Issuu on Google+

FORMAÇÃO CONSULTORIA DE IMAGEM SENAC


ANA SOARES Carioca, 36 anos, designer grรกfico com MBA em Marketing, consultora de estilo formada pelo Senac e Oficina de Estilo e autora do blog Hoje Vou Assim Off desde 2008


APRESENTE-SE :) Nome formação acadêmica experiência profissional/atividades atuais Expectativas em relação ao curso


Qualquer um pode estar na moda: basta seguir a multidão e obedecer às regras da estação.

Estilo é algo pessoal, vem de dentro, não existem estações, existe autenticidade.


O TRABALHO DO CONSULTOR DE IMAGEM A consultoria de estilo pessoal é um trabalho que entrega ferramentas pra que cada cliente entenda quais “elementos do vestir” traduzem sua identidade visual em frente ao espelho — em forma de cores, de formas, de tecidos, caimentos e coordenações.


O CURSO É PARA QUEM GOSTA MAIS DO PÉ DO QUE DO SAPATO.


O PROCESSO PARTE INVESTIGATIVA

PARTE TEÓRICA

• coleta de informação investigativa

• organização de toda info sobre a/o cliente

• questionário

• trabalho de tradução (bate-papo, apresentação, fotos pra mostrar para onde vamos trabalhar e o que vamos fazer nesse processo)

• exercícios com imagens • conversa sobre o questionário e o exercício imagético • visita ao guarda-roupa

• elaboração de proposta de id. visual • apresentação de proposta

• análise de coloração pessoal • análise de silhueta e auto-imagem • análise de formas e traço do rosto

PARTE PRÁTICA • revitalização de guarda-roupa • experiência em lojas/compras • treinamento com looks


O QUE NOS SEPARA DAS PALPITEIRAS É O EMBASAMENTO TÉCNICO Não se trata de consultoria com opinião pessoal: a cada indagação a gente explica os por quês, as funções, utilidade e propósitos. Feio, bonito, brega - é total subjetivo, não existe dona da verdade em moda Não é só o que entrega mas a maneira como entregamos toda informação diz muito sobre o propósito desse trabalho: nada de imperativos, somos apenas os guias nesse processo e quem tem que brilhar é a cliente!


Devemos ficar de igual pra igual com a cliente, apenas pegando na mão dela para conduzi-la. O mérito desse trabalho é dela! Quanto mais se empodera, mais ela se torna cliente. A comunicação tem que ser clara: falar a mesma língua da cliente, sem rebuscamentos Devemos captar o seu universo e traduzi-lo Não tem sentido impor qualquer coisa, mas tudo ser sugerido e conversado Quem recebe a informação é a cliente e ela é quem decide o que fazer com ela >> consultoria eficaz entrega repertório para decidir!


UNFASHION O fenômeno do fast fashion - nunca antes na história tantas pessoas de diferentes partes do mundo se vestiram da mesma maneira. É uma estética globalizada que confunde os divisores entre diferenciação e identificação. A estratégia da obsolescência planejada passa a ficar datada e abre espaço para um novo momento na relação das pessoas com o vestir-se. Trata-se de uma subsversão em que a própria moda cobra de si valores como autenticidade individual, memória e consumo durável.

O movimento Unfashion propõe que as roupas deixem de ser apenas objetos para se transformarem em sujeitos que constroem com as pessoas uma relação mais emocional.


UGLY SANDALS: ONTEM UMA GAFE, HOJE UM CULT.


A DESACELERAÇÃO DO FAST FASHION O fast fashion é uma engrenagem que defende exatamente a grande essência da moda: a efemeridade. “objeto de desejo”: algo carregado de valores e signos que é oferecido ao homem contemporâneo como capaz de suprir suas carências internas. No entanto, ao perceber que o objeto não pode preencher esse vazio, ele permanece frustrado, gerando uma doentia compulsão para o preenchimento dessa realidade ausente. Peças vintage são cada vez mais valorizadas, não somente pela autenticidade de seus designs ou pela história que carregam, mas pela durabilidade que oferecem, por terem sido confeccionadas com um primor de qualidade muito superior ao que estamos acostumados. É inconcebível que um designer tenha uma grande ideia a cada dois meses - por isso muitos apelam para a cópia. Mesmo grifes consideradas carros-chefe da moda mundial já assumiram ter copiado modelos de outras marcas.


A própria indústria do fast fashion já está atenta a estas novas correntes e vem planejando alternativas para continuar no jogo.

No Brasil, o estilista Francisco Costa desenvolveu junto à C&A uma linha de moda barata com tecidos bons. Foram abolidos os materiais de qualidade baixa, abrindo espaço para couro verdadeiro, algodão nobre e um tipo de seda que, apesar de mais acessível, ainda é seda.

Nesta indústria em que criadores copiam criadores, resgatar o “significado” de uma roupa — aquele capaz de gerar desejo no consumidor — será o grande desafio do setor para os próximos anos.


O consumo de moda vem sendo repensado e revisto. Questões éticas entram em jogo e começam a ser consideradas nas decisões de compra. Quando os males da indústria vem à tona, consumir passa a ser um ato consciente e político. O app Moda Livre cria um ranking de empresas de moda tendo como base as denúncias que elas já receberam. Hoje as marcas estão levando em consideração o repúdio do público por escândalos que degradam a vida humana. O despertar para uma maneira mais evoluída de consumir deverá atingir proporções ainda maiores nos próximos anos.


3 mil pessoas trabalhavam no momento em que o prédio desabou e morreram pelo menos 377. Muitas delas fabricam peças para marcas internacionalmente conhecidas. O desabamento de um prédio de três andares onde funcionava uma fábrica de tecidos em Bangladesh revelou não só o amplo descumprimento com normas básicas de segurança no país, mas também o lado obscuro da indústria de roupas internacional.


SLOW FASHION O Slow Fashion não é um conceito que vai e vem, é um movimento de moda sustentável, uma alternativa à produção em massa, que vem ganhando força e veio pra ficar. Incentiva que a gente tenha mais consciência dos produtos que consumimos, retomando a conexão com a maneira em que eles são produzidos e valorizando a diversidade e a riqueza de nossas tradições. Consumo excessivo traz um preço oculto para o meio ambiente e para os trabalhadores da cadeia de produção. Emerge como um modelo de moda sustentável, que incentiva a consciência ética. Seus valores não são destinados a serem únicos para todo tipo de solução, mas podem ser adaptados, estimulando a criatividade.

Flavia Aranha/SP


SLOW FASHION O “lento” do slow fashion não é pensado como velocidade. Mas sim numa visão de mundo diferente, que promove o prazer da variedade e da importância cultural.

As marcas de slow fashion se concentram na utilização de materiais e recursos locais, sempre que possível, e tentam apoiar o desenvolvimento das empresas e talentos locais.

O conceito desafia então essa obsessão da moda rápida com a produção em massa e o estilo globalizado, e promove a diversidade e a democratização da moda.

Comércio justo: o preço das roupas reflete seu custo real. Os preços são muitas vezes maiores, porque eles incorporam recursos sustentáveis ​​ e salários justos. É só pensar no número de vezes que iremos usar essas roupas, e no seu incomparável caimento e qualidade, que vemos que o investimento vale muito a pena!

Relações de confiança entre criadores e consumidores de moda só são possíveis em escalas menores.


A grande fábrica de tendências que se tornou a indústria da moda vem provocando um cansaço geral nas pessoas. O consumidor não tem tempo de acompanhar as novidades, e os criadores não conseguem gerar ideias novas em espaços tão curtos de tempo e isso incentiva a cópia. Surge assim um interesse maior por peças clássicas e por uma neutralidade estética, capaz de migrar por diversas estações. Os pensamentos preconceituosos de uma esmagadora maioria estão começando a diminuir ao passo que a cultura contemporânea reconhece a urgência de uma nova consciência. Nos próximos anos, o conceito de gênero será gradualmente destruído.

unissex, no-gender ou gender blender


A rua se torna tão influente quanto a passarela, mudando a ideia de que tendências são unidirecionais e classistas. Blogueiras e sites de street style começaram a ganhar força.


Solange foi diretora artística de uma linha da Puma chamada “Girls Of Blaze Disc Collection”, selecionando estilistas promissores que tivessem cacife para reinventar um ícone da marca, o tênis Disc Blaze.

A moda está tão cansada dela mesma que as criações mais interessantes têm partido de artistas que não são originalmente estilistas. São iconoclastas da cultura atual que mantém um forte vínculo com sua própria identidade estética.


Normcore e Acting Basic são conceitos derivados da ressaca do excesso, ressignificando o valor das “roupas de ficar em casa”, antes ignoradas e até debochadas pela moda. Acting basic é o conceito mais antigo e original, em que as pessoas se vestem básicas, neutras e confortavelmente para elas, não querem chamar atenção. O normcore é mais sobre um tipo de personalidade do que um estilo: é não chamar a atenção se vestindo de acordo com o ambiente que se está - é mais flexível e mutável de acordo com o local.

