Issuu on Google+

J A B O Jornal d da Associação Brasileira de Odontologia

121

Ano XXVI - Núme mero 121 - Setembro/outubro - 2009

BO supera metas metas O supera asil e no exterior s passos e metas da ABO Nacional, durante a gestão , caminham para a mesma direção: a valorização al e da Odontologia, a promoção da saúde, com a nção à saúde bucal para o bom funcionamento de anismo, e o bem-estar da população. Inseridos em , estes desafios se transformaram em um salto, com s campos institucional, político, social e em educauada, e se refletem em benefícios para toda a Rede os cirurgiões-dentistas e para a saúde bucal. A ABO ganharam visibilidade, capilaridade e força suficiexigir mudanças nas políticas de saúde do País, tividade internacional e o papel de uma entidade sta edição, um balanço do que foi feito para alcançar ar de desenvolvimento, com estrutura para a Odonsileira prosseguir nessa direção. Veja em: do a saúde a partir da boca - Pág. 10 do cirurgião-dentista - Pág. 11 icas pela ABO, pelo CD e pela saúde bucal - Págs. 12 e 13 mídia em 25,4 dias por mês - Pág. 14 a Odontologia crescer - Pág. 14

Rede ABO em defesa do SUS em todo o Brasil Pág. 3

25/10: Dia do Cirurgião-dentista

CDs são exemplo de compromisso social BHPO ssa por evisão cnica submete vo rol a nsulta ública

O JABO presta homenagem a todos os cirurgiões-dentistas brasileiros que se dedicam às causas sociais e à saúde bucal, doando seu tempo em trabalho voluntário que fortalece sua cidadania. Neste número do jornal, e no próximo, exemplos de ações realizadas por profissionais de Seções e Regionais da Rede ABO e que resultam em benefícios a milhares de pessoas. Pág. 16

gs. 15 e 18

ABO e Colgate realizam Temporada de Saúde Bucal Estão sendo realizadas ações e atividades com CDs, estudantes de Odontologia e população em geral, em todo o País, até o início de novembro. A Temporada é feita em parceria pela Colgate e ABO. Pág. 22

o mercado odontológico Pág. 21


J A B O Jornal da Associação Brasileira de Odontologia

121

Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

supera metas metas 2004 a 2010: ABO supera e firma-se no Brasil e no exterior Todos os passos e metas da ABO Nacional, durante a gestão 2004-2010, caminham para a mesma direção: a valorização profissional e da Odontologia, a promoção da saúde, com a devida atenção à saúde bucal para o bom funcionamento de todo o organismo, e o bem-estar da população. Inseridos em sua missão, estes desafios se transformaram em um salto, com avanços nos campos institucional, político, social e em educação continuada, e se refletem em benefícios para toda a Rede ABO, para os cirurgiões-dentistas e para a saúde bucal. A ABO e sua Rede ganharam visibilidade, capilaridade e força suficientes para exigir mudanças nas políticas de saúde do País, representatividade internacional e o papel de uma entidade cidadã. Nesta edição, um balanço do que foi feito para alcançar este patamar de desenvolvimento, com estrutura para a Odontologia brasileira prosseguir nessa direção. Veja em: Promovendo a saúde a partir da boca - Pág. 10 Em defesa do cirurgião-dentista - Pág. 11 ● Ações políticas pela ABO, pelo CD e pela saúde bucal - Págs. 12 e 13 ● ABO na mídia em 25,4 dias por mês - Pág. 14 ● Base para a Odontologia crescer - Pág. 14 ● ●

Pág. 3

25/10: Dia do Cirurgião-dentista

Perfil do Cirurgiãodentista Brasileiro tem resultados prévios Um terço dos 220 mil CDs brasileiros - 72,5 mil - está no município de São Paulo. Este é um dos dados prévios do levantamento feito pela USP a pedido do Ministério da Saúde e que tem auxílio da ABO. As informações completas serão divulgadas em janeiro próximo e servirão para balizar políticas públicas e distribuição de profissionais.

Rede ABO em defesa do SUS em todo o Brasil

CDs são exemplo de compromisso social CBHPO passa por revisão técnica ANS submete novo rol a consulta pública

Pág. 19

O JABO presta homenagem a todos os cirurgiões-dentistas brasileiros que se dedicam às causas sociais e à saúde bucal, doando seu tempo em trabalho voluntário que fortalece sua cidadania. Neste número do jornal, e no próximo, exemplos de ações realizadas por profissionais de Seções e Regionais da Rede ABO e que resultam em benefícios a milhares de pessoas. Pág. 16

Págs. 15 e 18

ABO e Colgate realizam Temporada de Saúde Bucal

MS: mais R$ 53,1 milhões para 96 novos CEOs Além dos CEOs, o investimento irá para fornecimento de equipamentos odontológicos para equipes de saúde bucal. Segundo Gilberto Pucca Jr., coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, cerca de 3 milhões de dentes deixaram de ser extraídos entre a população usuária do SUS desde a implantação do Brasil Sorridente. Mais de 80 milhões de pessoas vivem em áreas cobertas pela rede pública. Pág. 19

