Issuu on Google+

Inรก Castaldi

Conquistas e ideais

Ano 8 Ed.28 R$ 14,90

000 28

ISSN 2176-249X

9 772176 249026


www.revistastudiobox.com.br

2


Carta ao leitor “ Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso, porque já chorei demais. Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe, só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou nada sei.” Almir Sater

T

enho certeza que todos já passaram pela fase de querer tudo para ontem, ou então, aquele momento em que acha que nada dará tempo e, até mesmo aquela hora em que sozinho, você chega a conclusão (errônea) de que não será capaz de seguir em frente.

Em oito anos, isso mesmo, oito anos de StudioBox meus queridos amigos leitores, muitas coisas já aconteceram, muitas histórias já foram contadas e praticamente 1\3 da minha vida passou. Tudo aconteceu tão rápido, que até eu mesmo me questiono se é verdade. Já desejei coisas, que atualmente enxergo que não valeria a pena se não estivesse acompanhado da minha familia, meus pais e amigos verdadeiros. Posso dizer que neste período, essa revista que hoje entra em tantas casas, lojas, escritórios e clínicas passou por três fases: primeiro o sonho que eu queria muito realizar, depois se tornou um desafio para minha vida, pois precisava mostrar a mim mesmo e aqueles que acreditaram em mim e no projeto, que ele seria um sucesso, hoje, só tenho a agradecer e dizer que estou em uma das melhores fases, o sentimento de dever cumprido. A tímida revista idealizada pelo garoto de pouco menos de 20 anos é sucesso e já narrou a vida de quase 100 pessoas mais do que especiais. Pessoas que mereciam ser lembradas não pelo que elas conquistaram, mas como elas conquistaram. Amigos e amigas que realmente têm história pra contar e se orgulham demais de contá-las , muitas vezes com os olhos marejados. Foi a partir desta publicação, que nasceu uma editora, que leva meu nome, algo que nunca imaginei, pois meu principal objetivo com a revista era ter sucesso e poder contar isso ao meu maior fã, que ao ler isso saberá que é ele. Só posso agradecer a Deus e a todos que fazem parte da história dessa empresa criada a partir de um sonho adolescente e principalmente dizer: “Pai, muito obrigado por estar sempre por perto e por nunca me deixar desistir desse sonho. EU CONSEGUI, valeu a pena !!!” Que venham mais barreiras, mais desafios, mais dificuldades, mas que nunca faltem os sonhos, pois eles fazem da nossa vida algo incrível dia após dia. Muito obrigado e espero contar com todos vocês por muitos anos.

Maycow Montemor


www.revistastudiobox.com.br

8


9

www.revistastudiobox.com.br


www.revistastudiobox.com.br

10


Editorial A última edição de 2011 da StudioBox está repleta de novidades. Na reportagem de capa, a história da empresária Iná Castaldi, que fala sobre as dificuldades e superações vividas em sua trajetória como mulher, filha, engenheira e mãe de trigêmeos, além de estar a frente de uma das mais bem conceituadas construtoras da Baixada Santista. Na editoria de Comportamento, uma matéria sobre obsessão amorosa, com uma história real de superação e uma entrevista com a psicóloga especialista em coaching, Silene Formolaro. Preparamos ainda um especial sobre arquitetura e decoração em uma editoria exclusiva sobre a SantosArquidecor 2011. Um perfil com a arquiteta Célia Spada e uma matéria sobre dois grandes empreendimentos inaugurados em Santos, a Kartell e a Attmos House. Confira ainda matérias sobre, doenças psicossomáticas, alimentação saudável através de grãos, carros 4x4, dica de roteiro com Marco Antônio, e muito mais.

expediente Direção Maycow Montemor (MTB 63.051) Diretor Financeiro José Carlos dos Santos Jornalismo Letícia Fontes Diagramação Ana Beatriz Noya Assistente de redação Alarice Moraes Colaboradores Gisela Kodja Fotos Rafael Vaz Assistente de Fotografia Eric Augusto Borges Consultoria Jurídica Flávia Barile Logística Léya Santana Publicação Bimestral - Tiragem 15.000 exemplares Coan Gráfica Esta é uma publicação da M. Montemor Editora com todos os direitos reservados.


www.revistastudiobox.com.br

14


15

www.revistastudiobox.com.br


Índice

Pág. 48

Iná Castaldi

Conquistas e ideais Renovação pág. 24

Santos Arquidecor pág. 76

Liberdade na moda pág. 28

Profissionalismo pág. 92

Off-road urbano pág. 30

Cuide de sua postura pág. 94

Alimentação saudável pág. 34

Sexo sem preguiça pág. 96

Paixão por viagens pág. 36

Prazer feminino pág. 99

Doenças Psicossomáticas pág. 39

Branemark pág. 102

Célia Spada pág. 42

Tecnologia do Zoom2 pág. 104

Saúde dos sonhos pág. 46

Obsessão amorosa pág. 107

Resorts pág. 58

BlogHer 2011 pág. 110

Giovanni Marganelli pág. 64

Viagem Gastronômica pág. 112

Kartell pág. 66

Dicas da redação pág. 114

Attmos pág. 68

Coluna Social pág. 116

Shape II pág. 70

Espaço de Recordações pág. 118


www.revistastudiobox.com.br

22


23

www.revistastudiobox.com.br


reflexão

Renovação

Foto: Eduardo Virtuoso - www.eduardovirtuoso.com

“A luta enriquece de experiência, a dor aprimora as emoções e o sacrifício tempera o caráter”. Chico Xavier

www.revistastudiobox.com.br

24


www.revistastudiobox.com.br

26


crônica

Liberdade na moda Por Clara Monforte

Foto: Imagem de divulgação

A

lguns, ao lerem esta crônica, pensarão: “o que uma colunista social tem que se meter com moda?”... Afinal, há tantas “experts” no assunto no mercado... O fato é que não resisto a tanto colorido!

cado em harmonia, pode e deve ser misturado. Foise o tempo em que a “sandalinha” tinha que ser da mesma cor da “bolsinha” que, por sua vez, também tinha que ser do tom do “cintinho”. Nada a ver. O tricô e o crochê – a famosa dupla – entraram com tudo e conferem feminilidade, além do valor do trabalho, quando executados manualmente. Aliados às sedas, formam um trio perfeito.

As cores me remetem ao prazer de viver. Eu me rendo diante do Sol! Acho, apenas, que este ano de 2011, ele ainda está tímido demais. Precisa aparecer... radiante, para conferir energia, luz e calor!

Experimente usar uma “pantalona”, super cotada, azul marinho, com uma blusa regata ou com meia manga na cor verde. Fica demais! Acabou também o “mito” de que as saias longas são só para as de estatura alta. As “baixinhas” também têm vez nesse item. Se isso for problema, é só colocar uma big sandália de salto bem alto e pronto. Adoro, também, essas saias com rasteirinhas. Opções, hoje, são o que não faltam.

A sofisticação se instalou nas coleções do verão – tons turquesa, alaranjados, amarelos e verdes marcam a estação. As listras em várias tonalidades, verticais ou horizontais, facultam às mulheres exibirem belas silhuetas. Nem pensar no “peso”, como é a “neura” de muitas, mas, sim, lembrar que a beleza vem de dentro para fora e as belas roupas completam o visual. Enchem os olhos.

Camisas, shorts, bermudas... essas peças são eternas e merecem ser exploradas. Roupas, sapatos e bolsas no visual chamado “bicho”, batas com ombros caídos... Ah, foi bom lembrar – os decotes fugiram do lugar comum, cobrem um só ombro. Isso dá um charme especialíssimo.

De texturas variadas, dão lugar especial às rendas. É o máximo. Ao mesmo tempo em que demonstram “luxo”, são transadas e podem ser usadas de forma esportiva, descontraída. Aí, elas pedem colares, pulseiras e adereços, de preferência coloridos! Um charme! A tônica também são os babados que enfeitam e deixam um ar jovial, claro, quando colocados sem exageros.

Liberdade – força que nos conduz. Cor – visual que nos alegra. Sol – energia que nos aquece. Vamos mergulhar nesse universo e curtir o verão!

A moda vem, cada vez mais versátil. Tudo que, colowww.revistastudiobox.com.br

28


automóveis

Off-road urbano

A Reinvenção dos carros 4x4

Foto: Imagem de divulgação

Mitsubishi Pajero Dakar produzida no Brasil (a partir de R$ 135.990,00)

P

ersonalizados e mais potentes, os carros 4x4 voltaram com tudo para o mercado automobilístico e atendem um novo público. Os modelos foram revitalizados para serem utilizá-los em centros urbanos. A procura por esses veículos com tração nas quatro rodas está em alta devido à segurança e praticidade que oferecem ao consumidor. O mercado compreendeu que os modelos são úteis não apenas para estradas, mas sim para o cotidiano e em pisos de pouca aderência. Os carros 4x4 enfrentam todo tipo de terreno, a tração do motor tem como objetivo distribuir a força

www.revistastudiobox.com.br

30

da aceleração para as quatro rodas do veículo. E este tipo de sistema possui duas divisões, as selecionáveis e as integrais. Na concessionária Seagaia, em Santos, inúmeros modelos 4x4 da marca Mitsubishi podem ser encontrados, carros como Pajero TR4, Pajero Dakar, Pajero Full, Outlander, L200 Triton e ASX. “Dependendo das necessidades de cada família temos o produto que melhor se adapta a elas”, comenta Marco Crespo, proprietário da Seagaia. Importados do Japão, os carros Pajero são um dos mais procurados da marca. Os brasileiros pro-


curam bastante o TR4 Flex, versão 2.0 e 16v. O veículo também é adequado para encarar o dia a dia, pois possui transmissão mecânica e automática, onde alia segurança e conforto. Os faróis dianteiros possuem um conjunto óptico duplo com lentes translúcidas alongadas. Seu interior é equipado com sistema de som MP3 com entrada para iPod e USB. O modelo vem com ar-condicionado, airbags para motorista, passageiro e direção hidráulica. A versão está a partir de R$69.590,00. A linha 2012 do Pajero Dakar produzida no Brasil veio com o objetivo de substituir o Sport na linha de produção. Em versão flex e diesel, o automóvel possui um modelo esportivo para sete lugares. Seu interior traz bancos revestidos em couro preto e sistema de som para DVD, MP3 e Bluetooth. Porém, a tecnologia é o que mais se destaca neste modelo. Para se ter uma ideia o veículo contém GPS, sensor de chuva, piloto automático no volante e freios a disco nas quatro rodas. O preço é de R$ 135.990,00. Já o Pajero Full desenvolvido por designers japoneses se trata de um modelo mais agressivo. Seus faróis retangulares com grade preta com filetes cromados e capô de alumínio trouxeram ao veículo uma aparência robusta. O carro contém sistema

de navegação em uma tela de cristal líquido, onde transmite informações do rádio para o notebook. A maior novidade é o motor de 250 cv, com versão maior que a anterior. O Pajero Full Diesel tem um preço equivalente a R$157.990,00. O modelo Outlander V6 3.0 impressiona por sua combinação de força, design e luxo. O modelo traz em seu interior, seis airbags, sensores de chuva, bancos de couro, rádio CD/MP3/ Bluetooth e porta luvas refrigerado. Além de um computador de bordo com tela de LCD, revestimento de couro nas portas dianteiras e um motor de 240 cv. O esportivo 4x4 custa R$133.990,00. A picape L200 Triton ganhou uma nova versão em diesel, automática e flex mecânica, tornando-se a camionete mais vendida do segmento. “A L200 foi eleita pelo segundo ano consecutivo a melhor pick-up do mercado nacional. O modelo é voltado para serviço devido aos 30 cm a mais de caçamba”, explica. O automóvel contém volante multifuncional para sistema de som e piloto automático. Possui GPS por satélite com tela sensível ao toque, ar-condicionado, direção hidráulica e freios antitravamento, além de conter um motor de 165 cv e tração 4x4 reduzida. A versão pode ser encontrada por R$106.990,00.

Mitsubishi L200 Triton produzida no Brasil (a partir de R$106.990,00) Foto: Imagem de divulgação

31

www.revistastudiobox.com.br


Foto: Imagem de divulgação

Mitsubishi Pajero TR4 versão 2.0 (a partir de R$ 69.590,00)

Porém, opções é que não faltam. Inúmeros veículos 4x4 Mitsubishi podem ser encontrados na Concessionária Seagaia. O modelo ASX voltado a centros urbanos possui uma aparência mais elegante.

Em condições normais o eixo traseiro é acionado pelo motor pelo botão do painel interno do veículo, acionando uma alavanca e fazendo com que o eixo dianteiro seja colocado em movimento.

A versão automática possui uma textura externa mais aveludada. Pensando em agradar as mulheres, a Mitsubishi desenvolveu um sistema de bancos sem costuras para não marcar a pele para aquelas que possui o hábito de utilizar saias.

Em casos de curvas ou manobras, o sistema tradicional de tração não é acionado em pisos de alta aderência, devido a possíveis danos que podem ser causados aos componentes da transmissão. Um exemplo da Mitsubishi, que possui esse sistema é a Pajero TR4.

Alguns itens de segurança podem ser encontrados no modelo como airbags frontais, laterais e de joelho, detector para situações de perigo e teto panorâmico com iluminação em LED. O ASX modelo 4x4 custa equivalente a R$102.990,00.

Como funciona o 4X4 Os veículos “off-road” são os mais procurados por seus sistemas selecionáveis. O modelo possui uma caixa de transfender onde saem dois eixos cardãs, o dianteiro e o traseiro. Em uma visão geral, os cardãs são compostos por dois eixos tubulares. O primeiro é centrado à fonte motriz, que transmite força ao motor. E o segundo eixo está ligado à tração. www.revistastudiobox.com.br

32

Já os sistemas integrais a funcionalidade da tração 4x4 é permanente. Esse modelo requer um diferencial central para estabelecer a diferença de velocidade entre as rodas traseiras e dianteiras. Um exemplo deste sistema é o Mitsubishi ASX. Em condições de piso adversas somente o eixo com menor aderência recebe o toque do motor, parando o automóvel. Porém, um bloqueio central pode ser adicionado garantindo potência aos dois eixos, o traseiro e dianteiro. A Concessionária Seagaia está localizada na Rua Joaquim Távora, 111, na Vila Mathias, em Santos.


bem estar

Alimentação saudável O poder de cura dos grãos

Foto: Imagem de divulgação

A

s temperaturas estão subindo, falta pouco para a estação mais quente do ano e nessa época é comum as pessoas começarem a adotar hábitos mais saudáveis.