“Então, Normcore, no seu estado puro, é acerca de empatia e conexão.”, explica Luke O’Neill, escritor da revista Dazzed and Confused a partir da revelação da agência de trends K-Hole. O objetivo é adaptar-se aos vários contextos.


O movimento Unfashion reavalia alguns estereótipos da moda e propõe uma auto-transgressão em seu sistema. A juventude tem deixado de ser uma inspiração inquestionável, excluindo a idade da pauta contemporânea.

“Tudo é Risco de Giz”, desfile de Ronaldo Fraga no SPFW que foi inspirada no espetáculo Giz, do grupo Giramundo. Assim como a peça, a coleção aborda temas como abandono, desamparo, da invisibilidade de pessoas mais velhas e também da fragilidade de um risco de giz, o qual é facilmente apagado por um pedaço de pano.


O blog Advanced Style é pioneiro em associar estilo ao público sênior. Desde 2008, Ari Seth Cohen publica perfis de senhoras que dão uma aula de elegância. Em 2012, o rapaz foi responsável por fazer o casting de uma campanha da Lanvin.


HI LO quando a gente mistura peças originais e caras com outras mais baratinhas das grandes lojonas difusoras de modinhas (ou mesmo coisas super festivas com outras básicas do dia-a-dia)

VINTAGE para uma peça ser vintage os requisitos são os seguintes: ter pelo menos 20 anos de antiguidade, ser testemunha de um estilo próprio ou de um estilista, não haver sofrido nenhuma transformação, representar um instante de moda e estar em perfeito estado

CROSS CULTURE mistura de elementos de culturas diferentes, tipo peças “peruanas” com peças “africanas” – de etnias facilmente identificáveis e diferentes


O QUE É ESTILO PESSOAL? Estilo pessoal é a soma das preferências, do estilo de vida e da personalidade de cada uma de nós - e por isso também é chamado de identidade visual. Nosso estilo não é estático: amadurece e muda ao longo dos anos, se adaptando a diferentes circunstâncias da vida! Assim como a gente, ele tem uma essência e evolui.


“EU NÃO TENHO ESTILO” O estilo pessoal é a soma das preferências + estilo de vida + personalidade + passado (referência que tivemos quando adolescentes e crianças) + presente (a vida que a gente leva agora) + futuro (o que inspira, o que faz sonhar)

A partir dessa análise podemos concluir que todo mundo tem estilo! Ele pode ainda estar adormecido ou essa identidade não está sendo evidenciada, mas o estilo existe pra todo mundo que faz suas escolhas ao abrir o armário e tem essa soma de referências e preferências!


Estilo é escolha, imagem, não. Imagem depende muito da percepção e dos julgamentos dos outros, não se pode controlar. Estilo pessoal se manipula as variáveis que compõem a aparência - a gente se enxerga, se vê, se percebe Vamos entender como investigar, descobrir, identificar e colocar pra fora tudo que se é por dentro.


AUTOESTIMA = AUTOCONFIANÇA + AUTO-RESPEITO Autoestima é a avaliação que a gente faz da gente mesma, o que pensa e o que sente sobre quem nós somos. Conseguir fazer o melhor que se pode com os recursos que tem É tarefa da consultora lembrar e relembrar a cliente o sentido de olhar pra dentro, durante o processo, como direção certeira para a sua satisfação - sem precisar necessariamente ter que agradar os outros.


PARTE INVESTIGATIVA Precisamos descobrir os valores da pessoa que estamos analisando, conhecê-la por dentro e perceber a imagem que ela tem de si mesma - que pode ser bem diferente da imagem que os outros tem dela. Para ajudarmos alguém no seu processo de descoberta - que é muito mais que ajudar a vestir - é preciso sair dos seus valores e ver o outro, de forma gradual, guiando o cliente no processo e respeitando seus limites e estilo.


O QUE É IMPORTANTE DETALHAR DO PROCESSO PRA CLIENTE: cronograma (tempo, intervalos e duração) onde acontece cada etapa descrição de cada etapa preparações necessárias valor e forma de pagamento contatos disponibilidade de horários de atendimento o que a cliente ganha


PARTE INVESTIGATIVA Análise subjetiva: No primeiro encontro com a cliente, repare se ela chegou de taxi, bike, a pé ou ônibus, a maneira como se expressa, a roupa que escolheu pro encontro, se ela anota tudo num caderno ou celular, a linguagem corporal e como ela se expressa. Percebemos o ambiente em que ela vive, se tem a família no porta-retrato, se a casa é colorida ou minimalista, se tem objetos de viagens, se está arrumada ou bagunçada, se mora sozinha ou acompanhada - tudo é pista para entendermos mais do universo da cliente!

aplicamos o questionário e passamos o moodboard


QUESTIONÁRIO • Serve para dar repertório à cliente, oportunidade de autoconhecimento e de fazê-la pensar sobre questões que até então estavam no piloto automático • Já prepara a cliente para o processo e quebra o gelo • Para obter informações objetivas e relevantes para a consultoria • É apenas uma pré-avaliação e não o guia definitivo - não dá pra se basear SÓ nas respostas dadas pelas clientes • Consultoria é terreno fértil para reviravoltas!


O QUE DEVE TER UM BOM QUESTIONÁRIO estilo de vida - sua rotina, horários, companhias, hobbies, idade, sua família sua percepção da própria aparência suas preferências e jeitos de usar estampas e cores o que presta atenção na hora das compras hábitos de consumo, relação com o dinheiro seu gosto pessoal e hábitos do vestir sua personalidade, objetivos, expectativas em relação à aparência e ao próprio trabalho de consultoria referências, prioridades, foco e motivações


ESCUTA ATIVA • Fazer contato com os olhos: é olhando nos olhos que as pessoas conseguem julgar se estamos realmente escutando. manter o contato visual com quem falamos ajuda a focar a atenção e a encorajar aquele que fala. • Movimentos afirmativos • Evite ações ou distrações, tipo olhar o relógio, mexer no lápis e papéis ou expressão de desinteresse ou entediado: SORRIA! • Evite interrompar a pessoa que fala. Deixe ela concluir o pensamento antes de responder • Não tente adivinhar o que ela quer dizer • Não falar ao mesmo tempo - não escutar o outro pra ter a chance de falar também • Ouvir com o <3 Tentar compreender para depois ser compreendida • Passamos a vida com a intenção de ouvir apenas para responder em vez de escutar com a intenção de compreender, sem julgamentos, genuinamente vazias para se abrir a novas possibilidades. Parte extraída do livro Fundamentos do Comportamento Organizacional de Stephen Robbins


REFERÊNCIAS VISUAIS • Vale pasta com páginas de revistas, murais no Pinterest, arquivos por e-mail, pen drive, Google Drive • O importante não é abastecer só com imagens de moda, já que referências de decoração, viagens, tatuagens, comida, música, cinema, arquitetura e artes também carregam informação valiosa de estilo. • A ideia é ampliar o repertório e não limitar • Devemos selecionar imagens que vão além do nosso gosto pessoal para ser mais familiar para a cliente


selecionar: 5 imagens “quem sou eu” 5 imagens “nunca seria” 5 imagens “gostaria de ser”


QUANDO SE DESCOBRE E SE APERFEIÇOA O ESTILO PESSOAL, VOCÊ: Aumenta o número de produções com o que tem e diminui o “eu não tenho roupa” Aprende a investir em itens que vai usar por muitas estações Diminui as compras por impulso e as roupas que nunca usou no armário Descobrir e aperfeiçoar o estilo pessoal é trabalho de tolerância, amor e de bom humor Cuidar mais do que se sente em frente ao espelho


A CONSTRUÇÃO DO ESTILO Coerência nas escolhas: de que adianta roupas lindas e incríveis se elas não saem do guarda-roupa? O equívoco é comprar roupa para a vida que sonha em ter e não a vida que vive! O maior desafio é juntar o que gosta + o que funciona pra vida + nossa personalidade = aumentar o repertório


OS 7 ESTILOS UNIVERSAIS Foram criados na década de 1980 pelas consultoras americanas Alyce Parsons e Diana Parente. A ideia era classificar personalidades em grupos de características clássicas, relacionadas a gêneros e temáticas, de modo que as pessoas pudessem se identificar com uma combinação de dois ou três estilos de acordo com sua personalidade e preferências. Essa teoria pode render direções pro trabalho de consultoria, mas também podem aprisionar. Somos muito mais que roupas, somos multifacetados e mudamos ao longo do tempo. O processo de identificação, definição e aperfeiçoamento do estilo pessoal demanda mais que esses estilos.


