Page 1

RETROSPECTIVA 2017 Prestando contas do primeiro ano de mandato Macatuba - 29 de dezembro de 2017


2017 em capítulos 1º ano de mandato em números

03

Justiça no ITBI

04

Pelo fim do jeitinho

05

Parlamento Jovem

06

Propondo saídas para capitação de recursos

07

Pela modernização da gestão pública

08

Pensando no futuro: desenvolvimento e geração de empregos

09

Abrindo portas: em busca de lideranças políticas

10

Reconhecimento à nossa gente

11

Mandato colaborativo

12

Expediente Este informativo é uma produção independente, de responsabilidade do vereador Anderson Ferreira, distribuído exclusivamente por meio digital. Nenhum recurso público foi utilizado para sua produção. Produção Fotográfica: Acervo particular do vereador e redes sociais da Câmara Municipal de Macatuba Jornalista Responsável: Anderson Ferreira Mtb. 80.122 Críticas, correções e sugestões: andersonferreira@cmmacatuba.sp.gov.br

Amigos e amigas macatubenses, A lei da semeadura e da colheita é um dos conceitos mais antigos – e talvez um dos mais verdadeiros – a desenhar uma relação direta entre as nossas ações e aquilo que produzimos com elas. Ela se aplica ao trabalho, às relações pessoais, à construção de um patrimônio e, obviamente, à gestão pública. Se não dá para resolver todos os problemas do dia para a noite, devemos estabelecer um destino para onde queremos navegar e começar a planejar a rota. Essa falta de visão de médio e longo prazo é uma condição que prejudica exponencialmente o desenvolvimento ordenado e sustentável dos municípios brasileiros. Neste primeiro ano de mandato pude sentir o quanto é necessário ter resiliência para continuar semeando, ainda que os primeiros brotos demorem a surgir. Foi, assim, um período de aprendizado e frustrações, que prepararam o espírito para continuar firme na jornada que iniciamos em 1º de janeiro de 2017: empreender um jeito diferente de fazer política. Mais do que um termo da moda, a nova política é uma necessidade urgente para aproximar o governo das expectativas do povo e de tratar os problemas cotidianos com a complexidade que eles possuem. E isto passa, necessariamente, por uma postura proativa de comunicação, colaboração e de constante prestação de contas. É justamente a prestar contas que se destina esta publicação. Não procuro, é importante destacar, supervalorizar qualquer iniciativa, uma vez que tudo pode ser comprovado mediante averiguação dos acervos da Câmara Municipal. É muito difícil de se prever como será o próximo ano. Mas, da minha parte, mantenho confiante o compromisso de continuar semeando, para consolidar a nova política e para buscar soluções efetivas para o desenvolvimento da nossa cidade.

Anderson Ferreira Vereador


Resumo do 1º ano em números Durante as 40 sessões ordinárias legislativas realizadas em 2017, 65 proposituras de autoria (ou co-autoria) do vereador Anderson Ferreira tramitaram pela Casa.

Confira os números:

65

10

47 Indicações 04 Projetos (Leis/Resoluções) 04 Moções 10 Requerimentos

Proposituras apresentadas

Pedidos de recursos junto a deputados federais e estaduais

Proposituras por área Gestão

3

Funcionalismo público

2 11

10

Transparência e comunicação

4

Educação Arrecadação e captação de recursos

4

8

Obras e manutenção Desenvolvimento

5

Esportes

8

6 6

Saúde Cultura Assistência Social

7

Cidadania Outros

22 discursos na tribuna

+2h de discursos +11 mil visualizações 03


Justiça no ITBI Autor da emenda que isenta famílias de baixa renda do pagamento do imposto, Anderson teve atuação decisiva na aprovação da nova lei, que combate a sonegação fiscal Na sessão de 27 de março foi lido em plenário a entrada do Projeto de Lei nº 22/2017, que tratava da mudança na cobrança do ITBI, que é o imposto cobrado pelo município sobre a compra de imóveis, como casas e terrenos. Dessa data até ser votado em plenário, o texto passou pelas comissões, foi tema de uma audiência pública e recebeu duas emendas de autoria do vereador Anderson Ferreira - uma isentando as famílias carentes do pagamento do tributo e, outra, permitindo o seu pagamento parcelado.

seguinte, em 18 de setembro, quando a matéria foi apreciada em segundo turno. Na tribuna, Anderson explicou sua posição sobre o tema, destacando que a lei atual é bondosa com os especuladores imobiliários, pois muitos anotam um valor falso no contrato para sonegar imposto; enquanto é severa com o trabalhador que compra casa financiada, pois o contrato de compra, nesses casos, sempre é feito com o valor real da transação. Estima-se que, por ano, são sonegados R$ 300 mil.