Alguns costumes podem contribuir com a dieta e o início de uma alimentação saudável, fácil de encaixar na rotina, como o consumo de grãos e cereais, que são principalmente fontes de fibras. Através de uma ingestão adequada desses alimentos, o corpo recebe vários benefícios: melhora do funcionamento intestinal (as fibras se transformam em “alimento” para as bactérias intestinais e elas passam a produzir substâncias benéficas ao intestino), redução dos níveis de colesterol no sangue, aumento da saciedade e, além disso, atuam na digestão de carboidratos e gorduras. Há algum tempo, uma nova maneira de se consumir esse tipo de nutriente surgiu. Com o nome de “ra-

www.revistastudiobox.com.br

34

ção humana”, a farinha de grãos foi pauta em diversos veículos de comunicação. Trata-se de um suplemento constituído pela mistura de vários alimentos integrais, além das marcas industrializadas, há uma grande oferta de ingredientes a granel, o que torna possível retirar ou acrescentar ingredientes da formulação, acarretando em diversas variações na composição do produto. Entre os ingredientes estão: aveia em flocos, farelo de trigo, semente de linhaça, gérmen de trigo, farinha de arroz integral, açúcar mascavo, farinha de soja, quinua real, guaraná em pó, fibra de trigo, levedo de cerveja, gergelim. De acordo com a nutricionista, Omércia da Silva, o ideal é consumir uma colher de sopa de “ração humana” juntamente com as refeições ou entre os lanches realizados durante o dia. “Cabe salientar que a “ração humana” não supre


todas as necessidades nutricionais de uma pessoa, portanto, não substitui uma refeição”, alerta a nutricionista.

(β-glucanas) que possuem a capacidade de diminuir concentrações sangüíneas de glicose e colesterol total e LDL-colesterol (“mau colesterol”) em indivíduos saudáveis. Além disso, atuam na digestão dos carboidratos, tornando-a mais lenta.

Os grãos de modo geral, são ricos em fibras e possuem vitaminas, minerais e compostos que merecem destaque, como o ômega-3 e as lignanas, no caso da linhaça, as fibras solúveis (β-glucanas) no caso da aveia e aminoácidos essenciais como a quinua. “Desde que consumidos com moderação, os grãos não acarretam em ganho de peso”, afirmou kokimbos_ed28.pdf 1 18/10/2011 11:10:45 Omércia.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) é recomendada a ingestão diária de 25g de fibras. Estes alimentos são consumidos usualmente junto com frutas, leite, sucos, vitaminas, iogurte, em quantidades razoáveis, geralmente uma a duas colheres de sopa por vez.

Linhaça a semente de linhaça se destaca por apresentar ácidos graxos, além de conter fibras solúveis, proteínas e lignana.

Para uma dieta rica nestes componentes, o ideal é a presença de frutas, preferencialmente com casca. As verduras de folhas verde-escuro: espinafre, couve, agrião, chicória, almeirão, rúcula. Os grãos e os cereais integrais como a aveia, linhaça, farelo de trigo, quinua, gérmen de trigo, gergelim e as leguminosas como o feijão e a soja.

Ômega 3 atua na redução dos níveis de trigli-

cerídeos, auxilia na prevenção de doenças cardíacas e participa do desenvolvimento das funções cerebrais e visuais, apresenta grande importância na prevenção da hipertensão e doenças cardiovasculares.

“É importante ressaltar, que quando incluímos a ingestão de fibras na dieta é muito importante aumentarmos o consumo de água, pois as fibras necessitam da água para atuarem de forma benéfica no intestino, caso contrário pode ocorrer uma constipação intestinal, ou seja, o intestino pode ficar ”preso” ao invés de funcionar adequadamente”, explica.

Quinua é a única que possui todos os aminoácidos essenciais, sendo fonte de proteínas de alto valor biológico, muito importante para o organismo. Aveia possui teores consideráveis de fibras solúveis

35

www.revistastudiobox.com.br


dica de roteiro

Paixão por viagens

Dicas de Marco Antônio Cunha

Fotos: Acervo Pessoal

O

empresário Marco Antônio Cunha praticou natação nos Estados Unidos por um longo tempo. O convívio assíduo com o idioma americano e os hábitos completamente diferentes o tornou um apaixonado por viagens. Hoje, ele é proprietário da escola de idiomas, Personal Language Center, que além de proporcionar aos alunos o contato direto com o inglês, traça de acordo com o perfil do estudante, um intercâmbio.

rando lá há alguns anos. Levei comigo minha namorada, pois viajar é algo que gosto de fazer acompanhado”. A Austrália tem o clima quente e bem ensolarado, totalmente cercado por mar, todas as atividades que envolvem o contato com a natureza são comuns no local. O turismo é um importante setor da economia australiana. Segundo a última pesquisa, a indústria do turismo representou 3,9% do PIB da Austrália no valor de cerca de A$ 32 bilhões para a economia nacional.

Tudo o que envolve o ato de viajar o encanta. Marco Antônio faz questão de elaborar todo o roteiro e explorar bem o lugar escolhido. Outra curiosidade é que ele gosta de viajar acompanhado sempre, seja de amigos ou da namorada.

O idioma oficial é o inglês e a sociedade é bastante homogênea. A prosperidade e o estilo de vida nas principais cidades são muito parecidos.

“Uma das coisas que mais gosto de fazer é viajar, então é difícil escolher um destino preferido, mas confesso que me surpreendi demais quando fui à Austrália e à Nova Zelândia. O motivo da viagem foi visitar meu irmão, Márcio Cunha. Ele estava mowww.revistastudiobox.com.br

“Aproveito minhas viagens para me “inspirar”, seja observando um atendimento em um hotel, loja, restaurante ou até mesmo visitando escolas para que possa recomendar com propriedade aos interessados em realizar um curso no exterior”, reflete.

36


Além da Austrália e Nova Zelândia, Marco conhece muitos outros países. Entre seus preferidos estão algumas ilhas Caribenhas e, principalmente, os Estados Unidos. Ele recomenda um passeio de balão em Napa Valley, onde é possível sobrevoar as vinícolas e depois degustar os vinhos da região, e Carmel, uma pequena cidade muito charmosa. “Costumo viajar para o exterior a turismo de duas a três vezes por ano. Gosto muito do que costumo chamar de pré-viagem, pois é nessa hora que vou à busca dos prazeres a serem descobertos, experiências a serem vividas, histórias a serem contadas”, ressalta. Outro lugar que considera maravilhoso é a Europa, em especial uma ilha da Croácia, que se torna deslumbrante no verão, a ilha Hvar, no leste europeu, que tenta superar lugares como St Tropez e Ibiza. No inverno, Marco Antonio indica Verbier (Suíça) famosa pelas estações de esqui, pela neve (Powder Show) e descontração encontrada no local. Mesmo tendo conhecido diversos lugares, o empresário tem em mente muitos outros. “Sardegna, Ilhas Maldivas, Tahiti, Índia, Nepal e por aí vai”, finaliza com bom humor.


muito além

Doenças psicossomáticas Dores da mente

Foto: Imagem de divulgação

A

Doenças que apresentam sintomas físicos, mas cuja origem possui fundo emocional são chamadas de doenças psicossomáticas, o que de certa maneira torna fibromialgia parte deste grupo.

s dores vieram aos poucos, mais ou menos em 2005. Músculos, articulações e o corpo completamente sensibilizado. No ano seguinte, buscou ajuda médica. Foram mais de 42 exames, entre imagens e coleta de sangue, que não apontaram nenhum tipo de lesão articular, muscular ou alteração hormonal. O assessor de imprensa, Hugo Genaro foi diagnosticado com fibromialgia, aos 21 anos.

São muitos os sintomas que podem ser diagnosticados como psicossomáticos. A psicóloga, Jamille Saad usa como exemplo uma pessoa que apresenta batimentos cardíacos elevados, mas depois de

39

www.revistastudiobox.com.br


realizar alguns exames nada é constatado. Não existe nenhum problema de ordem física que possa causar o sintoma, assim o médico percebe que ela só apresenta a alteração de batimentos cardíacos, quando discute com o marido.

mais técnica, o indivíduo regride, quer atenção, consideração, cuidados. Com tudo isso, quer dizer que quando adoecemos “procuramos” nossa mãe ou alguém que nos deu carinho. Assim, quando criança, o poder de persuasão aumenta. É comum encontrar pessoas “doentes”, que se aproveitam dessa condição para obterem pequenos favores ou comodidades.

“Passei por mais de 10 médicos diferentes. Vários deles não deram a devida atenção. As dores eram intensas e passava dias sem dormir, mas como os exames não apontavam nada, alguns médicos achavam que eu estava querendo atestado para não trabalhar”, contou o assessor.

Na visão cientifica da medicina atual e na grade curricular da maioria das escolas médicas, existe uma divisão do ser humano, que é estudado por partes e sistemas, mas não como um todo. Com isso, profissionais aprendem a tratar de doenças, e não de pessoas doentes, que têm uma existência biológica, psicológica e social.

De acordo com a psicóloga, Adriana Silva Pinto Barrote, as relações entre o corpo e a mente são mais próximas do que costumamos imaginar e os mecanismos inconscientes são muito presentes nesta ligação. Por isso é comum a sensação inicial de que os sintomas “vieram de repente”, “não teve nenhum motivo para que eu ficasse assim”, “não consigo entender o que aconteceu”. Por exemplo, é difícil para um paciente com gastrite identificar quais podem ter sido as causas emocionais do desencadeamento de uma nova crise. A ansiedade e a irritabilidade são sentimentos comuns nos quadros psicossomáticos, e há uma tendência a identificar e culpabilizar eventos externos pelo problema, aumentando a sensação de impotência diante das dificuldades.

Algumas pesquisas comprovam que pessoas com maior dificuldade em exteriorizar problemas, estressadas e solitárias, são mais propensas a desenvolver um quadro depressivo e psicossomático. O corpo humano funciona como um imã, ele de alguma maneira “entende” o que as emoções enviam, com isso corresponde através de sensações negativas e dolorosas.

“A hipótese de que uma pessoa tenha uma doença psicossomática não significa que a dor e a enfermidade não existem. Pelo contrário, o corpo realmente está em sofrimento, com dores, feridas, descontroles e descompensações orgânicas, que inclusive são até dificilmente controladas com as terapias medicamentosas e os recursos da medicina tradicional” explicou a psicóloga.

De acordo com a ciência que estuda o orgon (energia cósmica universal), desde sua influência no bem estar do homem até o seu papel na construção do universo, a emoção “medo” está presente no cotidiano e quando não há nenhuma manifestação exterior, a emoção fica reprimida na consciência, mas presente no organismo.

As doenças psicossomáticas podem se manifestar nos diversos sistemas que constituem o corpo humano, como por exemplo: gastrointestinal (úlcera, gastrite, retocolite); respiratório (asma, bronquite); cardiovascular (hipertensão, taquicardia, angina); dermatológico (vitiligo, psoríase, dermatite, herpes, urticária, eczema); endócrino e metabólico (diabetes); nervoso (enxaqueca, vertigens); das articulações (artrite, artrose, tendinite, reumatismos).

Estudiosos da área dizem que corpo e mente são indivisíveis, e dentro desse parecer todas as doenças são psicossomáticas, pois atingem ambos (corpo e mente).

“Creio que meu estado emocional tenha contribuído, porque culminou com um período ruim profissionalmente e afetivo. Por isso, além do tratamento, creio que é importante procurar uma profissão que te realize realmente. Já o amor, a gente deixa nas mãos de Deus”, desabafou Hugo.

Atualmente, Hugo Genaro, toma uma composição manipulada que mescla analgésicos e relaxantes musculares. Também pratica atividades físicas. “Alguns médicos me receitaram antidepressivos, porém não me adaptei ao tratamento, porque eles me deixam “aéreo”. Os antidepressivos são indicados porque agem em mecanismos cerebrais de percepção da dor. Graças a Deus, encontrei uma neurologista que soube entender o meu caso e prescrever um tratamento adequado”, finaliza.

Outra vertente em estudos que envolvem a psicossomática é o subconsciente e a vontade interna de voltarmos à infância. De acordo com artigo de Luise de Souza Cozzolino Soares, uma criança possui uma força enorme, no sentido de mobilizar as pessoas, emocionalmente.

O indicado é associar o tratamento médico dos sintomas físicos, com o tratamento psicológico da verdadeira causa emocional.

Quando alguém adoece, de certa maneira, volta ou tende a voltar à condição de criança. De maneira www.revistastudiobox.com.br

40


arquitetura

Célia Spada Um talento contemporâneo

Fotos: Imagens de divulgação

F

ormada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos – FAUS e pela Escola Paulista em São Paulo, como designer, Célia Spada tem como característica projetos modernos e contemporâneos, com um toque clássico. Seu interesse pela arquitetura começou desde cedo. Célia sempre gostou de desenhar, decorar e mexer com projetos de design. Por este motivo juntou o útil ao agradável e cursou uma faculdade de arquitetura. Por ter uma agenda muito apertada, Célia divide suas tarefas diárias com intervalos semanais. Visitas à clientes, feiras, eventos e obras, escolha de materiais em lojas, execução de projetos e idas a prefeitura, fazem parte da rotina da arquiteta. Para Célia o que deve ser priorizado em um projeto é a simetria. “Deve-se priorizar sempre a harmonização do layout e os materiais empregados em um projeto. Caso contrário não há harmonia”, comenta. www.revistastudiobox.com.br

42


Ambientes projetados pela arquiteta Celia Spada

zação de projetos como: reforma da Concessionária Citroen Louvre Guarujá, o Terminal da Grieg Retroporto, desde escritórios e armazéns, e a Clínica Unilaser, onde executou todo um andar em nove dias. “Quero continuar trabalhando e fazendo tudo com muito amor, como sempre fiz”, finaliza.

Para captar a essência de cada cliente, Célia explica que é importante estar presente em cada projeto. “É preciso agradar e orientar o cliente para que o produto final seja o melhor”. O maior desafio enfrentado pela arquiteta foi a reali-

43

www.revistastudiobox.com.br


45

www.revistastudiobox.com.br


longevidade

Saúde dos sonhos Por Dr. Thiago Ferreira Lima

Foto: Imagem de divulgação

D

longo da evolução desenvolvemos hábitos de vida diurnos.

ormir não é apenas uma necessidade de descanso físico e mental. Durante o sono ocorrem vários processos metabólicos que, se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e longo prazo.

