Page 1

5

ªCORRIDA DE RUA

GRANBERY

FACULDADE METODISTA

2014

EDSON NASCIMENTO A transformação por meio da corrida.

#VADEBIKE Saiba mais sobre bicicletas e mobilidade urbana.

Profissionais explicam o que você quer saber sobre SUA ALIMENTAÇÃO, SEU CORAÇÃO e SUA MENTE na corrida.

CONSULTORIA EM QUALIDADE DE VIDA 1


2


Editorial

#fiquepordentro

4 5 6 8 9 10

- SEU CORAÇÃO NA CORRIDA com Renato Quintão

A formação de um atleta, seja ele profissional ou amador, é uma formação para a vida. O início é cheio de expectativas e dúvidas e o momento da descoberta de seu potencial acontece aos poucos, a cada treino, a cada prova, até perceber que sim: você pode. Na 5ª Corrida de Rua da Faculdade Metodista Granber y é uma satisfação poder fazer parte da história de tantos atletas em busca de saúde através do esporte. Nessa 1ª edição da revista oficial da prova, vamos nos inspirar na história de Edson Nascimento, atleta que transmite a cada passada os valores do esporte: empenho, humildade, foco e gratidão. Você atleta também vai poder se informar sobre saúde, nutrição e superação, em entrevistas exclusivas com especialistas da área. Vamos conversar também sobre mobilidade urbana, tema tão essencial para o convívio em sociedade e que é representado pelo nosso bicicletário, uma estrutura disponível a todos que comparecerem à prova sobre duas rodas.

- BICICLETAS E MOBILIDADE com Mobilicidade JF - LAUTER NOGUEIRA O Caçador de Mitos

Desejamos que a Corrida do Granber y seja um estímulo para o esporte se fazer cada vez mais presente na sua vida. Tenha uma excelente prova! Boraaaa!

- EDSON NASCIMENTO Feito de Garra e Fé

Comemorando 11 anos de formação profissional em Educação Física com excelência – Licenciatura e Bacharelado - apresentamos a 5ª edição da Corrida de Rua da Faculdade Metodista Granber y. Sua localização central, percurso diferenciado e acessível, atenção aos corredores e suas equipes, já tornou o evento tradicional no cenário esportivo da região. Optamos em fazer a primeira corrida, há cinco anos, por acreditarmos na força do esporte de rua, em sua capacidade de mobilização, sua condição democrática de incluir e sua enriquecedora relação – possível - com o meio acadêmico da Educação Física. Nesta edição do evento, destacamos a parceria “saudável” com a empresa de assessoria esportiva SaúdePerformance e apresentamos uma novidade, a Revista da Corrida, publicação que evidencia o caráter imprescindível de informar, educar, e até mesmo conscientizar, de uma instituição de ensino que promove um evento esportivo. Boa leitura! Boa corrida!

- SUA MENTE NA CORRIDA Com Luciana Fiel

- INSTAGRANBERY Imagens Corrida 2013

- ALIMENTAÇÃO ANTES E DEPOIS DA CORRIDA Com Renata Mosqueira - CRIANÇA CORREDORA por Prof. Fernando Seixas Carvalho

11

MAPA do percurso e INFORMAÇÕES sobre a prova

Marcos Hallack Coordenador da prova e Treinador Equipe SaúdePer formance

Professor Fernando Seixas Car valho Coordenador do Curso de Educação Física da Faculdade Metodista Granber y

EXPEDIENTE CONSELHO EDITORIAL: Marcos Hallack Carolina Hallack Ananda Guevara Mahina Proba Fava MATÉRIAS Mahina Proba Fava | MTB-13.040 DIAGRAMAÇÃO: Ananda Guevara IMAGENS: Ananda Guevara

IMPRESSÃO Gráfica América DISTRIBUIÇÃO GRATUITA VENDA PROIBIDA

3


O QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE...

