Issuu on Google+


Ìndice

Introdução ........................................... 3 Quem sou eu? ......................................... 6 As minhas expetativas para o futuro ................. 19 Algumas opiniões de pessoas que considero que são importantes na minha vida ........................... 22


Introdução


Quem sou eu?


O ser humano é caracterizado por, só dar valor quando perde alguém de quem se gosta muito e eu não


fui diferente… Só dei valor à pessoa que eras quando te perdi … Só dei valor àquilo que tu me dizias quando te perdi… Só tomei a consciência dos meus sentimentos por ti quando te perdi… Durante anos, tu deste-me a conhecer a pessoa magnífica que tu eras… Durante anos, andaste a espalhar o teu perfume pela vida das pessoas que mais amavas… Durante anos, mostraste que podias dar tudo aquilo que tinhas e não tinhas aos que te eram importantes… Durante anos, mostraste-me o que era sorrir mesmo estando com vontade de chorar… Durante anos, ensinaste-me a nunca desistir de um obstáculo que a vida poderia colocar à minha frente… Durante anos, avisavas-me para mudar a minha maneira de ser, pois tinha e tenho um feitio muito complicado… Durante anos, foste “vítima” das minhas brincadeiras… Durante anos, andei de volta das tuas rugas e a queixar-me que elas eram bastante perfeitas, questionava-me vezes sem fim como é que isso poderia acontecer ainda por cima na


tua pele tão macia… Durante anos, no verão ia dormir para tua casa… Durante anos, brincas-te comigo na areia que tinhas na tua eira… Durante anos, enchias os baldes da vindima com água para eu ir para lá para dentro… Durante anos, dormia contigo e agarrava-te com o máximo de força como forma de me protegeres… Durante anos, dizias-me que eu te punha os cabelos brancos

com

as

minhas

asneiras…

Durante

anos,

inventavas novos jogos para fazermos juntas… Durante anos, fomos passear e conhecer o país… Durante anos, fomos criando uma ligação cada vez mais forte… Durante todos esses anos eu nunca fui capaz de te dizer o quanto gostava de ti e o quanto eu queria estar

contigo…

nem

mesmo

quando

a

tua

doença

começou-se a agravar… nem mesmo quando tiveste que sair de tua casa por precisares de cuidados a toda a hora… nem mesmo quanto te ia ver todos os dias ao lar onde estavas, após eu sair da escola… nem mesmo


quando estávamos sozinhas… e quando achava que era o momento certo para te dizer o que sentia, tu virastete para uma empregada e perguntaste-lhe: quem é esta menina? E eu aí entendi que já era tarde demais e que não podia voltar atrás no tempo… Passadas algumas semanas

o

inevitável

aconteceu…

aquela

noticia

surgiu… a tua doença agravou e chegou aos pulmões… o teu coração tinha parado de bater, e eu sem te poder ter dito o quanto te amava e o quanto eras importante para mim… Hoje faz 6 anos que nos deixaste… Tenho tantas mas tantas saudades tuas minha avó… Um dia iremo-nos encontrar seja aonde for…»


As minhas expectativas para o futuro

Na minha vida tenho vários objetivos que espero um dia poder alcançar, um deles é casar, ter filhos, para poder construir uma família unida criando assim um ambiente saudável e rico em amor e carinho pois, não passei por isso e não quero que os meus filhos passem

pelo

mesmo.

Espero

a nível profissional,


pretendo arranjar um trabalho no ramo da fotografia e ser reconhecida pelo meu trabalho positivamente dos quais futuramente possa ter boas condições de vida e poder dar à minha família o que eu nunca tive. Espero viver num ambiente saudável e cheio de amor, numa casa com condições e que tenha tudo o que eu e os meus precisem. O meu sonho foi sempre ser inspectora criminal, pois adoro investigação, e lido muito bem com mortes pois uma vez quando estava num cemitério, haviam centenas de caixas com ossos de cadáveres que já tinham falecido há muitos anos, e como a minha mãe estava a lavar a campa da minha falecida avó, eu, como sou curiosa, fui logo lá espreitar e encontrava-se lá um crânio de uma pessoa e eu não aguentei a emoção e agarrei-o na maior das naturalidades mas a minha mãe viu e disse logo para eu não tocar naquilo, mas eu completamente descontraída disse-lhe que o queria levar para casa pois queria ter aquilo em casa, no meu