A partir dos 20 anos de idade, em média, ocorre diminuição de Melatonina entre 10 a 15% a cada década de vida. Com o decorrer da idade cronológica é cada vez mais comum aparecerem os sintomas de uma noite mal dormida, ou seja, uma noite com pouca produção de Melatonina.

As consequências da privação do sono vão muito além do cansaço e da diminuição do desempenho diário. Décadas de pesquisas mostram que o resultado de uma noite bem dormida é a regeneração de quase todos os sistemas do corpo, incluindo saúde da pele, aparência jovem, formação de colágeno, níveis de insulina dentro da faixa normal, peso corporal saudável, níveis de glicose desejados, pressão arterial estável e bom humor.

Ausência de sonhos, sono agitado e interrompido durante a noite e por fim a insônia propriamente dita são os sintomas principais dessa carência hormonal chamada de Melatopausa. Recentes descobertas em relação à Melatonina têm evidenciado outras funções importantes além da própria regulação do sono, a Melatonina desempenha uma potente ação antioxidante o que promove a prevenção de doenças relacionadas ao envelhecimento.

Esses benefícios do sono se dão devido à presença de um hormônio presente em nosso cérebro chamado de Melatonina que é o responsável pela indução do sono.

Dessa forma dormir bem e se necessário repor Melatonina pode ser o primeiro passo para o envelhecimento saudável e a melhora da qualidade de vida.

Com a chegada do período noturno caracterizada pela escuridão, a Melatonina é liberada em grande quantidade no cérebro. Em contrapartida, ao amanhecer, com a presença da luz, ocorre à inibição desse hormônio. É por isso que nós, seres humanos, ao www.revistastudiobox.com.br

Bons Sonhos!

46


47

www.revistastudiobox.com.br


Foto: Rafael Vaz

matĂŠria de capa

www.revistastudiobox.com.br

48


Iná Castaldi Conquistas e ideais “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”

D

esde muito jovem, Iná Castaldi traçou caminhos e alcançá-los seria uma consequência natural, já que sua personalidade objetiva não a deixaria falhar. A história de sua vida se adequaria perfeitamente ao enredo de um filme em que na vida do personagem principal tudo dá certo. Empresária, esposa, filha e mãe de trigêmeos. Iná é uma mulher independente, que traz a sua verdade na maneira de se expressar e em suas atitudes. Nasceu em Santos e estudou no tradicional colégio Stella Maris. As principais lembranças e referências de juventude vêm da Espanha, terra de origem de seus pais, e nas constantes visitas criou raízes, fez amizades e apaixonou-se pela rica cultura daquele país. Engenheira civil formada pelo (Instituto Presbiteriano) Mackenzie, ela enxergou no ofício uma maneira de crescer profissionalmente e alcançar sua independência. À frente da construtora Vértice junto com sua familia, tem se destacado constantemente no ambiente da construção civil com diversos empreendimentos e grandes obras no portfólio. Mas engana-se quem pensa que Iná fica nos bastidores, pois ela faz questão de acompanhar pessoalmente todos os trabalhos em andamento. “Um amor mais forte que tudo, mais obstinado que tudo, mais duradouro que tudo, é somente o amor de mãe”. A frase escrita pelo pensador Paul Raynal, expressa a incondicionalidade do sentimento maternal, que Iná segue a risca, orgulhosa de seus filhos, ela se entrega de corpo e alma ao título: mãe. Encarou com naturalidade a gestação de trigêmeos. Em sua vida parece que tudo fora minuciosamente fadado ao sucesso.

Iná foi capa da Revista Veja e, nesta entrevista com a empresária, temos o prazer de contar uma história que vai muito além dos muros de uma obra.

49

www.revistastudiobox.com.br


Foto: Rafael Vaz


Como decidiu o que faria profissionalmente?

Brasil ou Espanha?

Estudei no Stella Maris até o terceiro colegial e, logo depois, fui para São Paulo e morei na capital por 17 anos. Fiz faculdade de engenharia civil, no Mackenzie. Casei, trabalhei e permaneci lá.

Não dá para escolher. Os dois países têm lugar na minha vida e, não admito que falem mal do Brasil. As viagens oferecem um novo olhar e o Brasil, visto de fora, é ainda mais bonito e valoroso. Eu adoro o nosso país.

Houve alguma pressão familiar na escolha da faculdade?

O que a encanta na Espanha? Sou da Galícia, então, toda a cultura da região me encanta. Não me vejo completa sem pensar na aldeia. Lá é o lugar que coloco minhas energias em dia e esqueço todos os problemas.

Não, na realidade sempre fui muito racional e sempre pensei lá na frente. Para que dificultar se eu posso facilitar as coisas? Tinha muita aptidão em matemática, física e química, essas eram áreas que eu dominava na escola. Meu sonho era ser egiptóloga e como percebi que era algo difícil, mantive meu pé no chão. Não conseguiria viver no meio do nada, não teria uma família, um ponto fixo. Então, ficou uma coisa meio utópica e desisti. Quando estava perto de escolher a carreira fiquei em dúvida. Até passou pela minha cabeça fazer arquitetura, mas achava que arquitetura era para artista, e eu não tinha competência para isso. Pensei: “o que posso fazer perto dessa área?”.

Como você se comporta em relação a sua religião? Sou católica, mas hoje me considero mais aberta e acredito em tudo. Respeito todas as religiões, tanto que meu sonho... era ser egiptóloga, então, penso que se algum dia isso passou pela minha cabeça é porque de algum modo pensei em Deuses.

Tem medo da solidão? Ah, eu sou muito família. Muito, mesmo. Então, desde que me casei e tive meus filhos, vivo em função deles e nunca deixei de dar atenção a tudo o que se refere à minha casa. Tendo a família por perto você nunca está só.

“Sou da Galícia, então, toda a cultura da região me encanta. Não me vejo completa sem pensar na aldeia. Lá é o lugar que coloco minhas energias em dia e esqueço todos os problemas”.

Você acabou sua faculdade, começou sua vida profissional... Você fazia o que em São Paulo?

Sua determinação um tanto quanto precoce, nunca assustou seus pais? Nunca, pois sempre fui uma pessoa muito decidida. Em nenhum momento, perguntei se estava certo ou se estava errado. Eu tinha objetivos e uma meta para seguir. Costumo dizer aos meus filhos: “ninguém se contenta com meia namorada ou meio namorado, então, como se contentar com nota cinco? Tem que ficar satisfeito com dez. Dez é a nota”. Não importa o quanto seja difícil, a meta precisa ser cumprida em cem por cento, não vale a pena fazer nada pela metade.

E a vida social... os amigos? A minha adolescência foi diferente da dos meus colegas de escola. Eu sou descendente de espanhóis e, assim como outras famílias de imigrantes, nós quase não temos parentes aqui. Então, nas férias íamos todos para a Espanha, onde tínhamos a possibilidade de conviver com avós, tios e primos. Apesar de essa história me distanciar um pouco da turma do colégio, a experiência fora do Brasil foi definitiva na minha formação.

No segundo ano de faculdade eu comecei a estagiar, algo que foi muito difícil conseguir. Tive que recorrer a alguém para me indicar e pedir ajuda, porque naquela época em 1985, não tinha estágio para mulher. Quando tinha era para orçamentista, projetos ou algo do gênero.

O que você mais gostava na engenharia? Na realidade eu não tinha noção do que gostava, porque quando você entra na faculdade, nos primeiros anos é necessário gostar de matemática e ponto. Na minha época entraram 300 alunos em engenharia civil e apenas 17 meninas se formaram comigo. O campo da Engenharia era eminentemente masculino, havia um grande preconceito e poucas empresas contratavam mulheres. Era difícil ser aceita. Meu primeiro estágio foi em um escritório de cálculo, onde eu aprendi muito.

Você tinha certeza de que aguentaria o ritmo? Eu era jovem e tinha vontade de crescer, hoje não sei se faria a mesma coisa, mas naquela época eu tinha muita ambição, queria evoluir. Naqueles tempos virar uma noite era normal, quem não virou uma noite trabalhando ou estudando? Quando se é jovem a disposição é interminável.

51

www.revistastudiobox.com.br


Você tem boas lembranças do tempo de faculdade?

enquanto profissional, porque tenho um forte compromisso com o meu trabalho.

A minha turma era muito boa. Na classe eu conheci muitas pessoas ligadas a construtoras, filhos de construtores, mas poucas foram as meninas que se formaram comigo e que estão trabalhando na área.

O que a tira do sério? Desonestidade, pessoas que não são corretas . Procuro sempre me afastar. Esse tipo de pessoa, comigo, não vai conseguir nada.

O preconceito na área de engenharia civil não a desanimou em nenhum momento?

“Não imagino uma pessoa completa que não tenha filhos. É estranho falar isso, até porque existem pessoas que não querem ter filhos, mas definitivamente eu nasci para ser mãe”.

De jeito nenhum. Mas, se hoje, a mulher tem que romper uma série de barreiras para conquistar um lugar no mercado de trabalho, imagine na época em que eu me formei! Era uma briga, especialmente, em ambientes masculinos como o da engenharia civil. Pela natureza do trabalho, a vantagem estava sempre com os homens. Mas eu tive sorte de estudar no Mackenzie, que é uma instituição que tem como foco a formação para a prática. Como, em geral, as contratações se davam por indicação de outros profissionais, que já conheciam a sua competência, os professores acabavam ajudando. Muitas vezes, eles encaminhavam alunos para construtoras que estavam buscando novos profissionais. Apesar das dificuldades, eu tenho muito carinho pelo meu trabalho e acho que escolhi a profissão certa.

Você sempre pensou desta maneira? Acho que com os meus 15 anos, já pensava na vida com a mesma seriedade de hoje.

Pela sua personalidade, você trabalhou para que tudo tivesse seu tempo, sua hora, e não demorasse. Você conseguiu aproveitar um pouco a sua juventude, antes de assumir tantas responsabilidades?

Qual foi o seu primeiro grande desafio profissional?

Eu não programei nada com muita rigidez, mas devo admitir que sempre fui muito determinada. Desde cedo, tive metas e objetivos claros e me coloquei a serviço das minhas realizações. Acho que manter o foco é conduta essencial para o desenvolvimento de qualquer pessoa. No meu caso, a dedicação valeu a pena porque as coisas foram acontecendo e vindo ao encontro dos meus sonhos.

Enquanto estava em São Paulo, passei por greves e invasão de obras. Foi bem no começo e eram situações bem complicadas. Tive problemas com funcionários, assaltos e uma série de contratempos difíceis de contornar. Mas acho que o grande desafio foi voltar para Santos.

E como surgiu o convite para vir para Santos?

E o seu marido, quando ele surgiu na sua vida?

Eu voltei para Santos na época em que o meu pai estava assumindo sozinho a direção da empresa. Foi um período de reestruturação e muito trabalho. Como eu tinha acumulado uma boa experiência em São Paulo, acabei assumindo uma parte das tarefas e, felizmente, eu pude ajudar bastante.

Conheci meu marido logo depois de me formar na faculdade. Foi ele quem me deu o primeiro emprego, ele era muito jovem e tudo aconteceu numa época em que muitos profissionais em início de carreira saíam da Gomes de Almeida Fernandes – Construtora e Incorporadora, atual Gafisa, e montavam as suas empresas. Costumo dizer que aconteceu de repente. Sempre tive em minha mente que eu queria crescer, ter minha família, fazer o meu nome. E foi assim.

O que é a Vértice para você? É o meu caminho, minha continuação, é o meu rumo. Não consigo me imaginar fazendo outra coisa, e muito menos trabalhando em outra empresa.

E a gravidez, foi planejada?

Você é uma pessoa muito reservada, isso seria o reflexo por estar a frente da Vértice?

Era algo que eu queria muito, estava casada, mas o ciclo parecia não se completar. Casar é uma coisa, ser mãe é outra, essencial e único.

Tudo é vinculado. Acredito que temos que ser sempre a mesma pessoa em todos os lugares. Agir e, principalmente, tratar as pessoas da mesma maneira. É necessário respeitar a si e ao próximo, mas sem se anular. Eu me preocupo com a imagem do ponto de vista pessoal, porque quero ser uma referência positiva para a minha família; e, cuido dela www.revistastudiobox.com.br

O que é ser mãe? Não consigo descrever, é algo muito bom. Não imagino uma pessoa completa que não tenha filhos. É estranho falar isso, até porque existem pessoas

52


Foto: Rafael Vaz


Foto: Rafael Vaz

www.revistastudiobox.com.br

54


que não querem ter filhos, mas definitivamente eu nasci para ser mãe.

Ele viveu a paternidade de maneira intensa? Meu marido me ajudou muito, até hoje ele é “O” pai, nasceu para isso e sempre foi muito presente. O tempo inteiro, o Marco é 100% dos filhos. Deixamos de fazer muitas coisas por eles e, na verdade, acho que você precisa se doar mesmo, mas a maioria das pessoas esquece isso. Meus filhos jogaram tênis por muito tempo e nós não tínhamos final de semana. Eu e meu marido não nos víamos, pois os campeonatos eram em lugares diferentes. Nós revezávamos entre as meninas e o menino. Meu pai ajudou muito quando uma das meninas avançou no esporte antes da outra, porque nós tínhamos que estar em três campeonatos diferentes ao mesmo tempo.

E você abdicou da sua vida profissional para ser mãe? Garantir espaço para que a mulher e a profissional possam continuar existindo, depois da maternidade, não é tarefa fácil. Mas, este é o grande desafio que a vida moderna nos impõe e quem quer viver plenamente todas essas experiências, tem que respirar fundo e encarar. Como eu tinha um desejo enorme de ter filhos, me organizei, cuidei deles sem ajuda de babá e não precisei abrir mão de outras atividades.

E quando você soube que eram três? Qual foi sua reação?

Os três são muito ligados? Quando pequenos, eles tinham um mundo particular. Brincavam e estavam sempre entretidos com alguma coisa. Eu ficava olhando aquela turminha alegre, inventando coisas e tinha a sensação de que eles percebiam que eu estava sempre atarefada e ficavam tranquilos só para me ajudar. Agora, eles estão grandes e, apesar de muito amigos e parceiros, conseguem manter a individualidade.

No primeiro momento, foi uma grande surpresa, mesmo porque, na época não era tão comum uma gravidez de trigêmeos. Depois, a família inteira passou a curtir a ideia e nós vivemos meses de grandes expectativas e muita alegria.

Foi uma gestação de risco? As pessoas podem até imaginar que uma gravidez de trigêmeos é problemática, difícil, mas isso é um mito. Para mim, foram meses tranquilos. Eu me sentia saudável e disposta, tanto que, trabalhei até o final indo ao escritório e aos canteiros de obra.

