Page 1

Anuário Acrefi Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento

2009

MERCADO DE CRÉDITO NO BRASIL


expediente

DIRETORIA ACREFI Presidente Adalberto Savioli (Banco Panamericano) Vice-Presidentes Álvaro Augusto Vidigal (Banco Paulista), Aquiles Leonardo Diniz (Banco Intermédium Banisa), Carlos Henrique Zanvettor (Unibanco), Érico Sodré Quirino Ferreira (Omni CFI) , José Arthur Lemos de Assunção (ASB CFI), Luis Felix Cardamone Neto (Banco ABN Amro Real), Marco Ambrógio Crespi Bonomi (Banco Itaú), Odílio Figueiredo Neto (Banco Morada), Paulo Eduardo D'Ávila Isola (Banco Bradesco), Wilson Masao Kuzuhara (BV Financeira CFI) Secretários Cláudio Messias Ferro (Banco Ficsa) Primeiro, Edson Ueda (Banco Toyota) Segundo Tesoureiros Aristeu Zanúncio (Portoseg CFI) Primeiro, Sergio Marra Pereira Capella (Banco Cruzeiro do Sul) Segundo Diretores Regionais Antônio Roberto Beldi (Banco

Credibel) São Paulo Capital, Carlos Alberto Samogim (Finamax CFI) São Paulo Interior, Elcio Antônio de Azevedo (Banco Semear) Minas Gerais, Felicitas Renner (Banco A.J. Renner) Rio Grande do Sul, Pedro Costa Carvalho (Lecca CFI) Rio de Janeiro, Sérgio Faria Lemos da Fonseca Junior (Financeira BRB CFI) Distrito Federal, Tiziana Dadalto (Dacasa Financeira) Espírito Santo

Itaú) Membro Nato, Ricardo Malcon (Malcon Financeira CFI) Membro Nato, Alencar Burti (ACSP) Membro, Francisco Valim (Serasa) Membro, Jackson Schneider (Anfavea) Membro, João Elísio Ferraz de Campos (Fenaseg) Membro, Luiz Horácio da Silva Montenegro (Anef) Membro, Miguel de Oliveira (Anefac) Membro, Sergio Antonio Reze (Fenabrave) Membro

Diretores-Executivos Gunnar Murilo (Banco GM), José Renato Simão Borges (Banco Sofisa), Morris Dayan (Banco Daycoval), Sandro Alexandre de Almeida (Banco Carrefour), Sergio Antônio Cipovicci (HSBC Bank Brasil), Sérgio Barbanti (Banco IBI)

Conselho Fiscal Domingos Spina (Unibanco) Efetivo, Istvan Karoly Kasznar (IBCI) Efetivo

Diretores Conselheiros Leonel Dias de Andrade Neto (Banco Citibank), Marcelo Torresi (Banco Pecúnia), Marcio Ronconi de Oliveira (Banco Fibra), Marcus André Oliveira (Cifra CFI), Paulo Roberto Tabaquim (Banco Volkswagen), Paulo Sérgio Borsato (Sax CFI), Roberto Bronzere (Banco GE Capital), Rubens Bution (Financeira Alfa CFI) Conselho Consultivo Alkindar de Toledo Ramos Membro Nato, Manoel de Oliveira Franco (Banco

Diretor-Superintendente Antonio Augusto de Almeida Leite (Pancho) Economista-Chefe Istvan Karoly Kasznar Consultor Jurídico Cassio M. C. Penteado Jr. ACREFI - Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento Rua Líbero Badaró, 425, 28º andar - Centro São Paulo, SP - Brasil - 01009-000 (11) 3107-7177

www.acrefi.org.br

publicação customizada Produzida por Análise editorial Diretora Silvana Quaglio

Editor Gabriel Attuy

Design Gustavo Moura

Gerente de TI Cristiano Carlos Silva

Impressão Log & Print Gráfica e Logística

Produzido em maio de 2009

Anuário Acrefi

Revisão Mary Ferrarini

Tiragem 10.000 exemplares Rua Major Quedinho, 111 - 16° andar Centro - São Paulo-SP 01050-904 - Tel: (11) 3201-2300 www.analise.com

