Page 1

São Paulo Outlook

ANUÁRIO 2013

CAPITAL

internacional dos

NEGOCIOS

Projetos 28 OBRAS E INICIATIVAS QUE TRANSFORMARÃO A METRÓPOLE

Turismo 300 DADOS QUE AVALIAM O SETOR E A AGENDA DA CIDADE

Pesquisa

DISTRIBUIÇÃO DIRIGIDA

225 executivos dizem por que investir em São Paulo

www.analise.com


ÍNDICE

São Paulo

O ut l o o k cAPITAL

internacional dos

negócios

8 Apresentação Uma cidade em transformação que enfrenta os desafios típicos dos grandes centros urbanos

6 Editorial A força de São Paulo para atrair talentos é fundamental para o sucesso nos negócios

13 são paulo em números Mais de 500 indicadores econômicos e sociais revelam a dimensão da metrópole

24 A OPINIÃO DE QUEM trabalha EM SP Levantamento mostra como empresários avaliam a cidade para viver e trabalhar

Multinacionais usam, cada vez mais, a cidade como base de suas operações

110 São Paulo em movimento Obras e projetos que estão impulsionando o desenvolvimento da cidade

26 Centro de negócios

62 Centro financeiro

114 Mobilidade

36 Investimentos na capital

68 Centro de consumo

118 Urbanização

48 Serviços e mão de obra

80 Economia criativa

122 Esporte e lazer

56 Pontos positivos e negativos

4

62 a estrutura para fazer negócios

São Paulo OUTLOOK

100 Diversidade paulistana

130 Iniciativas sustentáveis www.analise.com


HÉLVIO ROMERO/AE

Pedestre caminha na Rua Augusta, no centro da cidade de São Paulo: a economia criativa responde por 10% do PIB da capital paulista

134 turiSmo e eventoS Quem são os turistas que visitam a capital brasileira das feiras e congressos

Colaboradores

10

Metodologia

12

Expediente

137 Retrato do turista

150 Agenda da cidade www.analise.com

www.analise.com

Para encontrar a Análise Editorial na internet, acesse um dos endereços abaixo. Mais informações sobre nossos produtos, conteúdos exclusivos e nossa loja on-line podem ser encontradas no nosso site facebook.com/AnaliseEditorial

138 Estrutura para eventos 140 Estrutura hoteleira

12

web

linkedin.com/company/analise-editorial FOTO DA CAPA: DETALHE DA PONTE ESTAIADA OCTÁVIO FRIAS DE OLIVEIRA SANTOS, NA ZONA SUL DE SÃO PAULO (EDU LYRA/PULSAR)

twitter.com/analise_edit

São Paulo ouTlooK

5


apresentação

A cidade por quem

faz negócios São Paulo é uma metrópole em constante transformação e que enfrenta os desafios típicos de grandes centros urbanos. Confira, nesta edição de SÃO PAULO OUTLOOK, algumas das principais características da cidade e uma pesquisa exclusiva com 225 executivos que atuam na capital paulista

É

impressionante o que pode mudar em uma cidade como São Paulo em apenas um ano. A frota de veículos híbridos, que ajudarão a reduzir a poluição, aumentou. Foi iniciado um processo para trocar todos os pontos de ônibus da cidade e mais de mil relógios começaram a funcionar nas ruas. Foram criados mais de 100 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus. Áreas destinadas ao empréstimo de bicicletas se popularizaram. E estas são apenas algumas das poucas mudanças na superfície da metrópole, aquelas que ajudaram a mudar a cara da cidade. Não estamos falando do que aconteceu na saúde, na educação, áreas nas quais as transformações são mais difíceis de perceber. Apesar de tudo, a cidade de São Paulo continua pressionada por problemas e desafios do seu tamanho. A mobilidade urbana, por exemplo. As manifestações de rua que ocorreram por todo o Brasil e juntaram mi-

8

São Paulo OUTLOOK

lhões de pessoas em São Paulo, no mês de junho de 2013, levantaram o tema: há gente demais, carros demais e falta espaço para todos. Quem vive aqui percebe que se movimentar está cada vez mais difícil, seja de carro ou de transporte público. Assim é São Paulo: uma contradição. De um lado, uma metrópole moderna, rica, sede de empresas de todo o mundo e, de outro, uma cidade ainda em construção, que luta para superar suas deficiências. Por todas essas razões, compreender e rotular São Paulo é tarefa muito difícil. No entanto, parece que entre todas as suas facetas, a ideia de São Paulo como um centro mundial de negócios vem se materializando. Afinal, apesar de todas as suas questões, o grosso das empresas brasileiras e multinacionais escolheu a cidade para instalar sua sede. São Paulo é sede de 38 das 100 maiores empresas privadas de capital nacional, e 63% dos grupos internacionais que atuam no Brasil optaram pela a capital paulista para se instalar. A imagem dos edifícios nas avenidas Paulista e Faria Lima e na Marginal do Pinheiros ainda é o retrato mais comum da capital. Esta edição de SÃO PAULO OUTLOOK www.analise.com


mauricio simonetti/pulsar

Passageiros na estação Consolação do Metrô de São Paulo: sistema recebeu média de 3,7 milhões de usuários por dia útil em 2012

investiu em uma pesquisa inédita com o objetivo de traduzir essa metrópole da perspectiva dos executivos que a escolheram para desenvolver sua carreira. O resultado desse trabalho, que ouviu as opiniões de mais de 200 pessoas, pode ser conferido a partir da página 32 e confirma a percepção da capital de negócios. Mostra que as principais razões que tornam a cidade tão atraente giram em torno de oportunidades profissionais. Muitos também reconhecem o que todos os que moram aqui já sabem, a capital é um privilegiado centro de lazer e entretenimento. Para 71% dos entrevistados no levantamento o ambiente de negócios paulistano vai melhorar. Outros 75% dizem que São Paulo é opção para novos investimentos. A maioria dos executivos ouvidos coloca São Paulo entre as prioridades em seus projetos. A pesquisa também revela a evolução da cidade como centro de negócios. Sete em cada dez entrevistados afirmam que a capital paulista ficou mais atraente na década do ponto de www.analise.com

vista de investidores. Oito em cada dez executivos veem melhoria no ambiente de negócios de São Paulo. A pesquisa pediu aos executivos que avaliassem a evolução do ambiente de negócios da cidade na última década. A maioria observou uma evolução da metrópole, sendo que 46% deles afirmaram que o ambiente de negócios de São Paulo melhorou muito. Essa percepção está alinhada com projeções feitas por consultorias internacionais. Segundo a pesquisa American Cities of The Future 2013, do FDI Intelligence, setor de inteligência do britânico Financial Times, São Paulo recebeu, em 2012, mais Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) que Nova York e foi considerada a segunda cidade do futuro na América, perdendo apenas para a cidade norte-americana nesse quesito. Na opinião dos entrevistados por SÃO PAULO OUTLOOK, na comparação com outras cidades globais, São Paulo é a mais indicada como hub de negócios e base regional para a América Latina. Foram 93% dos

empresários ouvidos que consideraram que a capital é a mais capacitada para cumprir esse papel. Confira o resultado integral da pesquisa exclusiva conduzida pela equipe de SÃO PAULO OUTLOOK partir da página 26. A edição traz ainda uma análise dos principais projetos e obras em curso na cidade em áreas como mobilidade, urbanização, lazer e sustentabilidade. São 28 iniciativas que podem ser consultadas na seção que começa na página 110, e incluem os planos para expansão das faixas exclusivas de ônibus e da malha de metrô, a renovação do mobiliário urbano da cidade, e a ampliação da coleta seletiva de lixo. Os principais indicadores do setor de turismo e a agenda com os principais acontecimentos de São Paulo podem ser consultados a partir da página 134. Mais de 300 dados analisam o perfil dos turistas que visitam a cidade, a infraestrutura do setor hoteleiro e do segmento de eventos e feiras. Boa leitura e até a próxima edição de SÃO PAULO OUTLOOK.  0 São Paulo outlook

9


metodologia

os Critérios adotados Fontes de informação – As fontes utilizadas nesta edição para dados referentes ao PIB, população, serviços públicos e outras informações relacionadas a indicadores oficiais do município, Região Metropolitana, estado de São Paulo ou Brasil, foram apuradas com órgãos oficiais ligados às respectivas esferas governamentais. Os principais consultados estão listados a seguir: Municipais – Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Empresa de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo (SPTuris), São Paulo Convention & Visitors Bureau, São Paulo Transportes (SPTrans), além das secretarias municipais. Estaduais – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), além das secretarias estaduais. Federais, autarquias e empresas estatais – Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Banco Central, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além dos ministérios federais. Pesquisa de opinião – Em relação à seção Capital Internacional dos Negócios, os dados obtidos são resultado da pesquisa de opinião realizada com 225 empresários, executivos de empresas e personalidades que vivem e trabalham na cidade de São Paulo. Os entrevistados foram procurados pela equipe de SÃO PAULO OUTLOOK, entre 11 de junho e 9 de agosto, e responderam a um questionário por telefone ou e-mail. Os nomes de todas as fontes entrevistadas na pesquisa podem ser consultados na página 10. Levantamento de dados – Os dados referentes a setores específicos da economia, utilizados nas seções São Paulo em Movimento, São Paulo em Números e Perfil dos Visitantes foram apurados com en-

