Page 1

ANUÁRIO

2010/2011

GESTAO AMBIENTAL As boas práticas de

O perfil de

330 ONG

750 EMPRESAS

S

AMBIENTAIS

+

BANCOS: As políticas de crédito de 21 instituições

A composição dos conselhos

www.analise.com

MEIO AMBIENTE NO BRASIL: da Eco-92 à Rio+20


GESTAO AMBIENTAL

Dida Sampaio/AE

ÍNDICE

20 DA ECO-92 À RIO 2012 A evolução da gestão ambiental e sustentabilidade no Brasil desde a ECO-92 e as perspectivas para o futuro com a Rio 2012

Resultados da Pesquisa

38 Totalizações 46 Totalizações por setor

Marcos de Paula/AE

33 EMPRESAS

54 Totalizações por ramo de atividade Práticas Ambientais das Empresas

60 As respostas das empresas

177 BANCOS Resultados da Pesquisa

180 Totalizações Práticas Ambientais dos Bancos

188

As respostas dos bancos

Local onde será construída a usina de Belo Monte, no Rio Xingu, e plataforma da Petrobras no Espírito Santo: o Brasil busca o equilíbrio do desenvolvimento sustentável Site where the Belo Monte Power plant will be built on the Xingu river and Petrobras’ oil rig in

Espírito Santo state: Brazil seeks a balance in sustainable development

195 ONGs Resultados da Pesquisa

198 Totalizações Perfil das Ongs Ambientais

202 As respostas das ONGs 225 Os conselhos das ONGs 4

gestão ambiental

Expediente

06

Editorial

08

Metodologia

10

Colaboradores

12

Apresentação

14

Índice Remissivo

Na internet

O anuário Análise Gestão Ambiental terá seu conteúdo

publicado no site da Análise Editorial. Saiba mais no endereço www.analise.com

On the internet The Análise Environmental Management yearbook will be published at Análise Editorial website. Find out more at www.analise.com

236 www.analise.com


Table of contents

244 FROM ECO-92

249 BANKS

TO RIO 2012

e

Survey Results

The evolution of environmental management and sustainability policies in Brazil since ECO-92 and the perspectives for the future with Rio 2012

d

i

t

o

r

i

a

l

Conselho editorial Editorial board

180 Totals

Eduardo Oinegue, Silvana Quaglio e Alexandre Secco

Diretora-presidente

Environmental Practices of Banks

CEO

Silvana Quaglio

Diretor de conteúdo

188 The answers of the banks

Editorial director

Alexandre Secco

Diretor comercial

248 COMPANIES

Advertising director

250 NGOs

Survey Result s

Alexandre Raciskas Rua Major Quedinho, 111, 16° andar CEP 01050-904, São Paulo-SP Tel. (55 11) 3201-2300 Fax (55 11) 3201-2310 contato@analisecom

Survey Results

38 Totals

198 Totals

46 Totals by sector

www.analise.com

Profile of environmental NGOs

54 Totals by business sector Environmental Practices of Companies

GESTAO

202 The answers of the NGOs

AMBIENTAL

225 NGO councils

PUBLISHER Silvana Quaglio EDITOR Alexandre Secco

60 The answers of the companies

06

Staff Editorial

242

Methodology

242

Contributors

12

Presentation

243

Index

236

Editor executivo Executive editor Gabriel Attuy Editorasassistentes Assistant-editors Paula Quintas e Valquíria Oliveira Reportagem Reporters Carlos Larios e Vivian Stychnicki Pesquisa Research Alberto Barbosa, Ariane Carla Mastropietro, Diogo Leite, Giulia Listo, Guilherme Meireles, Larissa Gutierres, Luciana Borges, Mara Speri, Mariana Durante, Mariana Lima, Naiara Pereira, Paulo Andrade, Sumaya Oliveira, Talita Fernandes e Vivian Fróes TI/Gerência IT/ Management Cristiano Carlos da Silva TI IT Felipe Cavalieri Diagramação Layout Cesar Habert Paciornik, Dicezar Leandro, Régis Schwert e Renata Marins Colaboradores Collaborators Eduardo Belo, Márcio Caparica Revisão Revision Mary Ferrarini Tradução Translation Sogl Traduções Circulação/Gerência Circulation/Management Ligia Donatelli Circulação Circulation Aline Fraga, Bruna Abjon, Juliane Almeida, Mateus Cleto e Ricardo Simões Publicidade/gerentes de negócios Advertising/Business Alessandra Soares e Márcia Pires Assistentes Assistants Ana Carolina Chiovatto e Felipe Ricelle

manager

Note for english readers

T

his bilingual edition of AnÁlise Environmental Management offers English-language versions of all the texts, tables and articles. For the sections that do not include the translation on the same page, there is an icon that shows the page number where the English version begins. All translations are included in their entirety. In order to keep the publication coherent, we chose to use the Portuguese format for numbers shown in the graphs and tables. This format is the opposite of what is used in the English language in relation to points and commas. In this publication, the point is used to separate thousandths and commas are used to separate tenths.

6

gestão ambiental

ISSN 1808-9240 Tiragem/Copies issued: 35.000 Auditoria/Auditing

Impressão/Printing: Gráfica Prol Operação em Bancas: Assessoria: EdiCase www.edicase.com.br - Distribuição Exclusiva em Bancas: Fernando Chinaglia Comercial e Distribuidora S/A - Manuseio: FG Press www.fgpress.com.br Distribuição Dirigida: Door to Door www.d2d.com.br. www.analise.com


editorial Editorial

LEVANTAMENTOS detalhados

T

English version page 242

oda empresa possui um conjunpesquisa de opinião feita com Promotores e 2010 to de características que a torProcuradores da área ambiental sobre temas nam especial. Podemos chamar que estão na agenda das empresas. isso de DNA. O DNA da Análise O resultado final nos enche de orgulho. Editorial são os levantamentos Primeiro porque não é trivial obter tamanha profundos que realiza em várias adesão dos grupos empresariais, ONGs amáreas: Economia, Direito, Medicina, Admibientais e Procuradores e Promotores. Senistração, sempre oferecendo informação gundo porque sabemos que a publicação já é 330 750 de primeira linha para quem toma decisão e uma referência no setor. Somos gratos a toONG AMBIENTAIS EMPRESAS forma opinião. O anuário ANÁLISE GESdos os que nos apoiaram na confecção deste + TÃO AMBIENTAL é um exemplo acabatrabalho. A todos os que não hesitaram em MEIO AMBIENTE NO BRASIL: da Eco-92 à Rio+20 do de levantamento profundo, feito com as dedicar um tempo precioso para nos ajudar o maiores companhias em atividade no Brasil. nosso muito obrigado. Mais de 700 empresas, representantes de diSão parceiros muito importantes, também, 2010 versos ramos de atividade, responderam ao os anunciantes, que viabilizaram a realizaquestionário proposto por nossa equipe com ção de um trabalho de qualidade e relevâno objetivo de traçar um diagnóstico sobre a cia e nos permitem enviar a publicação, sem ENVIRONMENTAL relação entre a iniciativa privada e o meio custo, a cerca de 30 mil contatos na cúpula MANAGEMENT ambiente. As respostas são apresentadas indas empresas, às universidades, aos goverdividualmente, e depois agrupadas. Há muinos federal, estaduais e às maiores cidades tas pesquisas sobre temas ambientais prodo Brasil, ao Poder Judiciário, a advogados, 330 750 postas pela imprensa. Nenhuma, contudo, especialistas, jornalistas, representantes de COMPANIES é tão meticulosa quanto a apresentada nesta organismos internacionais dentro e fora do + publicação. As companhias responderam a Brasil, diplomatas brasileiros no exterior, ENVIRONMENT IN BRAZIL: from Eco-92 to Rio+20 60 perguntas, não a duas ou três. diplomatas estrangeiros no Brasil, investidoAlém de um farto material de leitura, o res, bibliotecas, enfim ao público que forma anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL opinião e toma decisão. é fonte permanente de pesquisa. A publicação está dividida E, a cada edição, alguns anunciantes se destacam com em três partes, a primeira listando as práticas ambientais uma participação especial. Neste ano, contamos, mais uma das maiores empresas em atuação no Brasil. A segunda vez, com o apoio diferenciado da Sabesp, que entende que apresenta a atuação dos bancos, tanto em relação à própria viabilizar uma publicação como essa é disponibilizar inforinstituição como na análise do risco ambiental para a con- mação que ajuda o Brasil. À Sabesp o nosso muito obrigacessão de crédito. A terceira contém um raio-X das ONGs do. E também a você, que recebe este anuário porque é um que atuam na área ambiental, com um perfil completo que leitor especial. Espero que lhe seja útil. permite a identificação do que fazem e como trabalham silvana quaglio as organizações. A publicação traz, ainda, um resumo da ANUÁRIO

GESTAO AMBIENTAL As boas práticas de

O perfil de

S

BANCOS: As políticas de crédito de 21 instituições

A composição dos conselhos

www.analise.com

YEARBOOK

BRAZIL The profile of

The good practices of

ENVIRONMENTAL NGOs

BANKS: The credit policies of 21 institutions

The breakdown of the boards

www.analise.com

Apoio

8

gestão ambiental

www.analise.com


metodologia Methodology

OS CRITÉRIOS ADOTADOS NESTA EDIÇÃO

English version page 242

O

levantamento e a edição dos dados que fazem parte do anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL são realizados integralmente pela equipe da Análise Editorial. Para esta edição, os dados das empresas, bancos e ONGs apresentados foram colhidos entre setembro e novembro de 2010. As informações são obtidas por meio de questionários específicos para cada setor abordado, com conteúdos e perguntas elaborados com a consultoria de especialistas. Um universo de pesquisa pré-selecionado é convidado a participar do inventário e a responder às questões objetivas. Uma vez enviados para a redação, os questionários são checados e confirmados por uma equipe de reportagem para, então, serem tabulados e editados.

