Page 1

4

Vila Real

Vila-realense eleito vice-presidente da Juventude Popular

N

os dias 23 e 24 de Julho, decorreu em Lamego o XVIII Congresso Nacional da Juventude Popular ( JP). Perto de 400 congressistas decidiram o futuro da estrutura entre a candidatura de Miguel Pires da Silva e Luís Chiti Dias. A vitória de Miguel Pires da Silva, primeiro subscritor da moção “Unir para Crescer”, foi confirmada já durante a madrugada de domingo, depois de um período de discussão que se prolongou por mais de doze horas com as intervenções de inúmeros congressistas.

Esta reunião magna da JP foi marcada pelo debate de ideias e de soluções para a juventude portuguesa e para Portugal, tendo sido apresentadas quatro moções de estratégia global. O distrito de Vila Real esteve fortemente representado e viu quatro dos seus militantes receberem a confiança do novo presidente da Comissão Política Nacional para estarem presentes em três órgãos nacionais da Juventude Popular. André Correia (finalista do curso de Mestrado em Eng. Civil na FEUP) foi eleito vice-presidente da Comissão Política Nacional, Patrique Alves (licenciado em Engenharia Ambiental pela UTAD) foi eleito vice-presidente da Mesa do Congresso Nacional e Catarina Botelho e Edgar Sousa (presidentes da Concelhia de Vila Real e Mondim de Basto, respectivamente) foram eleitos Conselheiros Nacionais, demonstrando assim o valor dos jovens trasmontanos na política a nível nacional. O mérito destes jovens havia sido reconhecido no fim-de-semana anterior, com a eleição de Patrique Alves e André Correia como vicepresidentes da Comissão Política Concelhia do CDS de Vila Real.

MCoutinho apresenta novo Lancia Ypsilon

O

MCoutinho apresentou no dia 30 de Julho o novo Lancia Ypsilon, em

Vila Real. Este novo “pequeno topo de gama” em apenas 3,84 metros concentra o melhor do estilo italiano, da inovação e do respeito pelo ambiente e que, pela primeira vez, é proposto com carroçaria de cinco portas para acolher com maior comodidade os apreciadores do charme, da excelência tecnológica e da unidade estilística da Lancia. Na base do projecto Ypsilon está uma original abordagem ao conceito de automóvel “Premium” que dá um novo significado à palavra “luxo”, seduzindo quem procura originalidade e carácter, tecnologia e elegância, qualidade e inovação. Com o Ypsilon, o luxo torna-se algo único, que acende emoções, que representa o prazer de “ter”, mas sem ostentação,

que traduz a busca da unicidade em qualquer âmbito, a expressão da própria personalidade sem se deixar influenciar por opiniões alheias. Em termos de motorizações, a gama do novo Ypsilon é composta por um motor a gasolina – 1.2 Fire Evo II de 69cv e por um motor turbodiesel – 1.3 Multijet II de 95cv. Estas duas versões são ambas equipadas com o dispositivo Start & Stop de série, que gere a paragem temporária do motor e sucessiva ignição, de modo a reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2. Em termos tecnológicos, o Ypsilon são se contentou com pouco: “Magic Parking”, “Blue & Me – Tom Tom Live”, “Smart Fuel System” e inovadores grupos ópticos. Por todos estes argumentos e outros mais a descobrir, vale a pena experimentar este novo citadino.

4 | Agosto | 2011

Rocha serve de tecto

Moinho secular é único na região

Almeida Cardoso

N

o concelho de Vila Real e mesmo na região não haverá um moinho com as características daquele que existe numa ribeira próxima da aldeia de Samardã. É um exemplar que está ainda preservado, mas quanto à idade nem os habitantes a sabem. Da sua estrutura faz parte uma rocha que serve de tecto, enquanto ainda conserva o pequeno “aqueduto” que conduzia a água para fazer mover a mó. No interior ainda existe a mó, a tremonha e alguns elementos em madeira. Joaquim Rodrigues, habitante de Samardã, garante que este moinho tem vários séculos de existência. “É muito antigo e fazia parte de um