12

São Paulo OUTLOOK

tidades de classe e empresas privadas. Os principais consultados foram a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo (Abresi), Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), BM&FBovespa, Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Sindicato da Indústria da Construção Civil (SindusCon), Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi), União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe), Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos (Abragames) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU/SP). As informações para as reportagens sobre São Paulo como centro financeiro, tecnológico e de consumo foram obtidas com as seguintes entidades: União dos Lojistas da Rua 25 de Março e Adjacências (Univinco), MCF Consultoria, A.T.Kearney, Associação Brasileira das Empresas de Luxo (Abrael), Brasil Investimentos e Negócios (Brain), Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), Fundação Getulio Vargas (FGV), Fundo Monetário Internacional (FMI), empresa de estudos de mercado GfK, Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), International Congress and Convention Association (ICCA), KPMG, McKinsey Global Institute (MGI), PricewaterhouseCoopers, Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. O retrato da economia criativa na capital teve como base o estudo Economia Criativa na Cidade de São Paulo: Diagnóstico e Potencialidade, lançado em 2011. O levantamento foi coordenado pela Secretaria do Governo Municipal em parceria com a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap). O documento traz uma análise completa sobre a geração de empregos e os segmentos mais criativos da cidade de São Paulo.  0

e

d

i

t

o

r

i

a

l

Conselho editorial Eduardo Oinegue, Silvana Quaglio e Alexandre Secco

Diretora-presidente Silvana Quaglio

Diretor de conteúdo Alexandre Secco

Diretor comercial Alexandre Raciskas Rua Major Quedinho, 111, 16° andar CEP 01050-904, São Paulo-SP Tel. (55 11) 3201-2300 Fax (55 11) 3201-2310 contato@analise.com

www.analise.com

São Paulo Outlook PUBLISHER Silvana Quaglio EDITOR Alexandre Secco Editor executivo: Gabriel Attuy Gerente de pesquisa e distribuição: Ligia Donatelli Coordenadores de conteúdo: Célia Almudena, Irene Ruberti, Paula Quintas e Vinicius Cherobino Coordenadora de pesquisa: Sumaya Oliveira Coordenadora de distribuição: Juliane Almeida Coordenadora de arte: Bruna Pais Equipe de conteúdo: Bruno Maddalena, Patrícia Silva, Taiane Silva e Tais Souza Equipe de pesquisa: Amanda Otero, Ana Carolina Machado, Anna Carolina Romano, Bárbara Saryne, Bianca Barros, Bianca Camargo, Claudia Barbosa, Gabriel Magno, Guilherme Padin, Janaina Neves, Jéssica Souza, Leandro Nunes, Lucas Cunha, Luiza Chagas, Marcella Bertini, Matheus Narcizo, Mauro Camargo, Mayara Rovick, Ricardo Borges, Thainá Marques, Txai Zerbeto, Victor Augusto, Yago Rudá, Yamin Gomes e Yuri Damacena Designers: Ágata Yamashiro e Régis Schwert Coordenador de TI: Cristiano Carlos da Silva Equipe de TI: Felipe Cavalieri e Leandro Akira Colaboradores: Alex Argozino, Claudio Gatti, Claudio Rossi, Guilherme Gomes, Rogério Montenegro Revisão: Mary Ferrarini Tradução: Sogl Traduções Publicidade/Gerentes de negócios: Alessandra Soares e Márcia Pires Assistente: Felipe Ricelle Atendimento e apoio administrativo: Fábio Lopes, Giseli Monteiro São Paulo Outlook é uma publicação independente, desenvolvida pela Análise Editorial com apoio da Prefeitura de São Paulo e SPTuris

Tiragem da edição SÃO PAULO OUTLOOK auditada por PwC

ISSN 1808-9240

Tiragem: 15.000

Impressão: IBEP Gráfica Impresso em agosto de 2013

www.analise.com


SÃO PAULO EM NÚMEROS OS PRINCIPAIS INDICADORES PARA ENTENDER OS PRINCIPAIS INDICADORES PARACOMO FUNCIONA A SÉTIMA MAIOR METRÓPOLE DO MUNDO ENTENDER COMO FUNCIONA A SÉTIMA

1 2

> Comércio > Imobiliário DO MUNDO > Eventos MAIOR METRÓPOLE > Comunicação > População > Saneamento > Gastronomia > Cultura e lazer > Saúde 13 CRIMES pág. 17 25 INSPEÇÃO VEICULAR pág. 21 POPULAÇÃO pág. 14 > Habitação > Economia > Segurança > Hotelaria > Educação > Transporte 14 ÁREAS VERDES pág. 17 26 PIRÂMIDE ETÁRIA pág. 14 INFRAESTRUTURA pág. 21 > Infraestrutura > Emissão de CO2 > Turismo QUANTO CUSTA pág. 14

15

SEGURANÇA pág. 17

27

MORTES NO TRÂNSITO pág. 21

4

ECONOMIA pág. 15

16

TURISMO pág. 18

28

TÁXIS pág. 21

5

PEA pág. 15

17

HOTELARIA pág. 18

29

EMPRESAS CRIATIVAS pág. 22

6

DISTRIBUIÇÃO DE RENDA pág. 15

18

OS 10 MAIORES EVENTOS pág. 18

30

SETORES DA ECONOMIA pág. 22

7

COMÉRCIO pág. 16

19

EVENTOS pág. 18

31

FUNÇÕES CRIATIVAS pág. 22

8

SANEAMENTO pág. 16

20

GASTRONOMIA pág. 19

32

EMPREGOS NO SETOR pág. 22

9

MERCADO IMOBILIÁRIO pág. 16

21

LAZER E CULTURA pág. 19

33

POLOS DE PRODUÇÃO pág. 22

10

HABITAÇÃO pág. 16

22

COMUNICAÇÃO pág. 19

34

MEGAEVENTOS DA CIDADE pág. 23

11

SAÚDE pág. 17

23

TRANSPORTE pág. 20

12

EDUCAÇÃO pág. 17

24

EMISSÃO DE CO2 pág. 21

3

www.analise.com

São Paulo ouTlooK

13


SÃO PAULO EM NÚMEROS

23

TRANSPORTE

Frota 7,3 mi Total 5,3 mi Automóveis 962 mil Motos 808 mil Vans e caminhonetes 150 mil Caminhões 43,5 mil Ônibus 33 mil Táxis 452 Helicópteros 150 Trens de metrô Viagens diárias Transporte coletivo 13,9 mi (55%) Transporte individual 11,3 mi (45%) 12,6 mi A pé 10,4 mi Automóveis 9 mi Ônibus ou lotação 2,2 mi Metrô 1,3 mi Veículo escolar 815 mil Trem 721 mil Moto 514 mil Ônibus fretado 91 mil Táxi 92 km Congestionamento no horário de pico (média em 2012 à tarde)

Vagas de estacionamento especiais Zona azul Vagas para idosos Vagas para pessoas com deficiência Fiscalização Fiscais da CET Multas aplicadas Veículos guinchados Radares de velocidade Lombadas eletrônicas Aeroportos Empresas aéreas Aeroporto de Congonhas Pousos e decolagens (em 2011) Passageiros (em 2011) Campo de Marte Pousos e decolagens (em 2011) Passageiros (em 2011)

32 mil 1.973 791 1.854 9,9 mi 12 mil 435 153 2 44 213 mil 16,7 mil 143 mil 427 mil

Passageiros diários Ônibus (em dias úteis) Metrô (em dias úteis) Trens (em dias úteis) Idade dos carros Até 1 ano 2 a 5 anos 6 a 10 anos Mais de 10 anos Estacionamento de carros Próprio Patrocinado Na rua Pago mensal Pago avulso Zona azul

9,7 mi 3,7 mi 2,3 mi 9% 23% 27% 41% 3,2 mi 1,7 mi 1,5 mi 259 mil 143 mil 32 mil

Um ônibus biarticulado pode carregar 190 passageiros

Transporte público Ônibus Empresas operadoras Terminais de ônibus Corredores de ônibus Linhas de ônibus Extensão Paradas Estações de metrô Linhas de metrô Extensão linhas de metrô Estações de trem Linhas de trem Extensão linhas de trem

20

São Paulo OUTLOOK

15 mil 25 29 10 1,3 mil 4,5 mil km 19 mil 67 5 74,3 km 98 6 260 km

www.analise.com


Mobilidade e transporte

6,1 mil cruzamentos com semáforos

4.200 carros e 200 ônibus passam por hora na Avenida Paulista (horário de pico)

24

EMISSÃO DE CO2

CO2 emitido (referência inventário

25

de 2005 em toneladas equivalentes)