4

Reportagem Giselle Godoi


Índice associadas da Acrefi Alfa Financeira

16

Banco Panamericano

64

Mercantil do Brasil Financeira 112

ASB Financeira

18

Banco Paulista

66

Midway Financeira

114

Aymoré CFI

20

Banco Safra

68

Omni Financeira

116

Banco A. J. Renner

22

Banco Semear

70

Pernambucanas Financiadora 118

Banco BMG

24

Banco Sofisa

72

Portocred Financeira

120

Banco Bonsucesso

26

Banco Toyota do Brasil

74

Portoseg Financeira

122

Banco BVA

28

Banco Volkswagen

76

Rótula CFI

124

Banco Carrefour

30

Banco Yamaha

78

Sax CFI

126

Banco Citicard

32

Banex CFI

80

Visa do Brasil

128

Banco Credibel

34

Banrisul

82

Banco Cruzeiro do Sul

36

Bradesco

84

Banco Daycoval

38

BRB Financeira

86

Banco do Brasil

40

BV Financeira

88

Banco Fibra

42

Caixa Econômica Federal

90

Banco Ficsa

44

Cetelem Brasil

92

Em tempos de crise, o apetite por dados que auxiliem investidores, instituições e consumidores a tomarem decisões com segurança aumenta. Saiba quais são os passos que a ACREFI está tomando em busca de transparência e ampliação da divulgação de informações.  03

Banco Finasa BMC

46

Cifra CFI

94

Metodologia

Banco GE Capital

48

Citibank

96

Banco GMAC

50

Dacasa Financeira

98

Banco Honda

52

Finamax Financeira

100

Banco Ibi

54

Grupo Santander Brasil

102

Banco Intermedium

56

HSBC Bank Brasil

104

Banco Itaucard

58

Itaú Unibanco

106

Banco De Lage Landen

60

Lecca CFI

108

Banco Morada

62

LuizaCred

110

Editorial

O valor da informação

Como foi feita esta publicação

Conheça os critérios utilizados para a organização e apresentação das informações das companhias associadas à Acrefi, além de saber quem são as pessoas que contribuíram para a sua produção.  06

PANORAMA

Mercado de crédito quadruplica em oito anos Uma análise da evolução do mercado de crédito ao consumidor no Brasil na última década e as perspectivas para o futuro.  08

Anuário Acrefi

5


metodologia

como foi feita esta publicação

E

sta publicação tem como objetivo apresentar um perfil das instituições que fazem parte da ACREFI - Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento. A análise das empresas foi realizada por meio do levantamento de uma série de informações financeiras e outros dados públicos relevantes. O objetivo é proporcionar ao leitor um panorama resumido e objetivo das instituições, permitindo uma ampla visão dessas empresas e do mercado em que elas atuam. As informações apresentadas na publicação são: Dados cadastrais •Razão social •Nome fantasia •Site •CNPJ •Endereço Dados gerais •Data de fundação •Origem do capital •Setor de atuação •Áreas de atuação Listagem em bolsa Nos casos em que a empresa é listada na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), foram indicados os tickers das ações negociadas e o nível de governança do qual a instituição faz parte. As instituições que não possuem dados nesse campo não estão listadas na Bovespa. Diretoria executiva A seção lista o nome e o cargo dos principais executivos da empresa. Histórico A seção inclui um histórico resumido de cada instituição, indicando os principais eventos e mudanças na estrutura, alterações relevantes em sua atuação no mercado e outras informações de interesse.

6

Anuário Acrefi

Demonstração de Resultados A seção inclui a apresentação de uma seleção de itens da Demonstração de Resultados de cada empresa. Balanço Patrimonial A seção inclui a apresentação de uma seleção de itens do Balanço Patrimonial de cada empresa.

