Page 1

P O R T F Ó L I O A

R

Q

U 2

A

N

A

S

O

F

I

A

I 0

A

T 1

E 5

L

T

U

-

2

0

M

E

I

R

A

1

9

D A


2


profissionais 2018 autocad sketchup photoshop

8

2018 autocad sketchup photoshop

9

RESIDENCIAL

6

2018 autocad sketchup photoshop

acadêmicos 2017 autocad sketchup photoshop

12

2017 autocad sketchup photoshop

URBANO

10

14

INSTITUCIONAL

INTERIORES

ÍNDICE

2016 autocad sketchup lumion photoshop

concurso 20

2015 revit photoshop

2015 autocad sketchup lumion photoshop maquete física + fotografia

24

3


APRESENTAÇÃO belo horizonte/mg - brasil galmeida.sofia@gmail.com 038 99943 5213 sou ana sofia almeida, arquiteta formada pela universidade federal de viçosa com graduação sanduíche pela university of liverpool, e o presente portfólio reúne uma seleção dos meus projetos profissionais e acadêmicos. como profissional, possuo forte inclinação pragmática e procuro desenvolver minha capacidade criativa pensando em soluções inovadoras, sempre associadas a otimização e eficiência. fundei o fresta.ateliê, em parceria com duas sócias e em pouco mais de 1 ano e 2 meses conseguimos 12 projetos. em grupo, sou paciente, de escuta ativa e me comunico com clareza e empatia. em virtude de minha personalidade conciliadora, consigo me relacionar bem com colegas de perfis diversos e agregar as pessoas. para além da vida profissional, curiosidade e determinação sempre foram traços marcantes da minha personalidade. por isso saí de casa aos 17 anos e já fiz 2 intercâmbios. acumulei referências e aprendizados explorando lugares e morando com pessoas de diferentes partes do mundo, vivências que me fizeram uma pessoa resiliente e sensata. acredito na arquitetura e no urbanismo como instrumentos facilitadores do cotidiano que através da abordagem humanizada, sustentabilidade e responsabilidade social, atuam em seu máximo potencial para a criação de um

4


FORMAÇÃO ACADÊMICA

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

set 2014 - set 2015

set 2017 - dez 2018

ago 2009 - jul 2016

ago 2016 - set 2017

CURSOS E WORKSHOPS

ESTÁGIOS

set 2016 - jan 2017

jul 2013 - set 2013

estudante intercâmbista escola de arquitetura university of liverpool liverpool - reino unido graduação arquitetura e urbanismo universidade federal de viçosa viçosa - minas gerais

curso online future cities ETH university zurich out 2012

planejamento e avaliação do ambiente construído ago 2011

etiquetagem de edificações residenciais

SOFTWARES microsoft office - proficiente autocad - proficiente sketchup - proficiente photoshop - proficiente illustrator - proficiente coreldraw - proficiente revit - intermediário vray - básico lumion - básico

LÍNGUAS inglês - fluente francês - intermediário espanhol - básico

sócia fundadora fresta.ateliê projetos de reforma e interiores residenciais e comerciais autônoma projetos arquitetônicos e interiores acompanhamento de obras residenciais e comerciais

acompanhamento de obras grandes industrias Grupo Vall Companys Lleida - Espanha set 2012 - jun 2013 out 2013 - jun 2014

projetos arquitetônicos e interiores residenciais e comerciais Diálogo Arquitetura e Gestão Cultural Viçosa - Minas Gerais

EXTRAS 2019

concurso nacional de arquitetura outrosterritórios: palafitas do buritis 2015

concurso internacional de arquitetura Eleven Magazine: Camboja 2015 2014

concurso nacional de arquitetura mirante das cataratas do iguaçu 2012

voluntária ARQfuturo belo horizonte: a construção da paisagem urbana mar 2011 - nov 2011

membro do centro acadêmico representante dicente departamento de arquitetura e urbanismo Universidade Federal de Viçosa

