Page 1

O

O

R

N

D

E

A

V

M

O

S

OUTUBRO 2010 – JANEIRO 2011

LOUSÃ

COIMBRA

LUSO

Sarau do Tango

Sarau Raízes Africanas

Sarau da Dança

MONTEMORO-VELHO

20 de Outubro de 2010

15 de Janeiro de 2011

23 de Maio de 2011

Sarau Rota da Pimenta

Lorem ipsum dolor sit amet,

Lorem ipsum dolor sit amet,

Duis eget velit libero.

14 de Junho de 2011

consectetur adipiscing elit.

consectetur adipiscing elit.

Praesent eu massa eros, nec

Cras porttitor sapien sit

Nam.

Nam.

cursus urna.

amet nisi feugiat rutrum.

COIMBRA Sarau da Poesia 27 de Março de 2011 Etiam pulvinar aliquam lobortis. Duis eget velit libero. Praesent eu massa eros, nec cursus urna.

Morbi a justo lectus.


José Marques Leandro está na ARCIL desde 1979. Enquanto

social espalha-se um pouco por toda a vila, com instalações na

presidente da direcção, fala-nos da instituição e do futuro, com

zona industrial e utentes a morar em apartamentos e residên-

o afecto característico de quem por lá passa todos os dias.

cias. Aí, e até porque alguns se juntaram e tiveram filhos,

Como tem sido o percurso da ARCIL desde a sua criação até

funcionam como uma família. Contornada a deficiência, vivem

A R C I L

aos dias de hoje?

agora perfeitamente integrados na comunidade, à qual, um dia,

Tem evoluído em função das necessidades e dificuldades que

a ARCIL teve a preocupação de se abrir.

vão surgindo na comunidade. Daí que tenhamos programas de

Para os que seguem a formação profissional, o que acontece

apoio para pessoas com necessidades especiais, que é a

após os quatros anos?

nos-sa especialidade, mas também para as que têm necessi-

O nosso grande desejo é integrá-los no mercado de trabalho, o

dades económicas.

que não é fácil, mas aqui na Lousã, consideran-do o panorama

Que programas são esses?

nacional, não nos po-demos queixar.

Quanto às necessidades especiais, co-meçamos logo com um

E quando não conseguem empregar as pessoas?

programa de intervenção precoce, quando os servi-ços de

Os que não conseguimos integrar no mercado , trabalham aqui

saúde detectam problemas na gravidez. Nesses casos, a

dentro, nas micro-empresas que temos. Com estas unidades de

A H O M E

intervenção da ARCIL é quase sempre ao nível da psicologia

produção, algumas de nível industrial, geramos certa de 32%

de apoio à mãe.

dos recurso necessários para as des-pesas gerais.

Quando a criança nasce, e se real-mente tem problemas,

Muitas das instituições não são auto-sustenstáveis. Porquê esta

fazemos o seu acompanhamento até à integração escolar. Se

aposta da ARCIL?

continua a revelar proble-mas, estabelecemos um programa

Primeiro porque vamos lá buscar os tais recursos que necessi-

de acção em conjunto com a escola e traçamos um projecto de

tamos para manter o funcionamento da institui-ção e, segundo,

vida para aquela criança.

para criar postos de trabalho e de reabilitação. Vemos que os

É isso que nos vai dizer se ela precisa de fisioterapia, de

recursos do Estado escasseiam, as necessidades externas

terapias ocupa-cionais, ou outras. Mas claro que há crianças

aumentam, as pessoas tornam-se mais conscientes dos seus

que entram a meio deste processo, porque só são identificadas

direitos, e achamos que as instituições devem procurar outras

N A G E

mais tarde, na escola ou por outros meios.

fontes de financiamento. Nós escolhe-mos fazê-lo através da

Às vezes, os projectos de vida passam, ou não, pela formação

Economia Social, criando unidades de produção.

profissional, que dura, normalmente, quatro anos. Em qualquer

Que apoio deveria dar o Estado à Economia Social?

dos casos, a preocupa-ção é desenvolver as capacidades. É aí

Uma das preocupações da ARCIL é produzir e vender serviços

que reside o nosso trabalho.

e tentamos chamar a atenção dos governos para a necessidade

No momento em que nasce uma criança, a resposta à pergunta

de nos tratarem, não só como instituições que desenvolvem

“Está tudo bem?” nem sempre é a esperada.

actividades em nome do Estado, mas também como pequenas

Criada em 1976, por um grupo de pais e amigos de crianças

empresas. Gostaríamos que houvesse um programa especial

com de-ficiência, a ARCIL (Associação para a Recuperação de

de finan-ciamento para estas instituições, que tivesse em vista

Cidadãos Inadap-tados da Lousã) tem promovido a educação,

a Economia Social. A verdade é que já somos tratados como

A D A

a formação e a inclusão profissional de pessoas com deficiên-

empresários, com deveres e direitos fiscais.

cia ou outras necessidades espe-ciais. Porém, e apesar de

Os projectos dependem muito das oportunidades que

estar situada na Lousã, o trabalho da ARCIL estende-se aos

aparecem, e se houvesse esse tal apoio financeiro, estaríamos

concelhos de Góis, Pampilhosa da Serra, Vila Nova de Poiares e

mais abertos e atentos a novas oportunidades.

