Page 1

junho de 2014 - JĂ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 1


Índice ::

“O

mais difícil é amar os outros sem lhes recear os ódios ou lhes exigir recompensas “ Fernando Namora, in O Homem Disfarçado

06

Sempre que releio esta frase viajo, quase instantaneamente, para uma lição dominical de catequese longínqua e penso que é nas coisas simples, como esta curta frase, que se encerra a nossa própria essência, a nossa maneira de estar no mundo. E é esta ideia de generosidade afetiva que me premeia em mais uma edição das comemorações do Dia do Agrupamento em geral, e do Dia do Patrono na escola secundária, em particular. Porque é que eu falo de generosidade? Porque o sarau deste dia 24 de abril foi construído a partir da generosidade de vários contributos provenientes de várias escolas e de vários ciclos de ensino do agrupamento. E, portanto, ao ver no sarau os contributos dos professores e dos alunos do 1º ciclo e do 2º ciclos, do ensino secundário, tanto regular como 2 Fala a Diretora profissional, e ao ver no hall de entrada os contributos generalizados da educação préescolar, creio que estamos no bom caminho, para que o nosso jovem agrupamento se 3 Reflexões de um Diretor de Turma transforme numa organização cada vez mais coesa onde o sentido da missão de educar seja Dia do Agrupamento - Dia do Patrono uma tónica constante. 4 Notícias e atividades Não queria deixar passar em claro mais uma feliz iniciativa das nossas educadoras que, Cerimónia de Imposição do Crachá - Curso TT tendo começado por pedir às crianças para desenhar Fernando Namora, depois para por Percurso Bairradino - uma proposta de Enoturismo 7 dias com os MEDIA capas novas nos seus livros, agora decidiram recriar a obra artística de um homem que, para Parlamento dos Jovens - Sessão Nacional além de ser médico e escritor, fez da pintura mais um banco de memórias. A verdade é que Visita do IAC à EB 1 quando não se sabe ler nem escrever, a imagem pode ser o primeiro contacto com um nome Mês da prevenção e maus tratos na Infância que recorrentemente ouvimos nas várias escolas do agrupamento. Vamos à Fernando 10 Desporto escolar Da Janela do meu quarto… Viagens na minha Terra Namora ouvir os sons do outono, vamos à Fernando Namora treinar os jogos matemáticos, Dia del libro vamos comemorar o dia da bruxas com o ATL da Fernando Namora…. 12 Fernando Namora - o nosso Patrono Da primeira vez que comemorámos o Dia do Patrono, e em que procurávamos “Saudavelmente … Namora”- 11ºA sensibilizar os alunos para a importância de uma conduta regrada nas atividades a dinamizar O dia do Patrono - JI turma C EB1 nesse dia, um deles perguntou à professora de matemática “mas ele vai lá estar?”… O dia do Patrono - 4ºB EB3 A casa museu Fernando Namora Gostaria de frisar que considero que o perfil profissional e literário de Fernando Namora Imagens da minha terra - trabalhos do pré-escolar se adequa na perfeição à missão educativa de uma escola que convictamente se diz pública. 16 Sarau; Dia do Patrono; Dia do Agrupamento Quem viu a série autobiográfica Retalhos da Vida de um Médico sabe que este médico 19 O mar longe da costa...começam as despedidas! serviu uma população bastante heterogénea quer social, quer culturalmente; por outro lado, 20 Produção de textos quem leu alguns livros de Fernando Namora sabe que o neorrealismo do escritor foge, como O sentido da Vida - 4º ano EB3 dizia Isabel Pires de Lima, por ocasião do aniversário do seu nascimento, da corrente 21 Na biblioteca acontece... Semana da Leitura: neorrealista pura porque não alimenta a revolta perante uma realidade social desfavorável, Mural de abril mas antes, nutre uma resiliência abnegada e uma perseverança esperançada na Visita do escritor João Manuel Ribeiro ultrapassagem das vicissitudes sociais. Também deste ideal se faz a escola pública. Para Rede de Bibliotecas de Condeixa Concurso de Poesia além dos rankings e da emulação académica induzida externamente, existe uma escola Dia do livro Infantil democrática que abre portas a todos os alunos e que reboca atrás de si um pelotão cada vez Dia do Livro e dos direitos de autor Encontro com a escritora Milú Loureiro maior: os que seguem para o mundo universitário, os que seguem para o mundo do trabalho, Concurso Soletrar - EB3 e os que seguem para o contexto social mais próximo. Que outras escolas fazem um Leitura em Vai e Vem - A leitura no pré-escolar Final do concurso de Leitura -“Ouvir ler…que prazer!” trabalho tão diversificado como o nosso? Só vejo outras escolas públicas e, ainda assim, 28 Diversões nem todas! 29 Saudades da minha escola, por Vélia Carvalho Neste Dia do Agrupamento são os alunos que brilham: a direção, os professores, os Sê como uma onda que morre para outra começar funcionários e mais indiretamente as famílias, são a equipa de bastidores, de apoio e 30 A força das palavras ,por Ana Paula Amaro suporte, que marca o rumo sempre que a bússola perde, por momentos, a precisão. É esta a Também não sei caminhos de cor nossa visão de escola, onde a autonomia se ensaia, se experimenta, se reformula, onde sai 31 Ainda não sabiam? Prémios DarK Skies Rangers 2014 enfim reforçada! O mais importante é saberem que por terem passado pelo Agrupamento de Se eu cair a culpa é tua Escolas de Condeixa e, particularmente, pela Fernando Namora, tiveram experiências singulares de aprendizagem que noutro local não teriam, e sentiremJunho de 2014 se orgulhosos por isso. Importante é sentirem-se parte integrante e indispensável da organização escolar. Direção do Jornal Importante é fazerem os mais novos sentirem-se bemAna Rita Amorim Isabel Neves vindos, fazer os mais pequenos sentirem-se em casa quando visitam as várias “casas” do agrupamento. Grafismo Gostaria muito que, um dia, este agrupamento viesse Ana Rita Amorim a chamar-se Agrupamento Fernando Namora! aec.jornal@aecondeixa.pt 2 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

Anabela Rodrigues de Lemos


::Reflexões de um Diretor de Turma orquestração e cânticos de Abril. Incentivados pela juventude, também professores e ex-professores, além de pessoas que viveram o 25 de Abril de 1974, quiseram

28 de abril 2014

relembrar em palco as suas memórias e vivências, quais

Mais um ano letivo, mais um Dia do Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova e, simultaneamente para a Escola-sede, Dia do Patrono, Fernando Namora, médico, escritor, pintor, que residiu em Condeixa na sua infância e juventude, tendo hoje a localidade uma Casa-Museu com o seu nome e, também, a escola secundária com o mesmo

nome.

jograis do passado. No dia 28 de abril, a escola-sede abriu mais uma vez as suas portas à comunidade e os que a ela se deslocaram puderam presenciar o dinamismo dos alunos que nesse dia serviram de cicerones nos laboratórios de Química e Biologia, na sala de Informática, na do Curso de Técnico Profissional de

Turismo, do Clube Europeu, dos Jogos da Matemática, na

No

primeiro

comemorado descerrado

ano

que

este um

dia,

painel

foi

exposição alusiva à censura sobre os meios de comunicação

foi

social na ditadura salazarista, na sala da Pintura Cerâmica,

de

etc. Os que ainda tinham fôlego

azulejos, que ainda hoje se

puderam experimentar os jogos das

pode ver à direita do portão do

edifício

contendo

da

a

escritor

e

imagem

do

nome

da

o

crianças dos tempos antigos, quando

escola,

ainda as consolas, os computadores, os telemóveis

muitos

vez,

nesse

alunos

e

habitantes

de

a

televisão

não

preenchiam por completo os dias de

instituição de ensino. Pela

primeira

e

todos nós. Quem resistiu ao cansaço,

ano,

ainda

outros

desfrutou

do

peddypaper,

“Saudavelmente… Namora”, que os

Condeixa

alunos do 11ºA proporcionaram aos

entraram na Casa-Museu e

colegas. De novo a Casa-Museu esteve

puderam apreciar o espólio

de portas abertas e recebeu os alunos do 9º ano e todos os

rico do escritor, doado pela família e alguns amigos, que esta contém. No ano seguinte, foi a vez de ser inaugurado o busto de Namora que, no jardim da escola, frente ao portão, recebe todos os dias os que por ele entram. Como diziam alguns alunos, ainda não familiarizados com a palavra patrono e seu

significado, aquele era o “patrão” da escola.

que, ainda que não sendo alunos, a quiseram visitar. Mais do que comemorar os 40 anos de Abril de 74, mais do que marcar outro Dia do Agrupamento, estes momentos serviram para mostrar, fora da escola e a todos aqueles que normalmente não a frequentam, aquilo que os alunos são capazes de fazer, quando os desafiam e incentivam, e que

Este ano, decidiu o Conselho Pedagógico associar o Dia do Agrupamento à comemoração dos quarenta anos da Revolução de Abril de 1974. Assim, na 5ªfeira, dia 24 e véspera do feriado, o já tradicional Sarau do Agrupamento, no Cineteatro dos Bombeiros da vila, encheu-se de pessoas, novas e menos novas, para assistir a diversas atuações de alunos do Agrupamento, que consistiram em peças de teatro, declamações de poemas, números de ginástica acrobática,

não se prende com uma disciplina curricular em concreto, mas com um processo de amadurecimento como pessoas autónomas e interventivas. Este ano serviu, também, para mostrar como a escola do antes e do pós 25 de Abril poucas semelhanças possui. Nem que seja só por este aspeto, valeu a pena!