ESPORTIVO Quem segue esse estilo está ligada à praticidade, gosta de roupas de fácil manutenção e confortáveis. Se não se esforçar pode passar uma imagem de desleixo. Predomina em seu guarda-roupa: • peças funcionais, despojadas, confortáveis, duráveis • três a quatro cores no visual

• roupas com design esportivo • linhas retas, amplas

• roupas que não apertam • sapato de salto baixo • casual look

• acessórios simples

Personalidade comunicativa, casual, básica, ativa, saudável, juvenil, despreocupada, alegre


ELEGANTE A pessoa que segue esse estilo não é careta e não gosta de exageros. É impecável na aparência, não segue modismos e passa uma imagem refinada e chic. Investe em peças bonitas, duráveis e de qualidade. Predomina em seu guarda-roupa: • poucos detalhes

• estampas de motivos abstratos

• roupas com corte e caimento perfeitos

• maquiagem conservadora

• tecidos sofisticados

• grifes e combinações luxuosas no conjunto

• cores neutras e discretas

Personalidade

segura, formal, reservada, exigente, respeitada, confiável


TRADICIONAL As pessoas que o seguem passam uma imagem mais rígida e formal, são mais tradicionais em relação à imagem e não seguem a moda. É mais recatada no vestir, por isso é o visual relacionado ao ambiente profissional por ser mais maduro, passar confiabilidade, austeridade. A desvantagem é parecer estar sempre igual, monótona e formal demais para ambientes casuais. Predomina em seu guarda-roupa: • roupas fluidas que não modelem o corpo

• tecidos como lã, seda e jérsei

• colar e brinco de pérola

• make e cabelo discretos

• bijus discretas

• cores sólidas, estampas miúdas e discretas

• padrão clássico e estruturado

• usa de duas a três cores

• twin set clássico

Personalidade conservadora, séria, contida, sensata, confiável, idônea, profissional, organizada.


ROMÂNTICO A mulher romântica resgata a graça e feminilidade de outros tempos em suas roupas, tem aparência delicada. Predomina em seu guarda-roupa: • roupas com formato e textura delicada

• roupas e sapatos com linhas arredondadas

• itens com rendas, laços e fitas

• flores, faixas no cabelo

• cores leves, tons pastel, monoromáticas ou análogas

• estampas florais, texturas delicadas

Personalidade extremamente feminina, gentil, juvenil, fragiliada, delicada

• bijus delicadas e antigas • cabelos cacheados • vestidos fluidos • bolsas pequenas


SEXY As mulheres são carismáticas, exuberantes, atentas ao corpo e ao efeito que causam nos homens. nasceu para brilhar, gosta de fendas, decotes e tudo que evidencie suas curvas. Predomina em seu guarda-roupa: • tecidos que marcam

• make forte

• costas e barriga de fora

• fendas, decotes e linhas reveladoras

• cores ousadas

• comprimentos mini e roupas justas

• transparência e brilhos • animal print

• couro, salto alto, sandálias de tiras • brincos grandes, pulseiras mil

Personalidade confiante, corajosa, sensual, carismática, excitante, glamourosa, lacradora


CRIATIVO As criativas fazem das suas roupas uma expressão artística. Misturam estampas e cores com texturas, inovam, adaptam. Não se importam com o que os outros pensam, são anticonvencionais e mudam a cada dia de estilo. Predomina em seu guarda-roupa: • cores neon, muitas cores

• peças de brechó

• acessórios étnicos, de novos materiais

• peças que contam histórias

• mistura de materiais e design de peças • estampas grandes, coloridas e marcantes • DIY • peças feitas à mão

Personalidade inovadora, original, autoconfiante, criativa, exótica


DRAMÁTICO São mais arquitetônicas nas formas, um visual mais pesado, moderno e cosmopolita ao mesmo tempo que é sofisticada. Ela quer chamar a atenção sendo diferente de todos. Não se importa de usar uma roupa que disforme o corpo e nem que pinique. Esse tipo de imagem normalmente causa distanciamento. Predomina em seu guarda-roupa: • roupas estruturadas, formas assimétricas, dobraduras • cores fortes e alto contraste entre elas

• acessórios grandes, poderosos • sapatos diferentes

• tecidos de tramas fechadas

• estampas exageradas, geométricas ou abstratas

• golas exageradas

• sem estampas, visual clean

Personalidade distante, severa, contemporânea, segura, moderna, chic, sofisticada


EXERCÍCIO CRIE MURAIS COM OS ESTILOS PESQUISE LOJAS DE ROUPAS, SAPATOS E ACESSÓRIOS NACIONAIS (POUCAS GRINGAS) PARA CADA ESTILO


CRIATIVO Originalidade, independência e criatividade são características de quem é essencialmente criativo. O design das roupas mescla o clássico e o informal, com peças coloridas em tecidos diversificados e motivos extravagantes/originais. peças-chave mix de peças de todos os estilos, de padronagens, cores e texturas, detalhes diferenciados


DRAMÁTICO Ele também quer ser o centro das atenções no seu estilo que passa modernidade e ousadia. peças estruturadas contrastando com uma ou duas cores e/ou monocromático em tons escuros com tecidos lisos, opacos, acetinados. As estampas são de motivos abstratos e geométricos, tudo compondo com sua imagem urbana e cosmopolita.

peças-chave colarinho com pontas largas, calça preta, casaco de lã estruturado e/ou oversized, acessórios metalizados


ELEGANTE A mensagem é de um homem refinado, seguro e erudito. Aprecia peças com design clássico e formal impecáveis no corte e na qualidade. Sempre com poucos detalhes e em tecidos de fibras naturais, poucas texturas e estampas, em cores mais neutras e escuras como preto, marinho, chumbo e branco.

peças-chave camisas e ternos sob medida, malha de cashemere, casacos e jaquetas com caimento impecáveis


ESPORTIVO Comunicativo, prático, casual, básico, despretensioso e alegre são algumas das características desse homem. veste peças com design funcional, casual e confortáveis com cores em tons pastel, terrosos e neutros mesclados com cores vivas como azul, amarelo e verde. os tecidos são jeans, malha, sarja, etc. peças-chave t-shirts, camisas e calças jeans ou de sarja, sapatos com sola de borracha e relógios esportivos


ROMÂNTICO Gentileza e cavalheirismo fazem parte da personalidade desse homem. O design das roupas não são clássicos e tem tecidos fluidos e lisos. As cores são claras em monocromáticos e motivos tropicais (um quê praiano) ou florais.

peças-chave batas, calças soltas de linho ou algodão estilo pijama, chinelos e tricôs


SEXY Ele transmite uma mensagem de glamour, gosta de ser desejado e cultuado. As roupas são mais justas, evidenciando seu tipo físico, podendo ser de couro, jeans resinado e estampas em animal print.

peças-chave jeans justo, peças em couro, camisas modelagem fit com botões abertos, botas, cintos de fivela trabalhada e óculos escuros espelhados


TRADICIONAL Conservadorismo, organização e formalidade são as mensagens que os adeptos desse estilo passam. Reservado, expressa autoridade e respeito, veste roupas sob medidas, clássicos da moda, peças funcionais, com poucos detalhes e em cores neutras e claras.

peças-chave camisas com colarinho clássico, suéter com decote V, bermuda reta, sapato de couro com amarração


TIPOLOGIA FÍSICA FEMININA


INFORMAÇÕES TÉCNICAS Análises de tipo físico apenas direcionam o trabalho - não vale se apegar demais quando se trabalha com o corpo feminino, ideias e autoimagem. análise de tipo físico análise de coloração pessoal análise de formato de rosto e traços Somente esses resultados baseados nos conhecimentos técnicos já nos tornam consultoras e nos distanciam de achismos e das amigas conselheiras.


INFORMAÇÕES TÉCNICAS Aparência é o conjunto de coisas quando nos vemos no espelho. Ninguém só só “barriga, “peito”, “quadril”: somos uma série de coisas, umas que gostamos menos, outras mais, que trabalhamos disfarçando as que gostamos menos para valorizar as que amamos mais. Somos mais que aparência! Aparência é formada por: Estatura - é o tamanho da estrutura óssea, não só altura como largura Traços - sobrancelha, lábios, nariz, olhos formam as linhas no rotso - que são os traços e que podem ser mais angulares, retos, fortes ou mais delicados Formas - podem ser mais retas (angulares) ou arredondadas Autoimagem - o que a gente pensa sobre nosso próprio corpo e formas


INFORMAÇÕES TÉCNICAS • estatura - pequena, média, grande • altura - baixinha, média, alta • largura - abaixo do peso, proporcional, acima do peso • peso visual - na parte de baixo da silhueta, no meio do corpo, na parte de cima • ombros x quadril - ombros mais estreitos que quadril, proporcionais entre si, ombros mais largos • cintura - alta, proporcional, baixa • pernas x torso - pernas curtas, proporcionais, pernas longas • formas - mais arredondadas, mais angulares


COMO A CLIENTE SE SENTE EM RELAÇÃO AO SEU CORPO: seios bumbum pernas quadril braços barriga -

E devemos anotar os tamanhos que ela costuma usar (que podem não ser os mesmos durante o trabalho) tamanho parte de cima tamanho parte de baixo calce -


O MEDO DE ERRAR E A CONFUSÃO SOBRE OS CAMINHOS DO PROCESSO Não precisamos dar resposta na hora pra cliente nenhuma! Podemos anotar, tirar foto, refazer roteiros, tirar dúvidas em livros e internet A cliente não espera devolutiva na hora, ela não sabe o processo = podemos entregar os resultados depois, com mais segurança Não tem problema trocar ou ajustar detalhes e direções ao longo do processo - o desenvolvimento do trabalho pode revelar e complementar a informação, mostrar outro direcionamento para conduzir o processo. Podemos pedir uma pausa e propor uma nova análise, pra rever o processo e seguir o caminho. Sem melindres, sem receio de errar, tudo de forma natural e pro bem – A CLIENTE É PARTE DA EQUIPE!