Estão sendo realizadas ações e atividades com CDs, estudantes de Odontologia e população em geral, em todo o País, até o início de novembro. A Temporada é feita em parceria pela Colgate e ABO. Pág. 22

2010 pode ser o ano do mercado odontológico Pág. 21


2

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ODONTOLOGIA

EDITORIAL

Seis anos de avanços

as páginas desta edição, além de uma série de notícias de interesse de todos os cirurgiões-dentistas, que sempre foi o foco do JABO, divulgamos parte das realizações das duas gestões das quais estivemos à frente, no comando da ABO Nacional. Este trabalho foi fruto de intensas articulações políticas junto aos poderes Executivo e Legislativo federais, acordos com entidades e instituições diversas em nível nacional que inseriram a ABO na agenda de discussão de temas importantes da vida brasileira, como redução da carga tributária, e de profissões afins para integrar ações e lutas conjuntas em defesa da saúde. Também atuamos em nível internacional, o que colocou definitivamente a Odontologia brasileira como parte importante nas discussões das políticas globais voltadas à saúde bucal, além das conquistas de importantes eventos que acontecerão no Brasil nos próximos anos. O acompanhamento dos projetos de lei de interesse da profissão e a participação em todos os fóruns de debates sobre saúde, defendendo a inserção permanente da Odontologia nas políticas públicas, foi a tônica do nosso trabalho nestes seis anos. Com o suporte da ABO, a saúde bucal alcançou espaço privilegiado no Ministério da Saúde, fazendo-se presente nos mais relevantes fóruns de discussão da saúde pública brasileira. Com a mesma intensidade, a Odontologia tem se posicionado na iniciativa privada, e a ABO tem implementado e apoiado ações que garantam a valorização profissional, especialmente na saúde suplementar. A realidade dos mais de 220 mil profissionais que a ABO representa tem mudado de forma acelerada, e, para que nenhum aspecto dessas mudanças escape da atenção do poder público e da sociedade civil, a ABO tem apoiado a formulação do Perfil do Cirurgiãodentista Brasileiro – Perspectivas Atuais e Tendências. O dossiê, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, apura quantos profissionais atuam no País, sua distribuição pelo vasto território nacional, sua remuneração e outras informações importantes ao entendimento da Odontologia contemporânea, de seus desafios e de suas promessas. E um dos nossos maiores desafios é a promoção ampla e irrestrita da saúde bucal. Por conta disso, demos início, em 2009, em parceria com a Federação Dentária Internacional (FDI), à Iniciativa Global Anticárie, e o Brasil entrou para a história da Odontologia mundial ao sediar o primeiro de uma série de eventos que reúnem especialistas de diversas regiões do globo em torno de estratégias para a total erradicação da doença, a Conferência Global Anticárie – Rio. No próximo ano, mais um importante capítulo dessa história será escrito pelo Brasil, com a realização do Congresso Mundial da FDI em Salvador (BA), além do Congresso Mundial dos Estudantes de Odontologia e o Encontro Mundial da ISO-TC 106. Podemos afirmar, com toda a certeza, que a Odontologia brasileira ganhou visibilidade ampla durante este período, e que, daqui para a frente, tem todos os requisitos para consolidar ainda mais sua liderança no contexto nacional e internacional.

N

Tenham uma boa leitura,

Norberto Francisco Lubiana Presidente da ABO Nacional Diretor-executivo da Fola Conselheiro da FDI

J A B O E X P E D I E N T E JABO é uma publicação bimestral da Associação Brasileira de Odontologia, de circulação nacional. Filiado à Aberje. Produção e edição : Edita Comunicação Integrada. Alameda Santos, 1398 - 8º and. conj. 87. Telefax (+11) 3253.6485 e (+11) 3284.1348. CEP 01418-100 - São Paulo - SP - Brasil. E-mail: edita@editabr.com.br Diretores: Joaquim R. Lourenço e Zaíra Barros. Editora: Zaíra Barros (MTb: 8989). Repórteres: Antonela Tescarollo (MTb: 41.547) e Diego Freire (MTb: 49.614); diagramação/artes: Edita/Victor Cruz; fotos: Edita/Fotoabout - e-mail: rsm@fotoabout.com. Publicidade: MN Design - Tel.: (+11) 2975.3916; e-mail mncomunicacao@uol.com.br e Ponto 4 Propaganda Ltda. - Tel (+11) 3816.0328; e-mail ponto4@ponto4.com.br. Fotolito e impressão: Darthy Gráfica/Vitor Mango . Tiragem 180.000 exemplares. Distribuição gratuita. Circulação nos meses de fevereiro, abril, junho, agosto, outubro e dezembro. A ABO não se responsabiliza pelos serviços e produtos das empresas que anunciam no JABO, as quais estão sujeitas às normas de mercado e do Código de Defesa do Consumidor. Artigos assinados ou conceitos emitidos são de responsabilidade exclusiva dos autores. Permitida a reprodução de textos do jornal desde que citada a fonte.

