Page 1


Branna Uma novela de Slater Brothers Copyright © 2017 por L.A. Casey Todos os direitos reservados. Todos os direitos reservados. Exceto nos casos permitidos pelos Regulamentos de 2011 do Serviço Universal e dos Utilizadores (CE) n.º 337/2011 - Comunidades Europeias (Redes e Serviços de Comunicações Electrónicas), nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, distribuída ou transmitida sob qualquer forma ou por qualquer Significa, ou armazenado em um banco de dados ou sistema de recuperação, sem permissão prévia por escrito do autor. A digitalização, upload e distribuição deste livro através da Internet ou por outros meios sem a permissão do editor é ilegal e punível por lei. Por favor, compre apenas edições eletrônicas autorizadas e não participe ou incentive a pirataria eletrônica de materiais protegidos por direitos autorais. Este livro é um trabalho de ficção. Nomes, personagens, estabelecimentos, organizações e incidentes são produtos da imaginação do autor ou são usados de forma fictícia para dar um senso de autenticidade. Qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas, eventos ou locais é totalmente coincidência. Notas de licença Este ebook é licenciado para seu prazer pessoal somente. Este ebook não pode ser revendido ou dado afastado a outras pessoas. Se você quiser compartilhar este livro com outra pessoa, compre uma cópia adicional para cada destinatário. Se você está lendo este livro e não o comprou, ou não foi comprado para seu uso somente, a seguir regressar a seu varejista favorito do ebook e comprar sua própria cópia. Obrigado por respeitar o trabalho duro deste autor.


Folha de rosto Dedicação Capítulo um Capítulo dois Capítulo três Capítulo quatro Capítulo Cinco Capítulo Seis Capítulo Sete Capítulo Oito Capítulo nove Visualização de DAMIEN Agradecimentos Sobre o autor


Branna e Ryder amantes — BRANNA é para vocês, porque somente Deus sabe como vocês queriam que eu terminasse mais do que eu mesma. :)


Ter uma experiência de quase morte nas mãos de um lunático psicopata não era algo que eu esqueceria, mas eu estava fazendo um bom trabalho tentando. Minha família, por outro lado, não estava. Isso estava constantemente em suas mentes e não era algo que poderia apenas varrer para debaixo do tapete. Eu entendi isso e, mesmo eu amando sua atenção e preocupação com a minha saúde mental, eu estava a um passo de entrar em um asilo para me afastar dos loucos mandões. Eu odiava pensar assim porque me fazia parecer ingrata. Eu não era ingrata. Eu realmente entendia. Eu entendi quando fui sequestrada há cinco meses e tive uma horrível experiência com Big Phil, um americano cuzão que estava agora a seis pés sob minha família, onde se era esperado estar. Se eles não estivessem me cercando constantemente, eu poderia, possivelmente, ter lidado com a minha situação de outra forma. Mesmo que eu tenha recusado a dar ao desprezível qualquer poder sobre mim, mesmo na morte, eu apreciava minha família estando lá como uma espinha dorsal para mim, no caso de eu quebrar. Eu não quebrei, entretanto. Felizmente, eu mantive minha merda junta e não deixei Big Phil entrar nela. Às vezes, eu tinha o terror noturno ocasional, onde eu sonharia com o que aconteceu e acordaria com um suor frio, mas isso nunca me fez sentir medo de adormecer. O Conselho de Saúde que supervisionou o hospital de maternidade em que trabalhei me designou a ver um terapeuta que tinha que assinar dizendo se eu estava mentalmente estável o suficiente para continuar trabalhando. Eu originalmente teria seis sessões com ela, mas ocorreram vinte antes dela estar convencida de que eu estava mentalmente bem. Ela me liberou - graças a Deus - e admitiu estar surpresa de que eu não fosse mais um desastre depois do que eu tinha passado. A única razão pela qual eu poderia pensar por que eu não estava totalmente instável foi porque minha mente e coração tinham estado piores quando passei um ano e meio em meu pior momento com Ryder Slater. Ele era um homem único com um passado muito único. Eu normalmente só lia sobre as coisas que ele e seus quatro irmãos haviam passado em livros ou visto em filmes. Me


envolver com ele não foi assustador; Eu me apaixonei por ele tão rápido que fez minha cabeça girar, mas isso nublou meus sentidos e julgamento. Por causa disso, eu me permiti tornar-me próxima de uma pessoa que tinha inimigos e instantaneamente me tornei um alvo principal para esses inimigos. Minha irmã mais nova, Bronagh, encontrou seu próprio caminho para o irmão mais novo de Ryder, Dominic. Minha melhor amiga, Aideen Collins, ficou amarrada com o outro irmão de Ryder, Kane. A melhor amiga de Aideen, Keela Daley, emaranhou-se com outro irmão de Ryder, Alec. E a melhor amiga de Bronagh, Alannah Ryan, foi brevemente envolvida com o mais novo dos irmãos Slater, Damien. Essa associação colocou todos eles em risco. Literalmente todos eles. Quando minha irmã tinha dezoito anos, ela foi sequestrada por um desprezível ser humano chamado Marco Miles, que queria usá-la como um pedaço de barganha para manter os irmãos sob o seu comando. Damien e Alannah também foram tomados por segurança. Damien se lembrou de tudo o que aconteceu, mas Alannah não teve nenhum indício do que aconteceu, a não ser o que ela "desmaiou", e nós decidimos deixar dessa forma. Ela era pura, e nós não sabíamos se ela poderia lidar com o passado dos irmãos, e no que ela estava envolvida, sem a quebrar. Keela foi tomada pelo mesmo cuzão alguns anos mais tarde em uma tentativa de se vingar dos irmãos por terem destruído seu império. Quase dois anos atrás, Aideen foi atacada e quase queimada viva enquanto estava grávida de seu filho, Jax, porque outro desprezível nomeado Big Phil quis se vingar de Kane por matar seu filho pedófilo há muitos anos. Esse mesmo filho da puta me raptou há alguns meses para conseguir Kane, para que ele pudesse finalmente obter a vingança que sempre quis. Todas as tentativas falharam. Você pensaria que depois que isso acontecesse tantas vezes nós nos acostumaríamos com a ideia de alguém em nosso círculo sendo sequestrado e torturado, mas não, era difícil de digerir cada vez que nos encontrávamos em uma situação como essa. A única coisa que poderíamos agradecer era que todos do passado dos irmãos que tinham má vontade contra eles estavam mortos, então não precisávamos nos preocupar com nada acontecendo a nenhum de nós nunca mais. Que, deixe-me dizer, foi imensamente aliviante. Por causa do que passamos, eu entendi e validei o comportamento da minha família. Dito isto, era uma luta, mesmo assim, para lidar, porque minha irmãzinha era possivelmente a mais arrogante de todos. Ela estava lentamente me deixando louca. Ryder, meu marido recém-casado era mau, mas ele não se comparava a Bronagh. Ela se tornou minha sombra desde o meu ataque, mas ela recentemente intensificou seu jogo e grudou em mim como cola após o meu casamento de surpresa e anúncio de gravidez, três semana atrás. Eu estava agora casada com o amor da minha vida e esperando seu bebê, e isso pôs Bronagh em alerta total. Ela estava constantemente no modo eu-vou-implorar-a-Deuspara-Ele-proteger-minha-irmã. Eu não podia ficar zangada com ela, mesmo que ela às vezes me fizesse questionar por que eu não pedi uma ordem de restrição contra ela. Ela quer meu bem - era o que eu ficava repetindo para mim mesma sempre que o desejo de pegar o telefone e chamar a guarda surgia.1 O impulso era perigosamente tentador no momento atual. "Bee." Eu ri enquanto colocava um par de leggings dobrado em minha mala. "Você sabe que eu estou indo para minha lua de mel, certo? Isso significa que você não pode vir." Eu ainda não podia acreditar que eu estava indo para uma verdadeira lua de mel. Ryder me surpreendeu com um casamento, um belo casamento que era mais do que eu


poderia ter sonhado. Quando eu penso sobre isso, e como aqueles que eu amava estavam envolvidos nisso, eu ainda fico tonta e olho minha mão esquerda para verificar o meu anel, apenas para ter certeza de que era real e que eu não apenas me fiz acreditar que aconteceu. Eu estava realmente casada com Ryder Slater, e eu amava cada segundo. Estávamos saindo para o nosso pequeno refúgio mais tarde, à noite, e desde que eu tive mais mudanças no corpo do que o habitual no mês passado, significava que eu tinha deixado toda a minha bagagem para ser feita no último minuto. Eu não estava estressada sobre isso. De fato, eu não estava preocupada com isso de jeito nenhum porque Ryder e eu estávamos indo para uma cabana no fundo de uma floresta, a três horas de distância, onde não precisaríamos de muita coisa. O pacote que Ryder comprou foi um refúgio isolado com tudo incluído. A cabana que ficaríamos teria comida suficiente e suprimentos para as duas semanas que estaríamos lá. Originalmente deveria ser apenas uma visita de uma semana, mas Ryder estendeu-a para que tivéssemos um tempo a mais. Ele até mesmo está levando algumas guloseimas adicionais, desde que meu apetite e gula tinham crescido com cada semana adicionada em minha gravidez. Eu estava sonhando com isso desde que Ryder me contou sobre a fantasiosa viagem depois que nos casamos. Nós estávamos constantemente cercados por nossa família, e pessoas em geral, portanto, ir a algum lugar onde seríamos só nós dois por duas semanas inteiras me fez ficar retorcida em todos os tipos de nós. O bom tipo de nós que meu marido certamente passaria horas trabalhando com suas mãos, boca e lin... "Branna, você está me escutando? " Eu pulei quando a voz de Bronagh cortou minha linha de pensamento, e eu esperava que não estivesse com culpa estampada na cara . Eu limpei minha garganta. "Claro." Minha irmã murmurou: "O que eu disse então?" Merda. "Hm ... você estava dizendo que ... você ... que você deveria vir na lua de mel conosco, independentemente do que Ryder e todos os outros pensam ... certo? " Minha irmã ergueu as sobrancelhas. "Oh, você estava ouvindo. Desculpa."1 Eu teria me achado psíquica para adivinhar corretamente, se eu não conhecesse minha irmã tão bem. Ela tornou-se chocantemente previsível ao longo das últimas semanas. Eu conhecia cada movimento dela, e isso ajudou a manter-me saudável, porque eu sabia quando ela estava prestes a começar com algo insano. Como agora, eu silenciosamente resmunguei. "Então, sim", continuou Bronagh. "Eu devo ir. Vou ficar no meu quarto com Georgie porque eu obviamente tenho que levar ela. Não vamos incomodá-los, mas ... "Não", eu a interrompi. Ela estreitou os olhos para mim e disse: "Dê-me uma boa razão para não irmos." Eu poderia ter listado milhões, mas eu fui com a mais importante. "Porque é a minha lua de mel." "Então?" Bronagh bufou. "Nós podemos fazer disso uma lua em família e ..." Cortei a minha irmã com um riso alegre, e isso a irritou. "Você está agindo como criança agora", ela resmungou. "Estou falando sério sobre isso." Isso era o que o tornava tão engraçado. "Bee, você quer que eu vá em sua lua de mel?" Eu perguntei e sorri. "Pense bem nisso agora. Enquanto você e Dominic estão amando um ao outro tão forte quanto vocês possivelmente poderiam, você me quer no quarto ao lado pegando cada barulho de cada mordida, beijo, bofetada e estocada? "


O rosto de Bronagh se revirou de repugnância. "Pelo amor de Deus! Por que você tem que falar assim? " Ela perguntou, e tremeu, acho que por nojo. Eu amava que nós éramos ambas adultas, mas às vezes, eu ainda podia brincar com ela quando se tratava de conversar sobre sexo. Isso me lembrou a nossa diferença de idade de dez anos e que ela ainda era minha irmã mais nova, mesmo que ela não agisse como tal há muito tempo. Ela estava crescida e tinha uma criança agora, mas ela ainda era a pirralha irritante que tocava minhas coisas enquanto crescia, e ninguém poderia mudar isso. Nem mesmo ela. Sorri afetuosamente. "Porque você sabe o que você e Dominic fariam com tudo isso sozinhos. É exatamente o que eu e Ryder estaremos fazendo." Ela cruzou os braços sobre o peito e não disse mais nada. Esperei que ela refletisse em sua mente, e quando ela suspirou, eu soube que ela iria ceder e não pressionaria o assunto por mais tempo. "Muito bem." Dramaticamente jogou os braços para cima no ar. "Desisto. Vá ter sexo de macaco selvagem com seu marido por duas semanas, e eu vou segurar a barra aqui. " Eu levantei minha mão no ar, e ela bufou quando ela ergueu seu braço e bateu sua palma contra a minha. "Boa, irmã." Eu pisquei. "Se você não estivesse grávida", murmurou, "você estaria no momento em que você voltasse para casa." Eu sorri. "Eu sei; Ryder está tão animado que não precisamos mais usar preservativos. " Bronagh piscou. "Você não estava em controle de natalidade antes?" Eu balancei a cabeça. "A pílula não concorda comigo, e o Implanon no meu braço me dava dores de cabeça constantes. Você se lembra antes dos rapazes entrarem em nossas vidas, eu choraria com a dor antes que eu o tirasse?" A preocupação lavou o rosto da minha irmã. "Sim, isso é uma droga." Concordei com a cabeça. "Eu sei bem." "Então você e Ry estão apenas usando preservativos esse tempo todo?" Ela perguntou, suas sobrancelhas levantadas com curiosidade. "Sim." "Eu não teria apenas confiado nisso. Depois que Dominic e eu tivemos sexo pela primeira vez e depois de toda a merda de Marco, eu fui para a pílula imediatamente. Eu estava aterrorizada por engravidar porque estávamos fazendo tanto." Meus lábios se curvaram. "Você pode falar sobre sexo com Dominic, mas eu não posso falar sobre sexo com Ryder?" "Você pode, mas as vezes me deixa maluca." Eu ri. "Eu só estou provocando, mas sim, para nós, preservativos funcionaram. Uma ou duas vezes, eles rasgaram, mas Ryder percebeu de imediato e os mudou ou puxou para fora." "Mude de assunto." Bronagh gritou. "Sério." Eu gargalhei, mas rapidamente fechei a boca quando um grito agudo soou do andar de baixo. Minha irmã suspirou e levantou as mãos para seus seios quando disse: "Georgie está com fome." Sorrimos quando ouvimos os gritos ficarem mais altos quando passos pesados subiram as escadas, acompanhados de murmúrios e sons de beijos. Dominic estava trazendo sua filha para Bronagh, e ele estava fazendo isso na forma típica do papai.


Quando ele entrou no meu quarto, ele olhou fixamente para Bronagh, e por um segundo, suas pupilas dilataram. Eu amava quando pegava um vislumbre do segundo que ele pousava seus olhos nela. Era como se ele tivesse uma reação instantânea só de vê-la, e estivesse descobrindo de novo que ela era dele. Eu percebi quando ele olhou para ela quando eles eram apenas crianças, e sua reação para ela não hesitou em nada ao longo dos anos.1 "Mini Menina Bonita está com fome", ele disse, seus olhos ainda colados em Bronagh enquanto ele balançava Georgie do seu lado.7 Minha irmã abriu seus braços com um suspiro. "Ela está sempre com fome." "Não há nada de errado nisso" disse Dominic, enquanto cruzava o quarto e abaixava Georgie para os braços de sua mãe. Minha sobrinha, que ainda estava se balançando, se acalmou quando Bronagh abriu um pequeno fecho de correr em sua camiseta sob a sua mama esquerda, expondo seu mamilo para sua filha, apenas. Georgie imediatamente agarrou-o e começou a se alimentar, embora ela continuasse a se balançar. Adorei a roupa de amamentação que Dominic deu para Bronagh. Ela amava amamentar, mas não se sentia confortável ao fazê-lo em público. Antes das roupas, ela iria a algum lugar privado para alimentar a filha, mas agora, ela poderia alimentá-la em qualquer lugar. As peças eram elegantes, modernas e eram completamente normais, mas em torno da área do peito, debaixo de cada mama, tinha um fecho de correr minúsculo que poderia ser aberto para revelar o mamilo. A bebê começou a se alimentar, e a mãe não foi exposta em tudo. Isso era brilhante, e eu amei Dominic um pouco mais por pesquisar on-line e descobrir sobre elas quando Bronagh se expressou apenas como "desconfortável" o que sentia quando alimentava em público. Georgie odiava estar sob uma capa, e Bronagh detestava não ser capaz de usar um, mas agora, estava tudo certo. Eu não podia esperar para ter algumas peças das roupas para o meu próprio guardaroupa. "Ow!" Bronagh sibilou repentinamente ganhando a atenção de mim e de Dominic. Eu estremeci. "Ela mordeu você?" Bronagh assentiu enquanto ajustava seu mamilo na boca de Georgie. "Um minúsculo dente cortou em sua gengiva superior, e tem estado me arranhando quase sempre" "Ela vai aprender a mantê-los longe quando seus dentes nascerem completamente. Agora, provavelmente é irritante para ela também." Bronagh assentiu enquanto olhava de Georgie para mim. "Ela nos acordou por algumas horas na noite passada, chorando. As bochechas estavam vermelhas, e ela estava mordendo tudo. Eu coloquei alguns mordedores no freezer ontem, e quando eu dei um com um gel de dentição para entorpecer as gengivas, ele relaxou. A frieza e algo para mastigar a fez voltar a dormir." Eu fiz uma careta. "Dentição é uma merda." "Eu só odeio que ela está sofrendo, e não podemos fazer muito sobre isso", disse Dominic e se inclinou para beijar a cabeça de Georgie. Bronagh sorriu para ele e depois para mim, então disse: "Você deveria ter visto ele. Ele estava pulando e fingindo que ficava assustado toda vez que ela gritava, o que a fazia rir. Ele estava cantando, tentando a distrair da dor. Foi tão fofo. "1 Eu chiei um "aw" fofo ruidosamente, e Dominic me furou com os olhos, e depois fez o mesmo com Bronagh. "Eu sou farto de masculinidade," ele disse a ela, estufando seu peito. "Não me chame de fofo."


Coisa estúpida a se dizer. "But you're me cutie mac cutie cute pie", minha irmã cantou. Eu ri enquanto Dominic rosnava. Eu olhei para minha sobrinha quando ela de repente começou a chorar. "Georgie, querida, por favor, não faça isso de novo." Bronagh suspirou. Eu fiz uma careta. "O que está errado?" "As duas últimas semanas foram assim, ela vai trancar em seguida, destrancar e fazer sons como se estivesse empolgada. Eu tive que influenciar ela a comer ultimamente, mas ela fica lutando. Não me lembro da última vez que ela mamou e não me preocupei." Uh-oh. "Está me incomodando" continuou Bronagh. "Ela perdeu mais do que uma alimentação inteira quase todos os dias. Quando ela mama, não dura muito tempo, e é uma bagunça comigo. Eu tive que bombear extra na noite passada, mas eu não consegui muito no final." Mordi meu lábio, e minha irmã viu. "O quê?" Ela perguntou. Eu balancei minha cabeça em resposta. "Branna" ela pressionou. "Eu poderia estar errada," eu disse hesitante. "Ela pode estar doente, ou poderiam ser seus dentes, mas parece que ela quer...desmamar. " "Não." Minha irmã riu. "Ela só tem quatro meses de idade." Eu inclinei minha cabeça. "E?" "E, os bebês não desmamam até que estejam muito mais velhos." Eu franzi as sobrancelhas. "Quem lhe disse isso? Os bebês podem desmamar a qualquer momento; só é mais comum desmamar quando estão mais velhos. Todos os bebês são diferentes, e eles não seguem um cronograma. Além disso, se o seu suprimento é baixo, ela provavelmente está ficando irritada com a sucção e não pegando muito leite ". Minha irmã olhou para mim, então ofegou. "Meu Deus, Branna." Eu estendi a mão e coloquei minhas mãos em seu braço, ao mesmo tempo que Dominic colocou suas mãos sobre os ombros dela. "Ela não pode estar desmamando; Isso pode ser apenas seus dentes chegando, tirando-a de sua rotina." "Mas apenas no caso de estar acontecendo, respire fundo porque isso é totalmente normal. Embora não seja o que você espera, isso acontece com muitas mamães. Você pode tentar pôr em uma garrafa e ver como ela toma, se quiser?" "Eu não tenho leite em pó; Eu só amamentei ..." "Eu vou na loja e pego uma caixa de leite em pó", Dominic cortou Bronagh. "Eu estarei de volta antes que você perceba." Eu disse para Dominic que marca trazer, então ele correu para fora do quarto. Quase instantaneamente, minha irmã explodiu em lágrimas enquanto ela olhava para a filha, que ainda estava se agitando e empurrando-se para longe de sua mama. Eventualmente, Georgie abandonou a alimentação, inclinou-se contra Bronagh e começou a mastigar seus dedos, sem interesse no peito de Bronagh. "Sou uma mãe horrível" gritou Bronagh, com os olhos cheios de desespero. "Eu não posso nem mesmo alimentar minha própria filha" "Ei, ei," eu disse suavemente e me inclinei, abraçando minha irmã. "Não é você. Isso é tudo Georgie. Ela está comendo um alimento sólido por você agora, e ela pode querer


leite, também. Nós sempre soubemos que ela se tornaria uma pequena senhora independente, certo? "Sim, mas quando ela fosse mais velha." Minha irmã fungou. "Não agora." Eu franzi o cenho enquanto ela continuava. "Eu sei que eu me queixo sobre a amamentação, mas eu não quero dizer isso. Eu fico tão cansada às vezes." "Bronagh," eu disse suavemente. "Toda mãe que amamenta passa por isso em algum momento". "Eu sei" gritou ela. "Eu só não queria que fosse agora." Eu não disse nada mais; Simplesmente consolava a minha irmã. Nada do que eu dissesse ou fizesse a faria se sentir melhor. Teria que aceitar isso sozinha, e o faria com o tempo. Uma hora depois que nós percebemos porque Georgie estava agindo daquela maneira, ela bebeu metade de sua mamadeira que Dominic comprou no supermercado e comeu mais da metade de uma pequena tigela de purê de cenoura. Ela amava sua comida sólida, e ter uma barriga cheia iluminou-a. Ela começou a falar em sua língua de bebê. Alto. Bronagh disse que foi a primeira vez em duas semanas que ela bebeu o seu leite, teve controle de alimentos sólidos, e não lutou contra eles, nem se levantou como ela fazia quando amamentava. Eu vi nos olhos da minha irmã no momento em que ela percebeu completamente que Georgie estava, muito possivelmente, em desmame, e eu podia ver que ela quebrou em duas. "Ela é você toda", eu disse para Bronagh para tirar sua mente daquilo. "Uma boca grande." Dominic riu baixo, enquanto minha irmã sorria levemente. "Quem é minha garota favorita em todo o mundo?", Perguntei a Georgie, que agora estava deitada na minha cama comigo pairando sobre ela. "Se você não disser que sou eu," minha irmã cortou, "eu vou ficar extremamente machucada." Georgie riu para mim, bateu palmas e chutou as pernas gordas, o que me fez sorrir. Ela estava em muito melhor forma agora que ela foi alimentada. "Diga a mamãe para ir embora" eu murmurei. Bronagh resmungou para si mesma, e tudo o que ela disse fez Dominic rir. "Eu sei", eu disse para minha sobrinha quando ela começou a falar em seu próprio idioma, soprando bolhas de cuspir. "Diga-me tudo sobre isso ... de jeito nenhum, ela realmente disse isso ... oh, meu Deus ... o que você fez ... não, você. Não! "1 Quanto mais falava com Georgie, mais agitada e mais animada ela ficava. "O que a minha esposa está fazendo?" Meu corpo ficou em alerta quando ouvi sua voz. Minha pele tornou-se hipersensível, minha respiração parou, meus mamilos se endureceram, e sim, meu clitóris pulsou para a vida. Minha reação foi a de um adolescente que descobriu sua mão direita. Eu só poderia colocar metade da culpa disso em meus novos hormônios da gravidez, porque a outra metade era puramente por eu ser uma mulher de sangue vermelho, excitada com tudo sobre Ryder Slater. Eu não poderia ser culpada por isso, porque meu marido era quente. "Ela está em uma discussão muito intensa com Georgie." Dominic respondeu a seu irmão. "Você sabe ... conversa de menina."1 A risada de Ryder me fez estremecer. "Eu não estou familiarizado com a conversa das meninas; Tento evitá-la a todo custo."


Eu bufei. "Por favor, nós garotas falamos o tempo todo. Você simplesmente não percebe que é conversa de garota. " Dominic riu de seu irmão, mas calou-se quando Bronagh disse: "Eu não sei por que você está rindo. Nós meninas conversamos o tempo todo, e nós assistimos 'Jovens e Mães' juntas. "1 Alec foi culpado por isso. Ele fez Kane e Dominic viciados nisso depois que ele percebeu que uma das estrelas do show era agora uma estrela pornô de algum tipo. Claro, todos assistiram ao vídeo pornô antes do show, e agora eles apenas julgam todos e suas habilidades parentais no show. Apenas um deles era pai na época, mas todos falavam merda de qualquer maneira. "Calma, mulher" respondeu Dominic a minha irmã. Eu cobri minhas mãos sob as axilas de Georgie e então a levantei contra meu peito. Eu adorava que ela estivesse muito mais resistente agora. Ela tinha mais de quatro meses de idade e estava bem e verdadeiramente fora da fase recém-nascida. Ela estava acordada mais do que ela estava dormindo, ela gritava- tão fodidamente alto - e ela gostava do seu tummy time e ficar assistindo desenhos animados na televisão. Tudo isso era só quando eu estava cuidando dela, embora, então eu só poderia imaginar como ela era quando estava em casa com seus pais. Tudo sobre ela era amplificado. "Eu vou sentir sua falta", eu disse e dei-lhe beijos por todo o rosto, fazendo-a rir quando ela tentou morder meu rosto, quando me aproximei de sua boca. Eu sabia que Ryder estava atrás de mim antes de me virar - eu sentia o quão perto ele estava de mim. "Bee, rápido", ele começou, "leve a criança antes que minha esposa mude de ideia e cancele nossa lua de mel." "Talvez eu devesse deixar Georgie com ela, se esse for o caso." Ryder rosnou para minha irmã enquanto eu ri. "Eu estou bem", eu assegurei-lhe enquanto me endireitava e me virava. "Eu só não estou conseguindo seguir adiante por não ver este pudim por duas semanas." A expressão de Ryder se suavizou, e ele desviou seu olhar de mim para nossa sobrinha. Ele levantou os braços, estendeu as mãos para Georgie, e ela quase se inclinou na direção dele. Ela não tinha levantado as mãos para ir a ninguém ainda, mas eu tinha um pressentimento que isso iria mudar nas próximas semanas. A criança tinha todos os seus tios debaixo sob controle, assim como Jax tinha. Todos os irmãos Slater eram grandes, maus, e não se importavam com nada... mas se você colocasse um bebê na frente deles, eles se tornavam os maiores otários conhecidos pelo homem.1 "Eu também vou sentir a falta dela", Ryder disse e beijou sua bochecha gordinha. Georgie descansou a cabeça em seu ombro enquanto usava sua mão para brincar com o anel em seu colar. Era o anel de casamento dele. Ele teve que colocá-lo em uma corrente, porque ele perdeu a coisa mais vezes do que eu poderia contar desde que nos casamos há apenas três semanas. Ele não estava acostumado a usar qualquer coisa em seus dedos, então quando ele a tirava para lavar as mãos, às vezes esquecia de colocá-lo de volta. Normalmente, era no nosso banheiro ou na nossa cozinha, mas recentemente, ele entrou em um banheiro público para lavar as mãos e saiu sem colocá-lo novamente. Felizmente, ele percebeu no segundo que deixou o banheiro e correu atrás dele. Naquele mesmo dia, ele comprou um colar longo e colocou o anel nele. Ele disse que preferia no colar porque estava mais perto do seu coração. Ele era um conquistador, se eu já tivesse conhecido um. 1 "Georgie," eu disse, ganhando a atenção de minha sobrinha. "Eu te amo."


Ela sorriu para mim, e isso nos fez rir porque suas gengivas desnudas apareciam ... ou suas gengivas quase desnudas. "Eu posso ver o dente que você mencionou, Bee", eu disse enquanto levantava minha mão e colocava o dedo mindinho na boca de Georgie para que eu pudesse sentir. "Branna, não!" "Ow!" Eu gritei e peguei minha mão. "Ela me mordeu." Georgie riu e Ryder e Dominic também. "Tentei avisá-la", minha irmã estremeceu. "Ela morde tudo agora. Cada. Coisa." Eu esfreguei meu polegar sobre meu dedo latejante. "Essa é a última vez que eu coloquei os dedos perto de sua boca", eu disse para Georgie e brincando estreitei meus olhos. "Ela vai aprender a não colocar os dedos perto de sua boca também," Dominic meditou. Olhei para ele. "Por que não?" "Seu sobrenome é agora Slater, mas você é uma Murphy de coração, e as garotas Murphy mordem" "Isso é verdade." Bronagh gaguejou. "Georgie é uma Slater, mas ela também é uma Murphy. Ela vai ser um pouco de cada um de nós." "Que Deus me ajude" disse Dominic, provocando. Eu ri. "Oh, desista Somos inofensivas." "Quando estão dormindo" comentou Ryder. Eu engasguei. "Como você ousa!" "Meu erro." Meu marido sorriu. "Você morde mesmo quando dorme. Eu tenho marcas para provar isso ". "É culpa sua por me despertar por sexo; Você sabe que nunca acaba bem para você. " "Merda." Ryder riu. "Nove de dez vezes, eu consigo o que eu acordei para fazer." Eu arqueei uma sobrancelha. "Mas ainda há uma chance de que isso possa dar muito errado". "Vale a pena correr o risco." Tentei não sorrir, mas fracassei. "Vocês dois são tão fofos que realmente me fazem sentir doente." Olhei para minha irmã. "Talvez você esteja grávida novamente." Bronagh sibilou. "Não brinque!" "O que há de errado com você estar grávida de novo?" Dominic perguntou, seu tom de voz desagradado com o óbvio silvo de raiva de sua noiva. "Georgie tem apenas quatro meses de idade", disse minha irmã em um tom como se dissesse 'duh'. "E? Jax tem dez meses de idade, e Aideen não está longe de sua data de parto com seu segundo bebê - respondeu Dominic. "Aideen é uma máquina" disse Bronagh. "Eu não sou." "Eu quero outro bebê, no entanto," ele disse, nenhum traço de humor em seu tom. Eu compartilhei um olhar com Ryder que balançou a cabeça para mim, silenciosamente me dizendo para não me meter. Eu mentalmente grunhi porque eu ainda estava aprendendo a manter o meu nariz fora do relacionamento de minha irmã, especialmente quando um argumento me ocorreu. "Você não pode fazer um bebê aqui", eu disse, esperando quebrar a tensão. "Ainda estamos presentes." Os lábios de Dominic se contraíram, indicando que ele me ouvira, mas ele não desviou o olhar de Bronagh enquanto ele aguardava sua resposta. Ela estava mordendo o lábio inferior, mostrando o nervosismo.


"Mas eu só tenho seis quilos para voltar a meu peso pré-gravidez." Se eu ouvisse sobre seu peso ou sua dieta mais uma vez, eu ia chutá-la. Era tudo que ela falava sobre, e se eu ficava farta, eu só podia imaginar o quão irritado Dominic ficava. "Querida, vamos lá. Você teve Georgie há quatro meses, e você já tem um corpo de sonhos molhados" ele disse e puxou-a contra seu peito. "Você sabe que eu quero cinco filhos, pelo menos, e você foi a única que disse que queria que eles fossem próximos em idade."1 Bronagh estreitou os olhos. "Não use minhas próprias palavras contra mim, Fuckface." Eu brincava com ela enquanto eu estendia a mão e cobria as orelhas de Georgie. "Língua!" Dominic sorriu para Bronagh quando ela se encolheu quando ela olhou para mim e disse "Desculpe". Olhei para minha sobrinha quando tirei as mãos e disse: "Sua mamãe tem a boca de um marinheiro." "Isso não é verdade." disse Dominic, em seguida, grunhiu quando eu imaginei que Bronagh lhe tivesse dado um soco no estômago. "Mais quatro" murmurou ele. "Esse era o acordo." "Você fez um acordo sobre quantas crianças você iria ter?" Eu perguntei em uma risadinha. "Nós conversamos sobre isso no meio da minha gravidez da Georgie", disse Bronagh com um grunhido. "Dominic e os irmãos têm essa coisa estranha sobre o número cinco. Há cinco deles, então eles querem cada um cinco filhos. " Eu me lembrei de Keela chamando Alec e perguntando sobre isso um par de anos atrás, e ele mencionou a mesma coisa, mas eu pensei que era apenas uma piada. "Bem, eu não estou tendo cinco filhos", eu disse firmemente. "Tenho trinta e três anos e não planejo gastar o resto de meus trinta grávida. " Minha irmã imediatamente olhou para Ryder. "Agora você tem um problema ", ela disse, então sorriu para mim quando eu olhei para ela. "Por que não, Bran?" Ryder me perguntou, pisando entre mim e minha irmã para forçar meu foco nele. Eu dei de ombros. "Porque é um monte de crianças." "Sim," Ryder concordou. "É, mas é um bom número." Para ele talvez. "Nós dois temos trinta e três anos, se eu tiver mais quatro após este, levará anos para aparecerem todos eles. Isso não é adicionado no tempo que seria necessário para engravidar. Tivemos sorte neste bebê, mas nem sempre funciona assim. Às vezes, tentar pode levar muito tempo." Especialmente os mais velhos. "Branna, não somos velhos" disse Ryder, sacudindo a cabeça. "Estamos em nossos trinta e poucos anos. Desde quando isso é velho? " "Desde que comecei a tingir o cabelo a cada três meses para esconder meus cabelos brancos!" Eu ainda me sentia mal por isso. Minhas raizes não estavam crescendo com o marrom escuro mais; Elas estavam crescendo com um marrom e um cinza mais claros. Eu tinha apenas trinta e três anos, e meu pigmento estava desaparecendo. Isso quebrou meu maldito coração.


"Sério?" Bronagh estremeceu atrás de Ryder. "Isso é uma merda." Eu joguei minhas mãos para cima. "Veja!" Eu disse. "Bronagh sabe a importância do cabelo e o que significa 'cinza'." Significava que eu estava ficando velha. "As pessoas podem adquirir cabelos grisalhos por qualquer coisa, não apenas por envelhecer", comentou Dominic. "Eu coloco a culpa do estresse no seu caso. Você passou por um inferno de muita coisa no último um ano e meio, e você tem um trabalho agitado ". Inclinei-me à direita e cerrei os olhos. "Sai fora, Slater." Ele apertou a boca, mas os cantos de seus lábios apareceram em um sorriso. Olhei para Ryder então, rapidamente para baixo, para Georgie quando ela começou a cantar uma espécie de música. Eu sorri para ela. "Você tem uma bela voz cantando, amor." "Nós não terminamos essa conversa", Ryder disse, divertido com o fato de que eu estava a ponto de ignorá-lo. "Nós temos duas semanas inteiras para conversar sobre isso, e você não pode esconder de mim onde estamos indo com isso." Meu coração deu um pulo. "Promessas, promessas," eu brinquei. Ryder rosnou, e isso me fez sorrir. Oh, sim, isso ia ser uma lua de mel divertida.


"Más notícias, Doçura." Meu coração parou nas palavras de Ryder. Um flashback aterrorizante de estar em minha cozinha há muitos anos e ele me dizendo que Bronagh tinha sido raptada passou em minha mente, e um sentimento doentio de medo girou em meu estômago. "O que houve?" Eu perguntei, nervosa, enquanto apertava o punho da minha mala. Eu estava no meio de puxá-la para o corredor, para deixá-la ao lado da porta da frente de nossa casa. "Não podemos sair até amanhã." Ele franziu a testa, seus ombros cedendo. "Está previsto chuva pesada esta noite, e eu não quero correr risco com você no carro." Minha reação física espelhou a de Ryder. Meus ombros caíram em desapontamento, e meu rosto caiu, mas meu coração praticamente desinflou de alívio. Eu estava triste porque tivemos que esperar mais um dia para a nossa fuga, mas notícias ruins de um dos irmãos geralmente significava um deles dizendo-me que a minha irmã ou um dos meus amigos estavam em grave perigo, então essa notícia era mais fácil de digerir, mas eu não podia dizer aquilo a Ryder. "Está tudo bem", eu assegurei-lhe quando ele franziu o cenho mais profundamente com minha reação. "É apenas uma noite, certo?" Ele rapidamente acenou com a cabeça. "A tempestade quebra durante a noite, então podemos ir ao amanhecer." Olhei para minha mala grande ao lado da mochila pequena de Ryder e disse: "Bem, pelo menos já estamos embalados." Olhei de volta para meu marido e sorri para ele quando ele se adiantou e pressionou seu corpo contra o meu. Meu pulso acelerou quando suas mãos foram para o meu traseiro. Eu me assustei quando Ryder capturou meus lábios em um beijo surpresa. Levantei meus braços e coloquei minhas mãos em seus ombros, cavando minhas unhas em sua pele. Ele sibilou, e me deu a oportunidade de agarrar seu lábio inferior com os dentes. Eu gentilmente mordi e então suguei ele. Eu zuni quando senti seu corpo tremer.