Arredondamentos e totais - Para fa-

cilitar a leitura, os valores e as quantias foram arredondados e publicados em números inteiros ou com até uma casa decimal, de acordo com a informação em questão. Para tal, na apresentação dos números inteiros, os valores em casas decimais até 0,4 foram arredondados para 0, e a partir de 0,5 foram arredondados para 1. Os percentuais referentes aos resultados de pesquisas foram ponderados e englobam somente as instituições que lidam com o problema ou ação abordada. Portanto, foram eliminados da base de cálculo das questões os respondentes que assinalaram a alternativa “não se aplica à atividade da empresa”. O número total de companhias que responderam cada questão está exposto em cada tabela. Devido a ajustes editoriais, os dados

10

gestão ambiental

das totalizações de empresas por setor econômico sofreram alterações nesta edição. Portanto, existem pequenas variações em relação aos resultados publicados na edição de 2009. Apuração de dados - Os integrantes

dos universos de pesquisa foram convidados a participar do levantamento por e-mails e contato telefônico. Todos os responsáveis pelo recebimento do questionário de pesquisa são definidos previamente e receberam um login e senha de acesso para responder ao questionário pelo sistema online da Análise Editorial. As respostas enviadas por telefone ou e-mail foram cadastradas obedecendo à mesma ordem e alternativas oferecidas e validadas pelos participantes. Todas as informações publicadas foram fornecidas diretamente pelas empresas, bancos e ONGs por meio de um formulário eletrônico ou de contato direto da equipe de Análise Editorial. A Análise Editorial fez as checagens que julgou necessárias a fim de verificar a integridade dos dados.

Delimitação do universo de pesquisa - Companhias convidadas a

participar da pesquisa são definidas com base no cruzamento de listas publicadas que contemplam as maiores empresas do país, de acordo com sua receita líquida. No caso de empresas financeiras, o critério de corte é o patrimônio líquido. Companhias transnacionais que não publicam balanço no Brasil e empresas que fazem parte de grupos empresariais com receita líquida mínima de 60 milhões de reais por ano – critério utilizado por órgãos oficiais para a classificação de grandes

empresas no país – também integram o universo de pesquisa, bem como as empresas de capital aberto com ações negociadas na BM&FBovespa. No total, 1.414 empresas, sendo 58 bancos, foram procurados pela equipe de jornalistas e pesquisadores da Análise Editorial. Nesta edição, 573 empresas – que representam ao todo 754 companhias – e 21 bancos responderam ao questionário e figuram na publicação. Por se tratar de um setor ainda carente de informações atualizadas, o universo de pesquisa de ONGs foi montado com base nas entidades que responderam à pesquisa nas edições anteriores e nas que foram citadas pelas empresas ou por outras organizações em seus questionários. Também foi utilizada a lista de organizações cadastradas no Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), ONGs cadastradas no programa Proaong, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, e participantes da Rede de ONGs da Mata Atlântica. Ao todo, foram procuradas 900 ONGs ambientais e 328 delas participaram da pesquisa e figuram na publicação. Como

consultar

a

publicação

- O anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL está organizado em três capítulos: 1) Práticas ambientais das empresas (página 33); 2) Práticas ambientais dos bancos (página 177); e 3) Perfil das ONGs ambientais (página 195). Os dados coletados são apresentados de forma objetiva, sem a elaboração de ranking ou comparativos individuais. Dessa forma, os nomes de empresas, bancos e ONGs são ordenados alfabeticamente e por setor de atuação.  0 www.analise.com


especial Special feature

O BRASIL DA ECO-92 E O DE HOJE O vilão das florestas agora ensina como conciliar desenvolvimento econômico com preservação ambiental Alexandre Secco e Gabriel Attuy com reportagem de Eduardo Belo

E

xiste pouca coisa no Brasil de hoje que lembra o país que sediou a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento no Rio, a Eco-92, há quase 20 anos. O país traumatizado por crises econômicas se superou, encontrou o caminho do desenvolvimento com estabilidade, tirou milhões de pessoas da miséria, recuperou a confiança e chama a atenção da comunidade internacional por seu grande potencial. Existem avanços em praticamente todas as frentes: a oferta de crédito é maior, mais jovens estão na universidade, o acesso à telefonia é quase universal... Mas, para muitos, foi na área ambiental que o país registrou suas maiores conquistas. O Brasil da ECO-92 era conhecido internacionalmente como inimigo número 1 das florestas. No auge da farra das motosserras, em 1995, chegou-se a registrar a derrubada de quase 30 mil quilômetros quadrados de floresta na

OS AVANÇOS Os quadros ao lado mostram os principais indicadores ambientais que avançaram no país desde 1992 e o crescimento da população

English version page 244

área da Amazônia Legal. Nesse país havia regiões tão poluídas que eram conhecidas por vales da morte, onde era comum até mesmo o nascimento de crianças sem cérebro, vítimas de substâncias tóxicas presentes no ar respirado pelas mães.

77

foi a redução da área desmatada por ano na Amazônia entre 2004 e 2010 Às vésperas de sediar um novo encontro global na área ambiental, a Rio 2012 ou Rio+20, ainda estamos longe do paraíso, mas o mundo vol-

população Brasileira Em milhões de habitantes

gestão ambiental

194

ÁGUA POTÁVEL

COLETA DE LIXO

Em % da população com acesso

Em % do total produzido

93

88

150 1992

20

%

tou a olhar para o Brasil. Agora com admiração: pela primeira vez, uma grande economia está conseguindo se desenvolver, conciliando a expansão da riqueza com a preservação do meio ambiente, duas preocupações que para muitas outras nações resultaram em fortes antagonismos. Sabe-se muito bem o quanto isso é difícil: o crescimento econômico da Europa custou toda sua grande floresta negra – que sobrou apenas nas histórias infantis. Para avançar, os americanos chegaram a canalizar rios inteiros, como o Mississippi. A China produz hoje nuvens de poluição tão grandes que a fumaça e a fuligem chegam às cidades europeias. E o Japão, fortemente industrializado e rico, ainda tem setores de sua economia que dependem de práticas que alguns já consideram selvagens, como a caça às baleias. São apenas alguns exemplos para lembrar que deixar de ser visto como um devastador de florestas e passar a ser estuda-

2010

1992

98

80 2009

1992

www.analise.com

2008


Yuriko Nakao/Reuters

Abertura da COP10 em Nagoya, no Japão: 20 anos depois da Eco-92, os olhos do mundo se voltam novamente ao Brasil para a Rio 2012 Opening of COP10 in Nagoya, Japan: 20 years after Eco-92, the eyes of the world turn to Brazil again for Rio 2012

do como exemplo a ser seguido não é pouca coisa. A seguir, alguns números da transformação ambiental brasileira e os setores que mais se destacaram. O índice de desmatamento, um dos principais motivos de crítica da comunidade internacional, vem diminuindo de forma consistente: caiu de quase 30 mil quilômetros quadrados em 2004 para sete mil quilômetros em 2009, segundo a WWF. E a expectativa da ONG é que o ano de 2010 tenha a menor taxa de desmatamento do Brasil em duas décadas. Cerca de 5 mil

RECICLAGEM DE ALUMÍNIO Em % do total produzido

EMPRESAS COM GRI 91

Padrão internacional de relatório de sustentabilidade

72

2008

2001

www.analise.com

em um total de mil corporações de 60 países – que adotam o procedimento. Cerca de 110 usinas de açúcar e álcool começam a se adequar para produzir esse tipo de documento em breve. O relatório de sustentabilidade no padrão GRI valoriza o produto na exportação. Na última edição do prêmio Readers’ Choice Awards, da GRI, as empresas vencedoras nas seis categorias eram brasileiras. O Programa Brasileiro GHG Protocol, é coordenado pela FGV e efetua o cálculo de emissões.