NÃO FAZ PARTE DO TRABALHO APRISIONAR CLIENTE EM PODE, NÃO PODE E EVITE ELA TEM A INFORMAÇÃO E USA COMO QUISER – NOSSO PAPEL É DIRECIONAR PARA QUE SE ADEQUE À SUA IDENTIDADE VISUAL E TREINÁ-LA PARA QUE SAIBA BURLAR REGRAS


APERFEIÇOAMENTO DO ESTILO CRIATIVO acrescentar mais qualidade em acabamentos e tecidos; trazer mais elementos básicos e neutros ao guarda-roupa para dar liga a tantas cores e estampas

DRAMÁTICO o legal aqui é equilibrar o look com peças marcantes mas mais simples; evitar a junção de cores vibrantes com preto; não descuidar da qualidade e acabamento das roupas, já que elas atraem mais atenção

ROMÂNTICO equilibre o visual com peças de cores mais vivas e alfaiataria para transmitir mais força; preste atenção na qualidade e não apenas nos detalhes (principalmente em rendas!); escolha um ou outro tom mais neutro escuro para seu guarda-roupa

ESPORTIVO inclua peças mais maduras, ao menos uma na tríade jeans+camiseta+tênis, como uma camisa de botão ou uma calça de corte alfaiataria e até um blazer de bom corte sobre


a combinação; jeans de lavagem escura são mais elegantes e transitam em diversos ambientes; investir em boas bolsas para ajudar a estruturar o visual; cuidar para não usar peças que evidenciem desleixo

SEXY escolher peças que passem mais refinamento; o sexy pode estar presente em detalhes, como uma leve transparência; substituir as peças muito justas e coladas por aquelas que acompanhem o desenho do seu corpo, mais soltinhas; não exagerar tanto no make

ELEGANTE introduzir algumas coordenações de cores mais interessantes; corte de cabelo mais informal; arriscar em acessórios mais modernos

TRADICIONAL optar por novas e modernas modelagens, mais coordenações de cores nos looks podem ser entre neutros coloridos; incluir acessórios mais contemporâneos e corte de cabelo mais atual


TIPOLOGIA MASCULINA BAIXOS - ATÉ 1,75M riscos verticais/fileira de botões; looks monocromáticos; ombreiras discretas; blazers acinturados; padronagens de tamanho medianas; calça na cintura, bermudas dobradas acima dos joelhos. evitar calças volumosas, barra italiana, gravatas largas, calças de gavião baixo

ATLÉTICOS roupas que acompanham a silhueta sem serem muito justas; peças que harmonizem a parte inferior do corpo. evitar listras horizontais, roupas muito justas, estampas exageradas

ALTOS paletós mais compridos; ombros mais estruturados; calças que acompanhem a silhueta evitar gravatas muito finas, camisas de malha de listras verticais, calças curtas


SOBREPESO cores escuras; tecidos com elastano; corte reto nos paletós; terno cobrindo o quadril; calça de cor mais escura com cós na altura do umbigo evitar mangas largas, ombreiras, lapelas largas, paletós acinturados, coletes, listras horizontais largas, estampas chamativas, camsietas curtas e claras, malhas caneladas/texturas

BARRIGA PROEMINENTE cós da calça na altura do umbigo; camisas de cores mais escuras em relação à calça; tecidos mais pesados e de tecido plano evitar coletes, camisas justas e curtas, estamponas


TIPOLOGIA FEMININA - SILHUETAS Ampulheta ombros e quadris em harmonia, cintura bem definida, geralmente seios em tamanho médio, com coxa volumosa Triângulo invertido ombros largos, muito busto, quadril estreito, pernas mais finas Triângulo (pêra) quadril e coxas mais acentuadas do que os ombros, ombros estreitos, quadril largo, coxas volumosas Retângulo cintura não definida, harmonia entre medidas de ombro e quadril, poucas curvas Oval formas arredondadas, volume nos quadris, cintura e busto, com barriga proeminente


“OBJETIVOS” DE CADA TIPO FÍSICO Ampulheta Objetivo: minimizar as coxas, não evidenciar tanto bumbum ao marcar mais a cintura Triângulo invertido Objetivo: harmonizar o volume entre os ombros e o quadril Triângulo (pêra) Objetivo: harmonizar proporção entre quadril largo e coxa volumosa e ombros mais estreitos - chamar mais atenção pra parte de cima Retângulo Objetivo: acinturar, criar curvas Oval Objetivo: alongar a silhueta, valorizar colo e ombros


MANIPULAÇÃO DE ELEMENTOS VISUAIS Tradução de tudo que foi investigado em forma de roupas e acessórios; essa é a base do trabalho de consultoria Elementos visuais que retraem devem ser usados onde se tem mais ou onde o peso visual é maior Elementos visuais que avançam devem ser usados onde se tem menos ou onde o peso visual é menor


MANIPULAÇÃO DE ELEMENTOS VISUAIS RETRAEM VISUALMENTE

AVANÇAM VISUALMENTE

• cores escuras

• cores coloridas

• cores neutras

• cores claras

• cores opacas

• cores vivas e intensas

• superfícies lisas

• brilhos

• estampas sem contraste

• texturas

• estampas pouco espaçadas

• estampas contrastantes

• pouca informação visual

• estampas espaçadas ou grandes • bordados • amarrações

uma cor pode ser mais escura e clara também em situações de comparação ex: cinza pode ser claro em relação ao preto, mas escuro em relação ao bege


INFORMAÇÕES TÉCNICAS Podemos criar a ilusão de silhueta harmônica manipulando elementos de cada roupa: texturas, cores, formas, design, recortes, linhas (tudo que direciona o olhar pros lados, na diagonal ou na altura, como botões, zíperes, pregas, aberturas e recortes). Linhas verticais Podem afinar e alongar no sentido da altura: camisa fechada com botões, calças compridas, vestidos, lenços usados ao longo do torso Linhas horizontais Podem alargar e encurtar o que cobrem, direcionando o olhar pras bordas: cintos contrastantes, decote ombro a ombro Linhas diagonais Camuflam gordurinhas e deproporções: vestidos e blusas transpassadas, pareô, estampas com direção na diagonal


Linhas curvas e fluidas Podem arredondar e acrescentar formas: mangas bufantes, saia tulipa, calça cenoura Linhas retas e estruturadas Podem camuflar o que parece mais arredondado e criando uma sensação de nova silhueta, da forma da roupa sobre a forma do corpo: paletós com ombros marcados, calças com pernas retas, jaquetas acinturadas

Quem curte se vestir e experimentar coisas novas PRECISA manter em mente que todo mundo pode tudo, na medida em que quiser. Se tem restrição ou qualquer receio, o que vale é usar o raciocínio – e a criatividade!– pra manipular efeitos e vontades e então ser feliz em frente ao espelho


COXAS GROSSAS • desviar a atenção do joelho pra baixo, fugir de tudo que pode chamar muita atenção ou “cortar” visualmente essa região, tipo calças curtas, saias ou vestidos longuetes, mesmo calças que afunilam lá embaixo. • sapatos com tiras em volta do tornozelo, com gáspea alta, botinhas curtas e até o sapatos muito chamativos que ficam “apontando” pra essa região também não são tão legais. Saltos sempre ajudam, mas nunca os muito altos que acabam “jogando” o tornozelo pra frente. • tudo que for muito justo, com muito volume ou excesso de tecido não vai ajudar. Calças e saias podem ser mais soltinhas e o ideal é que tanto shorts quanto mini-saias não terminem bem na parte mais grossa da coxa. Detalhes

tipo bolsos ou lavagens de jeans que são mais claras nessa região também podem ser evitados. • tudo que a gente alonga a gente automaticamente afina. É aí que entra a tão amada coordenação monocromáticas de cores. Cintos, sapatos e meias em tons próximos aos da calça, bermuda ou saia já ajudam muito. • tudo que cria linhas verticais também, vale estampa, padronagem textura ou até a forma da peça. O lugar da cintura também é importante, porque cinturas mais altas dão a sensação de pernas mais longas.