quarto se possível mas como é obvio que ela disse-me que não mo deixava trazer, então agarrei num osso de uma perna, pois dava para perceber que era uma perna por

causa

do

tamanho

da

mesma,

e

disse-lhe

imediatamente que então levaria aquele osso já que ela não me deixava levar o crânio para casa. Como é óbvio ela disse mais uma vez que “não” e então eu, teimosa, peguei num pequeno osso que se encontrava lá e que suponho que era de um dedo devido ao pequeno tamanho do mesmo, e disse à minha mãe: então levo este osso! E ela: Não sejas doida, Andrea! Não levas ossos nenhuns para casa ainda por cima de pessoas mortas! Vai mas é lavar as mãos com lixívia quando chegarmos a casa! E eu: pronto, posso não levar os ossos para casa, mas também não vou lavar as mãos com lixívia nem com qualquer outro diluente! Com esta história, a minha mãe ficou incrédula comigo…


Algumas opiniões de pessoas que considero que são importantes na minha vida: «Falar de ti não é fácil, pois nenhum texto e milhões de palavras não são capazes de descrever o que eu sinto por ti, me faz tão bem, é de um querer tão grande. Conversar perfeito,

contigo é tudo me

lembra do primeiro dia que te conheci. És uma rapariga meiga e querida, lembro-me de todos os momentos que passámos parece que foi hoje, as nossas brincadeiras, as nossas parvoíces, tudo o que passamos juntas nunca vou esquecer. Acho-te fantástica e maravilhosa, não tenho palavras para te descrever. Sei que fazes de tudo para uma pessoa sentir-se bem quando naquele momento está mal, tenho que te agradecer por tudo o que fizeste e fazes por mim, AMO-TE!» Inês Correia


«A Andrea, é uma rapariga, divertida, normalmente bemhumorada e brincalhona. Às vezes consegue ser mandona e consegue irritar as pessoas facilmente. Apesar de ter um feitio complicado, é e atenciosa. E o mais importante de tudo, excelente irmã, pois preocupa-se comigo que posso contar com ela para tudo, posso

amiga é uma e sei falar

com ela sobre todo o tipo de assuntos, assuntos esses que normalmente não se pode contar aos pais. É uma pessoa de confiança, e é uma excelente ouvinte e concelheira» Melanie Gomes (minha irmã)


«Na opinião,

a

minha Andrea

apesar de ser um ser humano muito teimoso e convicto das suas ideias, até consegue ser bastante querida e amável quando quer. Quando eu a conheci (em fevereiro de 2011), a primeira coisa que me ocorreu foi a enorme alegria e a inquietude que eu via naquela rapariga, tinha sempre um sorriso lindo na cara, e estava sempre disposta a ajudar os outros. Ela mudou a minha vida, com ela presenciei muitos dos momentos mais engraçados e divertidos da minha vida. Apesar do seu pequeno tamanho, ela tem um enorme coração e raramente demonstra o que sente, o que se pode tornar muito irritante por vezes. Eu acho que, a Andrea tem muitas qualidades a nível fotográfico embora eu tenha reparado que a passar a ferro não fica nada atrás. Uma das maiores qualidades da Andrea é a sua determinação e força de vontade. A Andrea, a meu ver, é uma excelente companhia e uma amiga imprescindível. Para finalizar, eu acho que a Andrea até é boa pessoa, mas é só de vez em quando.»

Miguel Carreira


«Andrea Gomes nasceu no dia 10 de agosto do ano de 1995, em Riburgo na cidade de Fribourg na Suíça, mas a maior parte da sua vida foi, até data presente, passada em Portugal. Ela vive num ambiente familiar cheio de carinho e amor, mas, como qualquer pessoa ela também teve/tem os seus stresses com a família. Ao longo da sua adolescência ela se apaixonou, teve os seus desamores, conheceu amigos que permanecem na sua vida enquanto outros desaparecera. Na escola, uns anos com melhores notas outros com piores, ela está a terminar o seu curso. Como qualquer adolescente, tinha sonhos, mas o seu maior sonho era muito especial, era ser uma grande atleta, ela lutou para isso, conheceu a vitória, a tristeza, mas apesar dos seus feitos ela teve que abandonar esse sonho, no meio da tristeza ela ganhou força e consegui-o superar a perda, mostrando assim o seu carater forte e lutador. Mas como ela descobri-o com a perda de um sonho aparece outro, ela começou a olhar mais para a