15 mil 200 60 250 mil 38 60 km 120 km 156 mil

MORTES NO TRÂNSITO

2011

1.463 1.382

Caminhões

1.365 1.357

1.231

26

2012

2,7 mi 2,7 mi 2,6 mi

Motos

266 mil 268 mil 264 mil 21 mil

INFRAESTRUTURA

Vias pavimentadas Pontes Viadutos Consumo de energia Total Residencial Comercial Industrial Outros Iluminação pública Distância do Porto de Santos

17,2 mil km 47 136 27,3 mil GWh 11,1 mil GWh (41%) 9,2 mil GWh (34%) 4 mil GWh (15%) 3 mil GWh (10%) 570 mil lâmpadas 77 km

53 mil 45 mil

28

1.566 1.487

2010 Carros

Ônibus que usam combustíveis renováveis Biodiesel Elétricos Etanol Ciclistas Bicicletas Bicicletários Ciclovias Ciclofaixa Viagens diárias

27

INSPEÇÃO VEICULAR

15,7 mi toneladas

TÁXIS

Carro/ 1.000 hab. São Paulo 3 Buenos Aires 10 Londres 3 Nova York 1,5

Bandeirada R$ 4,10 R$ 3,00 R$ 7,50 R$ 5,60

Por km rodado R$ 2,50 R$ 1,42 R$ 6,50 R$ 5,60

2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012

www.analise.com

São Paulo outlook

21


CLAUDIO ROSSI/ANÁLISE EDITORIAL

São Paulo é sede das maiores empresas do país e, em alguns casos, da América Latina, além de unidades de grandes grupos estrangeiros. O material humano também é fundamental, tanto pela presença de excelentes universidades como pela diversidade da população, que reúne povos de todos os cantos. Somando tudo isso, foi criada uma cultura voltada ao trabalho e ao progresso

Sérgio Ferreira

Diretor-geral do Chrysler Group do Brasil


capital

internacional dos

negócios Pesquisa exclusiva com 225 executivos avalia o potencial da cidade na atração de investimentos e as perspectivas da metrópole como cidade global

Pesquisa

Opinião

Negócios

Levantamento inédito revela como a cidade é avaliada por seus executivos  página 26

A capital paulista nas palavras de quem comanda empresas  página 32

Um panorama do mercado financeiro da metrópole e seus agentes  página 62


pesquisa

a opinião dos

executivos 1

2

3

Guilherme Gomes/Análise Editorial

fotos: Divulgação

4

dskjfh kdlsjhfl kjdhskjf hdsjkhfjkldsh fkldshfklh dslkjfhkljdshflkjdshfl

26

São Paulo OUTLOOK

www.analise.com


pesquisa

A equipe de SÃO PAULO OUTLOOK entrevistou mais de 200 empresários, entre executivos, consultores, presidentes, vice-presidentes e diretores de empresas, que vivem e trabalham em São Paulo, para saber como eles avaliam o ambiente de negócios na capital paulista. Confira, nas próximas páginas, o resultado desse levantamento exclusivo e o que eles disseram sobre a metrópole 5

7

6

Adib Jacob, presidente da Novartis 2 Maílson da Nóbrega, sócio da Tendências Consultoria e ex-ministro da Fazenda 3 Chieko Aoki, presidente da Blue Tree Hotels 4 Carlos Miguel Aidar, sócio-fundador do Aidar SBZ Advogados 5 Sergio Pompílio, vice-presidente jurídico e relações corporativas da Johnson & Johnson 6 Pedro Melo, presidente da KPMG 7 Rodolfo Fucher, diretor de assuntos corporativos da Microsoft Brasil 1

www.analise.com

A

cidade de São Paulo é o hub absoluto de negócios do Brasil e da América Latina, concentrando sedes de empresas, instituições financeiras, startups e filiais das principais companhias de tecnologia do mundo. Na última década, a metrópole – que é a décima mais rica do planeta, considerando o seu PIB, e a sexta maior em população – passou a ganhar destaque como um polo de negócios global, chamando a atenção de investidores internacionais por seus índices elevados de crescimento econômico, alta qualidade de serviços e mercado consumidor em ascensão. Nesta quarta edição de SÃO PAULO OUTLOOK fomos a campo para buscar a opinião de quem faz negócios na cidade e entender quais são os principais pontos positivos, as deficiências que precisam ser vencidas, e a perspectiva para o fluxo de investimentos futuros na capital. Para isso, entrevistamos 225 executivos e empresários sediados em São Paulo. Esse levantamento exclusivo aponta as expectativas dos profissionais e ajuda a vislumbrar o que pensam aqueles que comandam as maiores companhias brasileiras e as multinacionais estrangeiras com operações no país. Em geral, as opiniões são positivas e indicam que o ambiente de negócios da capital paulista – que engloba o ritmo de crescimento da economia local, o interesse de investidores pelo município e a facilidade de se fechar negócios, entre outros fatores – avançou consideravelmente na última década e deve continuar a se aprimorar. Ao serem questionados a respeito dos planos de suas companhias para realizar novos investimentos em São Paulo, 34% dos executivos entrevistados afirmaram que as empresas em que atuam têm planos concretos, e 41% disseram que novos projetos estão sendo avaliados neste momento. Ou seja, três em cada quatro dos entrevistados estão considerando ampliar suas operações em São Paulo. Outros 16% apontaram que estão avaliando investimentos em outras cidades, e 9% que não consideram as condições da metrópole favoráveis no momento. São Paulo outlook

27


PARA ENTENDER SÃO PAULO

CONEXÃO GLOBAL ALEMANHA Berlim 12h45 10.246 km +3h

REINO UNIDO Londres 10h40 9 .471 km +3h Nova York

E S TA D O S U N I D O S Miami

ESPANHA

8h40 7 .652 km -1h

Madrid 10h27 8.377 km +4h

7h20 6.548 km -2h

M É X ICO Cidade do México 8h20 7.421 km -3h

BR ASIL

São Paulo

CHILE

ÁFRIC A DO SUL

Santiago

Mobilidade aérea

3h 2 .587 km -1h

Médias diárias nos aeroportos de São Paulo

Buenos Aires 1h50 1 .675 km 0h

ARGENTINA

1,3 mil voos • 224 internacionais 135 mil passageiros • 31 mil internacionais 30

SÃO PAULO OUTLOOK

www.analise.com


Os dois aeroportos paulistanos oferecem uma média de 1,3 mil voos por dia, sendo 224 internacionais. Entenda em quanto tempo é possível ir e voltar de São Paulo para algumas das principais capitais mundiais

LEGENDA

RÚSSIA

Moscou

Tempo de voo

13h20 11 .789 km +7h

Distância Diferença de horário em relação a São Paulo

Pequim

CHINA E G ITO

JAPÃO Tóquio

23h15 17.685 km +11h

21h 18 .528 km +12

Cairo 12h30 10.228 km +5h

Mumbai 15h30 13.771 km +8h

Í N DI A

COREIA DO SUL Seul 20h40 18 .336 km +12h

AUSTRÁLIA Johannesburgo 8h20 7.442 km +5h

Sydney 15h 13.379 km +13h

Fonte: Os dados dos aeroportos são da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), referentes ao ano de 2012. O tempo de voo refere-se a uma estimativa da duração de uma viagem de avião sem escalas, a velocidade média de 800 km/h. O fuso horário está baseado na hora de São Paulo, que está a -3 horas do Meridiano de Greenwich. O número de voos e passageiros toma como base a soma das médias do Aeroporto de Guarulhos (Cumbica) e do Aeroporto Internacional de Congonhas, considerando os dados do ano de 2012. www.analise.com

SÃO PAULO OUTLOOK

31


opinião | São Paulo Outlook

7 em cada 10 entrevistados afirmam que cidade ficou mais atraente na década

A

cidade de São Paulo vem ganhando destaque como polo de atração de investimentos. Na última década, a cidade evoluiu – pouco para 39,5% e muito para 33,6% – na atratividade de novos negócios, e pouco mais de 20% dos entrevistados não notaram mudanças nesse cenário. O município recebeu, em 2012, mais Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) que Nova York e foi considerada, segundo a pesquisa American Cities of The Future 2013, do FDI Intelligence (setor de inteligência do britânico Financial Times), a segunda cidade do futuro na América, perdendo apenas para a cidade norte-americana nesse quesito, mas superando Toronto (Canadá), Los Angeles (Estados Unidos), Chicago (Estados Unidos), Santiago (Chile) e Buenos Aires (Argentina). De acordo com estudo do Brasil Investimentos e Negócios (BRAiN), apesar de ter sido um ano difícil para esse tipo de investimento, a cidade de São Paulo não foi particularmente atingida e vem se consolidando como base para os investimentos no Brasil e para outros países da região.