O desabafo do vereador não impediu a sua rejeição da matéria - com a votação empatada em 5 a 5 no plenário, coube ao presidente da Câmara desempatar, optando pela rejeição em segundo turno. Em 6 de novembro, no entanto, o tema entrou na pauta de votação novamente e foi aprovado. Isto porque os vereadores Anderson, Elaine, Fabrício, Lazão, Marcos Góes, Silvia e Tião apresentaram um novo projeto, que já incluía a isenção para as famílias carentes e o parcelamento do pagamento.

Levada à votação em 11 de setembro, a matéria foi aprovada por 7 a 3 em primeiro turno e marcou o início da circulação de uma série de informações falsas sobre a nova lei, com o objetivo de constranger os vereadores que votaram favoravelmente e de colocar a opinião pública contra a proposta. Durante a semana que se seguiu, espalhou-se o boato de que estava sendo aprovado um aumento de imposto, o que motivou muitas pessoas a comparecerem na sessão

Em 25 de setembro, sete vereadores protocolam novo projeto sobre o ITBI

A força da opinião pública A Nova Lei do ITBI só voltou à pauta da Câmara porque a população expressou seu descontentamento com relação ao resultado da votação. Durante a sessão, após o discurso do vereador Anderson, alguns moradores que acompanhavam os trabalhos acreditando que estava sendo votado um aumento de imposto, foram embora ao perceberem que estavam equivoados. Nos dias seguintes, a repercussão nas redes sociais foi tão grande, que o vídeo com o discurso do vereador chegou a 5 mil visualizações e dezenas de comentários. Inegavelmente, a opinião pública virou o jogo.

04


Pelo fim do jeitinho Lei que institui transparência na fila de espera por atendimento na saúde busca evitar que a ordem seja manipulada por ingerência política “Fala com fulano que ele consegue vaga para você”, infelizmente ainda existem muitos fulanos no Brasil capazes de manipular a ordem de atendimentos na área da saúde para favorecer um grupo político. Por mais antiga que seja essa prática, nós não podemos mais toleraro “jeitinho” no serviço público, sobretudo em uma área tão sensível como a da saúde. Foi pensando em criar um mecanismo para coibir esse tipo de ação que o vereador Anderson Ferreira apresentou o projeto que deu origem à Lei que institui a transparência nas filas de espera por

atendimento nos serviços municipais de saúde. “O ideal é que as filas não existam, mas enquanto elas existirem, temos a obrigação de lutar para que elas sejam justas para todas”, justificou o parlamentar na tribuna da Câmara na sessão em que foi apresentada a proposta. Após ser aprovada por unanimidade no plenário, o projeto foi vetado integralmente pelo Executivo. Devolvido para os vereadores, o veto foi rejeitado e a Lei promulgada. Mas, alegando geração de despesas, a Prefeitura recorreu à justiça para não abrir as listas de espera ao conhecimento público.

Na avaliação do vereador, o veto foi uma decisão que vai na contramão dos tempos atuais, em que a sociedade pede por mais transparência na gestão pública. “A solução proposta pela Lei é a divulgação via internet, justamente para não gerar mais despesas, assim como diversos municípios estão fazendo em todo o País”, avaliou recentemente. A ideia, que poderia ser estendida para todas as áreas da administração pública, foi desenhada durante a campanha eleitoral, pelo grupo que colaboradores que apoiou a eleição de Anderson.