Fontes das informações A principal fonte de informação utilizada para a produção desta publicação foi a base de dados Visionarium, desenvolvida pelo Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad), dirigido pelo professor doutor Alberto Borges Matias. Desta fonte foram agregados os dados referentes à Demonstração de Resultados e ao Balanço Patrimonial das instituições, além das informações cadastrais e dados gerais das empresas. A fonte original para as informações financeiras disponíveis no Visionarium é o Banco Central (BC), e os dados apresentados nesta publicação não sofreram nenhum tipo de ajuste ou alteração além dos critérios estabelecidos pelo BC. Dados adicionais foram obtidos com as próprias empresas e, no caso de instituições listadas na Bovespa, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os dados referentes à listagem em bolsa foram obtidos com a Bovespa. As informações referentes à diretoria executiva e ao histórico foram obtidas, em grande parte, diretamente com as instituições ou em seus sites, além da base Visionarium e do BC. É importante ressaltar que todas as informações foram revisadas pelas próprias instituições, que tiveram tempo hábil para verificá-las e eventualmente sugeriram correções e mudanças. Todas as empresas foram consultadas e puderam revisar os dados antes da publicação. Nos casos em que não existe informação nos itens dados cadastrais, gerais, diretoria executiva ou histórico, os dados não foram encontrados ou não puderam ser verificados com exatidão. Nos balanços,


os itens sem informação indicam que o dado não existe ou é igual a zero.

Estrutura dos balanços Os critérios utilizados para apresentar os dados financeiros das empresas nesta publicação foram discutidos e aprovados pela direção da ACREFI - Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento e contaram com a consultoria técnica do professor doutor Alberto Borges Matias e do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad). A Demonstração de Resultados e o Balanço Patrimonial apresentados representam uma seleção de itens relacionados no balanço. O objetivo é proporcionar um panorama resumido das atividades de cada empresa. Em razão disso, a soma dos itens pode não ser igual ao total apresentado em cada subgrupo. Isso se deve ao fato de os dados relacionados abaixo não representarem as demonstrações financeiras completas das instituições analisadas. Foi dado tratamento igual às informações financeiras de todas as empresas com o objetivo de manter um padrão em toda a publicação que permita uma análise objetiva. A única exceção ocorreu no caso da instituição Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. A empresa não divulga informações referentes exclusivamente à sua atuação no Brasil e não é uma instituição financeira. Em razão disso, o balanço apresentado difere do restante das empresas desta publicação. Na página inicial do perfil de cada empresa está indicado se o balanço apresentado é consolidado.

Professor Doutor Alberto Borges Matias

•Professor doutor Alberto Borges Matias, doutor

Agradecimentos

em administração de empresas e livre-docente em Finanças pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), professor titular do departamento de administração da FEA-USP de Ribeirão Preto. Ele é fundador e diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad) e foi o consultor técnico desta publicação. •Adalberto Savioli, presidente da ACREFI – Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento. •Istvan Karoly Kasznar, economista-chefe da ACREFI – Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento. •Antonio Augusto de Almeida Leite, diretor-superintendente da ACREFI - Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento. •Gabriel Camargo, analista financeiro do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad). •Lucas Saura, analista financeiro do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad). •Miguel Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). •Milko Matijascic, assessor-chefe da presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A produção desta publicação contou com o apoio de diversas pessoas e entidades. A seguir, estão listadas algumas das que prestaram consultoria, compartilharam informações e auxiliaram de alguma forma a publicação deste anuário.

A participação e a colaboração de todas as instituições associadas à ACREFI - Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento foram fundamentais para a produção desta publicação.

observações As companhias Banco Pecúnia e Sul Financeira, associadas à Acrefi, não são analisadas nesta publicação porque até a data de conclusão não haviam disponibilizado informações referentes à Demonstração de Resultados e Balanço Patrimonial do ano de 2008.

Anuário Acrefi

7


panorama

Mercado de crédito quadruplica em 8 anos A evolução do setor no Brasil e as perspectivas depois da crise

O

mercado de crédito no Brasil aumentou expressivamente na última década. Essa expansão não se deve apenas ao crescimento do volume de recursos disponíveis ao consumidor, mas também a uma série de mudanças na legislação e na atuação de bancos, financeiras e outras instituições que promoveram a capilarização do acesso ao crédito no país. O avanço desse mercado teve início em meados da década de 1990, paralelamente à estabilização da

economia após o Plano Real. No entanto, foi a partir de 2000 que o volume de recursos disponíveis para empréstimos, financiamentos e diversas outras modalidades de crédito deslanchou. Entre 2000 e 2008, o total de operações de crédito quase quadruplicou no Brasil. Em junho de 2000, foram disponibilizados 306 bilhões de reais, o equivalente a 26% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Em dezembro de 2008, o valor chegou a 1,15 trilhão de reais e 41,3% do PIB. O crescimento do crédito na úl-

tima década foi constante, e apenas no último trimestre de 2008 houve redução, em resultado dos efeitos da crise internacional que atingiu o Brasil. Os primeiros meses de 2009, no entanto, já mostram uma recuperação do mercado e indicam que as companhias que atuam com crédito estão se adaptando às novas condições. Segundo Alberto Borges Matias, doutor em administração de empresas pela FEA-USP e diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad), em