PRA DISFARÇAR QUADRIL LARGO • chamar atenção pros ombros, pra equilibrar visualmente e criar a ilusão de silhueta super proporcional – vale usar mangas bufantes (mesmo que pouquinho), decotes horizontais (tipo canoa ou ombro a ombro) e até ombreiras (se for o caso). • tudo que chamar atenção mais pra parte de cima do que pra parte de baixo é legal, tipo usar blusas em cores claras e coloridas e calças (ou saias ou bermudas ou shorts) em cores neutras e escuras. • evitar detalhes na região do quadril, tipo bolsos, lavagens, bordados, texturas, etc, principalmente se criar linhas horizontais. • as linhas verticais (vincos, estampas, texturas) são excelentes! • tudo que chame atenção pro pulso – punhos detalhados ou volumosos, pulseiras, braceletes, relógios grandes ou chamativos – porque normalmente os braços ficam soltos ao longo do corpo e os pulsos ficam bem na região do quadril. • outro cuidado que se pode tomar é com as barras que afunilam, o ideal pra quem tem quadril largo é usar calças com bocas retas ou mais largas.


AMPULHETA • o ideal é usar roupas mais “limpas” pra não acrescentar volume no que já é volumoso por natureza. • a feminilidade está no caimento mais próximo ao corpo – nada deve ser justo demais nem largo demais – que acompanha a silhueta, na cintura marcada sempre (pensa que essa é a parte mais magrinha do corpo, então precisa ser destacada) • nos decotes que deixam o colo à mostra! Tops, cardingans e suéteres com decote V, camisas e paletozinhos acinturados, saias tipo lápis ou tulipa, vestidos de transpassar, blusas com detelhes ou volume nos ombros… tudo isso ajuda quem tem a cinturinha-de-pilão. • investir em materiais de ótima qualidade, dar preferência a tecidos planos. • uma terceira peça também sempre ajuda. • extremidades finas são sempre boas afinadoras de silhueta, tipo pesoço, pulso, tornozelo…pedaços mais magrinhos do corpo “enganam” o olho do outro, fazendo parecer que a gente é inteira mais fininha assim.


EMAGRECEDORES • tudo super largo ou super justo não ajuda • o caimento ideal pra não parecer maior é o que acompanha a silhueta, soltinho: assim o corpo parece acomodado com conforto na roupa e a gente tem sensação de ‘tamanho certo’. • não pode ser tão justo que fique grudado na pele (tipo com aparência de desconforto, de apertado) nem tão largo que não mostre formas (volume extra por conta de muito tecido). • looks monocromáticos: cores diferentes em tonalidades próximas ou cores iguais, mesmo em tonalidades diferentes, têm efeito alongador na silhueta – logo, emagrecedor também. CINTURA NO LUGAR OU UM POUQUINHO MAIS ALTA • a cintura mais alta cria aparência de perna mais longa, e por conta disso, de silhueta mais alongada (proporcionalmente!). • vale também pra barra de blusas e camisas: partes de cima muito longas fazem a perna parecer mais curta e acabam achatando (e alargando) a silhueta. O ossinho do quadril é uma boa medida pra altura dessas barras.


DETALHES NA VERTICAL - ALONGADORES/AFINADORES quaisquer detalhes na vertical chamam atenção pro centro do corpo e emagrecem visualmente. Tipo a fileira de botões da camisa ou do vestido chemise, estampas com direção em pé, tipo decotes em V, casaquinhos usados abertos, tipo lenços soltos ao longo do tronco. ACESSÓRIOS - CHAMAR ATENÇÃO PRA OUTRAS PARTES DO CORPO • o tamanho deles pode acompanhar o tamanho/estatura da cliente • acrescentar detalhes legais e pontos de cor perto do rosto só ajuda a desviar atenção da parte mais larga da silhueta. Super investimento enquanto aqueles quilinhos extra não são eliminados: brincos incríveis, colares, lenços, tiaras, broches e tudo mais que chamar atenção pro sorriso!


PERNAS CURTAS X TRONCO LARGO • blusas com barras mais curtas alongam as pernas • calças compridas, cobrindo o tornozelo, alongam • sapatos com gáspea baixa e/ou bico fino rendem sensação de perna mais longa • sapatos com tiras no tornozelo podem encurtar PESCOÇO CURTO X PESCOÇO LARGO • decotes verticais alongam • golas fechadas = sensação de percoço curto ou largo. para alongar, a altura deve ser considerada a partir da linha da saboneteira • colo à mostra = pescoço mais fino e alongado • colares longos sobre o colo são alongadores e gargantilhas dão efeito contrário PEITINHO X PEITÃO • decotes fechados, drapeados, volumes, recortes, estampas e texturas valorizam seios pequenos • decotes mais abertos e verticais, cores escuras e opacas, colo à mostra, poucos detalhes e tecidos lisos valorizam seios grandes


QUADRIL LARGO X BUMBUM GRANDE • salto alto/altinho alongam silhueta • detalhes, bolsos, estampas, drapeados, babados e texturas acrescem volume visualmente • pregas podem ser boas porque criam volume bom percebido a partir do tecido e não da silhueta • cores escuras e opacas, padroagens verticais e estampas sem tanto contraste ajudam a desviar a atenção BRAÇOS GROSSOS • terceiras peças podem cobrir • elásticos, punhos e amarrações não são legais • comprimento das mangas na altura dos braços podem enfatizá-los e deixá-los maiores • detalhes na vertical deixam silhueta alongada • looks monocromáticos são alongadores • linhas retas que desarredondam


CÍRCULO CROMÁTICO! Esse é o círculo cromático. Ele é seu amigo na hora de pensar coordenação de looks de acordo com o evento do dia e aliar isso a propostas mais criativas ou de diferentes impactos visuais!

Cores quentes (warm) refletem paixão, alegria, energia e entusiasmo! Cores frias (cool) dão a sensação de calma e tranquilidade.


TIPOS DE COMBINAÇÃO

Cores complementares são aquelas que estão diretamente opostas entre si no círculo cromático, sua combinação gera um alto contraste!

Cores análogas são aquelas localizadas de cada um dos lados de uma cor escolhida. Esquemas de cores análogas são frequentemente encontradas na natureza e se apresentam de forma harmoniosa e prazeirosa aos olhos. Elas normalmente combinam bem e criam um design sereno e confortável.

A combinação de cores em tríade usa o poder de três cores situadas a um ângulo de 120 graus entre si (assim como em um triângulo equilátero) no círculo cromático. A harmonia das cores em tríade é considerada por alguns como o melhor esquema de cores. Você pode usar uma cor como fundo (em acessórios, por ex.) e as outras duas mais destacadas.


CÍRCULO CROMÁTICO! Entendendo na prática as combinações de cores possíveis usando o círculo cromático, ó: Look em cores complementares

monocromáticos: look todo no mesmo tom ou na mesma família de tons - super alongadores de silhueta!

cors análogas e um vinho quase neutro pra coordenar com o laranjão!

Look com combinação em tríade

Look com combinação de cores análogas!


AS MENSAGENS DAS CORES • quanto mais cores num look, mais informal • quanto menos cores, mais formal • cores coloridas = mais expansivas, descontraídas, informais, animadas • cores neutras = mais discretas, mais elegantes, mais formais, mais contidas

• pouco ou médio contraste entre cores = inspira mais proximidade, mais abertura, mais leveza, mais doçura • muito contraste = mais distância, mais rigidez, mais assertividade, mais força

Pouco contraste entre cores: mais elegância

Look todo colorido: mais descontraído

ideias de tons neutros mais coloridos: verde musgo, vinho, tijolo, verde militar, mostarda, rato (hihihi), marinho, tons de marrom, como caramelo e camelo!


ANÁLISE CROMÁTICA O objetivo da análise de cores é perceber as melhores cores para a cliente e educá-la em relação às melhores cores para ela. O sentido é encontrar quais tonalidades específicas vão servir melhor de moldura para o quadro que é o seu rosto. :) As cores não tem que chamar mais atenção do que quem usa, mas coordenar com os tons que a gente já tem naturalmente. Suas cores acompanham, valorizam e harmonizam tudo que você é: cabelo, pele, olhos e personalidade!


ANÁLISE CROMÁTICA No início do século passado, o pintor suíço Johannes Itten percebeu que seus alunos repetiam suas cores pessoais em suas pinturas, o que o fez desenvolver uma teoria de que as cores das roupas de uma pessoa deveriam repetir e, assim, valorizar sua coloração. Partindo disso, vários métodos surgiram e o mais antigo e utilizado é o da estilista Suzzane Caygill, que organizou as cores em quatro grupos básicos, de acordo com as estações do ano: verão, outono, primavera e inverno. As pessoas podem usar quase todas as cores, desde que sua temperatura (quente ou fria), sua intensidade (brilhante ou opaca) e valores (clara ou escura), se integrem às cores de sua pele, olhos e cabelos. Duas pessoas podem ter pele, olhos e cabelos da mesma cor e ainda assim possuirem cartelas de cores diferentes. Por exemplo, uma pessoa com cabelos castanhos pode ter reflexos acinzentados enquanto a outra com o cabelo da mesma cor possui reflexos dourados. Reparar nesses detalhes é fundamental. É por isso também que, ao se expor ao sol, algumas pessoas ficam rosadas, enquanto outras ficam douradas. Mas como descobrir as cores que te favorecem?