Reconhecimento estadual No dia 14 de dezembro aconteceu a cerimônia de premiação do “Prêmio Paulista de Boas Práticas Legislativas”, na sede da OAB-SP. A iniciativa, que é realizada pelo Movimento Voto Consciente em parceria com a Associação Paulista de Escolas do Legislativos e Contas (Apel), OAB Seccional São Paulo e Lab.Gov/USP, tem o objetivo de reconhecer boas práticas empreendidas nos legislativos municipais. A Câmara de Macatuba ficou em terceiro lugar na categoria “Democracia e Transparência” por aprovar e promulgar a Lei Municipal 2687/2017, de autoria do vereador Anderson Ferreira, que institui a transparência nas filas de espera na área da saúde. O vereador Renato Bispo Caroba, da cidade de Arujá, foi premiado em outra categoria por ter apresentado em seu município um projeto de lei com o mesmo teor. Lá, no entanto, o Prefeito optou por sancionar e promulgar a propositura.

05


Vez e voz De autoria do vereador Anderson Ferreira, proposta de criação do Parlamento Jovem em Macatuba foi aprovada por unanimidade Quando se trata de consciência política, o Brasil tem muito o que avançar. E uma das principais questões que precisam ser esclarecidas para a população é o funcionamento dos poderes públicos de uma forma geral. Afinal, até onde vai o papel do vereador? O que devemos cobrar do Poder Legislativo? Convicto de que não dá para colocar toda a responsabilidade sobre essa questão na escola ou esperar que os meios de comunicação se preocupem em tratar desse tema, o vereador Anderson Ferreira propôs a criação do Parlamento Jovem, que tem como objetivo disseminar o conhecimento sobre o Poder Legislativo entre os alunos das escolas de Macatuba por meio de uma simulação da própria Câmara.

“A intenção é que, assim como nós vereadores fomos eleitos, os jovens que desejarem participar do Parlamento Jovem também sejam submetidos à eleição em suas escolas, essa é uma forma de ampliar o público atingido pela iniciativa para além dos 11 que ocuparão as vagas oferecidas pelo programa”, explica o vereador. De acordo com a resolução que criou o Parlamento, poderão participar da ação todos os estudantes matriculados em escolas localizadas em Macatuba, desde que estejam cursando algum ano do Ciclo II do Ensino Fundamental. Experiências similares estão sendo realizadas em outros municípios e os resultados são animadores. “O

que nós vemos é um leque de benefícios, porque à medida que os jovens compreendem o funcionamento do Poder Legislativo eles se tornam multiplicadores desse conhecimento e podem esclarecer seus familiares e amigos. Além disso, a passagem deles pela Câmara certamente contribuirá para o desenvolvimento de políticas públicas mais assertivas para esse público”, avalia Anderson. Destaque Verde A criação do Parlamento Jovem em Macatuba foi noticiada pelo site do Diretório Estadual do PV Paulista. Para o canal, Anderson ressaltou a relevância da formação de uma geração melhor preparada para atuar no processo democrático.

Como deve funcionar O funcionamento do Parlamento Jovem será tratado pela Câmara Municipal no início de 2018, quando o Presidente da Casa deve nomear a comissão de vereadores responsável por acompanhar o programa. Algumas premissas, no entanto, são previstas no Projeto de criação: à O Parlamento Jovem será composto por 11 membros à Os participantes devem cursar o Ciclo II do Ensino Fundamental em uma escola localizada em

Macatuba à Uma comissão de vereadores acompanhará o programa à Os vereadores mirins irão eleger, entre si, os componentes da mesa diretora à Durante a sessão, os vereadores mirins receberão apoio técnico, assim como ocorre com as

sessões ordinárias à As sessões ocorrerão no plenário da Câmara Municipal - Sala “Augusto Daré” à O programa terá duração de oito meses e acontecerá anualmente

06


Propondo saídas Cenário de crise econômica e aumento do desemprego reduziu a arrecadação e aumentou as despesas do município nos últimos anos Desde que o Brasil começou a passar por momentos mais agudos de crise econômica, criou-se um cenário bastante desafiador para os municípios, pois ao mesmo tempo que provocou uma queda na arrecadação, gerou um aumento expressivo na taxa de desemprego. Com uma parcela menor da população obtendo renda há uma consequente elevação nas demandas pelos serviços públicos. No caso de municípios como Macatuba, que dependem em grande parte dos repasses estaduais e federais, o cenário é ainda mais crítico, pois até as emendas parlamentares – tão alardeadas por muitos políticos – andaram escassas. Na opinião do vereador Anderson Ferreira, esse é um momento importante para que os gestores municipais reflitam sobre o modelo de gestão consolidado a maior parte