Você gostaria que eles trabalhassem com você? Os pais sempre acham que sabem qual é o melhor caminho para os filhos. Mas como eu tive a chance de tomar as minhas próprias decisões, quero oferecer a eles a oportunidade de fazer descobertas, criar uma rede de contatos e construir uma carreira, de acordo com as próprias expectativas. Eu e o Marco estamos assistindo tudo de longe, mas prontos para ajudar no que for necessário.

Como você se sentiu durante a gestação? Feliz. Muito feliz. A gravidez é um período de sonhos e uma fase muito especial na vida de toda mulher. Cada uma de nós se sente única, poderosa, orgulhosa e eu vivi tudo isso com muita intensidade.

Eles têm um pouco da sua personalidade?

Qual foi a sua reação quando colocaram as crianças perto de você?

Eu costumo dizer que os filhos são uma versão dos pais passada a limpo. No meu caso, apesar de trigêmeos, eles são diferentes entre si, tanto fisicamente quanto no temperamento. No entanto, em cada um deles dá para ver um pouquinho de nós. Mas o que importa, de fato, é que criamos filhos saudáveis, inteligentes e generosos. Tudo indica que eles serão capazes de reagir diante das adversidades e enfrentar a vida com dignidade.

Eu fiquei encantada, apaixonada. Eram duas meninas e um menino e todos tão perfeitos... Foi uma euforia sentir que, a partir daquele momento, a minha família estava completa e que a nossa vida seria muito melhor.

E você foi o tipo de mãe que ficava idealizando o quartinho... Não, isso não tem nada a ver com o meu temperamento. Eu sou muito prática e, como mãe de trigêmeos, não podia ser diferente. A felicidade é triplicada e o trabalho também. Então, a rotina tinha que ser ágil em seus mínimos detalhes. Tênis: eram todos neutros. Calças: sem fivelinhas. Meias: sempre brancas. Assim, tudo servia para todo mundo. Com isso, eu procurava reduzir o cansaço físico e ter disposição para atender os meus filhos e estar com eles. Era isso que importava.

“A gravidez é um período de sonhos e uma fase muito especial na vida de toda mulher. Cada uma de nós se sente única, poderosa, orgulhosa e eu vivi tudo isso com muita intensidade”. Você acha que os jovens de hoje vão enfrentar 55

www.revistastudiobox.com.br


fazia tudo junto. Antigamente era assim, não tinha muita divisão. Minha mãe nunca deixou a gente brigar ou ter algum tipo de rixa. Sempre passávamos as férias juntos e procuramos manter isso, sempre. Nós trabalhamos juntos na Vertice.

mais dificuldades do que os da sua geração? Nas últimas décadas, nós evoluímos muito em muitas direções. Mas, alguns problemas continuam os mesmos e estarão desafiando uma geração muito mais preparada, esclarecida e corajosa. As meninas, por exemplo, vão se deparar com uma disputa de gênero desleal, mas que ainda é vigorosa no mercado de trabalho. Os garotos, por sua vez, se continuarem em maioria nos principais postos de trabalho, vão ter que enfrentar uma forte concorrência entre si. Apesar das velhas dificuldades, eu acredito que o grande legado que nós deixamos para a nova geração é a liberdade. Hoje, os jovens podem tomar decisões, errar, voltar atrás, recomeçar porque o mundo também oferece infinitas possibilidades.

Seu pai foi bastante avô? Sim, ele é muito presente na vida dos netos.

O que representa o seu pai na sua vida? Ele é o meu farol. Sabe aquela pessoa que você segue, que você observa as atitudes? Claro que a gente evolui, começa a trilhar os próprios caminhos e algumas coisas mudam. Mas eu posso dizer que ele é meu maior exemplo, meu grande orgulho.

Você foi capa da Veja por causa da sua história como mãe de trigêmeos, certo?

E sua mãe... A minha mãe é muito especial, super avó e se eu vivo para os meus filhos é porque ela me deu esse exemplo. É aquela pessoa que esteve sempre presente, apoiando, orientando, educando, colocando limites e organizando a casa. Para se ter uma ideia, o meu pai falava para eu perguntar para minha mãe se podia sair (risos). Ainda hoje, ela está muito presente na vida dos quatros filhos e é uma referência importante. A minha mãe sempre se doou e isso é uma coisa muito importante em uma família. Ela é especial, é minha mãe.

O pediatra dos meus filhos foi médico dos filhos da Miriam Leitão e, naquela época, ela era redatora da Vejinha. Estávamos perto do dia das mães e eles queriam fazer uma matéria sobre a data e me procuraram por meio do pediatra. Ela foi até a minha casa me entrevistar e ficou impressionada comigo, com a minha calma. Para produzir a matéria foram entrevistadas outras mãe, inclusive, uma que teve oito filhos, uma heroína. Eu chego a ter inveja por não ter concebido essa quantidade de filhos (risos). Até então, não tinha como saber quem seria a capa, pois depois de me entrevistar, ela disse que eles escolheriam de acordo com as entrevistas. Soube apenas quando fui à banca. Depois de dez anos eles me entrevistaram novamente para saber como eu estava.

Seus filhos estavam crescendo e em que momento você voltou a se dedicar mais a sua profissão. Fiquei sem trabalhar uns oito meses, depois voltei aos poucos e trabalhava meio período na filial da Vértice, em São Paulo. Havia dias em que eu tinha que faltar porque ia levar as crianças ao pediatra. Imagine: se um já toma tempo, três no médico acaba sendo uma consulta interminável (risos).

Você é filha única? Não, tenho mais três irmãos, dois trabalham aqui na Vértice.

O que você espera da sua vida daqui para frente, como pessoa e empresária?

Você sempre quis uma família grande? Sempre, pois achava que todo mundo tinha que ter no mínimo três irmãos, que esse era um número bom. Tinha isso como memória familiar. Isso é engraçado, porque quando meus filhos eram pequenos eles perguntavam se não ganhariam um irmãozinho. Todo mundo tinha um irmão mais velho, que ia buscar na escola; um irmão mais novo, que mexia nas coisas deles; ou uma mãe que não estava presente porque foi na reunião do outro irmão. Com eles era tudo ao mesmo tempo.

Quero crescer e superar os meus defeitos, ser uma pessoa melhor. Agradeço sempre o que tenho e peço para evoluir muito, ter atitudes melhores. É inevitável errar e, mesmo quando acerto eu me questiono se não poderia ter feito melhor.

Você acha que deixou de falar alguma coisa para alguém? Ah, difícil falar sobre isso. Volta e meia a gente deixa alguma coisa para trás. O ideal seria que nós tivéssemos um compromisso com os melhores gestos e as boas intenções, só que a correria do dia a dia às vezes atropela o que nós temos de melhor. Eu acho que devo muitos agradecimentos e algumas declarações de amor e amizade. Mas sempre é tempo.

Qual era sua relação com seus irmãos? Sempre fomos muito unidos. Eu nunca brinquei muito de boneca, mas andei muito na rua de bicicleta, joguei muita queimada, andei de patinete, a gente www.revistastudiobox.com.br

56


LUART

www.brumani.com

Rua Azevedo Sodré, 49 A - Boqueirão - Santos/SP - Tel.: (13) 3385.0809


turismo

Resorts de Norte a Sul

Fotos: Imagens de divulgação

A

nópolis, a região é tradicionalmente conhecida por suas pequenas vilas de pescadores descendentes de açorianos. A beleza exuberante ainda é contemplada com uma infra-estrutura de 25 apartamentos, em estilo bangalô, com vista para o mar esverdeado do oceano atlântico.

Localizado em uma península particular, na cidade de Governador Celso Ramos e a 40 km de Floria-

Sofisticado para os mais luxuosos e casual para os mais simples, todos quartos possuem cama king size, cofre digital, frigobar e internet wi-fi. Alguns se destacam pela sua dimensão como, por exemplo,

paisagem deslumbrante de Santa Catarina assemelha-se com as águas calmas e verdes esmeraldas da Baía de Ganchos. Porém, um fascinante hotel de luxo faz o contraste com uma hospedagem totalmente rústica. O Ponta dos Ganchos Exclusive Resort tem como objetivo oferecer conforto e requinte em um local cercado pela natureza da Mata Atlântica.

www.revistastudiobox.com.br

58


Interior da suíte Vila Esmeralda

Parte externa da suíte Vila Esmeralda

o Especial Vila Esmeralda que tem aproximadamente 310 m², com sala e quarto integrados. O bangalô possui sauna, hidromassagem com vista para o mar, um banheiro-spa com tatames para massagem e piscina infinita em forma de raia. Os lençóis de 600 fios de algodão egípcio dão um toque extra à decoração. O bangalô mais simples “Luxo” de 80 m² dispõe de quarto e sala em dois níveis e decks com vista para o mar para cada ambiente. O quarto possui TV LCD de 32 polegadas, lareira na sala, lençóis de 300 fios de algodão egípcio, closet e cafeteira Nespresso. “Com todo o seu requinte e serviços diferenciados, o resort é voltado apenas para casais que buscam um refúgio para descansar e apreciar a natureza”, comenta Inês Bellini, diretora da Mendes Tur. A gastronomia também não deixa a desejar. O menu do restaurante é assinado pelo chefe de cozinha francês Laurent Suaudeau, que adaptou a culinária francesa à brasileira. O refeitório funciona 24 horas e ainda dispõe de uma horta orgânica, de onde saem as verduras e legumes utilizados no cardápio. Uma hospedagem de quatro dias para Ponta dos Ganchos Exclusive Resort tem um preço equivalente a R$3.361,32. O Aeroporto Internacional de Florianópolis fica a 50 minutos do resort. Caso o hóspede opte por um carro particular, o hotel oferece um serviço de traslado que custa R$420,00 por casal, ida e volta.

59

“ O resort é voltado apenas para casais que buscam um refúgio para descansar e apreciar a natureza” www.revistastudiobox.com.br


Vista dos apartamentos para o Rio Negro

Restaurante do Tiwa Amazonas Ecoresort

“ Uma das dicas são passeios para aldeias indígenas” Tiwa Amazonas Ecoresort Conhecer um dos locais mais exóticos do mundo é um privilégio. Estar em contato direto com a natureza, desfrutar das paisagens deslumbrantes da Floresta Amazônica e mergulhar com botos são algumas atrações disponíveis no Tiwa Amazonas Ecoresort. Com o acesso apenas por barcos, o resort está localizado as margens do exuberante Rio Negro, a 15 minutos de Manaus. Seus 50 apartamentos distribuídos em 25 bangalôs em madeira possuem varandas com vista para o lago interno do hotel. Os quartos também oferecem sistema de telefone e interfone, mezanino, frigobar e camas Box Spring.

dos hóspedes. Tirolesa, escalada na área interna do hotel e interação com animais de várias espécies são algumas das opções. Todas as atividades são orientadas por guias turísticos e tem um custo extra da hospedagem. “É possível reservar passeios opcionais voltados para o público de 25 a 45 anos. Uma das dicas são os passeios para aldeias indígenas, cachoeiras e trilhas na selva amazônica”, explica Inês. O Tiwa Amazonas Ecoresort surpreende seus hóspedes não apenas por sua infra-estrutura, mas também pela culinária local. Diariamente são servidos aos turistas diversas opções de comida, como peixe surubim, pirarucu, massas e carnes grelhadas.

O resort possui cerca de 1.200.000 m² de área verde e oferece serviços de alto padrão aos turistas, como auditório climatizado para 150 pessoas, barcos, lanchas, piscina, bar com visão panorâmica para o Rio Negro e heliponto.

O pacote de cinco dias para o Tiwa Amazonas Ecoresort tem um preço equivalente a R$2.308,32, (já incluso passagem aérea de ida e volta, um carro para o percurso de 15 minutos a Manaus e barco para chegar ao resort).

Para os turistas que tiverem preferência por atrações familiares, o resort dispõe de uma equipe de profissionais treinados para garantir a diversão

O pacote com todos os serviços de ambos os resorts podem ser encontrados na Mendes Tur dos shoppings Miramar e Praiamar.

www.revistastudiobox.com.br

60


Foto: Rafael Vaz

sucesso

Giovanni Marganelli Empreendedor e visionรกrio

www.revistastudiobox.com.br

64


Onde há uma empresa de sucesso, alguém tomou alguma vez uma decisão valente”. O pensamento proferido pelo filósofo, economista e considerado o pai da administração moderna, Peter Drucker se encaixa perfeitamente na história do jovem empresário, Giovanni Marganelli, que com apenas 24 anos está à frente da Foccus Gerenciamento de Resíduos e desde muito cedo tomou decisões valentes.

“Ele era muito ativo, trabalhava 12 horas por dia ou mais e, ainda no período da noite, ministrava aulas de empreendedorismo no Clube Vasco. O problema é que ele teve dengue, mas não sabia e tomou remédios que pioraram o quadro de saúde, então faleceu”, conta. Décio Marganelli estava na região há 50 anos. Era um empresário muito respeitado e admirado dentro da área de construção civil. Depois de sua morte, a empresa começou a perder obras em um período curto, talvez um reflexo do quanto sua ausência era sentida. Ele era o coração da empresa.

Nasceu em Santos e em sua infância já mostrava os traços tímidos, porém marcantes. Marganelli é uma pessoa de poucos, mas bons amigos. “Sempre fui mais retraído no colégio, sei lá, a escola tinha muita gente e não fico a vontade com muitas pessoas”, reflete o empresário.

Giovanni Marganelli diz que hoje entende perfeitamente a situação do pai. “Entendo meu pai, porque tenho minha própria empresa. Nunca fui contra ele, às vezes discordava em algumas coisas, mas já pensava na solução. Como era muito ativo e presente na construtora, ele não teve nenhum sucessor, algumas obras foram parando, a gente teve que mandar muitos funcionários embora. E isso aconteceu em três meses”, desabafa.

“Meu pai sempre me levou para trabalhar. Quando eu era pequeno ele já tinha a empresa dele, a construtora Latina com 1.500 funcionários e obras em mais de 50 cidades”.

Em meio a toda a crise que a construtora Latina enfrentava, Marganelli fundou a Foccus. Em 2008 regularizou as licenças e começou de fato a operar o empreendimento de reciclagem e gerenciamento de resíduos. Alguns funcionários que foram embora da Latina, mas que eram de confiança foram convidados para trabalhar na empresa.