Registrada no Conselho Nacional do Serviço Social (nº 110.006/54), em 12 de janeiro de 1955. Filiada à FDI e à Fola/Oral. SEDE ADMINISTRATIVA: Rua Vergueiro, 3153 conjs.82 e 83 - CEP 04101-300 - São Paulo - SP Telefax: (+11) 5083.4000. E-mail: abo@abo.org.br - Site: www.abo.org.br

Diretoria Nacional Conselho Executivo Nacional (CEN) Presidente: Norberto Francisco Lubiana/ES Vice-presidente: Luiz Roberto Craveiro Campos/DF Secretário-geral: Newton Miranda de Carvalho/MG 1o- secretário: Ermenson Luiz Jorge/PR Tesoureiro-geral: Sinval Santos Pereira Silva/ES 1o- tesoureiro: Geraldo Alves Vasconcelos Filho/PE Suplentes: Arnaldo Mário Frias Zúniga/PA, Júlio Medeiros Barros Fortes/PI, Jander Ruela Pereira/MT e Wesley Borba Toledo/DF Conselho fiscal Efetivos: Paulo Murilo O. da Fontoura/RJ, Osmar Cutrim Fróz/MA e

Luciano Teixeira da Silva/AP Suplentes: Martha Virgínia de Almeida Dantas/SE, Dione Lima Teixeira/TO e Márcio da Silva Araújo/MG

Avaliação de Produtos Odontológicos (Dapo) Heitor Panzeri/SP e Elza Helena G. Lara/SP

Vice-presidentes Regionais Norte: Marco Aurélio Blaz Vasques/ RO; Nordeste: Eliardo Silveira Santos/CE; Sudeste: Paulo Murilo Oliveira da Fontoura/RJ; Sul: Mário Thaddeu Filho/RS; Centro-Oeste: Viviam Louise Dias Elias/MS

Diretor científico da Revista ABO Nacional Ricardo Lombardi de Farias/PB

Assessores da Presidência Avilmar Passos Galvão/BA, Ricardo Calazans Duarte/RN e João Alfredo Silva/MT Assessor internacional Roberto Braga de Carvalho Vianna/RJ Diretores do Departamento de

Representantes na Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) Efetivo: Ricardo Calazans Duarte/ RN; Suplente: Francisco das Chagas Pinheiro/RN Conselho Deliberativo Nacional (CDN) Presidente: Osiris Pontoni Klamas/ PR Vice-presidente:José Barbosa Porto/ CE

ABO nos Estados ABO/Acre Pres. Stanley Sandro da Silva Mendes R. Marechal Deodoro, 837, s.4 69900-210 - Rio Branco - AC Telefax(+68) 3224.0822 abo.acre@hotmail.com ABO/Alagoas Pres. Tiago Gusmão Muritiba Av.Roberto M. de Brito, s/n.-Jatiuca 57037-240 Maceió - AL Telefax(+82) 3235.1008 aboal@aboal.org.br www.aboal.org.br ABO/Amapá Pres. Daiz da Silva Nunes Rua Dr.Marcelo Cândia, 635 CP 635 68906-510 - Macapá - AP Tel. (+96) 3244.0202/Fax 3242.9300 abo-ap@oi.com.br ABO/Amazonas Pres. Alberto Tadeu do N. Borges Rua Maceió, 863 69057-010 - Manaus - AM Tel.(+92) 3584.5535/3635-231 abo_am@vivax.com.br ABO/Bahia Pres. Delcik Santos Dutra R.Altino Serbeto Barros, 138 41825-010 - Salvador - BA Tel.(+71) 2203.4066/ Fax 2203.4069 abo-ba@abo-ba.org.br www.abo-ba.org.br ABO/Ceará Pres. José Barbosa Porto R. Gonçalves Lêdo, 1630 60110-261 - Fortaleza - CE Tel.(+85) 3311.6666/Fax 3311.6650 abo@abo-ce.org.br www.abo-ce.org.br ABO/Distrito Federal Pres. Wesley Borba Toledo SGAS 616 - lote 115-L/2 Sul 70200-760 - Brasília - DF Tel.(+61) 3445.4800/Fax 3445.4848 abodf@abo-df.org.br www.abo-df.org.br ABO/Espírito Santo Pres. Luiz Carlos Bourguignon dos Santos R. Henrique Rato, 40 - Fátima 29160-812 - Vitória - ES Telefax(+27) 3337.8010 aboes@veloxmail.com.br www.abo-es.com.br ABO/Goiás Pres. Rafael de Almeida Decurcio Av.Itália, 1184 74325-110 - Goiânia - GO Tel.(+62) 3236.3100/Fax 3236.3126 ca@abo-go.com.br www.abo-go.com.br