conjunto de outros moinhos localizados nesta ribeira. Até agora não vi nenhum igual a este, que tem a particularidade de estar coberto por uma rocha”. Em tempos distantes, Samardã tinha muitos moinhos de água, cujas mós moíam o milho e o centeio para fazer o pão nos fornos da aldeia. O número destas unidades molinologicas na Samardã é bem patente na toponímia, onde uma das artérias ostenta o nome “Rua do Moinho”. Joaquim Rodrigues gostava que os moinhos fossem preservados, criando-se por exemplo um pequeno circuito de visitação. Nos anos 60 do século passado, mais de 11 mil moinhos operavam comercialmente em Portugal, segundo a Comissão Portuguesa de Moa-

gens e Ferragens, que era a entidade reguladora, e que fez, em 1962, um inventário nacional para efeitos fiscais. Nessa altura, contabilizou cerca de 11 mil moinhos a funcionar industrialmente, que tinham de pagar impostos. Existiam três tipos de moinhos: de sangue, de água e de vento. Os moinhos a sangue eram movidos pela força animal, habitualmente por asininos e gado muar, que, praticamente, desapareceram. Dentro dos moinhos de água, os moinhos de maré localizam-se no litoral e no estuário dos grandes rios. Os moinhos de rio praticamente já não existem. Eram moinhos com grandes rodas verticais que aproveitavam o caudal dos rios e que estavam associados a indústrias.

Campanha de sensibilização decorre dias 8 e 9 de Agosto

Rastreios auditivos gratuitos em Vila Real

A

MiniSom, empresa portuguesa especialista em Audição e Aparelhos Auditivos, vai realizar rastreios auditivos gratuitos nos dias 8 e 9 de Agosto, no seu Centro Auditivo de Vila Real, na Rua dos Combatentes da Grande Guerra, nº 10. Esta acção surge no âmbito da campanha de sensibilização para a saúde auditiva que pretende promover a revisão regular da audição. Durante dois dias, a MiniSom estará na cidade a convidar a população para fazer rastreios auditivos gratuitos, distribuir informação, esclarecer dúvidas e responder gratuitamente a questões relacionadas com a saúde auditiva. De acordo com Miguel Bragança, porta-voz da empresa, “pretendemos com esta acção de rastreios dar a oportunidade à população de

se aconselhar gratuitamente junto de técnicos especializados em saúde auditiva e despistar possíveis problemas que possam comprometer a sua qualidade de vida”. Após o rastreio, a MiniSom irá oferecer o novo CD do Marco Paulo com o tema inédito “Oiça a Vida” a todos aqueles que participarem na iniciativa. A Organização Mundial de Saúde estima que 500 milhões de pessoas apresentam um determinado grau de perda auditiva. Especialistas em audição afirmam que, mesmo sem apresentar sintomas, o acompanhamento regular da audição possibilita a prevenção de possíveis problemas e a detecção atempada da perda auditiva. A MiniSom é uma empresa portuguesa especialista em audição e aparelhos auditivos pertencente ao

Grupo AudioNova International, líder europeu de clínicas especializadas em Audição e Aparelhos Auditivos. Com 10 anos de experiência, conta com uma rede de 38 Centros Auditivos em funcionamento de Norte a Sul do país e tem como missão contribuir, através de profissionais qualificados e da mais avançada tecnologia, para uma melhor qualidade de vida de todo os que necessitem de aconselhamento, assistência e cuidados de saúde auditiva. Vencedora do Prémio Excelência no Trabalho 2010/11 no sector da saúde e farmacêuticas, veio reforçar a distinção das melhores práticas de recursos humanos, favorecendo à gestão, um ambiente propício à continuidade e expansão, com a melhor qualidade e motivação dos seus profissionais.

XVIII Congresso Nacional da Juventude Popular  

Notícia sobre o XVIII Congresso Nacional da Juventude Popular | A Voz de Trás-os-Montes