.‛ ‚E como isto me ajuda a descobrir onde ele est{?‛ ‚Pense, Mel. Eu sei que você não quer pedir ajuda a Papai. Você é uma boa detetive. Que cidade neste país é mais provável ter praticantes de vodu?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela olhou fixamente em seus olhos. ‚Nova Orleans.‛ ‚Exatamente. Nick não pode estar da cidade propriamente dita, mas ele está indubitavelmente na Louisiana, e Nova Orleans tem uma Alcatéia.‛ Melody movimentada a cabeça. ‚Eu estarei saindo de manhã.‛ ‚Já vai partir? Por que você não lhe d{ algum tempo para pensar?‛ Melody agitou a cabeça. ‚Ele é meu companheiro, Brendan. Minha metade lobo está furiosa comigo, por me afastar dele em primeiro lugar. Se eu não for, ficarei louca. Algum dia você entender{.‛ Brendan bufou. ‚Sonha. Isto é uma miséria que eu posso evitar.‛ Melody não pôde evitar o pequeno sorriso que apareceu em seu rosto. ‚Você não ter{ muita escolha quando a ‘Srta. Certa’ chegar. Um olhar em seus olhos e você estará perdido. Pode acreditar em mim. Você acha que eu teria escolhido o fantasma da CIA, que perseguia Garth?‛ Dando seu sorriso familiar, Brendan se levantou e pôs a mão sob o queixo dela. ‚Boa sorte o achando. Só me dê um telefonema, se você precisar de qualquer ajuda.‛ Dando um passo atrás, Melody deu um tapa na mão dele. ‚Quantas vezes eu tenho que dizer a você para não fazer isto. Belle pode tolerar seus hábitos irritantes, mas eu não. Da próxima vez, você perderá sua mão.‛ Seu irmão simplesmente sorriu e a puxou em um abraço apertado. ‚Eu tenho que voltar para Nova Iorque. O papai está me mandando para a Inglaterra em alguns meses, então tenho coisas para organizar. Não esqueça sobre a reunião de família na casa de Belle. Se não aparecer, e a família inteira virá te procurar. Nós não queremos Papai indo até Nova Orleans. O Alfa da alcatéia de lá provavelmente não ficaria muito emocionado sobre isto.‛ Melody fungou. ‚Papai pode provavelmente acabar com o pobre coitado com uma mão amarrada nas costas.‛ ‚Sim, provavelmente, mas isso iria complicas as coisas politicamente que esta conseguindo, sendo um membro da Hierarquia agora. Você sabe o quão conservador são os governantes de lobisomens. Além disso, o que ele faria como Alfa da Alcatéia de Nova Orleans? Ele não tem tempo para isto.‛ Outro sorriso apareceu nos lábios de Melody. ‚Você podia fazer isto. A responsabilidade serviria para você.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O bufo de Brendan alargou o sorriso dela. ‚Nem a pau! Você sabe quão quente e úmido é lá durante o verão? E p}ntanos não são bons h{bitat de lobo.‛ Melody movimentou a cabeça, quando o sorriso deixou seu rosto. ‚Eu tentarei estar na reunião na casa de Belle, mas se eu não achar Nick…‛ ‚Você o achar{. Você é uma boa PI. Ponha suas habilidades em uso.‛ Depois de outro abraço, ele dirigiu-se à porta. Quando ele a alcançou, parou e girou. ‚Lembre, se você precisar, apenas telefone.‛ ‚Eu irei. Seja cuidadoso na direção.‛ Ele lançou seu sorriso despreocupado habitual. ‚Eu sou sempre cuidadoso.‛ Ele fechou a porta atrás dele. Fora da casa, Brendan deslizou em seu veículo, o ligou na primeira marcha, e dirigiu-se à estrada. Uma vez que estava acima da colina e longe da vista da cabana da Melody, parou e retirou o telefone celular. Melody era muito boa e capaz, mas estava indo ao território de uma Alcatéia muito grande, um Alcatéia que, no passado, tinha sido conhecido por atacar Weres não convidados. Supostamente, o novo Alfa está limpando a casa e levando a Alcatéia ao século vinte e um, mas Brendan não iria se descuidar. Ele não teve quaisquer contatos em Nova Orleans, mas seu pai tinha. Melody não tinha nenhuma idéia de quanto poder seu pai acumulara, desde seu compromisso com a Hierarquia.

Trinta milhas distantes e fundo na floresta verde, o xerife puxou um Kenny nu fora de seu quatro por quatro, destrancou as algemas, e empurrou o homem mais jovem. ‚Vá embora, e não volte.‛ ‚Você não pode fazer isto comigo!‛ ‚Esteja feliz que a Alcatéia, inclusive sua mãe, votou em te banir ao invés de executá-lo. Você pôs todos nós em perigo com seus avanços mal recebidos em Melody. Você apresentou sua proposta. Ela disse não. Isto é tudo que tinha de aceitar.‛ ‚Ela vai ser minha companheira. Eu a quero!‛ ‚Cristo mas você é mais cabeça-dura e teimoso do que uma mula. Transforme-se e parta. Talvez vivendo na selva durante algum tempo dê jeito em você.‛ Ele mostrou o revólver e apontou na direção de Kenny. ‚Agora fora!‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Você lamentará isto, Xerife. Vocês todos verão. Só espere.‛ ‚Não volte, Kenny. Você não sairá da próxima tão f{cil.‛ Cuspindo maldições para o xerife e o resto da alcatéia, Kenny mudou e partiu para longe. Agitando a cabeça, o xerife entrou em seu veículo e voltou para a cidade. Aquele menino teria um final ruim. Ele acabara de saber disto. Meia hora mais tarde, Kenny virou uma curva no caminho que estava seguindo apenas para dar parada. Na frente dele estava sentado um lobo enorme. Kenny sentiu um alívio imenso. Irmão de floresta. Eu peço ajuda. Para que? Minha alcatéia me baniu e levou minha companheira. As Leis da Alcatéia não permitem isso, a menos que você seja desafiado por ela. Não, eu não fui. Eu fui tratado da maneira errada. Eu desafio você. Kenny retrocedeu.. O que? A fêmea Were que você quer, a quem você atacou, é para ser minha companheira. Você não tem nenhum direito a ela. Você não tem nenhum direito a machucá-la. O que? Quem? Como você sabe? Uma raposa ouviu de uma coruja sobre um Were que ameaçou a fêmea prateada. Ela é minha. A briga foi brutal, mas breve. Lambendo o sangue de suas mandíbulas, Drake trotou longe do outro lobo, que agora choramingava embaixo de uma árvore de pinho morta. Ele devia ter matado o lobo jovem, mas ele lutava tão pateticamente, que Drake teve que se conter e não rasgar a garganta dele. A criança jurou deixar a área e nunca mais retornar. Na opinião de Drake, os ferimentos que deu ao jovem Were e sua promessa de nunca retornar era o suficiente. Além disso, Drake deixou uma coisa perfeitamente clara. Se o jovem lobisomem voltasse, ele o mataria.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Agarrando sua bolsa, Nick se apressou através do terminal do aeroporto para o lugar onde podia alugar um carro. Em outra hora, ele estaria em casa. Um das balas de hortelã...ou três, ou quatro ou cinco de Tia Jasmine, ou quantas fosse necessárias o ajudariam a relaxar. O vôo inteiro tinha sido um dos piores que já experimentara. Sua recém-descoberta ressaltada sensação de cheiro o bombardeou com odores, que nunca notara antes. Ele nunca percebera que tantas mulheres....e homens, usavam perfumes ou águas-de-colônia demais que às vezes não se combinava com seus odores naturais. Afortunadamente, nenhum daqueles se sentara próximo dele. O ar em um avião era muito mais estagnado do que percebera antes, e as cadeiras precisavam de uma boa limpeza. Mais chocante era o fato de que reconheceu duas mulheres no vôo com ele, que eram lobisomens. E julgando de suas reações, acreditaram que ele era um lobisomem também. A mais velha movimentou a cabeça duramente, enquanto a mais jovem enrolou o lábio em um grunhido mudo. Novamente, graças a Deus, elas se sentaram distante dele. Mas tinha muito sobre o que pensar durante o vôo, sobre como sua vida estava completamente acabada graças a Melody Gray e idéia estúpida dela, que era sua companheira. Cristo, que diabo deveria fazer agora? A única coisa mantendo Nick são, era saber que de alguma maneira, de algum jeito, Tia Jasmine poderia ajudá-lo. Com a chave do carro de aluguel em sua mão, Nick se apressou pelo terminal, mais odores bombardeando seu nariz recentemente sensível. Um estranho, odor misterioso surgiu bruscamente, e seu olhar cruzou com um homem alto, pálido de pé em um canto escuro. O homem deu-lhe um sorriso dentudo, movimentou a cabeça uma vez, então se afastou. Nick simplesmente olhou fixo. Quem diabos, era ele? Ele não era humano e ele nem um lobisomem. Um pensamento explodiu em sua mente. Vampiro? Vampiro! Eles eram reais? Puta merda, o que mais era real? Tudo dos pesadelos e dos contos de fada? O suor apareceu inesperadamente na testa de Nick, quando apressou o passo a frente. Ele tinha que sair dali, tinha que chegar em casa. Com as emoções em tumulto e completamente distraído pelo que lhe aconteceu, Nick não notou os dois homens que estavam atrás dele. Pegando o carro, deixou o aeroporto. Um sedan escuro o seguiu. No canto escuro, o homem que Nick corretamente identificou como um vampiro falou no telefone celular numa voz baixa. ‚Um homem que se ajustava a descrição deste Nick Price, acabou de


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

chegar e alugou um carro. Você precisa de qualquer outra coisa?‛ Ele escutou por um momento então sorriu. ‚Você é mais do que bem-vindo, Artemis. Qualquer coisa que você precisar, apenas me ligue.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Quinze A intensidade do trovão pareceu agitar o carro e ventos fortes lançaram folhas e galhos em seu veículo, enquanto Nick dirigiu pela a estrada longa, barrenta. Tanto o vento quanto o trovão combinavam com seu humor perfeitamente. Amaldiçoando quando a água barrenta junto com pedaços de pedra e pedregulhos espirrou em cima do pára-brisa por causa de um buraco particularmente fundo, torceu o volante para a esquerda só para encontrar outra poça barrenta. Um galho fino coberto com verde saltou fora do capo, quando deu a virada final e parou o carro próximo a casa de sua tia, limpa e branca. Desligando o motor, debruçou sua testa contra os punhos, enquanto apertava o volante. Como sua vida se tornou tão fodida? O que esperava que sua Tia Jasmine fizesse sobre isto? Por que voltou para casa? Inferno, se transformara na merda de um lobo! E se acontecesse novamente e a atacasse? Se um dia machucasse sua tia, ele nunca se perdoaria. Melhor para ele partir antes de Jasmine saber que estava aqui. Erguendo a cabeça, agarrou a chave. Quando ele fez isso, a porta da casa se abriu com estrondo e sua tia, ignorando o vento e a chova, saiu para a varanda. O olhar de puro contentamento em seu rosto escuro, desforrado foi demais para ele, e Nick suspirou. Ele não podia sair agora assim, como não podia parar de respirar. Fechando os olhos, respirou fundo e agarrou a maçaneta. ‚Quem taí?‛ Ela perguntou na saudação habitual de Nova Orleans, quando ele andou sobre a varanda, então continuou com a estima tradicional para uma criança amada, embora estivesse com quase trinta anos, ‚Boo!‛ Não esperando por uma resposta e ignorando os pingos de chuva que gotejavam dele, ela caminhou até ele e embrulhou os braços ao seu redor. O topo de cabeça dela mal alcançava seu queixo, quando a deitou contra seu tórax. Ele grunhiu, quando ela o apertou. ‚É tão bom ter você aqui.‛ Terminando o abraço, ela girou, agarrou seu pulso e o arrastou pela porta. ‚Entre, entre. Saia desta chuva. Eu vou botar a água para fazer café, bom café, não aquela água


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

fraca que dizem ser café no Norte. Eu assei pralines2 esta manhã, e eu tenho Jambalaya3 chiando. Ou se você quiser algo rápido, eu posso fazer para você um po’boy.4‛ Enquanto sua tia falava sobre comida, Nick a seguiu na cozinha e permitiu que os odores familiares o envolvessem. O aroma picante de Jambalaya chegou ao seu nariz, enquanto o restante da fragrância do que estava sendo assado da manhã provocou sua memória, com a lembrança da doçura das pralines de sua tia. Enquanto a melodia suave do sotaque de Nova Orleans de sua tia o acalmavam, e, pela primeira vez que em vinte e quatro horas, uma sensação de que ela poderia ajeitar tudo, assim como ela fizera quando era uma criança, floresceu em seu coração. Passando pela sala, o grande gato laranja de sua tia estava deitado numa das cadeiras da cozinha. Assim que Nick entrou, abriu os olhos, ergueu a cabeça, e cheirou. Chamejando as narinas, ele cheirou novamente. Imediatamente, seus olhos se alargaram. Saltando da cadeira, o gato simultaneamente eriçou os pelos e silvou. As palavras lobo e fugir explodiram no cérebro de Nick, quando o gato pulou para o chão e fugiu pela sala de estar de sua tia onde desapareceu em baixo do pano bordado que cobria uma mesa pequena. O queixo de Nick caiu na direção que o gato tomou. ‚Ele fala? Seu gato pode falar?‛ Sua tia ficou de queixo caído por causa dele. ‚Você o ouviu?‛ Nick trocou um olhar com sua tia. Antes dele poder comentar, ela correu para ele e segurou seu rosto nas mãos. ‚O que aconteceu com você?‛ ‚Sobre o que você est{ conversando?‛

2

A invenção desta guloseima é procedente da cozinha francesa, em suas origens eram amêndoas cobertas com açúcar caramelizado, em oposição com o escuro nougat que é uma noz recoberta com chocolate. É freqüente confundido com o preparado de pastelaria e confeitaria.

Jambalaya é uma espécie de paelha típica de Nova Orleans, talvez exemplo da contribuição que a cultura espanhola acrescentou à cultura negra de Louisiana, em que os principais ingredientes são, além do típico arroz: frango, presunto cru, lagostins e muita pimenta: pimenta-do reino moída, curry e Cayena também moída. 3

É um tradicional sanduíche submarino da Louisiana . É quase sempre constituída de carne ou frutos do mar , geralmente frito, servido na baguete, como o pão francês da Louisiana. 4


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Seus olhos.‛ Apertando suavemente os pulsos dela, afastou-lhe as mãos, andou a passos largos na sala de estar, parou diante do espelho na parede, e olhou fixamente para seu reflexo. Os olhos com íris amarelas contendo manchas pretas lhe devolveu o olhar. A esperança que tinha surgido pelo som da voz de sua tia apagou e morreu. Sua tia pegou-lhe o braço e o puxou. ‚Nicholas, o que fizeram com você?‛ Suspirando, afundou em uma cadeira e enterrou o rosto nas mãos. Depois que alguns segundos ergueu a cabeça e olhou fixamente para sua tia. ‚Eu perdi algum sangue e precisei de uma transfusão. Eu consegui isto de um lobisomem.‛ Saindo da cadeira, ele caiu em seus joelhos na frente dela, embrulhou os braços ao redor dela, e enterrou o rosto em sua cintura. Sua voz amortizada ficou mais alta. ‚Tia Jasmine, eu me transformei em um lobo. O que vou fazer?‛ Segurando os lados de seu rosto, ela ergueu-lhe a cabeça e olhou fundo em seus olhos. ‚Conteme tudo.‛

Quinze minutos depois, Nick se debruçou em sua cadeira e olhou fixo para sua tia. Ele contou tudo a ela....bem, quase tudo. Ela realmente não precisava saber sobre o sexo selvagem que teve com Melody. Com os lábios franzidos, ela olhou fixamente de volta. ‚Eu nunca ouvi falar deste acontecimento antes...não com o Vodu, mas quando o povo das fadas se mistura conosco, o poder dele aumenta. Deve ser o mesmo com os Weres.‛ Ela segurou o rosto dele nas mãos novamente. ‚Mas que poder você está tomando? Eu, nunca ouvi falar de qualquer Vodu se transformando em um lobo antes.‛ Afastando-se das mãos confortantes dela, Nick fechou os olhos. Realmente fadas existiam. Provavelmente existiam trolls, ogros e unicórnios, também. Abrindo os olhos novamente, ele perguntou com um suspiro, ‚Isso tudo verdade, não é? Tudo que eu ouvi sobre o Vodu...pregando alfinetes em bonecas e adorando o diabo.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Bufando, ela agitou a cabeça. ‚Ora! A maior parte dessas histórias são para o cinema de Hollywood e turistas. A verdade sobre Vodu é o que ouviu de mim. Pode ser boa magia, mágica curadora da Terra.‛ ‚Loa5.‛ Nick disse. ‚Eu lembro de você me contando histórias na hora de dormir sobre Loa, quando era pequeno.‛ Sorrindo com aprovação, sua tia movimentou a cabeça. ‚O bom espírito. Deus os enviou para vigiar a Terra. Tudo tem seu Loa.‛ ‚Sim, Loa, espíritos, que seja.‛ Ele olhou fixamente fundo em seus olhos. ‚Que tal eu? O que eu deveria fazer? Tia Jasmine, eu me transformei em uma droga de lobo!‛

‚Ele entrou faz uma meia hora, André.‛ O primeiro guarda disse para o homem que acabara de se juntar a ele e seu parceiro próximo ao carro. Os musgos espanhóis de uma árvore de carvalho grande, os protegeu da casa. Gratamente, a chuva parara. André franziu a testa e enxugou o suor da sobrancelha. O temporal rápido passara e a umidade espessa voltava. ‚Por que um estranho Were teria vindo para Mama Jasmine? Como ele saberia como encontrá-la?‛ Ambos seus companheiros encolheram os ombros. ‚Mais, num sabemos. Nós seguimos ele como fazemos com todos os Weres estranhos.‛ Disse o segundo. André avançou pelo musgo. ‚Só há uma maneira de descobrir.‛ Ele alcançou a varanda em momentos. ‚Maldição, Tia Jasmine! Eu não quero ser um lobo!‛ A voz rolou pelas janelas cobertas de tela. ‚Você pode consertar isto, não é? Você não pode fazer uma mágica ou perguntar a um Loa para me consertar?‛

As diversas deidades da religião Vodu chamam-se loas. (Loa significa "espírito", na língua congo.) O propósito do último Vodu é permitir que os loas, que possuem o poder das forças naturais, se manifestem no corpo humano vivo, de modo que a pessoa possuída possa ser fortalecida por sua energia e sabedoria divina. 5