"Preciso de você," ele murmurou. Ele precisava de mim. Eu soltei seu lábio. "Você me tem, querido." Ryder me pressionou contra a parede no corredor, e isso me fez rir. "No corredor?" Eu perguntei, depois gemi quando seus lábios foram para o meu pescoço, e ele se concentrou em meu ponto frágil. "Mas Damien ..." "Está no Dominic", meu marido me cortou, sua respiração dificultada. Onde Dominic estava, Damien não estava longe. Eu chiei "Seu homem baixo." Eu ouvi o zíper de Ryder sendo abaixado, e eu senti seus movimentos apressados, quando ele empurrou rapidamente seus jeans para baixo, seguido da minha calça e calcinha, as empurrando para meus joelhos. Ele cuidadosamente virou-me pressionando minhas costas contra seu peito. Sua excitação e clara fome por mim espalhou um calor entre minhas coxas quase que instantaneamente. "Você me faz ficar como um garoto na pré-puberdade," ele rosnou, e deu uma tapa na minha bunda nua. Olhei por cima do ombro e sorri. "Você é todo homem, querido." "Pode apostar sua bunda que eu sou." Ele desapareceu quando caiu de joelhos atrás de mim, e esse movimento foi a única indicação que eu tive ao que ele estava indo fazer, um segundo antes de sentir sua língua mergulhar em minha vagina exposta. "Oh, porra!" Agarrei-me na mesa lateral mais próxima de mim, e forcei meus joelhos a não se curvarem. Minha excitação rapidamente mudou para uma necessidade urgente. Meu clitóris latejava, cada pulsação agindo como uma demanda pela atenção da habilidosa língua de Ryder. Eu soltei a mesa com a mão direita com a intenção de acariciar meu clitóris, mas uma onda de desejo atingiu meu corpo, e eu precisava segurar a mesa para ficar em pé. Sexo para mim durante esta gravidez só tinha sido incrível. Cada lambida e estocada era inacreditavelmente incrível. Eu estava tão sensível que o menor dos toques me enlouquecia. Chegava ao meu ápice rapidamente, muitas vezes, e não me envergonhava. Eu abraçava o inferno fora dele e assim fazia meu marido. "Tão sensível", Ryder rosnou contra minha carne sensível enquanto mergulhava sua língua profundamente em mim mais uma vez. "Ryder," eu gemia, tentando não virar para ele. "Meu clitóris, por favor." Ele afastou meus joelhos com a mão, o que era difícil de fazer, já que minhas canelas estavam presas com minha calça, mas ele usou o espaço e colocou suas mãos em minhas pernas e lentamente as moveu para cima, massageando o lado interno de minhas coxas ao longo do caminho. Segurei minha respiração quando seu polegar mergulhou em minha buceta, em seguida, deslizou sobre meus lábios, enquanto ele se aproximava do meu clitóris dolorido. O primeiro toque enviou um espasmo por todo o meu corpo, e eu sabia que eu estava a poucos segundos do meu orgasmo. Ryder também. Ele se abaixou e girou o polegar em um delicioso círculo que, literalmente, me tirou o fôlego. Por um segundo ou dois, o próprio tempo parou, e um sentimento próximo à dor se acendeu antes que pura felicidade a substituísse. Pulsação após pulsação, fui lavada em ondas de puro êxtase, e se não fosse por Ryder me sustentando, eu cairia no chão como um saco de batatas. Quando a pulsação do prazer diminuiu, eu eventualmente abri os olhos e, em vez de dizer algo atrevido para


meu marido, um estrangulado grito delicioso deixou minha boca, quando Ryder dirigiu seu comprimento para as profundezas do meu corpo. "Céu," ele rosnou. "Você se parece com o céu. Todo." Estocada. "Santo." Estocada. "Momento." Estocada. Eu restabeleci minha posição sobre a mesa diante de mim e segurei com toda força possível. Os dedos de Ryder penetraram na minha carne quando seu aperto em meus quadris aumentou. Eu não precisava perguntar se ele estava bem porque o acelerado ritmo de suas investidas me dizia o quão bem ele estava. "Foda-se, Doçura" ele gemeu. "Não vai durar muito hoje, você está muito perfeita." Eu zunia em resposta e empurrei de volta contra ele, pressionando-o mais fundo . "Como um maldito vício", ele sibilou. Ryder bateu em mim uma, duas, três vezes, e então seus movimentos se agitaram quando ele chegou ao seu limite. "Branna," ele rugiu. Eu me inclinei para a frente, pressionando minha bochecha contra a superfície de madeira fria da mesa, e tentei controlar minha respiração. Foi só naquele momento que eu percebi o quanto eu estava sem fôlego, e eu estava preocupada porque parecia que eu tinha acabado de correr uma maratona. "Baby?" Ryder disse, colocando uma mão em minhas costas. "Você está bem?" "Bem," eu murmurei. Ele se afastou de mim, e eu franzi o cenho diante da perda. Eu adorava fazer sexo com Ryder; A conexão dele dentro de mim não era algo que eu já tivesse sentido antes. "Você não parece bem", ele disse enquanto me endireitava, para que ele pudesse se mover para minha frente e olhar para mim. Inspirei e expirei duas vezes antes de responder. "Você vai me matar um dia", eu brinquei. "Sexo assassino. Essa seria uma boa maneira de partir." Ryder franziu o cenho. "Não brinque sobre isso." Meus lábios se contraíram. "Desculpa." Ele tirou meu cabelo do meu rosto e simplesmente olhou para mim. Eu corei. "O que?" "Sua respiração," ele disse, seu tom firme. "Está ficando pior. Qualquer tipo de atividade cansa você quase que instantaneamente, e você luta por sua respiração. " Sua atenção ia lhe dar um ataque de pânico um dia. "Estou grávida, Ry. O cansaço é normal, e quanto maior eu fico, mais fôlego tenho que tomar. Eu vou ser capaz de dizer se isso se tornar um problema, no entanto, ok? Não se preocupe tanto." "Você é minha esposa, e está grávida de nosso filho. Preocupar-me é tudo que eu tenho feito durante estas três semanas." Eu estendi a mão e pressionei minha palma contra sua bochecha. "Estou bem. Eu juro." Ele suspirou. "Ok." Eu pisquei, então me abaixei para puxar minha calcinha e minha calça para cima, mas Ryder fez isso por mim. Quando eu já estava decente, subi as escadas para o banheiro a fim de me limpar. Quando saí do banheiro, Ryder estava encostado na parede de frente para mim, e eu não pude deixar de rir dele. "Você achou que eu fosse cair no banheiro?" Ele bufou. "Você faria qualquer coisa possível, Doçura."


Eu caminhei até ele. Ele inclinou a cabeça para baixo e esfregou a ponta do seu nariz sobre minha bochecha quando eu parei em sua frente. Eu sorri mais quando senti suas mãos tocarem minha barriga. "Eu sinto como se houvesse alguma coisa entre nós", ele brincou enquanto passava as mãos sobre o meu colo de bebê crescente.1 Meus lábios se curvaram para cima. "Apenas sua criança ativa." Eu senti o chute do bebê naquele momento. Era como se ele ou ela soubesse que era o tema da conversa. Ryder sorriu quando um segundo baque veio do meu ventre. Ele correu o polegar sobre o local exato e disse: "Eu não posso esperar até que você esteja grande o suficiente para que eu possa ver o bebê se mover em sua barriga."1 Eu me encolhi. "Eu posso esperar porque isso sempre me enlouqueceu e sempre vai me enlouquecer." Ryder riu e beijou minha testa. "Eu te amo." Ele me dizia isso pelo menos dez vezes por dia desde que reatamos há alguns meses atrás. Ele dizia que estava se recuperando de todos os dias que ele não me disse quando estávamos mal, certificando-se de que eu soubesse todos os dias o quão profundo era seu amor por mim. "Eu também te amo," eu respondi, fazendo jus as palavras com cada fibra do meu ser. Ele me deu um aperto e disse: "Dominic está preocupado com Bronagh." A dor bateu no meu estômago. "Eu sei." Engoli em seco. "Ela ficará um pouco deprimida por um tempo se Georgie estiver verdadeiramente em desmame. Ela tentou sorrir e agir como se ela não sentisse tanto sobre isso, mas eu podia ver o quão perto ela estava de quebrar quando eles estavam saindo mais cedo. " "Dominic ligou enquanto você estava no banheiro e disse que levou Georgie para Gravity com ele e Damien, apenas para dar a Bee algum tempo para si mesma. Ele disse que ela continua chorando quando ela olha para a bebê."1 Meu coração doeu. "Eu estou indo para lá passar algumas horas com ela, só para ela não ficar sozinha. Eu tenho tempo, já que vamos ficar aqui por outra noite. Eu não sei como ela se sente, mas eu sei que não é algo que ela deve lidar sozinha. Ela vai mandar Dominic embora para ele não se preocupar, mas não eu." "Vou levar você." Eu dei a Ryder um olhar severo. "Vou dirigir, já que ainda não estou grande o suficiente para precisar de ajuda". Graças a Deus. Os lábios do meu marido transformaram-se em uma linha, mostrando sua decepção. Coloquei minhas mãos em meus quadris já crescentes. "Diga o que quer que você queira dizer." Ele não hesitou. "Eu não me sinto confortável com você-" "Dirigindo?" Eu terminei. "Eu não entendo por que." "Você está grávida, Branna." Muito perspicaz da sua parte. "Estou ciente disso, querido, mas isso não significa que eu não possa dirigir. Eu não vou me estressar e me preocupar com tudo o que poderia acontecer durante esta gravidez, ok? Me recuso a viver a vida com medo. " Eu vivi assim uma vez, e eu jurei nunca mais gastar um outro minuto perdida na escuridão desse tipo de temor.


Ryder ainda não estava feliz por eu ter segurado minha independência tão rapidamente, depois das coisas horríveis que eu tinha vivido alguns meses atrás. Eu acho que ele preferia quando eu não queria sair sozinha, mas felizmente, ele cedeu e acenou com a cabeça uma vez, aceitando minha decisão. Eu me inclinei na ponta dos pés e biquei seus lábios para mostrar o meu apreço por ele deixar o assunto terminar, embora eu soubesse que era difícil para ele relaxar no "Modo de Proteção à Branna" "Vou ligar para você assim que eu chegar lá, isso te faz sentir melhor?" Ele segurou minha cintura firmemente com suas mãos grandes. "Faria." Eu pisquei. "Considere isso feito." "Podemos conversar sobre futuros bebês quando você voltar", ele disse, sem se preocupar. Esfreguei a base do meu pescoço. "Ry..." "Mais tarde." Ele beijou minha testa, virou-se, desceu as escadas e entrou na cozinha, me deixando o encarando. Quando ele estava fora da minha vista, eu balancei a cabeça para sua teimosia e desci as escadas, em seguida, saí de casa. Vinte minutos depois, eu estava estacionando o carro de Ryder - não, nosso carro - na entrada da casa de Dominic e Bronagh. Tinha vaga desde que Dominic não estava lá. Soltei meu cinto de segurança e saí do carro. Eu usei a chave da minha casa para entrar. Eu tinha prometido respeitar a privacidade da família de Bronagh e jurado usar minha chave apenas para emergências, mas isso era uma espécie de emergência, então eu estava colocando-a em bom uso. "Bee?" Eu gritei quando fechei a porta atrás de mim. Quando o silêncio me respondeu, eu fiz uma careta. "Bronagh?" Eu gritei mais alto. Eu chequei a sala de estar e cozinha, e quando as encontrei vazias, eu olhei no andar de cima, mas não tinha sinal dela ou alguém em qualquer um dos quartos. "Onde diabos você está?" Eu murmurei para mim mesma enquanto tirava meu telefone do bolso e discava o número da minha irmã. "'Alô?" Uma voz que não era da minha irmã respondeu no quarto toque. "Keela?" Eu disse, confusa. "Por que você está com o telefone de Bronagh?" "É uma longa e maluca história, Bran" resmungou ela. "Eu tentei avisar você, mas o sinal nessa área é uma merda. Onde está você?" "Estou na casa de Bronagh", respondi, colocando minha mão livre no meu quadril. "Ryder me disse que Dominic saiu com Georgie e Damien para Gravity para que ela pudesse ter algum tempo para ela. Temos certeza de que Georgie está parando de mamar, e Bronagh está tendo um momento difícil por isso." "Oh, eu ouvi tudo sobre." "Ela está com você, então? " Eu perguntei. "Eu pensei que ela talvez tivesse ido te ver e esquecido o telefone dela com você e assim você está com ele." "Não, eu estou com ela. Alannah também. " Por que ela soava tão estranha? "Qual é o problema?" Eu questionei. "Pergunte-me onde estou" disse Keela, ofegante. Eu pisquei. "Ok, onde você está?" "No Crough's Pub." "Porra." "Sim, tudo sobre isso é uma merda." Ótimo. "Então," Keela continuou.


Eu gemi. "Então?" "Alannah e Bronagh" começou ela. "O que tem?" "Elas estão ... bem ... elas estão ... bêbadas."1 "Oh, Jesus," eu empalideci. "De novo não." "Sim, de novo." Os portões do inferno reabriram. Fechei os olhos. "Você tem certeza?" "Oh, tenho certeza." Keela bufou. "Alannah está rebolando e Bronagh está tirando as roupas. Você pode querer chamar os rapazes porque elas não vão me ouvir. Ah, porra, elas estão começando a cantar karaokê. Preciso de apoio! "1 "Eu estarei aí o mais rápido possível". Eu desliguei, disquei o número de Dominic, e fiquei contente quando ele respondeu no terceiro toque. "Houston." Eu suspirei. "Temos um problema Bunda Gorda."


"Deveria saber o que isso significa?" perguntou Dominic. Sim. "O que você está fazendo?" "Estou no Gravity com Damien e Georgie. Eles adicionaram uma seção com essas paredes fofas pra porra, que não chegam a ser mais altas que eu. Colocamos arnês nela e deixamos que ela "subisse". Ela gritou e riu o tempo todo. Nós gravamos um vídeo ... espere até você ver, é adorável. " "Sim, eu não posso esperar para ver... então escute, eu tenho algo para lhe contar." As coisas ficaram quietas do outro lado da linha. "O que há de errado?" Ele perguntou. "Bronagh e Alannah." Eu exalei quando olhei para o teto. "Estão causando problemas com Keela." "Como?" Ele questionou. "Elas ainda estão dizendo a ela que não vão posar nuas para uma sessão de fotos para a capa do seu livro? " Meus lábios se contraíram. "Ela estava mexendo com elas sobre isso." "Então o que elas estão fazendo?" Ele perguntou antes de dizer rapidamente: "Ah-ah, baby. Não. Papai está falando ao telefone; Você não pode brincar com ele. Não. Ah-ah. Georgie. Sem bater, querida. Eu disse não!" Um grito alto veio do receptor do meu telefone, e isso me fez estremecer. "Damien!" chamou Dominic. "Pegue-a por um segundo; Eu não consigo ouvir o que Branna está dizendo com sua agitação" Eu ouvi a voz de Damien enquanto ele murmurou e falou com Georgie em um tom suave; Tanto sua voz quanto a da minha sobrinha sumiram, os gritos desapareceram, e eu ouvi o profundo suspiro de Dominic. "Essa coisa de desmamar está me dando dor de cabeça, e está apenas começando." Eu ri. "Imagine como Bronagh se sente." "Falando da minha futura esposa, o que ela e Alannah fizeram para irritarem Keela?" Aqui vamos nós.


"Você quer direto ou aos poucos?" "Como se você tivesse mesmo que perguntar." Ele bufou. "Direto sempre, bebê." Você pediu por isso. "Ambas estão bêbadas no Crough's pub", eu disse. "Keela fez tudo o que podia para contê-las quando elas estavam juntas. Karaokê está envolvido e álcool está envolvido, o que significa que... " "Danças horrorosas e stripp estão envolvidos", Dominic terminou.1 "Bastante." "Eu estarei lá em quinze minutos," ele disse, então gritou furiosamente, "Dame, você não vai acreditar nessa merda. Prepare a bebê. Vamos embora. Agora." Puxei meu telefone para longe da minha orelha e olhei para a tela quando o silêncio se arrastou, indicando que Dominic desligou. Ele parecia chateado, e eu não culpei-o. Bronagh bêbada, era ... louca. Mais louca do que a sóbria Bronagh quando estava falando algo. Com uma sacudida de cabeça, deixei a casa da minha irmã e entrei em meu carro. Eu saí do jardim e dirigi na direção do Crough's pub. Eu precisava chegar lá antes de Dominic e Damien agirem como uma barricada para proteger Bronagh. Dominic nunca a machucaria, mas ele brigaria com ela, e até mesmo isso poderia ser muito intenso para o público. Dez minutos depois, quando eu cheguei ao bar e estacionei, meu telefone tocou. Eu me desastrei com minha bolsa para agarrar meu dispositivo, e quando eu vi que era meu marido me chamando, eu estremeci, percebendo que eu esqueci de ligar para ele para deixá-lo saber que eu estava bem. "Brilhante", resmunguei enquanto saía do carro e o desligava. "Eu estarei em casa quando eu ajeitar tudo aqui. " "Boa sorte." Ryder riu. Eu desliguei, balancei a cabeça e entrei no bar. Não foi difícil encontrar minha irmã e sua amiga. De fato, essa era possivelmente a tarefa mais fácil que já havia sido concedida a mim. Em um palco apertado no canto do pub, ambas as garotas estavam gritando uma música ridícula sem letra, com apenas sons de sirene horrivelmente altos. Observei Keela sentada no bar, observando as meninas com um movimento de cabeça. Eu fui até ela e tomei o banquinho vazio ao lado dela, ganhando sua atenção. Ela se inclinou e me deu um abraço em saudação. "O barman me disse que elas só estiveram aqui por cerca de quarenta minutos", ela disse enquanto retomava seu assento. "Entretanto, ambas estão alcoolizadas." "Bee não bebeu durante muito tempo por causa da gravidez e da amamentação", eu comentei, "e Lana mal se solta ... Elas não aguentam muita bebida. " Keela bufou. "Você acha que eu não sei?" "Bee deve ter certeza de que Georgie está desmamando, para beber álcool. Lana está bêbada provavelmente porque está lidando com o conhecimento do caso secreto do pai e com Damien estando em casa - mesmo que ela não admita que sente qualquer coisa com seu retorno." "Isso é exatamente o que eu estou pensando. Elas acham que estão se divertindo, mas no fundo sabem a verdade. Neste momento, beber é um vício." "Isso pode acabar em lágrimas." Eu suspirei. "Ou risos" refletiu Keela. "Eu entendo por que elas estão bebendo, mas quando elas bebem, é muito engraçado para todos que estão próximos delas. " Pensei na última vez em que elas se embriagaram juntas, e meus lábios se curvaram para cima.


"Acho que vamos descobrir." Eu me virei e pedi uma água gelada quando a música familiar começou a tocar, e vozes familiares começaram a cantar. Oh Deus. Eu olhei para Keela, que olhou para o bar como eu. Viramos para trás, mas Keela manteve os olhos fechados e isso me fez rir. "Elas estão ... cantando karaokê?" Ela perguntou. "Realmente cantando isso? Não apenas murmurando juntas? " Eu acenei com a cabeça quando ela abriu os olhos e fez uma careta vendo ambas, minha irmã e minha amiga, descontraidamente embriagadas no pequeno palco no canto do bar. Embora o lugar fosse pequeno, as duas chamavam atenção. "My milkshake brings all the boys to the yard, and they're like ...; It's better than yours" Elas cantavam. "Isso é ruim", disse Keela, cobrindo a boca quando Alannah começou a rebolar. Eu abri meus olhos. "Por que ela se transforma em Beyoncé quando está bêbada, mas é quieta como um rato quando sóbria?" "Talvez esta seja a verdadeira Lana, e nós só conhecemos uma versão encoberta dela?" Eu balancei a cabeça. "Estou propensa a acreditar em você porque ... maldição. Ela era horrível, mas está claramente praticando. Quero dizer, como é que ela se move assim?" "Não olhe para mim; Eu sou muito ruim rebolando" replicou Keela. "A única coisa que mexe em mim são minhas dobrinhas na barriga". "O mesmo aqui, querida." Eu ri. "O mesmo aqui." Bronagh e Alannah bagunçaram a letra da canção de Milkshake da Kelis, isso chamou nossa atenção. Minha irmã então suspirou através do microfone. Olhando para o peito, disse a Alannah: "Meus peitos são inúteis e não te-têm nenhum propósito ma-mais." Suas vozes estavam altas, ganhando-lhes gritos e aplausos. Alannah riu. "O papai da sua filha discordari-ria." Bronagh olhou para ela, então ambas riram e choraram, o que só me fez balançar a cabeça. "Elas estão uma bagunça." "Eu acho que elas estão ambas hilariantes." Keela riu. "Nós nunca conseguimos vêlas assim." Ambas as meninas acabaram no chão do palco depois que começaram a rir, e isso me deu uma leve dor de cabeça, apenas me perguntando como eu iria colocá-las no meu carro.1 "Precisamos de mais apoio", eu admiti. "Eu não acho que nós podemos lidar com elas sozinhas, e Dame e Dominic vão demorar. " Keela estremeceu. "Você quer ligar para Kane e Alec?" Eu balancei a cabeça. "Aideen está com Jax, e ela está com muitas semanas de gravidez para ser de alguma ajuda significativa. Ryder está com Georgie, então ele não pode ajudar. " Keela mordiscou o lábio inferior e logo disse: "Nem sequer vou ligar para eles, então." "Puta merda!" Eu gemi. Peguei meu telefone e disquei o número do Kane. "Olá, Branna," ele disse no terceiro toque. "Ei, Kane, você está ocupado?"


"Estou arrumando a casa enquanto Aideen e Jax cochilam." Aw. "Você é adorável." Ele resmungou em resposta. "Super adorável." "Mulher" ele rosnou. "Alguém está mal-humorado." "Desculpe." Kane suspirou. "É apenas Aideen. Eu pedi a ela para fazer algo mais cedo, e ela fez o completo oposto do que eu queria e estragou tudo. " "Como ela ousa?" "Como?" Eu balancei minha cabeça, sorrindo. "O que ela fez?" Eu questionei. "Eu pedi a ela para me enviar uma foto de algo que ela pensasse que iria me excitar, e você sabe o que ela me enviou?" "Não," eu respondi. "Mas eu quero desesperadamente saber." "Ela me enviou uma foto de um pote de Nutella."3 Eu ri. Alto. "Desligando agora." "Não," eu implorei. "Eu sinto muito. Eu irei parar. Realmente nem é tão engraçado. " Era muito hilário. "O que você quer, Bran?" Ele suspirou. "Nada, já que você está claramente ocupado." "Dante está aqui para olhar a Aideen, se você precisar de ajuda com algo." "Bem," eu disse e estiquei o 'e'. "Eu e Keela poderíamos realmente usar a sua e a ajuda de Alec agora. Bronagh e Alannah estão muito bêbadas, e eu não tenho nenhuma ideia onde Dominic e Damien estão para nos ajudar a levar elas para casa e- " "Estamos aqui." Eu gritei, e Keela também. Nós duas nos viramos para enfrentar Dominic e Damien que haviam caminhado silenciosamente atrás de nós. Ambos tinham olhares rígidos em seus rostos idênticos, e pareciam mais maldosos que o inferno. Eu apertei minha mão livre em meu peito enquanto Dominic estendia a mão e arrancava o meu telefone da outra. "Bro?" Ele disse, provavelmente porque não sabia com qual irmão eu estava falando. "Não precisa fazer qualquer coisa; Dame e eu temos isso." Kane falava, e Dominic ficou em silêncio enquanto ouvia. "Sim, elas foram beber em um pub, e as meninas nos chamaram para levá-las para casa. Não precisa se preocupar, como eu disse, nós temos isso. Sim ... sem problema. Está bem. Tchau." Ele me deu de volta o meu telefone, em seguida, olhou por cima do meu ombro e sacudiu a cabeça. "Quanto elas beberam?" Ele perguntou, seus olhos focados atrás de mim. Keela encolheu os ombros. "Não muito, elas só são fracas." Os rapazes bufaram sem humor. "A Bee manteve suas roupas nela desta vez" Damien refletiu, ganhando um cenho franzido de Dominic. "Ela estava fazendo stripp mais cedo." Keela respondeu, sem se importar que os rapazes estavam chateados. "Mas o barman disse a ela que não era o tipo de estabelecimento onde ela poderia fazer isso sem ser jogada para fora. A Lana também ficou melhor no rebolado."1


Damien grunhiu ao comentário de Keela enquanto Dominic beliscava a ponta do nariz. "Eu não deveria ter deixado ela." Ele suspirou. "Eu deveria ter ficado com ela." Eu o cutuquei. "Não se culpe com isso, garoto. Bee não queria que você estivesse por perto, e é por isso que ela te mandou com Georgie para Gravity. Ela está se culpando sobre Georgie desmamar tão cedo, mas ela vai perceber que não tem nada a ver com ela, é só que Georgie não quer mais fazer isso. " "Sim," ele disse, mas olhou para Bronagh ansiando pra que isso fosse verdade. Eu sabia que ele queria tirar a dor dela porque era exatamente o que eu queria, mas eu sabia que meu trabalho era confortá-la e simplesmente estar lá para ela. Dominic perceberia seu papel até que Bronagh começasse a lidar com a nova mudança em sua rotina diária por si mesma. "Então" eu disse, visando mudar o assunto. "Como vamos fazer isso?" Em vez de aprofundar nossa conversa, todos nós olhamos um para o outro quando uma música familiar começou a tocar. "'Hot Stuff'", disse Keela com uma risada. Ela estava certa - Alannah e Bronagh estavam prestes a cantar "Hot Stuff" de Donna Summer. "Se eu tiver que lidar com isso, eu poderia muito bem pegar um assento na primeira fila", Dominic disse, lambendo os lábios. Ele compartilhou um olhar com seu irmão, então, sem aviso, eles dispararam para a frente, empurrando outros apostadores, até que ambos pegaram um assento diretamente na frente do palco onde Bronagh e Alannah estavam fazendo suas próprias versões, com sucesso.1 "Você acha que devemos gravar isso?" Eu perguntei para Keela enquanto os irmãos se sentiam em casa.1 Eu olhei para ela quando ela não respondeu e ri quando eu vi que ela já tinha seu telefone nas mãos e direcionado para o palco. Keela olhou para mim e sorriu. "Se elas me mandarem apagar amanhã, eu vou, mas elas tem que ver a merda que fazem quando estão bêbadas. São um pesadelo." Eu me benzi. "Amém" As meninas começaram a cantar, sem perceber Dominic e Damien na platéia, e deram tudo delas, o que significava que elas cacarejavam como galinhas e se arrastavam em torno do palco. A única vez que elas estiveram em sincronia foi quando Donna Summer cantou as palavras "Hot stuff". Ambos os quadris empurraram para a frente como se estivessem remexendo em alguém. Isso me fez rir tanto que chorei. Keela, que estava em uma pilha de risos, virou a câmera pra mim, mas afastei-a quando tive que cruzar as pernas para evitar me molhar. "Por que elas estão impulsionando os quadris? " Eu perguntei enquanto lágrimas de riso caíam dos meus olhos. Keela não pôde responder; Seu riso não permitia. Eu me abanei com minhas mãos para me acalmar. Eu limpei debaixo dos meus olhos e sacudi minha cabeça para as duas idiotas no palco, mas silenciosamente as agradeci pelo entretenimento. No final da música, as coisas ficaram um pouco atrevidas. Bronagh balançou os quadris de um lado para o outro enquanto ela cantava, e Alannah ... bem, ela apenas me surpreendeu. "ÓmeuDeus" Eu pisquei. "A Lana desceu até o chão sensualizando e empinou a bunda enquanto remexia subindo?" Keela balançou a cabeça para cima e para baixo. "Ela fez, e foda-me se ela não fez perfeitamente."1 "Isso não é justo", reclamei. "Elas eram dançarinas de merda no ano passado, e agora, de repente, elas ganham movimento. Movimentos sexys. Eu não entendo. "


"Elas aprendem rápido, parece." Keela bufou. Quando a música terminou, eu disse: "Graças a Deus por isso. Elas estão tão engraçadas, mas elas não podem cantar tão mal." Keela riu quando ela bateu em punhos comigo, de acordo. "Quanto tempo você acha que vai demorar antes que elas percebam que estamos aqui?" Keela perguntou. "Sobre..." "Dominic!" O grito de Bronagh me cortou. "Meninas! Vocês vieram!" "Um segundo inteiro", eu terminei, rindo. Minha irmã tropeçou fora do palco, e se não fosse pela reação rápida de Dominic de pegá-la, ela teria caído de cara. "Outra bebida." Ela riu quando ele a arrastou para o bar. "Você já bebeu mais do que suficiente, Bronagh" protestou Dominic, mantendo as mãos sobre ela. "Você está voltando para casa ". Minha irmã olhou para ele. "Você não po-pode me dizer o que fazer." "Olhe para mim" respondeu Dominic, e nivelou o olhar dela com o seu olhar irritado. Bronagh, como de costume, não recuou e nem Dominic - surpresa, surpresa. Eu entrei na conversa e disse: "Bronagh, vocês dois precisam ir para casa para que Georgie possa se alimentar e dormir." Os olhos da minha irmã encheram-se de lágrimas. "Não posso alimentar ela, Branna." "Mana." Eu fiz uma careta e me aproximei, juntando-a em meus braços. "Vai ficar tudo bem, eu prometo. Não há nada errado com você ou Georgie; Ela está apenas pronta para passar da fase da amamentação. Eu conheço você. Não está pronta para esta mudança, mas ela está, então nós temos que nos adaptar." Bronagh assentiu contra meu ombro, mas não disse nada; Ela só chorou. Olhei para Dominic, cujos olhos estavam em minha irmã. Ele se doeu por ela, e foi então que eu soube que ela estaria bem. Bronagh e Georgie eram suas vidas, e ele desistiria de tudo se isso significasse a felicidade delas. Eu sabia que ele iria cuidar dela quando eu não pudesse. "É hora de ir para casa com Dominic," eu disse, sorrindo quando me afastei do nosso abraço. "Vocês vão passar por isso juntos como uma família, ok?" Ela assentiu, mas eu podia ver que ainda não estava convencida. E estava tudo bem porque a aceitação não aconteceria da noite para o dia. "Eu quero cantar novamente!" Alannah anunciou de repente enquanto Keela a ajudava a manter-se em pé. "Cantar?" Damien sorriu, certificando-se de ficar fora de sua visão. "É assim que você chama isso?" Alannah deslizou os olhos para os dele, e eles se arregalaram quase que instantaneamente. "Floco de neve!" Ela gritou. "Você conseguiu!" Ela tropeçou pra longe de Keela e caiu em Damien que estava mais do que disposto a segurá-la. "Eu cheguei", disse ele, rindo. "Como você está?" "Você está aqui, então estou ó-ótima", ela respondeu e inclinou a cabeça contra seu peito. Damien olhou para mim, para Keela, para seu irmão e então de volta para Alannah. "O que você acha de eu te levar para casa?", Ele sugeriu.


"Eu acho", ela fez uma pausa para soluçar depois continuou, "que é uma ideia brbrilhante." Bronagh olhou para Alannah e riu. "Você não pode te-ter relações sexuais com ele". Alannah puxou um rosto para ela. "Eu po-posso se eu quiser!" Damien arregalou os olhos, depois olhou ao redor e disse: "Eu nunca a tocaria. Não quando ela ela está como está. Eu juro." Dominic bufou. "Você não tem que nos assegurar. Sabemos que Lana está tentando transar com você. Ela está bêbada; É a única hora que ela tem alguma coragem. "Cala a boca, Dominic," Damien resmungou. Alannah, que estava de pé ao lado de Dominic quando ele falou, bocejou como se não tivesse ouvido uma palavra que acabava de ser dita. Ela inclinou a cabeça para trás e olhou para Damien. "Quem é seu per-personagem de ficção favorito?", ela disse. Damien franziu as sobrancelhas. "Uh, eu acho que é Bugs Bunny?" "Quer saber o meu?" Ela perguntou, sua voz se tornando sensual. Damien assentiu, lambendo o lábio inferior. "O meu é Jack Frost."3 Eu me pergunto por quê. Damien segurou Alannah firmemente. "Boa escolha." Ela deu-lhe um balançar de cabeça, concordando, antes de prestar continência a ele, rapidamente. Eu ergui minhas sobrancelhas. "Lana, o que diabos você está fazendo?" "Damien e Dominic," ela disse como se ela estivesse pensando que era óbvio. Eu pisquei. "O que tem eles?" "Eles são pilotos de avião!", Ela anunciou enquanto estendia os braços e começava a "voar" ao redor enquanto fazia barulhos de avião. Bronagh estava completamente inabalável enquanto sua amiga de vinte-e-três-anos se aproximava de nós fingindo ser um avião. Minha irmã trancou os olhos em seu homem e disse: "Eu vou pular em seu cockpit, Capitão Slater." "Meu Deus, mulher!" sibilou Dominic, puxando uma respiração profunda pelos dentes. "Você tem licença para voar?" Alannah perguntou a Damien, parando seu "vôo", tempo suficiente para falar. "Você não pode entrar no cockpit sem uma licença. Regras da companhia aérea. " "Sim," Damien respondeu, e eu vi como ele estava tentando segurar sua risada. "Qual companhia aérea é essa, bonita? " "Bad Bitches Airways" Alannah disse sem perder uma batida.2 Eu compartilhei um olhar com Dominic, Damien, e Keela, e no mesmo momento, todos nós explodimos em risadas. "O que é tão en-engraçado, putos?" Ela perguntou, antes de tropeçar em Damien que a agarrou. "Ok, Menina Sardenta, é hora de ir." Ele sorriu, e isso me fez sorrir, também. Eu só o via sorrir assim em torno de Alannah, e o garoto era alheio a isso. "Você é meu Jack Frost. Você sabe disso, certo?" Alannah disse enquanto se inclinava para Damien e levantava sua mão para seu cabelo loiro-branco. "Meu." Damien fechou os olhos. "Você está quebrando meu coração aqui, Menina Sardenta" "Você quebrou o meu há muito tempo." Eu vi os ombros de Damien caírem e meu coração doeu por ele.


"Eu sei," ele disse, reabrindo seus olhos, "mas eu estou tentando realmente duro compensar isso." Alannah balançou a cabeça para cima e para baixo. "Eu sei." "Você sabe?" Ele perguntou, surpreso. "Eu sei" ela disse. "Bem, tudo bem então." Olhei para Keela quando ele e Alannah começaram a "andar" pra fora do pub. Ambos riram de Alannah estar tropeçando com cada passo que ela dava. "O que aconteceu?", Perguntei a ela. "Eu acho", ela começou "que Alannah acabou de reconhecer que Damien tem tentado consertar o que ele fez para ela ... mas ela é cabeça dura, então talvez isso não conte. " Eu dobrei meus braços sobre meu peito. "Você poderia estar certa, ou pode ser que uma mente embriagada esteja falando com um coração sóbrio". "Todos nós temos nossos problemas com os rapazes." Keela suspirou. "Eu tive a minha dose com Alec. Deus sabe que eu lidei com coisas que eu pensei que eu nunca teria que lidar ... mas a situação de Lana é diferente. Damien está em sua cabeça e coração desde que ela era uma criança. O que aconteceu entre eles ... é muita dor pra levar consigo por cinco anos. Assistindo suas amigas estando em uma relação amorosa com seus irmãos deve ser duro, e ver sua melhor amiga em um relacionamento estável com seu gêmeo? Cara, isso deve ser um inferno. Nós nem sabemos seus verdadeiros sentimentos; Só sabemos o que foi compartilhado. É mais profundo do que apenas um caso de uma noite que aconteceu anos atrás. Tem que ser." Eu dei os braços para minha amiga "Seja qual for o resultado deles dois, nós vamos ajudá-los a passarem por isso", eu disse com firmeza. "É para isso que família serve ". Sempre. "Pare de ser um homem das ca-cavernas", a voz da minha irmã veio por trás de nós, fazendo com que Keela e eu virássemos. "Só porque você é o único com um pau aqui não te faz o-o chefe." Ela apontou para seu próprio peito. "Eu sou a chefe. Eu." Dominic olhou para nós e depois para sua senhora. "Nós todos sabemos que você é a chefe, mas isso não significa que eu não vá avermelhar a sua bunda se você não pegar ela e se mover. " Bronagh estreitou os olhos, então Dominic deu um passo à frente. "Me teste", disse ele, sua voz áspera. "Atreva-se."1 Ela perdeu a coragem e recuou. "Ok, mandão" ela murmurou. Os lábios de Dominic se contraíram. "Eu ainda vou enrugar seu traseiro." Bronagh arregalou os olhos. "Eu pen-pensei que você estava brincando!" "Eu nunca brinco quando se trata da sua bunda." "Trapaceiro." Minha irmã grunhiu. Eu escondi o meu sorriso enquanto o par de doidos saía do pub de mãos dadas. Concedido, tudo bem que o segurar de mãos desta vez era principalmente porque Bronagh mal podia caminhar sem ajuda. De qualquer forma, aindar era fofo. Keela e eu os seguimos, e uma vez que vimos que os rapazes tinham as meninas com segurança no carro de Bronagh e Dominic , ambas entramos no meu carro e voltamos para casa. "Como você chegou até aqui se você não está com o seu carro?" Eu perguntei Keela enquanto me dirigia para a estrada principal. "Eu fiz essa coisa louca ... eu andei."