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ÁREA PROTEGIDA

Em número de licenças novas emitidas pelo Ibama

Em milhares de km2

GASES nocivos à CAMADA DE O3 1.288

11,2

Em mil toneladas

319 386

1

50 1992

quilômetros quadrados de matas devem ser derrubadas. O Brasil tem uma posição destacada na produção e desenvolvimento de biocombustíveis e reciclagem de materiais, especialmente o alumínio. As empresas brasileiras hoje adotam padrões internacionais e estão cada vez mais atentas à gestão ambiental como parte do negócio. Em 2001, apenas uma empresa, a Natura, fazia relatórios de sustentabilidade pelo padrão internacional GRI (Global Reporting Initiative), segundo a FGV. Hoje são 72 as empresas brasileiras –

2 2009

1993

2,09 2009

1992

2010

1992

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

2008

21


Empresas por ramo de atividade

ISO 14001 iso  14001 certification Possuem ou não certificação ISO 14001?  As que possuem, há quanto tempo? 

Adotam outras normas da série ISO 14000? 

De 5 a 10 anos

Não  No

More than 10 years

Mais de 10 anos

Are other standards of the ISO 14000 series used

From 5 to 10 years

From 2 to 5 years

De 2 a 5 anos

Há até 2 anos

No, and doesn’t see the need for it at the moment

Não veem necessidade da certificação no momento

Não possuem, mas cumprem etapas para obtê-la

If yes, for how long has it had the certification?

No, but is working towards it

No, but plans to obtain it

Não possuem, mas planejam implementar

Yes

Não possuem

No

sistematizadas

Não. Mas adotam práticas não

No, but it adopts non systematized practices

Yes, specific for environment

Sim. Específica para meio ambiente

Business sector

Yes, integrated to the other policies

rAMO DE ATIVIDADE 

Sim. Integrada com as demais políticas da companhia

Does the company have an environmental policy and how is it organized?

In %, based on the total of answers by business of activity

Possuem

Does the company have ISO 14001 certification?

About 2 years

Possuem política ambiental definida e como a organizam? 

Em %, relativo ao total de respostas por ramo de atividade

Sim  Yes

política ambiental  environmental policies

Company BY BRANCH OF ACTIVITY

2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009 2010 2009

Açúcar e Álcool 

52,9 48 29,4 20 17,6 32

-

-

11,8 16 47,1 52 29,4 24 11,8 8

-

-

50

75

Água e Saneamento 

35,7 42,9 50 42,9 14,3 14,3

-

-

21,4 28,6 50

-

-

-

25 66,7 50 33,3 25 35,7 35,7 64,3 64,3

Alimentos 

51,1 53,6 26,7 28,6 20 16,1 2,2 1,8 28,9 30,4 44,4 35,7 13,3 10,7 13,3 23,2 15,4 29,4 23,1 23,5 53,8 35,3 7,7 11,8 40 23,2 60 76,8

Sugar and Alcohol

Water and Sanitation

Food Products

Bebidas e Fumo 

80 93,3 6,7

-

Comércio Atacadista 

75

75 12,5

-

-

25 12,5 -

Comércio Exterior 

50

-

25

-

25

Comércio Varejista 

50 57,1 6,3 7,1 37,5 28,6 6,3 7,1 6,3

Beverages and Tobacco Wholesale

International Trade Rentail

50

13,3 6,7

-

-

-

50 21,4 14,3 7,1 7,1

66,7 80 13,3 13,3 13,3

-

6,7 6,7

-

-

50 66,7 40

37,5 25

25

25 12,5 25

25

25

-

50 100 25

-

-

-

-

75

-

-

7,1 68,8 50

-

-

-

-

-

-

-

-

-

25 42,9

-

25 44,4 25 11,1 37,5 44,4

50

100 66,7

25

25

-

-

29,4 32 70,6 68

10 8,3 66,7 40 33,3 60

-

-

33,3

-

37,5

-

62,5 100

-

-

-

-

50

-

50 100

-

100

-

-

-

18,8 7,1 81,3 92,9

-

100

-

-

-

50 11,1 50 88,9

-

100 100

Concessões Rodoviárias 

62,5 22,2 12,5 33,3 25 44,4

-

-

12,5

Construção e Engenharia 

87,1 91,7

12,9 8,3

-

-

64,5 58,3 9,7 20,8 12,9 16,7 12,9 4,2 20 35,7 40 28,6 30 21,4 10 14,3 48,4 41,7 51,6 58,3

25 12,5 50 37,5

-

-

4,5

-

69 64,9 17,2 32,4 13,8 2,7

Road Concessions

Construction and Engineering

Educação 

25

Education

Eletroeletrônica 

50

-

-

66,7 59,1 33,3 36,4

Eletronics

Energia Elétrica  Eletrical power

-

50

-

-

50 37,5

-

94,4 86,4 5,6 9,1

-

-

-

-

-

51,7 48,6 24,1 18,9 10,3 21,6 13,8 10,8 20 16,7 20 33,3 53,3 44,4 6,7 5,6 48,3 43,2 51,7 56,8 52,9 52,4 5,9 9,5 11,8 14,3 29,4 23,8 22,2 27,3 55,6 54,5 11,1 18,2 11,1

Farmac. e Cosméticos 

70,6 57,1 29,4 38,1

-

4,8

-

-

Financeiro 

100 40

Pharm. and Cosmetics Financial

Imobiliário  Mat. de Constr. e Dec. 

Const. and Decorat. Materials

12,5 50

-

4,5 5,9

100 -

-

-

-

-

-

-

-

12,5 100 87,5

5,9 21,1 70,6 42,1 17,6 36,8 72,2 59,1 27,8 40,9

-

64,7 57,1 35,3 42,9 100 20

-

20

-

40

-

-

-

-

-

-

-

-

100 100

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

100

-

-

-

-

-

-

100

-

-

100

-

-

-

-

-

-

-

-

-

50 66,7 33,3 33,3 16,7

-

-

-

33,3 44,4 33,3 44,4 16,7 11,1 16,7

-

-

50

-

-

50

25

50

25 100 66,7

-

10 16,7 10

-

70 83,3 10

-

Real State

-

100

-

-

-

80

100 100 -

33,3

Mecânica 

66,7 66,7 33,3 33,3

-

-

-

-

83,3 66,7

Metalurgia e Siderurgia 

74,3 71,7 25,7 22,6

-

5,7

-

-

65,7 69,8 20 11,3 14,3 17

-

Mineração 

62,5 87,5 37,5

-

12,5

-

-

87,5 75

-

Papel e Celulose 

81,3 56,3 6,3 25 12,5 18,8

-

-

56,3 62,5 18,8 25 18,8

-

Petróleo e Gás 

69,2 86,7 30,8 6,7

6,7

-

-

69,2 66,7 23,1 33,3 7,7

-

Plásticos e Borracha 

56,3 50

25 33,3 18,8 16,7

-

-

62,5 72,2 25 22,2 6,3 5,6 6,3

Química e Petroquímica 

74,3 76,6 17,1 19,1 8,6 4,3

-

-

65,7 74,5 14,3 4,3 11,4 14,9 8,6 6,4 4,3

-

4,3 20 60,9 62,9 30,4 17,1 57,1 46,8 42,9 53,2

Serviços Especializados 

Mechanics

Metallurgy and Steelmaking

Mining

Paper and Pulp

Oil and Gas

Plastics and Rubber

Chemicals and Petrochemicals

-

-

-

-

-

-

16,7 33,3

12,5 25

-

50 44,4 50 55,6

1,9 13 8,1 34,8 27 47,8 56,8 4,3 8,1 57,1 47,2 42,9 52,8 -

14,3

-

6,3 12,5 11,1 10 -

-

-

11,1 10 -

14,3 16,7 42,9 50 28,6 33,3 75 87,5 25 12,5 -

30 55,6 40 33,3 20 43,8 56,3 56,3 43,8

-

10 77,8 70 11,1 10 38,5 46,7 61,5 53,3

7,7 30 30,8 40 38,5 30 23,1 56,3 50 43,8 50

50 33,3 30 33,3 20 33,3

-

-

40 33,3 10 33,3 20 22,2 30 11,1 50

-

25 66,7 25 33,3

-

-

20 33,3 80 66,7

Serviços Médicos 

61,5 77,8 15,4 5,6 23,1 16,7

-

-

7,7 16,7 15,4 27,8 23,1 16,7 53,8 38,9

-

-

-

-

-

23,1 22,2 76,9 77,8

Tecnol. da Informação 

57,1 41,7 28,6 25 14,3 33,3

-

-

28,6 25 28,6 50 14,3

-

-

Telecomunicações 

-

-

Specialized Services

Medical Services

Information Technology

-

28,6 25

33,3 100 66,7

100 33,3

33,3

-

50

80

50

63,6 58,3 18,2 8,3 18,2 33,3

-

-

36,4 41,7 9,1 25 18,2 16,7 36,4 16,7

Têxtil, Couro e Vestuário 

80 63,6 13,3 22,7 6,7 13,6

-

-

46,7 40,9 26,7 22,7

Transportes e Logística 

63,6 56,7 27,3 16,7 9,1 26,7

-

-

36,4 26,7 27,3 33,3 22,7 33,3 13,6 6,7 25

-

50 37,5 25

Veículos e Peças 

54,5 52,8 45,5 44,4

-

-

84,8 83,3 9,1 5,6

-

3,6 10

Telecommunications

Textiles, Leather and Clothing

Transport and Logistics Vehicles and Parts

54

gestão ambiental

-

2,8

-

3

-

-

-

33,3 42,9 50 57,1 50 20 36,4 33,3 63,6 66,7

9,1 26,7 27,3 28,6 11,1 14,3 22,2 42,9 55,6 14,3 11,1 46,7 45,5 53,3 54,5

5,6

3

5,6

-

50

-

12,5 40,9 33,3 59,1 66,7

75 76,7 21,4 13,3 63,6 58,3 36,4 41,7

www.analise.com


Outras normas  other standards

impactos ambientais Environmental Impacts

Quais conjuntos de regras da série ISO 14000 adotam? 