ABO/Maranhão Pres.Marvio Martins Dias Av. Ana Jansen,73 65051-900 - São Luiz - MA Tel. (+98) 3227.1719/Fax 3227.0834 aboma4@hotmail.com www.abo.ma.com.br

ABO/Rio de Janeiro Pres. Paulo Murilo O. da Fontoura Rua Barão de Sertório,75 20261-050 - Rio de Janeiro - RJ Tel.(+21)2504.0002 /Fax 2504.3859 aborj@aborj.org.br www.aborj.org.br

ABO/Mato Grosso Pres. Jander Ruela Pereira Rua Padre Remeter, 170 78008-150 - Cuiabá - MT Telefax(+65) 3623.9897 assbo_mt@terra.com.br www.abomt.org

ABO/Rio Grande do Norte Pres. Pedro Alzair Pereira da Costa Rua Felipe Camarão, 514 59025-200 - Natal - RN Tel.:(+84) 3222.3812/Fax: 3201.9441 aborn@aborn.org.br/www.aborn.org.br

ABO/Mato Grosso do Sul Pres. Viviam Louise Dias Elias Rua da Liberdade, 836 79004-150 Campo Grande - MS Telefax (+67)3383.3842 aboms@terra.com.br www.aboms.org.br ABO/Minas Gerais Pres. Carlos Augusto Jayme Machado Rua Tenente Renato César, 106 30380-110 - B.Horizonte - MG Tel. (+31) 3298.1800/Fax 3298.1838 abomg@abomg.org.br www.abomg.org.br ABO/Pará Pres. Lucila Janeth Esteves Pereira Rua Marquês de Herval, 2298 66080-350 - Belém - PA Tel. (+91) 3277.3212/Fax 3276.0500 abo@abopa.org.br ABO/Paraíba Pres. Patrícia Meira Bueno Av. Rui Barbosa,38 58040-490 - João Pessoa - PB Telefax(+83) 3222-7100 abopb@terra.com.br www.abopb.com.br ABO/Paraná Pres. Osiris Pontoni Klamas Rua Dias da Rocha Filho, 625 80040-050 - Curitiba - PR Tel.(+41)3028.5800/Fax 3028.5824 abo@abopr.com.br www.abopr.com.br

ABO/Rio Grande do Sul Pres. Flávio Augusto Marsiaj Oliveira Rua Furriel L. A. Vargas, 134 90470-130 - Porto Alegre - RS Tel.:(+51) 3330.8866/Fax: 3330.6 932 abors@abors.org.br www.abors.org.br ABO/Rondônia Pres. Paulo Jorge Alves Martins Rua D.Pedro II, 1407 78901-150 - Porto Velho - RO Tel.: (+69) 3221.5655/Fax: 3221.6197 abo-ro@enter-net.com.br ABO/Roraima Pres. Luiz Carlos Schwinden R. Barão do Rio Branco,1309 69301-130 - Boa Vista - RR Tel. (+95) 3224.0897/ Fax 3224.3795 abo-rr@click21.com.br ABO/Santa Catarina Pres. Nádia Maria Fava Rua Dom Pedro I, 224 - Capoeira 88090-830 - Florianópolis- SC Telefax (+48) 3248.7101 abosc@abosc.com.br www.abosc.com.br ABO/São Paulo Pres. José Silvestre Rua Dr. Olavo Egídio, 154 - Santana 02037-000 - São Paulo - SP Tel.: (+11) 2950.3332/Fax: 2950.1932 secretaria.abo@terra.com.br www.abosp.org.br

ABO/Pernambuco Pres. Fernando Luiz Tavares Vieira Rua Dois Irmãos, 165 52071-440 - Recife - PE Tel.(+81) 3442.8141 scdp@hotlink.com.br www.scdp.com.br

ABO/Sergipe Pres. Martha Virgínia de Almeida Dantas Av. Gonçalo Prado Rollemberg, 404 49015-230 - Aracajú - SE Tel: (+79) 3211.2177 Fax: 3214.4640 abo-se@infonet.com.br www.abo-se.org.br

ABO/Piauí Pres. Júlio Medeiros Barros Fortes Rua Dr. Arêa Leão, 545 - SUL 64001-310 - Teresina - PI Tel.(+86) 3221.9374 abopi@uol.com.br www.abo.pi.org.br

ABO/Tocantins Pres. Luiz Fernando Varrone Av.LO15 602 Sul-Conj. 02 Lote 02 70105-020 - Palmas - TO Tel.: (+63) 3214.2246/Fax: 3214.1659 abotocantis@gmail.com www.abo-tocantis.com.br