SEU CORAÇÃO NA CORRIDA

É

muita emoção, adrenalina e esforço físico do bem! Desde o momento da largada até cruzar a linha de chegada, seu coração vai viver muitas emoções. Saiba mais sobre como funciona o seu coração na corrida e como proteger a sua saúde com o cardiologista Renato Quintão. Renato Quintão: Sem dúvidas a prática de

Renato Quintão: : atleta e cardiologista renatoqloschi@gmail.com Revista da Corrida Granbery: O coração é um músculo diretamente relacionado a prática da corrida. Podemos dizer que ele fica mais forte? Fica mais resistente a doenças?

corrida aumenta a eficiência do batimento cardíaco. E o mais importante: todos os trabalhos científicos que estudam as atividades físicas demonstram benefícios à saúde. Eles são evidenciados após 12 a 14 semanas de prática moderada e regular de atividades aeróbicas, três a quatro vezes por semana, na intensidade moderada, sendo associados exercícios de fortalecimento muscular duas vezes por semana. Esses benefícios são basicamente: elevação do HDL (colesterol bom) em 5% em média, diminuição do LDL (colesterol ruim) em 10%, diminuição dos triglicérides (gorduras), prevenção (e até o controle) do diabetes, diminuição da obesidade (de 2 a 3kg) pela perda de gordura e melhor modulação da pressão arterial. A corrida comprovadamente reduz a incidência de mortalidade por inúmeras causas e apresentam menos depressão, menos ansiedade e melhor qualidade de vida.

3K

RCG- Para a saúde do coração, qual

a importância dos treinos antes de uma competição? Qual a influência do acompanhamento profissional? RQ: O treinamento regular e a longo prazo promove adaptações no organismo que melhoram a capacidade cardiopulmonar. O coração manda mais sangue para o músculo, este aproveita melhor o oxigênio que chega na célula muscular, produz mais energia e força para a contração. O gás carbono, resultado da produção de energia, é mais facilmente eliminado com pulmões mais eficientes, principalmente pelo fortalecimento da musculatura respiratória. Essas adaptações promovem melhora no rendimento, na eficiência do movimento e tolerância ao esforço em níveis mais intensos, mas depende de acompanhamento profissional. Os limites e a intensidade de cada treino prescritos de forma individualizada melhoram os resultados e minimizam os riscos de lesão e danos ao organismo. ANOTOU AS DICAS? Esperamos que a Corrida do Granbery seja uma motivação para a busca de uma vida sempre mais saudável. Seu coração agradece!

10K

21K

SEU PRÓXIMO DESAFIO: 8/JUN/2014

4

Realização


# VA D E B I K E

BICICLETÁRIO DISPONÍVEL A TODOS BANDEIRA DA MOBILIDADE URBANA

LEVANTA A

V

ocê já pensou de que forma o uso da bicicleta melhora o deslocamento das pessoas nas cidades? Na Corrida do Granbery teremos um bicicletário a disposição de todos que comparecerem sobre duas rodas, facilitando o acesso e a segurança dos ciclistas. A mobilidade urbana, entretanto, vai além disso. Ela é um dos principais desafios das cidades de todo o mundo, que buscam formas de crescer, gerar renda, emprego e, ao mesmo tempo, renovar as estruturas de transporte. Sobre isso conversamos com Kico Zaninetti, ciclista, e membro da ONG MobiliCidade - JF.

Revista Corrida Granbery - O uso da bicicleta e a organização do espaço destinado a elas no trânsito é uma solução? ONG MobiliCidade - JF: Quando falamos de mobilidade urbana, falamos de deslocamento de pessoas e não de carros. Já foi provado que o modelo atual de priorização do veículo motorizado individual fracassou,

vide os constantes e cada vez maiores congestionamentos nas ruas de nossas cidades. Elas devem ser repensadas, como tem acontecido na Europa, onde estão cada vez mais expulsando os carros dos grandes centros e valorizando o transporte não motorizado e o coletivo. A bicicleta entra como uma dessas alternativas, sendo um dos modais mais eficientes no deslocamento urbano. Ela deve ser incluída e valorizada em um plano de mobilidade urbano. Em Juiz de Fora o debate sobre a bicicleta como modal de transporte é recente. Temos uma lei aprovada em 2010 sobre o incentivo do uso da bicicleta e outra em 2012, o então vereador Flávio Cheker aprovou uma lei que institui o plano diretor cicloviário para a cidade. Apesar disso nenhuma atitude concreta foi realizada ainda. RCG: A ONG Mobilicidade JF realizou recentemente uma contagem do número de ciclistas. Quais foram as principais conclusões desse estudo?