Miranda do Corvo. Ao todo são cerca de 500 utentes, de todas

Projectos para o futuro?

as idades e camadas sociais.

Temos um programa de desenvolvi-mento, necessário para a

Em 1983, entrou em funcionamento a primeira unidade de

consolida-ção da qualidade que pretendemos. Junto à unidade

produção da instituição, a Serração de Madeiras –ARCIL

das madeiras, que sai dali e vai para a zona industrial, fican-do

texto liliana figueira

Madeiras – com a integra-ção de jovens e adultos com

essa parte livre para a habitação e os serviços de produção,

defi-ciências. A esta, seguiram-se mais sete pequenas empre-

está a erguer-se o CEO (Centro de Estimulação Ocupacional),

sas: a ARCIL Agro, Card, Cerâmica, Lav, Saúde, Verde e a

para onde vão todos os equipamentos de estimulação. Se

ORCA, que faz a venda de artesanato. Todas com o mesmo fim:

houver possibilidade e se conseguir-mos passar algumas

empregar os utentes portadores de deficiência e financiar as

limitações legais, queremos construir uma creche aberta à

necessidades da associação.

comunidade. Entretanto, vamos também avançar com um outro

fotografia ana almeida

É desta forma que a ARCIL garante cerca de trinta por cento da

projecto, o MAMED, que pretende reabilitar e reutilizar os

auto-sustentabilidade, sendo um dos principais empregadores

equipamentos técnicos dos hospitais e centros de saúde, como

da Lousã.

por exemplo, cadeira de rodas, computadores especializados,

Sedeada no Cabo do Soito, a instituição de solidariedade

entre outros, que já não são usados.


O

S ~ S I R Fica assim dado o mote para uma noite diferente, de espectáculo e soli-dariedade.

D E

Melo.

Q U A S E

Moura. Para acompanhar, o Primado, tinto da Quinta do Cola-dinho, produzido por Manuel P.

TA M B É M U M A

do jantar, confeccionado pelo chef Yves Grand-mottet-Shaw e pensado pela gastróno-ma Fátima

C U LT O

quena prova de vinhos oferecida por Manuel Pereiro de Melo, o espectá-culo decorrerá ao longo

D E

Sentados à mesa, e depois de uma pe-

N A

ajuda do par de bailarinos Juan Capriotti e Graciana Romeo, e do acordeonista João Gentil.

M U I T O S ,

forma muito genuína. Espaço onde actores e convi-dados darão corpo à arte de tangar, com a

E

O ambiente recriado será o de uma milonga, espaço onde se dança, sente e vive o tango de uma

E

Fernando dos Santos Carvalho.

L Í R I C O

apoio tem sido fundamental para a realização deste roteiro, teremos a presença do presidente

português, nascido na Argentina, A-dolfo Gutkin. Da parte da Câmara Municipal da Lousã, cujo

especiais. Entre eles, estará o embaixador da Argentina, Jorge Faurie, e um conhecido encenador

inegável beleza como o Hotel Meliá Palácio da Lou-sã, juntando à mesa uma série de con-vidados

O Círculo de Cultura Portuguesa quis, assim, associar esta merecida homena-gem a um local de

de Coimbra, que se alia, mais uma vez, aos valores da cultura e da solidariedade.

PA R A

Tais soluções serão fruto do trabalho realizado pelas unidades de investiga-ção da Universidade

melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos.

M A S

inovação social que dote as instituições de solidariedade de soluções tecnológi-cas capazes de

O Roteiro de Solidariedade, Ciência e Artes tem como fim principal a criação de um fundo de

U M Í N T I M O ,

S É R I O ,

G R AV E , R E L I G I O S O

F O R M A

E N C O N T R O

D E

D O S

E S TA R

V I D A , V E R

P E N S A R , C O R P O S

A A O D I

R U L Á O


P

FIGUEIRA DA FOZ

FIGUEIRA DA FOZ

Baile dos Reis

Sarau do Cinema

5 de Janeiro de 2012

23 de Setembro de 2011

Etiam pulvinar aliquam

Lorem ipsum dolor sit amet,

lobortis. Duis eget velit

consectetur adipiscing elit.

libero.

Nam.

CANTANHEDE Sarau Rota do Ouro 12 de Outubro de 2011 Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

CONDEIXA Sarau da Literatura 23 de Novembro de 2011 Duis eget velit libero. Praesent eu massa eros, nec cursus urna.

COIMBRA Sarau da MĂşsica 23 de Novembro de 2011 Cras porttitor sapien sit amet nisi feugiat rutrum. Morbi a justo lectus.

O

Encarte Diario de Coimbra  

Encarte de apresentaçao do Roteiro e do 1.º Sarau.