Os impactos de processos e atividades são conhecidos da administração? 

A quais processos se referem os impactos conhecidos? 

2010

94,1 80

80

20

-

-

20

-

-

78,6 78,6 21,4 21,4

40

72,2 69,2 50 30,8

-

80 66,7 70 66,7 10

-

-

20

60

40

-

7,7 16,7 23,1 5,6 15,4 44,4 46,2 11,1 7,7 -

10

-

-

-

40 33,3

-

5,6

2009

-

2009

2010

2009

2010

2009

5,9

16

-

4

-

-

-

-

86,7 93,3 13,3 6,7

2010

2009

2010

2009

-

-

6,7 13,3 13,3 6,7

-

12,5

-

14,3

-

-

-

25

-

50

-

-

-

50

20

7,1

20 26,7 60 53,3

-

-

-

-

-

-

-

-

-

33,3

-

-

-

75

100 12,5

100

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

100

25

-

-

-

-

33,3

-

100 100

-

100

-

-

25 42,9 68,8 57,1 6,3

-

-

-

-

-

-

-

75

100

-

-

-

-

75 77,8 25 22,2

-

-

12,5 22,2 12,5 11,1 75 44,4

6,7

10

-

-

6,7

10 46,7 60

20

20

-

-

93,5 87,5 6,5 12,5

-

-

6,5

8,3

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

12,5

-

-

7,7 76,9 69,2 15,4 7,7

-

-

94,4 95,5 5,6

4,5

-

-

-

4,5

42,9 37,5 28,6 31,3

-

-

89,7 97,3 6,9

2,7

3,4

-

-

4,8

5,9

-

5,9

100

75

100

93,3 100 66,7 90 -

100

-

100

92,3 100 76,9 76,9 15,4 23,1 23,1 23,1 7,7 78,6 75 64,3 50 14,3 6,3 21,4 6,3

-

90,9 83,3 63,6 66,7

-

8,3

9,1

8,3

9,1

100 100

-

-

-

8,3 63,6 58,3 27,3 25

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

100 100 66,7 83,3 16,7 16,7

-

-

-

-

100 100 33,3 25

-

-

-

-

-

-

50

50

-

90

15

4

30

16

30

20

60

52

100 85,7 83,3 42,9

-

-

-

50 28,6

85,7 77,8 42,9 55,6

-

100 100

-

-

-

88

85

72

80 57,1

33,3 14,3 33,3

100 100

9,1

-

-

14,3

-

50 37,5

8,3 82,4 81 17,6 14,3

-

20

100

-

-

-

50

-

50

100

-

-

50

-

-

-

50

-

-

100

-

-

83,3 77,8 16,7 22,2

-

-

16,7 33,3 33,3 22,2

-

-

-

100 100

-

-

-

-

8,3 11,1 8,3 11,1 33,3 33,3 50 44,4

5

16

-

-

100 94,3

-

5,7

-

-

2,9

3,8

2,9

-

28,6

-

-

100 100

-

-

-

-

-

12,5

-

-

87,5 81,3 12,5 18,8

-

-

-

12,5 25

-

76,9 93,3 23,1 6,7

-

-

7,7

20 23,1

11,1 81,3 88,9 18,8 11,1

-

-

6,3

5,6 -

-

-

50

100

-

-

-

33,3

-

33,3

-

-

-

-

60 66,7 40 33,3

-

-

-

66,7 50

100

25

-

-

-

-

-

-

-

-

-

25 69,2 66,7 23,1 27,8 7,7

5,6

-

33,3 33,3 33,3 50

-

-

-

16,7

-

-

-

71,4 41,7 28,6 58,3

-

-

100 100

25

50

-

25

-

-

-

14,3 -

9,5 14,3 14,3 9,5 www.analise.com

-

-

100 100

95,2 95,2 71,4 71,4 4,8

10 41,2 35 47,1 55 80

8,6

11,1 10

55,6 36,4 44,4 59,1

-

-

-

-

28,6 25 28,6

-

-

-

-

-

-

88,6 95,7 11,4 4,3

77,8 70 44,4 50

75 42,9

48,4 37,5 35,5 54,2

-

-

100 100 85,7 80 42,9 20 14,3

-

22,2

-

5

33,3 100 83,3 33,3 16,7 75

9,7

-

40

-

75

20 21,4 13,3 35,7 46,7 35,7

-

80 95,5 50 68,2 10 13,6 25 13,6 15 18,2 35 54,5 10

75

50

60

-

66,7 25

50

7,1 13,5 21,4 16,2 21,4 29,7 50 40,5

11,1

66,7

-

100

60 42,9 20 14,3

-

50

-

66,7 66,7 33,3 16,7

88,9 88,9 55,6 44,4 22,2 11,1 44,4 33,3 22,2 11,1 44,4 44,4

50

57,1 75 28,6 25

-

11,1 42,9 44,4 14,3 44,4 42,9 33,3 14,3 33,3 14,3 -

50

To processes, activities, outsourced staff and suppliers

3,6 13,6 25,9 31,8 24,1 38,6 33,3 15,9 16,7

-

50

2009

28,6 35,7 21,4 14,3 28,6 28,6 21,4 21,4

-

33,3 100 33,3 100

2010

17,6 12,5 41,2 41,7 41,2 45,8

66,7

-

Aos processos, atividades, terceirizados e fornecedores

Aos processos e atividades e pessoal terceirizado

To processes and activities and outsourced staff

Only the productive processes

2010

7,7 66,7 80,4 31,1 16,1 2,2

16,7 10

Só aos processos produtivos

Não  No

Yes, informally

-

80

2010

Sim, de maneira informal

Yes, in a documented manner

Sim, de maneira documentada

Did not inform

-

2009

2010

Não informaram

Others

2009

-

2009

2010

Outras

Environmental communication

2010

20 12,5 20 12,5 80 62,5 20

2009

2010

Comunicação ambiental

Análise do ciclo de vida do processo

Analysis of life cycle of process

2009

25

2009

2010

Analysis of product and service life cycle

Environmental labeling

Rotulagem ambiental

2010

60 37,5 40

2009

2010

Análise do ciclo de vida do produto e serviço

Avaliação da performance ambiental

Assessment of environmental performance

Environmental auditing

Auditorias ambientais

2009

100 100

Only the productive and administrative processes

The known impacts refer to which processes?

Is management aware of the impacts of the company's activities and processes?

Só aos processos produtivos e administrativos

What sets of rules of the ISO 14000 series are used?

22,2 50 22,2

5,7 37,1 26,4 57,1 64,2 -

50

-

50 87,5

25 56,3 43,8 18,8 18,8 -

30,8 33,3 38,5 46,7

6,3 11,1 43,8 50 43,8 33,3 2,9

22,2 60 -

-

2,1 62,9 57,4 25,7 40,4 -

30 44,4 10 33,3

33,3 17,6 33,3 47,1 33,3 35,3

14,3 16,7 42,9 41,7 28,6 25 14,3 16,7

75

-

-

-

-

63,6 50 36,4 50

-

-

-

85,7 50

-

-

-

-

93,3 81,8 6,7 18,2

-

-

13,3 4,5

-

44,4 50 22,2 20

-

-

81,8 70 18,2 30

-

-

13,6 10 22,7 10 40,9 46,7 22,7 33,3

-

-

6,1

9,5 66,7 61,9

-

14,3 4,8

4,8 93,9 88,9 6,1 11,1

-

8,3 27,3 33,3 45,5 33,3 27,3 25

8,3

6,7 22,7 26,7 18,2 53,3 54,5

6,1 11,1 30,3 38,9 57,6 41,7

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

55


empresas Indústria Companies

Industry

Política de informação e relacionamento  Information and Relationship policy LEGENDAS Footnotes

Which environmental projects are promoted for the public in general?