QUAL O SEU TIPO DE PELE? 1 - Comece olhando as veias do seu pulso sob uma luz natural e diga qual é a coloração delas. A – Elas parecem azuladas B – Elas parecem esverdeadas 2 – Avalie a sua pele sob a luz natural (não faça esse teste em ambientes iluminados por lâmpadas fluorescentes. Elas alteram a cor natural). A - Ela é rosada B – Ela é Dourada


3– Agora avalie como você fica quando usa uma roupa branca e uma off - white (ou bege). Tente perceber com qual das duas cores você parece mais radiante, seu rosto fica mais iluminado e natural. A – Fico melhor com a roupa branca B – Fico melhor com a roupa off-white (ou bege) 4 – Pegue dois brincos: um dourado e um prateado. Coloque-os e se observe no espelho. Qual deles parece iluminar o seu rosto? Qual deles parece apagar o seu rosto? A – Com o prateado o meu rosto fica mais iluminado e até meus olhos parecem mais brilhantes B – Com o dourado o meu rosto fica mais iluminado e até meus olhos parecem mais brilhantes 5 – Você recebe mais elogios quando está vestindo algumas dessas cores: A – Rosas, lilases, azuis, roxos, vermelhos B – Verdes escuros, marrons, beges, dourados, amarelos, tons de terra 6 – Repare qual é o aspecto do seu rosto quando você usa uma roupa preta na parte de cima do corpo. A – Fico linda B – Fico meio apagada


RESULTADO Se vocês respondeu A em quase todas as perguntas é porque a sua pele é FRIA. Se você respondeu B na maioria das perguntas é porque sua pele é QUENTE.


Não é uma fórmula exata, mas antes de comprar você pode colocar a peça perto do rosto, esperar cerca de dois minutos para dar tempo da cor reagir com a pele, e olhar no espelho atentamente em um local com bastante luz. Veja se alguma manchinha que você tem está aparecendo mais, se a olheira pesa ou não. Se sim, é a cor errada Outra forma é perceber a coloração da sua própria pele. A pele quente sempre vai puxar mais para os vermelhos e rosados, e às vezes ela é também mais luminosa. A fria é uma pele mais fosca, que puxa para os marrons, uma cor que é conseguida através do azul. Se você é do grupo dos que possuem reflexos e tons de pele dourado, sua cartela de cores é predominantemente quente. Se você é do segundo grupo, sua cartela é fria. Se você ficar melhor com cores saturadas e intensas, no caso das cores frias, é porque sua cartela é a de inverno, com as cores puras e a única que possui o preto e o branco puríssimo. Se essas cores ficam muito fortes em você, é porque a cartela de verão, com tons mais claros e pastéis, é a sua. Se você faz parte das pessoas com tonalidades de pele quentes, deve descobrir se as cores fortes, como o laranja da cartela de outono, ficam melhor, ou se o pêssego e os tons pastéis da cartela da primavera são mais favoráveis. Provavelmente as cores de mais de uma cartela ficarão bem em você, a diferença é que uma ficará boa e a outra ficará perfeita. Mas vamos supor que “laranja está super na moda, fica péssimo em mim, mas eu faço questão de usar!”, use em acessórios ou na parte de baixo da roupa, por exemplo, que ficarão longe do rosto.


Diferentes tons de rosa. Taylor Swift vestindo rosa peachy. Naomi Watts vestindo rosa.

paleta em desarmonia

paleta em harmonia


ANÁLISE CROMÁTICA SAZONAL O método que utilizo em minhas clientes é a análise cromática sazonal expandida que determina os tons de cores certos para cada pessoa, baseado nas características das 4 estações do ano e na temperatura da pele (quente/fria/neutra) e valor (clara/escura). Todas as pessoas podem usar todas as cores, o que muda é o tom de cada cor, que muda de acordo com a pele (quente/fria/neutra). Uma pessoa do tipo inverno puro que é uma estação de cores intensas e puras, pode usar a cor cinza, desde que seja um cinza puro e não mesclado. É muito importante focar a atenção na tonalidade dos acessórios (colares, brincos, lenços e gravatas), camisas, casacos, blazers, coletes e maquiagem, pois as cores são relevantes do busto para cima, e quanto mais perto a cor estiver perto do rosto, mais impactante é seu efeito. As pessoas de cores quentes que possuem tonalidade dourada devem utilizar lápis e máscara de cílios em tons terrosos e dourados, blush e batom com tonalidades de rosa-pêssego, laranja, vermelho tomate e marrom dourado. Após a avaliação, a cliente recebe uma cartela de cores que vai facilitar a compra de roupas, acessórios e maquiagem. A ideia principal é a de que as cores “certas” irão iluminar o rosto, suavizar a textura da pele, equlibra traços e rugas, fazendo com que a pessoa pareça mais descansada e saudável.


Intuitivamente as pessoas já sentem o que não fica bem, mas a colorimetria é uma área bem especifica que contribui para escolher as cores ideais. Existem várias maneiras de encontrar a cartela certa, e uma delas é o método das 12 estações, que divide as quatro estações do ano em três: outono profundo, puro e suave, inverno profundo puro e intenso, primavera clara, intensa e pura e verão claro, suave e puro. Essa divisão existe porque a cor da pele também varia de acordo com o clima.


Pele inverno: Fria São frias e da categoria das amareladas, com fundo roxo. São opacas e pálidas, intensa, com aparência de cores puras e fortes. Se expostas ao sol ficam manchadas e dificilmente se bronzeiam. Cores puras, intensas e dramáticas que refletem sofisticação. Os olhos são geralmente escuros - pretos, castanhos, azul ou verde. O cabelo é naturalmente preto, castanho médio, escuro ou marrom-escuro. Cores Favoráveis: • as cores são vivas e fortes, caracterizadas pelo azul puro. • os vermelhos frios-carmim, vinho, magenta, pink intenso • todos os tons escuros de azul • todos os tons intensos de roxo • cinzas frios azulados, esverdeados e arroxeados • marrom-escuro e Frios ( café, chocolate ou jacarandá)


Pele verão: fria São frias, delicadas e rosadas. Têm um fundo azulado e, expostas ao sol, queimam com facilidade, sem se bronzear. A pele também é mais acinzentada, opaca e sutil. Cabelos: Geralmente variam do branco aloirado ao dourado ou acinzentado. Os que possuem cabelos escuros variam entre os tons marrom claro ao escuro, também com tons acinzentados. Olhos: Os olhos de verão não são tão demarcados quanto os de inverno e são suaves e cremosos. Geralmente azuis nebulosos, cinza azulados, ou cor de avelã com tonalidades verde azuladas. Embora não seja tão comum, podem ter olhos castanho claros ou castanho acinzentados. Cores Favoráveis: • vão bem com joias e acessórios prateados. • todos os tons de rosa • todos os tons de aul-claro • todos os tons de verde-claro • cinza-pérola • magenta • framboesa • cereja • azul-cinzento • marrom-rosado • amarelo-claro • ameixa


Pele outono: quente As pessoas do tipo outono não apresentam uma tez corada, tendendo a parecer um tanto quanto descorados e pálidos. Possuem, de maneira geral, uma pele dourada puxando para o amarelado. É viva, quente mas escura, terrosa, profunda, dourada, acobreada. Seus olhos são geralmente castanhos-escuros, verdes, castanhos, azuis acinzentados e cabelos naturalmente castanhos claros ou médios, ou muito escuro, quase preto. Cores Favoráveis: • os vermelhos quentes-vermelho primário, cádmio e vermelho-alaranjado • amarelo-dourado • amarelo-alaranjado-brilhante • bege-escuro • cinzas avermelhados:terra de siena, cor de tijolo, ferrugem • verde-musgo • bronze • marrom-claro-amarelo • azul-cizento (cor de jeans)


Pele primavera: quente São luminosas e quando expostas ao sol produz um bronzeado dourado, coloração quente, clara, brilhante, alegre. As pessoas do tipo primavera possuem uma pele rosada, mais para o avermelhado, com um aspecto saudável e vibrante. Geralmente em tons bege dourado, pêssego ou marfim. Cabelos: Geralmente claros, cor de linho e dourados, como também castanhos escuros com tonalidades douradas. Embora não tão comuns, é possível encontrar tipos primavera com cabelos pretos ou castanhos escuros. Olhos: A maioria possui olhos azuis ou verdes ou uma combinação destas duas cores. Azul turquesa, águamarinha ou cinza azulado. Sua tonalidade pode ser clara ou escura. De maneira menos comum, os olhos podem ser castanhos dourados, puxando para avelã, combinando o verde e dourado. Cores Favoráveis: • todos os tipos de de amarelo • verdes quentes; musgo; oliva; limão • marrons quentes amarelados; • todos os tons de bege • marrons quentes avermelhados; terra de siena queimada • pêssego • rosa-chá • coral • rosa-alaranjado • vermelho-alaranjado • azul-lavanda


As cartelas de cores das estações não são inventadas ao acaso: vem das cores da natureza de cada época do ano.