Eu mordi meu lábio. "Espertinha" Keela bufou. "Alec está com nosso carro, então eu não tive escolha. Meu tio Brandon ligou e disse que um de seus rapazes viu a a senhorita do Rampage e a amiga quente dela bebendo muito no Crough's. Eu agradeci pelo aviso, em seguida, dirigi até lá para tentar levá-las para casa sem causar problemas, mas sabemos o quão bem isso acabou." Eu balancei a cabeça. "Elas são engraçadas como o inferno, mas meu Deus, são difíceis de lidar, especialmente quando estão juntas." "Elas vão ficar doentes amanhã." Eu sorri maliciosamente. "Estou contando com isso." Keela riu então conversamos de um lado para outro até chegar em casa. Nós passamos o carro de Dominic quando me aproximei da minha casa, e uma olhada rápida me disse que ele havia recolhido Georgie de Ryder. Quando eu entrei na garagem, me inclinei e abracei Keela em despedida. Ela saiu e caminhou através da rua para sua casa e de Alec. A porta da frente da minha casa estava aberta, e Ryder encheu o espaço. Meu coração vibrou quando eu o toquei. Seus braços estavam erguidos para cima, onde ele segurava o batente da porta. Ele estava sem camisa - obviamente - e cada músculo que o homem possuía estava flexionado, praticamente me implorando para lamber eles em um gesto de saudação. "Branna?" Olhei para cima quando ouvi meu nome. "Hmmm?" Os lábios de Ryder se contraíram. "Eu estava falando com você, mas você não estava ouvindo." "Eu estava escutando." Eu sorri. "Só não você." O meu corpo. Seus olhos deslizaram para baixo, e ele vagarosamente rolou seus olhos sobre o corpo enquanto eu caminhava até ele. "Você está comestível." Eu grunhi. "Aposto que sim." Seus olhos brilharam com diversão. "Você parece muito otimista, então eu acho que tudo correu bem?" "Epicamente brilhante não é o suficiente pra me expressar", eu reluzi. "Mas o vídeo de Keela vai. Ela vai me mandar, então depois posso te mostrar." Ryder riu quando ele abaixou os braços e passou eles ao meu redor quando parei e encostei meu corpo contra o dele. Olhei por cima do ombro quando ouvi um assobio. Acenei quando vi que era Alec do outro lado da rua. Ele tinha acabado de estacionar em sua garagem e estava saindo de seu carro. Ele trancou o carro e correu até nós. "Ei pessoal." Eu o abracei em saudação enquanto Ryder fazia a coisa de abraço de mano que sempre faziam quando se viam. "Hey." Eu sorri. "Você chegou em casa tarde." "Trazendo o jantar", ele disse, e gesticulou para a bolsa que eu percebi que ele estava carregando. "Keela ligou e disse que tinha um vídeo interessante para me mostrar." Eu ri. "Por que você parece tão animado?" "Pode ser pornô!"1 Eu botei as mãos no rosto. "Isso é uma coisa bem Alec para se dizer." "Não, é uma coisa de homem." Ele piscou. "Relacionamos tudo com sexo, e se dissermos o contrário, estamos mentindo."


"Obrigado por isso," Ryder murmurou enquanto descansava seu queixo em minha cabeça, ganhando um sorriso de mim. Concentrei-me em Alec. "O vídeo não é pornô." "Desculpe-me?" Ele disse, franzindo a testa. "Como você sabe?" "Porque eu estava lá quando o vídeo-" "Você está em um pornô?" Alec ofegou. "Sério?" Ryder riu. Eu fiz uma careta. "Não," eu disse. "Não é pornô." Os ombros de Alec caíram. "Bem, isso acabou de arruinar meu dia inteiro." Resisti ao desejo de rir. "Sinto muito por ouvir isso." Ele se virou e começou a andar, murmurando algo para si mesmo. "Tchau", eu gritei. "Sim sim. Tchau ", respondeu, e praticamente arrastou os pés enquanto voltava para sua casa. Eu balancei a cabeça. "Eu o amo muito", eu disse ao meu marido enquanto observava seu irmão ir para casa. "Ele sempre anima meu dia." "O meu também, mas não diga a ele que eu disse isso", Ryder disse, e me puxou de volta para nossa casa. Eu gesticulei com a mão que minha boca estava trancada, quando ele fechou a porta atrás dele. "Eu não vou respirar uma palavra disso", eu disse e coloquei minha mão no meu peito. "Eu prometo." "Eu vou me assegurar disso," ele disse, seus olhos travados nos meus. O fogo que inflamou em seus olhos me disse o que ele queria fazer. "Estou tão feliz que o tempo nos atrasou de sair esta noite", eu disse enquanto me afastava dele e tirava meus sapatos, deixando-os perto da porta da frente. "Eu teria chorado o meu coração se eu perdesse esta noite." Olhei para o meu marido quando ele ficou em silêncio, e eu ri no segundo que fixei meu olhar nele. Ele estava tirando a roupa, sem se importar com o fato de que a luz do corredor ainda estava acesa e que qualquer pessoa lá fora podia vê-lo através do vidro fosco. Tudo bem, eles não iriam vê-lo claramente, mas ainda assim, eu era a única pessoa que poderia experimentar a maravilha que era o seu corpo esculpido. Ninguém mais. Nunca. "Nós já fizemos sexo hoje, Ry," eu brinquei enquanto eu ia de costas em direção às escadas. "E Damien está em casa." "E?" Ele respondeu, enquanto suas calças caíam ao chão. Ele saiu delas, e ficou somente de cueca boxer. Meu coração se excitou, e meu corpo formigou com excitação. "Você não joga limpo, marido." "Não quando eu quero você, esposa." Engoli em seco. "Eu posso ser entediante, porque estou um pouco cansada. "Sexo com você nunca é entediante, querida." Ele diz isso agora, mas espere até que eu esteja enorme e adormeça no meio do sexo. Eu arqueei minhas sobrancelhas. "Você está apenas dizendo isso porque você quer ter algum agora." "Eu vou ter algum não importa o que aconteça." Ele sorriu conscientemente. "Você sabe, e eu também." Eu fiz uma careta. "Me irrita que você esteja certo." "Vamos lá." Ele sorriu. "Vamos levar você para a cama. Eu quero brincar."


As possibilidades dessa sentença mantiveram um sorriso satisfeito no meu rosto atÊ as primeiras horas da manhã.


Eu tinha um sentimento ruim, mas eu não tinha certeza exatamente por quê eu me sentia assim, ou o que poderia ser a causa disso. Eu refleti sobre possíveis ideias sobre o porquê de me sentir assim de repente enquanto Ryder e eu nos aproximávamos da absolutamente linda cabana que ficaríamos por treze dias. Por um momento, o cenário me distraiu da preocupação persistente na minha barriga. Ao redor havia árvores que pareciam altas como o céu, cada tom de verde que se podia imaginar, e nenhuma única pessoa à vista. Para mim, e tenho certeza de que para Ryder também, este lugar era o céu, e nós não tínhamos ainda nem pisado fora do nosso carro para realmente experimentar. "Eu conheço esse olhar", disse Ryder a minha direita. Eu direcionei meu olhar para ele. "Que olhar?" "Esse olhar", disse ele, sorrindo. "Você está apaixonada." Meus lábios se contraíram quando me virei e olhei pela janela quando chegamos a uma parada completa. "Talvez", eu murmurei suavemente. Deus, é tão bonito. "Temos que fazer isso com mais frequência", disse então a Ryder, enquanto desabotoávamos os cintos de segurança. Ele riu. "Nós ainda nem deixamos o carro. Ainda há uma grande chance de que você odeie. " Eu bufei. "Duvido muito." "Eu não sabia que você gostaria tanto daqui", disse ele alegremente. "Você nunca mencionou acampamentos ou caminhadas em sua infância, então eu simplesmente assumi que natureza não era sua praia." Eu dei de ombros. "Nunca fizemos nada assim com meus pais, então eu nunca tive o desejo de entrar em uma floresta, mas é lindo. É muito tranquilo. Não me lembro da última vez que estive em algum lugar tão calmo, mas ainda assim cercado pela vida."


"Eu sei." Ryder concordou com a cabeça. "É o paraíso." Eu sempre pensei que o paraíso para mim seria uma praia - um oceano azul claro e tempo quente - mas uma floresta aberta, intermináveis tons de verde, chuviscos, uma brisa fresca, e a promessa de um rio e um lago nas proximidades me deixaram atordoada de excitação. "Eu vou pegar minha mala e você ..." "Deixe-me parar você aí mesmo, linda" Ryder disse quando saímos do carro. "Eu vou pegar as malas enquanto você caminha cuidadosamente para a varanda da cabana enquanto esperamos o guarda do parque vir e nos dar nossa chave para entrarmos." Eu olhei para o meu marido sobre o capô do nosso carro. "Você percebe que está sendo exageradamente protetor comigo, certo?" "Estou ciente disso. " Eu ri. "Tudo bem, desde que você saiba." Ele piscou e foi para a parte de trás do carro para pegar nossas coisas, enquanto eu andava com cuidado para a varanda da frente. Senti os olhos de Ryder me observando enquanto eu caminhava, então eu gritei: "Pare de olhar para minha bunda." "Como diabos você sabia que eu estava olhando para sua bunda?" "Eu posso sentir seus olhos nela." "Você sentirá algo mais dentro dela se você balançar seus quadris mais uma vez." Eu os balancei duas vezes. "Você vai ter isso, Doçura." Eu subi os degraus da varanda e ri quando me virei e vi Ryder pegar minha mala, sua mala duffle, e minha bolsa, e então lutou com elas enquanto caminhava para a cabana. Eu segurei minha respiração quando ele perdeu um degrau enquanto subia as escadas, mas a soltei quando ele recuperou o equilíbrio. "Você sabe que há uma maneira muito mais fácil de fazer isso, certo?" "Sim", meu marido bufou, largando as bolsas ao lado da porta da cabana, "mas isso envolvia duas viagens." "Então?" "Então, quanto mais rápido eu pegar você dentro desta cabana, mais rápido suas coxas se abrirão." Eu bati no ombro dele. "Danadinho." "Você diz isso como se fosse uma coisa ruim." Eu ri, em seguida, virei minha cabeça para a direita e vi um Ford Kuga indesejável, cheio de lama sujando toda a estrada. "O que é isso?" Eu perguntei e apontei para o carro. "Isso seria o guarda do parque, suponho." Ryder se afastou de mim, correu pelos degraus da varanda e se dirigiu para cumprimentar o guarda florestal. Eu me encostei na porta por alguns minutos e só me levantei quando Ryder apertou a mão do guarda em despedida. Eu acenei para ele quando ele entrou em seu carro e saiu pela estrada, se perdendo no mato apenas alguns segundos depois. "Temos tudo pronto", Ryder disse enquanto movia a chave para a cabana em minha direção. Eu sorri e me afastei enquanto ele reclamava dos degraus mais uma vez. Gesticulei para a porta e esperei pacientemente que ele a abrisse. Quando o fez, ele me permitiu entrar primeiro, e eu o fiz pulando feliz. Eu senti como se o vento tivesse batido em mim segundos mais tarde. "Ryder," eu ofeguei. "É lindo."


"Só o melhor para você, querida." Olhei para a entrada com os olhos arregalados. Impressionante não era o suficiente pra explicar aquilo. Era incrível. A decoração era como algo tirado de uma revista. Tudo era trabalhado com madeira - todos os diferentes tons, formas e vernizes se destacaram e chamaram minha atenção imediata. Eu não senti um toque de calor, mas a decoração tinha uma vibe de uma aconchegante casa de inverno, e eu estava gostando totalmente disso. Sem esperar pelo meu marido, fui pelo longo corredor e entrei na primeira porta à minha esquerda. Era uma cozinha americana e a sala de estar, e isso quase me desestabilizou. O teto era incrivelmente alto com vigas de madeira em zig-zag de parede a parede. As pinturas de paisagens deslumbrantemente lindas penduradas na parede oposta, de uns três metros, tanto em largura quanto em altura, uma janela de vidro que dava para a floresta serena. Eu senti como se minha boca estivesse aberta desde o momento que entrei na cabana, mas ela definitivamente se abriu quando eu observei minha direita. A lareira tinha que ser a melhor parte do que eu tinha visto da casa até agora. Era alta, pelo menos um metro e oitenta, e feita de paralelepípedos sólidos. As diferentes tonalidades de cinza e azul nas pedras se cumprimentaram mutuamente à medida que escalavam a parede. Blocos de carvão alinhavam o interior da lareira, e eu não podia esperar para abraçar meu marido no sofá de camurça que ficava um metro ou dois longe da boca da lareira. "Você gosta?" Meu marido perguntou enquanto eu sentia seus braços virem em volta da minha cintura. "Gostar é pouco" Eu murmurei quando coloquei minhas mãos sobre as dele em meu estômago. "Eu amo isso. Este lugar é lindo, Ry. Ryder beijou minha cabeça. "Estou feliz que você se sinta assim, querida. Coloque os pés no sofá e eu vou acender o fogo. Aposto que isso aqui vai ficar ótimo com esta lareira." Eu concordei. Dez minutos mais tarde, Ryder se aconchegou perto de mim no sofá enquanto um fogo queimando brilhava a poucos metros de distância de nós. Eu podia sentir o cheiro de fumaça, apenas o pauzinho almiscarado de pinheiro. Fechei os olhos e escutei o crepitar e o estalo das chamas quando elas revestiram o pinheiro e o carvão e os transformou em cinzas. O som estava me acalmando em um sono tranquilo - um que meu marido me recusou. "Nem mesmo pense em dormir." Eu gemia enquanto eu aconchegava meu rosto em seu pescoço e inalava seu cheiro. "Não, acorde. Você tem que comer antes de dormir. Minha barriga rosnou em resposta. "Comida soa bem", eu murmurei. "Estou feliz que você esteja de acordo com ... Branna." Eu sorri enquanto beliscava a pele de Ryder com meus dentes antes de deslizar minha língua sobre seu ponto doce. "Baby," ele gemeu. "Alimentos primeiro. Sexo mais tarde." Coloquei minhas mãos em seu peito e empurrei-o contra as almofadas. Eu montei em suas coxas antes que ele pudesse me parar, e eu estava muito feliz por ter tirado minha calça sob o meu vestido antes de nos sentarmos para nos abraçar. Tranquei meus olhos no de Ryder e sorri. "Eu quero brincar." Ele engoliu em seco. "Você não joga limpo."


Eu rolei meus quadris para frente, sentindo sua ereção crescente debaixo de mim. Ryder sibilou quando ele levou suas mãos para meus quadris e enterrou seus dedos em minha carne. "Tire seu vestido", ele quase rosnou. Agarrei a bainha do meu vestido e puxei-o sobre a minha cabeça. Nem um segundo depois, soltei o sutiã e o joguei atrás do sofá. Eu gemi com a liberdade que não usar um sutiã por mais tempo me trouxe, e Ryder gemeu com a visão de meus seios em crescimento. Eu fiz um barulho de negação com a língua. "Não morda ou suga meus mamilos." "O quê?" Meu marido perguntou. "Por que não?" "Porque," eu ri, "eles estão muito sensíveis hoje." "Droga," ele resmungou. Eu mordi meu lábio inferior e rolei meus quadris para frente mais uma vez, mas em vez de uma dor deliciosa pulsando entre minhas coxas, senti outra sensação completamente diferente. "Merda", eu gritei enquanto empurrava Ryder e corri para fora da sala com apenas minhas calcinhas. "O que há de errado?" Ryder gritou atrás de mim. "Eu tenho que fazer pipi!" Eu gritei enquanto corria pelo corredor e quase chutava cada porta à vista. Eu passei por dois quartos antes de encontrar o cômodo que estava procurando. Eu quase rasguei minha roupa de baixo do meu corpo enquanto as puxava para baixo e praticamente caía no banheiro. Eu odiava o quão pouco controle de bexiga eu tinha tão cedo em minha gravidez. Eu nunca conseguia prendê-lo por muito tempo antes de eu ficar grávida, mas agora, eu tinha sorte de ter um minuto de aviso. Eu dei descarga quando terminei e lavei minhas mãos. Olhei ao redor do banheiro e admirei a decoração. Quem projetou essa cabana fez um puta trabalho porque eu não consegui encontrar uma única falha nela ... até eu olhar para o espelho. Olhei para o meu reflexo e franzi as sobrancelhas. Havia riscas coloridas de batom no espelho, mas quando me movi para pegar um pouco de tecido para limpá-lo, eu congelei. Quando me movi, as marcas de batom se moveram comigo. "Oh meu Deus," eu respirei e olhei para minha barriga. Eu tinha uma barriga maior do que a maioria das mulheres que estavam grávidas de quinze semanas, e eu já tinha engordado vinte quilos em apenas algumas semanas, mas eu senti como se eu fosse a única pessoa a ter estrias tão cedo porque não era o espelho da cabana que estava falho, era eu. Pela base da minha barriga e sob meus peitos, marcas roxas escuras que eu nunca tinha visto antes aparecera,. Graças ao espelho, pude ver as marcas escuras que destruíram o interior e o exterior das coxas também. "Porra," eu sussurrei. Meus olhos brilharam com lágrimas quentes enquanto percorriam cada marca repugnante. "Branna?" Eu engasguei quando o punho da porta do banheiro subitamente abaixou. "Não!" Eu gritei, e peguei uma toalha em uma prateleira ao meu lado. "Não venha aqui!" Não me veja. "O que diabos?" Ryder disse, então abriu a porta e entrou rapidamente no cômodo. Ele olhou para mim, em seguida, ao redor do banheiro, então de volta para mim. "O que há de errado com você?" Ele perguntou, franzindo a testa. "Nada", respondi. "Estou apenas ... nua."


Ryder piscou. "Eu já vi você nua ... centenas de vezes." Senti minhas bochechas corarem. "Sim," eu concordei, "mas isso foi antes." Eu me cortei e rapidamente fechei minha boca. "Antes de quê?" Diga a ele. "Não." Engoli em seco. "Bran," ele disse, sua voz firme. "Você está chorando. O que está errado? Me diga." Engoli em seco e olhei para longe dele. "Eu tenho estrias", eu sussurrei. "Muitas delas. Elas estão em minhas coxas, minha barriga, e até mesmo em meus seios. Elas são roxas escuras e apareceram do nada. Eu tenho certeza que elas não estavam lá quando eu tomei banho ontem, e se elas estavam, eu não as notei." Eu vi mulheres de todas as formas e tamanhos diferentes em diferentes estágios de sua gravidez, e a maioria delas tinha estrias. Aideen chegou a pegá-las, mas eu nunca pensei por um segundo como elas me fariam sentir sobre o meu corpo em mudança. Acabou que elas me fizeram sentir mal. Realmente mal. "Olhe para mim, querida" murmurou Ryder. Eu olhei, mas foi nesse momento que grandes lágrimas gordas caíram dos meus olhos e salpicaram minhas bochechas. "Eu amo como você está, mas você acha que eu me casei com você por causa de seu corpo?" Ele perguntou enquanto colocava suas mãos em minhas bochechas e usava seus polegares para enxugar minhas lágrimas caídas. "Não," eu funguei. Meu marido se inclinou até que sua testa tocou a minha. "Eu amo seu corpo, mas eu me casei com você porque sua alma bate com a minha ... e porque eu te amo mais do que a minha própria vida. Nossa aparência mudará ao longo do tempo, mas nossas almas não. Eu sempre vou te amar, e sempre vou querer você, não importa o que você pareça. Você quer saber por que?" Eu não queria saber ... Eu precisava saber. Ele estendeu a mão e segurou minha toalha, e eu fechei meus olhos quando ele puxou ela. Eu soltei meu aperto e a senti cair longe do meu corpo, para o ar fresco substituí-la rapidamente. Eu ofeguei quando senti uma ponta do dedo de Ryder correr suavemente sobre o meu mamilo esquerdo. Eu abri meus olhos e encontrei Ryder com os olhos fixados em meus seios, sua fome por mim evidente em seus olhos cinzentos. "Esses seios vão alimentar meu filho", ele murmurou, então baixou a mão até minhas coxas antes de lentamente deslizá-la até meu estômago. "Neste corpo está crescendo meu bebê, e eu serei amaldiçoado se você não souber quão sexy que é ou como malditamente bonita cada marca é. Nós criamos uma vida juntos, mas você é a única que traz sozinha essa vida pro nosso mundo, e eu te admirarei eternamente por isso ". "Ryder," eu murmurei enquanto mais lágrimas caíam. "Elas não são estrias." Ele sorriu afetuosamente. "Elas são tiras de serviço porque você vai ganhar cada uma delas crescendo com nosso bebê e trazendo-o para o mundo." Eu ri através de minhas lágrimas e joguei-me para o meu marido, e ele riu quando ele envolveu seus braços firmemente em torno de mim. "Eu te amo tanto", eu disse em seu peito. Eu o senti beijar o topo da minha cabeça. "Eu também te amo, querida." Eu dei-lhe um grande aperto. "Você me fez sentir muito melhor", eu admiti.


"Estou contente," Ryder respondeu. "Você deveria se sentir tão bonita quanto você é." Eu o abracei mais apertado. "Você sabe," ele murmurou em meu cabelo. "Eu tenho estrias também." Eu me afastei com um suspiro. "Você está mentindo." "Eu não." Ryder riu. "Eu tenho um monte delas; Elas estão apenas desbotadas. " "Onde elas estão?" "Atrás dos meus joelhos, em meus bíceps, e em minhas coxas internas. Eu costumava ser muito magro quando eu era criança, Bran, então quando eu comecei a trabalhar e ganhar músculos, minha pele esticou e eu tenho estrias. Acontece com todos, não apenas mulheres grávidas ou pessoas com excesso de peso. " "Me mostre", eu perguntei. Com um sorriso, as mãos de Ryder foram até a fivela de seu cinto, e ele começou a desfazê-lo. Ele lentamente, dolorosamente lentamente, estalou o botão em seu jeans e baixou o zíper. Ele empurrou o jeans até os joelhos e virou a perna para a direita, mostrando-me sua coxa interna. Eu me agachei, empurrei a bainha de seus cuecas e olhei para as estrias de Ryder. Concedido, elas eram apenas um pouco mais leves do que a cor da pele, mas ele realmente tinha. "Como eu não notei elas antes?" Eu murmurei alto enquanto usava minha ponta do dedo para rastrear a marca. "Porque meu pau está bem ao lado delas", Ryder respondeu com indiferença. Eu ri e bati na sua coxa, fazendo com que ele saltasse para longe de mim. "Nunca me dê um tapa perto do meu pau," ele disse, seu tom firme. "Você me assustou." Eu sorri quando me levantei. "Você está com medo de mim?" "Você está brincando?" Ele perguntou, seus olhos focalizando os meus. "Desde o primeiro momento em que te conheci, você me aterrorizou. " "Por quê?" Eu perguntei, chocada. "Porque", ele disse com um pequeno encolher de ombros, "eu sabia que você era diferente, e eu sabia que você tinha a habilidade de fazer seu caminho em minha vida e montar acampamento por longo prazo." Eu enchi meu peito com orgulho, e isso fez meu marido rir. "Eu sabia que me casaria com você, você sabe?" Ele disse suavemente, tirando cabelos de meus olhos. "Desde aquela primeira noite na Darkness." "Sai dessa", eu brinquei. "Estou falando sério", ele apertou. "Foi uma reação instantânea, eu não queria ficar sem você. Você passou uma impressão incrível, Doçura." "Porque eu fiz sexo com você?" "Porque você ficou comigo depois que fizemos sexo", esclareceu Ryder. "Eu nunca tive muito a oferecer a uma mulher além de meu corpo, mas então você veio junto, e você ficou do meu lado porque você gostou de mim por mim, não por causa do meu tanquinho ou rosto." "Eles eram bons no marketing, no entanto", eu brinquei. Ryder riu. "O tanquinho foi reduzido a um pacote de quatro quadrados, e eu tenho mais linhas no meu rosto do que quando nos conhecemos, e você não parece se importar." "Querido, você poderia ser magro como um trilho ou tão gordo como uma baleia, e eu ainda teria borboletas no estômago no segundo que eu vi você. Eu te amo por você." "E é por isso que você é minha esposa." Eu olhei para baixo, para nossas alianças.


"Eu ainda não consigo acreditar que estamos casados", eu disse feliz. "É tão surreal." "Eu espero que sempre pareça assim, porque duvido que eu não sempre vá me surpreender por você ter me escolhido." Antes que Ryder pudesse falar outra palavra, eu me aproximei dele na ponta dos pés e pressionei meus lábios contra os dele. Suas mãos descansaram em minha cintura quando ele se abriu para mim e me permitiu assumir o controle do beijo. Eu pulei quando eu senti seu comprimento endurecido, repentinamente cutucando meu estômago. "Ry," eu disse e olhei para baixo. "Isso é o que você faz ao meu corpo", ele disse, e pegou minha mão na dele para poder colocá-la sobre a sua ereção latejante. "Branna não grávida e Branna grávida são ambas sexys como o inferno." Eu ri novamente. "Você é pior do que um adolescente." "Não é culpa minha, minha esposa é quente", ele respondeu. Eu sorri para ele. "Você me fez me sentir bonita." "Você é linda." Fechei minha mão em torno de sua ereção, e isso fez com que a carne endurecida pulsasse sob meu aperto. "Contudo, devo lidar com isso?" Eu disse em voz alta. "Estou pronto pra qualquer coisa", Ryder gemeu quando eu comecei a esfregá-lo. Eu me agachei mais uma vez. Inclinando-me na virilha de Ryder, eu levei a cabeça do seu pênis a minha boca. Minha língua rodou sobre a ponta, e o salgado pré-gozo revestiu meu paladar. Eu o levei para a parte de trás da minha garganta quatro vezes antes de eu ter que usar minha mão livre para agarrar sua coxa para evitar cair para trás, na minha bunda. "Você está ..." Ryder sibilou quando eu o suguei, mas conseguiu terminar a frase. "Okay?" Minhas coxas estavam queimando, e eu poderia ter jurado que minhas pernas começaram a tremer involuntariamente. Ao invés de expressar minhas preocupações, eu assenti e continuei a chupar ele. Eu puxei para trás por um momento apenas para respirar. De repente senti como se meus pulmões fossem explodir. "Me dê um segundo", eu disse. "Você está bem?" Ryder perguntou, seus dedos deslizando em meu cabelo. Concordei e tomei algumas respirações profundas. "Levante-se" ordenou Ryder. "Você não está bem." "Eu estou bem", eu enfatizei. "Bran, você não precisa ..." "Eu posso fazer isso", disse com raiva. Eu olhei para cima quando Ryder riu. "O que é engraçado?" "Você está discutindo comigo por causa de sexo." Eu suspirei, soltei-o e fiquei em pé. "Desculpe," eu disse, me sentindo horrível. "Sinto-me estranha." "Estranha pra mal?" Ele perguntou, preocupado. "Apenas estranha," eu disse com um encolher de ombros. "Realmente cansada de repente." "Então volte a dormir." Meu marido piscou quando ele se meteu de volta dentro de suas calças e abotoou seu jeans. "Você descansa, e eu vou preparar nosso jantar ... uma vez que eu descobrir como usar o forno da cozinha. Você viu quantos mostradores estavam naquela coisa? "


Eu não sabia o porquê, mas eu comecei a chorar de novo, e o rosto de Ryder perdeu a cor. "Baby ..." Ele franziu a testa, e me abraçou. "Eu sou a pior esposa," eu gaguejava. "Eu não posso nem te dar uma bofetada." "Bran." Ryder caiu para trás em uma risada. "Você é a melhor esposa que você pode ser, e você é perfeita na minha opinião. Eu não sou estúpido o suficiente para pensar que você pode fazer coisas que costumava fazer antes de ficar grávida." "Mas você não conseguiu terminar e..." "Eu não vou morrer", ele me cortou. "Podemos brincar mais tarde na cama, mas por enquanto, deixe-me alimentar minha esposa." Eu chorei mais forte. "Eu não posso parar," eu funguei. Ele sorriu suavemente. "São seus hormônios." "Eu odeio eles." Meu marido me guiou de volta para a sala de estar onde eu afundava de volta no sofá. Eu me acalmei o suficiente para pegar o meu telefone da mesa de café e verificar se tinham mensagens. Não havia nenhuma, então eu segurei na minha mão enquanto eu olhava para as chamas dançando na lareira e me deixei entrar em um transe. Eu não tinha certeza quanto tempo eu olhei antes de Ryder vir e se sentar ao meu lado, ganhando a minha atenção. "Branna." Ele suspirou. "Por que você parece um filhote de cachorro morto?" "Eu estou com um sentimento ruim sobre alguma coisa", eu disse, me sentindo confusa. "Não sei porquê. É irritante para mim." "Você considerou sua irmã?" Eu fiz uma careta. "O que tem ela?" "Ainda ontem, ela estava uma bagunça por Georgie não mamar mais. Ryder estremeceu. "Ela também bebeu até cair com Alannah." Eu me animei. "Aposto que você está certo", eu disse excitadamente. "Aposto que estou apenas preocupada com Bronagh." Meu marido ergueu uma sobrancelha. "Há uma razão para que você pareça animada sobre isso?" Consegui rir. "Eu não estou animado sobre Bronagh estar virada ou possivelmente morta por uma ressaca. Estou animada que nada mais está me preocupando. " Ryder tirou algumas mechas de cabelo do meu rosto. "O que mais o incomodaria?" "Eu não sei." Eu dei de ombros. "E isso é o que me incomoda. Eu não tenho mais nada para me preocupar, mas ainda me preocupo. Nem sempre. Só as vezes. Quando as coisas estão parecendo muito boas para ser verdade. " As feições de Ryder ficaram um pouco tensas. "Branna" começou ele. "Eu não posso convencê-la, dado o meu passado, mas nada mais vai nos acontecer. Não só sofremos mais do que o suficiente para uma vida inteira, mas todos que tinham rancor contra nós estão mortos. " E graças a Deus por isso. "Eu sei disso, eu sei. Eu não posso melhorar e estou esperando que algo ruim aconteça. " Ryder franziu o cenho. "Você não pode se culpar," ele disse suavemente. "Não é como se as coisas ruins não tivessem acontecido uma após a outra desde que nos conhecemos." Eu não tinha intenção de fazê-lo se sentir culpado, então eu peguei suas mãos na minha e coloquei-los em meu estômago.


"Algo incrível aconteceu desde que nos conhecemos também." A expressão de Ryder mudou para uma de alegria. "Você é preciosa para mim, Doçura," ele disse, levantando as mãos para o meu rosto. "Você e nosso bebê - vocês dois significam a própria vida para mim. Eu te amo." Coloquei minhas mãos sobre as dele. "Eu também te amo." Ele sorriu. "Ligue para sua irmã" Ryder foi para a cozinha e começou nosso jantar, enquanto eu discava o número da minha irmã em meu telefone. "Olá?" Dominic respondeu no terceiro toque. "Cunhado", pensei. "A minha irmã está viva?" "Defina viva." Eu sorri. "Ela está respirando?" "Deixe-me verificar ... sim, ela está respirando", ele confirmou. "Suando e babando também." "Legal." Eu bufei. "Você vai parar de gritar, Dominic?" A voz da minha irmã implorou através do receptor do meu telefone. "Minha cabeça vai explodir" "Estive sussurrando a manhã toda." "Mentira" Bronagh sussurrou. "Eu ouvi você batendo potes e panelas por nenhuma outra razão além de para me causar dor." "Estava guardando os pratos." "Sim, certo," minha irmã gemeu. "Há alguma razão para você entrar?" "Queria lhe fazer uma pergunta." "Atire." "Qual é a sua manhã perfeita?" Dominic perguntou. "Ninguém estar falando comigo" respondeu Bronagh. "Eu sabia que você diria isso." "Babe, eu te amo com todo o meu coração, mas por favor, vai pro caralho." "Olha a língua", ele brincou. "Sua irmã está no telefone." "Então me dê aqui" ela resmungou. Ouvi o riso de Dominic, em seguida, um gemido alto e dolorido. "Você deveria ter me criado melhor" gemeu Bronagh. "Você deveria ter pregado o quão maléfico o álcool realmente é." Eu sorri. "Você teria acreditado em mim?" Silêncio. "Provavelmente não." Minha irmã suspirou. "De qualquer maneira, bom dia." "Bom dia, irmã mais querida." Mais gemidos. "Eu me odeio com cada fibra do meu corpo," ela disse suavemente. "Eu nunca me senti tão doente em toda a minha vida." "Se isso te faz sentir melhor, você deu a Keela, aos rapazes e a mim boas risadas ontem." "Não me faz sentir melhor; Isso me faz sentir pior. " Eu ri. "Desculpa." "Sério?" "Não" gritei. Bronagh começou a rir, mas rapidamente gemeu de dor. "Dominic" chamou ela. "Você pode me trazer um analgésico?" "Duas pílulas e um copo de água já estão no seu criado-mudo." "Oh" respondeu Bronagh. "Eu te amo."


"Eu sei," veio sua resposta. "Aw," eu murmurei um som amoroso e fino. "Que doce." "Cala a boca", ela resmungou. "É melhor esses comprimidos tirarem a dor de cabeça antes que eu chore os olhos para fora." Eu esperei até que ela tomasse seus analgésicos e se reidratasse. Ela bateu os lábios e disse, "Aquela água foi a coisa mais bonita que eu já engoli." Não deixe Dominic ouvir você dizer isso. Eu balancei a cabeça. "Tenho certeza de que sim." "Eu tive o pior pesadelo de sempre, ou são flashbacks da noite passada. Estou rezando seriamente pelo primeiro." "Fale alguns deles pra mim, e eu vou deixar você saber." "Karaokê com Lana." "Flashback." "Quase que fui expulsa do pub por stripp." "Flashback." "Dançando no palco." "Flashback." "Beijando Lana." "Pesadelo ... eu acho." "Oh, meu Deus." Bronagh gemeu. Eu ri. "Não sei por que fiz isso comigo." "Eu sei. Você estava triste por Georgie, possivelmente estar auto-desmamando." "Ela definitivamente está desmamando", murmurou Bronagh. "Ela bebeu uma garrafa cheia de duzentos e trinta e seis ml ontem à noite e dormiu durante a noite pela primeira vez. Ela bebeu outra garrafa esta manhã e algumas coisas mastigáveis de café da manhã. Dominic disse." Minha irmã suspirou. "Eu segurei ela em meu peito e ela nem sequer manda uma dica para mamar. Ainda não consigo acreditar." "Eu sei, garotinha, mas vai ficar mais fácil para você." "Eu espero que sim, porque eu me sinto muito malditamente inútil agora." "Você ainda tem que fazer tudo o que você tem feito por ela, mas apenas usando uma garrafa e uma colher agora." "Acho que sim" murmurou Bronagh. "Quer ouvir algo de merda sobre o meu dia?", Eu ofereci. "Claro", veio a resposta imediata da minha irmã. Eu ri. "Adivinha quem descobriu um bilhão de estrias roxas no corpo?" Minha irmã estremeceu. "É tão ruim assim?" "É como um caminho para o inferno, e eu estou só no segundo trimestre." Bronagh riu. "Você provavelmente está sendo dramática." "Não, Bee, sério, eles estão em toda parte." "Bem, elas vão desaparecer eventualmente, se for algum consolo?" "É," eu disse. "Dez minutos atrás, eu teria dito a você para empurrar esse consolo em sua bunda, mas meu fabuloso marido me fez sentir bonita -" "Eu estou possivelmente morrendo por culpa de uma ressaca, assim, a última coisa que eu preciso pensar é meu cunhado transando com minha irmã mais velha." Eu comecei a rir. "Sua fria, não chegamos tão longe. Tive que dormir, e o clima morreu ". "As alegrias da gravidez." Minha irmã bufou. Eu sorri. "Vou deixar você ir para que você possa morrer em paz."