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

André parou. Jasmine Vassant só tinha um sobrinho que André sabia, um cara que trabalhava para o governo, e ele era humano. Como ele se tornou um Were? Andando sobre a varanda que se estendia em torno da casa, ele bateu na porta. Do lado de dentro, a conversa parou. Em segundos, Jasmine apareceu na porta. O sumário lampejo de surpresa em seus olhos foi depressa mascarado. ‚Bienvenue6 André, entrez. Sua perícia é precisada.‛ Ela disse em uma voz contida. ‚Merci.7‛ André respondeu enquanto baixava a cabeça, mas absteve-se de fazer uma careta. Mama Jasmine não apreciaria o fato de que seu sobrinho tinha sido seguido até aqui, e André, para constar, não tinha o hábito de encolerizar uma Vodu tão poderosa. Embora ela não tolerasse usar magia negra, ela era mais do que capaz de conjurar uma desconfortável gris-gris nele. Seguindo-a para dentro da casa, André se sentou na cadeira que lhe indicou e olhou fixamente para o homem mais jovem que estava em pé no quarto. Seu nariz chamejou uma vez, e o canto de sua boca ergueu-se em um grunhido mudo. O odor forte de Were emanando dele era inconfundível. Como o inferno isto aconteceu? ‚André, meu sobrinho Nicholas.‛ Jasmine disse, ‚Nicholas, este é André Bayon, Alfa da Alcatéia de Nova Orleans.‛ ‚Eu posso cheirá-lo.‛ Nick rosnou. Só o que precisava, outro lobisomem para foder com ele. Sua tia atravessou o quarto num instante. Ficando diante dele, olhou fixamente para seu rosto e estalou. ‚André é um convidado em minha casa.‛ Ela atirou um olhar azedo no flexível Were que teve a graça para parecer um pouco envergonhado. ‚Mesmo vindo sem um convite. Você o tratará com o respeito e dignidade que a posição lhe merece, ou você partir{.‛ Antes de Nick poder responder, o Were se levantou e curvou-se ligeiramente. ‚Minhas desculpas mais sinceras, Mama Jasmine. Meus homens têm ordens de seguir qualquer Were estranho que não pertence à Alcatéia. Eu não sabia que eles tinham seguido seu sobrinho.‛ Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Eu não sabia que ele era um Were.‛ ‚Quanto você ouviu?‛ Jasmine perguntou. ‚Só que ele não quer ser um Were. Como isto aconteceu? Transfusão de sangue?‛ Jasmine movimentou a cabeça. ‚Existe algum outro modo?‛

6 7

Bem vindo, André, entre. Obrigada.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Através do quarto, Nick assistiu o Alfa cuidadosamente. Então ele fez careta. Ele não estava lendo o Alfa pela visão, estava cheirando as reações do Alfa. O odor do Were ficou mais forte depois da pergunta de sua tia. Nick se debruçou um pouco à frente. Obviamente, o Alfa não quis responder a pergunta da sua tia. O Alfa examinou os olhos do Nick e arqueou uma sobrancelha. Nick cruzou os braços sobre o tórax e acenou. Ele não dava a mínima sobre quaisquer segredos que o Alfa não quisesse divulgar. ‚Existe.‛ O outro homem finalmente respondeu, ‚Mas eles não são importantes, se foi uma transfusão o que o transformou.‛ ‚Pode ser invertido?‛ Assim que a pergunta deixou sua boca, um retrato mental de Melody afastando-se dele surgiu no cérebro do Nick. Seu estômago apertou e começou a suar frio. Melody o deixaria? Friccionando os dentes, forçou a imagem longe. Então e daí. Ela era só outra mulher...e uma esquisitona. Quanto mais longe dela melhor ficaria. Ele voltou à atenção para o outro homem. ‚É definitivo.‛ A tia dele agitou a cabeça. ‚Como você pode estar certo? Você só tem sido Alfa por dois anos.‛ Levantando-se, André fez uma carranca. ‚Eu não pergunto a você sobre seus segredos, Mama Jasmine. Não me pergunte sobre os meus. Eu sou o Alfa. Eu sei o que eu sei.‛ Com os punhos fechados, Nick avançou. Alfa ou não, este sujeito precisava de uma lição. Porém, antes de Nick poder dar mais de dois passos, um odor picante cortou pelo ar quieto e invadiu o quarto. Uma sensação de escuridão envolveu Nick e algo que estava preso em seu interior como uma serpente pronta para dar o bote, se mexeu novamente.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dezesseis Através do quarto o nariz do Alfa também chamejou, enquanto ele mudava para uma atitude de agilidade tensa. A tia de Nick olhou de um homem até outro. ‚O que é isto?‛ O som de passos nos pedregulho a fez correr para a porta, que se abria sobre a varanda. ‚Quem taí?‛ Ela chamou. Quando o som dos passos se aproximou mais, o odor sujo que flutuava no quarto se tornou mais pronunciado: excitação e fanatismo fortemente misturados com malevolência. Nick se apressou para o lado de sua tia. Quem quer que fosse esta pessoa, era perigosa. Quando André andou para outro lado de sua tia, o sentimento de alívio que surgiu pelo corpo de Nick foi seguido depressa por irritação. Ele não precisava de alguém para ajudá-lo a proteger sua tia, muito menos um lobisomem sarnento. Ele teve pouco tempo, porém, para insistir naqueles pensamentos. Ao invés disso, voltou sua atenção no homem alto, musculoso, preto que andava sobre varanda de sua tia. Os dentes brancos cintilantes do homem, ele sorriu maliciosamente para a tia de Nick e disse, ‚Mama Jasmine, onde tu tá?‛ Em vez do ‚tô aqui‛ habitual usado por muitos dos habitantes de Nova Orleans para saudar alguém, ela respondeu. ‚É melhor tu voltar pra cidade onde é seu lugar.‛ Nick manteve a expressão em branco. Sua tia mudara para o dialeto que reservava às pessoas que não queria impressionar, ou para quem não queria que soubessem quão educada ela era. O homem preto nunca parou de sorrir, entretanto seu odor se tornou mais picante. ‚Agora, Mama Jasmine, tu sabe que tava vindo procurar seu sobrinho.‛ Quando seu fan{tico olhar mudou, um calafrio percorreu a espinha de Nick. Ao mesmo tempo, aquela coisa escura dentro dele se mexeu novamente. ‚Mais, meu Nick num quer falar com tu, Manno Cousan.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Mas eu quero falar cum ele.‛ Cousan mudou a atenção para o lobisomem. ‚Que tu tá fazendo aqui, Bayon? Tu tá bem longe de sua Alcatéia. Num sabia que tu tinha corage de andar suzinho, né?‛ O lobisomem cruzou os braços sobre o tórax e olhou para o homem maior. ‚Quem disse que eu estou só, e não foi a mim que Jasmine disse para partir.‛ Ele respondeu quando mais três homens saíram detrás de alguns arbustos no jardim. O maior rachou as juntas à medida que caminhava. No outro lado de Jasmine , Nick trocou os pés quando uma brisa encharcada trouxe os odores de dois outros lobisomens para ele. Quando o Alfa olhou para seu lado e movimentou a cabeça quase imperceptivelmente, Nick chamejou as narinas em resposta. Obviamente, o Alfa contava com Nick como um deles. A tensão se tornou tão espessa quanto o ar úmido. A tia de Nick não estava para permitir uma rixa em sua varanda. Pondo a mão em braço de André, ela disse. ‚Você vai para casa, André. Nós conversamos novamente mais tarde.‛ Manno se aproximou mais. ‚Tire seu pessoal daqui, vira-lata. Isso num é da tua conta.‛ Seus três companheiros se detiveram na entrada da varanda. Nick assistiu quando André se debruçou para frente, mas a mão de sua Tia Jasmine no braço do lobisomem o parou. Sem outra palavra, André girou, caminhou de volta pela cozinha e desapareceu porta afora. Os odores do outro dois lobisomens desapareceram no ar pesado. Sua tia atacou a outra visita. ‚Saia, Manno! Fora! Tu num é bem vindo aqui.‛ O grande homem sentou em uma das cadeiras de vime da varanda, esticou as longas pernas e deu um malicioso sorriso mal, seu rosto escuro enfatizando seu sorriso branco. ‚Eu sou teu príncipe, Jasmine . Devia me tratar com respeito.‛ ‚Ora! Tu num é nenhum príncipe meu. Tu num é príncipe de ninguém. Vá embora antes de eu pôr gris-gris8 em você.‛ Cousan simplesmente sorriu para ela. ‚Você ganhou. Mulher tola, tu tem medo de usar seu poder para outra magia branca, que não seja a de proteção.‛ Ao pronunciar a palavra branca fazia-a soar como uma maldição. 8

Assemelham encantos ou talismãs , que são mantidos para a boa sorte ou afastar o mal. Originalmente gris-gris foram provavelmente bonecas ou imagens dos deuses, mas a maioria atualmente de gris-gris são pequenos sacos de pano contendo ervas, óleos, pedras, pequenos ossos, cabelos e unhas, pedaços de pano encharcado de suor e / ou outros itens pessoais recolhidos sob a direção de um deus para a proteção do proprietário.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Minha tia disse que você partisse.‛ Nick declarou, quando cruzou os braços acima de seu tórax. ‚Faça isto.‛ O outro homem voltou à atenção para Nick. ‚Eu num pensei que tu deixaria uma mulher falar por tu.‛ Levantando-se, ele mostrou sua altura cheia assim podia olhar abaixo para Nick. ‚Tá na hora de tu se juntar a mim, Nicholas Price. Livre-se das cadeias do homem branco. Aceite seu sangue real Vodu. Com a transfusão do sangue Were, tu é mais poderoso do que qualquer Vodu em dez gerações, até de sua tia. Junte-se mim, e com suas conexões no governo, mandaremos no destino desta cidade, sim.‛ ‚Por que o inferno eu quereria mandar na cidade?‛ Manno estirou os braços largos. ‚Poder, homem. Poder.‛ ‚Você é um louco fodido.‛ Abaixando os braços, Manno deu um passo bravo em direção a Nick. ‚Bobo, o sangue Were despertou sua metade Vodu. Tu não sente isto? Aprenda a usar este poder, e tu será invencível.‛ ‚Eu não sei sobre o que você está falando.‛ Nick ridicularizou. O outro homem sorriu. ‚Eu tenho este poder também. Como tu pensa que sei sobre tu?‛ ‚Poder? Mentira!‛ Nick zombou. ‚Você provavelmente veio chatear na casa da minha tia.‛ O leve alargar dos olhos do outro homem, disse a Nick que ele estava certo. ‚Saia, agora.‛ Nick rosnou. Ele começou a avançar. Os três homens pararam na entrada e Manno sorriu. ‚Tu vem comigo agora, Nick Price. Tu tem muito a aprender.‛ Deixando um sorriso mal deslizar sobre seus lábios, Nick retirou o revólver semi-automático que estava atrás do cós de suas calças e o apontou aos homens. ‚Eu não concordo.‛ Até Cousan deu um passo para trás. ‚Saia e não volte.‛ Os quatro homens olharam fixamente para a arma de fogo. A mão do Nick não oscilou. ‚Eu usarei isto. Quem merda vai questionar as ações de um agente do governo em um caso como este, especialmente quando você e seus homens provavelmente têm uma extensa folha corrida?‛ Por um momento, a fúria brilhou nos olhos de Manno. Então ele disse. ‚Num seja bobo. Seu poder corre por suas veias, poder escuro. Tu precisa aprender a controlar ele e Jasmine num pode te ensinar. O poder negro vai te comer pelo avesso. Só eu posso ensinar tu.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Conversa fiada.‛ Tremendo de raiva, Manno se debruçou para frente. ‚Bobo! Num me desafie!‛ O clicar, quando Nick tirou a trava de segurança do revólver era audível através da varanda. Todos os três caras da gangue agarraram Manno e o puxaram fora da varanda. Nick não relaxou ou baixou sua arma de fogo até que eles desapareceram. Erguendo a cabeça, ele cheirou. O odor picante de Cousan e os odores de seus homens estavam sumindo. Quando colocou a de volta a trava de segurança e abaixou o revólver, a negridão que lutava dentro de sua alma explodiu em sua cabeça, e ele caiu no chão.

O odor azedo de sais trouxe Nick de volta a seus sentidos. Espirrando violentamente, o sangue Were ampliava o cheiro pungente cem vezes. Nick se levantou e então ergueu sua tia de onde tinha estado ajoelhada em seu lado e imediatamente começou a interrogá-la. ‚Quem era aquele cretino e que conversa era essa de sangue real? É ruim o suficiente que eu me transformei em um lobo. Agora tenho um cretino do Vodu me perseguindo, para ajudá-lo a conquistar o mundo. Que diabo esta acontecendo comigo, Tia Jasmine?‛ Pela primeira vez que em sua vida, Nick pensou que sua tia parecia velha. Suspirando profundamente, ela fixou os sais em uma mesa pequena e girou em direção | cozinha. ‚Venha. Nós temos café.‛ Uma vez que eles estavam acomodados com xícaras de café espesso diante deles, Tia Jasmine pegou uma das xícaras e suspirou. Tragando o café quente, Nick lutou com suas emoções tumultuadas e as bloqueados em um canto de sua mente. Ele teve que pensar, usar seu cérebro, abordar racionalmente tudo que estava acontecendo. Cristo, o governo gastou milhares e milhares de dólares o treinando a não entrar em pânico e pensar claramente em qualquer situação, e era um dos melhores agentes que a CIA teve. Com os pensamentos agora claros, Nick se recostou em sua cadeira. Sua tia examinou o rosto dele. ‚Manno não tem nenhum poder Vodu.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Antes de ela poder dizer qualquer outra coisa, Nick levantou o dedo na frente dos lábios dela enquanto se levantava. Depois de uma viagem rápida por seu carro pegou uma bolsa escura, retirou um instrumento pequeno, preto, como uma caixa. Sacudindo um interruptor, investigou todo quarto na casa. Em quinze minutos, descobriu e destruiu quatro dispositivos de escuta que tinham estado cuidadosamente escondidos. ‚Talvez agora você me deixar{ instalar um sistema de segurança.‛ Ele disse para sua tia. Com o fogo brilhando em seus olhos, ela bateu a mão na mesa e olhou para uma janela. ‚Bracque! Louco! Manno Cousan foi muito longe. Está na hora do Conselho fazer algo sobre ele.‛ Puxando-a para a mesa, Nick a empurrou suavemente em sua cadeira e despejou outra xícara de café para ela. ‚Quem ele é?‛ O braço dela empurrou quando cortou a mão pelo ar. ‚Ele não é ninguém....um homem sem família, mas dez anos atrás, ele veio para Nova Orleans reivindicando ser um descendente direto de uma casa de Vodu real. Aqueles de nós que são Vodu souberam imediatamente que não era, mas ele era encantador e cortês e nos tratou com respeito.‛ Ela silvou e bebeu mais café. ‚Ele é um demônio de duas caras. Ao longo dos anos trabalhou pacientemente, mas insidiosamente para enfraquecer os verdadeiros ensinos de Vodu. Ao invés disse ele prega o Vodu negro como retratado pelos bobos, que fazem filmes cinematográficos como o caminho para grandes poderes, poderes que ele prometeu a seus seguidores. Pior, conseguiu que alguns Vodus verdadeiros juntassem-se a ele. Eles ficaram corrompidos adorando nos lugares velhos, escuros nos p}ntanos.‛ ‚O Homem velho Cyprus.‛ Nick inseriu quando uma memória escura de sua infância surgiu em sua mente. Sua tia olhou de esguelha. ‚Você lembra. Quase morreu naquele dia. Um do mal mais antigo no Vodu é Homem Velho Cyprus. Manno e seus seguidores ousaram buscar esse poder.‛ Nick estava ainda perdido em sua memória. ‚Eu lembro. Aquele grande gator9…‛ Tia Jasmine balançou a cabeça. ‚Salvou você. Ele é um Loa, espírito de proteção.‛ Subjugando a memória, Nick enfocou seus pensamentos. ‚O que Cousan quer?‛ ‚Ele lhe disse, poder. Ele quer mandar como um rei.‛ ‚Então por que ele me quer?‛ 9

Relacionado com a lenda do Homem Velho Cyprus, não consegui localizar esta lenda. Gator pode se referir a jacaré ou crocodilo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Ele te vê como um meio para este poder.‛ Ela se debruçou em direção a ele. ‚Aqueles de nós do sangue antigo podem aprender a usar o poder verdadeiro, e o poder é como qualquer ferramenta. Pode ser usado para o bem, ou para o mal.‛ Sua tia pareceu chateada. ‚Vodus não adestrados freqüentemente sucumbem ao mal porque o poder é mais fácil de manipular e controlar, a princípio. Eventualmente, o poder controla o possuidor. Nós fazemos tudo que podemos para evitar que isto aconteça. Todos os descendentes de uma linha de sangue real são testados numa idade jovem para ver se eles podem usar o poder. Muitos não podem e, embora você seja um descendente direto, nós não podíamos despertar os poderes dentro de você.‛ Jasmine bebeu mais café. ‚Sua mãe também era incapaz de usar o poder. Ela nunca falou com seu pai sobre a herança dela. Para ele, Vodu era apenas o que os turistas de Vodu esperavam ver.‛ ‚É por isso que você nunca me disse a verdade.‛ Nick inseriu. ‚Você teria acreditado em mim, se eu te dissesse que eu podia ter transformado aquele Pierre Trousant idiota que te perseguia numa rã?‛ Sua tia respondeu. Nick sorriu. ‚Talvez não, mas eu teria apreciado isto no momento.‛ O sorriso da sua tia foi l}nguido e passageiro. ‚Os poderes são acordados em você agora por causa da infusão do sangue de lobisomem, mas eu não entendo o que exatamente foi feito com você.‛ Ela carranqueou. ‚Seu pai, ele costumava dizer que era descendente dos druidas. Talvez isso fez a diferença.‛ Ela encolheu os ombros. ‚Quem sabe? Mas o sangue de lobisomem acordou seu poder de formas que somos incapazes de prever. Cousan tentar{ usar você.‛ ‚Ele tem a mesma chance de uma bola de neve no inferno.‛ ‚Ele é um homem perigoso, Nicholas. Não o menospreze.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dezessete Andando a passos largos pelo aeroporto lotado, Melody reajustou a correia de sua bolsa e agarrou firmemente as chaves do carro que acabara de alugar. Seu vôo para Nova Orleans tinha sido calmo, dando-lhe muito tempo para pensar longa e duramente sobre Nick Price e como ele virou sua vida de cabeça para baixo. Tanto quanto quis odiá-lo por mudar sua vida, não podia. Sua necessidade por ele a impedia. Agora, tudo que tinha de fazer era encontrá-lo. O grunhido baixo que estourou no fundo da garganta de Melody e a fez ganhar olhares fixos das pessoas ao seu redor, mas os ignorou. Enquanto se apressava pela multidão, se forçou a reconhecer que tinha virado a vida dele de cabeça para baixo também, de um modo muito mais profundo. Pior, deu-lhe seu sangue sem permissão. Verdade, as circunstâncias tinham sido medonhas...ele precisava de sangue e o temporal os impediram de conseguir um helicóptero para levá-lo a um hospital ou até para obter sangue, mas fora contra uma tradição existente há muito. Não quebrara quaisquer das Leis da Alcatéia, mas ainda assim… O que seu pai pensaria? Piscando, Melody mordeu o lábio. Quanto mais pensava sobre isto, quanto mais podia reconhecer que suas ações realmente tinham sido injustas. Como podia ter perdido o controle de si mesma? Por que deixara que o lobo em sua alma ditasse suas ações? Ela sabia que dar a Nick a transfusão sem sua permissão era errado, ainda assim insistira nisto de qualquer jeito. O lobisomem em sua alma subverteu completamente sua vontade. Ela não pensara que fosse possível. Melody parou de morder o lábio e friccionou os dentes. Estava feito, e não existia nada que pudesse fazer sobre isto agora. Tudo que podia era tentar fazer Nick entender o quão importante ele era para ela, o quanto precisava dele. Suspirando, Melody piscou de volta uma lágrima. Nunca em seus sonhos mais selvagens imaginou que precisaria de ninguém, tanto como precisou de Nick. Mas achar Nick em Nova Orleans seria um processo longo, demorado, se ela trabalhasse sozinha. Melody precisava de ajuda e sabia onde encontrar. Ela olhou para o sinal apontando o caminho para a saída. Poucos humanos notariam os símbolos pequenos na parte inferior, mas para Melody eles eram tão claros quanto às outras palavras no sinal. Como todas as Alcatéias de lobisomem faziam, a de