RCG: Teremos um bicicletário instalado na Corrida do Granbery, prova do Ranking, que acontece no final de maio. De que forma essas estruturas contribuem para a mobilidade urbana? ONG: Isso é extremamente importante e é uma ideia que deve ser difundida com mais freqüência. Ir de bicicleta aos lugares já é possível utilizando nossas ruas e vias, mesmo que não seja o mais seguro e confortável possível. Quando chegamos ao local muitas vezes não temos como estacionála de forma apropriada e segura. Se você tem uma bicicleta encostada na garagem, pode doá-la para o projeto. Saiba mais em: http:// mobilicidadejf.com.br e http://facebook.com/ mobilicidadejf .

MITOS O M ITOS CAÇADOR DE

“TREINO É TREINO, PROVA É PROVA”. “ BEBER ÁGUA GELADA NO TREINO NÃO FAZ BEM ”. “ POUCOS CORREM. MUITOS GOSTAM DE FALAR QUE CORREM ”.

E

ONG: Na primeira contagem, realizada na esquina da Av. Rio Branco com Av. Itamar Franco, tivemos um fluxo de 1141 ciclistas em 12 horas (lembrando que é um cruzamento extremamente hostil para as bicicletas). Isso dá quase dois ciclistas por minuto, sendo que 35% deles estavam realizando trabalhos de entrega. Na segunda contagem, na esquina da Av. Rio Branco com a Av. Brasil, notamos um número maior de trabalhadores indo e voltando do trabalho, com picos na parte da manhã e fim da tarde, e um número maior de ciclistas esportivos. A contagem continua em diversos pontos da cidade.

m um bate papo com Lauter Nogueira, treinador de atletismo e comentarista da SporTV, ele fala dos dogmas que os corredores possuem na prática esportiva e de como os treinamentos são essenciais para o rendimento dos atletas.

RCG: Uma pessoa sedentária que começa a praticar corrida possui algumas ideias prédeterminadas, como por exemplo, definir que nunca fará nenhuma prova acima de 12Km. Como é possível chegar a conclusões reais sobre as suas próprias limitações na corrida?

LN: O corredor que cria limites precocemente será frustrado. O corpo do ser humano tem um poder impressionante de surpreender. Geralmente o atleta começa com objetivos como ficar mais bem disposto ou emagrecer e vê que é capaz de correr mais longe. Daqui a pouco ele coloca um número no peito. Pode ser uma corrida menor, de 4 a 7Km, é otimo para começar. O corredor pode também estar num nível tão sedentário que vai começar caminhando, depois correndo um pouco, e de 8 a 12 semanas pode estar apto a começar

LAUTER NOGUEIRA TRABALHA NA ÁREA ESPORTIVA HÁ 31 ANOS, É COMENTARISTA E CONSULTOR ESPORTIVO DO CANAL SPORTV. ESPECIALIZADO EM TREINAMENTO DESPORTIVO DE ALTO DESEMPENHO E FOI DIRETOR TÉCNICO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON. NO BRASIL, É PIONEIRO NA CRIAÇÃO DE CONSULTORIA ESPORTIVA PARA GRUPOS DE CORREDORES (1983). TAL ATIVIDADE SE ESPALHOU PELO PAÍS E HOJE PODE SER FACILMENTE ENCONTRADA EM JUIZ DE FORA.

na competição de corrida. Ao atingir os objetivos ele se sente apto e o corpo também se adapta rapidamente. O contrário disso também pode acontecer. Hoje em dia se banalizaram muito as provas mais longas. Um sedentário pode achar que pode correr uma maratona pouco depois de começar. Cabe ao treinador impor esses limites.

RCG: Se você pudesse dar apenas uma orientação importante para os atletas amadores praticantes de corrida de Juiz de Fora, qual seria?

LN: Eu diria a frase de um dos grandes corredores Emil Zatopek: se você quer apenas um esporte passageiro, vá correr cem metros rasos. Se você quer um esporte para a vida toda, vá correr longas distâncias e maratona. Na vida as

grandes batalhas do homem são travadas na solidão, ele sozinho contra os problemas. E assim também são as corridas de fundo. O grande adversário é ele mesmo. E também como na vida, a ilusão da vitória é que faz a gente seguir em frente. A corrida traz exemplos que tem que ser levados para a vida toda.