Maria João Cura Mariano

(Coordenadora dos Diretores de Turma do Ensino Secundário)

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 3


NOTÍCIAS / ATIVIDADES:: Cerimónia de Imposição do Crachá do Curso de Técnico de Turismo Foi com grande agrado que estivemos presentes na biblioteca escolar Fernando Namora no dia 23 de abril, pelas 18 horas, para a cerimónia oficial da Imposição dos Crachás do nosso curso profissional de Técnico de Turismo. Aproveitámos a ocasião para expressar os primeiros agradecimentos aos professores que nos têm acompanhado desde Setembro com o seu trabalho árduo, dedicado e gratificante, possibilitandonos novos conhecimentos e novas experiências profissionalizantes. Igualmente foi-nos grato reconhecer o trabalho realizado pelo professor Fernando Palrilha, no curto período de tempo que connosco conviveu. Agradecemos também aos representantes dos pais pela disponibilidade que tiveram em nos ajudar a concretizar esta pequena cerimónia. Foi um dia muito importante que marcou o início oficial da nossa caminhada de preparação e estudo para o mundo do trabalho. Diogo Araújo, aluno do curso

A cerimónia, que decorreu no dia 23 de abril, implicou vários preparativos por parte dos alunos, ainda em interrupção letiva da Páscoa, com o empenho de todos. Foram dias de grande agitação para preparação de um momento, aguardado por todos nós. No dia da cerimónia, sentia-se alguma ansiedade mas, com grande alegria, entusiasmo e orgulho, uma vez que pela primeira vez nos apresentámos com o traje que representa o curso. A cerimónia decorreu de forma muito agradável, com a presença dos nossos pais e convidados, o que nos deixou a todos muito felizes. Foi um dia que nos motivou para o futuro. Ana Raquel Marques, aluna do curso

A preparação da Imposição de Crachás, que decorreu no dia 23 de abril, contou com a colaboração do corpo docente e não docente da escola, respetivos alunos, pais e encarregados de educação. Decorreu na biblioteca da escola. Iniciou-se com o discurso do Exmo. Senhor Diretor de Curso/ Turma, Professor Rui Damasceno Rato, Exmo. Senhor Subdiretor Miguel Carvalho da escola e Representantes de Pais e Encarregados de Educação na presença de pais, familiares e convidados. De seguida, os alunos surpreenderam todos os presentes com um filme de apresentação da turma e dos diferentes momentos vividos até à data. A terminar, procedeu-se a Imposição de Crachás seguida de uma oferta simbólica de um ramo de flores de cor verde (cor do curso) por parte dos Representantes de Pais. Para concluir a cerimónia, foi oferecida uma Escarpeada de Honra – lanche partilhado com o contributo de todos os pais, apresentando diferentes iguarias, no refeitório da escola, devidamente decorado para o efeito.

A cerimónia foi muito bonita, até comovente, e no convívio que se seguiu todos os presentes demonstraram uma grande satisfação, alegria, boa disposição.! Alexandra Duarte, Representante dos E. Ed. do curso

4 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


PERCURSO BAIRRADINO uma proposta de Enoturismo

:: NOTÍCIAS / ATIVIDADES

Como funcionário do Centro Educativo do Agrupamento de Escolas Fernando Namora e em simultâneo com outros colegas de serviço, tive a honra de ser convidado pelos Exmºs Senhores Professores, Anabela Lemos e Miguel Tremoço, a participar numa visita de estudo dos alunos do curso de turismo, à Região da Bairrada. Muito embora já conhecesse alguns locais do itinerário, não pude deixar de apreciar os lugares que visitámos, nomeadamente a estação ferroviária da Curia, primando pela sua antiguidade e interesse histórico; o ambiente africano criado pelas estátuas e máscaras patentes no museu Berardo, instalado nas Caves Aliança, onde também se encontra evidenciada, pela exposição ali existente, a riqueza das pedras preciosas. Deslocámo-nos ainda à Vila de Anadia, onde o Museu do Vinho conta toda a história das fases de transformação sofridas pela uva, até chegar àquela tão famosa e apreciada bebida. Pudemos ainda ver demonstrado como se fabrica o tipo de vinho espumante. Visitámos também o Palace Hotel da Curia, duma grande beleza pela sua exuberância e estilo arquitetónico. Finda esta descrição sintetizada da viagem de estudo em que participei, não posso deixar de salientar que me sinto muito mais rico de conhecimento, oferecido não só pelo que pudemos visitar e observar, mas principalmente pela grande sabedoria e conhecimento que nos foi transmitido pelo Exmº Sr. Professor Rui Rato. Não posso ainda deixar de aqui expressar os meus sinceros agradecimentos a quem me proporcionou esta oportunidade de enriquecimento e congratular todos os restantes participantes pelo ambiente familiar em que esta viagem decorreu. Alcides da Silva Cruz

No dia 5 de abril último, os alunos do curso profissional de Técnicos de Turismo, depois de a terem organizado, puseram em prática, a visita à zona Bairradina, intitulada “Percurso Bairradino – uma proposta de Enoturismo”. Além dos alunos e do diretor de turma/ curso, o professor Rui Rato, participaram na viagem alguns professores e funcionários do agrupamento. Acompanharam-nos igualmente dois distintos convidados. A diretora do nosso Agrupamento, Drª Anabela Lemos e o subdiretor, Professor Miguel Carvalho, o que muito nos agradou. Com a saída marcada para as 9h00, rumámos à Rota da Bairrada, associação que nos ajudou a concretizar a atividade. As suas instalações estão sediadas onde outrora funcionou a estação de comboios da Curia. Dirigimo-nos, de seguida, ao Hotel Palace da Curia e o grupo foi dividido em dois: um com professores e funcionários e outro com

Em especial, aos alunos do curso de turismo, dedico estas singelas quadras: Embarquei numa viagem Sonhei com porto seguro Ao afastar-me da margem Temi pelo meu futuro Estava longe de saber O que seria de mim Fui atrás do meu querer Segui nele até ao fim Foi duro mas lá cheguei Encontrei o que procuro A viagem que sonhei Chegou a porto seguro E quando tudo findou Diz o mestre à tripulação O curso não acabou Vai continuar a lição Condeixa a Nova, 20 de Maio de 2014 Alcides da Silva Cruz (Assistente Operacional)

alunos. O grupo dos alunos foi guiado pelos alunos João Acúrcio e Marta Lima e o grupo de professores foi guiado pelo professor Rui Rato. Almoçámos muito bem na Estalagem de Sangalhos e de seguida visitámos o Aliança Underground Museum, pertencente a Joe Berardo, um dos maiores colecionadores de arte do mundo. O Aliança Underground Museum é um espaço expositivo, que se desenvolve ao longo das tradicionais caves da Aliança Vinhos de Portugal. É constituído por oito coleções distintas, versando a arqueologia, etnografia, mineralogia, paleontologia, azulejaria, cerâmica e estanharia, abrangendo uma impressionante extensão temporal com milhões de anos. A visita acabou com uma paragem no João dos Leitões, onde comemos umas muito apetecidas sandes de leitão e onde a nossa Diretora nos ofereceu um bolo em comemoração do sucesso desta viagem. Este dia foi muito proveitoso para todos nós, alunos do Curso, pois permitiu-nos começar a perceber a importância da organização e planificação duma Visita de Estudo e do dia-a-dia do trabalho de um profissional de turismo. Aprendemos e divertirmo-nos. Foi um sábado muito bem passado. Catarina Rodrigues, aluna do 10º ano do Curso TT

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 5


NOTÍCIAS / ATIVIDADES:: O desafio, colocado à biblioteca escolar foi o de envolver cada vez mais a comunidade escolar na discussão e entendimento do papel dos Media na vida atual, assim como a sensibilização para o papel e lugar que os Media tradicionais e de nova geração ocupam no quotidiano de todos nós.

A importância e a evolução dos meios de comunicação

O questionário foi aplicado a um grupo aleatório de 40 frequentadores (alunos, professores e funcionários) da biblioteca escolar Fernando Namora.

Que tipos de MEDIA usas diariamente? Jornais

TV

Internet

Rádio

10

33

39

25

Smart phone 22

Todos MEDIA

4

O que farias se não pudesses usar/ter acesso aos MEDIA durante uma semana? Não sei / Não faço a menor ideia. Estudava mais e saia mais de casa. O que faço normalmente. Teria de me habituar. Vivia à mesma mas com mais dificuldades como é óbvio. Era indiferente! Nada.

Os MEDIA são importantes para ti? Porquê? (5 respostas negativas e 35 repostas positivas) Não porque não ligo muito a isso. Sim mas não sou dependente.

Os meios de comunicação dividem-se em comunicação social: imprensa, televisão, rádio e internet e comunicação pessoal: cartas, telefone, telemóvel, telefax, telegrama e internet (e-mail). Desde sempre o Homem teve necessidade de comunicar. Começou-se por utilizar gestos e sons. Mais tarde, os homens primitivos passaram a fazer desenhos nas suas grutas (pinturas rupestres). Com a invenção da escrita o Homem passou a escrever em vários materiais (ossos, pedras, madeira, …). Os egípcios, posteriormente, começaram a escrever em folhas de plantas, os papiros. Mais tarde surge o papel, mas foi a eletricidade que veio revolucionar os meios de comunicação. Em 1844 faz-se a primeira demonstração do telégrafo (Samuel Morse). Em 1876 surge o telefone inventado por Alexander Bell, que tem vindo a evoluir ao longo destes anos. Hoje, temos o telemóvel que, pela sua mobilidade, veio facilitar a vida das pessoas. Em 1896, G. Marconi descobriu como transmitir mensagens orais sem usar fios e assim surge a rádio. A televisão surge na década de 20 e é o mais significativo meio de comunicação dos nossos dias. Porém, atualmente são os computadores que têm uma função muito importante na comunicação. Vantagens: Os meios de comunicação e o acesso à internet permitem saber as notícias de todo o mundo; permite enviar e receber mensagens através das redes sociais e do correio eletrónico (e-mail), o que permite maior facilidade no trabalho das pessoas. Desvantagens: O abuso da internet pode causar isolamento e falta de diálogo, muitas pessoas preferem a internet a passear ao ar livre; criamse hábitos de vida solitários e pouco saudáveis; criam-se situações complicadas na vida de certas pessoas que não sabem usar a internet. Os meios de comunicação tiveram uma grande evolução que facilitou a comunicação, principalmente a longas distâncias, mas há necessidade de se estar atento aos perigos da internet.

Sim porque sim.

Texto coletivo – 3º A EBN1 de Condeixa

Sim devido a ser a evolução da população e do país e por já estar habituado/a às tecnologias.

São e muito, porque são um meio de chegar às informações, para comunicar, para divertir e para ensinar. Trabalho desenvolvido pela equipa da BEFN

6 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


:: NOTÍCIAS / ATIVIDADES

Sessão Nacional

Mais um ano de participação no projeto Parlamento dos jovens, chega ao fim. Este foi muito especial! Os nossos alunos foram, pela primeira vez, apurados para a sessão nacional. Os nossos deputados, Andreia Sousa e Miguel Carvalho, demonstraram um grande empenho ao longo de todo o projeto. Na sessão nacional, defenderam as suas ideias, deram as suas opiniões, com grande capacidade critica e interventiva. Marcaram a diferença! É de referir também o excelente trabalho desenvolvido pelo nosso aluno jornalista, que nos acompanhou na sessão nacional, Philippe Simões. Todo o trabalho e dedicação dos alunos neste projeto é, para mim, enquanto coordenadora do mesmo, motivo de grande orgulho. Parabéns a todos os que participaram. Para o próximo haverá mais! A coordenadora Sónia Vidal