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nova Orleans tinha uma combinação. As direções para essa combinação eram visíveis para qualquer um que sabia onde procurá-las. Quando saiu do aeroporto, a umidade a cobriu. Enquanto enxugava a transpiração da sobrancelha, um homem magro olhou em sua direção e então movimentou a cabeça. Encolhendo os ombros fora da jaqueta, Melody respondeu ao movimento com a cabeça. Ele era o terceiro Were que via. Obviamente, o Alfa aqui mantinha o rastro de quaisquer estranhos que entravam na cidade. Ela nem estava usando o perfume que seu pai criou especialmente para ela, o perfume que conteve o aconite10 que mascarava o odor de lobisomem. Nenhum outro Were podia saber quem era se usasse o perfume. Porém, ela não queria estar incógnita nesta viagem. Se alguém poderia ajudá-la a achar Nick, seria a Alcatéia do Alpha de Nova Orleans. Considerando quantos Weres havia no aeroporto, Nick teria sido notado, assim que saísse do avião. O Alfa aqui ou saberia exatamente onde Nick estava ou tinha uma idéia muito boa onde Melody podia procurar. Assim que pegou ao carro alugado, Melody foi para longe do aeroporto e seguiu os sinais escondidos que a levariam a Alcatéia que se localizava um pouco fora dos limites de Nova Orleans. Uma hora mais tarde, parou numa calçada que levava a um portão fechado. Olhando a câmara que se movimentava em direção a seu carro, apertou o botão no inter-comunicador. ‚Melody Gray para ver a Alfa fêmea.‛ Quando o portão abriu, Melody ligou o carro e dirigiu em cima da calçada. Solicitar ver o Alfa macho causaria uma comoção entre a Alcatéia. Uma estranha Were visitando a fêmea do Alfa era muito mais comum e menos notável, e Melody quis ficar quão longe de chamar atenção quanto possível. Tudo que queria era achar Nick, se desculpar pelo que fizera, então o convencê-los de que eles seriam miseráveis sem o outro, e partir para casa...de preferência com Nick. Quanto menos pessoas soubessem que estava aqui, melhor.

Aconite ou Wolfsbane - No mundo anglo-saxão vocabulários é chamado thung, que parece ter sido um nome genérico para qualquer planta muito venenosa. Foi então chamado Aconite (na forma Inglesa, do seu nome grego e latim), depois Wolf's Bane, a tradução direta do Lycotonum grego, derivado da idéia de que as setas derrubado com o suco, ou iscas ungidos com ele, que iriam atrair os lobos. As espécies mencionadas por Dioscórides parece ter sido lycotonum Aconitum. Na Idade Média, tornou-se Monkshood e Helmet-flor, da forma curiosa do sépala superior e overtopping o resto da flor. 10


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Parando na frente da imponente entrada da mansão, Melody pegou sua jaqueta, saiu do carro e deu as chaves para o jovem homem que abriu a porta para ela. Sem olhar para trás, seguiu um Were mais velho para a casa com ar-condicionado, onde a levou a uma sala de recepção pequena. ‚A senhora estar{ com você em um momento.‛ Com aquelas palavras, curvou a cabeça ligeiramente e deixou o quarto, fechando a porta firmemente atrás dele. Pondo a jaqueta acima de uma cadeira, Melody alisou a saia, contente porque vestia um dos conjuntos feitos sob medida que possuía, e passou pela sala para escrutinar a mobília. Ela já notara a câmera escondida em algumas esculturas em uma parede da sala, o que significava que existia provavelmente dispositivos de escuta também. De que ela sabia sobre a Alcatéia de Nova Orleans de Brendan, que lhe enviara um email com todas as informações que o pai deles tinha desta Alcatéia em particular para seu celular durante o vôo. O Alfa conseguira sua posição fazia dois anos e estava cuidando do tinha que ser a Alcatéia mais insular e anti-social nos Estados Unidos do século vinte e um. A Alcatéia não estava cooperando, de jeito um. O Alfa atual tivera quatro desafios para a posição nos primeiros três meses de sua posse, e sobreviveu à pelo menos a duas tentativas de assassinato. Porém, com o apoio de seus cinco leais Betas, dois irmãos e três primos, ele estava devagar....mas continuamente fazendo mudanças. Com o som da porta abrindo, Melody virou. Um Were de cabelos pretos entrou na sala, examinou-a cuidadosamente, então deixou a sala novamente. Ele retornou brevemente e segurou a porta aberta para uma grávida, delicada, mulher loira. Julgando pelo ar de confiança e comando total que radiada dela, ela devia ser a Alfa que Melody veio ver. ‚Por favor mande buscar ch{, Jean-Pierre.‛ Ela instruiu o homem alto com ela. Ele pôs a cabeça fora da porta, chamou suavemente no corredor abaixo, então parou na entrada da porta com um olhar cauteloso em Melody. Sentando-se sobre um canapé tão graciosamente quanto podia, a mulher voltou a atenção para Melody. ‚Eu sou Noelle Bayon, a Alfa Fêmea. Bienvenue. O que eu posso fazer por você?‛ Esquecendo todas as suas intenções de ser cortês e civilizada, Melody andou a passos largos pelo quarto, parou a alguns passos na frente de sua anfitriã, e respondeu. ‚Sou Melody Gray, e eu quero saber onde meu companheiro est{.‛ Quando o homem próximo à porta ficou tenso e avançou, a mulher arqueou uma sobrancelha. ‚Se você não pode manter o rastro de seu próprio companheiro, por que devia ajudar você, Melody Gray? Você não é desta Alcatéia, entretanto a notícia de sua chegada e seu aparecimento despertou o


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

interesse de vários dos nossos machos não acasalados.‛ Ela se debruçou na cadeira e olhou fixamente no rosto da Melody por um momento. ‚Porém, eu não acredito que possa permitir que você junte-se a nós. Você é Alfa até os ossos, então faria minha vida muito desconfort{vel.‛ Com as mãos descansando nos quadris, Melody se debruçou para frente, o que produziu um rosnar de advertência do macho que estava muito mais perto delas agora e respondeu. ‚Eu não estou interessada em quaisquer um dos machos em sua alcatéia. Eu não quero ter nada a ver com sua Alcatéia. Eu só quero achar meu companheiro. Ele está aqui em Nova Orleans em algum lugar, e com o número de guardas que vocês têm no aeroporto, sabem que ele chegou e provavelmente sabem onde ele está neste momento. Só diga a mim onde, e nunca me ver{ novamente.‛ Completamente calma, a mulher pequena sorriu para ela. ‚Novamente, por que eu deveria? Tenho mais coisas para me preocupar do que sobre uma fêmea estranha que perdeu seu companheiro...uma fêmea estranha cujos modos, me fazem questionar sua educação. Até os lobos na selva ensinam modos melhores a seus filhotes.‛ Caladamente amaldiçoando seu próprio temperamento, Melody viu que a mulher que ainda sorria ligeiramente. Ela sabia que Melody não atacaria. Não que Melody se importasse com o macho alto guardando a Alfa. Ela estava absolutamente certa que podia incapacitá-lo sem grandes dificuldades. Porém, a gravidez da Alfa fêmea a impedia de qualquer tipo de confronto físico. A Segunda Lei da Alcatéia era muito clara. Os filhotes e as fêmeas grávidas eram para serem cuidados e protegidos acima de qualquer coisa. Melody se amaldiçoou silenciosamente. Por que ela abordou a fêmea com tanto antagonismo? Ela sempre podia se controlar! Se tivesse entrado nesta reunião sendo mais racional, como planejava, não teria que recorrer a seu ultimato final. Maldito Nick Price por bagunçar com suas emoções! Mas, ela tinha que encontrá-lo. Não sabendo onde ele estava, estava rasgando sua alma em duas. Respirando fundo, Melody soltou uma desculpa. ‚Eu sinto muito. Eu não quis ser tão...exigente.‛ O sorriso nunca deixou os lábios da Alfa. ‚Então seria melhor aprender a controlar seu temperamento. Se não estivesse tão...indisposta, a ensinaria um pouco de educação eu mesma.‛ A ameaça oculta foi demais para Melody. Antes dela poder se parar, permitiu uma leve zombaria arrastar os cantos de sua boca. ‚Como eu disse, sou Melody Gray. Meu pai é Artemis Gray. A menos que queira ele chegando em sua porta da frente, sugiro que seja um pouco mais cooperativa.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Só o leve arregalar dos olhos da mulher traiu sua consternação com as palavras de Melody. Antes dela poder responder, porém, a porta se abriu e outro homem com uma semelhança forte para o já estava no quarto, entrou com uma bandeja grande no qual estava um serviço ornado de prata. 11

‚Você pode nos deixar, mon frére .” Ele disse. ‚Nós duas nos daremos bem, sim.‛ ‚Ela é filha de Artemis Gray.‛ Seu irmão rosnou. ‚Eu ouvi. Não importa, eu ter as informações que ela busca. Vá conferir com Alain. Ele informará você dos assuntos desta manhã.‛ O outro homem movimentou a cabeça e deixou o quarto como o Alfa, o ar de confiança e comando que radiavam deste segundo homem não deixava nenhuma dúvida sobre quem ele era, fixou a bandeja pesada que levava muito facilmente na mesa de café, virou as costas para Melody, se debruçou e beijou sua esposa. ‚Você teve uma manhã interessante, ma coeur12?” Ela aceitou o beijo e a carícia que fez em seu estômago grande com um sorriso. ‚Bastante. Nós temos uma convidada importante.‛ Melody e sua alma de lobisomem, não estavam em nenhum humor para um cortês téte-é-téte. Este homem sabia onde Nick estava. ‚Onde est{ ele?‛ Melody falou. Virando, o Alfa sorriu para nela. ‚Eu gostaria de apresentar meu marido, André Bayon, Alfa de nossa Alcatéia.‛ Noelle inseriu. ‚Diga-me onde Nick est{.‛ Novamente, Noelle arqueou uma sobrancelha e então estalou. ‚Realmente, eu pensaria que a filha de Artemis Gray teria melhor educação. Primeiro nos ameaça com a possível chegada de seu pai e então faz exigências sem tentativa de civilidade é injusto. Por que devíamos ajudar você? Se você é mesmo filha dele e sua mãe era uma loba de verdade, como pode a alma poderosa da loba que você tem permitir um comportamento tão miserável de sua parte?‛ Engolindo um grunhido, Melody apertou os punhos, fechou os olhos, e inalou profundamente. A vergonha atravessou seu corpo. A mulher estava certa. Ela estava agindo de forma atroz. Da forma como estava comportando, seu pai provavelmente apoiaria Noelle Bayon contra ela. E sua mãe…

11 12

Meu irmão. Coração.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody suspirou. Sua mãe estava provavelmente rolando na tumba por causa da terrível educação de sua filha. Meu companheiro! Encontre-o! Vá para ele! Sua alma rosnou em sua mente. Que modos para sua metade lobo. Melody lutou para manter o controle. Sua relação com Nick era muito nova e muito frágil. Ela tinha estado separada dele por muito tempo. Abrindo os olhos, ela tragou outro grunhido e disse. ‚Você está certa. Minha mãe… Perdoe-me. Eu sinto muito. Nick e eu, nós estamos acasalados faz só alguns dias. A tensão de não estar com ele… O lobo em mim…‛ A raiva da Alfa fêmea se dissipou depressa, quando ela carranqueou. ‚Você não completou sua relação com um verdadeiro acasalando?‛ Melody agitou a cabeça. Ela movimentou a cabeça. ‚Ah, isso explica muito. Para estar separada tão cedo não é fácil. Como pôde deixá-lo ir, como ele pôde partir, sem o acasalamento de lobos? Você precisa tranqüilizar a si mesma. Sente-se, tome um chá. Meu André não permitirá que seu Nick parta.‛ Melody deu um sorriso inclinado para um lado. ‚Você não conhece Nick.‛ O Alfa despejou ch{ e deu uma xícara para sua esposa. ‚Nick Price está na casa da tia dele. Ele não estará partindo por alguns dias, pelo menos.‛ Prazer chamejou na alma da Melody. Meu companheiro! Vá agora! ‚Você est{ certo?‛ Ela não podia esconder a ânsia de sua voz quando pegou a jaqueta. O Alfa movimentou a cabeça, enquanto olhava fixamente para Melody. ‚Está certa que quer ir agora? Nick Price é um homem jovem bravo. Ele precisa aprender sobre as mudanças que sofreu. A tia dele é a única pessoa que ele confia.‛ ‚Eu tenho que ir explicar…‛ Melody parou. Obviamente o Alfa soube o que tinha sido feito a Nick. Ainda, ela não precisava explicar a culpa que sentia pelo que fizera a eles. ‚Você me dirá o caminho para casa da tia dele?‛ Depois de um momento, Melody adicionou. ‚Por favor?‛ ‚Ela não poder{ se tranqüilizar até que o veja, André. Você se lembra como eu era?‛ Noelle disse com um sorriso. Ele riu enquanto puxava um bloco pequeno e uma caneta de dentro da jaqueta. Depois de um rabisco rápido, deu o papel para Melody. ‚Eu incluí o caminho com o endereço. Você deve estar lá em quarenta e cinco minutos.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Obrigado.‛ Agarrando a jaqueta, ela dirigiu-se à porta. ‚Você est{ certa que não quer ch{?‛ A porta abriu com o chute de Melody. ‚Não obrigada.‛ Uma hora e meia depois, as direções do Alfa não tinha sido tão claras quanto ele pensava. Melody freou próxima a casa da tia de Nick. Pelo menos, esperava que esta fosse à casa da tia de Nick. Empurrando a porta aberta, saiu. A umidade espessa a envolveu, e enxugou gotas de suor da sobrancelha. Amaldiçoando o fato que tinha vestido meia-calça para o vôo, apertou a frente da sua blusa e a puxou longe de seu corpo frio e úmido. Como se acostumaria a esta umidade se Nick quisesse viver em Nova Orleans? Aquele pensamento fez Melody parar no caminho. Se Nick quisesse viver aqui? Por que devia viver onde Nick quisesse? Por que ele não devia viver onde ela escolhesse? Ela não queria viver aqui! Ela agitou a cabeça. Por que estava pensando sobre isto? É isto o que estar acasalada fez a uma pessoa? Ridículo! Apertando os punhos e respirando fundo, Melody subiu os dois passos para a varanda e bateu nitidamente na porta da frente. O prazer cantou em sua alma quando Nick apareceu. Meu companheiro! Dentro da porta de tela, ele deu um passo atrás. ‚Você? Como me achou? Que diabo quer? Já não destruiu com minha vida o suficiente?‛ Melody não podia controlar o desejo em voz. ‚Nick, eu....‛ Ele bateu a porta em seu rosto.

Com o coração no estômago, Melody olhou fixamente para a porta. Ela esperava sua raiva, mas não rejeição direta. Isso era possível? O vínculo não o afetava do mesmo jeito que a ela? E se ele realmente não se importasse? O que faria? Ela não podia viver sem ele. Disto estava absolutamente certa. Ela ergueu a mão para bater novamente, assim que a porta foi aberta. Porém, em vez de Nick, ela foi saudada por uma elegante mulher negra. Muito menor do que Melody, a mulher ergueu o queixo delicado e olhou fixamente para Melody com olhos escuros, marrons. Seus lábios cheios, vermelhos


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

estavam desenhados em uma linha dura e sua voz era tranqüila. ‚De acordo com o Nicholas, você arruinou a vida dele. Por que eu devia dar boas-vindas a você em minha casa?‛ Melody piscou pelo poder que irradiava da tia de Nick, um poder para rivalizar com de seu pai. Por uma vez, sua metade de lobisomem estava quieta. Isso permitiu a Melody relaxar e se dar a chance de pensar, antes dela falar. Existia algo nos olhos da mulher que desmentiram o tom pouco amistoso da voz dela, algo que inspirava esperança. Esta mulher podia se tornar uma aliada? Ela olhou no fundo dos olhos da mulher menor e disse. ‚Porque sem ele, eu morrerei.‛ Antes das palavras saírem, Melody sabia que elas eram verdadeiras. O vínculo que sua alma tinha com Nick era irrevogável e irrompível. A única desvantagem do vínculo compartilhado por lobisomens acasalados, era a falta de interesse em viver com a perda de um companheiro. Diferente de seu pai, ela não tinha filhos para lhe tirar da melancolia, que a colheria se fosse separada de Nick por muito tempo, ou se ele a recusasse. Noticias de Weres recusados por companheiros de alma eram quase desconhecidas....quase. Os sussurros de definhar até a morte ou cometer suicídio apareciam de vez em quando. Melody sentiu uma única lágrima rolar sobre sua bochecha. Ela piscou e se recompôs. Ao mesmo tempo, seu estômago rosnou. Ela não comera nada nas últimas trinta e seis horas. O rosto da outra mulher suavizou, e o poder que a rodeava como uma armadura dissipou-se. ‚Eu sou Jasmine Vassant.‛ Ela deu um passo atrás. ‚Bienvenue, Melody. Entrez.‛ Cambaleando na entrada, Melody entrou em um cômodo com atormentares odores, algo picante borbulhante em uma panela no fogão, algo doce empilhado em um recipiente no balcão, e algo quente, masculino e sensual sentando no outro lado do cômodo....Nick.