5


FEITO DE FEITO DE GARRA E DEFÉ FÉ GARRA E DE

COM RESULTADOS DE EXPRESSÃO REGIONAL E NACIONAL, O ATLETA E ESTUDANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA EDSON DO NASCIMENTO FALA SOBRE SUA PAIXÃO PELO ATLETISMO, O APOIO DE SUA FAMÍLIA E SUA EQUIPE

O

olhar tranquilo e a postura esguia não escondem a determinação que Edson do Nascimento tem para conseguir seus objetivos. Aos 41 anos, Edinho, como é chamado por seus familiares, marca presença no pódio de nove em cada dez provas do Ranking de Corridas Rústicas de Juiz de Fora, desde 2009, representando a Equipe SaúdePerformance. Ao falar de seus resultados de expressão regional e nacional (veja o quadro) Edson confessa que ainda se espanta. “Se

me falassem os meus resultados de hoje, lá atrás, eu não acreditaria”. Na época desses “lá atrás” Edson descobria sua paixão pelo atletismo, se emocionando ao assistir a Corrida de São Silvestre pela TV. Seu potencial começou a ser despertado correndo pelas ruas do bairro onde mora, com os tênis velhos e o incentivo da esposa, Simone. “Ele sempre teve muita vontade, mas ficava receoso, não sabia se estava velho. Se é seu sonho, vá em frente”, diz ela.

EDSON DO NASCIMENTO: ATLETA DE DESTAQUE NACIONAL > > > > > > > > > VEJA ALGUMAS DE SUAS CONQUISTAS 2009 2º 31º 3º 2º

Lugar Lugar Lugar Lugar

Geral no 24º Ranking de Corridas de Juiz de Fora; Geral: Meia Maratona Internacional (1º lugar 35-39 anos); Geral: Mizuno 10 Milhas - etapas Rio de Janeiro e Belo Horizonte - em dupla; Geral: Mizuno 10 Milhas - etapa Brasília - em dupla.

2010 2º 2º 3º 1º

Lugar Geral no 25º Ranking de Corridas de Juiz de Fora; lugar Geral: Mizuno 10 Milhas - etapa Brasília - em dupla; Lugar Geral: Mizuno 10 Milhas - etapas Rio de Janeiro e Belo Horizonte - em dupla; Lugar: Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro - faixa etária de 35 a 39 anos.

2011 3º Lugar Geral no 26º Ranking de Corridas de Juiz de Fora; 2º Lugar Geral: Mizuno 10 Milhas - etapa Rio de Janeiro.

2012 3º Lugar Geral no 27º Ranking de Corridas de Juiz de Fora; 6° Lugar Geral: Golden Four Asics, Rio de Janeiro. (1° Lugar entre os amadores e na faixa 35-39 anos); 27º Lugar Geral: Meia Maratona do Rio de Janeiro. (1º Lugar 40-44 anos).

2013 3º Lugar Geral no 28º Ranking de Corridas de Juiz de Fora; 5º Lugar Geral: 10 Milhas Mizuno, Rio de Janeiro.

2014 5º Lugar Geral: Mizuno Half Marathon - 21Km - Rio de Janeiro.

6


#feitodegarraefe Em 2008, época em que dividia os treinamentos com a profissão de motorista, Edson chamou a atenção do triatleta Marcos Hallack, que o convidou para treinar com o suporte da Equipe SaúdePerformance. “Percebi o potencial dele como atleta desde MUITOS PÓDIOS MARCARAM A DUPLA EDSON cedo. A confiança DO NASCIMENTO E MARCOS HALLACK. pessoal foi sendo construída pouco a pouco, com a convivência, na gratidão dos gestos. E ele sempre surpreende. As provas em que largou em uma multidão de 20 mil atletas e terminou entre os 30 primeiros, são de arrepiar. Disputávamos muitas provas em dupla, e em todas subimos ao pódio”, relembra. Edson marca uma trajetória de sucesso no atletismo e também se dedica aos estudos no curso de Educação Física, na Faculdade Metodista Granber y. Os resultados nas competições e os estudos para a prova de seleção APÓS CONCLUIR O CURSO, DE QUATRO ANOS levaram o atleta a DE DURAÇÃO, EDSON PRETENDE TRABALHAR NA ÁREA SEM ABANDONAR OS TREINOS. alcançar mais essa conquista através da Equipe SaúdePerformance. “A Educação Física é mais que rendimento, é saúde. Quero poder ajudar a formar novos atletas e dar mais qualidade de vida a outras pessoas, que precisam de orientação. Tendo uma formação eu vou poder passar mais confiança, divulgar os benefícios da corrida e da caminhada”. EDSON EM MOMENTO DE ORAÇÃO: TRADIÇÃO ANTES DE TODAS AS PROVAS.