"Espere," ela disse rapidamente. "Você e Ry estão na cabana ainda?" "Nós estamos, e é deslumbrante '." Eu sorri. "É perfeito." "Tire um monte de fotos", lembrou minha irmã. "Eu vou." "Aproveite, você e Ry merecem a melhor lua de mel possível." Meu coração vibrou. "Obrigada, querida." "Eu te ligo mais tarde se eu não tiver passado para a próxima vida." Eu ri. "Tchau, louca." Quando eu desliguei a ligação com Bronagh, levantei-me e me juntei a Ryder na cozinha. Ele tinha descoberto como ligar o forno, eu podia sentir o ligeiro calor vindo dele enquanto ele começava a pré-aquecer. Eu fiz o meu caminho até um banquinho, encostei os cotovelos na bancada, e olhei para Ryder quando ele começou a cortar legumes. "Eu peguei a comida que compramos no carro enquanto você estava no telefone", disse ele, e gesticulou para a comida que estava cortando. "Como está Bee?" "Ela diz que está morrendo." Ryder bufou. "Não é de se admirar, considerando o quão bebada você disse que ela estava." Concordei com a cabeça. "Alannah está provavelmente como uma miserável." Eu bufei. "Eu vou ligar para ela mais tarde para ver." Os lábios de Ryder se curvaram. "Gostaria de saber como Aideen está", eu disse, expressando meus pensamentos. Ryder olhou para mim atentamente. "O quê?" Eu perguntei. Ele encolheu os ombros. "Estou pensando que sair enquanto Aideen está tão perto de parir este bebê foi uma má idéia." "Por que uma má idéia?" "Porque ..." Meu marido suspirou. "E se ela tiver o bebê esta noite? Você ficaria bem com a espera de quase duas semanas para conhecer o garoto?" Não. "Sim." Ryder riu. "Você é uma mentirosa terrível." Meus lábios se contraíram. "Ok", eu concedi. "Eu não estaria pulando de alegria por ter que esperar tanto tempo, mas esta é o nossa lua de mel. Ela sabe que estará em boas mãos com Ash e Sally. Eu não gostaria de sair daqui se puder ser ajudada.". Ryder sorriu, satisfeito com a minha resposta. "Esperemos que Aideen o mantenha um pouco mais" disse ele, com o tom esperançoso. Eu sorri. "Eu vou dizer a ela que você desejou que ela se atrase." "Menina má!" sibilou. Eu rompi em risos quando ele começou seu caminho atrás de mim e fez cócegas para cima e para baixo nos meus lados. "Misericórdia", eu implorei, cacarejando como uma louca. Meu marido cessou. "Eu te amo." Recostei-me contra seu peito. "Eu também te amo." Ele beijou meu ombro e depois voltou a cozinhar. "O que posso fazer para ajudar?" Eu perguntei. "Você pode simplesmente sentar lá e me deixar olhar para você."


Eu bufei mas fiz como solicitado e permaneci sentada. "Você sabe que Alec tem um emprego no abrigo de animais que eles o ofereceram em um par de vezes por semana?" Ryder disse, trazendo um sorriso enorme para o meu rosto. "De jeito nenhum!" Eu exclamei. "Sim, eles lhe ofereceram um emprego em tempo integral. Ele começa amanhã." Meu estômago revirou de excitação. "Estou tão feliz por ele" eu gritei. "Eu sei que vocês todos estão estressados sobre o que fazer pra trabalhar agora que vocês estão todos na linha." "Não diga a Bronagh, mas Dominic está se candidatando para um cargo de tempo integral no novo centro de lazer que será inaugurado no próximo mês. O ginásio que tem lá parece ser enorme. Ele adorava trabalhar com clientes em particular, mas o dinheiro é melhor no centro, e é um salário fixo para que ele não precise se preocupar em não ter dinheiro suficiente para contas e alimentos semana a semana ". "Isso é incrível, mas por que ele não disse a Bronagh?" "Ele não queria despertar suas esperanças. Ela sabe que ele só lutou com Brandon Daley para ajudar a obter informações para mim quando os federais estavam de olho em mim, mas ela não está convencida de que ele terminou com essa parte de sua vida." Eu balancei a cabeça em compreensão. "Eu espero que ele consiga", eu disse. "Vou rezar todas as noites." Ryder ficou em silêncio por um momento e disse: "Isso me faz pensar sobre o que vou fazer para trabalhar. Especialmente agora que estamos casados e você está grávida." "Você tem uma ideia do que você quer fazer?" Eu não queria que ele pegasse um emprego apenas por causa de um salário porque ele ficaria miserável se ele fizesse isso. "Minhas opções são limitadas porque eu não tenho nenhuma escolaridade ou qualificação universitária no meu currículo, mas eu não quero voltar a estudar. Eu não teria paciência para isso. Kane me disse que o pai de Aideen está procurando alguns motoristas para os reboques e o salvamento das estradas agora que construíram uma loja de automóveis maior e expandiram o negócio. Ele falou bem de mim, e o Sr. Collins quer se encontrar comigo quando estivermos de volta de nossa lua de mel. Eu gosto de carros, e os irmãos de Aideen estão legais desde que nós ajeitamos nossas diferenças. Pode ser um bom encaixe. " Meu coração vibrou. "Essa é a melhor coisa que eu ouvi o dia todo, baby." Ryder sorriu. "Estou animado com isso. Mal posso esperar para cuidar de você." "Querido." Eu fiz uma careta. "Você cuida de mim." "Você paga nossas contas, Branna." Eu ri. "Não é a década de 1940. As mulheres são capazes de trabalhar e sustentar suas famílias ". Ryder bufou. "Eu sei disso, e eu te amo por isso, mas eu sou um provedor. Me faz sentir menos do que um homem quando eu não posso pagar nossas contas, comprar nossos mantimentos, ou te comprar flores sempre que eu quero, mas vai mudar. Em breve. Eu prometo." "Eu confio em você", eu disse. "Com minha vida." Ryder sorriu e continuou a preparar o nosso jantar. "E para sua informação, se você vai me comprar algo, compre chocolates em vez de flores." Meu marido riu alegremente. "Anotado."


O riso de Ryder, seus planos para o futuro e seu amor por mim empurraram para longe meus pensamentos irritantes e concentraram minha mente no agora. Era sobre tudo isso a minha felicidade. Ele fez tudo melhor. Não importa o quão ruim as coisas estivessem que eu sabia que quando eu olhasse para o meu lado, eu iria encontrá-lo lá.


Quando eu acordei na décima manhã de nossa lua de mel, me encontrei desejando que nós tivéssemos acabado de chegar. Eu não podia esperar para ver a minha família quando voltássemos para casa, mas este tempo privado com Ryder tinha feito-nos um mundo de bem. Eu estava mais apaixonada por ele do que nunca, e para ser honesta, eu não acho que eu já tivesse tido tantos orgasmos em minha vida. Se eu não sabia que Ryder era um amante generoso antes de chegarmos à nossa pequena cabana, eu sabia muito bem depois da nossa maratona sexual. Uma maratona que eu ainda estava correndo. Senti-me mal que Ryder estava me satisfazendo e fazendo-me sentir no topo do mundo durante a maior parte do tempo que tivemos relações sexuais. Boquetes estavam bastante fora de questão no meu estado atual da gravidez, que me sugava -sem trocadilhos. Sempre que eu lhe desse um, minha respiração ficaria ofegante, e eu desenvolveria uma dor abdominal que iria interromper o momento sexy até que passasse. Ele disse que não importava, mas importava para mim. Eu odiava estar limitada ao que eu poderia fazer para dar prazer a ele. Eu temia pensar em quanto de uma vegetal de sexo eu me tornaria mais pra frente em minha gravidez. Eu tremi com medo, já que definitivamente isso não era algo que eu estava ansiosa para que acontecesse. Um estalo chamou minha atenção para a direita do quarto. Levantei minha cabeça e sorri quando vi que a lareira estava viva e dançando com chamas. Ryder deve ter acordado durante as primeiras horas da manhã e reacendido o fogo com troncos. Fiquei muito agradecida por isso, tendo aprendido há alguns dias o que é se sentir acordando num quarto congelante. Eu reclinei minha cabeça para trás contra meu travesseiro, sorrindo enquanto ondas de calor flutuavam sobre a cama. Eu estava mais confortável e contente do que eu já tinha estado em muito tempo, e quando olhei para a minha esquerda, tornou-se concreto na minha mente que este momento - esse sentimento - que experimentei quando eu olhei para o meu marido seria para sempre plantado em minha memória. Eu o amava mais do que uma pessoa poderia amar outra, e eu sabia o quão sortuda eu era de tê-lo. Eu virei para o meu lado esquerdo, e por alguns minutos, eu o vi


dormir. Eu sorria de vez em quando quando seu ronco perturbava seu sono, e ele fez uma cara engraçada até que ele se acomodou em seu sono. Quando eu tinha certeza de que ele não iria acordar, eu levantei minha mão para seu rosto e tracei sua mandíbula definida com as pontas dos meus dedos. Deslizei meus dedos pelo pescoço e em seu peito, onde brinquei com o cabelo que meus dedos passaram. Seu torso estava exposto, mas um cobertor cobria sua metade inferior. Eu traçava seus músculos abdominais e observei que apenas quatro deles estavam definidos onde costumavam ser seis. Ryder comentou sobre sua perda de músculo e seu aumento de linhas no rosto quando descobri minhas estrias quando chegamos pela primeira vez na cabana. Eu me senti horrível sobre elas, e me preocupei de Ryder me ver como eu me vi. Quando eu expressei isso, ele expressou o quão diferente ele parecia desde que nos conhecemos e listou as mudanças em seu corpo. Percebi então que as leves mudanças em seu corpo nunca afetaram o quanto eu o amava. Ele ainda era incrivelmente sexy e tinha o melhor corpo que eu já tinha visto. Eu sabia que seus irmãos mais novos eram sarados e definidos acima de qualquer coisa, mas eu não poderia explicar isso. Quando pensava no corpo perfeito - o homem perfeito - eu via Ryder. Ninguém podia se comparar a ele, e ninguém jamais o faria. Eu sabia então que meu ganho de peso, estrias, e eventualmente ter uma bola de basquete no meu estômago não iria mudar como Ryder me via. Eu era linda para ele antes, eu era linda para ele agora, e eu ainda seria linda para ele depois que eu tivesse nosso bebê. Sua confiança em mim me deu a confiança que eu precisava e apreciava. "Você é perfeito" eu sussurrei para sua forma de dormir. Ele não acordou, mas se moveu. Ele balançou as pernas e isso puxou o cobertor que o cobria mais para baixo, para suas coxas. Meu marido, como sempre, dormiu nu como o dia que ele nasceu, e eu tinha zero problemas com isso. Minha mão, ainda em sua barriga, continuou a traçar seu tanquinho. Eu silenciosamente ri quando eu notei o início da sua ereção. Eu balancei a cabeça, divertida com o fato de que mesmo em um sono profundo, os homens podiam ficar duros. Olhei para o rosto de Ryder enquanto deslizava minha mão até sua virilha e peguei seu pênis na minha mão. Eu apertei ligeiramente, e os lábios de Ryder se separaram. Seus quadris também se contraíram involuntariamente, ligeiramente para cima. Coloquei a mão corretamente e comecei a acariciar. Não demorou mais de vinte segundos para os músculos de Ryder ficarem tensos e os gemidos suaves escaparem dele. Inclinei-me para colocar meus lábios em seu pescoço e beijá-lo suavemente. Eu arrastei minha língua sobre seu ponto doce, belisquei sua carne com meus dentes, e apertei-o ao mesmo tempo, fazendo-o assobiar. Eu me afastei e olhei para seu rosto, observando o momento em que ele acordou. "Oh, merda", ele murmurou, sua voz rouca. Sem dizer uma palavra, coloquei minha boca sobre a do meu marido, desfrutando sua surpresa com meu tempo de brincar com ele. Eu sorri contra seus lábios quando sua mão direita segurou meu cabelo, e sua língua fez seu caminho além de meus lábios. Eu gritei e parei nosso beijo quando ele mordeu meu lábio inferior. Eu soltei seu pau e trouxe minha mão à minha boca. "Ow!" "Você me enganou," Ryder disse, um pouco ofegante. "Eu disse que você sempre viria em primeiro lugar, e se você continuasse a fazer o que estava fazendo, eu ia gozar em toda a sua mão." Eu me empurrei para cima e me virei, deixando minhas pernas balançando sobre o lado da cama. "Essa era a ideia, seu merda da cabeça", eu bufei.


Eu estava prestes a levantar, mas antes que eu pudesse me mover, as mãos de Ryder estavam em meus ombros, e ele aplicou pressão suficiente para manter minha bunda no colchão. Eu tremi quando senti suas coxas pressionarem firmemente contra minhas costas, junto com outra coisa que estava dura. Abri a boca para falar, mas gemi quando a língua de Ryder deslizou sobre a carne no meu pescoço antes de roçar meu ombro com os dentes. "Eu estou com calafrios," eu murmurei. "Eles estão se multiplicando", concluiu Ryder. Fechei os olhos e ri. "Continue fazendo o que está fazendo, Danny Boy." Meu marido beijou a parte de trás da minha cabeça enquanto ele ria para si mesmo. Suas mãos se moveram para meus ombros, e ele começou uma massagem suave que fez meus dedos do pé se curvarem. Uma ou duas vezes, gemi em voz alta, e senti o pênis de Ryder contrair-se contra minhas costas, mas ele não comentou; Ele continuou fazendo o que estava fazendo. "Esta manhã deveria ser sobre eu fazer você se sentir bem", eu disse suavemente, assobiando um pouco de prazer quando ele apertou mais forte. "Fazer você se sentir bem me faz sentir bem", Ryder respondeu. Era difícil argumentar com essa lógica, mas eu argumentava de qualquer maneira. "Ryder." "Branna." "Não estou brincando." "Você está me ouvindo rir?" Eu abri meus olhos. "Deixe eu te dar um aperto lá embaixo, pelo amor de Deus." "Bem, se é pelo amor de Deus." Eu sorri. "Eu te odeio." Ryder moveu seus lábios para minha orelha. "Nós dois sabemos que é uma mentira." "Eu não tenho tanta certeza", eu disse. Eu ofeguei quando fui puxada para trás, mais longe na cama e encontrei-me de costas para o colchão e olhando para o teto. Eu sorri quando minhas coxas foram separadas, e Ryder fez seu caminho pelo meu corpo até que seu rosto veio em vista acima de mim. Ele estava na posição de flexão, suas mãos em ambos os lados dos meus ombros, e mesmo ele se mantendo longe de mim, ele abaixou seu torso, então sua barriga escovou a minha. "Eu costumava ser capaz de deitar sobre você nessa posição, apenas me segurando com meus cotovelos." Eu bufei. "Você deveria ter pensado nisso antes de me engravidar." Ryder sorriu maliciosamente. "Eu vou ser capaz de fazê-lo novamente em alguns meses." Literalmente alguns meses. Eu gritei. "Vamos ser pais e ter um mini-nós!" Meu marido apenas sorriu diante da minha excitação antes de desaparecer. Ele beijou meu corpo, e eu não pude deixar de rir quando fiquei com cócegas. Eu tentei me sentar, mas então minha camisola foi empurrada para cima, e eu senti uma respiração quente em minhas coxas internas. "Ryder." Eu ri. "Eu não estou nem mesmo com disposição para ... aimeu..." Sem aviso, os lábios do meu marido prenderam no meu clitóris, e ele chupou até que espasmos de prazer me levantaram à vida. Apertei minha cabeça no colchão e enfiei a pélvis no rosto de Ryder, fazendo-o gemer contra mim. Ele enganchou seus braços em torno de minhas coxas e manteve minha bunda sobre a cama enquanto festejava em mim.


"Ryder," eu gemi. "Círculos, querido. Mova a sua língua em... Santo Cristo!" Ele girou sua língua em círculos preguiçosos, e a doce tortura me enviou arrepios através do meu corpo. Eu queria muito ir para baixo e puxar um punhado de seu cabelo em minhas mãos. Mesmo que minha barriga não estivesse grande, eu não queria ter que dobrar para a frente para fazê-lo, assim, eu comecei a me agarrar aos lençóis da cama. Meus gemidos se tornaram audíveis, assim como minha respiração. Meu peito começou a doer enquanto eu chupava ar em meus pulmões. Não era uma dor agonizante; era como uma pontada, mas foi o suficiente para tomar o centro do palco sobre o meu prazer. "Ryder." Eu estremeci. "Pare." Quase instantaneamente, Ryder estava sentado, apoiando-se nos calcanhares com as mãos nos joelhos dobrados. "O que há de errado?" Ele perguntou. Eu choraminguei. "Eu estou sentindo pontadas no meu lado. Isso dói." Ele rapidamente se levantou da cama e me ajudou a ficar sentada e em seguida, completamente de pé para fora da cama. Fechei os olhos e tomei respirações lentas e profundas enquanto segurava o bíceps de Ryder, e então, do nada, quando a dor cessou, comecei a chorar. "Bran?" Ryder disse, alarmado. "Eu sou a pior ... parceira ... que já existiu", solucei. "Eu não posso nem sequer fazer um bom se-sexo ma-mais." Pensei tê-lo ouvido rir enquanto cruzava os braços ao redor do meu corpo e beijava a coroa da minha cabeça. Ele me abraçou, nu como um bebê, e balançou-me lado a lado até que meus soluços se tornaram murmuros e meus murmuros se tornaram suspiros. "Eu te amo", eu disse a ele, "mas você tem que estar ficando doente disso. Porque eu estou." "Eu nunca vou ficar doente de você." Sentei-me na cama enquanto Ryder se vestia. Eu assisti enquanto ele puxava suas cuecas boxer, suas meias e, em seguida, suas calças cinzas - que ele insistiu que eu chamasse de "moletom". Mas eu simplesmente não podia chamá-las de outra coisa senão o que eram - calças. "Esta deve ser sua roupa todos os dias", eu disse, olhando para o seu corpo com nada além de amor, admiração e um inferno de muita luxúria. Ryder olhou para mim e me viu verificando-o. Seus lábios se contraíram, o humor rastreando seus traços. "Ainda não estou completamente vestido", comentou. Fechei meus olhos em seu torso. "Estou muito feliz com você fazendo topless." Ryder riu quando ele puxou uma camiseta branca lisa. "Se vivêssemos no Havaí, eu faria, mas vivemos na Irlanda ... e é inverno." Eu sorri. "Deus ama quem tenta, e eu tive que tentar." Meu marido sorriu, sacudindo a cabeça antes de ele se deitar na cama e estender a mão para mim. "Vamos fazer você se alimentar, e então podemos dar um passeio." Eu saudei. "Sim senhor." Ele arqueou uma sobrancelha. "Diga isso de novo." Sua voz era rouca, e seus olhos estavam arregalados. Eu sorri e balancei a cabeça. "Pode parar de pensar besteira." "Seu corpo está em minha mente, e essa é a coisa mais distante de besteira."


Eu peguei sua mão estendida. "Encantador." "Se ser honesto me faz encantador, então que seja", provocou Ryder. Nós fomos até a cozinha, e após quarenta minutos, ambas de nossas fomes haviam sido saciadas. Passamos mais dez minutos discutindo sobre a minha escolha de roupa. Eu procurei conforto; Ryder apontou para a temperatura e roupa apropriada para o tempo. Ele ganhou de lavada, simplesmente porque eu não tinha energia para discutir com ele. Quando ambos estavam vestidos de maneira adequada, nós saímos para a trilha bem marcada de frente para a cabana. As árvores sobre nossas cabeças dobraram-se uma sobre a outra e formaram quase um túnel atípico, fazendo o trajeto que nós estávamos fazendo de mãos dadas ficar sombreado e obscuro. Era lindo e parecia que estávamos em uma aventura secreta. Eu acelerei um pouco o passo, agitada com este pensamento, e meu marido foi rápido para me colocar na linha. "Cuidado com o seu passo" disse Ryder, segurando-me com força. Eu fiz como solicitado, e certifiquei-me de colocar os meus pés em terreno sólido e não em folhas escorregadias. Foi um pouco difícil desde que as folhas estavam em todos os lugares. Eram todas as tonalidades de laranja e vermelho imagináveis, mas mesmo seu fascínio não conseguia esconder o fato de que eram pequenas escorregadias armadilhas da morte. Quando eu tinha certeza do meu caminhar, eu levantei minha cabeça e olhei para a beleza natural que me cercava. "É tão bonito aqui." Ryder apertou minha mão. "Eu concordo ... Na verdade, é tão bonito que eu quero uma foto disso." Eu parei de andar quando ele parou e empurrei minhas mãos em meus bolsos quando ele alcançou o seu próprio para pegar seu telefone. Eu ergui minhas sobrancelhas quando ele começou a voltar. Eu fiz um movimento para andar com ele, mas ele levantou as mãos. "Não" Ele disse. "Quero uma foto do que é bonito. Você." Eu corei como uma estudante. "Eu ainda tenho charme," Ryder disse, se vangloriando. "Você tem certeza que pode ver o fundo ou eu pego todo o espaço?" Eu perguntei, sorrindo. Ryder reclamou. "Por favor, você é uma coisa muito pequena." Eu ri. "Eu desejo isso." Meu marido simplesmente sorriu quando ele levantou seu telefone e apontou em minha direção. Eu me virei um pouco para o lado, coloquei minhas mãos em minha barriga de uma maneira que mostrasse que eu estava embalando o pequeno pacote de alegria dentro de mim, e sorri quando Ryder contou até três. Ele assobiou quando tirou a foto e disse: "Porra, minha esposa é sexy." "Beija minha bunda." "Posso beijar sua bunda?" Eu ri. "Se você quiser, você pode." "Oh." Ryder sorriu enquanto embolsava seu telefone. "Eu quero." Ele começou a avançar em mim, e eu imediatamente comecei a gritar. "Pare," eu gritei, rindo. "Eu não posso correr!" "Você é presa fácil para mim, então, Doçura", brincou Ryder quando ele pulou em mim e capturou meus lábios no instante em que seu corpo tocou o meu. Eu ri contra seus lábios e joguei meus braços ao redor de seu pescoço, puxando-o, o mais próximo possível, para mim.


Ele fez aquele quase rosnado animal na parte de trás de sua garganta, como sempre fazia quando seu corpo reagia ao meu. Eu zunia quando beijei seus lábios, antes de beliscar seu lábio inferior com meus dentes. "Está mais frio do que lá dentro, aqui" alertou. "Não comece algo que não podemos terminar agora." Eu sorri quando soltei seu lábio. Os olhos de Ryder mantinham uma promessa acalorada do que iria acontecer mais tarde, mas, por enquanto, ele queria que nos concentrássemos em nossa mini aventura a pé, que foi o que fizemos. Depois de uma feliz hora de exploração, um súbito estrondo de trovão nos assustou. Eu olhei para cima e, logo depois das montanhas, havia nuvens de aspecto desagradável. Ryder verificou o aplicativo do tempo em seu telefone e chiou sob sua respiração assim que um raio rachou e passou pelo céu. "Uma tempestade se aproxima.". Decidimos que tivemos o suficiente de natureza para um dia com o aviso do clima e voltamos para a aconchegante e quente cabana. Fomos para dentro, e nem um segundo mais tarde, meu telefone tocou do quarto. Eu fiz uma mistura de uma caminhada rápida e pulos, de acordo com Ryder, o que me fez mostrar-lhe o dedo quando fui para o quarto com o seu riso fluindo atrás de mim. Eu peguei meu telefone da mesa de cabeceira, olhei para a tela, e depois atendi a chamada enquanto colocava o telefone contra meu ouvido. "Ei, Kay, o que se passa?" "Aideen teve seu bebê!" A voz excitada de Keela gritou através do receptor do meu telefone. "O quê?" Eu ofeguei. "Ela teve mais cedo, de novo?" "Sim, mas demorou mais que o Jax desta vez." "O que você quer dizer?" "Ela entrou em trabalho de parto ontem e só o teve há dez minutos. Ela estendeu até tarde na noite passada antes de ir para o hospital. " Eu enruguei minhas sobrancelhas e me assustei novamente quando o trovão explodiu lá fora. "Por que ninguém me ligou?" Eu perguntei, focando no telefonema. "Pedido da Ado", disse Keela rapidamente. "Ela não queria interromper sua lua de mel." "Ela tá brincando comigo?" Eu perguntei, exasperada. "Eu sei. Nós dissemos à ela que você e Ry gostariam de saber, mas ela nos fez prometer esperar até que ela desse a luz antes de ligarmos. E por promessa, quero dizer, ela ameaçou a todos nós a perder nossas vidas muito rápido." Eu balancei a cabeça. "Eu vou bater nela" Keela bufou. "Ela está se saindo muito bem e seu novo sobrinho também." Sobrinho. "Ela teve outro menino?" "Sim," Keela gritou novamente. "Ele pesa quatro quilos e vinte e cem gramas e tem cinquenta e quatro centímetros de comprimento. Ele é um menino grande. O chamaram de Locke Ryder Slater!" Locke Ryder Slater. Comecei a saltar de cima a baixo - o máximo que pude - com alegria, mas parei quase instantaneamente quando a chuva começou a cair contra a janela do quarto. O sol estava se pondo, e nuvens negras foram rapidamente apagando qualquer brilho alaranjado com sombras obscuras. Eu franzi o cenho para nossa cabana esquecida na


floresta. O vento tinha aumentado consideravelmente e estava fazendo com que as árvores batessem de um lado para o outro. "Bran? Você..consegue ...me...ouvir... Olá?" "Keela? Você está picotando, querida." "Você consegue me ouvir?" Ela perguntou em voz alta. "Sim," eu disse, levantando minha voz, também. "Desculpe, o tempo está ficando ruim aqui. Ryder disse que uma tempestade está chegando." "Essa é uma das razões pelas quais liguei", respondeu Keela enquanto eu ligava a luz do nosso quarto. "Chuva forte, trovões, raios e ventos com força de vendaval são esperados. Estamos chegando ao final da tempestade Harry que atingiu o Reino Unido ontem à noite. " Bem, porra. "Espero que passe logo" Eu disse. "Branna? Pode ... Eu ... Branna? Olá?" "Não consigo te ouvir." "Ligue...depois. Olá?" "Ok, querida. Falo com você mais tarde." A ligação tinha sido bem merda sempre que minha irmã ou amigos ligavam, nos últimos dias, mas estava realmente ruim agora que uma tempestade estava vindo. Era outra razão pela qual eu estava animada pra chegar em casa. Eu não podia esperar para ter uma conversa real com eles sem ser cortada. "Ryder!" Gritei quando eu desliguei meu telefone. "Ryder, rápido, venha aqui!" "Branna?" Eu ouvi meu marido rugir em resposta. "Estou chegando!" Ouvi seus pés batendo contra as tábuas do chão enquanto corria pelo corredor. Eu saltei quando a porta do nosso quarto voou aberta e colidiu na parede com um baque. "O que há de errado?", Meu marido perguntou, seus olhos dilatados. "Aideen teve o bebê!" "Puta merda!" Ele respirou e colocou a mão em seu peito. "Você me assustou. Pensei que algo estava errado com você, Branna." Porra. Eu estremeci. "Desculpe, esqueci." Ele fechou os olhos por alguns segundos e depois os reabriu. "Ado e o bebê estão bem?" Ele perguntou, colocando a mão dele em seu lado. "Tudo correu como o devido?" Eu balancei a cabeça. "Aideen está passando muito bem e o nosso novo sobrinho também." "Outro garoto?" Ele riu, sua preocupação por mim saindo de seu rosto. "Aposto que Kane está amando isso." "Tenho certeza que ele está." Eu ri. "Tenho certeza que ele vai querer ouvir de você. Apenas não se surpreenda se você for cortado, a tempestade me atrapalhou com Keela." Ryder fez exatamente isso. Ele me olhou mais uma vez, e quando ele teve certeza de que eu estava bem, ele pegou seu telefone, bateu na tela, e apertou contra sua orelha. "Kane?" Ele disse, sorrindo para longe quando seu irmão respondeu. "Bro, parabéns a você e a Ado. Outro menino! Estou tão feliz por vocês dois." Ryder riu de algo que Kane disse, então respondeu: "Ah, poderia ter sido pior. Você poderia ter quase perdido o nascimento, como quando Jax nasceu. " Eu podia praticamente ouvir Kane dizendo"vá se foder", do outro lado da sala. Eu sorri quando Ryder riu mais uma vez, mas sorri mais quando ele ficou muito quieto muito rápido.


"Diga isso de novo", meu marido pediu. "Eu acho que estou perdendo a ligação. Parecia que você disse que seu nome é Locke Ryder." Ele disse isso. Meu coração se aqueceu quando Ryder começou a vacilar um pouco de um lado para o outro. "Kane, eu não sei o que dizer além de eu estar honrado." Eles passaram um minuto ou dois no telefone depois disso, e quando a ligação ficou uma merda, Ryder desligou. Ele olhou para mim e disse: "Eles lhe deram o meu nome." "Não é brilhante?" "Sim," ele disse, limpando a garganta. "Brilhante." Borboletas explodiram em meu estômago quando ele esfregou os olhos. "Você vai chorar?" Eu perguntei, sorrindo tão largo que minhas bochechas começaram a doer. "Não," ele disse rapidamente. "Eu só tenho algo nos meus olhos. Você estava certa sobre estar um pouco empoeirado aqui." "Sim," eu brinquei. "Deve ser a poeira porque você nunca choraria sobre seu irmãozinho dar ao seu filho recém-nascido seu nome." "Claro que não" respondeu meu marido. "Não é grande coisa." "Sim", eu murmurei. "Não é grande coisa." Ryder fungou e esfregou os olhos novamente. "Eu vou ao banheiro", ele conseguiu sair, antes de virar e fugir do quarto. Eu encobri minhas risadinhas porque eu sabia que ele iria desencadear suas "emoções de homem" quando eu não estava por perto. Todos os homens deveriam seguir esse código, segundo os irmãos. Nunca "imitar uma criancinha" e chorar na frente de ninguém. A Bíblia do Homem tinha um capítulo inteiro sobre isso - ou era o que Dominic dizia, de qualquer maneira. Esse maldito código que viviam logo mudaria quando todos tivessem filhos, e eles os observassem crescer. Eu apostaria minha vida nisso. Naquela noite, quando saí da minha soneca - que era realmente como um coma de seis horas - encontrei Ryder na cozinha cozinhando para nós. Ele ainda não me tinha visto, então entrei silenciosamente no cômodo e simplesmente observei a magnificência que era meu marido. Eu me inclinei contra o balcão da cozinha e esfreguei minha barriga quando o bebê chutou. "O pequeno está ativo hoje," eu disse. Ryder olhou para cima, sorriu, e depois atravessou o balcão para me beijar. "Dormiu bem?" Ele perguntou. "Tão bem", eu ronronei, sacudindo meus membros relaxados. Ele riu quando ele voltou para o fogão. O bebê chutou com força. Novamente. "Aposto que esse bebê vai parecer com você", eu murmurei em voz alta. Ryder olhou para mim e piscou. "Nós vamos ter um bebê que vai se parecer com você mais do que comigo, então não desista da esperança ". Eu bufei. "Quantos filhos você está planejando que nós tenhamos?" Ryder disse: "Cinco." Senhor. Descansei meu rosto na minha mão. "Você ainda está decidido a isso, hein?" "Claro", disse ele. "Eu sempre fui decidido nisso." Eu inclinei minha cabeça para o lado. "E se eu só quiser um?"


"Por que você quer apenas um bebê?" Ele perguntou, seu tom soou confuso. "Porque algumas pessoas são felizes só com um" Eu disse. "Mas a criança vai ser feliz?" Meu marido questionou enquanto continuava a cozinhar os nossos bifes. "Uma única criança é uma criança solitária." Eu revirei os olhos. "Nosso bebê tem três primos até agora que não serão muito mais velhos. Ele ou ela terá muita interação com outras crianças. " "Como você sabe?" Ryder questionou enquanto revirava os bifes que chiavam na panela. "Como você sabe que meus irmãos e as meninas não vão se mudar para outro lugar, e não vamos vê-los tanto?" Meu coração começou a bater contra meu peito. "Eles não vão se mudar" Eu respondi. "Você não sabe isso", Ryder disse enquanto misturava um pouco de tempero na panela. "Com tudo o que sabemos, eles podem querer se mudar para o lado norte da cidade ou a um condado diferente com melhores escolas para seus filhos. Duvido que eles ficarão aqui apenas para dar ao nosso filho alguma companhia. " Eu nunca pensei em nada assim. Acho que sempre pensei que todos continuaríamos vivendo perto um do outro. A súbita ideia de minha irmã, meus amigos e os irmãos de Ryder não estarem por perto não me fez sentir bem, e de repente eu estava chateada com Ryder por colocar essa preocupação em minha cabeça. Eu olhei para ele. "Por que você está sendo tão negativo sobre isso?" "Eu não estou." Ele suspirou. "Eu só não quero que você presuma que nossa sobrinha e sobrinhos vão compensar os irmãos e irmãs do nosso bebê." "Você está dizendo isso apenas para que eu concorde com você sobre ter cinco filhos." "O que isso quer dizer?" Perguntou. "Significa," eu disse firmemente, "que você diria qualquer coisa para conseguir o que você quer." Ryder bufou, e foi nesse momento que eu soube que ele não iria concordar com isso, não importa o que eu dissesse, e isso estava começando a me enlouquecer. "E se eu não conseguir mais?" Ryder desligou o fogão e serviu nossos bifes em pratos um do lado do outro. "Isso é uma conversa maluca", ele disse, ignorando minha pergunta. "Não, não é", eu disse, não gostando que essa conversa estivesse rapidamente se transformando em uma discussão. "E se o bebê que estou trazendo comigo for o único que eu terei? Será que ele ou ela não será suficiente porque não há outros irmãos? " Ryder olhou para mim e empalideceu. "Não, claro que não..." "Então por que você está fazendo um alarde tão grande sobre isso?" Eu exigi. "Por que você está lutando comigo sobre isso? Por que você precisa de mais quatro filhos? Por quê?" "Branna, escuta ..." "Não, escuta você." Minha voz de repente quebrando. "Eu me privei de escolhas antes, e eu me recuso a me privar delas novamente. Se eu não quero mais filhos, então eu não vou ter mais. É o meu corpo. Fim de papo!" Gostaria de ter falado com segurança e queria que minha cabeça estivesse erguida, mas grandes lágrimas gordas estavam caindo dos meus olhos, e eu estava chorando como uma louca. Eu devia estar parecendo uma bagunça, mas eu disse o que tinha pra dizer e mostrei meu lado, e aquilo era importante. "Agora, se você não se importa," solucei "Vou sair para tomar um pouco de ar fresco."