De pesquisa 

Não promove 

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

AstraZeneca

-

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

ATP Tecnologia e Produtos

-

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

BASF

-

Sim

-

-

-

-

-

Battistella Florestal

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Behr Brasil

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

BIC Brasil

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Biolab Farmacêutica

-

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Biscoitos Mabel

-

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Black & Decker

-

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Boehringer Ingelheim

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Grupo Basf

Grupo BIC

Annual report

Does not promote

De preservação da flora 

-

Research

De preservação da fauna 

-

Preservation of flora

Práticas sustentáveis para a comunidade 

-

Preservation of fauna

Educacional para professores e alunos 

Sustainable practices for the community

Educacional 

-

Educational for teachers and students

Balanço social/Modelo Ethos 

-

Educational

Balanço social/Modelo Ibase 

-

Corporate balance sheet/Ethos model

Balanço social/Modelo GRI 

Corporate balance sheet/Ibase model

Balanço social

Corporate balance sheet/GRI model

Site da empresa

Corporate balance sheet

Balanço socioambiental 

-

Company website

IAN 

-

Social-environmental balance sheet

Relatório anual  Sim

IAN

Não há programa específico 

-

There is no specific program

Público em geral 

Public in general

Fornecedores 

-

Suppliers

-

Clients

Clientes 

NGOs

ONGs 

-

Authorities

Vicinities

Autoridades 

Schools

Vizinhança 

Is information about the environmental management published?

Arvato Digital Services

Grupo Battistella

Bombril

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Borealis Brasil

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

BorgWarner Brasil

-

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Borlem

-

-

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Borrachas Vipal

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

Bosch

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Brasfumo

-

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Braskem

-

Sim

-

-

-

Brasmetal Waelzholz

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Brejeiro

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Grupo BSH

Grupo Braskem

BRQ

-

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Buettner

-

-

-

-

Não

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Bunge Fertilizantes

-

Sim

-

-

-

-

-

-

Buschle & Lepper

-

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

CA Programas de Computador

-

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Camargo Corrêa Cimentos

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

Canguru Embalagens

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Caraíba Metais

-

-

-

-

-

Sim

-

-

-

-

-

-

-

-

Grupo Bunge

C

Que projetos de meio ambiente promove para o público externo?

Arno-Panex

NOME DA Empresa e grupo 

COMPANY NAME AND GROUP

B

The communication of environmental actions is aimed at...

Publica Onde as informações são publicadas? informações Where is the information published? sobre sua gestão ambiental? 

Escola 

✔ = Resposta escolhida Answer chosen NA = Não se aplica Not Applicable NI = Não informou Not Informed - = Não desenvolve a ação Does not develop the action

A comunicação das ações ambientais é voltada para...

Grupo Camargo Corrêa Grupo Jorge Zanatta

Grupo Paranapanema

86

gestão ambiental

www.analise.com


1 2 Investimentos investments Lança passivos ambientais no balanço publicado? 

Como usa os combustíveis? 

Não se aplica 

-

-

-

Sim

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Sim

21.506

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

10 a 15

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

5 a 10

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

5 a 10

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

Acima de 30

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Sim

NI

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Sim

5.000

20 a 25

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

10 a 15

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Not applicable

Não tem ação específica 

-

Has no specific action

Tem programa estruturado 

Has a structured program

Adota meta de redução 

-

Has reduction targets

Monitora com indicadores 

-

Monitored with indicators

Não se aplica 

-

Not applicable

Não tem ação específica 

-

Has no specific action

Tem programa estruturado 

-

Has a structured program

Adota meta de redução 

Has reduction targets

Monitora com indicadores 

Monitored with indicators

Não tem ação específica 

Has no specific action

Tem programa estruturado 

-

Has a structured program

Adota meta de redução 

Has reduction targets

Monitora com indicadores 

Monitored with indicators

Não tem ação específica 

Has no specific action

Ações de conscientização de funcionários 

Has employee awareness actions

Tem programa estruturado 

-

Has a structured program

Adota meta de redução 

Has reduction targets

Monitora com indicadores 

Monitored with indicators

Has no specific action

Has employee awareness actions

Has a structured program

Até 5

Has reduction targets

NA

Estimativa em %

Has reuse targets

Estimate in %

Não

Em R$ mil

Monitored with indicators

In thousand R$

Não tem ação específica 

How is wood and coal used? How are mineral resources used?

Ações de conscientização de funcionários 

How is fuel used?

Como usa os recursos minerais?  

Tem programa estruturado 

How is electricity used?

Como usa a lenha e o carvão?  

Adota meta de redução 

How much is invested in the environment during a new project?

Como usa a energia elétrica? 

Reúsa 

How much has been spent to correct environmental liabilities over the past 3 years?

Consumo de recursos naturais  Use of natural resources

Quanto Como usa a água?  How is water used? investe em meio ambiente em um novo empreendimento? 

Monitora com indicadores 

Are environmental liabilities included in the published balance sheet?

Quanto gastou na correção de passivo ambiental nos últimos 3 anos? 

3

Não

NA

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

5 a 10

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Sim

38

10 a 15

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

Até 5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NI

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

NI

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Não

NA

10 a 15

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

www.analise.com

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

87


BANCOS Banks

CRÉDITO CADA VEZ MAIS VERDE O levantamento desta edição traz as políticas de risco socioambiental na concessão de crédito de 21 instituições financeiras que respondem por 80% do crédito no Brasil English version page 249

A

edição de 2010 de ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL apresenta o perfil de 21 bancos e suas políticas de análise de risco socioambiental para a concessão de crédito. A amostra é a maior já registrada desde a primeira edição do anuário, em 2007, e compõe um grupo extremamente representativo. As instituições financeiras retratadas nas próximas páginas respondem por 83% das operações de crédito e arrendamento mercantil do sistema financeiro brasileiro, segundo dados do Banco Central (BC) para o fechamento do primeiro semestre de 2010. Elas também detêm 86% dos depósitos do país e foram responsáveis por mais de 80% do lucro líquido registrado pelo setor no período. Estão incluídos no levantamento os principais bancos privados do Brasil (Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e HSBC), as maiores instituições públicas e grandes financiadores de projetos no país (Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal), além de uma amostra de bancos nacionais e estrangeiros que atuam no segmento de middle market.

Os bancos são um importante indicador das práticas ambientais dos principais segmentos da economia de um país. Como um grande número de empresas depende de uma quantidade relativamente peque-

178

gestão ambiental

na de instituições financeiras para viabilizar seus projetos, os critérios adotados para a concessão de empréstimos, por exemplo, refletem em uma parcela significativa do setor produtivo. É o caso do próprio campo de pesquisa do levantamento de ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL. Entramos em contato com cerca de 1,5 mil das maiores

48

%

dos bancos brasileiros possuem projetos para reduzir a emissão de gás carbônico companhias do Brasil em busca de informações a respeito de suas práticas ambientais. Nesse grupo, apenas cerca de 60 são bancos, e parcela de pouco mais de um terço dessa amostra representa perto de 80% da movimentação financeira do setor no país. A seguir, é possível conferir um pequeno retrato dos principais indicadores da pesquisa, seguido, nas próximas páginas, por uma série de tabelas que analisam as respostas das instituições individualmente.

A abrangência da análise de riscos ambientais - Do total de bancos

que responderam ao questionário, 15 afirmaram ter uma política de risco socioambiental instituída em seus processos de concessão de crédito, e outros quatro apontaram que não existe uma estrutura formal, mas que consideram o risco em seu processo de análise. Apenas uma instituição não possui uma política e outra preferiu não responder à pergunta. Além de manter critérios que avaliam riscos ambientais na hora de conceder empréstimos, as respostas mostram que as instituições também aplicam essas regras de forma abrangente. Ao todo, 75% dos bancos realizam a análise de riscos em companhias atuantes em todos ou na maioria dos segmentos econômicos. Apenas três afirmaram que limitam a análise às atividades econômicas de maior risco ambiental. Entre os projetos analisados, o agronegócio continua sendo um dos principais focos. Das instituições que responderam à pesquisa, 15 afirmam que aplicam a política de risco socioambiental a iniciativas nessa área. A área que mais avançou foi a de administração de recursos de terceiros, o asset management. Nesse campo, o número de instituições que aplicam análise de riscos ambientais passou de três em 2008 para quatro no ano seguinte, e chegou a sete na pesquisa de 2010.
 www.analise.com


Dida Sampaio/AE

BANCOS  Banks

Trabalhadores limpam canavial em Goiás: agronegócio é um dos principais focos das políticas de risco socioambiental dos bancos brasileiros Workers clean sugarcane plantation in Goiás: agribusiness is one of the main aims of the social environmental risk policies of Brazilian banks

A estrutura interna dos bancos

-

Entre as instituições que contam com área de análise de riscos ambientais formalizada, a organização da estrutura interna para tratar do assunto varia. Dos 15 bancos que afirmaram ter profissionais especialmente dedicados à análise de riscos de seus clientes para a concessão de crédito, sete possuem departamentos específicos que tratam do assunto. É o caso do Itaú Unibanco, por exemplo, que possui uma superintendência de risco socioambiental, que incorpora também o Itaú BBA, banco de investimentos do grupo. O Bradesco conta com um setor de análise de risco e monitoramento socioambiental de projetos. A Caixa Econômica Federal conta com uma gerência nacional de meio ambiente. As outras oito instituições declararam que incluem a gestão de risco socioambiental em seu departamento de análise de crédito. www.analise.com

Em quatro das instituições – Banco do Brasil, Banco Indusval Multistock, Banco Sofisa e HSBC – a área responde diretamente à presidência ou vicepresidência. Nos 11 outros bancos que possuem áreas específicas, elas se reportam a uma diretoria ou a uma superintendência. As equipes que tratam da análise de riscos para concessão de crédito ainda são pequenas, em média dez pessoas em cada instituição, mas a posição na hierarquia da companhia indica que a importância dada à área avançou. Na pesquisa de 2008, por exemplo, apenas um banco afirmou que a gestão e a análise de risco ambiental se reportavam ao nível mais alto de comando da instituição.