‚Uma mulher, uma estranha, acabou de se dirigir até de casa e entrou.‛ No outro lado da conexão, Manno sorriu. ‚Mais, ela é um Were. ‚ ‚Paul diz que ela é.‛ Manno deu um sorriso amplo. Subverter alguns Weres da população de Nova Orleans para seu lado tinha sido um grande golpe de sorte. Nenhum Were entrava ou deixava a cidade sem que ele saber


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

sobre isto. ‚Ela é a Were que deu o sangue a ele. Não há outra razão para qualquer outro Were tá atrás dele.‛ O sorriso de Manno se tornou resolutamente mau. ‚Leve-a quando ela sair. Você sabe onde. Se for verdade o que Paul disse sobre lobisomens acasalados, poderemos usá-la para controlá-lo.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dezoito Quando Melody tropeçou na entrada e foi até a cozinha da sua tia, Nick bateu uma mão sobre a mesa. ‚Tia Jasmine!‛ ‚Olhe seus modos, Chile! Esta é minha casa, e esta mulher é bem-vinda, por enquanto. Quer descobrir o que aconteceu com você. Quem melhor para explicar?‛ Nick trocou o olhar de um rosto da mulher para a outra. Tia Jasmine que confiava e amava mais do que qualquer outra na Terra. Melody… Ele confiava em Melody, certo? Como se sentia sobre ela? Fechando os punhos, continuou a olhar fixamente no rosto da mulher que arruinara sua vida. Agora estava mais puto da vida, do que podia se lembrar de já estar com alguém, inclusive o vagabundo de seu chefe que o mandara nesta missão maluca de perseguir um lobisomem. Agora olhe para ele. Ele era uma aberração, e se a CIA descobrisse, o trancariam e fariam experimentos nele! Melody estava certa sobre isto. Se ele levasse o irmão dela de volta a Washington, ele teria sido trancado e vigiado com mais segurança que Forte Knox. Melody! Fodida cadela. O que ele deveria fazer sobre ela? Mais que qualquer coisa, Nick queria que ela fosse embora. Ele iria embora. Se Jasmine não pedisse a ela para partir, então ele mesmo iria. Não queria estar em qualquer lugar perto dela. Mesmo assim… Quando juntou forças e ordenou que seu corpo se levantasse da cadeira, seu estômago apertou. O suor enfeitava sua fronte. Os lugares de negro apareceram diante de seus olhos. Tanto quanto queria atravessar a cozinha e sair porta afora, ele não podia. Algo não o deixava. Mas o que? Maldição! Ele levara anos para controlar suas emoções e corpo. Nos últimos cinco anos, ele tinha sido totalmente imparcial durante todo trabalho que fizera. Tudo mudou desde que Melody Gray deu-lhe o sangue dela. Não, disse a voz insidiosa em sua consciência. Você não tem sido completamente imparcial com este caso desde a primeira vez em que a viu sentada exausta em sua escrivaninha. Você mentiu para si mesmo, desde aquele dia. Por que razão não partiu uma vez que conseguiu as informações que ela te entregou? Você sabia que eram falsas, mas podia ter descoberto a pista sem ela. Ao invés disso ficou...por causa dela. Você ficou e assistiu enquanto ela se masturbava no quarto. Seguiu-a naquele bar. Por que a desafiou para o jogo de sinuca, se sabia que não podia ganhar? Quando ela agarrou seu pulso, por que a deixou te arrastar na ruela atrás do bar? E quando ela


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

o teve amarrado com as correias naquela cama do hospital, não lutou mais do que com algumas palavras. Tudo aconteceu antes de você saber sobre a transfusão. Admita. Seja honesto consigo mesmo. Quis fazer sexo com ela. ‚Porra!‛ Nick soltou quando embrulhou os dedos em torno da parte de trás de uma cadeira. ‚Nicholas!‛ Sua tia protestou simultaneamente com o barulho de madeira quebrando. Ele olhou para o pedaço de cadeira em sua mão. ‚Você é mais forte do que antes.‛ Melody disse numa voz baixa. ‚Considerando seu treinamento, ter{ que ser cuidadoso.‛ Jogando a madeira lisa no chão, Nick rosnou. ‚Eu não quero ser mais forte.‛ ‚Agora você soa como uma criança petulante.‛ Jasmine disse em voz dura. ‚O que está feito está feito. Pare de fazer beicinho.‛ ‚Eu não estou...‛ ‚Sim você está, choramingando'.‛ A tia dele virou para Melody. ‚A mudança é permanente?‛ Melody baixou os olhos e confirmou com a cabeça. ‚Eu sinto muito…‛ Nick andou em direção a ela. ‚Você sente muito! Você sente muito? Como inferno, pensa que me sinto? De acordo com você, nunca terei uma vida normal agora. Estava perfeitamente feliz com as coisas como estavam, mas decidiu sozinha mudar tudo, não é? Você arruinou minha vida.‛ Quando ele terminou de gritar, Nick estava de pé bem em frente à Melody. Ela permaneceu com a cabeça curvada e ele podia ter jurado que viu uma lágrima cair no chão. Sua miséria óbvia não teve nenhum efeito. ‚Cadela!‛ Ele rosnou. Foi à gota d’água. Com as narinas chamejando, Melody apertou os punhos nas laterais para evitar de arrancar a tapas a zombaria no rosto dele e levantou a cabeça. Aquilo era demais. Ela tinha seguido este homem centenas de milhas, porque sua alma clamava por ele. Mas, não seria humilhada por ele, mesmo que fosse mais importante para ela do que qualquer outra coisa na Terra. Ela era um Were, e nenhuma fêmea permitia a seu companheiro tratá-la com qualquer coisa, exceto respeito. Ela deixaria cicatrizes em seu couro, antes disso acontecer. ‚Est{ certo.‛ Ela rosnou em resposta. ‚Eu sou uma cadela. Minha mãe era uma cadela, e assim como todas as outras fêmeas relativas a mim, e orgulho-me disto. Você lança essa palavra particular de forma derrogatório, mas para mim ou qualquer outra fêmea Were isto é uma declaração simples de fato.‛ Abrindo o punho direito, ela pôs o dedo no tórax dele. ‚E quanto a arruinar sua vida, que diabo pensa que fez com a minha? Eu era perfeitamente feliz com minha vida, até que você entrar em meu escritório


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

como se fosse o dono. Pensa que queria estar acasalada com você...um humano? Acha que teria escolhido você?‛ Ela cutucou o peito dele de novo, e ele deu um passo atrás. ‚Pense novamente, idiota. Queria acasalar outro Were, alguém que me entenderia e amaria por quem sou. Mas quem minha alma de lobo escolheu? Você...um humano.‛ Outro cutucão em seu tórax e Melody avançou outra vez. ‚Você tem alguma idéia do que é ter seus interiores se torcendo, porque seu companheiro não está perto? Sabe qual a sensação de seu companheiro te deixar, sem uma palavra de adeus? Pode pelo menos começar a entender a sensação de ver seu companheiro caído numa poça de sangue em perigo de morrer? Maldição! Não tive uma escolha. O que esperava que eu fizesse, te deixasse sangrar até a morte?‛ Ela o cutucou com o dedo novamente. Nick parou de se afastar e se debruçou em direção a ela. ‚Você não tinha que me dar seu sangue, especialmente quando sabia o que faria comigo. Já ouviu falar de livre arbítrio?‛ Pondo ambas as mãos nos quadris, Melody pisou o pé. ‚Não me escutou? Você é meu companheiro, a outra metade de minha alma. Você estava morrendo. Fiquei apavorada.‛ ‚Apavorada? Você pareceu estar sob um bom controle de si mesma antes disto.‛ Ela se debruçou até ele até que seus narizes estavam quase encostados. ‚Você não estava morrendo, maldição! O sangue de Lobisomem te curaria mais rápido do que qualquer outra coisa. Faz três dias e você mal nota um ferimento que devia te manter numa cama do hospital, certo? Não, eu não te dei escolha. Estava errada, e sinto muito. Mas nunca tive uma escolha também. O vínculo entre nós era muito novo. Eu não conseguia controlar isto. Ainda não posso.‛ Melody se empertigou, levantou o queixo e olhou diretamente nos olhos dele. ‚E você não faz idéia do quanto odeio isto.‛ Nick devolveu-lhe o clarão. Ela levantou o dedo para cutucá-lo no tórax mais uma vez, mas ele agarrou-lhe a mão antes dela poder fazer contato. Ele tivera cutucões o suficiente e estava pondo fim a eles agora mesmo. No momento Nick envolveu-lhe a mão com a dele, porém, o que parecia choques elétricos dançou ao redor de suas mãos e sobre o braço. O estômago dele rolou e aquela coisa escura em sua alma surgiu. Desta vez, entretanto, algo diferente estava acontecendo com seu corpo. Seu estômago rolou novamente e seu coração começou a bater mais rápido. O suor apareceu inesperadamente em sua fronte. Quando a escuridão se juntou atrás de seus olhos, qualquer outra coisa apertou ao redor dela, lutou, brigou com ela. Seu estômago rolou mais uma vez e então apertou em um laço duro.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Arquejando, Nick fechou os olhos. Seu corpo inteiro começou a tremer. ‚Nick?‛ Livrando-se da mão, ela segurou-lhe o seu rosto com as palmas da mão. ‚Você está bem?‛ Abrindo os olhos, Nick olhou fixamente em seu rosto, os olhos fitando seus olhos profundos, azuis, olhos azuis que faiscavam com manchas douradas. Ele tinha de beijá-la, não, precisava beijá-la. Sua vida dependida disto. Antes de ela ter a chance de rejeitá-lo, Nick puxou Melody em seus braços e capturou boca dela com a sua. Quando o odor dela o cercou, o prazer estourou em seu corpo, e a escuridão feia, do mal que lutava para controlar seu corpo desapareceu. Inclinando a cabeça, Nick apertou a boca mais firmemente contra a dela e deslizou a língua entre seus lábios. Os dentes clicaram e bateram. O beijo dele não era gentil, mas nada podia fazer. Ele precisava mantê-la tão perto quanto possível. Se pudesse, ele a teria engolido inteira. Rosnando baixo em sua garganta, ele chupou o lábio inferior dela e então pôs a língua de volta na boca dela. Enquanto as línguas duelavam, ela gemeu e se apertou mais firmemente contra o torso dele. Com aquela vitória pequena, ele tomou controle, os beijos dele exigiam uma resposta faminta, ardente. Ele invadiu a boca dela, empurrando e rodando a língua contra a dela em uma dança que se tornou cada vez mais sensual. Ele precisava conquistá-la, dominá-la. Mantendo a mão ao redor da cintura dela, passou os dedos da outra mão pelo cabelo dela e puxou-lhe a cabeça muito mais perto. Novamente dentes bateram contra dentes e as línguas duelaram. Os dentes dela deslizaram por seu lábio. O gosto metálico de sangue avançou pela língua de Nick. Sua necessidade absoluta de Melody intensificou como uma chama ardente em suas veias. Preso em um beijo que parecia arrancar a alma de seu corpo, Nick submergiu num rodamoinho de desejo. Ela deslizou as mãos para o alto e então pelas costas dele, até massagear-lhe o traseiro firme sob a calça jeans. Ela tentou dizer algo, mas com suas línguas na boca um do outro, não podia entender uma palavra. Não importava. Suas ações falaram muito mais alto. O aperto em seu estômago explodiu como fortes chamas. Com os seus nervos em ebulição, seu pênis endureceu. Gemendo profundo em sua garganta, deslizou a mão de volta para baixo, agarrou o traseiro dela, e puxou-lhe os quadris contra sua dura ereção.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela era sua! Choramingando, ela se moeu contra a coxa dele e então lhe embalou a ereção entre as pernas. Ofegando, ela afastou a boca da dele e lançou a cabeça trás. ‚Sim.‛ Ela silvou. Ele quis arrancar a roupa dela, pô-la no chão e terminar o ato sensual lá. O som de sua Tia Jasmine tossindo...muito ruidosamente, mais de uma vez, penetrou o cérebro enevoado da paixão de Nick. Empurrando Melody para fora de seus braços, deu um passo atrás. Tentando normalizar sua respiração, olhou primeiro para ela e então para sua tia. Com os olhos vidrados pela paixão, Melody agarrou uma cadeira para se impedir de cair. ‚O que…‛ Sem uma palavra, Nick se virou e fugiu para outra parte da casa. Ele nunca experimentara os sentimentos que percorriam seu corpo. Ele teve que se afastar de Melody, tinha que chegar em algum lugar onde pudesse pensar, sem a distrativa presença dela. Meu! Meu! Meu! Acasale agora! A alma de Melody uivou, enquanto cambaleava para recuperar o equilíbrio. ‚Nick!‛ ‚Deixe-o ir, Chile.‛ A tia de Nick disse quando Melody deu um passo atrás dele. Ela pôs uma mão no braço de Melody só para afastá-la, quando Melody girou e rosnou. Afastando-se, levantou ambas as mãos. ‚Paz, Chile. Ele precisa pensar. Ele não está fugindo.‛ Respirando profundamente várias vezes, Melody olhou para tia de Nick e lutou para recuperar o controle de seu corpo. O beijo que acabara de compartilhar com Nick tinha sido como nenhum beijo que já dera antes, mesmo aqueles com ele. Este aqui tirara a alma de seu corpo, mesclou a alma dela com a sua, e retornou com partes de ambas. Ele era seu companheiro de verdade, e agora era dele. Ela juntou o cabelo atrás do rosto. Agora tudo que ele tinha que fazer era a reconhecer e não lutar o que não podia ser mudado. ‚Algo importante acabou de acontecer, não foi?‛ A tia dele perguntou. Melody anuiu com a cabeça. ‚Nós estamos ligados. Eu sou parte dele agora, se ele gosta ou não disto. Eu não sei exatamente o que a transfusão fez com ele ou que parte de seu sangue de Vodu acordou, mas ele é meu companheiro. Não tenho nenhuma dúvida, e se ele parar de lutar consigo mesmo, saberá disto também.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Jasmine agitou a cabeça. ‚Meu Nicholas, ele est{ acostumado a controlar a própria vida.‛ Erguendo um recipiente fechado hermeticamente, ela o ofereceu para Melody. ‚O que é isto?‛ ‚Meu Jambalaya. Sua janta. Vá para o quarto do motel mais próximo e fique lá hoje | noite.‛ ‚Eu não estou deixando meu companheiro.‛ A tia de Nick discordou. ‚Vamos, menina. Nick não vai a qualquer lugar, mas não quer te ver agora. Ele tem pensar nisto sozinho.‛ Ela segurou o recipiente. ‚Aqui. V{ comer, tenha uma boa noite de sono e volte de manhã.‛ Melody afastou o cabelo do rosto novamente. Ela tinha sua alma inquieta sob controle agora e podia pensar. Talvez a tia de Nick estivesse certa. Seu estômago rosnou, quando o atormentador aroma do Jambalaya no fogão rodeou a cozinha. Ela fez careta, quando Jasmine sorriu. Melody suspirou. A memória do olhar final de choque e descrença no rosto de Nick surgiu em sua mente. Jasmine estava certa. Nick precisava de tempo para pensar, reconhecer e aceitar o que acontecera. Pegando o recipiente de Jambalaya, Melody girou em direção | porta da cozinha. ‚Eu voltarei amanhã de manhã.‛ Jasmine movimentou a cabeça. ‚Eu terei certeza que Nick esteja aqui esperando por você.‛