Os azuis e verdes frios do verão Cores quentes do outono

Os contrastes frios do inverno

O colorido da primavera e as cores quentes das flores recém desabrochadas, da grama nova, das árvores…


MÉTODO SAZONAL DE ANÁLISES DE CORES – 12 ESTAÇÕES A teoria sazonal considera que existem no universo 4 tipos de coloração pessoal e usa as estações da natureza como referência para separar esses grupos/cores. Durante muito tempo se trabalhou apenas com essa teoria, que considera a temperatura Primavera: pessoas com coloração pessoal quente, clara, brilhante, alegre e luminosa Verão: pessoas com colração fria, clara, classuda, acinzentada, opaca e sutil Outono: pessoas com coloração quente mas escura, profunda, terrosa, dourada, acobreada Inverno: gente de coloração fria e escura, intensa, com aparência de cores puras e fortes Ao invés de usar o sistema de teoria sazonal utilizado até agora, com as pessoas sendo somente quentes ou frias e se encaixando nas quatro estações tradicionais (primavera, verão, outono e inverno), o sistema dos 12 tons acredita que pelo menos 2/3 das pessoas não se encaixa nem em quente e nem em frio, ou seja, são NEUTRAS, ficando nos tons entre os quatro tons sazonais tradicionais. Estes tons intermediários não são influenciados somente pela temperatura, mas também pela intensidade/saturação e profundidade/valor das cores, ou seja, cores claras ou escuras e vivas ou opacas. Portanto, com este sistema, você pode ser somente quente e se encaixar na primavera ou no outono puros, pode ser somente frio e ser verão e inverno puros, e pode ser neutro como a maioria e ter mais 8 classificações onde você pode se encaixar, o que facilita imensurávelmente a análise de coloração pessoal, tornando esta mais precisa e fácil de ser reconhecida.


Temperatura - tons frios x tons quentes Tons frios são os que tem mais pigmento azul na sua mistura, como rosas, lilás e cinzas. Os tons quentes têm mais amarelo na sua composição, como laranjar, amarelos, marrons e verdes. Existem alguns truques: quem tem coloração fria, costuma ficar com a pele avermelhada quando pega sol; quem tem coloração quente costuma se bronzear com facilidade. Coloração fria pode se sentir amarelada/esverdeada quando usa tons quentes; quem tem coloração quente pode se sentir acinzentada quando usa tons frios demais.


Intensidades – tons vivos e intensos x tons suaves, opacos Tons intensos são os que têm maior saturação, muita intensidade de cor, superpigmentados, luminosos, que brilham. Tons suaves são mais calmos, opacos, com pigmento cinza na composição. Eles têm pouca saturação, são mais apagados, como se tivessem uma névoa sobre si. Quem tem coloração intensa brilha com cabelo, pele e olhos que parecem virar junto - por isso precisa de super pigmentos para acompanhar. Quem tem tonalidade opaca têm cabelo, pele e olhos em tons mais sutis e precisam de tonalidades apagadinhas para acompanhar. Quando usam tons vivos, as cores chegam antes delas mesmas!


Profundidade – tons profundos x tons delicados O que vale para identificar coloração profunda ou coloração delicada é o conjunto da obra. A aparência como um todo, incluindo a paleta formada por pele, cabelos, olhos e sobrancelhas – pode render um visual mais claro e delicado ou mais profundo e escuro. Exemplo bom é pensar em Juliana Paes mais escura e Paola Oliveira é mais clara.


Contraste pessoal Se a pessoa tem pele clara e cabelo superescuro, ela tem um alto contraste entre esses dois tons e fazer também alto contraste na hora de coordenar as cores que ela vai usar. Se a pessoa tem pele clara e cabelo não tão escuro ou se o cabelo é escuro e a pele não é tão clara, o contraste dela cai um pouco e fica quase médio, o que pode ser repetido na coordenação de cores nas roupas. contraste alto Se a pele e o cabelo são claros, o contraste é baixo: a pessoa vai ficar bonita se repetir esse baixo contraste nas roupas (tipo blusa liás e jaqueta creme). O mesmo vale para peles negras: pele escura e cabelo escuro, o contraste é baixo. Se a pele é negra e o cabelo é claro, temos mais contraste. E podemos inserir o branco dos olhos e do sorriso nesses contrastes! A sensação é que a roupa usada está super integrada à aparência, trabalhando junto e deixando a pessoa mais bonita ainda, acompanhando o contraste natural dela. Se alguém com baixo contraste escolhe usar tons supercontrastantes, parece que as roupas chegam antes da pessoa. Se alguém com alto contraste usa tons clarinhos demais, a coloração forte e viva dela não está sendo valorizada.

contraste baixo


ORDEM DA ANÁLISE: Primeiro se compara temperaturas (tons frios/tons quentes) Com o resultado, se compara com o neutro. Frio pode ser Verão puro ou Inverno puro. Quente pode ser Outono puro ou Primavera pura. Se o resultado final for NEUTRA, observar profundidade, intensidade e contraste da cliente, já levando em conta a personalidade e a ideia de moldura para o rosto. Coloração forte, rica, fechada, com médio ou alto contraste e mais profunda, escura, geralmente rende comparação entre OUTONO PROFUNDO e INVERNO PROFUNDO Coloração delicada e pálida, clara e calma mas colorida, com pouco contraste geralmente rende comparação entre panos PRIMAVERA CLARA e VERÃO CLARO Coloração suave, com baixo contraste, opaca e elegante pode render comparação entre OUTONO SUAVE e VERÃO SUAVE Coloração intensa, luminosa, animada, com contraste médio ou alto geralmente rende comparação entre INVERNO INTENSO e PRIMAVERA INTENSA Às vezes começamos comparando 4 grupos de tonalidades e vai afunilando as possibilidades através das próprias comparações.


GUARDA-ROUPA INTELIGENTE CUSTO x BENEFÍCIO Tem que ter bem em mente como é o seu estilo de vida, pra então investir no nosso estilo de vestir. Vale gastar mais com o que se usa mais, e gastar bem menos no que vai ser usado pouquinhas vezes. Vale passar a mão e sentir o tecido: o material é precioso? Vai durar ou resistir às lavagens? É gostoso ao toque ou é áspero? Costuras não podem ser tortas nem grosseiras, gola deve ficar no lugar, sapatos não podem ter cola aparecendo ou solados retorcidos. Tecidos naturais ou que tenham boa quantidade de naturais na composição (algodão, seda, linho, lã) duram mais, tem aspecto mais refinado e esquentam menos.


QUANTIDADE x QUALIDADE É mais inteligente ter uma quantidade razoável de peças boas – feitas em material de qualidade, com acabamento durável – do que ter montes de peças que com o tempo vão desbotar, descosturar, soltar botões, criar bolinhas no tecido, etc. Roupa em ótimo estado de manutenção é meio caminho andado pra se ter imagem elegante, mesmo com look informal. ATUALIZAÇÃO CONSTANTE (variedade x clássicos) Mesmo com um guarda-roupa coerente com o estilo de vida, é bom acrescentar pelo menos uma peça-bafo a cada estação (sim, a cada 6 meses) pra dar aquela atualizada no look Mesmo que essa peça dure só por uma temporada mesmo: vale jaquetinhas, vale uma sandália incrível, a bolsa do momento, uns lenços coloridos, um macacão… Uma peça que, coordenada com tudo que a gente já usa, faça a diferença - são essas as peças perfeitas pra se comprar em liquidas!


CONJUNTOS x VERSATILIDADE Se a gente tem muitos conjuntos no armário, é fácil ficar sempre presa às mesmas combinações e assim parecer sempre ter a mesma cara. Conjuntos descombinados com outras peças rendem mil combinações novas – vale a pena guardar os conjuntos separados para favorecer essa descombinação ACESSÓRIOS Acessórios são fundamentais e que, no fim, são o item mais barato e ao mesmo mais “modificador de looks” que a gente pode acrescentar ao guarda-roupa! Armário inteligente tem que ter acessórios poucos e de boa qualidade que façam a diferença.


Armário abarrotado não é sinônimo de repertório amplo = dá preguiça, confunde, não estimula a criatividade

O QUE FAZ UM BOM GUARDA-ROUPA

Ter só o que ama Comprar só o que gosta e/ou funciona de verdade


REGRA DA VERSATILIZAÇÃO 3X1 Cada peça que temos ou queremos comprar precisa render no mínimo 3 coordenações de looks diferentes entre si para merecer ir pro nosso armário


QUAL É O NÚMERO IDEAL DE ROUPAS QUE A GENTE PRECISA?

Uma proporção que usamos em consultoria é a de termos 5 partes de cima para uma parte de baixo que definimos quando uma peça entra ou tem que sair do armário.


2) 1 jaqueta jeans 3) 1 camiseta 4) 1 blusa de manga 5) 1 cardigan 6) 1 camisa de bot達o


Um número bom é o número de roupas que você usa!

QUAL É O NÚMERO IDEAL DE ROUPAS QUE A GENTE PRECISA?