das cidades brasileiras, amparado em uma relação mais próximas com alguns parlamentares que, em troca de apoio político, mantem certa fidelidade na distribuição de recursos. “É inegável que o atual modelo favorece alguns políticos que atendem as necessidades dos municípios como se estivessem fazendo um ato de bondade. Não podemos aplaudir os políticos somente por realizarem o seu dever”, comenta Anderson, que defende a necessidade de se buscar fontes alternativas de recursos para a gestão municipal, principalmente por vias que não aumentem os impostos: “o momento exige criatividade para encontrar recursos e sensibilidade para não penalizar ainda mais o contribuinte”. Atuando nessa linha, desde o primeiro mês de mandato, Anderson

vem defendendo a utilização das Leis de Incentivos Fiscais para arrecadar investimentos junto à iniciativa privada que, depois, abate as doações dos seus tributos federais e estaduais. (Leia mais no final dessa matéria.) Fundo para Esporte e Cultura Com a falta de recursos, vários prédios públicos, praças e áreas de lazer sofreram com a falta de manutenção e o abandono. As áreas mais prejudicadas foram o Esporte e a Cultura, reduzindo ainda mais as opções de lazer do município. Em razão disso, uma das indicações apresentadas por Anderson sugere ao Executivo criar um fundo para o esporte e a cultura, mediante a exploração de espaços publicitários nas arenas e concessão do serviço de lanchonete e bar dessas instalações para a iniciativa privada.

Esporte busca incentivos fiscais Com as indicações realizadas pelo vereador Anderson sobre o aproveitamento dos recursos de incentivos fiscais para projetos do município, o Secretário de Esportes José Gino Pereira Neto, o Zezo, inicou estudos para viabilizar a utilização desse tipo de patrocínio para reformas das unidades esportivas da cidade. Atualmente esse trabalho encontra-se na fase de elaboração do projeto de engenharia.

O incentivo fiscal permite que as empresas destinem parte do seu ICMS ou IR para investimento em projetos pré-aprovados pelo governo, abatendo essa doação no momento do recolhimento do tributo. É uma forma

07

da empresa indicar onde ela quer que parte do seu imposto seja investido.

Em outubro, junto do vereador Fabrício, Anderson acompanhou o secretário de esportes em uma reunião de trabalho com uma profissional especialista na elaboração desse tipo de projeto, a advogada Marisa Mendes. A profissional é responsável por diversos projetos que já foram aprovados em outros municípios.


De olho na gestão Um dos maiores entraves para a organização do serviço público é o modelo de gestão, que está ultrapassado e não privilegia o bom servidor De um modo geral, consolidou-se na opinião pública a percepção de que o serviço público é, em sua maioria, de baixa qualidade. O vereador Anderson foi servidor de carreira do Departamento Pessoal da Prefeitura de Macatuba por oito anos. Essa experiência, somada à vivência na iniciativa privada, motivou o parlamentar a apresentar uma série de propostas com o objetivo de modernizar a gestão por meio de três pilares: aumento de perfor mance, valorização do servidor público e transparência. Metas e resultados O primeiro Projeto de Lei do vereador tinha a intenção de instituir em todas as secretarias municipais um programa de metas e resultados por meio de uma construção coletiva, com a participação dos servidores. Esse modelo de medição de desempenho é utilizado em organizações que possuem alta

performance com índice elevado de satisfação dos seus funcionários. A proposta, no entanto, foi retirada da pauta por recomendação da assessoria jurídica da Câmara, já que o tema é de iniciativa exclusiva do Poder Executivo. Assim, a proposta seguiu na forma de indicação, mas até o final do ano legislativo não foi apresentado nenhum projeto de teor semelhante pela Prefeitura. Transferência de servidores Além de fazer coro à antiga reivindicação por um Plano de Carreiras para os ser vidores municipais, Anderson sugeriu a adoção de um mecanismo que garanta a imparcialidade nos processos de transferência de servidores de uma repartição para outra. Assim como ocorre em outros órgãos do governo e algumas empresas públicas e privadas, a indicação do vereador recomenda a