Uma vez fora da casa, Melody deslizou em seu carro alugado e colocou o recipiente no chão entre as duas cadeiras. Puxando as chaves do bolso, ela ligou o carro e se afastou da casa. Dirigindo devagar na calçada longa de Jasmine, puxou o telefone celular da bolsa que deixara na cadeira da frente e ligou o número de sua irmã. Belle respondeu quase imediatamente. ‚Belle, eu o achei. Nós conversamos, tipo assim. Eu acho que a tia dele vai me ajudar.‛ Melody pisou no freio. ‚Oh merda.‛ Então, no telefone. ‚Tem uma árvore. Eu terei que sair e tirá-la do caminho. Não se preocupe, é só uma árvore pequena. Não desligue, volto num instante.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody pôs o celular no banco de passageiro e abriu a porta do carro. Ela mal saíra quando foi agarrada. Seu grunhido era audível pela conexão de telefone para sua irmã. ‚Quem diabos são vocês? Solte-me. O que você...‛ Melody não teve chance de terminar. Um trapo embebido em um pouco de líquido ilegal foi empurrado sobre sua boca e nariz. Em menos de um minuto, ela estava inconsciente. No outro lado da linha, Belle deixou o telefone cair de sua mão. Então, ela depressa terminou a ligação e discou outro número. ‚Melody foi seqüestrada.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Dezenove ‚Abra os olhos. Eu sei que tu tá acordada.‛ Com queixo descansando contra seu tórax e o cabelo caindo seu rosto, Melody ignorou o comando. O bofetão duro que fez sua cabeça girar de lado era completamente oposto a voz suave. ‚Não brinque comigo, cadela.‛ Empurrando a cabeça para trás, ela lançou seu cabelo fora do rosto, Melody levantou os olhos para fixar o rosto do homem. ‚Não brinque comigo, cretino. Você não tem idéia de com quem está mexendo.‛ Ele sorriu para ela. ‚O que? Isso é purque tu é um Were? Ou purque tu tem dentes pontudos?‛ Ele estalou os dedos. ‚Isso é que eu penso sobre a Alcatéia.‛ ‚Você é um idiota.‛ Ela rosnou. Com as mãos nos quadris, ele lançou a cabeça para trás e riu. Melody ouviu a porta abrir, mas manteve sua atenção enfocada no homem a sua frente. Seu nariz contou-lhe que ele era humano. Como ele sabia sobre os Weres, e o que queria com ela? Como podia ser tolo o suficiente para seqüestrá-la, se sabia sobre a Alcatéia aqui em Nova Orleans? Embora não fosse um membro, os Alfas aqui fariam tudo em seu poder para proteger qualquer Were dos humanos. As alcatéias e pessoas diferentes podiam discutir entre si, mas sempre se uniam contra qualquer um que não fosse um deles. O homem que abriu a porta juntou-se ele. Mantendo a atenção em seu seqüestrador, Melody ignorou o novo habitante do quarto. Ele era um Were. O que estava acontecendo aqui? A Alcatéia local estava por trás de seu seqüestro? Ela rosnou, ‚Quem é você e o que quer comigo? Eu não sou de Nova Orleans. Certamente não vai conseguir nada comigo da Alcatéia daqui.‛ O primeiro homem riu novamente e bateu o tórax com seu punho. ‚Eu sou Manno Cousan, Rei do Vodu de Nova Orleans. Alcatéia? Num quero nada deles. Eles num tem nada que eu quero. Tô me lixando pra eles.‛ Ele ergueu a mochila de Melody do chão e a balançou para o outro homem. ‚Aqui, veja o que descobre, Jacques.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O Were sorriu para ela quando agarrou a mochila, foi até uma mesa onde esvaziou tudo. Empurrando as poucas de roupa de lado, ele pegou a carteira dela. ‚O nome dela é Melody Gray.‛ Ele carranqueou por um breve segundo e então encolheu os ombros. Soltando a carteira, ele ergueu o celular. ‚Este troço aqui é bem caro e não é para qualquer um, Manno.‛ Ele o abriu e apertou alguns botões quando Manno andou até seu lado. ‚Algo?‛ ‚Só alguns primeiros nomes de contatos.‛ Ele soltou o telefone e continuou a examinar os pertences. Manno voltou para a frente dela. ‚Quem é tu? Por que tem um telefone tão caro? Sua família tem muita grana? Eles pagariam pra eu te devolver?‛ Um uivo muito alto do outro homem chamou a atenção de ambos. ‚O que? ‚Abominação!‛ Jacques uivou, enquanto sacudia um pedaço de papel em sua mão. ‚Ela é uma Abominação!‛ Manno foi para o lado dele novamente. ‚O que você quer dizer?‛ ‚Artemis Gray! Ela é filha de Artemis Gray.‛ ‚O que tu quer dizer, abominação? A mãe dela era irmã do pai ou algo assim?‛ ‚Pior! Artemis Gray, ele é um lobisomem que ficou selvagem e acasalou com uma loba.‛ Manno encolheu os ombros. ‚Os Weres fazem isto. A Alcatéia num liga.‛ ‚Ele devia ficar como um lobo. Ele num fez isto. Ele ensinou os filhotes como se transformar, ensinou-lhes a serem humanos! Ela é metade lobo. Ela é mais lobo que humana! Ela devia ficar no bosque com outros animais!‛ Ele cuspiu no chão aos pés dela. ‚Abominação!‛ Sorrido ligeiramente, Melody olhou fixamente para seus captores. Fazia muito tempo desde que outro Were havia jogado sua ascendência em seu rosto. Seu pai se tornara muito poderoso. Ainda assim alguns Weres tinham dificuldade de aceitar sua família. Não muitos filhotes meio-Weres escolhiam tornarem-se humanos e, se eles o faziam, viviam uma vida de muito baixo nível. Seu pai, por outro lado, parecia ter saído do caminho para causar controvérsia. Claro, seu propósito era igualdade lógica e honrada para todos os Weres. ‚Tu é mesmo metade lobo?‛ Manno perguntou. ‚Nick Price sabe disto?‛ Ela voltou a atenção para o humano. Nick? O que este tal de Manno Cousan queria com Nick? ‚Isto não é da sua conta.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Ela num disse a ele.‛ Jacques rosnou. ‚Teu príncipe vudu tá fodendo com um animal.‛ Melody manteve os olhos em seus capturadores, mas sua cabeça estava girando. Nick era um príncipe vodu? ‚Vodu, bobo, Vodu!‛ Manno estalou. ‚Vudu é para turistas. Vodu é real. Você sabe disso!‛ Jacques curvou a cabeça ligeiramente. ‚A culpa é dela. Eu num quero tá no mesmo quarto que ela.‛ ‚Certamente, parta.‛ Melody inseriu. ‚Eu não estou apreciando sua companhia também.‛ Um desajeitado tapa de Manno fez a cabeça de ela virar de lado novamente. ‚Calada, cadela.‛ Lambendo o sangue do canto da boca, Melody lutou para controlar seu temperamento, quando o lobisomem em sua alma uivou de raiva. Rasgue a garganta dele! O desejo para se transformar se tornou quase opressivo...quase. Manno riu dela. ‚Vá em frente. Vire um lobo, cadela. Tuas pernas estão amarradas na cadeira, e os braços estão amarrados nas costas, então tu deslocaria os quadris e os ombros. E continuaria presa. Jacques, aqui, ele gosta de assistir o sofrimento dos outros. Talvez ele te desamarre e te coma.‛ ‚Eu num comia ela nem que fosse a última Were na Terra. Eu num fodo nenhum animal.‛ Manno riu e esfregou a braguilha. ‚Talvez eu tente mais tarde. Faça isto no estilo cachorrinho.‛ Com o suor escorrendo pelo rosto, Melody rilhou os dentes e se concentrou em controlar seu furioso lobo interno. Ela testou as cordas suavemente. Eles estavam apertadas. Mas ela não pensou que se transformar livre delas seria impossível. Levaria toda sua habilidade, entretanto, e existia a chance dela falhar. Transformar-se ainda presa a incapacitaria e poderia causar dor excruciante. Melhor não tentar isto, a menos que não tivesse outra opção. Lentamente, o lobo dentro dela aceitou sua decisão e se acalmou. Completamente sob controle novamente, Melody examinou os olhos do seu capturador e disse, ‚Você ainda não me disse o que quer de mim.‛ Obviamente desapontado, Manno encolheu os ombros. ‚Eu num quero nada de tu. Tu é a isca para Nick Price. Tu despertou os poderes dele, quando deu o sangue pra ele. Ele é um Vodu poderoso agora. Eu e ele, nós vamos decidir o destino desta cidade, talvez do estado, talvez até do país.‛ Melody piscou. Nick? Decidir o destino do o país? ‚Você é verdadeiramente um idiota se pensar que Nick quer decidir qualquer coisa....especialmente com você!‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Desta vez, o bofetão foi forte o suficiente para tombar a cadeira de lado. Algumas luzes minúsculas surgiram diante de seus olhos, quando a cabeça bateu contra o chão de cimento. ‚Deixe ela deitada lá, Jacques. Ela precisa aprender uma lição. Tu mandou a mensagem pra casa de Mama Jasmine?‛ O outro homem movimentado a cabeça. ‚Se Nick Price quiser ver ela novamente, precisa vir aqui.‛ Manno sorriu para Melody. ‚Eu vou afastar Nick daquela tia cooyon13 e conversar de homem pra homem, pra ele vê meu lado. Todo homem quer mandar, sim.‛ Ele virou para Jacques. ‚Cuide dela. Tenha certeza de que ela não faz nada estúpido.‛ ‚Desde que eu num precise encostar nela.‛ Quando Manno deixou o quarto, Jacques se sentou numa velha cadeira rota e ligou uma televisão pequena. Depois de um último olhar em sua direção, ele ignorou completamente Melody. Deitada de lado, ainda amarrada a cadeira, Melody examinou o quarto tanto como pôde—o chão de cimento, as paredes pintadas de cinza, caixas vazias e paletas jogadas. Algum tipo de armazém, provavelmente. Fechando os olhos, ela respirou fundo. O pulsar em sua cabeça se tornou uma dor suportável. Respirando fundo outra vez, Melody começou a recitar seu mantra de ioga favorito silenciosamente. Até a dor sumir, ela não poderia se concentrar bem o suficiente para escapar desta situação. Parece que teria que esperar por Nick vir salvá-la. Ela friccionou os dentes ao pensar nisto. Maldição, mas ela odiava a idéia de ter que contar com alguém. Ela sempre cuidava de si mesma

Desafio! A palavra foi arremessada por todo lugar da mansão da Alcatéia de Nova Orleans, espalhando-se por todo lugar da grande propriedade. As perguntas voaram de um membro de Alcatéia para outro. Novamente? Outro? Quem? Todo mundo não estava satisfeito? Com certeza André derrotara todo outro macho em Nova Orleans que

13

Uma gíria Cajún para uma pessoa estúpida ou tola.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

desejava sua posição. Não existira um desafio em quase um ano. Os irmãos Desmaries tinham sido completamente derrotados, Jean Dupaul morreu devido aos ferimentos, e Henri Girard fugiu da cidade, depois que ele perdeu o desafio. Dentro do salão de baile da mansão para onde se dirigira, quando informado que um Alfa estranho forçou passagem pelos guardas do portão com pouca dificuldade, André estava em pé na parede oposta as das portas duplas largas. Atrás dele, com as mãos dobradas em sua barriga grande, Noelle mudava nervosamente de um pé para outro. Em sua condição, ela seria incapaz de ajudá-lo. Movimentando a cabeça para os vários membros de Alcatéia, quando eles se apressaram na sala grande, André esperou por seu adversário. Em muito menos tempo do que esperava, seu desafiador deve ter corrido sobre a calçada longa, as portas que André estava olhando fixamente se tornaram acessíveis. Um macho alto, mas magro, prateado andou a passos largos pelo quarto. Poder misturado com o odor de esgotamento se desprendia do macho estranho. Atrás de André, Noelle ofegou. André não teve tempo para se virar e a confortar. Mais alguns passos e o macho estranho estaria a meio caminho do quarto, o lugar tradicional para ele parar e declarar seu desafio. Então, os dois se despiriam e se transformariam. A briga duraria até que um deles aceitasse a derrota, algo que André nunca faria. Pela aparência deste macho, ele não desistiria também. André engoliu em seco e olhou para seu oponente. Ele estava absolutamente certo que os dois morreriam nesta briga. Mas por que ele desafiaria André, quando estava tão obviamente cansado e não em sua melhor forma? Os suspiros de choque ecoaram ao redor do quarto, quando o macho estranho não parou a distância tradicional de André. Isto estava uma quebra sem precedente de protocolo. Noelle rosnou e caminhou para o lado de André. Agarrando o pulso dela, André empurrou sua companheira para atrás dele. Outros membros da Alcatéia mudaram de atitude. Alguns deram passos a frente. Três primos de André vieram ficar às suas costas. Por quebrar protocolo, este estranho lobisomem provocara a própria queda.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O estranho, de olhos vermelhos e desfigurados, ignorou todo mundo exceto André. Parando alguns passos na frente do Alfa da Alcatéia, ele se debruçou para frente e rosnou. ‚Onde diabos está minha irmã?‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Vinte ‚O que você quer?‛ Nick rosnou pela porta de tela para o homem desprezível que estava sobre varanda de sua tia. Quando ele puxou o revólver do cós da parte de trás de suas calças e apontou-a para o estranho, o homem abruptamente parou. ‚Manno disse para te dar isto, sim.‛ Ele disse, enquanto lançava uma mochila sobre a varanda. ‚Ele diz que Mama Jasmine, sabe onde Manno t{.‛ Com aquelas palavras, virou e foi embora. Nick manteve a arma de fogo em sua mão, até que o odor do outro homem se dissipasse. ‚O que é isto?‛ Sua tia perguntou. Nick não teve que se aproximar mais do que já estava para reconhecer. O odor de Melody estava rodeando a mochila. Empurrando a porta aberta, ele saiu e a ergueu. ‚É de Melody.‛ Sua tia respirou fundo e franziu o cenho. ‚Manno a pegou?‛ Ela colocou a mão no braço dele. ‚Nick, ele a matar{ se não conseguir o que quer.‛ Com os olhos sem foco, Nick desviou a vista para a porta de tela. Canções de numerosos pássaros ondulavam pelas árvores. Em algum lugar no pântano, um jacaré berrou. As abelhas zumbiam entre as flores e ervas cercando a casa. O gato de sua tia miou de frustração, quando o rato que estava atocaiando escapou. A brisa matutina trouxe miríades de odores para ele...flores, insetos, animais. O sol, prometendo outro dia quente, úmido, brilhava no céu. Nem dez minutos atrás, aqueles sons e odores tinham sido um bálsamo, acalmando a tensão de seus músculos, a fadiga de seu espírito, a confusão de seu cérebro. Ele passara a noite virando de um lado para o outro, repassando a semana passada por sua mente. Primeiro, repreendeu a si mesmo por ter encontrando Melody Gray. Ele não precisava parar na cidade dela. Ele devia ter continuado em frente. Aquela linha de pensamento, porém, não o levava a qualquer lugar. Ele nunca ignorou uma pista não importa quão pequena. Mais de uma vez, algo aparentemente insignificante levava a uma prisão, e não deixava nada incompleto. Ele não podia ter se impedido de abordar Melody Gray por informações, mais do que podia ter parado de respirar. Tudo que aconteceu depois foi tanto culpa dele como dela. O fato que dela ser um lobisomem-fêmea, embora não soubesse, realmente nada tinha a ver com a atração que sentira. Ele a queria nua e gemendo sob ele no primeiro momento em que a viu sentada exausta, atrás da escrivaninha. Ele podia não ter estado


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

disposto a admitir para si, admitir que finalmente encontrara algo mais importante que qualquer caso em que estava trabalhando. Nick agitou a cabeça. Melody o fascinara a primeira vista e o fato que era um lobisomem não diminuía essa fascinação. Nas horas mais escuras antes do sol nascer, Nick finalmente admitiu que o fato dela ser um lobisomem a tornava ainda mais atraente para ele. Por que, ele não sabia. Ele devia estar intimidado ou repugnado, mas não estava. Uma coruja piando fora de sua janela concordou com ele. Como o amanhecer surgindo, Nick finalmente aceitou o fato de que Melody significada muito mais para ele do que a própria vida, e o pensamento de nunca mais vê-la novamente despertou depressão e uma agonia em sua alma, como nunca experimentara antes. Ele não podia viver sem ela, mesmo se quisesse. A voz da sua tia penetrou seus pensamentos. ‚Nick?‛ Nick balançou a cabeça para desanuviá-la, enfocar seus pensamentos. A voz de sua tia desapareceu assim como os sons e odores que rodeavam sua casa. Melody estava em perigo. Manno Cousan a seqüestrou. Nick agarrou correia da mochila de Melody mais firmemente. O odor dela e daquele perfume que ela usava o cercaram. Algo dentro de Nick mexeu. O brilho do sol enfraqueceu e algo escuro e perigoso mexeu dentro dele. Manno Cousan iria morrer. ‚Eu o matarei por isto.‛ Ele rosnou quando soltou a mochila no chão. ‚Diga-me onde eu posso achá-lo.‛ Uma hora mais tarde, Nick e sua tia estacionaram numa rua deserta. No outro lado erguia-se o que pareceu com um armazém abandonado. ‚Tem certeza de que ela est{ aqui?‛ Jasmine anuiu com a cabeça. ‚Aqui é onde Manno vem fazer suas ‘conjurações’.‛ Ela respondeu. ‚Fique aqui.‛ Nick comandou, enquanto saía silenciosamente do carro.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Jasmine assistiu quando Nick cruzou a rua e desapareceu no canto do edifício. Pondo seu mantô brilhantemente moldado ao redor de seus ombros, saiu do veículo e andou a passos largos para o outro lado da rua. Enquanto Nick tinha pegado armas do arsenal que escondia na casa dela, ela fizera uma ligação. A palavra se espalharia. Manno Cousan finalmente fora longe demais. O Conselho lidaria com ele hoje. Parando embaixo de uma janela alta, virou a cabeça para o lado, enquanto acenava os dedos. Então dobrou as mãos dentro do mantô para esperar.

No outro lado do edifício em uma ruela igualmente deserta, André e Brendan saíram de um furgão seguido por cinco da alcatéia de André. ‚Você tem certeza que Melody est{ aqui?‛ Brendan rosnou. Quanto antes enfiasse os dentes neste Cousan, mais cedo o sangue vermelho do bastardo correria. O Alfa movimentou a cabeça para seu companheiro. ‚Isto é onde o Cousan tenta apresentar sua chamada ‘magia’. Alguém de minha alcatéia, se infiltrou na organização.‛ ‚Vamos.‛ A névoa prateada começou a se formar ao redor de Brendan. O Alfa agarrou seu braço. ‚Espere! Alguém está vindo.‛ Brendan resistiu ao desejo de arrancar com uma mordida a mão de seu anfitrião. Tanto quanto preferia estar aqui sozinho, o protocolo exigiu que aceitasse a oferta de ajuda do Alfa. O pai do Brendan tinha sido inflexível sobre isto. A Hierarquia não podia aceitar uma disputa de sangue entre um de seus membros e o Alfa da Alcatéia de Nova Orleans. Então Brendan tolerou a presença de André Bayon e seus homens para causa do pai. Uma figura solitária deslizou pelas sombras em torno do canto do edifício. Brendan ergueu a cabeça e cheirou. A raiva dele aumentou. Este homem era a razão que sua irmã tinha sido seqüestrada. A zombaria se tornou um grunhido. ‚É sua culpa que ela est{ aqui. Se tiver sido machucada, eu rasgarei sua garganta.‛ Apertando-se contra o edifício, Nick mentalmente amaldiçoou, quando reconheceu o irmão de Melody. Então ele rosnou de volta. ‚Não se mova. Existe uma câmera a menos de dez metros de você. Mais alguns passos e estará no campo de visão de quem est{ no edifício.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O Alfa agitou a cabeça. ‚Não importa, mon ami. Cousan, ele sabe que nós estamos vindo.‛ ‚Manno sabe que eu estou vindo.‛ Nick respondeu rudemente. ‚Ele te mandou uma mensagem pedindo sua companhia?‛ ‚Se você pensa que vou ficar aqui fora, enquanto minha irmã está lá, é louco.‛ Brendan rosnou numa voz baixa. Nick sentiu vontade de esmurrar o irmão de Melody. A estratégia básica de Brendan de um ataque frontal levaria muito tempo. Nick ficou na frente dele e olhou fixamente em seu rosto. ‚Eu não estou te dizendo para ficar aqui fora, imbecil. Estou dizendo para esperar até que eu consiga a atenção deles. Eles estão esperando que eu venha sozinho. Vá já para trás daqueles engradados, antes daquela máquina fotográfica virar para este lado.‛ Rosnando audivelmente, quando o Alfa agarrou seu braço, o irmão da Melody ainda assim permitiu ser puxado para longe. ‚Se qualquer coisa acontecer com Melody.‛ Ele rosnou. ‚Eu mesmo te matarei.‛ ‚Eu gostaria de ver você tentar.‛ Nick rosnou em resposta. Ele voltou à atenção para André. ‚Há uma janela quebrada naquele canto. Eu não localizei quaisquer câmeras lá. Você terá que impulsionar alguém, mas é o melhor ponto de entrada, sem ser visto. As câmeras em torno do edifício estão em bom estado, mas quem as instalou deixou falhas. Você deve ser capaz de entrar, sem quaisquer problemas.‛ Ele olhou para Brendan. ‚E mantenha aquele idiota quieto.‛ O irmão de Melody franziu o lábio, mas não disse nada. Eu acho que ele não é totalmente estúpido, Nick pensou para si mesmo. Então ele saiu das sombras e andou direto para a câmera. Como esperava, focou direto nele. Depois de olhar fixamente por alguns momentos, foi direto para a porta. Uma campainha soou e ouviu a fechadura zumbir. Empurrando a porta aberta, entrou nas sombras. ‚Eu gostaria de rasgar sua garganta.‛ Brendan murmurou para ninguém em particular, enquanto eles deslizaram quietamente em torno do edifício à procura da janela que Nick mencionara. ‚Então, Brendan Gray, ter{ que te explicar com sua irmã.‛ André falou. ‚Mais, ela não me parecia o tipo que perdoava.‛ Quando um dos homens o impulsionou para a janela quebrada, Brendan rosnou mas não respondeu. Irmão ou não, Melody rasgaria seu couro em tiras, se machucasse um fio de cabelo na cabeça de seu companheiro. O que ainda não significava que Brendan tinha que gostar dele. Por causa daquele


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

homem cretino da CIA, a vida de Melody estava em perigo. E se ela estivesse machucada de qualquer forma, Brendan não teria que se preocupar sobre se vingar em ninguém. Seu pai cuidaria disto.