No passado dia cinco de maio, juntamente com os deputados eleitos do círculo de Coimbra, partimos de autocarro para Lisboa, para a sessão nacional do Parlamento Jovens. A viagem foi muito interessante, pois conhecemos deputados de outros distritos como do Porto e Viseu. Quando chegámos, fomos almoçar no parque da Assembleia da República. Assim que acabámos de almoçar entrámos na Assembleia e foi-nos dada uma pasta que continha: um lápis, dois cadernos em branco, dois livros relativos à sessão nacional e um jogo. Eu e a deputada Andreia Sousa, minha colega do 8º B, fomos para a sala da nossa comissão, onde passámos a tarde, a debater ideias, escolher medidas e propor perguntas para colocar aos deputados da Assembleia de República na sessão do plenário do dia seguinte. Quando saímos, fomos conduzidos ao refeitório onde lanchámos. Após o lanche dirigiram-nos à sala de senado onde ouvimos uma demonstração musical levada a cabo por uma turma do oitavo ano da Escola Básica de Rio Tinto Nº.2. Depois da demonstração musical fomos jantar no refeitório da Assembleia da República. Quando anoiteceu, fomos para o hotel, mas o dia ainda não acabou, pois ainda passeámos pelo hotel e fomos conviver com deputados de outras escolas. No entanto não nos podíamos distrair com as horas, pois, no dia seguinte, tínhamos de nos levantar às 7 da manhã. Quando acordámos, no dia seguinte, fomos tomar o pequeno-almoço no restaurante do hotel. Voltámos para a Assembleia da República, onde passámos o dia na sala do senado na sessão plenária. Numa fase inicial, colocámos as perguntas aos deputados da Assembleia da República. Depois expusemos e debatemos as medidas, e a seguir, escolhemos as medidas que seriam colocadas na Recomendação. Quando tudo acabou, voltámos para os autocarros que nos levaram de volta a casa. Na minha opinião, foi uma experiência bastante enriquecedora, pois fiz imensos amigos novos e aprendi mais sobre como funciona a nossa Assembleia da República. Para o ano há mais...participem nestas atividades! Miguel Carvalho - 9ºC

Para mim estes dias foram bastante educativos. Enquanto alguns alunos viveram a vida dos verdadeiros deputados, eu, por outro lado, entrei na pele de um verdadeiro jornalista. Foram dias muito divertidos, onde acima de tudo, conhecemos novas pessoas e fizemos novas amizades. Por todas estas razões atrevo-me a afirmar que gostaria de repetir esta experiência. Vale a pena participar no Parlamento dos Jovens! Phillipe Simões, 9ºC junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 7


NOTÍCIAS / ATIVIDADES::

Vinda do IAC à EBNº1 de Condeixa No dia 12 de Maio os alunos do 3ºano da EBNº1 tiveram a presença da Dr.ª Cristina Barros e da Dr.ª Margarida Vicente do IAC (Instituto de Apoio à Criança) para falarem sobre os Direitos da Criança. Foi feita uma abordagem geral sobre o que é o Instituto de Apoio à Criança, desde quando e onde existe e qual a função das pessoas que lá trabalham. Os alunos visualizaram um PowerPoint com imagens relativas aos 10 Artigos, que foram lidos e explicados por alguns deles com a ajuda de imagens e sob a orientação das palestrantes. Em todo o mundo, há crianças que são vítimas de maus tratos, há crianças que vivem sem condições, outras que nascem no meio da guerra, outras que não sabem o que é ir à escola, outras ainda são vítimas de discriminação e de racismo. No âmbito deste tema, foi apresentada uma história audiovisual, “Os ovos misteriosos “, que, apesar de já ser conhecida por todos, é muito especial pela mensagem que procura transmitir sobre as diferenças: “Todos diferentes, todos iguais”. Foram apresentados dois vídeos, um com jogos

cantados sobre os Direitos da Criança, muito interessante, e outro com uma música legendada e cantada por vários cantores portugueses “O melhor do Mundo” e entoada por todos. Os alunos foram convidados a desenhar e a pintar livremente sobre cada artigo. Os desenhos serviram para a construção de um painel sob os Direitos da Criança, mostrando a criatividade de cada um. Após esta atividade, foi feita uma pequena reflexão sobre o tema. Cada aluno escreveu, num balão, uma palavra relacionada com os Direitos da Criança: Paz, Família, Amor, Compreensão, Solidariedade, Carinho, Felicidade… O aglomerado de balões foi colocado no interior da nossa escola para que todos se lembrem que as crianças têm direitos, apesar de se saber que também têm deveres como qualquer outro cidadão. Ao colorido dos balões juntou-se a alegria de todos. 3º A- EB1

Obs. O IAC (Instituto de Apoio à Criança) existe desde 1983, em Lisboa, Coimbra e Açores. As pessoas que trabalham no IAC preocupam-se com as Crianças e a Defesa dos seus Direitos. Foi em 1959 que se fez a Declaração Universal dos Direitos da Criança. A Convenção sobre os Direitos da Criança – Carta Magna para as crianças de todo o mundo – foi adotada pela Assembleia Geral nas Nações Unidas a 20 de Novembro de 1989, e no ano seguinte, o documento foi oficializado como lei internacional.

Laço azul EB1 Balões no Campo

No Dia do Patrono, a nossa escola construiu um enorme e bonito Laço Humano Azul, vestindo camisolas azuis, em homenagem a todas as crianças e para lembrar que todas têm direito a uma Família, Amor, Proteção, Educação, Saúde, … “O sol tem luz que chegue para todos nós” 3º A EBNº1

8 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

Laço azul EB3 Balões na Praça


:: NOTÍCIAS / ATIVIDADES EB nº2

JI Bairro do Ciclo

EB nº1

EB1 Belide

O Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância foi assinalado com a colocação simbólica de um laço azul gigante - construído em material reciclado pelos alunos e docentes - na entrada de cada estabelecimento de ensino do nosso Agrupamento. JI S. Fipo

JI Avenal

JI Sebal

JI Ega ESFN

EB nº3

EBI Sebal

Os alunos do 3ºB da EB nº3 falaram de

MAUS TRATOS NA INFÂNCIA e concluíram que:

Ana Catarina- Os pais têm que tratar melhor os seus filhos e não andar à pancada! Ana Rita- As crianças têm direito a ser amadas e respeitadas. André- Não podemos bater às crianças, para que elas tenham uma vida melhor. Beatriz Pereira- Não podemos pôr as crianças num avião para irem para outro país. Beatriz Facas- Temos que dizer não à violência para com as crianças. Bianca- Há crianças que não têm sonho, nem maus nem bons, são impedidas de sonhar. Diana- As pessoas não devem andar à porrada às crianças e devem ser todas amigas. Duarte- Não negligenciem as crianças. Guilherme-Não devemos bater às crianças para que elas tenham um bom carater. Henrique- As crianças valem ouro. João Pedro- Violência não é educação.

José Manuel- Os pais batem muito. José Pedro- As crianças são o melhor do Mundo. Mas existem pessoas que se esquecem, quando as maltratam. Lara- Não bater, nem dizer asneiras às crianças. Laura Alexandra- Não maltratem as crianças, pois elas são o futuro do Planeta. Laura Henriques- Não devemos tratar mal as crianças porque elas são frágeis e precisam de proteção. Marco- Os pais não podem humilhar as crianças. Maria- Não se deve bater nas crianças, porque elas têm direito a tudo. Pedro- As crianças têm direito a aprender e a ter condições para estudar. Rafael- Os pais não devem pôr os seus filhos na rua, porque eles podem morrer. Rodrigo António- Os maus tratos infantis têm que ser impedidos para as crianças viverem melhor. Rodrigo Tomás- Maus tratos infantis não é só bater às crianças. Tomás - A violência só pode ser vencida a partir da mudança do coração humano. Profª Célia Galvão

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 9


DESPORTO ESCOLAR::

Encontro de Futsal do escalão Infantil B masculino O Pavilhão Municipal de Condeixa-a-Nova foi o palco para a realização do 4º encontro da série C, da modalidade de Futsal Infantil B masculino do Desporto Escolar. Este encontro realizou-se no dia 30 de abril e estiveram representados os seguintes estabelecimentos de ensino: Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova, Escola Básica Dr. Carlos de Oliveira (Febres) e Escola Básica Rainha Santa Isabel (Pedrulha). Dos dois jogos realizados, os alunos do nosso agrupamento averbaram uma vitória e uma derrota. Com este resultado, o Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova alcançou o 3º lugar na série. Em termos de balanço final, há a registar o empenho, entrega e fair play dos nossos alunos ao longo de toda a fase de competição e de treinos. Obrigado a todos os alunos do grupo equipa de futsal.

Resultados do 4º encontro, série C: Jogo 1 – Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova – 7 / Escola Básica Dr. Carlos de Oliveira (Febres) – 3 Jogo 2 – Escola Básica Dr. Carlos de Oliveira (Febres) – 0 / Escola Básica Rainha Santa Isabel (Pedrulha) – 13

Classificação Final

Jogo 3 – Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova – / Escola Básica Rainha Santa Isabel (Pedrulha) – 4

Basquetebol Decorreu no dia 14 de maio na Escola Básica nº 2 de Condeixa-aNova, a fase final distrital de Basquetebol, do escalão de iniciadas femininas. A competição contou com a presença de 4 estabelecimentos de ensino, a saber: Agrupamento de Escolas de Condeixa-aNova, Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho, Escola Básica João de Barros e Escola Básica da Ponte das Três Entradas, num total de 55 alunos e professores. A Escola Básica João de

Ténis de Mesa Decorridas as Fases Local e Distrital, a nossa atleta de ténis de mesa, Catarina Portugal, representou o nosso Agrupamento de Escolas no Campeonato Regional que se realizou em Viseu, nos dias 25 e 26 Barros da Figueira da Foz foi a grande de abril. Os nossos parabéns à vencedora, levando a melhor, na final, à Catarina. equipa da casa. Assim, as nossas Os alunos Filipe Santos, Diogo meninas sagraram-se vice-campeãs Santos, Heitor Rosa, Tiago Pessoa, Laura Ribeiro e Raquel Mendes distritais. Parabéns! participaram no III Grande Torneio de Ténis de Mesa, em Condeixa-aNova, promovido pela Câmara Jogo 1: Agr. de Escolas de Condeixa-a-Nova – Municipal. Esta iniciativa realizou-se 44 pontos/ Agr. de Escolas de Montemor-ono dia 31 de maio. Velho – 13 pontos Professora Susana Guerra Jogo 2: Escola Básica da Ponte das Três Entradas – 10 pontos/ Escola Básica João de Barros – 108 pontos Jogo 3: E. B da Ponte das Três Entradas – 14 pontos/ Agr. de Escolas de Montemor-oVelho – 10 pontos Jogo 4: Agr. de Escolas de Condeixa-a-Nova – 27 pontos/ Escola Básica João de Barros – 41 pontos

Resultados dos jogos:

Professor Mário Teixeira

10 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


Da janela do meu quarto...… ...viagens na minha terra! Este projeto teve início com o resultado do inquérito para sabermos qual era o país onde os alunos da Turma A tinham mais familiares. Ficámos a saber através do gráfico circular que era a França. Deste país falámos de alguns monumentos, mas o que mais lhes agradou foi a Torre Eiffel. As linhas por ela constituída formam tramas de linhas verticais, horizontais e oblíquas que conjugadas podem ser obras de arte, monumentos ou artigos de uso comum. As linhas podem ser infinitas e finitas e, neste projeto, as linhas prolongaram-se até Portugal pelo projetista da Torre Eiffel, Gustavo Eiffel, até à ponte Dom Luís, no Porto. Para chegarmos a Portugal, o nosso objetivo final, fizemos uma paragem por Espanha em terras de Andaluzia e explorámos um pouco da música e do traje de sevilhana, Criámos um vestido com diversos padrões.