regulamentação de uma política de recrutamento interno, para que os funcionários possam se candidatar a uma eventual vaga, garantido oportunidades iguais para todos. Transparência total De acordo com a Lei de Acesso à Informação, a transparência nas informações dos órgãos públicos deve ser regra. Essa é uma forma de garantir à sociedade a possibilidade de acompanhar e fiscalizar como estão sendo gastos os recursos advindos dos seus impostos. Foi com essa intenção que Anderson apresentou uma moção solicitando ao Poder Executivo que passasse a utilizar o Diário Eletrônico, disponível no site da Prefeitura, para publicar as informações do governo. Atualmente tramita na Câmara um Projeto de Lei que atende esse pleito, regulamentando o tema. Isso vai facilitar o acesso e reduzir custos.

Em defesa dos servidores públicos O tema “funcionalismo público” foi o segundo que mais recebeu proposituras de autoria do vereador Anderson Ferreira. Isso porque os recursos humanos representam o principal fator para o bom funcionamento da gestão pública como um todo. Veja alguns destaques:

Oportunidades iguais para transferências

Segurança do Trabalho

Comitê para elaborar Plano de Carreiras

08

Assistência Social para servidores


Pensando no futuro Os temas desenvolvimento e geração de empregos estiveram presentes em praticamente todas as sessões do ano Que o Brasil passou (ou ainda passa) por uma grave crise e que isso fez as vagas de empregos diminuírem não é novidade para ninguém. No entanto, o caso de Macatuba é ainda mais delicado porque o município não possui uma diretriz para o desenvolvimento capaz de atrair investimentos e sua consequente geração de postos de trabalho. Com a redução da mão de obra absorvida pelo setor canavieiro, em razão da adoção de novas tecnologias, o município ficou extremamente dependente de vagas nas empresas instaladas nas cidades vizinhas – especialmente Lençóis Paulista e Pederneiras. Em seu primeiro discurso na tribuna, o vereador Anderson Ferreira chamou a atenção para a complexidade dessa questão, o que requer a elaboração de um plano estratégico de desenvolvimento de médio e longo prazo. “Precisamos olhar a conjuntura do

emprego de uma forma mais ampla. Praticamente em todos os lugares as propostas para acabar com o desemprego estão na criação de um novo distrito industrial, mas somente isto é insuficiente para sanar a questão”, disse o vereador em 13 de fevereiro. “Não é o caso de criticar gestões passadas, mas ao que parece é que Macatuba ficou acomodada nos últimos anos com a absorção dos nossos trabalhadores por empresas das cidades vizinhas”, complementou. Mudança na lei Uma mudança fundamental realizada na lei sobre concessão de áreas foi relacionada às metas que o empreendimento deve atingir ao receber ao ser atendido pela Prefeitura. Na versão antiga, havia uma proporção entre a dimensão física da área concedida e o número de postos de trabalho, tornando inviável algumas concessões –

especialmente para os negócios que possuem um nível mais elevado de tecnologia. Quando o assunto foi levado à Câmara, Anderson ajudou a construir o formato atual, que combina geração de emprego e faturamento. Foi somente a partir dessa mudança que as primeiras concessões passaram a ser realizadas pela Prefeitura por meio de licitação. Comissão de Desenvolvimento Outra iniciativa do vereador na área foi a criação da Comissão Especial de Desenvolvimento, que tem como objetivo realizar estudos na perspectiva da elaboração de um plano de desenvolvimento para o município. Os trabalhos dessa comissão ainda não foram iniciados em razão da criação, logo em seguida, da CEI (Comissão Especial de Inquérito) do Distrito, Industrial que foi encerrada no final do ano.

CEI submete informações ao MP No final do mês de junho foi criada a Comissão Especial de Inquérito para investigar uma denúncia sobre possíveis irregularidades em concessões feitas pelo município há mais de 10 anos. Anderson votou favoravelmente à criação da CEI e fez parte do grupo, que concluiu os trabalhos no final do ano. “Ouvimos de forma isenta e transparente diversas pessoas e analisamos muitos documentos. Tudo aquilo que foi produzido, agora, segue para o Ministério Público, que é a autoridade que poderá aprofundar a investigação”, explica o vereador sobre o assunto. “Na nossa análise, há margem para a retomada de terrenos pelo município”, finaliza.