Dentro do armazém, Nick permaneceu quieto até que seus olhos se ajustassem a escuridão. Seu senso de olfato aumentado depressa identificou os odores de mofo, pó, comida deteriorando, esgotos bloqueados e corpos não lavados. O lânguido odor de perfume emanava de Melody de uma porta a mais ou menos quarenta metros na frente dele. Porém, ele passara a vida usando seus olhos ao invés de seu nariz. Em uma situação como esta, preferia contar com o sentido que conhecia melhor. ‚Por que você trepou com ela?‛ Uma voz nas sombras à sua esquerda disse. ‚A mãe dela era uma loba pura, não um lobisomem! Ela é mais animal do que humana. O que está errado com tu? Tu num sabia?‛ Nick não vacilou, quando o lobisomem andou até sua linha de visão, entretanto queria estrangular o outro homem, por causa do que disse sobre Melody. Ele sabia que outro homem estaria lá, teria sabido que estava lá sem os sentidos amplificados. Este era o tipo de trabalho que fora treinado para fazer. Nick sentiu um cínico zombar enrolar seu lábio. Manno Cousan não tinha chance contra ele. E se este rei de Vodu auto-proclamado tivesse machucado Melody de qualquer forma, ele não viveria para ver o sol se pôr. O homem acenou com mão. ‚Entrega tua arma de fogo.‛ Nick deu a pistola dobrada atrás de suas calças. ‚Mais, como você pôde foder com aquela cadela?‛ O outro homem continuou, enquanto empurrou a arma de fogo em seu cinto e virou. ‚Tu num sabe que ela é uma Abominação? Ela é metade lobo. Ela é metade animal! Tu num sabia, né? Livre-se dela, homem. Melhor, mate-a. Ninguém saber{.‚ Que bobo. Ele nunca procurou por quaisquer outras armas. ‚Feche sua boca, antes que eu a feche para você.‛ Nick respondeu. A princípio, o outro homem acariciou a pistola. Ele parecia a ponto de aceitar o desafio de Nick. Então, depois de olhar fixamente nos olhos de Nick por um minuto, se afastou. Virando-se, ele


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

caminhou para frente, murmurando sob sua respiração. Nick ouviu ele repetir ‚Abominação‛ mais de uma vez. Por alguns breves segundos, a vergonha fez Nick corar. Ele chamara Melody de princesa que nascera em berço de outro, alguém que só queria foder com ele porque era negro. Ela contou-lhe que estava errado, que sua vida não tinha sido fácil, mas parte dele realmente não acreditava nisto. Agora sabia que não tinha mentido sobre a forma, como ela e seus irmãos tinham sido tratados. Os lobisomens ainda a odiavam simplesmente por causa de sua ascendência. Ele quisera a morte dela! Nick rosnou suavemente, e o homem examinou seu ombro. Nick o olhou. Este homem morreria se a tivesse tocado. Ele permaneceu mudo, quando o lobisomem o fez entrar pela porta que notara antes. Eles entraram em um quarto bem iluminado. ‚Mais, tu vem.‛ Manno disse, a satisfação gotejando como veneno de sua voz. Ignorando-o, Nick concentrou-se em Melody que estava sentada algemada numa cadeira no meio do quarto. Pó e sujeira cobriam seu lado esquerdo, mas o fogo da raiva brilhava em seus olhos azuis manchados de ouro. Nick sentiu a si mesmo franzindo o cenho. Ele não tinha dúvida que pelo menos uma pequena parte daquela raiva era dirigida à ele. Quando se aproximou mais, viu a contusão em sua pele branca. ‚Tá o suficiente perto, Nick Price.‛ Manno comandou. ‚Tu vê que ela tá bem.‛ Fechando os punhos, Nick moeu os dentes e tragou a ira crescente dentro dele. Cousan era definitivamente um homem morto. ‚Eu estou aqui.‛ Ele estalou entre dentes. ‚Deixe-a ir.‛ Cousan riu. ‚Não ainda. Primeiros teremos certeza que o poder Vodu em tu tá acordado. Bernard!‛ Um pequeno homem negro, de cabelos brancos emergiu por detrás de uma cortina. Ondulado as mãos, Cousan começou a compassar. ‚Bernard, é um Vodu verdadeiro, um que o Conselho de bobos tinha medo do poder que tinha e o baniram. Eu recebi Bernard. Eu acredito nele e no seu poder. Juntos nós trabalhamos nas sombras e mostramos pros outros vodus, que a vida pode ser melhor, e que nos pode dominar esta cidade.‛ Nick cruzou os braços sobre o tórax. ‚Então o que isto tem a ver comigo?‛ O aceno do braço de Cousan se tornou mais frenético. ‚Eu te disse. O sangue de lobisomem despertou seu poder e deixou tu mais forte. Eu vou mandar na porra da cidade, com tua ajuda.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Eu te disse que eu não estava interessado.‛ Com os braços caindo nas laterais, Cousan parou na metade de um passo. Por um momento, olhou fixamente para Nick. Então disse, ‚Atire na garota.‛ Antes de alguém pudesse se mover, Nick respondeu em um tom tranqüilo, ‚Então você definitivamente não conseguirá qualquer cooperação de mim. O que é mais, te caçarei e te matarei pessoalmente.‛ ‚Tu vai tá morto também.‛ Nick encolheu os ombros. ‚Então a CIA caçar{ você. Minha tia sabe aonde vim, e enviei um fax a meus superiores. Tem certeza que quer se meter com a CIA, Cousan?‛ O homem mais alto estreitou os olhos. ‚Eles num são nada. Bernard, ele cuidará deles assim.‛ Ele estalou os dedos. Nick enrolou o l{bio. ‚Tem certeza que quer arriscar?‛ ‚Pare de desperdiçar seu tempo com ele, Manno.‛ Bernard interrompeu. ‚Vou só tomar controle dos poderes dele, e depois ele faz o que tu quiser.‛ ‚Faz isto agora!‛ Cousan exigiu. Antes de Nick poder se mover, Bernard levantou as mãos, estalou os dedos e desenhou um círculo com os dedos indicadores de ambas as mãos. Então as apontou para Nick. ‚Desperte.‛ comandou. Ele começou a cantar em uma voz baixa, gutural. Dentro de Nick, a entidade escura que ele tinha batalhado desde a transfusão, a entidade que estava sempre lá, perto de sua consciência desde que soube sobre o rapto de Melody, a que pensava derrotada e banida com o beijo de Melody, rugiu para a vida, abraçou seu corpo e infiltrou sua mente. Ofegando e agarrando a cabeça com ambas as mãos, ele caiu no chão. ‚Nick!‛ Melody gritou. Em seus joelhos, Nick lutou com o diabo dentro de seu corpo, pelo menos tentou lutar. O controle de que tanto se orgulhava havia sumido. A negridão penetrou e se enrolou em cada parte de seu corpo e alma. A canção de Bernard ficou mais alta. Nick torceu e gemeu, enquanto lutava por controle. ‚Você é meu agora!‛ Cousan gritou de alegria em triunfo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Quando a escuridão suja invadiu Nick e ele sentiu seus sentidos desaparecendo, um longo, uivo cheio de ira dividiu o ar para ser respondido primeiro por um e então outro e outro até que um coro de raiva saltou pelas paredes, chão e teto. Bem no fundo, na escuridão que corroia sua alma, outra entidade uivou em resposta, uma entidade poderosa, névoa encaixada em prata, ouro e ébano, não a escuridão oleosa, venenosa que percorria atualmente seu corpo, mas a escuridão limpa do céu de uma noite cheia de estrelas. Expandindo rapidamente, devorou o mal que arranhava sua alma e encheu Nick com a frescura envolvente, glacial de um inverno sem luar à noite. Quando a dor sumiu e sua roupa caiu longe, Nick se ergueu nas quatro patas e franziu os beiços num grunhido. Com suas garras afiadas arranhando o chão de cimento, ele se lançou em cima de seu atormentador. Do outro lado do quarto, a névoa dissipou e um lobo branco prateado saltou da cadeira onde a Melody estava destinada a juntar-se a ele no ataque. Da porta onde Nick entrara mais cedo, mais lobos pularam. Girando, Manno Cousan gritou uma vez e fugiu por uma porta escondida perto de onde estava. Um lobo de prata grande empurrou Melody e Nick fora do caminho e se lançou contra a porta. Quando a porta não se moveu, ele uivou com ira e tentou cavar a passagem. Um único tiro ecoou em torno do quarto, mas os camaradas de Cousan saíram gritando diante do ataque dos lobos. Ainda ondulando as mãos, Bernard caiu gritando no chão, derrubado por um grande, lobo cinza rodeado pelo poder do Alfa. Então uma luz branca relampejou em torno do quarto, seu brilho momentaneamente ofuscando todo mundo. ‚Ele é nosso, André Bayon.‛ Uma voz autoritária comandou. Agitando a cabeça, Nick piscou para clarear a vista. A seu lado, Melody fez o mesmo. A névoa escura rodou, e o Alfa de Nova Orleans surgiu diante de um grupo de nove humanos brilhantemente vestidos, guiados por um homem digno, com cabelo branco e da cor da meia-noite mais escura. ‚Ele ajudou a assassinar Weres.‛ André respondeu, enquanto enxugava o sangue de seu queixo. ‚Por que eu não devia matá-lo?‛ O homem de cabelos brancos cruzou os braços sobre o tórax. ‚Porque, Alfa, a morte é definitiva. Conosco, ele sofrerá tormentos que não poderia acreditar. Ele assassinou vodus também.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

O Alfa olhou para o homem tremendo, deu-lhe um soco, e virou. Sinalizando para os membros da Alcatéia que o acompanharam, ele disse. ‚Nós vamos.‛ Então ele olhou para Nick e Melody, que ainda estavam na forma de lobo. ‚Vocês são bem-vindos a juntar-se a nós.‛ Uma carranca apareceu em seu rosto. ‚Quanto a você, Brendan Gray, pela honra de seu pai e irmã...e minha companheira. Por mim, você não deixará Nova Orleans rápido o suficiente.‛ O Alfa se transformou e levou os membros de sua Alcatéia do quarto. O lobo prateado deu um sorriso dentudo, mas não mudou para humano. Quando o grupo de Vodus tomou a custódia de Bernard, a tia de Nick parou diante dele. Balançando a cabeça para o lado, olhou em seus olhos. ‚As manchas negras se foram. Seus olhos são dourados como de um lobo verdadeiro.‛ Ela agitou a cabeça. ‚Eu não acreditei que isto fosse possível.‛ Ficando de joelhos, embrulhou os braços ao redor do pescoço dele. ‚Mas continua sendo meu Nicholas, e eu amo você.‛ Erguendo-se, seguiu seus amigos do conselho do quarto. Depois que desapareceu, Nick olhou de Melody para o irmão dela e para ela novamente. Abrindo a boca, tentou falar, mas só alguns latidos saíram de sua boca. Use sua mente. Nick olhou fixamente para a loba prateada próxima a ele. Nenhum som emergiu no ar, mas aquele comentário tinha um toque de feminilidade definida nele. Ele formou as palavras na mente, enquanto continuava a olhar Melody fixamente. Como diabos, me transformo em humano?