O galo de Barcelos é, sem qualquer dúvida, um dos símbolos mais representativos de Portugal, símbolo de identidade e nacionalidade, podendo ser considerado uma espécie de mascote do país. Para saber mais explorámos a : "Lenda do Galo de Barcelos" .Fizemos bandas-desenhadas, em grupos, sobre a lenda e cada criança criou o seu próprio galo de Barcelos. Através da dramatização, pudemos brincar com a lenda.

::NOTÍCIAS / ATIVIDADES Pelas estradas de Portugal e pela rota da cerâmica chegámos a Condeixa, Vila de fantásticas paisagens, de recordações vencidas, de serenos dias. Visitámos a fábrica “Estrela de Conímbriga” para vermos como realmente se faz a louça.

Tendo por base os motivos da louça da Coimbra e Condeixa, criámos a nossa própria decoração num azulejo e com massa de modelar construímos algumas peças de louça. Experimentar, manipular sensações e padrões que nos sugerem a louça de Coimbra e Condeixa é reviver a cultura do povo e com a ajuda vinda de casa, selecionámos “As Lendas”, “Os ofícios tradicionais “ e a “Doçaria” da nossa região. Quando o povo pretende explicar, muitas vezes, basta imaginar dois irmãos ferreiros “Melo e Jerumelo”. Numa era de computadores e robôs é preciso não deixar esquecer os ofícios tradicionais “O cabouqueiro de mós, o sapateiro, a tecedeira e o alfaiate”.

Ao nível da doçaria, a escarpeada — confecionada no forno, à base de massa de pão, açúcar amarelo, azeite e canela — é a iguaria típica, é o doce tradicional de Condeixa, com origem na idade média...Uma delícia! Na confeção da escarpeada, as crianças mexeram, amassaram, provaram e sentiram, desenvolvendo as emoções e os sentidos. E porque Condeixa é o sítio onde moramos, lugar onde fica a nossa casa, a dualidade entre o campo e a cidade, ou a marca da passagem do tempo impresso no desenvolvimento da árvore que está à frente da janela da sala de aula, permite-nos viajar, quer através da imaginação, quer daquilo que já sabemos e conhecemos. Susana Figueiredo (Estagiária de Mestrado em Educação Pré-escolar) Fernanda Raposo (Professora /Educadora cooperante) Alunos do JI da Turma A da EB nº3 junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 11


Fernando Namora - o nosso Patrono::

Saudavelmente…

Namora día del libro No dia 23 de abril celebra-se o Dia Internacional do Livro, em homenagem a três grandes escritores: William Shakespeare, Garcilaso de la Vega e Miguel de Cervantes. Trata-se de uma comemoração internacional com o objetivo de fomentar a leitura e promover os direitos de autor. Como o objetivo de motivar para a leitura, o Núcleo de Estágio de Espanhol, com a colaboração das Bibliotecas Escolares da Escola Secundária Fernando Namora e da Escola Básica nº 2, uniu-se a esta celebração da cultura e do livro, e convidou a Professora Doutora Maria da Graça Sardinha, da Universidade da Beira Interior, para proferir uma palestra alusiva ao tema “A literatura infantojuvenil e a competência sociocultural: o caso do Português e do Espanhol”. Assistiram a esta palestra os alunos de duas turmas do 9º Ano que, assim, tiveram a oportunidade de testemunhar um discurso contagiante sobre o quão importante são os livros para a nossa vida e para o nosso crescimento a todos os níveis. Concomitantemente, foram afixados vários cartazes pela escola alusivos ao Dia do Livro e aos autores que se celebram neste dia, tendo o Núcleo de Estágio destacado a importância de Miguel de Cervantes, romancista, dramaturgo e poeta castelhano, cuja obra-prima, Dom Quixote, é considerada um clássico da literatura ocidental. Por outro lado, a sua influência sobre a língua castelhana tem sido de tal modo significativa que o castelhano é frequentemente chamado a língua de Cervantes. o Núcleo de Estágio de Espanhol

Atividade do 11ºA no dia do Patrono Como todos sabem, no passado dia 28 de abril celebrou-se mais um “Dia do Agrupamento”. Um dia conhecido na nossa escola por “Dia do Patrono” em que homenageamos a vida e obra do nosso patrono escolar, Fernando Namora. Todos os anos são dinamizadas atividades que substituem o horário normal de aulas, por alunos, professores, funcionários da escola e convidados, o que, diga-se de

passagem, é uma boa pausa das aulas teóricas que suportamos todos os dias no decorrer do ano letivo. Este ano chegou a vez da turma 11ºA contribuir para que todos nós pudessemos usufruir desta bendita pausa. Foi-nos proposto, pela professora Maria João Mariano, a dinamização de uma atividade, confiando-nos ainda a tarefa de a escolhermos e prepararmos. A sugestão deste “PeddyPaper” surgiu de três alunos da turma, Ana Rute Carvalho, André Cordeiro e Beatriz Santos, que nos apresentaram a sua proposta. Todos concordámos, pois não só era uma excelente ideia, como também permitia à turma dividir tarefas e manter-nos todos ocupados e incluídos na atividade, evitando assim que parecêssemos zombies a vaguear pelos corredores sem nada para fazer. Escolhido o tema, passou-se à organização! Nas últimas semanas do 2ºP

período, procedeu-se apenas à distribuição do grupo e das estações, que acabaram por ser seis grupos e cinco estações. Não, não é assim tão estranho, considerando que um dos grupos ficou na partida/chegada. Como os grupos feitos, faltava só as estações por eles ocupadas. Cada grupo teve depois a tarefa de escolher a atividade por eles executada, que foram as seguintes: declamação de poemas, mímica, sensações, livros e caça ao tesouro. Na linha da partida foram acolhidos os participantes por Carina Ferreira e Miguel Amado que os enviaram e, mais tarde, receberam das várias estações deste percurso. No posto Declamação de poemas, tivemos o grupo das meninas Ana Catarina Correia, Ana Filipa, Carolina Correia e Mariana Mendes que promoveram a declamação de poemas assinados por Fernando Namora e nos permitiram mostrar

as nossas belas vozes.

12 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


::Fernando Namora - o nosso Patrono: as primeiras equipas das turmas 9ºC e9ºD se iriam apresentar aos

nossos colegas na linha da partida para iniciar a atividade. Às 10 horas, hora marcada para o início do percurso, aconteceram alguns imprevistos, o que levou a um pequeno atraso no arranque e a uma pequena confusão nas estações que esperavam as primeiras equipas. Mas tudo acabou por correr bem e tanto o 9ºC como o 9ºD se puseram a caminho, pois o tempo também contava nesta atividade. Os pontos também contavam! Cada estação podia premiar cada equipa com um máximo de 20 No posto Mímica, tivemos Ana Rute Carvalho, André Cordeiro, Carlos Correia e Tiago Pessoa que, utilizando títulos e frases

pontos, que cada grupo responsável distribuiu de acordo com a atividade planeada.

características de Namora fizeram os participantes realizar

No final da atividade, pedimos às turmas participantes para

perícias complicadas para que os seus colegas adivinhassem o

classificarem o nosso percurso e nomearem a estação que mais

título “Nave de Pedra”.

lhes agradou. A estação escolhida foi a da Caça ao Tesouro e os

Nas Sensações, tivemos Daniela Esteves, Gonçalo Simões, Luís

vencedores da prova foram escolhidos com base no tempo

Melo e Mariana Saraiva que provaram que o nosso olfato não é

utilizado e nos pontos ganhos. O prémio foram chocolates inteiros

tão bom como o do Super-Homem e que nunca serviríamos para

distribuídos pelos 3 primeiros classificados e um quadrado para as

cães-polícia.

restantes equipas, caso as equipas ainda se encontrassem nas

Nos Livros, Beatriz Santos, Cristiana Lopes, Heitor Rosa e

linhas de partida/chegada no momento da distribuição. Como isto

Miriam Acúrcio que descobriram as perguntas mais bem

não se verificou, ficámos nós com os chocolates e devo dizer que

guardadas nos livros que o senhor Namora escreveu para vos

eles eram muito saborosos.

fazer dar corda ao cérebro.

Termino este relatório com agradecimentos às professoras

E, por último, mas definitivamente não em último (porque foi

Maria João Mariano e Susana Guerra, que nos auxiliaram ao longo

a estação mais apreciada), outro grupo de meninas, na Caça ao

de toda a organização, preparação e realização desta atividade, às

Tesouro, desta vez, Carolina Santos, Elsa Marques, Francisca

turmas do 9ºC e 9ºD por participarem (esperemos que tenham

Silva e Francisca Santos, obrigaram-nos a enfiar a mão em caixas e

gostado!), à D. Anália e à D. Isabel que nos arrumaram as mesas, e

descobrir os objetos mais invulgares que o já referido senhor

a toda a comunidade escolar que participou, não na nossa

Namora pôde descrever na sua literatura.

atividade, mas nas restantes deste dia tão especial. Despeço-me

Na segunda-feira, dia 28 de abril, “Dia do Patrono”, o 11ºA

com uma salva de palmas aos meus colegas de turma que se

apresentou-se na sala 11 para marcar presença, com a professora

comportaram excelentemente, e a quem ainda não agradeci,

Susana, mover as mesas e cadeiras para as respetivas localizações

agradeço a oportunidade que nos foi concedida e espero que

e completar os preparativos finais visto que, a menos de 2 horas,

tenhamos correspondido às expectativas.

Miriam Acúrcio, 11ºA

A Turma C do Jardim de Infância nº1 de Condeixa realizou atividades ligadas ao “Dia do Agrupamento” – 28 de abril: Exploramos Fernando Namora na vertente Pintor – fizemos pinturas em tela e tintas de acrílico para uma exposição; Vimos um filme no anfiteatro no período da manhã com os outros grupos do Jardim de Infância; visitamos diversos ateliês: pintura, teatro, canto e por fim divertimo-nos a explorar insufláveis; No período da tarde construímos um grande laço humano no campo de futebol, onde estiveram todos os alunos da escola Eb1 de Condeixa. Por fim assistimos a um jogo de futebol realizado pelos alunos do 1ºceb. junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 13


Dia do Patrono

Fernando Namora - o nosso Patrono:: O Dia do Patrono foi muito giro. De manhã fui para a escola amarela para participar num torneio de xadrez, porque ando no xadrez na escola. À tarde fomos para a mesma escola, mas para fazer coisas diferentes. Primeiro fui aos insufláveis. Um era um campo de futebol, outro era normal e o terceiro um obstáculo e depois um escorrega. Depois fomos para o auditório ouvir o escritor João Manuel Ribeiro. Contou-nos algumas partes da sua vida e terminou com a leitura muito engraçada de um livro seu sobre adivinhas. Não sei o que é que foi mais divertido, porque foi tudo maravilhoso.