Visite o novo Portal ABO em www.abo.org.br


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

3

REDE ABO

Pro-Odonto Estética inicia novo ciclo Com o tema Saúde Bucal e Qualidade de Vida, o Pro-Odonto Estética deu início ao seu 3º ciclo no último mês de setembro. O programa faz parte do Sistema de Educação em Saúde Continuada a Distância (Sescad), desenvolvido pela ABO em parceria com a Artmed Panamericana Editora. O Pro-Odonto conta, ainda, com mais quatro programas: Implante, Cirurgia, Ortodontia e Prevenção. Todos os programas são estruturados por ciclos, com ferramentas de estudos flexíveis, e podem ser iniciados a qualquer tempo e em qualquer lugar. Um ciclo é composto por quatro módulos, oferecidos ao longo de um ano. Os profissionais inscritos têm à sua disposição um centro de informações para esclarecer dúvidas, além do e-Learning: portal exclusivo com atividades de interação, clipping diário na área de saúde e acesso irrestrito à Dentistry & Oral Sciencies Source (DOSS), completo banco de dados

Rede ABO em defesa do SUS

Com o apoio da ABO Nacional, que fornece as camisetas e faixas personalizadas, as Seções Estaduais da ABO vêm participando da Caravana em Defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), que, desde março de 2009, está percorrendo os estados brasileiros com encontros para debater os problemas e avanços do SUS em cada região. Até dezembro, todas as capitais terão sido percorridas e, então, todas as propostas reunidas serão apresentadas durante encontro nacional em Brasília. A ABO está participando destes encontros por apoiar a continuidade e fortalecimento do SUS e também para acrescentar aos debates a importância da saúde bucal e do atendimento odontológico no serviço público. Até agora, 13 Seções da entidade já participaram ou confirmaram presença nos encontros da caravana: Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Paraíba, Espírito Santo, Roraima, Pernambuco, Acre, Amazonas, Paraná, Piauí, Goiás, Pará e Distrito Federal. A ideia por traz deste movimento é defender o SUS como patrimônio histórico, cultural e imaterial do povo brasileiro e também promove campanha em favor da Regulamentação da Emenda Constitucional nº29, medida que organiza o repasse de verbas para a saúde. A Caravana em Defesa do SUS é promovida pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), em parceria com o Ministério da Saúde, Conselhos Estaduais de Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde e outros movimentos sociais e entidades. Mais informações: www.conselho.saude.gov.br

em todas as áreas da Odontologia, com 134 periódicos científicos e 30 livros, todos com textos completos e atualizações diárias. Na DOSS estão os mais conceituados periódicos internacionais, como British Dental Journal, European Journal of Dental Education, European Journal of Oral Sciences, Acta Odontologica Scandinavica, Australasian Dental Practice, International Endodontic Journal, International Journal of Pediatrics Dentistry, Australian Dental Journal, Australian Endodontic Journal, China Journal of Oral & Maxillofacial Surgery e Indian Journal of Dental Research. Na base de conteúdos científi-

cos nacionais, estão cinco dos principais títulos editados no Brasil: Brazilian Journal of Oral Sciences, Brazilian Oral Research, Odon-

tociências, Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial. Atuando no conceito de atualização permanente, o qual também segue o Pro-Odonto, a base da DOSS mantém 17 revistas com textos completos. Nove delas figuram na lista das 10 principais publicações no ranking Eigenfactor Dental: Critical Reviews of Oral Biology & Medicine, Journal of Dental Research, Journal of Adhesive Dentistry, Periodontology 2000, Clinical Oral Implants Research, International Journal of Oral & Maxillofacial Implants, International Journal of Prosthodontics, Pediatric Dentistry e Journal of Periodontal Research.

Os programas do Pro-Odonto vêm sendo apresentados em todos os congressos oficiais da Rede ABO. No estante dos programas é possível conhecer o material impresso disponibilizado aos inscritos, tirar dúvidas e se matricular. A inscrição em qualquer um dos programas oferecidos independe de pré-requisitos, e não é estabelecida data para dar início aos ciclos. Todo o material utilizado é chancelado e oficializado pela ABO Nacional, e o certificado é outorgado pela entidade. Mais informações: www.sescad.com.br info@sescad.com.br (51) 3025.2550


4

REDE ABO

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Intervenção da ANS não afeta planos ABO/Unimed Com a intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) na direção fiscal da Unimed Paulistana, a cooperativa divulgou nota em que tranquiliza seus clientes, cooperados, prestadores de serviços e parceiros, “garantindo que a decisão será apurada e que principalmente o pagamento aos fornecedores e prestadores está em dia, não havendo risco de falta de atendimento”. A empresa esclareceu, ainda, que “o atendimento em São Paulo está normal, e que nenhum eventual problema afetará

os associados/usuários dos planos de saúde ABO/Unimed”. Dessa forma, a parceria entre a ABO Nacional e a Unimed continua a beneficiar os associados da entidade com amplo acesso a serviços de saúde. Todo associado da Rede ABO pode aderir aos planos, passando a dispor de atendimento de qualidade em qualquer ponto do Brasil – isso porque a Unimed tem a maior rede de assistência médica do País, abrangendo 74,9% do território nacional, com 377 cooperativas médicas em mais de 4.500