fotografia, e com o tempo ela se envolveu mais e mais, até que se apaixonou por ela. Quando conheci a Andrea ela mostrou ser uma rapariga forte, lutadora, alegre, simpática, honesta, e mostra os seus sentimentos mais frágeis quando está sozinha ou num lugar de refúgio, como a sua casa, e com o passar do tempo pode comprovar que essas qualidades eram verdadeiras assim como outras, também vivi momentos marcantes com guardados para sempre.

ela

que

ficarão

Andrea é uma rapariga ainda muito jovem, ainda vai conhecer muitas pessoas e ter muitas desilusões e muitas alegrias, mas como ela tem uma personalidade forte e é muito lutadora, vai conseguir sempre seguir em frente.»

Micael Carreira


«À três anos tive o privilégio de te conhecer, ainda hoje me lembro… Eras tão pequenina e ainda o és mas pronto ahah. Achei-te fixe logo ao princípio e começamos a falar e a darmo-nos muito bem!

confidências

contámos

Passamos momentos incríveis e inexplicáveis. Muitas uma à outra sobre os

meninos por exemplo, esse grande problema! Ahah. Como qualidades destaco que és linda mas isso toda a gente acha, tens muita força e coragem para lutar e levantas-te sempre. Como defeitos destaco claro o facto de ser muito casmurra e nunca dares o braço a torcer. Já passamos momentos bons e menos bons mas uma verdadeira amizade é mesmo assim. És sem dúvida “uma grande mulher, num corpo de menina”. Alexandra Dias (melhor amiga)


«Bem, começou na

tudo escola

de condução, na de S.Mateus – Soure, no mês de setembro, quando eu fui lá inscrever-me para tirar a carta de condução e fui com a minha irmã. De repente, a Andrea perguntou-me, sem me conhecer de lado nenhum, muito diretamente se a mulher que tinha ao meu lado era a minha mãe ou a minha irmã e eu respondi-lhe que era a minha irmã. E tudo começou aí, eu fui procura-la no Facebook, e fiz-lhe um pedido de amizade e ela aceitou. A partir daí, começámos a falar pela internet até que trocámos os números de telemóvel, e a amizade surgiu. Uma coisa que adorei logo é o nome dela: Andrea, por ser fora do vulgar, outra foi o olhar misterioso mas doce ao mesmo tempo e a personalidade forte que ela transmitia, até que começámos a ficar mais íntimos. Na segunda-feira de Carnaval, houve um baile e ela convidou-me para ir lá e disse-lhe que queria dançar um kizomba com ela mas depois lembrei-me que não sabia dançar e fiquei todo lixado. Quando ela chegou ao pé de mim, ela estava toda linda, como sempre. Quando chegou a hora de ir dançar, lá fomos nós, eu todo envergonhado mas lá fui. No início atrapalhava-


me todo, trocava-me todo e eu tinha desistido de tentar até que repentinamente disse-lhe: “Andrea, vamos dançar! “e ela sorriu e agarrou-se a mim e quando dei por mim estava a dançar bem e toda a gente a olhar e foi o resto da noite assim até acabar o baile, foi mesmo bom, acho que foi nessa noite que descobri mesmo, tirando todas as minhas dúvidas do que realmente sentia por ela. No dia 9 de março, ela veio fazer-me uma surpresa, percorrendo 12 km, no total, de bicicleta para estar comigo, no parque de lazer de Soure e brincámos os dois ao nosso mundo aparte, até que de repente olhei para ela e beijei-a, foi mesmo bom, fiquei com borboletas na barriga como já não sentia à muito tempo e a nossa relação começou nessa tarde. Resumidamente tenho uma grande mulher a meu lado, e tenho 3 pessoas numa só: a namorada, a amante e sobretudo a melhor amiga. Se alguma vez me perguntarem o que significa o amor, eu responderei: Andrea!! Amo-te bebé!»

Cláudio Batalha (namorado)



Autobiografia