Issuu on Google+

TRABALHO DE PARES

“O 25 de Abril de 1974”

DINAMIZAÇÃO DO PROJECTO “SEMANA DA LIBERDADE” PÚBLICO ALVO: 25 alunos ANO DE ESCOLARIDADE: 4º ano pk

INTRODUÇÃO: Como forma de comemorarmos os trinta e sete anos do 25 de Abril, o dia da liberdade, achámos por bem dinamizar um projecto com a turma B, do 4ºano, que decorrerá por o período de uma semana, de dia 18 de Abril de 2011, a dia 22 de Abril desse mesmo ano. Através deste projecto temos em vista desenvolver um conjunto de actividade e tarefas que visem o trabalho e desenvolvimento de um conjunto de competências: verbal-linguística, visual-espacial, musical, corporal-cinestesica, intra e interpessoal. Importa desde já mencionar que a nossa prática incide no estádio mítico, segundo kieran Egan, como tal através de todas as tarefas propostas tivemos em conta a importância que a oralidade desempenha nesta fase que compreende idades entre os seis e os nove anos. Ao longo de todo o projecto irá estar presente, o mito: as narrativas, os conto e as histórias, uma vez que estas são tidas como ideias básicas para iniciarmos um


dia de trabalho. A partir deste material de apoio, as histórias, vamos tentar criar e satisfazer as expectativas, desenvolver uma história e acima de tudo vamos tentar promover em todo o projecto, a fantasia, a emoção e o espirito de cooperação, partilha e união. Iremos ainda ter em consideração a relevância das oposições binárias, que contempla as lutas dramáticas, o mistério, a fantasia, o jogo e a representação.

OBJECTIVOS GERAIS DO PROJECTO: 

Estruturar o conhecimento de si próprio, desenvolvendo atitudes de auto-estima e de autoconfiança e valorizando a sua identidade e raízes.

Desenvolver e estruturar noções de espaço e de tempo e identificar alguns elementos relativos à História – 25 de Abril de 1974

Utilizar alguns processos simples de conhecimento da realidade envolvente (observar, descrever, formular questões e problemas, avançar possíveis respostas, ensaiar, verificar), assumindo uma atitude de permanente pesquisa e experimentação.

Seleccionar diferentes fontes de informação (orais, escritas, observação… etc.) e utilizar diversas formas de recolha e de tratamento de dados simples (entrevistas, inquéritos, cartazes, gráficos, tabelas).

Utilizar diferentes modalidades para comunicar a informação recolhida.

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS DO PROJECTO: O PASSADO NACIONAL 

Conhecer os factos históricos que se relacionam com os feriados nacionais e seu significado – 25 de Abril de 1974

Recolher dados sobre aspectos da vida quotidiana de tempo em que ocorreram esses factos.

RECONHECER SÍMBOLOS NACIONAIS 

Bandeira nacional.

Hino nacional. PROGRAMA NACIONAL DO 1ºCICLO ENSINO BÁSICO – MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO


DINAMIZAÇÃO… Sexta-Feira, dia 15 de Abril 2011 Como forma de darmos a conhecer aos pais o projecto que iremos desenvolver com as crianças acerca do 25 de Abril iremos distribuir por cada Encarregado de Educação um comunicado que visa dar conhecimento da realização do projecto, bem como, solicitar a sua participação neste.

Segunda-Feira, dia 18 de Abril 2011 Como forma de iniciarmos o projecto pretendemos antes de mais, dar a conhecer às crianças que segunda-feira, dia 25 de Abril irá ser feriado e que durante a semana de 18 a 23 de Abril irão ser desenvolvidas uma série de actividades relativas ao mesmo. Desejámos ainda referenciar os objectivos do projecto, sendo que o objectivo primordial se centra no facto de darmos a conhecer às crianças a razão pela qual comemoramos este feriado, e acima de tudo explicar o seu conteúdo histórico “Onde, Como e Porquê”ocorreu o 25 de Abril, de forma lúdica tentando promover a fantasia, a emoção e o faz de conta. Realização de um debate que visa a exposição de ideias, de opiniões, de pontos de vista referentes ao 25 de Abril. Importa salientar que com isto pretendemos antes mesmo de começarmos a trabalhar no projecto em si, termos uma noção prévia dos conhecimentos das crianças. Ao longo desta troca de opiniões, enquanto futuras professoras, achámos por bem adoptarmos a postura de mediadoras, deixando em aberto ao longo do debate determinadas questões que passamos a citar: 

O que é para vocês o 25 de Abril?

Porque acham que ocorreu o 25 de Abril?

Como é que acham que as pessoas viviam naquele tempo? Será que se podiam expressar livremente como hoje em dia?

Consideram o 25 de Abril um facto histórico, ou seja, que ficou demarcado na história?