Evolução do crédito no Brasil Volume das principais fontes de crédito concedido para pessoa física no Brasil de dezembro de 2000 a março de 2009

20 R$ bi

Cheque especial

15 Cartão de crédito

10

Crédito pessoal

5 Fonte: Inepad

12/2000

8

Anuário Acrefi

3/2009


médio prazo a perspectiva é de taxas de juro menores e volumes maiores em praticamente todas as linhas de crédito. “O movimento está ocorrendo em todo o mercado. Se observarmos os bancos públicos, eles estão concorrendo com os privados”, afirma. A partir da década de 1990, também foi possível começar a estruturar o mercado de crédito, proporcionando mais acesso ao consumidor e facilitando a obtenção de empréstimos e financiamentos. As mudanças começaram com iniciativas como o Programa de Crédito Produtivo Popular (PCPP) e o Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI) do BNDES, que apoiaram a expansão do segmento de microfinanças do país. Nos anos seguintes, as companhias de microcrédito ganharam cada vez mais espaço e, em 2000, a Lei Terceiro Setor expandiu ainda mais o mercado, permitindo que instituições menores de incentivo ao crédito pudessem oferecer recursos a taxas superiores a 12% ao ano, privilégio que antes era li-

mitado apenas às entidades do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Uma série de outros incentivos para companhias que ofereciam crédito a pequenos empreendedores e pessoa física se seguiram e, já em 2004, havia mais de 200 entidades de incentivo ao microcrédito registradas no Brasil, de acordo com levantamento realizado pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (Ebape-FGV). Esse fenômeno é suportado também pela popularização do acesso ao sistema bancário no Brasil por intermédio de uma crescente rede de correspondentes. Em 2008, existiam quase 85 mil correspondentes bancários no país, em locais como agências dos Correios, farmácias e padarias, entre outros. A partir de meados do ano 2000, o mercado de crédito brasileiro viu uma nova fase de expansão, em grande parte impulsionada pela estabilização da economia mundial, após uma série de crises em mercados relevantes, como México, em 1994; Rússia, em 1998;

Crédito em 2008 Participação no crédito concedido para pessoa física no Brasil em 2008

10,5% 8,5%

Outros

40%

Aquisição de veículos

Cheque especial

20% Crédito pessoal

21% Cartão de crédito Fonte: Inepad. Outros inclui financiamento imobiliário, outros bens e outras operações.

e Argentina, em 2000; além da tensão inicial provocada em 2003 pela eleição de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência do Brasil. Desde então, o volume de crédito cresceu cerca de 30% ao ano até 2008. Foi nesse período que a participação do crédito no PIB brasileiro também ganhou destaque.

A evolução dos juros Percentual da taxa de juros ao ano em dezembro de cada ano

2000

152,7 67,7

Cheque especial

Crédito pessoal

68,4

35,1 Aquisição de veículos

2004

143,9

Cheque especial

Crédito pessoal

174,9

60,4

35,6 Aquisição de veículos

2008

Cheque especial

Crédito pessoal

36,5 Aquisição de veículos

Anuário Acrefi

9


Bradesco www.bradesco.com.br

Banco Bradesco S.A. | CNPJ 60.746.948/0001-12 | Cidade de Deus, Prédio Novo, 4° Andar - Osasco-SP - 06029-900

Ano de fundação 1943 | Capital Privado Brasileiro Setor de atuação Banco Múltiplo Áreas de atuação

Arrendamento Mercantil, Câmbio, Capitalização, Cartões de Crédito, Comercial, Consórcios, Crédito, Crédito Imobiliário, Investimentos, Previdência e Seguros Bovespa Ações BBDC3, BBDC 4 | Governança N1

R$ milhões (2008)

RECEITA DA INTERMEDIAÇãO FINANCEIRA

57.611

Rendas de Operações de Crédito

29.862

Rendas de Aplic. Interf. de Liquidez

Rendas de Op. de Arrend. Mercantil

2.398

Resultado de Op. com TVM e Derivativos Resultado de Câmbio

20.184 3.639

Res. das Op. com Seguros, Prev. e Cap.