"Branna, eu estou tão arrepen..." "Não se desculpe." Eu o cortei "Tenha cuidado com meus sentimentos e compreenda minhas decisões. Você não precisa gostar delas, mas é melhor respeitá-las. Sou sua esposa; Seu maior respeito deve ser por mim." Saí da cozinha sem esperar a resposta de Ryder e fui para a varanda da frente. Estremeci no momento em que fechei a porta da frente atrás de mim. A chuva diminuíra ligeiramente, mas o frio frígido me pegou e fez com que minha pele se enrubescesse. Meu aborrecimento forçou minhas pernas a se moverem, e sem me dar conta, caminhei na direção da trilha que Ryder e eu caminhávamos diariamente. As árvores sobre mim forneceram alguma proteção contra a queda da chuva. Caminhei por poucos minutos antes de um grito agudo chamar minha atenção. Examinei o mato escurecido e pulei quando ouvi o grito novamente. Apertei os olhos e caminhei para a frente. Ouvi a corrida da água corrente e sabia que o rio estava nas proximidades. Atravessei algumas árvores até chegar perto do aterro do rio que atravessava a floresta. Não estava completamente escuro lá fora, mas não demoraria até que eu não pudesse ver minha mão na frente do meu rosto. Eu sabia que precisava voltar para a segurança da cabana, mas eu não podia deixar o animal que estava sofrendo. Tentei me virar, mas minha consciência não me permitia fazê-lo. O grito de dor foi mais alto desta vez, e ofeguei quando encontrei o que estava fazendo os sons horríveis. "Oh, bebê," eu sussurrei enquanto olhava para um pequeno coelho que de alguma forma prendeu o pé em algum plástico que estava preso em alguns ramos caídos. Olhei em volta procurando algo para cortar o plástico, mas a melhor coisa que pude encontrar foi uma pedra semi-afiada. "Shhh", eu murmurei para o coelho, na esperança de oferecer-lhe algum conforto. Eu me agachei de joelhos e agarrei o pequeno ser. Tentei aplicar alguma força para mantê-lo imóvel, mas era inútil, então coloquei as patas voando e chutando no ar quando comecei a desenredar o pedaço de plástico longo em torno da perna pequena do animal. Quando mais nada podia ser desembaraçado, eu usei a pedra para cortar através do material até que ele estalou e o animal foi libertado. O coelho chutou-me no segundo que ficou livre. "Seu merdinha ingrato!" Eu exclamei. Começou a afastar-se lentamente antes de se lançar aos arbustos e desaparecer. "Vocês são bem-vindos, insetos!" Eu gritei depois, rindo um pouco. Uma rajada de vento golpeou minhas costas e me fez tremer. Coloquei minhas mãos sujas sobre minhas coxas e esfreguei-as contra o tecido da minha calça. Eu tremi um pouco enquanto a brisa me cortava, e me encolhi quando o trovão rugiu através dos céus. Eu pulei, mas antes que estivesse com o pé firme no chão, meu pé esquerdo escorregou graças as folhas molhadas espalhadas no ambiente. "Branna?" A voz de Ryder gritou atrás de mim. Parecia um pouco distante, e eu o imaginei parado na varanda da cabana procurando por mim. "Ryder!" Eu gritei quando eu caí para frente. Eu bati no chão duro, batendo com o ombro esquerdo primeiro, e então desajeitadamente e dolorosamente comecei a deslizar aterro abaixo. Tudo aconteceu muito rápido. Um momento eu estava caindo, então eu estava no ar, e no segundo seguinte, eu estava com o corpo submerso na água gelada. Meus olhos estavam abertos, mas tudo que eu podia ver era a escuridão maciça. Aquela escuridão me pegou e comecei uma luta para me manter na mesma altura.


Água. Eu estava debaixo d'água. O frio apunhalou minha pele como agulhas minúsculas. A água e os detritos me envolviam, e o que parecia como os mais longos poucos segundos da minha vida rapidamente se tornaram os mais difíceis e dolorosos. Eu chutei e usei meus braços pra cortar a água em um esforço para empurrar-me para a superfície, mas rapidamente percebi que a correnteza estava firme e não ia parar tao cedo. Foi então que um fogo acendeu no centro do meu peito, e quase instantaneamente se espalhou para os meus pulmões doloridos. Era irônico estar debaixo de uma água gelada e despertar um fogo ardente dentro de mim. Era como se eu pudesse ouvir meus pulmões gritando, até que passou pela minha mente que não eram os meus pulmões gritando, era eu. Quando meus pulmões estavam gastos de oxigênio, o silêncio envolveu seus braços em volta de mim, e com a companhia do balanço da correnteza, começou a me acalmar para dormir. Eu estava sendo engolida pela escuridão, e estava ciente disso. Ryder tomou conta dos meus pensamentos. Lembranças desde o momento em que o conheci foram substituídas por imagens de todos os nossos anos juntos. Elas passaram por minha mente como uma apresentação de slides em alta velocidade. Desacelerando no dia do nosso casamento, e mais uma vez, meu coração inchou quando ele fez seus juramentos para mim, declarou seu amor por mim, e mais tarde me fez sua para sempre. Avanço rápido para ver seu rosto quando eu falei que ele iria ser pai do nosso bebê. Meu marido. Nosso bebê. Minha irmã. Minha família. Minha vida. Olhei para cima e fiquei surpresa ao ver luz dentro da escuridão. Por cada um daqueles que eu amava eu estava usando o resto da minha força para chegar até a luz ondulada que brilhava acima de mim. Algo duro golpeou minha palma, então segurei. Eu me senti sendo puxada pra cima quando a correnteza passou em volta de mim. Então eu agarrei o objeto e me levantei, e no segundo que eu atingi a superfície, comecei a me sufocar. Eu tossi, balbuciei, e puxei com força o oxigênio para os meus pulmões doloridos. Eu usei minha mão livre para pegar o que parecia um tronco ou um grande ramo de árvore. Puxei-me para a margem do rio, coloquei todo o meu peso sobre o


tronco molhado e quando eu estava prestes a respirar um suspiro de alívio, o desastre aconteceu. Literalmente. Eu gritei quando o tronco que me salvou se quebrou em dois e caiu em cima de mim. Ficou na minha perna esquerda e parou na terra gelada, molhada e lamacenta. Meu coração bateu contra meu peito, e eu comecei a chorar, não sendo capaz de acreditar no que acabara de acontecer e quão ruim era a situação em que me encontrava. Senti a dor de uma pontada no meu lado enquanto continuava a respirar pesadamente, mas nada em comparação com a sensação horrorosa que se formou em minha barriga. Coloquei minha mãos sobre minha barriga e disse: "Por favor, chute." Nada. "Por favor," Sussurrei. "Por favor, se mexe pra mamãe." O bebê tinha chutado há menos de dez minutos atrás, mas meu estômago agitou com a sensação de que algo poderia estar errado depois do que tinha acontecido comigo. Olhei para o céu estrelado quando eu gritei: "Por favor, Deus" supliquei. "Não tire meu bebê de mim." Eu esperava apenas o silêncio, mas fracamente, eu ouvi uma voz familiar chamar.. o meu nome. Ryder. "Socorro!" Eu gritei. Ouvi sua voz ficar mais alta, e eu ouvi o som dos ramos e o estalo dos galhos. "Branna!" Ah, graças a Deus. "Ryder!" Eu gritei com alívio. "Eu estou aqui!" "Continue falando comigo," ele gritou quando a chuva começou a cair. "Eu não consigo ver merda nenhuma." Tinha ficado muito mais escuro em apenas alguns minutos e ficou impossível distinguir qualquer coisa contra o mato escuro. "Estou presa", eu gritei para ele. "Eu caí da margem direto na água. Eu saí da água, mas quando eu su-subi, o tronco que eu usei como uma âncora quebrou e caiu em minha perna. É muito pesado para mover, e a água está subindo". Estava subindo rápido. A chuva dura que caía nos últimos trinta minutos era demais para o pequeno rio conter, resultando em correr sobre as margens. "Você está machucada?" Ryder perguntou; o pânico em suas palavras enquanto ele se aproximava de mim. "Estou bem, eu acho", eu disse através dos dentes batendo. "É só a minha perna que do-dói." Eu o ouvi amaldiçoar algumas vezes, e eu gritei quando algo grunhiu e passou sobre minhas pernas. "O que foi isso?" Ryder gritou. "Um rato" gritei. "Deus, eu acho que um rato cocorreu so-sobre minha pernas!" Morria de medo de ratos. "Eu estou chegando, querida, estou chegando." Dez segundos depois, os arbustos do meu lado fizeram barulho antes que meu marido passasse entre eles. "Bran", ele respirou, um suspiro de alívio escapou dele quando ele caiu de joelhos ao meu lado. Ele sentiu meu corpo até que suas mãos encontraram o tronco que me prendia. Ele ficou de pé, e se curvou agarrando o tronco, e com um grunhido, ele levantou o suficiente para que eu pudesse puxar a minha perna que pulsava com dor, mas eu podia dobrar meu joelho, e isso tirava qualquer medo persistente de que pode ter sido quebrada. "Ryder," eu disse, ganhando sua atenção. "Eu não sinto o bebê se mexer de-desde que eu deixei a ca-casa. Eu não sei quanto tempo eu fiquei de-debaixo d'água." Eu não podia ver seu rosto claramente, mas eu ouvia sua respiração forte.


"O hospital," ele respirou. "Nós vamos voltar para a cabana e quando você estiver seca e aquecida, nós vamos ao hospital. Nós vamos chegar lá em algumas horas, ok? " "Ok", eu respondi, ainda chorando. Ryder me segurou com força. "Ele está bem." Solucei. "E se ele não estiver?" Eu perguntei, usando um termo de gênero pela primeira vez desde que descobri que estava grávida. "E se eu o ma-matei? Ah, Deus, ele não po-pode estar morto, Ryder. Ele não po-pode estar." "Ele. Está. Bem." Meu marido disse com firmeza quando se abaixou e me levantou em seus braços. Não demorou muito para nós voltarmos para a cabana, e o calor que me atingiu ao entrar na cabana parecia o paraíso. "Nós pre-precisamos i-ir," Eu pedi assim que nós entramos no banheiro. Ryder tirou as minhas roupas molhadas e me colocou no chuveiro. Sem avisar, ele ligou a água. Eu engasguei com choque térmico e pressionei meu corpo contra o dele. A água parecia fervente, e minha pele gritou em protesto. "Muito quente!" Eu gritei. Ryder me segurou no lugar."Está morno", ele me assegurou. "Basta relaxar até que seu corpo se acostume. Precisamos manter sua temperatura antes que você fique febril. A última coisa que você precisa é febre." Descansei minha cabeça em seu peito e fechei os olhos. Meus membros ainda tremiam por vontade própria, mas a água começou a ficar lindamente quente em vez de chocantemente quente, e meu corpo foi quase instantaneamente relaxando. "Não," Ryder de repente falou e me sacudiu. "Fique acordada. Balança seus braços e pernas para gerar calor." "Eu sinto muito", eu choraminguei e tentei fazer o que ele pediu. Meu marido me segurou firmemente. "Pare. Está bem. Você está bem, o bebê está bem. Tudo está bem." Tudo não estava bem, e ele sabia disso. "M-me perdoa", eu implorei. "Por favor, me perdoa" "Pare com isso", ele exigiu. "Não há nada a perdoar. Você sofreu um acidente, e caiu. Você não queria que isso acontecesse, Branna. Por favor, amor. Eu sei disso." Continuei a soluçar. "Eu não vou ser capaz de viver comigo mesma se eu machuquei ele" "Baby," Ryder sussurrou. "Não faça isso com você mesma. Você ficará doente se continuar se estressando assim, e isso não vai ser bom para o bebê, certo?" Eu tomei algumas respirações profundas. "Não," eu funguei. "Não vai ser bom para o bebê." "Exatamente", afirmou. "Temos um plano. Nós vamos te aquecer em roupas limpas e secas. Eu vou guardar nossas coisas, e nós iremos pra casa nos próximos vinte minutos, ok?" Eu balancei a cabeça. "Ok." Ryder cumpriu sua palavra. Depois de seca e com várias camadas de roupa, Ryder guardou nossos pertences em tempo recorde. As coisas que não eram necessárias foram deixadas na cabana, e sem dar ao nosso belo refúgio um adeus, saímos, entramos em nosso jipe, e começamos a viagem para casa. O caminho para baixo da montanha fazia frio na barriga. A chuva estava caindo forte, os trovões e os relampagos não tinham parado, e o vento era tão forte que fazia barulho dentro do carro. Meus gritos silenciaram, minhas lágrimas secaram, mas minhas preocupações ainda estava lá. "Eu não devia ter deixado a cabana", eu disse.


"Não, Branna," disse Ryder com firmeza. "Brincar de "e se" só vai te chatear mais do que já está." Ele estava certo. Eu sabia que ele estava certo, mas minha mente, aparentemente, gostava de me torturar. "Fale sobre algo" eu implorei. "Qualquer coisa." Ele fez exatamente isso. Nós conversamos sobre qualquer coisa e tudo para as primeiras duas horas de nossa viagem. Eu até adormeci por algum tempo, e quando acordei, estávamos de volta a Dublin a cerca de vinte minutos do hospital. O clima estava tão ruim quanto estava nas montanhas, mas a sorte estava ao nosso lado sobre dirigirmos. As pessoas mais inteligentes que nós ficaram em suas casas e fora das estradas. "Sobre a nossa briga," eu disse para Ryder. "Eu sinto muito." "Não, me desculpe," disse ele. "Eu não deveria ter sido tão idiota sobre porque eu quero cinco filhos, e eu nunca deveria ter colocado essa ideia em você. Não foi justo." Fiquei em silêncio. "A razão de eu querer cinco é só porque eu e meus irmãos formamos cinco, e eu quero que meus filhos tenham o que nós temos. Eu quero que eles tenham segurança, amor, e lealdade. Antes de você, meus irmãos eram as pessoas a me oferecerem tudo isso." Os ombros de Ryder caíram quando ele falou. "Meus irmãos me salvaram enquanto eu crescia. Sem eles, eu honestamente não sei que tipo de pessoa que eu teria me tornado naquele lugar. É só que... se alguma coisa nos acontecer, eu quero que nossos filhos tenham irmãos ou irmãs que vão ajudá-los e amá-los apesar de qualquer coisa. Além de você e de nosso bebê, Branna, meus irmãos são meu grande amor. Eles significam tudo para mim. Eu morreria por eles sem hesitar. Eu acho... Eu acho que eu só queria que o bebê tivesse um laço como esse também, e eu simplesmente assumi que um vínculo como aquele seria em números. Me desculpe por forçar meu desejo em você, embora eu não tenha entendido o porquê de você não querer mais filhos, mas eu entendo agora. Você não é uma incubadora apenas para casa e nossos filhos. É sua decisão sobre quantos ..." "Nossa," corrigi. A sobrancelha de Ryder se levantou enquanto olhava para a estrada, para mim, e para a estrada. "O que?" "É nossa", eu repeti. "Eu estava errada. É nossa decisão. É o meu corpo, mas se estou sendo honesta, é seu corpo, também. Você ama e valoriza - você me ama e me valoriza. Ouvindo as razões pelas quais você está tão determinado sobre querer cinco filhos, percebi que a ideia não é louca. É adorável, querido. Você é um homem tão bom, e eu não posso acreditar que você é meu. Eu vou ter tantos filhos quanto você e Deus me derem. Quero que nossos filhos tenham o que você e eu tivemos quando crescerem. Amor, felicidade e tudo mais que você listou. Se for com um filho ou com dez. Eu quero tudo isso ... com você. " Ryder pegou minha mão por um segundo e depois soltou para que ele pudesse mudar de marcha. "Eu quero muito te beijar agora."1 Eu sorri. "Você só vai ter que me dar um bem longo mais tarde." "Você pode contar com isso, querida." Meu coração bateu contra meu peito. "Eu te amo, Ry," eu disse, meus olhos embaçaram. "Você significa o mundo para mim."


Eu engasguei quando de repente ele levou o carro para o lado da estrada, tirou o cinto, e se inclinou sobre o console para me beijar. "Só posso aguentar um pouco da sua fala doce," murmurou contra meus lábios. "Eu sou apenas um homem."1 Eu sorri e apertei minha testa contra a dele antes dele voltar para seu lado do carro, colocando seu cinto e começando a dirigir mais uma vez. "Você deveria ligar para sua irmã." Perdi meu sorriso. "Não," eu disse. "Eu não quero preocupar ela até que eu saiba que há algo com que se preocupar." Ryder olhou para mim mais uma vez. "Ela vai enlouquecer se você fizer isso." "Eu não me importo," eu disse com firmeza. "Ela e todos se preocuparão, e eu não quero pensar nisso. Eu só quero que você e eu vá para o hospital, e nós vamos de lá, ok? "1 "O que você quiser, querida." Eu acenei com a cabeça e coloquei minhas mãos em meu estômago, silenciosamente querendo que o bebê se movesse, mas, como antes, não senti nenhum tipo de movimento... nem mesmo uma vibração. Quando entramos no estacionamento do hospital, não fomos longe o suficiente. Eu abri a porta do passageiro e saí, mas no segundo que coloquei meh peso em minha perna dolorida, eu gritei. "Merda," eu disse com os dentes cerrados. "Eu posso andar, mas vai ser doloroso." Ryder veio ao meu lado do carro, fechou a porta, trancou o carro e me pegou em seus braços. Instintivamente, meus braços rodearam seu pescoço enquanto caminhava rapidamente pelo estacionamento, pelas portas duplas e para dentro do hospital. Eu disse a ele como chegar à sala de emergência, mas ele me ignorou e ignorou o guarda de segurança, e subiu as escadas de dois em dois até chegamos ao segundo andar. A ala de trabalho de parto. "Eu não estou em trabalho de parto", eu disse a ele enquanto ele avançava pelas portas duplas. "Eu tenho que ir ao departamento de emergência." "Merda nenhuma" ele disse antes de literalmente chutar a porta e chegar na ala. "Ryder!" Eu ofeguei. "Sally, Ash?", Ele gritou, sem se importar que todos os outros na ala pudessem ouvilo. "Preciso da ajuda de vocês; é a Branna!."


Olhei para minha esquerda e vi Ash literalmente correndo pelo corredor com Sally e meus outros colegas de trabalho. "Bran," Ash ofegou enquanto corria e parava antes de Ryder e eu. "O que diabos aconteceu?" "Ela caiu no rio perto da cabana em que estávamos hospedados", Ryder respondeu, me levantando contra o seu peito para que ele pudesse ajustar seu aperto em meu corpo. "Ela ficou submersa por cerca de dez a quinze segundos, e estava congelante, então eu tive que aquecê-la antes que pudéssemos vir aqui. Ela não sentiu o bebê se mexer desde o que aconteceu há quase três horas atrás. " "O quarto um está livre", Sally disse enquanto tirava o telefone do bolso. "Leve-a para lá, enquanto eu ligo para o meu marido da sala de emergência. " Ryder me manteve em seus braços enquanto seguia Ash no quarto um. Ryder me colocou na cama e permaneceu ao meu lado enquanto Ash se movia silenciosamente pela sala, pegando tudo o que precisaria para verificar o bebê. Ele amaldiçoou quando não encontrou nenhuma máquina de CTG na sala. "Eu vou pegar um CTG," ele disse para Sally que entrou na sala. "Há um Doppler Fetal aqui. Vou usar isso até conseguir uma máquina. Tenho certeza que Branna e Ryder estão ansiosos para ouvir os batimentos cardíacos do bebê. " Se houver um batimento cardíaco. Comecei a chorar, e isso fez Ryder sentar-se na cama ao meu lado e envolver seus braços ao meu redor. Ash saiu do quarto rapidamente, e Sally pegou o Doppler Fetal no armazenamento no final da sala. Ryder me ajudou a remover meu casaco de moletom e puxou a minha camiseta até que minha barriga estivesse exposta. Sally me ajudou a puxar minhas leggings até que o meu osso púbico estivesse a mostra. Sem esperar, ela espalhou o gel na minha barriga, ligou o Doppler, e colocou em minha barriga. Ela deu voltas com o gel, e parou por algumas vezes e o som familiar veio do dispositivo. Eu escutei atenta, e quando eu ouvi o tambor suave de um batimento cardíaco, eu sabia que


não era meu, era o dele. O som ficou mais alto e mais alto até que era tudo o que podia ser ouvido. "A batida do coração está forte", Sally anunciou, e seu suspiro de alívio era óbvio. "O bebê está bem, provavelmente está dormindo. " Eu explodi em lágrimas mais uma vez, e acho que Ryder também. "Eu te disse," ele disse enquanto beijava meu rosto. "Eu disse que ele estaria bem." Eu me agarrei a ele; o alívio que eu sentia era quase demais para suportar. "Merda, não me diga que é ruim, Sal?" Olhei para cima e vi Ash voltar a entrar na sala, empurrando uma máquina CTG com uma mão, e puxando uma máquina de USG atrás dele. A máquina CTG monitora os batimentos cardíacos em tempo real com uma alça que é colocada em volta da minha barriga, enquanto a máquina de USG é usada para realizar exames de ultra-som. "Pelo contrário" Sally sorriu. "O bebê está bem, está apenas dormindo." Ash colocou a mão em seu peito. "Porra, obrigada por isso." Eu ri. "Eu tenho que checar alguns pacientes", Sally disse de repente, então pegou minha mão e deu um aperto. "Ash, faça com que ela fique presa ao CTG e eu estarei de volta em cinco minutos. Ryder, junte-se a mim lá fora por um momento, por favor?" Ele saiu sem hesitação e Ash fechou a porta depois que os dois partiram. Eu sabia que Sally estava dando um resumo a Ryder sobre os procedimentos para este tipo de situação do paciente, e ela faria mais perguntas para determinar se eu precisava ficar no hospital durante a noite. Eu tinha certeza de que teria que ficar durante a noite, especialmente se Sally deixasse a decisão para Ryder. Eu mudei o foco deles para o meu amigo e bufei. Ash, como de costume, tinha um sorriso no rosto, o que me dizia que estava prestes a tirar de mim tudo o que tinha acontecido. "Você sentiu tanto a minha falta que se meteu nessa merda só para que você pudesse vir para a enfermaria me ver?" perguntou, com a mão no peito. "Estou emocionado."1 Eu ri. "Beija minha bunda, eu não te amo tanto." "Mentira", ele brincou enquanto ligava a máquina CTG e colocava a alça de monitoramento em volta da minha barriga. Eu balancei minha cabeça, sorrindo. "Você deveria ter visto Ryder correr até aqui comigo. Eu tentei dizer que esta era a ala de trabalho de parto, e eu precisaria ir ao departamento de emergência lá embaixo, mas ele não estava ouvindo." "Ele confia em Sally e em mim para cuidar de você" Ash disse, seu peito inchando com orgulho. "Eu teria que pedir pra que você fosse trazida pra cá de qualquer maneira, então Ryder nos poupou tempo fazendo este favor. " Eu sorri. "Eu percebi o quanto." Ash piscou e olhou para a máquina USG que estava ao nosso lado. "Eu vou ver se consigo fazer isso funcionar", ele disse, esfregando as mãos juntas antes e ligando a máquina. Eu soltei uma risadinha quando ele ajustou a pulseira de monitoramento CTG. "Vá em frente", eu disse. Depois de passar mais gel na minha pele, Ash girou o Doppler em volta da minha barriga, e eu o observei com grande diversão. Eu não acho que ele iria encontrar batimentos cardíacos do bebê, ou muito menos o bebê. Porque enquanto ele era bom na leitura de ultrassons, ele não era muito bom em usar esta máquina para encontrar as imagens perfeitas. Nós não tínhamos os olhos que os técnicos tinham. Para mim, tudo era apenas preto e cinza e manchas até que algo aparecesse para mim.


Depois de um minuto ou dois, pensei que Ash estava prestes a desistir quando ele de repente se inclinou tão perto do monitor que seu nariz quase tocou a tela. Ele se sentou na cama depois de um momento e olhou da tela para mim e em seguida para a tela. Ele piscou e esfregou os olhos um par de vezes também. Eu observei ele com perplexidade; o homem olhou para o monitor como se o próprio Deus tivesse aparecido e então ele começou a se balançar aleatoriamente de um lado para o outro como Elvis fazia.1 "O que diabos há de errado com você?" Eu perguntei com uma risada tensa. No fundo da minha mente, eu estava preocupada se ele tinha visto algo sobre o bebê que não fosse bom, e comecei a me assustar. "Nada", ele respondeu, ainda olhando para a tela. "É que... parece .. estou certo de qualquer maneira..." "Ash!" Eu o interrompi, agora entrando em pânico. "O que você viu? O bebê está bem? " Por favor, esteja bem. "Sim, tudo parece ótimo. É que ... " ele murmurou para si mesmo e se inclinou para mais perto do monitor. "Olha, eu não sou técnico, querida, mas isso são gêmeos. Estou certo disso." Por um segundo, tudo o que ouvi foi um ruído estático. "Desculpe," eu disse enquanto eu me acalmava. "Você pode repetir isso?" "Ryder tem um esperma poderoso ," disse Ash, sacudindo a cabeça. "Ele botou gêmeos em você. Apostaria meu carro nisso." Meu coração bateu mais forte no meu peito porque Ash amava seu carro até a morte. "Eu não te acho nada en-engraçado", eu gaguejei. "Você tá claramente vendo o ultrassom de outra pessoa, e está fingindo que é meu!" O riso de Ash explodiu. "Isso teria sido hilário, mas não é uma piada. Com a minha mão no meu coração, eu não estou brincando. Isso tudo é você na tela e seus dois bebês. " Olhei para Ash e então para a tela e disse: "Me mostre então." Ele fez o que eu pedi, e uma vez que eu vi o que ele viu, eu não poderia não acreditar. "Oh, meu Deus," eu sussurrei. "Sim, comece a orar a Deus porque você está muito ferrada." Ele riu. "criar gêmeos vai ser difícil pra caramba. " Para de falar. Pensei em Ryder, e meu coração começou a bater violentamente contra meu peito. "Ryder," eu gritei. "Estou aqui. Sally também; Ela lê exames como se lê jornal. " Não precisava pedir a Ash duas vezes; ele saiu do quarto e foi buscar Ryder e Sally. Me deixando sozinha no quarto com o monitor que estava escuro agora porque o Doppler não estava mais na minha barriga. Na tela branca ou não, eu não podia desviar meu olhar do monitor. Minha vida inteira estava mudando diante de mim, e eu estava loucamente animada sobre isso. "Gêmeos," eu sussurrei em voz alta. Posso realmente ter essa sorte? Sally entrou na sala alguns segundos antes de Ryder, e ela foi direto para a máquina USG e repetiu o que Ash fez. Ela ofegou uma ou duas vezes, e então fez uma porcaria de coisas. O suspense estava quase me matando. "Bem?" Eu disse. Sally olhou para mim com os olhos arregalados. "Ash está certo, Bran." "Oh, meu Deus!" Eu sussurrei.


"Há algo de errado com o bebê?" Ryder perguntou, o medo em sua voz evidente. "Ash disse algo para Sally, e ela simplesmente voltou aqui. " Olhei para o meu marido e encontrei os olhos dele fixos nos meus. Eu balancei a cabeça em resposta à sua pergunta, meus olhos embaçados de lágrimas. "Não." Eu engasguei. "Na verdade, ambos os bebês estão bem." Os ombros de Ryder caíram com alívio brevemente antes que eles se levantasse quase que instantaneamente quando ele entendeu minhas palavras. "Não brinque," advertiu. "Eu não aguento piadas assim." Eu sorri largo quando lágrimas começaram a salpicar em minhas bochechas. "Não estou brincando. Nós teremos gêmeos. Veja." Sally mostrou o Bebê A e o Bebê B para nós dois, e antes que percebêssemos, todo o quarto estava chorando. Até mesmo Ash estava discretamente esfregando seus olhos e nos chamando de chorões, o que nos fez rir. "Eu não sei como não vi no seu exame de doze semanas, Branna" Sally disse, limpando suas bochechas com um lenço. "Foi um exame rápido com Taylor", eu disse, sentindo como se estivesse flutuando. "E do que foi mostrado para mim, parecia apenas um bebê." "Talvez um gêmeo estivesse escondido atrás do outro," sugeriu Ash. "Isso aconteceu duas outras vezes esse ano quando a mãe fez exames iniciais." "Serão como meus irmãos?" Ryder me perguntou. "Não, porque seus irmãos são gêmeos tecnicamente fraternos. Ryder piscou. "Não, eles são idênticos." "Eles têm cor de cabelo diferente", eu disse sem rodeios. "Gêmeos idênticos teriam os mesmos níveis de melanina, sendo assim eles não podem ter a cor do cabelo diferente." Meu marido franziu o cenho. "Branna, fora seus cabelos, eles são a mesma coisa. Eles literalmente têm a mesma cara." "Eu sei disso," eu disse. "Para o mundo eles são idênticos, mas em termos médicos, eles seriam classificados como gêmeos fraternos com base em sua cor de cabelo diferente." "Como eles podem ter a mesma aparência se não forem idênticos?", Perguntou, não convencido. "Eles não apenas parecem semelhantes; eles têm o mesmo tudo, menos o cabelo." "Eles são apenas uma das proezas da natureza, eu acho. Eles são exatamente os mesmos, mas com diferentes cores de cabelo. Eu só estou dizendo que de acordo com a ciência, eles seriam classificados como fraternos." Ryder assobiou. "Nunca diga isso a eles; eles acham que são idênticos." "Eu não vou dizer uma palavra." Eu ri quando olhei para a tela, em seguida, olhei para Sally. "Estou confiante de que nossos bebês são idênticos, mas você pode confirmar? " Sally assentiu com a cabeça. "Eles são idênticos, querida." "Como você consegue saber?" Ryder questionou quando ele tomou o assento ao lado da cama onde eu estava deitada e agarrou minha mão, apertando-a firmemente. "Os gêmeos fraternos são como qualquer outro irmão; a única diferença é que eles compartilham um útero. Gêmeos idênticos provenientes do mesmo óvulo compartilham assim o mesmo padrão de DNA. Não há membrana dividindo seus gêmeos, e eles estão compartilhando uma placenta significando que eles vêm do mesmo óvulo que se dividiu ", explicou Sally. "Eu tenho visto exames como este centenas de vezes ao longo dos anos, e isto é um livro para gêmeos idênticos. " Ryder exalou uma respiração profunda. "Você pode dizer o sexo?"


"Eu posso." Sally hesitou quando ela olhou entre nós. "Branna tem dezesseis semanas e quatro dias, e ambos estão na posição perfeita para que o gênero seja determinado e confirmado. Você gostaria de saber?" Eu tinha planejado não descobrir, mas isso foi antes de eu descobrir que estávamos tendo gêmeos. "Eu quero", eu admiti a Ryder. "Você?" Ele rapidamente balançou a cabeça, me fazendo rir enquanto eu olhava para Sally. "Gostaríamos de saber, por favor, Sal." "Você têm meninos gêmeos idênticos." Ela sorriu com uma palmada de suas mãos. "Parabéns."1 "Meninos", eu sussurrei. "Isso é Dominic e Damien, tudo de novo" Ryder respondeu, seu aperto em minha mão apertando. "Bolas", eu sussurrei. Meu marido riu. "Você pode dizer isso de novo." "Bolas", eu repeti, e ri quando Ryder riu mais forte. Sally e Ash saíram do quarto sem que nós percebêssemos porque estávamos muito envolvidos um no outro com a notícia de que íamos ter gêmeos. Gêmeos idênticos. "Meu Deus," eu consegui dizer através das lágrimas de alegria que fluíam. "Eu vou ficar enorme." Ryder riu e me abraçou. "Eu não posso acreditar nisso, Doçura. Meninos gêmeos. " Eu não podia acreditar nisso também. "Duas crianças" eu disse sem jeito. "Faltam três." Ryder riu novamente e me apertou tão forte que quase doeu. "Eu juro que vou cuidar de vocês três," ele jurou quando ele se afastou e olhou para mim. "Eu nunca pensei que eu teria essa vida." "Eu também não. Nós ganhamos uma bolada." Ele me beijou e depois beijou minha barriga. Por uma hora, conversamos, ainda em choque, mas continuamos chorando e rindo quando estávamos cheios de felicidade. Sally e Ash apareceram de vez em quando para verificar eu e eles e até mesmo tiraram sangue para examinar os testes assim que mencionei como minha respiração estava difícil nas últimas semanas junto com meu cansaço. Quando os bebês acordaram e começaram a se mover, meu coração relaxou. Tanto a minha atenção quanto a de Ryder foram voltadas para a porta quando ela abriu, não muito tempo depois que Sally passou por ela. "Dr. Harris." Eu sorri. "Ótimo ver você." "Branna." Ele sorriu calorosamente e apertou a mão de Ryder. "Ryder." "Como você está?" Eu perguntei depois que ele me deu um abraço. "Eu estou ótimo," ele disse, mas franziu a testa para mim. "Você não está tão quente.." Eu estremeci e olhei o gráfico em sua mão. "Você já recuperou meu sangue?" O Dr. Harris assentiu. "O laboratório me fez um favor." "Então." Eu exalei. "O que há de errado comigo?" "Você está com anemia, Branna. Uma anemia muito grave em seu sistema sanguíneo. Tanto de ferro quanto de uma deficiência de folato. Estou surpreso que você não tenha vindo aqui antes para exames de sangue. Você não sentiu nada mais além de um pouco de falta de fôlego?" Sim.


"Eu não achei que fosse nada ruim." Eu fiz uma careta. "Eu só pensei que a mudança do tempo estivesse me fazendo sentir cansada." A mão de Ryder em minha mão apertou. "É sério?" Ele perguntou. O Dr. Harris balançou a cabeça, e eu praticamente senti a preocupação no corpo de Ryder. "Se não tratada, pode causar complicações, mas uma vez tratada, tanto ela quanto os bebês estarão bem." O Dr. Harris olhou para mim. "Estou prescrevendo comprimidos de ferro e comprimidos de ácido fólico. Eu sei que você é uma parteira e todas essas coisas, mas você vai ouvir tudo que eu falo para os outros pacientes. Você precisa tomar os comprimidos todos os dias, e mudar a sua dieta um pouco para ter mais ingestão de substâncias nos alimentos não seria má ideia também. Você e os bebês vão se beneficiar muito." "Ela vai tomar os comprimidos e mudar a sua dieta" Ryder respondeu com firmeza. "Vou me certificar disso. Não se preocupe, senhor." Mandão. Suspirei. "Eu vou tomá-los, mesmo eles sendo comprimidos do tamanho de um cavalo." O Dr. Harris riu, e Ryder sorriu. "Então," disse o Dr. Harris enquanto olhava de volta para o meu gráfico, "seus bebês compartilham uma placenta, então você sabe o que significa?" Significava não só que meus gêmeos fossem idênticos, mas também que compartilhar uma placenta poderia causar problemas. Eu balancei a cabeça. "Check-ups mais frequentes para monitorar a gravidez." "Exatamente. Queremos que isso aconteça o mais tranquilamente possível. " "Sua gravidez está em risco?" Perguntou meu marido. "Risco maior do que a maioria, porque é uma gravidez de gêmeos, mas sua anemia é realmente muito comum. As coisas só vão em uma direção que não queremos se ela não fizer check-ups regulares e não relatar quaisquer problemas que ela tenha, não importa quão pequeno seja." O Dr. Harris estava definitivamente me castigando porque, sendo uma parteira, eu deveria saber mais, e porque ele estava correto, eu apenas acenei com a cabeça. Ele apontou para minha perna. "Você tem certeza que não quer ser transferida para ..." "Não," eu o interrompi. "Não está quebrada; está apenas machucada. Eles vão querer que eu faça um raio-x, e eu não vou fazer uma estando está grávida, então não há motivos para eu ir." O Dr. Harris assentiu com a cabeça. "Ok, mas se o inchaço não diminuir, você leve a sua bunda para a emergência. Você entendeu?" "Eu entendi." Eu sorri. "Você vai ficar a noite com a gente," ele então declarou. Eu suspirei, mas não protestei, sabendo que era o melhor. "Eu só quero que você fique ligada ao CTG a noite, então será desligado amanhã," ele adicionou. "Só por segurança, ok?" Eu balancei a cabeça. "Será que vou ser transferida para as enfermarias inferiores?" "E levá-la para longe de Sally?" Ele bufou. "Mesmo que você não esteja em trabalho de parto, querida, sem chances de eu sair daqui com meus testículos intactos assinando isso." Ryder sufocou em seu riso enquanto eu abraçava o meu.


"Está ficando tarde," disse Harris. "Durma um pouco; o Sol vai nascer antes que vejamos." Era bem tarde, e no lembrete, a exaustão de repente me atingiu. "Vou levantar uma cama dobrável..." "Ele vai dormir comigo." Eu o interrompi, sorrindo. "Não há motivo para levantar se ele não vai usá-la." O Dr. Harris sorriu. "Compreendo." Ele me abraçou e apertou a mão de Ryder antes de nos deixar em paz. Eu ainda estava com minhas roupas, e Ryder ainda estava com as dele, mas não importava. Nossos bebês estavam bem e saudáveis, e isso era tudo o que importava. Antes de me levar para um sono tão necessário, me perguntei como minha irmã receberia as notícias, e sem perceber, cochilei com um enorme sorriso no rosto.


"Você está pronta para isso?" Ryder olhou para mim quando eu fiz a pergunta quando entramos em nossa garagem. Era pouco mais das nove da manhã, e eu tinha acabado de receber alta do hospital. Eu tive uma dor de cabeça e não dormi bem, mas eu estava louca de emoção para compartilhar as notícias de nossos gêmeos com a nossa família. "Estou pronto," disse ele. "Você está?" "Eu estou pronta para um banho," eu respondi, "e uma boa comida." "Eu também", disse meu marido enquanto olhava para o carro estacionado junto ao nosso, "mas sua irmã e meu irmão já estão aqui, então é melhor contarmos primeiro. " "Você não deveria ter ligado para Bronagh," eu disse a ele. "Nós poderíamos ter contado o que aconteceu quando chegássemos aqui." "Ela me ligou para ter certeza de que estávamos bem depois da tempestade de ontem à noite, e ela acabou ouvindo Ash falando no fundo" ele comentou enquanto tirava o cinto de segurança. "Nem mesmo eu pude explicar; sua irmã é muito esperta para seu próprio bem." Isso ela era. "Você poderia ter dito que estávamos a caminho de casa..." "Nós não deveríamos estar por mais três dias" Ryder me cortou. Abri a boca para falar, mas fechei quando percebi que ele estava certo. "Você está rindo de mim?" Eu perguntei quando ele saiu do carro. Ele estava claramente sorrindo quando deu a volta ao carro para ir pro meu lado e abrir a porta, mas disse: "De você, meu amor? Nunca." Segurei sua mão enquanto ele me ajudava a sair do carro. "Você é um mentiroso," eu disse a ele. Ele vibrou com uma risada silenciosa, mas parou quando a porta da nossa casa se abriu. "Por que você não me ligou?" Bronagh gritou. Aqui vamos nós.