Com este debate pretendemos que seja criado um momento de reflexão, promovendo acima de tudo o espírito de grupo, o respeito pela opinião individual e a aquisição de conhecimentos que fomentem novas aprendizagens. Desejamos deste modo explorar a Inteligência Verbal/ linguística bem como a Inteligência Interpessoal.

Apresentação um vídeo, que será elaborado por nós, e onde se aborde diversas questões sobre o 25 de Abril, tais como o ano em que este ocorreu, o porquê de ter ocorrido o 25 de Abril, tentando demonstrar que antigamente se vivia numa Ditadura e o que isso representava, passando-se com este facto histórico a viver numa Democracia, o que simbolizam os cravos, quem foram os principais representantes do 25 de Abril. No fundo com este vídeo pretendemos retratar o que na realidade aconteceu neste dia tão importante para a humanidade.

Com este vídeo pretendemos sintetizar as referências fundamentais deste dia, para que estas adquiram vários conhecimentos. Através deste pretendemos trabalhar a Inteligência Linguística bem como a Inteligência Interpessoal.

No seguimento da aula, iremos agora ensinar uma música,”Uma Gaivota Voava Voava” que retracta inicialmente o sofrimento das pessoas, a revolta sentida por não terem liberdade e posteriormente a alegria de voltarem a ser livres. Achamos particularmente interessante esta música, pois na penúltima quadra se encontra mencionado o desejo de uma criança não querer combater. Com esta quadra, pretendemos suscitar nas nossas crianças, o espírito de reflexão acerca do modo de vida das crianças à trinta e seis anos atrás. Usando como recurso esta música, pretendemos ainda criar uma coreografia que retrate as características essenciais das quadras.


“UMA GAIVOTA VOAVA VOAVA” Ontem apenas fomos a voz sufocada dum povo a dizer não quero; fomos os bobos-do-rei mastigando desespero.

Uma papoila crescia, crescia, grito vermelho num campo qualquer. Como ela somos livres, somos livres de crescer.

Ontem apenas fomos o povo a chorar na sarjeta dos que, à força, ultrajaram e venderam esta terra, hoje nossa.

Uma criança dizia, dizia "Quando for grande não vou combater". Como ela, somos livres, somos livres de dizer.

Uma gaivota voava, voava, assas de vento, coração de mar. Como ela, somos livres, somos livres de voar.

Somos um povo que cerra fileiras, parte à conquista do pão e da paz. Somos livres, somos livres, não voltaremos atrás.

Site consultado: http://web.educom.pt/pr1305/abril_gaivota.htm

Ao estarmos a ensinar esta canção pretendemos trabalhar a Inteligência musical, bem como, a Inteligência corporal ou cinestésica.

Como forma de darmos por terminado o primeiro dia de dinamização do projecto, iremos solicitar que a partir daquele dia as crianças passem a ser repórteres, quer isto dizer que, terão que realizar diversas pesquisas recorrendo à família, aos vizinhos, bem como à internet, a fim de recolherem o maior numero de informações acerca do que aconteceu no dia 25 de Abril de 1974, onde é que aconteceu, como é que aconteceu e porque é que aconteceu. De um modo geral pretendemos que ao longo de toda a semana os alunos autonomamente vão recolhendo imagens, fotografias, textos, testemunhos, com o intuito de no último dia do projecto podermos elaborar um livro onde todas estas informações se encontrem compiladas. No seguimento desta actividade pretendemos ensinar aos alunos o hino nacional, em anexo.


Através das diversas pesquisas que as crianças terão que elaborar, pretendemos fomentar nestas a aquisição de conhecimentos autonomamente e o seu relacionamento com as TIC, assim como desejámos trabalhar a Inteligência Verbal/ Linguística, a Inteligência Visual/Espacial e a Inteligência Musical.

Terça-feira, dia 19 de Abril de 2010 De forma a iniciarmos o segundo dia do projecto, achámos por bem recorrermos a uma fábula intitulada de “A fábula dos feijões cinzentos”, de José Vaz. Esta é uma fábula que retrata, de forma metafórica o que ocorreu no dia 25 de Abril de 1974.

ANEXO “Há muito tempo havia um reino chamado Jardim-à-Beira-MarPlantado. Esse reino era habitado por feijões. Um dia o feijão Carrapato roubou o sol, o feijão Frade roubou o ar e o feijão Fidalgo roubou a água aos outros feijões. Nesse reino moravam também os feijões: Frade, Vermelho, Carrapato, Rajado e outros. As mulheres eram as Feijocas. Quando estes feijões se lavaram com as gotas de água que sobraram viram que estavam cinzentos. Nos livros estava escrito que o Sol era a liberdade de criar, o Ar era o direito de pensar e a Água era a obrigação de distribuir. Viveram quarenta e oito anos assim. O feijão Vermelho começou a dizer baixo aos ouvidos dos outros: - Camaradas, a maioria de nós andamos secos e sem coisa nenhuma e outros têm, sol, água e ar à fartura, não pode ser! As palavras que não se podiam dizer era: Liberdade, Igualdade, Fraternidade, Justiça e muitas outras. O feijão Galego pôs-se a gritar: -Socorro, Socorro! Os feijões que mandavam no reino iam ouvir para as portas para ver se falava mal deles.