44

São Paulo OUTLOOK

Como avalia

6

a evolução da

atratividade

da cidade para

novos investimentos na última década? Piorou

Melhorou pouco

6,7% Ficou igual

20,2%

39,5% 33,6%

Melhorou muito

www.analise.com


Sergio Zacchi/Valor/Folhapress

Pesquisa Exclusiva

Estamos falando de uma megalópole que não para nunca, que conta com comunidades de nações de todos os continentes e é capaz de atender gostos distintos. Há capacidade hoteleira, diversidade gastronômica e cultural e tecnologia de alto nível – tanto em infraestrutura quanto em mão de obra qualificada –, além da receptividade típica do brasileiro Chieko Aoki Presidente da Blue Tree Hotels www.analise.com

São Paulo outlook

45


Centro FINANCEIRO

otimismo renovado Moacyr Lopes Junior/Folhapress

O setor de serviços financeiros de São Paulo é líder na América Latina e abriga uma das cinco maiores bolsas de valores do mundo, além de sediar 63% das multinacionais no Brasil e 17 dos 20 maiores bancos que atuam no país

Corretora em São Paulo: a Bovespa realizou 192 milhões de negociações em 2012


Centro FINANCEIRO

A

cidade de São Paulo é o coração do setor financeiro da América Latina e abriga uma das cinco maiores bolsas de valores do mundo, a BM&FBovespa. O município é sede de 38 entre as 100 maiores empresas privadas de capital nacional; 63% dos grupos internacionais instalados no Brasil; 17 dos 20 maiores bancos e oito das dez maiores corretoras de valores. A cidade de São Paulo acumulou 1,38 trilhão de reais em depósitos totais em instituições financeiras em 2011 e conta com quase 2,5 mil agências bancárias, 11,6% do número de postos do país. O município registrou

740 bilhões de reais em operações de crédito no ano de 2012, o que responde por quase 9% do total do Brasil, segundo dados do Banco Central. Mesmo sob os efeitos da crise econômica internacional, os bancos de investimento que atuam no país – que incluem os principais nomes globais, como J.P. Morgan, Morgan Stanley, Merrill Lynch e Credit Suisse – continuaram crescendo nos últimos anos e preveem que São Paulo seja um de seus principais mercados de expansão na próxima década. Entre os bancos de varejo, as previsões também são otimistas. O avanço econômico do Brasil criou um novo mercado consumidor de serviços bancários, que tende a continuar crescendo. E as principais instituições bancárias do país acompanham o movimento com novos investimentos, na esteira de uma série de fusões e aquisições que consolidaram o setor nos últimos anos. O primeiro semestre de 2013 foi marcado por um cenário excepcional nos resultados dos bancos brasileiros. O estatal Banco do Brasil, maior instituição financeira da América Latina, registrou o maior lucro líquido semestral da história do sistema bancário nacional, com 10,3 bilhões de reais nos primeiros seis meses do ano. O resultado foi o suficiente para desbancar o Itáu Unibanco, o maior banco privado do Brasil, que tinha ocupado o topo do ranking nos últimos quatro anos. O Itaú Unibanco registrou lucro líquido de 7,05 bilhões de reais no primeiro semestre do ano, resultado 4,8% maior que o registrado no mesmo período de 2012, e o Bradesco atingiu o maior lucro semestral da sua história nos primeiros seis meses de 2013, com 5,86 bilhões de reais. Indicadores positivos – Uma série

de resultados favoráveis em diversos segmentos do mercado financeiro contribuiu para os resultados recordes dos bancos. O crédito imobiliário no mercado brasileiro apresentou expansão de 76,3% no período de 12 meses, concluído em junho de 2013, na comparação com o período anterior, com um saldo total de 17,3 bilhões de reais. Em relação ao volume de crédito contratado no primeiro semestre de 2013,

as pessoas físicas responderam por 5,2 bilhões de reais e as pessoas jurídicas representaram 4,1 bilhões de reais. O faturamento total com cartões apresentou crescimento de 22,5% no segundo trimestre do ano em relação ao mesmo período em 2012, e atingiu 49,7 bilhões de reais. O faturamento com cartões de crédito foi o destaque, alcançando 29,4 bilhões de reais e crescendo 24,2% em relação a 2012. Analistas apontam que a alta taxa de juros cobrada pelos bancos brasileiros é um dos fatores que contribuem para os resultados das instituições financeiras brasileiras. O Itaú Unibanco, por exemplo, é o 39º maior banco do mundo, segundo o ranking da revista britânica The Banker, mas ocupa o 13º lugar quando o item avaliado é a cobrança de juros. Bolsa – A BM&FBovespa também

bateu uma série de recordes recentemente. O volume financeiro total no segmento Bovespa atingiu o recorde histórico de 1,78 trilhão de reais em 2012, superando a marca de 1,61 trilhão de reais registrada em 2011. A média diária apresentou o recorde histórico de 7,25 bilhões de reais, superior aos 6,49 bilhões de reais alcançados em 2011. O número total de negócios atingiu a marca histórica de cerca de 192 milhões em 2012. O recorde anterior, de 2011, foi de 141 milhões. A média diária de negócios também foi recorde, com 780 mil, superando os 567 mil registrados em 2011. O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, encerrou 2012 com alta de 7,4%. No ano, as empresas listadas na BM&FBovespa pagaram a seus acionistas 45,82 bilhões de reais. Desse montante, 18,77 bilhões de reais referem-se a dividendos; 16,82 bilhões de reais a juros sobre capital próprio; e 3,53 bilhões de reais a subscrição. Em 2012, o mercado futuro registrou recorde de 689 milhões de contratos negociados, superando os 672 milhões de 2011. O volume financeiro alcançou 48,5 trilhões de reais no ano, ante 46,4 trilhões de reais em 2011. Em junho de 2013 havia 456 empresas negociadas na BM&FBovespa, incluindo as oito empresas brasileiras listadas entre as 500 maiores do munSão Paulo OUTLOOK

63


SILVA JUNIOR/FOLHAPRESS

CONSUMO E RENDA

Consumidores lotam a rua 25 de Março, no centro de São Paulo: região atrai, em média, 400 mil pessoas diariamente para fazer compras em mais de 1.400 lojas


CONSUMO E RENDA

do tamanho

de UM país São Paulo concentra 12% do PIB do Brasil e 6% de sua população. Se fosse um país, estaria entre os 40 mais ricos e os 80 mais populosos. O potencial de consumo do município, em 2013, é estimado em 277 bilhões de reais

S

ão Paulo é uma cidade de superlativos. O município conta com 11,2 milhões de habitantes e a Região Metropolitana – composta de 38 outras cidades – com quase 20 milhões, o que coloca a aglomeração urbana de São Paulo na sexta posição entre as maiores do globo, de acordo com dados da ONU. Não é difícil confundir a cidade com um país. Na geração de riqueza, a capital paulista já é a 36ª maior economia do mundo, segundo estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Com um PIB próximo de 450 bilhões de reais, em 2010, o município está próximo de países como Hong Kong e à frente do Chile, por exemplo. Segundo projeções da consultoria PricewaterhouseCoopers, até 2025 o PIB da aglomeração urbana de São Paulo deve chewww.analise.com

gar à sexta colocação no mundo, com 782 bilhões de dólares e ultrapassando Paris, Osaka, Filadélfia e Cidade do México. Entre seus parceiros latino-americanos, a relevância econômica da cidade de São Paulo é imponente. O PIB da metrópole representa cerca de 70% da economia da Argentina, 85% da Venezuela e 90% da Colômbia. Dentro da economia brasileira, o PIB paulistano representa 12% do nacional. Entre as regiões, a economia paulistana representa 21% do PIB da Região Sudeste, 65% da Sul e 87% da Nordeste. O PIB de São Paulo é ainda 27% maior que o do Centro-Oeste e quase duas vezes e meia o da Região Norte. Na comparação entre os estados, a cidade de São Paulo, se fosse uma Unidade Federativa, seria a segunda mais rica, atrás somente do próprio estado de São Paulo. A cidade está 36,4 milhões de reais à frente do estado do Rio de Janeiro, que ocupa a terceira posição no ranking. São Paulo agrega as mais diversas atividades econômicas, o que reduz os riscos para a cidade em caso de turbulências finan-

8 bi

de reais é o valor do mercado de produtos de luxo de São Paulo

São Paulo OUTLOOK

69


JF DIORIO/AE

Centro Tecnol贸gico

Participantes da Campus Party, em S茫o Paulo, o maior evento de tecnologia do Brasil


Centro Tecnológico

o polo latino da

tecnologia da

informação Capital paulista concentra a sede das principais empresas de TI do mundo, atrai a onda de novos serviços digitais e é o destino das multinacionais que querem estabelecer uma base para gerenciar suas operações na América Latina