DESDE O COMEÇO E SEMPRE: A FAMÍLIA.

A FAMÍLIA TODA MARCOU PRESENÇA NA CORRIDA DA UFJF PARA ACOMPANHAR A PROVA E APLAUDIR EDSON.

Na primeira prova que participou, com 4,5Km de distância em 2004, Edson chegou entre os dez últimos colocados. Isso mesmo: últimos. A força para continuar, segundo ele, veio do pai, Francisco do Nascimento. “Liderei durante os primeiros 200 metros de prova. Mas meu fôlego não durou nem um quilômetro. Com 300 participantes, cheguei em 290°. Falei: ‘nunca mais, não dou pra isso’. O que me animou foi meu pai batendo palmas pra mim na chegada, me incentivando. Pensei: ‘ tô em último e ele ali?’’”, revela. Francisco não esconde o orgulho: “Naquele momento eu disse: ‘É agora, um dia você vai chegar lá’. Eu via o potencial nele, só faltava a postura de corredor ”. Maria Elói do Nascimento, mãe de Edson, explica de onde vem a energia do filho. “Ele é uma benção, muito esforçado, mesmo quando as coisas faltavam. A energia vem da força de vontade, uma garra muito grande”. As irmãs de Edson, Maria do Carmo e Elisa do Nascimento, dizem que tem no irmão uma referência. “É maravilhoso poder ser irmã de um atleta. Sinto muito orgulho do quanto ele evoluiu. É um desempenho muito grande”, diz Elisa. Maria do Carmo elogia a determinação do irmão: “A gente quer ver ele sempre ir mais longe. Eu pergunto a ele como ele consegue levantar tão cedo pra correr e ele responde que tem que simplesmente levantar e ir!”. Edson conta que o incentivo da família sempre foi muito grande, com direito a presença de todos. “Se depender da minha família eu estou em todas as competições”. Os amigos feitos ao longo do caminho como atleta fazem a diferença para sentir-se preparado a cada novo desafio. “A equipe SaúdePerformance é como uma família. Tenho apoio e uma base para poder me dedicar ”, revela Edson. Marcos Hallack ressalta o caráter de formação humana do esporte. “Não é uma questão de simplesmente patrocinar e sim de dar continuidade a isso. É uma formação do atleta para a vida, o esporte tem esse significado maior. Vejo isso muito forte no Edson, desde o início até hoje”. Cada prova tem suas particularidades, porém, antes da largada, Edson possui um gesto que se repete em todas elas. “Busco orações. Quando faltam dois minutos para a largada, me abaixo e agradeço a Deus que nunca abandonei uma prova”. E depois de cada prova, novos treinos, mais estudos e muitos quilômetros de desafios pela frente.

7


O QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE...

SUA

MENTE

MENTE NA CORRIDA

D

urante a corrida seu corpo vai estar alerta e em movimento. E a sua mente? Descubra de que forma o seu pensamento e sua determinação influenciam a sua corrida com a Master Coach Luciana Fiel.

R E V I S T A C O R R I D A GRANBERY: O que podemos levar de ensinamentos da corrida para a nossa vida? LUCIANA FIEL: A autoconfiança. Somos um manancial de possibilidades e fazemos parte como seres vivos desse universo. Temos uma força inconsciente que podemos torná-la consciente e superar os próprios limites que nos colocamos.