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Vinte e um Inclinado numa cadeira de couro confortável, Nick batia os dedos e olhava fixamente para Melody. A raiva que tinha bloqueado em um canto de sua mente, quase se libertou quando viu a contusão em seu rosto. Se ele pusesse as mãos em Cousan, o rasgaria membro a membro. Através do quarto, ela lhe sorriu e então voltou a atenção para Noelle Bayon. Ele carranqueou. Ela parecia calma, mas estava no limite, ansiosa. Por quê? Ele voltou a atenção para onde Brendan conversava com André próximo à lareira. O irmão de Melody de vez em quando lançava um clarão em Nick e então voltava à atenção no Alfa. Novamente, por quê? Um suspiro suave foi ouvido sobre seu ombro. ‚Você não tem idéia do que você deveria fazer, não é?‛ Noelle Bayon deixou Melody e acomodou-se na cadeira próxima a sua. Imediatamente, a tensão que rodeava suavemente o quarto começou a aumentar. André Bayon o fitava como se fosse matá-lo. Brendan tinha um olhar zombador no rosto e Melody estava de cenho franzido. Quanto a ele, que Nick agora reconhecia como seu lobo interior, que ainda tentava se fundir confortavelmente com sua alma, levantou a cabeça para rosnar uma advertência, quando um dos irmãos de André parou na frente de Melody e começou a falar com ela. O corpo inteiro de Nick se tensionou. O que aquele macho estava fazendo perto de sua companheira? Novamente Noelle suspirou e colocou a mão no braço de Nick. Um grunhido baixo veio de André e ele deu um passo em direção a eles. ‚Machos!‛ Ela estalou. ‚Pare de agir como um bobo, André! Ninguém explicou qualquer coisa para ele!‛ Através do quarto, Nick viu Melody endurecer. Seus lábios se abriram num grunhido mudo. Noelle acenou a mão. ‚Não é sua culpa, Melody. Ele fugiu. Você foi seqüestrada. Não houve tempo. E, Henri, se afaste dela. Você está procurando problemas.‛ Nick relaxou, quando o macho juntou-se aos outros dois homens. Por que ele devia se importar se outro cara estivesse conversado com Melody? Embrulhando os dedos ao redor de seu pulso, Noelle o fez se levantar. ‚Venha caminhar comigo. Nós temos um jardim bonito.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Noelle!‛ André latiu. ‚Se você disser mais uma palavra, André.‛ Ela rosnou. ‚Você terá outra cicatriz para comparar a que você já tem. Sabe que não existe ninguém para você, alem de mim.‛ Ela bateu levemente no estômago enorme. ‚Como se esta criança que carrego permitiria qualquer coisa.‛ As narinas do Alfa chamejaram, mas ele não disse uma palavra. Melody se levantou. Noelle suspirou. ‚Fique, Melody.‛ Noelle acenou para outra mulher no quarto. ‚Annette, converse com Melody um pouco e então a traga ao jardim.‛ Quando Noelle praticamente o arrastou do quarto, Nick olhou para trás por cima do ombro. Todos os olhares estavam os seguindo. Que diabo estava acontecendo? E por que esta era nova parte de lobo dele, era tão contra deixar Melody? Se não houvesse outras mulheres no quarto, ele não teria ido. Qual era o problema com ele? ‚Mais, é duro para você, esta mudança.‛ Noelle disse o assunto, quando o levou pela mansão até um conjunto de portas duplas largas que se abriam sobre um jardim magnífico. ‚Como você saberia?‛ Nick murmurado. A risada dela era suave e de algum modo estranho, confortadora. ‚Minha mãe, ela me contou.‛ Nick virou e a encarou. ‚Sua mãe não era um lobisomem?‛ Agitando a cabeça, ela respondeu. ‚Não. Você e eu somos agora Weres, lobisomens, transmorfos, mas existem muitos tipos diferentes. Algo para você aprender mais tarde. Agora deve se concentrar em Melody.‛ ‚Ela é tudo sobre que posso pensar.‛ Nick murmurou. Eles pararam de caminhar e Noelle afundou devagar e sem fôlego sobre um banco em baixo de uma árvore. ‚Perdoe-me, mas não posso caminhar muito estes dias.‛ Nick enfocou a atenção na mulher grávida. Sua experiência com mulheres grávidas eram inexistentes. ‚Eu devia chamar alguém?‛ Ela riu. ‚Não se preocupe, estou bem.‛ Ela bateu levemente no banco próximo a ela. ‚Se sente. Escute.‛ Nick sentou próximo a ela, descansou os cotovelos nos joelhos, cruzou os dedos das mãos, e olhou fixamente para a porta da qual vieram. Melody deveria estar aqui logo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Noelle riu. ‚Você se preocupa com ela, sim? Não consegue parar de pensar nela, mesmo quando você quer?‛ Nick simplesmente rosnou. Ela riu mais. ‚Este desejo por ela nunca cessará, entretanto você aprenderá a controlar isto. O laço de acasalamento é forte, mais forte que qualquer coisa que muitos humanos já experimentaram. O seu é novo e incompleto.‛ Até quando perguntou, ‚O que você quer dizer?‛ Nick lembrou do beijo que compartilhara com Melody na casa de sua tia...tinha sido só ontem? Aquele beijo pareceu arrastar a alma dele, fundi-la com a dela, e então voltar para ele em pedaços com partes de sua alma fundida com a de Melody. Como qualquer coisa podia ser mais completa do que isto? ‚Você não acasalou com ela ainda.‛ Girando a cabeça, Nick simplesmente arqueou uma sobrancelha e olhou para ela. Novamente ela riu. ‚Mais, sexo e acasalamento são duas coisas diferentes. Em um acasalamento verdadeiro, o macho domina a fêmea, faz ela aceitá-lo. Deve fazê-la se submeter a você, montá-la, tornála sua.‛ Nick simplesmente a olhou. ‚Você quer dizer, como lobos?‛ Ela virou a cabeça de lado. ‚Como humanos, para nossos lados humanos que têm que aceitar este laço. Nossa humanidade luta contra o lobo em nós. Para você, ainda mais, já que nunca conheceu qualquer outra coisa.‛ Novamente pôs a mão no braço dele. ‚Aprenda a confiar no lobo que tem dentro de si agora. Os lobos não mentem para si mesmos...nunca.‛ Inclinando-se, ela pausou. ‚Os membros de minha família são bruxas Cajun. Minha mãe apaixonou-se por um Were. O sangue misturado provocou a mesma mudança nela, como fez em você. Desde então, ela passou o resto da vida pesquisando e estudando o fenômeno. Os humanos normais aceitam uma transfusão de sangue, quando eles acasalam um Were. Dá-lhes muitas das características do Were, mas eles não podem se transformar. Para outros, isto não é sempre verdade. Os vampiros não podem mudar, nem as Fadas. Nem todas as bruxas podem fazer isso, também. Até onde sabemos, você é o primeiro de sangue Vodu a ter uma transfusão de sangue Were, e você pode se transformar.‛ ‚Esta história leva a algum lugar?‛ Noelle suspirou. ‚Perdoe-me. Continuo esquecendo que seu laço não está completamente forjado ainda. Quando Melody chegar aqui, você deve se acasalar com ela.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick bufou. ‚Só assim. Com um público?‛ Naquele momento, Melody apareceu no jardim. Seus olhares se encontraram. Noelle se levantou. ‚Embora realmente não importará para você, já que quando a perseguição começa, você estará só. O jardim tem três acres e é cercado para nossa privacidade. Corra com ela, procure-a, mas no fim, deve fazê-la aceitar sua dominação. Então seu laço estar{ completo.‛ Nick não a notou partir. Seus sentidos estavam enfocados só em Melody. Chamejando o nariz, ele a cheirou. Ela estava excitada. Seu pênis reagiu imediatamente. ‚Não pode me pegar.‛ Ela disse em uma baixa voz sensual. A névoa prateada se formou. A roupa dela caiu por terra. A loba branca estava correndo longe dele, antes de estar completamente formada. A entidade interna que Nick estava começando a reconhecer como sua essência de lobo tomou o controle de seu corpo. Desta vez Nick não lutou. Rasgando sua roupa, mudou para a forma de lobo e saltou atrás dela. A perseguição durou muito mais tempo do que Nick queria. Ela era rápida. Repetidas vezes, escapou dele sob caminhos cuidadosamente criados ou pela vegetação rasteira densa. Finalmente, em uma pequena clareira, bem longe da casa, ele a encurralou. Com as costas contra a parede, ela o encarou de quatro, um grunhido em seus beiços, os dentes afiados a mostra. Então a névoa de prata explodiu e ela mudou para a forma humana. Nick se transformou segundos depois dela. Ele estava quente. Ele estava cansado. Ele a perseguira por mais de uma hora. Ele a queria. Agora! ‚Submeta-se!‛ Ele exigiu. Os olhos alargaram e então se estreitaram. ‚Eu não sou uma cadela no cio para vir rastejando até você.‛ Um grunhido escapou do peito dele. ‚Você é minha.‛ Ela desviou a direita. Ele bloqueou sua retirada. Ela desviou à direita, então rápida à esquerda de novo.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela quase escapou. Quase. Girando, ela saltou para a parede. Ele a pegou pela cintura e puxou o corpo nu contra o seu. O aroma de sua transpiração e perfume o rodeou, e seu pênis levantou... duro e dolorido. Acasale com ela, Noelle Bayon dissera. Dominea, faça-a aceitar você. Quando Melody lutou em seus braços, uma minúscula parte lógica de Nick, o treino mental da CIA invadiu sua consciência. Se dominação significa estupro, é melhor estar morto. Nenhum homem de verdade faria isso com uma mulher. Com os braços firmemente embrulhados no torso de Melody sob os peitos dela, Nick fechou os olhos. Não importa o que esta nova parte de lobo dele queria fazer, nunca forçaria a si mesmo em Melody. Ele preferia estar morto. Com um suspiro, ele a soltou. Virando, com os lábios puxados em um grunhido, ela o olhou. Ele acenou com a mão. ‚V{ se quiser. Eu me importo demais para te forçar Nunca poderia fazer isso a você.‛ Nick fechou os olhos, mas não importava. Ele podia ainda vê-la perfeitamente. Uma vez pensara que a pele pálida e quase incolor combinava com o cabelo loiro quase branco. Que bobo tinha sido. A pele não era branca como um albino. Normalmente, era da cor do marfim. Quando estava excitada, era cor-de-rosa pálido. Seus mamilos eram rosados. O cabelo que se enrolava no vértice entre as pernas era loiro, branco e prata misturados. Cristo, ele pensou consigo mesmo, pareço à merda de um poeta. ‚Nick?‛ A voz dela era suave. Ele abriu os olhos e a assistiu caminhar para ele, os mamilos rosa balançando suavemente, o cabelo longo dançando ao vento. Seu pênis ficou mais duro, com cada passos que ela dava. O novo lobo dentro dele uivou e exigiu que a tomasse. Nick friccionou os dentes e permaneceu quieto. Ele não seria governado por algum instinto animal.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Melody parou na frente dele. ‚Nick.‛ Ela disse novamente, quando embrulhou os dedos ao redor do pênis dele e deu-lhe um puxão, ‚Jamais me machucaria. Leve-me. Agora!‛ Inclinando-se para frente de forma que os seios deslizaram contra o tórax dele, beliscou-lhe o lado do pescoço, duro. Então prendeu-lhe a boca com a sua e chupou-lhe a língua com força. O beliscão o empurrou até o limite. Rosnando fundo em sua garganta, envolveu os braços ao redor dela e caiu por terra. Presa entre os braços de Nick com as mãos contra o tórax musculoso, Melody atacou a boca dele com a sua. A sugestão dele de soltá-la, a deixara simultaneamente encantada e intimidada...encantara a parte humana nela saber que se importava, intimidara sua parte lobo saber que a deixaria ir. Mas ela o tinha agora, e julgando pela ereção dura feito pedra em seu quadril, estava mais do que pronto para ela...fisicamente. Mas estaria mentalmente pronto? Soltando os braços, ele a rolou sobre as costas, afastou a boca da dela e imediatamente atacou seu mamilo. Melody se curvou, quando o prazer foi diretamente para sua virilha. Mas isto não era o que queria ou precisava. Juntando toda sua força, ela o empurrou e se levantou. O uivo de ira que estourou da garganta de Nick, quando escapou enviou calafrios de antecipação em sua espinha. Só pensando sobre ele capturá-la de novo, dominá-la, empurrar o escuro pênis duro nela, enquanto a montava a fazia gemer de antecipação. Seus músculos do estômago se apertaram e a umidade deslizou entre suas coxas. ‚Não brinque comigo!‛ ‚Eu gosto de brincar.‛ Ela arquejou. ‚Não é?‛ Pegando os seus peitos, rolou os dedos polegares ao redor dos mamilos e estremeceu de prazer. Ela foi incapaz de abafar o gemido. ‚Pare de me tentar, maldição! Você me quer ou não?‛ Quase, ela pensou. Ele está quase pronto para deixar o lobo dentro dele tomar controle completo. Levantando um punhado de adubo, o lançou nele. Caiu bem em cima do peito dele. A princípio, o choque apareceu em seu rosto, para ser seguido pela raiva. Melody girou para fugir novamente. Ela não foi rápida o suficiente. Ele a jogou no chão, onde ela ficou de estômago no chão, com ele em suas costas.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Eu tive o suficiente disto.‛ Ele rosnou em sua orelha, enquanto ela lutava para escapar. ‚Primeiro você faz sexo comigo contra uma parede, então me amarra com correias numa cama e faz sexo comigo novamente. Dá-me seu sangue e me torna metade animal. Diz que eu deveria ser seu companheiro e me persegue até Nova Orleans onde acaba sendo seqüestrada por um idiota, que pensa que pode me usar para dominar o mundo. Finalmente consigo aceitar tudo isso e você vai embora? Ousa me atormentar com a possibilidade de sexo? Não desta vez, bebê.‛ Ele se levantou das costas dela, embrulhou um braço ao redor da cintura dela, e puxou-a até ela ficar de joelhos. ‚Não agora. Agora, você é minha.‛ Com aquelas palavras, empurrou o pênis tão fundo em seu corpo quanto podia. Ofegando, Melody estremeceu quando o grosso e pesado pênis de Nick, deslizou dentro dela, estirou-a, encheu-a. Soltando o braço, colocou a mão nas costas dela, curvou o joelho da perna e pôs o pé no chão assim podia deslizar tão fundo nela quanto possível. Debaixo dele, Melody abriu a boca, gemeu e começou a arquejar. Ela afastou mais os joelhos para lhe dar melhor acesso. ‚Sim, oh sim.‛ Ela gemeu. ‚Você é minha.‛ Ele rosnou, enquanto tirava o pênis de dentro dela, dava uma palmada em seu traseiro, então a penetrava de novo. Melody uivou de prazer. Seu companheiro, Nick era seu companheiro. Grunhindo, Nick cavou os dedões do pé na grama suave, empurrou os quadris contra seu o traseiro dela, e a penetrou de novo. Ele se empurrou para trás e depois para frente de novo. Fora novamente. Dentro novamente. Ela levantou a bunda para encontrar os quadris dele. A pele de marfim ardia com a transpiração. Ele podia ver os peitos dela balançando, os mamilos arrastavam no chão. Então ela se apoio nos antebraços para lhe dar melhor acesso. Suas bolas primeiro saltaram e então apertaram e se estenderam em seu corpo, Nick rodou e girou os quadris enquanto empurrava seu pênis, o tirava, então o empurra de volta na quente boceta molhada repetidas vezes. Ele nunca tinha possuído uma mulher daquela maneira, mesmo assim Melody estava apreciando...não, adorando seu ataque sexual dominador. E isto era um ataque, um que ele não podia acreditar que estava fazendo, ou apreciando tanto. Ainda assim ela estava gostando, mais do que ele. Algo neles dois estava se aproximando, fundindo-se, tornando-se um.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick bateu na bunda dela novamente e então assistiu seu pênis preto deslizar entre os lábios vermelhos escuros da vagina dela. O bofetão que dera nela não tinha sido forte, mas uma marca vermelha de uma mão ficou na pele de marfim. Ele apertou os quadris contra a bunda dela e grunhiu, quando os músculos internos o chuparam para mais fundo no corpo dela. ‚Cristo, bebê.‛ Ele murmurou. ‚Cristo.‛ ‚Com mais força, Nick. Foda-me com mais força.‛ Ela gemeu. ‚Eu quero gozar.‛ Outro bofetão em no outro lado do traseiro dela. ‚Eu sei, bebê, eu sei.‛ Inclinado nas costas dela, enquanto afundava o pênis nela, deslizou o braço ao redor da cintura dela e deslizou os dedos entre suas coxas. A umidade cobriu seu dedo e começou a esfregar o clitóris dela. Outro uivo estourou da garganta dela, e calafrios percorreram a espinha de Nick. Ele nunca imaginara que qualquer coisa tão melancólica como um uivo de um lobo, pudesse soar tão malditamente sensual. ‚Você est{ pronta, bebê? Pronta para gozar?‛ ‚Sim, oh sim, oh sim!‛ Nick estava pronto também. Ele puxou a mão entre as coxas dela e agarrou-lhe a cintura com ambas as mãos. Seu pênis estava mais duro do que já tinha sido. Suas bolas estavam prontas para explodir. Ele puxou a bunda dela contra seus quadris enquanto a penetrava de novo, mais e mais rápido. Ela moeu os quadris contra ele. ‚Sim, oh sim, oh sim, oh sim!‛ Um uivo feminino final sacudiu o ar. O próprio uivo de Nick se misturou com o dela, quando seu gozo quente estourou de suas bolas e percorreu rapidamente em seu pênis. Momentos mais tarde, deitados na grama, com Melody aconchegada em seus braços, o olhou e sorriu. Nick devolveu o sorriso. ‚Meu.‛ Ela murmurou, quando o beijou na boca.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Capítulo Vinte e Dois De braços cruzados, Nick assistiu quando Melody mais uma vez abraçou sua irmã Belle. Elas não eram nada parecidas, pelo menos fisicamente. Melody era alta e loira, Belle era pequena e com cabelo escuro, quase preto. Na personalidade, entretanto, eles eram muito parecidas. As duas eram mulheres fortes. A porta se abriu e o companheiro de Belle, Nick já se acostumara àquela palavra, que Alex Whitehorse entrou e movimentou a cabeça para ele. Mexendo os pés, Nick anuiu com a cabeça. Melody e ele chegaram tarde ontem, depois de passarem dois dias na cabana da Melody. Seu encontro inicial com Belle e Alex tinha sido calmo. A nova sensibilidade nos sentidos de Nick não apenas o habilitaram para identificar outros lobisomens, mas também para saber imediatamente onde cada individuo se classificava, com respeito ao outros ao redor deles. Ele era um estudante rápido. As diferenças entre Alfas, Betas, e outros na hierarquia da Alcatéia era clara para ele. Alex Whitehorse era um Alfa. Ainda assim, Nick estava certo que podia vencê-lo em uma briga. Uma batida na porta interrompeu a conversa das irmãs. A porta foi aberta, e uma mulher pequena entrou seguida por um homem alto, musculoso. Nick imediatamente ficou tenso. Era Jake Hurley, o homem que ele tinha perseguido pelos últimos dois anos. Exceto que não era Jake Hurley. Ele era Garth Gray, irmão de Melody. O olhar do homem grande encontrou o dele. Todo mundo estava mudo, enquanto ele andava a passos largos através do quarto, parava na frente de Nick e esticava a mão. ‚Garth Gray. Bem vindo a família.‛ Nick olhou para a mão e então para Melody. Havia um sorriso leve nos cantos de sua boca. Nick suspirou. Ele saíra deste caso particular fazia quase duas semanas agora. Além disso, não havia como ele causar qualquer dano para o irmão de Melody. Ela o rasgaria em pedaços. Pegando a mão oferecida, Nick respondeu. ‚Nick Price. Feliz por te encontrar...finalmente.‛ O outro homem sorriu. ‚Cedo o bastante para mim. Esta é Eileen, com Belle e Melody. Elas se conhecem desde que eram adolescentes.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick movimentou a cabeça, mas não teve a chance de dizer qualquer outra coisa. A porta foi empurrada aberta e um dos Betas de Alex pôs a cabeça na porta. ‚Um carro está vindo.‛ ‚Papai está finalmente aqui.‛ Belle disse, enquanto agarrava a mão de ambas, Melody e Eileen. Garth as seguido para fora. Alex olhou para Nick, e pela primeira vez Nick sentiu a incerteza dele. ‚Devemos?‛ ‚Isto tinha que acontecer mais cedo ou mais tarde, eu acho.‛ Nick respondeu, enquanto seguia os outros pela porta até a varanda larga. Alex parou a seu lado. Um SUV grande se deteve a pouca distância. A porta lateral do motorista abriu e o irmão de Melody, Brendan saiu. Ao lado de Nick, Alex murmurou. ‚Cretino.‛ Sorrindo, Nick trocou os pés. Ele estava começando a mais gostar deste Alfa em particular, a cada momento. A porta lateral do passageiro abriu e outro homem que tinha que ser pai de Melody saiu, Artemis Gray. Nick ficou tenso. Ao seu lado, Alex respirou fundo. O poder rodeava o pai de Melody e mesmo onde estava parado na varanda, Nick sabia que este era um homem que não iria querer sacanear. ‚Você acha que pode enfrentá-lo?‛ Alex sussurrou. ‚Nem mesmo com sua ajuda.‛ Nick respondeu, em uma voz igualmente baixa. Cruzando os braços sobre o tórax, Nick assistiu enquanto primeiro Belle, então Melody e finalmente Eileen foram acolhidas em abraços apertados. Sorrindo amplamente, o pai de Garth bateu-lhe no ombro e então o abraçou também. ‚Kearnan e Serena estarão aqui hoje | noite.‛ Belle disse numa voz alta o suficiente para todo mundo ouvir. ‚Vamos, Papai, deixe Moira e as meninas saírem. Não existe nada aqui para machucálas.‛ Brendan atirou um sorriso espertinho primeiro para Nick e depois para Alex, antes dele abrir a porta de trás do SUV. ‚Cretino.‛ Nick murmurou. Alex lançou um sorriso satisfeito em sua direção. ‚Nick, Alex, meu pai, Artemis Gray.‛ Belle disse. ‚Papai, o da direita é Alex, e na esquerda está Nick, o companheiro da Melody.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Os três homens mediram um ao outro, o Pai de Melody olhou fixamente primeiro a um, então, o outro. A tensão aumentou. Alex ergueu o queixo. Nick mexeu os pés e atirou um olhar a Melody. Ele tinha sido treinado para lidar com qualquer situação, mas encontrar o lobisomem pai de sua nova companheira, não estava no manual de treinamento. Mas antes de alguém poder dizer qualquer coisa, a palavra ‚desafio‛ ecoou ao redor da grande clareira onde a cabana ficava. Meia dúzia de lobisomens apareceu fora da floresta circundante em ambas as formas humanas e de lobo e foram direto para a cabana. Artemis girou, quando Nick seguiu Alex até a grade de varanda. Um grande lobo cinza estava correndo em direção à cabana. ‚Foda!‛ Alex rosnou. Nick olhou primeiro para Alex e então para o pai de sua companheira. Ambos estavam concentrados no lobo que se aproximava. Ele olhou de esguelha para Belle. Ela parecia preocupada. Olhou para Melody. Ela parecia apreensiva. A apreensão em seu rosto foi substituída por uma expressão perplexa. Finalmente, o assombro depressa se transformou em raiva. Ela ofegou. Ela amaldiçoou. Finalmente ela amaldiçoou novamente, ruidosamente. Cuspindo fora, ‚Maldito daquele pé no saco.‛ Ela rosnou ruidosamente, enquanto andava a passos largos através da clareira para encontrar o lobo estranho. ‚De todos os obstinados, idiotas, sensações imbecis para surgir! Maldição, Drake. Como no mundo você me achou? Se tivesse falado uma vez, mas te disse mil vezes, eu não serei sua companheira. Eu não quero ser sua companheira. Achei meu companheiro, e ele não é você. Agora vá embora e me deixe em paz!‛ Em vez de responder, o grande lobo baixou a cabeça e fechou os olhos. Uma névoa cinza apareceu. Lentamente, muito, muito lentamente, o lobo sumiu. Ainda mais lentamente, um homem apareceu em seu lugar, um homem que caiu no chão assim que sua transformação ficou completa. Ao lado de Alex, Nick rosnou. ‚Filho de uma puta.‛ Empurrando Garth fora do caminho, ele saltou fora da varanda e foi em direção a sua companheira.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Alex trocou um olhar com Belle. Ela encolheu os ombros e agitou a cabeça. Obviamente, não tinha idéia de que era ele. O irmão delas Brendan, lançou a cabeça para trás e riu. Maldito cretino, Alex pensou. Um dia eu vou tirar algumas tiras de seu couro, quando Belle não estiver por perto. ‚Melody, volte aqui.‛ Nick rosnou, quando parou atrás dela. O homem praticamente espreguiçado no chão lutou para se levantar e deu um passo instável em direção a Nick. ‚Fique longe de minha companheira, ou eu matarei você.‛ Muito mais depressa que Nick pensou possível, Melody deu um rápido chute nas partes sensíveis do estranho. Quando ele se dobrou e caiu por terra mais uma vez, ela rosnou. ‚Toque nele, Drake, e eu rasgarei sua garganta. Ele é meu companheiro!‛ Agarrando o braço de Melody, Nick a afastou do estranho e tomou o lugar na frente do estranho. Novos instintos estavam rugindo por seu cérebro, instintos que lhe disseram que protegesse sua companheira, deste macho estranho...mesmo que matá-lo, se necess{rio. ‚Ela…é…minha. Parta, enquanto ainda tem sua vida.‛ Ainda apertando o braço dela, Nick girou e virou em direção à cabana. Seu olhar se encontrou com o do pai de Melody. Muito suavemente, Artemis movimentou a cabeça com aprovação. Quando Alex passou por eles, Nick girou para ver o que aconteceria. Agora que Melody estava longe do estranho, estava curioso para ver o que aconteceria. ‚O que você quer aqui?‛ o Alfa rosnou. Caído no chão, o estranho se ergueu até estar sentado aos pés do Alfa. De vez em quando, um tremor agitava seu corpo. Ele olhou fixamente para Melody. ‚A primeira vez em que a ouvi uivar, a música, o prazer, o desejo…‛ Ele tremeu e piscou, afastando suas memórias. ‚Eu sou Drake.‛ Ele olhou para Melody e então para Nick. Finalmente, ele voltou a atenção para Alex. ‚Eu pensei que vinha por minha companheira. Quando ela não se juntou a mim na Selva, sabia que tinha que desistir de minha vida de liberdade e tomar esta forma novamente, embora tenha desistido dela há muitas estações atr{s.‛ Ele fitou Melody novamente. Nick rosnou audivelmente.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Com os ombros afundando, o estranho fitou o Alfa. ‚Ela me disse freqüentemente que não seria minha companheira. Em meu orgulho recusei-me a acreditar.‛ Ele baixou a cabeça. ‚Eu peço refúgio, Alfa, até que recupere minhas forças e possa me transformar de novo. Então eu retornarei a Selva.‛ Nick assistiu, quando o Alfa olhou fixamente para o homem chamado Drake. Então, lentamente, ele movimentou a cabeça. ‚O refúgio é concedido até que você possa se transformar sem perigo.‛ Uma mulher elegante que saíra do SUV e agora estava ao lado de Artemis Gray se ergueu e sussurrou-lhe algo na orelha. Com a sobrancelha levantada, caminhou para o lado do Alex. ‚Drake?‛ Ele perguntou. ‚Príncipe Drake Vasilievich Meshchersky, filho do príncipe Alexander Vasilievich Meshchersky e da Princesa Maria Natalia Meshcherskayou, que desapareceu no deserto de Alaskan?‛ O estranho olhado para cima. ‚Neto. Como você soube?‛ ‚Minha esposa tem por passatempo pesquisar famílias Weres com que a Hierarquia perdeu contato.‛ Mantendo os olhos no homem que veio aqui procurando por Melody, Nick fez uma nota mental que o pai dela se referia a sua companheira como sua esposa. Entretanto, de acordo com que Melody disse-lhe, sua esposa não era uma verdadeira Were também. Artemis se aproximou e ofereceu a mão ao homem chamado Drake. ‚Sua família deixou uma fortuna considerável aos cuidados da Hierarquia. Tem certeza que quer retornar a Selva? Como um humano, você ser{ muito rico.‛ O homem aceitou a mão oferecida a ele. ‚Seu nome?‛ ‚Artemis Gray.‛ O Pai de Melody respondeu. Enquanto se levantava lentamente, o outro homem movimentou a cabeça. ‚Os lobos falam de você, o Alfa que deixou a Selva com seus filhotes, depois que sua companheira juntou-se aos outros nos caminhos de lua.‛ O pai de Melody concordou com a cabeça, enquanto apertava a mão de Drake. ‚Eu acasalei novamente.‛ Ele carranqueou. ‚Faz quanto tempo, desde a última vez que se transformou? Eu pensei que você poderia não conseguir manter a forma humana.‛ Outro tremor agitou Drake. ‚Não desde que eu era um filhote.‛ ‚Idiota!‛ Uma nova voz feminina estalou.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Nick empurrou a cabeça quando dois novos odores foram trazidos pela brisa até suas narinas. O primeiro era de fêmea mais velha que marchava através da clareira em direção a eles, rosnando ordens a torto e a direito. ‚Não fique parado aí! Ele precisa de ajuda! Belle, vá pegar água. Alex, mande seus guardas e Betas saírem. Este Were não esta em condição de machucar ninguém.‛ Ela parou na frente do pai de Melody. ‚E você, Artemis Gray, eu imaginava que você de todas as pessoas teria mais juízo do que manter um Were que não se transformou desde que era um filhote, nu a seus pés por todo este tempo.‛ ‚Ele acabou de se transformar faz alguns minutos, Alesandra.‛ Alex estalou. ‚Ele precisa de ajuda agora!‛ Ela fez um gesto para o homem enorme a seu lado. ‚George, leveo de volta para minha casa.‛ Drake tentou protestar, mas suas objeções foram repelidas. O grande homem ergueu o estranho em seus braços e voltou pelo caminho que viera com a mulher latindo mais ordens ao seu lado. Todo lobo exceto os membros mais próximos da família de Melody saiu para obedecer às ordens. Mas Nick a escutara com só uma parte do cérebro. A maior parte de sua atenção estava enfocada no homem enorme ao seu lado, um homem que não era um homem, mas que não era um lobisomem também. O choque percorreu seu corpo. O odor de urso o cercou. Homem-urso? Ele olhou para Melody. Ela sorriu. ‚Eu disse a você que lobos não eram os únicos Were. Você não acreditou em mim, não é?‛ ‚Aprendendo algo novo todo dia, não é?‛ O irmão de Melody, Brendan, disse enquanto soltava um bebê nos braços de Nick. Nick congelou, quando um par de olhos azuis como o céu sob uma cabeça ruiva clara o encarou. Os lábios da criança estavam separados em um sorriso de quatro dentes, e ela agarrou seu nariz. ‚Esta é Myste.‛ Brendan disse. ‚A de cabelo escuro é Raven.‛ Nick deu uma olhada rápida em Melody. Ela estava arrulhando com outra menina, que segurava nos braços. ‚Elas são nossas irmãs.‛ Brendan disse em um tom sincero. ‚E esta é Moira, companheira do papai...er, esposa.‛ Ele continuou, depois que o esmurrou nas costelas.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