S

ão Paulo é a sede brasileira das empresas mais tradicionais em tecnologia. A IBM, que começou operando com máquinas de cartão perfurado, chegou à cidade em 1917. A onda da tecnologia dos computadores pessoais e internet, que começou em meados da década de 1990, também chegou diretamente ao Brasil pela capital paulista. Gigantes como Microsoft, Cisco e Google, apenas para citar alguns exemplos, estabeleceram suas operações nacionais em São Paulo. Ao que tudo indica, a mais nova onda tecnológica, que vai das redes sociais aos serviços de transmissão de filmes e séries (streaming), jogos, livros e leitores eletrônicos, entre outros, também vai se localizar www.analise.com

em São Paulo. O Facebook desembarcou no país via capital paulista em 2011, sendo acompanhado, logo depois, pelo serviço de microblog Twitter, pela empresa especializada na transmissão de conteúdo pela internet Netflix e pela desenvolvedora de games Ubisoft. Entre as empresas de tecnologia mais recentes a operar no Brasil via São Paulo está a gigante varejista Amazon, que chegou em outubro de 2012 vendendo seus livros eletrônicos e o leitor Kindle; a rede social corporativa LinkedIn, em julho de 2013; e a fabricante canadense de celulares Blackberry, que abriu um centro tecnológico na cidade no mesmo ano. Para se estabelecer como a base latinoamericana da nova economia digital, São Paulo precisou atrair uma série de multinacionais que buscavam um destino para operar diretamente na região. Além dos seus méritos próprios, a capital também aproveitou fatores macroeconômicos que prejudicaram seus rivais diretos. São Paulo OUTLOOK

75


JF DIORIO/CORBIS

ECONOMIA CRIATIVA

grafite exposto na bienal de Artes de são paulo: economia criativa movimenta cerca de 40 bilhões de dólares na capital paulista

METRÓPOLE

MOVIDA PELA CRIATIVIDADE Setor econômico baseado na capacidade de gerar riqueza por meio das ideias e do talento encontra na capital paulista as condições adequadas para se desenvolver e se tornar o potencial motor da economia paulistana 80

São Paulo outlook

www.analise.com


Economia criativa

A

cidade de São Paulo é um dos principais celeiros da produção criativa brasileira. O crescimento desse novo setor econômico, focado na geração de conhecimento que nasce da criatividade e produz riqueza, é uma tendência mundial. Entre as principais áreas criativas que se destacam em São Paulo estão arquitetura e design; artes performáticas, plásticas e visuais; artesanato; edição e impressão; moda; multimídia (cinema, vídeo, televisão e rádio); música; patrimônio cultural; pesquisa e desenvolvimento; publicidade e propaganda; e tecnologia e games. As áreas de gastronomia e de brinquedos também compõem a lista. Cada seg-

mento trabalha em conjunto com áreas relacionadas, criando a cadeia produtiva do setor. Em 2012, a Prefeitura de São Paulo divulgou um levantamento sobre a economia criativa na capital. Foi a primeira iniciativa para mapear e dimensionar o potencial dos segmentos criativos na cidade. O estudo, desenvolvido pela Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), revelou que a área de tecnologia é um dos carros-chefes da economia criativa paulistana. Logo em seguida, aparece o mercado de publicidade e propaganda, que reúne na capital as principais e mais premiadas agências brasileiras. São Paulo concentra 15% do total de profissionais criativos do país. Além disso, os empregados em atividades criativas na capital paulista recebem o segundo maior salário de todo o país, atrás apenas do Rio de Janeiro, onde

o segmento é impulsionado pelo setor de televisão. A participação da economia criativa no PIB paulistano chegou a 10% em 2010, índice bem acima da média nacional, de 2,5%, de acordo com estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Os benefícios trazidos pela economia criativa não se limitam aos resultados econômicos. Os profissionais criativos contribuem para a revitalização de bairros ao instalar escritórios e ateliês em áreas degradadas, criando novos circuitos alternativos. O sucesso da economia criativa em São Paulo também é explicado pela presença de um mercado consumidor de cultura, lazer e entretenimento, com maior poder aquisitivo. Conheça, nas páginas a seguir, alguns dos projetos e iniciativas criativas mais promissoras que estão em andamento na capital paulista.  0

a indústria criativa em São Paulo Os 13 principais segmentos criativos em atuação na cidade e sua participação na economia Número de profissionais

participação nos empregos criativos

Número de empresas

participação nas empresas criativas

Arquitetura e design

15.947

7,6%

803

9,5%

Artes performáticas

1.751

0,8%

466

5,5%

Artes visuais e plásticas

2.832

1,4%

540

6,4%

Artesanato

4.348

2,1%

-

-

Audiovisual

16.232

7,7%

723

8,6%

Edição e impressão

14.903

7,1%

1.344

15,9%

Ensino e cultura

14.974

7,1%

662

7,8%

131.000

-

12.500

-

91.953

43,9%

2.496

29,6%

Moda

8.424

4%

-

-

Patrimônio

8.074

3,9%

36

0,4%

Pesquisa e desenvolvimento

10.432

5%

102

1,2%

Publicidade e propaganda

19.633

9,4%

1.266

15%

setor

Gastronomia1 Informática

Fonte: Estudo "Economia Criativa na Cidade de São Paulo” da Prefeitura de São Paulo e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap) – 2009 1) O setor de gastronomia não faz parte do estudo da Fundap e, por isso, não foi considerado para o cálculo do número total de empregos e empresas criativas www.analise.com

São Paulo outlook

81


OS SETORES DA ECONOMIA CRIATIVA Saiba quantos funcionários cada um dos principais segmentos da economia criativa em São Paulo possui, quantas empresas atuam e os bairros em que eles estão inseridos

PERCENTUAL DE VAGAS CRIATIVAS EM SÃO PAULO TECNOLOGIA

EDIÇÃO E IMPRESSÃO

35 35

18

EMPREGOS FORMAIS CRIATIVOS

49.985

26.425

23.730

17.463

8.424

EMPRESAS

2.496

1.344

1.266

723

8.700

EMPRESAS CRIATIVAS NA CIDADE

29,6%

15,9%

15%

8,6%

29%

FUNÇÕES DO SETOR

Desenvolvimento de software; consultoria; provedores de serviços de software e serviços de hospedagem na internet; portais; provedores de conteúdo e outros.

Edição de livros, jornais e revistas; edição integrada à impressão de cadastros, listas e outros produtos gráficos; agências de notícias.

BAIRROS QUE MAIS EMPREGAM

Jardim Paulista

Sé Liberdade

Santa Cecília Jaguaré

Agências de publicidade

Fabricação de instrumentos musicais; produção, pós-produção e exibição cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão; atividades de gravação de som e de edição de música; atividades de rádio; atividades de televisão aberta e por assinatura; aluguel de fitas de vídeo, DVDs e similares.

Alto de Pinheiros

Mandaqui Perdizes Barra Funda

Pinheiros

Jardim Helena

Itaim Bibi

Morumbi

Itaim Bibi

Morumbi

Cidade Dutra

86

São Paulo OUTLOOK

www.analise.com

Estilistas; técnicos; modelos; alfaiates e costureiros.

Barra Funda Bom Retiro Itaim Bibi

Brás


PUBLICIDADE

14

ARTES PERFORMÁTICAS

ARQUITETURA E DESIGN

CULTURA E ENSINO

ARTESANATO

MODA

ARTES VISUAIS, PLÁSTICAS E ESCRITA

AUDIOVISUAL

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

12

4 4 4

3 2 2 11

PATRIMÔNIO

6.161

5.198

4.701

4.348

2.832

2.579

1.425

662

466

803

Não disponível

540

102

36

7,8%

5,5%

9,5%

Não disponível

6,4%

1,2%

0,4%

Ensino de idiomas; ensino de arte e cultura.

Artes cênicas, espetáculos e atividades complementares; gestão de espaços para artes cênicas, espetáculos e outras atividades artísticas; atividades de organizações associativas ligadas à cultura e à arte.

República

Santa Cecília Vila Mariana

Santo Amaro

Bela Vista Itaim Bibi

Serviços de arquitetura, design e decoração de interiores; lapidação de gemas e fabricação de ourivesaria e joalheira; fabricação de bijuterias e artefatos semelhante.

www.analise.com

Bom Retiro

Pinheiros Sé

Ipiranga

Campo Limpo

Atividades artesanais; atividades de construção de mosaicos; atividades de tecelagem; atividades de criação de jóias.

Itaim Bibi

Atividades fotográficas e similares; criação artística.

Vila Leopoldina Santana

Pesquisa e desenvolvimento em ciências físicas e naturais; pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências sociais e humanas.

Atividades de bibliotecas e arquivos, atividades de museus e de exploração, restauração artística e conservação de lugares e prédios históricos e atrações similares, atividades de jardins botânicos, zoológicos, parques nacionais, reservas ecológicas e áreas de proteção ambiental.