RCG: Como um atleta amador pode perceber o seu melhor e se conhecer através de uma competição esportiva? LF: No dia da competição, manter o foco no resultado é fundamental: criar uma imagem fotográfica e mensurar o seu rendimento. Você pode perceber o seu melhor reforçando positivamente seus pequenos resultados, isso é autoconhecimento. Aprender a perceber

8

o que você tem de melhor, suas forças e habilidades. Toda habilidade pode ser adquirida desde que ele siga três princípios: prática, repetição e reforço positivo. O que acontece geralmente é que praticamos pouco, repetimos menos ainda e esperamos muito reconhecimento externo. RCG: Para o dia a dia no trabalho, existe alguma influência da prática da corrida? LF: A atividade física favorece a produção de neurotransmissores como a serotonina, um dos mais importantes, que possui forte efeito no humor, memória e aprendizado e a noradrenalina que atua na sensação do prazer. O esporte contribui para que você seja melhor a cada dia, superando-se. Você tem que competir com você mesmo, ser o melhor de você, sempre. Isso é excelência. RCG: Como lidar com os dias de preguiça

ou cheios de tarefas, e achar tempo e disposição para cumprir a rotina de treinos? LF: A preguiça é um comportamento natural do ser humano, aceite isso, conscientize-se de que você é um simples mortal e comece a fazer o exercício de eliminar aos poucos esse comportamento. Você pode aprender a treinar o seu cérebro para a solução e não para o problema. É sempre bom lembrar que a preguiça é um sabotador, ela promove prazer a curto prazo e dor a longo prazo.


#INSTAGRANBERY

9


O QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE...

ALIMENTAÇÃO ANTES E DEPOIS DA CORRIDA COMO ENCONTRAR A ENERGIA PARA TIRARMOS O MELHOR PROVEITO DA CORRIDA? A SEGUIR A NUTRICIONISTA RENATA MOSQUEIRA APRESENTA DICAS EXCLUSIVAS PARA VOCÊ COLOCAR EM PRÁTICA ANTES E DEPOIS DA 5ª CORRIDA DA FACULDADE METODISTA GRANBERY.

CRIANÇA CORREDORA NÃO É GENTE EM MINIATURA CORRENDO

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E EQUILIBRADA Com o início da prática da corrida existe uma necessidade energética modificada que deve ser ajustada. Pode ser necessário aumentar a ingestão de alguns nutrientes de acordo com o treino. As recomendações nutricionais variam de acordo com o tempo e intensidade do treino, idade e sexo, entre outros fatores, para se ter atenção ao tipo e à quantidade de alimento para se comer antes e depois dos treinos. #FICADICA Ingerir mais alimentos com propriedades antioxidantes como: sucos naturais e frutas, azeite de oliva, oleaginosas, alimentos ricos em vitamina C (laranja, acerola, limão), alimentos ricos em potássio (maracujá, banana, feijão, água de coco), peixes, linhaça, açaí, entre outros.

DIA DE PROVA Antes das competições, além de recomendações individuais específicas, algumas dicas para a alimentação: - não ingerir nenhum alimento que não esteja acostumado; - evitar alimentos ricos em gordura; - evitar a ingestão de leite, preferindo suco de frutas natural, iogurte e frutas (sem cascas); - evitar associar alimentos ricos em fibras como granola, linhaça e pão integral; - a hidratação é muito importante. Tomar de 200 a 400 ml de água 30 a 60 minutos antes do exercício; - a alimentação deve ser feita de duas horas antes do exercício.

MAIS SACIEDADE Por ser um exercício aeróbico, a corrida estimula a produção de leptina, que atua no Sistema Nervoso Central levando menor ingestão de alimentos e acelerando o metabolismo. O ideal é procurar se alimentar bem todos os dias e respeitar o limite de três a quatro horas entre as refeições. Mas, caso isso não ocorra por falta de tempo por exemplo, é importante prestar atenção em dobro no dia seguinte e incluir alimentos antioxidantes e energizantes como por exemplo: frutas e sucos naturais, fontes de carboidratos integrais (arroz, pão, aveia, linhaça), oleaginosas, iogurtes e queijos magros, carnes brancas, azeite de oliva e suco de uva roxa.

REGRAS DE OURO DO CORREDOR * Não fazer atividade em jejum; * Manter uma dieta equilibrada; * Hidratar-se adequadamente; * Um programa alimentar para cada organismo otimiza o rendimento esportivo e proporciona também resultados estéticos esperados; * Quanto mais próximo do término do exercício for a refeição pós treino, melhor será a recuperação.