"Não queria que você se preocupasse..." Eu fui cortada assim que minha irmã mais nova correu até mim, diminuindo seu ritmo brevemente antes que me alcançasse para envolver seus braços em volta de mim enquanto ela me dava um abraço apertado. "Jesus, Bronagh." Ryder franziu o cenho. "Tenha cuidado com ela." "Ela está grávida, não feita de vidro" disse minha irmã antes de olhar para minha perna e então ela percebeu que estava dobrada. "O que aconteceu?" Ela perguntou, suas sobrancelhas franzidas. Suspirei. "É uma história que só deve ser contada com uma xícara de chá." "Dominic," gritou Bronagh. "Ponha a chaleira." "Eu já fiz isso," veio sua voz da porta. Olhei ao redor da minha irmã e vi Dominic de pé no degrau superior com minha sobrinha em seus braços. "Georgie!" Eu gritei. Eu parei quando a mão de Ryder segurou meu antebraço. "O que?" Ele franziu a testa. "Eu te levo." "Você vai fazer um show meu", eu informei ele. Ele revirou os olhos. "Todo mundo ainda está na cama-" "Bom dia, vizinhos!" Ryder fechou os olhos. "Menos Alec." Eu me virei e acenei para meu cunhado que estava pegando suas cartas da caixa de correio perto da frente da sua porta usando apenas sua boxer. Era tão Alec sendo Alec que eu nem sequer me encolhi. "Está frio," eu gritei. "Hein?" Ele olhou para baixo até sua virilha e então me olhou de volta e disse: "Você é espertinha." Todos nós rimos. "Venha aqui com Keela," eu gritei. "Nós temos que dizer algo para vocês." "Chegaremos em dez minutos," disse antes de entrar em sua casa. Eu mal voltei em direção a minha própria casa antes que eu fosse levantada do chão. Eu gritei e agarrei em meu marido, esperando que eu tenha cravado minhas unhas nele um pouco mais do que ele gostaria. "Você vai encher o meu saco," eu disse a ele. "Segurança em primeiro lugar," foi tudo o que ele disse. Eu balancei minha cabeça enquanto ele me carregava dentro de nossa casa com minha irmã colada em nossos pés. Nos reunimos em volta da mesa da cozinha, e quando percebi que faltava um gêmeo, eu disse: "Onde está Dame?" "Dormindo," respondeu Dominic como se fosse óbvio. "Usamos nossa chave, e quando eu olhei seu quarto, ele estava roncando, então eu não o acordei." Ryder bocejou. "Vá acordá-lo agora." "É uma notícia ruim?" perguntou minha irmã, sentando-se ao meu lado. Eu me virei para ela e vi medo em seus olhos. "Não, querida, não é." "Você quer Alec e Keela aqui, e Damien também," ela disse, não convencida. "Alguma coisa está acontecendo." "Não são más notícias," afirmei. Ela me olhou desconfiada. "Eu estaria lá em um segundo" ela disse e se inclinou em mim, me abraçando firmemente. "Eu sei," eu disse, devolvendo o abraço "mas eu não queria te preocupar."


"Me preocupe da próxima vez," ela declarou quando nos separamos. "Me enlouquece saber que você estava no hospital e eu não tinha ideia." Eu não planejava ter uma próxima vez, mas para apaziguá-la, eu cedi e concordei. "Eu sei que é cedo, mas cadê Aideen?" Eu perguntei, observando que ela, Kane e Jax não estavam lá. "Está vindo para cá", disse Bronagh. "Nós debatemos sobre ligar pra ela porque ela acabou de ter o bebê, mas ela nos ameaçou uma ou duas vezes pelo telefone só por hesitar." Eu sorri. "Você teria morrido se você não tivesse ligado para ela." "Não nos diga!." Keela bufou enquanto caminhava para a cozinha, seguida por um vestido, agora completamente vestido, Alec. "Ela acabou de se recuperar de ter tido Locke. De jeito nenhum eu ia irritar ela." Depois que nos abraçamos, passamos os próximos minutos olhando fotos do mais novo membro da nossa da nossa família, e isso só aumentou a minha animação com as notícias de meus bebês e de Ryder. "Eu gravei parte do parto para você" disse Keela e me entregou seu telefone. Eu estremeci através de algumas partes da filmagem quando vi minha amiga com dor, mas então passei para outros vídeos. "Se você chegar perto de mim pra ter sexo novamente, eu vou cortar seu pau," Aideen gritou para Kane, que estava olhando para ela e piscando rapidamente.1 "Boneca, você quer..." "O que eu quero é que você se jogue dessa janela aqui," Aideen cortou Kane. "você fez isso pra mim!" Ash olhou para Kane. "Esse não é seu segundo filho?" "Sim," respondeu Kane. "Então por que..." "Desculpa" Aideen cortou Ash. "Será que ter um bebê dói menos na segunda vez ou algo assim?" Ash mordeu seu lábio inferior, claramente tentando esconder o sorriso. "Não, senhora," Ele respondeu a Aideen. "É tao ruim quanto na primeira vez, pelo menos foi o que me disseram." Aideen se inclinou pra trás em seu travesseiro e disse "Estou rodeada por idiotas." "Respira, Ado," Keela disse "você está indo brilhantemente bem, querida." "Keela, eu vou fazer você comer esse celular se você estiver me filmando!" Aideen avisou. A tela do celular ficou preta logo depois, me fazendo rir. "Ela ficou doce como açúcar quando ganhou o bebê," Keela disse, rindo também. "Eu sinto muito por todos que estiveram naquele quarto com ela porque nos poucos minutos que eu estive lá, ela estava um desastre." "Bran!" Olhei pra cima quando ouvi meu nome ser chamado, e sorri para um sonolento Damien que estava esfregando seus olhos. "Ei, filho." Eu pisquei. Todo mundo sempre nos provocava porque, desde que Damien voltou para casa, eu fiquei um pouco mãezona com ele, e ele tinha zero problemas com isso. "Você está ótima" ele sorriu enquanto atravessava a sala e se abaixava, me abraçando. "Sua barriga está bem maior." "Você não deve dizer isso" disse Dominic por trás de seu irmão. "Isso chateava Bronagh sempre que você dizia isso a ela." Damien endireitou-se. "Os sentimentos da Bronagh estavam ..."


"Estavam o quê?," Minha irmã o interrompeu. "Por todo o lado" Damien terminou, travessura brilhando em seus olhos. "Você parecia uma máquina de chorar." Bronagh sorriu quando tomou Georgie de Dominic e deu de ombros a Damien, não negando que ela era uma confusão hormonal enquanto estava grávida. "Por que você estava no hospital?" Damien perguntou, preocupado. "Dominic disse que é por isso que você veio para casa mais cedo." "Aideen, Kane e Alannah não estão aqui," eu disse. "Vamos contar a eles mais tarde" minha irmã disse, quase explodindo de curiosidade. "Por favor, Branna, o bebê está realmente bem?" Olhei para Ryder que concordou. Olhei de meus amigos para minha irmã, e cada um deles parecia assustado pra caralho, mas eu sabia que não podia deixá-los nesse suspense. "É uma longa e curta história, eu caí na cabana, e por segurança, fomos para o hospital" eu expliquei e depois sorri. "Acontece que ambos os nossos bebês estão bem." Bronagh quase deixou Georgie cair. Se não fosse por Dominic, minha sobrinha teria caído no chão em segundos. "Cale a boca!" Minha irmã gritou e se lançou para mim. "Cale-se. Cale-se. Cale-se!" Eu ri e Ryder também. "Ambos," disse Alec olhando para Damien. "Ela disse ambos?" Ele piscou." Acho que sim, irmão." "Bem, me fode de lado," Alec disse. "Outros gêmeos na família?" Eu assenti, sorrindo. "Sim!" Dominic e Damien disseram juntos e bateram no punho um do outro. "Por que vocês dois estão tão animados?" Ryder perguntou aos irmãos, levantando as sobrancelhas. "Porque," Damien sorriu "durante anos, você sempre disse que se você tivesse gêmeos como nós, você saberia que era alguma forma de punição de Deus."1 Eu olhei para Ryder enquanto ele olhava para um Damien rindo e para um Dominic sorrindo. "Isso é verdade?" Eu perguntei, rindo. "Talvez" meu marido respondeu, ainda olhando furiosamente para seus irmãos mais novos. "Eles são gêmeos idênticos como vocês dois" comentei. Nunca precisariam saber que eram gêmeos tecnicamente fraternos. Ninguém acreditaria neles se eles falassem que não eram idênticos; eles são exatamente a mesma pessoa com cabelo diferente. E os gêmeos bateram o punho de novo. "Cara," Dominic riu, "Estou tão feliz que não sou eu." "Ou eu" Damien e Alec disseram em uníssono, me fazendo rir. "Meninos gêmeos idênticos, Branna!" Olhei para minha irmã quando ela falou e me abraçou mais uma vez. Ouvi sua voz falhar, e instantaneamente tinham lágrimas nos meus olhos. "Eu sei, Bee", eu disse enquanto a abraçava. "Não posso acreditar." "Todo mundo tem meninos, mas eu!" Ela gritou, me fazendo rir. "Vamos começar a fazer bebês, e eu vou colocar um garoto em você dessa vez... prometo" disse Dominic. Alec bufou. "Aposto que vou ter um filho antes que você." Dominic deu um soco em Alec, que o socou de volta. Ryder teve que ficar entre eles para separar, e isso trouxe um grande sorriso no meu rosto.


Certas coisas nunca mudarão. Eu abracei todos na sala e mostrei-lhes as imagens digitalizadas dos bebês. "Não é justo você já ganhar dois nesta gravidez e eu ter que passar por isso mais quatro vezes para chegar no número de crianças que queremos" disse Bronagh, deslizando as pontas dos dedos sobre as fotos com admiração. Keela riu. "Talvez você tenha gêmeos eventualmente." Dominic colocou a mão em seu peito e disse: "Você não quer que isso aconteça conosco, Daley." Eu sorri. "O que há de tão ruim em ter gêmeos?" "Eu sou um gêmeo", disse Dominic, afirmando o óbvio. "Eu sei o quão ruim podemos ser." "Ele está falando sério," disse Damien de acordo. "Éramos dois merdinhas." "Nada mudou." Alec refletiu. "Vocês ainda são dois merdinhas." Eu pedi licença para usar o banheiro quando os gêmeos começaram discutir com Alec sobre como ele era e ainda é. Levou um tempo para me aliviar e me limpar antes de pensar em voltar lá pra baixo. Eu troquei de roupa no meu quarto, escovei o meu cabelo, e trancei-o para deixar longe da minha cara. Quando me senti um pouco mais humana, voltei lá para baixo, mas parei no corredor quando ouvi vozes vindas da rua. Eu saí da minha casa e desci os degraus até o fim do meu jardim quando vi Alec no nosso portão segurando uma bola de futebol branca em suas mãos com os três meninos em volta dele. "O que está acontecendo?" Alec olhou para mim. "Eles chutaram a bola na direção da casa; eu vi quando eu estava saindo." "Nós não fizemos isso de propósito, senhora" um dos rapazes quase gritou para mim, defendendo seu caso. Eu reconheci o menino; Ele era meu vizinho, de algumas casas ao lado. "Acho melhor não ter feito, ou eu vou estourar sua estúpida bola de futebol", advertiu Alec. "Vai se foder, senhor," o menino estalou. "Eu vou dizer a minha mãe se você fizer isso."1 "Criança," Alec riu, "não me ameace. Eu vou começar a fazer promessas se você fizer. " Uh-oh. "Sério?", O menino estalou. "Tipo o quê? Seu idiota estúpido." "Não mexa comigo, garoto," advertiu Alec. "Ou o quê?", Respondeu o garoto. "Eu vou foder sua irmã e sua mãe, em seguida, casar com as duas e serei seu padrasto e cunhado se você cruzar meu caminho de novo, seu merdinha."1 O rosto do garoto ficou com a cor de beterraba quando seus amigos começaram a rir. "Meu pai vai chutar sua bunda por dizer isso!" Ele disse com raiva para Alec. "Então eu vou foder o traseiro dele e casar com ele também. Não me provoque, Bilbo. Vou casar com todos da sua família, e todos nós seremos uma grande e feliz família." O rosto do garoto ficou vermelho, um tom mais escuro quando os risos de seus amigos aumentaram. "Eu vou contar a sua esposa!" Ele balbuciou.1 "Você quase bateu no meu rosto com a bola, e ela ama o meu rosto, por favor," Alec disse, e gesticulou em direção à minha casa onde Keela estava, "vá em frente"


O garoto hesitou, então Alec continuou: "Ela vai dobrar a equipe de seus irmãos na frente de você, se você for." O garoto arregalou os olhos e disse: "Toda a sua família é louca!" Então ele se virou e saiu correndo, seus amigos seguindo de perto. Todos os três esqueceram seu futebol. "E não se esqueça disso!" Alec gritou atrás dele antes de chutar a bola atrás deles. Ele balançou sua cabeça e olhou para mim. "Que maricas, parecia que ele estava prestes a chorar." Eu tive que cruzar minhas pernas quando risos derramaram de mim, acompanhados por um ponto doloroso em meu lado. "Branna?" Ouvi a voz de Ryder chamar de trás de mim. "Ela está bem" Alec gritou enquanto me agarrava, então eu não caí. "Ela está apenas rindo e possivelmente se mijando."1 Eu bati nele com minhas mãos enquanto eu gargalhava, e ele achou isso divertido, mas apenas por um momento. "Merda, Bran" disse Alec, em pânico. "Você está bem?" Eu queria dizer sim, mas eu não podia porque um ponto estava me machucando. "Ryder!", Ele gritou. "Eu estou bem," eu murmurei e coloquei minhas mãos em meus quadris. "Apenas perdi a respiração." "Bran?" Ryder disse, suas mãos segurando meus ombros. "Eu estou bem," eu assegurei. "Apenas ri muito e perdi a respiração." "Estou recebendo sua receita da farmácia e então vou levá-la para a cama", afirmou. Eu sorri quando olhei para ele. "Ok, papai." Ele sorriu e olhamos para Alec quando ele grunhiu. "O quê?" Eu perguntei. "Nada, eu amo testemunhar a tensão sexual quando eu tô sem há dois dias." "Dois dias?" Eu disse secamente. "Que trágico." "Me fale sobre isso" grunhiu ele. "Malditos períodos fodem minha vida. Sou grato pela minha mão." Ryder riu. "É por isso que você é grato?" Perguntei a Alec. "Sua mão?" "Eu sou grato por ter tantas maneiras diferentes de comer batatas" ele respondeu imediatamente. Sorri ante ao seu pensamento de comida. "Eu também, e por pizza. Todos os diferentes estilos de pizza. " Alec bateu seu punho com o meu. "Você é meu espírito animal", disse ele. Eu ri. "E você é o meu." Alec seguiu seu caminho para sua casa, e assim que eu me virei para voltar para minha casa com Ryder, eu avistei o carro de Kane dirigindo pela estrada. Ryder notou também. "Você está pronta para contar a eles a notícia do bebê?" Ele perguntou. Eu sorri. "Nasci pronta." "Nós vamos pegar Lana mais tarde e dizer a ela," disse ele. "Então todos que nós amamos saberão que nós teremos gêmeos." Eu estava cansada, com fome e desesperada para dormir na minha própria cama, mas nada poderia se comparar com a felicidade que eu senti com as palavras de Ryder. Era real; estávamos tendo meninos gêmeos, e todos estavam felizes. O que era mais importante para mim era que eu estava feliz, verdadeiramente feliz, e eu seria condenada se não me sentisse assim.


Vinte semanas depois... Ter quase 37 semanas grávida de gêmeos era miséria absoluta. Em toda parte doía, em toda parte estava inchado, e eu não tinha visto meus pés em tanto tempo que estava desesperada para estar familiarizada com o visual dos meus dedos. Eu gemi e suspirei.1 "Estarão aqui em breve, Bran." Revirei os olhos para o comentário da minha irmã. "É fácil para você dizer. Você não é a baleia encalhada que mal pode se mover sem precisar de ajuda. " "Eu estive no seu lugar antes." Bronagh sorriu. "Eu sei quão miserável você está se sentindo" "Quando a miséria for por dois você vai entender como eu estou me sentindo," eu resmunguei. Bronagh ficou em silêncio por um momento e disse: "Quer uma massagem nas costas ou no pé?" "Não" eu disse. "Só vai me dar sono, mas não vou conseguir dormir." "O que você quer fazer então?" Ela perguntou. Eu me levantei da minha posição sentada. "Vou tomar uma xícara de chá." Deixei minha recentemente mobiliada sala - Ryder decidiu que estava na hora de ter uma sala de estar de verdade e levou a academia lá para cima - e fui para a cozinha. Eu sorri para Alannah, que estava sentada na mesa da cozinha, tocando na tela de seu telefone. Ela pediu licença e saiu da sala de estar por uns minutos para fazer uma ligação. "Está tudo bem?" Eu perguntei enquanto eu me fazia chá e me dirigia para a mesa da cozinha. "Sim, apenas confirmando coisas de trabalho". Eu acenei com a cabeça enquanto me sentava no assento em frente a ela, mas no segundo que sentei, eu enrijeci quando vi a xícara que Alannah agora estava segurando.


"Alannah," eu disse com os olhos arregalados. "essa é a xícara favorita de Alec." Era um xícara idiota que tinha uma citação sobre fazer algo ruim dos livros de Harry Potter quando um líquido quente fosse derramado. Alec amava a maldita coisa. "Ele pode usar outra." Ela bocejou e tomou um gole de chá. "Nem Deus poderia tirar este copo de chá para longe de mim agora; é necessário." "Não, sério," eu pressionei. "Ele tem algum tipo de reivindicação estranha com isso" "Está tudo bem." Ela riu. "Não é como se ele fosse..." "Você está usando minha xícara?" Olhei para a minha direita e comecei a rir quando vi Alec de pé na porta da cozinha. "Pelo amor de Deus" gemeu Alannah. "Nós apenas inconscientemente chamamos você ou algo assim?" Seu olhar endureceu. "Ryan," ele disse. "Essa. É. A. Minha. Xícara?" Alannah sorriu inocentemente. "Pode ser, pode não ser." "Você vai responder a maldita pergunta antes que eu enlouqueça." O olhar que Alec atirou em Alannah me fez esconder um sorriso atrás da minha própria xícara de chá. "Sim" ela respondeu, batendo os lábios. "É." "Essa é a minha xícara," disse Alec com os dentes cerrados. "Ninguém usa minha xícara." "Até hoje, Sheldon Cooper." Alec apertou a mandíbula quando Alannah inclinou a taça em sua direção. "Você está sendo difícil" ele disse, sua frustração piorando. "Você nunca é difícil. O que tem de errado com você?" Alannah encolheu os ombros. "Hoje não estou afim de ser fácil." "Estou prestes a empurrá-la se você não me devolver meu copo." "E se eu deixar cair a xícara quando você me empurrar?" Ela perguntou, levantando uma sobrancelha. "Eu nunca bati em uma mulher Alannah, mas se continuar falando sobre quebrar minha xícara, isso vai mudar. Sua bunda será queimada, mulher." Alannah estendeu a língua, colocou-a na borda da xícara, com os olhos fixos nos olhos de Alec, deslizou ela ao redor da borda. Quando ela terminou, ela segurou a taça infectada para Alec, mas ele não mexeu um músculo. "Sua... vadia má."1 Alannah sorriu "Isso significa que posso terminar o chá em paz?" Alec apertou os olhos. "Você ganhou a batalha, Ryan, mas você não vai ganhar a guerra." Ele se virou e saiu da sala, sua estranha ameaça se prolongando como um mau cheiro. Olhei para Alannah e disse: "Você sabe que Keela vai matar você pela dor de cabeça que você acabou de causar a ela, né?" "Mas que valeu a pena." Alannah riu. "Você viu a cara dele?" Eu ri. "Eu pensei que ele ia arrancar um pedaço seu. Ele ama aquela maldita xícara." "Eu posso entender por que" ela disse. "Minhas mãos se encaixam perfeitamente." "Você é esquisita" eu brinquei. "Você sabe disso, certo?" "Desde o dia em que comecei a escola." Ela assentiu. Eu sorri, bebendo meu próprio chá. "Como você está se sentindo?" Ela perguntou. "Eu ainda não acredito que você está carregando gêmeos." "Eu sei." Eu exalei uma respiração profunda. "É tão excitante mas pra ser sincera? Eu só quero que eles saiam."


Alannah assentiu com a cabeça em compreensão. "Meninos idênticos, pense" ela continuou. "Você vai ter um monte de pais e irmãos batendo na sua porta no futuro, se eles forem como Dominic e Damien e como eles eram com as meninas." Eu me benzi. "Nem mesmo mencione nada assim", eu disse a ela. "Eu daria um tapa na bunda deles." Alannah riu. "Eu acredito em você." Eu olhei para ela. "Como você está?" "Eu?" Ela forçou um sorriso. "Eu estou bem." Eu levei alguns segundos para realmente olhar para ela. Alannah era uma mulher muito atraente que eu sabia que deveria ser a inveja de muitas mulheres que a viram de passagem. Sua pele era de porcelana pálida, e quando estava livre de imperfeições, ela tinha o mais bonito salpicado de sardas polvilhadas sobre seu nariz e sob seus olhos. Ela raramente usava maquiagem, e a menos que você estivesse perto dela, você pensaria o contrário ao olhar para seu rosto marcante. Suas maçãs do rosto estavam altas, sua mandíbula definida, seus olhos grandes e envoltos por longos cílios e protegidos por grossas e bem formadas sobrancelhas. Seus olhos estavam brilhando azul, e eles me lembraram de um personagem de anime. Seu cabelo estava escuro como a noite e fluía em ondas até a base de sua espinha. Ela era perfeita, e eu sabia que ela não tinha ideia de quão bonita era. Normalmente, se alguém era lindo, eles sabiam, ou tinha algum tipo de dica para isso, mas não Alannah. "Você é uma péssima mentirosa, amiga", eu disse com um sorriso triste. Ela deixou cair seu sorriso forçado. "E eu aqui pensando que estava sendo uma contadora de histórias convincente." Eu pisquei. "Não nessa vida." Alannah suspirou, seus ombros caíram. "Estou debatendo sobre falar para a minha mãe sobre o caso da amante do meu pai ... de verdade desta vez." Eu suspirei na confissão dela. "Mesmo?" Ela relutantemente acenou com a cabeça. "Ele sabe que algo está acontecendo comigo porque eu me recuso a ficar sozinha com ele." Eu fiz uma careta. "Não consigo imaginar como você está se sentindo." "Dói" disse Alannah, com os olhos distantes. "Estou com raiva, triste, decepcionada e confusa. Minha mãe é linda, Branna. Eu também não estou sendo tendenciosa; Ela é realmente bonita, e ela pode cozinhar e cantar e colocar um sorriso no rosto de qualquer um sem nem tentar. Você conheceu ela então você sabe. Ela ama meu pai até a morte, e é por isso que isso está me matando. Se eu não disser a ela, meu pai continuará tendo o caso. Ela merece um inferno muito melhor do que isso, mas se eu disser a ela, vou quebrar seu coração e arruinar nossa família." Eu cobri a mão de Alannah com a minha. "Se alguém tem que se culpar por isso, é seu pai. Não você, não sua mãe, ele e ele sozinho." Alannah assentiu, mas não pareceu que ela acreditasse em mim, e eu odiei isso. Não importa qual seria o resultado para sua família, ela se sentiria um pouco culpada, não importa o que alguém dissesse. Esse era o tipo de pessoa que ela era. Ela queria consertar tudo, e quando não podia, assumia o peso do fracasso em seus próprios ombros e levava-o.


"Eu sou a única do nosso grupo que tem ambos os pais", ela comentou suavemente. "Durante séculos, eu pensei que era porque estávamos normais, mas agora ... agora eu não sei o que pensar." "Estamos todos aqui para você", eu disse a ela. "Por favor, não carregue esse fardo sozinha." "É difícil não fazer isso. Toda vez que eu arranjo a coragem de confrontar ele ou de dizer à mamãe, eu estrago tudo." "Eu também estaria assim", assegurei-lhe. "Isso é coisa pesada; Você tem que fazer isso somente quando for o momento certo. " Alannah assentiu e recuou para o conforto de sua própria mente, onde ela pudesse pensar. Não conversamos mais sobre o assunto quando Damien entrou no cômodo segurando Georgie ou quando Dominic e Bronagh chegaram poucos segundos atrás deles. Eu sabia que Bronagh estava na casa, mas os gêmeos deveriam estar no trabalho. Dominic conseguiu o emprego no ginásio em tempo integral no novo centro de lazer na cidade que Ryder me contou sobre na nossa lua-de-mel, e Damien e Ryder conseguiram emprego na loja de automóveis do pai de Aideen como resgate na estrada. Eles tinham uma compreensão básica de motores, mas o pai de Aideen os ensinou durante semanas para expandir seus conhecimentos e tornar seu trabalho um inferno mais fácil. "Como é que vocês já chegaram do trabalho?", Questionei. "Almoço" responderam os gêmeos em uníssono. "Já é hora do almoço?" Eu fiz uma careta. "Dame, onde está Ryd ..." "Ele literalmente acabou de entrar" Bronagh me cortou quando ela olhou para fora da cozinha em direção à porta da frente. "Damien veio adiante de dele, porque ele estava estacionando o caminhão." Ryder e Damien dividiam o veículo da companhia, mas Ryder fazia a maioria da condução. "Eu esqueci de fazer o almoço" eu funguei, me sentindo como uma pessoa horrível. "Sem lágrimas", minha irmã disse rapidamente. "Eu fiz comida para eles enquanto você estava repousando. Está na geladeira." "Obrigada." Eu sorri enquanto esfregava meus olhos. Não demorou muito para eu chorar, e quando eu começava, era difícil parar.1 "Papapapapa!" Georgie disse enquanto se aconchegava no peito de Damien. Dominic quase olhou furioso para a filha. "Eu sou seu papai. Damien é seu tio." Bronagh revirou os olhos. "Ela conhece seu papai, mas ela chama todo mundo de papa. É tudo o que ela sabe falar. Além disso, ela é um bebê, e provavelmente deve ficar louca porque outro homem tem o mesmo rosto que seu pai. Ela vai cometer esse erro até que ela perceba quem é quem." "Como você não cometeu um erro e encontrou seu caminho para minha cama?" Damien perguntou a Bronagh, sorrindo. "Simples." Ela sorriu de volta. "Você se afastou, e eu o conheci melhor." O rosto de Damien ficou triste. "Eu sabia que deveria ter ficado aqui." Bronagh riu, mas Dominic não se divertiu. "Devolva Georgie de volta a Bronagh" ordenou ele. Damien franziu o cenho. "Por quê?" "Então eu posso te matar", veio a resposta de seu irmão.1 Damien segurou Georgie por sua vida, e eu achei divertido. Eu balancei a cabeça enquanto tomava um gole de chá. Olhei para Alannah e encontrei-a olhando para Damien antes de olhar para a xícara de Alec e engolir em seco. Se eu não soubesse melhor, eu diria que ela parecia culpada por alguma coisa.2


Interessante. A sala ficou lotada quando Ryder entrou, sentando-se ao meu lado. Eu não fiquei surpresa quando Alec entrou novamente na sala com Keela minutos depois e olhou para Alannah como se ela tivesse acabado de matar seus pais. Eu bufei pra ele e abri um frasco de maionese que estava na mesa e agarrei um pouco de pão e presunto da geladeira para que eu pudesse fazer um sanduíche. Bronagh, que estava ao meu lado, fez uma careta quando cheirou o pote de maionese que eu tinha aberto. Eu assisti enquanto ela cobria sua boca como se o fedor dela a fizesse sentir doente. Eu arregalei meus olhos com isso porque a única vez que Bronagh não suportou o cheiro de maionese foi quando ela estava grávida de Georgie.2 "De. Nenhuma. Maneira" Disse ela, antes de sair correndo da sala e correr pelas escadas. Olhei para Dominic que olhava da porta para mim. Eu pisquei. "Você viu aquilo?" Ele assentiu. "Você está pensando no que estou pensando?" "Eu acho que estou, mas vamos ter que esperar e ver." "O que vocês dois estão falando?" Keela perguntou da mesa da cozinha. "Você vai ver," eu disse, ganhando uma risadinha de Dominic. "De. Nenhuma. Maneira!" Minha irmã repetiu do banheiro no andar de cima cinco minutos mais tarde, em seguida, correu escada abaixo. Olhei para Dominic, e nós dois sorrimos enquanto ela deslizava para a cozinha. Ela estava tão grávida. Bronagh estava branca pálida. Dominic sorriu, eu sorri, Ryder estalou sua língua, e o resto do grupo olhou para nós com sobrancelhas levantadas. "Por que vocês dois estão sorrindo?" Damien perguntou a Dominic e a mim. "Porque", ele sorriu e jogou seu braço em torno de Bronagh quando ela se moveu para o seu lado, usando ele como suporte. "Eu vou ser um papai novamente." Todo mundo ofegou, e foi quando Bronagh falou. "Você tem um pau mágico," ela disse a Dominic e o abraçou firmemente. "Eu te disse isso," ele sublinhou enquanto a abraçava. "Aposto que é um menino", disse Alec. "Georgie vai ser rodeada de homens, se for esse o caso" - murmurou Ryder em voz alta. "Isso faria cinco meninos incluindo os gêmeos, certo? Aideen não está grávida de novo ... ou está? Todos rimos da brincadeira. "Vamos fazer uma lista" sugeriu Alec, levantando a mão para contar as crianças. "Aideen e Kane têm dois meninos, Dominic e Bronagh têm uma menina e um bebê no caminho, Ry e Branna estão tendo garotos gêmeos, Keela e eu estamos tendo um - que nós saibamos - e isso é tão ..."1 "O quê?" Eu cortei Alec e me virei para Keela que estava sorrindo largo. "Você está grávida?" Eu perguntei em um suspiro. Ela assentiu com a cabeça. "Eu descobri ontem, e fomos ao médico esta manhã. Estou com sete semanas com base em quando eu tive meu último período. Poderia ser um pouco menos, mas eu estou definitivamente cem por cento grávida" Eu gritei, Alannah gritou, Bronagh gritou, Keela gritou, e Georgie gritou. "Há mais alguém que não está grávida?" Damien perguntou jogando as mãos para cima no ar. "Porque isso está ficando fora de controle. Irmãos, mantenham seus paus nas suas malditas calças. A superpopulação é um sério problema global e vocês quatro estão aumentando."1


Os irmãos riram de Damien, então eles aplaudiram Dominic e Alec nas costas, parabenizando-os enquanto nós garotas pulamos e gritamos com vozes agudas e um monte de "oh meus Deuses" sendo falados. Foi durante a comoção que não ouvimos Kane, Aideen, e os meninos entrarem na casa. "Por que vocês estão tão felizes?" Aideen gritou sobre nós, chamando nossa atenção. Ela apontou para mim. "Não fique pulando quando você está tão perto de ter gêmeos." Eu parei meus pés no chão. "Ela está certa; Pular não é exatamente incentivado a mulheres grávidas. Com mais de uma de nós estando grávida também, é melhor pararmos de fazer isso." "Quem mais está grávida além de Branna?" perguntou Aideen, levantando uma sobrancelha. Ela quase instantaneamente começou a gritar quando Bronagh e Keela levantaram as mãos. Ela muito bem abordou as duas com um abraço antes de fazer o mesmo com Dominic e Alec, que riram dela e devolveram seu abraço feliz. "Estou tão feliz por não ser eu", disse Aideen, fazendo-nos rir. Kane bufou. "Você provavelmente estará grávida novamente antes delas darem à luz, e você sabe disso." Aideen girou sobre ele e perigosamente apontou um dedo em seu rosto. "Já decidimos uma pausa de dois anos antes de começar a tentar de novo", ela lembrou. "Temos que desfrutar de Jax e Locke antes de ter mais filhos. Esse foi o acordo." Kane, que estava segurando seus filhos, deu um passo para trás. "Eu me lembro, boneca. Só estou dizendo que você engravidou duas vezes quando ..." "Você não vai transar sem camisinha por dois anos, Germinador, então aceite-o já." Kane franziu o cenho para a admissão de Aideen sobre sua conversa enquanto seus irmãos lhe ofereciam tapinhas de desculpas nas costas como se ter que usar um preservativo durante o sexo fosse uma sentença de prisão. "Como estão os meus sobrinhos?" Eu perguntei, mudando o tópico de discussão para os meninos. Kane entregou-me um Locke sonolento enquanto Damien levou Jax e Georgie para o lado mais distante da sala onde estava o baú de brinquedo. Eu aninhei Locke contra meu peito o melhor que pude, mas com minha barriga estando tão grande e ele sendo grande por ele mesmo, isso fez a tarefa difícil. Ryder sentiu pena de minha luta e tirou o bebê de mim, acomodando sua forma de dormir contra seu ombro largo. Suspirei. "Eu não posso esperar para não estar grávida." "Quanto tempo até que você esteja com parto induzido?" Aideen questionou. "Mais quatro dias se eu não entrar em trabalho de parto antes disso" disse, meus ombros caíram. "Ambos são esperados para serem seis de dilatação, que é grande para gêmeos. O Dr. Harris quer que eles saiam antes que eles fiquem maiores desde que eu estou planejando um parto normal - confiando que nada estará inesperadamente errado." "Podemos ir andando mais tarde e trazer alguns alimentos picantes", disse Aideen. "Esperemos que isso ponha as coisas em ação." "Vou tentar qualquer coisa, exceto sexo, neste momento, porque isso machuca tanto." Aideen estremeceu. "Sexo nunca me machucou." "Graças a Deus" disse Kane do outro lado da sala, onde ele e Alec estavam olhando algo em seus telefones. Ryder bufou em resposta, mas não falou, provavelmente com medo de acordar Locke.


"Eu gostaria de poder ficar mais tempo," Alannah anunciou "mas eu tenho que ir e entrevistar alguém que se candidatou pra ser minha assistente de trabalho." O negócio gráfico e de design de Alannah estava tomando uma vida própria. Ela estava crescendo em uma impressionante lista de clientes, e com a alegria de um negócio em expansão veio o caos. Ela precisava de alguém para ajudar a gerenciar parte dela, para que ela pudesse se concentrar em seu trabalho de criar algo que se encaixasse na visão de cada cliente. "Como você vai chegar lá?" questionou Aideen. "Eu sei que seu carro está na garagem do meu pai, consertando uma bomba." "Eu vou andando." Alannah deu de ombros. "Eu posso te levar" Damien ofereceu, endireitando-se após brincar com as crianças. "Ry e eu não precisamos estar de volta ao trabalho por uma hora e trinta minutos." Alannah estava hesitante. "Eu não quero ser um incômodo." "Você nunca é um incômodo." Damien disse, seu rosto queimando com um pouco de calor. "Nós podemos almoçar ou algo depois da sua entrevista se você não estiver ocupada. " "Eu não posso." Ela engoliu em seco. "Por que não?" Damien perguntou, cruzando a sala, franzindo a testa. Alannah evitou olhar na direção de Aideen, o que eu achei estranho. "Estou indo encontrar alguém" ela disse em um sussurro.1 Todos ficaram mortalmente calados, até mesmo as crianças; Era como se soubessem que algo estava acontecendo. "Quem?" perguntou Bronagh, primeiro. "Sim," Damien disse, sua voz chocantemente baixa. "Quem?" "Não importa quem" "Claro que importa!" Bronagh cortou Alannah. Alannah olhou para a amiga. "Eu ia te dizer, eu prometo, mas eu sabia que você iria contar a Aideen, e eu não queria que um grande escândalo fosse feito com isso." "Por que ela iria me dizer?" Aideen questionou com sobrancelhas franzidas. "E por que um grande escândalo seria feito?" Alannah gemeu e colocou o rosto entre as mãos. "Oh, meu Deus", de repente, Bronagh ofegou. "É um de meus irmãos, não é?", perguntou Aideen, com os olhos arregalados. "Você vai sair com um de meus irmãos?" Alannah olhou para cima e, em vez de olhar para Aideen, olhou para Damien enquanto dizia: "Sim". Damien fechou as mãos em punhos. "Qual Collins?" Eu me encostei no ombro de Ryder enquanto ela dizia, "Dante".1 Oh, merda. "Eu tenho que ir," Damien disse e fez um movimento para sair da sala. Alannah agarrou seu braço. "Espera. Olha, precisamos conversar." "Não" Damien disse e tirou a mão de seu braço. "Nós não precisamos." "Por favor, não sei por que trouxe isso à tona, mas temos que tentar ..." "Eu tenho tentado com você." Ele a cortou furiosamente. "Eu tentei ser paciente. Tentei te mostrar como sinto muito pelo que fiz com você. Eu tentei fazer amizade com você. Eu tentei te dar espaço ... Eu tentei te mostrar o quanto me importo com você, mas você não me quer. Vejo isso agora." "Damien ..." "Não, Alannah," ele a cortou. "Você está com Dante Collins, e eu estou farto."


"Não é um relacionamento," ela murmurou. "Nós não estamos namorando. Ele só está...lá." "O que diabos isso quer dizer?" Aideen perguntou, irritada. Alannah não desviou o olhar das costas de Damien. "Ele me ajudou a superar você ..." "Ficando debaixo dele?" Ele estalou.1 Alannah estremeceu. "Isso não é justo, Damien. Você se foi por tanto tempo, e nós não estávamos em boas condições." "Eu parti por você!" Damien gritou quando ele se virou para encarar Alannah. "Quando eu percebi o quanto eu te machuquei, quando Bronagh me disse as coisas que ninguém mais disse, eu tomei a decisão de sair para melhorar a mim mesmo, mas também para lhe dar tempo. Eu não sabia como tentar fazer as coisas naquela época, mas eu sempre voltaria para você, Alannah. Eu estava conseguindo consertar tudo, mas você fez isso ficar tão difícil. "1 A voz de Alannah rachou. "Eu ... eu não sabia." Damien sacudiu a cabeça. "Eu tenho que ir." Ele se virou e saiu da cozinha, mas Alannah rapidamente o seguiu enquanto nós todos ficamos com os pés cravados no local. "Damien, por favor," ela implorou do corredor. Georgie começou a chorar, o que levou Jax a se angustiar também. "Esquece, Lana" ele respondeu, seu tom baixo. Ela se apoderou dele. "Não," ela gritou. "Nós precisamos conversar." "O que precisamos fazer é ficar longe um do outro", Damien respondeu. "Vá para Dante; Tenho certeza que ele ficará muito feliz em te confortar." "Damien, pare. Você não quer dizer isso." "Alannah. Esqueça" "Não, não vou." Meus olhos deslizaram para Bronagh depois que ela tirou Georgie da área de brincadeiras. Ela tentou entregar a filha a Dominic, mas ele só enganchou um braço em volta da cintura de Bronagh, mantendo as duas meninas no lugar. "Deixe eles resolverem isso" disse ele ao ouvido dela.1 "Parece que eles estão resolvendo alguma coisa?" Ela brincou, enquanto sacudia Georgie para acalmá-la. Aideen pegou o telefone e começou a tocar na tela. Kane, que estava olhando por cima do ombro enquanto consolava Jax, gemeu e olhou para o teto quando enviou qualquer mensagem que ela tivesse mandado.1 "Isso vai ser ruim", ele murmurou para Ryder e Alec. Eles concordaram em uníssono. "Por que você quer falar de repente?" Damien exigiu do corredor. "Por que não nas primeiras um milhão de vezes que eu perguntei?" "Porque eu estou pronta para lidar com tudo isso." "Demorou muito!" "Não seja desagradável" respondeu Alannah. "Nada disso é culpa minha. Sou eu que fiquei magoada e envergonhada, eu tenho carregado isso por aí há anos, não você. " "Não eu?" gritou Damien. "Eu tenho carregado esse fardo desde o segundo em que eu te fiz mal, e eu fodidamente sei. Eu sei o que eu fiz, e eu tentei fazer a coisa certa, mas eu não posso. Você tornou impossível." "Como?" perguntou Alannah.


"Estando com ele!" Damien rugiu. "Eu não toquei em ninguém desde que te toquei. Não beijei ninguém desde que te beijei. Eu não olhei para outra mulher desde que eu tinha dezoito anos, mas isso termina hoje à noite. Se você mudou, então eu também."3 Senti minha boca se abrir de choque com a admissão de Damien, assim como todos os outros. "Tudo bem", Alannah gritou, mas eu ouvi em sua voz que ela ia chorar. "Vá ficar com uma vadia porque eu não estarei aqui quando você voltar. Você disse que já terminou? Bem, eu também!" Damien riu sem humor. "Você já terminou comigo há anos, e você sabe disso!" Eu pulei quando a porta do corredor se abriu e se fechou com força. Bronagh entregou Georgie, em seguida, afastou-se de Dominic e correu para o corredor quando o choro de Alannah pôde ser ouvido. Eu me virei e agarrei o braço de Ryder depois que ele entregou Locke de volta para sua mãe. "Vá atrás dele", eu implorei a meu marido. "Ele nunca vai se perdoar se ele ficar com alguém hoje à noite. Ele ama ela, Ryder, e ela ama ele. Eles só precisam jogar toda essa merda fora antes de chegarem ao ponto em que ambos percebam isso. "1 Ryder assentiu e olhou para seus irmãos. "Precisamos ser nós todos pra ter efeito nele", disse ele. Meu coração doeu. Tudo na minha vida pessoal com Ryder estava perfeito, mas Alannah e Damien faziam parte da minha vida em geral, e eu não podia ficar parada enquanto eles se autodestruíam. "Temos que ajudá-los" eu disse para as meninas. Eu podia ouvir Bronagh tentando confortar Alannah, mas pude ouvir que ela estava quase chorando também. Machucou-a quando Alannah se machucou, assim como estava machucando as outras garotas e eu vendo-a nesse estado. "O que vamos fazer?" perguntou Aideen enquanto os irmãos murmuravam um ao outro. "Se ela não está falando sério sobre ele, então ela precisa acabar com o que ela tem com Dante", disse Keela. "Eu sei que soa horrível, mas isso é o que precisa ser feito se ela quer uma chance com Damien." Nós concordamos com a cabeça. Keela olhou para Aideen. "Seus irmãos estão apenas se reconciliando com os irmãos de Kane agora, mas esse progresso vai parar se Damien pular em Dante com força e raiva. Nenhum de seus irmãos ficarão parados e deixarão que isso aconteça. Se Dante conseguir o melhor de Damien, Dominic vai intervir, e então Harley voará sobre ele como um vulcão em erupção, e Kane vai se envolver e assim por diante. Não causará nada além de problemas." Aideen suspirou. "Eu sei. Eu mandei uma mensagem a Dante, essa merda estúpida ... " Ela se cortou quando seu telefone começou a tocar. "Falando do diabo," ela murmurou antes que atendesse seu telefone e colocasse em seu ouvido. "Você é um estúpido bastardo governado por seu pau, você sabe disso?" Ela estalou. Os rapazes pararam de falar e se concentraram em Aideen e sua conversa com seu irmão. "Você percebe a tempestade de merda que você está envolvido?" Ela continuou falando com seu irmão, que estava tentando falar alguma palavra, mas não conseguia. "Damien e Alannah só tiveram uma grande discussão, e ela revelou que está dormindo com você, seu puto desagradável. Ambos têm uma coisa um com o outro e têm anos mas eles são horríveis em ser honestos e conversar sobre seus sentimentos. Alannah


está em lágrimas aqui, e Damien provavelmente terá um ataque contra você se ele encontrar te encontrar."12 Aideen fez uma pausa, depois gritou: "Eu não sei onde ele está. Ele está em pausa para o almoço, então provavelmente foi a algum bar para beber. Por quê?" Ela ofegou depois que Dante respondeu à pergunta dela. "Não se atreva a ir procurar por ele, está me ouvindo? Você não pode corrigir isso. O que está feito está feito. Olá? Olá?" Aideen puxou o telefone para longe de sua orelha e olhou para ele. "Aquele bastardo desligou na minha cara." "Tenho certeza de que ele perdeu o sinal", disse Kane enquanto esfregava a têmpora direita. "Ele não perdeu o sinal; Ele desligou." Se havia uma pessoa no mundo em que você não desligava, era Aideen Collins. "Esqueça isso", eu disse. "Ele disse que ia procurar o Dame?" "Sim," Aideen disse com uma sacudida de cabeça. "Ele acha que pode explicar tudo a ele. Ele provavelmente vai esperar até que a pausa para o almoço de Damien acabe, e eu não quero que esse confronto aconteça na loja. Dante, o fodido merdinha vai falar sobre a vida sexual dele e Lana, e Damien vai tentar matar ele. Oh, Deus, Kane!"1 Aideen girou para ele, e ele instantaneamente invadiu seu espaço, beijou sua testa e disse: "Nós estamos nisso." Kane, Alec e Ryder deixaram a cozinha, enquanto Dominic ficou um pouco com minha irmã quando ela voltou para a sala sem Alannah. "Ela voltou para casa e não me deixou ir com ela. Ela já está uma bagunça sobre o caso do pai dela e com como lidar, mas isso vai despedaçá-la, a menos que ajudemos a consertar." "Isso é tão ruim", disse Keela. "Vá com seus irmãos para falar com Damien", disse Bronagh a Dominic enquanto limpava seus olhos vermelhos inchados e tomava Georgie dele. "Você sabe como ele se sente sobre Alannah. Temos que parar com isso antes que ele vá longe demais." Ele hesitou. "Você tem certeza?" "Não se preocupe comigo. Passaram-se semanas desde que Georgie desmamou. Sinto falta da proximidade que tive com ela quando ela mamava, mas agora estou bem. Você me ajudou com isso, e Branna e as meninas ficam comigo quando você não está aqui. Nós vamos ser pais de novo também. Estou melhor do que nunca." Dominic exalou uma respiração profunda. "Graças a Deus. Eu sabia que você estava passando por um momento difícil, e eu tentei o meu melhor para ser paciente com você, mas inferno, você estava sendo uma cuzona essas últimas semanas." "Você acabou de me chamar de cuzona?" Bronagh disse, sua atenção focada completamente em seu noivo. "Inferno, não" ele respondeu rapidamente quando percebeu seu deslize. "Eu disse que sua bunda é demais." Os lábios de Bronagh se contraíram. "Se salvou, cabeça de merda." Ele sorriu de brincadeira. "Você vai me dar um boquete? Fantástico!" Ele alcançou Bronagh, mas ela saltou para longe dele, rindo. Georgie gritou de prazer e bateu palmas. "Vá ajudar seu irmão!" Ela cutucou ele. "Vamos começar a trabalhar sobre como podemos ajudar as coisas com Alannah." Olhei para o par e balancei a cabeça, sorrindo de orelha a orelha. Dominic conseguiu alguns beijos de Bronagh e uma bundada, é claro, e afagos de sua filha antes de sair


com seus irmãos para procurar Damien e ajudá-lo. Muitas coisas novas estavam acontecendo com o nosso grupo - algumas grandes mudanças e algumas pequenas - mas foi bom ver que pelo menos algumas coisas nunca mudaram. Não importa o que qualquer um de nós tenha passado, eu sabia que eu poderia sempre contar com nós lutando juntos para ajudar um ao outro. Não éramos apenas amigos; Nós éramos mais do que isso. Nós éramos família e íamos até as extremidades da Terra um pelo outro.


Aqui está uma espreitadela no primeiro capítulo de DAMIEN Lançamento em 2017

PRÓLOGO Há cinco anos e meio… Ser amiga de todos é uma merda. Eu pensei sobre isso enquanto eu girava as pontas do meu cabelo preto em volta dos meus dedos e olhava para o teto. A cama que eu estava deitada de repente afundou, me puxando de meus pensamentos vacilando com minha paz e tranquilidade. Olhei para minha melhor amiga, que tinha uma mão em sua cama para equilibrar enquanto ela colocava os saltos altos com a outra. Bronagh Murphy era o meu oposto em todos os sentidos. Quando ela não estava fingindo que era invisível, ela era barulhenta, esperta, e determinada. Ela era engraçada também, e embora ela não pensasse assim, tinha um corpo lindo. Eu e Bronagh juntas era estranho, e nem sempre tínhamos sido amigas. Na verdade, foi só nas últimas semanas que nós decidimos ser amigas de verdade, depois que eu fui atacada pela valentona da escola, e Bronagh me defendeu. Depois disso, nós rapidamente descobrimos que éramos, de fato, BFFs e nós tinhamos que sair o tempo todo. Mas, éramos um trabalho em andamento para Bronagh. Eu não era exatamente uma borboleta social, eu poderia fazer uns amigos quando queria, mas Bronagh não podia. Ela tinha problemas de confiança, e chegar num lugar como sua amiga era um milagre. Eu estive em sua classe por toda a escola secundária e muitas vezes a vi pela escola primária, mas eu nunca a conheci. Ninguém conhecia... até Dominic e Damien Slater mudarem-se para nossa cidade, entrarem em nossa classe de tutor e, literalmente, encurralarem-na até que ela não tivesse escolha, a não ser aceitar. Damien Slater, minha mente vagou. Por onde eu começo com Damien Slater? Lambi meus lábios e exalei. Damien era... meu Deus, ele era perfeito. Ele era lindo demais, alto, tinha um sotaque maravilhoso, e ele me fazia rir. Ele tinha um gêmeo idêntico, mas para mim, ele não era nada como seu irmão Dominic. Eu soube no momento em que o vi no seu primeiro dia de escola há alguns meses atrás, que eu ficaria secretamente obcecada por ele. Eu só não sabia que eu ficaria obcecada por ele por vinte e quatro horas e malditos sete dias por semana. Eu nunca tinha tido uma verdadeira paixão por um menino antes de Damien entrar na minha vida. Eu achava que alguns meninos da escola e da cidade eram bonitos, e as celebridades quentes obviamente chamavam minha atenção como a qualquer outro adolescente, mas eu não tinha ninguém que eu realmente gostasse de ficar. Isso tudo mudou quando eu vi Damien pela primeira vez. Sua personalidade era enorme, e mesmo soando ridículo, ele parecia ser esculpido por anjos. Ele era uma daquelas pessoas perfeitas que você olhava e percebia imediatamente que nunca olharia em sua direção, muito menos te encararia. Dez segundos depois de eu dar uma olhada,


eu estava imaginando nosso casamento. Meu estômago deu um pulo quando eu imaginei seu cabelo loiro branco se destacando contra seu smoking preto quando disséssemos 'eu aceito'. Como seus olhos cinzentos olhariam para os meus quando ele declarasse seu amor eterno por mim para o mundo todo. Como seus lábios rosados carnudos iriam parecer veludo quando eles cobrissem o meu em um beijo quente. Como seu sorriso apagaria todas as minhas preocupações e medos e substituiria com esperança. Como suas mãos grandes segurariam as minhas quando nós passeássemos pela rua.1 Demorou mais dez segundos para eu perceber que nunca teria uma chance. Quase todas as classes, e a maldita escola toda, provavelmente, tinham os mesmos pensamentos que eu e se jogaram para conseguirem ser a primeira a agarrar e prender sua atenção. Era doloroso admitir isso para mim, mas Damien consumiu uma grande parte da minha vida, e nós éramos apenas amigos. Se isso não me fazia ridícula, então eu não sei o que fazia. A única coisa boa era que ninguém sabia sobre essas informações vergonhosas... exceto Bronagh, que era muito esperta para seu próprio bem. "Alannah, por que você está suspirando?" Ela perguntou, batendo na minha perna com a dela. Voltei minha atenção para ela. "Hã?" "Você continua suspirando." Continuo? "Desculpe, eu só estou pensando". Bronagh olhou para mim, uma sobrancelha perfeitamente levantada. "Sobre Damien?" Ela perguntou. Senti minhas bochechas mancharem com o calor. Bronagh era minha melhor amiga, mas esse título era novo, e isso significava que ela realmente não sabia a profundidade dos meus sentimentos por Damien. Ninguém sabia, e se fosse depender de mim, ninguém saberia. "Sim," eu murmurei. Bronagh sorriu. "Você fica tão fofa quando cora." Porque é isso que todas de dezoito anos querem ser. Fofa. Eu brinquei com ela. "Me deixe em paz." "Desculpe," ela disse, a diversão brilhando em seus olhos. "Eu esqueci como... você é introvertida." "Eu não sou introvertida, você é." "Eu?" Bronagh riu alegremente. Eu balancei a cabeça. "Qual de nós foi por anos?" "Eu estava propositalmente afastando todo mundo, já você, não estava. " Eu não respondi, então Bronagh ergueu a sobrancelha e olhou para mim, com um sorriso em seus lábios rosados. "Tudo bem," eu resmunguei. "Eu sou um pouco introvertida, mas estou bem com isso. Quando eu tento não ser, eu falho, então prefiro me manter assim. " "Quando foi que falhou?" perguntou Bronagh. Quando foi que eu não falhei era a verdadeira questão. Eu pisquei. "Com Damien." Minha amiga franziu o cenho. "Você é amiga dele, sua única amiga, além de mim, e isso só porque estou namorando com o irmão dele. Se eu não estivesse, ele provavelmente tentaria me comer e nunca mais falaria comigo quando percebesse que eu não estava mais interessada nisso."


"Mesmo assim, não somos como amigos de verdade. Eu só o vejo quando estou fora da escola, e isso porque estou com você o tempo todo, e isso significa que também estou com Dominic, e onde Dominic está, Damien está." "Alannah..." "Eu não gosto quando ele flerta comigo porque eu sei o que ele quer," eu cortei Bronagh, engolindo em seco. "Ele é tão aberto sobre não querer um relacionamento mais longo do que umas horas na cama, e eu não quero apenas ter sexo com ele. Eu não quero estar em sua lista de sucessos. Eu realmente gosto dele, e é uma merda que ele não goste de mim da mesma maneira. " Bronagh estendeu a mão e colocou a mão no meu joelho. "Desculpe, Lana. Eu gostaria que ele fosse diferente." "Ele é ótimo do jeito ele é" eu enfatizei. "Mas eu quero que ele goste de mim. Eu não quero ser como Destiny ou Lexi; elas se jogam nos rapazes como se não fosse da conta de ninguém, e eu não consigo ser assim. Eu não posso ser como elas só para ter sua atenção. Eu só... Eu só queria que eu valesse mais para ele do que sexo rápido... entende? " Bronagh assentiu com a cabeça. "Sim, eu entendo." O ar rapidamente se tornou deprimente, e eu me senti mal. "Sinto muito, Bee. Estou chateando você na sua grande noite." Ela inclinou a cabeça. "Minha grande noite?" "Suas partes serão defloradas. Isso significa que é uma grande noite." Bronagh arregalou os olhos antes de agarrar um travesseiro e me bater com ele, me fazendo rir e espirrar ao mesmo tempo. Ela me bateu de novo, então eu gritei e ri mais alto. "Você é uma cadela", ela declarou. Eu sorri. "Mas você me ama." "Sim," disse Bronagh, soando como se tivesse revelando algo. "Eu amo." Eu sabia que ela ter me aceitado como amiga era um grande negócio para ela, mas eu sabia que se importar comigo era uma coisa bem maior. "Ei," eu disse, ganhando toda a sua atenção. "Eu te amo também, e isso significa que você está presa comigo pelo resto da vida. Dominic terá que se acostumar comigo sendo vela." Minha amiga bufou. "Ele acha sua bunda grande, então ele não vai se importar." Eu suspirei. "Não acha não!" "Acha sim," respondeu Bronagh. "Nós aleatoriamente falamos sobre isso. Eu estou totalmente tranquila com você sabendo disso porque eu sei que você é a única garota na escola que prefere Damien do que ele." Isso era a verdade. Eu me encolhi. "Amiga, Dominic é... ew." Bronagh rachou-se de rir. "Damien é seu gêmeo idêntico. Eles literalmente são a mesma coisa, bem, não a mesma cor do cabelo, mas todo o resto é igual. " Eu discordei. "Quando olho para eles, vejo duas pessoas completamente diferentes. É difícil de explicar, mas eles não são nada parecidos para mim, embora tenham o mesmo tudo. Você vê Damien em Dominic?" Bronagh sacudiu a cabeça. "No começo eu via, mas agora, não. Dominic tem tanta personalidade que seu corpo nem aguenta." "Falando no seu amor." Eu sorri. "Você sentiu dor?" As bochechas de Bronagh ficaram vermelhas enquanto ela assentia com a cabeça. "No início, doeu e então ficou desconfortável, mas então tudo mudou, e foi


maravilhoso. Sinceramente não foi tão ruim como eu sempre pensei que seria, mas se Dominic não estivesse tão focado em me fazer sentir bem, eu acho que teria sido doloroso e nada especial como a maioria das pessoas na primeira vez. " Eu exalei. "Isso é bom saber. Talvez eu não fique tão preocupada quando eu finalmente perder meu próprio cartão-v " "Estou um pouco dolorida agora, mas Dominic diz que isso é normal porque foi minha primeira vez. Eventualmente, não vou me sentir desconfortável depois. Foi o que ele disse." Eu mordi meu lábio inferior. "É melhor você tomar a pílula, só por segurança." "Sim, Branna disse que me levaria ao médico para receber uma receita mensal." De repente, eu ri. "Você é uma tarada, precisando da pílula e de uma caixa de preservativos." O rosto de Bronagh tornou a brilhar com o calor, e eu me perguntei momentaneamente se a cor deixaria as bochechas dela. "Pare com isso. Fico tão envergonhada quando penso nisso. E eu estou nervosa por ter estado com Dominic, de novo" Como é que é? Eu levantei uma sobrancelha. "Mas ele é seu namorado." "E daí?" Perguntou. "Eu amo ele, e estamos em um relacionamento, mas ele me viu nua e tirou a minha virgindade. Não posso deixar de me envergonhar." "Você é tão estranha," eu murmurei. Bronagh bufou. "Isso não é novidade." Risos masculinos vindos de baixo chamaram minha atenção, e eu fiquei quieta. "Os irmãos dos gêmeos," eu disse ao ouvi-los, "são muito mais quentes do que você disse que eram." "Eles são?" Eu olhei para ela como se tivesse nascido uma cabeça extra nela. "Você disse que eles eram bonitos, mas, querida, eles são gostosos. Eu nunca conheci homens como Ryder e Kane antes. E Alec? Isso é muito sensualidade para uma pessoa só. Depois, há os gêmeos, que são outros gostosos. Seus genes são incríveis." Bronagh balançou a cabeça em concordância. "Você deveria ter me visto quando eu os conheci. Eu olhei sem piscar e acho que até babei. " "Ninguém iria te culpar," comentei. Ela riu. "Você está pronta para ir?" Suspirei quando me empurrei da cama e me levantei. Eu endireitei meu vestido, esperando que ele não estivesse amassado. "Estou pronta como nunca estarei." Bronagh franziu o cenho. "Se preferir ficar..." "Não, eu quero sair. Eu nunca fui a um bar antes, é que... eu espero que eu não fique chateada se Damien ficar com uma garota. Eu não tenho nenhum direito de reclamar mas eu realmente gosto dele, então você pode ter certeza que vou ficar chateada. Só espero não chorar." "Quer saber?" Minha amiga falou, confiança súbita enchendo seu tom. "Você vai ficar com alguém essa noite. Você vai beijar tanto que vai esquecer Damien Slater." Quem dera. "Sim." Eu gritei com falso entusiasmo. "Boa ideia." Bronagh sorriu, contente consigo mesma. "Ótimo. Vá lá e diga aos rapazes que estou pronta. Eu vou passar algum perfume de Branna e ver se ela está pronta. " Eu balancei a cabeça e saí do quarto. Quando cheguei lá embaixo, virei e andei pelo corredor e para a cozinha onde eu esbarrei em um dos irmãos Slater. Olhei para cima e


encontrei Alec Slater olhando para mim com um sorriso arrogante em seu rosto muito perfeito, aliás. Ele colocou suas mãos grandes em meus ombros para me estabilizar, e ele as deixou lá, o que me enlouqueceu porque estava muito quente para eu falar qualquer coisa. "Desculpe," eu disse rapidamente. Ele continuou a sorrir. "Não preocupe sua linda cabecinha com isso, querida." Eu ouvi um gemido de dentro da cozinha seguido de algumas risadas. "Ela acabou de completar dezoito anos, mano." Foi Dominic quem falou, e eu quis bater nele por me envergonhar. Alec simplesmente piscou para mim antes que ele tirasse as mãos dos meus ombros, se movesse ao meu redor, e sumisse no corredor e depois no andar superior. Inspirei e expirei antes de entrar na cozinha. Sem perceber, virei-me para o espaço vazio que Alec antes estava e olhei como se magicamente ele fosse reaparecer. "Ele é bonito pra porra." Olhei para a direita quando risadas masculinas soaram, e quando encontrei os restantes quatro irmãos Slater olhando para mim, eu abri meus olhos. "Eu disse isso em voz alta?," Perguntei, horrorizada. O grupo assentiu com a cabeça, e eu senti sangue correndo pelo meu pescoço até minhas bochechas, o que me levou a cobrir meu rosto com minhas mãos. "Você está se saindo muito melhor do que Bronagh se isso serve como consolo," ofereceu Dominic. "Ela olhou para todos meus irmãos quando ela os conheceu. Tenho certeza que ela também babou." Eu deixei cair minhas mãos, minhas bochechas ainda em chamas. "Falando em Bronagh, vá e tire ela da miséria." Dominic piscou. "Você quer explicar isso?" "Ela está nervosa em vê-lo mesmo que vocês... você sabe." Ele sorriu maliciosamente. "Sim, eu sei." Ryder e Kane balançaram a cabeça enquanto Damien batia os punhos com seu gêmeo. "Aja normalmente para que ela possa parar de surtar porque se ela surta, eu surto. Código de melhor amiga". Damien riu; seus irmãos não. Senti uma onda de prazer, pelo menos ele me achava engraçada. "Vou cuidar dela," disse Dominic, levantando-se, passando por mim e saindo da sala. Quando eu estava sozinho com os três irmãos restantes, eu me encontrei ficando inquieta em meus calcanhares. E parei de me mexer quando o medo de meus tornozelos quebrarem em cima desse salto alto passou pela minha mente. "Então." Eu limpei minha garganta. "Vocês são americanos." Alannah, oh meu Deus. Eu me encolhi com o chocante início da conversa. "E você é irlandesa," resmungou Kane. "Agora que saímos do óbvio, quão próxima de Bronagh você é?" Eu não estava preparada para a pergunta, nem a tensão no tom de Kane e a acusação em sua olhos. "Mano," Damien começou, mas um olhar de seu irmão mais velho o silenciou. Kane olhou para mim, esperando minha resposta, e eu não pude fazer nada além de encará-lo. Ele era extremamente intimidador. Bronagh me avisou sobre sua aparência, e eu sabia que suas cicatrizes não me incomodariam porque sua aparência não o definia, mas ela não mencionou que ele era um pouco cuzão.


"Tão próximas como novas amigas devem ser, eu acho," eu respondi com um encolher de ombros de um ombro. Kane arqueou uma sobrancelha. "Ela falou com você sobre nós?" "Nós?" "Eu. Os meus irmãos." Eu pisquei. "Hum, não. Ela me disse seus nomes, que vocês são de Nova York e disse que são bonitos, só isso. " Ryder sorriu e estava prestes a falar, mas Kane não tinha terminado. "Você vai fazer perguntas sobre nós?" Tive a sensação de que ele não gostava de mim, embora eu não estivesse certeza porque ele não me conhecia.1 Engoli em seco. "Não, por que eu iria?" "Porque você é curiosa." "Sobre Damien, não você." Eu percebi o que eu disse no segundo que as palavras saíram da minha boca, e eu queria que o chão se abrisse e me engolisse, porque soava rude, e eu raramente era rude. "Eu não quis dizer que isso," eu disse. "Quero dizer-" "Eu sei o que você quer dizer," Kane me cortou, inclinando-se para trás em sua cadeira enquanto ele me olhava para cima e para baixo. "Você não seria a primeira garota a ficar curiosa sobre ele, e você não será a última." O que está acontecendo? "Ryder," Damien grunhiu. "Faça alguma coisa." Ryder balançou a cabeça e ficou quieto. "Eu sinto muito, mas eu fiz alguma coisa errada para você?" Eu perguntei a Kane, odiando o quão desconfortável ele tinha me feito sentir. "Porque se eu não tiver feito, eu quero saber qual diabos é o seu problema e por que eu estou sendo interrogada por razão nenhuma." Kane levantou as sobrancelhas, Ryder sorriu, e Damien engasgou com ar. "Estou apenas querendo saber sobre você," Kane respondeu, seus olhos ainda trancados nos meus. Eu honestamente pensei que meu coração fosse explodir de apreensão, mas eu fiquei calma. "Bem, você pode querer mas de uma forma educada sem essa atitude. Apresentar-se e ser simpático é uma boa maneira de começar. Eu não sei o que Bronagh disse sobre mim, mas eu sou uma pessoa legal que não suporta certas coisas. Se você não tem nada de bom para me dizer, não diga nada. Eu vou ser mais do que feliz em ignorar você. " "Bem, que seja," Kane disse então Ryder explodiu em gargalhadas. Enquanto isso, eu estava ocupada tentando controlar minha respiração e rezando para não desmaiar. Eu não deixei passar. Eu não confrontava, e de alguma forma, acabei confrontando... e acho que ganhei. "Eu acho que essa conversa acabou", eu disse e saí do cômodo com pressa. "Muito obrigado, idiota!" Damien estalou. O riso continuou quando ouvi uma cadeira raspando pelo chão, passos batendo contra o chão, e alguém veio atrás de mim. Eu me virei quando Damien me alcançou. Sua mão, que tenho certeza que era para estar no meu ombro, parou no meu seio direito e o choque me congelou no local. "Eu não queria segurar seu peito," Damien disse, seus olhos nos meus, mas sua mão permaneceu em meu peito. Meu pulso acelerou. "Tá... ok," eu disse.


Olhei para a mão de Damien, e quando ele percebeu que ele ainda estava segurando meu peito, ele deixou cair sua mão como se estivesse em chamas. "Merda," ele disse, nervoso. "Eu queria me desculpar pelo comportamento de Kane, não me aproveitar de você." Eu estava tão envergonhada que eu pensei em sair da casa sem que outras palavras fossem trocadas, mas não. Em vez disso, eu engoli e forcei um sorriso. "Tanto faz; ele provavelmente estava apenas brincando comigo. " "Sim," Damien mentiu. Nós dois sabíamos que Kane não estava brincando comigo. "Esqueça ele," continuou Damien. Kane Slater não era alguém que você esquecia facilmente. "Já esqueci," eu disse, meu sorriso forçado ainda no lugar. Damien olhou através do meu sorriso. Eu sabia porque seu rosto se suavizou. Ele deu um passo em direção a mim e abriu a boca para falar, mas foi interrompido quando Alec correu escada abaixo. Eu dei um passo para trás e acenei com a cabeça para Alec, que passou por nós com apenas uma piscadela disparada em nossa direção. Damien olhou para ele quando Alec falou, e seus outros irmãos riram. Então os três saíram do cozinha, e Alec estava ostentando. "Tudo o que estou dizendo é que meu irmãozinho tem habilidades que ele obviamente pegou de mim. Sua garota chamou Deus mais vezes do que eu poderia contar. Ele estava no controle daquela buce- "1 "Termine essa frase, seu nojento, e eu vou acabar com você!" Bronagh rosnou enquanto ela descia as escadas com Dominic e Branna logo atrás. Alec fez o movimento de selar seus lábios, embora eu duvido que ele tenha acabado de provocá-la com Dominic sobre sua noite especial. Eu queria dizer a ele para deixá-la sozinha, mas eu ainda estava bastante chocada com Kane me tratando como se eu estivesse fazendo algo errado. Damien afastou-se de mim sem uma palavra quando Bronagh veio para o meu lado e segurou a minha mão. Eu sorri para ela e dei a mão dela um aperto reconfortante. "Você está pronta?" Ela perguntou. Eu suspirei uma respiração profunda quando nós caminhamos para fora de sua casa e para a noite. Como eu nunca estarei. "Eu deveria ter ficado em casa," Bronagh bocejou e se espreguiçou. Duas horas atrás, eu teria pulado com a oportunidade de relaxar em seu quarto e assistir a um filme, mas agora que eu estava bêbada e realmente sentindo a música no clube, eu não ia deixar Bronagh ficar confortável o suficiente pra dormir e ter que ser levada para casa. "Tome um drinque e se solte." Eu a acordei, derrubando minha coca com vodka em sua direção. "Isto é divertido!" Bronagh me lançou um olhar que silenciaria muitas pessoas, mas não eu. "Nós temos a escola de manhã, então estou recusando bebidas," ela disse com uma sobrancelha levantada. "Você deveria parar. Caso contrário, você vai estar morrendo de ressaca quando você acordar. " Eu não queria ser lembrada da escola, ou qualquer coisa fora ter divertimento adulto. Esta era minha primeira vez em um clube e bebendo álcool. Vamos terminar a escola em poucos meses e eu sabia que tanto Bronagh quanto eu passaríamos, então não precisávamos nos preocupar com exames. As chances de eu frequentemente me soltar assim era quase nenhuma, então eu queria aproveitar." Eu a mandei um beijo. "Obrigado, mãe, eu vou manter isso em mente." "Puta!" Ela declarou, me fazendo rir e ela sorrir.


Olhei para minha esquerda e vi Branna no colo de Ryder e eles estavam tão completamente focados um no outro que não percebiam ninguém ao seu redor. Alec, Damien e Dominic estavam em algum lugar no clube, e Kane ainda estava sentado ao lado de Bronagh. Não tínhamos nos falado desde que ele se desculpou comigo quando entrou no clube, e eu estava feliz o suficiente para deixar isso pra lá. Ele parecia tão cansado quanto Bronagh no clube, e era óbvio que odiava estar rodeado por tantas pessoas, mas eu não estava deixando seu comportamento frio afetar a mim ou Bronagh. "Vamos dançar", eu gritei para minha amiga. Eu ri porque eu praticamente senti seu suspiro, embora eu não pudesse ouvi-lo. "Nem pense em dizer não, Bronagh." adverti. "Nós temos que nos animar , e dançar nos ajuda com isso. Então vamos lá." Minha amiga gemeu, e eu temia que ela não fosse se mover, então usei a única arma que eu tinha. Meu pai sempre me disse que meus olhos seriam a morte dele porque eles eram grandes, castanhos e tão perigosos quanto os de um cachorro. Eu dei a Bronagh o meu melhor olhar de súplica, e antes dela mesmo verbalmente concordar em dançar comigo, eu levantei minha mão para ela. "Ok," ela gemeu e agarrou minha mão. Ganhei. "Yay" eu sorri. Bronagh revirou os olhos. "Nós voltaremos mais tarde" eu disse para a mesa sem olhar para ninguém em particular. Bronagh olhou de volta para Kane, Branna e Ryder quando nos deram a sua atenção. "Mais tarde," ela disse, "eu espero que signifique depois da próxima música." Eu comecei a rir, ganhando um grande sorriso de Bronagh. "Grande chances disso." Eu sorri maliciosamente. "Agora, vamos lá; eu amo essa música!" Eu não podia dizer qual música estava tocando, mas eu sabia a batida, e isso foi o suficiente para me animar. Eu dancei com Bronagh até que minhas pernas queimaram de cansaço. Eu ri até que minha garganta doesse, e eu bebi como se não fosse da conta de ninguém. Eu queria dizer a Bronagh o quanto eu estava me divertindo, mas então eu senti uma mão no meu antebraço me levar para o meio da multidão. "Hey," eu gritei e puxei meu braço. "Solte." Eu olhei para o dono da mão que tinha me segurado, e quando os olhos cinzas e seu cabelo branco ficaram claros através do meu olhar ligeiramente bêbado, eu sorri. "Damien!" Concentrei-me nele e descobri que ele estava sorrindo para mim, seus olhos brilhando com diversão. Ele colocou suas mãos na minha cintura, e sem uma palavra, ele puxou meu corpo até que eu estivesse alinhada contra ele, e isso levou meu fôlego. Quando eu me juntei a ele, coloquei minhas mãos em seus ombros e mordi meus lábios quando ele mexeu meu corpo contra o dele. Eu praticamente senti seu gemido enquanto suas mãos em minha cintura apertavam minha carne. Ele disse algo para mim. Vi seus lábios se mexerem, mas eu não podia ouvi-lo. Fiquei na ponta dos pés e gritei: "Não consigo te ouvir." Ele agarrou minha mão e me levou para fora da pista de dança. Quando ele se virou para me encarar, eu não tinha ideia do que tinha me dado, mas eu me inclinei para cima, coloquei minhas mãos em ambos os lados do seu rosto, e me movi, pressionando meus lábios contra os dele. Damien congelou por alguns segundos, então ele respondeu ansiosamente ao meu beijo. Ele envolveu seus braços ao redor de meu corpo e puxou meu corpo o mais perto o possível. "Alannah," eu o senti dizer contra meus lábios.