municípios. São mais de 106 mil médicos cooperados prestando assistência a cerca de 15 milhões de clientes e a 73 mil empresas. Outro diferencial da parceria é a opção por plano eletivo nacional, com consultas com hora marcada. Com ele, o usuário pode utilizar toda a rede credenciada Unimed espalhada pelo território nacional, e, além das coberturas que fazem parte do Rol de Procedimentos da ANS, o plano ainda conta com Extensão Assistencial – assim, no caso do falecimento do titular, os

dependentes que estiverem no plano terão a continuidade da assistência médica e hospitalar por mais dois anos, sem o custo das mensa-

lidades. Também há seguro de morte natural e acidental, sempre com o objetivo de amparar a família no caso de morte do titular. Trata-se, ainda, de um plano mais justo, com valores ajustados e co-participação limitada por procedimento. Para aqueles que utilizam muito pouco o serviço, a vantagem é pagar mensalidade menor, e aqueles que utilizam com maior frequência têm a tranquilidade de saber que as coparticipações estão limitadas por procedimentos, além de isenção de coparticipação para internação e cirurgias. A parceria ABO/Unimed é intermediada pela Sestini Corporate, corretora especializada em planos corporativos de saúde, e regulamentados pela Lei 9.656/98. Mais informações: 0800 703 5401 e www.sestiniseguros.com.br/abo Informe-se

Apenas 50% dos sulamericanos escovam os dentes direito O projeto inédito com professores doutores de universidades de Odontologia da Argentina, Chile, Venezuela, Colômbia e Brasil, em 2005, para discutir sobre saúde bucal, resultou no painel “Uma visão Atualizada da Saúde Bucal na América do Sul”. Foram 10 meses de análises e debates para a revisão de mais de 100 estudos científicos que serviram de base para a concretização do projeto. Foram identificadas semelhanças nos hábitos populacionais, equiparadas realidades socioeconômicas e culturais e as consequências na saúde bucal dos indivíduos. O resultado principal indicou que, além da falta de políticas governamentais eficientes de saúde bucal nos países da América do Sul e fatores econômicos, há uma necessidade urgente de mudanças comportamentais por parte da população. A falta de motivação e habilidade para a escovação e a utilização do fio dental é apontada como a principal responsável pelos altos índices de doenças periodontais. Apenas 50% dos indivíduos, em média, escovam os dentes corretamente e menos de 20% usam fio dental, sendo que uma mínima percentagem o faz corretamente.


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Contagem regressiva para 2º CIOMS Mais de duas mil pessoas devem se reunir, entre os próximos dias 29 e 31 de outubro, em Campo Grande (MS), na segunda edição do Congresso Internacional de Odontologia de Mato Grosso do Sul (CIOMS). A programação do evento, cujo tema é Odontologia para Todos – Uma Questão de Cidadania, conta com uma série de atividades gratuitas, entre conferências, fóruns clínicos e científicos e mesas redondas. Interessados em se inscrever ainda podem fazê-lo no site do evento (www. cioms2009.com). Entre os cursos oferecidos ao longo do 2º CIOMS estão: Periodontia Contemporânea, com Paulo Martins; Abordando o Diagnóstico e Tratamento, com Sônia Groisman; Restabelecimento Estético do Sorriso com Restaurações Diretas, com Rafael Mondelli; A Excelência em Estética ao Alcance do Clínico, com João Carlos Gomes; Restaurações Diretas ou Indiretas – Quando Indicar, com Fernando Tavares; Atualidades e Avanços em Endodontia, com Jesus Djalma Pécora; Oclusão na Prática Clínica, com Luiz Fernando Pegoraro; Atualidades Técnicas e de Materiais no Tratamento Estético dos Dentes Anteriores e Posteriores, com Adair Busato; e Excelência em Fotografia Odontológica, com Marco Antonio Masioli. Junto ao 2º CIOMS, acontecem o 5º Congresso Sul-matogrossense de Odontologia, a 28ª Jornada Acadêmica de Odontologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e a 17ª Jornada Odontológica da ABO/ MS. Em paralelo, são realizados, ainda, o 1º Encontro dos Cirurgiões-dentistas das Forças Armadas; 13º Encontro dos Trabalhadores em Saúde Bucal; 6º Encontro de Profissionais Auxiliares em Saúde Bucal; Seminário do Ronco e Apneia Obstrutiva do Sono; Seminário Saúde Bucal Indígena; Mesa Redonda Edentulismo Estético Parcial e Unitário; 1º Encontro de Coordenadores de Curso de Especialização. Todos os eventos acontecem no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, localizado na unidade de conservação urbana do Parque dos Poderes, no