 Política ambiental corporativa e divulgação
- No campo das ações

ambientais internas, que dizem respeito aos próprios processos dos ban-

cos, o quadro se manteve estável. Em 2010, 14 instituições afirmaram contar com política ambiental corporativa, ou 67% da amostra. Em relação à divulgação de suas práticas ambientais, 16 instituições afirmaram que tornam públicos os dados sobre suas ações. O meio mais comum é o relatório anual, adotado por nove dos bancos, seguido pela disponibilização de dados no site da companhia, prática de oito instituições. Do total de 21 instituições que responderam ao questionário, um terço disponibiliza suas informações no balanço utilizando a metodologia GRI (Global Reporting Initiative), o padrão internacional mais usado para a divulgação de dados de sustentabilidade e reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Esses bancos são Bradesco, Citibank, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Santander, HSBC Bank Brasil e Itaú Unibanco. 0 ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

179


TOTALIZAÇão ONGs Total NGOs

Contam com voluntários?

Qualificação da Amostra

Do they have volunteers?

Qualification of sample

Tipo de organização

Type of organization Em % do total

2010

2009

ONGs NGOs

67,4

70,4

Oscips Oscips

29

26,4

Outras Others

3,7

3,3

328

368

Total de organizações  Total of organizations

COMO SE ORGANIZAM

2010

2009

88,4

89,9

Não No

11,6

10,1

328

368

Total de organizações  Total of organizations

Possuem assessoria jurídica?

Do they have legal counsel? Em % do total

2010

2009

Sim Yes

78,4

79,1

Não No

21,6

20,9

328

368

Em % do total

2010

2009

Própria Own

53,3

56

Externa External

46,7

44

257

291

2010

2009

Total de organizações  Total of organizations

How are they organized

Possuem conselho?

As que possuem, como é?

Do they have a council?

For those that do, what type?

Em % do total

2010

2009

Sim Yes

87,8

83,7

Não No

12,2

16,3

328

368

Em % do total

2010

2009

Conselho diretor Board of directors

56,7

55,7

Conselho consultivo Advisory council

24,7

27,4

Conselho fiscal Fiscal council

46,6

-

Não possui conselho Has none

12,2

16,3

Outros Other

21,3

45,1

328

368

Total de organizações  Total of organizations

Em % do total

Sim Yes

Total de organizações  Total of organizations

As que possuem, que tipo de conselho têm? For those that do, what type of council is it?

Total de organizações  Total of organizations

Where do they operate

O âmbito da atuação Scope of activity

Em % do total

Possuem auditoria externa?

Do they have internal auditing? Em % do total

2010

2009

Sim Yes

34,5

30,7

Não No

65,5

69,3

328

368

Total de organizações  Total of organizations

ONDE ATUAM

Possuem funcionários remunerados?

Do they have paid employees?

7,6

5,7

Nacional National

23,2

21,7

Regional Regional

31,4

39,4

Estadual State

24,4

20,4

Local Local

13,4

12,8

328

368

Internacional International

Total de organizações  Total of organizations

As que declaram ter atuação regional, em que regiões atuam? Those that have regional operations, where do they operate?

Em % do total

2010

2009

Sudeste Southeast

68,7

67,1

Nordeste Northeast

35,2

34,2

Sul South

26,8

29,8

2010

2009

Sim Yes

50

44

Centro-Oeste Midwest

29,1

28

Não No

50

56

Norte North

25,7

23,1

328

368

179

225

Em % do total

Total de organizações  Total of organizations

198

gestão ambiental

Total de organizações  Total of organizations www.analise.com


TOTALIZAÇão ONGs  Total NGOs

Os biomas onde atuam

Em quais áreas temáticas trabalham?

In what biomes do they operate

In which areas do they operate?

Em % do total

2010

2009

Em % do total

2010

2009

Amazônia Amazon

16,8

17,9

Florestas Forests

57,9

57,6

Caatinga Caatinga region

17,7

18,2

Água doce Freshwater

64,3

66,3

Mata Atlântica Atlantic forest

69,8

71,7

Oceanos Oceans

18,3

16,8

Pampas Pampas

6,1

7,6

Fauna e flora (biodiversidade) Fauna and Flora (biodiversity)

71,6

71,2

Pantanal Pantanal swamp

9,5

11,1

Poluição Pollution

44,8

44,3

Cerrado Cerrado region

34,8

33,4

Lixo (resíduos) Trash (waste)

55,2

56

Centro Urbano Urban center

59,5

60,1

Produtos químicos Chemical Products

10,1

11,1

Zona Costeira Coastal zone

33,8

37,5

Agrotóxicos Pesticides

14,3

14,9

328

368

Segurança alimentar Dietary safety

21,6

19,6

5,5

5,2

Total de organizações  Total of organizations

Alimentos transgênicos Transgenic food products

o que fazem

Saneamento Sanitation

34,5

35,9

What do they do

Tecnologias alternativas Alternative technologies

29,6

31

Energia Energy

22,3

23,1

4

5,2

Tipos de atividade que desenvolvem

Type of activities they devel op

Espeleologia Spelunking

Em % do total

2010

2009

Educação ambiental Environmental education

95,1

95,1

Agricultura sustentável e/ou orgânica Sustainable or organic agriculture

39,3

42,9

Projetos com comunidades locais Projects with local communities

84,8

86,1

Pesca Fishing

18,9

18,8

Projetos de conservação ambiental Environmental conservation projects

83,5

83,4

Clima Climate

26,5

24,5

Campanhas de mobilização Awareness campaigns

74,4

75,3

Unidades de conservação Conservation units

63,1

62,8

Assessoria e consultorias técnicas Technical assistance and consulting

61,9

54,9

Legislação ambiental e políticas públicas Environmental law and public policies

62,5

60,9

Turismo sustentável Sustainable tourism

36,6

38

Povos indígenas Indian tribes

12,5

12,8

Pesquisa e desenvolvimento Research and developmenmt

55,5

54,6

Populações tradicionais e extrativistas Traditional and extractivist populations

25,6

23,1

Reciclagem Recycling

42,1

42,9

59,5

60,6

Viagens e expedições Trips and expeditions

25,9

Meio ambiente urbano (habitação, transporte, arborização, etc.) Urban environment (housing, transport, tree planting, etc.)