09


Abrindo portas Em abril, Anderson foi o primeiro vereador a ir para Brasília neste mandato. As despesas de viagem foram custeadas pelo próprio parlamentar Uma das maiores dificuldades para quem não faz parte do mundo político, e acaba eleito, é a de construir relacionamentos nesse meio que possam se converter em benefícios para o município. Isso ocorre porque é comum que deputados estaduais e federais priorizem atender as demandas de seus parceiros mais antigos. Ciente da necessidade de transpor essa barreira e da urgência em captar parcerias com agentes políticos que tenham uma postura parlamentar alinhada aos anseios da população, em abril o vereador Anderson esteve em Brasília para visitar o Ministério da Educação, a Câmara e o Senado Federal, levando consigo diversas demandas do município para pleitear apoio. O vereador esteve nos gabinetes de

vários parlamentares, mas foi junto ao Deputado Mendes Thame (PV) que conseguiu o diálogo mais produtivo dessa jornada. Thame, que já obteve votação expressiva em Macatuba em eleições passadas, se comprometeu a abraçar uma causa antiga do município: a construção de um novo poço, para abastecimento de todos os bairros dos altos da cidade. Recentemente, uma cópia do projeto foi transmitinda à assessoria do deputado. “Uma das principais lições que ficou das conversas em Brasília foi a necessidade da elaboração de projetos para o pleito de recursos”, resume Anderson. “Praticamente todos os deputados orientaram nesse sentido, pois a quantidade de ofícios pedindo recursos que chega aos gabinetes diariamente é enorme”, completa.

Encontro com o Deputado Estadual Chico Sardelli (PV) em Torrinha

Além dos pedidos deixados na Câmara Federal, em Brasília, o vereador aproveitou outras ocasiões em que se encontrou com deputados estaduais para registrar as necessidades de recursos para Macatuba, especialmente nas áreas da saúde, de proteção animal, da educação, do desenvolvimento e da segurança pública.

Pelo fim do foro privilegiado Quando esteve em Brasília, entre uma audiência e outra com os deputados paulistas, Anderson conseguiu um tempo na agenda do senador Álvaro Dias, atualmente pré-candidato à presidência pelo Podemos. À época, o representante do estado do Paraná no Senado lutava pela aprovação do seu projeto que restringe o foro privilegiado, uma das principais causas da impunidade para políticos criminosos no Brasil. Depois de já ter sido aprovada pelos senadores, a proposta está parada há meses na Câmara, onde também precisa tramitar para, se aprovada sem nenhuma modificação, seguir finalmente para a sanção do Presidente da República.

10


Reconhecimento Por diversas vezes, Anderson utilizou seu tempo na tribuna para saudar esportistas, artistas e outras pessoas da comunidade O Poder Legislativo possui formas para homenagear e reconhecer pessoas, entidades e outras organizações que realizam serviços relevantes ou atingem resultados expressivos. Para o vereador Anderson Ferreira, essa prática deveria ser mais comum no dia a dia da Câmara Municipal, “precisamos adotar o hábito de homenagear com mais frequência as pessoas e instituições da nossa comunidade, temos que ser um Legislativo mais presente”, pondera. Nesse sentido, por diversas vezes durante o ano, o vereador utilizou o seu tempo na tribuna da Casa para destacar esportistas, artistas e entidades que realizaram serviços relevantes durante o ano. Em uma das ocasiões que se dirigiu à tribuna para prestar homenagens, o discurso referente ao Grupo de Teatro Padre José Corsini, responsável pela encenação da Paixão de Cristo em Macatuba, foi um dos que teve maior repercussão. Em um trecho, o vereador destacou o papel

Por iniciativa do vereador Anderson, Câmara realiza sessão solene para homenagear o Interact Club de Macatuba

dos atores voluntários: “o sucesso da encenação é, também, conquistado pela coragem daqueles que, mesmo não sendo profissionais de dramaturgia, vencem a timidez e o medo para se transformarem em atores e atrizes durante o tempo de preparação e exibição de todos os eventos da encenação”. Sessão Solene Em dezembro, por iniciativa do vereador Anderson - e com a

Honraria Orlando Bozan O Diploma do Mérito Legislativo “Orlando Bozan” foi criado para reconhecer pessoas e entidades que conquistarem destaque na sua área de atuação ou que prestarem serviços relevantes para a comunidade. De acordo com o regulamento, por ano, cada vereador pode indicar apenas uma sugestão de homenageado.