Enquanto os poucos colegas se divertiam, ele trabalhava. Começou no ofício aos 16 anos na empresa de seu pai, a construtora Latina. E quem imagina que por ser filho do dono tinha facilidades, enganase. Giovanni nunca ocupou um posto elevado e ficava em áreas diversas. Ocupou cargos desde operador de fotocopiadora (Xerox) a responsável pela logística e mecânica.

Hoje a Foccus tem 30 funcionários. É pioneira na reciclagem de resíduos sólidos, em um dos mercados mais importantes da nossa economia: a construção civil. Seu objetivo maior é eliminar a ideia de que não há reciclagem para certos tipos de resíduos e que existem formas inovadoras e únicas de reutilizá-los, transformando toneladas de concreto ou outros materiais de construção em agregados reciclados.

“Meu pai sempre me levou para trabalhar. Quando eu era pequeno ele já tinha a empresa dele, a construtora Latina com 1.500 funcionários e obras em mais de 50 cidades. Além disso, tenho mais três irmãos de outros casamentos, eles também trabalhavam lá. Cresci como todo filho de um grande empresário cresce, não podia me dar ao luxo de fazer e pensar em futilidades”, conta.

“Procuro sempre me reinventar e de alguma maneira estar na frente em tendências do mercado”

E depois de muitas experiências na construtora Latina, em 2004 surgiu o projeto que seria o início de sua atual empresa. “Meu pai já tinha uma idade avançada naquela época e mesmo assim, ele era um visionário procurado por muitas pessoas que apresentavam ideias, pois sabiam que ele fazia investimentos em tecnologia e em tudo o que era novidade no mercado de construção. E em 2004 veio um projeto que envolvia a reciclagem de resíduos. Naquela época, ninguém falava sobre sustentabilidade”, relembra.

Mesmo a frente de uma grande empresa, Giovanni encontra tempo para dedicar-se aos estudos e ao lazer e, dessa forma, viver seus 24 anos. O jovem pensa longe e coleciona ideais. “Acho que ninguém pode ficar parado, então não é porque tenho apenas 24 anos e minha própria empresa, que estou estagnado. Não quer dizer que eu estou atualizado, de forma alguma. Procuro sempre me reinventar e de alguma maneira estar na frente em tendências do mercado e nos meus objetivos pessoais”, finaliza.

O desejo de desenvolver, o “visionário” projeto ficou de lado, devido a outras prioridades da construtora Latina. Nesse meio tempo, precisamente em julho de 2006, seu pai, Décio Marganelli, faleceu.

65

www.revistastudiobox.com.br


bafafá

Kartell

O design chegou à Santos Foto: Imagem de divulgação

Foto: Imagem de divulgação

N

ão é preciso estar em Milão para conferir de perto as tendências em móveis e objetos decorativos da Kartell. Conhecida por seus produtos contemporâneos, a marca inaugura em Santos, sua 3ª Flagship Store no Brasil. A empresa firmou parceria com a Guido Iluminação e Design, que representa a marca há três anos.

Presente em mais de 50 países, a Kartell foi fundada por Giulio Castelli há 62 anos. Hoje é considerada líder mundial, por ser uma das melhores e mais audaciosas marcas no ramo de decoração e design, pois produzir materiais modernos, multifuncionais e em sua maioria assinados por artistas plásticos. “Trazê-la para Santos é mostrar o exemplo de uma empresa que se desenvolve em constante evolução, tanto na utilização dos mais diversos tipos de materiais, quanto na pesquisa de novas tecnologias. Sem dúvida, nossa cidade só ganhará com essa mais nova oportunidade”, comenta Adriana Tedesco, diretora da Guido Iluminação e Design. As referências em decorações são trazidas anualmente em constantes viagens nacionais e internacionais. Adriana explica que a principal tendência em feiras para design e cores fica em Milão. “É na Itália que estão as melhores fábricas de iluminação do mundo. E como somos representantes destas marcas aqui no país, aproveitamos as feiras para justawww.revistastudiobox.com.br

66

mente fortalecer esse relacionamento e trazer ao Brasil produtos de qualidade”. Atualmente, a Kartell trabalha com diversos tipos de móveis e objetos criados pelo designer Pietro Ferrucio Laviani. Entretanto, outros produtos encontrados na empresa são assinados pelos mais renomados profissionais mundiais, como Philippe Starck, Piero Lissone e Patricia Urquiola. “Percebemos o quanto o relacionamento do consumidor mudou com peças mais elaboradas. Atualmente o santista já se preocupa com a valorização do design e da originalidade de uma peça que vai colocar em sua casa ou no seu ambiente de trabalho”, diz. A oportunidade de trazer a Kartell para Santos é resultado de um trabalho árduo e de qualidade que a Guido fez nos últimos anos. A principal proposta com a inauguração da loja é consagrar designers que trabalham com a marca. Arquitetos e decoradores terão um leque maior em opções para seus projetos, e os clientes produtos diferenciados. A Flagship Store trará com exclusividade cadeiras, mesas, sofás, luminárias e diversos outros acessórios. A Kartell fica na Rua Tolentino Filgueiras nº 5, no Gonzaga.


bafafá

Attmos

Exclusividade em decoração

Foto: Imagem de divulgação

M

ais do que simples utensílios domésticos ou objetos decorativos. A Attmos House trouxe pra Santos um conceito inovador em decoração para o lar. Inaugurada recentemente na Ponta da Praia, em Santos, a loja contém produtos provenientes de diversos lugares do mundo.

A proposta da Attmos House é oferecer diversas opções em decoração para que o cliente tenha em sua casa as principais tendências do mercado mundial. Derivada da palavra Atmosfera, a loja possui produtos oriundos de diversos continentes. O cliente ao entrar no local depara-se com diversas opções em compras divididas em Attmos Europa, Ásia, América, Oceania e África. “Nós imaginamos como seria fantástica a experiência de entrar em uma loja de decoração e sentir-se em um pedaço de determinado continente. É como viajar sem sair do lugar, levando para a sua casa uma marca singular”, comenta a sócia e gerente, Kelly Carlisano Albino. Além da exclusividade, os produtos são assinados pelos mais renomados profissionais de decoração do mundo. A Attmos trabalha com consagradas marcas como Versace, Fromia e Rosenthal. “Estamos trazendo novos fornecedores que nunca importaram para o Brasil”. www.revistastudiobox.com.br

68

Atualmente, os produtos nacionais são encontrados na sessão Attmos América. Os objetos importados da África do Sul, Alemanha, Itália, Austrália e Indonésia foram exibidos de forma exclusiva na inauguração da loja. Alguns foram feitos a mão, como por exemplo, os talheres africanos, cujas extremidades são adornadas com cristais, e as esculturas em vidro trazidas da Austrália. “Como as nossas peças são em sua maioria importadas, elas possuem um valor diferenciado refletindo todo um cuidado em sua escolha”.

Projetos Ainda neste ano, uma segunda loja será aberta em São Paulo. A intenção é expandir a Attmos para outras cidades e capitais, com o intuito de divulgar os produtos para os demais profissionais ou admiradores de decorações. Para 2013, um terceiro empreendimento está previsto para ser inaugurado em Santos. O resultado deriva do crescimento econômico na cidade. “Esperamos sinceramente que a cidade se surpreenda e venha nos conhecer de perto”, finaliza Kelly. A Attmos House está localizada na Avenida Saldanha da Gama, nº115, na Ponta da Praia, em Santos. O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 10h às 19h, e aos sábados das 10h às 13h.


bafafá

Shape II

Um novo conceito em beleza

Fotos: Rafael Vaz

H

á dez anos, enquanto ainda advogava, Graziela Monforte prestou serviços profissionais para os antigos proprietários da Shape I. Algum tempo depois, voltando de São Paulo, soube que eles venderiam a clínica de estética.

mano. Não desenvolvê-lo leva à frustração, jamais à realização. Além disso, penso em todos aqueles que prestam serviços ao meu lado, cujas famíliasdependem disso para viver. Do meu crescimento, depende o deles e vice e versa. Isso é missão. Por isso, os dois estabelecimentos têm o mesmo foco – profissional e espiritualmente”, reflete.

Parecia destino, pois a empresária não estava satisfeita com os rumos que sua profissão havia tomado e, então, como sempre se identificou com a área empresarial e administrativa, resolveu comprá-la. “Além de advogada da empresa, também era cliente, tudo fluiu maravilhosamente bem e, em 24 horas, entrei na Shape I como a nova proprietária. Digamos que estava escrito. Comecei com apenas 11 profissionais. E pouco a pouco, chegaram a 60”, relembra Graziela.

Para atender bem toda a clientela, é necessário também oferecer conforto. A Shape II proporciona ao cliente muitos diferenciais. O conceito da nova unidade consiste em quatro espaços divididos por segmentos e profissionais diferentes: beleza, alimentação, organização de eventos e bem-estar. “Tudo acontece na hora certa e no local exato. Assim, aconteceu conosco. Gabriela Montoro, da Conceito Chic, é criativa no que faz e grande amiga. Caroline Peri do D’Elisa Buffet, é uma ótima referência e o “hair stylist” Oswaldinho Pires, é um “namoro profissional” antigo. Logo no primeiro ambiente da Shape II, é possível notar o quanto a máxima,

A empresária diz que alguns pontos foram essenciais para o crescimento do centro de estética e saúde que, agora, ganhou uma segunda unidade, a Shape II. “O crescimento faz parte da essência do ser huwww.revistastudiobox.com.br

70


“Duas cabeças pensam melhor que uma” tem razão, ainda mais quando as ideias surgem em um grupo de profissionais seletos e criativos. O responsável pela primeira impressão do lugar é o arquiteto, Leonel Fernandes que idealizou a sala Oswaldo Pires. “O Oswaldinho é um grande amigo, de muitos anos, quando ele foi convidado pela Graziela para este novo projeto, ele mencionou o meu nome e expôs a sua vontade de me incluir como idealizador da decoração deste espaço. Assim, recebi das mãos da Irene Torre, responsável pelo belíssimo trabalho arquitetônico de todo o complexo Shape II, esta sala vazia, com 110 m² e um pé direito de mais de cinco metros”, conta o arquiteto. Divisórias de alumínio e vidro delimitam as áreas de trabalho, espelhos retangulares, colados sobre estruturas traseiras parecem flutuar neste “aquário” de vidro e espelhos. Os trabalhos lhe renderam experiência profissional e de vida. Entre as estrelas que já trabalhou estão: Alanis Morissette, Paula Lima e Gal Costa. Em seu currículo também estão algumas novelas e produções cinematográficas. “Não é fácil maquiar uma pessoa para um evento, tem que saber qual é a intenção daquela foto, a luz que será usada. Du-

Os lounges são confortáveis, compostos por materiais rústicos e cores fortes, que contrastam com o ar high tech das bancadas. O mobiliário profissional, fornecido pela tradicional Ferrante, foi customizado e executado com acabamentos e tecidos exclusivos, é o caso da cor turquesa presente nos carrinhos de apoio e base dos lavatórios e no tecido, croco marrom das cadeiras. Por fim, coroando o espaço, um grande móbile composto por 600 esferas de cristal, fixadas cada uma delas no teto por um micro cabo de aço de 2m de comprimento, formam uma “chuva” cintilante sobre a área central, ocupando de forma translúcida a distância entre o chão e o teto. “A execução deste conjunto foi um desafio tanto no sentido da viabilidade financeira quanto na manufatura das peças que o compõe, um trabalho artesanal que foi recompensado pelo resultado. É um espaço de celebração da beleza, feito para acolher as pessoas e fazer com que elas se sintam especiais e bem atendidas!”, ressalta Leonel. E no comando deste espaço está o hair stylist, Oswaldo Pires. Ele começou a trabalhar com beleza aos 18 anos, no Brasil Coiffeur e, permaneceu como assistente até os 22 anos, quando decidiu aventurar-se em São Paulo nos ramos de publicidade, cinema, moda e produção artística.

71

www.revistastudiobox.com.br


rante 15 anos eu trabalhei só com isso. Mas até hoje faço eventos como São Paulo Fashion Week”, conta. Depois de tanto tempo na agitação da capital, Oswaldo Pires resolveu voltar à Santos. Ficou durante um período em outro lugar, mas uma ideia rondava seus pensamentos e, com o convite de Graziela Monforte, isso se concretizou. “Sempre tive a certeza que o dia em que saísse de onde estava o lugar que apostaria era a Shape. E a Grazi um dia criou coragem, e me falou o seguinte: - Queria tanto que você viesse comigo. E eu falei: - Olha Grazi, eu queria uma proposta de mudança”. E a mudança se realizou, Oswaldo Pires já tinha a ideia de ter um espaço diferenciado, um lugar onde as pessoas seriam bem recebidas, com luz natural e charme. “As pessoas que entram aqui tem que se sentir carinhosamente abraçadas e bem recebidas. Essa é a intenção do espaço além de, obviamente, um bom serviço e trabalho. O resto é consequência. Quando se tem uma atitude positiva a consequência é igualmente positiva”, conclui. Em um segmento totalmente diferente, a Conceito Chic também faz parte do time da Shape II. A empresa é especializada em eventos. Desde uma simples consultoria ao planejamento completo. Sua meta é tornar realidade, as ideias e sonhos de seus clientes. Sua equipe conta com profissionais qualificados e preparados para qualquer tipo de organização.

dos clientes, com isso esperamos crescer, formar novas parcerias e fortalecer ainda mais as existentes. O ambiente de trabalho está alegre e funcional. Mesmo com pouco tempo de inaugurada podemos sentir os reflexos disso nos clientes e amigos”, conta Gabi Montoro.

A ideia de unir a Conceito Chic com a Shape partiu, inicialmente, da amizade da proprietária, Gabi Montoro com Graziela Monforte, por considerarem seus ideais de trabalho muito parecidos, assim como os ramos profissionais.

Caroline Peri Fernandes partiu do princípio que Santos estava carente de um lugar com serviços compartilhados. E, quando foi convidada a integrar a equipe da clínica de estética e saúde, acreditou que pudesse contribuir possibilitando o acesso de pessoas, de todos os gostos e idades, a um espaço lúdico lúdico e saboroso com o bistrô D’Elisa.