Francisco Coelho- 4º B Escola EB de Condeixa Nº 3

Fernando Namora Que já cá não mora Deixou seu nome Na nossa escola. Fernando Namora Que já cá não mora Deixou seus poemas Que leio a toda a hora. Carolina Sofia Vital – 4º B Escola EB de Condeixa Nº 3

O Dia do Patrono vivido pelo 2ºB

Os alunos da turma do 2ºB da Escola EB nº3 de Condeixa-aNova participaram nas atividades da comemoração do Dia do Patrono que se realizaram no dia 28 de abril, na Praça da República e na EB nº2 de Condeixa-a-Nova. O dia teve início com uma ida da turma, da escola até à Praça da República, onde participaram numa largada de balões azuis, dispostos em forma de um laço, para recordar que o mês de abril é o mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância. Após esta atividade, regressaram à escola para almoçar. De seguida, mais uma caminhada, desta vez até à escola EB nº 2, onde encontraram vários divertimentos : insufláveis, uma demonstração de carros telecomandos, entre outros. Lá a turma em colaboração com as outras três turmas do 2.º ano da EB n.º 3, apresentaram uma peça de teatro chamada «Ditado e Composição». Foi um dia muito agradável Francisco, 2.ºB EB nº3

Casa Museu ernando amora Casa onde nasceu Fernando Namora em Condeixa-a-Nova Ali, a dois passos da vila, o Rio de Mouros. Nasceu de um fio de água, do suor de uma rocha, entre urzes e montes. Ainda a meio da serra, é um ribeirito que não dá para matar a sede a um rebanho. Mas depois, a terra começa, subitamente, a ficar brava, com penedos que têm o ar de montanhas, e o rio despenha-se entre os silvais e as fragas em som e espuma, com um fragor que, de Inverno, com as cheias, estremece os ouvidos da serra e dos homens. – texto de 1941, do livro “Crescer em Condeixa com Fernando Namora”, Condeixa: ed. Câmara Municipal de Condeixa. No distrito de Coimbra, em Condeixa-a-Nova encontra-se a Casa Museu Fernando Namora, mesmo no centro da vila. Esta foi a casa onde nasceu. Quando a visitamos verificamos como era a sua vida. Encontramos ainda a secretária onde escrevia e a sua máquina de escrever. Também é possível observarmos outros objetos da sua vida diária. Este espaço que outrora fora um pequeno estabelecimento comercial, é hoje utilizado para fazer encontros de tertúlias, cantar o fado e outras situações comemorativas de destaque. Vale a pena visitar e respeitar este espaço cultural. Trabalho de pesquisa dos alunos do 4º B Escola EB de Condeixa Nº 3 Novo logótipo da Casa Museu Fernando Namora 14 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


::Fernando Namora - o nosso Patrono: Falar de Fernando Namora pintor é, segundo Ilda Carvalho, bibliotecária municipal e coordenadora da casa museu Fernando Namora “ o trunfo escondido de Fernando Namora” uma vez que "esse lado da obra de Fernando Namora, as artes plásticas, está toda por estudar”. O pintor Lima de Freitas escreveu sobre a pintura do amigo: "Olho para estes quatro ou cinco quadros aqui à mão e entro num espaço angustiado e ao mesmo tempo amplo." É a ambiência rural, a natureza, lugares com ecos do passado, retalhos que compõem a sua memória que preenchem quadros como Vale Florido, Monsanto, em que, segundo ele, "Cada manhã em Monsanto nasce o mundo. Lá me apercebi que a sombra é azul " ou Pavia, "cálido, moroso, recôndito. Uma fascinação de cal e silêncios extasiados. A largueza espraiada, que se adormenta em cada rumor de gesto". De certa forma são estas as suas imagens das terras por onde andou.

Como forma de o homenagear, resolvemos partilhar imagens. As imagens da nossa terra, aquilo que vemos, sentimos e entendemos e a forma como o transmitimos, quer tentando reproduzir o que ele viu, quer dando a nossa própria visão do mundo e da natureza que nos rodeia. De qualquer forma o que conta é o gesto, a intenção e o prazer que retirámos desta experiência.

Departamento de educação pré-escolar

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 15


Sarau ATL Cáritas

Fernando Namora - o nosso Patrono:: Sarau Cravo grande, cravo pequeno

Sarau Lembro-me… antes de abril acontecer!

Sarau espetáculo musical “Viagem a ABRIL”

Sarau poemas de ABRIL

Sarau poemas de ABRIL

Sarau - Peça de teatro TAP “Uma mulher de bem”

Feira Doce

Feira dos Minerais

Exposição Temática “25 de Abril de 1974 - Um retrato televisivo de um país” 16 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

Sala TAP

Exposição “40 anos de abril”


::Fernando Namora - o nosso Patrono

COMEMORAÇÕES Dia do Patrono

Expo Patchwork e Reciclagem

Sala Turismo Laboratório Aberto Química

Laboratório Aberto CN

sala IOSI

Visita à Casa Museu Fernando Namora -Roteiro do Patrono Exposição “Olhar, pensar e fazer... a Arte!”

Exposição “Crianças de hoje e de ontem no quotidiano de Conimbriga” junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 17


Fernando Namora - o nosso Patrono::

Canções de abril

COMEMORAÇÕES Dia do Agrupamento

Carros Telecomandados Matemática a abrir

Praça da Leitura

Expo Abril

A diversidade cultural dos países da Europa

Feira para todos Torneio de Xadrez

Clube Outras Artes

Equipas torneio Futebol

Química no dia-a-dia Ateliê FN

Mãos que fazem... 18 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

Mãos que fazem...


:: NOTÍCIAS / ATIVIDADES

projeto C3 Crianças com Ciências

“O Mar Longe da Costa” é um projeto bem conhecido de toda a comunidade escolar, criado pela Associação de Pais da EBNº1 de Condeixa e apoiado pela iniciativa “Pais com a Ciência” da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, no ano letivo 2012/2013. Ao longo deste tempo foram contactadas várias pessoas ligadas à vida marinha: cientistas, investigadores, biólogos e uma veterinária, que nos ajudaram a conhecer a fauna e a flora marinhas. Toda a escola esteve envolvida assistindo a palestras, sessões e oficinas, fazendo atividades laboratoriais e visitas de estudo. A bióloga Sónia Cotrim, realizou várias sessões, ao longo destes dois anos, com quem gostámos muito de trabalhar. Realizámos experiências interessantes e satisfizemos muitas das nossas curiosidades acerca da vida marinha. Relacionado com este projeto, aprendemos a fazer origami, nós de marinheiro, imitação de peixes e muitas outras coisas interessantes. As visitas de estudo foram também uma experiência fantástica. Na Figueira da Foz, estivemos em contacto com o mar e observámos vários animais marinhos e outros organismos que vivem na costa rochosa e ainda conhecemos o Museu do Sal, no estuário do Mondego. Em Peniche, no Instituto Politécnico, assistimos a uma palestra com o biólogo João Correia, em que aprendemos e divertimo-nos muito. O biólogo Sérgio Leandro fez-nos uma visita guiada aos laboratórios do Instituto, onde observámos crustáceos e peixes que vivem dentro de aquários e com os quais é possível fazerem-se estudos. Em Ílhavo visitámos o Museu Marítimo e o Navio Museu Santo André que nos permitiram conhecer melhor a pesca do bacalhau e toda a sua história. Através do projeto “O Mar Longe da Costa”, o Agrupamento de escolas de Condeixa-a-Nova foi inserido no projeto “Educação PROPOLAR”- um projeto a nível mundial. Este ano letivo, no âmbito deste projeto, foram feitas bandeiras que representassem a Antártida, por todos os alunos da nossa escola. O cientista José Xavier foi um desses cientistas envolvidos e que fez uma palestra sobre pinguins que, nós alunos do 3ºano da turma A, gostámos imenso. “O Mar Longe da Costa” permitiu-nos navegar neste mundo fantástico que é a vida marinha, mas que termina já, no final de 2014. Texto coletivo 3ºA NOTA DE AGRADECIMENTO: A professora e alunos do 3ºano da turma A agradecem a todos os dinamizadores e envolvidos no projeto.

No âmbito do projeto C3 – Crianças com Ciências, a turma do 4.º C participou, a par com outras turmas da Escola N.º 3 de Condeixa-a-Nova, em diversas atividades experimentais, calendarizadas ao longo deste ano letivo. As atividades deste projeto foram promovidas pela “Associação de Pais do Centro Educativo de Condeixa-a-Nova” e dirigiram-se aos alunos e às famílias, professores e educadoras. As sessões experimentais “Sementes da Química” (realizada na escola, a 28 de março) e “Sementes da Biologia: A biodiversidade nas poças da maré” (realizada à Praia do Teimoso, Cabo Mondego – Figueira da Foz, a 30 de maio) foram dinamizadas pelo Exploratório de CoColagem de sementes - quanto à forma, tamanho e cor imbra e contribuíram grandemente para o enriquecimento dos alunos. Ao longo do ano foram dinamizadas ações com a parceria do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, as quais contemplaram o tema “Vamos Semear Ciência!” através da exploração dos kits “Colecionar”, “Medir” e “Crescer”. No que se refere à exploração do Kit “Colecionar”, os alunos investigaram, recolheram e estudaram sementes, folhas e pétalas (da serra ao mar). Dessa atividade experimental registou-se um proveitoso trabalho de equipa, como testemunham as fotos

Colagem de folhas quanto à forma e tamanho

Caixa de sementes (coleção)

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 19


Produção de textos... :: O Sentido da Vida

Atividade de leitura na biblioteca escolar

No dia 23 de Maio convidei as turmas do 4º ano do Centro Educativo para virem à biblioteca ouvir falar da Vida! Depois de apresentar e explorar os livros “o Sentido da Vida” de Oscar Brenifier e “O Trabalho e o Dinheiro “ de Brigitte Labbé da coleção Filosofia Para Crianças, pedi aos alunos que refletissem sobre a própria vida e tentassem explicar, num pequeno texto, para que servia cada uma das suas vidas… É muito gratificante descobrir como estes momentos dão tantos frutos! Como em cada visita à biblioteca estes alunos produzem trabalhos de tão grande qualidade, apoiados incondicionalmente pelas suas fantásticas professoras (Emília Silva, 4ºA; Mª da Luz Pedrosa, 4ºB; Margarida Rosário, 4ºC). Fiquei com uma lágrima no canto do olho, e com o coração bem grande e cheio de orgulho por ter participado um bocadinho, promovendo através da partilha dos livros e da leitura, no crescimento pessoal destes meninos! Obrigada 4º ano. O Sentido da Vida A Vida é Tudo… Tudo o que se possa passar! É ver no céu azul os pássaros a voar, Ou até ouvir as árvores a cantar! A Vida é também dizer a verdade, Ter companhia e muita amizade!