O feijão Carrapato inventou um lápis com dentes afiados e azul para comer as palavras que não gostava, levando-as para a prisão das palavras luminosas. Também na terra do avô do feijão Preto os primos destes berravam: - Ide-vos embora queremos nós mandar na nossa terra. E assim mandaram os feijões para lutaram contra eles. Nessa guerra morreram muitos feijões. Os feijões reuniram-se e como as raízes dos mandriões estavam podres, deramlhe um grande empurrão, caíram por terra que nunca mais se levantaram. A partir desse dia nunca mais ninguém roubou o sol, a água e o ar. Os cravos vieram morar nas ruas, no calendário dos portugueses e a História pôs uma rodinha no 25 de Abril de 1974 – Dia da Liberdade.” Site consultado: http://opalhinha.blogspot.com/2010/04/blog-post_17.html http://www.slideshare.net/turmat2avenida/a-fabula-dos-feijes-cinzentos

Seguidamente, vamos pedir que as crianças realizem uma ficha de trabalho, que se encontra em anexo *. Esta tarefa, contempla sete questões teóricas que visam a consolidação dos conhecimentos que as crianças têm vindo a adquirir ao longo de todo o projecto. No entanto, o vídeo irá ser o material de suporte à realização desta actividade. Com esta tarefa pretendemos trabalhar a inteligência verbal-linguística.

Com vista a elaborarmos um teatro infantil, em que as crianças deverão retratar o que para elas se passou à trinta e sete anos, achámos por bem começar a fornecer as linhas orientadores dessa dinamização. Quer isto dizer que vamos desde já pedir que as crianças comecem a ler e a interpretar o texto dramático, em anexo * que lhes vamos fornecer, com vista a iniciarmos os ensaios apenas tendo por base o texto.

Ao desenvolvermos esta tarefa pretendemos trabalhar a Inteligência Verbal/Linguística, a Inteligência Musical, a Inteligência Corporal ou Sinestesica e ainda a Inteligência Espacial.


Iremos pedir ainda que as crianças pesquisem na internet ou numa biblioteca, um poema que retrate o 25 de Abril. Mais uma vez pretendemos fomentar nas crianças o interesse e a familiarização pelas TIC, assim como as pesquisas autónomas.

Quarta-Feira, dia 20 de Abril de 2010 A fim de iniciarmos o terceiro dia do projecto, achámos por bem, contar uma história, cujo título “25 de Abril – Revolução dos Cravos”, da autoria de Paula Cardoso de Almeida. Esta é uma história que * Com esta tarefa temos a oportunidade de trabalhar a inteligência verbal/linguística.

Após a leitura da história, vamos pedir que as crianças construam cravos utilizando papel crepe e cartolina. No decorrer desta actividade iremos distribuir um poema **, que deverá ser agrafado ao cravo e lido por todos os alunos. Vamos solicitar ainda que as crianças nos digam que moral retiram do poema. Ao

dinamizarmos

esta

actividade

pretendemos

trabalhar

a

inteligência

verbal/linguística.

Posteriormente, iremos pedir às crianças que comecem a esboçar e a criar tanto os fatos, como os cenários, que irão usar no teatro. Através desta actividade pretendemos desenvolver a imaginação e a criatividade das crianças. Será uma actividade de carácter bastante lúdico mas que terá uma grande importância tanto para as crianças se familiarizarem com a história e com os seus personagens, assim como para despertar o seu interesse e curiosidade pelo trabalho final que irá ser apresentado.


No fim da aula, vamos pedir que as crianças amanhã, dia 21 de Abril de 2010, tragam todo o material recolhido para a construção do livro de turma acerca da dinamização do projecto. Importa salientar que vamos solicitar que as crianças em casa, construam um slogan para também amanhã, ser escolhido através do voto pelos colegas. Os alunos deverão trazer o slogan escrito numa folha branca sem estar assinada depois será lida por cada um aleatoriamente e escrito no quadro. Por fim, o que a turma achar melhor será seleccionado e passa a ser o título do livro. Com este slogan pretendemos despertar nas crianças a sua criatividade assim como desenvolvermos a sua Inteligência Verbal/Linguística.