Cambuci

Freguesia do Ó

Sé Campo Belo

Saúde Santo Amaro

Itaim Bibi

Parque do Carmo

Itaim Bibi

São Paulo outlook

Jaguaré

87


para entender a cidade

Serviços jurídicos

metrópole é um centro de excelência da advocacia global Capital paulista concentra a maior quantidade de advogados do país, é a sede dos maiores escritórios brasileiros e conta com subsidiárias dos gigantes internacionais; setor tornou-se referência na América Latina

S

ESTRUTURA DO SETOR • A primeira Faculdade de Direito do Brasil foi construída em São Paulo, em 1827, no Largo de São Francisco •O  estado de São Paulo concentra 67% dos aproximadamente 20 mil escritórios de advocacia no Brasil. Só na capital, são cerca de seis mil •D  as 20 bancas estrangeiras com filiais no Brasil, 17 se encontram na cidade de São Paulo. As outras três ficam no Rio •U  m terço do grupo de 65 escritórios admirados na publicação Análise Advocacia 500 entre 2007 e 2011 tem receita anual acima de 20 milhões de reais, 38% faturaram entre 10 milhões e 20 milhões de reais e 29% menos de 10 milhões de reais

Gustavo Machado da Costa/AE

ão Paulo conta com a maior e mais desenvolvida infraestrutura de advocacia de todo o país. De acordo com dados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o estado de São Paulo concentra 31%, ou 224 mil profissionais, dos 776 mil advogados que atuam em todo o país, atendendo empresas e pessoas físicas. Apenas na capital do estado, atuam mais de 95 mil profissionais. Berço da cultura jurídica nacional, São Paulo é sede da primeira faculdade de Direito do país e, até hoje, é a maior formadora de advogados, com a presença de 241 dos 1,2 mil cursos

de Direito do Brasil (o que equivale a 20% do total). Para atuarem como advogados, os bacharéis em Direito devem ser bem avaliados no exame da OAB, que no ano de 2013, aprovou 33,9 mil dos 118 mil inscritos na avaliação, uma proporção de 28%. O estado de São Paulo foi responsável por 25% (8,5 mil) dos aprovados, e a capital, por 10% (3,4 mil). O mercado de trabalho é bastante amplo na capital paulista e abrange todas as áreas de especialização do Direito. Os números da publicação Análise Advocacia 500 de 2012 mostram que, entre os dez maiores escritórios de advocacia por número de advogados analisados na edição, sete estão localizados na cidade de São Paulo. No topo da lista estão o Siqueira Castro Advogados, com 668 profissionais; seguido pelo Pinheiro Neto, com 370; o TozziniFreire, com 357; e o Fragata e Antunes, com 344 profissionais.

Sessão solene no Palácio da Justiça, centro de São Paulo: capital conta com 95 mil advogados e 30% das bancas do país

92

São Paulo OUTLOOK

www.analise.com


para entender a cidade

Sustentabilidade

Alexandre Tokitaka/Pulsar

medidas reduzem A POLUIÇÃO E o DESPERDÍCIO DE RECURSOS

Ciclista aguarda embarque na estação de metrô Consolação, São Paulo: a cidade tem 241 km de faixas para bicicletas A qualidade do ar na Grande São Paulo melhorou na última década graças às campanhas de conscientização e leis mais rígidas quanto ao meio ambiente. O Programa de Inspeção Veicular Ambiental é um exemplo

A

Prefeitura de São Paulo vem combatendo os problemas ambientais da cidade em várias frentes, buscando a redução da poluição e do desperdício de recursos naturais. Para melhorar qualidade do ar, foi lançado, em 2008, o Programa de Inspeção Veicular Ambiental, que verifica e exige o controle dos níveis de emissão de poluentes. Até novembro de 2012, dez milhões de veículos passaram pela inspeção. Outra medida de redução da poluição do ar é o Programa Ecofrota, de 2011, que prevê a utilização progressiva de combustíveis limpos na frota www.analise.com

de ônibus da cidade. Todo o sistema de transporte público do município deverá operar com combustível renovável até 2018. De fevereiro de 2011 a outubro de 2012, houve uma redução de 9,5% na emissão de poluentes, em geral, pelos ônibus e de 7% na de CO2 por conta do programa. Para combater o desperdício de água potável, a limpeza pública da cidade utiliza água reaproveitada. Cerca de 550 mil litros de água reutilizada são empregados diariamente na lavagem de ruas, calçadões e vias onde são realizadas feiras livres. São Paulo conta, ainda, com um plano municipal de coleta seletiva de lixo. Atualmente, a capital paulista coleta, por dia, 240 toneladas de material reciclável, mas a meta é que esse número chegue a 1.240 toneladas. Não há descarte de resíduos em lixão. A cidade conta com 3,8 mil Pontos de Entrega Voluntária de recicláveis.

ESTRUTURA DO SETOR •D  os 96 distritos do município, 72 contam com coleta seletiva. Até 2016 serão implantadas quatro centrais mecanizadas para processar 250 toneladas por dia cada uma • A s áreas verdes municipais protegidas passaram de 15 milhões de metros quadrados, em 2005, para 45 milhões de metros quadrados em 2013 •O  Programa 100 Parques para São Paulo prevê atingir 50 milhões de metros quadrados de áreas verdes • E m 2012 a Companhia Ambiental de São Paulo classificou a qualidade do ar da cidade como boa em 84% dos locais e regular em 16%. Em 2003, a avaliação foi 64% boa e 34% regular

São Paulo OUTLOOK

93


EQUIPE DA OGILVY BRASIL É PREMIADA NO FESTIVAL DE CANNES DE 2013

PARA ENTENDER SÃO PAULO

PUBLICIDADE PREMIADA


mais de 23 mil empregos formais na cidade e, em geral, recebe cerca de 26% de todo o investimento feito em publicidade no país. A volta gradativa do uso de propagandas no mobiliário urbano de São Paulo, proibido desde janeiro de 2007, trará ainda mais verbas para o setor.

111 13,6bi 10

prêmios do Festival de Cannes foram concedidos a agências com sede em São Paulo em 2013

foram investidos em publicidade em São Paulo no primeiro semestre de 2013, 26% do total do país

agências paulistas movimentam os maiores investimentos publicitários brasileiros

GETTY IMAGES/DIVULGAÇÃO

S

ão Paulo tem a maior concentração de agências de publicidade do país, e as empresas sediadas na capital paulista foram responsáveis por 97% dos 115 prêmios brasileiros no Festival de Cannes de 2013. O setor é responsável por


diversidade

PAULISTANA São Paulo abriga 360 mil estrangeiros de várias nacionalidades, que chegam atraídos pelas oportunidades que a cidade oferece 100

São Paulo OUTLOOK

www.analise.com


Dezenove estrangeiros que escolheram São Paulo para viver: chegaram para trabalhar ou estudar e criaram raízes

A

cidade de São Paulo registrou diversas ondas migratórias no decorrer da sua história. No fim do século 19, imigrantes começaram a chegar de várias partes, liderados pelos italianos, que formavam o grupo mais expressivo. Vieram para trabalhar nas lavouras e, mais tarde, no crescente parque industrial paulistano. Mais da metade dos habitantes da cidade, em meados da década de 1890, era formada por imigrantes. Em 1908, os primeiros trabalhadores japoneses desembarcaram no Porto de Santos com destino à capital, dando início a uma nova onda de imigrantes. A partir dos anos 1960, os africanos encabeçaram um novo fluxo de estrangeiros. A onda www.analise.com

migratória seguinte trouxe à cidade coreanos e chineses. Atualmente, a metrópole tem sido procurada por moradores de países vizinhos, como Chile, Argentina e Bolívia. A população paulistana é composta de migrantes de todo o Brasil e imigrantes dos cinco continentes. A capital, que abriga nada menos que 90 consulados, acolheu com hospitalidade povos, culturas e etnias de várias partes, que convivem em harmonia. Atualmente, vivem em São Paulo cerca de 360 mil estrangeiros registrados na Polícia Federal, de acordo com levantamento do Ministério da Justiça. As maiores colônias são de portugueses, com quase 80 mil imigrantes, e bolivianos, com 60 mil. Em seguida, aparecem os imigrantes japoneses (36 mil), italianos (25 mil) e espanhóis (20 mil). Os dados mostram que a capital abriga, também, representantes de pequenos países, como BruSão Paulo OUTLOOK

101


Claudio rossi/Análise Editorial

SP EM MOVIMENTO

Canteiro de obras na zona sul de São Paulo: cidade desenvolve novas regiões para receber sedes de empresas e escritórios

112

São Paulo OUTLOOK

www.analise.com


sp em movimento

cidade em construção São Paulo avança no ranking das cidades globais e já aparece no radar de especialistas e investidores como uma das promessas do futuro; a metrópole que vive em contínua renovação agora se prepara para a Copa de 2014