Portal ABO Informação em um click. Veja em www.abo.org.br

entorno do Parque Estadual do Prosa, onde está instalado todo o complexo administrativo, legislativo e judiciário do Governo do Estado. Mais informações: (+67) 3321.5960 e www.cioms2009.com

5

REDE ABO

Últimos dias de inscrição no 4º CIOSC Ainda é possível se inscrever no 4º Congresso Internacional de Odontologia de Santa Catarina (CIOSC), que a ABO/SC realiza entre os próximos dias 21 e 24 de outubro, no Costão do Santinho Resort & Spa, em Florianópolis. A edição deste ano, cujo tema é A Excelência ao Alcance de Todos, conta com a novidade de adesão total, garantindo acesso a todas as atividades do congresso ao custo de inscrição única. Grandes nomes da Odontologia nacional e internacional se revezam na programação científica do 4º CIOSC. Entre eles, o argentino

Fernando Maravankin e os brasileiros Paulo Capel, Francesco Mangani, Angelo Putignano, Ronaldo Hirata, Edson Mesquita, Fabiano Carlos Marson, Guilherme Carpena Lopes, Renata Gondo e Jussara Karina Bernardon, tratando do tema Odontologia Restauradora; falando de Endodontia, o norueguense Gilber-

to Debelian e o brasileiro Bráulio Pasternak Junior; Cariologia, o estadunidense Jacques Nör; Periodontia, Eduardo Saba-Chujfi, Magda Gomes Feres e Ricardo Magini; Reabilitação Oral, César Arita; Fotografia Odontológica, Gilberto Arcari, Marco Antônio Masioli e Saulo Fortkamp; Prevenção, Sônia Groisman. As inscrições ainda podem ser realizadas no site do 4º CIOSC (www.ciosc.com.br), onde a programação completa do evento está disponível para download. Mais informações: (+48) 3248.7101 e ciosc@ciosc.com.br


6

REDE ABO

10º CIOPAR normaliza programação Adiado por conta da pandemia de gripe A, o 10º Congresso Internacional de Odontologia do Paraná (CIOPAR) já está preparado para acontecer nos dias 2, 3 e 4 de dezembro próximo, em Curitiba. A organização do evento enfatiza que a decisão, tomada após sucessivas reuniões da ABO/PR com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, a Secretaria Estadual de Saúde do Paraná, a Associação Paranaense de Infectologia e o Ministério Público, não prejudicou a programação, que conta com mais de 90 ministradores já confirmados.

Além de uma série de cursos de duração variada, entre uma e quatro horas, o 10º CIOPAR conta com a realização de fóruns que discutem importantes temas da Odontologia nacional. Entre eles, o Fórum Gestão Pública, com a participação do coordenador nacional de Saúde Bucal, Gilberto Pucca Jr., e dos pesquisadores Marco Antonio Manfredini e Antonio Carlos Figueiredo Nardi, e o Fórum Convênios e Credenciamentos, em que o recém-criado Código Brasileiro Hierarquizado de Procedimentos Odontológicos (CBHPO) será discutido por Ernani Bezerra da Silva, José Mário Moraes Mateus e Antonio Ricardo Calazans Duarte. Em pesquisa de opinião realiza-

da pela ABO/PR, 72% dos mais de 1.800 pré-inscritos aprovaram o adiamento. Dos expositores, 90% manifestaram-se a favor da nova data. A nova data foi a única disponibilizada pelo Estação Embratel Convention Center, local do evento. “Apesar do prejuízo que a mudança acarreta, acreditamos que a imagem da ABO e a segurança de todos os envolvidos é primordial”, declarou o presidente da ABO/PR, Osíris Pontoni Klamas. A ABO Nacional apoiou a Seção nos trâmites que envolveram o processo e na divulgação do adiamento. Interessados em participar podem se inscrever no site www. ciopar.com.br. Mais informações: (+41) 3022.1247 e www.ciopar.com.br

11º CORN disponibiliza resumos on-line Cerca de 3 mil profissionais e estudantes de Odontologia participaram do 11º Congresso de Odontologia do Rio Grande do Norte (CORN), realizado entre os últimos dias 3 e 6 de setembro, em Natal, com o tema A Odontologia na Perspectiva da Saúde Integral. Foram quatro dias de conferências, fóruns, palestras e cursos, entre uma série de outras atividades científicas, e é possível acessar resumos de várias delas no

site da ABO/RN (www.aborn.org. br). A cerimônia oficial de abertura do 11º CORN contou com a presença de autoridades locais e nacionais, como o chefe do Gabinete da Presidência da República, o cirurgiãodentista Swedenberg Barbosa; a secretária municipal de Saúde de Natal, Ana Tânia Sampaio; o presidente da ABO/RN e do congresso, Pedro Alzair da Costa; e o presidente de honra do evento, Fernando Rezende,

homenageado na ocasião. A palestra de abertura foi proferida por Swedenberg Barbosa, que falou sobre Saúde Bucal como Política Pública do Brasil. Cerca de 40 especialistas de todo o País participaram como palestrantes na programação científica, e mais de 500 estudantes e profissionais apresentam trabalhos próprios. Mais informações: www.aborn.org.br