A Vida é Tudo… Tudo o que se possa notar! É a opinião dos outros respeitar, Ou até todas as ideias do mundo contar! A Vida é também um abraço destemido, Ter alguém, ter um ombro amigo! A Vida é Tudo… A Vida é a felicidade que se quer partilhar,

Ana Rita Amorim professora bibliotecária

O significado que a vida tem para mim

A vida é bela, mas para isso temos de saber vivela e dar-lhe sentido. A vida só faz sentido se tivermos amigos e uma família, temos que lhes dar valor e tratá-los com se trata uma flor, com carinho e atenção. Devemos ter sempre um objetivo e fazer tudo para o atingirmos, sem desistir. Por exemplo: Se estudarmos muito conseguimos ter boas notas, e se estudarmos, um dia mais tarde, conseguimos ter um emprego melhor e sentimo-nos bem.

E só assim é que a vida faz sentido. Duarte Batista Veríssimo 4.º A, EB N.º 3

O sentido da Vida O sentido da vida É para aproveitar Mas às vezes a correria Nem nos deixa pensar E o tempo passa sem o aproveitar.

Há pessoas que dizem, que vivem apenas para não morrer. Eu não concordo. O sentido da vida É importante para todos nós Eu acho que vivo para ser feliz, para ser Como em todas as atividades ou profissões uma pessoa melhor, para viver a alegria stressante, atribulado e com muitas confusões… de cada dia. Porque cada momento bom ou mau é Mas, o sentido da vida importante. é também por si só, engraçado. Além de fascinante e misterioso Cada segundo é diferente e deve ser é para aproveitar aproveitado, depois dele passar escolher o melhor caminho ninguém pode voltar atrás. desde que sentido e verdadeiro Existem várias formas de viver, esta é a e que nos oriente direitinho. minha. Maria Combo Gorgulho 4ºA, EBN. º3

O sentido da vida

É procurar afazeres para o tempo ocupar

O sentido da vida Está escondido no olhar, A Vida é mesmo tudo! Num simples respirar E.B. 1 N.º 3, Turma do 4.º C Ou num lindo luar, (participação especial: Inês Madeira Fernando) Está num pássaro que voa Sobre um verde prado, O sentido da vida Onde as flores crescem A vida tem sentido quando não temos de desistir dos A um ritmo não esperado. nossos sonhos. O sentido da vida Não devemos prejudicar ninguém, deveremos ser É o sonho de uma criança responsáveis pelas nossas tarefas e cumpridores dos nossos deveres. Devemos estudar ter a liberdade de Onde o mundo é feito brincar, de conviver uns com os outros e se um colega De felicidade e de esperança. nosso se magoar devemos ajudá-lo É o ato de ajudar Se respeitarmos todos também seremos respeitados. O amigo que triste está O sentido da vida é fazermos isto tudo e assim todos É o simples criar seremos felizes. Carolina Sofia Vital – 4º B - EB Nº 3 De um sorriso que dá. Ou até o vento que passa abraçar!

20 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

Ana Carolina Oliveira – 4ºB - EBNº 3

O sentido da Vida Ninguém sabe A sua missão E alguns Nem a vocação

Um dom Todos têm Ainda que não o conheçam Ou não acreditem… Seguir em frente É o que eu acho Olhar para trás Para mim é fracasso!

Quero estudar Quero trabalhar Seguir em frente Sem hesitar Ricardo Pedrosa, 4ºA- EB nº3 e…Brilhar! Ana Leonor Marcelino - 4º B - EB Nº 3


:: Na Biblioteca acontece...

MURAL

mensagens de abril

VISITA do escritor JOÃO MANUEL RIBEIRO

Este cravo “cresceu” das mãos das crianças e jovens do nosso Agrupamento (alunos do 1º, 2º, 3º CEB e No contexto da semana da leitura do Agrupamento de escolas Sec.), numa iniciativa das bibliotecas escolares. de Condeixa e a convite das bibliotecas escolares, os alunos Os nossos alunos mostram-nos, com as suas do 4º e 5º ano, receberam a visita do escritor João Manuel mensagens, que a revolução dos cravos “não foi Ribeiro que lhes veio falar dos seus livros "A Casa Grande" e apenas um grito de revolta, mas um fôlego de "O rapaz sem orelhas de burro". liberdade”, que, felizmente, para bem de todos, O primeiro é um livro muito bonito que de forma poética, bem ao jeito do autor, nos propõe uma construção partilhada permanece!

Vivam as cores de abril!

de cidadania. O segundo livro, escolhido no contexto das comemorações do As professoras bibliotecárias: Anabela Costa e Ana Rita Amorim 25 de abril, conta-nos a história de um rapaz curioso, perguntador que nasceu num país onde a ditadura imperava... um trocadilho de ideias muito interessante e provocador, pois como tão bem o João Manuel Ribeiro conclui: "Neste país todos nascemos burros, mas só os burros permanecem assim. Um livro excelente no qual podemos abordar as noções de Política, de Liberdade e de Democracia. Foi uma tarde muito bem passada. Obrigada pela Visita, João!

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 21


Na Biblioteca acontece... ::

Nas comemorações do dia 25 de abril, o Município de Condeixa-a-Nova marcou a expressão da Liberdade com a assinatura do Protocolo de Cooperação da Rede de Bibliotecas de Condeixa, apresentando publicamente o portal e o catálogo coletivo da

Rede (o catálogo unificado da Biblioteca Municipal, da Casa Museu Fernando Namora e das bibliotecas escolares do concelho.) como ato simbólico para que a liberdade de expressão e a igualdade no acesso à informação perdurem no tempo. Outras formas de liberdade de expressão tiveram o seu lugar nestas comemorações, tais como a entrega de prémios e a leitura, pelos autores presentes, dos poemas premiados na IV edição dos concursos Poesia na Biblioteca e Poesia na Escola. Ana Maria Cabral (Coordenadora interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares)

Assinatura do protocolo de cooperação da Rede de Bibliotecas de Condeixa

Lançamento do portal da Rede de Bibliotecas de Condeixa O lançamento do Portal da Rede de Bibliotecas de Condeixa, bem como, a constituição formal desta rede é o resultado de um trabalho conjunto que vem sendo desenvolvido pela Biblioteca Municipal de Condeixa e pelo Agrupamento de Escolas de Condeixa desde 2008. O que pretendemos com a constituição desta rede é antes de mais a partilha de recursos humanos e materiais, mas tendo sempre como ponto de partida a concretização de Entrega de prémios dos objetivos comuns. Desde o primeiro dia de Flores de fogo trabalho conjunto definimos como missão o contributo para a melhoria dos níveis de A lareira está acesa e produz um fogo ténue que aperto no peito sem memória literacia no nosso concelho. Seja através de programas de promoção da leitura, da implementação de itinerâncias documentais, da realização de concursos de leitura e poesia, etc, o nosso objetivo é facilitar ao público escolar e adulto as ferramentas e meios adequados a um maior esclarecimento e a uma maior e melhor participação na sociedade. Queremos, através desta parceria, contribuir para divulgar o grande legado da humanidade que é o conhecimento, e fazêmo-lo através da voz dos livros e dos seus autores.

Essa luz baixa diminuta Arde em mim Infância que queima e teima em não me deixar crescer Nasci herdeira desta terra de ninguém entre o colo de uma avó que ainda demora e o braço veemente de uma mãe Nunca dei por mim Tive uma oportunidade de ser Soltaram-me no pátio da casa que então já se consumira num fogo-fátuo e disseram-me que a hora chegara

Equipa de Coordenação da RBC sem qualquer abraço sem qualquer perturbação 22 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

concursos de poesia Num dia era criança no outro já urdia a trama de uma nova provação

Cansei-me tanto a fingir que vivia Transformei-me numa casa em ruínas

Hoje tenho frio muito frio Um frio póstumo de ternura Sou a perífrase dedicada à falência da fé E arranco do coração em brasa poemas que não entendo mas que preciso escrever com a urgência de quem morre muitas vezes na tentativa vã de voltar crescer sozinho A lareira está acesa e eu não tenho mais do que essa memória inatingível de calor Poesia na Biblioteca—3º Prémio—Conceição Manaia


:: Na Biblioteca acontece...

DIA DO LIVRO INFANTIL - 2 de abril No Agrupamento de Escolas de Condeixa também se comemorou o dia internacional do livro infantil, a 2 de abril último. Mais uma vez as educadoras Nina Raposo e Filomena Ribeiro, em sintonia total, e com o apoio da biblioteca escolar, apresentaram o novo tapete contador de histórias "O magnífico plano do Lobo" da escritora Melanie Williamson a todos os alunos do pré-escolar e do 1º ano do 1º ciclo do Centro Educativo. Desta feita este magnifico trabalho da educadora Nina é composto por vários tapetes, um dos quais é simultaneamente uma Fábrica de camisolas de lã e um jogo. No final da história os alunos puderam experimentar uma competição saudável e perceber melhor o processo de como a lã sai das ovelhas e chega às suas fofinhas camisolas. Foi uma manhã muito divertida!

Solidão Recordo Recordo, deleitada, embora contrariada, Como teu sorriso me aquecia, Como teu corpo ao meu se moldava, Como teus beijos de mel e fogo me consumiam, Como teu espírito pueril me fascinava Como eras meu e eu tua, sem receios. E o resto do mundo esfumava –se… Recordo, sabendo que não devo recordar, Tais sentimentos que me suscitavas Pois fruto proibido eras e me tentavas Com esse encanto, esse doce amar Que continuo a almejar!

Solidão É ficar sozinho, Sem amigos, Sem a mão de ninguém. Solidão É ser abandonado, Ficar triste Sem ser amado. Solidão É quando o melhor amigo

Muda de escola E não o voltas a ver, É ficar sem um Familiar que amamos Sem poder Adeus dizer… Mas a Solidão Não te deve derrubar, Pois há sempre alguém A quem podes amar. Poesia na Escola—1º escalão

Bruno Vilas-Boas – 4ºA EB nº3

Poesia na Escola—3º escalão Filipa Carvalho - 8ºF EB nº2

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 23


Na Biblioteca acontece... ::

A Semana da Leitura 2014 começou, no Agrupamento de Escolas de Condeixa, no dia 23 de abril, dia mundial do Livro e dos direitos de autor, e o seu início foi magnífico, fazendo antever dias plenos de surpresas, leituras e cultura. Assim, da parte da manhã, as professoras bibliotecárias do com a colaboração da Biblioteca Municipal, deram vida à história infantil,

O Magnífico plano do lobo, de Melanie Williamson. As crianças da Educação Pré-escolar e do 1º ano da EB nº1, bem como as dos Jardins de Infância do Sebal, Ega, Avenal e S. Fipo tiveram oportunidade de rir a bandeiras despregadas, de prever, de questionar e de tocar nas personagens desta história divertida que tanto ensina, através também do último tapete contador de histórias, criado pela educadora Fernanda Raposo, para as Bibliotecas Escolares de Condeixa. Da parte da tarde, pelas 14h30 e também na

Biblioteca

Municipal,

as

leitura

decorreram com e para outro público. No âmbito do Projeto Ler + Jovem: “VENI, LEGI, VICI – já os romanos o sabiam”, desenvolvido pelas Bibliotecas Escolares

do Agrupamento de Escolas de Condeixa e seus parceiros, alguns alunos do 10º ano, Técnicos de Turismo, e do 10º C da Escola Secundária Fernando Namora que

partilharam

leituras

com

os

elementos do Grupo "Lérias, Letras & Companhia”. Neste encontro intergeracional, as leituras abordaram vários temas e géneros literários e não literários. Todavia, todos tiveram um só fio condutor, o património condeixense, do qual todos nos devemos orgulhar e reviver de uma forma sempre viva.