10

A

ssistimos um avanço acelerado do interesse popular pelo exercício físico em contrapartida à cultura do imobilismo – hábitos cotidianos da sociedade contemporânea que levam ao sedentarismo (dos vários controles remotos que temos à mão aos serviços delivery). Especialmente, vimos a prática da corrida crescer de forma vertiginosa e conquistar adeptos de toda a família, inclusive as crianças. Esta é aparentemente uma constatação muito positiva: crianças atraídas pelo esporte! Sim, concordamos. Porém reforçamos a extrema atenção que os adultos - pais, responsáveis, promotores de corridas e professores - devem dispensar ao tratamento LÚDICO dessa prática, lembrando sempre que criança não é o mesmo que um adulto em miniatura. Ressaltamos também o cuidado que devemos ter com a inserção precoce de crianças. Muitas vezes constatamos a ansiedade do adulto que não respeita a condição imatura – físico-motora e psicológica - de determinadas faixas etárias para algumas situações da prática esportiva, sempre - ou quase sempre - com o intuito de fomentar o esporte e estimular a criançada em relação ao exercício físico. Ao iniciarmos a criança cedo demais, principalmente em eventos pseudo-lúdicos (competitivos), corre-se o risco do esporte (no caso, a corrida) perder a criança, ou pior, da criança perder o esporte para a sua vida, pois “pressão” físico-motora e psicológica precoce concorre para a maior e mais significativa condição da evasão esportiva - também precoce. Se quisermos mesmo incentivar a prática de corrida para os pequenos, vamos começar por garantir a ludicidade dos eventos esportivos infantis, com profissionais responsáveis que saibam realmente respeitar as condições da criança, com premiação para todos e todas, para os mais e para os menos habilidosos. Nessa fase da prática esportiva infantil, segundo estudiosos como Freire (2009), a “pressão”, hierarquização ou diferenciação só atrapalha: estimula pouquíssimos e desestimula a maioria que muitas vezes gostaria de aderir, mas não adere, por frustração, desgaste e medo. Fica uma sugestão para os pais e adultos de um modo geral: quando uma criança - o seu filho ou aluno “corredor ” - terminar uma corrida, não pergunte a ela se VENCEU ou PERDEU. Pergunte se ela se DIVERTIU. Sigamos correndo e nos divertindo. Principalmente as crianças.

FERNANDO SEIXAS CARVALHO - PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA; MESTRE EM EDUCAÇÃO E ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL; COORDENADOR DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA FACULDADE METODISTA GRANBERY


CONFIRA TODAS AS PROGRAMAÇÃO

INFORMAÇÕES SOBRE A PROVA

23 DE MAIO | SEXTA

24 DE MAIO | SÁBADO

25 DE MAIO | DOMINGO

9h às 19h – entrega dos kits da corrida Local: Faculdade Metodista Granbery (Portaria da Rua Batista de Oliveira).

8h às 14h – entrega dos kits da corrida Local: Faculdade Metodista Granbery (Portaria da Rua Batista de Oliveira);

6h30 – entrega dos chips;

19h – Palestra com Lauter Nogueira (treinador e comentarista de atletismo do SporTV, Globosat e TV Globo) Local: Faculdade Metodista Granbery (Auditório Anexo I).

9h – Corrida Infantil Local: Faculdade Metodista Granbery (Centro de Esportes); 14h às 17h - montagem das tendas das equipes e empresas de assessoria. Local: Faculdade Metodista Granbery (Centro de Esportes);

7h30 – concentração para a corrida; 8h – Largada; 8h – manhã de lazer, atividades gratuitas e abertas a toda comunidade, recreação infantil e adulto, orientações para qualidade de vida; 10h – Encerramento das atividades Local: Faculdade Metodista Granbery (Centro de Esportes).

GUARDA-VOLUMES E BICICLETÁRIO:

NÚMERO DE PEITO COM TÍQUETES PARA GUARDA-VOLUMES E BICICLETÁRIO

DURANTE A CORRIDA, OS PARTICIPANTES PODERÃO GUARDAR OS OBJETOS PESSOAIS NO GUARDA VOLUMES, E SUAS BICICLETAS NO BICICLETÁRIO QUE SERÃO DISPONIBILIZADOS PELA ORGANIZAÇÃO DO EVENTO.

11


ANÚNCIO

12


Revista Corrida Granbery 2014  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you