‚Aqui, entregue-a a mim. Brendan gosta de chocar outros homens soltando as meninas em seus braços.‛ Ela deu ao irmão de Melody um sorriso divertido. ‚Ele pensa que est{ sempre no controle. Um dia, mais cedo ou mais tarde, vai encontrar a mulher certa e todo seu famoso controle será destruído. Ele estará choramingando, como um filhote pego na primeira tempestade.‛ Com o bebê fora de seus braços, Nick relaxou. Sorrindo, ele se concentrou primeiro em Moira. ‚Eu estou feliz de encontrar você.‛ Então ele voltou à atenção para Brendan. ‚Eu estou esperando ansiosamente o dia que você achar sua companheira. Eu espero que ela seja uma cadela de verdade.‛

Muito mais tarde, Nick estava esticado na cama e assistia Melody remover a roupa. A família dela não era tão ruim, a maior parte. O irmão gêmeo de Brendan, Kearnan, que chegou com a companheira Serena e a filha Morgan antes do jantar, era alguém que Nick podia vir a gostar. Se ao menos Brendan não estivesse por perto. Mais de uma vez, ou Melody ou Belle o esbofeteara por um comentário que fizera. A ovelha negra. Isto é como ele se ajustava na família. Desordeiro. Nick esperava que ele achasse uma companheira que fizesse a vida dele miserável, e morasse do outro lado do mundo. Um lugar ermo com muita pulgas. A Melody o tirou de seus pensamentos. ‚Quer dar uma corrida no bosque?‛ Completamente nua, se levantou sobre os dedões do pé e estirou os braços acima da cabeça. Os peitos dela subiram e desceram, quando abaixou os braços novamente. O odor da excitação dela flutuou pelo ar. Já nu, Nick saltou da cama. Pegando Melody em seus braços, a lançou sobre a cama então saltou depois dela, cobrindo o corpo dela com seu, imprensando-a sob ele. ‚Não, eu não quero correr na floresta, na grama, nas montanhas, na praia, ou em qualquer lugar outro lá fora. Eu quero ficar aqui mesmo...nesta cama. Nós fizemos sexo contra uma parede, comigo amarrado com uma correia numa cama de hospital, em um jardim em Nova Orleans, e no bosque atrás de sua cabana...quatro vezes. Agora mesmo, eu quero fazer amor em uma cama igual às pessoas normais. Eu posso ser parte lobisomem agora, mas eu fui humano por muito mais tempo. Eu gosto das camas.‛ Melody olhou em seu rosto e sorriu. ‚Eu gosto das camas também.‛ Erguendo a cabeça, o beijou.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Suspirando, Nick abriu a boca para chupar a língua dela. Afastando as coxas dela, deslizou seu pênis já dolorido nela. Ele gemeu, quando os músculos internos se fecharam sobre ele e o chupou mais fundo. Ele gemeu novamente. Aqui nos braços da Melody era onde pertencia. Saindo do seu emprego naquele dia tinha sido a coisa mais esperta que ele já fizera.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Epílogo Moira inalou o odor de café rico, enquanto andava na cozinha. Humm. Nada como café fresco para deixá-la de bom humor de manhã cedo. Zumbindo ligeiramente, agarrou uma xícara e despejou o saboroso, escuro líquido e então bebeu. Nenhuma nata ou açúcar para ela. Ela gostava de café puro. Levantando a mão, acariciou a hera que crescia no vaso na janela da cozinha. A planta se estirou, abriu algumas novas folhas, e enrolou-se ao redor de seu dedo. Ela sorriu. O sangue lobisomem que obtivera de Artemis acordou seu poder dormente de fada. As plantas a seguiam onde quer que fosse. Flores floresciam mais docemente, um bônus a mais, já que eles usavam somente plantas para fazer os perfumes. Ainda sorridente, quando desenredou o dedo da hera, Moira bebeu mais café e olhou pela janela da cozinha só para agitar a cabeça, enquanto espiava uma figura familiar andando a passos largos através do quintal. Artemis! Como ele conseguiu escapar sorrateiramente da casa sem que ela soubesse? Ela podia jurar que ele ainda estava na cama. Enquanto observava, cruzou a jarda e pátio até as portas de vidro corrediças. Lá, ele bateu ligeiramente, um sorriso em um lado do rosto. Agitando a cabeça, caminhou pela cozinha e destrancou a porta. Quando este homem aprenderia a não sair pela porta da frente e esperar entrar de volta, quando as portas estavam fechadas? Ele as abriu, entrou e as fechou novamente contra o frio da manhã. ‚Eu pensei que você ainda estava na cama.‛ Moira murmurou, enquanto se aproximava mais perto dele. O odor de uma das águas-de-colônia dele a cercou. Ela inalou. Artemis normalmente não usava água-de-colônia, até estar vestido para trabalhar. Era sábado e ele não trabalhava hoje. Oh bem, ela apreciava muito quando o cheiro da água-de-colônia se misturava ao odor pessoal dele. Deixando a xícara no balcão, Moira embrulhou os braços ao redor do pescoço dele e estirou seu corpo contra o torso duro. Ela tremeu. Este homem, este lobisomem era mais fascinante e excitante que ninguém que já encontrara. Quando levantou a boca, ele abaixou a dele. Quando seus lábios se encontraram, ela suspirou de satisfação. Quase imediatamente, endureceu. Assim tão perto, podia cheirar o odor dele sob o aroma da água-de-colônia. Era...estranho, o mesmo e ainda diferente.


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

A língua dele tocou a dele de um jeito novo. Este beijo era diferente. Este homem não era Artemis! Antes dela poder se afastar, foi arrastada dos braços dele e afastada do homem um pouco suavemente pela cozinha. Então, Artemis embrulhou os punhos na camisa do estranho e o lançou pelas portas de vidro corrediças. O vidro quebrou e caiu sobre o mosaico de pedras do pátio, quando o estranho saltou e então rolou para a beira da grama. Ainda com o sorriso inclinado para o mesmo lado, ele se levantou e começou a tirar o vidro quebrado da roupa. ‚Você podia ter sido um pouco mais gentil com seu lance, irmão.‛ ‚Toque nela novamente e eu rasgarei sua garganta.‛ Artemis rosnou. Com as mãos nos quadris, ele permaneceu na entrada quebrada, grunhidos quietos rolando de seu peito. ‚Irmão!‛ Moira exclamou. Ela foi para o lado de Artemis e olhou para o homem no pátio estremecendo, quando ele puxou lascas de vidro do cabelo. Uma gota de sangue abriu em sua bochecha. ‚Irmão!‛ Ela exclamou novamente. ‚Você tem um irmão?‛ Ela olhou de um rosto idêntico, até o outro. ‚Um irmão gêmeo?‛ Virando-se para enfrentar Artemis, ela o esmurrou nas costelas. Ele não vacilou. ‚Não agora, Moira.‛ ‚Não me venha com ‘Não agora, Moira', Artemis Gray!‛ Ela rosnou. ‚Por que você não me disse que tinha um irmão gêmeo?‛ ‚Não era necessário.‛ Ele rosnou, enquanto fuzilava com o olhar o outro homem. Então ele adicionou com um grunhido maligno. ‚Ele beijou você.‛ Moira ficou de boca aberta e então a fechou. Enquanto sua raiva aumentava, as várias plantas que vagavam na cozinha começaram a balançar. Talos, folhas e vinhas explodiram, quando brotaram a esmo. Sua voz ecoou em torno da cozinha e então ultrapassou pelo vidro quebrado. As flores coloridas em vasos de cerâmicas começaram a balançar e agitar. ‚Não era necess{rio! Beijou-me! Seu cabeça-dura idiota! Você já parou para pensar que se tivesse me dito sobre isto, ele nunca teria tido a chance de me beijar?‛ Afastando-se do marido, Moira pisou pela porta quebrada, estendendo a mão. Ele saltou depois dela. ‚Moira, volte aqui.‛


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

Ela continuou de costas para ele e ignorou seu comando. ‚V{ caçar um gato!‛ Voltando sua atenção ao irmão do seu marido. ‚Oi, eu sou Moira. Por favor, perdoe Artemis.‛ Ela atirou um clarão acima do ombro. ‚Ele pode ser tão cabeça-dura |s vezes.‛ Apertando a mão que ela lhe estendera e ignorando o grunhido profundo que veio de Artemis, ele ergueu a mão dela, até seus lábios. ‚Eu estou bem ciente das negligências do meu irmão. Eu cresci com ele. Ele sempre teve um temperamento curto.‛ Ele beijou suavemente a palma da mão dela. Outro grunhido mais alto, mais profundo veio de Artemis. O irmão dele soltou sua mão, mas o olhar permaneceu nela. ‚Tristan Gray. Desculpe est{ um pouco atrasado, mas parabéns por suas núpcias e bem-vinda a família.‛ Moira agitou a cabeça. Ela estava conversando com uma versão mais velha de Brendan. ‚Homens.‛ Ela disse com um suspiro. ‚Com você como tio, eu entendo Brendan completamente agora.‛ Atirando a cabeça para trás, Tristan riu longo e alto. Ainda agitando a cabeça, Moira dobrou a mão sob o braço do Tristan. ‚Entre e deixe-me cuidar deste corte em sua cabeça.‛ Ela olhou para Artemis. ‚Você tem uma bagunça para limpar.‛ Ele não se moveu de onde estava bloqueando a porta. Moira parou, empertigou-se e declarou numa voz clara, ‚Eu juro, Artemis Gray, se você não se mexer daí, lamentará isto até que o dia de sua morte.‛ Lentamente, ele deu um passo para trás e permitiu que Moira levasse seu irmão a cozinha. Assim que entrou, a luz do bebê monitora piscou e o som de alvoroço das filhas gêmeas a alcançou. Suspirando, empurrou Tristan uma cadeira e virou para Artemis. ‚Se ele não estiver sentando naquela cadeira...vivo, quando eu descer aqui…‛ Depois de um último clarão, ela saiu da cozinha. ‚Ela te merece, irmão.‛ Com a saída de Moira, Artemis se forçou a relaxar. ‚Você devia evitar beijar a companheira de outro lobo, especialmente a minha.‛ Sorrindo, Tristan encolheu os ombros. ‚Ela me beijou primeiro. Pensou que eu era você. Não é a primeira vez que isto aconteceu.‛ Agarrando a cafeteira, Artemis bufou. Ele devia ter falado com Moira sobre seu irmão. Ele só nunca encontrara a ocasião certa. Ele olhou para Tristan. Maldição, mas Brendan estava se tornando cada vez mais parecido com ele a cada dia. Certamente, Brendan acharia uma companheira para mantê-


Calor Encoberto Calor 05

Judy Mays

lo na linha logo. Artemis anuiu. A menos que Brendan fosse verdadeiramente igual a Tristan. Seu irmão nunca achara uma companheira. Talvez esse também fosse o destino de Brendan. Virando, Artemis deu a seu irmão uma xícara de café. ‚Por que você mandou me buscar?‛ Tristan perguntou, enquanto aceitava a xícara que seu irmão entregava a ele. Todos os pensamentos de Brendan fugiram de mente do Artemis e uma carranca apareceu em seu rosto. ‚Melody foi seqüestrada.‛ Com a xícara a meio caminho da boca, Tristan congelou. Suas palavras eram baixas e perigosas. ‚Ela est{ livre?‛ Artemis movimentou a cabeça. ‚Brendan e o companheiro dela a salvaram.‛ Tristan arqueou uma sobrancelha. ‚Companheiro?‛ Artemis sorriu. ‚Eu deixarei Moira te contar tudo sobre isto.‛ ‚O seqüestrador?‛ O vapor do café quente enrolava-se em direção ao teto. Artemis tragou o café que segurava. ‚Escapou.‛ Chamejando as narinas, Tristan latiu, ‚Onde?‛ ‚Nova Orleans.‛ ‚O Alfa da Alcatéia?‛ Tristan continuou a ignorar o café. ‚Cooperar{.‛ Artemis respondeu. ‚Este homem, Manno Cousan, assassinou membros da Alcatéia de lá, mas eles não podem pegá-lo.‛ ‚A Hierarquia?‛ ‚Todos concordam. Cousan seqüestrou e assassinou lobisomens. Só existe uma resposta para suas transgressões.‛ Tristan movimentou a cabeça e esperou. Artemis o olhou diretamente nos olhos. ‚Caçador, você est{ livre.‛


Judy Mays - Calor 05 - Calor Encoberto