“A Shape II nos acolheu muito bem e nos aproximou

“Unir a boa gastronomia com beleza, estética e bons eventos. Essa é uma expansão do conceito de cultura. A boa comida, a preocupação com o corpo, tudo isto implica em qualidade de vida. Este é, de fato, o nosso diferencial. O importante é estar em consonância com o momento atual, de contemporaneidade, de globalização. Um conceito de bem viver, de estar envolvido com o que há de melhor para oferecer aos nossos clientes. Apostamos nisto”, ressalta Caroline Peri. “A união faz a força, que leva ao sucesso”, finaliza Graziela Monforte. www.revistastudiobox.com.br

72


www.revistastudiobox.com.br

74


especial decor

Fotos: Leandro Amaral

SantosArquidecor Design, arquitetura e sofisticação cinema, café, suíte, bar e joalheria. A exposição é promovida pela Associação de Ex-Alunos do Colégio Stella Maris (AEA), a atividade tem como principal objetivo angariar fundos para os projetos sociais mantidos pela AEA.

Revitalizar o antigo Hotel Maracanã foi a proposta oferecida aos profissionais da área de arquitetura, decoração e design de interiores para a 17ª edição da SantosArquidecor. Eles foram desafiados a transformar o espaço em um local moderno e sofisticado. Localizada no bairro do José Menino, em Santos, a mostra trouxe as tendências de arquitetura e decoração, voltadas a rede de hotelaria.

Há 17 anos, a SantosArquidecor atrai visitantes de toda a Baixada Santista e capital, tornando-se parte integrante do calendário de exposições de arquitetura ao lado de eventos nacionais.

Este ano, a casa teve 46 ambientes como lobby, www.revistastudiobox.com.br

76


Espaço Multimídia – Revista Studio Box Um ambiente a meia luz e aconchegante. O Espaço Multimídia da revista StudioBox tornou-se excelente refúgio para quem desejasse passar horas navegando na internet. Criado pelos arquitetos Fabrício Novaes e Gabriela Teixeira, o espaço ofereceu aos visitantes, toda uma estrutura tecnológica com aparelhos iPad a disposições dos visitantes, assim como rede Wirelles de internet. As cortinas na cor prata e o futton rosa pink em tafetá de seda tornaram o espaço acolhedor. Para proporcionar conforto, aproximadamente 40 almofadas em tons de cinza, rosa e outras no formato da logomarca da revista, decoraram de maneira charmosa e acolhedora o estofado. O tapete com fios de seda em preto fez contraste com as cadeiras brancas da Kartell, posicionadas de fronte a um painel revestido com carpete de madeira cinza. Algo que chamou muita atenção dos visitantes foi o teto rebaixado em gesso e revestido com papel de parede na cor rosa pink, além dos seis relógios em acrílico também da Kartell. Uma fita de LED posicionada atrás da estante em mármore influenciou na iluminação do local, que o fez variar de cor. Outras cincos luminárias da Phillips, a venda na Guido Iluminação e Design, proporcionam ao visitante uma sensação retrô e divertida.

77

www.revistastudiobox.com.br


Cinema – Fernanda Lins Fernanda Lins tem a personalidade forte e o olhar expressivo, tal qual seu ambiente na mostra, ilustrou minuciosamente o romantismo e tradições da 7ª arte. Este ano, a arquiteta representou dois espaços: o hall de espera do cinema e o cinema. Dando asas a imaginação, Fernanda projetou painéis laterais em madeira, revestidos com papéis de parede, contendo imagens de artistas de sua preferência, que representam alguns dos principais casais de cinema. O sofá frente a tela de 144 polegadas possibilitou aos visitantes sensações e efeitos dos filmes em 3D, além de cadeiras de cinema posicionadas em três desníveis. “Projetar um cinema foi um desafio, pois o ambiente requer um estudo integrado de tecnologia e acústica, aliada a uma arquitetura e decoração específica, sem esquecer de tornar o espaço aconchegante e acolhedor”, explica. O xeque mate ficou a cargo de duas estatuetas que representam o Oscar. Cada uma possuia um semblante de sol e lua, respectivamente, para diferenciar o feminino do masculino. Destaque para as asas, que simbolizaram o apogeu, o sucesso. Para os iniciantes, Fernanda Lins deixou um recado: “Como eu, nunca desista de seus sonhos. Corra atrás! Lute, batalhe e conquiste! Para que consiga ser uma pessoa feliz e realizada com o que faz e sente! É muito bom e gratificante saber, que sou campeã em realizar sonhos”.

www.revistastudiobox.com.br

78


79

www.revistastudiobox.com.br


Lobby – Carla Felippi Inspirado em um universo litorâneo, o Lobby de entrada da arquiteta Carla Arigón Felippi transmitiu ao visitante, um ambiente moderno e luxuoso. A iluminação em tons claros e offwhite, o teto de gesso todo revestido em seda pura, com 26 luminárias Plafons, simbolizaram as águas vivas iluminadas pela luz do sol. A mobília minimalista acentuou cada detalhe do lobby. Destaque para o traçado das madeiras de apoio lateral, e para as mesas origamis em laca branca. Atrás dos sofás, esculturas em formato de árvores, do artista plástico Jadir Bataglia, trouxeram personalidade ao ambiente. A seda esteve presente também nas cortinas, nas paredes e nos tapetes indianos de fio longo. A composição monocromática contrastou com o painel italiano de LED que reflete 280 cores, sobre uma parede em Capitonê também de seda pura – com botões costurados de forma regular. “Para mim cada obra que uma família ou uma empresa passa é um marco importante de transformação, por isso quero que seja prazeroso. É uma delícia criar ambientes que refletem, transformando os sonhos mais empolgantes em realidade”, comenta Carla Felippi. www.revistastudiobox.com.br

80


81

www.revistastudiobox.com.br


Le Café Sandra Baccarat – Thelma Afonso Desde a infância, a designer de interiores Thelma Afonso, tem uma ligação forte com o ramo de arquitetura e decoração. Seu estilo contemporâneo destaca-se em projetos em tons de terra, amadeirados e ambientes que sejam funcionais, com o intuito de transmitir ao cliente aconchego e sofisticação. Este foi o quarto ano da profissional na SantosArquidecor. Seu ambiente, o Le Café – Sandra Baccarat foi concebido há um ano em uma conversa com a chefe de cozinha. “Tomando um café aqui outro lá, um dia, estávamos conversando e eu disse a ela do desejo de fazer o seu próximo café, ela topou!”, explica. Por ser um ambiente funcional, o Le Café tornouse um dos ambientes mais visitados da casa. A ideia de fazer um café hotel exigiu da profissional um espaço com uma iluminação pontual. Papéis de parede em dourado e vermelho, flores e painéis das cidades que mais consomem café no mundo, como Rio de Janeiro e Paris, foram projetados pela arquiteta.

www.revistastudiobox.com.br

82


Presentes - Decoraçþes - Listas de Casamento

Rua Minas Gerais, 13 - Santos

Tel.: 13 3222 - 7674 13 7803 - 3957 / ID: 55*7*15065

contato@presentesmg.com.br 83

www.revistastudiobox.com.br


Joalheria Sandra Ceolin - Carla Paulino e Daniela Ricci Há dez anos trabalhando na Casa Natal, as designers de interiores Carla Carnio Paulino e Daniela Ricci Ali, possuem em seus projetos a harmonização do clássico e contemporâneo, onde priorizam sempre a individualidade e o bem estar de cada projeto. Este ano, as profissionais projetaram a loja da designer de joias Sandra Ceolin. A escolha do preto para o ambiente, a textura aveludada e a iluminação própria, ressaltam o brilho das joias. Um lustre de cristal fumê e poltronas de ébano revestidas com folhas de ouro compõe o local junto a uma mesa de cristal especialmente desenhada para o ambiente. “Uma das principais formas de ter qualidade de vida é viver em um espaço aprazível e feliz. Um projeto bem resolvido além de transformar sonhos em realidade, pode de forma simples e objetiva diminuir o investimento como um todo, aumentando a certeza da satisfação do cliente”, comenta Carla Paulino. www.revistastudiobox.com.br

84


85

www.revistastudiobox.com.br


Suíte Manhattan – Layla Ferreira e Lolla Abdouni Em sua primeira participação da 17ª SantosArquidecor, Layla Ferreira e Lolla Saleh Abdouni estrearam em grande estilo. O desafio foi lançado e as arquitetas desenvolveram a Suíte Manhattan. A principal proposta foi a integração do banheiro com a suíte, em um espaço de apenas 29 m². Brilhos e texturas sofisticadas fazem do local, um ambiente contemporâneo extremamente elegante. “Houve a preocupação em unir os dois ambientes, mas sempre respeitando a função individual de cada espaço. Procuramos atender as necessidades do hóspede agregando ao projeto, equipamentos que facilitem o seu dia a dia e proporcionem conforto e praticidade”, explica Lolla. A criação de um painel de inox na cor cobre, desenhado pelas arquitetas, separa a suíte do banheiro, valorizando seus usos. “Em nossos projetos, procuramos primar pela funcionalidade, sem esquecer da beleza. Cada detalhe de revestimento, iluminação e objetos devem estar integrados com as formas sugeridas pelo projeto”, finaliza.

www.revistastudiobox.com.br

86


87

www.revistastudiobox.com.br


Espaço Me2 - Bianca Pellegrini e Marcia Debski Juntas pela primeira vez as arquitetas Bianca Pellegrini e Marcia Debski, ficaram responsáveis em planejar e decorar o espaço Me2 Lounge, seguindo um novo conceito bares/baladas para hotel. A ideia principal do projeto era trabalhar a criação de espaços monocromáticos com alterações nas cores do ambiente, através da iluminação. Todo o mobiliário é exclusivo e foi criado especialmente para a mostra. As profissionais deram ênfase ao gesso acartonado nas paredes, painel iluminado no forro e na confecção do balcão curvo. “Só me tranqüilizei após apresentar o projeto do ambiente para a equipe da Me2 e ouvir dos empresários o famoso “Fico muito bom!”... Ufa! Missão cumprida (risos)”, comenta Bianca. O ambiente todo em branco, possibilitou ao visitante a sensação de modernismo e tranqüilidade. Destaque ao serviço de barthenders no salão principal que preparam drinks a todo tempo. “Um bom projeto é aquele agrega a beleza, o conforto e a funcionalidade, pois todos esses itens são imprescindíveis a um bom resultado”, finaliza Marcia. www.revistastudiobox.com.br

88


89

www.revistastudiobox.com.br


etiqueta

Profissionalismo Por Fernanda Ventura

Foto: Imagem de divulgação

D

evemos sempre lembrar que exercemos dois papéis distintos em nossa vida, o pessoal e o profissional e não devemos esquecer de separá-los para que nossa capacidade profissional não fique abalada. Tudo o que fazemos, falamos, nossa aparência, como nos vestimos e atitudes em nossa vida pessoal, tem uma conotação e no ambiente profissional outro bem diferente. A roupa que você usa no trabalho nem sempre é a que você usa normalmente, vai depender do tipo de função que você desempenha, das pessoas que estão ao seu redor, e de como seus superiores se vestem. Uma mulher não deve usar roupas transparentes, decotes, roupas justas, comprimentos mínimos, alças de sutiã aparecendo, “tomara que caia”, saltos muito altos. Os cabelos bem cortados, tingidos e escovados, maquiagem leve é essencial, unhas feitas com esmaltes em estado impecável, jóias ou bijouxs discretos e pequenos, sem exageros, bolsas e sapatos de boa qualidade, enfim, nada que comprometa seu visual e passe uma imagem relaxada e errada sobre você. Roupas com caimento mais solto e elegante são mais apropriadas, assim como as cores mais sóbrias, menos estampas, e modismos exagerados. Camisas, calças, saias, vestidos e blusas.

www.revistastudiobox.com.br

92

Deixe os outros looks para as ocasiões de sua vida pessoal. Para os homens, calças sociais, camisas, blazers e ternos. Tudo deve ser coerente com o tipo de profissão, local de trabalho e função. Cabelos e barba bem cortados e aparados. Falamos da aparência, mas não podemos deixar passar a correção em nossas atitudes, como não mencionar nomes, apenas os fatos, em uma conversa comercial, nunca comentar dados e detalhes da vida empresarial de outros nem de possíveis concorrentes. Em uma conversa comercial, seja ela qual for, deve se manter uma certa formalidade, uma sutileza e elegância na medida para não parecer intruso, invasivo, íntimo e desagradável. O grande erro de muitos profissionais competentes e empresários é não darem importância nem atenção a esses aspectos, que em um mercado competitivo faz toda a diferença. Cabe ao empresário avaliar o profissional e verificar se este tem essa postura, e não apenas analisar e valorizar o currículo. Portanto, lembrem-se de caprichar no visual e fazer uma avaliação de suas atitudes no ambiente de trabalho, e lembrar que trabalho não é o “quintal” lá de casa!


93

www.revistastudiobox.com.br


saúde

Cuide de sua postura Por Josiane Barros

Foto: Imagem de divulgação

R

PG é uma técnica da fisioterapia de origem francesa aplicada por profissionais com formação na especialidade. A terapia parte do fundamento correção e reeducação da postura, como um todo, atuando no paciente de maneira global e individualizada, buscando sempre a causa da dor ou da deformidade, tratando individualmente cada segmento, desde a marcha, descarga de peso, até posturas estáticas.

A combinação desses procedimentos nos permite preparar, corrigir, e o que é mais importante: reeducar o corpo, com o principal objetivo de eliminar retrações das cadeias musculares através de um distensionamento lento, progressivo e gradual.

Cada paciente é único, portanto cada terapia é individual, personalizada, através de uma avaliação segmentar, que deve ser realizada na primeira sessão, onde o fisioterapeuta busca a origem, a causa das lesões, enxergando o paciente como um todo e não apenas como um sintoma.

É indicado para todas as idades e principalmente nas seguintes patologias: ortopédico (escoliose, dores cervicais, dorsais, lombares, alterações posturais no geral, pés planos, cavos, joelhos valgos, varos e etc). Neurológico (hérnia de disco e labirintite). Reumatológico (artrites, artroses, bursites, tendinites). Respiratórios (stress, distúrbios circulatórios e digestivos).

No desenvolvimento do tratamento utilizamos de exercícios reeducativos, com associação de manobras manuais com a respiração do paciente.

O método se adapta às necessidades reeducativas de cada pessoa, sendo indicado nos casos em que haja desordens cinéticas posturais ou dor. É uma ação fisioterapêutica que age sobre o equilíbrio biomecânico restabelecendo o eixo postural fisiológico e normalizando a função muscular e consequentemente a postura. www.revistastudiobox.com.br

Com o RPG é possível resgatar o auto cuidado, a individualidade, buscando sempre a globalidade, tratando os sintomas em cima da causa, pois o corpo humano tem uma grande capacidade de plasticidade e reestruturação.