Quinta-Feira, dia 21 de Abril de 2010 Como forma de darmos início ao penúltimo dia efectivo de dinamização do projecto, considerámos por bem procedermos à leitura de mais uma história contada pela voz do grande escritor Manuel António Pina, “O tesouro”. Esta é uma história que caracteriza o modo como o povo vivia na época do 25 de Abril, bem como as pessoas através do uso de adjectivos. O autor da história metaforicamente compara a liberdade com um tesouro, assim como Portugal com uma prisão. Ao longo da história também nos deparamos com o contraste que havia entre Portugal e outros países, onde as pessoas eram livres de fazerem o que quisessem. Site consultado: http://e-livros.clube-de-leituras.pt/elivro.php?id=otesouro

Seguidamente, as crianças irão ter que fazer uma banda desenhada acerca da história que ouviram. Essa banda desenhada deverá ser realizada individualmente, numa folha A3, composta por oito espaços, em cada um dos espaços os alunos deverão desenhar uma parte da história. Através da banda desenhada pretendemos trabalhar com as crianças a Inteligência Verbal/ Linguística uma vez que as crianças para realizarem a banda desenhada têm que interpretar e transpor para o desenho a história que ouviram.


Posteriormente, pretendemos reunir todos os materiais recolhidos pelos alunos, com vista a construirmos o livro da turma, acerca do 25 de Abril. Os alunos irão ser divididos em grupos, um grupo deverá utilizar o computador, ficheiro Word, para fazer os separadores do livro, um outro grupo deverá cortar e colar nas cartolinas que servirão de separadores os títulos de cada separador, bem como as imagens que os caracterizam. Com esta actividade pretendemos mais uma vez elucidar as crianças para a importância das tecnologias, assim como elaborar um suporte escrito onde todas as informações estejam reunidas.

Na parte final desta aula, os alunos deverão terminar tanto os fatos, como os cenários. Após tudo terminado vamos proceder aos ensaios já com fatos e cenários. Com os ensaios pretendemos que as crianças trabalhem a Inteligência Corporal ou Sinestésica, a Inteligência Verbal/Linguística, assim como desejámos fomentar o espírito de entreajuda, o trabalho em grupo e o relacionamento entre as crianças.

Sexta-feira, dia 22 de Abril de 2010 Inicialmente, pretendemos ensinar às crianças mais uma das músicas que marcou a resolução dos cravos, “Grândola Vila Morena”, cuja letra se encontra em anexo. Através desta música pretendemos iniciar mais uma sessão, despertando o interesse das crianças para mais um dia de trabalho, assim como trabalhar a Inteligência Musical.

Posteriormente, os alunos devem apresentar às outras turmas e aos encarregados de educação tanto o teatro, como o livro feito ao longo da semana pelos alunos. Através da apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelas crianças ao longo deste projecto, pretendemos desenvolver a Inteligência Intra-pessoal bem como a Inteligência Inter-pessoal.


De forma a consolidarmos todo o trabalho que até então vimos a desenvolver ao longo do projecto, considerámos pertinente realizar uma reflexão geral, que terá como ponto de partida fazermos a ponte entre o que as crianças nos responderam às questões relativas ao dia 25 de Abril de 1974: O que aconteceu? Como?, Onde?, Porquê?, antes da dinamização do projecto e a opinião das crianças agora no fim do projecto. Cada criança deverá dar a sua opinião acerca do projecto, do que aprendeu com o projecto, dos pontos fortes e fracos do projecto, bem como das dificuldades mais evidentes. Através desta reflexão elaborada com as crianças, desejámos consolidar todos os conhecimentos adquiridos ao longo do projecto, fomentar o espírito crítico assim como apercebermo-nos dos pontos altos e baixos do trabalho elaborado.

CONSIDERAÇÃO FINAL DO PROJECTO: Finalizado o projecto, torna-se importante fazer agora um balanço geral acerca da forma como este correu. Primeiramente, podemos começar por dizer que, as crianças se demonstraram muito motivadas ao longo de toda a semana, colaborando com entusiasmo na maior parte das actividades. Tendo em conta que o objectivo primordial era darmos a conhecer às crianças a razão pela qual comemoramos este feriado, e acima de tudo explicar o seu conteúdo histórico “Onde, Como e Porquê” ocorreu o 25 de Abril de forma lúdica, a nosso ver conseguimos transmitir um grande conjunto de informação acerca da forma como tudo isto se procedeu através de actividades que paralelamente à transmissão de conhecimentos, permitiram-nos trabalhar as várias Inteligências das crianças. Ao longo deste projecto, a participação dos pais revelou-se fundamental, sendo que, conseguimos obter um feedback positivo em relação a praticamente todas as famílias. Contudo, deparamo-nos com alguns casos em que os pais não se propuseram a ajudar no projecto pela falta de tempo.


SEMANA DA LIBERDADE