No contexto do Projeto Ler + jovem VENI, LEGI, VICI – já os romanos o sabiam, um grupo de jovens alunos dinamizou uma sessão de leituras sobre Condeixa (etnografia, história, cultura e literatura), destinadas aos seniores do concelho. 24 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


:: Na Biblioteca acontece... Encontro com a escritora Milú Loureiro A escritora Milú Loureiro esteve na EBNº1 de Condeixa-aNova a apresentar algumas das suas obras. Foi no dia 30 de abril que os alunos da Escola Azul receberam a escritora e ilustradora Maria de Lurdes Loureiro, mais conhecida por Milú Loureiro. Esta escritora estudou na Faculdade de Letras em Coimbra onde concluiu o curso de Filologia Românica. Dedicou-se ao ensino e desempenhou a função de professora bibliotecária na escola Dr. Ferrer Correia, antes de se reformar. Foi na biblioteca que a Milú apresentou alguns dos seus livros. Para tal, vestiu-se de uma forma muito original, com roupas coloridas e um avental carregado de personagens das suas histórias. Como cenário usou uma manta de retalhos coloridos que ela própria construiu. Contou a divertida história “El-Rei comilão”. Com este encontro, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer mais uma escritora, desenvolvendo desta forma o seu gosto pela leitura e pela literatura infantil. 3.º B / EBNª1 de Condeixa

Palavras no ar para SO - LE - TRAR! À semelhança do ano passado, realizou-se no Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova mais um concurso “Soletrando” no âmbito da “Semana de Leitura”. No Centro Educativo todas as turmas fizeram uma eliminatória para apurar o representante de cada uma, no Concurso Final. No dia 24 de abril, pelas 11 horas, reuniram-se na Sala do Aluno, todos os alunos e as respetivas professoras a fim de apoiarem os seus colegas concorrentes. O júri era composto pela professora Teresa Ferreira e pelo professor Miguel Carvalho, que deu início ao concurso, explicando as regras do mesmo. Começou-se pelo 1ºano de escolaridade com 4 concorrentes.

Finalmente foram a concurso 3 alunos do 4º ano, dos quais saiu vencedor, o Hugo Araújo do 4º C.

Este momento foi muito demorado, pois não havia quem perdesse. Eram todos muito bons, mas ao fim de muitas palavras

Nós queremos dar os parabéns a todos os alunos do Centro Educativo. Aos que venceram porque tiveram um bom

soletrarem, foi a Margarida Figueiredo do 1ºB que acabou por

desempenho, pois ainda que, com alguns nervos à flor da pele, conseguiram superar os vários obstáculos. E aos que não venceram damos uma grande salva de palmas por terem chegado até a final. Foi um concurso espetacular que queremos que se repita no próximo ano letivo.

ganhar. De seguida, entraram a concurso os 5 finalistas do 2ºano, que foram sendo eliminados por pequenas incorreções e dos quais saiu vencedor, o Jaime Pires do 2ºD. Os alunos do 3º ano eram apenas dois, pois só existem duas turmas, o que fez com que fosse mais rapidamente encontrado o vencedor, que foi o nosso colega de turma, André Simões do 3ºB. Ficámos muito contentes!

Soletrando é um concurso que de alegria nos faz vibrar. A ler e escrever melhor. Todos ficámos a ganhar! Turma do 3ºB do C.E.

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 25


Na Biblioteca acontece... :: O projeto Leitura em Vai e Vem pretende ajudar os educadores a promover a leitura no Jardim-de-infância e o seu prolongamento na família garantindo que cada escola, no seu sentido mais amplo, faça o seu próprio percurso, de forma a assegurar que a leitura, em relação estreita com a família, se torne um hábito...

Dentro deste espírito, as bibliotecas escolares do Agrupamento de Escolas de Condeixa deram início à implementação deste projeto no decorrer da Semana da Leitura, nas EB1 com Jardim de Infância, ou seja, na EB nº1 e na EB nº3.

Opiniões dos pais sobre a implementação do projeto Vai e Vem: Achei o projeto interessante na medida em que reforça aos pais a importância da leitura no desenvolvimento cognitivo da criança, e promove ainda os momentos de reunião familiar . Mãe da Maria – turma A EB3

Trata-se de um excelente projeto. Numa altura em que as nossas crianças recebem estímulos diversos que desviam a sua atenção do livro e da leitura, é importante este tipo de iniciativas, que procura interessá-las desde cedo num contacto mais próximo com o livro, e ao mesmo tempo que envolve e responsabiliza os pais nesse projeto. Mãe do Duarte – turma A EB3

O projeto agrada-me e é bom que se incentivem os pais a lerem (contarem) histórias aos seus filhos, uma vez que se torna um momento em que ambos estão juntos, e também pelo facto de estas histórias serem fundamentais para o desenvolvimento não só da linguagem mas também da imaginação e criatividade da criança. Este projeto é também uma ajuda para a aquisição de regras . Mãe da Pilar - turma A EB3

Acho muito interessante, uma ideia lúdica, mas ao mesmo tempo educativa. Um momento divertido e ao mesmo tempo de aprendizagem. Mãe da Matilde – turma B EB3

É uma experiência interessante para passar um pouco mais de tempo mais unidos e criar hábitos de leitura desde pequeninos. Espero que continue.

Os primeiros anos de vida ainda são passados fora do contexto escolar, em Família, e esta é uma das fases mais determinantes para o desenvolvimento da linguagem da criança.

Há quem pense que as crianças só começam a aprender a ler quando vão para a escola. Na verdade a capacidade de ler desenvolve-se desde o primeiro ano de vida e deve ser treinada regularmente com a ajuda da Família.

Os pais são os primeiros professores dos seus filhos e o Mãe da Bia – turma A EB3 ambiente do lar é determinante Considero um projeto importante para desenvolver a linguagem oral e escrita, bem como a para as atitudes e motivações imaginação e a criatividade. É também uma preparação para nós, pais, que no 1º CEB temos que os das crianças. acompanhar diariamente nos trabalhos de casa. Mãe da Inês – turma B EB3

26 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


:: Na Biblioteca acontece...

- É importante que, em casa, a criança tenha ao seu dispor materiais de escrita e de leitura. -Ofereça livros. Os seus filhos perceberão que o livro pode ser um objeto de prazer. - Experimente ir com os seus filhos à Biblioteca Municipal, há sempre uma zona

própria para crianças. As Bibliotecas Escolares também emprestam livros quer às crianças quer aos pais para lerem em casa. - Visite livrarias, supermercados e feiras do livro e deixe a criança mexer nos livros expostos.

O dia 30 de abril chegou e com ele a eliminatória final da IIª Edição do Concurso

-Mostre a capa, mostre o interior e fale

de Leitura "Ouvir Ler? Que prazer!", atividade promovida em parceria entre as

sobre as ilustrações.

Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Condeixa e a Biblioteca Municipal e que

-Explique-lhe o contexto da história e alguma palavra difícil.

se inseriu no projeto concelhio de promoção da leitura. Nesta última eliminatória, participaram os alunos do 3º e 4ºano das Escolas EB1 de Condeixa nº1 e nº 3, bem como os da Escola Básica de 1º ciclo do Sebal,

-Deixe a criança virar a página, se ela

vencedores da 2ª eliminatória. Participaram ainda os alunos do 5º ao 9º ano da

quiser.

Escola Básica nº2 e Escola Fernando Namora.

-Leia as frases e mostre-as com o dedo.

Os concorrentes foram muito pontuais e tiveram uma postura irrepreensível. Apesar

-Verifique se ela está a compreender bem.

dos nervos se fazerem sentir, as crianças e jovens participantes conseguiram dominá-los e foi, realmente um prazer ouvi-los ler melhor que muita “gente grande”. No entanto, como acontece em todos os concursos, os vencedores tinham que ser

-Deixe a criança comentar o livro, contar a

escolhidos. Confessamos que, perante a qualidade dos concorrentes, tal tarefa se

história ou partes da história.

revestiu de uma imensa dificuldade para o júri. Depois de muita deliberação foram

-Se a criança não mostrar interesse não

anunciados e premiados os seguintes vencedores, um por ciclo de ensino: ESCALÃO

VENCEDOR

ESCOLA/ TURMA

-Se a criança pedir, volte a ler a mesma

1º CEB

Beatriz Diogo

Sebal - 4º A

história uma ou várias vezes.

2º CEB

Bruna Pinto

EB nº2 – 6º B

3º CEB

Mariana Fonseca

EB nº2 – 8º F

insista.

-Torne a história viva, faça uma voz

diferente para cada personagem e use mímica para contar a história. -Quando a criança começa a saber ler deixe-a ler palavras e frases.

Parabéns a todos os que colaboraram nesta iniciativa, porque tudo se consegue com o ânimo e vontade de ser “maior”. E, não se esqueçam:

“Ler e ouvir ler é REALMENTE um PRAZER!”

-Quando já sabe ler, distribua papéis e leia a par. -Faça perguntas e converse sobre a história, sobre as informações e sobre as imagens.

… E BOAS LEITURAS! junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 27


DIVERSÕES :: Tenta descobrir estas charadas com os títulos das obras de Fernando Namora

1

em + a

O

e o

em + a

em + a

F E R N A N D O I N A M O R A I U T U D A

H S R D F S D C A E I U O Ç P Y N A R Q Z

B C A L H A M P C O N T O S A M I R E U C

J R I Z R E W L O S O U N I N E V I T D E

P I N T O R E K N E S J A D H D E S A T S

H T I J M I U F D C B I P A E I R A L U G

H O O A A O A M E D I C O D U C S U H I U

V R A Z N U I D I A C D E E D I I I O L M

I I S X C E V A X R H A S C I N D L S H M

D U S B E A N W A G O R I O T A A V N I H

A T D N S U B A A D S E A M E O D B U X N

C O I M B R A Q O E F M E A P R E M I O S

Encontra, na sopa de letras, as palavras relacionadas com Fernando Namora:

de +a

Quando eu crescer, quero ser uma trabalhadora, ter uma profissão, que goste, ser dançarina ou doutora. Quero ser uma astronauta, matemática, professora, ou trabalhar no campo, e ser uma agricultora. Quero ser uma veterinária, para os animais bem cuidar, ou ser uma cozinheira e belas refeições preparar.