Anderson indicou o jovem atleta de kickboxing Leonardo Leme Luque, macatubense que havia conquistado no ano anterior os títulos de campeão paulista e brasileiro na sua modalidade, além de uma medalha em uma competição em nível panamericano, disputada na cidade de Cancun, no México.

11

aprovação de todos os vereadores, houve a primeira sessão solene para homenagear uma entidade na história do Legislativo local. A ocasião foi dedicada a reconhecer o grande trabalho que os jovens do Interact Club de Macatuba desenvolvem em prol da comunidade, com destaque para as atividades realizadas durante a Semana Mundial do Interact Club e à celebração dos 55 anos do movimento em nível mundial.


Mais colaboração Criar uma rede colaborativa para discutir os problemas e construir soluções é o desafio para o próximo ano Na sessão do dia 4 de dezembro, o vereador Anderson utilizou a tribuna para destacar a necessidade do Poder Público se esforçar mais para estabelecer um diálogo franco e transparente com a sociedade. De acordo com o vereador, esse é o caminho mais eficaz e mais rápido para aproximar as decisões políticas das expectativas da população e melhorar a qualidade dos serviços públicos de uma forma geral. Na ocasião, Anderson ressaltou, ainda, a atual dificuldade de se estabelecer o diálogo, diante do contexto político que o Brasil atravessa e da falta de disposição que existe na maioria das pessoas em conviver com opiniões contrárias. O parlamentar reconheceu que falta, inclusive, mais diálogo do seu mandato com a população e

anunciou três medidas para tornar sua atuação ainda mais transparente e colaborativa. MINHA INDICAÇÃO Trata-se de um canal eletrônico para que qualquer cidadão possa encaminhar suas reclamações e sugestões referentes ao município direto ao vereador. O canal já está funcionando e pode ser acessado em www.andersonferreira.org.

Na tribuna, Anderson pede por mais diálogo com a sociedade

GRUPO “ÁGORA 21” AVALIAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS É uma série de pesquisas realizadas por meio da internet para avaliar a qualidade de todos os serviços públicos. Todos os resultados serão divulgados e o primeiro tema, que já está sendo avaliado, é o transporte intermunicipal de estudantes.

Será por meio de um grupo que se reunirá frequentemente para debater os problemas do município e construir coletivamente propostas de soluções. O primeiro encontro acontece no mês de janeiro e a forma de participação será divulgada na página do vereador no Facebook (fb.com/andersonferreirapv).

Trabalho de referência Autor do livro “Eles ocuparam a cidade – como engajar pessoas para transformar o Brasil”, o vereador de Mogi das Cruzes (SP), Caio Cunha (PV), é referência quando o assunto é mobilização e engajamento político. E m s e t e m b r o, A n d e r s o n esteve em Mogi para conhecer mais sobre o trabalho e os resultados alcançados por meio de um mandato partici-

12

pativo, organizado em um grupo com mais de 300 colaboradores voluntários. “Engajar as pessoas com o propósito de estabelecer um diálogo sobre os problemas da cidade é um fato extraordinário para aproximar as decisões políticas daquilo que o cidadão espera. É essa iniciativa que vamos implantar em Macatuba”, comenta Anderson Ferreira.


Sobre o passado não podemos fazer muita coisa, mas é no tempo presente que se constrói o futuro que queremos para nós, para a nossa cidade e para o nosso País! Sejamos a mudança que queremos para o mundo!

Feliz 2018!

#NÓS SOMOS A MUDANÇA! www.andersonferreira.org

Profile for Anderson Ferreira

Retrospectiva 2017  

Resumo do trabalho do Vereador Anderson Ferreira (PV) do município de Macatuba (SP)

Retrospectiva 2017  

Resumo do trabalho do Vereador Anderson Ferreira (PV) do município de Macatuba (SP)

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded