Page 1

1


Disponibilização: Juuh Allves Tradução: Juuh Allves Revisão Inicial: Dri Machado Revisão Final: Regina Leitura Final e Formatação: REGINA CUKIER 2


Sinopse Minha vida foi construída sobre uma montanha de segredos, mentiras e meias verdades. Por muito tempo eu não era capaz de deixar ninguém chegar perto de mim. Mas então eu conheci o meu príncipe encantado. O homem que me salvou de mim mesma, que me mostrou o que era amor verdadeiro. Se ao menos eu tivesse sido honesta. Se ao menos eu tivesse sido mais forte. Se eu pudesse esquecer. Eu tive saudades dele todos os dias durante quatro anos, e ninguém que significa alguma coisa para mim sabia que ele existia no meu mundo. Agora, a parte da minha vida que eu tenho mantido em segredo colidiu de frente com a vida que eu tinha construído para sobreviver à destruição do meu coração. Ele está de volta e, desta vez, não podemos evitar um ao outro. A história de amor de Dominique Hart e Dillon Cooper nunca foi fácil, mas isso não a torna menos real. Nem todo mundo tem uma viagem fácil no caminho para o amor, mas às vezes, o que faz você chegar lá é muito mais significativo.

3


Capítulo 1 Dillon

Foi o segundo encontro às cegas que eu tinha ido desde o ano passado e as coisas não correram muito bem. Meu assistente de projeto, Ray, combinou com uma amiga de seus primos, e como um otário eu concordei em ir. No segundo em que eu conheci Claire e ela abriu a boca, eu sabia que estava condenado. Ela falou o quão ansiosa, ela estava para me encontrar, uma vez que ela viu minha foto no jornal Los Angeles Times. "Quero dizer, meu Deus... Você é bem-sucedido e você é quente acima de tudo! Mal posso acreditar que você ainda está solteiro. Aparentemente, você está namorando mulheres sem plano de jogo”. Depois da sua avaliação a sangue frio, ela passou a dizer que ela estava procurando sossegar. "Estou aberta a ter um filho nos próximos anos também. Um é o meu limite, no entanto, e qualquer homem que queira mais de um filho, não é alguém que eu estaria interessada. Meu último encontro me perguntou se eu estaria aberta a adotar algumas crianças. Você pode imaginar? Pegando o lixo de outra pessoa? Natureza ou criação, eles sempre

4


dizem. Nunca comprei um carro usado e eu não aceitaria uma criança de segunda mão também”. Eu não podia acreditar nas bolas da cadela. Ela poderia ser bonita, mas seu comportamento fez dela feia como o inferno. Estava imaginando o que diabos Ray pensou quando ele me arrumou com ela, e eu esperava que ele não soubesse que idiota vil ela era por dentro. Tão enojado eu estava com sua atitude sobre adoção, foi seu próximo assunto que me tirou do sério. Ela apontou seu nariz para baixo, e foi rude também com a garçonete, e depois que ela foi embora Claire sussurrou-me: "Ugh, que idiota essa menina era. Não posso imaginar o quão perdedor que você tem que ser, se a sua escolha de trabalho é ser um escravo pago. É como se, estude querida”. Eu tinha sido um ajudante de garçom, e um garçom quando eu era adolescente e minha irmã era uma garçonete, enquanto ela estava se formando enfermeira. Por isso me senti ofendido com a atitude de Claire. Mesmo que Leah e eu não tínhamos trabalhado em restaurantes, eu ainda teria achado a atitude de Claire e comentários reprováveis. Quem ela pensava que era? Só os idiotas mais detestáveis saem do seu caminho para tratar mal as pessoas que trabalham no setor de serviços e quando eu vi pessoas fazendo isso, excluí-os imediatamente. 5


Olhei para ela secamente, enquanto ela falava de si mesma bobamente durante o jantar, mal percebendo que eu não disse quase nada. Ela realmente ama o som de sua própria voz, mas eu não podia suportar. Eu ri, na minha cabeça, com a ideia de como ela estaria horrorizada, se soubesse que não só eu tinha sido um garçom, mas fui adotado e, em seguida, fui criado em um orfanato depois que meus pais morreram. Isso seria três grandes batidas contra mim, na medida em que a cadela arrogante estava preocupada, eu tinha certeza disso. Ela não tinha ideia de que ela estava em um jantar com alguém que tinha vindo do nada, mas eu sabia que ela me repeliria se soubesse. Ela não tinha nada interessante para falar, pelo menos não em minha opinião. Ela falou e falou, sobre seu fabuloso e único clube de campo (um paradoxo, se alguma vez eu tinha ouvido um), suas manhãs de quarta-feira movimentadas no SPA, e seu interesse em viagens internacionais. Ela era literalmente uma das mais antipáticas e pouco atraentes pessoas do núcleo que eu já tive a infelicidade de conhecer. Isso faz o fato de que eu concordei em ir pra casa com ela melhor? Não, isso não acontece. Será que eu fiz isso de qualquer maneira? Sim, eu fiz. Sexo era sem sentido e o fato de que ela era uma idiota não a fez menos atraente. Se alguma coisa, isso

6


tornou mais fácil fodê-la. Quanto menos emoção ligada, melhor. Segui até sua casa, sabendo que eu ia levá-la para cama e eu estava muito bem com essa decisão. Sua casa era exatamente o que eu esperava. Acima de tudo, ostensiva e fria, grita como se ‘uma aberração sem alma vive aqui’. Infelizmente, o sexo foi tão desanimador e desconfortável como o jantar com ela tinha sido. Claire era uma 'atriz', mas ela não tinha nenhuma habilidade em tudo. Ela não me deu um boquete (esse tipo de coisa era "sujo" de acordo com ela), mas que não era uma quebra de acordo para mim desde que eu também não fiz. Fui infeliz, o suficiente, para adquirir um gosto por uma garota em particular, e quando ela deixou o desejo, para realizar em outros, fui com ela. A ironia do fato de que eu não faço sexo oral, enquanto a menina que me arruinou para as outras, agora estava vivendo a vida como uma lésbica, não foi perdida em mim. Claire tinha uma variedade de posições sexuais que ela trabalhou, enquanto ela se contorcia e gemia como uma profissional do sexo em Amsterdã. Ela era o tipo que imaginava que gritando e dizendo a um cara quão grande seu 'pênis' era (juro por Deus, ela usou a palavra pênis) seria uma experiência agradável. Embora tenha sido memorável (e não por quaisquer razões positivas), era pouco agradável. Foi completamente repulsivo, 7


mas eu trabalhei com o que ela me deu e saí. Quando terminei, arrastei minha bunda de sua cama para descartar o preservativo e então eu me vesti para ir. O som de sua voz era agudo. "Você não vai voltar para a cama e me dar um pouco mais do seu pênis, amante”? Sério, de onde essa garota tinha vindo? Balançando a cabeça, eu disse: "Não. Eu estou feito”. Enquanto eu caminhava até a porta, ela falou. "Ligue para mim”. Olhando por cima do meu ombro, eu dei uma risada sem graça. "Isso não vai acontecer. Eu me esqueci de te dizer... Eu sou adotado. Ah, e eu costumava ser um garçom”. Seu grito zangado me fez rir e eu ainda estava rindo quando cheguei ao meu carro e a ouvi gritar pela janela que eu era um "perdedor vira-lata imundo”. Mandei uma mensagem para Ray no meu caminho para casa e disse a ele para simplesmente dizer não, se ele sentisse a necessidade de me arrumar com alguém novamente.

8


Capítulo 2 Dillon

Uma vez que eu cheguei em casa dessa experiência insatisfatória, lavei todos os vestígios de Claire do meu corpo. A coisa toda me fez sentir mais instável do que o habitual e isso dizia algo, desde que eu geralmente me sinto usado, uma casca de homem que é velho antes do tempo. Tenho vinte e nove anos e dificilmente velho quando você olha para isso matematicamente. Não é o número que me faz velho embora. É a minha desculpa patética para uma existência. Tive uma criação difícil, nunca me encaixando, e sempre senti que algo estava desligado. É como se uma peça do meu quebra-cabeça estivesse em falta e não foi encontrado. Conforme os anos passaram por mim, estou cada vez mais certo de que qualquer que seja a peça, não estou destinado a encontrá-la. Além de meus pais, havia apenas duas pessoas em minha vida que realmente se importaram comigo. A primeira é a minha irmã Leah. A segunda era minha esposa, Marissa. Depois que meus pais adotivos foram mortos, em um tiroteio na autoestrada, a minha irmã e eu fomos colocados no sistema de assistência social. 9


Nenhum dos parentes de sangue, dos nossos pais estavam interessados na criação de filhos adotados, então fomos colocados no sistema, apenas dez dias depois que nossos pais foram mortos. Meus pais adotivos eram boas pessoas e eu sinto falta deles. Não deve ter sido fácil cuidar de dois bebês que tinham apenas treze meses de diferença, mas eles fizeram isso. Descobri depois que morreram que eles realmente só queriam Leah, mas éramos um pacote. Nunca notei nenhuma diferença na forma como nos trataram. As suas famílias por outro lado, nunca nos quiseram. Quando criança pensava que isso significasse que havia algo errado com a gente por sermos adotados, mas agora eu sei que eram seus próprios preconceitos sobre a nossa falta de relação de sangue que os impedia de nos aceitar. Eu costumava ficar obcecado em saber sobre onde eu tinha estado nos primeiros treze meses da minha vida. Teriam os meus pais me amado? Eu não sei por que, mas eu não penso assim. Tivemos uma adoção fechada, então Leah e eu nunca tivemos qualquer informação sobre de onde viemos ou quem nossos eram pais. Minha mãe me disse que quando eles me adotaram eu tinha sido o bebê mais silencioso que ela já tinha visto. Posso dizer que tinha a preocupado. "Você não sorriu durante meses e meses e você não sabia 10


como ser segurado por um longo tempo”. O triste é que eu estou de volta a ter esse problema. Leah e eu, conhecemos Marissa algumas semanas depois de nos mudarmos para o nosso primeiro lar adotivo. Nós três tínhamos sido uma unidade em várias casas do grupo, constantemente juntos. Eu tinha dez anos, Leah tinha nove anos e Marissa tinha onze anos. Fomos considerados "velhos" para uma possível adoção e reconhecemos que era uma possibilidade remota. Tínhamos mudado algumas vezes, mas sempre tivemos a sorte de acabar juntos no final. Leah e eu, sempre tivemos um ao outro e isso nos deu uma força que Marissa não tinha. Nós dois tivemos um trabalho de tempo integral em cuidar de Marissa. Ela não era como nós e as coisas a afetaram de forma diferente. Marissa era bonita, mas também excepcionalmente frágil. Quando a conhecemos, ela tinha sido posta em adoção após anos de brutalmente ser estuprada por seu padrasto. Alguém finalmente descobriu o que estava acontecendo e ela tinha sido removida de sua casa pelas autoridades para sua própria segurança. Eventualmente ele acabou na prisão, mas a mãe nunca quis a filha de volta. A cadela teve a ousadia de dizer à Marissa que ela era egoísta por deixar alguém descobrir o que seu padrasto estava fazendo, e ela responsabilizou Marissa pelo fato dele estar na cadeia e incapaz de sustentá-la ou a sua filha. Marissa teve uma incrível 11


quantidade de culpa sobre isso, e foi doloroso testemunhar. Ela realmente acreditava que ela havia machucado sua meia-irmã, porque ela não tinha sido mais capaz de esconder suas próprias feridas. Essa culpa nunca foi embora e eu acredito que desempenhou um papel em sua morte. Eu me casei com Marissa quando eu tinha dezoito anos e ela tinha dezenove anos. Nós nos amávamos profundamente, mas nunca foi esse tipo de amor. Eu a adorava, a amava quase tanto quanto eu amo Leah, mas eu não estava apaixonado por ela. Ela me pediu para casar com ela, dar-lhe algo normal, para se assegurar, e eu disse sim, sem hesitação. É uma decisão que eu nunca me arrependi, embora a dor de perdê-la ainda corta profundamente. Comecei a trabalhar todos os dias quando eu tinha quinze anos de idade em dois trabalhos diferentes, porque eu sabia que eu precisava ser capaz de tomar conta de todos nós. Eu tinha tido a sorte de salvar uma boa quantidade de dinheiro e quando eu me casei com Marissa, alugamos um pequeno bangalô no vale, na mesma rua que Leah estava vivendo em um orfanato. Tivemos cerca de um ano para esperar até que ela poderia estar fora também e ela estava trabalhando horas extras aplicando para bolsas de estudos. Seu sonho era ser uma fisioterapeuta especializada em crianças. Pintei o interior da casa com as especificações da Marissa, comprei móveis da Ikea e nós dois 12


começamos na faculdade da comunidade local. Trabalhei em paisagismo e Marissa trabalhou em uma pequena livraria. Nós dois estávamos felizes com a forma como as nossas vidas estavam indo, eu sei que nos sentíamos tão confortáveis com a vida, como nunca estivemos. Nós cozinhamos refeições, lemos livros e nos dedicamos a criar uma vida normal. Eu adorava Marissa, mas só nos casamos, porque era algo que ela precisava e eu tinha me mantido fiel à minha promessa, de que eu iria cuidar dela. Nós raramente nos abraçamos ou tocamos, nunca tínhamos sido sexual um com o outro. Casamento e estabilidade foram o que Marissa precisava e eu estava determinado a fornecê-la isso. Ninguém, exceto Leah realmente sobre o nosso relacionamento.

sabia a

verdade

Nosso bangalô foi um lugar feliz, especialmente quando Leah se mudou no verão antes da faculdade começar para ela. Nós três éramos uma equipe, comprometidos a ir longe com nossas vidas. Marissa estava realmente saindo de sua concha trabalhando na livraria. Ela fez alguns amigos, mas teve um em particular que ela estava próxima e a encorajei de todo o coração. Eu nunca tinha visto Marissa ir para alguém que não seja Leah e eu tão rapidamente antes, e eu amei vê-la por si mesmo. Quando Leah conseguiu uma bolsa para a Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, isso significava que estávamos todos em 13


um bom lugar e eu senti que o futuro era brilhante. Todos nós nos sentimos da mesma maneira. Tudo foi explodido em pedacinhos na manhã que o padrasto de Marissa apareceu em nossa casa. Nós ainda não tínhamos sido notificados que ele tinha saído da prisão, nos garantiram por anos que se ele fosse colocado em liberdade condicional seríamos os primeiros, a saber. Ele abriu caminho para a nossa casa, enquanto ela gritava para eu ajudá-la. Eu estava na porta da frente em questão de segundos, mas o estrago já estava feito. Me livrei dele e ele não foi capaz de colocar a mão nela, mas o pouco progresso que ela fez em sua vida evaporou diante dos meus olhos. A segurança que ela finalmente começou a acreditar, tinha ido embora. Ela largou o trabalho que amava, recusou-se a sair de casa e seus pesadelos voltaram com força total. Marissa estava definhando na minha frente e nada do que eu fiz ajudou. Aqueles de nós que a amavam, tentamos puxá-la para fora de sua espiral descendente e em uma semana, nos mudamos para uma casa nova a poucos quilômetros de distância. Não fez nenhuma diferença. Tudo o que fiz foi nada além de me agarrar em palhas, enquanto tentava salvar uma das pessoas que eu mais amava no mundo. Mas a verdade é que 14


já era tarde demais para trazê-la de volta, porque ela se desligou emocionalmente e fisicamente no segundo que viu seu padrasto. Perder meus pais machucou, mas perder Marissa doeu mais, porque era o meu fracasso. Há um milhão de “e se” que me atormentam até hoje, mas você não pode destocar um sino. Ela se foi para sempre e eu nunca soube com quem eu fiquei mais irritado sobre isso - ela por sair ou eu por não conseguir salvá-la. Embora eu sempre soubesse que ela era frágil. Leah e eu sabíamos, e eu realmente acreditei que pudesse puxá-la através disso. Às vezes, não importa o quão duro você tente, não há nenhuma maneira de tirar uma pessoa do rumo que ela está. Marissa era inteligente, bonita, doce e amável, mas ela foi quebrada por dentro e ela não queria mais viver. Algumas coisas que estão quebradas não podem ser consertadas, não importa o quão duro você tente, ou quanta cola você use. Todo dia eu tenho um pouco mais de certeza do fato de que eu sou uma das coisas quebradas que não podem ser corrigidas. Profissionalmente, a minha vida parece perfeita do lado de fora. Tornei-me um arquiteto paisagista e agora eu tenho minha própria empresa. Estou na

15


demanda e ganhando mais dinheiro do que eu jamais pensei que faria. Mas pessoalmente, a minha vida é vazia. Tenho Leah e isso são tudo que eu tenho. Houve um momento na minha vida que eu soube que eu tinha algo mais, algo profundo e verdadeiro. Desafiou a lógica e qualquer tipo de explicação, mas a forma como eu me sentia sobre Dominique era pura magia. Tirou a minha dor e me fez acreditar que felizes para sempre era possível. Amá-la foi a única prova que tenho, de que possuo a capacidade de amar alguém da mesma forma que as pessoas escrevem canções de amor. Eu a adorava, com o corpo e a alma. Só quando eu já estava apaixonado, que eu descobri que a menina que eu tinha dado o meu coração e alma era uma mentirosa manipuladora, que poderia ter arruinado a minha vida. Deixei minhas defesas pra baixo o suficiente para ela entrar e ela me quebrou com seus enganos. Não me abri de novo e eu sei que eu nunca vou. Ela ainda está no meu coração e eu já aceitei que não vou ser capaz de deixá-la ir, para minha grande consternação. Deitado na minha cama esperando o sono me reclamar, pensei em Dominique, assim como eu sempre fiz. Foi um exercício de tortura, mas fui impotente para detê-lo. Passei muito tempo pensando sobre ela aquela noite, não que isso fosse 16


incomum realmente. Fazia quatro anos, mas não estava ficando nada fácil. Eu ainda a queria desesperadamente, embora eu soubesse que ela havia mentido para mim e não tinha se importado comigo do jeito que eu me importava com ela. Na manhã seguinte eu recebi um e-mail de seu "irmão" Spencer me pedindo uma reunião para discutir sobre eu projetar uma paisagem para o mais novo projeto da Hart Internacional. Eles estavam me chamando há mais de dois anos e a cada vez encontrava uma saída. Era estúpido continuar afastando-os, quando eu provavelmente poderia ter uma reunião sem vê-la. Afinal de contas, ela era melhor amiga da minha irmã e isso não nos levou a ver um ao outro, além de uma vez. Decidindo que era já tempo de parar de evitar o que poderia ser um grande contato de negócios, eu escrevi de volta e concordei com uma reunião.

17


Capítulo 3 Dominique (Nosso passado)

Quando eu tinha nove anos, no final de uma manhã de primavera, fui mandada da escola pra casa com febre. Eu não tenho uma família normal, mas a enfermeira não sabia disso. Ela seguiu o que o protocolo padrão teria sido para qualquer outra criança e ela chamou meu pai. Eu estava tremendo como uma folha, quando ele apareceu. A enfermeira assumiu que era por causa da minha febre, mas a verdade era que eu estava com medo de ficar sozinha com ele. Antes desse dia, as minhas razões para ter medo dele na maior parte veio de sua boca suja, má atitude e uma propensão para bater, em um piscar de olhos. Depois daquele dia, minhas razões para ter medo dele eram muito mais escuras do que isso. Ele tinha sido como uma criança numa loja de doces quando ele me pegou, tendo o desempenho de uma vida na frente da enfermeira quando ele delirou sobre suas sugestões sobre o que poderia me fazer sentir melhor. Ele não se importava com o que me 18


faria sentir melhor em tudo, muito pelo contrário na verdade. Isso me fez doente observandoo flertar com a enfermeira. As mulheres sempre falaram sobre o quão bonito o meu pai era, mas para mim, ele era horrível. Sob o rosto que pessoas achavam tão atraente, e estava a mente de um monstro e eu não podia acreditar que as mulheres eram enganadas por um momento. Seu mal estava bem ali na superfície, se você realmente olhasse. A maioria das pessoas nunca percebeu. Eu tinha apenas nove anos, mas eu já tinha visto e ouvido mais do que qualquer criança nunca deveria. Eu nunca tinha sido enganada por seu rosto, mas, possivelmente tinha muito a ver com o fato de que ele nunca tentou ser bom para mim. Por causa disso, eu sabia o que ele era e vi claramente o monstro, que ele gostava de ser. Ele nunca me amou nem tinha amado qualquer um dos meus irmãos. De acordo com ele éramos bagagem necessária. Ele sempre tinha sido mais duro com a minha irmã gêmea, Delilah e eu. Por tanto tempo quanto eu conseguia lembrar, ele havia nos chamado de ‘irmãzinhas monstros’. Quando ele parou de nos chamar de monstro e começou a comentar o fato de que nós não éramos mais tão feias, eu fiquei com medo. Eu nunca deveria ter ido ao escritório da enfermeira naquele dia, nunca deveria tê-la deixado chamá-lo. 19


Eu estava tremendo de medo no momento em que chegamos em casa, tentei fugir dele para que eu pudesse me trancar no meu quarto. Nunca vou esquecer de ver a porta na frente do meu rosto, sabendo que eu estava quase lá. Quando a minha mão alcançou a maçaneta, ele agarrou um punho cheio do meu cabelo e me puxou de volta contra ele. Algo duro estava pressionando em minhas costas, algo repugnante e que me apavorava. Até hoje eu posso ouvir o som, animalesco de medo, que saiu da minha boca quando eu implorei a ele para me deixar ir. Ele não ouviu. Em vez disso, ele me manteve em cativeiro durante horas e me tocou onde quisesse. No começo eu chorava e gritava, mas finalmente percebi que não estava ajudando e não havia mais lágrimas para chorar. Olhei para um ponto no teto enquanto ele se esfregava em mim de novo e de novo, me dizendo que pequena prostituta suja eu era. "Eu sou um homem e você pediu por isso Dominique. Você ama isso, assim como sua mãe prostituta. Eu vejo você menina e você é uma egoísta, vagabunda mentirosa, assim como ela. Você envolve aqueles irmãos de vocês em torno de seu dedo mindinho para levá-los a fazer o que você quiser, agora mesmo. Nove anos de idade e já é uma puta suja. Quando você crescer, você vai 20


transar com tantos homens que você não será capaz de manter a contagem”. O som do meu nome em seus lábios me fazia mal. A sensação de suas mãos no meu corpo era um nível de inferno, que eu nunca vou esquecer. Eu estava toda suada e pegajosa, quando ele tinha acabado. Com um grito desenfreado, ele me puxou da cama pelos cabelos e me jogou no chão. "Se não fosse por esses malditos dos seus irmãos, isso não teria terminado ainda. Da próxima vez, eu não vou parar até que eu tenha fodido você. Você se livrou fácil hoje, mas da próxima vez, você vai levála como uma cadela no cio, assim como ela. Qualquer pau faria. Vá em frente e minta para si mesmo que você não queria isso, mas eu vejo em seus olhos implorando por isso”. Corri para a porta me prometendo, ao longo do caminho, que uma vez eu que dissesse a Dante e Damien o que o nosso pai tinha feito, ele nunca seria capaz de me tocar de novo. Mais uma vez, a porta estava bem ali, a minha fuga tão perto que eu podia até sentir o gosto. Ele veio do nada, me empurrando contra a porta e embrulhou suas mãos grandes no meu pescoço. Não apertado o suficiente para me sufocar por completo, mas firme o suficiente para que eu sentisse a ameaça. 21


"Se você está pensando em dizer aos seus pequenos salvadores, pense novamente. O que eu fiz para você hoje não é nada, e eu posso fazer muito pior. Se você abrir sua boca, eu vou matar Damien. Eu sei que ele é o seu favorito, sua putinha. Mesmo se eles conseguirem me prender, eu vou pagar alguém para matá-lo, lenta e dolorosamente. Eles vão enviá-lo de volta para você, peça por peça. Você me entende”? Eu tinha nove anos de idade, mas eu já sabia que ele era mau e louco o suficiente para fazê-lo. Balancei a cabeça, enquanto um pedaço de mim morreu. Quando ele abriu a porta, eu escapei daquele quarto, como um morcego fora do inferno. Correndo direto para o meu banheiro, onde tomei banho por tanto tempo que a água ficou fria. Eu não vim para fora até que Delilah bateu na porta, e perguntou se eu estava bem. Embora eu dissesse que estava ela não se deixou enganar. Ela sentou-se ao meu lado na minha cama, durante horas, segurando a minha mão e me dizendo que ela podia sentir que algo estava errado. Menti, dizendo que eu não me sentia bem e que eu tive um pesadelo terrível, sobre o que aconteceria quando fosse a hora de Dante a ir para a faculdade. Eu não estava exatamente mentindo, eu tinha passado a tarde presa no pior pesadelo que já tive. Eu nunca disse uma palavra sobre o que realmente aconteceu aos meus irmãos, minha irmã ou Spencer. Eu queria, mas eu sabia que eu não podia 22


arriscar, ao Damien ser ferido. Dante era como um pai para mim, mas Damien era mais pessoal. Dante cuidou de todos nós e Spencer passou a maior parte do tempo com Delilah, por isso caiu para Damien ser a minha pessoa mais importante, uma tarefa que ele nunca pediu, mas tinha assumido sem qualquer queixa. Se eu não o tivesse, eu não iria sobreviver. A ideia de que ele poderia se machucar por minha causa, me fez mal e eu tive pesadelos durante anos, sobre abrir caixas que continham pequenos pedaços dele dentro. Poucos dias depois do incidente no quarto do meu pai, Spencer notou meu pai assistindo Delilah e eu, de uma forma que tocou um alarme em sua cabeça. Spencer foi para os meus irmãos e juntos, eles se uniram em torno de nós, para se certificar de que o pior não acontecesse. Mesmo depois que meu pai morreu, eu nunca tive coragem de dizer a eles que já tinha acontecido.

23


Capítulo 4 Dominique Ele tinha ido embora há anos, morto e enterrado em algum lugar que eu nunca tinha visto e nunca faria isso, mas o dano que meu pai fez para mim todos esses anos atrás estava sempre lá. Agarrou-se a mim, como um manto invisível, pendurado em mim em todos os momentos. Eu tinha ficado hábil em esconder os sinais de todas as coisas que estavam erradas comigo, da minha família. Eles não sabiam que eu odiava ser tocada por alguém que não eles, mas tinha, realmente começado a afetar minha vida. Minha irmã, definitivamente percebeu que algo estava errado, mas ela saltou para a conclusão errada e assumiu que eu era gay. Gritei com ela quando ela me perguntou se eu era, furiosa comigo mesmo porque eu não podia dizer a ela que eu não era gay, eu estava muito fodida para ser tocada por caras. Não havia nenhuma maneira que ela manteria para si mesma, e se eu dissesse à ela toda a minha família iria desmoronar se eles percebessem que não tinham sido capazes de manter-me tão segura quanto eles assumiram que tinham. Eu tentei... Deus, como eu tentei... me ajustar, pra ir com o fluxo, para aprender a aceitar o toque de outro ser humano, sem ter um ataque de pânico, 24


mas não funcionou. Eu odiava que eu não era como todas as outras meninas que eu conhecia. Ao contrário das meninas normais da minha idade, quando eu via caras quentes eu não via potenciais namorados, eu via bombas-relógio que poderiam me segurar, me machucar, e isso me apavorava. Eu temia ser pressionada contra a minha vontade, presa e incapaz de me libertar, assim como o que havia acontecido naquela tarde com o meu pai. Minha preocupação maior era que o que ele disse para mim naquele dia poderia vir a ser verdade, eu poderia ter algumas das tendências sexuais da minha mãe dentro de mim, e se eu abrisse a caixa de Pandora e aprendesse a me permitir ser tocada eu me tornaria uma vadia. Se isso acontecesse eu sabia que iria destruir meus irmãos, eu sabia que eles iriam me odiar e se ressentirem de que eles tinham desistido tanto de suas vidas para me manter segura e ainda assim, de alguma forma, me transformei na mãe que todos nós odiávamos. A ideia de eu decepcionando meus irmãos era terrível para mim. Eram as únicas figuras masculinas que eu tinha e que me amavam, e eu não podia perdê-los e continuar a sobreviver. Havia muita pressão para ter as experiências que todas as outras meninas na escola estavam tendo, e eu odiava isso. A única coisa que me manteve calma foi que a minha irmã não estava fazendo o que o resto das garotas faziam também. Claro, a 25


razão era porque ela era tudo sobre Spencer, ao contrário de meu problema de ansiedade, mas pelo menos ela não estava lá fora experimentando coisas que eu estava com muito medo de experimentar. Uma noite eu descobri que quando eu bebia, eu era capaz de desconectar o suficiente para que eu pudesse ser tocada. Depois disso, eu me joguei em dar uns amassos nos caras, mas eu nunca senti nada além de desconfortável. Não há nada excitante sobre algum babaca bêbado, atacando sua boca como se estivesse verificando suas amígdalas com a língua. Rodei um leque de maus beijadores... o respirador pesado, o mordedor, o empurrador de língua, vários caras que eram como torneiras, alguns comedores de rosto e um cara que só lambeu meus lábios. Nada sobre qualquer um desses foi excitante. Foi quando outras pessoas começaram a comentar sobre o meu estado virginal que eu decidi que eu tinha que tirar isso do caminho. Uma noite, eu fui a uma festa e acabei fazendo sexo com Jimmy, um dos caras que eu tinha anteriormente classificado como uma torneira funcionando. Decidi fazê-lo com ele, porque pelo menos eu sabia que ele ia ser gentil, e ele foi. Doeu, mas não era como se eu estivesse sendo rasgada ao meio e uma vez que só durou cerca de um minuto, eu não tinha que suportar ele babando todo o meu rosto por muito tempo.

26


Minha irmã estava espantada que eu tivesse dado isso a alguém que eu nem gostava, mas eu disse-lhe para manter a boca fechada e cuidar da própria vida. Ela nunca poderia saber o que meus problemas eram, por isso, não era como se eu fosse explicar porque eu tinha tomado essa decisão.

***** Eu estava focada no ensino médio e meu trabalho incrível, na livraria mais legal do mundo. Betty Book’s tem sido um dos meus lugares favoritos de ir para escapar, e eu fiquei animada quando eu tinha idade suficiente para integrar a equipe. Valia a pena trabalhar lá, apenas pelo desconto para equipe. Minha família gostava de brincar, que me sustentar com livros era quase tão difícil como o cálculo do débito nacional, então me sentia bem em ser capaz de gastar a mesma quantidade de dinheiro, mas sair com mais livros do que nunca. Eu sempre achei paz e beleza nos livros, então trabalhar na livraria era como um sonho para mim. Meus colegas de trabalho eram todos incríveis e trabalhar na Betty era muito parecido com trabalhar com os membros da família. Minha colega de trabalho favorita, era minha amiga Marissa. Eu estava trabalhando com ela desde pouco antes de completar dezesseis anos e eu estava mais perto dela do que eu jamais tinha estado com alguém fora da minha família. Ela era 27


uma menina bonita, cabelos castanhos longos, com olhos verdes, ela parecia que tinha saído da capa de uma revista. Marissa era impressionante, era ainda mais bonita pelo fato de que ela nunca usava maquiagem ou tentou se vestir de maneira sexy. Ela era o tipo de garota que você queria proteger, sua disposição doce chamando por algo dentro de mim que me fez querer cuidar dela. Embora ela fosse mais velha do que eu, você não poderia dizer. Ela nunca me passou nenhuma vibração de "eu sou um adulto e você é um humilde adolescente". Embora ela estivesse em seus vinte anos, parecia que ela poderia estar na escola, pelo menos até que você olhasse em seus olhos. Seus olhos eram mais velhos e mais duros do que qualquer outra coisa sobre ela, e eu senti que ela tinha tido uma experiência traumática em sua vida em algum momento. Isso me fez sentir como se ela me entendesse e eu me abri com ela. Eu me senti tão confortável com ela, que eu finalmente fui capaz de confessar a outro ser humano o que o meu pai tinha feito para mim e como era difícil para eu ser tocada. Marissa era como uma irmã mais velha incrível e ela ajudou-me a começar a me curar. Ela me segurou enquanto eu chorava e me prometeu que eu poderia passar por isso. Quando eu disse a ela que eu me sentia culpada e suja, sentia que era minha culpa por não ter implorado a enfermeira para não deixar ele me tirar de escola naquele dia. Marissa disse-me em termos inequívocos, que nada poderia 28


estar mais longe da verdade. Meu pai era responsável por seus atos, não eu. Ela também me confidenciou que ela tinha sido horrivelmente e repetidamente estuprada e brutalizada pelo padrasto, por quase dois anos antes de ser levada e colocada em um orfanato. Marissa me deu o primeiro apelido que eu já tive, e eu pensei que fazia eu me sentir amada. "Você é um pequeno pedaço de uma coisa, eu não posso ajudar, mas chamá-la de Minnie”! Ela disse-me uma e outra vez como estava feliz de ter uma amiga real. "Minha irmã, Leah, é a minha outra metade, mas eu nunca tive uma melhor amiga antes”. Essa foi mais uma coisa que Marissa e eu tínhamos em comum, porque a minha melhor amiga tinha sido sempre a minha irmã. De repente, tinha uma vida fora da minha família e eu me senti mais forte e independente. Ela me disse que eu a fazia se sentir mais forte também, explicando-me que ela tinha uma irmã mais nova chamada Issa, que era da minha idade, e que ela não a via desde o dia em que ela foi removida de sua casa e colocada em um orfanato. Eu não podia acreditar que a mãe de Marissa tinha escolhido lutar para manter uma filha, mas não a outra. Marissa acreditava que era porque sua irmã era "boa" e que nada escuro estava dentro dela. Sua mãe a tinha deixado saber que ela apoiou 29


o marido, e ia esperar ele sair da cadeia para que ele pudesse se unir à ela e sua filha. Isso mexeu com a cabeça de Marissa terrivelmente, que sua mãe tinha escolhido o homem que a tinha brutalizado em vez de escolhê-la. Parecia ajudar a nós duas que poderíamos confiar uma na outra. Marissa tomou sobre si mesma fazer com que nós duas seguíssemos em frente. Ela passava horas debruçada sobre livros de autoajuda e escrevendo anotações em seu diário, dizendo-me que as modificações de comportamento cognitivo eram o caminho para nós duas seguirmos. "Minnie, quase todos esses livros concordam que nós fazemos a nossa própria realidade, a maneira como pensamos sobre as coisas. Se acreditarmos que merecemos coisas ruins, coisas ruins continuarão a acontecer. Isso significa que precisamos começar a pensar de forma diferente. Mesmo que nós vamos, tipo, estar fingindo em um primeiro momento, esses livros dizem que precisamos mudar a nossa forma de ver as coisas. Vamos começar a agir como se nós não tivéssemos medo de cada toque de outra pessoa, nós iremos nos condicionar a pensar de forma diferente”. Estar com Marissa me deu esperança para o futuro por outro motivo, ela era casada. Ela adorava o marido, e falou sobre ele sem parar. Tudo era "Dillon isso" e "Dillon aquilo". Eu sabia que Marissa 30


tinha um monte de problemas com a intimidade física, sabia que eles não tinham um relacionamento sexual, mas ainda me deu esperança de que ela tinha encontrado alguém para casar com ela, independentemente disso. Ele sabia sobre seu abuso, porque tinham estado em um orfanato juntos por anos antes de se casarem, e eu encontrei beleza no fato de que ele se casou com ela quando ela lhe perguntou apesar de ter sido uma decisão difícil casar com alguém que não poderia ter um relacionamento tradicional. A primeira vez que eu o conheci, eu fiquei espantada de como ele era bonito. Foi embaraçoso que meu coração pulou várias batidas, quando ele apertou a minha mão, eu senti como se eu tivesse levado um soco no estômago. Pela primeira vez eu realmente queria beijar e tocar em alguém, mas a pessoa que meu corpo tinha escolhido para responder foi a pior escolha possível. Marissa tinha se tornado minha melhor amiga e confidente, por isso babar em cima de seu marido era totalmente inadequado e me senti terrivelmente culpada por isso. No momento em que ele estendeu a mão e pegou a minha mão na dele, será algo que eu nunca vou esquecer. Senti um arrepio de energia no segundo que ele tocou minha mão, mas mais do que isso, havia uma sensação de conforto. Ele era sólido, o epítome da força. Eu sei que corei como uma criança tola quando Marissa terminou a introdução, 31


e eu só voltei à terra quando eu percebi que eu ainda estava segurando sua mão. Apressadamente puxando minha mão da sua, sorri e disse-lhe que era um prazer conhecê-lo. Seu sorriso de resposta e a afirmação quente que ele ficou encantado por me conhecer fez meu estômago cair a um ponto em algum lugar abaixo da crosta da Terra. Simplificando, ele era magnífico e meu coração pulava várias batidas cada vez que eu pensava sobre ele. Fiquei louca me perguntando por que Dillon era diferente de qualquer outro cara. O que o fez se destacar? Ele era robusto, bonito e tinha um corpo de matar, porque ele trabalhava fora o dia todo, fazendo paisagismo, mas isso não pode ser a razão pela qual eu estava atraída por ele, desde que eu via caras quente durante todo o dia na escola e em outros lugares que eu fui, e eles mal se registraram no meu cérebro. Lá era o centro de caras quentes, de modo que não era como se Dillon se destacasse no meio da multidão, mas para mim ele fez. Ele tinha uma voz que derretia manteiga e como ele cheirava fez meu coração ficar selvagem em meu peito. Passei muito tempo observando a maneira como ele andava e catalogando seus gostos e desgostos. Eu sabia que ele mascava chiclete de canela como se estivesse saindo de moda, sabia que ele sempre levava seu iPod com ele, porque ele amava música, sabia que ele preferia estar fora ao invés de dentro de 32


casa e eu sabia que, sem dúvida, ele era o cara mais original que eu já conheci. Nem mesmo meus irmãos tratavam as mulheres tão bem como Dillon. Ele nunca foi curto ou abrupto, e não havia nada sobre ele que falava de natureza violenta. Meu problema com ser tocada por homens era pouco em comparação com Marissa, mas Dillon sempre respeitou seus limites. Ele nunca a tocou a não ser que ela tocasse em primeiro, e a qualquer momento que ela o empurrasse, ele ia sem qualquer tipo de argumento ou jogada para fazê-la se sentir culpada. Dillon é o único homem que eu já me senti confortável ao redor. Sei que nenhum monstro se escondia nele e eu nunca preciso me preocupar que ele vá me machucar. Ele foi meu protetor desde o dia em que nos conhecemos e eu não posso te dizer como isso me ajudou. Ele é o único homem que eu vou me sentir segura o suficiente para dormir na mesma casa. Ele conhece cada detalhe miserável do que o meu padrasto me fez, e ele jamais me fez sentir como se eu estivesse danificada. Antes de lhe conhecer apenas duas pessoas no mundo realmente me conheciam e me amava de qualquer maneira. Dillon e Leah me salvaram e agora eu acertei na loteria de novo e encontrei uma melhor amiga que me ama também. Algum dia eu espero que eu possa retribuir o favor. Dillon tornou-se um acessório na livraria, sempre passando para dizer oi para Marissa, levando doces, 33


e sempre havia uma surpresa para mim também. Ele me trouxe a mesma coisa a cada vez, um pacote de Starburst (originalmente conhecido como Opal Fruits - é o nome da marca de um doce, com sabor de frutas caramelo macio em forma de caixa de doces). Se eu não fosse viciada neles antes eu teria ficado, uma vez que Dillon começou a me abastecer com eles o tempo todo. Eu não tinha certeza de como ele soube que eu amava tanto, mas de alguma forma ele sabia. Envergonhava-me que eu não queria apenas um cara como ele eu queria ele mesmo, Dillon. Ele era tão amigável e fácil de conversar, mesmo que o tempo todo que eu estivesse perto dele, eu estava pirando por dentro sobre como eu estava atraída por ele. Ele me chamava de Minnie às vezes, assim como Marissa fazia, e isso me fez rir por dentro como uma pequena colegial. Quanto mais exposta eu estava a ele, melhor eu fui gerenciando minha queda por ele. Eu esperava que nunca fosse óbvio, orei para que eu a mantivesse bem escondida. Ele era tão fácil de falar e sair, que eu me concentrei em como era divertido apenas passar tempo com ele. Foi somente mais tarde, em casa ou a qualquer momento que eu estivesse sozinha, que eu iria pensar sobre a enorme paixão que eu tinha sobre ele. Como Marissa e eu ficamos próximas, comecei a passar um tempo nos finais de semana com ela e Dillon. Nós fomos à praia, ao cinema, saíamos 34


para comer ou visitar museus. Ele era grande em nos levar às exposições de jardins, sempre compartilhando seu amor pela terra com a gente. Acho que gastei centenas de horas a explorar os jardins da maior área de Los Angeles com eles. Amei que nunca houve um momento em que eu estava com Dillon e Marissa que eu não me sentia segura. Em vez disso eu me senti feliz e totalmente conectada pela primeira vez na história. Eu fazia parte de um grupo, que não era a minha família, e parecia que eu estava finalmente no caminho para uma vida normal. Em vez do desconforto que eu sentia, quando eu saía com amigos da escola, com eles eu nunca sentia que eu tinha que ser algo que eu não era a fim de me encaixar. Antes da primeira vez que passamos um tempo juntos, saindo como um grupo, Marissa me puxou de lado e confessou que ela tinha dito à Dillon que eu era uma caloura na faculdade. “Ele é super protetor comigo e eu não tenho certeza de como ele reagiria se soubesse que eu estava saindo com alguém que ainda está no ensino médio, desde que eu tenho vinte e cinco anos e ele tem quase vinte e quatro. Ele acha que você tem dezenove. De qualquer forma, se ele disser qualquer coisa, basta ir junto com ele”. Eu não pensei muito sobre isso, desde que eu estava a alguns meses de começar meu último ano e não seria muito tempo até que eu fosse uma 35


caloura na faculdade. Eu adorava sair com os dois e eu não queria colocar qualquer obstáculo que teria feito Dillon pensar em mim de forma diferente. Quando eu terminasse o ensino médio, poderíamos dizer-lhe a verdade – nenhum dano, nenhuma falta. Pelo menos é o que eu esperava. Incomodou-me mentir para ele, mesmo que a mentira era uma omissão. Eu nunca tinha lhe dito diretamente que eu estava na faculdade, nunca havia discutido a minha idade com ele em tudo. Mas o fato é que eu estava bem ciente do fato de que Marissa havia mentido para ele em meu nome e eu não fiz nada para endireitá-lo. A necessidade de estar em torno de ambos – tudo bem dele, desde que Marissa sabia da minha idade e não se importou – superou o meu desejo de ser honesta com ele.

36


Capítulo 5 Dillon Marissa e eu tínhamos falado exaustivamente, antes de nos casarmos, sobre o que aconteceria se e quando eu encontrasse alguém que eu quisesse ir para o lado físico. Ela tinha sido inflexível sobre o fato de que ela não queria que eu sofresse. "Você não é um monge, Dillon. Só porque eu não posso ser tocada dessa forma, não significa que você precisa ser celibatário. Quando você precisar fazer sexo, vá ter relações sexuais. Eu sei que é egoísta da minha parte querer me casar, mesmo que eu não queira nenhuma parte da intimidade de um casamento real. Eu te amo tanto por concordar em dar isso para mim, mas você sempre precisa se lembrar de que eu quero que você seja feliz. Algum dia você vai encontrar uma garota que você pode amar, que vai te amar e queira que você a toque o tempo todo. Quando isso acontecer, eu vou me afastar. Seremos família para sempre, mas eu sei que o nosso casamento não vai ser. Isto... bem, é só por enquanto, ok”? Eu amo tanto Marissa que não há nada que eu não faria por ela, incluindo a inscrever-me para um casamento que nunca ia ser físico. Tenho certeza que isso iria soar completamente desarrumado para qualquer outra pessoa, mas eu não me importei em 37


seguida e eu não me importo agora. Quando você ama alguém, realmente os ama e tudo que compõe a essência de quem eles são como uma pessoa, não há nada que você não vai fazer para ajudá-los a curar. Secretamente, eu esperava que o casamento desse à Marissa um impulso de confiança e eu estava emocionado que parecia que eu tinha estado certo. O fato de que ela havia se aberto o suficiente para ter uma melhor amiga que não Leah ou eu, é enorme. Desde o dia em que me casei com ela, eu esperei e rezei para que algum dia Marissa fosse capaz de se abrir o suficiente, realmente deixando alguém entrar. Quero que ela tenha um marido real e uma família própria, algo que ela criaria com amor. Ela é tão linda e amorosa, e ela merece um felizes para sempre. Cometi o erro de dizer-lhe isso uma vez e sua reação foi de partir o coração. "Você e Leah são o meu felizes para sempre, Dillon. Vocês são as duas únicas pessoas que já me amaram. Ninguém mais iria assinar para o show de horror que eu sou por dentro. Sou um bem danificado, horrivelmente e insuportavelmente quebrado. Tudo o que eu tinha para oferecer, ele tirou de mim. Eu vejo isso, você sabe. Cada vez que eu olho no espelho, vejo o quão fodida e suja eu sou”. Eu estendi a mão, como se para abraçá-la, mas ela estendeu as mãos para me manter longe. 38


"Isso, é exatamente o que quero dizer. Eu não posso nem deixar você me tocar e não há ninguém no mundo que eu amo mais. Você só precisa aceitar que eu estou quebrada, Dillon”. Balançando a cabeça, olhei em seus olhos e quis que ela ouvisse as minhas palavras, mesmo que eu soubesse que ela realmente nunca ouviria nada de positivo sobre si mesma. "Nada que você já disse ou fez, pode mudar o fato de que eu nunca vou concordar ou aceitar essa afirmação, porque ela simplesmente não é verdade. Você é mais do que adorável, e qualquer homem teria sorte de ter você. Eu tenho sorte de ter você em minha vida. Você é jovem, e tem muitos anos pela frente. Você sai de seu casulo mais e mais a cada dia. Não se menospreze. O que você está fazendo está funcionando. Você não está fodida e você não é suja. Isso é besteira que ele disse para justificar o que ele estava fazendo. O problema era sempre ele, nunca você”. Ela saiu da cozinha chorando depois de soltar um quebrado: "Obrigado”. Eu sabia que não deveria trazer isso novamente e eu não fiz. Por todas as conversas que tivemos sobre estar tudo bem para eu transar com outras pessoas, eu não tinha feito isso. Eu só tive relações sexuais com uma pessoa. Durante oito meses de meu último ano eu tinha saído com uma garota, chamada Jamie. 39


Fizemos sexo praticamente em qualquer lugar e em todos os lugares que queríamos. Nosso relacionamento, típico de ensino médio da escola, baixo em substância, alto de sexo. Nós terminamos amigavelmente pouco antes da graduação e Marissa me pediu para casar com ela, não muito tempo depois. Eu nunca quebrei meus votos de casamento. Eu sabia que no acordo eu teria permissão para fazer sexo, se eu quisesse, mas simplesmente não parecia certo para eu trair. Eu a amava o suficiente para casar com ela, e uma coisa que eu tinha a maldita certeza era que o sexo não era a coisa mais importante do mundo. Meu pau não era o meu guia, minha consciência era. Além disso, ficar celibatário realmente não era tão difícil. Masturbei-me quase todos os dias, às vezes mais de uma vez, mas isso foi o fim para mim. Era o que era, e eu tinha me condicionado para pensar muito pouco sobre sexo, muito menos para estar atraído por alguém de uma forma real. Isso funcionou por vários anos antes do inesperado acontecer e Marissa fazer amizade com uma jovem estudante universitária no trabalho. Eu estava na lua feliz que Marissa tinha uma amiga real. Ela falou sobre Dominique o tempo todo, até mesmo a terapeuta disse que era um evento sério, e uma mudança positiva de vida que

40


Marissa tinha sido capaz de deixar alguém novo entrar. Foi como um choque para o coração o dia que eu conheci Dominique pela primeira vez. Eu não sou um tipo de cara fantasioso ou cartas de amor, mas eu juro por Deus por um minuto o tempo parou e a única pessoa em todo o universo que existia para mim era ela. Senti como se, quando eu peguei a mão dela na minha, houvesse uma conexão lá, uma corrente invisível que me fez agarrá-la por mais tempo do que era necessário. Se a escolha fosse minha, eu teria continuado segurando a mão dela por muito mais tempo do que isso. Foi uma situação difícil, porque eu queria que Marissa tivesse a sua nova amiga em sua vida, mas eu também queria a menina desesperadamente. Eu queria enterrar a cabeça na areia, e fingir que eu não senti nada fora do comum por Dominique. Tendo me conhecido há mais da metade da minha vida, Marissa pegou o fato de que eu tinha sentimentos por Dominique, que não eram apenas amigáveis, muito rapidamente. "Eu sei que você gosta dela, Dill. Eu sabia que você iria gostar. Diabos, eu esperava que você gostasse. Vocês dois seriam perfeitos juntos. Eu acho que se você lhe der alguns anos, vocês dois poderiam fazer um movimento real. Ela é muito jovem para algo

41


real agora, mas um dia ... Você tem mais do que a minha bênção”. Eu tentei muito duro, dizer à Marissa que ela estava sendo boba, mas quando você conhece alguém do jeito que ela me conhece, é muito difícil puxar uma mentira como essa fora. Senti uma culpa horrível que eu olhei para frente para sair com Dominique. Nada poderia acontecer entre nós neste momento e eu seria condenado ao inferno por ser tão fraco que não conseguia bloquear totalmente ela da minha mente. Meu casamento pode não ser convencional, mas eu estava nele até que Marissa decidisse que ela não precisasse mais de mim como uma muleta. De todas as pessoas no mundo que eu podia sentir uma ligação tão sólida, realmente tinha que ser com Dominique? Desejei mil vezes que eu não me sentisse da maneira que eu me senti, mas quanto mais eu comecei a conhecê-la, mais eu gostava dela. Senti-me protetor com ela e saí do meu caminho para ganhar o seu sorriso. Minnie era uma das meninas mais bonitas que eu já vi, mas eu podia ver que ela não entendia isso sobre si mesma. O que a fez especial não era sua beleza externa, foi a pureza e a bondade dentro dela. Ela se preocupava com todos e eu notei que ela saía de seu caminho para envolver as pessoas que pareciam perdidas ou sozinhas. Era óbvio 42


que foi Minnie que abriu Marissa e eu estava além de grato a ela por isso. Dominique estava fora do meu alcance e ela iria permanecer assim, porque eu não estava prestes a trair ou divorciar-me de minha esposa. Não havia planos imediatos para o meu divórcio, nenhum plano que não nos mantivesse casados por pelo menos mais três ou quatro anos, e isso significava que Minnie estava fora dos limites. Não importa o quão atraído por ela eu estivesse, não importa o quanto eu queria saber tudo sobre ela, eu tive que desligar tudo. Às vezes, as coisas que você sabe que deve fazer são as coisas mais difíceis de aceitar. Por mais difícil que eu tentasse, eu não a queria menos. Ela tinha ficado dentro da minha cabeça e montou residência permanente e não havia nenhuma esperança de expulsá-la. A verdade é que no fundo do meu coração, eu não queria.

****

Eu tinha ficado acordado até tarde e eu estava tendo um inferno de manhã. No momento, eu odiava a minha máquina de café, embora, uma vez que estava funcionando, sempre fazia o pote de café perfeito. O problema é que era um pé no saco 43


pra limpar, e era especialmente irritante nas manhãs que eu descobria que eu tinha esquecido de limpá-la na noite anterior. Qualquer coisa que se interpunha entre mim e essa primeira xícara de céu quente estava na minha lista de merda e agora, o pote de café estava a segundos de distância de ser jogado para fora da janela. Entrando na sala, Marissa riu quando me viu na pia lutando para tirar os grãos. "Ah Dillon, você tem essa relação de amor e ódio com esse filtro. Desculpe-me, eu não verifiquei para ver se precisava ser limpo ontem à noite, depois que eu cheguei em casa do jantar com Dominique”. Preferia ter um filtro entupido acima de tê-la fora de casa com sua melhor amiga em qualquer dia, não há dúvida sobre isso. Ao vê-la florescer, da maneira que ela fez no ano passado, me fez feliz no nível mais profundo. "É minha culpa que a maldita coisa não foi limpa ontem e não sua. Você acha que eu iria aprender a lição, mas isso tem que acontecer uma vez por semana. Onde vocês acabaram comendo”? Pegando uma caixa de cereal do armário, ela se virou para mim e sorriu. "Este incrível pequeno lugar de comida Tailandesa. É bem na estrada e eu vou levar você amanhã depois do trabalho. Você vai adorar! Eles têm o melhor Pad Thai que eu já ..”. Sua frase foi interrompida por uma batida na porta. Coloquei o filtro em cima do balcão, eu 44


estava indo em direção a porta quando Marissa colocou a mão no meu braço e me parou. "Oh não! você continue limpando aquela coisa. Temo pelas pessoas que trabalham com você, se você não tomar um café em breve”. Ela riu, quando ela se virou para sair, e eu a vi recuar formando um sorriso. Ela foi capaz de me tocar, sem qualquer acúmulo ou ansiedade e isso era enorme. Eu não podia esperar para contar à Leah, quanto progresso Marissa estava fazendo. O grito lancinante de Marissa parou meu coração, por que eu soube imediatamente que algo estava terrivelmente errado. Jogando o filtro no chão eu corri para a porta da frente. Percebi que tinha que ser seu padrasto antes de o ver, puramente baseado na reação de Marissa. Ela estava tremendo como uma folha, não havia absolutamente nenhuma cor em seu rosto e ela estava além de apavorada. Sua mão estava em seu braço enquanto tentava puxá-la para fora da porta da frente, com a voz rouca me dando calafrios quando ele disse a ela: "Você está vindo comigo puta imunda”. Reagi em um instante, correndo pela sala e puxando Marissa para longe dele. Eu vi a faca na mão, mas minha raiva consumiu tudo e não dei a mínima. Eu gritei: "ligue 911", no mesmo momento em que meu punho estava voando pelo ar para se conectar com seu rosto. Nós lutamos na varanda enquanto eu peguei a faca de sua mão e 45


atirei-a no quintal. Depois disso, impiedosamente, ataquei com meu instinto de matar o filho da puta miserável no controle do meu cérebro que se a polícia não tivesse vindo eu teria prazer em colocar um fim a ele. Eu ainda estava batendo nele quando a polícia apareceu e eu estava tão travado que eles tiveram que me tirar dele. Uma vez que a polícia verificou que era o pedófilo condenado, eles o prenderam. Ele gritou em voz alta o tempo todo, para que Marissa pudesse ouvir, quando ele a chamou de vagabunda e disse que ela tinha arruinado a vida da sua meia-irmã. Isso me fez querer matá-lo, porque ela realmente tinha parado de se obcecar com a irmã e com o que sua mãe tinha guardado. Eu sabia que ele gritando com ela ia fazer um número na cabeça de Marissa e eu mal controlei minha raiva. A descoberta de fita adesiva, algemas e um comprimento de corda em seu carro, junto com a faca que ele tinha na mão, quando Marissa abriu a porta, mostrou quais eram suas intenções, e a polícia não perdeu um momento levando-o. Ele estava indo de volta para a prisão por violar sua liberdade condicional sem mencionar os encargos adicionais que ele estaria agora enfrentando, mas nada disso significava para Marissa. No segundo que a polícia saiu da casa, mandei uma mensagem para Leah e Minnie, enchendo-as sobre o que tinha acontecido. No final da tarde, as duas 46


estavam na casa com Marissa e eu, e nós três trabalhando em conjunto para tentar acalmá-la. Nada do que dissemos fez alguma diferença. Ela chorou sem parar por quase dois dias e a maioria das lágrimas que derramou foram por causa de sua culpa sobre o fato de que ela tinha 'arruinado' a vida de sua irmã Issa. Eu não conseguia ver como isso era verdade, por que se alguma coisa, a descoberta de que Marissa tinha sido terrivelmente abusada tinha levado esse maníaco para fora de casa e longe de sua irmã. Ele pode não ter tocado Issa ainda, mas os pedófilos não podem mudar o que eram. Em algum momento ele teria estuprado sua própria filha também, mas Marissa realmente acreditava que ele só havia a estuprado porque ela era ruim. Encontrei-me com seu terapeuta, três dias depois, quando eu podia ver que nada estava funcionando. Ela estava tão chateada como o resto de nós, sobre o fato de que o padrasto de Marissa tinha violado o lugar seguro que Marissa tinha finalmente começado a sentir-se segura. Nós discutimos o que teria de ser feito, se Marissa continuasse do jeito que ela estava, e a principal opção envolvia Marissa comprometida, se ela não fosse capaz de puxar-se fora de sua depressão. Eu sabia que iria destruí-la e eu rezava a Deus que eu pudesse trazê-la para fora antes que isso acontecesse. Assegurei à terapeuta que eu iria manter isso em mente, mesmo quando 47


eu rezava para que isso nunca chegasse a esse ponto. A outra opção que a terapeuta sugeriu era se mudar para uma casa diferente. Nós sabíamos com certeza que o padrasto de Marissa estava de volta na cadeia, mas estando na casa que ele a tinha encontrado era prejudicial. Concordei plenamente que uma mudança podia fazer o bem, então eu encontrei uma nova casa nos próximos dias. Explodi nossas economias para juntar o dinheiro e poder mudar, mas eu fiz isso sem reservas. Não havia nada que eu não faria para ajudá-la melhorar.

48


Capítulo 6 Dominique Marissa está indo embora um pouco mais a cada dia. Ela tem sido como um zumbi ambulante, por quase quatro semanas, e a tal ponto, que Dillon não tinha nenhuma escolha a não ser colocá-la no hospital. Ela não come, ela raramente dorme e ela se recusa a deixar a casa nova. Eu só a vi se animar uma vez, quando ela estava falando sobre um jardim que Dillon estava trabalhando. Estou com medo, assustada pra caralho. Eu nunca tive uma amiga que eu amo tanto quanto eu amo Marissa. Nós deveríamos estar em uma nova estrada, curando juntas. Agora ela está presa no passado, e nada que qualquer um de nós faz está ajudando a trazê-la de volta. Sua terapeuta vem fazendo visitas domiciliares a cada dois dias e ela chamou Dillon ontem à noite e disse-lhe que ela precisa falar com ele amanhã de manhã. É bastante óbvio que ela vai pedir que Marissa fosse verificada em um hospital psiquiátrico e está quebrando Dillon e Leah, porque Marissa sempre foi inflexível que ela nunca poderia ficar presa assim. Leah está na casa deles todos os dias. Eu cresci perto dela muito rapidamente e quase todas as 49


noites depois do jantar, nós nos deitamos na cama de cada lado de Marissa e dissemos a ela o quanto a amamos, pedindo-lhe para encontrar sua força e voltar à vida. Claro, eu estou fora e mentindo para a minha família sobre onde eu estou gastando todo o meu tempo. Eles sabem sobre a minha amizade com Marissa, mas eu nunca lhes disse que ela era muito mais velha do que eu ou que ela é casada. Eles acham que eu estou saindo com minha amiga, e é isso. Não é nada incomum, não realmente. Eu me escondo muito com eles, mesmo que eu sei que isso soe terrível. Eu amo todos eles muito, mas não posso sobrecarregá-los com todo o meu lixo. Eles me deram alguns disparates sobre passar tanto tempo fora e por faltar jantares em família, mas eu basicamente os fechei, comportando-me como um moleque e apontando que eu estou autorizada a ter uma vida. Lembrando que eu sou uma estudante que nunca usou drogas e que têm sido muito legal passar um tempo com os amigos. Aqui é onde eu quero estar, embora nenhum de nós realmente saibamos o que fazer para ajudála. Leah veio nesta tarde com sacos e sacos de decorações de Natal que ela começou a mostrar a Marissa. "Veja irmã! Eu costumava tirar sarro de você para decorar o dia de Ação de Graças, mas este ano eu estou dizendo que vamos decorar agora. Ação de 50


Graças está apenas um mês de distância. Você ama decoração de Natal! Eu fui até a loja e peguei todas as decorações que eles tinham. Por favor, levantese e me ajude. Você sabe que eu não posso fazer nada disso sem você”. Por Leah, Marissa se levantou do sofá e ajudou a decorar. Dillon não se queixou de arrumar a monstruosidade da árvore falsa que Leah tinha comprado, e eu poderia dizer que ele estava na esperança de que a decoração traria Marissa fora de sua depressão. O processo de decoração levou horas, e no momento em que terminaram o interior da casa foi enfeitado com luzes e decorações. A aparência feliz da casa não fez nada para mudar o mal-estar que vivia dentro. Marissa participou da decoração, mas ela não estava lá mentalmente, algo que era mais do que óbvio para Dillon, Leah e eu. Estar com Marissa neste momento é como estar com um holograma dela. Não há nenhum sentimento real, não há felicidade, sem alegria, sem personalidade e sem sinais reais de vida. Ela está assustando a merda fora de mim e eu temo que ela não vá sobreviver. Honestamente, eu não acho que ela quer continuar mais. Eu tenho medo de dizer a Dillon ou Leah, mas eu suspeito que eles estejam pensando a mesma coisa. Após terminarmos as decorações, nós três nos sentamos com ela e discutimos o fato de que seu 51


terapeuta estava vindo na manhã seguinte, para discutir o próximo passo. Quebrou meu coração assistir Dillon e Leah lhe pedindo para se concentrar no positivo, prometendo-lhe que não havia nada que não fizessem por ela. Quando tudo acabou Leah teve e Dillon caminhou com ela até o carro.

que

sair,

Isso me deixou sozinha com Marissa, e fiquei frustrada quando ela fez seu caminho de volta para seu quarto e deitou-se na cama. Esta era sua posição padrão nestes dias, na cama, sem TV ou rádio ligado - só ela e o silêncio. Se um de nós insistisse, ela permitiria que a TV ou o rádio fossem ligados, mas era óbvio que ela não tinha nenhuma relação com nada disso. Sentando-me suavemente no pé da sua cama, eu vi como ela se enrolou com um travesseiro. Ela estava pele e osso, e era aterrorizante por este ponto. Eu tive que engolir o nó na garganta várias vezes, antes que eu finalmente pudesse fazer sair as palavras. "Por favor, você tem que nos dizer o que você precisa para se sentir melhor. Você está desistindo de nós, saindo de si mesmo, eu não entendo por que! Eu não vou sobreviver sem você Marissa. Todos nós precisamos de você. Você tem que encontrar o seu caminho de volta. Você não pode ver nada bom? Você me disse uma vez que nós 52


somos responsáveis pelos pensamentos que temos e que a maneira como pensamos sobre as coisas determinam o nosso futuro. Eu acredito nisso e eu sei que você faz também”. Normalmente ela só olhava através de nós quando tentamos falar com ela sobre o que estava acontecendo, mas hoje ela parecia um pouco mais alerta. Pela primeira vez em semanas, ela me olhou nos olhos quando ela respondeu e eu senti uma semente de esperança se enraizar. "Eu vejo o bem Minnie. Eu vejo tudo ao meu redor, todos os dias. Está em Dillon, está em Leah e está em você. Mas não está em mim. Nunca esteve em mim. Estou quebrada de dentro para fora. Não há um dia que eu não lute, empurrando lembranças das coisas que ele fez para mim fora da minha cabeça, e tem sido anos desde que aconteceu. Quanto tempo você acha que vou por esse caminho? Eu tentei ser boa. Eu tentei ser positiva. Mas não importa o que eu faça, a escuridão dentro de mim está sempre lá. Eu não posso esquecer o que ele fez, eu não posso nem viver a minha vida por causa disso. Tocar é fora de questão. A única coisa que eu realmente já desejei são meus próprios filhos. Você sabe que, por causa da quantidade de dano que ele fez para mim, eu não posso ter uma criança? Nenhuma terapia pode corrigir isso, Minnie. Quebrado é quebrado”. Ela disse tudo isso com muito pouca inflexão, mas seus olhos clarearam em entendimento. 53


Eu entendia a depressão e tristeza, mas eu também sabia que havia esperança e que nem sempre ia ser assim. A ironia é que ela foi a pessoa que tinha me ensinado tudo isso, mas não podia ver isso para si mesma. Antes que eu pudesse dizer alguma coisa em resposta, Dillon entrou no quarto. Tomando um lugar ao meu lado na cama, ele passou a mão ao longo do travesseiro ao lado de seu rosto. Isso foi o mais perto de um toque que ela permitiu, mas eu podia ver que ele estava quebrando por não ser capaz de segurá-la. "Você não está quebrada querida. Há esperança. Nós sobrevivemos Marissa, e sempre vamos sobreviver, porque estamos juntos. Se você quer uma criança, vamos adotar. Vou começar a fazer a pesquisa amanhã, se for isso que você quer. Você ainda pode ter a família que você quer, mas eu preciso que você tente. Você está em má forma agora e se você não começar a tomar medidas para se recuperar você vai acabar no hospital. Você não está comendo, você não dorme e você é um fantasma de si mesmo. Tudo o que eu preciso fazer para trazê-la de volta, eu vou fazer. Não há nada que eu não vá fazer por você. Apenas me diga o que você precisa”. Seus olhos se fecharam e eu troquei um olhar com Dillon, enquanto tentávamos descobrir o que fazer, ou dizer a seguir. Um minuto mais tarde Marissa abriu os olhos e deu um sorriso fraco.

54


"Você faria isso, para mim”? Sua voz falhou quando ele correu para assegurá-la. "É claro querida. Nós somos uma família para sempre. Eu sei que você vai ser uma mãe maravilhosa. Se você me prometer que vai conversar com seu terapeuta amanhã e começar a se recompor, vou começar procurar o processo. Fechado”? O ar na sala parecia pesado enquanto Marissa considerava tudo que Dillon havia dito. Balançando a cabeça ela sentou-se e esticou os braços para ele. Ele assustado, sem saber o que fazer, antes de timidamente inclinar-se para ela por um abraço. Foi a primeira vez que eu a tinha visto tocando-o, por um longo período de tempo e foi lindo. Ele foi cuidadoso para não abraçá-la com muita força, mas ela agarrou-se a ele como se fosse um bote salvavidas. Eu nunca tinha assistido a um avanço antes, mas claramente ela estava no meio de ter um. O momento parecia pessoal para mim e eu não queria me intrometer no que eles estavam compartilhando mais do que eu já tinha. Levantando-me da cama eu comecei calmamente fazendo o meu caminho até a porta. O som de Marissa dizendo meu nome pararam meus passos, e eu me virei para encontrá-la olhando para mim. "Eu quero falar com você por um minuto, Minnie. Dillon, você pode dar à nós meninas, alguns minutos a sós”? 55


Ele arriscou um rápido beijo na testa, antes de se levantar da cama sozinho. Vendo seu rosto enquanto caminhava, meu coração tamborilou, porque ele tinha lágrimas em seus olhos. Como sei que sua relação não é convencional, é óbvio que ele realmente ama Marissa. Mesmo quão atraída por ele como eu estou, o sentimento predominante que estou tendo é uma felicidade para ambos. Caminhando de volta para a cama, sentei-me no espaço que Marissa fez um gesto. "Obrigado por estar aqui hoje, Minnie. Você tem sido uma amiga tão incrível e eu me sinto abençoada por ter você em minha vida. Eu ouvi o que você disse e eu quero que você me prometa uma coisa. Prometa que você sempre vai tentar viver sua vida da maneira que falamos. Você é uma sobrevivente, mesmo se você não vê isso, em si mesma. Eu não posso explicar como estou com inveja de sua força. Eu acho que se eu tivesse um quarto da espinha dorsal que você tem, eu teria sobrevivido intacta”. Balançando a cabeça, olhei para ela em estado de choque. "Mas você tem espinha dorsal e força Marissa. Eu finalmente estou começando a me sentir confortável por causa de você e tudo que você me ensinou. Se eu não tivesse te conhecido, eu ainda estaria uma bagunça e eu teria ficado daquele jeito, provavelmente, e piorado progressivamente ao longo dos anos. Você mudou toda minha vida. Acho que você e Dillon, adotar um 56


bebê, vai ser uma experiência maravilhosa para você. Eu não posso imaginar uma mãe mais amável ou mais amorosa do que você”. Ela fungou quando ela se inclinou para a mesa de cabeceira, para pegar um lenço de papel para si mesma. Enxugando os olhos, ela sorriu para mim, em meio às lágrimas. "Você vai ser uma grande mãe algum dia Minnie porque você tem o coração mais belo e puro. Eu vejo o cavaleiro branco perfeito para você, o homem que será o pai mais incrível que você poderia dar a uma criança”. Pela segunda vez em menos de meia hora Marissa, voluntariamente, abraçou alguém. Desta vez era eu quem ela puxava em seus braços, e eu segurei firme. Eu estava tão feliz de vê-la voltar a si mesma, aliviada e muito feliz ao ouvi-la falando com inflexão na sua voz. Afastando-se, ela gesticulou ao redor da sala. "Eu acho que é melhor eu me levantar e parar de vadiar na cama. Desculpe-me, ter dado tal susto. Vou tomar um banho. Enquanto eu estiver no banheiro você e Dillon podem encomendar o jantar. Eu adoraria alguns hambúrgueres”. Depois de deixar o quarto, encontrei Dillon na sala de estar no sofá. Ele tinha a TV ligada, mas eu poderia dizer que ele estava apenas fingindo assistir a tela. Olhando por cima do meu ombro para Marissa e não a encontrando, ele perguntou: "Onde ela está? Ela está bem”? 57


Eu estava tão emocionada com tudo o que tinha acontecido que eu só poderia acenar com minha cabeça enquanto eu atravessava a sala e sentava no sofá ao lado dele. Quando me virei para olhar para ele eu soltei: "Ela está no chuveiro e ela me disse que deveríamos pedir o jantar, de preferência hambúrgueres. Estou quase com medo de acreditar que ela virou a esquina e eu não sei por quê. Por outro lado, eu nunca a vi tão tátil. Ela me abraçou, também”. Ele estava fora do sofá tão rápido, que era como se tivesse pressionado o botão eject. Meu batimento cardíaco explodiu com ansiedade, enquanto ele corria pelo corredor até o banheiro e bateu na porta. Eu podia ouvir a água a correr e então ouvi Marissa perguntar: "O quê”? Parecia que ele estava segurando seu controle por um fio muito fino quando ele respondeu: "Você está bem aí”? Eu podia ouvir os anéis de metal na haste da cortina do chuveiro quando ela abriu-a e, em cerca de trinta segundos depois, ela abriu a porta para lhe responder. "Dillon, eu estou no chuveiro, pelo amor de Deus. O que há de errado”? Passando a mão pelos cabelos, ele soltou: "Eu tenho um mau pressentimento, e eu tenho medo que há algo errado. Está tudo bem”? 58


Abrindo a porta mais larga, ela deu um passo para frente até que ela estava certa em seu rosto. "Dill eu estou bem. Eu prometo que eu estou realmente bem. Eu só estou tomando banho e você não precisa se preocupar. Agora você e Minnie encomendem esses hambúrgueres e eu vou estar fora em dez minutos. Você pode relaxar”. Eles tinham algum tipo de olhar, período em que ele lhe deu um silencioso uma vez mais. Mesmo do meu poleiro no sofá pude ver que seus olhos estavam implorando, para ela ficar bem. Após um momento, ele acenou com a cabeça e deu um passo para trás. "Tudo bem, hambúrgueres então. Anéis de cebola”? Com uma risada, ela acenou com a cabeça. "Hum, isso é mesmo uma questão real? Claro, anéis de cebola! Ooh!, e pega para mim um Dr. Pepper de baunilha. Grande”! Ele era um homem com uma missão quando ele localizou seu telefone para ligar e fazer o pedido. Virando-se para mim, ele perguntou: "O de sempre”? Eu adorava que ele prestasse atenção em mim, que ele nem sabia que eu tinha um "sempre". Balançando minha cabeça, eu ri. "Sim, a velha previsível aqui quer dois cachorros-quentes e um milkshake preto e branco”. Ele parou no meio da marcação e olhou para mim.

59


"Estou com medo, Minnie. Você acha que ela realmente virou a esquina”? Cruzando o quarto, eu dei-lhe um abraço carinhoso. Puxando para trás, eu sorri para ele o mais tranquilizadora que pude. "Eu não vou mentir para você, eu estou com medo também. Parece muito, muito cedo. Mas estou esperançosa e isso é tudo que posso ser agora. Esperemos que seu terapeuta seja capaz de dar mais pistas amanhã. Hoje à noite, vamos fazer o que ela quiser e rezar para que ela realmente tenha virado a esquina. Eu acredito que ela definitivamente tem isso nela para conseguir fazer”. O jantar acabou sendo divertido. Marissa estava envolvida e animada, e apesar de Dillon e eu ainda estarmos preocupados, eu tinha mais esperança de que ela realmente virou a esquina no momento em que a noite terminasse. Depois de abraçar os dois de novo tão impressionada que ela foi capaz de me abraçar por vontade própria, eu fiz o meu caminho para casa com um sorriso no meu rosto. Se ela realmente estava tentando, tudo era possível.

60


Capítulo 7 Dillon Tenho a sensação horrível que Marissa está fingindo. Depois de passar as últimas quatro semanas, perguntando se ela iria se recuperar de ver seu padrasto e tendo mergulhado de volta em seu passado, estou extremamente desconfiado de que ela conseguiu dar a volta a por cima. Quando ela foi tomar seu banho eu tive um ataque de pânico, imaginando que ela poderia se matar na banheira. Embora Minnie não conheça a história de Marissa com tentativas de suicídio eu conheço, e eu não posso fingir que não é algo que ela faria novamente. Tem sido anos desde a última vez que ela tentou, mas o fato é que ela tentou três vezes separadas ao longo dos anos e não tenho nenhuma garantia de que ela não vai tentar novamente. Depois de Dominique saiu liguei para a terapeuta de Marissa da calçada, e disse-lhe tudo sobre o que tinha acontecido. Ela também suspeita, mas me garantiu que ela vai estar aqui na parte da manhã e vamos reavaliá-la então. Voltando para a casa, encontrei Marissa sentada no sofá assistindo a um show de casa em HGTV. Sentando-me na outra ponta do sofá, eu fiz um exame visual completo dela. Ela parecia calma e ela 61


estava sorrindo, mas parecia fora para mim. Não necessariamente falsa porque ela parecia estranhamente contente, mas algo sobre seu comportamento estava tocando meus alarmes. "Tudo bem você pode parar de olhar para mim Dill, eu estou bem. Eu me sinto como se você não estivesse fazendo nada, mas tomando a minha temperatura e isso está me deixando nervosa”. Jogando minhas mãos no ar exasperadamente, eu sem rodeios perguntei: "Você pode me culpar? Você tem estado completamente ausente por mais de um mês, eu estou preocupado. Estou com medo de que este é um ato e que você está planejando algo horrível. Eu não estou brincando quando eu lhe digo que eu vou fazer qualquer coisa que você quiser para te fazer feliz, mas eu quero que você me prometa que você não vai me deixar. Eu nunca pedi nada, mas eu estou te implorando por isso. Prometa que você não vai se machucar. Prometa que vamos sobreviver a isso”. Ela me olhou em silêncio por um momento e nada em seus olhos acalmou meus nervos. Ela estava fazendo um bom trabalho de cobertura sobre como ela realmente se sentia, mas eu a conhecia tempo o suficiente para que eu pudesse ver a tristeza sob a fachada calma. Segurando a mão dela para fora, ela me deu seu mindinho. Eu levantei minha cabeça em confusão e levantei minha sobrancelha fazendoa rir. 62


"Eu juro que eu realmente acredito que, com o tempo, tudo vai ficar bem. Não vai ser de sol e passeios no parque a partir de agora, mas vai ficar melhor. Você sempre me disse que tudo é sobrevivência Dillon, agora eu entendo o que você quis dizer por todos esses anos. Isto também passará”. Marissa nunca me tinha prometido antes que as coisas iriam ficar bem, e meu coração sentiu um milhão de quilos mais leve que ela tinha sido capaz de dizer essas palavras. A única coisa que eu sabia com certeza sobre a minha mulher, é que ela nunca quebrou uma promessa para mim. Levantando minha mão, liguei meu mindinho com o dela, e balancei sobre ele. Depois que ela fez a promessa eu me senti um pouco melhor, embora a rápida reviravolta ainda estivesse me incomodando. Depois de perseguir os pensamentos, dando voltas e voltas na minha cabeça, finalmente decidi que eu estava tão tenso e ansioso por causa de quão horrível o mês passado foi, que provavelmente, eu estava em choque.

***

Marissa me acordou hoje bem cedo, absolutamente com o meu favorito café da manhã, de carne com creme. Era algo que uma das nossas mães 63


adotivas tinha a ensinado fazer e ela fez muito pra mim quando ela se levantava cedo o suficiente. Fiquei surpreso que ela tinha cozinhado, porque eu sabia que não tinha os ingredientes em casa. "Ei, nós não temos essas Você foi até o mercado”?

coisas

na

casa.

Afastando-se do fogão, ela olhou para mim e sorriu. "Bem eu não me transformei em Samantha, a feiticeira, ontem à noite, se é isso que você está perguntando. Eu pensei que depois de quão duro o mês passado foi para você, que era definitivamente a hora para uma boa comida. Os armários estavam bastante vazios, então fui até a loja e abasteci com todos os seus favoritos.” “Imaginei que um bom café da manhã seria uma boa maneira de começar o dia, antes de meu terapeuta chegar aqui. Eu também lavei toda sua roupa e limpei o banheiro e sala de estar, assim como uma boa esposa deve fazer”. Não me senti bem com isso, mas eu não conseguia identificar por que. A única coisa que se destacou sendo realmente estranha, foi que eram só sete da manhã. "Ainda está na porra da madrugada. Quando é que você teve tempo para fazer tudo isso”? Dando-me um pequeno sorriso que eu não tinha certeza se era genuíno, ela voltou-se para o fogão. "Eu estive acordada a noite toda. Eu acho 64


que estar fisicamente e emocionalmente em coma pelo último mês foi bastante descanso para mim por um tempo. Eu não poderia ficar na cama e não fazer nada por um segundo. Eu estou começando a ficar cansada embora, assim eu vou ter certeza de descansar esta tarde”. Imaginei que parecia lógico, então, eu balancei a cabeça em compreensão e deixei o assunto para lá. Após café da manhã, cada um de nós estava pronto para a visita de seu terapeuta. O médico chegou por volta das nove, sentando-se com Marissa na sala de estar para uma conversa. Deixei-os e fui sentar-me na varanda da frente. Eu estava com medo de acreditar que Marissa tinha realmente virado a esquina, e eu esperava que o médico fosse capaz de obter uma melhor leitura dela do que eu tinha. Sentei-me na varanda por quase uma hora antes de Marissa sair na varanda e me pedir para entrar na sala de estar. Sentando no sofá, eu sorri tranquilizando a minha esposa antes de voltar para o seu médico. "Bem Dillon eu tenho que te dizer que eu acho que Marissa está fazendo algum progresso significativo. Nós nunca realmente discutimos o quão sério era seu desejo de ter filhos, mas agora que ela explicou sua necessidade de amar uma criança, eu tenho uma melhor compreensão do por que ela está fazendo tal recuperação. Tenho alguma experiência com adoção e posso dizer-lhe que vai demorar pelo 65


menos um ano do início ao fim, mas eu acho que vai funcionar perfeitamente no momento que conseguir Marissa em seus pés de uma vez por todas. Ela me diz que você parece muito preocupado com seu estado de espírito. Você pode me dizer o que está pensando e sentindo”? Balançando a cabeça, eu soltei: "estou preocupado que ela esteja fingindo. Estou preocupado que ela vá se matar, e eu estou tão assustado com esse pensamento que estou quase doente com isso. Estou preocupado que nada jamais vai ser o mesmo. Por cima de tudo e com a minha montanha de culpa, você tem uma ideia de onde eu estou vindo”. Balançando a cabeça para mim a médica escreveu algumas notas rápidas em seu bloco antes de olhar para mim de novo. "Você disse que tem uma montanha de culpa. Por que isso”? "Porque é minha culpa, que ele a encontrou. Eu deveria ter nos movido para outro estado ou, pelo menos, nos deslocado para outra casa longe do lar adotivo que estávamos em último lugar, uma vez que Leah era maior de idade e que poderia ter mudado para qualquer lugar. Eu deveria ter chamado e verificado com a prisão a cada mês, para me certificar de que ele ainda estava lá. Eu deveria ter atendido a porta, naquela manhã em vez de agir como uma criança mimada, porque a 66


minha maldita máquina de café precisava ser limpa. Eu prometi mantê-la segura e eu falhei. Não é à toa que ela ficou fora no último mês. Ela não se sente mais segura e isso é por minha causa. Como seu marido e seu protetor, eu reprovei. Se eu tivesse feito um trabalho melhor, estivesse mais preparado, nada disso teria acontecido”. Marissa começou a chorar baixinho, enquanto eu estava descarregando na médica e isso me fez sentir pior. Pegando minha mão puxou-a para seu rosto e esfregou seu rosto contra ele. "Dill, nada disso é culpa sua. Nenhuma das coisas que você disse é verdade. Você ofereceu-se para abrir a porta e eu disse que não. Você me manteve segura, incluindo esse dia. Ele não chegou a me tocar ou fazer qualquer uma das coisas nojentas que tinha vindo a fazer, porque você estava lá para detê-lo. Quanto à casa, foi a minha escolha ficar naquela casa e você sabe disso. Eu amei a nossa casa, e nós ainda estaríamos lá se ele não tivesse aparecido como fez. Eu não poderia ter pedido por um marido melhor, protetor e melhor amigo. Por favor, você tem que parar de se culpar. Eu sou uma adulta Dillon, não um bebê. Sou a única pessoa que pode realmente ser responsável por mim. Você se deu muita responsabilidade e isso diz algo terrível sobre mim, que eu tenho o encaixotado da maneira que eu tenho. Você é a melhor parte da minha vida e eu sei que sem você, eu nunca teria conhecido qualquer felicidade. Você não vê como 67


você é único e você nunca viu. Não há uma só pessoa, não os nossos pais adotivos, não os nossos professores, nem mesmo a minha própria mãe, que tenha cuidado melhor de mim do que você. Assuma a responsabilidade por todos os bons momentos em minha vida, porque você criou isso, mas para as coisas ruins, nenhum deles alguma vez teve alguma coisa a ver com você”. Eu queria dar um soco numa parede do caralho, mas eu a segurei porque não seria justo fazê-la sentir-se pior do que ela já estava. Em vez disso, apertei a mão dela na minha própria e eu simplesmente disse: "Eu te amo”. O médico ficou por mais uma hora, discutindo planos de tratamento e definição de metas com a Marissa. Na conclusão da visita, ela nos disse o quanto ela sentiu que, neste momento, internação seria desnecessária, e que se Marissa continuasse como hoje, ela tinha uma grande esperança de que veríamos um grande progresso nos próximos meses. Levei a médica para o seu carro, onde ela me assegurou que ela sentiu que o pior tinha ficado para trás. "Marissa se apresentou hoje muito autoconsciente. Ela reconheceu os problemas e discutiu comigo da forma mais sincera que ela já fez. Ela realmente quer ser feliz. Ela me disse várias vezes que é hora de ela assumir o controle de sua própria vida e encontrar a paz e a felicidade. Ela quer 68


mudar, Dillon. Agora cabe a nós ajudá-la a alcançar essa meta”. As palavras da médica deveriam ser reconfortantes, mas meu radar ainda estava em cima, e eu não estava convicto enquanto eu caminhava de volta para casa. Marissa estava saindo da cozinha quando entrei pela porta da frente, e eu estava feliz em vêla beber um copo de suco de laranja e comer uma banana. O fato de que ela estava comendo era um bom sinal porque a ingestão de comida era outra de suas questões, durante os momentos em que ela estava deprimida. Muitas vezes ela me disse que não poderia estar colocando alguma coisa sólida em seu corpo quando ela estava para baixo, porque ela se sentia tão doente por dentro. Sorrindo para mim, ela fez um gesto para o seu quarto. "Eu estou oficialmente esgotada agora então estou indo deitar. Você deve ir para o trabalho à tarde. Eu vi na sua agenda de trabalho que você deveria estar terminando o jardim de amor hoje. Você tem que ir para isso”. Eu não a tinha deixado sozinha ultimamente e eu não tinha certeza que eu deveria fazê-lo agora. Ou eu a levaria para trabalhar comigo ou Dominique e / ou Leah ficariam com ela. Sair de casa por algumas horas seria um grande passo. Ela viu meu rosto enquanto meus pensamentos jogaram fora em minha mente. Balançando a cabeça, ela disse, "Dillon, você tem que deixar ir. 69


Você não é minha babá. O médico disse que está tudo bem. Vou descansar e você está indo para o trabalho e é isso. Arrumei o seu almoço e coloqueio em cima do balcão”. Pisando mais perto de mim ela ficou na ponta dos pés e beijou minha bochecha. "Você foi incrível, mas é hora de começar a seguir em frente e sair de todo esse drama”. Afastando-se, ela se virou e começou a caminhar para o seu quarto. Olhando para trás, por cima do ombro para mim ela sorriu. "Eu te amo”! Ela parecia tão feliz quando ela disse que eu finalmente me permiti começar a acreditar que as coisas iam melhorar. "Hey," gritei para ela: "Pare por um segundo”. Virando seu calcanhar ela ficou ao lado da porta do corredor, e olhou para mim. "O que está acontecendo”? Com um grande sorriso estúpido, eu respondi: "eu só queria te dizer que eu te amo muito e estou muito animado sobre como me tornar um pai. Nós vamos ter uma grande família”. Ela sorriu para mim e seus olhos se encheram de lágrimas. "Eu sei que você vai ser um pai incrível. Eu não posso esperar para ver isso. Agora vá para o trabalho e termine esse belo jardim para o médico e 70


sua esposa. Eu sei que estar enfiado em casa tanto ultimamente está fazendo você louco”. Isso tem uma risada fora de mim, porque ela estava certa. Dada uma escolha eu sempre escolho ficar ao ar livre quando o sol estava brilhando. "Ok, ok, você venceu! Eu estou indo para o trabalho. Estarei de volta em quatro ou cinco horas e eu vou trazer fotos do produto acabado. Tenha um bom cochilo querida, eu vou te ver quando eu chegar em casa”. Sorrindo quando ela se virou de volta para o salão, ela disse, "estarei de olho em você”.

***

Algumas horas passaram no trabalho, enquanto coloquei grama e terminei as plantações que meu chefe tinha trazido para o local de trabalho. Trabalhar com a terra sempre foi minha atividade favorita, eu me formei com uma licenciatura em arquitetura paisagista. Fui contratado por uma média empresa paisagista incrível através da faculdade e tenho sido muito feliz que meu chefe, Rick, foi tão legal enquanto eu trabalhava em torno de tudo o que acontecia com a Marissa. Quando ele a conheceu pela primeira vez, algumas semanas depois que ele me contratou, ele me disse que ela o lembrava da sua prima Leslie. "Nossa Less teve 71


alguns problemas, então eu entendo o que você está passando, meu filho. Você é um bom garoto”. O trabalho que estávamos fazendo, era o menor trabalho que meu chefe tinha aceitado. Depois de acostumar-me a trabalhar em projetos grandes, fiquei surpreso de que estávamos gastando tanto tempo no quintal de alguém. Pelo menos, eu tinha ficado surpreso até que meu chefe tinha explicado que estávamos criando e instalando um "jardim de amor” para seu melhor amigo como um presente para a esposa. Eu nunca tinha feito nada parecido antes e mesmo assim, e eu tenho que admitir que foi incrível. O melhor amigo de Rick era médico e a coisa favorita de sua esposa a fazer era passar um tempo fora. Embora o tempo de criação do jardim do amor estava fora, o médico não poupou despesa em ter as coisas fluindo. O jardim era um presente de aniversário e uma vez que seu aniversário foi no Dia das Bruxas, estava custando uma fortuna tirar as flores da época. Pensei que era muito legal que ele amava tanto sua esposa, para fazer isso acontecer, estações que se dane. O cara pode ser um médico, mas ele sabia como lidar com ferramentas, por isso ele passou muito de seu tempo livre nos ajudando a fazer isso acontecer. "Não seria muito um jardim de amor, se eu não colocar qualquer amor nele, estou certo”? 72


O que nós tínhamos reunido para sua esposa era incrível, eu fiquei muito orgulhoso. Desde que eu tinha Marissa comigo tanto para o mês passado, ela tinha estado aqui comigo a maior parte dos dias que eu estava no local. Quando o jardim tomou forma, ela olhou em volta, claramente admirada que um homem pensasse em fazer uma coisa dessas para a sua esposa. Ela estava em silêncio emocionada no dia em que o médico e sua esposa vieram de fora para ajudar, seu amor um pelo outro, de modo claro para ver. "Eles estão vivendo um conto de fadas nesta casa", ela disse melancolicamente. "É tão bonito pensar que quando eles tiverem oitenta, eles podem estar de volta aqui vendo seus netos brincando em seu jardim de amor”. Marissa tinha iluminado por dentro quando o médico pediu-lhe para colocar a placa do jardim que ele tinha feito para sua esposa. Foi um ditado bem simples, que resumia o jardim perfeitamente: O amor é a flor que você tem que deixar crescer John Lennon. Marissa tinha amado que o médico era tão romântico para sua esposa, ela sorriu o tempo todo que ela estava pondo-a no lugar da área de arbusto de rosas. Até ontem, tinha sido a única vez que eu a tinha visto se entusiasmar por algo durante todo o mês. Eu estava plantando a última flor do dia, quando eu 73


ouvi um barulho atrás de mim. Levantando-me e sacudindo os joelhos, me virei para ver meu chefe vindo em minha direção. Sirenes de alarme começaram a tocar no segundo que eu vi o rosto dele, porque ele estava branco como um lençol. Ele estava vindo direto para mim e eu soube naquele momento que eu tinha sido incrivelmente estúpido por deixar Marissa em casa. Eu estava balançando a cabeça de forma negativa, quando ele me alcançou, desesperado para ele me dizer alguma coisa, além do fato de que minha esposa se foi, mas seu rosto disse um conto muito claro. O som da minha própria voz perguntando: "O que ela fez? o que ela fez? o que ela fez"? uma e outra vez parecia vir de muito longe. Lágrimas derramaram pelo rosto de Rick quando ele respondeu: "Eu sinto muito Dillon, eu fodidamente sinto muito. Recebi um telefonema da polícia, cerca de vinte minutos atrás, eu cheguei aqui o mais rápido que pude. Marissa deixou uma bolsa com as instruções para a polícia me alertar sobre o que ela tinha feito... Eu menti e disse que eu não sabia em qual local de trabalho você estava, porque eu queria ser o único a dizer, desde que eu acho que é o que ela queria”. Todo o meu mundo desmoronou, o choque tão horrível que eu senti como se eu pudesse perder minha mente. 74


"O QUE. ELA. FEZ”? Em um soluço sufocado, ele disse: "Ela entrou na frente de um ônibus quando ele virou cego em uma curva. A polícia me disse que ela tinha falecido antes até do motorista chegar a pisar no freio. Duas testemunhas viram-na colocar a bolsa que ela tinha até pouco antes dela sair andando. A polícia está esperando em sua casa para falar com você. Eu disse-lhes que assim que eu te encontrasse, lhe traria para casa. Precisamos ir”. Rick me levou e depois dois trabalhadores nos seguiram até lá, um para dirigir meu carro e outro para levar o motorista de volta ao trabalho. Na viagem para casa tudo o que eu conseguia pensar eram as palavras finais de Marissa para mim. "Eu estarei cuidando de você", ela me disse. Fui tão estúpido por ter acreditado que significava que ela estaria feliz me esperando voltar para casa do trabalho. Se eu tivesse percebido que suas palavras significassem algo muito mais escuro. Por que eu tinha sido tão estúpido? A polícia estava estacionada no meio-fio e saíram do carro no mesmo tempo que eu saí do caminhão de Rick. Depois de fazer a notificação oficial de parentes para mim, eles tinham algumas perguntas básicas. Eu disse à eles que Marissa estava deprimida, que ela tinha um histórico de tentativas de suicídio, em seguida, instruí-os a dirigir 75


quaisquer dúvidas sobre o seu estado mental, para sua terapeuta desde que a médica tinha estado na minha casa esta manhã e tinha liberado Marissa. Ela enganou a todos, porque isso é o que ela queria fazer, e eu me senti completamente dormente. O tempo todo que eu estava conversando com a polícia, eu estava me preparando mentalmente para dar a notícia a Leah e Dominique. Minha irmã estava além de devastada não havia dúvida. Desde o dia em que Leah e Marissa se conheceram elas tinham formado um vínculo que tinha sido forjado em aço. Leah era mais jovem que Marissa por um par de anos e eu acho que de alguma forma, ela tinha sido originalmente uma substituta para a meia-irmã de Marissa. É claro que um vínculo real cresceu a partir disso, mas eu acho que foi assim que tudo começou. Quando Marissa tinha chegado ao lar adotivo em que estávamos, ela estava em péssima forma. Derrotada por dentro, em cada polegada de sua vida, ela estava coberta de cortes e contusões, juntamente com um braço quebrado e um tornozelo torcido. Leah tinha feito a sua missão de fazer Marissa se sentir melhor. Durante uma semana, ela caminhou à frente da Marissa para que ela pudesse descansar as mãos nos ombros de Leah por equilíbrio, quando ela se forçava de volta em seu tornozelo. Todos esses anos mais tarde eu sei que foi essa experiência que fez a escolha de carreira para Leah. Seu coração é um livro aberto e ajudar 76


as crianças a recuperar a sua força é a única coisa que ela sempre quis fazer. Como diabos eu vou quebrar seu coração e dizer-lhe que a menina que ela amava como sua outra metade, por mais de metade de sua vida se foi? Antes de partirem, a polícia deixou-me com instruções sobre como recolher os restos mortais de Marissa do legista. Disseram-me para escolher uma casa funerária e minha mente estava fora desse ponto, completamente. Seus restos mortais? O legista, funerárias, serviços? O inferno era a minha nova realidade. Depois que a polícia me deixou, me sentei em silêncio, enquanto o meu patrão fez tudo que podia para me ajudar a manter a calma. Do lado de fora, eu acho que eu parecia razoavelmente composto. Por dentro, eu era uma confusão de proporções épicas. Todo o meu mundo tinha sido sugado para um buraco que foi direto para o inferno e eu não sabia o que fazer. A ideia de contar a Leah e Dominique foi tão sobrecarregante que eu estava paralisado de medo. Parecia que uma vez que eu dissesse à elas que ela se foi, iria torná-lo real. Desde que eu era a única pessoa, que ela amava, e que sabia o que ela tinha feito, bem, então era real só para mim. Eu desejava que pudesse de alguma forma adiar o inevitável e mantê-lo assim, até que eu pudesse encontrar uma

77


maneira de respirar, respiração era uma luta.

sem

sentir

que

cada

Algum tempo depois, poderia ter sido minutos ou horas, a porta da frente abriu. Por apenas um momento eu tinha esperança de que talvez fosse ela, que talvez tudo o que tinha sido dito estava errado. Claro que não era ela, era Leah vindo para ver como ela estava. Leah deu uma olhada em mim sentado no sofá olhando como Deus sabe o quê, em seguida, olhou para Rick, viu sua expressão, e dobrou. Pulei e corri para ela, pegando-a antes que ela pudesse cair no chão. Ela gritou incoerentemente por um momento enquanto eu segurava-a contra mim, sua respiração tão rápida que eu me preocupei que ela ia hiperventilar. Afastando-se do meu peito, ela olhou para mim, os olhos cheios de esperança de que, talvez, não era tão ruim quanto ela suspeitava. "Ela vai ficar bem, porém Dill, certo? Nós estamos indo salvá-la... ela vai ficar melhor! Não é? Não é”? Balançando a cabeça, eu a puxei para mais perto e segurei firme. "Lee... ela se foi”. Seu grito de desespero bateu no meu intestino como ácido fervente, me retalhando por dentro, enquanto eu segurava a única parte da minha família que sobrou. 78


Capítulo 8 Dominique "Sinto como se eu nunca mais te visse. Você está sempre ocupada, sempre fora. Você não sente minha falta Dominique”? Minha irmã estava agindo como uma bobona, me perseguindo ao redor da casa e me implorando para ir com ela ao apartamento de Spencer para uma visita. Ela tem razão, eu estou sempre ocupada esses dias, mas eu não tenho nenhuma intenção de ir até Spencer com ela para vê-los fazer olhinhos um ao outro que eles não vão nem mesmo seguir com isso. Eu amo os dois, mas agora o meu foco é a Marissa e fazê-la melhorar. Estive observando Spencer e Delilah girando em torno de si mesmos por toda a minha vida, então eu não me sinto mal sobre ela implorar. Ainda assim eu sei que minha irmã sente minha falta, e eu sinto falta dela também, então eu decidi deixá-la melhor. Fazendo um barulho assustador alto, virei-me e abordei Delilah no tapete da sala, fazendo-lhe cócegas e fazendo-a gritar de tanto rir. "Pare! Pare! Eu vou fazer xixi em minhas calças”!

79


Levantei-me rindo em voz alta, apontando para ela com um sorriso. "Isso conta como uma retirada, o que significa que eu ainda sou a vencedora”! Segurando a minha mão, eu a ajudei a levantar do tapete antes de dar-lhe um grande abraço. "Desculpe-me, eu tenho estado tão ocupada ultimamente. Vou tentar mais difícil, de fazer o tempo de irmãs acontecer. Infelizmente, hoje não é aquele dia, porque eu já tenho planos. Prometo que vou fazer um dia de gêmeas o mais rápido possível. Vá aproveitar a sua noite de sexta fingindo assistir filmes com Spencer”. Abraçando-me com força ela deu um beijo forte na minha bochecha, antes de se afastar. "Vou cobrar isso de você, irmã. Mas só para você saber, não há fingimentos envolvidos. Ele ainda não está pronto”. Balançando a cabeça para ela, eu ri alto. Acho que Spencer está muito mais do que pronto do que ela percebe, mas eles precisam trabalhar isso por si mesmos. Parando no escritório da Mama San, andei em torno de sua mesa para lhe dizer que estava saindo e dar-lhe um abraço e um beijo. "Eu vejo que a minha menina está se sentindo mais brilhante hoje! Você explodiu dentro e fora por semanas, com muito pouco de sua forma normal carinhosa de dizer olá e adeus. Você ilumina meu mundo querida”. 80


Eu a amava tanto por ser paciente comigo, por entender que eu precisava de espaço, mesmo quando feri seus sentimentos, e aparentemente, a maneira que eu estava agindo no mês passado chateou-a. Quase me atirando em seus braços pressionei meu rosto do dela. "Eu te amo tanto Mama San. Você ilumina meu mundo, também”. Depois de mais um beijo rápido na minha testa ela me deixou ir e eu saí com o coração cheio. Minha “mãe” biológica é uma merda, mas minha tia tinha se tornado a minha verdadeira mãe no segundo que ela entrou na minha vida. O fato de que Mama San era irmã da minha mãe confundia a minha mente porque duas pessoas não poderiam ser mais diferentes, nem se elas tentassem. Mama San realmente iluminou meu mundo e eu a adorava. Eu tinha um grande sorriso bobo estampado em meu rosto enquanto eu fazia o meu caminho para a entrada da garagem e entrava no carro. Meu irmão mais velho, Dante, insistiu que Delilah e eu tivéssemos os primeiros carros que foram efetivamente glorificados como "vagões de guerra". Ele tem uma necessidade quase obsessiva de nos manter seguras, por isso a regra é que temos de dirigir esses carros até terminar o ensino médio. Se não conseguirmos nenhuma multa e entrar em acidentes que forem nossa culpa, nós poderemos 81


ter carros diferentes. Nossos amigos da escola achavam hilário que todos começaram a dirigir carros caros, enquanto Delilah e eu dirigíamos velhos calhambeques. O carro de Delilah é um Chevy de 20 anos de idade, enquanto o meu é um Buick de 22 anos de idade. Enquanto o interior e a lataria dos dois carros deixam algo a desejar, eu tenho que admitir que Dante teria certeza que os motores dos nossos carros estão sempre em perfeitas condições de uso, meu carro nunca sequer considerou hesitar em ligar. O caminho para o bairro de Dillon e Marissa não levou tempo nenhum, em tudo, considerando o fato de que eles viviam a menos de dez minutos de distância. Parei em uma floricultura e comprei um lindo ramo de girassóis. Ela é a flor favorita de Marissa e eu sabia que elas iriam iluminar seu dia. Depois que eu terminei no florista, eu fui ao Whole Food para pegar sua água espumante favorita. Ela era viciada nessa coisa, mas enquanto ela estava deprimida, ela não tinha bebido nenhuma. Na maioria dos dias, tinha sido uma tarefa levá-la a beber alguma coisa e ela se recusou a comer ou beber qualquer coisa que ela gostasse. Dillon tinha explicado que era um problema de longa data que ela tinha, quando ficava para baixo, ela tinha um tempo difícil colocando qualquer coisa dentro dela. Eu estava feliz que, depois de ontem, eu sabia que ela estava saindo do túnel para a luz.

82


Coloquei alguma música feliz no aparelho de som no Buick e fiz o resto da viagem para Marissa e Dillon com um enorme sorriso no meu rosto. O dia estava lindo, um daqueles dias muito cedo de outono em LA que faziam tudo parecer possível. O milagre que eu quero alcançar hoje é fazer Marissa concordar em visitar a livraria comigo. Eu só sei que, se ela se levar de volta pela porta da loja, ela vai se lembrar o quanto ela adora estar rodeada de livros e clientes. Puxando-me para a casa vi que o carro de Leah estava estacionado atrás do carro de Dillon na garagem. O carro de Marissa não estava por perto e eu sorri para mim mesma quando saí do carro e atravessei o gramado com meus presentes felizes, imaginando se ela tinha me vencido e ido à loja sozinha. Nada me fez mais feliz do que saber que ela estava fora de casa. Dei uma pequena batida boba na porta enquanto eu esperava alguém atender. Quando a porta se abriu me vi olhando para o rosto de Dillon. Ele parecia absolutamente terrível e meu coração caiu em algum lugar perto dos meus joelhos. Alguma coisa estava errada e eu tive uma sensação horrível que nada ia ser o mesmo. Eu abri minha boca para falar, notando que a minha boca, de repente, parecia como o deserto do Saara. Eu mal poderia coaxar, “Dillon”? 83


Quando sua boca abriu, eu percebi que quando ele abriu a porta, eu podia ouvir soluços. Inclinando-me para a direita, olhei por ele e vi que Leah estava enrolada em uma bola no sofá histericamente chorando. Sua mão no meu ombro trouxe a minha atenção de volta para ele, meu cérebro tentando negar o que eu estava vendo. Dillon não ficaria assim e Leah não iria chorar desta forma, se algo não estivesse horrivelmente errado. "Dominique... Marissa se foi”. Eu sabia o que ele queria dizer, mas tentei dizer a mim mesma que eu estava errada. Talvez ele quis dizer para o hospital, ou talvez ela fugiu. De qualquer forma, ela estaria de volta. Ela tinha que voltar. "Para onde ela foi”? Sufocando em um soluço, ele respondeu: "Ela se matou esta tarde”. Ouvi um grito agonizante, pouco antes de sentir algo molhado encharcar minha perna. Quando Dillon me puxou para os seus braços, percebi que o grito tinha vindo de mim, e a umidade que eu sentia era das garrafas de água que eu tinha trazido para Marissa explodindo quando eu as deixei cair.

84


***

Nas poucas horas que passaram desde o momento em que Dillon abriu a porta e a realidade passou de normal a partir o coração, eu fiz pouco além de sentar no sofá segurando Leah e Dillon. Nós três choramos rios e não parecia que íamos desligar a válvula. Vi que Dillon estava tentando se recompor para Leah, mas era uma luta real. Nenhuma palavra real foi falada. Leah já sabia o que tinha acontecido, mas eu não sabia então ele explicou o que Marissa tinha feito e recontar era quase mais do que eu poderia tomar. A escuridão tinha caído há muito tempo, mas fora acender uma luz, ninguém na sala tinha levantado. Afastando-se de mim e Leah no sofá, Dillon levantou-se e começou a andar. "Eu sei que é normal sentir-se da forma como fazemos, mas agora está assustando a merda fora de mim. Não posso perder mais nada. Nós vamos sobreviver a isso, certo”? Foi a primeira vez que eu tinha ouvido Dillon ser tão inseguro sobre algo que não fosse relacionado a Marissa. Meu coração se partiu quando eu percebi que ele era como uma vítima de trauma, que tinha pavor do outro sapato cair. Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, Leah começou a falar. 85


"De alguma forma nós vamos sobreviver Dill, mas nunca mais vai ser o mesmo. Mas agora, nós precisamos... nós temos que... oh, meu Deus, é tão malditamente difícil”! Ela parou por um minuto, soluçando enquanto ela conseguiu se controlar o suficiente para falar. "Nós temos que ir para o quarto dela para ver... se... deixou... uma nota. Eu preciso saber. E então... nós precisamos... decidir... escolher... o que vamos fazer... com... ela... oh, deus... o corpo dela. Mas o que ela fez... nós nunca vamos ser capazes de ver o que sobrou, vamos? Ela realmente se foi”. Era tudo o que podia sair e eu passei meus braços em torno dela e segurei com força enquanto ela silenciosamente chorou. Olhando para Dillon sobre o ombro de Leah, vi que ele estava pendurado por um fio. Olhando para cima, ele encontrou meus olhos e murmurou, "eu estarei de volta", antes dele se virar e sair pela porta da frente. Naquele momento eu percebi que alguém precisava assumir a responsabilidade e nem Dillon ou Leah estavam em condições de fazê-lo. Eu estava com o coração partido, mas meu desespero não poderia nem de perto ser tão profundo quanto o deles era. Eles a conheciam mais, tinham vivido os altos e baixos durante anos. Eu tinha perdido a minha melhor amiga, mas Leah tinha perdido a 86


irmã, e Dillon tinha perdido a esposa. Sua agonia tinha precedência sobre a minha sem dúvida. Por mais que meu coração doía eu sabia que eu precisava me recompor para que eu pudesse cuidar deles. Afastando-se de Leah peguei meu celular e mandei uma mensagem para minha tia Sandra para que ela soubesse que eu ia passar a noite na casa de Marissa. Eu não mencionei que Marissa se foi por que eu simplesmente não conseguia dizê-lo. Depois de bater no enviar voltei para Leah, e empurrei o cabelo para trás de seu rosto. "Lee eu vou ligar a TV para você e então eu vou falar com Dillon por um minuto. Você precisa beber alguma coisa. Quando eu voltar para dentro, vou trazer um copo de chá gelado. Você quer ou precisa de mais alguma coisa”? Fungando calmamente ela balançou a cabeça. "Não, mas obrigado Dominique. Obrigado por estar aqui”. Depois de beijar a bochecha dela, eu fiz meu caminho para fora para encontrar Dillon. Ele não estava lá. Por um minuto eu pensei que ele devia ter ido para uma caminhada, mas quando ouvi um barulho vindo da garagem, o segui e encontrei-o sentado contra a lateral da casa, escondido atrás dos carros. Depois de tomar uma respiração profunda, coloquei a face mais calma que eu podia, dadas as 87


circunstâncias, antes de me ajoelhar na frente dele para que pudéssemos olhar nos olhos. Mesmo olhar para ele era doloroso. "Hey," eu disse. "Eu sei que você está sobrecarregado. Também sei que você precisa deixar-se afligir e você não pode aguentar muito. Você não precisa ir no quarto dela esta noite. Eu vou fazer isso. Vou verificar se há uma nota. Amanhã de manhã eu vou ligar ao redor e encontrar uma casa funerária. Você e Leah terão que decidir que tipo de serviço vocês gostariam e podemos ir a partir daí. Eu sei que isso é algo que você não pode pensar agora e eu vou cuidar de todos os detalhes. Não se esforce - que ambos têm de cuidar de si mesmos”. Balançando a cabeça ele desviou o olhar de mim, olhando para o espaço. "Eu continuo esperando de que isso seja um pesadelo, mas não é. Eu sei que eu deveria ir para o quarto dela, mas eu não posso fazê-lo. Se há uma nota... Não posso lê-la agora. Sinto muito. Eu sei que eu deveria ser mais forte, mas eu não tenho mais forças. É como se ela levasse tudo com ela”. Meu coração estava quebrando, um caco miserável de cada vez. Eu não podia suportar ver Dillon e Leah assim, e eu odiava que não havia nada que eu pudesse dizer para torná-lo melhor. Não havia nenhum remédio para esta situação - só o tempo

88


daria distância suficiente para doer menos e não havia maneira de acelerar o processo. Deitando minhas mãos em seus ombros, apertei suavemente. "Ei, não fale assim. Você está no meio de um pesadelo e que você precisa se dar alguma folga. Ela não levou a sua força com ela. Você ainda tem isso, mas agora você precisa se lamentar e deixar-me cuidar de você. Não se derrote, porque só vai piorar as coisas”. Pendurado sua cabeça, ele disse: "Deus, Minnie... eu não sei o que faríamos sem você aqui”. Levantando-me, dei um passo para trás. "Fique aqui durante o tempo que você precisar. Se houver uma nota, está tudo bem, se eu der a Leah para ler”? Seu “sim” de partir o coração foi o suficiente para me fazer querer chorar de novo, mas eu me segurei. Acho que fiz um bom trabalho, em aparecer composta quando voltei para a casa e dei à Leah um copo de chá gelado, mas foi uma luta para não gritar quando eu cheguei no quarto de Marissa. Nada poderia ter me preparado chocantemente estéril estava.

para

quão

Não tinha mais fotos nas paredes ou sobre a cômoda, nenhum sinal real de que alguém tinha vivido naquele quarto. Sua cama estava arrumada e em cima dela estava uma caixa marcada, 'fotos de Marissa’. Logo percebi que ela também havia 89


esvaziado seu armário e todas as suas gavetas em caixas que foram cuidadosamente etiquetadas e empilhadas contra a parede do outro lado do quarto. Meu coração parou quando eu vi quatro envelopes na cômoda. Um deles foi marcado, "O que fazer agora", enquanto os outros três, cada um tinha um nome escrito no meio - Dillon, Leah, e o meu. Ao lado dos envelopes estavam as chaves da casa e o telefone celular. A única coisa que faltava era a chave do carro que ela tinha levado com ela, quando ela dirigiu até o local onde ela havia terminado sua vida. A realização horrível do que ela tinha feito me atingiu como um asteroide fazendo contato com a Terra. Isto não era uma decisão de momento. Ela tinha planejado isso, teve horas pra deixar tudo do jeito que ela queria. Deixei a carta de Dillon sobre a cômoda, sabendo que precisava ser a sua decisão se devia ou não lêla agora ou mais tarde. Eu não iria colocar qualquer pressão sobre ele, deixando-o em uma área aonde ele iria imediatamente vê-la. Fechando a porta, respirei fundo e me forcei a manter a calma. Voltando para a sala, sentei-me ao lado de Leah e mostrei-lhe os envelopes. Ela se agarrou a um com o nome dela na mão, mas não o abriu.

90


"Eu não posso, ainda não. Vou colocá-lo na minha bolsa e levá-lo para casa comigo. Se eu ler agora... Sinto que vai me destruir. Será que isso faz sentido”? Fez todo o sentido. Eu não tinha a intenção de ler o meu mesmo agora também, por isso assenti. Gesticulando para o envelope que dizia: "O que fazer agora", eu disse, "Aquele, infelizmente, temos de ler porque eu acho vai explicar que tipo de enterro ela queria. Você quer que eu o abra”? Eu não tinha percebido que Dillon tinha voltado para a casa, então eu fiquei surpresa quando ele respondeu a pergunta da porta da cozinha. "Sim. Leia o que ele diz em voz alta”. Com as mãos trêmulas, abri as instruções finais de Marissa e comecei a ler para Dillon e Leah. Meus três amores, Dillon, Leah e Minnie, Eu fiz tudo o que podia para fazer isso o mais fácil possível. Minhas roupas estão embaladas e meu celular e as chaves estão onde você pode encontrálos. Abasteci a casa com comida suficiente para, pelo menos duas semanas, a lavanderia está feita e a cozinha, sala de estar e banheiro estão limpos. Vou deixar a chave do meu carro no portaluvas. O carro ficará estacionado na rua que eu vou.

91


Eu gostaria de ser cremada. O que você faz comigo de lá é com você. Se você quiser manter os meus restos mortais em uma urna, está bem. Se você preferir espalhar as minhas cinzas, tudo bem também. No final, isso realmente não importa onde a minha parte física acaba. Você não precisa de uma lápide ou uma urna para se conectar comigo, porque eu vou estar sempre com vocês. O meu pedido final é que você não postem nenhum obituário por mim. Para além do pessoal da livraria, amigos de trabalho do Dillon e meu terapeuta, não há mais ninguém que eu sinto necessidade que saiba. Mais importante, eu nunca vou querer que ele tenha a satisfação de saber, que ele conseguiu o que sempre quis. Eu sei que cada um de vocês três vão se culpar por minhas ações, mas vocês precisam aceitar a realidade de que esta foi a minha escolha. Eu sei que vai doer, eu sei que vai ser um choque e eu sei que é egoísta da minha parte ir. Mas a verdade é que eu não tenho mais medo e eu nunca vou ter medo de novo. O que está na minha frente é a paz que é tudo o que eu sempre quis. Com o tempo eu espero que vocês possam se lembrar dos bons momentos que tivemos, e que vocês possam me perdoar por ter escolhido acabar com meu sofrimento. Eu amo vocês três mais do que eu posso dizer. Eu fiquei tanto tempo quanto eu poderia. Minha carta para cada um de vocês vai explicar melhor, 92


mas, eu sei que vocês podem não estar bem para lê-las agora. Só saibam que nada que qualquer um de vocês fizessem, poderia ter mudado este resultado. Isso tudo é comigo. Vivam as suas vidas ao máximo e sejam felizes. Eu serei um anjo calmo cuidando de vocês agora – feliz e livre. Amor Sempre, Marissa Vidas eram um reflexo de nossos pensamentos? A ideia de que ela havia mentido para mim o tempo todo, foi dolorosa no intestino. Eu estava condenada a viver uma meia-vida incapaz de ser tocada? Nunca tinha pensado em suicídio antes, mas agora eu tinha que saber ao longo do tempo se a minha incapacidade de ter físico com alguém levaria a uma depressão que me afirmaria? A ideia me apavorava. Cada um de nós parecia recuar dentro de si, depois que eu terminei de ler, que era claramente porque toda a situação era tão terrivelmente esmagadora. Eu não tenho certeza de quanto tempo ficamos em silêncio antes de Dillon falar anunciando que Leah e eu precisávamos dormir um pouco. Foi um alívio supor que eu iria passar a noite, mas também porque não havia nenhuma maneira que eu poderia ir para casa na minha condição atual. Seria

93


enviar bandeiras vermelhas por todo o lugar para a minha família. "Eu acho que nenhum de nós será capaz de ir para o quarto de Marissa novamente e ninguém quer dormir com Lee no quarto de hóspedes porque ela é um retrocesso. Você pode ir para minha cama, e eu fico com o sofá”. Eu protestei imediatamente. "Dillon, isso é ridículo. Tenho pelo menos um pé mais curto do que você, o sofá seria um ajuste muito mais confortável para o meu tamanho que o seu”. "Não... Minnie... Preciso de algo diferente. Será que isso faz sentido? Eu não sei mesmo. Eu não posso explicar isso, mas eu simplesmente não consigo dormir onde dormi na noite passada, quando eu pensei que talvez tudo fosse ficar bem. Vai me fazer sentir melhor saber que você e Lee estão confortáveis”. Naturalmente, concordei. Eu poderia entender a necessidade de espaço e querendo algo diferente. Leah me emprestou um par de pijamas que fez todos nós abrirmos um sorriso pela primeira vez em horas, desde que eu tinha de dobrar as pernas para cima de uma tonelada até mesmo ser capaz de andar neles. Leah era alta onde eu era pequena de modo que compartilhar roupas não seria algo que fossemos capaz de fazer regularmente. 94


Eu estava além de triste quando eu finalmente fui para a cama de Dillon para tentar dormir. Eu não poderia imaginar dormir, principalmente porque eu estava assustada com a ideia de que Marissa tinha ido embora e eu nunca iria falar com ela novamente. Quantas conversas longas tivemos? Quantos segredos que eu tinha confiado à ela? Quantas as vezes ela me fez rir? Parecia que a resposta para cada pergunta eram milhares. Minha melhor amiga tinha ido embora, e eu nunca mais veria ou falaria com ela novamente. O peso desse pensamento era muito esmagador. Fiquei ali por horas lembrando as centenas de coisas sobre a Marissa que eu tinha amado tão profundamente. Eventualmente, eu adormeci aonde eu estava. Atormentada por sonhos, onde eu iria ver Marissa viva, e descobrir que a coisa toda tinha sido apenas um mal entendido. Pouco antes do amanhecer, na manhã seguinte, eu acordei desorientada. Um milhão de pensamentos passaram por minha mente em menos de dois segundos, e eu comecei a entrar em pânico, mas me acalmei quando meus sentidos sentiram o cheiro de Dillon. Por um momento, eu me senti como uma pessoa terrível por tomar qualquer tipo de conforto, ao ser envolto de seu edredom e dormindo em sua cama. Minha melhor amiga morreu ontem e eu não tinha nada que ter quaisquer sentimentos pegajosos 95


pelo marido dela independentemente do fato de que seu casamento não tinha sido tradicional. Eu precisava me levantar e fazer algo normal, então eu fui sorrateiramente, no banheiro do corredor e tomei um banho. Leah me emprestou uma camiseta na noite anterior para vestir hoje e desde que eu lavei minha calcinha na pia na noite anterior, eu estava pelo menos apresentável. Depois de trançar meu cabelo úmido, eu me enrolei de volta na cama de Dillon com a nota que Marissa tinha me deixado, tentando encontrar a força para lê-lo. Eu lutei com ele durante a maior parte de uma hora, mas no final eu simplesmente não podia fazê-lo. Eu não estava pronta, não ainda. Dillon e Leah estavam acordados e sentados no sofá, quando eu saí para a sala. A boa notícia era que eles não estavam sentados em silêncio. A má notícia era que o único barulho vinha da TV e foi ajustado para o canal do tempo. Eles claramente não estavam se concentrando na televisão, ao invés eles estavam apenas sentados lado a lado e se deram as mãos. No geral foi uma melhoria da noite anterior, então eu senti um pouco de alívio. A cada dia seria mais um passo para frente, mas de alguma forma, todos nós passaríamos por isso. Não havia nenhuma outra opção. Passamos a manhã escolhendo uma casa funerária e lidando com todos os detalhes. Dillon disse muito pouco na casa funerária, mas eu poderia dizer que ele estava preocupado com alguma coisa. Quando 96


saímos, Leah o encurralou e o fez admitir que ele não estava, atualmente, em posição de colocar para fora milhares de dólares para a cremação e os serviços de Marissa, desde todo o dinheiro que tinham na poupança tinha sido comido pela mudança. Leah disse-lhe que ela lhe daria todo o dinheiro que tinha na poupança para ajudar, mas ele imediatamente atirou nela. "Absolutamente não, Lee. Isso não é de sua responsabilidade. Vou falar com o diretor da funerária a tarde sobre um plano de pagamento ou vou conseguir um cartão de crédito. Eu não disse que eu não poderia fazê-lo, eu só disse que ia ser difícil, porque o momento é ruim”. O simples fato de que nós podíamos ver que ele estava preocupado compilado com o fato de que ele admitiu que estava, disse-me que enquanto ele poderia descobrir isso, ele não deve ter que fazê-lo no calor do momento. Depois que terminaram na casa funerária, Dillon nos levou para o local que agora sabia que Marissa tinha deixado o carro. Todos nós fizemos o nosso melhor para não olhar ao redor para quaisquer sinais visíveis de que algo terrivelmente ruim tinha acontecido no dia anterior. Ofereci-me para dirigir o carro de volta para Dillon, mas desde que tinha acordado mais cedo eu seria a única a dizer a todos no trabalho que Marissa tinha morrido, eu lhes disse que iria me levar algum tempo extra para chegar lá. 97


Eu tinha totalmente planejado ir ao trabalho, mas minha primeira ordem de negócio era voltar para a funerária para pagar o funeral. Embora me fosse permitido, eu nunca tinha usado algum do dinheiro que fiz, trabalhando na livraria. Além de meus rendimentos do trabalho eu tinha dinheiro na minha conta, que era uma provisão do fundo fiduciário que meu avô tinha deixado. Para mim e todos os meus irmãos era o dinheiro de herança. Nenhum de nós nunca tinha tocado. Dante e Damien já tinham dado o seu dinheiro do fundo fiduciário para a caridade. Delilah e eu vamos seguir o mesmo caminho, assim que completarmos dezoito anos. O agente funerário ficou surpreso ao ver-me de volta, mas quando eu expliquei que eu queria anonimamente pagar a conta na íntegra, ele entendeu. Nós concordamos que, se Dillon empurrasse por respostas, ele seria informado de que um amigo adulto pagou pelos os serviços com instruções de não revelar quem era. Depois que eu terminei de escrever o cheque, pedi-lhe para esperar até o final do dia e em seguida chamar Dillon para dizer-lhe que o custo funeral tinha sido pago na íntegra. Depois que eu terminei na casa funerária parei em um pequeno restaurante, perto da casa de Dillon e configurei o almoço funeral. Eu paguei o almoço e recebi do proprietário a confirmação, que a Dillon nunca seria dito quem havia pago.

98


Minha última parada do dia, foi à loja de flores que eu vi um dia antes pegar girassóis para Marissa. Que diferença um dia faz. Eu pedi uma tonelada de arranjos de girassol, margaridas, rosas e hortênsias para o serviço. Marissa sempre adorou as flores, ao longo do último mês a única coisa que realmente provocou uma faísca em seu olhos foi fazê-la falar sobre o jardim do amor, que Dillon estava trabalhando. Ela era obcecada com a beleza de ambas as flores e o gesto. Dillon teria plantado um jardim do amor em seu quintal para ela, só para ver o sorriso dela, ele ate até se ofereceu para fazê-lo, mas ela lhe tinha dito que iria 'manchar' o que o jardim do amor representava. Eu não tenho certeza o que ela quis dizer com isso, mas o que eu tenho certeza é de que, para o seu serviço funeral posso fornecer uma versão pequena de um jardim do amor em sua honra. Eu só esperava que de alguma forma, de alguma maneira onde quer que estivesse ela veria e entenderia o gesto.

99


Capítulo 9 Dillon Estar dentro da pequena igreja onde estávamos fazendo o serviço de Marissa, foi a experiência mais surreal da minha vida. A percepção de que minha esposa realmente estava morta e que eu era agora um viúvo, foi impressionante. Quem nunca tinha ouvido falar de um viúvo aos 24 anos de idade? Foi tão mal que parecia obscena. O serviço foi pequeno e intimista. O dono da livraria onde Marissa tinha trabalhado veio com cinco dos funcionários; meu chefe veio com a esposa e em seguida, veio o terapeuta de Marissa. Eu me senti horrível por ela, a culpa que sentia por não ter internado Marissa naquele dia, realmente fez uma série sobre ela, mesmo que ela não tenha falado muito. Eu tinha a encontrado lá fora um pouco antes de o serviço iniciar. Ela tinha recebido uma carta de suicídio no correio de Marissa há poucos dias suplicando-lhe para não se culpar. Tenho certeza de que Marissa tinha boas intenções ao tentar absolvê-la de culpa, mas eu também sabia que só o tempo poderia fazer essa ferida doer menos. Leah e Dominique sentaram-se cada uma ao meu lado no banco da frente. Cada uma com a mão apertada junto a cada uma das minhas. Dominique 100


tinha sido a nossa rocha pelos os últimos dias, cozinhando, limpando e mantendo-nos no caminho certo. Ela foi cada vez mais tarde para suas aulas da faculdade e saía antes de dormir a cada noite. Leah inclinou-se sobre ela como uma muleta, e eu estava além de grato a Minnie por estar lá. Estremeci ao pensar no quanto pior Leah estaria se ela não tivesse alguém além de mim, a quem recorrer, porque eu não estava fazendo o grande trabalho que eu normalmente fazia, de ser a pedra que ela merecia. Eu estava segurando a esperança de que eu iria começar a me sentir mais normal, uma vez que o funeral acabasse. Bastava saber que o funeral estava chegando, e me deixava em um suor frio. A ideia de se despedir era mais do que eu podia suportar. Como diabos eu deveria dizer adeus a alguém que eu tinha construído a minha vida? Foi aterrorizante e tão estranho para mim que eu não sabia como eu iria fazê-lo. Como eu poderia aprender a viver a minha vida completamente diferente? De certa forma, senti como se tivesse perdido um filho. Eu me senti culpado por pensar isso, mas foi a única comparação que eu poderia dar. Durante anos, minha vida girava em torno de cuidar de Marissa, preocupar-me com ela e ter certeza de que ela estava bem, que tinha o que precisava. Eu vivia e respirava para tornar sua vida melhor, para vê-la prosperar e agora... ela se foi. Eu não tenho 101


nenhuma ideia de onde isso me deixaria, ou o que o meu futuro pareceria. Viver na casa sem ela vai ser muito ruim, eu posso dizer que já é. Nós só tínhamos estado lá por algumas semanas antes dela morrer, mas simplesmente não ia funcionar. Eu não posso pôrme a ir para o quarto, a visão de seu carro na garagem me faz insuportavelmente ansioso e não consigo parar de lembrar a última vez que a vi, quando ela estava no corredor e me disse que ela ficaria depois de mim. Eu tinha sido atingido com outra grande surpresa nos últimos poucos dias. Toda a parte do funeral tinha sido paga por alguém que queria manter o anonimato. Só podia ser meu chefe ou o dono da livraria porque eram as duas únicas pessoas que eu conhecia que poderiam se dar ao luxo de fazer um lindo gesto. Eu queria falar com cada um deles e descobrir qual deles tinha feito isso, mas tinha sido dada a instrução ao agente funerário que a pessoa que pagou pelo funeral insistiu em confidencialidade, e não queria ser reconhecido de alguma forma. "Mr. Cooper a pessoa que pagou por isso me instruiu a dizer-lhe que você não poderá tentar descobrir quem são. Eles pediram que você entenda que isso foi feito por amor a Marissa e eles esperam que você vá aceitar o gesto, sem perguntas”. 102


Meu orgulho se irritou um pouco com isso. Eu sempre tinha cuidado de pessoas e agora alguém que nem sequer me permitia agradecer-lhes estava cuidando de mim. Eu não poderia arrancar meu nariz para irritar o meu rosto, porque não havia nenhuma maneira que eu poderia ter tido recursos para fazer isso sozinho, logo no calor do momento. Minha avaliação de crédito foi excelente e eu poderia ter conseguido um cartão de crédito ou um empréstimo bancário, mas foi um alívio não ter que fazê-lo. No final, eu mordi minha língua e não fiz nenhuma pergunta. O serviço e o almoço, ambos pareciam se arrastar por uma eternidade enquanto eu só precisava ter tudo acabado. De alguma forma, de alguma maneira eu precisava começar a encontrar o meu novo normal, e pensando sobre o que Marissa tinha feito todo o dia, não estava ajudando o meu estado emocional ou mental. Quando finalmente acabou, abençoadamente Leah e Dominique vieram comigo de volta para minha casa. O estresse e a tensão que todos nós tínhamos estado parecia diminuir um pouco, e uma vez que tinha começado tudo mudou para fora do nosso traje funeral, nós nos sentamos na varanda de trás e tentamos descompactar. Pela primeira vez em quase uma semana nós realmente falamos, e foi uma boa mudança. De alguma forma, tudo o que precisava para juntar nossas peças, e agora que o funeral estava atrás de 103


nós, eu estava esperando que cada um de nós pudéssemos fazer isso acontecer.

***

Selando a fita de embalagem na última caixa que eu precisava para fazer as malas eu me sentei e soltei um suspiro de alívio. Esperava que não houvesse qualquer embalagem para mim por um longo tempo, uma vez que eu realmente odiava fazê-lo. Por causa dos anos que passei em movimento de orfanato em orfanato, minha aversão a embalar era completamente enraizada. Este movimento não podia ser ajudado. Infelizmente. Como eu tinha começado a suspeitar, antes do funeral, era demais para eu estar na casa que aluguei com Marissa. Eu fiz o melhor possível por dois meses, mas isso era o máximo que eu podia suportar. Eu estava me sentindo melhor, mas ficar em casa estava me segurando. Mesmo sabendo que estava saindo, ficando até o Natal, na semana passada tinha sido além-difícil. O fato de que meu aniversário era na véspera de Natal não ajudava em nada. Leah, Dominique e eu, concordamos em não trocar presentes e eu tinha sido inflexível sobre não celebrar meu aniversário este ano. Em vez disso, nós três tínhamos ido jantar e ao cinema na 104


véspera de Natal. Uma vez que uma das últimas coisas que fizemos com Marissa foi decorar para o Natal, em outubro, duas noites depois que ela morreu eu derrubei todas as decorações para baixo e doei ao lar adotivo que estava mais próximo. A boa notícia é que a sorte finalmente estava do meu lado. Em vez de manter o meu depósito de segurança ou me levar ao tribunal, por ter quebrado o contrato de arrendamento, o meu senhorio era compreensivo e tinha me deixado sair do meu contrato de locação sem cobrar quaisquer taxas adicionais. Ele até me deu o meu depósito de segurança de volta, o que tinha sido útil quando chegou a hora de alugar outra coisa. O resto do dinheiro levantei com a venda do carro de Marissa. A casa que eu estava entrando era um pequeno bangalô de dois quartos em Sherman Oaks, mas tinha um espaço ao ar livre que eu caí de amor. No segundo que eu entrei no quintal e vi que o proprietário tinha erguido uma pérgula sobre o pátio eu estava pronto para assinar o contrato. O quintal era grande para começar, mas, com algum tempo cultivando eu poderia fazer isso incrível. Ao ouvir o sinal sonoro da campainha, eu pulei e me empurrei para atender a porta. Vendo Dominique do outro lado da porta, eu sorri enquanto a abria. "Hey! O que você está fazendo aqui”?

105


Seu lindo sorriso fez meu coração acelerar, assim como eu lembrei-me que eu precisava para relaxar. A visão dela nunca deixou de me afetar. "É seu último dia para arrumar aqui e obter a nova casa pronta. Onde mais eu estaria”? Onde mais, de fato? Dominique foi minha rocha, durante os últimos dois meses. Tão doce e amorosa como ela é, não há um núcleo de força dentro de si que não possa ser negado. Quando eu vacilei, ela chutou a minha bunda de volta em forma. Ela pode sair como um toque suave, mas ela tem o instinto assassino, com certeza. Sua determinação para obter Leah e eu de volta em nossos pés é tão forte que sopra minha mente. Eu não sei o que eu teria feito sem ela. A única desvantagem é que eu estou ainda mais atraído por ela do que eu era antes. Nosso relacionamento não é físico e ainda não falamos sobre isso, mas é o elefante branco na sala em minha mente. Estamos constantemente juntos e não é um tipo de amizade o que temos. "Eu sabia que você iria aparecer para ajudar, eu só achei que você estaria em casa para ajudar a desfazer as malas amanhã. Isso é o que Lee está fazendo. Ela me disse que a menos que eu realmente precisasse dela, ela não quer se envolver no movimento de móveis ou pintura de casa. Sorte para ela, os caras do trabalho estão indo para me ajudar a fazer o trabalho rápido amanhã e eu sou 106


um pintor de casa tão rápido que eu realmente não preciso dela”. Isso provoca uma risada, seguida por uma agitação de cabeça de Dominique. "Adoro Lee, mas eu nunca vi ninguém tão resistente ao levantar ou qualquer tipo de pintura! Se eu não sabia que ela trabalhava levantando crianças a cada dia, eu poderia jurar que ela tinha macarrão para braços”. Era um fato bem estabelecido sobre Leah que ela não faz trabalho pesado, a menos que fosse um ser humano, e ela odiava pintar. Ela não tinha ajudado a mudar os móveis, quando me mudei para minha casa atual, e ela não estava prestes a começar agora. Ela foi feita para isso, desembalar e organizar o mais rápido na costa oeste, então eu nunca reclamei. "Ela não pode suportar isso, porque não a mantém ocupada o suficiente. Ela precisa estar voando em torno de organizar coisas, e mover móveis ou pintura não vai deixá-la fazer isso. Ela sempre foi assim. Marissa e eu estamos sempre surpresos que ela é capaz de relaxar o suficiente para ler..." Eu parei no final da frase, irritado que eu mais uma vez coloquei Marissa na conversa de uma forma que fez parecer que ela ainda estivesse viva. Era um hábito difícil de quebrar e eu estava tendo um inferno de um tempo com o processo. Antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa, Dominique avançou e me deu um abraço. Embora 107


ela fosse pequena, ela sempre se sentiu bem em meus braços. Leah e eu tinha levado para abraçá-la muitas vezes quando nossas vidas caiu debaixo de nós, e isso mudou minha relação com Dominique para algo mais tátil. "Ei, não faça o que você está fazendo. Você tem que parar de bater-se cada vez que você a menciona na sua conversa. Seria estranho se você não falasse sobre ela, então pare com isso”. Eu a abracei de volta com força antes de dar um rápido beijo no alto da cabeça dela e logo me afastei antes que a minha crescente resposta física para tê-la em meus braços se fizesse mais evidente. "Você está certo, é claro. É só que... duro. Enfim, eu estou com toda a embalagem acabada, mas eu tenho três quartos para pintar na casa nova hoje, a sala, a cozinha e meu quarto. Você gostaria de ser minha amiga de pintura hoje”? Com um largo sorriso, ela respondeu: "Claro! Apenas me dê um pincel e um rolo e me chame Sherwin Williams”. "Bem, Sherwin, eu preciso comprar novos lençóis, algumas toalhas de cozinha e talvez algumas novas almofadas, para a sala de estar. Eu preciso de uma reforma total. Você ajudaria a este glorificado jardineiro a decorar”?

108


"Eu sou tudo sobre decorar. Claro que vou ajudar. Lidere o caminho, homem jardim”. Eu fiz um rápido trabalho de trancar a casa e em seguida nós dois fomos para a loja, para pegar o material novo para casa. Além de ser fácil de fazer compras com Dominique ela teve muito bom gosto. Estávamos fora da loja em menos de uma hora, com tudo o que eu precisava e um monte de coisas que eu não tinha pensado que ela gostava. Marissa morria de medo de velas então eu nunca tinha comprado uma antes, mas Dominique delirou sobre uma vela perfumada em um jarro pera, que acabei comprando duas. Em seguida fomos para a loja de materiais de construção para comprar a tinta. Eu sou um cara, então escolher as cores de tintas nunca foi meu forte. Marissa gostava de cores tranquilas que não fossem muito forte então eu queria tentar algo diferente. Toda a minha mobília era neutra então eu pensei que eu ia ser capaz de escolher uma cor sem nenhum problema. Infelizmente eu só tive a paleta de cores da Marissa para trabalhar, então quando ela se foi eu não tinha ideia do que fazer. Dominique trouxe uma das minhas novas fronhas e uma das toalhas de cozinha para que pudéssemos escolher cores de tinta para coordenar, o que tornou o processo muito mais fácil. No momento tínhamos escolhido três cores e tinha comprado o material para fazer tudo acontecer. 109


Estávamos na casa nova antes de meio-dia e os meus amigos do trabalho apareceram para ajudar cerca de meia hora mais tarde. Dominique desapareceu por cerca de uma hora, mas voltou com pizza e refrigerante para todos. Depois de se certificar de que todos estavam alimentados ela arregaçou as mangas e começou a trabalhar, ajudando-me a pintar o meu quarto. Desde que éramos somente nós dois naquele quarto pintando passamos o tempo conversando. Enquanto estávamos pintando eu comecei a pensar sobre o que faz Dominique ter a força que tem. Eu sei que ela vem de uma família grande, tem uma irmã gêmea, adora ler e tem pelo menos quatro irmãos por parte de pai. Eu sei qual sua cor favorita e todos os seus alimentos favoritos, também sei quais são seus filmes favoritos, sei que ela cantarola quando está imersa em seus pensamentos e que ela tem um coração mole e é amorosa. Eu não sei o que deu a ela uma espinha dorsal de aço, mas eu quero descobrir. Como eu estava pensando que, na minha mente, eu percebi que eu não sabia algo fundamental sobre ela, que eu deveria. "Eu não posso acreditar que eu não sei a resposta a esta pergunta, mas qual é a sua faculdade”? Justamente no momento em que terminei a pergunta ela começou a engasgar. Jogando meu rolo para baixo eu corri para o lado dela para me certificar de que ela estava bem. Ela assentiu com a 110


cabeça para mim para que eu soubesse que ela estava bem quando sua tosse começou a parar. "Woo. Desculpe por isso, devo ter engolido no tubo errado. Hum, faculdade... sim. Bem, eu queria ser um arquiteto para toda a minha vida, de modo que é o meu objetivo de carreira. Eu quero desenhar planos e em seguida, ajudar a construir coisas a partir do zero. Basta olhar para os diferentes tipos de arquitetura, e é tão excitante para mim. Eu também gostaria de comprar e reformar casas mais velhas. Eu adoro o estilo arquitetônico das casas a partir do final do século dezoito e começo do século dezenove. Há apenas algo sobre a ideia de entrar e restaurar algo que me faz feliz”. Sorrindo timidamente, ela balançou a cabeça enquanto ela parou de falar. "Caramba eu só mostrei o meu lado de nerd. Eu não queria divagar”. Dominique podia ler uma lista de compras e ficar em cada palavra, mas claramente ela não tinha captado esse fato ainda. "Ei isso não é ser nerd, isso é incrível. Eu sei exatamente o que você está falando. Eu sempre me senti da mesma forma sobre a colocação de paisagens. Para levar um normal, ou melhor, uma hedionda parcela do terreno e transformá-lo em um oásis... é tudo que eu sempre quis fazer”. Sua risada ofegante foi direta para minha cabeça. Percebi então que eu nunca hesitei em compartilhar as coisas com Minnie, sejam as minhas esperanças, 111


meus sonhos e meus medos. Algo sobre ela apenas tirava-as de mim, como se meu cérebro não pudesse esperar para compartilhar tudo com ela. Quando ela terminou de rir, ela disse: "Ooh! Algum dia nós devemos fazer um projeto juntos. Eu vou restaurar ou construir algo e você pode vir fazer paisagem. Isso não seria divertido”? Eu concordei sinceramente amando a ideia de criar algo com ela. "Eu amo essa ideia! Vamos fazer isso acontecer”. Eu nunca tinha sentido antes o que eu sinto por Dominique, e planejar um futuro com ela me fez sentir muito bem. Tenho quase certeza de que ela sentia o mesmo por mim, por isso estou aguardando o meu tempo até que não vá parecer que eu sou um idiota total de trepadeira, quando eu a convidar para sair. Eu decidi que depois de seis meses de morte de Marissa, eu posso fazer o meu jogo para ela. A espera está começando a ser mais difícil a cada dia. Quando estávamos sentados no sofá assistindo TV, eu queria abraça-la. Quando estamos fora, eu quero segurar sua mão. Eu quero que ela durma na minha cama, quero que ela seja o meu primeiro relacionamento sério. Ela é tudo que eu sempre quis. É como se o universo tivesse encontrado minha lista mental de qualidades que eu gostaria em uma menina, e Minnie foi criada só para mim. Ela é incrível.

112


*** Era uma tarde de quarta-feira e eu estava trabalhando em casa durante o dia na elaboração de planos para um novo contrato que estávamos em licitação. É um contrato enorme e Rick está realmente mostrando fé em mim por me deixar assumir a liderança. Se conseguirmos isso, eu vou receber um bônus de trinta mil dólares por eu ser o único a desenhar os planos e programar todo o projeto. Embora o bônus seja um grande motivador, o fato de que Rick acredita em mim o suficiente, para me dar a chance, é o que mais significa. Ele tem, ultimamente, falado muito sobre dar o negócio para mim, e eu estou honrado. Rick vem de uma família de petróleo, de modo que ele tem mais dinheiro do que ele saiba o que fazer com, e sua esposa está fazendo barulhos sérios sobre a mudança de volta para o Texas, de onde ambos são. Se isso acontecer, e eu estou começando a pensar que ele vai, eu vou ter meu próprio negócio anos mais cedo do que eu jamais pensei que teria. Enquanto estava criando os meus desenhos de paisagem, eu estava mantendo uma orelha para a chegada de Minnie e eu tive que rir de mim mesmo por ser tão idiota, que eu não poderia esperar por ela para chegar, mesmo que eu a tinha visto na noite anterior, quando fomos jantar com Leah. O que estávamos fazendo três ou quatro vezes por semana. 113


Dominique veio para ir correr comigo antes do jantar, e essas corridas tornaram-se rapidamente o destaque dos meus dias. Desde que ela me ajudou escolher a tinta, minha cama e todas as decorações, esta nova casa tem o toque de Dominique em todos os lugares. Eu mesmo tenho associado o cheiro das velas pera, que ela tinha me feito comprar, com a sensação de estar em casa. Gostei tanto que ela me comprou um purificador de ar para o meu carro do mesmo cheiro, e cada vez que eu entro no carro eu sinto o cheiro de Dominique, e me sinto imediatamente à vontade, como quando eu estou em casa. Porque nós fizemos a casa tão confortável, estar lá durante o mês passado tem ajudado o meu estado de espírito imensamente. Não passar horas olhando para o último lugar que eu vi Marissa viva, fez uma diferença enorme. É claro que eu sinto falta de Marissa a cada dia, e nada vai mudar isso. Nosso casamento não poderia ter sido "real", mas ela era a minha família e eu a amava. A perda ainda é impressionante, às vezes mais do que eu acho que eu posso suportar, mas eu acho que estou ficando cada vez melhor, conforme o tempo passa. Não muito melhor, a ponto de eu ser capaz de ler a carta que ela deixou, o próprio pensamento faz minhas mãos suarem e meu estômago dar um nó. Enquanto que a carta fica selada, eu ainda me lembro das palavras de Marissa. Quando eu finalmente for ler a carta, será 114


a última vez que eu farei alguma coisa com ela, é esse conhecimento que me impede de lê-la. A finalidade de que é mais do que eu estou pronto para lidar com isso. Meus ouvidos se animaram quando ouvi puxar o carro de Dominique na minha garagem. Sem parar para tirar meus óculos eu fui para frente da casa e abri a porta. Seu sorriso era como o sol e eu me deliciava em seu brilho quando ela fazia seu caminho em direção a mim. Vendo-me na porta, ela deu uma risada rouca. "Santo inferno... Como você consegue olhar ainda mais sexy do que o habitual em óculos”? Foi a primeira vez Minnie tinha dito alguma coisa perto de eu ser sedutor e eu fiquei boquiaberto com ela. Ela virou tomate vermelho enquanto eu olhava para ela. Depois de um segundo, ela deixou escapar: "Oh meu Deus, eu sinto muito! Isso foi incrivelmente rude. Eu não posso acreditar que eu disse isso em voz alta”. Percebi que por ser um idiota boquiaberto, que ela tinha chegado à conclusão de que eu estava desconfortável com o que ela disse. Uma vez que nada poderia estar mais longe da verdade, eu me senti como um idiota. Estendi a mão para o braço dela, e disse: "Não, Minnie... caramba. Me desculpe, eu estava apenas olhando para você como um idiota total. Eu estou agindo como um idiota, mas... se 115


isso te faz sentir melhor, eu acho que você é a garota mais bonita que eu já vi na minha vida”. Seu sorriso respondeu à pergunta que eu tinha sobre a existência ou não dela ter sentimentos por mim. Agora eu tinha certeza de que ela tinha. Antes que eu pudesse editar a decisão, eu a estava puxando em meus braços, colocando a cabeça e inclinando-me para beijá-la.

116


Capítulo 10 Dominique Eu tinha sonhado com Dillon me beijando tantas vezes, que quando ele me puxou para frente, eu pensei que devia ser apenas mais um sonho. Quando os lábios dele cobriram os meus e sua língua deslizou em minha boca eu pensei que eu tinha morrido e ido para o céu. Ele me beijou, e não foi nada como qualquer um que eu já tinha antes. Em vez de atacar a minha boca ele suavemente explorou-me como se eu fosse algo precioso para ele. Ele tinha um sabor incrível na minha língua, viril com uma mistura de goma de canela. Eu nunca tinha me jogado em um beijo antes, mas, com Dillon era tão natural como respirar, por me deixar ir e deixar que isso acontecesse. Eu fiquei na ponta dos pés e enrolei os dedos em seu cabelo loiro escuro, tremendo contra ele quando meu corpo começou a ganhar vida, de uma forma que nunca teve antes. Quando finalmente nos separamos, nos olhamos em silêncio por um momento. Ele quebrou primeiro, com um enorme sorriso no rosto. Correndo o polegar, sobre meu lábio, disse: "Meu Deus, foi ainda melhor do que eu imaginava que seria”.

117


Virei mingau por dentro. Assim como ele, sorri tão grande que minhas bochechas ficaram marcadas. "Então você estava pensando sobre isso também”? Puxando-me para o peito dele, ele me abraçou a ele, e sua risada sexy ecoou em meu ouvido. "Não queira nem saber o quanto eu estive pensando sobre isso. Eu queria perguntar-lhe para sair em um encontro, mas eu não tinha certeza se você pensaria que era cedo demais”. Olhando para ele, eu balancei minha cabeça. "Eu não acho isso”. "Isso me torna menos ansioso então. Dominique, você vai jantar comigo na sexta-feira à noite”? Droga. Meu sonho estava se tornando realidade e eu realmente tive que transformá-lo em pânico para baixo! "Qualquer outra noite, mas nesta sexta-feira, a minha resposta é não. É meu aniversário e minha família está preparando um grande jantar para a minha irmã e eu. O que acha de sábado à noite em vez disso”? "Que diabos”? Eu olhei para ele em choque, surpreso que ele parecia infeliz. Estaria ele realmente ficando com raiva de mim por empurrá-lo fora por um dia? Eu nunca tinha visto Dillon com raiva, nunca tinha o ouvido levantar a voz, mas ele definitivamente parecia aborrecido comigo. 118


"Você está me dizendo a sério que o seu aniversário é daqui a dois dias e você não ia dizer nada”? Oh. Merda. Havia uma razão de porque eu não tinha dito a ele que meu aniversário estava chegando, e a razão era que eu não queria levá-lo a pensar quantos anos eu tinha. Em dois dias eu seria um adulto legal, mas ele pensava que eu já tinha dezenove anos. Agora que ele sabia que meu aniversário estava chegando, ele iria supor que eu tinha vinte anos. Eu precisava tomar coragem e dizer-lhe que Marissa tinha mentido sobre a minha idade, mas o lançamento da bomba sobre ele depois de experimentar o melhor beijo da minha vida, não era um momento oportuno para fazê-lo. Lutando para chegar a uma razão que eu não teria mencionado isso, eu soltei a primeira coisa que me veio à mente. "Eu não queria colocar qualquer pressão sobre você se sentir como se você tivesse que comemorar”. Minha resposta não voou, mas pelo menos ele não estava irritado. "Minnie, é claro que eu quero comemorar o seu aniversário. Você é muito doce para o seu próprio bem, às vezes. Marque querida no seu calendário porque sábado à noite eu vou levar você no nosso

119


primeiro encontro, onde também comemorando o seu aniversário”.

estaremos

Oh. Meu. Senhor. Eu estou indo em um encontro com Dillon Cooper! Ele acha que eu sou bonita. Eu queria me beliscar, para ter certeza de que eu não estava sonhando, mas eu sabia que ficaria como uma menininha idiota. Meu próximo impulso foi fazer piruetas fora de sua varanda. Em vez disso eu peguei a mão que ele estendeu e entrei na casa com ele. Uma vez que ele amarrou os sapatos e pegou sua garrafa de água, voltamos para a nossa corrida. Preocupei-me que as coisas poderiam ficar diferentes ou estranhas entre nós agora que nós tínhamos estabelecido que estávamos interessados um no outro. Felizmente, nada mudou. Estar com Dillon era tão estúpido, e fácil como sempre tinha sido. Nós conversamos sobre Leah durante o nosso tempo de aquecimento e eu tentei acalmar sua ansiedade crescente sobre suas, realmente, dramáticas mudanças comportamentais. Mesmo que eu estivesse dizendo a ele que eu pensava que tudo ficaria bem, eu tive que admitir para mim mesmo que eu tenho ficado realmente alarmada com o que ela andava fazendo. 120


Quando nós dois começamos a correr, eu não tinha tempo para pensar sobre o que estava acontecendo com Leah. Desde a morte de Marissa, Leah ficou realmente selvagem. Nos últimos meses, nós já conhecemos três namorados diferentes e nenhum deles, nem eu nem Dillon gostou. Duas semanas atrás, ela me mandou uma mensagem uma dúzia de vezes, às três da manhã para buscá-la em algum clube em Hollywood porque ela estava bêbada demais para dirigir. Não havia nenhuma maneira que eu pudesse sair da minha casa, sem a minha família pirando, então eu não tinha escolha a não ser chamar Dillon e dizer-lhe que ela precisava de uma carona. Ambos tentamos falar suavemente com ela sobre o que ela vinha fazendo, no dia seguinte quando ela finalmente acordou, mas ela não estava tendo nada disso. Ela jura que ela vai conseguir se recompor e ela apontou-altopara Dillon que desde que ela tinha sido responsável o suficiente para não dirigir sob a influência do álcool, ele devia lhe dar alguma folga porque pelo menos ela tinha pedido ajuda. Dillon lembra-me um pouco de Damien e um monte de Spencer em muitos aspectos ferozmente protetores, mas ele fica uma moleza total quando se trata das pessoas que ele se preocupa. Ele não tem isso dentro dele para tirar para fora em Leah (na verdade eu não acho que ele tem qualquer tipo de temperamento, porque ele nunca grita), e uma vez que ela é uma adulta, o que eu acho que seria um 121


pouco de exagero, mas a verdade é que agora ela pode se beneficiar de um pouco de amor duro. Ou talvez ela não faria, é difícil dizer. Assistindo Dillon, pisar em ovos, tentando resolver a situação me deu uma nova apreciação para o meu irmão Dante e tudo o que ele fez por mim. Ele ama Delilah e a mim mais do que qualquer coisa no mundo, mas, ele tem uma linha que não pode ser mudada e ele é capaz de ser difícil para nós quando ele precisa ser. Um dos meus maiores medos é que eu possa decepcioná-lo de alguma forma. O que ele deu para a nossa família me oprime e eu nunca quero fazer nada que faça ele se arrepender de seus sacrifícios. Ele fica chateado quando o resto de nós fala sobre o que ele dava para nós e ele é muito claro sobre o fato de que ele não considerou nada disso um fardo. Dessa forma Dillon me lembra de Dante. Ele sempre colocava Leah e Marissa, quando estava viva, em primeiro lugar. Espero que um dia eu possa introduzir Dillon aos meus irmãos, Spencer e minha irmã. Eu só sei que ele vai se encaixar bem dentro. Agora eu só preciso pegar minha formatura do ensino médio atrás de mim e então eu posso trazêlo para casa para a minha família. Se Dante sabia que eu ia começar a namorar um homem de 25 anos de idade no meu último ano do ensino médio que iria perdê-lo, mas uma vez que a graduação é por mim não posso dizer muito. Eu acho que qualquer escrúpulo que ele poderia ter sobre ele 122


será apagado quando ele conhecer Dillon e entender o cara que ele é. Eles têm tanto em comum, que eu tenho certeza, que uma vez que Dante se acalmar eles vão acabar sendo bons amigos. Espero. Eu era uma bagunça suada no momento em que terminamos a nossa corrida e assim que passei pelo portão do jardim no quintal de Dillon, cada um de nós parou no gramado para fazer o alongamento depois da corrida. Uma vez que o alongamento foi sobre cada um de nós, relaxamos a coluna e respirarmos. Pode soar estranho, mas eu realmente gostei do silêncio confortável que existia entre Dillon e eu. Eu nunca sentia que precisava exagerar ou preencher com palavras sem sentido. Rolando para o lado para olhar para mim, ele disse: "Ei você deve trazer sua irmã. Eu gostaria de conhecê-la e o resto de sua família, também. O que você acha”? Meu pulso derrapou para uma parada brusca, antes de pegar impulso novamente, e acelerar duas vezes o ritmo que tinha sido original. Não havia nenhuma maneira que eu poderia apresentá-lo à minha família, ainda não. Eu precisava segurá-lo. "Eu adoraria que você conhecesse minha família. É difícil encontrar um momento em que meus irmãos e minha tia não estejam ocupados, porque eles estão sempre trabalhando. Minha irmã trabalha no berçário de uma creche e a quando ela não está 123


lá, ela se dedica à escola ou um tempo com o meu irmão Spencer. Isso é realmente a qualquer momento que ele não esteja trabalhando. Além de Delilah e eu, toda a família trabalha em conjunto, o que é bom, mas este é um tempo ocupado por eles. Vou ficar de olho em seus calendários e ver quando algo se abre. O que acha disso”? Ele acenou com a cabeça quando ele sorriu para mim. "Parece bom. O que eles fazem que todos eles funcionem juntos”? Eu decidi manter a minha resposta simples e bastante genérica. Eu sabia que Dillon tinha ideia de que eu era de uma família que vale centenas de milhões de dólares, e eu não queria deixar o gato fora do saco até a hora de ele se encontrar com eles. "Todos eles trabalham na construção”. Tecnicamente isso era verdade. Hart Internacional projeta e constrói coisas, para a construção não é muito diferente. O que eu não estou dizendo é que o negócio da família "Construção" emprega dezenas de milhares de pessoas no mundo inteiro. "É por isso que você quer ser um arquiteto, não é? Você deve tê-los visto construir coisas por toda a sua vida. Os seus pais estavam na construção também”? Eu era o cão de Pavlov, onde meus pais estavam preocupados e a simples menção deles me fez ficar 124


tensa como se estivesse me preparando para o impacto. Sentando-se, Dillon olhou para mim com preocupação. "Eu estou tão arrependido mel. Você mencionou que seus pais estão mortos antes, mas isso é tudo o que você já disse. Eu não sabia que era um assunto delicado. Eu acho que você deve perder muito deles”. Eu tinha omitido sobre compartilhar toda a verdade quanto a minha idade e os negócios da família com ele, mas eu não iria mentir para ele sobre os meus pais. "Eu não sinto falta deles em tudo," eu digo. "Eles odiavam crianças, particularmente, os que deveriam ser responsáveis. Minha mãe morreu quando eu tinha três anos e meu pai morreu quando eu tinha dez anos. Foi um grande alívio quando ele morreu, para ser honesta. Meus irmãos levantaram-se e quando nós chegamos, eles nos criaram. Se não fosse por Dante, Damien e Spencer, minha irmã e eu não estaríamos vivas hoje. Depois que nosso pai morreu, a irmã de minha mãe tem nossa guarda, e em seguida, Spencer também. Ela nos deu toda a vida em casa que nunca tínhamos tido antes. Ela é a única mãe que eu já tive e eu a amo em pedaços. Eu só queria que ela tivesse conseguido a nossa guarda mais cedo, porque muito da minha vida teria sido diferente se. ..”. 125


Eu de repente parei de falar, surpresa comigo mesmo, por ter me deixado tanto tempo fora da minha guarda. Eu estava a segundos de distância de dizer a Dillon o que meu pai tinha feito para mim. Ainda assim, se houvesse alguém que eu sabia que poderia lidar com isso, essa pessoa seria Dillon. Eu percebi que ela tinha ido, com o estranho silêncio no quintal. Eu olhei para cima para ver Dillon olhando para mim com uma expressão de horror em seu rosto. "Eu ouvi algo muito parecido com essa frase antes Minnie. Só que era Marissa quem falou isso. Seu pai fez algo para você, querida”? As lágrimas enchiam os meus olhos antes que a pergunta saísse totalmente de sua boca. Enxugando as lágrimas que escaparam, eu balancei a cabeça e em seguida, respondi a sua pergunta verbalmente. "Meus irmãos eram tão protetores, sempre em guarda e alerta, mas um dia meu pai teve uma oportunidade e ele pegou. Tenho sorte de que eles vieram para casa antes que ele tivesse a chance de me estuprar. Tocou-se, tocou-me, mas pela graça de Deus, ele não chegou a me violar. A coisa é... ninguém sabe, porque eu nunca disse a ninguém da minha família. A primeira pessoa que eu disse a história foi Marissa. Eu costumava ser muito parecida com ela, Dillon. Problemas de ser 126


tocada, problemas com a intimidade, depressão e ansiedade. Ela foi a única que me ajudou a começar a trabalhar o meu caminho através de tudo isso. Agora eu percebo que sou forte o suficiente para sobreviver e eu nunca vou deixar o que ele fez me arruinar”. Foi tão bom dizer a ele, me abrir com ele completamente. Inclinei-me em sua mão quando ele segurou meu rosto e usou o polegar para enxugar minhas lágrimas. "Você me surpreende Dominique. Você é facilmente uma das pessoas mais fortes que eu já conheci embora eu tenha percebido muito antes de hoje, estou mais em respeito a você do que nunca. Sinto muito que ele tocou você, baby, mas eu quero que você saiba que eu estou muito orgulhoso de você para não deixá-lo destruir sua vida. Espero que você não esteja mantendo isso de sua família, porque você ache que de alguma forma a culpa é sua”. Foi um pouco de um choque perceber que eu realmente queria ser envolvida em torno dele naquele momento. Sentei-me e subi em seu colo. Quando ele passou os braços em volta de mim, e colocou seu rosto no topo da minha cabeça, eu derreti nele. "Por muito tempo, eu achava que a culpa era minha. Mas agora que estou mais velha, eu entendo que ele teria feito a mesma coisa com a minha irmã 127


ou qualquer outra pessoa que ele pusesse as mãos. Meu pai era um monstro que vivia de fazer valer o seu domínio e fazer as pessoas sentirem-se inferior. Ele quebrou as pessoas como um hobby. Eu estava no lugar errado, na hora errada”. "A razão que eu nunca disse a minha família é que eles tiveram que lidar com o suficiente. Quando eu digo que desisti de tudo para a minha irmã, eu não estou exagerando. Eu nunca vi uma razão para dizer-lhes, porque tudo o que eu não gostaria de fazer é fazê-los se sentir culpados”. Abraçando-me mais apertado, ele respondeu: "Querida algo terrível aconteceu com você. Você deveria ter o apoio necessário em todos esses anos. Seus irmãos devem ser muito mais velhos do que você, então eu tenho certeza que eles teriam lidado com isso”. Eu juro que eu senti uma mudança física dentro do meu corpo quando o meu coração abriu a porta para Dillon. Ele não era apenas um grande cara, um cara quente, um cara legal, um cara inteligente,... ele era o cara que eu estava caindo de amores. Eu o segurei com força, ele me consolou e reanimou tanto pelo cheiro de sua pele e as batidas do seu coração, abaixo do meu rosto. "Eu não sabia o quanto eu precisava de apoio, até que eu conheci Marissa e nós duas começamos a nos abrir uma com a outra. Eu sei que se eu dissesse à minha família eles me apoiariam e eu sei 128


que eles poderiam lidar com isso... É que eu nunca tive a certeza de que eu queria que eles me apoiassem. Se você visse a maneira como nós crescemos e todas as coisas terríveis que eles já viveram, você entenderia. Eles não são muito mais velhos do que eu também. Dante é o mais velho e ele é apenas sete anos mais velho do que eu, e Damien e Spencer são três anos mais novos do que ele. Mesmo que eu sei como isso funcionou, às vezes até eu não posso acreditar que eu era cuidada como um bebê, por uma criança de sete anos e dois pré-escolares de quatro anos de idade. Eu acho que é seguro dizer que lidei com muita sim e eu tenho certeza que eu não sei tudo. Eles devem ter mantido as coisas de mim, na minha mente, eu estou devolvendo o favor”. "Ah querida eu entendo o que você está dizendo, mas eu acho que se você chegar ao ponto onde você se sente forte o suficiente para dizer-lhes, você deve. Como alguém que viveu a sua vida para sua família, eu posso te dizer que eu odiaria pensar que Leah iria esconder algo assim de mim, a fim de poupar meus sentimentos. Você não tem que dizer a eles, se você não quiser, mas se você precisar falar comigo sobre isso, eu sempre estarei aqui. Não mantenha nada disso engarrafado dentro de você, Minnie. Eu estou aqui por você e terei prazer em segurá-la se chegar a ser demais”. Inclinei a cabeça para trás, eu levantei a minha mão e entrelacei os dedos pelo cabelo dele para que eu 129


pudesse puxar sua cabeça para mim. E quando nossos lábios se encontraram meu coração derreteu. Naquele momento Dillon se tornou o único homem do lado de fora da minha família, que eu acreditava e confiava plenamente. Cada parte de mim sabe que ele é a pessoa certa para mim.

130


Capítulo 11 Dillon A nova dinâmica para o meu relacionamento com Dominique é ainda melhor do que o que eu desejei. Eu nunca me senti tão perto de alguém antes, é um sentimento que eu nunca pensei que eu teria. Se eu for honesto, é meio assustador. Estamos nos primeiros estágios do que eu espero que nós venhamos a nos tornar, e eu já sei que estou apaixonado por ela, duro e rápido. Esta menina inteligente, engraçada, forte e bonita está mudando minha vida, um momento de cada vez. Embora possa ser esmagador e ter alguma ansiedade que estou no mais profundo do que eu já estive eu não mudaria por nada no mundo. Pela primeira vez na minha vida eu tenho alguém que está comigo por opção não porque ela depende de mim para cuidar dela ou porque eu sou sua única família. Pode soar estranho para outra pessoa, mas a sensação de ser escolhido por Dominique me deixa mais feliz do que eu já estive. Faz sete anos que eu tinha beijado, tocado ou abraçado uma menina e eu estava nervoso que seria estranho. O fato de que ela não é qualquer uma é um enorme alívio.

131


Tendo Dominique sentada no meu colo enquanto nós dois nos abraçamos e nos beijamos era a perfeição. Desde a minha relação no ensino médio era mais sobre sexo, e tem um bom tempo, eu não tinha chegado a ser fofinho muitas vezes com a garota que eu estive então, o que estava acontecendo com a gente era novo para mim. Uma quantidade desconhecida de tempo passou enquanto nós nos beijávamos, e meu coração nunca abrandou por um momento. Ela provou leve e fresca, a defesa e impulso de nossas línguas uma delícia sensual. O que mais gostei sobre o beijo dela era que estávamos empatados. Ela levou tudo que eu tinha, deu-me todas as partes de si mesma. Definitivamente, não foi um beijo normal, pelo menos, não na minha experiência. Parecia algo muito maior do que duas pessoas que fazem fora em um gramado, isso é certo. Beijar Dominique era uma exploração, uma semente a ser semeada. O início de uma nova jornada e a madrugada chegando sobre o oceano, tudo em um. Sem dúvida, foi o começo de algo grande e eu senti a mudança. Eu vi um futuro brilhante para nós dois, uma maneira de sair da escuridão e das sombras que vivemos por muito tempo. Quando finalmente nos separamos e olhamos um para o outro estávamos sem fôlego. Eu tomei uma imagem mental do momento que meu coração me disse que eu queria aquilo para o resto de minha vida. Passando a mão no meu torso, ela descansou132


a sobre o meu coração. Olhando em seus olhos eu vi que ela estava tão deslocada quanto eu. "Esta é a primeira vez na minha vida que eu fui capaz de ser beijada e manter alguém próximo sem pirar, como se houvesse algum grande segredo que eu não consegui. Todo mundo fala sobre como é bom fazer isso e eu nunca tive isso... até agora, até você”. Esfregando as mãos suavemente para cima e para baixo nos seus braços, eu sorri. "Estou tão feliz, baby. Se você já se sentiu sobrecarregada ou você não quer estar tão perto, apenas me diga e eu vou recuar. Significa que não, e eu prometo, que eu nunca vou empurrá-la ou tumultuar o seu espaço”. Balançando a cabeça, ela respondeu: "Eu não acho que seria possível para você me tumultuar. Você é diferente de mim. Eu não tenho medo, eu estou feliz”. "Eu estou muito feliz. Sentado neste gramado com você agora, estará no carretel do destaque que eu receberei no fim da minha vida. Como eu me sinto sobre você assusta o inferno fora de mim, mas eu não mudaria isso por nada”. Quando ela sorriu para mim eu juro que o mundo ficou mais brilhante. "Oh Dillon... foi lindo! Eu sempre fico feliz quando estou com você, mas agora eu estou animada que nós estamos indo para dar o próximo passo”. 133


Eu estava malditamente animado também. Nos abraçamos por mais alguns minutos no gramado antes de ir para dentro. Antes de sair, ela perguntou a que horas eu queria que ela viesse no sábado para o jantar. Eu disse à ela que eu pensei que eu deveria buscá-la na casa dela, mas ela me informou que o nosso primeiro encontro, ela não queria me colocar tendo sua família para me interrogar. Tentei dizer-lhe que não me incomodava, mas a escolha dela era essa. Sua rotina na maioria das noites, durante a semana, era me deixar pouco antes da hora do jantar e depois de vários beijos mais longos e lentos, ela fazia exatamente isso. Eu queria pedirlhe para ficar, mas ela tinha me dito antes que se ela quebrar sua rotina noturna frequentemente, às vezes ela não teria tempo suficiente para se preparar para suas aulas. Desde que ela tinha acabado de sair para jantar com Leah e eu sabia que pedir-lhe para ficar para o jantar seria demais. Ela só tinha, realmente, se desviado de sua programação todas as noites durante o mês que Marissa tinha ficado tão deprimida e eu tive que admitir mais tarde que tinha sido muito difícil para ela ser capaz de estar lá todas as noites. Desde que teve que dizer que as notas dela poderia ser prejudicadas eu entendi que eu não podia pressioná-la para ficar até tarde nas noites quando ela tinha aulas no dia seguinte. 134


Depois de comer as sobras de comida chinesa da noite anterior, eu voltei para o meu escritório e retornei para a elaboração de minhas ideias para o projeto que estávamos em licitação. A poucos minutos de trabalho eu tive uma ideia totalmente nova para o projeto, que foi inspirado por Dominique. O jardim que eu criei no papel era tudo sobre a renovação, crescimento, força e sustentabilidade. Os canteiros foram das trevas para a luz, flores saudáveis que sempre voltam. Eu criei áreas de estar e então eu escolhi árvores e arbustos que se encaixavam no tema. Eu trabalhei até quase três da manhã nele e quando eu estava acabado eu dei um passo para trás e olhei para minhas pranchas de apresentação com um sorriso de merda. Mãos para baixo, este a melhor coisa que eu já havia desenhado, a minha própria versão de um jardim de amor. Eu queria enviar uma mensagem de texto para Dominique e dizer-lhe que ela era a melhor musa, mas consegui manter meus dedos longe do meu telefone. Primeiro porque era tarde e eu não queria acordá-la, e segundo, porque eu estava esperando que eu fosse fazer o trabalho, então eu poderia levá-la e mostrar-lhe pessoalmente. Pela primeira vez em meses eu fui para a cama com um sorriso no meu rosto e ansioso para saudar o dia seguinte. 135


*** Minha confiança aumentou ainda mais quando eu mostrei a Rick minhas pranchas de apresentação e tive sua reação desmarcada. Ele amou tudo sobre eles e me disse que ele tinha certeza de que iríamos fazer o trabalho uma vez que o cliente visse a minha ideia. "Saberemos até quarta-feira da próxima semana quem ganhou o contrato. Se o conseguirmos e estou confiante que vamos, começaremos as fundações em dois meses. Uma vez que estivermos no local, que seria uma reviravolta, só teríamos apertados 15 dias para que isso aconteça. Assim todos teriam de trabalhar horas extras a sério. Mas se conseguir, será o seu lançamento para o grande momento. Você sabe que Monica estava na minha bunda sobre a mudança de volta para o Texas. A grande novidade é que acabei concordando com ela. Uma vez que a nossa filha decidiu ir para Texas A & M, me rendi. Toda a minha grande conversa sobre ser sem emoção, quando se trata de negócios, não significa merda porque eu não posso ter a minha menina em um estado diferente. Se ficarmos com este contrato e você correr com ele do jeito que eu vi sobre estas pranchas, eu estou deixando você na pole position para o sucesso nesta cidade. Eu acredito em você, garoto”. 136


Rick foi praticamente a coisa mais próxima de uma figura paterna que eu tive desde que meus pais morreram, e isso significava o mundo para mim, que ele tinha tanta fé em mim. Eu sentiria falta dele terrivelmente, mas, eu tinha a maldita certeza que não iríamos perder o contato. Ainda assim, eu estava emocional com a ideia de não trabalhar com ele todos os dias, e antes que percebesse, eu o tinha agarrado em um abraço de urso rápido, antes lhe batendo no ombro e saindo um rápido, "isso significa tudo para mim, Rick", após o nó na minha garganta. Rindo, ele me deu um tapinha nas costas. "Significa muito para mim também garoto. Minha filha não tem interesse na paisagem, de modo que tudo que eu sei eu passei para você. Você me faz orgulhoso”. Deixei Rick para lidar com a apresentação de nossa proposta para que eu pudesse sair e supervisionar um dos nossos locais de trabalho atuais. O dia passou rapidamente e depois do trabalho eu fui direito para a joalheria para comprar algo para o aniversário da Minnie. O vendedor não era tão útil, sugerindo coisas que eu achava que eram um pouco mais alto e chamativo. Dominique não era chamativa, por que ela não precisava ser. Sua beleza e graça chamou a atenção naturalmente, sem necessidade de ser vista. Vinte minutos de busca mais tarde, encontrei uma pulseira de prata, pulseira sólida, delicada com um coração em forma de fecho. Depois de escrever 137


a inscrição para o interior da pulseira eu paguei o bracelete e o custo de ter a gravura apressado, e em seguida dirigi-me para a florista perto da minha casa nova. Uma vez que eu tinha encomendado um arranjo de hortênsias misturadas com rosas brancas, fui para casa para fazer uma reserva para jantar. Eu decidi por um íntimo restaurante italiano, que Rick jurou ser a melhor comida que já provei. Os preços eram muito razoáveis e se Rick disse que era bom eu sabia que isso significava que era. Foi horrível não conseguir ver Minnie, e foi ainda pior porque eu sabia que não iria vê-la à noite seguinte, já que era quando o seu jantar em família aconteceria. No próximo ano eu esperava que eu fosse convidado para seu jantar de aniversário da família. Eu queria apertar as mãos com os irmãos que tinha levantado uma garota tão incrível.

***

Os dois dias que se passaram sem ser capaz de ver arrastado para fora. Nós nos mandamos muitas mensagens e falamos ao telefone em ambas as noites, mas não era o mesmo que tê-la comigo. Ela tentou obter informações de mim sobre onde eu estaria levando-a para o nosso encontro, mas tudo

138


o que eu disse a ela foi que ela teria que usar um vestido. Usei cada momento livre que eu tive durante esses dois dias, para criar um primeiro encontro que iria explodir sua mente. Primeiro eu fiz-lhe um CD mix de músicas que eu estava ouvindo, que me lembravam dela. Essa foi a parte mais fácil do meu plano desde o resto envolvido, envolvendo luzes brancas ao redor do pergolado no meu quintal. Quando eu abri a porta para cumprimentá-la, na noite de nosso encontro, meu queixo caiu. A única vez que eu tinha visto Dominique de vestido foi no funeral de Marissa, mas ela estava usando preto e o dia foi tão horrível que eu não me lembro de muita coisa sobre a roupa. Esta noite ela estava usando um vestido azul royal com pequenas bolinhas brancas, acima do joelho. Seu cabelo estava selvagem e ondulado, e suas brancas alpercatas plataforma open-toe estavam exibindo as pernas assassinas. Ela sempre foi excelente, mas esta noite ela estava sexy. Eu me senti como se eu tivesse acabado de abrir um bar Wonka e encontrado o bilhete dourado, porque ela estava vestida para um encontro comigo. Eu tinha ficado nervoso antes de eu abrir a porta, mas assim que eu a vi me acalmei imediatamente, puxando o buquê de flores que eu tinha chegado de trás das minhas costas e apresentá-las para ela.

139


"Você está linda", disse ela, "e eu vou ser a inveja de todos os homens da cidade quando chegar com você usando esse vestido”. Ela ficou encantada com as flores, um sorriso de orelha a orelha quando ela tirou de minha mão e as cheirava. "Muito obrigada pelas flores, são lindas! Para o registro, você está de dar água na boca. Eu provavelmente vou ter que bater meninas fora de você a noite toda”! Eu estava feliz que ela gostou do que eu tinha vestido, uma vez que levou uma hora para fazer compras a noite, antes de escolher a camisa e gravata. As calças eu já tinha, mas eu me recusei usar qualquer coisa que eu tinha usado para o funeral de Marissa no meu encontro. No final eu tinha ido com uma camisa cinza aço e uma gravata azul que eu tinha escolhido porque me lembrou dos olhos de Dominique. Foi pura sorte que eu, basicamente, acompanhei ela uma vez que ela estava vestindo azul também. Eu não podia esperar mais um minuto para tocá-la. Colocando minhas mãos em seu rosto, eu me inclinei para um beijo. Eu quis dizer que seria breve, mas não funcionou dessa maneira. Sem sequer perceber que estávamos nos movendo, eu estava de costas contra a porta. Eu ouvi, mas realmente não registrei as flores caindo no chão, meu foco

140


estava em seus dedos atados juntos por trás do meu pescoço, para me segurar mais perto dela. Durante sete anos, meu corpo tinha hibernado, mas agora ele estava acordado e eu estava em chamas pela menina em meus braços. Eu queria tanto, que doía fisicamente. Eu não podia beijá-la, tocá-la ou estar perto dela o suficiente. Seu corpo esfregando contra o meu, em cima de seus pequenos suspiros e gemidos me tinha duro como um dois por quatro. Paixão? Tivemos em espadas. Era mais do que apenas o fato de que eu queria estar dentro dela, era o que eu queria estar tão perto dela quanto humanamente possível. A voz irritante dentro da minha cabeça, finalmente decidiu me lembrar de que tínhamos reservas para o jantar, e é o que finalmente me fez começar a colocar os freios. Eu queria levá-la ao nosso encontro e criar uma memória para nós dois. Eu também queria comemorar seu aniversário e darlhe o presente que eu tinha escolhido. Seu gemido frustrado quando eu interrompi nosso beijo quase me fez jogar os meus planos para fora da janela. Se não fosse pelo fato de que eu queria que o nosso primeiro encontro fosse o mais memorável que ela nunca teria (ou o único, minha voz interior proclamou), eu teria ficado com ela contra a porta por horas.

141


Soltando um beijo em sua testa eu passei meus braços em volta dela e a abracei por um momento antes de dar um passo para trás. "Isso foi tão lindo que eu quase esqueci que temos reservas de jantar. Felizmente a minha consciência não o fez. Você arruma seu vestido e eu vou levar você para fora na cidade e mostrando-o fora”. Quando ela levantou a cabeça e deu um beijo no meu pescoço, eu vim dentro de segundos de lançar o plano de jantar fora da janela. Jogando minha libido para o chão, eu me afastei dela e me inclinei para pegar as flores que ela tinha deixado cair. "Eu vou colocar estas no balcão da cozinha. Você pode obtê-las quando voltar para casa”. Depois de colocar as flores no balcão eu voltei para ela. Foi a coisa mais natural do mundo para chegar e colocar a mão dela na minha. Eu não soltei a mão dela, até que chegamos ao meu carro e eu a ajudava a entrar. Uma vez que eu estava no banco do motorista, peguei a mão dela novamente. Demos as mãos por todo o caminho para o restaurante e isso é uma memória que eu nunca quero esquecer.

142


Capítulo 12 Dominique Minha irmã tinha feito o sair da casa, hoje à noite, um pesadelo. Nossa maldita "gêmea-dar" funciona muito bem, e ela poderia dizer definitivamente que algo estava acontecendo. Quando Marissa faleceu eu tinha planejado não contar a ninguém da minha família. Ela era a minha razão para estar fora de casa o tempo todo, e eu não queria trazer o nome de Dillon para ele. É claro que eu não iria conseguir manter quieto, porque Delilah tinha me mandado mensagens de texto na noite em que Marissa morreu me perguntando o que estava errado. Eu me coloquei fora por tanto tempo quanto eu consegui, mas eventualmente, eu tinha rachado e disse a ela que Marissa morreu. Quando Delilah perguntou por que, eu só disse que tinha ficado muito doente e não resistiu. Eu me recusei a fornecer mais detalhes e Delilah sabia melhor do que me forçar muito. Ela trabalhou em meu favor já que eu tinha começado a falar de Leah antes mesmo de Marissa falecer porque Delilah não fez nenhuma pergunta quando eu comecei dizendo que eu estava gastando todo o meu tempo com Leah. 143


Eu estava no meu quarto me preparando pro meu primeiro "primeiro encontro", quando Delilah veio intrometendo-se e se sentou na minha cama. Soltou um assovio quando me viu. "Uau sexy mana, com quem você vai sair com esta noite”? Embora eu ame minha irmã eu sei que ela não pode manter um segredo de Spencer para salvar sua vida. Se eu lhe contar sobre Dillon, será notícia da família dentro de dois dias. Sendo esse o caso, eu menti. "Leah e alguns amigos estão me levando para jantar fora por causa do meu aniversário”. "Hmm... você está arrumada demais pra sair pra jantar com amigos. Você tem um encontro esta noite escrito sobre você, desde a roupa para o brilho em seu rosto. Diga-me a verdade, isso é um tipo romântico de um jantar”? Porra de rosto estupidamente expressivo porque corei oitenta e cinco tons de vermelho, em menos de dez segundos. Não importava o que eu dissesse agora, ela teria sua resposta. "Não! É apenas um jantar com amigos. Deixe-me sozinha Delilah você está me deixando nervosa”. Levantando-se da minha cama ela atravessou o quarto em minha direção. Ficando atrás de mim no espelho, ela colocou o braço em volta da minha

144


cintura e colocou a cabeça no meu ombro para que ela pudesse me olhar nos olhos no espelho. "Você não tem que mentir para mim você sabe. Eu sempre vou apoiá-la, não importa o que aconteça”. Eu queria bater o pé em frustração, porque eu sabia que ela estava se referindo ao fato que ela pensou que eu era lésbica. Ainda assim, era melhor do que ela saber que eu estava indo para um encontro com alguém, que era sete anos mais velhos do que eu, então eu apenas sorri para ela. "Eu sei que você faria Delilah, mas não há nada para dizer. Seja uma boa irmã e deixe-me terminar de me arrumar, sem mais interrogatórios e amanhã podemos fazer uma noite de cinema”. Depois de me dar um beijo na bochecha ela recuou. "Tudo bem eu vou deixá-la sozinha. Vê-la tão feliz é bom o suficiente para mim. Você está linda e eu estou emprestando totalmente esse vestido! Eu vou alugar alguns filmes para amanhã à noite, mas você está no comando de obter-nos alguma coisa gostosa pra comer, feito”? Sorrindo para ela eu respondi: "certo". "Só uma última pergunta... Você está passando a noite fora ou você está vindo para casa”? Oh Cristo! Minha irmã estava me perguntando se eu ia dormir com Leah esta noite. Eu tive que escolher minhas batalhas com sabedoria, em vez de discutir o ponto que Leah era apenas uma amiga, eu disse a 145


ela que eu não tinha certeza se eu estava passando a noite fora ou não. Eu tinha uma mochila pronta, apenas no caso se as coisas ficassem do jeito que eu queria, eu gostaria de passar a noite fora. Eu estava nervosa pra chegar até Dillon. Ele não tinha me dito para onde estávamos indo ou o que iríamos fazer, então eu não tinha certeza se eu tinha me vestido certo. Sua única instrução tinha sido unicamente a usar um vestido, mas se ele me levar em algum lugar de fantasia eu não tinha certeza de que o que eu tinha seria suficiente. Meus nervos dissolveram completamente quando Dillon abriu a porta da frente e vi a expressão de alegria em seu rosto. Onde quer que nós estivéssemos indo para jantar, passei o agrupamento. Minhas entranhas viraram mingau, como eu olhei em seu traje para a noite. Ele olhou sexy e incrível, e eu estava muito orgulhosa de ser seu encontro. Quando ele estendeu um buquê de flores para mim, eu fui fraco nos joelhos. Foi a primeira vez que um homem estava fazendo o gesto para mim e eu amei que era algo que eu sempre me lembraria, porque elas vieram de Dillon. Quando ele começou a me beijar, eu pensei que eu tinha morrido e flutuado para o céu. Meu corpo inteiro estava em chamas, o meu sangue em minhas veias em dobro de velocidade. Eu pensei que eu tinha experimentado totalmente nossa 146


química, no outro dia no gramado, mas esta era mais. Meus seios estavam sensíveis, eu tinha borboletas no meu estômago e senti-me molhar. Era um mundo totalmente novo para mim. Eu gemi quando ele interrompeu o beijo, querendo nada mais do que continuar como estávamos. Simplificando, eu queria que ele e eu continuássemos e eu não estava com medo do que isso significaria. Eu gostei que ele segurasse minha mão na sua, quando saímos de casa, e eu absorvi o sentimento de segurança que estar com Dillon me deu. O restaurante que ele tinha escolhido para o jantar era pequeno, elegante e muito romântico. Tinha um toque de velho mundo italiano que ao mesmo tempo era acolhedor e convidativo, as fontes de luz importantes sendo esmaecidas, lustres e velas da coluna em lâmpadas de furacão em cada mesa. Minha coisa favorita foi a de que estávamos sentados lado a lado em uma lua na forma de banquete, metade com divisórias que percorreu todo o caminho até o teto para a privacidade. Porque nós estávamos, escondidos em um canto quieto era como se estivéssemos sozinhos. Uma das coisas que mais gosto em Dillon é que ele nunca se surta por eu querer provar o sabor da comida de seu prato. Eu sei que isso incomoda à algumas pessoas, então eu geralmente tento não fazer isso em público, mas é algo que Delilah e eu sempre fizemos uma com a outra. Não foi até que 147


eu estava no colégio, que eu percebi que era realmente chato para algumas pessoas. Nunca tinha incomodado Marissa e não incomodou Dillon ou Leah também. Para esse fim Dillon ordenou fettucine Alfredo e eu pedi frango com parmesão para que pudéssemos compartilhar nossas refeições, um com o outro. Eu não tinha ideia de que a partilha de alimentos com alguém, pudesse ser uma experiência sensual, até que Dillon e eu estivéssemos sentados lado a lado em uma cabine, escondidos em nosso próprio cantinho, no nosso primeiro encontro. Quando ele não estava segurando a minha mão, fomos alimentando um ao outro com mordidas de comida de nossos pratos. Eu tenho um pouco de molho no meu lábio que ele limpou com o polegar e começou a lamber. Eu realmente choraminguei quando ele fez isso me surpreendendo com a minha resposta. O olhar de resposta em seu rosto estava escaldante, tão quente que eu fiquei surpresa que não aumentou a temperatura na sala tão alto que os borrifadores seriam forçados a vir diante. "A comida aqui é incrível, mas é ainda melhor porque estamos alimentando um ao outro. A coisa mais fácil que eu já fiz é passar tempo com você, Minnie. Eu me sinto melhor quando estamos juntos, do que nunca antes. Espero que isso não te assuste”.

148


Balançando a cabeça maravilhada que eu lhe disse a verdade. "Estou aliviada de que não sou só eu que pensa e senti dessa maneira”. "Acredite em mim, baby, você não está sozinha nessa”. A refeição foi adorável, o novo nível do nosso relacionamento dando-lhe um sentido que me derretia de dentro para fora. Estávamos tão arraigados em nosso próprio mundinho que eu me assustei quando a nossa garçonete chegou com um pequeno bolo de aniversário, completo com uma vela para eu fazer um pedido. Eu sabia antes mesmo de definir o bolo para baixo o que era o meu pedido. Dando a Dillon um sorriso, eu me inclinei para frente e desejei que Dillon e eu estivéssemos juntos em dez anos, e depois eu apaguei a vela. Fiquei encantada quando a garçonete perguntou se qualquer um de nós tínhamos uma câmera que ela poderia usar para tirar uma foto de nós. Por sorte eu tinha minha câmera digital na minha bolsa. Nós posamos de rosto colado por vários tiros e então eu agradeci profusamente, por tirar as fotos. Meus dedos tremiam quando ele me entregou um saco de presentes, para abrir. A primeira coisa que eu tirei foi um CD que estava em um saco que dizia: "De mim para você”. Olhando para ele levantei uma sobrancelha, em silêncio. Levantando minha mão aos lábios, ele a beijou antes de me dizer: "Eu fiz 149


um CD Mix de canções que me fazem pensar em você. Eu estava esperando que pudéssemos ouvilo quando chegarmos em casa”. Eu estava tão emocionada que não conseguia pensar em nada para dizer, então eu passei meus braços em torno dele e sussurrei: "Obrigado" em seu ouvido. Quando finalmente o soltei do nosso longo abraço, ele gesticulou para o saco e me disse para continuar. O próximo item na bolsa estava uma caixa de joias. Engoli em seco quando eu abri e vi uma bela pulseira de prata, pulseira essa que tinha um coração em forma de fecho. Eu não podia acreditar que ele tinha me dado uma joia e isso me deixou atordoada além de tocada. Pegando-a da caixa, ele ergueu-a e disse: "Leia o interior”. Eu acho que meu coração deu algumas batidas quando vi a inscrição. Ele dizia: "Para Dominique, a garota mais linda do mundo. Amor, DC”. Eu vejo meu reflexo na forma de outra face que é supostamente idêntico a minha, a cada dia, mas ao mesmo tempo eu sei que a minha irmã é linda, mas eu nunca me vi dessa forma. Quando eu olho para mim mesma no espelho, eu vejo uma criança abandonada, uma menina com medo, uma versão diluída e menos vivo de Delilah. Muitas vezes, quando eu estou olhando para a minha irmã eu estou querendo saber se eu tinha esse tipo de faísca 150


em mim, antes do dia em que meu pai fez o que fez, ou se eu tivesse sempre sido menos? Agora, este homem surpreendente estava me dizendo mais uma vez que ele me achava bonita e eu mal sabia o que fazer ou dizer. Não havia palavras para falar quando apenas ação faria. Enrolei meus braços em torno dele, tocando meus lábios suavemente no dele, enquanto eu mostrei a ele o que seu presente significou para mim. Foi um beijo suave que disse uma centena de coisas de uma forma mais sincera do que palavras jamais poderiam. Ele não sabia, mas Dillon estava respirando confiança de volta para dentro de mim, apenas por ser ele mesmo. Quando nos separamos, ele sorriu para mim, os olhos cheios de uma emoção que eu tinha esperanças, que era um perfeito coincidir com o meu próprio. "Estou tão feliz que você gostou dos seus presentes baby. Que tal se eu colocar o bracelete por você”? "Eu adoraria isso”. Tomando a pulseira de mim, levantou minha mão e colocou-a no lugar antes de clicar no fecho de coração no lugar. Eu senti um arrepio involuntário e soltei um suspiro ofegante quando ele inclinou a cabeça para baixo e beijou pela primeira vez o fecho, em seguida, a parte inferior do meu pulso.

151


"Um ajuste perfeito para a minha garota perfeita. Eles quebraram o molde quando você foi criado Dominique. Obrigado por ser a minha bússola e meu guia quando eu hesitei, me segurando e me puxando para trás até ver o lado bom da vida, sempre que eu começava esquecer ou deixar ir, e principalmente, por confiar em mim o suficiente para mostrar-me que o que está dentro de você é ainda mais bonito do que o do lado de fora. Quando eu lhe digo que você é a garota mais linda do mundo, eu não me refiro apenas do lado de fora. É a sua força, seu caráter, sua mente, seu coração e sua essência acima da perfeição física que você tem que te faz bonita. Você é muito mais do que você pensa que você é, baby. Vai ser o meu prazer deixá-la conhecer a si mesmo através dos meus olhos”. Naquele exato momento, eu caí completamente apaixonada por Dillon Cooper.

152


Capítulo 13 Dillon A viagem de volta para a minha casa, foi feita com a minha linda Minnie enfiada no meu lado com a cabeça apoiada no meu ombro. Eu gostei bastante que ela precisava estar tão perto de mim, como eu queria estar com ela. Foi uma experiência totalmente nova para mim para ter certeza. Depois de tantos anos passados com alguém que não acolhia o contato físico de qualquer natureza, tornou-se uma segunda natureza para eu não ser tátil com ninguém, exceto, ocasionalmente, Leah. Mesmo que tivesse sido uma versão diluída de verdadeira afeição física entre os irmãos, desde que éramos ambos dolorosamente conscientes de que a nossa capacidade de abraçar um ao outro, era algo que Marissa não podia fazer. Nossos abraços tinham se transformado em algo rápido que, por acordo tácito só fazíamos se Marissa não estivesse no quarto. No silêncio da cabine do carro, pensei na minha mãe a dizer-me que quando eu era um bebê, eu não sabia como ser abraçado ou detido. Eu tinha crescido fora isso, com os meus pais e minha irmã, e posso lembrar-me abraçando todos eles regularmente. Antes que eu percebesse, nossos pais tinham ido embora e eu era um garoto de dez anos 153


tentando segurar o pequeno pedaço da minha família que eu tinha deixado, com medo da minha mente que seriam separados e eu perderia Leah também. Depois veio Marissa, e me adaptei rapidamente à sua política de não tocar. Eu tinha esquecido o que era a sensação de ser abraçado com ternura e carinho como o calor que eu sentia quando minha mãe me abraçava. Agora sinto algo parecido com Dominique, mas é misturado com algo maior e mais profundo jogado dentro. Eu sempre soube como aceitar seu toque e de fato desejava isso. Mesmo antes de começarmos esta nova parte da viagem, que estamos juntos, eu sempre achei conforto em qualquer afeto físico que ela deu. Puxei meu carro na minha garagem, desliguei o motor, surpreso quando ela não se mexeu. Virando minha cabeça, descobri que seus olhos tinham fechado em algum ponto durante a viagem. Minha escolha seria entre deixá-la dormir ou acordá-la, e minha decisão foi fácil. Voltei a por a chave de volta na ignição, virando-a para frente de modo que o rádio podia ser ligado. Desde que eu tinha uma cópia do CD que eu tinha feito por ela, já no meu leitor de discos eu pressionei o jogo antes de me inclinar para trás e envolver meu braço em volta dos ombros com cuidado para não perturbá-la. A primeira música foi a minha mais recente obsessão "Olhos Azuis" por Cary Brothers. Isso soou como se fosse uma escolha óbvia, dada a cor de 154


seus olhos, mas as letras significavam um inferno de muito mais do que isso. Sorri quando senti seu turno ao meu lado, levantando a cabeça para que ela pudesse olhar para mim. Virando a cabeça, eu sorri para ela. Mesmo sem luz no carro, eu ainda podia vê-la perfeitamente. Eu vivia no vale afinal, e não em um dos mais longes bairros Ventura Boulevard que, por isso sempre havia luz aqui. "Ei dorminhoca”. "Hum, desculpe, eu adormeci. Eu estava tendo um daqueles sonhos de sono leve, quando eu ouvi essa música começar a tocar. É uma das minhas favoritas”. "Não se desculpe por se sentir tão confortável comigo que você adormeceu em mim, porque eu gosto. Fico feliz que você gosta dessa música, porque está no CD mix que eu te fiz. Eu coloquei na minha cópia de seu mix quando paramos e eu vi que você estava dormindo. Se você estiver pronta para ir para dentro, agora, eu gostaria de ouvir as outras músicas”. "Eu adoraria isso”. Fazendo o nosso caminho do meu carro para a casa, eu andei a através da casa até a porta de vidro, que dava para a varanda. Seu suspiro de admiração quando ela viu na casa as centenas de luzes

155


brilhantes que eu tinha em volta do pergolado me fez sorrir. Saindo para o pátio ela girou em um círculo, sob as luzes. Meu coração parou por um segundo, com a visão de sua cabeça inclinada para trás e a maravilha em seus olhos quando ela se virou. Era quase, mais beleza do que eu poderia suportar. Liguei o leitor de CD que eu coloquei no pátio antes de sairmos para jantar, eu pressionei play no mix que eu tinha feito para ela sorrindo quando os acordes iniciais de The Goo Goo Dolls "Iris" começou a tocar. Atravessando o pátio eu estendi a mão para ela. "Posso ter esta dança”? Eu vi que os olhos dela estavam brilhantes de lágrimas, quando ela colocou a mão na minha. Puxando-a em meus braços eu acariciei sua bochecha. "Não chore baby”. Sacudindo a cabeça suavemente, ela se afastou e olhou para mim, quando ela disse: "Eu nunca fui tão feliz na minha vida. Isso vale algumas lágrimas, especialmente porque eles são lágrimas de felicidade. Estas canções, Dillon... Isto é como você se sente”? Balançando a cabeça, sorri para ela.

156


"Sim. Se eu tivesse algum talento musical, eu iria escrever alguma coisa por mim mesmo, mas essas músicas dizem isso melhor do que os minhas débeis tentativas jamais poderiam. Cada uma dessas letras significa algo para mim e o significado é tudo sobre você”. Estávamos balançando para frente e para trás como eu falei, mas eu hesitei quando ela colocou os lábios sobre o meu coração e beijou meu peito. "Então, essas são as nossas músicas", disse ela, quando ela olhou de volta para mim, "porque eu me sinto da mesma maneira sobre você”. Eu poderia apenas acenar a cabeça, incapaz de forçar as palavras após o nó na minha garganta. Pela primeira vez na minha vida que eu tinha algo de belo e real, algo que era todo meu. Dançando com Dominique sob as luzes cintilantes sobre a pérgula, foi um sonho que se tornou realidade. Quando eu estava preparando o terreno para isso eu só pesava em como isso afetaria a ela, mas enquanto nós dançávamos eu percebi que isso significava tanto para mim. Dançávamos com nossos braços em volta um do outro quando a música mudou de Iris para Maroon 5 de She Will Be Love, então Snow Patrol cantou Chasing Cars. Eu não poderia me impedir de beijá-la quando a minha música favorita para ela, You and Me por Lifehouse, começou a tocar. 157


Toda a pretensão de dança parou naquele momento, nós dois embrulhados totalmente um no outro. Quarenta estrelas cadentes poderia ter passado por cima da minha cabeça e eu não teria notado, porque o meu foco era inteiramente em Dominique. O CD mudou de volta para a primeira música que eu tinha tocado no carro, "Olhos Azuis", e quebrando o beijo, ela sorriu para mim. "Leve-me para dentro, Dillon”. Meu coração batia forte em meus ouvidos quando eu a varri para fora de seus pés e levei-a até a casa, e para o meu quarto. Virei a luz do teto para uma configuração mais fraca antes de sentar na cama. A enormidade de vê-la lá foi soprando a minha mente. Eu tinha vinte e cinco anos de idade, mas eu nunca tinha tido uma mulher na minha cama antes. O silêncio se estendeu enquanto eu olhava para ela, e minhas mãos tremendo ao meu lado. "Baby, o que há de errado”? Eu balancei minha cabeça para limpá-la e em seguida sentei-me na cama ao lado dela. "Eu quero dizer uma coisa meio constrangedora”. Mordendo o lábio nervosamente ela acenou para eu para continuar.

158


"Eu não estive com ninguém em mais de sete anos e eu nunca tive uma garota na minha cama antes. Estou obviamente enferrujado nesse tipo de coisa”. Seu queixo caiu antes dela se recuperar rapidamente. "Oh Dillon... você está me dizendo que você nunca quebrou seus votos de casamento, mesmo que você nunca tenho consumado o casamento”? "Claro. Se eu tinha a intenção de estar ao redor, eu nunca teria concordado em me casar com Marissa. Eu sei que ela deve ter lhe dito que ela insistiu, quando nos casamos, que eu deveria fazer sexo com quem eu quisesse. Ela poderia ficar bem com isso, mas eu não ficava. Eu nunca fui aquele cara, baby”. Ela se mudou tão rapidamente que eu poderia jurar que ela tivesse um raio de velocidade. Em menos de um segundo ela estava me montando na cama, com os braços em volta de mim, quando ela começou a colocar beijos suaves em meus olhos, meus lábios, meu nariz e então meus lábios novamente. "Você definitivamente não é aquele cara, e eu não teria você de outra maneira. Você é perfeito para mim, Dillon Cooper”. Ela me beijou de novo, e quando ela tinha acabado com essa frase, por um longo tempo nós nos comunicamos puramente através de beijos. Quando ela começou a se mexer no meu colo, eu gemi em sua boca e segurei-a com mais força, lutando para 159


manter as coisas em um nível de calma, mesmo que eu fosse tão forte, que foi uma luta para me lembrar de respirar. Eu senti o calor dela através das minhas calças, e sabia que ela estava ligada por causa da forma como a sua respiração acelerada. Inclinando a cabeça para trás, eu lambi seu pescoço e em seguida, comecei a mordiscar em seu ouvido enquanto ela mexia contra mim mais e mais rápida. Suas mãos alcançando entre nossos corpos e eu respirei assustado, quando ela puxou o vestido para cima e fora. Ela era bonita, tão bonita, porra, e agora ela estava vestida apenas com uma calcinha de lacinho. Suas mãos começaram a se atrapalhar com a minha gravata enquanto trabalhava o nó e ela ficou desfeita, jogando-a em algum lugar por cima do ombro antes que ela descesse para os botões da camisa. Antes que eu soubesse minha camisa estava aberta e meus punhos foram também desabotoados. Quando chegou à minha camisa e jogou-a no chão, eu pensei que eu tinha morrido e ido para o céu, porque agora nós estávamos indo para ser pele a pele do peito para cima. Em um milésimo de segundo, ela estava de volta no meu colo e as mãos delicadas que executavam sobre o meu peito tinha minha pele queimada na esteira de cada toque. Por vontade própria as minhas próprias mãos começaram a acariciá-la, desesperado para aprender a paisagem de seu corpo. Desejei que houvesse palavras para 160


fazer justiça ao momento, mas apenas um poeta seria capaz de fornecer prosa adequada para a beleza que ela possuía. Seu corpo era exuberante e requintado, sua pele quente ao toque e suave como uma seda enquanto minhas mãos deslizavam facilmente de local para local. Ela correspondeu ao meu toque me tocando e os minutos passavam enquanto nos beijávamos e acariciávamos um ao outro. Pegando-me de surpresa, ela ficou de pé. A visão dela de pé, em cima de mim seminua, em si queimou na memória e no meu coração feito um arquivo. “Lembre-se disso para sempre”. Minha respiração engatou quando ela estendeu a mão para a minha cintura, fazendo um rápido trabalho de abrir o meu cinto, antes de passar para desapertar as calças. Nós trabalhamos juntos para removê-los, os dois rindo quando o troço foi pego em meus sapatos e ele me levou alguns minutos para chutar os sapatos e as calças. Uma vez que as minhas meias estavam fora eu estava exatamente tão nu quanto ela. Estendi a mão para ela, eu peguei a mão dela e puxei-a para baixo na cama ao meu lado. Nós dois rolamos para nossos lados para que pudéssemos ficar de frente um para o outro, e por acordo tácito nossas bocas se fundiram novamente, enquanto nossas mãos começaram suas explorações mais uma vez. Eu coloquei seu seio esquerdo em minha mão e corri o polegar sobre a ponta dos mamilos, 161


engolindo o gemido que ela soltou enquanto seu corpo se contraiu e ela jogou a perna sobre a minha para que pudéssemos estar ainda mais perto. Da cabeça aos pés ficamos completamente envoltos, e num outro momento a capacidade de respirar se tornando um problema sério para mim, quando ela colocou a perna na minha cintura e arqueou-se contra mim. Eu precisava de controle necessário para obter a minha cabeça no lugar, antes que eu explodisse. Virando-me, eu deitei e fiquei em cima dela para que eu pudesse explorar seu corpo com minha boca. Imediatamente eu vi o meu erro, porque o gosto de sua pele não estava me acalmando em tudo, ele só foi intensificar a queimadura. Seus suspiros silenciosos quando eu lambi e beijei seu pescoço, depois os seios e em seguida, seu estômago me fez doer mais. Delicadamente, esfregando o nariz contra seu umbigo, eu literalmente rosnei quando eu senti o cheiro de sua excitação. O cheiro era como a própria menina, delicado e bonito na extremidade dianteira e completa aniquilação de toda força de vontade no final. O cheiro trabalhou seu caminho em minha cabeça enquanto eu tentava processar o que me deu água na boca. Eu não só queria prová-la, eu tinha que fazer. Um vício sobre ela era iminente e em vez de remar para a praia, eu pulei no fundo do poço, sem cuidados para qualquer tipo de colete salva-vidas. Eu sabia que isso ia ser uma coisa ao 162


longo da vida e eu sabia que não havia nada que eu não faria para segurá-la.

163


Capítulo 14 Dominique A única explicação que posso dar para o que estava acontecendo comigo e com Dillon, é que foi como se eu tivesse acordado em uma nova realidade. Quando ele me deitou na cama e veio por cima de mim, eu não sentia pânico ou qualquer coisa. O que senti foi estimado, desejado, adorado e incrivelmente ligado. Eu pensei que eu tinha experimentado excitação completa quando ele me beijou antes do jantar, mas isso foi como um banho quente após um longo dia em comparação com o inferno de fogo que dançava sob minha pele agora. Seus lábios na minha pele era uma exploração celeste que eu não só queria, eu precisava disso. Minha respiração ficou presa na minha garganta enquanto suas mãos pegou minha calcinha e começou a puxá-las para baixo das minhas pernas. Sem hesitação da minha parte, eu me levantei para torná-lo mais fácil para ele tirá-la. Eu estava ridiculamente mais devassa do que eu jamais teria acreditado que eu poderia ser, mas com Dillon veio naturalmente. Com ele, sem hesitar não havia vergonha, em vez disso havia apenas beleza e certeza. Ele foi uma decisão que o meu coração tinha feito para mim, 164


mas o meu cérebro concordou com esse veredicto cem por cento. Minha respiração engatou quando ele manobrou o resto do caminho, para baixo da cama, antes de se estabelecer com a cabeça entre as minhas coxas. Eu estava agora aberta para ele de todas as maneiras, de corpo e alma e foi um grande momento na minha vida. Eu senti sua respiração no meu sexo, ao mesmo tempo ouvi o som da sua grande excitação, que imediatamente me fez mais úmida. Este foi um sentimento estranho para mim, mas eu não estava prestes a reclamar! Ele colocou beijos suaves na parte superior e nos lados do meu sexo, murmurando palavras de encorajamento entre beijos. "Você sabia que você é o meu presente, Minnie”? Eu balancei minha cabeça sem pensar quando ele passou os dedos pela minha fase úmida dos pelos pubianos aparados. "Eu gosto muito disso", disse ele enquanto colocava o nariz para baixo e me acariciou de um lado para outro. "Amo o seu cheiro, baby. Agora eu vou te provar”. O primeiro beijo de sua língua contra mim era beleza e dor, tudo ao mesmo tempo. Os seguintes beijos molhados no meu sexo era tão bom que o

165


meu coração bateu no meu peito como se quisesse escapar. Por vontade própria meus dedos fizeram o caminho para seus cabelos, enquanto ele me amava com a língua. Eu ofegava e gemia enquanto ele me dominou, engasguei quando ele usou os dedos para me abrir para sua língua. Ele era gentil e amoroso e eu me senti valorizada em suas mãos, cada gemido que saiu de sua garganta me fazendo tremer debaixo dele. Eu arqueei debaixo dele, meu corpo estava chegando para algo grande. Eu não era uma idiota, eu sabia o que meu corpo queria, mas eu não sabia o que iria sentir, uma vez que eu nunca tinha tido um orgasmo ou qualquer coisa mesmo perto disso. Minha respiração ficou mais rápida e eu segurei o que estava ao meu alcance, pela primeira vez. Mais uma manobra e deslizar de sua língua me disparou para o espaço exterior com o meu corpo contraído e um sentimento de puro êxtase explodiu dentro de mim. Eu chamei o nome dele quando eu fui sobre a borda, o senti rosnar contra mim, com o corpo balançando a detonação e foi sobre e sobre para cima. Eu voltei para a Terra em uma nuvem chamado Dillon Cooper, com um enorme sorriso no meu rosto. Para amar e ser amado por alguém como ele era um presente, e adicionando o tipo de prazer que ele tinha acabado de me dar em cima do 166


que foi um embaraço de riquezas que eu estava no temor. Soltando as mãos do cabelo dele, comecei a correr meus dedos por ele suavemente, quando ele começou a beijar o seu caminho de volta até o meu corpo. Quando ele subiu o suficiente para que nossos olhos pudessem se encontrar, deixei escapar um suspiro quando eu vi os olhos e li a adoração em si. Eu ainda estava tendo tremores de meu orgasmo, mas isso não me impediu de trazê-lo o resto do caminho para cima e puxar sua boca para a minha para um beijo. Ele tinha gosto dele misturado com o meu e eu adorei. Revirando-o eu montei nele, eu comecei a beijar seu rosto, em seguida sua garganta, seu peito, enquanto eu trabalhei minha maneira para baixo à sua ereção. Quando eu agarrei a cintura de sua cueca na mão, eu olhei para ele e sorri, quando eu a puxei. Ele era bonito da cabeça aos pés, eu ainda fiquei surpresa quando vi como generosamente dotado ele estava sob seus boxers. Eu percebi que ele era muito maior do que a média, mas isso não me assusta porque eu sabia que Dillon nunca me machucaria. Sua ereção era uma coisa de beleza, em posição de sentido completo quando ele silenciosamente me pediu para trabalhar com ele. Minha língua continuou sua viagem em direção a sua ereção, quando eu lambi seu osso pélvico antes 167


de descer às suas coxas. Ele rosnou baixo em sua garganta o meu nome em seus lábios, quebrando o silêncio na quarto. A visão de sua dureza diante de mim me deu água na boca, e eu fui incapaz de resistir a compulsão que eu tive para explorar. Inclinei-me para que eu pudesse lamber ao redor da base, surpresa ao descobrir que cada passo da minha língua contra ele a minha própria excitação começou a construir de novo. Corri meus lábios e língua para cima e para baixo nos lados dele mais e mais, e meu coração ficou selvagem em meu peito, quando ele me implorou para não parar. Envolvendo o meu punho em torno dele mais uma vez eu o segurei firme quando eu abri a boca e levei-o dentro. Eu descobri que eu realmente gostei dos sons que eu fiz, com ele na minha boca, e eu amava os sons que ele fez enquanto lutava pelo controle. Apertei minhas coxas juntas e gemi involuntariamente ao redor dele com a minha excitação queimando quente e carente, desesperada por ele. "Baby pare. Venha aqui”. Eu chupei e lambi meia dúzia de vezes antes de subir de volta para a cama, assim estávamos lado a lado novamente. Ele tirou o cabelo do meu rosto e me puxou para um beijo, o gosto de cada um de nós agora se unindo em nossas bocas. Onde antes havia sido 168


gentilmente beijado, agora estávamos vorazes pelo o outro. Afastando-se, ele segurou meu rosto em suas mãos e ele olhou para mim com admiração. "Este tempo", ele disse, "estamos chegando juntos. Use sua mão em mim. Estou tão perto”. Cheguei entre nós, segurei com firmeza e comecei a trabalhar sua ereção ofegando, quando ele deslizou seu dedo contra o meu calor úmido. Eu enterrei meu rosto em seu pescoço quando ele usou os dedos em mim, lambendo seu pescoço e lhe mordiscando a orelha, quando eu construí de novo. O sabor de sua pele, os sons que ele estava fazendo e o cheiro de nós dois juntos eram quase demais. Usando o meu domínio sobre ele, eu esfregava sua ereção contra o meu sexo, a ponta quente e úmida de sua cabeça bulbosa me batendo apenas assim. Desta vez a minha libertação começou em meus dedos do pé e trabalhou seu caminho até o resto do meu corpo. Esfreguei-lo mais rápido e mais forte contra mim enquanto eu bebia em suas palavras de prazer. "Oh Deus... gatinha... Eu vou vir. Eu não posso esperar”. Eu rebolava contra ele, quando eu perdi o controle, e balançando eu vim com um grito silencioso, minha libertação crescendo em tamanho, quando ele gritou meu nome em sua conclusão para o meu sexo pulsante. Eu tremia e gemia quando ele 169


reuniu os dedos para vir, e esfregou-os na área do meu osso pélvico, a sensação de que está sendo marcado por ele lindamente erótica. Continuamos a acariciar gentilmente um ao outro, enquanto os nossos batimentos cardíacos retornavam ao normal e ele sussurrou para mim como eu era bonita e o quanto eu significava para ele. "Você é tão especial, gatinha". "Espere", eu sussurrei de volta para ele em confusão, "Por que eu sou a sua gatinha de repente”? Soltando uma risada gutural, ele respondeu: "Você praticamente ronrona quando eu te toco. Isso e sua língua... O nome se encaixa gatinha. Confie em mim”. Deixei escapar uma risadinha, enquanto ele fazia cócegas no meu lado e beijou meu rosto. "Você vai passar a noite comigo, certo”? "Claro que eu vou. Você não pode se livrar de mim agora”. Beijando-me suavemente, ele respondeu: "Eu não gostaria disso. Estou mais feliz do que eu já estive, quando estou com você”. Não houve falta de jeito para estar com Dillon. Quando ele se levantou e me perguntou se eu queria tomar banho com ele, eu disse que sim sem 170


hesitação. Eu estava ansiosa para experimentar as coisas com ele e matava os medos que eu poderia ter tido. Ele me lavou suavemente, quase com reverência. Eu tinha colocado o meu cabelo para cima para que ele não molhasse, mas concordei quando ele me pediu para levá-lo para baixo para que ele pudesse lavá-lo para mim. Suas mãos firmes amassando meu couro cabeludo estava começando outro fogo dentro de mim e eu tentei conter minha resposta, porque eu não tinha certeza se ele seria capaz de ir de novo. Quando ele me tinha totalmente limpa e lavada da cabeça aos pés, ele deixou-me começar a ensaboálo. Nós rimos porque eu não conseguia alcançar, sem ele se inclinar pra mim, mas o riso desapareceu com os gemidos quando eu comecei a ensaboar o corpo e vi que ele estava duro novamente. Depois de lavado, ele me puxou de volta aos seus braços para um beijo e eu derreti nele como manteiga. Levantando-me ele me empurrou contra a parede e me disse para colocar minhas pernas em volta de sua cintura. Era isso eu pensei, o momento em que ele viria dentro de mim. Eu não tinha outro desejo de apenas esse resultado em pensamentos. Em vez disso, ele empurrou-se contra mim para que ele pudesse roçar contra o meu sexo para nos estimular. Duro e rápido ele empurrou contra 171


mim, quando eu me agarrei a ele e sussurrei palavras de encorajamento. Eu o perdi no final, arranhando suas costas e ombros, quando eu vim, tremendo e gritando, "sim, sim", então eu o senti lançar contra a parte inferior do meu estômago. Abracei-o firmemente depois que ele terminou, e ele coçou suavemente meu pescoço e ombros, quando ele enterrou seu rosto no meu pescoço e tentou obter-se de volta sob controle. Eu senti tremores debaixo de sua pele e isso me fez sorrir ao saber que ele estava tão afetado quanto eu. Eventualmente, a água começou a correr mais fria e fomos forçados a nos lavar rapidamente e sair do chuveiro. Secamo-nos um ao outro com rapidez e eficiência, tanto de nós para além passou por esse ponto. Eu sequei meu cabelo com a toalha e peguei emprestado sua escova, de modo que não seria uma bagunça pela manhã. Olhando ao redor do quarto, percebi que eu tinha deixado minha mala no carro. Com um encolher de ombros, decidi que já que ele estava indo dormir nu, eu também iria. Eu subi na cama satisfeita com seu gemido quando ele me virou para o meu lado e me abraçou por trás. Meu último pensamento coerente para a noite foi que ele tinha acabado de me dar a melhor festa de aniversário, que eu já tive.

172


Capítulo 15 Dillon Apaixonar-me por Dominique foi a coisa mais fácil que eu já fiz. Não há ansiedade, nenhuma preocupação sobre fingir ser alguém que não sou, nem pensamentos sobre estar com ninguém mais ela. Com ela, eu estou vivo como nunca estive antes. Minha visão sobre como a vida melhorou é contagiosa. Rick me chamou em seu escritório há três semanas para compartilhar a notícia que me tinha sido atribuído o contrato para o jardim que eu tinha projetado que foi inspirado por Dominique. Em apenas seis semanas, quebrarei a terra e eu não posso esperar. Eu já estou planejando o que fazer com o dinheiro do bônus que eu vou receber e vai ser uma grande surpresa para Dominique. Desde que eu não contei a ela sobre o jardim ou o bônus de contrato, ela nunca vai vê-lo chegando. Minha ideia é comprar um carro mais novo para Dominique e surpreendê-la com ele quando eu levála para o jardim, que ela me inspirou a criar. Ela nunca reclama de seu carro ou qualquer coisa, mas não pode ser confortável para alguém tão pequeno para dirigir algo tão grande e antigo.

173


Eu também quero falar com ela sobre suas condições de vida para o ano letivo seguinte. No início deste ano eu presumi que ela ainda vive em casa e embora ela não dissesse nada, eu assumo que tem que ser motivado financeiramente. Geralmente, se uma pessoa pode pagar eles vivem em um dormitório ou um apartamento durante a faculdade. Minha esperança é que eu possa convencê-la a morar comigo em algum momento durante o verão. Meu plano é fazer-nos viver na casa que eu tenho agora, até que ela se forme na faculdade em dois anos. Durante esse tempo eu vou guardar dinheiro todos os meses para que possamos fazer um pagamento em uma casa própria, de preferência um fixador superior que possamos trabalhar em conjunto. Nós estamos levando as coisas devagar na área física do nosso relacionamento, mas nós dois estamos dentro emocionalmente. Ela está um pouco irritada comigo por insistir esperar um pouco antes de irmos até o fim, mas eu não quero que o que temos seja baseado em sexo. Um dia, quando ela compartilhar nossa história de amor com os nossos filhos, eu quero que ela diga com orgulho que nós esperamos até que ela se sentisse absolutamente certa. As únicas nuvens cinzentas agora são o fato de que Leah está trabalhando tanto que eu só a vejo uma ou duas vezes por semana, e Dominique nunca 174


passa a noite a menos que seja uma sexta-feira ou sábado. Ambas as coisas são pequenos problemas, então eu tento me concentrar no positivo. Isso me faz olhar para frente, aos fins de semana que há muito mais por causa das duas noites que ela dorme na minha cama e em meus braços. Eu estava encerrando o trabalho durante a semana para que o fim de semana pudesse começar, quando meu telefone apitou com um alerta de mensagem. Pegando-o, eu sorri quando vi que era um texto de Dominique. Dominique: Oi querido, eu estarei em sua casa em cerca de uma hora para ir correr. Você precisa de alguma coisa? Eu: Só você gatinha. Dominique: Você vai me derreter, eu juro! Esteja pronto para beijos! Eu: Eu vivo para estar pronto para os seus beijos. Te vejo em casa. Você pode derreter na minha boca. Dominique: Ótimo, agora eu não estou com vontade de correr mais. Você é um menino mau! Eu: Não é isso que você normalmente diz quando você está gatinha "fusão".** Dominique: Eu disse uma hora? Eu quis dizer trinta minutos. ESTEJA PRONTO.

175


Eu: Eu estou pronto agora. Dirija com segurança bebê. Dominique: Você também! Vejo você em instantes. Eu percebi ao longo das últimas semanas que eu era burro, sobre os cotovelos, no amor com esta linda menina. Eu estava esperando o momento certo para a primavera sobre ela, mas acho que ela já sabe. Nós paramos na calçada, ao mesmo tempo e depois de jogar seu carro no parque ela veio pulando em minha direção vestindo um par de shorts e um top. Engoli em seco quando olhei para ela quando veio em minha direção e pulou em meus braços, envolvendo suas pernas em volta da minha cintura no segundo que eu saí do meu carro. Nos beijamos desesperadamente, como se não tivéssemos visto um ao outro em semanas, em vez de apenas um dia. Segurei-a com força enquanto ela se esfregava contra mim, rindo baixo na minha garganta como um gato selvagem que ela era. Descobri que tinha dado os meus vizinhos um show, eu puxei meus lábios dos dela e fiz um rápido trabalho de atravessar o gramado para a porta da frente, com ela ainda envolta de mim. Eu me atrapalhei com as chaves várias vezes, enquanto ela repetidamente aterrava-se contra mim. "Deus, gatinha... pare ou eu vou me envergonhar aqui na varanda da frente”. 176


Fazendo o som ronronar que só ela fazia, sussurrou em meu ouvido: "Eu estou derretendo por você, baby. Um bom empurrão e nós vamos derreter em plena vista dos vizinhos. Preserve a minha dignidade e abra essa maldita porta”. Com esse incentivo, segurei as chaves e abri a porta quase que imediatamente. Puxando as chaves do cadeado eu andei pela porta e chutei a porta para fechar atrás de mim antes de jogá-los no chão. Transformando em um semicírculo eu a empurrei contra a porta e comecei a me esfregar contra ela enquanto eu devorava sua boca com a minha. O que eu sabia sobre a minha menina é que ela veio rápida e difícil quando eu atingi o ponto certo e dentro de um minuto, ela debatia a cabeça para trás e para frente quando ela chegou ao seu pico. Eu gostava de puxar para trás para que eu pudesse me concentrar em seu rosto quando ela gozava porque era a mais bela vista do mundo. Sabendo que eu estava fazendo alguma coisa para ela ter essa reação, me fazia ridiculamente feliz. Corri minhas mãos ao longo das laterais de suas coxas enquanto ela tremia contra mim e ficava sob controle, beijando e chupando em seu pescoço para que eu pudesse lamber o local onde seu pulso ainda estava batendo acelerado. Desempacotando as pernas de minha cintura, ela deslizou pelo meu corpo de modo que ela estava em pé na minha frente. Conectando os dedos nas 177


presilhas em minhas calças, ela olhou para cima e me deu um sorriso. "Não estamos esperando mais Dillon Cooper. Eu quero que você faça amor comigo. Agora”. Eu queria mais do que ela poderia saber, mas, eu queria que fosse especial para ela. Tínhamos discutido nossos encontros sexuais anteriores um com o outro, então eu sabia que ela só tinha feito sexo uma vez com um cara que era menos do que a metade do meu tamanho. Ela disse que não tinha sido doloroso exatamente apenas realmente desconfortável e meio nojento. Eu não queria que a experiência para ela dessa vez, fosse assim. Eu precisava criar uma memória para ela que fosse digna do que ela significava para mim. "Gatinha... eu quero e você sabe que sim, mas eu preciso que ele seja especial e perfeito para você”. Cobrindo a minha boca com a mão, ela balançou a cabeça para mim. "Baby, você já é especial e perfeito para mim. Não há mais nada que você possa fazer ou dizer que vá fazer o que nós vamos fazer melhor. Se estivéssemos em um quarto de motel barato com cortinas brega assistindo baratas acasalar no teto, ele ainda seria perfeito para mim, porque somos nós. Quero dar esse passo com você. Está entendendo... por favor”? "Tem certeza”?

178


Tomando minha mão na dela, ela segurou-a sobre seu coração enquanto olhava nos meus olhos. "Eu estou mais do que certa. Eu tenho certeza”. Balançando a cabeça, eu puxei a mão dela e nos guiei, pelo corredor até o meu quarto. Ela não perdeu tempo em ficar nua e à luz minguante do sol da tarde ela reclinada na minha cama, me olhando com seu coração em seus olhos, enquanto eu me despia antes de entrar lá. Beijando-a suavemente, eu sussurrei, "Sem pressa, gatinha. Devagar e sempre se ganha a corrida". Ela riu, colocando meu rosto entre as mãos quando ela me correspondia beijo a beijo. Logo após a primeira vez que eu a beijei eu tinha percebido que eu era viciado em sua boca e o gosto de seus beijos contra a minha língua. Agora eu entendi que o vício era permanente, codificados em meu DNA, e correndo em minhas veias em todos os momentos. É incrível e também um pouco esmagador. Se beijála podia produzir tal reação, eu posso imaginar que estar dentro dela será nada menos do que a vida sendo alterada. Tirando a roupa um do outro, entre beijos, o cheiro dela era uma droga que exigiu eu tomar uma batida. Ela sempre tinha um cheiro e gosto, especialmente delicioso para mim, depois que ela gozava e então eu fiz o meu caminho para baixo de seu corpo com beijos antes de enterrar meu rosto em seu centro quente e úmido. Eu gostava de voltar 179


em seu doce creme, e isso havia se tornado rapidamente um vício para cada pulso molhado dela contra a minha língua. As mãos entrelaçadas em meu cabelo enquanto eu a lambia me fazia dolorosamente difícil. Eu queria impulsionar, mas sempre a minha necessidade de amá-la com a minha língua vencia. "Não... pare... baby! Eu quero ir com você dentro de mim. Não deixe-me ir assim”. Eu odiava parar, mas eu aderi a seus desejos e fiz meu caminho de volta até seu corpo antes de me estabelecer entre as pernas. Nossos beijos eram quentes e desesperados agora, nós dois sabendo que estávamos à beira de algo grande. Puxando para trás, eu abri a gaveta da mesa de cabeceira e peguei um dos preservativos. Eu, recentemente, estoquei em antecipação a este momento. Eu acho que eu tinha ido um pouco louco, quando eu estava na farmácia, porque uma vez eu tinha aberto as caixas e os joguei, percebi que tinha que haver pelo menos uma centena deles recheado na gaveta. Rolei o preservativo com as mãos trêmulas, enquanto a observava então me estabeleci entre suas pernas novamente. "Segure-me apertado, Gatinha. Está na hora”.

180


Capítulo 16 Dominique Parecia que eu tinha esperado a vida inteira por esse momento, e meu coração parecia que poderia escapar de meu peito. Ao vê-lo em cima de mim, sabendo que ele estava prestes a fazer amor comigo, me fez mais feliz do que eu já estive em toda a minha vida. "Você está pronta, gatinha”? Eu gemia em resposta, espalhando as minhas pernas mais amplo e deslocando-se para que eu tocasse a ponta de seu sexo com o meu. "Isso responde a sua pergunta”? Ele deu uma risada rouca em resposta e em seguida colocou a ponta de sua ereção em minha abertura. Eu tremi desesperada para ele vir para dentro de mim. Eu chorei quando ele finalmente começou a deslizar para dentro de mim, a sensação de estar unida à ele foi mais esmagadora do que eu jamais poderia ter imaginado. Segurando-se de pé sobre os cotovelos, ele olhou para mim e sorriu. "Minha Minnie... tão bonita, tão perfeita. Gatinha você está bem”? Eu poderia apenas acenar incapaz de formar um fluxo bastante coerente de palavras que poderiam 181


passar para ele como tão bem eu estava bem. Passando os braços ao redor dele, eu o puxei para perto para que pudéssemos nos beijar. Parecia o céu, absolutamente nada como a primeira vez que eu tinha tido relações sexuais. A primeira vez que eu tinha tido relações sexuais eu me senti suja e nojenta depois, mas com Dillon dentro de mim, eu me senti valorizada. Ele me tinha presa à cama enquanto balançava suavemente dentro e fora, minhas pernas subindo por sua própria vontade e as envolvi em torno de sua cintura para mantê-lo mais perto de mim. Nunca me senti tão bem quanto eu me senti com ele dentro de mim. Esse não era um sexo sujo, era um lindo fazer amor. Eu me senti deliciosamente esticada em torno dele, em relação a quão profundo ele estava dentro de mim, com o meu corpo aberto para levá-lo polegada por polegada. Gemidos e gritinhos irromperam da minha garganta me chocando com a forma como eles soavam eróticos. Seus gemidos me excitaram ainda mais, e os seus grunhidos de aprovação cada vez que eu apertava em volta dele, me fez sentir como se eu estivesse voando. Eu pensei que eu tinha entendido a magia de estar com ele antes, mas, agora um aspecto totalmente novo se abriu para mim. Ele estava balançando o meu mundo de uma forma, que eu nunca tinha visto. 182


Ele quebrou o nosso beijo para que ele pudesse olhar nos meus olhos e eu vibrei ao redor dele com mais força. Eu vi todo o meu futuro em seus olhos e era lindo. Levantando minhas mãos eu coloquei uma de cada lado de seu rosto. "Eu te amo". Seus olhos ficaram vidrados enquanto eles se enchiam de lágrimas, o olhar em seu rosto era uma mistura de felicidade e algo mais profundo, que meu coração pulou algumas batidas. "Oh Dominique, eu também te amo muito, muito, muito, minha querida”. Ele quis dizer cada palavra eu podia senti-lo no fundo da minha alma. Eu arqueei debaixo dele e soltei um grito, quando o sentimento mais incrível tomou conta de todo o meu corpo. Queimei de dentro para fora, e o meu mundo explodiu em torno de mim. Eu engasguei quando senti seu orgasmo tomar conta dele, eu olhei em seus olhos quando ele olhou para o meu. Eu sempre adorei vê-lo vir, mas vê-lo perder o controle enquanto eu o senti dentro de mim era um sentimento maior do que qualquer outro que eu já tinha antes. À medida que descemos do nosso alto mútuo ele me beijou de novo e de novo, beijos carinhosos, curtos que me dizia sem palavras o quanto ele se importava.

183


Naquele momento eu sabia, sem sombra de dúvida, que íamos ficar juntos para sempre. O sentimento de realização, em encontrar a minha outra metade, me surpreendeu. Todo o meu mundo girava em torno dele, e da maneira como ele me fez sentir.

***

Eu odiava fazer isso, mas eu estava fazendo beicinho, e lamentando como uma garotinha quando eu discuti com meus irmãos sobre as nossas férias em família, que estava chegando. "Ninguém nunca me disse nada, antes de ir pra qualquer lugar nas Férias de Primavera! Eu amo vocês, mas eu não quero ir para as Ilhas Virgens por uma semana e vocês não podem me obrigar. Por que não podemos esperar para ir de férias no verão como normalmente fazemos? Eu quero passar Spring Break com os meus amigos”! Senti-me uma merda quando vi o olhar no rosto de Dante, mas não recuei. Eu não queria passar uma semana sem Dillon. Eu não acho que eu poderia passar uma semana sem ele. É duro o suficiente passar de domingo a quinta-feira as noites na minha cama se quando tudo que eu quero fazer é dormir enrolada em seus braços. Se eu amasse minha família menos do que eu amo, eu teria começado a empurrar para trás e começado a 184


passar a noite fora durante a semana também. Eu tinha sorte que Dillon nunca disse uma palavra para mim sobre o fato de eu não ficar, porque eu disse a ele que minha família era um pouco rigorosa. Outra coisa é o amor sobre ele, que ele nunca me pressionou. "Ouça-me pequena joaninha", disse Dante, "nós estamos indo em férias com a família inteira e é isso. Nós temos te dado todo apoio de você fazer novos amigos e ter incentivado sua nova agenda social intensa, porque não tem afetado suas notas em tudo e você está, obviamente, muito feliz. Dito isto, se esta é a maneira que você vai se comportar, nós vamos ter uma discussão séria sobre esta atitude que você está tendo. Família vem em primeiro lugar Dominique Hart, e eu nunca deveria ter que te dizer isso. Você quer quebrar o coração de Sandra, dizendo-lhe que você não se importa o suficiente sobre esta família, para participar da viagem que ela só passou três semanas planejando uma surpresa para vocês, meninas”? Eu mal mantive meu temperamento sob controle, por que eu estava furiosa que ele estava jogando a lógica para mim. "Dante eu disse que eu iria... só não agora. Por que ela não pode mudá-lo para ser uma viagem de verão”? Batendo a mão na mesa da cozinha, ele olhou para mim. 185


"Você está realmente testando minha paciência agora. Ela não está mudando o tempo da viagem e é isso. Você vai querer pensar sobre o pouco desempenho que você está colocando agora”. Eu sabia que eu estava testando a paciência de Dante, sabia que eu estava perigosamente perto de tê-lo me colando de castigo. Eu não tinha tido um castigo desde que Delilah e eu tínhamos nos embebedado e perdido o toque de recolher, há alguns anos e eu não tinha a intenção de ficar de castigo agora. Levantando as mãos em sinal de rendição, eu murmurei, "tudo bem, você ganha. Eu vou calar a boca. Não é que eu não seja grata, Dante, porque eu sou. Eu simplesmente não estava preparada para isso. Sinto muito”. Damien colocou uma mão firme no meu ombro em um gesto de apoio, e virei-me para dar-lhe um sorriso. Eu amei Dante em pedaços como um pai, mas Damien sempre seria a minha pessoa favorita no mundo. Ele me "tem" de uma maneira diferente de que qualquer outra pessoa e eu o amava por isso. Onde Dante protegia e fornecia desde que éramos crianças, Damien tinha sido sempre o toque suave que me acalmava, quando eu estava chateada e a mão que segurava a minha até que eu caísse no sono. Mesmo agora, quando eu senti que ele estava menos do que excitado com o meu comportamento ele tentou me acalmar em vez de empilhar em cima de mim.

186


"Nós vamos fazer uma boa viagem joaninha, eu prometo. Você meninas estão prestes a estar fora da escola e todos nós simplesmente queremos passar algum tempo juntos antes de se formarem. Não faça beicinho princesa”. Agora eu me sentia como uma verdadeira puta e meus lábios tremiam, enquanto eu tentava não chorar. Esses homens haviam desistido de tudo por mim e aqui estava eu agindo como uma criança, que acabou de ter seu brinquedo favorito tirado. Spencer pegou a minha mão e deu um aperto, como se estivesse prometendo que faríamos uma turnê juntos, em alguns lugares da ilha em busca da arquitetura mais legal. Eu tive que admitir que soava como uma ideia incrível e rapidamente minha resistência para as férias da família tinha acabado. Eu devia a essas pessoas a minha vida e passar uma semana no paraíso com eles nunca deveria ser considerada uma dificuldade, não importando o quanto eu iria perder de Dillon.

***

Nos meses desde que começamos a namorar, Dillon e eu crescemos mais perto a cada dia. Fazíamos amor sempre que podíamos, mas sempre estávamos ansiosos por mais, um do outro. A maioria dos nossos fins de semana, passávamos em 187


sua cama fazendo amor até que estivéssemos cansados demais para nos mover. Não era apenas que eu o amava, mas também porque eu realmente gostava de passar tanto tempo com ele quanto humanamente possível. Nós conversávamos, mandávamos mensagem e passávamos todos os momentos disponíveis juntos e nossa relação ficou mais forte. Eu era uma bagunça ansiosa em deixá-lo para Férias da Primavera por uma semana, porque eu odiava a ideia de estar separado dele por qualquer período de tempo, e muito menos uma semana inteira, mas ele me acalmou com beijos e garantias de que iríamos, ambos, sobreviver. "Algum dia nós vamos tomar todas as nossas férias juntos, Gatinha", ele me disse: "mas por enquanto você vai desfrutar da semana com sua família. Uma semana nas Ilhas Virgens é uma pequena façanha financeira, baby. Eles trabalharam duro para fazer isso acontecer e você precisa trabalhar igualmente duro para divertir-se e mostrar-lhes o que ela significa para você. Além disso, o momento é realmente muito bom. Eu tenho um projeto especial acontecendo no trabalho que quebra a terra nesta semana especificamente, porque é primavera e estamos sob pressão para obtê-lo concluído rapidamente. Sem você aqui eu não vou ter nenhuma razão para não trabalhar tanto quanto possível de horas extras para que isso aconteça”.

188


"Ooh! Projeto especial? Você não me disse que havia algo especial chegando! O que você está trabalhando”? Beijando minha testa, ele riu. "Nada que eu queira dizer-lhe sobre isso ainda, gatinha. Vou levá-la para vê-lo assim que terminar e eu vou explicar tudo sobre isso”. Foi uma despedida agridoce com ele na noite anterior, e eu estava definida para voar para fora, mas eu saí com um coração cheio de amor e um corpo saciado, passando uma tarde fazendo amor. Nós nos beijamos uma centena de vezes antes de eu entrar no meu carro e partir para casa. Mais tarde naquela noite eu achei sete envelopes selados na minha bolsa. Todos os sete foram detidos, juntamente com um clipe que tinha um bilhete a eles ligado. “Gatinha:” “Relaxe e desfrute de uma maravilhosa féria com sua família. Lembre-se sempre de que a família é um dom e que o tempo gasto com as pessoas que você ama, não tem preço. Eu sei que você está triste por estarmos separados por sete dias, mas você não pode pensar dessa forma. Em vez de ficar triste, sorria, porque você tem alguém para vir para casa que te ama e te adora. Eu escrevi uma coisinha para você ler no final de cada dia, antes de ir dormir. Ao ler essas cartas, ouça nossas músicas e vai ser como se eu estivesse ali com você”. 189


“Eu te amo, baby”. “Sempre ~ DC “ Eu queria abrir todas as cartas para ler tudo o que ele tinha escrito, mas eu sabia que significaria algo para ele se eu lesse como ele pretendia. Com um grande sorriso estúpido estampado em meu rosto eu coloquei o CD que ele tinha feito para o meu aniversário, para que eu pudesse cantar junto enquanto eu fazia as malas. Eu me senti valorizada, segura, bonita e amada. Tudo o que aconteceu comigo antes de eu conhecer e me apaixonar por Dillon empalidece, em significado para o que eu tenho agora. Eu sei, sem sombra de dúvida, que ele é minha alma gêmea. Sete dias sem ele ia ser meio demais, mas eu prometi a ele que iria de tentar o meu melhor para ter um bom tempo com minha família e agora que eu tinha suas cartas para olhar, eu não poderia esperar para saudar a cada dia. Eu sabia que depois disso eu não iria ter de ficar separada por qualquer período de tempo novamente.

190


Capítulo 17 Cartas de Amor Carta de Amor Número Um - Domingo Minha linda menina, A primeira vez que coloquei os olhos em você, eu esqueci como respirar por um momento. Eu não sei por que eu me senti tão ligado a você, e não conseguia entender por que eu imediatamente senti algo por você. Embora eu não entendesse, então, percebo agora que eu senti uma conexão instantânea, porque você é o meu destino. Todos os meus caminhos levam a você, gatinha. Hoje à noite quando você adormecer pense em como somos sortudos por termos encontrado um ao outro. Eu te amo e eu não posso esperar para segurar você em meus braços novamente. Eu te amo mais do que qualquer carta transmitir a você. Sonhos doces, minha linda menina. -DC

191

poderia


Carta de Amor Número Dois - segunda-feira Minha Querida Minnie, Uma das minhas memórias mais felizes com você aconteceu apenas algumas semanas atrás. Foi a viagem de carro que nos levou à aquele restaurante de frango frito que eu disse a você que eu tanto amava quando eu era criança. Duas horas e meia de carro para chegar lá, só para descobrir que ele estava fechado para reforma. Eu amo que em vez de estar irritada, você riu e disse que era o nosso momento Clarke Griswold. Eu nunca vou esquecer a maneira que eu me senti depois que eu pedi desculpas a você por desperdiçar o seu dia, e você me disse que não era um desperdício em tudo, porque estávamos juntos fazendo memórias. Eu escolheria um dia passado no carro com você sobre um prato sem fim da minha comida favorita. Não seria mesmo uma escolha que exigia pensamento. Eu te amo mais a cada dia. Bons sonhos bebê. -DC

192


Carta de Amor Número Três - Terça-feira Oi Baby, A primeira vez que fizemos amor, eu entendi o que duas metades de um todo significavam. Você preenche todos os meus buracos e lugares escuros com o seu amor, e por causa de você eu estou experimentando a vida plenamente, pela primeira vez. Quando você está envolvida em meus braços, eu tenho um sentimento de paz e alegria que eu nunca senti antes. Não há nenhuma parte de mim que você não mudou para melhor e eu nunca vou poder lhe agradecer o suficiente por se abrir para mim. Sua confiança e amor são os presentes que eu vou sempre trabalhar duro para ser digno. Eu mais do que te amo e simplesmente não há palavras suficientes para me para obter esse ponto de vista. Bons sonhos gatinha. - DC

193


Carta de Amor Número Quatro - Quarta-feira Meu coração, Eu nunca tive sonhos para o futuro. Eu tinha uma lista de espera, e todos eles têm haver com o sucesso profissional e ser uma boa pessoa. O que eu não tinha era uma visão de que tipo de futuro que eu queria, pessoalmente. Seu amor me fez sonhar grande, pela primeira vez na minha vida. Eu sonho com a criação de nossa vida juntos. Eu amo esses sonhos mais do que eu possa explicar e eu prometo que farei tudo que estiver ao meu alcance para fazer todos os nossos sonhos se tornarem realidade. Vamos comprar um fixador superior, assim como você sempre quis e vamos torná-la nossa casa. Até escrever a palavra casa me faz sorri, porque quando eu digo que pensar nisso, é o seu rosto que eu vejo. Obrigado por me dar sonhos. Significa mais do que você sabe. Eu amo e sinto sua falta. -DC

194


Carta de Amor Número Cinco - quinta-feira Amor da minha vida, Hoje eu queria que você soubesse que eu sou loucamente apaixonado por tudo sobre você. A maneira como você se move, o som da sua voz, o sorriso melancólico que você começa quando você vê as crianças, a alegria que você recebe a partir da leitura de um bom livro, a sua sabedoria, o cheiro de sua pele, a forma como você beija, o gosto de você em minha língua, os sons que você faz quando você vem, o jeito que você me agarra quando eu estou dentro de você, do jeito que você treme quando eu beijo seu pescoço, sua bondade, sua generosidade de espírito, sua força interior, seu lindo rosto, a maneira como você olha nos meus olhos e me diz sem dizer uma palavra que você me ama, a sensação de sua mão na minha, o cheiro do seu cabelo, seu cérebro, sua integridade, sua graça, seu coração. Esta é apenas uma pequena amostra das coisas que eu amo em você e todos os dias, eu acho mais para acrescentar à lista. Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo. -DC

195


Carta de Amor Número Seis - sexta-feira Meu amor, Espero que você esteja apreciando esta semana, com sua família. Eu tenho pensado em você todos os dias e eu espero que você tenha pensado em mim, também. Às vezes, quando eu penso o quão perfeitos somos juntos, eu fico com medo. Toda a minha vida tem sido difícil, por isso por que seria diferente? Devido a esse medo eu compreendo perfeitamente quanto eu te amo. O medo só existe porque você significa muito. Tenho medo de perder o que eu não posso viver sem. É o conhecimento que eu não quero um futuro sem você ao meu lado, que me diz que isso é para sempre. Antes de você o futuro era sombrio na melhor das hipóteses, agora é um país das maravilhas que eu não posso esperar para explorar com você. Eu te amo, baby. -DC

196


Carta de Amor Número Sete - Sábado Gatinha, Você está quase em casa baby! Em menos de 24 horas novamente estaremos nos braços um do outro e a partir desse momento, não ficaremos separados nunca mais. Você está dormindo enquanto eu me sento aqui escrevendo isso. Eu fiquei hipnotizado assistindo a ascensão e queda suave de seu peito depois que você adormeceu, memorizando o jeito que você olha agora para que pudesse me segurar mais pelo tempo que estamos separados. Eu nunca durmo bem sem você na cama, como eu faço quando você está aqui bem onde você pertence. Minha linda e incrível garota, você é meu desejo secreto vir à vida. Todo o meu amor, -DC

197


De mim, Para ele Meu Dillon, Nada do que eu escrevo chegará perto de ser tão bonito, quanto suas cartas para mim foram. Antes eu não tinha ideia do que significava ser amada completamente, mas, você mudou tudo isso. Eu não sei como eu tenho tanta sorte de ter você em minha vida, mas, eu sei que eu estou dando-lhe de volta. Você é a melhor coisa que já aconteceu comigo e eu te amo, e tudo o que você é. Hoje é o último dia de férias e eu fui mergulhar com minha família. Vendo toda essa beleza subaquática, sinto sua falta terrivelmente, porque era com você que eu queria estar explorando. Eu me diverti, mas, não foi tão divertido quanto seria se você estivesse lá. O mundo é sempre mais rico e mais vibrante quando estou com você, mesmo se nós estivermos apenas no drivethru do McDonalds. Eu nunca acreditei que um dia eu iria encontrar alguém que eu gostaria que pudesse me amar de volta, mas você me provou o contrário. Antes de nos conhecermos se eu tivesse escrito todas as características do que eu desejaria que um homem tivesse, eu estaria te descrevendo. A parte mais surpreendente é o fato de que, para todos os desejos secretos que eu tinha, não só você levou-os para a vida, você os superou e me fez perceber que eu não tinha sido corajosa o suficiente para desejar as coisas que eu realmente queria. Eu 198


desejo para nós grandes coisas agora e isso é porque eu sei que o meu futuro tem você nele. Você me deu asas. Eu adorei ler todas as suas cartas, mais do que posso dizer. Vou guardar cada uma para sempre. Você é a minha cara-metade e eu não posso esperar para estar de volta onde eu pertenço, nos seus braços. Meu homem bonito e incrível, eu te amo. Obrigado por dar o meu significado de vida e da verdadeira felicidade. Você faz meu coração cantar e eu não posso esperar para conhecer o nosso futuro juntos! Da sua gatinha Dominique

199


Capítulo 18 Dillon Sete longos e miseráveis dias se passaram sem Dominique, aparentemente cada um, mais do que o dia anterior. Eu estava perdido como se ela fosse um suprimento de oxigênio que estava sendo privado de mim e isso me fez mal-humorado e de pavio curto. Eu queria estar de férias com ela, apreciando a vista dela usando seu biquíni e a segurando a cada noite até adormecermos. Se não fosse pelo fato de que eu tinha ficado ocupado, trabalhando pra caramba na nova instalação de paisagem, eu estaria subindo pelas paredes. Ainda que eu chegasse em casa exausto a cada noite, tinha sido um inferno de um desafio para adormecer, sem ter pelo menos falado com ela antes de dormir. Meu horário era tão instável e ela estava tão ocupada com sua família que eu só tinha conseguido falar ao telefone duas vezes. A eternidade que passou enquanto eu esperava pelo seu retorno estava finalmente acabando. Em apenas algumas horas eu estaria terminando no trabalho para o dia (para a noite realmente, uma vez que já era após cinco) e quando chegasse em casa, ela estaria lá.

200


Eu estava tão tenso e ansioso como uma criança na manhã de Natal. Eu tinha saudades dela além de toda razão, e eu precisava vê-la, tocá-la e segurá-la em meus braços. O conhecimento que ela ia estar me esperando me fez trabalhar em super velocidade e o resto da equipe se esforçou para se manter. Duas horas mais tarde Rick chamou para o dia e todos nós tivemos que sair. Eu já havia lhe dito dias atrás que eu estaria em uma corrida para sair hoje para com um aceno alegre, eu saí correndo para o meu caminhão. A visão de seu carro na minha garagem, era um bálsamo para a minha alma. Ela estava de volta e a vida podia voltar ao normal. Corri do meu caminhão para a porta da frente, balançando-a para abrir e encontrei-a correndo em minha direção da cozinha com um enorme sorriso no rosto. "Baby", ela riu: "Eu senti tanto sua falta”! Nada mais importava agora que ela estava de volta em meus braços. Nós tínhamos sobrevivido aos sete dias intactos, e nunca teríamos que passar por uma quantidade de tempo, tão significativa separados novamente. Escavando-a em meus braços, eu cobri a boca dela com a minha e beijei o inferno fora dela enquanto eu caminhava em direção ao meu quarto. Desde a primeira noite que fizemos amor o mais longo que tínhamos ficado sem estarmos juntos fisicamente, foram dois dias. Ela estava reticente em primeiro lugar para fazer sexo, durante o seu período, mas depois que eu mostrei a 201


ela que seria tão bom para nós dois e não me incomodava em nada, não o deixou no caminho. A verdade é que uma vez que ela estava acostumada com a ideia de que ela tinha sido aliviada, ela queria fazer amor todas as vezes que eu quis se não mais. Muitas tardes eu cheguei em casa do trabalho para encontrá-la esperando por mim com um preservativo na mão e eu estava sempre pronto para ir, quando eu via aquele olhar em seu rosto. Meu primeiro estoque de preservativos tinha acabado rapidamente e agora estamos bem no segundo. Nós gostávamos de brincar que estamos mantendo a parte Magnum da marca Trojan no negócio, mas, recentemente, Dominique começou a fazer ruídos sobre ir ao controle de natalidade para que possamos abrir mão de preservativos inteiramente. Minha posição que era sobre o seu corpo e se ela não quiser estar em algo, eu estou feliz de ter o cuidado através do uso de preservativos. Eu quero ter pele a pele com ela, sem barreira? Inferno sim, eu quero. Estou com medo de que ele vai se sentir ainda melhor do que já faz, e eu nunca vou ser capaz de sair da cama? Secretamente, sim. Às vezes eu sinto como se o preservativo é a única barreira entre eu e a insanidade absoluta, quando estar dentro de seu corpo está em causa. Eu tomo um grande esforço para ser gentil e carinhoso com ela em todos os momentos. Saber o que seu pai fez com ela e essa sua visão distorcida do sexo, me 202


sinto responsável para sempre deixar claro para ela que nós estamos fazendo amor. Definindo-a suavemente na cama, eu me arrastei para cima dela, olhando para o rosto dela quando eu fiz isso. "Eu perdi muito gatinha. Estou tão feliz por você estar em casa comigo, onde você pertence”. Ela estremeceu embaixo de mim, um caso de corpo inteiro que eu senti passar por ela. Corando timidamente, ela respondeu: "É claro que eu senti sua falta também. A vida não é tão boa sem você nela todos os dias. Prometa-me que nunca vamos ter que ficar separados por tanto tempo, nunca mais”. Puxando a minha camisa para cima e sobre a minha cabeça eu deixei cair de volta para baixo sobre ela e comecei a beijar seu pescoço. "Eu prometo que nós nunca vamos nos separar assim de novo gatinha. Você é a minha vida e a partir de agora para onde você for eu vou”. Envolvendo seus braços ao redor do meu pescoço, ela puxou-me para mais perto dela e enterrou o rosto no meu peito. Após um momento de silêncio, ela disse: "eu perdi esse cheiro, como um louco. Quando você chega em casa depois de trabalhar, fora o dia todo, você cheira delicioso”. Eu ri porque ela mencionou isso muitas vezes, e parecia que o meu perfume natural misturado com luz do sol derramando suor, fazia a minha 203


namorada louca de tesão, e eu não estava prestes a reclamar. Capturando sua boca com a minha, eu a beijei suavemente enquanto nós puxávamos a roupa um do outro. Espalhando suas pernas eu a encontrei molhada e pronta para mim, e minha boca encheu de água enquanto eu deslizava pelo corpo dela e afundava minha língua em seu canal de imersão. Ela arfava e gemia, se debatendo na cama, enquanto ela segurava minha cabeça entre as mãos e impulsionava contra a minha língua chamando meu nome mais e mais, enquanto eu a devorava. Ela estava quente e tão inchada que eu sabia que não ia tomar qualquer coisa para obtê-la. Claramente ela não tinha cuidado de suas necessidades próprias enquanto estávamos separados, mas neste assunto eu também não. O empurrão dela contra a minha língua aumentou e foi rapidamente seguido por um pequeno grito, quando ela veio. Eu gemi quando ela puxou meu cabelo para que eu levasse a minha boca de volta na dela para que pudesse beijar. Eu amava aquela pontada de dor que eu sentia quando ela não tinha controle de si mesma, e não se lembrava de ser gentil. Ela mordeu o lábio suavemente antes de deslizar a língua na minha boca e o sentimento era tão intenso que minha ereção empurrou. Chegando entre nós, ela agarrou meu pau com sua mão 204


esfregando umidade.

a

minha

dica

doendo,

contra

sua

Eu me assustei quando a pressão da mão dela mudou para a pressão de seu canal molhado como ele agarrou a cabeça do meu eixo. Apoiando os braços, em cada lado dela, eu comecei a sair, mas ela estava tendo nada disso. Ela enrolou as pernas em volta de mim para me segurar em no mesmo momento que ela deslizou as mãos pelas minhas costas e segurou minhas nádegas com as mãos, puxando-me no mais profundo. Por um momento, eu perdi toda a capacidade de pensar ou ser racional, porque eu não conseguia sequer lembrar por que eu queria parar para me acostumar com a sensação. Antes que eu pudesse dizer uma palavra, eu estava empurrando duro dentro, enterrando-me até a raiz dentro dela. Eu ouvi um gemido feral quebrar o silêncio do quarto e ele me tirou da minha fuga como o estado, quando eu percebi que o som tinha vindo de mim. "Gatinha", eu gemi, "eu não estou usando uma camisinha e eu preciso por”. Se alguma coisa, ela segurou mais apertado. "Não. Eu preciso saber o que se sente em não ter nada entre nós. Não pensei em mais nada durante toda semana. É um tempo seguro do mês e enquanto você puxa para fora, deve ficar tudo bem”.

205


Eu cortaria meu braço direito para esta menina bonita, mas a minha consciência fez coro alto que ficar grávida não seria a coisa certa. "Baby, você poderia ficar grávida”. Ela me puxou com mais força, me agarrando da raiz às pontas dentro de seu núcleo quente apertado. "Eu não vou ficar grávida. Apenas esta vez baby, deixe-me te sentir. Se o pior que acontecer é nós engravidarmos agora, eu não vou ficar chateada com isso. Você ficaria”? Os pequenos pulsos dela contra meu eixo foram me deixando louco, mas, a minha resposta veio direto do coração. "Não gatinha eu não ficaria chateado. Eu totalmente pretendo ter uma família com você. Só dessa vez eu vou fazer o que você está pedindo, mas eu vou sair quando chegar a hora. Eu estarei pronto para as crianças, sempre que você estiver, mas a escolha tem que ser sua”. Seu belo suspiro tocou minha alma, e quando ela se arqueou abaixo de mim e disse obrigado eu perdi qualquer resistência restante, e comecei a empurrar dentro e fora dela. Quem quer que fosse o idiota que decidiu reivindicar que os preservativos não alteravam a sensação de estar dentro de alguém, precisava ter sua cabeça examinada. Foi uma experiência de outro mundo

206


estar dentro dela nu, eu lutava para manter-me de vir antes dela. O ranger suave da cama e de colchão embaixo de nós começou a ficar mais alto e mais intenso, e eu me joguei dentro dela mais do que eu já tive, mesmo enquanto eu tentava manter alguma aparência de controle. Alcançando por trás de mim, eu passei meus braços sob seus joelhos e coloquei as pernas dela em volta dos meus ombros. Ela assobiou e gritou, e suas unhas cavaram minhas costas, enquanto ela soltava o grito mais alto que eu já tinha ouvido dela. "Oh Deus, oh Deus, oh Deus, oh Deus... Não pare baby”! Fiquei impressionado pela forma como ela estava ligada, por esta versão mais nova e mais selvagem do nosso amor, e me senti bem para trabalhar meus quadris mais difíceis para ela. Senti como ela ficou molhada e isso me fez empurrar mais rápido, desesperado para a liberação que eu podia sentir que vinha. Sua cabeça goleou sobre o travesseiro, e sob a cabeça como pequenos fundamentos e gemidos irromperam de sua boca. "Mais forte... oh deus, bebê, mais forte”! Agarrando as mãos das minhas costas, me acomodei em suas pernas de modo que ela estava segurando seus próprios joelhos para trás. Uma vez 207


que ela tinha o controle, eu agarrei seus quadris em minhas mãos e puxei um pouco para fora da cama para que eu pudesse ir mais fundo. Sua bainha apertada e seu creme em torno de mim, eu empurrei uma e outra vez, e eu era incapaz de olhar em qualquer lugar, mas somente para ela enquanto eu observava seus seios balançando para cima e para baixo enquanto eu continuava a bombear. "Por favor, baby, por favor, oh! por favor, oh! por favor... Dillon”! Ela soltou um gritinho no mesmo momento em que seu sexo apertou o cerco em torno de mim, como um torno, e eu absolutamente perdido naquele momento. Eu tentei tirar, mas, ela gritou e me implorou para não. "Por favor, venha em mim”! Não houve luta, então eu estava desesperado para ir com ela. A sala se encheu com o som de nós dois clamando um ao outro quando cada um de nós veio, e gozei dentro dela enquanto ela ordenhava por cada gota do lançamento mais forte, e mais impressionante que eu já tive. Eu caí sobre ela quando o último do meu orgasmo pulsava seu caminho do meu eixo, em seu calor apertado, enterrando meu rosto em seu pescoço enquanto eu respirava seu cheiro. Cada grama de energia que eu tinha foi gasto totalmente dentro dela e eu precisava de um momento para me recompor. 208


Ela suspirou e deu um gemido de apreciação com as pernas e os braços em volta de mim, e me segurou para ela com firmeza. "Eu nunca vou ficar longe de você por sete dias de novo, mas eu tenho que dizer-lhe, que foi as melhores boas-vindas de sempre". Eu ri com isso quando eu acariciei seu pescoço, letárgico da minha libertação, mas também relutante em sair dela. Agarrando seus quadris eu a segurei no lugar, quando eu rolei para que eu ficasse debaixo dela, portanto, menos propenso a esmagá-la. A maneira como ela se aconchegou em mim era uma coisa de beleza, e eu não podia esperar para chegar ao ponto onde ela poderia morar comigo e podermos sempre estar juntos. Adormeci ainda enterrado dentro dela, com um sorriso no meu rosto e no meu coração. Acordei, algum tempo depois, com a sensação de seus lábios ao meu redor. Eu estava tendo o sonho mais lindo sobre ela, que agora que eu estava acordado, acabou por não ser um sonho. Ela realmente estava na minha cama e, a julgar por como eu estava eu tinha sido enterrado em sua boca por algum tempo. Empurrando seu cabelo para trás de seu rosto eu sorri para ela quando ela olhou para mim. Seus olhos azuis sinceros olharam para mim com um olhar de amor puro que ela esvaziou as bochechas e 209


torceu a cabeça enquanto ela trabalhava a boca para cima e para baixo. "Deus, gatinha", eu sussurrei, "eu te amo tanto. Venha até aqui e me beije”. Balançando a cabeça, ela chupou com mais força. Meus dedos dos pés curvados no mesmo momento que minhas mãos em punhos estavam em seus cabelos, e eu tive que forçar para ser gentil em meu toque. "Baby não sozinho. Eu quero que você venha, também”. Mais uma vez ela balançou a cabeça, aparecendo fora do meu eixo com um gemido, quando ela começou transportando seu punho para cima e para baixo, enquanto ela lambia a ponta. Eu senti minhas bolas apertar e sabia que eu não ia durar, e quando ela chupou a ponta em sua boca e lambeu minha abertura, eu explodi em sua boca com um grito alto olhando com admiração como ela manteve a boca, para que ela pudesse engolir a minha libertação. Ela fez seu caminho de volta até o meu corpo enquanto eu arfava e ofegava como um homem velho, que tinha acabado de correr uma milha. "Santo Deus gatinha... de onde veio isso”? Rindo baixinho, ela beijou meu peito.

210


"Eu te amo tanto que eu só queria ter você dentro de mim de todas as maneiras que eu pudesse hoje. Eu acho que eu senti sua falta”! "Eu também senti sua falta gatinha, muito”. Sentando-se, ela sorriu para mim. "Muito obrigado por hoje bebê. Eu odeio amar e correr, mas eu preciso ir para casa. Me acompanha até o carro”? Esta era a parte da nossa rotina diária que eu odiava, especialmente agora que tínhamos sido separados por uma semana inteira. Em vez de pedir-lhe para ficar eu me levantei da cama com ela e joguei em um par de calças, enquanto eu a observava. Muito rapidamente eu estava com ela, ao lado de seu carro, beijando-a suavemente antes de dizer que eu iria vê-la na noite seguinte. Embora eu odiasse vê-la ir eu estava sorrindo como um bobo apaixonado, quando voltei para casa e comecei a trancar a casa para a noite. Bastava saber que ela estaria de volta no dia seguinte, que aliviava o meu espírito. Depois de fazer e devorar um sanduíche com manteiga de amendoim e geleia, eu voltei para o meu quarto e fui para a cama. Meu rosto se abriu em um sorriso enorme quando vi que ela tinha deixado uma carta de amor para mim, eu a li cinco vezes antes de enviar mensagens de texto para ela, 211


lhe dizendo que ela me fez o cara mais feliz do mundo. Depois de mensagens de texto por alguns minutos, nós dissemos boa noite. O lençol cheirava a nós e me fez feliz. Como eu fazia todas as noites que ela não estava na cama comigo, eu agarrei seu travesseiro e me enrolei nele, respirando o aroma suave e delicado que era tudo dela. Confortado e feliz eu dormi com um sorriso no meu rosto, ansioso para saudar o dia seguinte.

***

O grande projeto em que estávamos trabalhando era em uma escola particular, super exclusivo até nos cânions, e esse foi o primeiro dia em que os alunos estavam de volta no campus após as férias de primavera. Esta parte do trabalho foi uma corrida, porque a paisagem precisava estar no lugar e próspera no momento da graduação em poucos meses. O trabalho tinha sido uma moleza na semana passada, quando tudo estava em férias, mas foi mais difícil de contornar o zumbido constante dos sinos de classe e do fluxo e refluxo dos alunos que andam perto do espaço do jardim. A maioria das crianças foi respeitosa, mas alguns dos rapazes mais detestáveis vieram correndo pela área em uma 212


espécie de um desafio, derrubando uma grande parte do vaso flores que Já tinha sido estabelecido em uma grade. O destaque de ter os alunos de volta à escola era termos quatro das crianças do clube de agricultura a trabalhar conosco, por algumas horas. Eram crianças brilhantes, ansiosas para aprender e muito sobre o tema do jardim. Foi bom ver as crianças tão ricas quanto as que estavam no jardim ajudandonos, realmente desfrutarem de passar o tempo fazendo o trabalho. Eu me senti como um idiota por ter assumido que o trabalho manual, não seria algo que um adolescente que vinha de uma família que poderia se dar ao luxo de mandá-los para a escola, estaria interessado. Um dos clientes de Rick fazia parte da turma, então eu sabia que o custo das mensalidades eram quase quarenta mil dólares por ano. Adicionado em outros vinte mil para isso, eu poderia ter pago para todo o meu diploma universitário. Parecia um desperdício gastar tanto dinheiro com o ensino médio, mas, eu acho que é assim que as pessoas ricas vivem. O estacionamento estava cheio de Mercedes, BMWs, Porsches e Jaguares e eu não podia acreditar que os pais eram realmente loucos o suficiente para dar carros que custam mais do que eu ganho em um ano a seus filhos. Por tudo isso eu estava realmente animado para a execução dos planos que eu tinha feito para cima. Embora eu não tenha certeza de que a escola deva 213


custar quarenta mil dólares por ano tenho certeza de que ele compra uma propriedade da escola, que é segundo a nenhum. Rick tinha feito todo o préprojeto de medição para mim, então quando eu coloquei os pés no campus na semana passada eu tenho que admitir que eu fiquei encantado. Eu não podia esperar para trazer Dominique para mostrar-lhe o produto acabado. O jardim levou em um pavilhão ao ar livre onde todas as formaturas seriam realizadas e esse paisagismo tornou-o ainda mais convidativo. Este foi o nosso último dia de plantio apesar de que estaria de volta para as próximas quatro tardes após as aulas, e depois de saírem fazer a cobertura morta e definir os bancos de jardim. Quando eu ouvi o som de sua risada eu balancei a cabeça, e silenciosamente chamei-me de idiota gigante. Tudo o que tinha que fazer era pensar nela e imediatamente tudo à minha volta parecia e soava como ela. Eu sabia que era uma ilusão e olhando para o relógio, vi que o dia não teria fim, por mais três horas. Uma das crianças agricultura clube, Tony, estava ocupado plantando uma fileira de plantas anuais, sob a minha supervisão, quando ouvi a risada de novo. Desta vez eu não ignorei e me virei, e vi um grupo de meninas sentadas na área de alimentação ao ar livre que estava do outro lado da área do jardim. A visão foi bloqueada com os arbustos e 214


árvores que eu havia plantado, então eu me inclinei para fora para olhar para a fonte do som. Quando eu a vi sentada em uma das mesas eu realmente pensei que estava imaginando coisas. Mas então eu percebi que não só ela estava usando o uniforme da escola, ela tinha a pulseira que eu tinha dado a ela em seu pulso. Meu queixo caiu quando minha mente começou a girar como uma roda de hamster absolutamente chocado quando eu percebi que tinha que ser ela, desde que ela estava sentada ao lado de uma menina que era quase idêntica a ela em todos os sentidos. Voltando-se para o garoto que chamou sua atenção. "Ei, Tony, venha aqui por um segundo”. De pé e limpando os joelhos, ele veio e ficou ao meu lado. "O que foi Sr. Cooper”? Apontando para as meninas eu menti, "eu acho que aquelas meninas podem ser minhas vizinhas, mas eu realmente não consigo ver isso agora. São aquelas as gêmeas Morgan”? Olhando para onde eu estava apontando, ele balançou a cabeça e riu. "Não, essas são as gêmeas Hart, Dominique e Delilah. Sua tia é a razão pela qual vocês estão plantando neste jardim. Ela é a presidente do PTO e ela doou o dinheiro à escola para isso, como agradecimento, já que é o último ano das gêmeas”. 215


Dando outra risada, Tony girou e voltou ao trabalho enquanto eu fiquei lá e tentei não vomitar. Eu estava dormindo com uma adolescente, que poderia ser menor de idade. Eu pensei que ela tinha feito vinte em seu último aniversário, mas não era o caso claramente. Pelo que eu sabia ela tinha dezessete anos. Ela também tinha mentido para mim sobre a sua família porque nunca tinha havido qualquer menção ao fato de que eles eram, obviamente, muito bem de vida. Afastando-me do resto da tripulação, eu puxei o meu telefone do coldre com as mãos trêmulas rapidamente digitando um texto, que enviei para Dominique. Eu: Hoje você vai para a faculdade? Eu vi quando ela pegou o telefone dela para cima da mesa, em frente a ela, para ler a mensagem, e eu vi que ela estava chateada. Dominique: Eu estou na classe bebê, não posso falar. Eu te amo. Eu estava tão mal do meu estômago que eu não conseguia nem responder. As mentiras vinham a ela com tanta facilidade, que me sacudiu ao meu núcleo. Ela havia dito que ela estava em sala de aula, mas eu a podia ver claramente sentada em uma mesa em sua escola, para almoçar com as amigas.

216


Olhando em volta freneticamente, eu procurei por Rick. Finalmente encontrei-o no chão, trabalhando com os anuários do outro lado do jardim. Corri até ele e lhe disse que eu estava me sentindo muito mal, e precisava sair. Ele deu uma olhada em mim e, aparentemente, decidiu que eu realmente parecia doente, porque me disse para ir e não me preocupar com isso. Corri para o meu caminhão como se houvesse fogo atrás de mim. Eu consegui fazer as quatro quadras, antes que eu tivesse que puxar para vomitar, cólicas no meu estômago não é páreo para a quebra do meu coração. O que eu sabia agora era que todos mentiam e ninguém podia ser confiável. Marissa com suas garantias de que ela não ia se machucar, tinha sido uma mentira. Depois eu coloquei minha fé em Dominique nunca questionando a imagem de um estudante universitário que foi apresentado a mim. Tudo isso tinha sido nada além de uma maldita mentira. Ela provavelmente riu sua bunda com as amigas, sobre o cara mais velho que ela estava namorando. Eu aposto que eu era a chacota da escola, de filhos ricos. Minha respiração bateu para fora de mim como se eu tivesse levado um soco no estômago, quando eu me lembrei da noite anterior e percebi que tinha tido relações sexuais sem preservativo. Se ela tivesse ficado grávida, minha vida tinha acabado. 217


Sua família abastada não ia aturar um paisagista de 25 anos de idade contaminando sua linda princesa e se ela for menor de idade, eu provavelmente seria acusado de estupro. Meu alerta de mensagem de texto soou, e depois de seco, levantando algumas vezes mais me senti sólido o suficiente para verificar minhas mensagens. Olhando para a tela senti nada além de raiva quando vi que a mensagem era dela. Dominique: Eu te amo e eu não posso esperar para vê-lo esta tarde. Lendo essas palavras, me enojando agora que eu sabia a verdade sobre o que ela tinha dito. Tudo o que ela disse, foi nada além de uma mentira gigante. Ela não me ama. Você não mentem da forma que ela fez, com as pessoas que você ama. Ela estava sentada na sala de aula, com seus amigos, mostrando-lhes os nossos textos? Será que ela estava mostrando e comentando sobre o idiota, mais velho, que ela tinha ensacado? Senti-me transformando em pedra por dentro, naquele momento, enquanto eu fechava todas as emoções dentro de mim que não fosse completamente raiva.

218


Eu não era nada, mas um maldito idiota sentimental. Algo sobre mim, aparentemente, gritou, "minta pra mim", e eu tenho o que eu porra merecia por ser um idiota tão estúpido. Esses dias foram feitos. Eu não ia ser mais esse cara. Ser bom deu às pessoas um convite aberto para cagar em cima de mim. Amar Dominique Hart foi o maior erro da minha vida e uma vez que eu estava livre dela, eu nunca iria cometer o erro de confiar ou amar alguém de novo, nunca mais.

219


Capítulo 19 Dominique Eu tinha enviado quatro mensagens para ele dizendo que eu o amava e não tinha obtido qualquer resposta. Dillon sempre me atendeu. Ele me mandava uma mensagem todas as manhãs, sem deixar de me dizer o quanto ele me amava e nós sempre mantivemos contato durante o dia. Agora, ele não respondeu minhas mensagens e eu estava morrendo de medo. Eu tinha mudado em shorts de corrida e uma camiseta, antes de deixar a escola, pouco disposta a perder tempo indo para casa para mudar, como eu normalmente fazia. Minhas mãos tremiam no volante enquanto eu dirigia, rezando o caminho inteiro para que nada houvesse acontecido com ele. Eu poderia sobreviver a um monte de coisas, mas eu não podia perdê-lo. Eu respirei um enorme suspiro de alívio quando me virei para sua rua, e vi o caminhão na garagem. Talvez ele houvesse deixado seu telefone em um local de trabalho ou talvez ele estava doente. De qualquer maneira o caminhão estar ali significava que ele estava em casa e seguro. Depois de estacionar o meu carro, na garagem, eu corri pelo gramado na casa. Agora que eu sabia que 220


ele estava seguro, eu precisava tocá-lo. Eu irrompi pela porta chamando seu nome, mas derrapei até parar, quando o vi de pé na porta que dava da cozinha para a sala de estar. Seus braços estavam cruzados sobre o peito, e ele parecia muito, muito zangado. Meu estômago despencou e tudo que eu podia dizer era: "Baby”? Ele balançou a cabeça e me deu um olhar de puro desgosto e eu soube naquele momento, que o texto que ele me enviou mais cedo perguntando se eu iria para a faculdade não tinha sido apenas uma questão aleatória. De alguma forma ele havia descoberto. Essa foi a única coisa que o deixaria com raiva de mim, mas, eu sabia que uma vez que eu explicasse para ele, ele iria me perdoar. “Eu acho que se alguém deva chamar alguém de bebê nesta sala”, ele cuspiu, “deveria ser eu. Que tal você me dizer quantos anos você realmente tem, menina? Eu acho que eu mereço saber, se eu deveria estar me preparando para ir para a cadeia por estupro”. Sentindo todo o sangue na minha cabeça eu estendi a mão atrás de mim, para segurar o batente da porta para que eu não caísse. Será que ele, realmente, acredita que eu teria ficado em uma situação onde ele poderia ir para a cadeia?

221


“Eu tenho dezoito anos”, eu botei para fora em um soluço, “e eu nunca teria feito nada para machucálo assim”. "Então é isso? Você só mentiu para mim sobre a sua idade e o fato de que você não está na faculdade”? Presumi que ele estava me perguntando se eu tinha mentido sobre amá-lo, e eu balancei a cabeça afirmativamente. "Sim, essas foram as duas coisas que eu menti para você”. Eu não acho que foi possível para ele olhar mais irritado comigo, mas de alguma forma ele conseguiu. "Jesus mesmo agora você não pode parar de mentir mais. Você me deixa pensar que sua família estava trabalhando na construção assim como eu. A julgar pela escola que você vai e o custo por ano, eu estou supondo que você tem um inferno de muito mais dinheiro do que qualquer família no ramo da construção que eu já ouvi falar. Nem mesmo o mais alto trabalhador da construção civil que eu sei que poderia pagar a escola por não um, mas dois filhos”. Balançando a cabeça, eu chorava, "eu não menti sobre isso. Eles trabalham na construção. Eu simplesmente não entrei em detalhes sobre o tamanho da empresa. A única razão para eu não falar sobre isso é porque eu queria esperar até que eu terminasse o ensino médio para dizer-lhe tudo o que havia para saber sobre mim”. 222


"Vocês. Queria. Para. Espere”. Cada palavra era como um soco no estômago. Abri a boca para responder, mas ele não quis. "Eu não sou nada, mas uma piada para você! Eu aposto que você tinha um bom tempo dizendo a seus amiguinhos da escola sobre o jardineiro idiota que você estava brincando”. "NÃO! Eu nunca disse a ninguém sobre você. Ninguém sabe sobre nós”! Mais uma vez eu tinha dito a coisa errada e agora ele parecia ainda mais irritado. "Ah, então eu era o seu pequeno segredo sujo. Nada como descendo do alto e começar seus chutes com o povo comum! Diga-me, quando você decidiu que seria uma boa ideia de mentir para mim e minha família, sobre todos os aspectos da sua vida”? Eu estava mal pendurada, cada palavra de sua boca era como uma chicotada em minha alma. "Não foi minha ideia", eu sussurrei: "eu nunca te disse que eu estava na faculdade, Marissa fez. Ela estava com medo de que se você soubesse que eu ainda estava no colégio, você não iria aprovar a nossa amizade. Eu juro por Deus, eu estava indo para dizer-lhe, logo que me formasse. Eu nunca quis mentir para você, baby”. Seus olhos me cortando como lâminas de barbear, enquanto balançava a cabeça. 223


"Você mentiu sobre tanta coisa, que eu não acredito em uma palavra que sai de sua boca. Você culpa essa porra de mentiras em Marissa, quando ela não está viva para confirmar ou negar, e isso me faz mal”. Saindo da porta ele começou a atravessar a sala em minha direção, parando pouco antes de mim e apontando para a porta. "Saia da minha casa”. Meu corpo tremia tanto, que eu não tinha certeza de como eu estava. Estendendo a mão, eu peguei sua mão na minha e segurei com firmeza. "Não faça isso conosco, Dillon! Eu te amo. Eu te amo! Eu sei que eu estava errada", eu soluçava, e peço desculpas... “Eu sinto muito”. Sacudindo livre de minha mão, ele sacudiu a cabeça em direção à porta. "Eu lhe disse para sair, e eu quis dizer isso. Eu nunca mais quero ver seu rosto mentiroso de novo”. Era como se eu estivesse paralisada. Eu não podia me mover, e me recusei a voltar para a porta, por que eu sabia que se eu deixasse seria por que realmente acabou. Passando por mim, ele abriu a porta e fez um gesto para ele. "Ou você dá o fora da minha casa ou eu. O que é que vai ser”?

224


"Por favor", eu implorei, "Não... faça... isso. O que temos é real. Eu te amo. Sempre vou amar você”. Ele rejeitou as minhas palavras com um gesto de largo de mão. "Isso é a coisa sobre o ensino médio. Tudo parece que é maior que a vida e você finge que coisas vão durar para sempre. Você terá um novo namorado antes que você perceba e tudo isso vai ser nada mais do que uma lembrança engraçada para você”. "Isso não é verdade", eu chorei, "Eu te amo com todo o meu coração e alma. Eu nunca vou pensar que isso foi engraçado. Por favor. Eu estou te implorando”! "Eu já lhe disse para sair e eu não vou mudar minha mente. Eu não quero você aqui. Saia”. Ele tinha acabado. Nada do que eu dissesse ou não, iria fazê-lo mudar de ideia, pelo menos não agora. Ao agitar as pernas me virei e saí pela porta quase pulando para fora da minha pele, quando ele bateu a porta atrás de mim. Eu nem tenho certeza de como eu fui para o meu carro, mas, de alguma forma eu fiz isso. Eu me afastei em uma névoa incapaz de compreender o fato de que seu amor por mim se transformou em ódio. Eu estava soluçando tão difícil que foi algum tipo de milagre que eu consegui chegar em casa sem bater em alguma coisa, mas eu só queria o meu quarto, então eu não parei de dirigir. Foi 225


descuidado e estúpido, mas no momento eu não me importava o suficiente com a vida para parar. Meu telefone tocou e tocou me alertando para mensagens de texto todo o caminho de casa, mas eu sabia que não era ele então eu não me incomodei em olhar para o telefone. Parecia que eu estava dirigindo por uma eternidade quando eu puxei na minha garagem. Jogando o carro na calçada, eu arranquei as chaves da ignição e corri direto para o meu quarto. Eu sabia que eu teria algum tempo sozinha, por que minha tia estava no trabalho e Delilah ainda estaria no trabalho por algumas horas mais longas. Jogandome para baixo na minha cama, eu me enrolei em posição fetal e chorei meu coração. Eu tinha sido estúpida, tão malditamente estúpida, por ter concordado em mentir para ele em primeiro lugar. Eu deveria tê-lo dito a verdade muito antes de agora e eu não podia acreditar no quão incrivelmente míope que eu tinha sido. Como havia me enganado em acreditar que ele não ficaria furioso, quando descobrisse? Eu quase morri de susto quando eu ouvi a porta do meu quarto ser aberta arremessar aberto e então senti minha irmã saltar para a cama ao meu lado, quando ela começou a esfregar minhas costas. "O que está acontecendo, com você? O que há de errado”? 226


Ter a minha irmã me vendo assim só me fez sentir pior, porque agora eu ia ter que responder as perguntas. Eu chorei mais, incapaz de responder para ela. "Dominique! Você está me assustando. O que diabos está acontecendo? Senti algo errado, então eu deixei o trabalho para vir encontrá-la. Eu te chamei e mandei uma mensagem para você uma centena de vezes e você não me respondeu e agora você está chorando tanto que eu tenho medo que você vai desmaiar. Você se machucou? Preciso chamar a mamãe”? Balançando a cabeça, enfaticamente, eu chorei mais difícil. "NÃO”! Rastejando sobre mim, ela se jogou para o lado dela perto de mim para que nós ficássemos cara a cara e conseguisse segurar minha mão. Era nossa posição padrão, sempre que nos abraçávamos ou confortando uma a outra, mas desta vez, ela não me faça sentir melhor. Nada iria me fazer sentir melhor, porque o meu coração se foi. Dillon me odiava e toda a alegria, e esperança para o futuro que eu tinha construído, tinha evaporado do nada. Só havia uma pessoa que poderia me fazer sentir melhor, mas ele não ia falar de bom grado comigo nunca mais.

227


Eu chorei até que eu não tinha mais lágrimas e doía para respirar, e então eu fechei os olhos e tudo desvaneceu-se em preto.

***

Acordei com o som da minha irmã freneticamente sussurrando no outro lado da sala. Abrindo os olhos percebi que lá fora estava muito escuro, o que significava que eu tinha estado fora por algum tempo. Doeu para respirar, meu rosto ainda estava molhado de lágrimas e minha cabeça latejava. "Damien, eu juro a você que eu não sei o que há de errado com ela," eu ouvi a minha irmã sussurrar, "mas o que eu sei é que ela está chorando e desliga durante o sono por horas. Mesmo inconsciente, ela não vai me deixa tocá-la para ver se ela está machucada. Eu preciso de você aqui... Eu estou com medo”. Um breve silêncio foi seguido por "você vai precisar esgueirar-se para dentro da casa. Ela ficou muito chateada quando eu perguntei se ela queria que eu chamasse Mama San. Cobri para ela antes, mas se Sandra a ver, ela vai saber que algo está errado”. Eu queria dizer a minha irmã pra me deixar em paz, mas as palavras não vieram. Em vez disso, eu fechei os olhos e apagou o mundo novamente.

228


A próxima vez que eu acordei Damien estava na minha cama, sussurrando meu nome. Meus olhos se esforçaram para abrir o tempo suficiente para me conectar com ele. Quando eu finalmente cheguei o suficiente para vê-lo, eu comecei a chorar de novo. Ele me tinha em seus braços e em menos de um segundo, me balançava para frente e para trás sobre a cama como um bebê, quando ele beijou minha testa e me pediu para lhe dizer o que estava errado. Senti suas lágrimas pousando na minha bochecha para misturar com a minha própria e ele quebrou meu coração, porque eu estava machucando-o agora também. Tentei falar, mas apenas saiu um coaxar. As horas de choro tomaram o seu pedágio em minhas cordas vocais. Finalmente, eu sussurrei: "água". Eu disse tão baixinho que eu mal tinha ouvido, mas Damien compreendeu. Erguendo a cabeça ele disse a Delilah para correr e pegar algo para eu beber. Agarrei-me a ele e esperamos pelo seu retorno e então eu comecei a chorar em silêncio, porque o meu pobre irmão teve que me segurar, para que eu pudesse beber. Não era certo que eu estivesse desmoronando tão mal, que meu irmão literalmente teve que me alimentar de água como se eu fosse um bebê. Eu precisava me controlar o suficiente para que eu pudesse acalmá-lo e aplacar seus medos. Ele não desistiu até que eu tinha consumido metade da garrafa de água que Delilah tinha trazido, 229


mesmo que eu tentasse várias vezes empurrar com a mão. Finalmente eu tinha tido o suficiente, e agarrando-lhe o pulso, eu apertei para que ele soubesse que eu não poderia tomar outro gole. "Joaninha", ele sussurrou para mim: "será que alguém te machucou? Você tem que me dizer o que está errado bebê, para que possamos saber se você precisa ir para o hospital. Você está me assustando”. Balançando a cabeça, enfaticamente, eu disse: "Ninguém me machucou fisicamente. Eu tinha..”. Eu tentei descobrir o que diabos eu poderia dizer, que não resultasse em minha família fazendo perguntas, que os levassem a descobrir sobre Dillon. Finalmente eu soltei, "eu entrei em uma briga com a minha melhor amiga e agora não poderemos mais nos falar, nunca mais”. "Que amiga”? ele perguntou. Eu balancei minha cabeça, o compromisso de manter a identidade de Dillon em segredo. Do outro lado da cama Delilah falou. "Isso só poderia ter sido Leah. O que aconteceu”? Maldita, eu precisava de Damien para estar satisfeito com o pouco que eu tinha dito a ele, e agora ele ia ter mais perguntas. "Quem diabos é Leah e que diabos ela fez com você, joaninha”? 230


A coisa sobre mentiras é que quando você começa a dizê-las, elas assumem uma vida própria. Antes que você perceba, você está adicionando para elas e elas vão crescendo a uma taxa de velocidade que você não pode parar. "Ela não fez nada", eu respondi: "eu sou a única responsável por isso. Eu menti sobre algo muito sério e agora a nossa amizade... acabou. Eu não vou ser perdoada pelo que eu fiz”. "Isso é besteira," Damien agarrou. "Você me deixe falar com essa garota e dizer a ela o quanto você está sofrendo agora e se ela for uma amiga de verdade, ela vai estar aqui”. Eu comecei a chorar novamente, dominada pela forma como, fora de controle, a minha vida estava ficando. "Não Damien você não vai falar com ninguém. Eu sou responsável por minhas próprias ações e eu não preciso de minhas figuras paternas saltando para a briga e me fazendo ficar pior do que já estou. Eu só preciso ficar sozinha por um tempo. Eu vou ficar bem”. "Não", ele disse, "você não vai. Você nunca foi, joaninha menos do que bem, e eu sei que você está mentindo. Você não sabe que não há nada que eu não faria por você? Tudo o que é errado, eu posso corrigi-lo. Eu não vou parar até que quem fez isso, pague por ferir você”. 231


Isso era exatamente o que eu temia. "Eu não estou mentindo. Estou chateada e eu tenho permissão para ficar chateada. Você não pode saltar a cada vez que eu derramar uma lágrima”. "O inferno que eu não posso”! Este era o problema com meus irmãos. Eles tinham absolutamente nenhum botão de desligar onde Delilah e eu estávamos em causa, e se eles achavam que estávamos machucadas ou chateadas, eles perderiam a sua capacidade de ser razoável. Damien era apenas nominalmente mais fácil de lidar do que Dante era, uma vez que seu radar "Papai Urso" disparasse. Eu sabia que as meninas de algum pai eram menos protegidas do que a minha irmã e eu éramos e que dizia muito. "Damien, por favor, você é a pessoa me perturbando agora e eu não posso lidar com isso. Se você quiser lutar com alguém que está me machucando, vá ao banheiro e grite para o espelho. Eu sou um adulto agora. Você tem que me deixar lidar com as repercussões dos meus próprios erros. Eu fiz o que eu fiz e agora eu preciso encontrar uma maneira de lidar com as consequências. Por favor, não faça isso mais difícil para mim do que já é”. Sua mandíbula fechou e abriu pelo menos uma dúzia de vezes, antes que ele me desse um breve aceno de cabeça para reconhecer que ele estava indo, para deixá-lo ir... por agora. 232


"Você e Delilah são a minha vida, joaninha. Não vou me calar”. Balançando a cabeça, eu prometi que não faria isso. Passando os braços ao redor dele com força, senteime para beijar seu rosto, antes de colocar minha cabeça em seu ombro e fechando os olhos de novo.

***

Eu acordei quando senti minha cama mudando. Abrindo os olhos, eu encontrei-me olhando nos olhos azuis de Dillon. Eles estavam cheios de amor e preocupação, e meu coração se encheu de alegria. Sentando, me atirei em seus braços, chorando quando eu sussurrei: "você veio para mim... você não está louco mais”? Foi como se um balde de água fria tivesse sido jogado em meus sonhos, quando a voz que respondeu não era dele. "É claro que eu vim joaninha," Dante disse: "Porque você pensou que eu estava com raiva de você”? Meu corpo começou a tremer enquanto eu o segurava, envergonhada que eu tinha estado tão fora de mim, quando eu acordei que eu pensei que tinha sido olhos de Dillon que eu estava olhando. Claro que não era Dillon, e eu me senti como um idiota. 233


"Por que você achou que eu estava com raiva de você, querida”? Afastando-me, eu balancei minha cabeça. "Eu acho que estou apenas super emocional”. "Você nunca poderia fazer nada que me fizesse realmente bravo com você joaninha. Você é o meu orgulho e alegria, nada que você diz ou não, vai mudar isso”. Oh, eu aposto que era algo que eu poderia fazer que iria desapontá-lo, ou seja, deixá-lo descobrir que eu tinha caído no amor com alguém que estava a menos de um mês mais novo do que Dante. Ele também estaria além de decepcionado se soubesse que eu tinha metido meu caminho em um relacionamento com Dillon. Não importa o que eu precisava fazer para manter a existência de Dillon um segredo.

***

A cada dia sem ele era um inferno, e até quatro semanas mais tarde ele não estava ficando melhor. Se qualquer coisa, estava piorando. No começo eu tinha lhe mandado mensagens várias vezes, todos os dias, mas ele nunca respondeu. Então eu mudei para chamá-lo diretamente, mas ele sempre enviadas as chamadas para a caixa 234


postal. Minha próxima tentativa de explicação foi o envio de cartas derramando meu coração. Tendo a certeza de não colocar endereços de retorno nelas, para que ele não pudesse mandá-las de volta, o que resultou em mensagens de texto dele para me informar que ele não estava lendo-as, e que cada uma foi um desperdício de papel. Minha família estava ridiculamente em alerta máximo, o que me deixava preocupada e isso significava que eu tinha que sair da minha maneira arrasada para parecer normal, mesmo que eu sentisse como se estivesse morrendo por dentro. Delilah não se deixou enganar nem por um segundo, mas eu disse a ela que se ela fizesse um grande negócio para o resto da família, eu estaria indo para viver com outra pessoa no outono, quando formos para a faculdade e eu teria a minha maneira de evitá-la. Ela olhou como se eu tivesse lhe dado um tapa no rosto quando eu disse isso, mas ela manteve a boca fechada. Eu sempre fui de sair de casa, mas agora eu ficava em casa o tempo todo, tanto quanto humanamente possível. As únicas vezes que eu realmente saía era para ir à escola ou para ir trabalhar, o meu mundo encolhendo de tamanho como eu mesma, fechada. Eu tinha ido almoçar duas vezes com Leah, e isso significava o mundo para mim, que mesmo que ela soubesse a verdade, ela não me cortou de sua vida. Ela era leal a seu irmão, porém, e tinha deixado muito claro para mim, de cara, que ele não estava 235


em discussão. Isso me machucou, mas não ter qualquer contato com ela teria me machucado mais. Eu senti como se ela precisasse de um amigo para estar lá para ela agora mais do que nunca, e o fato de que ela me deixou estar lá foi uma bênção. As duas de nós foram bastante um duo, tanto em medo, por razões diferentes, ambas lutando para colocar um pé na frente do outro. Leah tinha confiado a mim que ela tinha finalmente lido a carta que Marissa tinha deixado, e embora ela fosse muito emocional para dar muitos detalhes, ela me disse que ela pensou que eu precisava ler o meu. Essa carta pairava sobre a minha cabeça e eu tinha tentado centenas de vezes, abri-la, apenas para descobrir que eu fisicamente não poderia fazê-lo. Eu precisava de força agora mais do que eu já tive, e lendo algo que me lembrasse de que Marissa tinha escolhido a morte sobre a vida, não era uma boa ideia para o meu estado emocional. Eu nunca tinha sido suicida antes e eu não acho que eu fosse agora, mas, não posso negar que a ideia de dormir para sempre realizou um apelo macabro. Eu machuquei muito, e eu só queria que essa dor fosse embora. Eu estava completamente fora de mim fisicamente e mentalmente, e mesmo eu, tenho que admitir que os quilos que eu perdi me fazia parecer um esqueleto. Em vez de comer, eu me vestia com roupas mais largas para que fosse menos óbvio. 236


*** Faziam dois miseráveis meses solitários desde que Dillon tinha me cortado cirurgicamente fora de sua vida como se eu fosse uma lesão cancerosa. Eu continuei chorando até dormir todas as noites e eu estava tão deprimida que era difícil me lembrar de fazer coisas simples, como tomar banho. Escola foi um pesadelo, deixei o meu emprego e minha família estava perdendo rapidamente a paciência comigo, mas eu não me importei. Eu tinha pensado que eu estava fazendo um bom trabalho de fingir que eu estava bem, mas a julgar pelo fato de que meus irmãos estavam todos vivendo em casa de novo, eu sabia que eu estava falhando. Minha depressão tomou um rumo abrupto na noite em que eu finalmente indicio para o fato de que eu poderia estar grávida. Eu estava na cama olhando pela janela quando me dei conta de que não tinha chegado a meu período desde três semanas antes da noite em que fizemos amor sem nada entre nós. Na manhã seguinte, levantei-me e bati recordes de velocidade em terra para chegar à farmácia para comprar testes de gravidez. Eu escapei para dentro de casa depois que todos haviam saído para o trabalho e jogado todos os cinco testes sobre o balcão, rezando enquanto eu esperava para os resultados. Eu estava em êxtase, como todos e cada um mostraram-se positivo. Finalmente, uma razão para sair da cama e ir em frente com a vida tinha se apresentado para mim. 237


Ele me odiava agora, mas, sabendo que eu ia ter um pedaço de nós dois para amar e adorar mudou para sempre toda a minha mentalidade. Eu sabia que uma vez que ele entendesse que eu realmente o amava e ele percebesse que nós estávamos indo para ter um bebê, ele iria me perdoar. Ele tinha que fazer. E mesmo se ele não pudesse me perdoar, imediatamente, eu teria um pedaço dele para amar. Eu fui em linha e encontrei um ginecologista e marquei um horário, em seguida, passei horas fazendo pesquisa na Internet sobre o que eu precisava fazer para me manter saudável. Meu sofrimento não importava mais porque o nosso bebê era a coisa mais importante do mundo. Minha família estava atordoada, mas em êxtase porque eu comecei a comer como uma pessoa normal novamente. Eu andei duas milhas todos os dias, comia frutas e legumes, e fiz tudo que podia ser tão saudável quanto humanamente possível. Todas as noites, antes de ir dormir, eu deitava na cama e esfregava suavemente meu estômago, enquanto eu silenciosamente falava com nosso bebê. Toda a minha vida havia mudado para melhor no segundo que eu percebi que eu estava indo para ser mãe, e não havia nenhuma parte de mim que não abraçou a mudança na minha vida. Eu sempre sonhei em ser mãe, mas com os meus medos de intimidade, eu nunca pensei que eu ia levar um filho meu. Sabendo algo que Dillon e eu tínhamos criado

238


estava crescendo dentro de mim, foi experiência que eu nunca pensei que eu teria.

uma

Eu sabia que eu ia ter que dizer a minha família sobre a minha gravidez, eu sabia que eles estariam menos emocionados no começo, mas eu não tinha planos de lhes dizer até que eu dissesse a Dillon. Eu tinha decidido esperar até depois da minha formatura do ensino médio para me aproximar dele, e desde que estava apenas há duas semanas eu estava feliz planejando minha chegada em sua porta. Visitar meu médico foi um momento de pura alegria, uma vez que se confirmou que eu estava grávida. Eu sabia o dia exato da concepção, então eu já sabia qual seria a data de nascimento aproximada. A melhor parte da consulta foi ouvir batimentos cardíacos do meu pequeno anjo. Eu nunca tinha sido crente em milagres antes, mas, ouvir os sons da vida que vinha de dentro de mim e sabendo que o bebê era um pedaço de Dillon e eu, era nada menos que um milagre. O dia da minha formatura, do ensino médio, foi um dos meus mais felizes. Eu não era uma garota do ensino médio mais, e eu sabia que iria contar para um monte aos olhos de Dillon.

239


Capítulo 20 Dillon A raiva que eu sentia a cada vez que eu pensava sobre o quão idiota eu tinha sido durante anos, primeiro para Marissa e em seguida para Dominique, foi impressionante. Depois de uma vida em se preocupar com as mulheres, agora eu odiava todas elas. Nenhuma mulher foi honesta, todas e cada uma delas mentiu e apresentou a fachada que queria que você visse para puxá-lo dentro. Se eu tivesse mais bolas do que o coração, eu nunca teria sido levado como um maldito tolo. Tanto quanto eu estava preocupado, a única exceção a essa regra a minha irmã. Ela era a única mulher em todo o mundo que eu pudesse confiar e contar quando a situação ficou crítica, e eu planejado para mantê-lo dessa maneira. Meu novo lema é: foda-se e esquecer. Eu não dava a mínima que me fez soar como um bastardo sem coração, porque o fato era que eu não queria ter um coração, e ser um bastardo era algo que eu estava indo para abraçar. Levei seis semanas para trabalhar a capacidade de dormir com ninguém, mas agora eu estava em um rolo. Casual e patético cada vez maldito, mas, era tudo que eu tinha para dar. 240


Toda a minha visão sobre a vida mudou completamente e eu não dava a mínima. Ser frio e desinteressado e haviam mulheres reunindo-se a mim em massa, para colocar-se com a minha besteira. Elas não foram autorizadas na minha casa e depois que eu terminava, deixava suas camas com meus saltos foram pegando fogo. Na maioria das vezes eu chamava por seu nome enquanto eu estava vindo e eu nunca pedi desculpas por isso. Ainda assim, elas iriam pedir o meu número de telefone, que só me provou como as mulheres são inconstantes. Todas elas fingiam querer o cara legal, mas a verdade é que o cara legal sempre foi jogado para um maldito idiota. Eu era a prova viva disso. Eu seria um maldito robô sem alegria, se não fosse por minha irmã. Para ela, eu sempre vou ser o cara legal, mas ela vai ser a minha única exceção. Ela havia lido a carta que Marissa tinha deixado para ela, e ela jurou que isso ajudou. Ela tentou me convencer a minha leitura, mas eu tinha a enterrado no fundo de uma gaveta e não tinha intenção de lêla, nunca. Tudo o que ia ser era mais besteira e eu tive o suficiente que para durar uma vida. Dominique tinha tentado várias vezes fazer contato, mas rejeitei todas as suas tentativas. Suas cartas não abertas se sentaram na mesma gaveta que residiu a missiva de Marissa finalmente, e eu não tinha a intenção de ler nenhuma delas.

241


As noites eram o pior para mim, e eu odiava ir dormir. Toda noite rigorosamente eu sonhava com ela, e todas as noites eu acordava banhado em suor chamando seu nome. O idiota patético e sentimental que eu tinha sido, ainda secretamente queria ela da pior maneira, mas a blindagem que eu estava construindo em volta de mim lutou contra essa necessidade. Na marca de seis semanas que eu tinha caído em um estado de desespero, quando eu tive que deixar de ir a minha fantasia patética que nós tínhamos feito um bebê, na última noite que nós estivemos juntos. Eu sabia, sem dúvida que, se ela estivesse grávida, ela teria vindo atropelando com sinos a dizer-me, na esperança de que eu iria perdoá-la. O mais triste é que eu teria. Eu me odiava por ser tão fraco, por me machucar que ela não estava grávida. O que ela fez foi imperdoável, e eu precisava ficar longe dela, não precisava ser parte de suas mentiras. Ela fazia parte do meu passado agora, e eu não a queria em qualquer parte do meu presente e meu futuro.

***

Suas chamadas, textos e cartas tinham parado e isso incomodava o inferno fora de mim. Por um lado, só provou que eu estava certo sobre como as meninas eram volúveis, mas, por outro lado doeu como o inferno que ela tinha desistido de mim. Isso 242


me levou realmente a pensar sobre ela pela primeira vez em meses, e foi como um tsunami de emoção sobre mim. Rick e eu tínhamos sido convidados para a cerimonia de formatura pra ver a dedicação do jardim. Eu havia diminuído, mas agora eu senti que precisava de ir ver como ela estava. Eu poderia estar dentro e fora sem ela me ver, e recebendo um olhar para ela em pessoa iria me dizer se ela estava tão miserável como eu. O dia da formatura amanheceu claro e bonito. Minha seiva interior estava de volta a pleno vigor e eu estava uma bagunça instável, nervoso como o inferno sobre vê-la pela primeira vez em todos esses meses. Era terrível a esperança de que ela estaria miserável para que eu pudesse ter uma razão para falar com ela novamente, mas isso não me impediu de ter esperança. Eu conhecia a área do campus que girava em torno do pavilhão, então eu seria capaz de assistir a cerimônia de um lugar onde ninguém me veria. A formatura parecia que nunca ia acabar, mas, eu me animei quando eu ouvi pela primeira vez o nome da irmã e depois o dela. Seja qual for a fantasia que eu tinha sobre ela estar deprimida, foi explodido em cagar no segundo eu a vi subir ao palco para receber seu diploma. Ela estava praticamente brilhante e eu não conseguia

243


me lembrar de já ter visto o seu olhar tão cheio de vida. Eu percebi que eu nunca deveria ter vindo vê-la, nunca deveria ter pensado nem por um segundo que ela ainda estaria de luto pela morte do nosso relacionamento. Eu estava certo o tempo todo, ela não passava de uma adolescente inconstante. Qualquer parte restante do meu coração que não estava envolto em gelo, se transformou em pedra naquele momento.

244


Capítulo 21 Dominique A formatura finalmente acabou. Fiquei muito feliz em ser oficialmente uma graduada do ensino médio porque agora eu poderia dizer a Dillon sobre o nosso bebê. Minha família convergiu para nossa churrascaria favorita em Ventura Boulevard, para um jantar de comemoração. O restaurante estava a duas quadras da casa de Dillon o que era estranhamente reconfortante. Eu tenho que admitir que o jantar com a família foi um dos melhores momentos que me lembrasse de ter em meses. Eu sabia que eles estavam indo para ficar chocados e chateados no início com a minha gravidez, mas eu também sabia que, uma vez que se acostumassem com a ideia, seriam favoráveis. Sem dúvida eu sabia que assim que o bebê nascesse eles cairiam de cabeça sobre os saltos no amor. Eu tinha levado o meu próprio carro para o jantar porque eu estava indo direto para Dillon para dizerlhe a notícia. Eu estava nervosa sobre a obtenção das palavras, mas também me senti segura no conhecimento de que uma vez que ele percebesse que nós estávamos indo para ter um filho, ele ficaria feliz. 245


Minha família parecia surpresa que eu estava pra "sair com os amigos" depois do jantar, mas eles estavam tão aliviados ao me verem feliz que eles me incentivaram a ir. Depois de uma dúzia de abraços e uma centena de voltas de parabéns todos nós fomos no nosso caminho. Desde que eu tinha que usar o banheiro, eu fui a última a sair do restaurante. Eu estava um pouco atrasada, uma vez que eu saí para a calçada e não conseguia encontrar o meu carro, entrando em pânico ao pensar que tinha sido roubado. Eu comecei a rir de mim mesmo, quando me lembrei que o meu Buick tinha ido embora e meu novo brilhante Lexus estava estacionado com segurança na calçada, apenas a alguns metros do restaurante. Abrindo a porta do passageiro, eu coloquei minha bolsa e a sobra do jantar no banco, antes de eu começar a andar ao redor do carro para o lado do motorista. Quando me acomodei no assento do motorista, algum sexto sentido, me fez olha através da janela para o tráfego de passagem, apenas a tempo de ver o caminhão de Dillon, indo na direção oposta de sua casa. Percebendo que eu teria que seguir ele se eu quisesse dizer a ele sobre o bebê hoje à noite, eu liguei o motor e dirigi para o tráfego para segui-lo. Esfregando protetoramente o meu estômago, eu disse: "nós estamos indo para ir dizer ao papai tudo sobre você”. Eu dirigi atrás dele por alguns quarteirões antes dele parar, e eu estava frustrada e irritada quando 246


ele puxou para o único espaço de estacionamento em frente a um bar. Descendo para a próxima luz eu fiz uma meia-volta e estacionou do outro lado da rua. Eu chequei meus espelhos e olhei para o tráfego em sentido contrário antes de sair do carro. Eu estava tão perto dele que eu poderia prová-lo e eu não podia esperar para contar a ele. O som dos carros buzinando foi o único aviso que eu tive que alguém tinha acabado de fazer uma marcha ilegal e estava vindo direto para mim. Tentei saltar para fora do caminho, mas eu nunca tive a chance.

***

A luz brilhante no meu olho e os sons de bips me cumprimentaram, quando eu recuperei a consciência. Haviam pessoas que eu não conhecia de pé ao meu redor, todos eles em esfoliantes ou jaquetas médicas. Um homem bonito, com um rosto amável silenciou todos, antes de voltar sua atenção para mim. "Você está no hospital", explicou ele, "porque você foi atropelado por um carro. Você esteve fora por várias horas. Você entendeu”? Fui para responder, mas, entrei em pânico quando percebi que havia alguma coisa na minha garganta.

247


"Shh, shh, não entre em pânico", disse ele. "Está tudo bem. Tivemos que colocar um tubo de respiração para o procedimento como medida de precaução. Agora que você está acordado e alerta, nós vamos tirá-lo. Você consegue manter a calma suficiente para nós fazermos isso agora? Vou avisála de que não é agradável”. Eu balancei a cabeça em resposta, suplicando-lhe para removê-lo.

os

olhos

"Querida ok, espere um minuto e as enfermeiras removerão. Basta inspirar e expirar pelo nariz”. O processo de remoção foi esmagador, e eu lutava para não entrar em pânico, respirando passando a sensação de asfixia. Uma enfermeira levantou uma palha, e me ajudou a tomar alguns goles de água, pedindo-me para beber devagar. O médico voltou alguns minutos depois com um gráfico, na frente dele. Depois de dispensar as enfermeiras ele sentou-se na cadeira ao lado da minha cama de hospital. "Você não tinha identificação com você, e nem um telefone celular. Você pode me dizer o seu nome”? Eu balancei a cabeça e resmunguei: "Dominique Hart”. Ele anotou em sua carta, antes de olhar para mim e pegar a minha mão.

248


"Dominique, eu sou o Dr. Tyler e eu sou o encarregado do seu caso, porque você entrou pela sala de emergência e apresenta-se como um paciente de trauma. Lamento ter que dizer isso, mas você perdeu o seu bebê. Um dos nossos melhores médicos realizou uma curetagem e tudo parece bem agora. Você também tem um tornozelo quebrado, dois dedos quebrados e uma clavícula quebrada. Você foi muito, muito sortuda, considerando todas as coisas. Se o motorista estivesse indo mais rápido, poderia ter sido fatal”. Enquanto ele falava, comecei a chorar completamente destroçada. Tinha sido fatal para o meu bebê e isso era tudo que importava. "Você precisa de família ou amigos aqui para apoiálo", disse ele. "Você pode me dizer quem chamar”? Só havia uma pessoa que possivelmente poderia me apoiar o suficiente para me ajudar a sentir-me melhor com a perda de nosso bebê, mas agora eu não tinha razão para falar com ele nunca mais. Eu ia ter que deixar o médico chamar a minha família, mas, eu precisava que ele me prometesse uma coisa primeiro. "Dr. Tyler", eu sussurrei, "minha família não sabia sobre o bebê, e agora não há nenhuma razão para que seja contado. Eu sou maior de idade e eu sei que tenho direitos. Você pode me prometer que não vai ser dito à eles que eu estava grávida”?

249


Balançando a cabeça, felizmente, ele respondeu: "se você não quer que seja divulgado, então não vai ser. Você precisa de suporte embora, senhorita Hart, e você não deve tentar lidar com isso sozinha. Se você fosse uma das minhas filhas, eu gostaria que me dissesse para que eu pudesse ajudá-la. Estou certo de que a sua família se sentiria da mesma maneira”. Estendi a mão e pegando a mão dele novamente eu resmunguei: "eles me apoiam bastante, sem ter que lidar com isso também. Você promete que não vai contar”? Com os olhos sombrio, ele acenou com a cabeça. "Eu não vou dizer uma palavra sobre a gravidez, mas, eu preciso chamá-los para que eles saibam que você precisa deles. Você pode me dizer quem chamar”? Dei-lhe as informações de contato de Dante, imaginando que seria mais fácil para Dante para lidar com dizer Mama San do que seria tê-la chamado primeiro. Ficariam todos louco de preocupação, mas, Dante manteria a calma suficiente para mantê-la de perdê-la emocionalmente. Fiquei surpreso quando o Dr. Tyler inclinou-se e olhou para mim, como se seu coração estivesse doendo tanto como o meu estava. "Se você não vai falar com sua família, você pode falar comigo e eu não vou dizer uma palavra. Não é saudável para 250


manter as coisas dentro. Você perdeu seu bebê hoje e eu posso ver que está lhe rasgando por dentro. Você precisa de um abraço”? A bondade deste homem encantador que era um estranho para mim foi impressionante. Quando eu assenti, ele se inclinou sobre a cama e me envolveu em um abraço suave. Agarrei-me a ele e chorei devastada que meu bebê tinha ido embora, e que ninguém jamais saberia que eu estive grávida. Quando eu tinha chorado tudo o que podia, ele me soltou e sentou-se na cadeira ao lado da minha cama. Agarrando um tecido, ele limpou delicadamente as lágrimas. "Você vai ficar bem. Não agora, e provavelmente não tão cedo, mas um dia, você vai. Reconforte-se com o fato de que seu bebê vai sempre estar vivo em seu coração”. "Obrigada", eu sussurrei. "Por que está sendo tão bom para mim”? Acariciando minha mão, ele me deu um sorriso triste. "Você me faz lembrar das minhas próprias filhas. Se algo acontecesse a qualquer uma delas, só posso esperar que alguém iria perceber que elas precisavam de alguma bondade extra. Vou dar-lhe o número do meu telefone, porque minha esposa me mataria se eu não lhe oferecer uma mão para cima. Se você precisar conversar, pode me chamar. Minha esposa teve um aborto, antes que nós tivéssemos nossa primeira filha. Se irá ajudá-la a falar com

251


alguém que passou pelo que você está passando, eu sei que ela ficaria feliz em falar com você”. Eu tive uma pontada de ciúme sobre o que suas filhas tinham com ele, como um pai. Quão diferente seria a minha vida teria sido se eu tivesse um pai como Dr. Tyler? Eu não podia sequer imaginar. Prometi a ele que se eu precisasse dele, eu chamaria. Quando ele soube que eu estava sólida o suficiente, para ele sair da sala, ele foi chamar o meu irmão.

252


Parte Dois: Eu Sem Ele

Capítulo 22 Sete meses mais tarde Faculdade era para ser uma experiência de vida incrível, mas, eu não estava gostando nada disso. Vivendo em um quarto do dormitório apertado com a minha irmã era um problema sério, porque eu tinha pesadelos todas as noites sobre Dillon, nosso bebê, Marissa ou uma combinação dos três. Toda noite Delilah arrastava-se para a cama comigo, e me acalmava até que eu voltasse a dormir, e todas as noites eu ignorei seus apelos para lhe dizer o que estava errado. Minha história de cobertura para os pesadelos era que eu estava sonhando com o acidente, mas ela não acreditava que por um momento. "Você chora em seu sono todas as noites como a sua alma estivesse morrendo e não é por causa do acidente! Porque você não pode ser honesta comigo”?

253


Minha resposta me machucou, quase tanto como ela a machucou. "Por que eu não quero ser! Basta me deixar sozinha Delilah. Eu não quero falar com você sobre isso”. A dia em que o bebê tinha ido, foi um dos piores dias da minha vida. Eu desejei que eu tivesse morrido com o meu filho, em vez de "sobreviver" e eu só queria ir dormir para sempre. Tudo o que havia de errado na minha vida foi minha culpa e o meu egoísmo resultou na morte do meu filho. Meu pai estava certo, afinal. Eu realmente era uma cadela egoísta assim como minha mãe. Parecia uma eternidade que eu escutei Marissa me dizer que se sentia suja por dentro. Eu não tinha entendido naquela época, mas eu entendia agora. Eu não podia suportar ver Leah mais porque doía muito. Ela ainda chamou, mandou uma mensagem, e me enviava o tempo todo, mas, eu sempre dava uma desculpa para não ir vê-la pessoalmente. Eu sentia falta dela desesperadamente, mas, eu sabia que se eu a visse eu iria perdê-lo. Não tinha havido, absolutamente, nenhuma palavra de Dillon. Se não fosse por minhas memórias, era como se ele nunca tivesse existido. Como o nosso bebê ele se foi de mim, para sempre. Eu sabia que eu deveria falar com alguém, fazer algo para mudar a minha visão sobre a vida, mas 254


eu não sabia como conseguir isso. Desligando-me fora das pessoas que me amavam, e eu me sentia como uma merda sobre quão terrivelmente eu tinha tratado minha irmã, em particular. Ela suportou o peso da minha necessidade de isolamento, porque ela era a pessoa que podia sentir minhas emoções se eu mostrasse a ela ou não. Eu a empurrei para fora da autopreservação. Se eu deixá-la comigo, eventualmente, eu diria à ela sobre o que eu tinha perdido. Eu não podia compartilhar Dillon ou nosso bebê com alguém da minha família. Meu problema com ser tocado tinha voltado depois do acidente. A pior coisa sobre estar na faculdade era a expectativa de ser social, e eu odiei. Delilah me arrastou para festas e eventos, mas, cada experiência era como o inferno na terra para mim, porque eu só queria ser deixada sozinha.

***

Eu escrevi um bilhete de suicídio para a minha família. Eu mantive-o curto e doce, depois de decidir que quanto mais eu dissesse, pior seria. O que tudo se resume é que é o bastante, e eu não queria mais viver assim. Agora eu entendo o que quis dizer Marissa quando ela disse que estava feliz em ir para outro lugar onde pudesse estar em paz. Quando eu me for, eu posso estar com ela e meu bebê. Eu sei um pouco, o que estará esperando por 255


mim quando eu chegar lá e o pensamento de ser capaz de manter a nossa bela criança em meus braços é a única coisa que me resta olhar para frente. Eu bloqueei todo o resto fora. Minha família vai ficar chateada, mas não arrasados porque eles ainda terão a minha irmã e que fará com que seja mais fácil para eles. Algum dia ela vai se casar com Spencer, eles terão seus próprios filhos, e eu serei uma memória distante. Suas vidas serão mais fáceis sem mim por perto. Eu tinha acabado de colocar a carta em um envelope quando Delilah freneticamente irrompeu pela porta para o nosso quarto do dormitório. Empurrando a carta em uma gaveta, virei-me e deilhe o que eu esperava passar por um sorriso normal. Olhando da gaveta para me cuspiu, "Que porra, você acha que está fazendo”? Levantando uma sobrancelha para sua escolha de palavras, eu apontei para os livros espalhados na minha cama. "É evidente que eu estou fazendo um trabalho escolar”. Fechando a porta atrás dela, ela veio para mim tão rápido, que eu mal tive tempo de registrar o fato de que ela estava absolutamente furiosa antes dela me dar um tapa no rosto. Meu queixo caiu quando agarrou meus ombros e começou a me chacoalhar. 256


"Você está mentindo para mim porra! Eu sei quando você está mentindo, Dominique, e sei quando algo está errado com você. Você está desistindo de mim e eu posso senti-lo”! Minha irmã era a pessoa menos violenta que eu conhecia e ela raramente amaldiçoava. Vê-la tão apavorada quanto ela estava, com medo da merda fora de mim, mesmo que eu fosse louco, que ela me deu um tapa. Empurrei-a para longe apoiada na minha cama enquanto eu gritava: "Eu não vou desistir de nada e você não tem direito da porra de me atacar imbecil louca”! "Eu tenho todo o direito de atacar você cadela egoísta! Eu sei o que você está pensando em fazer, e eu não posso acreditar que você iria prejudicar a nossa família desta forma. Você não se importa que isso vai matar nossos irmãos? Você não se importa que Mama San terá seu coração partido? Você não se importa comigo e o fato de que eu não posso viver sem você”? "Eu não sou..”. "Sim, você é porra! Você vai levar-nos todos com você, se você fizer isso. Dante não seria capaz de sobreviver a um mês, porque a culpa iria comê-lo vivo. Uma vez que ambas irmos que iria ser feito. É isso que você quer? É isso o que QUER PORRA”?

257


Lágrimas estavam praticamente pulando de meus olhos quando ela me criticou, mas eu não podia admitir que ela estivesse certa. "Que diabos você pensa que é que eu vou fazer Delilah? Porque eu tenho certeza que sentado aqui fazendo o meu trabalho de classe não vai destruir a nossa família”. Com um grito de pura raiva, ela inclinou-se e abriu a gaveta onde eu ia colocar a carta dentro e antes de eu segurá-la, ela foi direto ao meu rosto. "Você quer a porra de mentir um pouco mais, e me dizer que isso não é uma nota de suicídio? Porque você e eu sabemos que é exatamente o que é isso. Eu senti isso no momento em que decidiu”. Eu balancei minha cabeça, enquanto eu tentava agarrá-la de sua mão. "Não é uma nota de suicídio! Eu estou bem! Você está totalmente exagerando e imaginando coisas. Deixe-me ter minha carta”. Ela me deu um tapa novamente, desta vez com tanta força que eu vi estrelas. "Mentirosa”! Ela gritou. Empurrando-me de volta na cama, ela usou os segundos que eu lutei para chegar até a sua vantagem. Eu assisti com horror absoluto quando ela abriu o envelope e tirou a carta afundando no

258


chão, quando ela conseguiu a confirmação de seu pior medo. Eu senti tanto seu coração e minha própria quebra em uníssono em um milhão de pedacinhos com o rosto sugado de cor e começou a derramar lágrimas pelo rosto. Naquele momento eu sabia que eu nunca seria capaz de me matar, não quando eu sabia o que ia fazer com ela. Ela chorou copiosamente enquanto ela lê-lo. Quando ela terminou, ela olhou para cima e disse: "Porque”? Eu balancei a cabeça, sem saber o que fazer ou dizer. "Você não vai fazer isso", disse ela. Esta foi uma afirmação, não uma pergunta. Ela sabia que eu não seria capaz de fazê-lo, agora que ela sabia. "Eu não sei", eu gritei: "Eu não acho que seria uma grande coisa... Eu não sabia que...”. Eu não poderia mesmo começar completa, mas ela entendeu.

uma

frase

"Há algo de muito errado que você não pensou nem por um segundo que não seria um grande negócio. Como você pode não saber o quanto isso dói? Como você pode não perceber o que você significa para todos nós? Prometa-me que vai ter ajuda. Prometa-

259


me que, não importa o que, você nunca vai me deixar. Prometa-me”. Caindo no chão, tirei a carta de suas mãos e comecei a rasgá-lo em pedaços minúsculos. Quando terminei eu caí em seus braços e sussurrei: "Eu prometo”. Eventualmente, ela puxou-me para cima da cama e nós duas enroladas, cara a cara e lado-a-lado segurando a mão da outra. Passando as mãos sobre o meu rosto, perguntou, "O que aconteceu com você”?

ela

Apertando suas mãos nas minhas, eu finalmente disse a ela a verdade. "Eu perdi algo precioso que pode nunca voltar”. Tocando a pulseira de coração que eu nunca tirava, a que Dillon tinha me dado no meu aniversário, ela perguntou: "Alguma coisa ou alguém”? "Ambos", eu sussurrei. Era tão honesto como eu já tinha sido com ela, desde a tarde que nosso pai me prendeu em seu quarto e alterou o curso da minha vida para sempre. "Você pode aprender a viver com isso”? Lágrimas derramavam de nossos rostos, quando eu disse a única coisa que eu podia.

260


"Eu não sei, mas, posso tentar. Se você quer que eu faça isso, você vai precisar para manter isso entre nós. Isso significa nem dizer ao Spencer. Direto do meu coração, eu estou te dizendo que eu estou no meu ponto de ruptura. Por favor, me dê tempo para descobrir isso. Eu vou falar com você mais, mas eu não posso falar com eles. Você pode me colocar em primeiro lugar”? Ela chorou como se eu tivesse a esfaqueado, enquanto ela agarrava minhas mãos. "Quando você vai entender, que eu sempre escolherei você? Você é literalmente a minha outra metade. Se você não quer que eu discuta com Spencer, ou qualquer outra pessoa sobre esse assunto, eu não vou. Eu não posso te perder, nunca. Você entendeu”? "Eu entendo agora”. Não há outras palavras passando entre nós, porque não havia mais nada para falar. Cada uma de nós entendemos o que havia sido dito e ela sabia que eu não iria quebrar uma promessa para ela. Ficamos bloqueadas assim por horas e pela primeira vez em quase um ano, eu deixei minha parede vir para baixo e me permiti me ligar com minha irmã.

261


Capítulo 23 Dominique Minha irmã estava em uma missão para me reabilitar e ela não iria parar até ter certeza de que eu sobreviveria. Eu quis dizer isso quando eu prometi a ela que eu não faria nada, mas eu entendi seu medo e a necessidade de compensar. Depois de Marissa, eu sabia muito bem o que poderia acontecer. Eu estava tentando mais difícil, muito mais difícil, de verdade, e eu não estava tão deprimida. Sua força me empurrando teve efeitos positivos. Em sua insistência (quando digo pedindo o que eu realmente quero dizer é em suas ordens) prometi uma irmandade. Delilah não estava emocionada que não estávamos prometendo a mesma irmandade, mas eu precisava de separação. A irmandade que eu escolhi foi muito menos "toda gente sorrir e ser um marceneiro" e muito mais "estamos frio e quer ser bem sucedido na vida”. A Irmandade de Delilah era tudo sobre eventos e atividades irmã e eu não era sobre isso em tudo. Não era todas as borboletas e arco-íris, longe disso, na verdade. Não houve um dia em que não houvesse tempo para Dillon e para lamentar a perda do nosso filho, mas agora eu entendi que eu estaria fazendo à minha família o que Dillon tinha 262


feito para mim, quando ele me cortou de sua vida. Eu fui amada e foi um presente, e não é algo que eu poderia jogar de volta para a minha família me matando e deixando uma nota de suicídio para trás. A ideia, agora parecia completamente estranha para mim. Se eu tivesse feito o que eu queria, fazer naquele dia, minha família teria sido destruída e a certeza disso, mais do que qualquer coisa, me impediu de voltar a esse lugar escuro. Nosso primeiro ano de faculdade tinha acabado e eu estava tão aliviada ao sair do dormitório e ir para casa, para o verão. Não era como se estivéssemos longe de casa, meia hora no máximo, mas, eu desejava a normalidade de estar em casa com a minha tia. O sábado que nos mudamos de volta para casa acordei no meio da noite, com o meu celular tocando. Nada de bom podia vir de um telefonema no meio da noite que exigisse retornos de chamada repetidos e frenético sentimento. Agarrando meu telefone da mesa de cabeceira, sentei-me e olhei para a tela, ficando surpresa ao ver que era Leah chamando. Meu coração parou de bater por um momento, quando eu imaginei o pior cenário, que para mim seria ela me dizendo que Dillon tinha morrido. Minhas mãos tremiam enquanto eu pressionava o botão de resposta e respondi: "olá”?

263


Ela era absolutamente desfeita, completamente histérica. Eu não conseguia entender metade do que ela estava dizendo, mas o que eu finalmente reuni era o seu repetindo: "eu preciso de você, eu preciso de você" uma e outra vez, seguido por uma dúzia de pedidos de eu para não chamar Dillon. "Por favor, Minnie, Preciso de ajuda”! Por essa altura eu já estava puxando o moletom e calçando os meus pés em meu tênis. "Onde você está”? "Estou em casa... por favor, me ajude”. "Estou chegando agora”. Eu ouvi um soluço quebrado pouco antes dela terminar a chamada, e o meu sangue transformouse em gelo. O que quer que tivesse acontecido, não era bom. Abrindo a porta do meu quarto, cheguei a um ponto morto, quando o encontrei Delilah ali com a mão levantada, porque ela estava prestes a bater. Ela tinha sido em tal estado de alerta para cada um de minhas emoções ultimamente, que não foi uma surpresa que o pânico que eu sentia quando eu percebi que Leah estava em algum tipo de problema tinha pingado em seu alarme gêmea. "O que está acontecendo”? Ela sussurrou. Balançando a cabeça, eu disse a ela a verdade. "Eu não sei, mas, seja o que for não é bom. Uma das 264


minhas amigas precisa de mim e eu tenho que ir. Eu vou te enviar uma mensagem”. Eu quebrei uma condução recorde de velocidade terrestre, para Leah e, em menos de dez minutos eu estava puxando em seu complexo de apartamentos. O carro mal estava na calçada antes de arrancar a chave da ignição e sair correndo para a porta do seu apartamento. Ela teve que abrir antes que eu pudesse bater e mesmo no escuro, eu engasguei quando eu a vi, porque ela era uma bagunça sangrenta abatida. Se eu não a reconhecesse de forma geral, eu nem teria sabido que era ela. Puxando-me em seu apartamento, ela trancou a porta, todos os bloqueios, e então ela se dobrou verificando-os e em seguida, caminhou comigo para o sofá. Não escapou à minha atenção que ela estava tendo dificuldade para andar. "Lee, o que aconteceu”? Ela chorou tão baixo que eu não podia ouvi-la, mas o tremor de seus ombros era um morto. "Eu estive namorando alguém", disse ela. Balançando a cabeça, eu memória o nome do cara.

procurei

na

minha

"Você está falando de Michael, certo? O cara que você me escreveu sobre algumas semanas atrás”?

265


"Sim, ele. Estamos namorando, mas para ser honesto, estava ficando estranho e eu não me sentia confortável com ele. Eu disse a ele no jantar e ele estava bem, disse-me que seria melhor ficarmos como amigos. Fiquei tão aliviada que ele não estava fazendo uma cena que, quando ele me pediu para vir e assistir a um filme com ele, eu concordei. Eu sabia que não era uma boa ideia, mas eu não queria ser rude. Quando chegamos na casa dele, era como se um interruptor tivesse sido virado sobre sua personalidade”. “Eu estava apenas através da porta antes que ele me desse um soco. Ele continuou a bater-me uma e outra vez, gritando sobre o que uma puta idiota eu sou. A dor... foi demais. Eu desmaiei e, quando acordei, ele tinha me despido... e ele estava dentro de mim. Ele me manteve lá por horas e ele só... não... parou. Uma e outra vez... Eu me sinto tão suja..., mas ele não desistiu. Algumas horas atrás, ele me deixou em sua cama e ele foi e tomar um banho. Quando ele voltou, ele foi agradável e amigável novamente. Ele se ofereceu para me levar para casa, e ele me deu uma camisa para vestir”. “Quando nós chegamos... ele passou a ser mal novamente. Ele agarrou meu rosto e bateu com ele em seu painel de controle, então, ele me disse que se eu chamasse a polícia ele diria a eles que eu era uma puta suja e, em seguida ele iria me matar”. Eu estava tremendo do choque pelo o que Leah tinha passado, do medo sobre o seu 266


estado emocional, e de raiva. Eu queria matar o monstro que havia feito isso com ela, e minha prioridade número um foi levá-la a um hospital. "Você tomou banho”? Ela parecia confusa com a pergunta, mas, balançou a cabeça negativamente. "É por isso que eu te chamei. Eu não acho que eu posso me lavar. Dói para me mover”. Delicadamente, levando sua mão na minha eu disse: "Leah, eu tenho que levá-la para o hospital e a polícia tem que ser chamada”. "Não! Eu não posso ter ninguém me tocando. Eu não quero que ninguém saiba. Isso iria matar o meu irmão”. Ela estava certa sobre isso e eu sabia disso. Mas eu também sabia que deixar essa porra de maníaco que tinha espancado e estuprado fugir com o que tinha feito não era o que precisava ser feito. Se ele fez isso com ela, ele iria fazê-lo novamente. A única maneira de pará-lo era para denunciá-lo. "Lee... Você tem que ser forte. Você não fez nada de errado, e isso não é culpa sua. Não há vergonha em denunciá-lo. Sim, Dillon vai ficar com raiva de Michael e com o coração partido por você, mas ele vai sobreviver. Ele te ama mais do que a própria vida. Ele não iria querer que você passe por isso em seu próprio país”.

267


Suavemente chorando, ela disse: "Eu estou com medo. Eu não gosto de médicos para começar e eu não posso lidar com as pessoas sendo rude comigo agora. Eu não acho que eu posso fazer isso”. Sentando-se em linha reta, eu a olhei direto no olho. "Se você não denunciá-lo, ele vai fazer isso novamente. É possível que ele já tenha feito isso antes com outras mulheres, e elas estavam com muito medo ou vergonha de denunciar por si próprios. Lembre-se que o padrasto de Marissa havia estuprado alguém antes de chegar a ela, mas ele não foi denunciado. Você pode fazer isso, eu absolutamente sei que pode. Eu vou ficar com você o tempo todo, se quiser. Eu não vou sair do seu lado”. De repente me dei conta de que eu conhecia alguém que poderia torná-lo mais fácil para ela. "Eu conheço um médico que pode ser capaz de ajudar. Você vai me deixar chamá-lo”? Após um momento, de hesitação, ela balançou a cabeça fracamente. Pegando meu celular eu rolei através da minha lista de contatos até que eu encontrei o número para o Dr. Tyler. Eu nunca tinha usado antes, mas me lembrei de como ele tinha sido para mim na noite que eu perdi o meu bebê e eu sabia que se ele pudesse ajudar a Leah, ele o faria.

268


Ele respondeu no segundo toque soando surpreendentemente alerta, dado o fato de que agora era quase cinco da manhã. "Olá”? "Dr. Tyler, é Dominique Hart. Eu não sei se você se lembra de mim, mas..”. Ele me interrompeu com uma advertência gentil. "Claro que eu me lembro de você, Dominique. Eu sempre quis saber como você estava segurando. Eu tinha tanta esperança que você chamaria para que eu pudesse conectá-la com a minha esposa. Está tudo bem com você”? "Não, não está. Dr. Tyler, minha amiga, esta noite, foi espancada e estuprada. Eu preciso levá-la ao hospital, mas ela está com medo de que eles vão ser duro com ela. Ela está em má forma e eu estava esperando que você poderia mexer uns pauzinhos e explicar para as pessoas que ela precisará ver, que eles precisam ser tão gentil com ela quanto possível”. Sem hesitar, ele respondeu: "considere feito. Na verdade, eu vou encontrá-la no hospital, na entrada da Sala de Emergência. Diga a sua amiga que eu vou cuidar dela. Ela está fazendo a coisa certa ao vir”. Foi um trabalho duro colocar Leah em meu carro, e eu amaldiçoei minha bunda estúpida por ter pedido um cupê Lexus. Foi também extremamente 269


pequeno e muito baixo para o chão e na quantidade de dor que ela já estava, eu me senti como um monstro enfiando-a como uma sardinha em meu carro. Desde que eu não conseguia conduzir mudanças manuais, tomar seu Jeep estava fora de questão, e isso significava que tínhamos de fazer com o meu carro. Ela chorou suavemente todo o caminho para o hospital, enquanto eu segurava a mão dela e prometi que ela poderia sobreviver a isso. Eu odiava o filho da puta, que tinha feito isso com ela, com uma intensidade que poderia fornecer energia para os países. Forçando-se a alguém e violando sua confiança e seu corpo é um crime imperdoável, e eu esperava que o livro iria ficar jogado neste imbecil. Finalmente chegamos ao hospital, o que parecia uma eternidade depois. Eu tinha entrado em pânico ao longo para nunca esbarrar e mirei na estrada todo o caminho até lá, com meu coração quebrando cada vez que Leah fazia um som de desconforto. Pouco antes de eu estacionar ela fez um pedido. "Eu sei que Dillon precisa ser chamado, mas, não posso fazer isso, se ele estiver aqui. Podemos, por favor, esperar para notificá-lo até depois... de tudo isso”? A simples menção de seu nome fez meu coração se contrair, em meu peito. Eu poderia sobreviver se eu o visse ou falasse com ele? Eu não tinha certeza se eu poderia. 270


"É claro Leah. O que você quiser que eu faça para tornar isso mais fácil. Eu vou cuidar disso”. Eu vi Dr. Tyler esperando por mim quando eu entrei, e imediatamente senti-me mais calma apenas por tê-lo lá. Eu sabia que ele iria cuidar de Leah, da mesma forma que ele havia tomado conta de mim, e isso significava tudo para mim. Saindo do carro eu andei para trás dele e encontrei com ele lá. Gesticulando para o lado do passageiro, eu dei-lhe a correr para baixo. "O nome da minha amiga, é Leah. Ela foi espancada e estuprada por alguém que ela estava namorando, há algumas semanas, nesta noite. Ela está com medo e ela está machucada. Ela quer que eu fique com ela enquanto este processo continuar, você pode fazer isso acontecer”? Estendendo a mão ele apertou meu ombro, como uma demonstração de apoio. "Eu posso, mas, vai ser difícil para você ver o que está prestes a acontecer. Eu já pavimentei o caminho e eles vão ser o mais suave possível, mas é invasivo e a polícia está indo questioná-la. Se você estiver indo para ficar com ela, você precisa se preparar para o que você está prestes a ver e ouvir”. Eu queria chorar, ligar para os meus irmãos e pedirlhes para vir me ajudar, mas, eu sabia que eu precisava ser forte para Leah. Isto não era sobre eu, era sobre ela.

271


"Eu temo isso e confesso que estou com medo, mas para ela, eu vou ser forte. Ninguém deveria ter que suportar o que ela suportou e se estar na sala, enquanto ela lida com o que vem a seguir, vai ajudá-la de qualquer maneira então é aí que eu preciso estar”. Com um aceno solene ele respondeu: "Você é uma boa amiga Dominique. A partir do momento em que abriu os olhos naquele quarto de hospital no ano passado, eu sabia que você tinha uma força que você não percebia”. Com um aperto mais solene do meu ombro, ele deixou-me mostrar o caminho para o lado do passageiro do carro. Abrindo a porta, ele se abaixou para que ele ficasse no nível dos olhos com Leah, e então ele gentilmente pegou a mão dela na sua. "Leah eu sou o Dr. Tyler, e eu estou aqui para ajudá-la. Sinto muito que isso tenha acontecido com você e eu quero que você saiba que nada do que você fez ou disse causou isso. A única pessoa responsável por isso é o homem que fez isso com você. Estou muito orgulhoso de você por ter vindo aqui para denunciá-lo para que ele não possa fazêlo a mais ninguém. Nós vamos ser tão gentil com você quanto nós pudermos, eu prometo. Arranjei-lo para que Dominique posso ficar com você o tempo todo, e se isso chegar a ser demais basta dizer-nos que você precisa de uma pausa, ok”?

272


Leah assentiu, enquanto silenciosamente chorei. "Eu vou tentar o meu melhor para ser forte", assegurou-lhe. "Você já está mostrando a sua força aqui agora. Mas lembre-se, se começar a ser demais, você tem que deixar as outras pessoas ser forte para você. Não há vergonha nisso. Se você precisar de alguma coisa, por favor, não hesite em pedir ou perguntar. Estaria tudo bem para eu ajudá-la a partir do carro”? Quando ela acenou com a cabeça, levantou-se e gentilmente a ajudou a se levantar. Seus olhos estavam baixos para que ela não visse sua reação ao quão horrível ela ficou, mas eu fiz, e pelo seu rosto percebi que ela realmente parecia tão chocantemente ruim como eu pensava. Cada passo parecia ser demais para ela, e o Dr. Tyler parecia arrasado. "Leah, se estiver tudo bem para você, eu gostaria de pegá-la e levá-la para a entrada. Você pode lidar com isso”? Eu queria começar a chorar ali mesmo, mas de alguma forma, eu o segurava dentro. O fato de entender que ele precisava lhe perguntar se ele podia tocá-la, quebrou meu coração. Depois de seu pequeno aceno de cabeça, ele gentilmente levantou-a nos braços e levou-a da frente do estacionamento à entrada da sala de emergência. Quando Leah virou a cabeça e enterrou o rosto em 273


seu ombro eu vi que ela estava lutando emocionalmente. Bastava ver seu rosto e observar a forma como ele lidou com ela, tranquilizou-me de ter feito a coisa certa em chamá-lo. Depois que ele a colocou em uma cadeira de rodas, eu peguei meu celular do bolso e mandei uma mensagem para minha irmã para lhe dizer que eu estava fisicamente bem, mas não estaria em casa tão cedo.

***

Foi bem depois de nove horas da manhã, o momento, em que tudo foi dito e feito. Demorou horas, e eu nunca sequer sabia que eu podia ficar ao lado de Leah quando o procedimento para a notificação de um estupro foi seguido. A entrevista policial foi especialmente difícil de ouvir, e eu lutava para não vomitar quando a fizeram descrever em detalhes gráficos, várias vezes, o que havia sido feito à ela. No meio de tudo isso, ela teve uma série de lesões físicas que precisavam ser abordadas, incluindo duas costelas machucadas, um nariz quebrado e, claro todos os seus cortes e contusões. Fiel à sua palavra, o Dr. Tyler fez questão de que o processo fosse tratado o mais suavemente possível. Ele também insistiu que ela iria ser levemente 274


sedada, após o processo de reajuste do nariz e agora ela estava descansando tão confortavelmente quanto podia, dadas as circunstâncias. Havia chegado a hora de chamar Dillon para dizer-lhe o que tinha acontecido e eu estava morrendo de medo. Dr. Tyler ficou para cuidar de Leah enquanto eu fui à sala de espera para fazer a chamada. Sabendo que ele não responderia se fosse do meu número, eu estava usando o celular de Leah. Minhas mãos tremiam tanto quando eu encontrei e pressionei a chamada para o seu número de telefone em seu celular que eu me preocupava que eu deixaria cair o telefone. Nenhuma quantidade de preparação me equipou, para o som de sua voz. Desde que ele pensou que era Leah, ele era quente e carinhoso quando ele respondeu: "Hey, pouco chapim, o que foi”? Respirando fundo eu soltei: “Dillon é Dominique. Não desligue. Eu preciso te contar uma coisa”. Eu juro que eu podia sentir, quase fisicamente, a geada que me deparei em sua resposta. "Por que você tem o telefone da minha irmã e o que na terra faria você pensar que eu queria ouvir qualquer coisa que você tem a dizer”? Naquele momento, eu o odiava por fazer o que eu tinha para dizer-lhe ainda mais difícil. Já era ruim o suficiente que eu estava prestes a lançar uma 275


bomba atômica em seu colo, e sua frieza não era necessário. "Cala a boca e me escute caramba. Eu tenho o telefone de sua irmã, porque eu estou no hospital com ela. Ela me ligou no meio da noite para ajudála e eu a trouxe aqui. Dillon... ela foi estuprada”. Eu ouvi o baque de ele deixar cair alguma coisa, seguida pelo som de sua respiração quebrada enquanto ele lutava para tomar o que eu tinha dito. "O quê? Não... não... Minnie... não! Por favor... não”. Meu coração se partiu ao ouvi-lo tentar processar o que eu disse, mas, eu sabia que eu precisava contar os fatos pertinentes a ele. Não havia nada para aliviar a dor, eu tive que fazê-lo rapidamente como rasgar um bandaid fora. "Dillon, eu preciso que você pare e me ouça, certo? Eu preciso dizer-lhe o que esperar quando você chegar aqui”. Eu o conhecia tão bem que cada som que ele fez me dizia que ele estava em agonia, mas de alguma forma ele processou o que eu disse. "Eu entendo... Eu estou ouvindo”. Respirando fundo, eu disse a ele o que havia acontecido com sua irmã. Eu não parei, nem mesmo quando eu podia ouvir que ele estava chorando. Retardar simplesmente não era uma opção porque nada estava indo fazer dizer melhor. 276


"Eles a sedaram para tratar o nariz e ela está descansando agora. Ela sabia que eu ia ligar para você agora e ela vai precisar de você para estar aqui quando ela acordar. Você precisa se preparar para o que parece e soa como. Ela está muito, muito frágil Dillon”. Em um soluço engasgado, eu admiti, "Dói, só de olhar para ela”. "Estou indo", disse ele. "Você pode sair, agora eu vou cuidar dela”. Eu sabia que por ficar eu estava condenando-me a vê-lo, mas, eu não tinha escolha. "Não Dillon," eu rebati: "eu vou ficar com ela. Isto não é sobre você, e não é sobre mim, é sobre Leah. Ela me quer com ela. Esta é a primeira vez que saí do seu lado, desde que eu a peguei e estou indo direto de volta agora. Quando ela me disser que eu posso ir, você vai se livrar de mim”. Depois de dar-lhe o número do quarto eu desliguei, e fiz meu caminho de volta pelo corredor. Bastando saber que ele estava vindo, me fez mal ao meu estômago. Uma vez eu teria matado para ver seu rosto, mas, agora eu temia isso. Eu estava apenas começando a dar passos de bebê no meu processo de cura, e olhando para o rosto do homem que eu queria passar a minha vida, com o pai do bebê que eu tinha perdido, ia rasgar o meu coração em pedaços. 277


*** Dr. Tyler e eu estávamos sentados perto da cama de Leah conversando em voz baixa, enquanto esperávamos pela chegada de Dillon. Eu acho que ele teria deixado, mas, quando voltei a falar de Dillon, eu estava uma bagunça e nada que eu fizesse ou dissesse o enganou em acreditar que eu estava bem. Para colocar-me à vontade ele começou a falar comigo, sobre suas filhas. "Minha Brooke é apenas da sua idade, e acho que você iria ficar em todo o vapor. Ela é um anjo de coração mole, o que obviamente significa que ela se parece mais com minha esposa. Então há minha filha mais velha, Sabrina. Minha esposa diz que sou eu em um vestido com uma disposição melhor”. Enfiando a mão no bolso, ele teve sua carteira e me mostrou algumas fotos das meninas. Não surpreendentemente elas eram bonitas. Eu esperava que sim por quão bonito Dr. Tyler era. Mais uma vez eu encontrei-me com inveja, de suas duas filhas. Por conhecer o amor de um pai em vez de dor era algo que eu nunca teria. Nossa conversa foi interrompida quando a porta se abriu, e Dillon entrou no quarto. Meu coração pulou uma batida antes de retomar a triplicar o ritmo que tinha sido antes de ele chegar. Mesmo olhando emocionalmente destruído e cheio de desespero, ele era a coisa mais linda que eu já vi na minha vida. 278


Meu corpo doía, literalmente, a correr para os seus braços, mas isso já não era uma opção para mim e meu coração se partiu mais uma vez. Ele fez tudo o que podia para evitar olhar para mim, em vez voltou-se para olhar para quem estava sentado ao meu lado. Fazendo uma dupla tomada de ar ele desabafou: "Doutor Jack”? Bem. Isso era novidade. Dr. Tyler e o Doutor Jack eram a mesma pessoa, que Dillon e seu chefe tinham criado o jardim de amor. Levantando de sua cadeira, Dr. Tyler caminhou ao redor da cama para Dillon. "Oh Dillon... Eu não tinha ideia de que Leah era sua irmã. Sinto muito, meu filho”. Gesticulando em minha direção, mais uma vez sem olhar diretamente para mim, Dillon respondeu: "Ela me contou o que aconteceu com Leah. É a minha irmã... minha irmã vai ficar bem”? "Ela passou por um inferno, mas, ela é uma garota muito forte. Sua irmã vai precisar da ajuda de um bom terapeuta, mas sim, eu acredito que ela acabará por ficar bem. Ela foi muito corajosa”. Aproximando-se da cama de hospital Leah e realmente olhando para ela, Dillon soltou um som de pura agonia. "Quem fez isso com a minha irmã e onde ele está”?

279


Indo para o lado de Dillon, Dr. Tyler colocou a mão em seu ombro. "A polícia tem toda a informação e já foi para prendê-lo. Dillon, eu sei que é difícil e, acreditem se fosse minha filha ou minha irmã, eu ficaria tão irritado como você está agora. Eu não sou relacionado com Leah, mas eu quero vencer essa escória com minhas próprias mãos. Infelizmente, isso não vai condenar seu traseiro arrependido e não vai ajudar a sua irmã. Você precisa colocar a raiva de lado, por enquanto, para ela. A polícia vai lidar com esse monstro. Seu trabalho é ter certeza de que sua irmã se cure. Mantenha-se focado”. Dillon assentiu como se entendesse e eu acreditava que ele iria controlar sua raiva quando Leah estivesse por perto, mas eu sabia que não ia ser capaz de colocar a sua raiva de lado. Eu pensei sobre como Dante, Damien ou Spencer reagiriam se isso tivesse acontecido a Delilah ou eu, e eu sabia que não importaria o que o Dr. Tyler ou qualquer outra pessoa dissesse, Dillon ia ter problemas para controlar sua raiva. O gene protetor homem das cavernas era muito forte nestes homens e não havia nenhuma maneira no inferno, que qualquer um deles pudesse ver alguém que amassem ferido, sem fazer tudo ao seu alcance para fazer a pessoa responsável sofrer. Eu nunca tinha encontrado um interruptor para os meus irmãos, e eu não acho que haveria muita esperança de que Dillon tinha um botão desligar, de qualquer forma. 280


Meus pensamentos se detiveram quando Leah se mexeu e abriu os olhos lentamente. Ela começou a chorar em silêncio quando ela viu seu irmão. "Eu sinto muito Dill..”. Em segundos ele estava em cima de sua cama acariciando seu rosto. "Você nunca deverá pedir desculpas para mim ou qualquer outra pessoa por isso Leah Cooper. Nada do que aconteceu com você foi culpa sua e você precisa obter qualquer pensamento que lhe diga que era de sua cabeça. Eu vou te tirar dessa, assim como você me tirou através de todas as minhas coisas. As crianças Cooper não desistem, lembra”? Ela tentou sorrir para ele, mas o lábio estava tão inchado que o que me deparei, foi de partir o coração para olhar. "Eu me lembro". Ele segurou-a da melhor maneira que poderia dado todas as suas lesões, lhe acariciando o cabelo enquanto ele dizia a ela o quanto a amava e como estava orgulhoso dela por relatar o estupro. Pela primeira vez desde que eu tinha ido buscá-la na casa dela eu vi um pouco da tensão deixar seu corpo quando ela relaxou em seus braços. Poucos minutos depois, o Dr. Tyler despediu-se, mas, não antes que ele também disse Leah como estava orgulhoso dela. "Você é a mais bravo dos bravos Leah, e eu tenho fé em sua capacidade de continuar com isso. Se você precisar de alguma coisa, não hesite em me chamar”. 281


Quando Dillon saiu para o corredor com Dr. Tyler, Leah pegou minha mão. "Você é meu cavaleiro de armadura brilhante Minnie, e eu nunca vou esquecer o que você fez para mim esta noite. Eu posso ver que está acabando contigo para estar na mesma sala com o meu irmão. Está tudo bem para você ir agora. Acho que vou ficar com ele por um tempo e eu quero que você me prometa que o segundo eu te disser que o caminho está livre, você virá me ver”. Levantando-me, inclinei-me sobre a cama e beijei sua testa. "Sempre que você precisar de mim eu sempre vou estar lá. Eu vou ser uma praga de mensagens de texto para ver você, então me diga se eu estou pegando em seu último nervo". Eu ouvi a porta abrir e eu sabia que Dillon estava de volta. Foi passado da hora para eu dar o fora de lá. Doeu muito para vê-lo. Beija-a na testa de novo, e eu sussurrei: "eu te amo Leah, e eu estou muito orgulhosa de você. Eu te ligo mais tarde hoje, mas se você precisar de alguma coisa, ou você quiser falar, você sabe onde eu estou”. Seus olhos brilhavam de lágrimas, quando ela balançou a cabeça. "Você, é a melhor amiga que eu poderia ter pedido. Agora vá para casa e descanse um pouco”.

282


Recuando do seu lado, eu peguei minha bolsa e soprei passando Dillon, quando eu fiz um caminho mais curto para a porta. Ele nunca disse uma palavra para mim.

283


Capítulo 24 Dominique Os primeiros meses depois de ver Dillon, novamente, foram os mais difíceis. Doeu demais ter ficado no mesmo quarto com ele, apenas para que ele me ignorasse, como se eu fosse um nada para ele. No começo eu estava muito triste, mas no final eu fiquei chateada. Apenas quem diabos ele pensava que era? Senti-me julgada por ele e eu me ressentia o inferno fora dele. Ele não sabia o que eu tinha passado e pela primeira vez, eu atribuí alguma culpa a ele. Se ele não tivesse me expulsado de sua casa e me cortado para fora de sua vida como se eu fosse uma leprosa... Se ele tivesse me escutado, em vez de ligar-me como um cão raivoso... Se ele não tivesse se transformado em um idiota, bem diante dos meus olhos, o nosso filho estaria vivo. Quanto mais eu pensava nisso, mais raiva eu tinha. Ele sabia que tinha tido relações sexuais desprotegidas, e ele nunca nem pensou em perguntar se eu estava grávida. Todas as suas palavras de amor, não quis dizer uma coisa. Quando as fichas foram para baixo ele me jogou como uma batata quente. Ele me cortou para o núcleo que tinha dissociado de mim, sem nenhum problema. Por que foi tão fácil para ele seguir em 284


frente e nunca olhar para trás, e eu não conseguia parar de olhar para os pedaços quebrados em meu espelho retrovisor? Foi quando eu percebi a verdade. Não foi apenas Dillon que não manteve a sua palavra-foram que todos os homens em geral. Mesmo meus irmãos, não eram nada além de glorificados prostitutos. Trataram minha irmã e eu com gosto de ouro da mesma forma como Dillon tratou Leah, mas quando eles vinham para o resto da população feminina, era tudo um jogo. Eu olhei para eles para provar que estava errada, mas eles foram brutalmente honesto sobre o fato de que eles fodiam e corriam. Claro, eles enfeitaramno porque nunca usaram esse tipo de linguagem para Delilah e eu, mas isso é exatamente o que eles faziam. Por muito tempo eu pensei que Spencer seria o único a quebrar o molde, uma vez que ele e minha irmã deram o próximo passo em seu relacionamento. Quando ele não se cortou, imediatamente, fora do desfile das vagabundas, eu estava além de decepcionada. Zangada em como eu tinha crescido com Dillon, e eu ainda o admirava por passar sete anos em um casamento sem sexo e ficar fiel mesmo que ele não fosse algo que sua esposa queria! Para mim, isso mostrou que se você tivesse a vontade, isso poderia ser feito. Claramente, Spencer Cross não tem a vontade e o eu achei maldito decepcionante. Meus irmãos e 285


Spencer usavam o sexo como um tudo que você pode comer em um buffet, para manter-se a salvo de qualquer tipo de emoção real e eu pensava que era triste, considerando todas as coisas. Os três seriam capturas reais, se eles têm a sua merda juntos. Minha irmã dava desculpas para Spencer como se fosse seu trabalho, mas eu não entendia por que ela não estava zangada com ele. Eu acredito que em algum momento Spencer vai ter a sua merda juntos e estar comprometido com a minha irmã, mas por esse tempo que ele vai ter feito algum dano grave a sua confiança. Eu disse para Delilah uma vez, e ela desmoronou na frente dos meus olhos, gritando que se eu odiasse Spencer, ela nunca se perdoaria. Tentei explicar-lhe que eu não odeio Spencer, eu odeio suas ações, mas, ela estava tão chateada que eu deixei pra lá. Essa foi uma lição para eu nunca mais abrir a boca estúpida novamente, sobre as complexidades da sua relação. Para mim, a ideia de ser tocada por um homem que não fosse Dillon estava completamente abominável e isso significava que eu estava firme no "nenhuma relação" território. Não foi tão difícil vendo, como eu não era o homem impar para fora, uma vez que Delilah e Spencer não poderiam estar juntos, ela não namorava também.

*** 286


Minha família sempre foi muito grande em jantares da família. É algo que a minha tia Sandra começou assim que ela entrou em nossas vidas, e meus irmãos apoiaram a ideia e correram com ela. Porque meus irmãos e Spencer eram putas glorificadas, a minha tia Sandra era uma santa, e Delilah e eu não namorávamos, jantares de família eram exclusivos apenas para a família. Ninguém fora dos sete de nós nunca tinha vindo para um jantar em família, então eu fiquei completamente atordoada quando Delilah chamou, e me disse que Dante estava trazendo duas pessoas com ele. "Aparentemente ele ficou muito amigável com sua nova assistente, e ele está trazendo ela e sua irmã para jantar. Eu odeio admitir, que no começo eu me perguntei se ele estava apenas tentando trabalhar o ângulo irmã, mas quando eu brinquei com ele sobre isso, ele rasgou a minha cabeça fora. Oh! E ainda notícia maior é que vamos ao jantar de família em um restaurante, porque ele e a assistente vão estar em algum lugar durante todo o dia e ele não tem tempo para cozinhar”. Gostaria de saber se o inferno estava congelando mais, ou se um milagre estava ocorrendo, e Delilah admitiu que ela estava pensando na mesma linha. Tanto de nós queria muito mais para os nossos irmãos do que os do sexo-superficialthon, que eles chamavam de viver. 287


Delilah e eu chegamos no restaurante ao mesmo tempo, no típico movimento de gêmeo, dirigindonos para dentro para cumprimentar Damien. Ele tinha sido afastado por semanas, e eu tinha sentido falta dele como louca. Nós só conseguimos falar por alguns minutos antes de Spencer aparecer. Ele fez alguma piada sobre o quão estranho era que Dante estava trazendo pessoas de fora para o jantar e eu senti arrepios de Delilah subindo, pouco antes de lhe dar um tapa verbal para baixo. Dando-lhe um aceno de aprovação, eu me perguntava se talvez ela finalmente vai começar a colocar o pé sobre Spencer e sua besteira sexual. Quando Dante chegou com sua assistente e sua irmã, eu não podia acreditar nos meus olhos porque eram as filhas do Dr. Tyler. Eu nunca vou esquecer a noite em que Leah me chamou para me dizer que o antigo chefe de Dillon tinha chegado à cidade e lhe tinha levado para jantar. Ao longo do jantar, Rick disse a ele que a razão pela qual ele estava em LA foi para assistir ao funeral do Dr. Tyler. Foi de partir o coração ouvir que o Dr. Tyler e sua esposa haviam sido mortos juntos, em um acidente de trânsito. Vendo as filhas que ele tinha falado com tanto orgulho, e o amor era emocional, mas eu fiz o meu melhor para escondê-lo. Eu queria dizer-lhes que o seu pai tinha salvado minha vida, mas, eu nunca falei sobre o acidente, especialmente na frente da minha família.

288


Não foi nenhuma surpresa para mim que tanto Sabrina e Brooke eram grandes garotas. Assim como o Dr. Tyler havia dito, Sabrina, em particular, realmente parecia com ele. Quando eu descobri que Brooke foi ao UCLA fiquei emocionada. Ela era doce e fácil de falar, mas, havia uma tristeza sobre ela que tocou meu coração, porque eu sabia exatamente o porquê dela estar triste. Tanto quanto eu estava preocupada, o pai dela tinha tudo, mas, entrou na água e me senti bem em contato com suas garotas. Lembrei-me dele dizendo que esperava que se suas meninas estivessem sofrendo, alguém iria mostrar-lhes bondade. Brooke Tyler estava claramente sofrendo, e embora eu não fosse dizer a ela que eu tinha conhecido o pai dela, eu poderia tentar retribuir a gentileza que ele tinha me mostrado na minha hora mais escura. Eu não acho que eu estava indo para realmente ter a chance de fazer o mesmo para Sabrina, por que Dante definitivamente a tinha coberto. Eu nunca o vi tão interessado em alguém antes, nada tinha sequer chegado perto. Diverti-me sem fim que ele estava tentando fingir que ele só pensou como um amigo, quando alguém que o conhecia bem o suficiente poderia facilmente ver a mentira que era. Por eu estava tão ligada ao Damien, eu não pude deixar de notar que ele passou uma excessiva quantidade de tempo sub-repticiamente esgueirando olhares para Brooke. Foi a primeira vez que eu o vi olhar para uma garota, que ele achou 289


bonita, sem a certeza arrogante que ele estaria dentro dela em breve. Em vez de seu habitual “você vai estar debaixo de mim mais tarde” garantido ele parecia com medo dela. Eu não tinha muita esperança para Damien mudar seus caminhos de conquistador, então eu decidi que eu iria ficar de olho em seu comportamento em relação a Brooke. Se alguma coisa mudasse ou ele parecesse estar passando por cima da linha, eu estaria beliscando isso direto pela raiz. No momento em que o jantar encerrou, eu tinha definitivamente decidido levar Brooke sob a minha asa. Não doeu que Delilah tinha tomado uma decisão semelhante, embora, ela ainda não tivesse percebido por que Brooke precisava de nós para investir tempo nela. Depois de abraçar a todos e fazer arranjos com Brooke para fazer compras com Delilah e eu no dia seguinte, eu fui para a noite. Pela primeira vez desde a noite em que ela foi estuprada, eu tinha finalmente falado Leah em sair para a noite. Ela fez um trabalho incrível de cura, mas ela é muito clara sobre o fato de que ela não está pronta para qualquer tipo de relacionamento ainda. A fim de acomodar a sua ansiedade sobre estar em um bar cheio de homens na caça, eu decidi levá-la a um bar gay que eu tinha acabado de descobrir sobre. Algum promotor diligente havia mantido o estacionamento do meu apartamento com panfletos 290


que diziam que o bar era "O lugar para se estar se você não quer se sentir como se estivesse em um mercado de carne”. Isso só fez o folheto se destacar para mim, e eu achei que seria uma ótima maneira de obter Leah na cidade. Ela se vestir e sair à noite foi tal vitória que eu teria ido para túnel com ela, se isso fosse o que ela precisasse de mim para fazer. O fato que eu não poderia ter os homens me tocando, fez a escolha do clube ideal para mim, também.

***

Quando cheguei à casa de Leah, para buscá-la, fiquei emocionada ao encontrá-la vestida e animada sobre ir para fora. Ela estava realmente fazendo progressos sérios nos dias de hoje, e eu estava muito orgulhosa dela. Nos abraçamos e conversamos enquanto nós caminhávamos para o meu carro, e ela me contou sobre como ela estava fazendo no trabalho. Leah brilhava quando ela falava sobre seu trabalho como fisioterapeuta para as crianças, e eu sabia que seu desejo de uma família própria iria buscá-la de volta para o namoro certo, mais cedo ou mais tarde. Eu adorava passar o tempo com ela, mesmo que eu nunca pudesse mencioná-la para alguém da minha família, desde que eu soube que eles seriam altamente desconfiados dela, uma vez que a 291


culpavam por engano ao meu colapso emocional após que Dillon e eu terminamos. Isso foi totalmente minha culpa por redirecioná-los, mas eu não tinha descoberto uma maneira de falar sobre ela, sem admitir que eu era uma grande mentirosa. Todos alertados para a sua existência na minha vida ia criar perguntas que eu não podia responder. A parte mais difícil da minha amizade com Leah era o campo minado de "coisas que não podem ser discutidas", que existia entre nós por causa de Dillon. Falar do passado era principalmente proibido, mas, fez falarmos sobre Marissa com bastante frequência. Todos esses anos mais tarde eu ainda não fui capaz de abrir sua carta de suicídio. Não muito tempo atrás Leah tinha deslizado para cima, e me disse que Dillon não tinha lido a sua também. Antes que dela trancar-se, ela me disse que achava que ele nunca faria. Ele pode não querer ler a sua, mas eu quero ler a minha..., algum dia. Estou à espera de um dia que eu me sinta emocionalmente estável o suficiente, para reabrir o aterro emocional que essas memórias trarão, e eu não estou lá ainda. Puxando para o estacionamento do bar encontrei um lugar e matei a ignição. "Garota, tudo bem, você está pronta para ir lá e fazer uma dança”? Seu sorriso encheu meu coração de alegria, por que era genuíno.

292


"Eu estou pronta, mas eu também estou assustada como ser eu mesmo, se isso faz sentido. Que tal se alguém perguntar quem somos você pode dizer que seu nome é Nikki e eu vou dizer que o meu nome é Marie? Ninguém aqui nos conhece, ou sabe de qualquer coisa que aconteceu comigo, e não é como se nós vamos ver essas pessoas novamente. Você está dentro”? Por Leah eu teria raspado a cabeça e diria que meu nome era Karl a fim de levá-la em um ambiente social. "Duh, é claro que eu estou dentro Vamos, Marie. Temos uma dança para fazer”. Eu não tinha vinte e um ainda, mas o ID que eu tinha dizia que eu era. Fazendo o nosso caminho para o coração do bar, Leah e eu sorrimos uma para a outra quando ouvimos tocar Justin Timberlake "Sexy Back". Pegando minha mão, ela me puxou para a pista de dança, e nós duas passamos a próxima meia hora rebolando nossas bundas. Ela estava mais feliz do que eu tinha visto em anos, totalmente relaxada e sorridente quando nós tivemos os nossos sucos, e eu desejei que Dillon pudesse ver a mudança nela. Como de costume, os pensamentos de Dillon me deixaram triste. Se ele não fosse um idiota e teimoso ainda estaríamos juntos e, provavelmente com dois filhos agora. Em vez disso, eu estava em um bar gay com sua irmã e, ele caçando alguma 293


idiota sem nome que não se importa de ser tratada como uma boneca de sexo. Mesmo que Leah fizesse questão de não falar sobre ele, ela havia solidarizado comigo uma noite, quando eu estava reclamando sobre os meus próprios irmãos e da porta giratória que era a sua vida sexual. Eu podia ver que ela queria rastejar sob uma rocha e morrer quando ela deixou escapar que seu irmão era tão ruim, se não pior, então eu joguei fora e assegurei-lhe que estava bem, mas nada poderia estar mais longe da verdade. Isso me enfureceu porque eu não podia ser tocada, enquanto ele estava fora tocando todas. Ele provavelmente nunca pensou em mim em tudo, mas, eu nunca tinha parado de pensar e doer por ele. Se não doesse tanto, seria quase cômico. Ele ganhou uma quantidade enorme de avisos por suas paisagens ao longo dos últimos anos. A empresa que Rick tinha passado ao Dillon era agora, maior do que nunca e em tal demanda que ele tinha que ser reservado meses antes. Eu o persegui ciberneticamente, ao longo do tempo, verificando a página web da empresa e olhando fotos dele online. Ele tinha feito um monte de trabalho de alto nível, e agora estava colhendo os frutos. Fiquei muito feliz por ele e ao mesmo tempo sendo devastada, que eu não poderia dizer-lhe como eu estava orgulhosa dele. Passar tempo com Leah sempre foi um lembrete de Dillon, mas depois da noite em que fiquei com 294


ela no hospital, eu nunca mais coloquei todas as paredes. Ela precisava de um amigo e, francamente, eu também. Sua amizade significa muito para mim que eu encontrei uma maneira de separar o fato de que ela era irmã de Dillon. Vê-la sorrindo, dançando e rindo foi o melhor resultado possível para a noite. Quando ela concordou em dançar com uma metade de um par masculino eu queria fazer a dança feliz, por ela. Claramente trazendo-a para um bar gay tinha sido apenas a coisa porque eu não a tinha visto fora de sua concha como isto nos últimos anos. Sinalizando para ela que eu ia pegar uma bebida eu fui para o bar e peguei um banquinho. O barman riu quando eu pedi um Shirley Temple, mas ele fez isso acontecer com estilo. Eu não bebia muito estes dias e eu nunca bebia se eu fosse o motorista designado. Bebendo a minha bebida, eu me torci para examinar a multidão. O bar tinha uma boa vibe, e todos pareciam felizes. Senti alguém tomar o assento ao meu lado, mas eu continuei a observar a multidão por alguns minutos. Girando de volta para o bar com a minha bebida final na mão fiz um gesto para o barman e pedi uma garrafa de água. Ao ouvir o riso de uma pessoa próxima a mim, eu virei minha cabeça para olhar quem estava no banco ao meu lado, com uma sobrancelha levantada. Ela era linda, um torneiro cabeça que qualquer pessoa com um pulso, independentemente da sua 295


orientação sexual, iria parar e olhar para. Onde eu era pequena, eu podia ver que ela era um modelo de altura e, a julgar pelo que pude ver do peito para cima, ela tinha um corpo incrível. "Desculpe, eu não estava rindo de você", disse ela, enquanto ela fez um gesto para a sua própria garrafa de água. "Eu estava rindo do fato de que estamos em um bar e ambas estamos bebendo água”. Agora que ela mencionou isso, eu tive que concordar que era divertido. Sorrindo amplamente Eu disse: "Eu sei certo? Eu nunca bebo se eu for o motorista designado, então esta noite é a “cidade da água” para mim. Você pensaria que seria uma poupança de dinheiro para beber água, mas a seis dólares uma garrafa de água é um assassino. Tive refeições inteiras que custam menos do que isso”. Ela riu, mas antes que eu pudesse responder alguém se sentou no outro lado de mim e me deu um tapinha no ombro. Esperando que fosse Leah, eu rodei no meu banco do bar e fiquei frente a frente com uma mulher bonita, que parecia estar em seus trinta e poucos anos. Olhando-me da cabeça aos pés, ela lambeu os lábios antes de encontrar meus olhos. "Eu estava assistindo você dançar. Você parecia sexy como o inferno lá fora, linda. Eu adoraria ver a forma como você se move para fora da pista de dança. O que você diz”? 296


Virei 948 tons de vermelho como eu balbuciei: "Eu sou, uh, não..”. Sentindo um slide de braço ao redor dos meus ombros me virei para encontrar o bebedor de água perto de mim. Olhando para a mulher que estava me propondo, ela disse: "saia daqui Michelle. Esta é minha amiga e ela não está olhando para a experiência do puma. Juro por Deus, você vem muito forte, às vezes”. Risada gutural de Michelle soou quando ela sorriu para menina da água. "Isso não é o que você estava dizendo, há seis meses, quando eu puxei o mesmo movimento em você. Pelo que me lembro, eu passei a maior parte das seguintes quatro horas fazendo você gritar meu nome. Claro, eu não posso ter certeza que é o que você estava gritando desde suas coxas estavam cobrindo meus ouvidos enquanto você andava na minha língua”. A menina da água não ficou ofendida ou constrangida com tudo. Ela riu antes de responder facilmente: "Isso é verdade, Mrs. Robinson, mas mesmo uma lésbica relativamente verde como eu posso dizer que ela não está, de forma alguma, aqui para uma rapidinha”. Com uma agitação exagerada da cabeça, Michelle sorriu para nós duas. "Ah, bem, eu acho que vou procurar outro lugar para entretenimento desta noite”.

297


Olhando para menina da água, ela lambeu os lábios. "Você sabe, eu normalmente não gosto de performances repetidas, mas, eu poderia adquirir um gosto para você”. Com uma risada, a menina água estendeu a mão e deu Michelle dedo. "Uma caminhada de vergonha depois de estar com você, foi o suficiente. Vá procurar sua próxima conquista”. Eu ri enquanto Michelle sorriu e se afastou, antes de pegar a minha respiração, quando ela tomou um caminho direto para Leah. Eu dei um suspiro de alívio quando o grupo de rapazes que Leah estava agora, dançando com fileiras fechadas, e isso fez bem ao meu coração ver Leah rindo, enquanto ela continuava a dançar. Virando-me para o meu lado, eu sorri para menina da água. "Puta merda Mrs. Robinson apropriada para ela”.

é

uma

descrição

Com um grunhido e uma risada, ela balançou sua cabeça. "É, mas, aqui está o nome da jogadora que é Michelle Robinson. É como se ela nascesse para ser um puma”! Nós duas rimos histericamente sobre isso, e eu lutava para me controlar. "Eu apreciei você me salvar. Isso poderia ter ficado muito desconfortável”.

298


"Ela é, realmente, inofensiva. Ela teria parado quando você dissesse que não, foi apenas mais divertido para eu brincar com ela”. Estendendo uma mão para mim, a menina da água disse: "Meu nome é Tally, por sinal”. Com um sorriso, eu apertei a mão dela. Pouco antes de eu responder me lembrei de que Leah e eu estávamos usando nomes diferentes, esta noite. "Eu sou Nikki. É bom conhecê-la”. "Não que eu gaste uma enorme quantidade de tempo aqui, mas eu nunca vi você antes e a maioria das pessoas aqui são regulares. É a sua primeira vez neste bar”? Eu ri quando eu balancei a cabeça. "É totalmente óbvio, não é”? "Não tanto como você, se destacando na multidão. Você não seria alguém que eu esqueceria ter visto antes. Você está deslumbrante”. Eu corei quando eu agradeci sem saber se eu estava corando por causa do elogio ou porque eu estava um pouco atraído por ela. Eu nunca, sequer fui moderadamente atraída por uma garota antes, mas algo sobre Tally era diferente. Gesticulando para a pista de dança, ela perguntou, "Eu estava assistindo você dançar com essa menina, mas eu não tive uma vibe casal, a partir dela. Vocês são só amigas, certo”? 299


Lambendo meus lábios, eu assenti. "ela é minha melhor amiga. Nós não somos... Nenhuma de nós é gay”. Olhando nos meus olhos, Tally sorriu. "Você pode não ser lésbica, mas agora eu não estou recebendo uma vibe completamente em linha reta de você”. "Eu não acho que... Eu não sou... Eu nunca..”. Eu gaguejava em todo o lugar, tentando descobrir uma maneira de dizer que ela era a única garota que eu já tinha sido atraída. Eu tinha vergonha de dizer as palavras, por isso eventualmente, eu apenas dei de ombros. Estendendo a mão, ela colocou a mão no meu joelho tranquilizando-me. "Ei está tudo bem você sabe. Eu não vou chegar em você... a menos que você queira" Merda. Eu quero que ela chegue? Fui salva de ter que responder pela chegada de Leah ao meu lado. Depois de apresentá-la como 'Marie' para Tally, as três de nós passou o resto da noite, dançando juntas. A atração que eu estava sentindo por Tally não foi para baixo nem um pouco.

***

300


Antes de deixar o bar, naquela noite, nós trocamos números com Tally. Eu contava com o fato de que ela provavelmente não iria realmente chamar e eu percebi que minha atração por ela tinha sido uma anomalia. Quando ela me ligou no dia seguinte e me pediu para sair com ela, eu decidi ir. Eu não tinha certeza, se eu estava indo porque eu estava atraída por ela, ou porque eu gostava dela de uma forma amigável, mas o que eu sabia, com certeza, era que ela não me aterrorizava. Eu não tinha pensamentos ansiosos, sobre ser presa debaixo dela e que por si só foi um empate. Fizemos arranjos para nos ver no jantar naquela noite. Embora eu estivesse nervosa era o tipo bom de nervoso. Depois de passar a tarde fazendo compras com a minha irmã e Brooke eu encontrei Tally, em um restaurante italiano. Mais uma vez eu não pude deixar de notar como ela era bonita. Como eu suspeitava, na noite anterior, ela tinha um corpo incrível. Ela estava usando uma blusa coral colorida, de ombro caído, uma mini saia preta e um par de sapatilhas pretas. Seu longo cabelo castanho pendurava-se em ondas por cima do ombro direito e seus brincos de brilhantes chamou o olho direto para a linha elegante do pescoço. Ela era tão modelo, que eu me senti um pouco como um patinho feio em relação a ela. Ela 301


abriu um largo sorriso quando me viu e eu senti um pouco de formigamento quando ela me deu um abraço. "Estou tão feliz que você concordou em vir jantar comigo esta noite", disse ela com um sorriso. "Eu estava preocupada que você iria se sentir estranha sobre isso”. Rindo nervosamente eu admiti: "Eu me sinto um pouco estranha sobre isso, mas eu não queria fugir. A pior coisa que poderia acontecer é termos um bom jantar, e descobrir que não temos nada em comum”. Eu tremia quando ela passou o dedo pelo meu braço, e sorriu para mim. "Será que você pensa sobre a melhor coisa que poderia acontecer”? "Não... ,me acovardei, pensando muito sobre isso. Eu não queria mentalizar-me para fora”. Correndo os dedos de volta para baixo do braço, ela entrelaçou os dedos com os meus e me puxou suavemente em direção à porta do restaurante. "Eu acho que foi uma boa decisão. Vamos ver para onde vai. Ele pode acabar sendo uma amizade. Eu ficaria bem com isso, só para você saber. Não há pressão de mim. Nós apenas temos que esperar e ver”. Eu não podia acreditar que eu estava fora, em um encontro com uma garota, mas algo nela me intrigou. Eu odeio admitir que eu encontrei conforto 302


no fato de que eu não tinha dado a ela o meu nome, real. Minha família iria fazer uma merda, se eles soubessem que eu estava brincando com a ideia de fazer sexo com uma menina. Eu sabia que eu não era lésbica, e teria dito antes do encontro com Tally, que eu não tinha nenhum interesse em meninas em tudo, mas eu tenho que admitir que eu estava atraída por ela. Tally era fácil de falar e eu estava gostando de passar um tempo com ela. Depois de anos de nem mesmo ter algum episódio de interesse em qualquer um que não fosse Dillon Cooper, eu estava ao mesmo tempo aliviada e animada por sentir alguma coisa, mesmo que a atração não fosse nada em comparação. Eu não poderia ter quem eu queria, mas, isso não significava que eu precisava ser uma freira para o resto da minha vida. Ela me fez sentir que eu importava, e fez-me perguntar se isso era parte do sorteio de estar com alguém de seu próprio sexo. Ela não estava desagradavelmente olhando para os meus seios ou girando fios selvagens sobre toda a merda que ela e seus amigos estavam fazendo. Talvez eu tivesse sido saturada com caras besteiras ao longo dos anos e Tally foi uma lufada de ar fresco que eu precisava. Nós cobrimos a maioria dos princípios de primeiro de encontro ao longo do jantar, ela perguntou sobre minha família e eu disse a ela que eu tinha três irmãos e uma irmã. Não entrei em detalhes sobre 303


seus nomes, e quando ela me perguntou era o meu sobrenome, eu soltei a primeira coisa que me veio à mente. Naturalmente, isso significa que eu disse Cooper. Aparentemente a única coisa que Dominique Hart e Nikki Cooper tinham em comum era uma propensão para a meias-verdades e subterfúgios. Eu aprendi minha lição com Dillon para que eu nunca mentisse sobre qualquer coisa importante, mas a realidade é que eu não vejo uma relação com Tally que vá a lugar real algum. "Tudo bem Nikki Cooper, é hora da grande questão. Você me disse ontem à noite que você não era lésbica. Isso quer dizer que você nunca foi atraído por uma garota antes”? "Não”. "Você nunca deixou se enganar por aí com qualquer um dos seus namorados durante o ensino médio ou nos primeiros anos de faculdade”? "Não para isso, também”. "Mas você está atraída por mim”? Eu senti o rubor aquecer meu rosto, enquanto eu assenti. "Sim, eu estou”. Chegando do outro lado da mesa, ela pegou a minha mão na dela e sorriu para mim enquanto ela acariciava delicadamente minha mão e dedos. "Eu estou muito atraída por você também Nikki e eu gostaria de ver onde isso levará. Você está aberta a isso”? 304


O blush estourou neste momento e tinha menos haver com as suas palavras do que com o fato de que eu estava excitado por seu toque. Ela lambeu os lábios enquanto esperava que eu respondesse e eu me senti umedecer. Minha voz soava rouca aos meus próprios ouvidos, quando eu respondi: "Sim... eu estou aberta”. Rindo ela puxou minha mão aos lábios e chupou a almofada do meu dedo indicador em sua boca. Eu gemia, quando ela rodou sua língua ao redor da ponta do meu dedo, uma explosão correspondente do calor tomando conta do meu sexo. Sorrindo maliciosamente para mim, ela disse, "Não é tão aberto quanto você vai ser. Eu posso parecer doce e inofensivo, mas uma vez que eu tenho meus pés do mar, tanto quanto a minha sexualidade está em causa, eu descobri rapidamente que eu gosto de estar no comando no quarto. Isso significa que quando eu digo afaste as pernas você deve seguir essa ordem e você não vai fazer perguntas. Você acha que eu posso treiná-la para responder a isso? Porque eu acho que eu posso”. Eu tensa, não gostando do uso da palavra 'trem'. Eu não era um cão ou um brinquedo e do jeito que ela disse que me fez lembrar de algo que as pessoas no mundo de meu pai teria dito. Apertando a minha mão para chamar minha atenção ela balançou a cabeça para mim. "Ei, não entre em pânico. Eu não estou falando de correntes 305


e chicotes ou qualquer coisa que você pode encontrar degradante. Eu só ficaria no comando quando se tratar de sexo. O quando, o onde, que tipo de coisa”. Puxando a minha mão da dela eu rigidamente respondi: "na verdade, eu achei degradante para ser perguntada se eu poderia ser treinado para responder da maneira que você quer que eu faça. Isso tem absolutamente apelo nenhum para mim. Estou feliz por você que você já descobriu o que funciona para você, mas esse tipo de coisa não funciona para mim e nunca funcionará. Quando eu entrar em um relacionamento vai ser como um parceiro, não um submisso”. Minha atração por ela havia ido para baixo consideravelmente, no segundo que ela disse que queria me treinar, e de certa forma fiquei aliviada que eu não estaria mergulhando meu dedo do pé em um caso com uma mulher. Agarrando minha bolsa da mesa tirei cinco notas de vinte e joguei em cima da mesa, sabendo que seria mais do que suficiente para cobrir a conta. Forçando uma risada, eu disse, "A boa notícia é que, pelo menos, que encontramos o agora em vez de mais tarde. O jantar foi o meu deleite. Foi um prazer te conhecer Tally”. Em pé na mesa, eu me apressei para fora do restaurante. Eu tinha sido uma idiota para concordar com um encontro com uma garota, 306


quando eu sabia que não era gay. Todos os meus pensamentos sobre como ele parecia mais fácil e menos assustador para estar com uma mulher, eram totalmente errado. Sendo dito que eu iria ser treinado para espalhar minhas pernas no comando era um importante desligar. Eu caminhei rapidamente até o estacionamento traseiro e estava apenas na porta do meu carro, quando ouvi Tally chamando meu nome. Coloquei um sorriso agradável e me virei, para vê-la vindo atrás de mim. "Nikki, não fuja de mim. Eu sinto muito... Eu não sabia que você iria reagir da maneira que você fez. Eu realmente gosto de você, e eu não quero ir embora antes de ver se isso pode ir a qualquer lugar. Eu disse que gostava de estar no comando, não que eu tinha que estar. Se você não quer isso, eu entendo. Não temos que ter esse tipo de relacionamento. Quando eu perguntei se poderia ser treinada, eu não estava querendo dizer que eu vejo você como uma submissa. Eu disse errado e peço desculpas. Estou acostumada a lidar com a Sra. Robinsons do mundo, onde é necessário estabelecer direto para fora da porta que você não vai ser o seu brinquedo sexual. Podemos tentar de novo”? Apoiando-me contra a porta do carro, eu dei de ombros. "Eu não sei. Parecia que você estava, realmente em ser o chefe, e isso não é algo que eu possa fazer. Eu me sinto atraído por você, mas eu 307


não me sinto atraído para esse tipo de troca sexual. Isso faz com que seja uma lavagem cerebral para mim.” Pisando mais perto de mim, ela colocou os braços em volta da minha cintura e gentilmente me puxou para mais perto dela. Estar em seus braços, a velocidade da minha frequência cardíaca acelerou e eu inconscientemente me inclinei para ela. Obviamente que a minha atração por ela não tinha diminuído. "Dê-me uma chance de provar a você, que eu não sou nada a temer. Você pode chamar os tiros, e se você não se sentir confortável apenas me diga para parar, eu vou. Eu gosto de você Nikki, e eu não quero estragar isso. Posso te beijar”? Eu estava realmente indo para fazê-lo. Eu estava indo para beijar uma garota. Acenando meu acordo eu separei meus lábios, enquanto ela trouxe as mãos para cima e segurou a parte de trás da minha cabeça antes de puxar o meu rosto para o dela e envolver seus lábios nos meus. Ela me beijou apaixonadamente e eu gemi quando nossas línguas se encontraram, e começaram a correr juntos. Sua língua era aveludada, e ela tinha o gosto do sorvete que tinha comido a sobremesa. Não foi tão intenso como beijar Dillon era, mas, era muito bom. Correr uma de suas mãos para baixo do meu cabelo para o topo da minha calça jeans, ela deslizou sua 308


mão por baixo da minha blusa de seda e levemente acariciou meu estômago. Meus mamilos endureceram contra o meu sutiã de renda e no mesmo momento minha calcinha passou de úmida para molhada sério e eu gemi em sua boca. Sempre muito gentil, ela traçou pequenos redemoinhos através da pele do meu estômago enquanto nos beijávamos, e eu lutava para não transar contra ela como se fosse alguém no cio. Quando a mão dela fez o seu caminho de cima da minha barriga para os meus seios, eu fiquei fraca nos joelhos. Nenhuma dúvida, sobre isso, eu estava atraída por ela. Ela acariciou meu peito através do meu sutiã, com apenas pressão suficiente para me fazer doer. Eu estava perdida no momento, completamente alheia ao fato de que estávamos no estacionamento de um restaurante. Quando ela lentamente quebrou o beijo e retirou a mão debaixo da minha camisa, eu fiquei chocada que eu deixei as coisas irem tão longe. Apoiando a testa contra a minha, ela começou a correr as mãos para cima e para baixo nos meus braços em um movimento suave. "Isto", disse ela, "foi melhor do que eu imaginava. Posso vê-la de novo”? Eu balancei a cabeça lentamente antes de finalmente dizer: "Hum... eu acho que... Quer dizer, eu acho que... Ah, sim”. Rindo ela se afastou e deu um beijo em minha boca. 309


"Que tal eu te dar um pouco de tempo para pensar, sobre isso? Eu vou chamá-la em breve e esperamos que você vai saber com certeza. Não há como adivinhar sobre isso, pelo menos não onde você está preocupado. Eu preciso saber com certeza que é o que você quer”. "Eu entendo”. Beijou-me novamente, e ela deu alguns passos para trás. "Bom. Pense nisso... duro. Estarei em contato”.

310


Capítulo 25 Dominique Eu não sabia se eu queria seguir algo com Tally. Embora eu estivesse sexualmente atraída por ela e eu achasse que ela era muito divertida, eu não senti nada sério em sua direção. Eu não tinha certeza nem como eu comecei algo com ela quando eu não tinha a intenção de tê-la para ir a qualquer lugar. Depois de passar sobre isso na minha mente, por alguns dias, eu finalmente mordi a bala e fui à Leah para um conselho. Sentando-me em seu sofá da sala eu soltei: "Eu tenho um dilema e preciso de seu conselho”. "Ooh! isso soa suculento! Tudo bem, me bata com ele”. Remexendo com a parte inferior da minha camisa eu soltei, “lembra-se que a menina da outra noite no bar gay, Tally? Bem, eu estou atraída por ela. Fomos em um encontro numa outra noite e nos beijamos... e isso foi bom. Como, realmente bom. Eu era tudo sobre não saber se eu queria seguir algo com Tally no encontro, até que ela disse algo sobre me treinando e então eu perdi o fio completamente, mas ela me trouxe de volta no final 311


e, em seguida, o beijo... mas agora, eu não sei. Eu me sinto atraído por ela, mas isso não é algo que eu sinto que tenho para explorar, se isso faz sentido. Não é vida ou morte, não como com Dil... bem, você sabe. Enfim. Eu sei que isso não pode ir a qualquer lugar sério e eu não gostaria que fosse. Mas não posso negar que eu estou atraída por ela e estou aberta a explorar isso. Eu não tive qualquer tipo de sexo em mais de três anos e ela é a primeira pessoa que eu fui atraída para isso. O que você acha que devo fazer”? "Oh querida... é a verdadeira questão o fato de que ela é uma menina ou que não é Dillon?” "Ela não é Dillon," eu admiti com um suspiro. "Ele nunca acreditou que eu estava falando sério quando eu disse a ele que eu o amava com todo meu coração e alma, mas eu quis dizer cada palavra. Esse último dia, quando ele terminou comigo e me jogou para fora de sua casa, ele disse que eu era apenas um adolescente inconstante e que eu apenas pensei que eu estava completamente apaixonada por ele. Ele não poderia ter sido mais errado. Eu o amo tanto hoje quanto antes. Mesmo que eu esteja machucada e eu esteja com raiva, não mudou o fato de que ele é a escolha que meu coração fez. A ironia do fato de que ele foi o único que seguiu em frente sem olhar para trás, é apenas mais um tapa na cara para mim, a partir do universo. Ele vai ser sempre o único, mesmo que 30 anos passem. Honestamente, eu não acho que eu 312


poderia deixar outro homem me tocar. Eu me sentiria como uma prostituta para substituir alguém por ele. Pelo menos se eu fizer algo com Tally, não vou fechar os olhos fingindo que é ele”. "Ei, ei, ei! Espere um segundo! Como é que isso nunca veio antes? Você está seriamente me dizendo que você não ficou com ninguém desde Dillon”? Balançando a cabeça, eu disse: "Absolutamente não. Não houve encontros, nem beijos, nem nada”. Depois de estudar-me em silêncio, por alguns segundos, com uma expressão de choque no rosto dela, ela perguntou: "Você já pensou todo esse tempo que ele apenas seguiu em frente e que foi isso”? Foi a primeira vez que ela tinha me feito uma pergunta, sobre o que tinha acontecido entre seu irmão e eu, e eu sabia que eu precisava escolher minhas palavras com cuidado. Embora eu fosse sua melhor amiga ela era muito leal a seu irmão e eu não quero que ela pense que eu estava insultandoo. "Eu não só acho Lee, eu sei disso. Eu liguei para ele, mandei uma mensagem e escrevi-lhe cartas, e eu nunca ouvi uma palavra de volta dele. A única vez que eu o vi em todos esses anos, ele não podia sequer olhar para mim. Olhando para trás, eu percebi que eu era apenas uma pessoa de transição para ele. Ele estava emocionalmente destruído depois do que aconteceu com Marissa. Ele precisava 313


ser tocado e amado, necessário a fisicalidade de um relacionamento real. Aconteceu de eu estar ali. Se não tivesse sido eu, teria sido outra pessoa. Infelizmente para o meu coração, eu não poderia dizer a diferença”. Mordendo o lábio, ela balançou a cabeça, e fechou os olhos por um momento antes de responder. "Por ele ser meu irmão, eu não posso dizer muito. Mas o que eu posso dizer com certeza absoluta é que o que você acredita que aconteceu não é nem perto da verdade. Vocês dois jumentos teimosos deveriam ter tido algum tipo de discussão sobre isso... Eu quero dizer, você está sentada aqui pensando que ele não se importava, mas eu vi a prova em contrário”. Estávamos em um território perigoso, e eu sabia disso. Com quatro irmãos (contando com Spencer), eu mesma sabia que a lealdade à família sempre vinha em primeiro lugar. Eu nunca iria divulgar algo privado, sobre alguém na minha família a qualquer outra pessoa, mesmo que o meu membro da família estivesse totalmente errado. Você tinha que permanecer fiel às pessoas, que eram leais a você, e Leah e eu sabíamos disso muito bem. Fazendo um gesto de desprezo eu disse: "Olha eu sei que você não pode falar comigo sobre isso, e eu não esperaria isso de você. O que está feito está feito e o passado não pode ser mudado. Vamos deixar essa parte da conversa e voltar para o meu 314


problema Tally. O que você acha que eu devo fazer”? "Eu acho, que só você pode responder essa pergunta. Parece-me como se estivesse em cima do muro, mas as coisas mudam e tudo pode acontecer. Se você está me perguntando se eu acho estranho que você está atraído por uma garota, a resposta é não. Houve uma vez, que eu estive apaixonada por uma garota. Nada aconteceu, mas isso não muda o fato de que o meu coração amava o dela, independentemente do fato de que eu não estou ligada a ser lésbica. Às vezes o amor é amor, independentemente do sexo”. Eu fiquei boquiaberta, para ela, completamente jogada por sua confissão. "Você esteve apaixonado por uma garota? Fale sobre as coisas que vêm de fora do azul! Quem é ela”? Ela me deu o olhar mais triste antes de responder: "foi Marissa, é claro. O fato de que eu a amava como uma louca não muda o fato de que ela não podia ser tocada. Ela decidiu torná-lo "mais fácil" para mim, pedindo Dillon para se casar com ela porque sabia que uma vez que eles se casassem, nada poderia acontecer entre nós”. “Independentemente, do fato de que eles não nunca tiveram um relacionamento físico, eu nunca ia ser capaz de namorar a ex-mulher do meu irmão. A partir do momento que ela tomou essa decisão, ela obrigou-me a tratá-la como uma verdadeira irmã, 315


até ter-me chamando-a de maricas. É do caralho e me matou por alguns anos, e parecia o pior tipo de crueldade”. "Ela insistiu que ela me salvou de uma vida de dor, mas eu discordei em seguida e eu discordo agora. Eu a amava e sua incapacidade de me deixar entrar quase me destruiu. Não é que ela não estivesse atraída por mim, ou que ela não estivesse apaixonada por mim, porque ela era ao mesmo tempo. Embora eu não seja lésbica, ela sim e eu era a pessoa que ela se apaixonou. Foi realmente muito triste, ela sabia o que queria e que ela amava, mas ela simplesmente não podia ser tocada e ela se recusou a tentar. Quando ela trouxe você ao redor, eu fiquei incrivelmente invejosa porque eu pensei que ela gostava de você”. "Oh Leah", eu sussurrei, "isso é tão, malditamente, triste. É apenas mais outra coisa que Marissa se negou, por causa daquele monstro. Estou surpresa que Dillon concordou em se casar com ela, dado o fato de que você estava apaixonada por ela”. "Ele não sabia, e ele nunca saberá. Ela deu-lhe alguma história besteira sobre a necessidade normal e desde que ele não tinha nenhuma razão para não acreditar nela, ele nunca questionou isso”. "Você nunca foi atraída por outra menina depois de Marissa”? "Nem de perto. Eu a amava o suficiente para superar o fato de que ela era uma menina, mas, eu 316


estava muito atraída por homens. Pelo menos eu estava... antes da noite em que Michael fez o que fez”. Tomando-lhe a mão na minha eu dei-lhe um aperto de entendimento. "Você está indo tão bem Lee. Quando estiver pronta para algo sério, você vai encontrar o cara certo para você”. Apertando minha mão para trás, ela sorriu: "eu acredito que você sabe. Eu não perdi a esperança e você também não deveria. Se Tally é o que você quer, faça acontecer. Não há nada de errado em ter um relacionamento que não é feito para ser o grande amor de sua vida. Sabendo o que sei agora sobre a sua falta de contato físico desde Dillon, eu até argumentaria que ela poderia ser um bom passo para você”. "Obrigado Leah. Eu honestamente não sei o que eu faria sem você”.

317


Capítulo 26 Dominique Tally me chamou oito dias após o nosso jantar de encontro. Sem perder tempo, ela foi direto ao ponto. "Você já pensou sobre isso”? Eu balancei a cabeça antes de perceber que ela não podia ver-me através do telefone. "Sim, eu já pensei nisso”. "Qual é o veredicto”? Reunindo-se um pouco de coragem, eu respondi: "Eu estou dentro". Ela respirou o que soou como um suspiro de alívio. "Eu vou te dar meu endereço. Venha, eu preciso tocar em você." Engolindo, eu perguntei: "isso é uma ordem”? "Foi uma súplica. Eu não posso esperar nem mais um segundo." "Nesse caso, eu vou estar aí em uma hora”. Minhas mãos tremiam na hora que eu cheguei no apartamento dela, e eu me senti como uma virgem novamente. Eu estava entrando em um território inexplorado e assustou Cristo fora de mim. 318


A primeira batida de meus dedos contra a porta mal tinha terminado, antes que ela abrisse e puxasseme para dentro. Empurrando-me contra a porta, ela me agarrou antes de cobrir a boca com a dela. Nós nos beijamos contra a porta por uma eternidade, antes de ela pegar a minha mão e começara me puxar pelo corredor até seu quarto. De certa forma eu não podia acreditar que eu estava sendo tão fácil, mas uma grande parte de mim não via o ponto em retardar o inevitável. Houve várias paradas no caminho para o quarto, e todos envolvidos com beijos e carícias. Ela tirou minha camisa e depois a sua própria e eu respirei fundo, quando vi que ela não estava usando sutiã. Seus seios redondos cheios estavam lindos na penumbra do seu quarto, e eu queria minha língua mal nos mamilos atrevidos. Meu sexo se apertou em resposta ao pensamento, e Tally me deu um sorriso de compreensão. Puxando-me para a cama, ela me empurrou para baixo antes de rapidamente tirar os shorts e calcinha. Nua, ela era ainda mais bonita, seu pequeno triângulo de pelos pubianos acrescentando a sua mística. A visão da excitação em seus lábios era extremamente erótico causando-me a lamber os lábios com saudade. Eu fiz um som baixo de aprovação na minha garganta enquanto ela me despojou do resto da minha roupa, feliz por estar tão nua quanto ela. De 319


pé em cima de mim, ela olhou para o meu corpo em silêncio antes de olhar para mim com um sorriso. "Você é tão linda. Eu não posso esperar para aprender o seu corpo, para saborear o seu gosto na minha língua". Suas palavras me fizeram corar da cabeça aos pés. Escalada para a cama, ela estendeu o braço e passou a mão de minha clavícula até a parte inferior do meu pé antes de começar a fazer o seu caminho de volta até a parte interna da minha coxa. Eu arqueei em seu toque, mal respirando quando ela acariciou delicadamente o topo do meu monte, uma meia dúzia de vezes antes de deslizar seu dedo médio entre meus lábios de imersão e mergulhando o dedo dentro de mim. Deslizando suavemente para dentro e para fora, ela esfregava meu clitóris com o polegar ao mesmo tempo. Ouvi como eu estava molhada e eu sabia que ela fez tão bem. "Você realmente quer isso", disse ela. Eu balancei de acordo com essa frase antes de gemer quando ela deslizou outro dedo dentro de mim. Enrolando os dedos contra o meu lugar especial, trabalhou-os em conjunto com o meu clitóris quando comecei a vir a rebentar pelas costuras. "Eu quero que você venha por todos os meus dedos Nikki e, em seguida, eu quero que você me faça ir”. 320


Minhas costas arquearam enquanto seus dedos impulsionaram mais rápido, tão perto de vir que eu poderia prová-lo. "Sabe o que eu vou fazer com você esta noite”? Eu balancei a cabeça, incapaz de falar. "Eu estou indo para espalhar os lábios de sua boceta bonita e mergulhar dentro, se seu gosto for nem metade tão bom quanto o cheiro, eu vou estar no céu quando eu estiver me afogando em sua libertação”. Suas palavras me arremessando por cima da borda e eu vim com um pouco de grito de libertação. Sempre muito gentil, ela tirou os dedos e eu corei quando ela tocou meu rosto e disse: "Olhe para mim Nikki”. Abrindo meus olhos, eu a encontrei olhando para mim com um olhar de pura luxúria. Erguendo a mão aos lábios, ela inseriu os dedos que estavam dentro de mim em sua boca. Minha respiração veio em rajadas como ela lambeu e chupou cada dedo, sorrindo para mim como ela terminou. "Você não tem um gosto tão bom quanto você cheira-lhe, o gosto é melhor”. Ela montou em mim antes de descer na minha boca novamente, e nos beijamos desesperadamente com ela alinhando nossas bichanas e começou a me montar. 321


"Você nunca comeu uma garota antes, então você não tem ideia do quão bom o que estamos fazendo agora. É chamado tribbing, mas isso é apenas uma palavra chique para esfregar. Pegue a minha bunda e me abrace enquanto eu te foder". Eu fiz, ofegando e gemendo em cada delicioso esfregar de seu sexo contra o meu. Nessa posição, ambas viemos várias vezes. Estávamos ambas cobertas de uma fina camada de suor quando ela fodeu em cima de mim e fizemos fora como duas lunáticas sexuais. Eu precisava para obter o ato de saboreá-la para fora do caminho, precisava saber se eu poderia realmente ir até o fim. Usando minha perna eu empurrei contra a cama e rolei para ela acabar debaixo de mim. Rapidamente, antes que eu perdesse qualquer nervo, eu lambi meu caminho até seu corpo antes de espalhar suas pernas. Eu agora estava frente a frente com seu sexo, e eu estava morrendo de medo. Engoli os meus nervos, eu me inclinei para o meu primeiro gosto de Tally. Ela provou bem, agridoce, com um tom levemente almiscarado que era muito melhor do que eu imaginava. Preocupei-me que eu não saberia o que fazer, mas, quando chegou a hora eu só fiz o que eu gostaria que fosse feito para mim e eu ouvia os sons de sua respiração acelerada e tomou minhas sugestões do que fazer. Em nenhum momento em tudo ela estava chamando meu nome quando ela veio contra a minha língua, e continuou a fazer 322


amor com ela, com a minha língua, até que ela puxou meu cabelo e me puxou para que pudéssemos beijar de novo. Tally sabia exatamente onde tocar meu corpo para obter uma resposta, e ela era muito boa no sexo oral, embora eu tenha que admitir que estivesse longe de ser tão bom quanto foi Dillon. Nós não paramos de fazer amor até horas mais tarde, quando eu implorei para ela porque nessa altura eu estava tão cansada de vir que eu estava completamente oprimida, e começado a tremer. Ela me segurou em seus braços e me acalmou, enquanto eu continuava a sentir os tremores. Se alguém tivesse me dito que fazer amor com uma garota seria tão intenso, eu não teria acreditado neles. Agora, eu sabia melhor.

***

Depois desse dia, Tally e eu estávamos juntas tanto quanto possível. Nossa conexão sexual era sólida e fiquei emocionada ao me divertir novamente. Eu decidi jogar a precaução ao vento e saltar para algo real com ela. A verdade é que nem sempre me senti bem e eu lutava muito com isso. Quando eu digo não me refiro ao fato de que ela ser uma garota me fez sentir mal, o que eu estou me referindo é o fato

323


de que não era tão natural quanto estar com Dillon era. Eu caí no amor com ela, mas eu não estou apaixonada por ela do jeito que eu estava com Dillon. Ela sabe disso, mas ela não entende isso e mais frequentemente nos últimos tempos ela foi me empurrando para um compromisso que eu não quero. Para mim, o compromisso com o outro já está lá e ele não precisa ser nada mais do que é. Ela não está dormindo com outra pessoa e eu também não estou, então, eu não vejo o problema. O problema é que ela quer que a gente more juntas, passo esse que eu estou em nenhuma maneira pronta para, e eu muito provavelmente nunca estarei. Ela continua trazendo-o para cima e eu continuar atirando para baixo. Ela quer conhecer a minha família, mas eu disse a ela que não pode e não vai dizer-lhes sobre o nosso relacionamento, porque eles não iriam gostar. A verdadeira questão é que eu não vejo uma razão para se envolverem com ela. É uma regra de longa data e dito na minha família que nenhum de nós traríamos as pessoas “temporárias” ao redor. Ninguém jamais quebrou isso. Se eu aparecer com Tally, eles vão assumir que eu estou comprometido com ela por um longo tempo, mas eu não posso garantir que eu estou. Há também o fato de que eu não quero ter que explicar-lhes a minha relação com Tally para eles. 324


Se eu levá-la para casa, eles vão pensar que eu sou lésbica. Quando eu explicar que eu não sou, eles vão pensar que eu sou igual a nossa mãe-aberto a ter relações sexuais com qualquer um. Eu simplesmente não posso comprometer esta relação ser mais quando eu não tenho tudo para dar. Eu nunca fui menos honesta sobre isso com Tally, mas ultimamente é como se ela simplesmente não se importasse. Sua falta de compreensão e a minha incapacidade de me comprometer estão tomando um pedágio em nossa vida sexual. Ela está aborrecida comigo e eu estou chateada com ela por empurrar, então metade do tempo não temos sexo de jeito nenhum.

***

Agora lutávamos basicamente toda vez que nos víamos. Ela empurrou para um compromisso e eu fiquei firme e disse-lhe que eu não poderia fazer isso com a minha família. Eu estava usando-os como uma desculpa, mas ela não estava tendo isso. Eu a amo, eu realmente amor, mas este não é o meu amor para sempre. Eu não vou me casar com ela ou ter filhos com ela, e eu nunca fui menos do que honesta com ela sobre isso. O fato de que ela está fingindo que se eu contar a minha família tudo 325


vai cair no lugar, realmente me irrita, porque eu não tenho certeza de quanto mais honesta que eu possa estar com ela sem sair para o bem. Deus sabe que eu tentei. Cada vez que eu a deixo.. ela me chama de chorando e eu acabo me sentindo mal e volto. É uma situação sem vitória e eu não sei o que fazer. Estive estressada e ansiosa sobre o assunto por semanas, e isto está me fazendo uma puta malhumorada. Delilah e Brooke estão tanto na minha bunda sobre o que está me incomodando, mas, eu não vou dizer uma palavra. Leah é a única pessoa que sabe e sua posição é que Tally é uma estágio de cinco Clinger. Eu preciso terminar com ela e seguir em frente. "Ela é como aquela garota na Single White Female que se apaixonou por sua colega de quarto. É completamente fodido como carente ela está, onde você estiver preocupado. A menos que você queira que isso seja uma coisa para sempre, é preciso cortar o mal pela raiz". Eu não acredito que Tally fosse uma perseguidora, mas, eu tenho que admitir que ela manipula para conseguir o que quer sobre as coisas e ela é extremamente carente. A verdade é que sua carência é culpa minha, e é hora de beliscar o relacionamento pela raiz. A pedido de Tally fui ao apartamento dela hoje cedo, para conversar. Eu disse a ela que, tanto 326


quanto eu a amava, eu simplesmente não podia mais fazer isso. Expliquei-lhe que ela quer mais do que eu, e que não é justo eu ficar com ela quando eu nunca vou mudar minha mente. Eu estava uma pilha miserável quando cheguei à casa de Dante para o jantar de família, mesmo que eu tinha duas horas para me acalmar e estar apresentável. A verdade é que eu me sentia uma merda que eu signifiquei muito mais para ela do que ela fez para mim, e seus apelos sempre me fizeram sentir-me culpada porque me lembrei de como me senti quando eu implorei a Dillon e ele não me deu ouvidos. Agora eu sentia como se estivesse fazendo isso para outra pessoa, e não me sinto bem. Se eu não estivesse tão preocupado com Brooke e seu estado de espírito ultimamente, eu teria encontrado uma desculpa para perder o jantar da família. Como era Brooke, eu não podia ignorar a responsabilidade que eu sentia que eu tinha com ela. Quando as minhas fichas tinham ido para baixo, seu pai tinha estado lá para mim. Agora Brooke estava muito para baixo e eu precisava estar lá para ela, desde que ele não poderia estar. Quando todos começaram a chegar, ficou claro que a maioria de nós estávamos miseráveis. Eu estava uma pilha, Brooke parecia que não tinha dormido Deus sabe quanto tempo, Delilah era irritadiça e Spencer parecia totalmente fora dele. 327


As únicas duas pessoas na sala que não estavam totalmente fora eram Dante e Sabrina. Vendo o meu irmão no amor, e como ele é nisto, tem sido uma revelação. Ele não apenas ama Sabrina, ele a adora. Eles se tocam, beijam e sussurram um ao outro o tempo todo. Eles são tão repugnantemente felizes e apaixonados, que às vezes eu quero jogar as minhas mãos no ar e bater para fora em protesto contra o fato de que é muito caramba. Claro, eu não vou nunca fazer isso desde que a alegria que tenho sobre o meu irmão encontrar um amor e se colocando lá para a garota de seus sonhos, me faz tão feliz que eu quero fazer piruetas. Mesmo como irritadiço como eu estou testemunhando o que eu não tenho, eu sou muito feliz por meu irmão. Depois de tudo que ele sacrificou para a nossa família, ele merece. Se meu irmão idiota Damien seria o homem a boca e fazer a sua jogada em Brooke, seria ótimo. Os dois olham um para o outro como se fossem o último copo de água no deserto, mas eles não agem sobre ele. Pedindo a atenção de todos, Dante anunciou que Damien estava namorando alguém pelas as últimas semanas e estava levando-a para jantar em casa esta noite. Brooke olhou como se ela tivesse engolido veneno, quando ela se virou e saiu correndo para o quarto e meu coração se partiu por ela. Agora eu tinha que acreditar que Damien realmente não queria estar com ela, porque ele 328


nunca iria quebrar a regra e trazer alguém para jantar que não quisesse dizer algo para ele. Delilah e eu corremos até as escadas após Brooke, encontrando-a sentada contra a parede de um dos banheiros dos hóspedes. Nós duas caímos no chão ao lado dela e fizemos tudo o que podíamos para acalmá-la. Eu estava orgulhosa de sua vontade de ferro, porque ela nunca derramou uma lágrima. Em seu núcleo, Brooke era mais forte que ela soubesse. Quando entramos na cozinha de novo, eu vi Damien de pé com o braço em torno de uma garota. Um calafrio de desconforto percorreu minha espinha pouco antes de ela se virar e meu pior pesadelo se tornou realidade. Tally tinha acabado de soprar minha vida, bem na minha cara. Eu não podia acreditar que ela tinha pendurado seu caminho para casa do meu irmão. Falei sobre a minha família o tempo todo, como ela não podia saber qual casa ela iria? Era verdade que eu tinha me apresentado como Nikki quando nos conhecemos, mas alguns meses depois eu confessei que o meu nome verdadeiro era Dominique Hart. Girando o meu calcanhar eu arrastei minha bunda para cima, estourando descuidadamente através de uma porta para um dos quartos de Dante, antes de me atirar em uma cama. Quem, exatamente, teve sorte de merda como o eu? Ninguém! Eu enterrei meu rosto no cobertor enquanto eu tentava formular palavras a dizer. A menos que eu 329


abrisse sobre Dillon não havia nenhuma maneira que eu poderia dizer a minha família que eu não era gay. Não, a minha cama tinha sido feita e agora eu estava deitado na mesma. Não havia nenhuma maneira de sair desta ileso e, verdade seja dita, eu me senti mal por Tally. Minha falta de capacidade de se comprometer com ela a fez fazer algo louco e era minha responsabilidade para lidar com isso. Eu estava com medo de que meus irmãos não iam ser muito receptivos da meu 'sair do armário', mas eles estavam bem. Para minha grande vergonha eles me apoiaram tão bem como eles sempre fizeram. Damien e Spencer me disseram que tinham chegado a conhecê-la e a ouviu contar histórias sobre 'Nikki'. Ambos me garantiram que gostava dela e que me incentivou a fazer isso direito. Uma grande parte de mim foi absolutamente desgostosa com ela para me apoiar em um canto e forçando minha mão, mas a maior parte me senti como se tivesse ganhado sua manipulação por não ser o parceiro que ela merecia. Toda a minha família me incentivou a ir com ela e trabalhar com isso, e uma vez que parecia a coisa certa a fazer, eu fiz. Pisando na biblioteca de Dante, encontrei-a sentada em uma cadeira lendo um livro. Ela olhou para cima quando eu entrei pela porta e seu rosto abriu-se num sorriso enorme.

330


"Viu menina? Você é da família que não se importava com nada. Agora estamos claro para estarmos juntas. Eu cuidei de tudo." Sim, ela tinha. Eu odiava os seus métodos, mas a responsabilidade por eles estava em mim. Ainda assim, eu não tinha nenhuma intenção de deixá-la fora do gancho sem desenhar uma linha na areia. "Eu não estou feliz que você passou pelas minhas costas e encontrou uma maneira de integrar-se com os meus irmãos. Eu não estou feliz que você mentiu e manipulou seu caminho em minha casa de família. Eu vejo que você precisa mais de mim, mas também vejo que você vai pensar que este é o caminho para me tratar a partir de agora. Deixe-me ser muito claro com você sobre isso, não é. Se você fizer algo assim de novo, vou cortá-la para fora e não vou olhar para trás. Eu não vou ter um relacionamento com uma mentirosa egoísta e manipuladora. Você me entende?" "Eu só queria que você fosse livre para me amar", ela sussurrou. "Passando por minha família não me liberta, Tally. Eu vou deixar isso pra lá, porque eu realmente me importo com você e eu vejo que eu não me dedico o suficiente para você. Você está recebendo o que você queria, mas eu não vou fingir que sou surpreendida sobre o fato de que você mentiu para fazê-lo".

331


Levantando-se, ela puxou-me em seus braços e esfregou minhas costas suavemente. "Eu entendo menina, desculpe baby. Eu prometo que não vou agir como uma porca mais. Eu só te amo tanto que eu perdi minha cabeça." Abraçando-a de volta, eu assegurei a ela que eu entendi e eu prometi que eu iria tentar mais. Jurei a mim mesmo que a partir daquele momento, eu ia me dedicar a fazer Tally feliz.

*** A única pessoa que não foi favorável à minha decisão foi Leah. "Você não vê como fodido é que ela encontrou um caminho para um jantar em família, e conseguiu sair cheirando como uma rosa? Ela sabia exatamente que Damien e Spencer estavam e, em vez de evitá-los, ela usou a situação a seu favor. Agora que você fez exatamente o que ela queria que você fizesse. Quanto tempo você acha que vai ser o suficiente para ela?" Jogando minhas mãos no ar, exasperada eu bati, "Isso não é justo Leah. Eu a amo, mas eu não a amava do jeito que ela merecia. Sua aparição com Damien era um grito de atenção e eu tenho a mensagem alta e clara. Além disso, minha família acha que eu sou uma lésbica agora e desde que eu nunca vou ser capaz de tocar em outro homem, não 332


faz sentido para mim para dar a ela a relação que ela precisa. Ela não é uma pessoa má Lee. É minha culpa que ela ficou tão chateada". Dando-me um olhar de nojo ela bufou, "isso é besteira e se você estiver no frame direito da mente, você sabe disso. Ela manipulou a merda fora de você e sua família, e em vez de trazê-la para sua família, você deveria estar rompendo com sua bunda louca." "Isso é o suficiente, Lee. Você está indo a necessidade de aceitá-la, porque ela não vai a lugar nenhum. Eu não estou dizendo que você tem que amá-la, mas isso significaria muito para mim se você pudesse aprender a tolerar, pelo menos." "É absolutamente me matar, que você está fazendo de si mesma o cara mau aqui porque é muito claro que você não vê a realidade da situação. Você está dando desculpas para seu comportamento e você não deve dar, mas se você está determinado a fazer isso, então tudo bem. Quando eu tiver que vê-la, eu vou ser educada. Mas não pense por um momento que eu vou parar de assisti-la." "Está tudo bem Sherlock. Tudo o que você vai encontrar é que ela é uma garota legal que teve a infelicidade de entrar em um relacionamento com alguém que não quer se comprometer. Ela vai acalmar o caminho agora que estamos oficiais." "Hm. Sim, nós vamos ver isso." 333


Capítulo 27 Dominique Às vezes, a gente se sente como se a vida estivesse em um loop que você não pode ficar de fora. Eu estava fazendo isso de novo... fingindo que tudo estava bem, quando não estava. A situação com Tally havia assumido uma vida própria e tornou-se um trem desgovernado. Ela se mudou para o meu apartamento e minha família a aceitou de braços abertos, para minha grande consternação. Meu desejo sexual está em algum tipo de hibernação, em longo prazo, e isso é frustrante para Tally. Francamente, eu estou tão ocupada tentando fazê-la feliz que o sexo é a última coisa que eu estou pensando. Ela me chama por textos e e-mails todos os dias, achando que é completamente irresistível que me faz sentir como uma idiota. Dillon e eu mantivemos contato assim quando estávamos juntos e eu adorei, mas com Tally, é demais. Minha família acha que é adorável que ela me envia textos e chama o tempo todo, mas eu estou pronto para arrancar meu cabelo. É como se eu tivesse muitos pratos no ar, todos eles girando dessa forma vacilante que eles fazem antes de todos caírem. 334


***

Estávamos sentados no meu pequeno pátio tomando café e tentando decidir o que fazer para o dia, quando Tally deixou cair uma bomba em mim. "Eu acho que nós deveríamos ter um bebê, mais cedo ou mais tarde”. Parecia que ela tinha acabado de me dar um soco e eu vomitei meu café em choque. "Um, o quê”? "Você me ouviu boba! Eu quero que tenhamos um bebê imediatamente. Como seria bom se pudéssemos obter de Dante ou Damien a doar o esperma? Isso significa que eu poderia levar o nosso bebê e seria uma verdadeira Hart". Minha reação instintiva foi rápida e final. Não havia nenhuma maneira que eu estava deixando meus irmãos doar alguma coisa, e eu não queria fazer parte de uma gravidez. Eu queria ser uma mãe e minha experiência com o Coopers tinha plantado uma semente em minha mente sobre adoção, que só tinha crescido mais forte como o passar dos anos. "Eu não quero um bebê e eu não estou tendo meus irmãos doando esperma. Se você se sentir fortemente sobre começar uma família, podemos falar sobre a adoção." 335


Quando o lábio inferior começou a tremer e seus olhos se encheram de lágrimas, eu queria ir embora. "Mas eu não quero adotar! Seria de alguma outra pessoa o bebê, não nosso. O fato é que quando você adota você nunca saberá o que você está recebendo. Poderíamos adotar alguém feio ou estúpido e o que então? Nenhum de nós ficaria bem com uma criança pouco atraente." Se Leah ouvisse o que Tally estava dizendo, ela perderia seus mármores. O amor da minha vida e minha melhor amiga tinham sido adoptados e eu pensei que adoção fosse uma coisa linda. Eu sabia que eu nunca iria amar uma criança que não tivesse dado à luz menos do que uma criança que eu adotasse. "Jesus, como você pode dizer isso com uma cara séria? Você soa como uma cadela superficial. Se isso é o que realmente sente, não vai ter filhos em tudo, nunca. É adoção ou nada para mim." Olhando contrito ela respondeu: "Eu não quis dizer isso da maneira que ele saiu. Claro que a adoção seria bom, eu tinha só preferiria ter um filho com o nosso DNA. Por que está tão contra isso"? Isso era algo que eu nunca iria compartilhar com ela, ou qualquer outra pessoa, nunca. Felizmente, foi fácil de fornecê-la com uma razão que fez todo o sentido. 336


"Você não cresceu da maneira que eu fiz, por isso é difícil de explicar. Meus pais eram horríveis, mas meus irmãos eram heróis e eles fizeram com que Delilah e eu continuássemos vivas. Quando meu pai morreu e a tia Sandra entrou em cena, ela assumiu cinco filhos que ela nunca tinha visto. Isso é o máximo para mim, e minha vida não seria o que é hoje se não tivesse estado disposto a fazê-lo. Quero adotar para que eu possa pagar essa frente. Eu nunca iria amar qualquer uma criança adotada menos, e isso significaria algo para eu adotar alguém que seria um pouco mais velho e que precisasse de uma casa." "Oh. Bem, eu acho mais que velho seria ótimo. Sim, se é isso que você quer fazer, vamos fazer isso, então". Balançando a cabeça, eu disse: "Em poucos anos, podemos ter isso em movimento. Por enquanto, seremos só nós duas". O beicinho voltou com força total. "Mas eu quero nos fazer uma família agora. Você sabe que Dante e Sabrina vão ter um bebê tão rapidamente quanto possível e ouvi Damien dizer-lhe que, depois de Brooke aceitar sua proposta, ele está em uma missão de um homem para levá-la engravidando. Precisamos chegar a bordo antes de sua irmã e Spencer finalmente torná-lo oficial. Nós não queremos ter a criança pós-pensamento que ninguém se preocupa". 337


"Minha resposta é não. Trazer uma criança em nossas vidas deve ser autêntico, não tendo alguns doentes com a rotina Jones. Minha família vai adorar os meus filhos se eu tê-los primeiro ou por último. Em dois ou três anos, podemos iniciar o processo."

***

"Joaninha: Sabrina, Damien, Brooke e eu temos conversado e temos uma ideia que eu quero correr por você”. Sentando-me no sofá do escritório de Dante, chutei os meus pés e fiquei confortável. "Bem, agora você me tem curiosa. O que está acontecendo?" Dando-me seu melhor sorriso Papa Dante, ele respondeu: "Já que Sabrina se mudou comigo e Brooke vive com Damien, a casa Tyler fica vazia. As meninas estão muito emocionalmente ligadas com a casa e não sentem que podem viver nela. Falamos e nós pensamos que uma ótima opção seria para você e Tally se mudar para a casa. Dessa forma, as meninas mantém sua casa de família em família. O que você acha?" Minha reação não tinha nada a ver com Tally e tudo a ver com Dillon. Toda vez que eu fui para a casa do Tyler, eu passei muito tempo fora no jardim do amor. Foi um empate para Dillon e também para 338


Marissa, e eu adorei. Chegar a viver naquela casa e manter um pequeno pedaço de ambos comigo não ia ser uma dificuldade em tudo. "Eu acho que sim. Eu adoraria me mudar para a casa de Tyler!" Ele ficou muito feliz que eu fui tão receptiva à ideia, eu acho, porque ele esperava ter que trabalhar duro para me convencer. Eu praticamente pulei para casa em uma nuvem de ar. A casa da família de Sabrina e Brooke era linda por dentro e por fora, e o fato de que eu conseguiria viver na casa do jardim amor fez-me ridiculamente feliz. Minha bolha foi rapidamente estourada pela atitude azedo de Tally. "Por que iríamos querer nos mudar para casa de outra pessoa? Sua família tem mais dinheiro do que Deus, eles não podem nos dar o dinheiro para comprar um terreno onde queremos viver, para que a empresa possa nos construir uma casa de sonho?" Uma vez que fomos morar juntas eu descobri um monte de coisas sobre Tally que eu realmente não gostava. Sua necessidade de ter maior, melhor, mais, precisava ser cortado pela raiz ou eu não ia durar muito tempo em um relacionamento com ela. "Eu amo a casa de Tyler e eu estou muito feliz que eles a ofereceram para mim. É uma casa de tirar o fôlego em um belo bairro. Não é como se eles 339


estivessem a pedir-nos para viver em Compton! Não é responsabilidade da minha família para abrir seus talões de cheque para fazer você feliz e se você pensa que é, é melhor você colocar sua cabeça para fora de sua bunda. Sua reação a isso é uma enorme bandeira vermelha para mim. Você está comigo porque você me ama, ou porque você ama o quanto você acha que eu valho? Se é o dinheiro que a piada é sobre você. Meu pai deixou tudo para Dante e Damien. Delilah e eu estávamos ambas deixadas completamente fora da vontade. Você ainda se importa comigo, afinal?" Não lhe dei tempo para responder, eu bati para fora de casa e foi para uma unidade. O mais longe que eu estivesse melhor. Andei por aí há mais de duas horas, como eu pensava sobre Tally e ela completamente fora da linha de reação à generosidade de minha família. Não importa o quanto ela tentou voltar a pedalar, agora eu sabia que a vida que eu queria não era boa o suficiente para ela. Eu esperaria até depois do casamento para deixar o meu irmão saber que eu estaria atrasando mudar para a casa de Tyler. Até que eu soubesse com certeza que Tally estava comigo por razões reais, eu não estava manchando a casa e o jardim do amor com alguém que não queria estar lá. Por agora, iríamos ficar no meu apartamento. *** 340


O próximo argumento que tive com Tally era sobre a minha família. Ela era tão doce quanto possível para seus rostos, mas podia ser muito dura sobre a quantidade de tempo que eu passava com eles. Ela vinha fazendo comentários sarcásticos sobre isso, praticamente toda a vez que eu a encontrava, mas eu sempre colocava para baixo o seu ciúme que resultou no fato de que eu não daria a ela o compromisso de que ela precisava. Agora, eu tinha certeza que os comentários eram representativos de seus verdadeiros sentimentos para com minha família. Brooke e eu ficamos muito preocupadas com a minha irmã e do jeito que ela estava agindo por semanas. Finalmente algum progresso foi feito e ela decidiu ir a um médico, mas uma vez que os meus irmãos sabiam que ela não estava se sentindo bem, a merda ia bater no ventilador proverbial, como sempre fez. Minha família é toda sobre estar juntos, como uma unidade, venha o que vier, e a situação de Delilah foi um exemplo perfeito disso. Nós todos nos reunimos em sua casa no sábado à tarde e foi muito claro que ela não estava se sentindo bem. Foi decidido que nós todos dormiríamos na casa de Dante para o resto do fim de semana para manter um olho sobre ela e dar apoio moral. Tally tinha resmungado um pouco sobre passar o dia na Delilah, mas uma vez que ela se ofereceu para levar minha irmã para o doutor eu supus que ela estava em um estado de espírito mais 341


compreensivo. Na viagem de volta para o meu apartamento para embalar algumas roupas, para a estadia de duas noites em Dante, Tally me desiludindo dessa noção, tornando-se bastante claro que ela estava além de irritado. "Eu gosto de sua família bem o suficiente, e normalmente eu acho que sua irmã está bem, às vezes, mas isso é ridiculamente passar dos limites! Ter uma família inteira de pessoas sentadas em torno para observá-la durante dias a fio? É loucura absoluta. Isso faz com que seu olhar como um hipocondríaco. Sua família é um pouco perto demais, às vezes. Você vai ter que cortar o mal pela raiz, porque eu posso dizer a você agora, eu só estou tolerando este absurdo excessivamente dramático por tanto tempo." Eu nem sabia o que dizer. Casamento de Dante estava quase em cima de nós, e Sabrina tinha insistido de Tally estar no casamento desde que ela era parte da família agora. Toda a minha família se trancou em Tally e tinha a puxado para dentro do círculo interior, porque eles me amavam e queriam que eu fosse feliz... mas o tempo todo ela estava a julgá-los e encontrá-los em falta. Ela era a felicidade e luz para os seus rostos, mas por trás de suas costas, ela era uma pessoa totalmente diferente. Eu me sentia presa, como se eu não tivesse escolha a não ser fingir que eu era delirantemente feliz até depois do casamento e estava acabado. Eu acho que se Delilah não 342


estivesse se sentindo tão mal, ela teria zerado com o fato de que eu estou agindo muito mais feliz do que eu realmente estou. Espero que eu possa mantê-la no escuro sobre o meu estado de espírito real até depois do casamento. Cada vez mais eu estava começando a acreditar que a avaliação de Leah sobre o caráter de Tally foi impecável. Algo estava muito errado com ela e isso estava me deixando infeliz. Onde diabos eu tinha me metido?

343


Capítulo 28 Dominique O casamento de Dante e Sabrina foi simplesmente perfeito e eu não poderia ter sido mais feliz com a maneira como ele tinha terminado. Meu irmão tinha ganhado a sua felicidade e fiquei aliviada ao vê-lo amando. Ainda assim, eventos familiares, festas e ocasiões especiais foram sempre emocionante para mim, porque eu desejava marcar cada etapa com Dillon. Minha formatura da faculdade tinha sido agridoce e tinha realmente sido agravada pelo fato de que Tally estava lá. Ela nunca falou de sua família e eles não tinham aparecido nunca, então ela tinha sido incluída na minha festa de família. Doía vê-la sentada no lugar ao meu lado onde Dillon deveria ter estado. Minha vida é cheia de momentos SE, somente. Se eu não tivesse ficado doente no dia que meu pai pôs as mãos em mim. Se eu tivesse sido honesto com Dillon desde o início. Se eu não tivesse atravessado a rua no exato momento em que alguém ia fazer uma marcha ilegal. Se eu não tivesse ido a um bar gay. Se eu não estivesse presa em um relacionamento que eu não queria. Se eu pudesse levá-lo de volta. 344


Eu era infeliz e as rachaduras estavam indo para começar a mostrar. O comportamento de Tally no casamento foi perfeito, no entanto, e foi um peso enorme tirado dos meus ombros. Mas, então, lá estava a minha irmã. Minha linda, perfeita e angelical gêmea estava completamente fora de si, mais do que eu já a tinha visto. Ao longo das últimas semanas, eu me encontrei olhando para ela como um falcão, tentando descobrir o que estava perturbando-a. Eu não sou idiota, ele tem que estar relacionado a Spencer. Eu nunca a tinha visto propositadamente evitá-lo antes, mas ela fazia isso agora. Eu não sinto nada fisicamente errado com ela, mas mentalmente alguma coisa está acontecendo. Afora o fato de que eu saberia se estivesse ferida ou em perigo, o maior indício de que algo está errado com ela é que ela não tinha notado que há algo de errado comigo. Se Delilah estava correndo em velocidade normal, ela teria direitos afinados com o fato de que eu estou miserável com Tally. Fiquei surpresa de meu devaneio quando Damien perguntou: "Ei joaninha, que tal você me dar essa dança”? "Seria uma honra para dançar com o meu irmão recém-contratado", eu respondi. Nós fizemos o nosso caminho para a pista de dança rindo. Eu senti tanta alegria para Damien e Brooke, agora que eles tinham trabalhado tudo para fora e 345


estavam oficialmente juntos. Em algum lugar, eu sabia que o Dr. Tyler estava assistindo, e ficou satisfeito de que suas meninas estavam com os homens que estavam indo amar e valorizá-las da mesma forma que havia feito com sua mãe. Um dos mais emocionalmente comoventes momentos do dia havia ocorrido no quintal da casa, quando Tyler tinha saído para fotos no jardim do amor. Senti sua presença tão forte, e Sabrina e Brooke tinha comentado sobre a forte ligação que sentiram com seus pais quando elas estavam no jardim. Havia tanta beleza naquele jardim, tanto esteticamente e emocionalmente. Girando-me ao redor da pista de dança, Damien sorriu para mim quando eu comentei que ele seria a próxima pessoa a casar. "Eu já disse a minha linda noiva para ter direito sobre planejamento. Eu tentei por um compromisso de duas semanas, mas ela me deu um tiro para baixo. Ela diz que precisa de pelo menos um mês. Por ela, eu vou tentar ser paciente, mas você sabe de mim, vai ser uma luta". Olhando por cima do meu ombro, sorriu e piscou para Brooke antes de voltar sua atenção para mim. "Algum dia você vai fazer uma bela noiva. Há estados onde você e Tally poderiam se casar agora, se você não quiser esperar para a Califórnia para chegar na bola."

346


Eu não esperava o escudo não foi para saíam de sua boca, tenso por toda parte, por um instante.

comentário assim que meu cima. Enquanto as palavras eu involuntariamente fiquei tanto que eu parei de dançar

Ele sentiu e viu minha reação, e eu podia praticamente ver as engrenagens começarem a girar em seu cérebro. "Joaninha”? Merda, merda, merda, merda, merda! Eu tinha descoberto que eu tinha pelo menos algumas semanas antes que eu iria cair no 'eu vou terminar com Tally' bomba. Dei-lhe a minha cara de poker mais inocente quando eu respondi simplesmente, "Damien”? Sua carranca foi imediata porque ele estava irritado. "Não faça essa cara pra mim Dominique Hart, eu sei o que eu vi e você está escondendo alguma coisa de mim. O que está acontecendo"? O gabarito foi para cima. Ele não ia deixar isso pra lá, e eu não poderia começar em torno dele. Acenando a cabeça para ele, eu respondi, "Você está certo, alguma coisa está acontecendo. Eu vou falar com você sobre isso, eu prometo, mas não aqui. Vamos almoçar juntos esta semana. Agora você precisa ir dançar com sua noiva." Eu vi sua luta interna que jogou fora em seu rosto. Ele queria ficar com Brooke, mas ele não podia 347


deixar ir sua preocupação sobre mim. Passando os braços ao redor de seus ombros eu dei-lhe um grande abraço e um beijo na bochecha. "Eu estou bem Dame, eu prometo. Você não precisa se preocupar com isso. Não é nada assim." Ele me abraçou de volta antes de me beijar na bochecha. "Eu sempre vou me preocupar com você e Delilah. Nada e ninguém pode mudar isso. Sem vocês, meninas, eu não teria sequer um coração para dar a Brooke. Delilah sempre se virou para Spencer e você sempre veio até mim. É você que me salvou joaninha. Eu não teria essa vida, não estaria envolvido com a garota dos meus sonhos, se eu não tivesse você. Quando você precisar de alguma coisa, eu sempre vou vir correndo. Você nunca se esqueça disso." Eu não tinha a vida com Dillon que eu desejava, mas que está sendo realizada de forma segura nos braços do meu irmão, eu sabia que eu era abençoada em tantas outras maneiras. "Eu não vou esquecer nunca", eu prometi. "Eu te amo, Dame”. Dando-me mais um grande aperto, ele disse, "Eu te amo mais joaninha, sempre”. Depois de deixar a pista de dança, eu fiz meu caminho até a Mama San, tomando assento na cadeira vazia ao lado dela e descansando minha cabeça em seu ombro. Ela estava assistindo 348


a Delilah como um falcão e eu sabia que ela não era feliz em tudo com o que ela estava vendo. "Ela ainda não parece certa para mim", disse ela. Eu não fingi não saber exatamente o que ela queria dizer. "Eu sei mamãe e eu estou preocupada também. Ela está bem fisicamente, eu prometo. Emocionalmente, eu não tenho tanta certeza." Atingindo mais ela pegou a minha mão na dela. "Estou preocupado com você também sabe. Não pense que eu não tenha notado que você está escondendo alguma coisa." "Estou bem, mamãe. Você não precisa se preocupar comigo". "Isso de qualquer uma de vocês meninas pensarem que podem me enganar, é frustrante. Você está em melhor forma do que a sua irmã, mas você certamente não estão bem. As coisas não estão indo bem com Tally. Ela pode enganar o resto da família, mas ela não está me enganando. Você precisa ficar longe dela." Meu queixo caiu em choque quando eu levantei minha cabeça para olhar para ela antes de sussurrar: "Como você pode dizer”? Apertando minha mão com força na dela, ela me olhou nos olhos e respondeu: "Porque ela me lembra da minha irmã. Esse mesmo tipo de manteiga derretida, na boca, na cara, mas se você tomar o tempo para olhar para os olhos está tudo 349


lá. Seus irmãos pensam que eu estou exagerando, mas eu sei que eu não estou. Eu não confio na menina, tanto quanto eu posso julgá-la. Eu não sei por que você está ficando com alguém que você não está amando, mas não é preciso ser um gênio para descobrir que você deu o seu coração há muito tempo e você nunca conseguiu pegar de volta. Só porque você não está com a pessoa que tem o seu coração não significa que você deve aceitar menos. Não se acomode baby". Às vezes, como agora, estranhamente observadora.

Mama

San

ficava

Deitando minha cabeça de volta para baixo em seu ombro, eu disse: "Estou começando a entender isso agora”. Nós não dissemos mais por alguns minutos, enquanto observávamos a nossa família na pista de dança. Tally estava dançando com Damien, e eu estava feliz, porque isso significava que ela não estava colada ao meu lado. O silêncio se estendeu confortavelmente enquanto ponderava as palavras de Mama San. Ela tinha razão, eu estava caindo. Dando minha mão outro aperto, Mama San quebrou o silêncio. "Você nunca me dirá sobre ele”? Eu bati minha cabeça para cima e para encará-la em estado de choque absoluto. "Sobre quem”? 350


"Aquele que tem o seu coração”. Ela sabia que eu não era lésbica e claramente soube o todo o tempo. "Como você sabe tudo isso”? Erguendo a mão livre para esfregar na minha bochecha, ela respondeu: "uma mãe sempre sabe, querida. Eu tentei falar com você sobre isso antes, mas você sempre desligá-lo. Esta é a primeira vez em mais de quatro anos que eu sabia que você não iria embora. Acho que isso significa que temos algo a agradecer por Tally. Antes disso, eu não acho que você realmente entendeu o que você não queria... mas eu me preocupo com o preço que você vai pagar por se envolver com ela. Vá com cuidado ficando fora de sua teia." Eu balancei a cabeça em reconhecimento, porque eu estava em total concordância com ela. Tally não ia me deixar ir facilmente. Eu deveria ter corrido gritando para as colinas quando eu percebi que ela tinha encontrado uma maneira de chegar perto de meus irmãos, a fim de contar para a minha família. Era tempo passado para eu me recompor. Eu não sabia como eu ia fazer isso, mas eu precisava começar a formular um plano. Sentei-me com Mama por mais alguns minutos, antes de notar que Delilah foi correndo para o banheiro. Virando-me para Mama eu dei-lhe um 351


beijo e um abraço antes de me colocar de pé. "Eu estou indo para ir ao banheiro. Vejo você em poucos minutos." Eu estava em um choque quando cheguei banheiro e encontrei a minha irmã estava tendo tempo muito difícil. Brooke tinha entrado banheiro antes de mim, e ela estava preocupado com a Delilah como eu estava.

ao um no tão

Foi um alívio quando Delilah finalmente revelou que ela estava grávida de Spencer, embora eu estivesse muito preocupada com o que iria acontecer, uma vez que ele soubesse sobre a gravidez. Eu tinha recentemente tido uma conversa com ele, durante o qual ele me disse que, em termos inequívocos que não queria ter filhos. Embora eu sabia que Spencer seria um pai incrível, nada disso teria importância se ele realmente não quisesse ter filhos. A situação toda me deixou com medo, por minha irmã, de seu bem-estar emocional. Eu sabia qual era a sensação de amar alguém do jeito que ela amava Spencer, e lembrei-me muito bem o que ele tinha feito para mim, quando perdi essa pessoa. Eu sabia que não importa o que, Spencer nunca odiaria Delilah, mas se ele era o que teima em correr, ela partiria. Eu não seria capaz de ficar assistindo a minha irmã ser dividida da maneira que eu era. Rezei para que não fosse acontecer com ela.

352


Fui para a cama naquela noite me preocupando com Delilah e acordei algumas horas mais tarde, com a certeza de que algo estava errado e que ela estava machucada. Eu estava fora de mim com ansiedade na unidade para seu apartamento, onde eu encontrei-a de ser colocado em uma ambulância. Spencer estava lá e ele estava absolutamente descolado. O tempo todo que estávamos na sala de espera eu estava fazendo acrobacias mentais para evitar pensar sobre a perda do meu próprio filho. Eu tinha perdido muito mais do que apenas uma gravidez, quando isso aconteceu e eu rezava para que a minha irmã não tivesse que passar por essa mesma experiência. Eu precisava do meu sobrinho ou sobrinha para sobreviver, já ansiava por segurar seu bebê nos braços. Quando o médico veio para nos dizer que Delilah estava bem e Spencer imediatamente perguntou sobre o seu bebê, meu coração se encheu de alívio. Apesar de sua crença de que ele não queria ter filhos, Spencer adorava minha irmã, e qualquer coisa que ela tivesse parte na criação ele adoraria. Que tola eu fui por não ter percebido a partir do momento Delilah tinha anunciado que ela estava grávida. Tally era uma rocha durante o caos, e isso fez me lembrar das coisas sobre ela que eu gostava. Observando a forma como ela assumiu o comando e me apoiando me fez repensar minha estratégia. 353


Talvez a pessoa que eu pensei que conhecesse que estava realmente lá, afinal das contas. *** Nós não chegamos em casa até quase quatro da manhã. Depois de acordar no meio da noite com a certeza de que algo estava errado com Delilah, meu corpo tinha estado em pura adrenalina até o momento que eu sabia que ela ia ficar bem. Uma vez eu cheguei em casa ela tinha levado horas para me acalmar o suficiente para ir dormir. No momento em que eu acordei, comi uma banana, tomei um banho e fiquei pronta, estava na hora de voltar para o hospital. Tally estava de bom humor e eu senti uma centelha de esperança de que ela realmente estivesse ajustando sua atitude. Talvez quando as fichas foram para baixo ela tinha chegado a seus sentidos. Só poderia esperar. Eu estava infeliz quando senti sua atitude começando a tomar um rumo para o pior, uma vez que foi decidido que toda a família iria passar o resto do fim de semana em Spencer. Eu precisava estar com a minha irmã, precisava saber que ela e minha sobrinha ou sobrinho estava bem e eu me ressentia com Tally revirando os olhos para mim. Ofereci-lhe o fora, disse-lhe que ela não tem que vir, mas ela insistiu que aonde eu fosse ela iria também. 354


Uma vez que toda a família estava reunida em torno da mesa para comer a comida mexicana de Spencer, eu comecei a pescar um clima muito estranho de Damien e Mama San. Cada um deles parecia tenso para mim, e não por causa de Delilah. Tentei dizer a mim mesmo que tinha que ser relacionado a um negócio, mas o fato de que ambos estavam ansiosos enviando olhares para o caminho de Dante tinha-me em alerta. Depois do jantar, a família se reuniu no convés para relaxar um pouco. Assim que todos estávamos sentados, Mama San adiantou-se e começou a falar. "Nós precisamos ter uma discussão familiar. Algumas coisas aconteceram nas últimas vinte e quatro horas em que todo mundo precisa saber”. Voltando-se para Damien e Spencer, ela disse, "Eu sei que vocês dois estão se perguntando por que eu não estou puxando Dante de lado, e a resposta é simples: eu o conheço e sei que se fizermos isso, ele vai tentar arcar com o ônus e sem compartilhálo, e isso é algo que todo mundo precisa saber. Spencer, eu preciso de você para dizer a todos o que você disse a Damien, Brooke e eu ontem à noite". Nada, absolutamente nada poderia ter me preparado para o que veio em seguida. Primeiro, Spencer, disse a todos que Delilah e eu não éramos realmente filhas de Mike Hart. Levou tudo que eu tinha para não me levantar e aplaudir. Durante anos 355


o conhecimento de que meu pai tinha me tocado, e tinha planejado me estuprar tinha me torturado. Senti-me como se um peso tivesse sido tirado do meu peito quando eu percebi que eu não tinha nenhuma relação real com aquele monstro. Ele não fez o que tinha feito qualquer menos prejudicial, mas foi uma vitória para mim a nível pessoal para saber que eu não tinha nenhum de seu DNA. Enquanto Spencer estava dizendo a família sobre isso, Delilah e eu agregadas como duas metades de um todo sem ter que dizer uma palavra. Foi instintivo, algo que nós duas precisávamos. Então Spencer lançou uma bomba maior, o nosso pai real era também o pai de uma das maiores estrelas do rock do mundo. Gostaria de saber se o nosso irmão tinha crescido como nós, sozinho e sem ninguém para cuidar dele. Flynn Rand foi uma das pessoas mais famosas do mundo, mas não era como se eu tivesse estudado ele, então eu não sabia que tipo de família que ele veio. Eu tinha pensado que os choques foram mais para a noite, mas a próxima revelação me abalou ao meu núcleo absoluto. Se não fosse pelo fato de que eu passei uma boa parte da minha vida usando uma máscara e segurando em meus sentimentos, todo mundo não teria sabido que eu estava em choque. Spencer estava dizendo a todos que haviam mais dois filhos Hart, que eram um produto das relações entre sua mãe e o pai de Damien e Dante. No início, a principal preocupação que sentia por essa 356


revelação era puramente o olhar de desespero no rosto de Dante. Quando Spencer revelou os nomes dos dois filhos Hart falta, eu juro que o mundo parou de girar para mim. "Seus nomes são Dillon e Leah", disse ele, "e eles foram colocados para adoção quando Dillon tinha treze meses de idade e Leah tinha acabado de nascer”. Foi, mãos para baixo, a coisa mais chocante que eu já tinha ouvido na minha vida. Minha mente correu em grande velocidade, enquanto eu tentava processar o que diabos estava acontecendo. Eu sabia que Dante, em particular, não descansaria até que ele os encontrasse, e isso significaria que eu ia ter que ver Dillon novamente. Fiquei surpreso que Delilah não estava em cima de mim tentando descobrir o que estava errado, mas então eu percebi que ela deve ter pensado que eu estava tenso sobre a revelação de que tínhamos um irmão que podia precisar de nós. Cinco minutos atrás, poderia ter sido o que me tinha na borda, mas a notícia não foi nada em comparação com o fato de que Dillon estava prestes a explodir de volta para o meu mundo. Meu coração pulou dezenas de batidas enquanto eu tentava ter tudo dentro. Foi uma luta para pagar a atenção quando Mama San começou a falar, mas eu me forcei a me acalmar e levá-la dentro.

357


"Usando a informação que Spencer me deu, eu já coloquei para fora antenas para entrar em contato com Flynn. Como se vê, construímos a casa de seu empresário, e estou em reunião amanhã para falar com ele e tentar obter tanto informações de contato de Flynn ou um acordo a partir do gestor, de que ele vai passar pessoalmente a informação para Flynn. Eu também conversei com Mike da segurança, e ele entrou em contato com um amigo dele que é um investigador particular. Passamos junto detalhes de Dillon e de Leah, e até o final da semana devemos saber tudo que há para saber sobre eles. Escusado será dizer que não estamos dando a Hank e Marceline tudo o que eles pediram, mas as outras partes envolvidas merecem saber o que está vindo em sua direção". De pé, ela caminhou para onde Dante estava sentado. Ele parecia terrível e seu controle sobre a mão de Sabrina parecia ser a única coisa que o mantinha no lugar. Inclinando-se, Sandra colocou a mão em seu braço. "Querido, eu sei que esta é uma responsabilidade muito grande, mas eu prometo, nós vamos passar por isso como nós fazemos todo o resto. Nossa prioridade deve ser encontrar Dillon e Leah e fazer isso direito”. Acenando para ela, ele olhou para Damien e, em seguida, Spencer, antes de falar. "Eu estou furioso, e eu amaria vencer o sebo Marceline. Eu me lembro de Dillon. Muito, muito vagamente, mas eu lembro. Antes de Damien nascer, eu costumava ter sonhos 358


sobre meu irmão que sumiu. Eu era jovem demais para entender o que isso queria dizer, mas eu me lembro de gritar chorando e implorando para ele vir de volta, por anos. Quando nasceu o Damien, Connie me disse que eu tinha um irmão agora e que eu deveria... calar a boca. Isso sempre existiu, mesmo à beira da minha mente, mas eu pensei que eu tinha sonhado ou composto porque viver com eles foi tão estressante. Depois de um tempo esqueci basicamente sobre isso, mas de vez em tempo eu sonhava em ver um menino de cabelos loiros, sentado ao meu lado no nosso gramado. Pergunto-me se era Dillon." Meu coração se partiu pela metade para o irmão que eu devia a minha vida e a outra metade para o homem que eu amava que tinham sido separadas uma da outra, e era uma crueldade que não deveria ter sido sujeitado. A voz de Spencer quebrou o silêncio quando ele caiu mais uma bomba. "Há fotos na pasta que Marceline e Hank me deram. Ele tinha o cabelo loiro”. Ofegante, Dante perguntou: "Onde estão eles”? Oh Deus... havia fotos de Dillon como um bebê. Isso iria tornar a coisa real. Depois de Dante olhar para as fotos, elas foram passadas ao redor do pátio. Eu era a última pessoa para obtê-los, e eu lutava com o que via. Duas crianças horrivelmente maltratadas em um 359


ambiente que nunca deveriam ter sido expostas, com apenas um ao outro para contar. Em cada foto que eles estavam tocando um ao outro, parecia que minha alma estava sendo arrancado do meu corpo. Esses meninos lindos, um escuro e um claro, mas os seus olhos eram quase idênticos. Eles haviam estado em uma situação tão terrível, e só por sorte nenhum deles sobreviveu. Vendo Dillon como um bebê fez meu coração doer, porque combinava com o que eu sonhei nosso bebê teria parecido. Eu tinha calmamente começado a chorar e só percebi isso quando Mama San entrou na casa e voltou com lenços para mim. Gesticulando com as fotos que eu balancei a cabeça, triste, e ela balançou a cabeça em compreensão. Foi tão horrível que seria difícil não chorar, mesmo que eu não conhecesse Dillon e Leah pessoalmente. Eu lutei tanto com a minha consciência, sobre o fato de que eu sabia exatamente onde encontrá-los. Minhas escolhas foram para dizer a todos, para dizer Mama e Delilah, ou para não contar a ninguém em tudo. Decidir que eu precisava de tempo para pensar em tudo, eu permaneci em silêncio. Olhar sobre a Delilah e eu Mama San perguntou se tínhamos qualquer interesse em conhecer nosso novo irmão, Flynn. Em perfeita harmonia, ambas respondemos: "Sim". Doeu ver como isso afetou Dante e Damien, e eu tentei definir suas mentes à vontade. "Nós queremos conhecê-lo pelo mesmo motivo que você 360


quer ver Dillon e Leah. E se sua vida era tão difícil como a nossa era antes de tia Sandra ter o controle, e ele precisa de uma família? Eu o tive e que nos fez normal, mas o que se Flynn não? Devemos isso a ele, pelo menos, encontrar muito para fora." Dando uma tosse, tia Sandra tem a nossa atenção. "Há algo que eu estava esperando para dizer até que as meninas manifestassem interesse de uma forma ou de outra”. Virando-se para falar com Delilah e me diretamente, ela disse: "Eu fiz uma pesquisa na internet sobre Flynn antes. Seu pai ainda está vivo, e por todas as formas eles se dão bem e estão pertos. Todd Rand é uma voz bem conhecida ao longo do meio artístico. Tudo que eu li indica que ele é totalmente normal e muito bem respeitado. A única coisa que eu poderia achar que poderia explicar como ele acabou perto da minha irmã é que sua esposa morreu 11 meses antes das meninas nascerem". O pátio inteiro desapareceu para mim naquele momento que meu mundo encolheu para apenas Delilah. Olhamos uma para o outra e nós tivemos uma conversa sem palavras, ambas concordando que queríamos conhecer nosso pai. Precisávamos descobrir se ele era um bom homem, precisava saber se ele se importaria que ele tinha duas filhas. Nós concordamos, sem palavras que tivemos de descobrir, e Delilah acenou para mim antes de colocar isso em movimento.

361


Virando-se para Spencer, Delilah disse: "Nós temos que saber. Nós queremos conhecê-lo, também”. Vendo os olhares nos rostos de Dante e Damien fezme sentir incrivelmente culpada, e eu sabia que eu precisava ter o tempo para conversar com cada um em particular para assegurar-lhes, Dante, em particular, que os seus lugares na minha vida fosse um absoluto que nunca poderia alterar. Desde o dia em que Delilah e eu tínhamos vindo para casa do hospital, Dante havia suportado o peso da responsabilidade para nos criar. É uma prova triste de que monstros absolutos, como nossos pais tinham sido, o único pai que Delilah e eu já tivemos foi um irmão que tinha apenas sete anos quando nascemos. Não importa o que aconteceu com nosso pai biológico, eu não poderia ter qualquer um dos meus irmãos machucados por causa disso.

***

Tally ficou em segundo plano, onde ela pertencia pela o restante da noite. De manhã ela parecia estar de bom humor, o que tornou mais fácil para eu fingir que nada estava fora do comum, enquanto nós saímos para a praia em frente da casa de Spencer.

362


Tudo isso chegou ao fim depois de Dante falou comigo na frente de Tally sobre como ele estava preocupado sobre a gravidez de Delilah, e como o estresse do que estava acontecendo poderia afetála. Passei alguns minutos, assegurando-lhe que tanto Delilah e o bebê estavam bem, e que era isso. Pelo menos, é o que eu pensava. Quando Tally e eu fomos para dentro para mudar de nossas roupas de banho, ela não perdeu tempo em soprando a coisa toda fora de proporção. "O que aconteceu lá fora, na praia, com Dante é apenas mais um exemplo de como fodida sua família é! Você deixá-los derramar toda a sua atenção em sua irmã e você não precisa nem tenta obtê-lo de volta! Deus me livre, quando a princesa está doente, se todos não largarem tudo. Você acha que sua família se incomodou em pensar em você, ou estão muito ocupados com Delilah? Você precisa parar de beijar os seus jumentos. Talvez então eles iriam perceber em você o suficiente para lhe dar um pouco de atenção, em vez de tratá-la como um adendo. Aposto que a princesa não seria forçada a viver em uma casa da herança de outra pessoa! Ah não, não ela. Ela recebe uma casa em Malibu e uma casa no Vale. Se ela estala os dedos Spencer, provavelmente vai comprar-lhe mais quatro. Ela tosse e Dante e sua esposa vêm correndo para casa da sua maldita lua de mel. No topo de tudo vocês duas não são mesmo reais porra Harts! Eles não têm que lhes dar nada nunca mais e eles 363


provavelmente não darão, porque eu não acho que mesmo um deles dá a mínima para você. Isto é tudo culpa de Delilah sabe. A vadia está malditamente grávida e você pensaria que ela estava carregando o menino Jesus! O que foi que eu disse! Agora ninguém vai se importar com o garoto aleatório que acabarmos adotando. Estou farta da pirralha recebendo toda a atenção!” Eu estava tão grato a ela por seu comportamento quando Delilah ficou doente que eu senti que tinha que tentar resolver isso com ela. Mesmo sabendo que Dillon estava prestes a explodir na minha vida, eu tinha lutado com a forma como eu poderia começar a eliminar Tally da minha vida e eu sentia culpa... mas tudo isso foi lavado com as suas palavras. Eu sabia, com absoluta certeza, que eu não a amava. Ela tinha uma crueldade dentro dela que eu não podia e não iria viver. "É isso que você pensa porra louca?” eu assobiei. "Com quem você acha que está falando sobre a minha família dessa forma? Ela é a minha irmã! Eu acho que é melhor você arrumar suas coisas e sair. Estou bem passada por fazer-me ouvir você executar sua boca maldita. Eu nunca conheci alguém tão negativo na minha vida. Eu estou feito com você. SAIA." "Sério? Você vai fazer isso por minha culpa? Sua família é abusiva, mas sou eu que você quer que vá? Eu ia pensar bem, se eu fosse você. Depois que eu me for, eu nunca vou voltar". 364


Olhando para ela eu sem rodeios respondeu: "Isso é o que eu estou esperando”. Surpreendentemente, ela embalou suas coisas sem qualquer alarde, ficou calma até o momento em que eu a acompanhei ao carro dela. Jogando a bolsa no porta-malas, ela se virou e olhou para mim. "Algum dia", ela retrucou: "você vai se arrepender desta decisão mais do que você pode imaginar. Lembre-se que no dia em que eu tentei ajudá-la, e você jogou de volta na minha cara. Sua família é nada mais que um bando de idiotas mimados, podres rasas com colheres de prata pendurados em suas bocas. Nenhum de vocês já teve que trabalhar para merda e mostra em sua falta de caráter. Todos e cada um deles claramente não suporta você, mas você volta em seus saltos para a atenção como um cão do caralho. Você não passa de uma maldita segundo plano para a sua família, e eu só estava tentando ajudá-la, mostrando-lhe isso". Antes que eu pudesse dizer a ela para sair, Damien veio do lado da casa e caminhou até Tally. "Minha irmã não é uma reflexão tardia, mas você está prestes a ser. Você não é mais bemvinda aqui ou em qualquer lugar que qualquer um de nós esteja. Não ameace ou fale com a minha irmã de novo. Caia fora daqui". Eu esperava que ela ligasse seu charme, mas em vez disso ela riu na cara dele. Vendo o olhar de 365


raiva pura que ultrapassou seu rosto, eu estendi a mão e pegou a mão dele para mantê-lo no lugar ao meu lado. "Confie em mim, não é nenhuma dificuldade para me retirar desta família disfuncional. Vocês todos precisam de ajuda." Com isso, ela entrou no carro dela e bateu a porta antes do mecanismo de projeção e descascar para fora. Nós dois ali, por pelo menos um minuto, em choque absoluto enquanto nós olhávamos para o carro dela descascando para fora, no tráfego em PCH. Colocando o braço em volta dos meus ombros, Damien me chamou para o seu lado quando ele começou a levar-nos em direção à praia. "Tia Sandra teve seu atrelado o tempo todo e eu deveria ter escutado ela. Eu espero que você não tome qualquer coisa que ela disse a sério. Você nunca será uma reflexão tardia para qualquer um de nós. Além de ser um idiota, ele é uma puta mentirosa. Eu espero que você saiba disso." Eu não pude deixar de rir. "Dame, não há jamais nenhuma maneira que ela poderia ter me levado a acreditar nisso. Eu sei muito bem que eu não sou um adendo para nenhum de vocês. Se qualquer coisa, você pensa de mim muito. Eu te amo e nada que Tally poderia dizer iria mudar isso."

366


Balançando a cabeça, ele disse: "Se eu não tivesse ouvido a merda que ela estava vomitando com meus próprios ouvidos, eu nunca teria acreditado que ela tinha isso dentro dela. Como ela era isso o tempo todo"? "Uma vez que ela conseguiu seu caminho e mudou comigo, ficou muito pior. Eu sabia que não podia ficar com ela, mas eu decidi esperar até depois do casamento para fazer qualquer coisa sobre isso. Eu não queria qualquer drama para perturbar Dante ou Sabrina." Nós paramos de andar quando Damien fez um gesto para um lugar na areia e nós dois nos sentamos. "Joaninha, Dante preferiria o drama do que tê-la que ficar um minuto extra com alguém tão vil. Ninguém pode falar com você assim. Demorou muito, eu não sabia o que eu tinha para não esbofeteá-la." Suspirando, eu balancei a cabeça. "Dante mereceu o seu dia do casamento para ser cem por cento livre de drama e preocupações. Agora, com essas novas revelações sobre novos irmãos e pais diferentes, ele tem o suficiente em seu prato. Seu rosto na noite passada, quando viu as fotos... Eu não posso acrescentar mais nada. Se ele acha que eu estou chateada ou triste, ele vai perdê-lo. Para todo efeito, eu não estou dizendo imediatamente qualquer um que Tally e eu terminamos. Se alguém

367


perguntar eu só vou dizer que ela está ocupada. Você pode apenas jogar junto com isso?" "Claro que posso mel, se for isso o que você quer. Ele vai ser menor do que emocionado quando ele descobrir que você esperou para dizer-lhe, porém, tenha isso em mente". Eu balancei a cabeça em concordância e nós dois ficamos em silêncio por alguns minutos olhando para o oceano. Eu precisava dizer a pelo menos uma pessoa na minha família que eu sabia sobre Dillon e Leah, e desde que Damien estava disposto a manter segredos, ele era o único que estava indo para obtê-lo. Respirando fundo eu soltei: “Dillon e Leah o sobrenome Cooper e ambos vivem em Oaks. Dillon é um arquiteto paisagista fisioterapeuta infantil. Eles são maravilhosas".

possuem Sherman e Leah é pessoas

Seu queixo caiu até agora que eu tenho certeza que ele havia pousado em algum lugar nas proximidades da China. "Espere. O quê?! Como você sabe tudo isso?" "Lembre-se escola”?

da

livraria

que

eu

trabalhava

na

Depois que ele concordou com a cabeça, continuei: "a menina que eu me tornei tão boa amiga, Marissa, era a esposa de Dillon. Eu tenho estado muito

368


próximo com eles e até hoje Leah é a minha melhor amiga". Eu vi o momento em que ele clicou em sua cabeça e ele amarrou a memória do nome de Leah para meu colapso histérico todos aqueles anos atrás. "Eu me lembro de uma Leah que você quebrou em pedaços minúsculos. Ela não parece muito de um amigo para mim. Ela foi você... foi sua primeira namorada?" Oh, que teia que tecemos quando no princípio tentamos enganar. "Não, minha primeira e última namorada foi Tally. Eu menti para você naquela noite, e Leah não é a razão pelo que eu estava chateada. Ela é uma das minhas pessoas favoritas no mundo inteiro e você vai amá-la. Ela teve uma vida difícil, mas ela tem o coração de um leão e é uma das pessoas mais amáveis e mais doces que eu já conheci." Olhando para mim em estado de choque, ele respondeu: "Eu não sei que perguntas fazer o primeiro. O fato de que você mentiu sobre quem perturbou você, ou o fato de que você me disse que você não terá qualquer namorada depois Tally. O que diabos está acontecendo Joaninha?" Foi passado da hora para eu ser honesta e assumir alguma responsabilidade. Depois de tomar uma respiração profunda e me dizendo para ser corajosa, eu disse: "Eu não sou gay, Dame. Meu 369


coração foi dado a um homem há muito tempo e eu nunca vou recuperá-lo. Eu não podia suportar ser tocado por qualquer homem que não fosse ele, mas com Tally não era um problema. Um monte de seu comportamento está sobre mim, porque eu a amava, mas não da maneira que ela precisava para ser amada." Fazendo um gesto de desprezo, ele disse: "Antes de tudo, foda-se. Nada que você poderia ter feito deveria ter garantido seu dizer de que esta família não se importa com você. Em segundo lugar, por que você não nos disse tudo isto na noite que ela apareceu na casa? Agora eu sinto como se eu empurrei-a para você porque eu achava que ela era o amor de sua vida". Isso de Tally pensar que ela poderia me fazer acreditar que a minha família não se importa comigo, era ridiculamente patético. Como de costume, o meu irmão era tão defensiva de mim que ele ia começar a bater-se por coisas que aconteceram na minha vida. Eu não podia deixá-lo fazer isso. "Estou com quase vinte e três anos de idade Dame, droga é hora de eu pegar alguma responsabilidade. Fiz uma série de decisões estúpidas que levaram a isso. Você não a empurrou para mim, eu fiz isso a mim mesmo. Eu sabia que o homem que eu amo nunca iria me perdoar e eu estava tão cansado de estar sozinho. Eu não estou pronto para dizer-lhe toda a história infeliz, mas eu percebi que este era 370


um começo. Ninguém mais sabe que eu sei Dillon ou Leah e eu gostaria de mantê-lo assim por um tempo. Eu sei que eu estou pedindo para você segurar um monte de informações, mas ainda lhe dizendo isso muito foi difícil para mim. Mamãe vai ser capaz de encontrá-los facilmente, sem me ter de fornecer qualquer informação, por isso não se sinta que manter o silêncio vai atrasar entrar em contato com eles. Eu sei que pode parecer egoísta, mas eu simplesmente não posso ir lá ainda. Emocionalmente e mentalmente isso é muito, muito difícil para mim e eu preciso dar passos de bebê. Podemos manter isso entre nós?" Ele me olhou intensamente o tempo todo que eu estava falando, e eu pude ver que ele estava tentando fazer sentido de tudo o que eu estava dizendo. "Se é isso que você precisa, então é claro que a resposta é sim. Eu sempre tenho a sua joaninha de volta, não importa o quê. Eu preciso de algo de você embora." "O quê”? "Eu quero que você me prometa que quando você estiver pronta para falar, você vai falar comigo. Eu estou aqui por você, não importa o que e eu quero ajudar". Segurando a minha mão para que ele pudesse levála na sua e agitá-la, eu assenti. 371


"Você tem um acordo”.