5


1

este trabalho consiste em um projeto de interiores de uma loja de produtos hipoalergênicos e lingerie, com sublocação de um brechó. a proposta buscou uma renovação estética do espaço, criando uma atmosfera que remete ao cuidado e feminilidade que a loja representa, sem desencorajar o consumidor masculino. por esses motivos, escolhemos setorizar os fluxos dispondo os produtos hipoalergênicos logo na entrada, as lingeries na parede oposta e o brechó na sobreloja. o espaço alugado trazia o desafio de transformar a imagem da loja sem grandes modificações estruturais e com economia e versatilidade. optamos por um mobiliário que consiste em móveis reformados, estantes modulares para exposição e alguns poucos elementos comprados. as paredes receberam uma pintura com personalidade e delicadeza, o pequeno espaço de estar deu um toque de aconchego e as luminárias excêntricas arremataram o ambiente. a sobreloja sublocada para um brechó recebeu um tratamento simples, porém decisivo, com a pintura do piso em preto e das paredes, teto, porta e guarda-corpo em rosa, criando o efeito de caixa. a vitrine recebeu um painel de fundo, valorizando os elementos, expostos em diferentes alturas de forma chamativa. a fachada monocromática foi trabalhada com pintura e revestimento em telha metálica em mesma cor, atraindo o olhar de quem passa. o resultado foi um projeto que deu nova vida ao empreendimento, com soluções criativas e eficazes. coautoras: ana carolina girundi e mariana barros

6


7


2

de um antiquário à um estúdio de música, o objetivo desse projeto foi conciliar um espaço contemporâneo e funcional incorporando as antiguidades remanescentes. tapetes e cortinas fazem as vezes do isolamento acústico, como soluções de baixo custo. a cortina geométrica funciona como parede de fundo enquanto esconde o escritório. no banheiro a base da máquina de costura une o elemento feminino a um ambiente com cara masculina. o resultado é um projeto em que as peças de época resgatam a história ao passo que elementos jovens e vivos o transportam aos dias atuais. coautoras: ana carolina girundi e mariana barros

8


3

a proposta para esse projeto de interiores para um corredor de entrada e hall de garagem pequenos e pouco iluminados foi trazer descontração, funcionalidade e amplitude, criando interesse para ambientes antes esquecidos. o objetivo foi recepcionar o usuário com uma atmosfera energizante e acolhedora, através dos recursos de iluminação, blocos de cores e painéis amadeirados, que suavizam o ambiente ao mesmo tempo em que estimulam quem passa por ali. coautoras: ana carolina girundi e mariana barros

9


4 este projeto é uma casa espaçosa para uma família numerosa em um terreno longo e estreito. o casal preferiu que a suíte principal ficasse no térreo, já prevendo a facilidade de acesso imposta pela idade no futuro. por esse motivo os acessos e circulações são largos e o fluxo da casa acontece de forma linear e objetiva, distribuído por corredores que conectam os espaços do início ao fim. outra demanda foi a integração dos ambientes de convívio com a possibilidade de isolar as atividades desenvolvidas em cada espaço. por isso, as delimitações separam os espaços de maneira permeável e singela, permitindo assim o contato e a reserva dos usuários, quando desejável. a área de lazer faz a ponte entre os ambientes de estar e os de serviço. o segundo pavimento abriga os quartos das 4 filhas do casal, com closet e banheiro unificados e uma sala de estar reversível em quarto de hóspedes. o resultado foi um projeto intimista, de linhas simples, materiais sóbrios e ambientes convidativos.