Diretoria executiva

Resultado das Aplicações Compulsórias

1.527

Diretor-Presidente Márcio Artur Laurelli Cypriano

Ajuste Prog. de Estabilidade Econômica

Passivo sem Encargo - Ativo

Diretor-Presidente e de Relações com Investidores Milton Almicar Silva Vargas Diretor Vice-Presidente Arnaldo Alves Vieira Diretor Vice-Presidente José Luiz Acar Pedro

Bradesco

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

DESPESA DA INTERMEDIAÇãO FINANCEIRA

(-41.839)

Operações de Captação no Mercado

(-26.770)

Op. Empréstimos, Cessões e Repasses Operações de Arrendamento Mercantil

(-7.180) (-5) (-7.884)

Diretor Vice-Presidente Júlio de Siqueira Carvalho de Araújo

Provisão Crédito de Liquidação Duvidosa Ajuste Prog. de Estabilidade Econômica

Diretor Vice-Presidente Laércio Albino Cezar

Despesas de Operações de Câmbio

Despesas Op. com TVM e Derivativos

RESULTADO BRUTO INTER. FINANCEIRA

15.772

Receitas de Prestação de Serviços

11.215

Diretor Vice-Presidente Norberto Pinto Barbedo Diretor Vice-Presidente Sérgio Socha

Despesas de Pessoal

(-7.166)

histórico

Outras Despesas Administrativas

(-8.144)

O Banco Bradesco foi fundado em 1943 em Marília (SP). Nos anos 1970, a instituição cresceu por meio da aquisição de 17 bancos, e na década seguinte passou por uma reestruturação. Esse processo resultou na criação da estrutura atual do Banco Bradesco S.A. Além de atuação tradicional como banco comercial, os serviços e produtos oferecidos pelo Bradesco incluem operações de crédito e captação de depósitos, emissão de cartões de crédito, consórcio, seguros, leasing, planos de previdência e gestão de ativos, entre outros. Para agrupar clientes com perfis semelhantes, a partir de 1999 o banco iniciou uma segmentação de seu atendimento. Para pessoas físicas há o Bradesco Prime, direcionado a clientes de alta renda, e o Bradesco Private que presta serviços e assessoria na administração de grandes fortunas pessoais. O atendimento a empresas de grande porte é feito pelo Bradesco Corporate, e o Bradesco Empresas é voltado para companhias médias. O Bradesco Varejo possui mais de 18 milhões de correntistas. No total, o Bradesco opera mais de 32 mil pontos de atendimento e possui 40,6 milhões de clientes, dos quais mais de 20 milhões são correntistas. O Bradesco também atua através do Banco Postal, que oferece serviços bancários como saques, depósitos e pagamentos, entre outras operações, nas agências dos Correios. Em 2008, o Bradesco registrou 454 bilhões de reais em ativos, lucro líquido de 7,6 bilhões de reais e 34,2 bilhões de reais em patrimônio líquido.

Despesas Tributárias

(-1.949)

84

Anuário Acrefi

RESULTADO DA ATIVIDADE BANCÁRIA Participações em Coligadas Reversão de Provisões Outras Receitas/Despesas Operacionais RESULTADO OPERACIONAL Resultado Não Operacional

9.728 135 – (-2.075) 7.789 384

RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO

8.173

Impostos de Renda

(-735)

Contribuição Social

216

Participações Estatutárias no Lucro

Ganho/Perda na Conversão de Moeda

Reversão dos Juros sobre Capital Próprio

RESULTADO LÍQUIDO

7.654

As informações apresentadas na Demonstração de Resultados e no Balanço Patrimonial são referentes às demonstrações consolidadas da companhia para o ano de 2008.