Eu continuei, de volta do nosso beijo ofegante, cheio emoção, e quente. "Isso foi incrível," eu suspirei. Damien olhou para mim antes de agarrar minha mão mais uma vez e nos levar para dois homens enormes que estavam do lado de fora de uma porta. Evitei olhar para ambos os homens porque eram intimidadores. Em vez disso, eu silenciosamente segui Damien quando os homens se abriram e abriram a porta que pareciam estar vigiando. Quando nós pisamos no corredor, e a porta atrás de nós estava fechada, um véu de silêncio caiu. Eu olhei por cima do meu ombro, surpresa que eu não pudesse ouvir um único som do clube. "Meus ouvidos estão gritando," eu gritei antes de me lembrar que eu não precisava. Damien olhou para mim e riu, então silenciosamente me levou pelo corredor e para a última porta. Quando entramos em uma enorme sala de estar, a primeira coisa que eu avistei foi a cama grande. Minha primeira reação ao ver ela deveria ter sido a incerteza, mas uma raia diabólica me atingiu naquele momento e empurrei minhas pernas para ir para a cama. Quando meus joelhos bateram contra ela, me inclinei para a frente e passei minha mão. Seda. "Isso é tão bom," eu falei. Ouvi uma respiração ofegante, e uma onda de prazer me atingiu. Eu sabia que meu vestido tinha subido um pouco mais do que o que era decente, e eu sabia que Damien podia ver tudo. "Que Deus me ajude." Levantei-me, e sem reparar meu vestido, eu me virei. "Você disse alguma coisa?" Eu questionei. Damien levantou o braço e passou a mão pelo cabelo, e eu percebi que era uma coisa que eu desesperadamente queria fazer. "Eu disse," ele grunhiu. "Que Deus me ajude." "Por que você precisa de ajuda?" Eu perguntei. "Você não está com problemas." "Pelo contrário." Damien sorriu. "Eu acho que estou com um monte de problemas." Engoli em seco. "Que problema haveria?" "Do tipo que tem 1,65, cabelos pretos e olhos castanhos." Borboletas explodiram em minha barriga. "Você acha que eu sou um problema?" "Babe," Damien riu. "Eu acho que você é a definição dele." Como poderia ser? "Eu acho que você me confundiu com outra pessoa," eu disse, caindo em uma posição sentada na cama quando eu tentei dar um passo para trás. "Eu nunca estive com problemas na minha vida." "Não, eu tenho certeza que não" Damien concordou. "Mas eu acho que você poderia causar um monte." "Sim," eu perguntei. "Como o quê?" "Como como um beijo me faz querer tocar em você de maneiras que você nunca foi tocada." Meu coração bateu no meu peito. "Co-como você sabe das maneiras que eu fui tocada?" Eu gaguejei. "Eu já poderia ter sido tocada de todas as maneiras possíveis ". "Amor," foi tudo o que ele disse quando sua covinha saltou.1 Senti um rubor queimar meu pescoço, e ele reconheceu minha virgindade com uma palavra e um maldito sorriso. "Bem." Eu lambi meus lábios. "Ninguém mais me tocou, mas eu me toco muito."


O olhar de desejo que Damien atirou em mim me enviou arrepios acima de minha espinha. Engoli seco. "Por que você não muda a primeira coisa e me toca?" O rosto de Damien perdeu todos os traços de diversão. "Tenha cuidado, Menina Sardenta," advertiu. "Eu acho que devemos apenas nos acalmar e conversar ..." "Eu não quero falar." Eu cortei-o. "Eu quero te beijar, te tocar... Eu quero ... Eu quero entrar em problema com você ".1 "Meu Deus." Ele gemeu e colocou o rosto em suas mãos. "Você não é uma garota só de sexo, Lana. Você é de flores, chocolate, noites abraçados, e tipo de namorado estável. E eu amo isso sobre você, mas eu não posso te dar isso." Eu fiz uma careta. "Não me olhe assim," Damien disse, parecendo nervoso. "Eu estou tentando ser direito com você. Estou tentando me convencer de que não me quer de verdade assim..." "Eu quero." Eu cortei ele uma vez mais. "Eu sei como você é, e eu não sou burra. Eu sei que com você é só sexo, mas eu te quero tanto que vou aceitar." Me lembrei da minha conversa anterior com Bronagh. Eu disse que não queria que Damien me quisesse apenas por sexo, que eu não queria estar em sua lista de sucessos, mas eu tinha um sentimento forte de que eu precisava disso de qualquer maneira. "Isso foi uma má ideia. Eu não deveria ter trazido você aqui. " Ele começou a andar. "Eu só queria falar com você, mas porra, você é tão gostosa, e você cheira e beija tão bem, e isso é tudo o que eu posso fazer para permanecer neste lado da sala." "Venha até a mim" eu gesticulei. "Não pense no depois, pense no agora. Se eu estiver com raiva mais tarde, eu cuido disso. Esta é provavelmente uma ideia estúpida, mas eu nunca precisei de alguém como eu preciso de você. Se isso é um erro, deixe-me fazê-lo e aprender com ele." "Você estava bebendo" Damien disse categoricamente. "Eu estou sóbria pra caramba desde que você me disse que eu era problema." "Você é um problema." "Então prova," eu desafiei. Damien deu um passo à frente e hesitou antes de dizer: "Vamos nos acalmar e conversar por um tempo. Só... só para ver se isso é o que você realmente quer. " As palavras mal saíram de sua boca antes de me virar e subir a cama, de costas. "O que você está fazendo?" "O que você quer dizer?" Eu perguntei, me mantendo na posição. "Eu estou relaxando." Damien cruzou os braços em seu peito, os cantos de seus lábios se contorcendo. "Você costuma relaxar na cama com as pernas abertas?" Ele perguntou, uma leve gargalhada em seu tom.1 "Na verdade," eu disse, "é assim que eu me deito na cama. É meio... livre." Damien baixou o olhar dos meus olhos para as minhas coxas separadas. Eu vi seu pomo de adão subir e descer. Ele rapidamente andou pela sala, virou as costas para mim e sentou-se na beira da cama. Sem virar, deu um tapinha no lugar ao lado dele e disse: "Venha aqui e fale comigo. Eu quero ouvir a sua voz." Eu praticamente flutuava ao seu lado, e isso fez Damien rir. "O que você quer que eu diga?" Eu disse, um pouco ofegante. Damien voltou o olhar para mim, e quando me olhou nos olhos, disse: "Diga qualquer coisa. Eu só quero ouvir sua voz. Eu amo sua voz."2 Senti como se o ar tivesse sido sugado do quarto. "Você ama?" Eu murmurei.


Damien lambeu os lábios. "Sim, eu ouço sua voz mesmo quando você não está por perto." Meu coração bateu contra meu peito. "Você escuta?" Eu murmurei novamente. "Eu ouço você quando tudo está quieto" ele disse, deixando cair seu olhar para meus lábios. Eu preguiçosamente arrastei minha língua através de meu lábio inferior. "O que eu digo quando você me escuta a minha voz?" Eu perguntei; minha voz soava espessa de desejo. Damien bufou uma gargalhada. "Você não quer saber, Menina Sardenta." Eu passei a mão no rosto em desagrado. "Por que você me chama assim?" Ele levantou a mão, e com seu dedo mindinho, ele passeou a ponta dele sobre o meu nariz e debaixo dos meus olhos. "Você tem um pouco de sardas aqui," ele murmurou. Eu fiz uma careta. "Se você disser que acha fofo, eu vou te dar uma bofetada." Damien sorriu. "Fofa não é uma palavra que eu associe com você." Meu pulso acelerou. "Com que palavra você me associa?" "Eu tenho algumas," ele respondeu, abaixando a mão do meu rosto. "Esperta, engraçada, trabalhadora... bonita, elegante e sexy como o pecado. " Eu suspirei. "Você acha que eu sou engraçada?" Damien quase instantaneamente começou a rir. "Droga, sim, você é engraçada." Ele riu. "De todas as palavras que eu disse, você escolheu engraçada." Eu corei. "Ninguém nunca disse que eu era engraçada antes." "Bem, você é." Eu me inclinei um pouco mais perto dele. "Você acha que eu sou bonita e elegante?" "E sexy como o pecado," ele respirou. "Não posso esquecer isso." Eu sorri, e ouvi um pequeno gemido subir pela garganta de Damien como se estivesse tentando contê-lo. Eu levantei da cama e tirei meus saltos e virei para encarálo. Olhei para Damien, e ele olhou para mim. Eu não aguentava mais. Meu corpo parecia que era um fio de eletricidade. Queria que Damien me beijasse e me tocasse mais do que eu precisava de ar. Eu não queria que ele desse o primeiro passo; Eu estava muito ciente dele permitir que isso acontecesse. Em vez disso, eu pisei um passo para a frente, separei suas coxas com meus joelhos, e fiquei entre elas. "Alannah, o que você..." Eu levei minha boca para baixo em cima dele e tomei o que eu queria desde o primeiro momento que eu o vi. Eu levantei minhas mãos, enfiando-as em seu cabelo, e quase caí de joelhos. Seu cabelo era grosso e macio- tão malditamente macio- eu entrelacei meus dedos na sua nuca e o puxei pra mim. "Você está jogando um jogo perigoso comigo, Lana," Damien disse contra meus lábios, sua voz rouca. "Se eu fosse você, iria embora." A ousadia surgiu e mim. "Isso soa como um desafio para mim." "Conversando" Damien gemeu em minha boca. "Nós deveríamos estar conversando." "Nós estamos," eu respondi, deslizando minha língua sobre seu lábio inferior. "Estamos conversando com nossos corpos."


Damien quebrou o nosso beijo e olhou para mim, sua expressão de choque. Foi rapidamente substituído por uma expressão tão cheia de calor e desejo que, quando ele me puxou contra ele, eu estava tremendo. "Eu te quero tanto," ele respirou. "Deus sabe o quanto eu sonhei em te tocar, te beijar, provar você." Eu tive que travar meus joelhos juntos para evitar de cair sobre eles. "O que você vai fazer comigo se eu deixar você me tocar?" Eu perguntei, minha voz grossa de desejo. "Eu te beijaria. Doce e lentamente até que meus lábios fossem tudo o que você conhecesse. Minhas mãos explorariam cada centímetro de você até que você conhecesse meu toque. Eu te amaria tão gostoso que a sensação de mim ficaria em você para sempre. Eu faria do seu corpo o meu. " "Sim," eu disse, sem fôlego. "Por favor, eu quero isso." Mais do que a minha próxima respiração. Damien me puxou contra ele, e cobriu sua boca com a minha. Ele rosnou contra meus lábios antes de levantar-se. Enganchando seus braços ao redor de minhas coxas, me segurando enquanto ele se movia. Eu engasguei em sua boca, prendendo meus braços em torno de seu pescoço e envolvendo minhas pernas em torno de sua cintura. "Eu amo o quão alto você é," eu ofeguei, puxando minha cabeça para trás para olhar para ele. "Me sinto pequenininha." "Você é pequenininha," Damien disse, empurrando meu vestido para cima com uma mão para que ele pudesse palmar minhas costas. Ele colocou seus lábios nos meus mais uma vez, juntando-os quando sua língua deslizou para dentro em um beijo tão quente que fez meus joelhos tremerem, meu coração bater mais forte em meu peito e minha pele queimar de prazer. Meus pensamentos estavam embaralhados com cada empurrão e deslizamento de sua língua lambendo a minha. O beijo de Damien estava tão consumidor e eu não sabia onde ele tinha começado e eu parado. "Você é tão lindo," eu disse em seus lábios. "E eu amo seu cabelo. É tão malditamente bonito e macio. Qual condicionador você usa? Na verdade, não importa. Eu amo seu rosto. Meu Deus, eu amo o seu rosto." Senti o riso de Damien vibrar contra meus lábios antes de beijar meu queixo e meu pescoço onde ele colocou beijos suaves sobre a minha pele. "Você não iria acreditar nas coisas que eu sonhei em fazer para você e você fazendo para mim," eu ronronei, pedindo a Deus pra que eu estivesse soando quente. Damien raspou os dentes sobre o meu ponto doce, e fez com que minhas costas arqueassem, empurrando meus seios contra ele. Suas mãos em minhas costas me apertaram com força. "Por que você não me conta em detalhes o que você sonhou nós dois fazendo", ele perguntou, sua voz rouca. "Você colocava sua bo-boca em mim," eu gaguejei. "E quando eu pensava que morreria, você colocava seus dedos. " Damien mordiscou levemente meu pescoço, me encorajando a continuar. "Sua língua." Eu gemi. "Você me provava por toda parte." Eu engasguei quando Damien de repente se virou e desalojou meus braços e pernas ao redor dele enquanto ele empurrava nossos corpos para a cama. Ele tirou sua camisa com um puxão e o assistir me fez tremer pela espinha. "Você é perfeito," eu disse, olhando para ele. Sua pele bronzeada parecia brilhar tanto quanto um relâmpago enquanto os fios de seu cabelo caíam em seus olhos. Ele levantou uma mão para empurrá-los para longe, e seus bíceps faziam meu interior apertar com necessidade. Seus amplos ombros estavam


implorando que meus dentes se afundassem neles, e as linhas dos seus músculos abdominais forçavam meus dedos a correrem sobre eles. Você não tem ideia do que está fazendo comigo. "Você que é, querida", ele disse enquanto agarrava a bainha do meu vestido e empurrava até minha cintura. Sem uma única palavra, ele agarrou o topo do meu vestido, puxou as alças pelos meus ombros e puxou o material até meus seios nus ficassem livres. Eu não usei sutiã com o meu vestido, não precisava, e parecia que Damien tinha gostado se seu gemido falasse alguma coisa. Ele deixou meu vestido amontoado em minha cintura e recostou-se para que pudesse percorrer seus olhos sobre mim. "Você é deslumbrante, Lana." Meu corpo zumbia de alegria com suas palavras e em suas mãos quando ele deslizou-as acima de minhas coxas, meu estômago, e sobre meus seios. Ele segurou-os, dando-lhes um leve aperto antes que ele passasse os polegares sobre as sensíveis pontas cor-de-rosa. A sensação de formigamento provocou um leve gemido em mim enquanto o calor entre minhas pernas crescia, minha pulsação acelerando com cada toque tentador. Senti minhas bochechas queimarem quando seu olhar se fixou no centro de minhas coxas. "Lacinho? "perguntou sem me olhar. "Eu gosto de roupas in-íntimas bonitas." "Então eu também" Damien olhou para mim com fogo em seus olhos. "O que você vai fazer comigo?" Eu perguntei, minha voz sussurrou. Ele lambeu os lábios. "O que eu queria fazer com você desde o primeiro momento em que a vi." Eu pisquei. "O que seria?" Eu gritei quando ele agarrou a bainha da minha calcinha e a arrancou. Se o barulho dissesse algo, eu diria que ele rasgou minha calcinha. Eu mal podia respirar quando minhas coxas foram separadas e Damien trouxe seu rosto para baixo, na minha vagina. Ele inalou, e eu fiquei louca naquele momento. "Damien!" Eu chorei e tentei desesperadamente fechar minhas pernas. "Por que você está me cheirando? Deus! Você tem um fetiche estranho ou algo? "1 Ele riu, mas não moveu um músculo além de quando ele me impediu de me contorcer. "Não" ele disse. "Estou saboreando seu cheiro porque é muito bom." Se eu nunca falasse com ele novamente depois disso, seria muito cedo. "Isso é indecente!" Eu disse, todo o meu rosto queimando. "Você não pode simplesmente ... Damien!"1 O movimento de sua língua molhada quente foi inesperado e tão delicioso. "Santa Maria Mãe de Deus." Eu exalei. "Reze para quem você quiser, Menina Sardenta. Ninguém pode te salvar de mim agora. " Com isso dito, ele começou a lamber e chupar meus lábios, em seguida, ele usou sua língua para separá-los. Eu revirei os olhos, e era tudo que eu poderia fazer para não levantar meus quadris em seu rosto. Sua língua deslizou pelo caminho liso até que ele deu voltas em torno do meu clitóris e me deu uma sensação que eu nunca soube que existia. Abaixei minha mão, enrolei meus dedos em seu cabelo, e segurei com força. Ele colocou pressão enquanto ele rodava a língua em torno da minha parte sensível, me fazendo sugar o ar. Era uma sensação boa - uma sensação muito nova - que meu corpo


não podia controlar. Então Damien enganchou seus braços ao redor de minhas coxas e apertou elas, o que ajudou a me manter no lugar. "Dame." Eu ofeguei quando minha respiração ficou irregular. Sua resposta foi balançar a cabeça rapidamente de um lado para o outro, passando sua língua sobre meu clitóris enquanto ele mexia, enviando choques de felicidade até minha espinha. "Oh Deus," eu gritei com a nova sensação que ele trouxe. "Oh Deus, oh Deus, oh Deus!" Eu gritei por apenas um segundo antes de chupar o ar, segurando-o em meus pulmões quando senti prazer, minhas coxas tremiam de antecipação. Por um segundo, eu senti uma dor aguda, depois entorpecimento do que eu só poderia descrever como o paraíso. O palpitar de prazer explodiu através de mim. Meus músculos se contraíram em resposta como se estivessem torcendo pela sensação em torno deles. Eu soltei a respiração que eu estava segurando quando meus pulmões exigiram que eu o fizesse. Eu nem percebi que eu tinha fechado os olhos, mas não podia abri-los nem se quisesse, por isso não me importava. Meus membros relaxaram, e foi tudo o que pude fazer para não cair no sono. "Você é tão linda, Menina Sardenta" a voz de Damien murmurou enquanto ele separava minhas coxas, mais distantes. "Desculpa se isso doer. " Essa foi a única advertência que ele me deu antes que minhas entranhas gritassem como se elas estivessem esticadas e invadidas. Meus olhos se abriram e um gemido estrangulado passou por meus lábios. Minhas mãos se fecharam sobre os braços grossos de Damien quando ele se acalmou dentro de mim e minhas costas arquearam quando uma pitada de dor cortou meu núcleo. "Isso vai passar," Damien sussurrou, sua voz rouca. Ele abaixou a cabeça e me beijou com tanta ternura e cuidado que era fácil se concentrar em seus lábios em vez da dor. Ele sussurrou palavras de encorajamento contra meus lábios inchados, e escovou a ponta de seu nariz em meu rosto antes de ele descansar sua testa na minha e olhar profundamente em meus olhos. Éramos um só naquele momento. Em pouco tempo, eu retorci meus quadris, puxando um gemido doloroso de Damien que estava tentando seu possível para permanecer tão imóvel quanto uma estátua. Eu me contorci mais uma vez e só senti um ligeiro desconforto, mas para minha surpresa, a dor pungente tinha cessado completamente. Em seguida, eu gemi e Damien entendeu como uma luz verde para se mover. Quando ele se retirou lentamente e empurrou para dentro, meus músculos apertaram. Não doeu, mas também não foi bom. "Relaxe, amor," ele murmurou. "Você está me viciando muito." "Você relaxa!" Eu respondi. "Parece que um melão está sendo empurrado em mim."3 Damien teve a coragem de rir, e isso me chamou a atenção, mas quando ele se retirou e empurrou de volta para dentro de mim, eu permiti que minha cabeça caísse contra a cama enquanto eu gemia. Ele pegou ritmo, e me levou pra longe da minha capacidade de pensar coerentemente, muito menos falar. "Cristo", Damien respirou enquanto abaixava a cabeça e colocava beijos ao longo do meu pescoço. "Você é incrível." Eu levantei minhas pernas e envolvi-as em torno de seus quadris, enganchando meus tornozelos sobre o outro para prendê-los no lugar. Eu não conseguia me controlar, especialmente com cada estocada que enviava uma onda de arrepios sobre o meu corpo e me fazia querer mais. "Oh!" Eu ofeguei quando uma onde de prazer passou em volta de meus músculos internos. "Sim," Damien murmurou. "Oh!" "Continue fazendo isso", eu ofegava. "Oh, continue fazendo isso!"


"Eu não poderia parar nem se você me pedisse" Damien respondeu, suor se formando em sua testa. As estocadas rápidas e duras substituíram os impulsos lentos e suaves. Enfiei meus dedos na pele de Damien quando o desejo de morder algo atingiu. Tentei me segurar, mas não consegui. Como um animal, eu me inclinei para a frente, e apertei meus dentes em seu pescoço e mordi. Damien empurrou com tanta força em resposta que uma batida ecoou pelo quarto. "Você vai me arruinar pra qualquer outra mulher." Eu malditamente esperava isso. "Deus, eu poderia ficar com você para sempre," ele continuou a dizer, sua voz grossa de paixão. Soltei-o e pressionei minha testa enquanto engolia. "Você vai ficar comigo?" "Sim," ele ofegou, cutucando meu rosto com o dele. "Meu Deus, sim. Você é minha." Meu coração batia de prazer, e um enorme sorriso me alcançou. Ele foi rapidamente apagado quando o calor abrasador espalhou-se sobre o meu corpo como manteiga, fazendo com que arrepios se formassem na minha pele. Minha boca de repente abriu em um grito silencioso quando um estrondo começou no meu núcleo até que a luz estourou de dentro de mim. O prazer que começou a ondular através do meu corpo enviou espasmos pequenos rolando através de meus membros e me deixou tremendo. Quando eu cheguei ao meu ápice, eu estava repetindo o nome de Damien. "Sim, sim" ele ofegou enquanto minhas coxas se apertavam ao redor dele. "Você promete ficar comigo?" Eu perguntei enquanto ele bombeava em mim mais forte, mais rápido, mais profundo. "Sim," ele quase gritou. "Eu prometo. Lana!3 Seus movimentos se tornaram frenéticos, e assim seus impulsos abrandaram e se transformaram em espasmos. Eu assisti as sensações que ele sentiu quando elas controlaram seu corpo e se parecia como um filme em seu belo rosto. Seus olhos fechados, ele mordendo seu lábio inferior, suas bochechas corando um tom bonito de rosa e seus músculos tensos. Dez ou mais segundos depois, era como se toda onda de tensão tivesse se afastado e espalhado sobre seu corpo como uma massagem profunda. Foi a única advertência que recebi antes de ele cair para a frente. "Damien!" Eu ri enquanto tentava respirar. Todo o seu peso estava em mim, e enquanto eu adorava, era muito para o meu peito lidar. Eu cutuquei ele, e ele gemeu enquanto usava seus cotovelos para se sustentar, tirando a maior parte de seu peso de cima de mim. "Olá." Eu sorri para ele. Minha mente, corpo e coração estavam tão contentes e felizes que nada poderia ter arruinado o momento. "Eu não quis dizer isso" Damien disse, seus olhos piscando com ... terror.1 Exceto isso. Eu pisquei. "Dizer o que?" "Essas coisas", ele disse, limpando a garganta. "Sobre ficar com você." Uma sensação ruim começou a formar um buraco no meu estômago "Damien," eu sussurrei. "Você pode não dizer isso enquanto você ainda está dentro de mim?" Ele olhou para os nossos corpos ainda conectados e rapidamente saiu de mim. Eu estremeci, e ele pediu desculpa. Eu estava deitada sobre os lençóis de cama, então eu não tinha nada para me cobrir, exceto minhas mãos. Damien descartou o preservativo agora usado - um preservativo que eu nem sabia que ele tinha colocado - e começou a se vestir em velocidade máxima. Comecei a entrar em pânico e senti que deveria fazer o


mesmo, então me juntei a ele para consertar meu vestido até que estávamos vestidos e olhando o que fizemos quando entramos no quarto, apenas um pouco menos juntos. "Eu não entendo o que está acontecendo", eu disse enquanto deslizava meus pés de volta aos meus sapatos, meus pés gritando em protesto. "Eu não deveria ter dito essa merda." Me bater teria doído menos. Eu me encolhi. "Não diga isso." "Eu tenho que dizer; caso contrário, você vai acreditar. " "Então eu não devo acreditar que você disse que me queria?" Eu perguntei. "Que você prometeu? Por que diabos você disse isso? "Alannah, eu teria concordado em ser só sexo." ele disse sem rodeios. "Eu não pude evitar. Minha mente e meu corpo estavam ambos focados na sensação, e minha voz assumiu controle." Eu sentia como se eu fosse vomitar. "Você está arruinando isso!" Eu disse, meu lábio inferior tremendo. "Você está arruinando tudo sobre minha primeira vez. Por que você está fazendo isso comigo?" O rosto de Damien ficou pálido. "Sinto muito, mas não vou mentir para você." "Qual é a mentira?" "Quando eu prometi que iria ficar com você ," ele afirmou. Senti meus olhos encherem com lágrimas. "Damien," eu sussurrei. "Não é que eu não possa ficar com você, Lana; É que eu não quero."7 Ele não podia me olhar nos olhos enquanto falava as palavras que eu sabia que nunca esqueceria. A força disso me fez tropeçar alguns passos para trás, como se ele tivesse me atingido. Eu provavelmente não tinha o direito de me sentir traída, mas eu me sentia, e doía mais do que eu queria admitir. "Eu vou me lim-limpar", eu gaguejei. "Não." Damien franziu o cenho. "Por favor, temos que falar sobre isso. O que eu quero dizer é-" "Eu não acho que qualquer coisa que você tenha a dizer vá me fazer sentir melhor", eu cortei ele, tentando manter minhas emoções sob controle. "Alannah-" "Está tudo bem" eu o interrompi novamente. "Não está, porra," ele respondeu. "Eu sabia que era uma má ideia. Basta ver como você está chateada! É por isso que eu tentei ficar longe de você. Você é uma boa menina, e eu sabia que você deixaria suas emoções entrarem. Isso foi um erro!"1 Suas palavras eram a verdade honesta, e eu acho que foi por isso que me machucaram tanto. "Você estava certo. Isso foi um erro, mas eu já fiz." Engoli em seco. "E também aprenderei com isso." Damien estendeu a mão para mim, mas afastei-me dele e me dirigi para a porta ao lado que eu assumi que era um banheiro. "Eu não quero mais falar com você, Damien," eu disse enquanto abria a porta. Eu não queria falar com ele nunca mais. "Lana," foi tudo o que ele disse. "Alannah," eu disse, meu aperto na maçaneta da porta apertando. "Meu nome é Alannah." Entrei no banheiro, fechei a porta atrás de mim e tranquei. Implacavelmente, eu me aliviei e limpei o melhor que pude com pequenos pedaços de papel de seda. Em vez de deixar o banheiro, eu inclinei minhas costas contra a parede e deslizei para baixo até que


minha bunda bateu no chão. Eu não tinha certeza de quanto tempo eu estive sentada lá, mas foi tempo suficiente para as lágrimas que fluíam de meus olhos se espalharem em minhas bochechas até secarem. Entre minhas coxas eu me sentia estranha - como uma doce ternura que eu não pudesse afastar. Pensei ter ouvido vozes, e quando ouvi uma batida na porta, me encolhi. "Lana?" Ouvi meu nome sendo falado suavemente. "Sou eu; posso entrar?" Bronagh. Levantei-me, me aproximei da porta, destranquei-a e depois me sentei na tampa fechada do vaso. Bronagh entrou no banheiro e rapidamente trancou a porta atrás dela. Ela andou e curvou-se de joelhos, e então se esticou para a frente e me engoliu em um abraço apertado. Quando eu coloquei meus braços em volta dela, eu soltei um grito de dor. Naquele momento, eu estava magoada e atormentada. Eu percebi que tinha me jogado em Damien como se eu eu não tivesse vergonha, e agora, a vergonha era tudo o que me preenchia. Eu não conseguia começar a formar as palavras para dizer à Bronagh porque eu tinha medo de que ela me julgasse, então mantive minha boca fechada. "Vai ficar tudo bem, Lana. Você é forte e não vai deixar um chato americano irritante te derrubar, certo?" Eu bufei enquanto saía do nosso abraço. Eu peguei um pedaço de tecido para limpar as lágrimas correndo. Eu estava uma bagunça e sabia que parecia tão ruim quanto me sentia. "Você quer saber?" Eu funguei. "Eu sei que Nico é seu namorado, mas pensei que ele fosse idiota e Damien fosse o bom. Eu estava tão errada. Nico é honesto e sempre foi ele mesmo, goste você ou não. Damien... Ele é como uma cobra em forma humana. Eu odeio ele. " Eu não poderia culpar Damien por ser sincero antes de fazer sexo, mas eu podia pelas mentiras que ele disse durante e a desculpa ridícula que ele me disse depois. "Se isso te faz sentir melhor", Bronagh interveio, "Dominic realmente é um idiota." Comecei a rir através das minhas lágrimas. Eu franzi o cenho quando Bronagh sentou-se em sua bunda e estremeceu ao contato. Era um lembrete de que ela não era mais uma virgem, mas sua primeira vez foi mágica, enquanto a minha teve a magia tirada de mim dez segundos depois de terminar. "Acabei de perceber que ambas perdemos nossa virgindade para os gêmeos essa noite." "Bem... pelo menos podemos estar doloridas e odiá-los juntas." Eu ainda estava chateada - e nem sequer começaria a superar tão cedo - mas eu ri da brincadeira de Bronagh e isso ajudou um pouco. Mesmo com minha amiga ao meu lado e risos vindo de mim, eu não pude evitar me sentir como se uma camada de pedra estivesse selada sobre meu coração. Eu nunca me colocaria numa situação em que eu sentisse dor como esta novamente. Engane-me uma vez, vergonha de você; Engane-me duas vezes, vergonha de mim. Eu chamei o nome de Bronagh quando o silêncio que nos cercou foi arrebatado, e um forte ruído podia ser ouvido de fora. Eu não sabia como eu sabia, mas eu sabia que Damien tinha deixado a sala com a porta aberta e fugiu pelo corredor, de volta ao clube. Ficando tão longe de mim quanto ele possivelmente poderia. Um covarde de merda. Bronagh olhou para mim quando falei. "Sim?" "Você está pronta para voltar lá pra fora?" Eu questionei. "Eu posso ouvir 'RAMPAGE' sendo aplaudido agora que eles pararam a música para a luta."


As coisas estavam um borrão quando Bronagh levantou-se, e me puxou para fora do quarto e de volta ao corredor para o clube. Corpos de todas as formas e tamanhos estavam em volta da plataforma que Dominic e outro lutador estavam. Eu não conseguia me concentrar com o barulho e um mar de pessoas, então quando Bronagh rompeu a multidão para chegar a Dominic depois que ele ganhou a luta, eu fiquei tempo suficiente para abraçá-la quando ela voltou para o meu lado. No segundo que ela se concentrou apenas em Dominic, eu saí de perto dela e saí do clube. Quando eu cheguei lá fora, não tinha ninguém por perto, nem mesmo os seguranças que nos tinham concedido entrada para o clube horas antes. Eu estava feliz por ter um momento de solidão para que eu pudesse tentar entender o que me aconteceu. Sentei-me no meio-fio e lutei contra novas lágrimas. Isso é um desastre. Nunca teria "Damien e Alannah" na maneira que eu queria, e ele se certificou disso. Não, nós fizemos nos certificando disso. Ele tirou minha virgindade, mas eu era a idiota que praticamente implorou para que ele o fizesse. Por causa disso, eu não tinha ninguém a quem culpar senão a mim mesma... e meus hormônios. Damien entrou em nossa intimidade sem ilusões ou mentiras revestidas em belas palavras - até ele conseguir o que queria. Antes, ele disse que não queria um relacionamento, ele só queria sexo, e eu me sentir tão machucada por ele manter sua palavra era estúpido. No fundo da minha mente, eu esperava silenciosamente que uma vez que tivéssemos feito sexo, Damien gostaria de estar comigo. Se essa não era a ideia mais idiota que enchia as cabeças das meninas adolescentes, então eu não sabia qual era. A dor no meu peito não era nada como algo que eu já tivesse sentido antes, e eu não sabia como lidar com isso. Eu precisava de Bronagh. Eu precisava da minha amiga. Eu ouvi um barulho atrás de mim, e eu não tinha certeza por que, mas pensei que poderia ser Bronagh, eu supus que seria ela. Eu queria olhar ao redor, mas um caso súbito de tontura me golpeou, e eu tive que permanecer sentada. Apenas quando eu pensei que minha cabeça e minha visão estavam limpas, senti uma batida na parte de trás da minha cabeça que foi seguido por meu corpo caindo para trás. Não doeu, e a primeira coisa que pensei foi que eu estivesse desmaiando porque eu tinha bebido álcool pela primeira vez. Eu percebi que meu pico de emoções tinha empurrado meu corpo em modo de estresse, e minha mente apenas desligado como resultado. Fiquei feliz por isso. Fiquei contente quando me encontrei diante da escuridão porque, no momento atual, a escuridão era uma visão mais acolhedora do que o pensar em Damien Slater. Eu não fui concedida a paz porque antes de eu desligar completamente, sua voz foi a última coisa que percorreu minha mente. Não é que eu não possa ficar com você Lana; É que eu não quero. Damien não me queria, mas o que mais machucava era que eu sabia lá no fundo, eu sempre ia querer ele sem me importar. Eu nunca deixaria que ele ou qualquer outra pessoa soubesse disso. Damien poderia ter me machucado, mas eu nunca daria a ele a oportunidade de fazer isso novamente. Ele disse que não me queria, e enquanto eu viver, nunca esquecerei isso.


Eu finalmente cheguei a esta seção do livro! Eu tenho querido escrever os agradecimentos a BRANNA por muito tempo. Depois de tantos atrasos com esta novela, e batendo tantos remendos do bloco do escritor, e um laço interminável de reescritas, estou encantado por ter terminado com ele, e estar contente e feliz com ele. É outro livro da série Slater Brothers, e é surreal pensar que eu só tenho DAMIEN, ALANNAH e IRMÃS para ir. Eu sempre pensei que DOMINIC seria um romance solitário, e que eu nunca teria que escrever as histórias de sua família e amigos, mas aqui estou, oito livros mais tarde e ainda vai forte. Tenho de agradecer aos meus melhores amigos, Yessi Smith e Mary Johnson, pelo seu apoio constante com a minha escrita e a sua preciosa amizade. Jill Sava por ser a melhor PA que eu poderia ter pedido - obrigado por tudo que você faz por mim. Jenny de Editing4Indies para assumir a tarefa de limpar o manuscrito, e Nicola Rhead para tirar o tempo de sua agenda ocupada para polonês-lo fora com uma revisão. Mayhem Cover Creations para a capa fabulosamente deslumbrante, e formatação JT para fazer minhas palavras olhar bonito. Mark Gottlieb por ser um agente kickass, e minha família por ser minha maior líder de torcida. E por último, mas nunca menos, meus leitores. BRANNA é para vocês, porque Deus sabe que você quis liberar mais do que eu nos últimos meses. Eu te amo muito, e mesmo que eu não possa responder a todas as mensagens do Facebook, menções do Twitter e e-mails que você me enviar, por favor, saiba que eu vejo todos eles, e eles fazem meu coração feliz. Obrigada <3


L.A. Casey é um New York Times e EUA Today best-seller autor que malabares seu tempo entre o seu mini-me e escrever. Ela nasceu, cresceu e atualmente reside em Dublin, na Irlanda. Ela gosta de conversar com seus leitores, que amam seu humor e sotaque irlandês, tanto quanto seus livros. O primeiro livro de Casey, DOMINIC, foi publicado independentemente em 2014 e se tornou um sucesso instantâneo na Amazônia. Ela é tradicionalmente e independentemente publicado e é representado por Mark Gottlieb do Trident Media Group. Para ler mais sobre este autor, visite seu Web site em www.lacaseyauthor.com TAMBÉM POR L.A. CASEY SÉRIE SLATHER BROTHERS DOMÍNIC BRONAGH ALEC KEELA Kane AIDEEN RYDER Novelas Independentes FROZEN UNTIL HARRY

Profile for Ana Paula Oliveira

BRANNA: Slater Brothers Book 4.5 - L.A. Casey  

"Branna Murphy é uma sobrevivente, esposa, amiga, irmã e uma futura mãe. Ela não tem tempo a perder com nada, especialmente em uma discussão...

BRANNA: Slater Brothers Book 4.5 - L.A. Casey  

"Branna Murphy é uma sobrevivente, esposa, amiga, irmã e uma futura mãe. Ela não tem tempo a perder com nada, especialmente em uma discussão...

Advertisement