Capítulo 29 Dominique Eu estava suando, a espera da batida na porta e a única coisa que me mantinha no lugar foi o fato de que Delilah e eu estávamos pegando as mãos uma da outra. A qualquer momento, nosso pai e nosso novo irmão ia chegar na casa de Dante, e nós duas estávamos nervosas. Mama San tinha-nos dito que ele era um homem maravilhoso, e que nos fez ainda mais ansiosas para conhecê-lo. Tendo vivido por dez anos com um pai que nos odeia, nós duas estávamos com medo de que tão grande como Mama disse que ele era o nosso verdadeiro pai não se importaria para nós também. Quando a porta se abriu e ele nos viu eu vi seus olhos se enchem de lágrimas. Eu tive uma sensação de alívio que era impressionante. Delilah e eu corremos para ele no mesmo momento, e ele chorava quando ele tinha nos tinha em seus braços. Uma e outra vez, ele repetiu: "Eu sinto muito, eu sinto muito, eu não sabia”.

372


Delilah e eu tive tanto nos perguntando de como que poderíamos chamar de Todd Rand, mas vê-lo em pessoa, e entender como ele foi afetado e quanto nós já significava para ele, parecia direito de chamá-lo de pai. Depois que ele foi capaz de nos soltar, fomos abraçar o nosso novo irmão, Flynn. Ele era alto e tão bonito em pessoa como ele estava na TV e em revistas. Quando ele nos disse que ele sempre quis irmãos, eu derramei algumas lágrimas. Eu estava preocupada com o que tudo isso significaria para Dante, mas o nosso pai soube de sua maneira agradecer a todos os meus irmãos pela a criação de Delilah e eu. Sua atitude colocou os meus irmãos à vontade, o que foi um alívio. Eu não pude deixar de notar que o meu pai e a minha recém-encontrada Mama San passaram algum tempo sério observando um ao outro, e eu ri por dentro quando Delilah me cutucou e me deu um aceno de cabeça para deixar-me saber que ela também viu. Mama não namorou desde que ela se mudou para cuidar de nós, há doze anos, e Delilah e eu temos tanto lutado com sentimentos de culpa sobre isso. Ela deveria ter querido seus próprios filhos, mas ela deu tudo para nós. Dissemos tanto com ela uma vez e ela perdeu, nos dizendo, em termos inequívocos que somos seus filhos e ela não se arrepende. Se ela e nosso pai estavam interessados um no outro, eu pensei que seria uma coisa boa. 373


Minha irmã e eu éramos como duas crianças ouvindo o flautista quando Flynn começou a falar sobre nossos avós e como eles são incríveis. Não tínhamos ideia de que ter avós como seria, mas Flynn garantiu-nos que tínhamos o melhor conjunto em todo o mundo e que nós estávamos indo para amá-los. "Se você tem um bom senso de humor, você vai amar a nosso avó. Ela é um jogo de tiro em linha reta, um coringa e melhor Hugger do mundo. Ela tem tanto amor dentro dela e ela vai rebentar quando nós lhe dissermos esta grande notícia. O avô é a espinha dorsal da família, um grande homem de família e modelo. Deixá-los e a meu pai quando eu vou para a estrada é sempre a pior. Eu não posso esperar para que você possa encontrálos, porque eles vão ficar sobre a lua. Papai e eu vamos até sua casa hoje à noite, depois que sairmos daqui para dizer-lhes tudo sobre vocês. Nós estávamos esperando que amanhã vocês viriam para almoçar com a gente para conhecê-los. Seria tudo bem”? Senti Delilah e eu sacudirmos a cabeça ao mesmo tempo, tanto de nós mais do que prontas para conhecer aos nossos avós. Nunca tivemos a vantagem de ter um pai ou avós que nos preocupasse antes, estávamos mais do que prontas para mergulhar em nossa nova realidade. A noite terminou com mais abraços e beijos, e eu senti a tristeza de nosso pai quando ele teve que 374


nos deixar. Acho que se tivesse dito que estava tudo bem, ele teria sentado e nos assistido por dias. Nós teremos um monte de tempo para compensar. Lendo na minha cama, na casa de Dante, mais tarde naquela noite, refleti sobre o quão incrível era ter um pai. Bebê de Delilah ia ter um avô e bisavós agora, algo que até poucos dias atrás, teria dito que nunca iria acontecer. Inevitavelmente os meus pensamentos voltaram para Dillon. Mamãe tinha conseguido todas as informações pertinentes sobre ele e outro foder na minha vida, em vista dos acontecimentos, descobriu-se que Spencer tinha agendado uma reunião com ele para esta próxima sexta-feira. Se ele tivesse entrado no escritório sem eu estar preparada, teria sido desastroso. Tentei resolver meus nervos e empurrei para baixo a minha ansiedade, mas no fundo da minha mente eu estava contando as horas até que eu iria vê-lo em pessoa novamente.

***

O almoço com o nosso pai, irmão e avós foi incrível. Eles eram como seu pai e Flynn, eram as pessoas mais felizes da terra e estavam entusiasmados em ter netas. Ambos irromperam em lágrimas quando nos viram pela primeira vez, e a avó nos disse 375


repetidas vezes que éramos dois belos anjos enviados do céu para encher seu coração. O avô abraçou-nos uma centena de vezes, e tirou fotos com seu iPhone para que ele pudesse mostrar no seu golfe de camaradas suas belas meninas. Quando Delilah disse a eles todos que ela estava grávida, você teria pensado que ela tinha anunciado que o próprio Deus estava vindo para jantar. Todos eles estavam fora de si de alegria, e eu tive que suprimir uma pontada de ciúme com o quão animado eles ficaram. O pai estava pronto para fazer piruetas em torno do restaurante, porque ele estava indo para ser um avô, e avó e avô eram tudo sobre ser bisavós. Gesticulando para Flynn, a avó disse: “Meu precioso menino acabou de conhecer alguém que eu acho que poderia ser ”a única“, mas até nós conhecermos Tessa eu nunca tive a certeza de que teríamos a sorte de ver nossos bisnetos enquanto estivéssemos vivos". Cobrindo a boca de Flynn com a mão para impedi-lo de falar, ela continuou, "as aparências em contrário, ele é um bom rapaz... mas o estilo de vida rock star, não tem sido bom para namorar. Se eu lhe dissesse uma vez que eu lhe disse um milhão de vezes, que ele precisava mantê-lo em suas calças o tempo suficiente para encontrar alguém normal, mas ele não podia me ouvir sobre o som de todos as fãs, dizendo-lhes o seu número de quartos. É um pequeno milagre que ele está namorando uma 376


garota que quer mais dele, do que apenas a capacidade de dizer que ela tem ocupado com Flynn Rand. Seu avô e eu fomos à igreja no domingo, para agradecer a Deus por esse milagre, mas agora que já conheci vocês duas e nós sabemos que há um bisneto já a caminho, eu diria que Deus não terminou distribuindo milagres ainda"! Flynn estava certo, ela era uma atiradora adorável. Ele não se ofendeu com o que ela disse a todos. Em vez disso, ele riu antes de responder: "Calças, vó? Você é uma porca. Eu não usava calças desde a última vez que eu deixei você me vestir para uma foto de família. Eles são chamados de calças, calças ou jeans agora". Com um rosto completamente em linha reta, ela disse: "sério? Porque eu vejo os seus fãs no Twitter o tempo todo falando de algum tipo de calça cobra. Devo colocar um alerta dizendo-lhes que você não tem um"? A tabela inteira caiu na gargalhada. Ela foi limítrofe inapropriada e foi hilário. Conhecer Avó e Avô deixou muito claro por que o nosso pai e Flynn eram bem arredondados, respeitosos com as mulheres, e engraçados como o inferno. Também foi adorável que Avó e Avô deram as mãos em todas as oportunidades disponíveis e afagando sempre que podiam.

377


Spencer veio para nos pegar quando o almoço terminou e eu fiquei para trás e sorrindo enquanto todos se revezavam tocando estômago de Delilah para dizer adeus para o bebê. Claramente ambos os lados de nossa família tinha febre do bebê, e mesmo que eu que estava emocionada, me deu uma pontada de saudade. Eu tinha amado a sensação de saber que Dillon e eu tínhamos criado um bebê, tinha amado estar grávida, e até hoje eu acordo de sonhos onde meu estômago tem crescido mais redondo, o bebê está bem e Dillon está ali ao meu lado. O preço dessa perda pode nunca ser pago. Forçando-me a pensar pensamentos felizes, encontrei alegria no fato de que meus avós também se congratularam com Spencer de braços abertos, e avó insistiu que ele deveria pensar nela como sua avó agora também. No caminho de volta para Dante depois do almoço, Delilah, Spencer e eu, todos concordamos que se poderia comer os nossos avós se com uma colher. Eles foram incríveis. Rota de colisão

378


Capítulo 30 Dillon Eu vinha evitando reuniões com Hart Internacional por mais de dois anos. Alguém da empresa iria ligar ou enviar e-mail solicitando uma consulta, e cada vez que eu encontrei uma maneira de sair dela, dizendo que não havia espaço na minha agenda. Tecnicamente isso era verdade, mas para uma empresa desse tamanho e com a reputação que tinha, ele ia se tornar suicídio de carreira em algum ponto. Eles construíram o melhor dos melhores, e eu paisagístico, então as chances de evitá-los sempre foram zero. A razão que eu tinha concordado com o pedido Spencer Cross para uma reunião foi que eu aceitei finalmente, que o tempo tinha acabado. Melhor para me encontrar com ele do que um dos irmãos Hart. Mesmo que eu não soubesse que Dominique tinha sido uma garota do ensino médio, eu ainda me sentia envergonhado sobre isso e sentiria culpa lidando com eles. Sabendo que a reunião estava se aproximando, me fez sonhar com ela e pensar sobre ela duas vezes mais que o habitual. Considerando que antes eu tinha de alguma forma conseguido dormir durante pelo menos cinco noites por semana, sem sonhar 379


com ela, agora eu estava de volta a vê-la todas as noites nos meus sonhos. Quatro anos... quatro longos anos, e eu ainda não tinha conseguido soltar seu aperto de morte do meu coração. Eu a amo com todo o meu coração, tanto agora como eu amava no dia que eu descobri que ela era apenas uma estudante que joga jogos com um homem mais velho. Eu nunca tive uma chance com Dominique. O meu coração escolheu, e nenhuma quantidade de fugir poderia me fazer amá-la menos. Mesmo sabendo o que sei agora, meu coração ainda é um teimoso filho da puta por não pode deixá-la ir. Quando eu a tinha visto no hospital, na noite em que Leah tinha sido atacada, tinha me machucado fisicamente para não abraçá-la. Senti minha parede começando a desmoronar e eu estava a segundos de distância de falar diretamente com ela... e então ela levantou e saiu sem sequer olhar para mim. Ela estava mais perto de Leah agora do que jamais tinha sido, mas ela saiu do seu caminho para me evitar. Apenas dois meses atrás eu ouvi Leah no telefone com Dominique falando sobre o fato de que Leah não gostava de sua namorada, e me senti como se eu tivesse sido ignorado. A namorada? É mesmo? Tudo o que fez foi reforçar a minha convicção de que ela não passava de uma garota volúvel que queria viver a vida solta e livre. Isso faz meu coração teimoso ansiar por ela menos? Não, isso não aconteceu. 380


*** Minha reunião foi agendada para a tarde, e eu estaria mentindo se eu dissesse que eu não estava nervoso com a perspectiva de correr para Dominique. Considerando o fato de que ela queria ser arquiteta e eu estava me reunindo com o irmão honorário que foi a liderança, as chances eram boas que eu a veria em algum ponto. Eu estava fazendo um bom trabalho de manter os nervos sob controle até que eu cheguei na recepção para me apresentar, e fui informado de que o local da reunião foi alterado de escritório Spencer Cross para Dante Harts. Ótimo, agora eu tinha uma reunião desconfortável pela frente. O elevador apitando sua chegada ao andar de cima, e depois de tomar um fôlego, fui para fora. Tudo parou no momento em que eu pisei fora do elevador e me vi cara a cara com Dominique. Ela ainda era a menina mais bonita de parar o coração que eu já tinha posto os olhos. Fiquei furioso que, mesmo depois de todos estes anos o meu primeiro impulso foi o de estender a mão e tocá-la. Ela pertencia à outra pessoa agora, alguma menina, e era isso. Eu desliguei o máximo de minha emoção, quanto humanamente possível e olhei-a em branco, querendo meus braços para ficar ao meu lado em vez de chegar para ela. Eu precisava ser educado, se por nenhuma outra razão do fato de que ela havia ajudado a minha 381


irmã por sua hora mais escura. Não importa o quanto eu estivesse magoado por suas mentiras e manipulações em que eu estivesse preocupado, eu sempre estaria em dívida por cuidar de Leah e certificando-se que ela tinha ido para o hospital. Se não fosse por Dominique minha irmã teria, provavelmente, escondido o que tinha acontecido com ela, e essa porra de monstro que a machucou ainda estaria nas ruas ferindo outras mulheres. Forçando um meio sorriso inclinei a cabeça para reconhecê-la. "Dominique". Ela parecia atordoada que eu estava sendo civil, o que me fez sentir como uma merda. Notei que ela estava nervosa, torcendo as mãos e mexendo enquanto ela me observava. Eu estava começando a me perguntar se ela ia dizer alguma coisa quando ela deu um passo mais perto de mim, trazendo-nos praticamente peito a peito. Foda-se tudo doeu por ser tão perto. Eu podia sentir o cheiro da fragrância leve que era único para ela, vi a ascensão e queda de seu peito, ouviu o som de sua respiração delicada. Aparentemente, ela estava tentando me torturar. Olhando para cima em meus olhos ela meio que sussurrou: "Antes de ir para lá eu quero que você saiba que nós acabamos de descobrir que Mike Hart não era meu pai”. Parecia que eu estava em câmera lenta. O que diabos ela estava me dizendo isso? Olhei para ela 382


por um minuto enquanto eu esperava que ela dissesse alguma coisa, mas as palavras não foram divulgadas. O tempo parou quando nós olhamos nos olhos um do outro, e a parte desejo do meu cérebro imaginou que ela olhou como se ela ainda se importava tanto quanto uma vez que ela tinha. Os segundos passavam em silêncio antes de eu finalmente respondi: "Okayyyyy". Eu a atraí de modo que ela iria pegar na minha confusão e me dizer por que era importante, mas em vez disso ela deu um passo para trás. Sacudindo a cabeça, como se para limpá-la, ela tocou meu braço com a mão e disse: "eles são boas pessoas. Não deixe a sua opinião sobre mim, manchar a maneira como você vai vê-los". Algo fez cócegas na minha mente quando a mão dela veio, mas não foi nada que eu pudesse focar. Depois de dizer isso para mim, ela virou-se e fugiu, mas eu fiquei sem ação ainda por um momento, sentindo os efeitos colaterais do calor chocante de sua mão no meu braço. Claro que eu tinha conhecido antes o efeito que o simples toque sobre mim não tinha diminuído em tudo, mas eu não tinha esperado por ele ser mais potente do que nunca. Duas emoções lutaram pelo domínio no meu cérebro, alegria ao vê-la e raiva cega por me apaixonar por ela. Ele nunca ia ser mais fácil. Aborrecido comigo mesmo por ser tão idiota eu me forcei a animar-me antes de ir para sala de 383


escritório de seu irmão. Fiquei surpreso ao encontrar três mulheres ali sentadas olhando para mim, sendo uma deles sua irmã gêmea idêntica. Todos os três eram tão bonitos que eu me perguntava se Hart Internacional tinha algum tipo de porta nas traseiras "Apenas modelos precisam Aplicar" política que eu nunca tinha ouvido falar. Todos pareciam nervosos e eles olharam para mim estranhamente, quase como se estivessem catalogação meu rosto. Um deles se aproximou e disse: "Você é Dillon”. Eu concordei e dei o meu sorriso mais afável. "Eu sou". "Deixe-me dizer ao meu marido que você chegou”. Ah. Claro que um desses bastardos sortudos tinha agarrado ela. A julgar pelo fato de que era o escritório de Dante Hart eu tive que assumir que ela era sua esposa. Alguns momentos depois, ela me mandou de volta para o escritório, e eu senti uma tensão estranha quando entrei. Haviam três homens na sala, mas um deles estava mais perto de mim do que o resto para que meus olhos pousassem sobre ele em primeiro lugar. Eu tinha a sensação do mais extraordinário déjà vu quando o vi e que me jogou fora completamente. Eu sabia que eu não o tinha visto antes, mas seus olhos pareciam tão familiar que eu poderia jurar que eu o tinha conhecido desde sempre. 384


Ele se apresentou como Dante Hart, antes de voltar a introduzir os outros dois homens na sala como seu irmão Damien Hart e seu irmão honorário Spencer Cross. Resumidamente eu me perguntava se Spencer acabou com Delilah a maneira que Minnie tinha sempre pensado que ele iria, mas depois eu me forcei a empurrar memórias de Dominique de lado. A energia na sala era muito estranha. Todos os três ficaram gravemente tensos, e eu tive a nítida impressão de que toda a gente sabia de algo que eu não. Depois, estávamos sentados no sofá, Dante pulou e compartilhou comigo por que o local da reunião havia sido alterado e por isso que eu estava reunido com todos os três deles em vez de apenas Spencer. De todas as coisas, os cenários que eu tinha em minha mente sobre o que poderia ser como descobrir quem a minha família de nascimento era, isso não foi tudo. Eu fui batido por seis, mas agora eu entendi por que Dominique tinha me parado para me dizer que ela tinha descoberto que seu pai não era Mike Hart. Eu provavelmente teria atingido o chão quando Dante fez seu pequeno anúncio porque eu teria pensado que Dominique era minha irmã. Eu só podia agradecer a Deus que não era o caso. A vida sem ela era um inferno o suficiente para que eu pudesse lidar com qualquer drama adicional. *** 385


No momento em que saí do escritório, minha mente foi absolutamente soprada. Esses três estranhos eram meus irmãos, eram irmãos de Leah, bem como eu precisava decidir como proceder. Como tudo na minha vida, amarrado para trás para Dominique. Se eu permitisse um relacionamento com a família Hart acontecer, eu não teria escolha a não ser vê-la muitas vezes. A ideia de vê-la era pateticamente emocionante, mas o conhecimento de que eu estaria vendo ela e sua namorada era nauseante. Eu sabia dos meus limites, e me dei conta de que eu não podia ver alguém tocá-la sem enlouquecer de ciúmes. Eu sabia que o meu relacionamento, ou a falta dele, como ela não deve levar para a minha decisão de ir para frente com a família.... Mas a verdade era que ela ia ser uma das maiores considerações para mim. Quando eu voltei para o corredor, ela estava encostado na parede externa esperando por mim. Ela procurou meu rosto, olhando para ver se eu estava bem eu acho, e uma vez que ela viu o que ela estava olhando, ela falou: "Você está bem”? Eu levantei minhas mãos no gesto universal para “eu não tenho nenhuma porra de ideia”. Após cerca de trinta segundos, eu disse, "Eu preciso pensar sobre Leah”. Ela assentiu com a acordo para isso. "Eu sabia que você diria isso, e é por isso que eu disse a você que eles são bons homens. Você e Leah já significam 386


alguma coisa para eles, e eles querem trazê-lo para a família. Você pode confiar neles." Eu poderia? Só que ela realmente sabia. Descobrir que meu pai biológico era o pedaço de merda que quase havia molestado o amor da minha vida estava me assustando. Dante, Damien e Spencer tinham feito questão de me dizer que eles não tinham amor por qualquer de seus pais, mas ainda assim... como eu poderia ter certeza de que, sem pedir Minnie? Eu não podia expor a minha irmã para qualquer pessoa com menos de motivos puros. Ela fingiu ser forte, mas ela ainda estava frágil do que tinha sido feito para ela. Minha resposta saiu antes que eu pudesse pensar sobre isso. "Eu preciso falar com você. Você pode vir agora?" Eu estava chutando meu próprio rabo para pedir-lhe para vir e não escapou meu conhecimento que ela parecia completamente atordoado. "Hum... sim... quer dizer, é claro, se é isso que você quer. Eu posso estar lá depois que conversar com a minha família. Ainda vai levar cerca de uma hora para sair daqui, se estiver tudo bem. Deixe-me colocar o seu endereço no meu telefone". Olhando para ela eu dei de ombros com o que eu estava prestes a dizer-lhe não era grande coisa. "Eu ainda vivo na mesma casa”.

387


Ela parecia atordoada, mas, fingi não perceber porque eu não queria chamar atenção para o fato de que eu não tinha movido. Eu sabia que deve ter parecido porco que eu não tinha me mudado e era um aluguel depois de tudo, e eu fiz uma quantidade ridícula de dinheiro nos dias de hoje. Eu poderia ter seguido em frente e comprado algo muito maior agora, mas eu não poderia perder a parte emocional com a casa, que tínhamos decorado juntos. Onde eu queria correr a partir das memórias de Marissa na minha última casa, eu não poderia deixar de lado as lembranças da Minnie em um presente. Ele não tinha mudado nada, era tudo, mas um santuário para ela, até as velas de para que eu ainda queimo. O que disse sobre mim, eu não tinha certeza. Tê-la de volta no espaço provavelmente vai ser muito doloroso para mim, mas eu precisava falar com ela mais do que eu precisava para afastá-la. Ela acenou para mim antes de silenciosamente dizer: "Eu estarei lá”. Com isso, ela se virou para sair, e eu observava cada passo do caminho antes dela entrar na porta do escritório de seu irmãos e eu não podia mais vê-la.

388


Capítulo 31 Dominique Eu estava completamente fora de mim no momento em que voltei para o escritório de Dante. Eu disse a eles que eu me apresentei para Dillon no corredor, mas Dante percebeu que algo estava errado e chamou-me sobre ele. Eu consegui pará-lo, mas Damien me deu um olhar que dizia que ele estava colocando as coisas em conjunto e ele tinha muito mais perguntas. Como eu já tinha tomado a decisão de dizer a ele, pela primeira vez o seu interesse não me teve ansiosa. Ou isso, ou eu estava tão tensa sobre ir para a casa de Dillon que nada mais poderia me irritar. Eu estava uma pilha de nervos, por todo o caminho para a casa que eu sonhei uma vez , que se tornaria a minha casa. Eu tinha-lhe dado todas as partes do meu corpo, coração e alma naquela casa. O último momento que eu tinha sido uma pessoa inteira, tinha sido naquela casa. Nosso bebê tinha sido feito naquela casa. Isso mais do que qualquer coisa tornou difícil para eu voltar, mas minha resposta instintiva foi e sempre vai ser estar lá para Dillon, e isso fez meus medos supérfluos. Puxando na calçada fiquei maravilhada o quão pouco havia mudado. Eu estava estacionando no lugar que eu costumava considerar o meu, e eu 389


poderia me lembrar de cada segundo da última vez que eu tinha estado aqui. Seu carro era novo e top de linha, mas, o resto de tudo era o mesmo do lado de fora. Gostaria de saber se esse seria o caso no interior, mas não assumido. Respirando fundo para criar coragem eu me dirigi para a porta da frente. Ele abriu-a antes que eu pudesse bater, e depois recuar, ele fez um gesto para que eu viesse para dentro. Eu tinha me enganado em minha suposição de que o interior teria mudado. Entrando na casa era como voltar no tempo. Tudo parecia exatamente o mesmo. As coisas jeito que tinha escolhido, o cheiro das velas pera que eu tinha escolhido, as cores da parede, o tapete que havia comprado no Rose Bowl Flea Market(mercados ao ar livre) - tudo estava lá. "Obrigado por ter vindo", disse ele enquanto ele gesticulava para o sofá. "Eu tenho uma porrada de perguntas sobre sua família que precisam ser respondidas antes de eu dizer a Leah”. Sentei-me de um lado e ele sentou-se no outro, e isso machucava meu coração por ser tão perto dele. Meu corpo ansiava por seu toque e minhas mãos doíam para aliviar a tensão de seu rosto. Meu lindo homem precisava para ter certeza de que tudo ia ficar bem e eu estava ansioso para aliviar sua mente.

390


"Pergunte-me qualquer coisa. Você é importante para eles agora e eu quero que você opte por deixálos entrar, eu sei que você e Leah, ambos irão amálos. Agora que Dante sabe que seus pesadelos eram baseadas na realidade, ele realmente precisa se conectar com você. Eu quero isso para o meu irmão, e eu quero isso para você também." Passando as mãos pelos cabelos, ele se inclinou para trás e suspirou. "Lembro-me dele também. Eu quero tentar, mas não posso simplesmente jogar a minha irmã em uma situação que eu não tenho certeza que será bom para ela." "Minha família é incrível e nunca faria nada para machucar qualquer um de vocês. Leah só se beneficiaria em ganhar os três, como irmãos. Se você não acredita em nada que eu diga, acredite em mim quando eu lhe digo que eu a amo e eu nunca sugeriria fazer qualquer coisa que pudesse machucá-la”. Ele ficou em silêncio por um minuto antes de dizer: "Eu acredito em você, mas você estar envolvida traz outro conjunto de problemas. A julgar pelo fato de que eles não chamaram e me perguntaram hoje eu só posso assumir que a sua família não sabe sobre o que aconteceu entre nós". Meu coração começou a bater mais rápido imediatamente como ele navegou a conversa para uma área que eu tinha medo.

391


"Não", eu disse. "Não havia nenhuma razão para dizer-lhes o que eu fiz. A partir de hoje Damien definitivamente suspeita de alguma coisa, mas isso é tudo. Eu não iria dizer-lhes qualquer coisa que possa fazer você ficar mal". Era como se eu tivesse jogado uma chave em sua mente e vi como ele foi tenso todo. "Então, eu ainda sou o seu pequeno segredo sujo. Claro que você não gostaria que seus irmãos soubessem que eu sou o porco escória sucção jardineiro que fodeu sua irmã quando ela estava na escola." Ele nunca ia parar de me fazer pagar por esse maldito erro estúpido, e algo no meu cérebro estalou como um galho, e toda a raiva que eu tinha engarrafado por quatro anos transbordou. Em menos de um segundo eu estava em meus pés e eu lhe dei um tapa no rosto. "Foda-se! Foda-se, foda-se, foda-se! Você não tem ideia do que você está falando estúpido filho da puta. Você quebrou a porra do meu coração em milhões de pedaços e arruinou a minha vida no processo, e ainda assim você tem a coragem de me tratar como uma espécie de leproso maldito. Eu tomei uma decisão ruim e eu sinto muito! Eu pedi desculpas um milhão de vezes e você nunca ouviu uma porcaria do que eu disse. Pelo menos eu estava na relação de verdade, ao contrário de você. Eu cometi um erro, mas você... você era o 392


mentiroso. Você foi o único que fez promessas que não cumpriu. VOCÊ me tratou como se eu fosse contagiosa e mudou-se para furar o pau em tudo o que tinha um buraco e num piscar de olhos. Você idiota! Eu paguei pelo meu erro mil vezes e eu não preciso de você, porra, para começar seus chutes, esfregando na minha cara mais uma vez. Eu vivi no inferno por causa de você e você nem sequer se preocupou em ver se eu estava bem. Eu gostaria de nunca ter posto os olhos em você!" Ligando meu calcanhar corri para a porta, desesperada para ficar longe dele. Eu balancei-a aberta no mesmo momento ele estendeu a mão e bateu. Ligando meu calcanhar eu olhei para ele. "Que diabos você está fazendo? Você não pode deixar de ir ao passado e eu estou feita, de ser o saco de pancadas do caralho. O que você quer?" Empurrando-me mais ou menos contra a porta, ele passou os dedos no meu cabelo e me puxou contra ele. "Você! Maldição, eu quero que você, porra". Nós nos encontramos um ao outro no meio do caminho, bocas esmagando uma contra a outra em um beijo tão intenso que era doloroso. Meu corpo ficou em chamas, o sangue em minhas veias fluiu quente para ele. Nossas mãos colidiram quando começamos a rasgar as roupas um do outro. Ele agrupados minha saia até minha cintura e arrancou minha calcinha enquanto eu lutava para conseguir 393


seu jeans aberto. Finalmente consegui, chegando e puxando sua ereção maciçamente inchada para fora da calça jeans e posicionando-o bem no meu centro, admirando a forma como eu estava molhada, como eu fiquei encharcada com a cabeça inchada com a minha excitação. Com um impulso duro, ele estava em mim tão profundo que doeu. Depois de não ser penetrada por quatro anos, ele me lotou e então alguns minutos eu gritava em êxtase e agarrei a camisa dele enquanto seus quadris bombeados para mim em grande velocidade. Minhas costas estavam batendo contra a porta a cada estocada, punindo e eu não me importei. Senti-o em todas as partes do meu corpo quando ele bateu dentro e para fora, nossas bocas esmagadas em conjunto, enquanto nos beijávamos como dois maníacos. Éramos uma confusão de dentes e de língua, a dor se transformando imediatamente em prazer. Eu nunca tinha sido forte durante o sexo, mas eu estava tão quente que eu estava literalmente implorando-lhe para me foder mais. Arranhando as suas costas, mordi o lábio antes de jogar a cabeça para trás e gritar como eu vim. "Porra mais apertado, mais quente boceta... perfeita pra caralho ainda", ele rosnou, enquanto ele continuava empurrando. Poucos minutos depois, eu percebi que eu não sentia mais a porta nas minhas costas e eu notei 394


que ele estava agora me deslizando para cima e para baixo o seu eixo em vez de bater em mim. Olhando em volta, vi que ele estava nos encaminhando para o quarto. Levantando-me acima dele ele me colocou na cama antes de ajudar-me a despir-se. Eu o vi rasgar as roupas dele antes que ele subiu em cima de mim na cama, agarrando meus tornozelos e espalhando minhas pernas largas, enquanto olhava para o meu sexo. Eu choraminguei enquanto eu esperava para ele colocar-se de volta para dentro de mim, mas ele caiu e reverentemente escondeu o rosto entre as minhas pernas. Ele me devorou como se eu fosse algo que ele não conseguia o suficiente, a língua e os dedos que trabalham em conjunto para fazer-me enlouquecer. Ele sempre gostava de ir para baixo em mim, mas agora parecia quase como se ele fosse incapaz de parar. Fodi-me na cama com ele, gritando quando ele lambeu e chupou meu clitóris e me fodeu com os dedos. Eu estava tão molhada que não havia dúvida do barulho no quarto para outra coisa senão o que era. Algo que só serviu para me fazer mais úmida. Segurei a cabeça em minhas mãos e empurrei-me contra a sua língua quando procurei voltar, desesperada para o êxtase, que só ele poderia proporcionar. Eu não tinha me sentido tão viva ou ligada como eu estava agora, em qualquer ponto no tempo dos últimos quatro anos.

395


"Por favor," favor”!

eu

gritava

incoerentemente.

"Por

Deslizando a língua para cima em meu canal ele foi tão profundo quanto ele poderia, antes de começar a mexer contra mim no tempo com o dedo que agora estava trabalhando no meu clitóris. Eu era um caso perdido com a primeira manobra, e dentro de um minuto eu estava gritando quando gozei novamente, as lágrimas escorrendo pelo meu rosto a partir da intensidade do meu orgasmo. Levantando o rosto entre as minhas pernas, ele trouxe seu rosto de volta para o meu, soltando seus lábios de volta para o meu próprio e me beijando desesperadamente, mesmo quando ele agarrou meus joelhos e empurrou-os tão longe do meu corpo quanto podia. Deixando um joelho, ele colocou a ponta do seu pênis em minha abertura, antes de começar a afundar em mim lentamente. Ele foi gentil até o último segundo, quando ele recuou e impulsionou duro no fundo do poço dentro de mim, antes de ficar de joelhos e envolver seus braços em volta de cada uma das minhas pernas, ele pressionou-as de volta e segurou-as bem quando ele começou um ritmo punição de balançar o corpo com os impulsos. Quando ele não estava me beijando, ele estava assistindo seu pau dentro e fora de mim, rosnando quando me disse o quão quente era assistir minha boceta molhada apertando seu pau. 396


"Deus... gatinha... sua boceta é tão foda molhada... tão escorregadia e quente... agarrando meu pau pra caralho de bom”. Eu gritei o nome dele quando eu segurei seus braços e tentei lembrar-me de respirar enquanto eu contraí em torno dele novamente e novamente. As sensações eram muito cruas, primitivas, animalescas, e eu não queria que acabasse. Virando a cabeça eu mordi o braço dele e chupei a sua pele quando eu senti outro orgasmo começando a construir dentro de mim. Ele resmungou e inclinouse para morder meu pescoço, a sucção de sua boca tão boa que eu espasmei em todo seu eixo empurrando com um grito. Eu estava ficando cada vez mais perto de detonação com cada impulso, tocar, morder e lamber. O colchão estava gemendo em protesto desde o martelamento, a cama bateu na parede tão duro e tão rápido que parecia que havia cavalos galopando no quarto. Nós dois gememos e gritamos, implorando por mais, mais, mais profundo, mais rápido. Nós nunca tínhamos sido tão fora de controle ou desesperado com o outro, nunca tinha sido tão difícil. Cada um de nós ia ser coberto de hematomas, marcas de mordida e arranhões, e houve uma melhor do que a boa chance de que eu não seria capaz de andar normalmente durante dias. Seja qual for o desconforto físico que poderia vir depois, valeu a pena. Eu era escrava das sensações 397


que estavam em erupção no meu corpo e eu não poderia ter dado menos de uma maldição sobre contusões ou andar engraçado depois. O acompanhei impulso por o impulso, minhas mãos fazendo seu caminho para o seu incrível pau duro e para cavar como ficaria realizada para o resto da vida. Nós dois banhados em suor, nossos corpos deslizando úmidos juntos com o perfume de nosso amor enchendo o quarto. Mudando para que ele pudesse olhar nos meus olhos enquanto ele continuou a sua aniquilação completa do meu corpo, ele rosnou: "Eu vou destruí-lo para qualquer outra pessoa. Esta buceta é minha gatinha. Minha de tocar, foder, chupar... porra minha". Meu corpo se arrepiou todo, incrivelmente ativada por sua afirmação de propriedade, bem como pela emoção de ouvi-lo falar sujo para mim. Considerando que, antes, ele tinha sido sempre tão amoroso e gentil, agora ele era como um homem possuído. Eu gritei em frustração quando ele puxou para fora e, em seguida, gritei quando ele mordeu meu mamilo esquerdo, enquanto torcia o direito em sua mão. Doeu como o inferno até ele lançou os dois, alternando-se entre cada mama quando ele lavou os meus mamilos. Ele fez isso de novo e de novo, a dor seguida pelo prazer, e ele riu baixo em sua garganta como eu implorei a ele para me deixar vir. 398


O sabor de sua mão contra meu sexo me fez guinchar, o seguinte gentil amoroso com sua língua me fez chorar. Ele repetiu o ciclo mais e mais para me manter suspenso à beira de um orgasmo maciço. Quando seu rosto estava entre as minhas pernas suas mãos estavam torcendo meus mamilos, e quando ele estava chupando os meus mamilos a mão dele estava batendo no meu sexo. Seguindo seu caminho de volta até o meu corpo ele colocou a mão em volta do meu pescoço em um gesto possessivo como ele perguntou: "Mais alguém já fez você se sentir tão bem”? Passando minhas mãos para cima do braço, eu balancei a cabeça negativamente. "Não. E você?" Ele balançou a cabeça antes de deixar escapar uma risada melancólica. "Deus não. Eu deveria ser tão foda de sorte." Eu me assustei quando ele me virou, enterrando meu rosto em um travesseiro para gritar enquanto ele me batia. Eu nunca teria esperado que isso seria tão bom quanto ele fez, mas foi tão surpreendente que minhas coxas estavam molhadas com a minha excitação. Com uma palmada última chocante ele agarrou minha bunda com a mão e espalhá-los de largura. "Ponha sua bunda tão alto para o ar que puder e mantenha essas bochechas separadas. Eu vou comer a sua boceta por trás." 399


Alcançando atrás de mim eu fiz o que ele pediu, segurando-me como se minha vida dependesse disso, quando ele enterrou sua língua dentro de mim novamente. Ele deslizou um dedo em minha boceta e fodeu dentro e para fora em conjunto com a sua língua e eu gritei enquanto meus olhos giravam em minha cabeça. Levantando a cabeça do "Dillon...baby... por favor”!

travesseiro, eu gritei,

"Mmm", ele gemeu, "diga-me o que você quer gatinha”. "Você! Dentro"! Ele vibrou sua língua contra mim, balançando a cabeça para trás e para frente com um sorriso sexy antes de tomar sua boca para longe para que ele pudesse falar. "Oh, não baby, não é o que eu estava procurando. Diga-me para colocar o meu pau em sua boceta quente. Diga-me todas as maneiras que você quer que eu foda você. Diga desagradável, porque estamos bem além de agradável e fácil". Meu batimento cardíaco já foi para a corrida de tempo quadruplo, quando meu sexo excitado inundou com a ideia de dizer a ele o que eu queria usar o tipo de linguagem que ele estava insistindo. "Eu preciso de você para colocar seu pênis em minha boceta molhada. Eu quero que você me

400


foda tão duro quanto você possa. Eu quero que você encha minha buceta com seu orgasmo”! Deu um tapa na minha bunda tão duro quanto podia, ele se posicionou na minha abertura e, em seguida, bateu em mim. Puxou meu cabelo em sua mão, ele puxou meu rosto e me forçou a olhar para ele. "Boa menina", ele rosnou enquanto empurrava. Calor floresceu no meu peito, como resultado de seu louvor e eu apertava ao redor dele com a vibração do meu orgasmo se aproximando começou a se espalhar. Eu estava ali, pronto para ser lançado para o espaço. Ele puxou minha cabeça para trás de novo, balançando a cabeça enquanto ele me disse não. "Você não vai vir até eu dizer. Se você chegar antes de eu dizer que você possa, eu vou ficar com raiva”. Eu gemia baixo em minha garganta, lágrimas enchendo meus olhos enquanto eu tentava segurar. Foi muito, muito intenso, muito perfeito e eu não ia sobreviver. "Por favor", eu implorei. "Eu não posso prendê-lo dentro”. "AINDA NÃO! Você não vem sem mim”! Eu soluçava e implorava, gritando que eu não ia durar, mas ele não cedeu.

401


"FODA... gatinha... sua boceta é foda do céu... Eu estou me afogando em você”. Arrepios eclodiram por todo o meu corpo enquanto eu tremia em espasmos, tentando conter o inevitável desesperadamente. Senti o inchaço dentro de mim e eu rezei para ter força para manter-me de ter vindo. "Por favor, por favor, por favor, por favor, por favor", eu implorei. "Por favor, o que", ele murmurou. "Por favor, deixe-me porra vir”! Ele fez um som que era metade gemido gritar antes que ele gritou: "Aperte-me gatinha apertado, estou quase lá”! O aperto me fez muito mais desesperado para vir e lágrimas agora escorrendo pelo meu rosto. "Não... por favor... Dillon... é bom demais... Eu não posso”! "Eu não tenho certeza que você já fez por merecer, baby. Você entende que a sua buceta é minha”? Eu concordei sem pensar. É claro que eu sabia disso. "Não assentindo. Diga. As. Palavras". Esforcei-me para sair uma palavra de cada vez, a atração de um lançamento incrível tão perto que eu

402


podia sentir o gosto foi tornando-se difícil para eu falar. "Minha... buceta... é... SUA”! "Porra direto que é", ele sussurrou enquanto me batia com mais força. Eu gritei algo incoerente que era um pedido de misericórdia. Ele puxou meu cabelo, ao mesmo tempo em que ele espancou a minha bochecha esquerda tão duro quanto ele podia antes de gritar: "Agora”! Eu não acho que eu teria sido capaz de segurar até mesmo um segundo a mais. Eu gritei quando eu explodi em chamas de dentro para fora, a minha libertação arruinando todo o meu corpo enquanto eu bombeava de volta para ele, então ele veio quente e duro dentro de mim com uma série de gritos guturais. O mundo ficou vago em torno de mim, meus olhos só conseguiam ver a fatia menor do travesseiro que estava na frente do meu rosto. Parecia que nunca ia acabar as explosões que estavam acontecendo no meu corpo e assim por diante, enquanto eu lutava para respirar. Era uma agonia e, ao mesmo tempo em que era a melhor e mais bela sensação que eu já tive. Gritei seu nome uma e outra vez, enquanto ele continuava empurrando, só suavizando sua técnica quando meu orgasmo começou a desacelerar e meus joelhos desabaram debaixo de mim. 403


Seu peito estava pressionado contra minhas costas, o som da nossa respiração irregular enchendo o quarto. Envolvendo um braço em volta do meu estômago, ele rolou para que nós estivéssemos em nossos lados dobrados juntos, como colheres, antes dele enterrar o rosto no meu cabelo. Esse gesto familiar rasgou meu coração, porque eu me lembrava de muito bem do nosso tempo juntos. Ele estava tomando o meu cheiro, algo que ele tinha uma vez me dito que era como um cobertor de conforto para ele. Minha pele refrigerada, eu me perguntava se ele fez isso com todas as mulheres com quem dormiu. O que tinha acontecido entre nós foi explosivo e incrivelmente apaixonado, e eu sabia que poderia ser interpretada de muitas maneiras diferentes. As duas explicações que vieram a minha mente eram ou que tinha sido uma bela erupção do sentimento depois de tantos anos de diferença... ou eu tinha acabado de ódio incondicional fodido. Temi que fosse a segunda opção, em oposição ao primeiro. Eu esperei que ele falasse, mas as palavras não foram divulgadas. Seus dedos preguiçosamente sobre meu quadril e seu nariz permaneceram enterrados no meu cabelo como se pôs em silêncio absoluto. Minhas pálpebras estavam pesadas e continuou à deriva fechada, e foi uma luta para eu ficar alerta. Eu estava cansada demais para me mover, e em algum momento eu perdi a luta e o sono me reivindicou. 404


Capítulo 32 Dillon Eu não disse nada, na sequência, em silêncio, na esperança de que ela iria dormir para que eu pudesse mantê-la na minha cama por um tempo mais longo. Sem rodeios, eu não estava pronto para deixá-la ir. Eu tinha acabado de ter o melhor sexo da minha barra de vida nenhuma, mas eu me senti culpado sobre como eu tinha sido áspero com ela. Mantê-la em minha cama era a melhor maneira de manter um olho sobre ela, e eu planejava fazer isso por enquanto. Sua explosão mais cedo tinha sido completamente inesperada e totalmente fora do personagem, pelo menos até onde eu sabia. Dominique não era uma gritadora ou lutadora, mas ela tinha agarrado em mim completamente. Eu acho que eu tenho que admitir que eu provavelmente merecesse. A verdade é que eu ainda estou com raiva dela. Eu a culpo e as suas mentiras por matar os meus sonhos e tirar o futuro que eu queria. O fato de que eu a amava com tudo não teve importância suficiente para ela entender que ela deveria ter sido honesto comigo sobre sua vida. Eu estava atormentado por uma pergunta: se a pessoa que eu

405


amava nunca realmente esteve lá em tudo? Eu não tinha maneira de saber com certeza. O que eu sabia era que quando eu quebrei e voltei para ela no dia de sua formatura, ela não poderia ter estado mais feliz. Na época, eu ainda era um maldito acidente e eu uma parecia merda de cachorro, e me cortado em tiras que ela parecia que tinha acabado de ganhar Next Top Model da América. Agora eu literalmente estava de costas na minha cama e debaixo de mim, algo que eu queria por quatro anos, mas foi uma vitória vazia, porque eu sabia que ela tinha apenas traído sua namorada comigo. Fiquei imaginando que mentira ela iria criar para obter-se fora desta geleia e egoisticamente eu esperava que sua namorada fosse despejar sua bunda. Essa foi uma maneira de resolver o problema de ter que ver outra pessoa com as mãos sobre minha garota. Eu a abracei forte e bufei enquanto ela dormia, e eu me repreendi porque eu sabia que ela era a porra da minha kryptonita. Não importa o quanto ela me machucasse, eu ainda a queria. Ela ia ser a minha desgraça de novo, não há dúvida sobre isso. Enquanto ela dormia eu pensei sobre o que eu precisava fazer, no que diz respeito aos meus irmãos recém-adquiridos. Dominique nunca tinha dito nada menos do que brilhante sobre seus irmãos, quando eu estava com ela. Ela fez parecer 406


como se fossem as melhores coisas desde o pão fatiado, e não importa o que mais ela tinha mentido sobre, eu acreditava que ela não tinha mentido quando demonstrou o amor que ela tinha por seus irmãos. Se não fosse pelo fato de que eu me lembrava de Dante, eu poderia ter sido capaz de ir embora... Mas a verdade é que eu senti uma conexão com ele. O outro pensamento que tive foi que a forma como as coisas estavam agora, se algo acontecer comigo, Leah seria deixada sozinha, sem família. Deixando nossos irmãos em nossas vidas parecia ser uma boa escolha. Isso significava que eu não podia me dar ao luxo de foder com Dominique. Eu já estava vivendo no limite onde ela estava em causa e se a nossa família descobrisse, merda, iria ficar feio rápido. Eu fiz a minha mente que, quando ela se levantasse, eu chutaria seu rabo no meio-fio e seguiria em frente. Seria a coisa mais responsável a fazer. Meu coração tomou decisões em que ela estava preocupada que poderia voltar a me morder na bunda e eu precisava cortar pela raiz imediatamente. Assim que eu tomei essa decisão, ela mudou em meus braços, girando em seu sono e acariciando seu rosto contra meu peito. Meu pau imediatamente passou de difícil aço reforçado em menos de dez segundos. Passei a mão em seu rosto para baixo 407


para seu peito esquerdo, colocando-o na minha mão e esfregando o mamilo com o polegar. Ela se mexeu inquieta contra mim, como ela deixou escapar um pequeno suspiro ofegante que senti em toda parte. Quando eu belisquei seu mamilo, ela acordou com um suspiro, arqueando as costas e deslizando a perna sobre a minha. "Mm... meu sonho favorito de novo", ela murmurou, sonolenta. Se este era um sonho, eu nunca quis acordar. Deslizando minha mão até seu centro, eu achei que ela estava molhada. Eu girei meu dedo sobre seu clitóris uma dúzia de vezes, rindo enquanto ela tentava um ângulo mais perto de mim em seu sono. Agarrando-a, eu a tinha descansando na minha coxa, eu deslizei o meu corpo e engatei-a por cima da minha bunda. Instintivamente os braços em volta de mim e seus dedos deslizaram em meu cabelo quando ela mexeu contra mim. Puxei meu pênis rígido comecei a esfregar a ponta para cima e para baixo em sua boceta encharcada. Ela gemeu e arqueou quando seus olhos se abriram de novo, sorrindo quando ela viu meu rosto. "Eu te amo tanto baby", ela sussurrou: "Por favor, volte para mim”. Eu me assustei com as palavras dela, confuso quando a vi fechar os olhos novamente. Ela estava

408


sonhando ou ela estava acordada? Mais importante, ela quis dizer o que ela disse? Inclinando-me, eu esfreguei seu rosto antes de plantar uma série de beijos suaves em seus lábios. Eu gentilmente lambi e mordisquei seus lábios quando ela começou a se contorcer delicadamente debaixo de mim. Eu percebi que ela realmente estava dormindo, e eu me senti incrivelmente decepcionado. Eu não acreditaria se ela me disse que ela ainda me amava de qualquer jeito... Certo? "Acorde gatinha", eu sussurrei em seu ouvido. "Eu quero brincar”. Ela veio com um sobressalto, os olhos arregalados quando ela percebeu o que ela achava que tinha sonhado que realmente estava acontecendo. Os olhos dela se suavizaram enquanto ela me acolheu, os lábios entreabertos nos meus enquanto eu deslizei minha língua em sua boca, saboreando seus doces beijos quando nos abraçamos. Puxei meu pau de novo eu deslizei a ponta dentro dela, gemendo alto enquanto seu calor me queimava e sua boceta apertada me puxava para dentro. Nós levamos isto lento e suave, o tipo de amor que eu não tinha experimentado em quatro anos. Rolando sobre minhas costas, eu a ajudei a sentarse em cima de mim, sorrindo enquanto ela assumiu o controle e começou a me montar. 409


"Toque-se para mim gatinha. Comece com suas tetas e me dê um show”. Ela corou, mas cumpriu qualquer maneira, deslizando as mãos até seu estômago até que ela estava colocando um de seus seios exuberantes em cada mão. "Baby lento. Tira o prazer. Eu quero ver”. Sua boceta apertada contra meu eixo doendo me disse que minhas palavras foram virando adiante. Ela suavemente beliscou os mamilos entre o polegar e o indicador, arqueando as costas e gemendo quando ela fez isso. "É tão bom", ela gemeu. Segurei seus quadris firmemente em minhas mãos enquanto ela continuava o galope para cima e para baixo no meu pau, e ela continuava a beliscar seus mamilos e acariciar seus seios. Sua vagina me escaldado com calor úmido, fazendo minha respiração vir mais rápido e mais difícil. Estendendo a mão e cobrindo suas mãos com a minha própria, eu puxei-as longe de seus seios. "Agora eu quero que você deslize esses belos dedos para baixo na sua boceta quente. Use uma mão para espalhar esses lábios cor de rosa inchado e sua outra mão para se masturbar seu clitóris. Toque sua boceta para mim gatinha. Faça-se sentir bem”. Ela estremeceu e gemeu quando uma mão espalhou seus lábios abertos e a outra mão deslizou sobre 410


sua boceta molhada encharcada. Eu podia sentir o cheiro de cada pedaço delicioso de sua excitação como veio ela, e eu queria desesperadamente chupar cada gota possível. Quatro anos sem o seu gosto na minha língua estava muito tempo maldito. "Coloque seus dedos na minha boca gatinha. Deixeme provar que você”. Ela estendeu os dedos para mim e engasgou quando eu chupava dois de seus dedos em minha boca. Eu tinha fodido tantas mulheres enquanto ela estava fora, mas nenhuma uma vez eu tinha ido para baixo em qualquer uma delas. Ninguém cheirava como ela, e quando eu provei sua excitação em meus dedos, eu estava sempre decepcionado que ninguém provou tão bom como ela. Toda a experiência me ensinou que ela era única. Ela tinha gosto de uma iguaria rica que eu saboreava na minha língua, como o melhor dos vinhos. Se eu morresse com seu gosto na minha língua, eu iria um homem feliz. Depois de lamber fora todo o seu creme, eu puxei os dedos da minha boca e deslizei sua mão de volta para seu sexo. Eu comecei a correr de cima a baixo mais rápido que os dedos trabalharam seu clitóris e ela gemeu e gritou. Comecei a empurrar-me difícil sob ela, mal conseguindo segurar até que ela se estilhaçou em cima de mim e veio com um grito de espanto. Eu empurrei com força e profundamente uma última vez antes de passar-me dentro dela. 411


Caindo contra o meu peito, ela colocou em mim em silêncio por alguns minutos. Eu sabia que tinha que dizer alguma coisa para ela, então eu disse que a primeira coisa que me veio à mente. "Você vai dizer a sua namorada que você me fodeu”? Ela endureceu contra mim, sentando-se em linha reta e colocando a mão no meu peito. "Você não pode pensar seriamente que, se eu tivesse uma namorada eu estaria sentado aqui com você ainda dentro de mim, certo? Se você achava isso, você é um idiota. Sou solteira. Tally e eu terminamos”. O conhecimento de que ela era solteira mudou tudo, e eu endureci dentro dela novamente. Não havia nenhuma razão para parar de transar com ela... ainda. Andando de costas, comecei a empurrar para dentro e para fora dela, bebendo seus gritos quando peguei velocidade e a fodi com mais força. Depois de três rounds nos levantamos e comemos tigelas de cereal. Eu disse a ela que eu ia chamar Leah de manhã para lhe dizer que tínhamos irmãos, e que eu pretendia ir na casa de Dante para o jantar de domingo em dois dias. Ela sorriu encorajadora para mim antes de dizer: "Você está fazendo a coisa certa. Eu prometo você não vai se arrepender”. 412


Eu não tinha tanta certeza sobre isso. Ela tinha estragado meu mundo ordenado em pedacinhos, e em questão de horas eu senti que não estava em terra firme. Eu estava mastigando o último pedaço de cereal quando eu percebi que eu tinha tido relações sexuais com ela sem camisinha durante todo o dia e a enchi de porra cada vez que eu vim. Amaldiçoei sob a minha respiração quando o meu primeiro impulso foi a esperança de que eu a engravidei. Minha fraqueza onde ela estava preocupada me irritava, então quando eu perguntei a ela sobre o controle de natalidade que saiu como se eu estava com raiva. "Tenho vindo dentro de você o dia todo. Por favor, diga-me, porra você está limpa e toma pílula”. Ela perdeu a cor de seu rosto e seus olhos se tornaram lívidos, quando ela olhou para mim como se eu tivesse acabado de anunciar que eu era um serial killer. Eu olhava para ela enquanto esperava por uma resposta, perguntando por que ela estava respondendo da maneira que ela estava. Ela sentou-se ereta e olhou para mim. Tally era a única pessoa que teve relações sexuais comigo nos últimos quatro anos. “Eu estou limpa e felizmente para você eu estou no controle da natalidade para regular minha menstruação. Você não tem que se preocupar comigo ficando grávida o que eu tenho certeza que é um enorme alívio, porra”. 413


Deslizando a cadeira para trás, levantou-se e saiu da cozinha. Esperei alguns minutos, antes de seguila para o quarto. Encontrei-a no meu quarto enquanto terminava de colocar suas roupas. Eu queria que ela ficasse, mas eu não estava prestes a dizer-lhe isso. Em vez disso eu joguei frio e calmo quando eu fingi que a coisa toda não significava nada. Eu mesmo a acompanhei até a porta depois, dizendo a ela que eu tinha certeza que eu iria vê-la em breve. Eu a vi mais cedo do que eu pensava, porque quando nós começamos, nós não podíamos parar. Todos os dias eu liguei e exigi que ela viesse depois do trabalho, e todas as noites em que fizemos amor até que ficarmos fisicamente exaustos e não podíamos mais fazer isso. Estávamos desconfortáveis em torno de nós em qualquer situação que envolvia ambos os conjuntos de nossos novos membros da família, nós dois fingindo que não nos conhecíamos. Ela me confessou que Damien estava em saber sobre o fato de que ela sabia quem era Leah e eu, mas ele era o único. Eu juro que eu poderia dizer que ele sabia de algo mais, porque ele não foi tão quente e me aceitou como meus outros dois irmãos. Ele saiu do seu caminho para estabelecer uma relação com Leah, mas ele me segurou no comprimento dos braços. Sinto alguns sentimentos cautelosos sobre mim vindo de sua tia Sandra 414


também, mas não é nada que eu possa realmente explicar. Ou eles sabiam ou suspeitavam de algo, mas eu duvidava que eles pudessem chegar perto de adivinhar a verdade.

***

Fiquei emocionado com a minha família recémadquirida, surpreso ao descobrir que eu gostava muito de fazer parte de uma unidade. Eu gostava especialmente de avó de Dominique, porque ela era esperta como um chicote e engraçada como o inferno. O dia do casamento de Spencer e Damien foi surreal para mim, porque assistindo Delilah andar pelo corredor em um vestido de noiva colocou ideias na minha cabeça sobre Dominique. Eu sabia que iria amá-la pra sempre, mas o que eu não sabia era se ela me amava mais. Ela largava tudo quando eu ligava para ela, mas vivendo comigo oficialmente agora ela nunca me disse que me amava. Eu nunca disse a ela também, e eu achei que eu perdi as palavras que vêm de nós dois. Nós costumávamos dizer um para o outro constantemente, e eu desejei que pudéssemos novamente. Para que isso aconteça, eu precisaria engolir meu orgulho e tentar fazê-la se apaixonar por mim, para esse tempo real. 415


Capítulo 33 Dominique Eu precisava contar a minha família a verdade sobre Dillon e Leah. Além de Damien, ninguém na minha família sabia que eu tinha conhecido os Coopers antes, e eu me senti como uma idiota por mantê-lo de Delilah em particular. Dillon e Leah foram se integrando na família mais e mais, a cada dia, e me senti mal por manter a importância de seus papéis na minha vida, para mim mesma. Dillon e eu estamos juntos cada momento disponível e embora o nosso arranjo atual pudesse ter indicado para alguém que havia uma falta de profundidade, eu estou começando realmente a acreditar que ele ainda tem sentimentos profundos por mim. Eu acho que eu tenho um monte de trabalho a fazer para romper as barreiras que ele tinha erguido, mas pela primeira vez em quatro anos, tenho esperança de que isso pode ser feito. Damien tinha vindo atrás de mim querendo mais de uma explicação sobre a minha relação com Dillon em particular, mas eu segurei-o, dizendo-lhe que não era nada com que ele precisasse se preocupar. Eu o conhecia bem o suficiente para perceber que ele não acreditava nisso, mas eu não sabia mais o 416


que dizer. Eles eram irmãos que precisavam estabelecer um relacionamento e se Damien soubesse o que tinha acontecido, ele iria culpar Dillon, mesmo que a parte do leão da responsabilidade era minha. Já Damien não saber alguma coisa estava se tornando um problema, porque ele era nada mais do que superfície amigável para Dillon. Eu também podia ver que a falta de calor de Damien, onde Dillon estava envolvido estava começando a irritar Dante, o que me encheu de culpa. Minha vida de segredos estava afetando as pessoas que eu mais amo no mundo de forma negativa, então era hora de eu começar a brilhar uma luz sobre as coisas que eu tinha realizado por trás deles. Depois de algumas semanas pensando sobre isso, eu decidi confessar a Delilah primeiro. Ela tinha acabado de voltar de sua lua de mel com Spencer, e ela foi me encontrar em meu apartamento no café da manhã. Eu tinha acordado cedo, aconchegada de forma adormecida em Dillon, antes de deixá-lo dormindo, relutantemente, enquanto eu fui à Panera para obter bagels e doces para Delilah e eu comermos no café da manhã. Enquanto eu esperei que ela chegasse, eu dei uma boa olhada ao redor. Eu não tinha estado nenhuma vez em meu próprio apartamento, desde que 417


Dillon tinha estourado de volta para a cena. Durante a primeira semana ou assim que estávamos juntos, era sexo puro e eu fazia a caminhada da vergonha para fora da porta a cada noite, mas ele tinha mudado as regras na semana seguinte, insistindo em que eu começasse a ficar lá. Isso significava que meu apartamento estava quase totalmente em desuso, como algo além de um armário para pegar a roupa e ele mostrasse. Eu não tinha espanado ou feito nada de limpeza em semanas, e foi realmente irritante para estar lá. O espaço era um lembrete de Tally e o erro que eu tinha feito, permitindo que ela se infiltrasse e dominasse a minha vida, mesmo que eu não a quisesse. Mesmo com todas as suas roupas e lixo fora, a presença dela ficou e eu não gostei disso. No meu apartamento nunca me sentia como estar em casa, este título estava reservado para o lugar de Dillon e sei que não vai mudar. Onde quer que ele esteja, é que é estar em casa. Este apartamento é agora, nada mais que uma lembrança desagradável de outra das minhas más decisões. Eu não disse nada para minha família ou para Dillon, mas Leah sabia que Tally permaneceu de outras maneiras também. Ela ligou, mandou uma mensagem e me enviava constantemente, e seu comportamento era por todo o mapa. Um dia ela estava arrependida e implorando o meu perdão, o próximo eu era uma prostituta estúpida que tinha arruinado sua vida. Se um conjunto de mensagens 418


era doce, o próximo conjunto estaria ameaçando. Eu estava começando a ficar com medo e Leah estava exigindo que eu falasse com a minha família sobre o que estava acontecendo. "Você precisa ter uma ordem de restrição contra essa maldita lunática e nossos irmãos precisam ser informados de que ela é uma vadia psicopata. Ela é perigosamente descolada e você precisa levá-la a sério”. No começo eu tinha discutido com Leah sobre isso, mas cada vez mais eu estou com medo do comportamento errático e ameaçador de Tally. Depois que eu falar com Delilah, vou direto à Damien para lhe dizer o que está acontecendo. Espero que seja tão simples como deixar o chefe de segurança da Hart Internacional ter uma conversa com Tally sobre pisar o fora, antes que isso se torne uma questão legal. Meu celular apitou que eu tinha uma mensagem e meu sorriso provavelmente poderia ser visto do espaço, quando eu vi que era de Dillon. Dillon: Cama não tão confortável sem você nela. Eu estou levantando e indo para atender Dante no café da manhã. Vai estar em casa para o almoço? Eu: Café da manhã não perto como apetitoso sem você aqui também. Que tal fazer um almoço na cama?

419


Dillon: Isso é o que você me envia antes de sentarme no café da manhã com seu irmão?!?!? Agora eu não tenho sangue suficiente na minha cabeça para fazer conversa inteligente. Gatinha, você tem uma raia média. Eu: Eu prometo valer a pena a espera. Você me faz tão feliz... Estou tão feliz que você está de volta. Dillon: Eu estou feliz também. Eu acho que é tempo que nós sentarmos e conversamos sobre o que aconteceu. Precisamos de um novo começo. Meu coração começou a bater, alimentado pela esperança e medo. Espero que possamos, finalmente, tornarmos o que eu sabia que estava destinado a ser, o medo sobre como ele iria se sentir quando eu dissesse a ele sobre a perda de nosso filho. Ele tinha sido frio e distante comigo no início, mas cada vez mais eu vi o verdadeiro Dillon voltando. Ele era carinhoso, atencioso e carinhoso agora e ele cresceu para ser mais a cada dia que passa. Apenas duas semanas atrás, ele nunca teria me enviado as mensagens de texto que só ele tinha, mas agora parecia vir naturalmente. Será que a sua atitude em relação a eu ficar na mesma, uma vez eu disse a ele o que tinha perdido? Eu me perguntei se ele iria se culpar por me deixar ir ou me culpar por ter mentido em primeiro lugar. Com esperança em meu coração, eu mandei uma mensagem para ele de volta. Eu: Eu concordo. Hoje? 420


Dillon: É um encontro. Encontro você na minha cama ao meio-dia para uma conversa de piquenique. Vou trazer bebidas e sobremesa, se você parar e obtiver os sanduíches. Eu: Considere feito. Vejo você lá, não posso esperar! Fiquei surpresa com uma batida na minha porta vinte minutos antes que Delilah estava para chegar. Ela tende a estar sempre na hora certa, então eu assumi que ela estava aqui mais cedo, porque estava com fome. Balançando a porta com um sorriso, eu disse, "Eu acho que o meu sobrinho ou sobrinha está com fome”. Minhas palavras foram interrompidas quando vi que era Tally na minha porta e eu percebi que ela tinha uma arma. Acenando-o em um gesto que me disse para dar um passo atrás, ela sorriu para mim. "Essa é puta mesmo, é hora de pagar. Vire-se e caminhe até o sofá”. Eu estava tremendo como uma folha, mas eu não era estúpida ou louca o suficiente para discutir. Voltando aos poucos eu fui para o sofá, mas depois senti uma dor explosiva na minha cabeça e eu estava caindo em direção ao chão quando a escuridão tomou conta de mim.

*** 421


Delilah Eu estava quase na Dominique quando senti o pânico tomar conta de mim e meu coração começou a acelerar. Algo, ou alguém, estava assustando minha irmã e eu apertei o acelerador até o chão e levou como se dirigir um carro de corrida fosse o meu trabalho. Ela estava escondendo algo de mim ultimamente, mas o que quer que fosse não era ruim. Ela estava mais feliz do que eu a tinha visto em anos e Spencer e eu estávamos emocionados ao vê-la. Eu não poderia aprimorar em que estava errado, porque eu não conseguia sentir nada além de pânico e trevas. Isso assustou o inferno fora de mim para ter a conexão escura porque me lembrou de como eu me senti quando o que ela tinha sido atropelada por um carro, na noite de nossa formatura do ensino médio. Um minuto eu sabia que ela estava feliz, a próxima eu senti terror e depois não havia nada. Para além do momento em que eu tinha acordado no hospital acreditando que meu bebê tinha ido embora, a noite do acidente de Dominique foi a pior experiência da minha vida. Dei um suspiro de alívio quando eu puxei em seu complexo de apartamentos e vi seu carro no meiofio. Ela estava perto o suficiente para me ajudar e isso era tudo que importava. Corri para a porta, torcendo a maçaneta para encontrá-la 422


desbloqueada. Ela estava desmaiada no chão a poucos metros da porta e eu estava no processo de ir à ela quando fui empurrada por trás. Eu caí no chão sem firmeza. Quando me virei para ver quem me tinha empurrado eu encontrei-me olhando para Tally e a mãe de Spencer. Vi que Tally tinha uma arma e eu a vi elevando-a sobre a minha cabeça para me bater, e então não havia nada.

A história de Spencer, Delilah, Dominique & Dillon vai continuar em Finding Hart...

423

Profile for Ana Paula Oliveira

Missing Hart (The Hart Family Book 5) - Ella Fox  

Minha vida foi construída em uma montanha de segredos, mentiras e meias verdades. Durante muito tempo, não fui capaz de deixar ninguém se ap...

Missing Hart (The Hart Family Book 5) - Ella Fox  

Minha vida foi construída em uma montanha de segredos, mentiras e meias verdades. Durante muito tempo, não fui capaz de deixar ninguém se ap...

Advertisement