Nota Metodológica: A Demonstração de Resultados e o Balanço Patrimonial apresentados nesta publicação representam uma seleção de itens relacionados no balanço. O objetivo é proporcionar um panorama resumido das atividades de cada empresa. Em razão disso, a soma dos itens pode não ser igual ao total apresentado em cada subgrupo. Isso se deve ao fato de os dados relacionados abaixo não representarem as demonstrações financeiras completas das companhias analisadas.

balanço patrimonial

R$ milhões (12/2008) 344.543 9.296 73.462 61.435 12.031 – (-3) – 118.548 13.287 76.636 83.244 84 – – – – – (-6.692) – 6.918 44.933

ATIVO REALIZáVEL A LONGO PRAZO APLICações INTERFinanceiras DE LIQUIDEZ Aplicações no Mercado Aberto Aplicações em Depósitos Interfinanceiros Aplicações em Moedas Estrangeiras Provisão para Perdas Outras Aplicações TVM E INSTRUMENTOS DERIVATIVOS RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO Operações de Crédito Setor Privado Operações de Crédito Setor Público Financiamentos Direitos Créditos Operação Adquirida Operações de Créditos Cedidos Coobrigação Operações de Crédito em Atraso Operações de Crédito em Liquidação Provisão Créditos de Liquidação Duvidosa Outras Operações de Créditos Operações de ARRENDAMENTO MERCANTIL OUTROS CRÉDITOS

102.259 729 – 729 – (-0,3) – 13.049 461 54.090 55.879 756 – – – – – (-2.545) – 12.901 20.637

PERMANENTE INVESTIMENTOS IMOBILIZADO DE USO IMOBILIZADO DE ARRENDAMENTO DIFERIDO ATIVO TOTAL

7.611 1.048 3.237 13 – 454.413

PASSIVO CIRCULANTE DEPÓSITOS Depósitos a Vista Depósitos de Poupança Depósitos Interfinanceiros Depósitos a Prazo Outros Depósitos CAPTAÇÃO MERCADO ABERTO Carteira de Terceiros Outras Captações RECURSOS ACEITES EMISSÃO DE TÍTULOS OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS Empréstimos Brasil - Instituições Oficiais Empréstimos Brasil - Outras Instituições Empréstimos no Exterior Outros Empréstimos REPASSES BRASIL - INSTITUIÇõES OFICIAIS INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS OUTRAS OBRIGAÇÕES

248.474 91.745 27.610 37.769 675 24.689 1.003 48.511 39.360 2.399 2.590 13.124 0,03 0,4 13.123 – 6.741 1.794 81.055

PASSIVO EXIGíVEL A LONGO PRAZO Depósitos Interfinanceiros Depósitos a Prazo CAPTAÇÕES NO MERCADO ABERTO Carteira de Terceiros Carteira Livre Movimentação RECURSOS ACEITES EMISSÃO DE TÍTULOS OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS REPASSES BRASIL - INSTITUIÇõES OFICIAIS OBRIGAÇões por REPASSES NO EXTERIOR OUTRAS OBRIGAÇÕES RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS

171.087 23 72.725 31.466 – – 6.421 1.081 11.002 – 48.122 274

PATRIMÔNIO LÍQUIDO CAPITAL Capital de Domiciliados no Brasil Capital de Domiciliados no Exterior Capital a Realizar Recursos de Associados Poupadores Correção Monetária do Capital RESERVAS AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL PASSIVO TOTAL

34.257 23.000 21.665 1.335 – – – 11.923 (-662) 454.413

NOTAS EXPLICATIVAS As informações apresentadas na Demonstração de Resultados e no Balanço Patrimonial foram obtidas junto ao Banco Central e não sofreram nenhum tipo de ajuste.

Anuário Acrefi

85

Bradesco Bradesco

ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades APLICAÇões INTERFinanceiras DE LIQUIDEZ Aplicações no Mercado Aberto Aplicações em Depósitos Interfinanceiros Aplicações em Moedas Estrangeiras Provisão para Perdas Outras Aplicações TVM E INSTRUMENTOS DERIVATIVOS RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO Operações de Crédito Setor Privado Operações de Crédito Setor Público Financiamentos Direitos Créditos Operação Adquirida Operações de Créditos Cedidos Coobrigação Operações de Crédito em Atraso Operações de Crédito em Liquidação Provisão Créditos de Liquidação Duvidosa Outras Operações de Créditos Operações de ARRENDAMENTO MERCANTIL OUTROS CRÉDITOS


Anuário Acrefi  

Edição produzida pela Análise Editorial em 2009 para a Associação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you