26,1

18,3

16,8

9,1

9

Outras Others

328

368

Publicações científicas Scientific publications

25,9

24,2

Publicações diversas Miscellaneous publications

48,8

48,4

Os parceiros das ONGs

Políticas públicas Public policies

52,7

49,5

As instituições que fornecem os recursos financeiros

Outras Others

22,9

22

328

368

Oferecimento de prêmios Granting of awards

Total de organizações  Total of organizations

Total de organizações  Total of organizations

Setor público

88%

Empresas

73%

www.analise.com

Comunidades

60%

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

199


ENGLISH VERSION

YEARBOOK

2010

ENVIRONMENTAL

MANAGEMENT

BRAZIL The good practices of

The profile of

COMPANIES

ENVIRONMENTAL NGOs

330

750

+

BANKS: The credit policies of 21 institutions

The breakdown of the boards

www.analise.com

ENVIRONMENT IN BRAZIL: from Eco-92 to Rio+20

Editorial

(Refers to page 8) editorial Editorial

LEVANTAMENTOS dETALhAdOS

T

English version page 242

oda empresa possui um conjunpesquisa de opinião feita com Promotores e to de características que a torProcuradores da área ambiental sobre temas nam especial. Podemos chamar que estão na agenda das empresas. isso de DNA. O DNA da Análise O resultado final nos enche de orgulho. Editorial são os levantamentos Primeiro porque não é trivial obter tamanha profundos que realiza em várias adesão dos grupos empresariais, ONGs amáreas: Economia, Direito, Medicina, Admibientais e Procuradores e Promotores. Senistração, sempre oferecendo informação gundo porque sabemos que a publicação já é 330 750 de primeira linha para quem toma decisão e uma referência no setor. Somos gratos a toEMPRESAS forma opinião. O anuário ANÁLISE GESdos os que nos apoiaram na confecção deste + TÃO AMBIENTAL é um exemplo acabatrabalho. A todos os que não hesitaram em do de levantamento profundo, feito com as dedicar um tempo precioso para nos ajudar o maiores companhias em atividade no Brasil. nosso muito obrigado. Mais de 700 empresas, representantes de diSão parceiros muito importantes, também, versos ramos de atividade, responderam ao os anunciantes, que viabilizaram a realizaquestionário proposto por nossa equipe com ção de um trabalho de qualidade e relevânENVIRONMENTAL o objetivo de traçar um diagnóstico sobre a cia e nos permitem enviar a publicação, sem relação entre a iniciativa privada e o meio custo, a cerca de 30 mil contatos na cúpula MANAGEMENT ambiente. As respostas são apresentadas indas empresas, às universidades, aos goverdividualmente, e depois agrupadas. Há muinos federal, estaduais e às maiores cidades tas pesquisas sobre temas ambientais prodo Brasil, ao Poder Judiciário, a advogados, 330 750 postas pela imprensa. Nenhuma, contudo, especialistas, jornalistas, representantes de COMPANIES é tão meticulosa quanto a apresentada nesta organismos internacionais dentro e fora do + publicação. As companhias responderam a Brasil, diplomatas brasileiros no exterior, 60 perguntas, não a duas ou três. diplomatas estrangeiros no Brasil, investidoAlém de um farto material de leitura, o res, bibliotecas, enfim ao público que forma anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL opinião e toma decisão. é fonte permanente de pesquisa. A publicação está dividida E, a cada edição, alguns anunciantes se destacam com em três partes, a primeira listando as práticas ambientais uma participação especial. Neste ano, contamos, mais uma das maiores empresas em atuação no Brasil. A segunda vez, com o apoio diferenciado da Sabesp, que entende que apresenta a atuação dos bancos, tanto em relação à própria viabilizar uma publicação como essa é disponibilizar inforinstituição como na análise do risco ambiental para a con- mação que ajuda o Brasil. À Sabesp o nosso muito obrigacessão de crédito. A terceira contém um raio-X das ONGs do. E também a você, que recebe este anuário porque é um que atuam na área ambiental, com um perfil completo que leitor especial. Espero que lhe seja útil. permite a identificação do que fazem e como trabalham as organizações. A publicação traz, ainda, um resumo da silvana quaglio

GESTAO AMBIENTAL

BRAZIL

Apoio

8

www.analise.com

gestão ambiental

IN-DEPTH SURVEYS Every company has a set of characteristics that make it special. Let’s call it DNA. The DNA of Análise Editorial is the in-depth surveys that it develops in several areas: economy, law, medicine, administration, always offering quality information for those who make decisions and form opinions. The ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook is a finished example of an in-depth survey made with Brazil’s largest companies. More than 700 companies, representatives of several business areas, answered the questionnaire proposed by our team with the purpose of outlining an analysis about the relationship between private initiative and the environment. The answers are presented individually, and later grouped. There are many surveys related to environmental themes proposed by the press. 242

gestão ambiental

None, however, is as meticulous as this one. The companies answered 60 questions, not two or three. In addition to plenty of reading material for the reader, the ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook is a permanent source for research. The publication is divided into three parts, the first listing the environmental practices of the largest companies in operation in Brazil. The second offers the activities of banks in relation to the institution themselves, as well as in the analysis of environmental risk for the concession of credit. The third contains an x-ray of environment-specific NGOs and includes their complete profile, which describes what they do and how they work. The publication also includes a summary of the opinion survey answered by State Attorneys and Public Prosecutors of the environmental area about matters that are included in company agendas. The final result makes us proud. First because it is no small thing to obtain the adhesion of so many corporate groups, environmental NGOs and State Attorneys and Public Prosecutors. Second because we know that the publication is now a benchmark in the sector. We are grateful to all those who supported us in this venture. We would also like to thanks all those who did not hesitate in dedicating their precious time to helping us. The advertisers are also very important partners because without them we would not be able to carry out such a premium and important project. They also enable us to send the publication, at no cost, to around 30 thousand contacts in the top management of companies, universities, the federal and state government, the government of the largest cities in Brazil, the Judicial power, the lawyers, experts, journalists, representatives of international entities in and outside Brazil, Brazilian diplomats abroad, foreign diplomats in Brazil, investors, libraries, indeed, the audience that forms opinions and makes decisions. And in every edition, a few

advertisers stand out with a special participation. This year we counted once again on the differentiated support of Sabesp, the São Paulo state water utility, which understands that this publication can disseminate information that can help Brazil. To Sabesp, our deepest thanks. And also to you, who received this yearbook because you are a special reader. We hope it will be useful to you. Silvana Quaglio

METHODOLOGY

(Refers to page 10) metodologia Methodology

OS CRITÉRIOS ADOTADOS NESTA EDIÇÃO

English version page 242

O

levantamento e a edição dos dados que fazem parte do anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL são realizados integralmente pela equipe da Análise Editorial. Para esta edição, os dados das empresas, bancos e ONGs apresentados foram colhidos entre setembro e novembro de 2010. As informações são obtidas por meio de questionários específicos para cada setor abordado, com conteúdos e perguntas elaborados com a consultoria de especialistas. Um universo de pesquisa pré-selecionado é convidado a participar do inventário e a responder às questões objetivas. Uma vez enviados para a redação, os questionários são checados e confirmados por uma equipe de reportagem para, então, serem tabulados e editados.

Arredondamentos e totais - Para fa-

cilitar a leitura, os valores e as quantias foram arredondados e publicados em números inteiros ou com até uma casa decimal, de acordo com a informação em questão. Para tal, na apresentação dos números inteiros, os valores em casas decimais até 0,4 foram arredondados para 0, e a partir de 0,5 foram arredondados para 1. Os percentuais referentes aos resultados de pesquisas foram ponderados e englobam somente as instituições que lidam com o problema ou ação abordada. Portanto, foram eliminados da base de cálculo das questões os respondentes que assinalaram a alternativa “não se aplica à atividade da empresa”. O número total de companhias que responderam cada questão está exposto em cada tabela. Devido a ajustes editoriais, os dados

10

das totalizações de empresas por setor econômico sofreram alterações nesta edição. Portanto, existem pequenas variações em relação aos resultados publicados na edição de 2009. Apuração de dados - Os integrantes

dos universos de pesquisa foram convidados a participar do levantamento por e-mails e contato telefônico. Todos os responsáveis pelo recebimento do questionário de pesquisa são definidos previamente e receberam um login e senha de acesso para responder ao questionário pelo sistema online da Análise Editorial. As respostas enviadas por telefone ou e-mail foram cadastradas obedecendo à mesma ordem e alternativas oferecidas e validadas pelos participantes. Todas as informações publicadas foram fornecidas diretamente pelas empresas, bancos e ONGs por meio de um formulário eletrônico ou de contato direto da equipe de Análise Editorial. A Análise Editorial fez as checagens que julgou necessárias a fim de verificar a integridade dos dados.

Delimitação do universo de pesquisa - Companhias convidadas a participar da pesquisa são definidas com base no cruzamento de listas publicadas que contemplam as maiores empresas do país, de acordo com sua receita líquida. No caso de empresas financeiras, o critério de corte é o patrimônio líquido. Companhias transnacionais que não publicam balanço no Brasil e empresas que fazem parte de grupos empresariais com receita líquida mínima de 60 milhões de reais por ano – critério utilizado por órgãos oficiais para a classificação de grandes

gestão ambiental

empresas no país – também integram o universo de pesquisa, bem como as empresas de capital aberto com ações negociadas na BM&FBovespa. No total, 1.414 empresas, sendo 58 bancos, foram procurados pela equipe de jornalistas e pesquisadores da Análise Editorial. Nesta edição, 573 empresas – que representam ao todo 754 companhias – e 21 bancos responderam ao questionário e figuram na publicação. Por se tratar de um setor ainda carente de informações atualizadas, o universo de pesquisa de ONGs foi montado com base nas entidades que responderam à pesquisa nas edições anteriores e nas que foram citadas pelas empresas ou por outras organizações em seus questionários. Também foi utilizada a lista de organizações cadastradas no Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), ONGs cadastradas no programa Proaong, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, e participantes da Rede de ONGs da Mata Atlântica. Ao todo, foram procuradas 900 ONGs ambientais e 328 delas participaram da pesquisa e figuram na publicação. Como consultar a publicação - O anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL está organizado em três capítulos: 1) Práticas ambientais das empresas (página 33); 2) Práticas ambientais dos bancos (página 177); e 3) Perfil das ONGs ambientais (página 195). Os dados coletados são apresentados de forma objetiva, sem a elaboração de ranking ou comparativos individuais. Dessa forma, os nomes de empresas, bancos e ONGs são ordenados alfabeticamente e por setor de atuação. 0 www.analise.com