2


3

6

5

4

11

1 7

2

9

8

10

planta baixa térreo

12

13

14

15

16

17

18 planta baixa segundo pavimento

1 2

5

fachada noroeste

fachada nordeste

fachada sudeste

fachada sudoeste 12

5

10

10

1 hall de entrada 2 escritório 3 suíte principal 4 lavabo 5 sala de jantar 6 cozinha 7 sala de tv 8 sala de estar 9 área de lazer 10 serviço 11 oficina 12 banheiro filhas 13 closet filhas 14 quarto 1 15 quarto 2 16 quarto 3 17 quarto 4 18 sala e quarto reversível

11


5

neste projeto de reforma de uma casa em montes claros, cidade de clima quente e árido, os moradores se queixavam do calor e da má distribuição dos espaços internos e externos. alterando algumas paredes e estendendo os fundos da casa em 1 metro, foi possível ampliar os ambientes de convívio, facilitar a circulação dos ambientes e transformar o quarto do casal em uma suíte espaçosa e mais privativa. a nova conformação dos ambientes possibilitou uma ventilação cruzada que, aliada aos brises nas janelas, ao novo telhado e aos jardins laterais, assegurou maior conforto térmico à casa. o espaço externo, antes negligenciado, se transformou em uma área de lazer, e onde antes havia um galinheiro, foram criados apartamentos para aluguel. um projeto coerente, que impulsionou a vida dos moradores.

a

planta baixa reforma segundo pavimento

fachada apartamentos

planta baixa original

fachada casa

planta baixa reforma térreo

12

5

10

a

corte longitudinal aa 1

12

2

5

10


13


pontos importantes universidades parques nucleos de mobilidade zona central linha fĂŠrrea recorte do trecho


6

A

B

a linha catrumana foi meu projeto de conclusão de curso, uma requalificação urbana das margens da linha ferroviária de montes claros, mg. o espaço é atualmente degradado e perigoso, atuando como foco de doenças e acúmulo de lixo. o Programa de Investimento em Logística do Governo Federal prevê a desativação da ferrovia no perímetro urbano da cidade e foi a partir dessa premissa que construí minha proposta. a ideia foi explorar o grande potencial desse local como eixo de mobilidade, já que a linha corta a cidade de norte a sul e margeia pontos importantes, como universidades, prefeitura, mercado municipal, parque de exposições e rodoviária. levando em consideração a localização e diversidade de conformações espaciais, foi escolhido um trecho a ser trabalhado com diferentes funções e mobiliários, considerando que o projeto fosse pensado de forma a ser replicado e incorporado ao longo de todo o ramal ferroviário da cidade. o projeto foi pensado em escala humana, tendo como premissa segurança, vitalidade, sustentabilidade e saúde do usuário. nos trechos mais largos foram criados grandes espaços de convívio, como praças, arquibancadas para cinema ao ar livre, fontes, parques e largos, com o objetivo de suprir a carência da população por espaços públicos de qualidade. a inspiração para a identidade visual veio das fitas coloridas que enfeitam as cabeças dos catopês, grupo folclórico da cidade, e o nome veio do adjetivo dado ao modo de vida e as gentes do sertão mineiro e baiano.

C

D

E

F


A

B

C

TIP

OLO

GIA

entrevistas com moradores da região apontaram as demandas da população local e, através de uma análise, propus uma tipologia básica, definida por calçadas laterais, uma ciclovia que percorre dinamicamente o trecho, áreas verdes e equipamentos urbanos em forma de estações de mobiliário modulares, que se distribuem de acordo com as necessidades locais. para atenuar o processo de gentrificação, como amparo aos moradores, foram sugeridas medidas legislativas, que dispõem sobre gabaritos e muros máximos, afastamentos e testadas mínimas de lote.