S

ão Paulo é uma cidade em constante renovação. A metrópole foi eleita a Cidade Latino-Americana do Futuro no relatório 2013-2014 do FDI Intelligence, setor de inteligência do Financial Times. No ranking do continente americano, São Paulo fica atrás apenas de Nova York. A cidade é descrita como peça-chave na arena global de investimentos estrangeiros pela publicação. Apesar da queda nos investimentos diretos no Brasil, na cidade de São Paulo esse volume cresceu 4% em 2012. De acordo com a revista The Banker, uma das mais renomadas publicações do setor financeiro do mundo, São Paulo já ocupa a primeira posição no ranking de centros financeiros com as melhores perspectivas para o futuro. Novas torres e centros culturais revitalizam a Avenida Paulista, um dos cartõespostais da capital. A região central começa a registrar a volta de moradores, atraídos pela www.analise.com

infraestrutura que o centro oferece e pela recuperação de espaços públicos. Enquanto isso, a cidade se expande em novos eixos. Na zona sul, edifícios corporativos de alto padrão atraem multinacionais. O polo econômico e financeiro centrado nas avenidas Faria Lima e Luís Carlos Berrini se amplia em direção à Marginal do Pinheiros. Na zona oeste, um novo centro de desenvolvimento surge com um megaempreendimento na Marginal do Tietê. Capital brasileira do turismo de negócios, São Paulo agora está aprimorando sua estrutura para receber jogos da Copa do Mundo em 2014. Os preparativos incluem a construção da Arena Corinthians, na zona leste, e a reformulação do sistema viário do entorno para atender ao fluxo de torcedores. O Aeroporto Internacional de São Paulo também passa por reforma para aumentar sua capacidade até o início de 2014. Investimentos em corredores de ônibus e novas estações de metrô devem refletir na qualidade do transporte público. Conheça, nas próximas páginas, alguns dos principais projetos em andamento que estão mudando a metrópole.  0

25%

do investimento estrangeiro direto no Brasil, entre 2003 e 2012, veio para São Paulo

São Paulo outlook

113


SÃO PAULO EM MOVIMENTO

Cartão-postal

Expansão

Torres e centros culturais renovam a avenida Paulista

megaempreendimentos criam polo econômico na zona sul

U

N

m dos cartões-postais da cidade, a Avenida Paulista prepara-se para receber cinco novos empreendimentos até 2016, que, juntos, somam investimentos de 300 milhões de reais. As obras marcam uma nova fase de revitalização da avenida, que teve seu boom imobiliário nas décadas de 1970 e 1980. Um dos novos edifícios vai abrigar a sede do Instituto Moreira Salles (IMS), entre as ruas Bela Cintra e Consolação, em um terreno onde havia um estacionamento. O prédio terá três andares para exposições, cinema e auditório para 200 pessoas, biblioteca de fotografia e salas para cursos. A obra estava prevista para começar em 2013 e ser concluída até 2016. Outra edificação voltada para a cultura será a nova unidade Sesc Avenida Paulista, que passa por reforma e tem previsão para reabrir em 2015. A Avenida Paulista vai ganhar, também, um shopping novo, no terreno onde ficava a mansão dos Matarazzos, tradicional família paulistana. A Torre Matarazzo vai abrigar o Shopping Cidade São Paulo e uma área verde. As obras já começaram e devem ser concluídas em 2015. Também está sendo erguida uma torre de escritórios na esquina da Avenida Paulista com a Alameda Joaquim Eugênio de Lima, o empreendimento Paulista 867. Com investimentos de 30 milhões de reais, tem inauguração prevista para 2016. Próximo à Casa das Rosas, outro canteiro de obras dará lugar a um novo edifício comercial. O Paulista Tower vai custar cerca de 25 milhões de reais e deve ficar pronto em 2015.

ovos empreendimentos estão consolidando um novo polo financeiro e econômico na zona sul da capital. A expansão começou com a instalação de empresas na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, nos anos 1990, e agora se estende em direção ao bairro do Morumbi, às margens da Marginal do Pinheiros. Perto dali fica a região da Avenida Faria Lima, que atrai cada vez mais empresas com seus prédios de luxo. A região abriga 25% dos edifícios de escritórios da cidade e é o endereço de algumas das maiores multinacionais do país. Um dos principais lançamentos é o Parque da Cidade, que contará com cinco torres corporativas, uma torre com salas comerciais, hotel, shopping e dois edifícios residenciais, além de praças, restaurantes e parque linear. O complexo deve estar totalmente concluído em 2020. O Rochaverá Corporate Towers é um complexo com quatro torres na Marginal do Pinheiros que totaliza 120 mil metros quadrados. A última torre foi entregue em 2012. Grandes empresas, como a Votorantim e a Dow Chemical, têm escritórios no local. O complexo Brookfield Towers, com duas torres corporativas e um shopping, será erguido em um terreno de 200 mil metros quadrados ao longo da Marginal do Pinheiros. Outro destaque é o Complexo WTorre Plaza, que inclui dois edifícios empresariais e a Torre Santander. O empreendimento conta, ainda, com o Shopping JK Iguatemi, inaugurado em 2012. Faz parte do projeto um prédio de escritórios erguido sobre a antiga loja de luxo Daslu, com restaurantes e teatro, previsto para o fim de 2013.

Zona Oeste

PROJETOS impulsionam o surgimento de NOVO EIXO COMERCIAL

A

construção de um megaempreendimento comercial aponta para o surgimento de um novo eixo de desenvolvimento na zona oeste de São Paulo. Parte do terreno que foi ocupado durante 39 anos pelo parque de diversões Playcenter vai abrigar duas torres comerciais de 27 andares cada uma. Como os edifícios ultrapassam a altura máxima permitida pela Lei de Zoneamento e a área está incluída na Operação Urbana Água Branca, os responsáveis pelo empreendimento terão de pagar uma contrapartida recorde à prefeitura. Ao lado do empreendimento será erguido um condomínio residencial, já em fase de vendas. Na região funciona o Fórum Criminal da Barra Funda e, próximo dali, será construída a Fábrica dos Sonhos, onde vão ser instalados os galpões das escolas de samba paulistanas. A previsão é que o eixo Lapa–Barra Funda, que acompanha a Avenida Marquês de São Vicente, tenha grande potencial de cres-

120

São Paulo OUTLOOK

cimento nos próximos anos. Antigos galpões e terrenos desocupados já estão dando lugar a empreendimentos residenciais e comerciais na região. Conforme estudo imobiliário, a Barra Funda está em segundo lugar no ranking dos bairros com maior número de lançamentos residenciais no primeiro trimestre de 2013 na capital. O bairro contabilizou o lançamento de 428 unidades, ficando atrás apenas da Liberdade, na região central, que teve 469 imóveis lançados. A região já vem atraindo galerias de arte, ateliês, escritórios de profissionais liberais e casa noturnas, consolidando o bairro como um novo circuito cultural alternativo. A procura por imóveis na região se explica pelos preços mais baixos dos terrenos e pelo fácil acesso, tanto por transporte público, uma vez que o bairro conta com estações de metrô e trem no terminal Barra Funda, como por carro, pela Marginal do Tietê e grandes avenidas. www.analise.com


4

BELA VISTA Av 3

Av. Vinte e Três de

Trianon

nio

.P au 2 li JARDIM PAULISTA sta

1

uís

na Av .B

rig

ad

R. Pa m

eir oL

plo

Maio

ulh

o

5

J de ve

Via du to An tár tic a

Termiina Rodoviário Terminal odoviário od viário vi iárrio da Barra rra raa Fu FFunda unddaa unda

R. Be la Cin t R. Au ra gu sta

2 torres to ess de 27 andares and andare nd ess serão construídas co onstruídas ruídas ass no antigo anti an ntigoo terreno rre doo Playcenter Play PPlayc yceenter

BARRA RA FUNDA UND

Av. No

São V icent e

ão

laç

so

n Co da R. 6

Maio Av. Treze de

Av. M arquê s de

Fórum rum um m Criminal Crimin minal da Barra Bar arr rra Funda

Via i dut o Pac aemb u

Marginal Ti etê

An

Ponte te do Li Lim mão

A CIDADE SE REINVENTA

s iro he

ZONA LESTE

eiros

MORUMBI

Parque Burle Marx

Margin a

Rochaverá Corporate Towers

ZONA SUL

l Pinh

Congonhas

Av.

Shopping JK Torres comerciais Prédio da Daslu

do sB an d

Av. Lu Carlo ís Eng. s Ber rini

Ma rgi ZONASÃO PAULO OESTE na lP CENTRO in

ei r ant es

BROOKLIN

Av. M o

rum

Parque da Cidade

bi

aro

Campo de Marte

ginal Tietê M ar

Aeroporto Internacional de Guarulhos

Av. Sto . Am

ZONA NORTE

Brookfield Towers

Novidades na região da Paulista 1 2 3 4 5 6

Empreendimentos Paulista Tower Paulista 867 Torre Matarazzo e Shopping Cidade São Paulo Paulista Corporate WTorre Paulista Museu do Instituto Moreira Salles (IMS)

www.analise.com

Localização Paulista, 91 Paulista, 867 Paulista, 1230 Paulista x Rua Plínio Figueiredo (ao lado do Masp) Paulista, 2064 Paulista, entre Bela Cintra e Consolação

Fase Conclusão em 2015 Conclusão em 2016 Conclusão em 2015 Concluído em 2012 Concluído em 2012 Conclusão em 2016

São Paulo outlook

121


turismo

NEGÓCIOS ATRAEM

mais TURISTAS Viagens a trabalho, além das feiras e eventos, são o motor do setor de turismo, que gerou ganhos para a cidade de São Paulo de 10,5 bilhões de reais em 2012

