Page 1

O impacto da atividade física na 3º idade RESUMO: Na pesquisa realizada podemos constatar que na terceira idade é obrigatório um exame médico para saber as suas limitações. De acordo com Filho e Henrique Moraes o sedentarismo na terceira idade pode causar inúmeras doenças e também levar a traumas corporais como o osteoporose .Observamos quais exercício que na terceira idade fazem muito bem para a saúde e que proporcionam uma melhora na qualidade de vida dos idosos , também podemos constatar uma melhora nas doenças cardiovasculares, respiratórias , e na função imunológicas .Na terceira idade exercícios físicos acompanhados de um profissional da área proporcionam uma melhora física e mental .De acordo com o autor MATSUDO e MATSUDO a expectativas de vida e o números de pessoa que atinge a terceira idade tendem a aumentar , graças ao exercício físico e boa alimentação , além de servir na prevenção e no tratamento das doenças próprias desta idade. Devem ser feitas atividades debaixo impacto e pouca carga pois assim não prejudicará seus corpos. Palavra chave: Exercício físico , Terceira idade e saúde ABSTRACT In the survey we can see that in old age is a compulsory medical examination to know their limitations . According to Henrique Moraes Filho and sedentary lifestyles in old age can cause many diseases and also lead to bodily trauma as osteoporosis . Observed exercise in old age is very good for health and it provides a better quality of life for seniors , too we can see an improvement in cardiovascular, respiratory , and immune function . seniors in exercise accompanied by a professional in the area provide a better physical and mental health. according to the author Matsudo and Matsudo the life expectancies and the numbers who reaches old age tend to increase , thanks to exercise and good nutrition , in addition to serving in the prevention and treatment of diseases typical of this age . Activities must be made under impact and little loading as well not harm their bodies . Keyword: Exercise, Health and Senior

Introdução A relação entre atividade física, saúde, qualidade de vida e envelhecimento vem sendo cada vez mais discutida e analisada cientificamente. Atualmente há um consenso entre os profissionais da área da saúde que a atividade física é um fator


determinante para um envelhecimento saudável, por isso pratica de exercícios físicos está cada vez mais sendo incentivada na terceira idade. Na atualidade há uma variedade de exercícios voltados para essa faixa etária, que ajudam de maneiras significativas no combate das doenças cardiovasculares, sendo esta uma das principais causas de morte em idosos. De acordo com, Etnier, Nowell, Landers, Sibley (2006), atividades como o caminhar e o correr tem como o objetivo melhorar o sistema cardiorrespiratório, acha visto que inúmeros estudos sobre exercícios físicos e terceira idade vem mostrando essa realidade constatando inúmeros benefícios e uma melhora na qualidade de vida, estudos estes como os de (MATSUDO & MATSUDO 2000). Os impactos causados pela atividade física são visíveis, ao comparar um individuo sedentário com um praticante de atividades físicas até mesmo nas tarefas diárias. Para (Shephard 1991 apud Matsudo & Matsudo 1992), os impactos do exercício físico na terceira idade gera um aumento na qualidade e expectativa de vida, provocando melhorias das funções orgânicas, garantia de maior independência pessoal e um benéfico no controle do tratamento e prevenção de doenças como diabetes, enfermidades cardíacas, hipertensão, arteriosclerose, varizes, enfermidades respiratória, artrose, distúrbios mentais e dores crônicas. Assim o presente artigo tem com principal objetivo mostrar que através do exercício físico é possível indivíduos acima de 50 anos terem uma vida mais saudável sem dor, detalhar os impactos da atividade física no sistema muscular e ósseo da terceira idade. Esta pesquisa será baseada em livros, artigos e pesquisas já realizadas sobre a terceira idade.

REFERENCIAL TEORICO E DISCUSSÃO A atividade física habitual da população em geral diminui com o envelhecimento e mesmo que o individuo idoso continue a participar de algum tipo de esporte , é provável que as sessões de treinamento , tornem se mais curtas e menos intensas .Seja qual for à atividade física escolhida, ela deve ser feita sob uma orientação


médica. É recomendado que todo programa de exercícios leve em consideração as possibilidades e limitações de cada idoso. As atividades devem ser feitas de forma regular e contínua. Lembrando que a atividade física exagerada pode ser prejudicial. Karla Campos de Paula e Débora Campos de Paula (2001) consideram os malefícios que os exercícios físicos causam se não for adequado às características fisiológicas do idoso. Precedendo o inicio da atividade física é necessária a realização de exames médicos e teste de esforço, a fim de definir o grau de risco associado a várias cargas de trabalho e estabelecer as intensidades apropriadas. Para que seja adequada ao nível de condicionamento do idoso. Para Filho (2006), são reconhecidos diversos efeitos deletérios de pessoas vítimas do sedentarismo, nos quais o autor cita menor captação de oxigênio nos tecidos; menor coagulação de sangue; menor estabilidade articular e equilíbrio emocional. As causas mais comuns de sedentarismo em idosos são: Os fatores orgânicos, que se relacionam diretamente a falta de atividade física e ao aparecimento de lesões traumáticas; As culturais, que são relacionadas com os fatores financeiros de uma população ou a falta de locais para a prática desta atividade; e por fim, as ambientais, que dificultam a locomoção deste público para os locais de atividade física. Um dos aspectos que devem ser considerados na atividade física, doença e saúde em termos populacionais é a escolha do tipo de atividade física a ser prescrito na terceira idade. De acordo com Henrique Moraes, ( 2013) a falta de uma orientação médica e de um profissional de educação física podem ocasionar problemas ortopédicos como distensão muscular, dores articulares agudas, lombalgias, tendinites e várias outras alterações físicas como arritmias, tonteiras e câimbras. A atividade física deve ser estimulada no idoso, como forma de prevenir e controlar as doenças crônicas não-transmissíveis que aparecem mais frequentemente durante a terceira idade e como forma de manter a independência funcional. As atividades que devem ser mais estimuladas são as atividades aeróbicas de baixo impacto, preferencialmente com baixa carga , para estimular a manutenção da força muscular e prevenir lesões.


O processo de diminuição de minerais ósseos ocorre mais rapidamente em mulheres do que em homens e as mulheres também são as mais vulneráveis por que elas iniciam o processo de envelhecimento com conteúdo de cálcio menor. Além disso, as mulheres mostram uma perda acelerada de cálcio por cerca de 5 anos no período da menopausa ( RIGGS E MELTON 1992 apud SHEPARD ROY 2003) CONCLUSÃO O exercício excessivo pode causar um ataque cardíaco, lesão musculoesquelética e supressão da função imunológica. Ainda assim, os idosos são capazes de participar de programas de treinamento físicos moderados. A adoção de um estilo de vida ativo, aparentemente, pouco faz para frear o processo inerente de envelhecimento, porém ganhos de função induzidos pelos treinamentos são suficientes para terem importantes consequências para a qualidade de vida de uma pessoa mais velha. Com a idade avançada, é necessário um maior tempo para que a frequência cardíaca, a pressão arterial e ventilação atinjam o equilíbrio em qualquer esforço energético determinado .Considerando os agentes facilitadores no ambiente para a atividade física , os idosos precisam de muito mais que um estimulo para se exercitar e ter uma vida mais saudável , eles necessitam de um profissional na área da educação física para dar um suporte visando o bem estar destes indivíduos para que melhore suas condições físicas e mentais e também que não prejudique seus sistemas cardíacos e respiratórios

O impacto da atividade física na terceira idade  
O impacto da atividade física na terceira idade  
Advertisement