94


sexualidade

Sexo sem preguiça Por Márcia Atik

Foto: Imagem de divulgação

E

sexual, isso é recorrente, tanta insatisfação ou infelicidade frutos de sexo sem trabalho, barato, fugaz!

nquanto penso em escrever esse texto para ser publicado, ouço no rádio que o dia do sexo foi há algumas semanas e reflito sobre o porque da necessidade de estabelecer uma data para aquilo que deve acontecer de maneira espontânea, instintiva.

O ser humano é na sua essência um ser social e a falta de identificação, de continuidade, de um encontro sexual, está fazendo uma ferida difícil de cicatrizar, pessoas solitárias, descrentes de afeto, e principalmente egoístas, que não suportam os encontros e desencontros que uma relação a dois traz, portanto muitos doentes de alma.

Até certo ponto acho interessante dizer que o sexo tem dia, pois apesar de tão decantado, mostrado e vivenciado, o sexo anda muito fraco e preguiçoso para a maioria das pessoas.

Que isso não pareça um discurso moralista, mas um chamado para darmos mais qualidade a nossa vida sexual, considerando o corpo todo como nosso órgão sexual, não apenas uma visão reducionista genital que usou, lavou e está novo.

Sexo bom dá trabalho, não em performances, ou ideias criativas, fantasias sexuais, mas trabalho para perceber o momento ideal, a pessoa certa, no meio dessa liquidação de orgasmos.

O dissabor de um sexo sem sentido não é facilmente renovado, portanto um chamamento para aquilo que envolva um bom sexo, que começa no namoro, na sedução, que tenha embutida a admiração, nos leva a ter a recompensa do trabalho que o sexo dá, auferindo um prazer mais amplo e irrestrito, que faça com que o som de uma música nos leve de volta ao passado vivido, que o cheiro de um perfume traga a emoção do momento sentido, que o sexo perdure um pouco mais de tempo na história pessoal que um fugaz sábado a noite.

Ao escrever lembrei-me de uma banca de feira com os seus produtos vendidos em baciadas, sabe aquela imagem de fim de feira, quando tudo é mais barato? Sexo para ser bom não pode ser de liquidação, tem que trazer sempre a sensação e emoção de um produto sendo lançado, que seja alvo do desejo e não um fazer por fazer, ter por ter... Nossa!! Cruel demais essa reflexão, mas é verdade que temos visto, e num consultório de terapeuta www.revistastudiobox.com.br

96


entre amigas

Prazer feminino

Orgasmo, uma conquista Silvana

Karla

Thaís

Lúcia

Foto: Imagem de divulgação

A

grande maioria dos tabus femininos gira em torno da sexualidade e, entre as conquistas do sexo “frágil”, o prazer nas relações sexuais está em pauta. A mulher busca sua satisfação na cama e enfrenta muitos dilemas, como: educação familiar, mídia e até mesmo a banalização do ato.

99

Alguns caminhos podem ser seguidos para alcançar o auge e a maturidade sexual, como explorar o corpo e conhecer a si. Descobrir novas sensações e mapear, literalmente, os caminhos ao parceiro. Lembre-se que sexo também é cumplicidade e confiança. E a máxima “entre quatro paredes vale tudo” é interessante de explorar. www.revistastudiobox.com.br


O “entre amigas” dessa edição traz um tema polêmico e constantemente discutido: o orgasmo feminino. Até que ponto a mulher está em busca disso? O que é o verdadeiro orgasmo? Essas e outras perguntas são respondidas de maneiras diferentes e divertidas por, Karla Guisande, Thaís Bertuol, Silvana Barros e Lúcia Elisa.

Karla Guisande De maneira geral acredito que a mulher ainda luta pelo seu espaço no mundo. Por maior que seja o número de conquistas, ainda encontramos muitas mulheres com dificuldade de escolhas e expressão e, com certeza, a sexualidade ainda é tabu. A mulher independente que sabe bem o que quer, deseja satisfação na cama e, o orgasmo é o ponto máximo dessa satisfação durante o sexo, que somente acontece se o ato for prazeroso e se a mulher estiver em sintonia com seu parceiro. Quando existe cumplicidade e sinergia entre o casal isso se torna fácil. Não acredito que exista idade para isso, mas podemos considerar que o amadurecimento é forte aliado nesse ponto.É preciso gostar de sexo para que tudo flua de maneira bacana.

Lúcia Elisa M. Cunha A luta pela igualdade entre os sexos ainda continua. A história da emancipação feminina ainda é muito recente, a pílula anticoncepcional foi o grito da independência e isso só aconteceu em 1960, e ainda, sob condenação sistemática da igreja católica. A mulher atual sabe que o sexo pode ser desassociado do casamento e da procriação, portanto ela se acha legitimada a buscar o prazer e está cada vez mais em busca disto, sem aquela imensa sensação de culpa e moralidade que a sociedade impunha. Há bem pouco tempo, a instituição familiar exigia a virgindade, porém atualmente a condição é até motivo de chacota entre os jovens. Se a educação tradicional focar a culpa na relação sexual e passar uma imagem de que sexo é impuro e, ainda, que a pessoa só tem o dever do sexo como procriação tenho certeza, que o indivíduo estará fadado a falta de prazer. A mulher é capaz de orgasmos múltiplos, isto sim é uma boa notícia! Rapazes morram de inveja (risos).

Silvana Barros A mulher de hoje é um modelo totalmente consolidado, acho que não ficou nenhum assunto pendente para este formato de mulher muito menos quanto se trata de sexualidade. Não percebo esses tabus e, caso ainda existam, são situações isoladas da historia de cada um, a educação ou algo assim. Com este novo posicionamento e liberdade das mulheres isso se tornou possível e cada vez mais, elas buscam suas realizações e isso inclui o sexo. A plena satisfação engloba tudo, o sexo, a cumplicidade, a parceria. É muito bom fazer sexo com alguém que você tenha intimidade, que com o tempo se descobriram e que se entendam bem e conheçam um ao outro. Não existe idade para isso, basta você se permitir e viver coisas boas com seu parceiro. A satisfação sexual pode ser muito boa, mas a plena satisfação tem algo a mais e feliz quem consegue alcançá-la. A idade não faz diferença, o que faz a diferença é você ter a felicidade de encontrar um parceiro que combine com você, que dividam as mesmas idéias, que curtam as mesmas coisas, desta forma o sexo inevitavelmente será bom e prazeroso. O mesmo vale para mulheres mais velhas ou mais novas, não é isso que vai determinar. Lógico que com o tempo as pessoas se tornam mais seguras, se libertam de tabus que às vezes na juventude ainda possam estar presas e com o tempo você vive melhor, se sente mais segura em tudo, não existe medo nenhum. Isso sim pode fazer a diferença.

Thaís Bertuol A mulher moderna busca a satisfação em si mesma, em sua identidade, em sua independência, em seu direito de escolha e, a cama é mais um desses direitos. A sexualidade é o encontro do sentimento com a química em um espaço de confiança mútua, respeito e liberdade de expressão. Para mim, as dificuldades (rotina, desinteresse) como as melhorias (certeza de atingir a satisfação com o outro), emergem do mesmo referencial: a administração da intimidade, da cumplicidade e do estado de alerta do casal para com sua autoestima individual e conjunta. Capriche no visual, perfume, ambientes e situações. Conquiste e se deixe conquistar!

E os apetrechos eróticos? Estão sendo cada vez mais consumidos, e é fato que são divertidos e engraçados. Se não faz mal a ninguém, que mal que tem? Claro, que não é elegante divulgar e chique mesmo é ser feliz. www.revistastudiobox.com.br

100

A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova. Léon Tolstoi


101

www.revistastudiobox.com.br


sucesso

Branemark

Valorizando sorrisos

Fotos: Imagens de divulgação

N

Dr. Laércio Wonhrath Vasconcelos Diretor da Branemark Osseointegration Centers

a década de 60, em um estudo sobre a microcirculação sanguínea dos ossos de coelhos, o médico ortopedista sueco PerIngvar Branemark, descobriu com o auxilio de uma câmera de observação, uma liga-

www.revistastudiobox.com.br

ção entre o metal e o osso vital sem haver rejeição. Após alguns anos de pesquisa, o sueco desenvolveu cilindros para serem implantados na tíbia dos coelhos. Com resultados positivos, ele comprovou que

102


o método poderia se transformar em próteses fixas e de longa duração, para serem implantadas em mandíbulas humanas fazendo a reposição das perdas dentárias. Com isso, surgiu o sistema de Osseointegração, revolucionando a medicina e a odontologia. E foi pensando em estender o método mundo a fora, que em 1989 foram criados nove centros Branemark Osseointegration Centers, localizados na América Latina, Ásia e Europa. No Brasil, o Dr. Laércio Wonhrath Vasconcelos está a frente da clínica em São Paulo desde 1995, no qual já realizou cerca de 15.000 implantes dentários. Devido ao crescimento econômico da região da Baixada Santista, uma filial foi aberta em Santos, na Rua Azevedo Sodré 65. “Além de a cidade ter uma excelente perspectiva de crescimento, temos muitos pacientes que são daqui”, comenta o dentista. Pensando no bem estar de seus clientes, a Branemark oferece uma estrutura local Day Clinic. O paciente é submetido a cirurgia bucal e é dispensando no mesmo dia. Sua infra-estrutura possui quartos para a recuperação pré e pós-cirúrgico, equipamentos de monitoração para cirurgias de pequeno e médio porte, central de oxigênio, enfermagem e retaguarda. Além de oferecer tratamentos como

cirurgias de implantes e enxerto ósseo, e reabilitação oral e estética. A equipe formada por nove profissionais da odontologia, sendo dois cirurgiões e sete protesistas, oferece um atendimento particular a cada cliente. Assim que chega a clínica, o paciente é levado a um quarto individual para ser avaliado previamente durante os procedimentos pré-operatórios. O profissional analisa a condição clínica e psicológica, para então realizar a sedação sempre acompanhada por um anestesista. Após a cirurgia, o paciente retorna ao quarto e permanece por lá, até que tenha condições para receber alta. “A reabilitação oral com implantes é uma técnica segura, desde que seja planejado corretamente. E foi a maior evolução da odontologia de todos os tempos e proporciona uma melhor qualidade de vida para os pacientes, tanto no ponto de vista estético como funcional e até mesmo psicológico”, explica Vasconcelos. A clínica Branemark trabalha apenas com atendimento particular, porém quando o paciente tiver a necessidade de uma internação hospitalar, os procedimentos podem ser realizados pelo plano de saúde. “As técnicas cirúrgicas e anestésicas visam sempre o conforto e segurança do paciente”, finaliza.

103

www.revistastudiobox.com.br


estética bucal

Tecnologia do Zoom2 Por Dra. Renata Cavassa

Foto: Imagem de divulgação

A

s pessoas querem se preparar para a chegada da estação mais quente e mais vibrante do ano, por isso, os consultórios lotam em virtude dos tratamentos cosméticos. Isso não é diferente na odontologia.

O clareamento dental ainda continua sendo um ponto inicial para tratamentos estéticos, como facetas, fragmentos e coroas em porcelana. Vou citar três tipos de clareamento que são realizados nos consultórios: clareamento caseiro, a laser e o Zoom2.

Recentemente a apresentadora Ana Maria Braga, citou em seu programa essa tecnologia experimentada por ela. Depois disso, a procura por esse tratamento aumentou muito. Esse aparelho teve seu reconhecimento em Hollywood, principalmente pela necessidade das estrelas em terem dentes super brancos, portanto, o nome clareamento das estrelas. É uma alta tecnologia, um aparelho que funciona www.revistastudiobox.com.br

através de uma luz halôgena, a qual permite uma penetração no esmalte dentário superior a qualquer tipo de técnica. A reação química também é inovadora e os resultados clínicos são surpreendentes. O procedimento é seguro, não gera sensibilidade nos dentes durante a aplicação. É realizado em sessão única de uma hora aproximadamente e tem a maior durabilidade de resultados em comparação a qualquer outro método. Não há desvantagens e nem contra-indicações. A aplicação pode estar sempre associada a um momento de relaxamento. Tenho presenciado os melhores resultados já obtidos em minha clínica e o mais importante de tudo é a satisfação das pessoas. Não podemos esquecer que um sorriso branco e bonito deixa uma impressão de saúde, felicidade e acima de tudo, segurança. Afinal, você já viu alguma estrela de televisão ou cinema com dentes amarelados?

104


105

www.revistastudiobox.com.br


www.revistastudiobox.com.br

106


comportamento

Obsessão amorosa O lado doentio do amor

Foto: Imagem de divulgação

Deixe para lá, eu vou achar alguém como você. Não desejo nada além do melhor para você. Não se esqueça de mim, eu imploro. Vou lembrarme de quando você disse: “Às vezes o amor dura, mas, às vezes, fere”.

A tradução da música acima faz parte do álbum “21” de Adele, considerada a diva pop da atualidade. Nos versos doloridos de “Someone Like You” (Alguém como você), a jovem relata uma história de um amor dependente, onde as estrofes entregam um alguém que tem a esperança de encontrar uma pessoa com as mesmas qualidades do relacionamento anterior. O amor é de fato um dos sentimentos mais cantados, declamados e complicados. Muitos poetas, cantores e até psicanalistas tentaram resumi-lo nas linhas de um livro ou na melodia de uma canção, mas se torna impossível e, até mesmo utópico, descrever algo tão abstrato e que provoca tantas reações. Apenas um apaixonado pode dizer o quanto amar, às vezes, se torna físico, algo que ultrapassa o

emocional. Basta encontrar o amado e pronto: o coração acelera, as mãos suam frio e borboletas tomam conta do estômago. Pensar nele(a) toma boa parte do tempo e o sorriso fica bobo e frequente. Ah, o amor... existe uma medida exata? Para especialistas da área de psicologia, sim. Algumas pessoas têm uma probabilidade maior a desenvolver uma espécie de sentimento obsessivo quando está apaixonada. Essa obsessão pode ser definida como um conjunto de pensamentos de caráter persecutório ou uma ideia fixa que se apropria da mente, levando a pessoa a desenvolver manias, atos ou rituais compulsivos e acreditar que sem o objeto de desejo não exista razão ou sentido em viver. O tema “obsessão amorosa” foi divulgado pela primeira vez em 1761, por John D. Moore em seu livro: “Confundindo amor com obsessão” (Confusing Love With Obsession). Recentemente, Luchesi definiu a obsessão amorosa como uma psiconeurose de defesa, onde a pessoa afetada é totalmente dependente emocionalmente não de um parceiro, mas da relação obsessiva em si.