136

São Paulo OUTLOOK

Juvenal Pereira/pulsar

O

número de turistas que chegam à cidade de São Paulo vem crescendo de forma constante na última década, tendo atingido 12,6 milhões de visitantes em 2012. Os negócios continuam, em conjunto com os eventos, liderando o ranking dos motivos que trazem turistas a São Paulo: 76%. Ano a ano, a capital paulista consolida a vocação de local para tratar de assuntos de trabalho. Em 2012, as viagens de negócios foram responsáveis por 57,3% das visitas; em 2011, a fatia foi de 45%. Os 12,6 milhões de visitantes de 2012 representaram ganhos estimados de 10,5 bilhões de reais, levando a hotelaria a encerrar o ano com taxa de ocupação de 66%. Os gastos gerais dos turistas hospedados em hotéis foram superiores no segundo semestre de 2012, comparados com os do primeiro semestre, 1,4 mil reais ante 1,3 mil reais. Os aeroportos que atendem a cidade também registraram crescimento anual de passageiros de 7,4% em 2012. Estimativa da Prefeitura de São Paulo aponta que até 2020 o número de turistas deve chegar a 16,5 milhões. Antes, porém, a cidade se prepara para receber um fluxo maior de visitantes por conta da realização da Copa do Mundo de 2014. A cidade vem promovendo melhorias nos aeroportos e na mobilidade urbana, visando a receber melhor os fãs de futebol. Confira, nas páginas desta seção, uma análise dos principais pontos relacionados ao setor de turismo, eventos e hotelaria no município de São Paulo e os indicadores que apontam para o avanço do segmento e seus destaques.

Vista do Aeroporto de Congonhas e da avenida Washington Luis, na zona sul de São Paulo: 2,15 milhões de turistas estrangeiros visitam a capital todo ano www.analise.com


turismo

o LEGADO DA candidatura para sediar a EXPO 2020 São Paulo candidata-se a receber o terceiro maior evento do mundo e planeja a criação de um novo centro de convenções para ampliar a capacidade da cidade de sediar exposições

S

ão Paulo vai se beneficiar da candidatura a sede da Exposição Universal 2020, independentemente de alcançar o posto de primeira cidade da América Latina a receber uma edição desse evento histórico. Entre os benefícios que o evento pode trazer estão a renovação urbana, o incremento do turismo e as oportunidades para empresários e prestadores de serviço. A exposição é considerada o terceiro maior evento do mundo, atrás dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo. O projeto para a realização da Expo 2020 prevê investimentos de 1,2 bilhão de dólares em obras de infraestrutura e na construção do complexo de exposições. A receita programada com a verba de patrocínios, aluguéis de estandes e venda de ingressos é de 2,9 bilhões de dólares. O governo federal já anunciou investimentos de 680 milhões de reais para a instalação do centro de eventos. A São Paulo Expo 2020 é um projeto nacional, que conta com a articulação da Prefeitura de São Paulo, governo estadual e União. Para receber a feira mundial foi planejado um novo complexo de eventos, o Centro de Exposições de São Paulo, projeto que deve ser erguido em Pirituba, bairro da zona noroeste da cidade. O empreendimento contará com uma área total de mais de 5 milhões de metros quadrados (leia mais na próxima página). Renovação – As Expos costumam gerar desenvolvimento e renovação para as cidades que as sediam. A revitalização da zona portuária de Xangai foi um dos legados da Expo 2010. Lisboa também colecionou bons resultados da

146

São Paulo OUTLOOK

Expo 1998. A criação do Parque das Nações, na zona norte da capital portuguesa, propiciou novas áreas de lazer, projetos habitacionais e articulação do sistema de transportes. O projeto do Complexo de Pirituba deve criar um novo polo de desenvolvimento na cidade. Ele será construído independentemente da realização da Expo 2020, visa a criar mais espaço para eventos, convenções e exposições na cidade de São Paulo e poderá ter um polo hoteleiro e um polo comercial de

DESTAQUES DAS EXPOS

1851 Londres recebe a primeira Exposição Universal, que teve o projeto do Canal de Suez como destaque 1876 A Exposição foi realizada na Filadélfia, EUA, onde houve o lançamento do telefone e da máquina de escrever 1900 A apresentação de invenções como a escada rolante e o filme falado marcaram a Expo de Paris 1958 O Atomium, edifício de 103 metros, foi construído para a Expo de Bruxelas e virou símbolo

1970 O design revolucionário foi o mote da Expo de Osaka, Japão: edifícios lembravam filmes de ficção científica

2010 A última Expo, em Xangai, China, recebeu 73 milhões de visitantes e contou com estande de São Paulo

grande acessibilidade. Além disso, no projeto da São Paulo Expo 2020, após o evento, as construções serão transformadas em instituições de ensino, centros de pesquisa e desenvolvimento, escolas técnicas e locais de atendimento à saúde. O espaço também será destinado a atividades de lazer, esporte e cultura. Os apartamentos da Expo Village serão convertidos em projetos de habitação social. Mobilidade – No entorno do com-

plexo estão previstas melhorias para a criação de uma rede de transporte integrada para garantir acesso fácil. O local é atendido, atualmente, por duas estações de trens metropolitanos que serão conectadas à rede do metrô até 2020. O trajeto da Linha 6-Laranja do metrô prevê uma estação no centro de convenções. A prefeitura também fará obras viárias no entorno do complexo. Para visitantes de outras cidades, a área da Expo tem conexão direta com a Rodovia dos Bandeirantes e terá acesso pelo Trecho Norte do Rodoanel, ainda em construção. Quem já estiver em São Paulo poderá contar com linhas de ônibus que partirão de pontos estratégicos da cidade com destino direto ao complexo. E os que optarem por ir em veículo próprio poderão contar com estacionamentos descentralizados.

Estrutura do evento – A feira mundial está programada para começar em 15 de maio de 2020 e terminar em 15 de novembro do mesmo ano, com um público estimado de 30 milhões de pessoas, entre visitantes do Brasil e do exterior. A expectativa é que a Expo 2020 receba a média de 166 mil visitantes por dia. www.analise.com


agenda

AGENDA

Grandes

eventos paulistanos S

ão Paulo já está habituada a receber grandes eventos e tem estrutura suficiente para atender todos os tipos de visitante, seja os que chegam em busca de atividades culturais, esportivas ou de negócios. A São Paulo Fashion Week, Bienal do Livro, Campus Party e a Virada Cultural são alguns dos destaques da programação paulistana. Nas páginas a seguir, confira 36 entre os mais relevantes eventos que ocorrem na capital paulista e uma agenda especial para a Copa do Mundo em 2014.

150

São Paulo OUTLOOK

Janeiro

Couromoda

www.couromoda.com Feira Internacional de Calçados, Artigos Esportivos e Artefatos de Couro. Conta com mais de mil expositores e importadores de 63 países.

Público 80 mil Periodicidade Anual

OSESP

www.osesp.art.br Desde 2000, a Orquestra Sinfônica do Estado realiza temporadas entre fevereiro e dezembro, com concertos a preços populares e ensaios abertos.

Público 120 mil Periodicidade Anual

Março

WORLD BIKE TOUR

são paulo fashion week

Desde 2009, o evento reúne, nos aniversários da cidade, cerca de 8 mil ciclistas, que percorrem 10 quilômetros.

A semana de moda está entre as mais importantes do mundo, ao lado de Londres, Milão, Nova York e Paris. Ocorre duas vezes por ano, em março e outubro. Em 2014, será realizada a 37ª edição.

www.worldbiketour.net

Público 8 mil Periodicidade Anual

www.ffw.com.br

Fevereiro

Público 100 mil Periodicidade Bianual (março e outubro)

Carnaval

Abril

carnaval.spturis.com.br A maior festa popular de São Paulo acontece desde 1935 na cidade. Mais de 30 escolas de samba desfilam no Sambódromo do Anhembi e disputam o prêmio pela melhor apresentação.

Público 110 mil Periodicidade Anual

É tudo verdade

www.etudoverdade.com.br Festival internacional de documentários que premia longas e curtas-metragens e chega a sua 19ª edição em 2014.

Público 40 mil Periodicidade Anual www.analise.com


PAULO LIEBERT/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-astronauta americano Buzz Aldrin, o segundo homem a andar na lua, durante palestra na Campus Party 2013 em São Paulo

CamPus ParTY

www.campus-party.com.br Reúne usuários, empresas e membros da administração pública para a troca de conhecimentos e atividades relacionadas a novas tecnologias. Em 2014, terá sua 7ª edição na cidade.

público 170 mil periodicidade anual Data Janeiro

www.analise.com

São Paulo ouTlooK

151


São Paulo

Ou tlo o k

Rua Major Quedinho, 111 - 16° andar - CEP 01050-904 - São Paulo-SP Tel. (55 11) 3201-2300 - Fax (55 11) 3201-2310 www.analise.com • contato@analise.com

São Paulo Outlook 2013 - Capital Internacional dos Negócios  

São Paulo Outlook 2013 é a quarta edição da publicação da Análise Editorial que traz um retrato abrangente de uma das maiores metrópoles mun...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you