Quando temos mais do que precisamos, acabamos com preguiça de pensar nas coordenações, não sabemos exatamente do que precisamos e repetimos por comodismo os mesmos looks = a sensação do eu não tenho roupa


REVITALIZANDO O GUARDA-ROUPA Proporção entre partes de cima x partes de baixo: Qual a cor predominante: O que ela gosta mais de usar: Mais tecidos naturais ou sintéticos: Mais tecidos planos ou malhas: Mais roupas para que atividade do dia (baladas, trabalho, hobbies): Mais roupas de inverno ou de verão: Como usa acessórios: Peças-chave ou com bom apelo: Quantidade ou qualidade:


APÊNDICE PARA A REVITALIZAÇÃO O que pode sair: • O que não serve mais para o corpo e para a vida da cliente. • O que foi usado à exaustão e está velhinho. • Cores que não estão na cartela sugeria para a cliente, especialmente na parte de cima. • Peças manchadas, furadas, desgastadas, mal conservadas. • Peças que a cliente nunca usa – podem ficar separadas para um possível aproveitamento durante a montagem de looks. • Peças que só dão certo com uma única outra peça do armário • Peças velhuscas que não são “vintage”.


O que pode ficar: • Peças com valor sentimental • Peças que alcancem pelo menos duas das três direções que são frente desse trabalho (cor, silhueta, estilo). • Peças que a cliente goste muito, mesmo que fora das direções. • Peças que geram dúvidas enquanto a gente está trabalhando na revitalização.

Organizar as peças em: • Pilhas do que sai (orientar sobre as lojas e sites que vendem peças usadas e como e onde doar). • Pilhas de conserto (costureira, sapateiro…) • Pilhas da limpeza • Pilhas da dúvida (para testar a versatilização 3x1 ou as que a cliente quer salvar)


Sapatos e bolsas • Bolsas sem uso há muito tempo e que não tem a ver com a identidade visual proposta devem sair • Bolsas de má qualidade ou mau estado de conservação = adeus! • Sapatos também: com salto detonado, furos, rasgos, que machucam, que nunca foram usados em anos, que não tem a ver com o estilo da cliente, de má qualidade e que não tem como consertar ou tingir, devem sair

Acessórios • Brincos, cintos, lenços, óculos escuros, colares, anéis e pulseiras também devem ser vistos. Os de má qualidade, sem possibilidade de conserto, que não tem a ver com o estilo da cliente e em repetição devem sair.


Versatilizando peças: 1x3 – toda peça de roupa que se tem no armário ou que se quer comprar tem que render pelo menos três looks diferentes (exercitar além das combinações com branco e preto). 1x5 – mais partes de cima do que partes de baixo; a proporção ideal serial 5 partes de cima para 1 parte de baixo (parte de cima: blusa, camisa, camiseta, bata, jaqueta, cardigan, casaco, tricô - parte de baixo: calça, short, saia, bermuda e vestido). 1x1 – cada peça que entra no armário, uma mais antiga pode sair; fórmula boa para manter o guarda-roupa conciso e atualizado.


ORGANIZAÇÃO FINANCEIRA

- Estabelecer um plano de negócios, segundo o Sebrae, são os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que eles sejam alcançados, diminuindo riscos e incertezas - permite identificar e restringir seus erros no papel, em vez de cometê-los no mercado. - Nosso serviço não é tangível - a cliente não perceber de cara os benefícios


ORGANIZAÇÃO FINANCEIRA Plano financeiro = quanto de dinheiro a gente pode gastar em relação ao quanto de dinheiro que queremos receber do próprio trabalho. Investimentos Capital de giro Custo fixo Custo variável

preço de venda


PESQUISA DE MERCADO Pesquisa de mercado serve para que cada profissional conheça melhor seu mercado, a atuação de colegas de profissão e os valores praticados. Que serviços estão sendo prestados? Quais as nomenclaturas usadas? É cobrado por hora ou por serviço? Como criar novas maneiras de prestar o serviço ou demanda por novos produtos? Observamos o atendimento, os preços, condições de pagamento, localização, serviços prestados, garantias oferecidas – Conhecendo o mercado a fundo podemos nos fortalecer e posicionar melhor nossos serviços –


Quanto se quer ganhar? Quanto nosso mercado cobra? Quanto nossas clientes est達o dispostas a pagar? Quanto custa pra gente disponibilizar essa entrega?


CÁLCULO DE VALOR DE SERVIÇO – valor total cobrado pela consultoria (ou por pacote) – etapas da consultoria: tempo de cada etapa incluindo horas de bastidores – número total de horas gastas – valor total dividido pelo número de horas demandadas = valor de hora


ESTRUTURA DOS PROJETOS O que é o projeto? Pra que cliente ele vai ser vendido? Como esse trabalho acontece? Quando? Quanto tempo dura? Quanto custa? Do que precisa pra acontecer? (divulgação, recursos extras, serviços) Quais os benefícios que esse trabalho traz? (pro cliente, pra marca, pro mercado)


DIVULGAÇÃO Anúncios no jornal do bairro Publieditoriais em blogs Lembretes pras clientes (mimos no dia do aniversário) Entrevistas na mídia Blogs, instagram, Facebook Colaborar para outros veículos Parcerias em eventos


DIVULGAÇÃO Nome Identidade visual Conteúdo – linguagem autoral Redes sociais Blog de conteúdo novo e relevante Newsletters (cuidado com spam!)


ÉTICA NO MERCADO A palavra “ética” vem do grego ethos e significa aquilo que pertence ao “bom costume”, “costume superior”, ou “portador de caráter”. Princípios universais, ações que acreditamos e não mudam independentemente do lugar onde estamos. Diferencia-se da moral, pois, enquanto esta se fundamenta na obediência a costumes e hábitos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar as ações morais exclusivamente pela razão.


TREINAMENTO DE LOOKS • Separar um número variado de partes de baixo, de acordo com a intenção dos looks • Geralmente selecionamos 10 partes de baixo ao todo e 2 ou 3 vestidos • A cada parte de baixo selecionamos 3 partes de cima diferentes e variadas • Pensamos em variações que rendam com as mesmas partes de baixo: –looks de frio e de calor – looks mais coloridos e mais neutros – looks estampados e lisos – looks mais formais e mais informais – looks de trabalho e de lazer


TREINAMENTO DE LOOKS As partes de cima são as responsáveis por essa variação de propósitos Escolhemos terceiras peças para incrementar o mais formal ou de frio Todas as partes de cima são colocadas sobre as partes de baixo Vestidos, macaquinho e macacão contam como parte de baixo: dá pra acrescentar colares, cintos, lenços, cardigã, jaquetas, bota/sandália, etc! Acessórios separamos uma boa quantidade e deixamos tudo perto: lenços, brincões, colares, bolsas e sapatos, tiaras, cintos, braceletes, broches...os miúdos não fazem tanta diferença.


TREINAMENTO DE LOOKS Parte mais valiosa do trabalho, não consiste apenas em visuais bonitinhos; é entrega técnica do que usamos para montar cada um desses looks Começa provando uma parte de baixo, partes de cima e acessorizar, deixar a cliente se ver no espelho, fotografar. Daí parte pra segunda parte de cima e por aí vai! Para cada look repassamos as informações técnicas, as coordenações que transmitem as mensagens que ela deseja, motivos desses materiais, caimentos, detalhes, etc Repassamos de que jeito e com que alterações este look pode servir de base pra outros, em que ocasiões ele pode ser usado Deixa tudo organizado depois em pilhas e vai guardando com calma :)


TREINAMENTO DE LOOKS A etapa pode depois se estender para: – looks de dresscode profissional específico; – looks para gravidez; – looks de viagem – looks para mudança de silhueta Quanto mais entregamos de treinamento, mais a cliente se empodera, se exercita e evolui


MISTURA DE ESTAMPAS estampas menores mais miúdas coordenadas com estampas maiores. Em comum: são mais gráficas

muitas peças que você tem no armário podem funcionar combinadas às listras. Estampas florais, barrocas e geométricas formam ótimas duplas com elas a dica para dosar as cores nesse mix é estipular uma paleta para as duas peças. O ideal é que a combinação tenha mais ou menos a mesma gama de cores, com pelo menos uma cor em comum na listra e na estampa.

Azul e verde é combinação análoga - mais harmoniosa - e cada estampa tem um ponto de cor em comum em cada peça

fundo neutro na camisa, estampas espaçadas e menores em harmonia com o fundo também neutro da oncinha


MISTURA DE ESTAMPAS Outro truque é apostar na dupla PB ou em cores neutras em uma das estampas

roxo como ponto de cor em comum!

mix de texturas também funcionam super bem!

tons que têm afinidade: neutros com neutros (bege com marrom, bordô com azul marinho), frios com frios (azul marinho com verde claro). estampas miúdas com graúdas e desenhos grandes, como estampa localizada de t-shirts

listras combinam com estampas gráficas, florais, barrocas praticamente tudo!


Senac curso consultoria