Ela era apenas uma garota no auge da juventude, a jornalista Giovanna* tinha acabado de ingressar na faculdade. Sua vida estava perfeita, a não ser por uma mudança de rotina em seu relacionamento. Estava acostumada a ver o namorado todos os dias e, por causa do início da faculdade, isso acabou. “Ele fazia medicina e precisava se dedicar ao curso, inclusive aos finais de semana. Então, nos distanciamos e a minha paranóia aumentou, principalmente porque tive alguns relacionamentos extras com amigos de faculdade. Temia que ele estivesse fazendo o mesmo. Comecei a persegui-lo e sufocálo. Hoje vejo que era algo bem hipócrita”, relata. Eles eram melhores amigos na época de colégio, porém a amizade começou a ir mais além, foi assim que o relacionamento começou. Giovanna* confessa que não era apaixonada por ele, mas sim apaixonada pela ideia de ter um namorado, principalmente ele, que era bonito, popular, de família rica. O homem perfeito. De acordo com a psicóloga especialista em coaching, Silene Formolaro, a obsessão amorosa é algo que domina uma pessoa, que a comanda e faz com que ela haja de forma obrigatória, como se atuasse contra sua própria vontade. “As principais características são: o sentimento de posse em relação ao outro, a idealização de um relacionamento que só existe na mente do amante obsessivo e a procura inconsciente de um parceiro emocionalmente indisponível”, explica a psicóloga. São mais propensas a um amor obsessivo pessoas conectadas em relacionamentos amorosos complicados, repletos de brigas, desconfianças, ciúmes e com desfechos tensos e violentos. Geralmente essas pessoas se sentem atraídas por parceiros problemáticos, indisponíveis, emocionalmente inacessíveis e que na maioria das vezes não se sentem atraídos da mesma maneira que elas. Giovanna* tinha medo de tudo. Qualquer coisa poderia fazê-lo desistir do namoro. Tornou-se bulimica por medo de engordar. Perdeu muitas amigas porque não tinha tempo para elas. Perdeu sua essência. “Hoje olho pra trás e sinto que joguei dois anos da minha vida no lixo. No auge dessa obsessão, minha rotina era ir ao encontro dele. Não fazia outra coisa. Quando estava no computador, era pra checar qualquer coisa nas redes sociais ou no e-mail dele, pois eu tinha a senha. Em um determinado momento, percebi que não aguentava mais viver aquela vida. Decidi procurar ajuda quando nos agredimos fisicamente. A terapia me ajudou muito a redescobrir uma nova pessoa, que se amava antes de www.revistastudiobox.com.br

qualquer coisa”, desabafa a jornalista. Estar apaixonado faz parte da natureza humana. Apaixonamo-nos pelas pessoas, por ideias, ideais ou uma causa nobre. Porém, o amante obsessivo exagera nas paixões, sua mente fantasia e ele só enxerga na pessoa amada um ideal de relacionamento que só existe para ele. Esse comportamento é diferente do amor em si e pode afetar a saúde física, emocional e afetiva das pessoas envolvidas nesta relação. Atualmente, a jovem mantém outro relacionamento, mas de maneira saudável e ponderada. “Estou muito feliz há três anos. Sem dúvidas, ele é o amor da minha vida, engraçado que com ele aprendi o quanto sentir um pouco de saudades é bom. Como a nossa sintonia sexual é importante. Como é legal ter uma pessoa do seu lado, que respeite os seus limites. Posso dizer que sou apaixonada, mas da forma mais saudável possível. O amor é o sentimento mais lindo que pude conhecer. É amizade, serenidade, compreensão e companheirismo”, finaliza. Ainda de acordo com Silene Formolaro, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o amor e a paixão podem se integrar satisfatoriamente em um relacionamento saudável. É possível incentivar os hormônios da paixão mesmo em um relacionamento antigo. A mente comanda e aplica o que somos e pensamos. Quando estimulamos novas sensações, mantemos a criatividade no relacionamento, incentivamos e despertamos interesse na pessoa amada e, assim torna-se possível viver cada dia com a alma de uma criança, a energia de um adolescente e a maturidade de um adulto. A psicóloga e coach diz que, com o devido tratamento, a pessoa pode perceber os resultados de sua escolha afetiva e de seus atos compulsivos, bem como as loucuras cometidas em nome do amor. “O objetivo é reconhecer o tempo perdido, as amizades desfeitas, a quantidade de conflitos, muitas vezes envolvendo a família, amigos e até desconhecidos e, considerar que tudo isso é um preço muito alto e que ninguém deve pagar para ter alguém ao seu lado”, conclui. É... o grande poeta, Luís Vaz de Camões tem muita razão em seu antigo, mas sempre atual poema. “Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente. É um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer”. O nome Giovanna* foi criado para preservar a identidade da fonte

108


109

www.revistastudiobox.com.br


tecnocomunicação

BlogHer 2011 Por Ludmilla Rossi

Foto: Imagem de divulgação

N

a última coluna falei do universo dos blogs e do crescimento desse mercado no Brasil. Eu não ia repetir o tema, mas entre uma edição e outra da StudioBox, algo me chamou seriamente a atenção. Tirei férias e para montar meus roteiros, usei a Internet e muitos blogs. Com isso acabei descobrindo um evento chamado BlogHer 2011: um encontro mundial de blogueiras que aconteceu em San Diego, CA, justamente no período em que estive por lá. Apesar de estar de férias, não pensei duas vezes – seria uma oportunidade e tanto participar de uma conferência com blogueiras de todas as partes do mundo.

entre duas mulheres fantásticas – a Ashleigh Burroughs e a Sarah do blog the “Nerdy Apple Bottom”. Ambas tiveram suas vidas transformadas e expostas através de seus blogs. A Ashleigh foi vítima do atentado em Tucson em janeiro desse ano e a Sarah ficou famosa por deixar seu filho de cinco anos usar uma fantasia de menina no Halloween, sofrendo preconceito e bullying de outras mães. Tudo isso seria muito banal se o blog das duas não tivesse sido devorado por milhões de pessoas interessadas nos casos – e ido para o modo “viral”. Além dessas histórias, muitas outras foram apresentadas por mulheres de todas as idades, regiões e crenças.

O BlogHer me surpreendeu: é um mega evento, que reúne mais de três mil mulheres em uma conferência anual. Esperava um encontro de blogueiras jovens, que falam de moda, beleza, “luluzices” e coisas da vida, mas acabei encontrando uma realidade muito mais interessante: o BlogHer impressiona por reunir mulheres de todas as idades, super antenadas em novas tecnologias e engajadíssimas em causas dos mais variados gêneros.

Imagine que, aqui no Brasil sempre associamos tecnologia a pessoas muito jovens e notamos que essa mudança acontece nesse instante: mães e pais no Facebook, tios com iPad no almoço de domingo e o avô querendo trocar o celular pelo iPhone 5.

Para se ter uma ideia do tamanho do evento, simultaneamente aconteciam oito salas com temas diferentes. Assisti uma conversa muito interessante www.revistastudiobox.com.br

Já quando o assunto é blog, a faixa dominante no Brasil ainda vai dos 17 aos 30, uma realidade totalmente diferente da que vi no BlogHer 2011. Se eu aprendi uma coisa no evento foi que a “crise dos 30” perdeu sua força. E que é necessário contar para todas as mulheres de 50, 60 e 70 anos que suas histórias precisam sair do analógico para o digital.

110


111

www.revistastudiobox.com.br


gastronomia

Viagem gastronômica Por Beth Teani

Foto:Imagem de divulgação

O

lá amigos, nesta edição vou contar um pouco sobre minha experiência em Girona, cidade a 80 km de Barcelona na Espanha, onde está o Restaurante El Celler de Can Roca, considerado o segundo melhor do mundo. Poucos meses após Ferran Adriá (chef número 1 do mundo) anunciar o encerramento de suas atividades (mesmo que temporariamente), a imprensa mundial classificou Joan Roca o segundo melhor cozinheiro do mundo (o primeiro encontra-se na Dinamarca). Um fato interessante para um chef com restaurante distante das grandes cidades. O que faz a diferença mesmo é a criatividade dos pratos, que dificilmente encontraremos parecido em algum outro restaurante. Risotos, grelhados, e outros pratos tradicionais, não fazem parte do cardápio. Aqui tudo é diferente, trata-se de um menu degustação, que podemos definir como um jogo divertido de plenitude visual, gustativa e de memória olfativa que estimula os sentidos. www.revistastudiobox.com.br

Com Joan nos fogões, Josep nos vinhos e Jordi na cozinha doce, estes três irmãos com muita criatividade, tecnologia, e qualidade dos produtos, comandam esta diferenciada culinária. A influência pela culinária dos irmãos Roca iniciou-se na infância, inspirados na de sua mãe, que até hoje possui restaurante na mesma cidade, porém servindo comida catalã, outra proposta bem mais simples e barata, porém muito saborosa. Para mim foi uma experiência sensorial incrível, onde tive a oportunidade de participar de uma verdadeira sinfonia gastronômica. Descrever o que saboreei, é muito difícil, pois os peixes, as carnes, os vegetais e demais produtos, são preparados com técnicas que transcendem a nossa culinária tradicional, por exemplo: servem a pele do peixe “tratada” com sabores de laranja, açafrão e outros. E assim cada criação é totalmente diferente e particular, uma da outra.

112


113

www.revistastudiobox.com.br


dicas da redação

Mais cultura Confira as dicas da equipe StudioBox

DVD

Filme Inquietos

Adele “Live At The Royal Albert Hall”

Dois jovens desiludidos com a vida têm seus destinos traçados

Este foi um ano incrível para a

em um funeral. Annabel Cotton

britânica Adele. Seu CD “21”

(Mia Wasikowska) é uma pacien-

tornou-se o álbum recorde em

te com câncer terminal e Enoch

vendas de 2011, com 12 milhões

Brae (Henry Hopper) é um jo-

de cópias vendidas em todo o

vem solitário que perdeu os pais

mundo. Com o sucesso, a can-

em um acidente. Os dois se apa-

tora lançará seu DVD “Live At

ixonam e a realidade do mundo

The Royal Albert Hall” gravado

se fecha sobre eles.

ao vivo, em Londres. O DVD tem Foto: Imagem de divulgação

No filme, Annabel esconde de Enoch que está doente para ajudá-lo a superar seus problemas. Porém, durante a trama, o estado de saúde da personagem se agrava, obrigando-a contar a verdade sobre o câncer. O filme é dirigido por Gus Van Sant.

90 minutos de show, extra dos bastidores e um CD exclusivo do

Livro

show.

Biografia Steve Jobs Walter Isaacson

Durante a apresentação, Adele

Com uma história repleta de

ling In The Deep”, “Someone

dramas pessoais e superações – o jornalista norte-americano

canta seus sucessos como “RolLike You”, “Make You Feel My Love” e “Don´t You Remember”.

Walter Isaacson viu a oportunidade em escrever um livro sobre a Biografia de Steve Jobs. Baseado em mais de quarenta entrevistas com o empresário ao longo de dois anos, a obra narra a vida de Jobs, como a época em que foi rejeitado por duas vezes ao nascer e constantes idas à cultos religiosos em troca de um prato de comida.

Foto: Imagem de divulgação

www.revistastudiobox.com.br

Foto: Imagem de divulgação

114


Música

CD

Lady Gaga Marry The Night

Amy Winehouse Lioness: Hidden Treasures

O novo álbum da cantora Lady

O disco póstumo da cantora Amy

Gaga – “Born This Way” foi rece-

Winehouse terá seu lançamento

bido de forma positiva pelos

oficial em dezembro. O álbum “Lio-

críticos da mídia, além de ser

ness: Hidden Treasures” possui

considerado um dos melhores

12 músicas escritas por Amy. O

lançamentos do ano. Uma das

maior destaque do CD é a versão

grandes novidades do disco é a

em inglês da música “Garota de

canção “Marry The Night”. Com

Ipanema”. O disco ainda trás uma

batidas de house music e sinos

música sobre o ex-marido de

de igreja eletrônicos, a canção

Amy, Blake Fielder – com a can-

foi escrita em homenagem a ci-

ção Body and Soul, e Like Smoke, gravada em 2008 com a partici-

dade de Nova Iorque, cidade natal da cantora.

Foto: Imagem de divulgação

pação do rapper Nas.

No clipe, Lady Gaga aparece

De acordo com o produtor Mark

cantando em cima de um carro e

Ronson, uma libra de cada exem-

um outro ao fundo em chamas.

plar vendido será revertida para a

“Marry The Nigth” já entrou nas paradas de alguns países devido a inúmeras procuras pelo download. O hit é a quarta música do álbum “Born This Way”. Vale a pena conferir.

Amy Winehouse Foundation, uma

Livro

ONG criada pela família da can-

As esganadas Jô Soares

tora, que ajuda crianças necessitadas.

Em “As esganadas”, o apresentador Jô Soares e autor do bestseller “O xangô de Baker Street” explora novamente o tema: assassinatos em série.

Ele revela

logo no início do livro o assassino e sua motivação psicológica para matar. Com o estilo característico, Jô consegue narrar uma série de crimes brutais, com requintes inimagináveis de crueldade, e deixar o leitor satisfeito com a leitura.

Foto: Imagem de divulgação

Foto: Imagem de divulgação

115

www.revistastudiobox.com.br


coluna social

Coluna Social por Renata Pierry Fotos: Fabiano Andrade - Balada Bis

Eduardo Virtuoso e Vagner BartiĂŠ

Kariny Lima

Christian Wolthers e Juliana Goes

www.revistastudiobox.com.br

116

Melissa Faro


Roseli andrade, Hugo Turovelzky e Maristella da Costa

Jo達o Paulo Quartarola e Eduardo Spessoto

Bruno Botur達o

Roberta Ramos Franco

Raffaella Quintas,Juliana Munoz, Natalia Pagani,Felipe Adjuto e Andressa Reis

Mariana Coggiola 117

www.revistastudiobox.com.br


velhos tempos

Espaço de Recordações 01.

02.

05. 03.

04.

01.

Angela Vianna e Carlos Carneiro

02. Lupercio Conde Jr, Ricardo Miranda de Carvalho, Felipe de Souza Pinto, Flávio Righi, Eduardo Filetti e Rogério Conde

www.revistastudiobox.com.br

03

Molecada

por Renata Pierry

04.

Richard Telfer

(na foto com pouco menos de 20 anos)

05.

Teia Fernandes

118


BOBSTORE.COM.BR

RUA AZEVEDO SODRÉ, 56 | BOQUEIRÃO | 13 3221.1989


SB28