CRITERIA USED IN THIS EDITION The data collection and editing that integrates the ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook is entirely produced by the Análise Editorial team. The company, bank and NGO data presented in this edition was collected from September to November 2010. The information was obtained through sector-specific questionnaires, whose content and questions were prepared with the help of experts. A preselected research group was invited to participate in the inventory and answer objective questions. When the editorial staff receives the questionnaires back, they are checked and confirmed by a news team and then tabulated and edited. Rounding off and totals – For easier reading, the values and amounts were rounded off and published in whole numbers or up to one decimal point, according to the information in ques-

tion. As such, where whole numbers appear, the decimal point values under 0.4 were rounded down to 0 and above 0.5 were rounded up to 1. The percentages that refer to the results of the surveys were weighted and include only the institutions that deal with the problem or the action in question. Therefore, the respondents that checked the alternative “not applicable to our business activity” were eliminated from the calculation base. The total number of companies that answered each question is shown in each table. Data appraisal - The members of the research groups were invited to participate in the survey by e-mail and telephone. All those who received the questionnaires of the survey were defined in advance and received a login and password to answer the questionnaire through Análise Editorial’s online system. The answers sent by telephone or email were registered in the same order and choice offered and validated by the participant. All the information published was supplied directly by the companies, banks and NGOs through an electronic form or by direct contact with Análise Editorial’s team. Análise Editorial checked the information where necessary to verify data integrity. Delimiting the research - The companies invited to participate in the survey were determined by crosschecking published lists that contemplate the largest companies in the country according to net revenue. In the case of financial companies, the selection criteria was net equity. Transnational companies that do not publish a balance sheet in Brazil and companies that are part of corporate groups with a minimum net revenue of R$ 60 million a year – a criteria used by official entities to rate large companies in the country - also took part in the survey, as well as publicly-traded companies with shares listed in BM&FBovespa. In total, 1,411 companies and 58 banks were contacted by the team of journalists and researchers of Análise Editorial. In this edition, 573 companies and 21 banks answered the questionnaire and appear in this publica-

www.analise.com


ENGLISH VERSION

tion. Since the NGO sector still lacks regulations and updated information, the NGO research structure was based on entities that answered the survey in the previous editions and on those that were mentioned by companies or other organizations in their questionnaires. The list of organizations registered in the National Environmental Council (Conama) was used, as well as the NGOs enrolled in the PROAONG program of the São Paulo State Environmental Department and members of the NGO Network. A total of 503 organizations were contacted for this edition and only those whose main line of business is the environment were considered. This edition includes the answers of 328 environmental NGOS that answered the questionnaires. How to use this publication – The ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook has three chapters, one for each group surveyed. They are 1) Environmental practices of companies (page 33); 2) Environmental practices of banks (page 177); 3) Profile of environmental NGOs (page 195). The data collected is presented objectively without ranks or individual comparisons. Therefore, company names, banks and NGOs are in alphabetical order and by business sector. The table with the answers of the companies follows the same criteria.

Presentation

(Refers to page 14) APRESENTAÇÃO Presentation

Mais bancos despertaM para o risco aMbiental O setor financeiro pode acelerar a disseminação de práticas sustentáveis

Reserva de desenvolvimento sustentável na Amazônia: redução do desmatamento está entre as principais conquistas ambientais do Brasil Sustainable development reserve in Amazon state: reduction of deforestation is one of the Brazil’s environmental achievements

SILVANA QUAGLIO

E

m meados de 2012, centenas de chefes de Estado, ministros e delegações estrangeiras, além de lideranças empresariais e da sociedade civil, se encontrarão no Rio de Janeiro para renovar seu compromisso político com o desenvolvimento sustentável. A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, ou simplesmente Rio+20, acontecerá 20 anos depois de a Cidade Maravilhosa ter sido a sede da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, em 1992. Chamado de Rio 92, Eco-92 ou ainda Cúpula da Terra, o evento estabeleceu um marco, a começar por seu extraordinário peso político – 108 chefes de Estado e delegações de 175 países estiveram presentes. Além de ter definido as bases para uma efetiva participação dos vários atores da sociedade (governos, ONGs, organismos internacionais e o

14

gestão ambiental

English version page 243

setor privado) no processo de discussão e na implementação de programas que permitam o desenvolvimento sustentável. As emissões de gases causadores do efeito estufa eram melhores naquele tempo, mas o mundo era pior. Melhorou muito nesses 18 anos em termos de conscientização para a necessidade de estabelecer uma convivência harmônica com o meio ambiente. A partir daquela mega conferência institucionalizou-se o conceito de “desenvolvimento sustentável” como aquele que concilia interesses econômicos e ambientais. O Brasil da Eco-92 evoluiu de vários pontos de vista. Ainda tem grandes desafios a enfrentar, especialmente no que tange aos indicadores sociais, mas é incrível ver como o outrora vilão da floresta começa a emergir como líder para o desenvolvimento da nova economia verde. Esse será um dos grandes temas da Rio+20. O anuário

ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL antecipa-se para mostrar na reportagem especial desta edição, que começa na página 20, o caminho que o Brasil começou a trilhar na década de 1990 e que o está conduzindo rumo a tornar-se a quarta maior economia do mundo até 2050 (previsão do banco Goldman Sachs). No estudo “Made in Brazil – Competindo no Contexto da Nova Economia de Baixo Carbono”, o especialista Laércio Bruno Filho mostra que o Brasil já tem PIB mais limpo que o de outros países e leva vantagem por já estar alinhado com os princípios do desenvolvimento sustentável. O anuário ANÁLISE GESTÃO AMBIENTAL apresenta, desde 2007, o maior inventário das práticas ambientais das maiores empresas do Brasil. No levantamento deste ano, a Análise Editorial quis saber das empresas participantes qual o grau de relevância que elas atribuem à Rio+20.

Cont. pg. 16

www.analise.com

More banks aware of environmental risk The financial sector can accelerate the dissemination of sustainable practices In mid 2012, hundreds of heads of state, ministers and foreign delegations, as well as senior executives and the society in general will meet in Rio de Janeiro to renew their political commitment with sustainable development. The United Nations Conference about Sustainable Development, or Rio+20 for short, will take place twenty years after Rio hosted the United Nations’Conference for Environment and Development in 1992. Better known as Rio 92, Eco-92 or Earth Summit, the event became a milestone for its heavyweight political presence - 108 heads of state and delegations from 175 countries. The meeting defined the bases for the effective participation of several players (governments, NGOs, international entities and the private sector) in the discussion process and in the implementation of programs to enable sustainable development. Greenhouse gas emissions were better at that time, but the situation of the world was worse. A lot has improved over these 18 years in terms of awareness of the need to establish a more harmonious relationship with nature. After the mega-conference, the concept of “sustainable development”, as an idea that could reconcile economic

www.analise.com

and environmental interests, was established. The Brazil of Eco-92 evolved from several points of view. It still has great challenges to face, especially in that which relates to social indicators, however, it is amazing how the former villain of the forest has emerged as a leader for the development of the new green economy. This will be one of the main topics of Rio+20. The ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook takes the lead by showing, in a special news article included in this edition on page 244, the path that Brazil began to follow in the 90s and its current mission towards becoming the fourth largest economy in the world by 2050 (forecast of Goldman Sachs). In the study dubbed “Made in Brazil – Competing within the context of the new low-carbon economy”, expert Laércio Bruno Filho shows that Brazil already has a GDP that is cleaner than that of other countries and is at an advantage since it is already aligned to the principles of sustainable development. The ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT yearbook has offered since 2007 the most comprehensive inventory of the environmental practices of Brazil’s largest companies. In this year’s survey, Análise Editorial asked the participating companies how they rated the importance of Rio+20. More than seven out of every ten said that the conference is relevant and is capable of influencing policies and measures in the environmental area. The banks gave a similar answer: 80% of the sample group considered the conference important enough to bring about changes. The greatest progress of the ANÁLISE ENVIRONMENTAL MANAGEMENT survey, currently in its fourth edition, relates to the financial sector. The participation of banking institutions in the survey, which varied between 13 and 15 in the previous issues, this time jumped to 21. Almost 44% of them said they publish their corporate balance sheet in accordance with the Global Report Initiative (GRI) model. Only 21% of all the companies

interviewed claimed to release their report in this format. This fact is relevant because it is an indicator of the degree of “sustainability”incorporated in corporate practices in Brazil. In other words: The companies and institutions that claimed to adopt the “sustainability” criteria in their daily business usually inform their activities and results in accordance with GRI rules. This means basing the business on three foundations: economicfinancial result, transparent and ethical relationship with the target market and environmentallyfriendly production. According to the article of professor Paulette Stenzel of the University of Michigan, published recently in “Global Edge Business Review”, only 50 companies worldwide provided their information in accordance with the GRI model in 2000. In 2008, this figure jumped to 507 companies in 55 countries. The number has been growing, but cannot yet be considered representative in the corporate universe. This is why Análise Editorial prefers to focus its study on environmental management practices with a few aspects of social responsibility. The growth of the bank segment among the respondents of the survey is important because it proves that good environmental practices are beginning to be disseminated in the banking sector. And no other sector of the economy has such a great ability to multiply the adoption of these practices. In another Análise Editorial survey, aimed at State Attorneys and Public Prosecutors of the environmental area, the importance of the role of banks is also prominent. In the opinion of six out of every ten that were heard, credit restrictions can help to prevent deforestation for the development of a new activity. (see on page 244 for more information about the opinion of members of the Public Prosecutor’s Office). Another point that merits attention is how companies are developing a closer relationship with environmental NGOs. We identified a trend in the previous editions of the survey and this year, and with the guidance of a researcher of the University

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

243


Análise Gestão Ambiental 2010-2011  

O maior inventário sobre gestão ambiental já produzido no Brasil com um panorama das práticas das maiores companhias, bancos e ONGs

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you