Fernando Namora, pintor, contos, Coimbra, escritor, Condeixa, romances, Bichos, poesia, medicina, universidade, prémios, Retalhos da Vida de um Médico.

- eir de 1

Quero ser soldado, e o meu país defender. ou ser uma atleta, e a maratona vencer. Quero ser presidente, de uma grande companhia, ou um inspirado músico, e compor uma sinfonia. Eu posso ser tudo isto porque os homens em união defendem os seus direitos a pátria, a paz e o pão! Bruna Lopes Neves – 4ºB Escola EB de Condeixa Nº 3

28 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


Saudades da minha escola :: Crónica Vélia Carvalho, aluna do curso de Jornalismo da Universidade de Coimbra. Ex– aluna do nosso Agrupamento

Numa dessas mudanças para as quais a vida sempre nos conduz, encontrei perdidos numa caixa dois cartões, daqueles semelhantes aos que os apresentadores de programas televisivos usam como ‘auxiliares de memória’. Tratavam-se de dois cartões que usei no dia do patrono da minha escola secundária, para me auxiliarem em apresentações orais sobre Fernando Namora, que eu e mais algumas colegas, a pedido da professora de Português, todos os anos fazíamos, bem ou mal. Lembrei-me imediatamente desses tempos, mais precisamente desses dias que só aconteciam uma vez por ano, em que o auditório da Biblioteca Municipal estava por nós ocupado e recebíamos várias turmas para fazer a apresentação. Nem sempre corria bem. Havia turmas que pareciam respeitar mais o nosso trabalho do que outras, mas o que se podia fazer? Aborrescentes, como dizia a professora Santiago. Não havia quem lhes deitasse a mão! Foram essas apresentações que me permitiram conhecer Fernando Namora e a história da sua vida. Para além de escritor e médico, era também pintor. Hoje penso que não recebeu o merecido reconhecimento pela sua fantástica obra, embora o nosso concelho o tenha brindado com as devidas homenagens, não fosse ser a sua terra natal. Inseriu-se no Neo-realismo, afirmando que o papel de qualquer escritor deveria ser o de “consciencializar e contestar”. Como eu concordo! O papel de qualquer escritor é cativar para o seu mundo estas mentes de hoje, tão ociosas de diversão e prazer, para que redescubram que a literatura tem a função de encher cérebros, e não de os fritar, como muitos adolescentes pensam. Porque hoje é cada vez mais raro ver uma criança com um livro na mão. Os hábitos de leitura das pessoas estão a perder-se, os livros começam a ficar esquecidos nas prateleiras das livrarias, das bibliotecas. No entanto, tal como os hábitos de leitura se perdem, perde-se também a capacidade de escrever boa literatura, pouco a pouco. De Fernando Namora e muitos outros, ficam apenas páginas e páginas de uma escrita segura que nos convida a entrar nos seus universos literários. Já poucos os leem. Mas são esses poucos que ainda lhes dão vida, preservando-os nas suas memórias. Que ao menos esses poucos, nunca deixem de ler, de sentir cada palavra. E, principalmente, que não desapareçam os bons escritores, os bons poetas. O mundo precisa deles. Pelo menos, eu preciso.

Fernando Namora, in "Mar de Sargaços"

junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 29


Crónica:: A força das palavras

“ Também

não sei caminhos de cor “ por Ana Paula Amaro

Fernando Namora, in 'Mar de Sargaços' dizia “Não sei são os obstáculos e poucas as recompensas. Esta profissão caminhos de cor” e eu não sou ninguém para apontar não é para estômagos fracos. Outros dias há, porém, em que caminhos. Quis o destino que me tornasse professora numa recebemos a visita de um antigo estudante que desabafa: escola que adotou o nome deste escritor como Patrono. É “Fui tão feliz nesta escola! Tenho tantas saudades!” Um um edifício com direito a nome, azulejo e busto, frutos do enorme sorriso abre-se então em ambos os rostos e parece talento de professores do quadro, que há muito deixaram que tudo torna a valer a pena, “se a alma não é pequena!”. de ser meros transmissores de conhecimentos. Mas uma

No Dia do Patrono apresenta-se uma escola no seu

escola é muito mais do que um edifício exterior. É um local melhor. Todos tentam mostrar o que de melhor sabem fazer de formação de jovens, futuros cidadãos deste país. Neste e defender as cores da camisola. No entanto, este é apenas contexto económico e social, não posso deixar de me um dia dos muitos que compõem o ano escolar. Muitos dias, interrogar todos os dias qual o meu papel. Certezas, não muitos meses de convivência nem sempre pacífica. Muitas tenho. Como José Régio, sei apenas os caminhos que não formas de estar diferentes na vida, muitos problemas quero trilhar. E não, não quero ser um professor debitador trazidos lá de fora, muitas pequenas tragédias escondidas de verdades absolutas num mundo onde tudo são nos rostos que se confundem em tantas turmas, em tantos incertezas. Mas também sei que os olhos que me alunos! E não há tempo para nada. Corre-se para cumprir perscrutam do outro lado da sala procuram caminhos e programas; corre-se para apresentar atividades num plano quem os guie. Sinto uma enorme responsabilidade nos anual; corre-se para cumprir imposições do MEC, muitas ombros e uma angústia, por vezes, quanto aos caminhos a vezes sem sentido; corre-se atabalhoadamente, quase sem seguir. E como não há receitas, vou tentando, como quase parar para pensar. E valerá a pena tanto relatório, tanta todos, nesta profissão, dar o meu melhor todos os dias. Dias grelha, tantos critérios? Não sei… há com mais sucesso do que outros, bem verdade. Dias há

Quando recordo os professores que me ficaram na

em que apetece atirar a toalha ao chão e dizer basta! Muitos memória, recordo aqueles que se destacaram porque eram diferentes, porque se importavam com os alunos de forma verdadeira, porque faziam as coisas fora dos parâmetros expectáveis.

Foram

exemplos

a

seguir

e

pessoas

memoráveis. Nem sempre segui os caminhos que eles apontaram para mim, mas as sementes da sua sabedoria e, acima de tudo, do seu profundo humanismo, deram fruto. Disso não tenho dúvida alguma. Por isso, especialmente para os alunos que agora vão abandonar esta escola ou aos quais vou deixar de lecionar, queria deixar uma palavra de incentivo. Como dizia António Machado, não há caminho. O caminho faz-se ao andar. Também eu não sei caminhos de cor mas estarei sempre aqui disponível para as caminhadas. Por mais vezes que caiamos, por mais vezes que nos apeteça desistir. É preciso caminhar sempre e manter acesa em nós a esperança de que no futuro, de facto, o melhor está para vir. Vivam a vida na sua plenitude e tentem ser felizes (o que quer que isso seja para vós!). Até já, como dizem os brasileiros nas despedidas. 30 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014


Prémios Dark Skies Rangers

2014

No âmbito do projeto Eco-Escolas e na continuidade do ano letivo anterior, também este ano a aluna Alda Simões, do 2.ºB, da EB n.º3, ganhou dois prémios nos Concursos Dark Skies Rangers 2014. Os vencedores dos concursos Dark Skies Rangers “Vamos Apagar as Luzes para Acender as Estrelas!” e “Poluição Luminosa – O Meu Calendário Escolar 2014/2015”, foram anunciados no dia 3 de maio de 2014, durante a Festa das Estrelas 2014, organizada pelo NUCLIO – Núcleo Interactivo de Astronomia. Devido à qualidade dos trabalhos enviados, o júri decidiu atribuir um prémio aos trabalhos mais criativos, tendo este prémio sido atribuído à nossa artista.

Prémio criatividade: Alda Simões (EB nº 3 de Condeixa – Portugal)

Relativamente aos vencedores do concurso “Poluição Luminosa – O Meu Calendário Escolar 2014/2015”, verificámos, também, com grande alegria que foi também a nossa aluna Alda Simões, do 2.ºB, uma das vencedoras. Os prémios ser-lhe-ão entregues no Dia 5 de junho de 2014, Dia Eco-Escolas do nosso Agrupamento pelos responsáveis do NUCLIO de Lisboa que virão participar nas festividades. Os trabalhos poderão ser vistos na página do projeto Dark Skies Rangers em http://dsr.nuclio.pt/. Este projeto tem como parceiros a Câmara Municipal de Cascais, o National Optical Astronomy Observatory, o Open Discovery Space Galileo Teacher Training Program e a ABAE, responsável pelo Programa Eco-Escolas. A professora Conceição Manaia

:: Ainda não sabiam? Se eu cair a culpa é tua Vou-me guiando, lentamente, pelo que penso ser o paraíso, mas nem disso tenho a certeza... Talvez um céu azul, uma árvore verde

e

um

sol

bem

brilhante

me

aconcheguem no que penso ser o meu Mundo. Mais um passo, menos um, qual é a diferença? Caminho por entre a escuridão, ultrapasso as dificuldades e aí vejo. Vejo pelas mãos, pelos ouvidos, simplesmente vejo.

O carro que me buzina, o passeio que parece não acabar, tudo ajuda a fazer-me sentir pior... Afinal o que é mesmo um carro? Será quadrado, será redondo? E o que é o redondo? Já agora, o que são o verde e o azul? O que é uma coisa brilhante? Demasiadas perguntas para poucas respostas. Este sim, é o dilema da minha vida. Nem a minha realidade é real, o que é a escuridão? Como poderei saber do que não vejo quando nem do que vejo sei? Sim, gostava, gostava de saber o que é ser «normal», gostava de o sentir... impossível! Quando um simples semáforo avariado, um carro mal estacionado ou umas escadas sem rampa me podem estragar a vida, o que poderei mais desejar se não um «Eu gostava de poder ver»? Tudo é de todos, será assim tão difícil de perceber? Estacionar bem um carro, arranjar um semáforo, fazer uma rampa, ajudar quem não vê, será assim tão complicado? Não somos mais do que ninguém, é verdade, mas também não somos menos... Tudo se resume a isto: muitas dificuldades e poucas acessibilidades! Diana Oliveira Texto escrito para o concurso

Por lapso no nº 5 do jornal JÁ esta imagem ficou mal legendada. Apresenta-se, por esse motivo, aqui a legenda correta: junho de 2014 - JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa 31

Marcello Caetano

literário “percurso sensorial radical”


JIPré Turma F escolar

Educadora Olívia Resende

EB3 - Turma F

Dia da Família - 15 de Maio 2014 Trabalho realizado no ATL da EB2 na técnica de quilling sob a orientação da Profª Anabela Raimundo

Castelo do JI turma E Educadora Leonor Biscaia

32 JÁ - O Jornal do Agrupamento de Escolas de Condeixa - março de 2014

06 JÁ jornal do Agrup escolas de Condeixa jun 14  
06 JÁ jornal do Agrup escolas de Condeixa jun 14  
Advertisement