fonte

convívio

oficina

auditório

banheiro

parquinho

calçada

rampas skate

ciclovia

bicicletário

calçada vegetação + estações

quiosque


D

E

F


7

este projeto consiste em uma ampliação da escola de arquitetura da university of liverpool e foi pensada para abrigar o programa de graduação. o terreno selecionado é um estacionamento no centro do campus universitário. além de conectar edifícios importantes, o terreno é também o ponto médio de marcos da cidade, como a praça abercromby, o edifício victoria e a catedral metropolitana. a localização privilegiada promove um fluxo intenso de pessoas e foi pensando nisso que tive como premissa um edifício que tocasse pouco o solo, elevando as principais funções e liberando o térreo para circulação e encontro de pessoas. partindo da mesma lógica, criei uma hierarquia funcional, mantendo as atividades mais restritas nos pavimentos superiores, de forma que o acesso fosse lógico e facilitado. desta forma, no térreo se encontram a lanchonete, espaço de exposição e a oficina de maquete, a última permaneceu no térreo pelo fluxo de carga e descarga de materiais e equipamentos. no segundo pavimento se encontram os estúdios de projeto e biblioteca e no terceiro pavimento estão o corpo docente e a parte administrativa. os pavilhões de aula ficam no anexo, o que possibilita seu uso independente para outros fins. as aberturas foram pensadas para aproveitar ao máximo a luz natural e a carga térmica solar, além de serem orientadas para as vistas dos marcos da cidade.

9 3

2

7

1 4 FB

6

5 8

1 terreno 2 centro estudantil 3 departamento de ciências exatas 4 instituto de energia renovável 5 escola de arquitetura 6 centro esportivo 7 catedral metropolitana 8 praça abercromby 9 edifício victoria


estúdios de projeto pavilhão de aulas corpo docente e administração

biblioteca lanchonete e exposição circulação

circulação e exposição oficina de maquete


UP

planta baixa tĂŠrreo

DN

UP

DN

planta primeiro pavimento

DN DN

planta segundo pavimento

12 5

10


a flexibilidade dos estúdios permite que diferentes atividades sejam desempenhadas ao mesmo tempo. a passarela funciona como ligação interna entre os edifícios e uma exposição permanente sobre a história da escola. cada auditório tem capacidade para 200 pessoas.

pingadeira metálica barreira de vapor manta asfáltica argila expandida isolante rígido laje de concreto placa cimentícia barreira de ar camada de ar isolante rígido acabamento concreto encaixe da pele de vidro vidro duplo

montante de alumínio


1 unidade de educação 2 alojamento 3 unidade de pesquisa 4 unidade médica

1

2

3

4

8

esse projeto é uma proposta ao concurso da eleven magazine, cujo desafio era propor estruturas flutuantes para unidades médicas, de pesquisa e de ensino para a comunidade do lago tonle sap, no camboja. no período das monções a região é inundada, levando parte da população a viver em vilas nômades. as premissas do nosso projeto eram flexibilidade, sustentabilidade e simplicidade. o resultado são 4 estruturas que podem ser replicadas quantas vezes forem necessárias, encaixadas e desencaixadas, permitindo uma variedade de possibilidades que se adapte às necessidades da comunidade. tendo em vista a falta de espaços públicos de convívio nos períodos de cheia, propusemos uma praça como ponto conector das estruturas. pensando em uma solução viável e de fácil execução, optamos pelo bambu como material construtivo primário. além de alta resistência mecânica e baixo impacto ambiental, o material é abundante na região e sua utilização não exige técnicas construtivas complexas. seguindo a lógica da disponibilidade e economia, a estrutura flutuante consiste em pneus reciclados, intercalados com manilhas de concreto preenchidas de poliestireno. as plataformas podem ser rebocadas juntas ou separadas, o que significa que cada região do lago pode ser atendida individualmente. coautores: humberto amorim e raisa barros


telhas de madeira

malha de bambu

trama de bambu

estrutura de bambu

deck de madeira pneus e manilhas casco de madeira


Profile for Ana Sofia Almeida

Portfólio de Arquitetura - Ana Sofia Almeida  

O presente portfólio reúne uma seleção dos meus projetos profissionais e acadêmicos desenvolvidos entre 2015 e 2019.

Portfólio de Arquitetura - Ana Sofia Almeida  

O presente portfólio reúne uma seleção dos meus projetos profissionais e acadêmicos desenvolvidos entre 2015 e 2019.

Advertisement