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

“ABO atuante” O JABO recebeu, e agradece, carta da dra. Juliana Costenaro Sato (CRO-SC 6499), endereçada ao presidente da entidade, comentando

“Quero cumprimentá-lo, juntamente com toda sua equipe, pela Carta Aberta escrita e entregue para autoridades em Brasília! Estamos vendo muitos colegas fecharem seus consultórios ou mudando de atividade pela imensa quantidade de cirurgiões- dentistas existentes no Brasil. Espero que atitudes sejam tomadas após a entrega desta Carta, no que diz respeito ao fechamento de cursos inadequados. Queremos trabalhar com mais satisfação e ter orgulho em dizer que somos cirurgiões-dentistas e que possuímos uma classe (ABO) atuante!” Informe-se

Gripe suína: vacina será distribuída no início de 2010 De acordo com o Ministério da Saúde, as doses das vacinas contra o vírus causador do H1N1, causador da gripe suína, serão distribuídas no início de 2010. O Brasil vai gastar R$ 1,06 bilhão na aquisição das vacinas. O Instituto Butantan será o responsável pela produção da vacina, que provavelmente será injetável. Nos EUA, as doses estão sendo aplicadas na forma de spray nasal. Para começar a funcionar, a fábrica brasileira, construída no Instituto Butantan, em São Paulo, depende de uma autorização da Sanofi Pasteur, a divisão de vacinas do grupo francês Sanofi-Aventis – responsável pela transferência de tecnologia. A inspeção será realizada no fim de

Calendário Oficial de Congressos 2009/2010 da REDE ABO ABO Mato Grosso do Sul

JUNHO ABO São Paulo

2009 OUTUBRO ABO Santa Catarina

Carta Aberta que a ABO Nacional encaminhou às autoridades brasileiras reivindicando qualidade para o ensino odontológico brasileiro.

novembro próximo. Os primeiros lotes do produto devem estar prontos em janeiro. Além das 30 milhões de doses que serão produzidas no Butantan, outros 18 milhões serão importados ainda este ano. Deste total, 17 milhões serão processados no Brasil e 1 milhão de doses já chegarão prontas ao País. O uso da vacina não é recomendado para gestantes e outros grupos de risco.

2010, ano do FDI’Salvador

2 0 10 2º Congresso Internacional de Odontologia do Mato Grosso do Sul 29 a 31 de outubro Campo Grande - MS Informação: (+67) 3383.3842 aboms@terra.com.br www.aboms.org.br

MARÇO ABO Pernambuco

ABO Pará

DEZEMBRO ABO Paraná 4º Congresso Internacional de Santa Catarina 21 a 24 de outubro Florianópolis Informação: (+48) 3248.7101 abosc@abosc.com.br www.ciosc.com.br

MAIO ABO Piauí

10º Congresso Internacional de Odontologia do Paraná 2 - 4 de dezembro Curitiba - PR Informação: (+ 41) 3028.5800 secretaria@abop.org.br www.ciopar.org.br

JULHO ABO Rio Grande do Sul

Um congresso que vale por muitos. Trata-se do FDI’2010, que acontecerá em Salvador, Bahia, trazendo para o Brasil a sede internacional da Odontologia no período de 2 a 5 de setembro do próximo ano. Para concentrar forças e maximizar a participação, a Rede ABO tomou a decisão de concentrar seus congressos do Calendário Oficial apenas no primeiro semestre de 2010.

Informações: www.fdiwordental.org/ 3_0future.html


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

REDE ABO

7


8

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

INTERNACIONAL

Brasil abre as portas para o FDI’2010 Com a realização do FDI’2009 em Cingapura, no último mês de setembro, foi dada a largada oficial para a próxima edição do Congresso Mundial da FDI, que acontece entre os dias 2 e 5 de setembro de 2010, em Salvador (BA), com o tema Saúde Oral para Todos – Desafios e Soluções. As expectativas para o evento cresceram ainda mais com a forte presença do Brasil na última edição do evento, representado pela ABO. O País se prepara para receber um dos maiores públicos já reunidos por congressos da FDI: cerca de 20 mil participantes de todo o globo. Para o recém-empossado presidente da FDI, o brasileiro Roberto Vianna, o Brasil nunca foi tão visto pela Odontologia internacional – “e bem visto”, completa, evidenciando a expectativa do mundo para o FDI’2010. “Em 2007, em Dubai, a Odontologia mundial elegeu um brasileiro para presidir a FDI e o Brasil para sediar seu maior evento em 2010. Agora que o mundo entra em contagem regressiva para este grande momento, a Odontologia brasileira, representada pela ABO, está preparada para tamanha expectativa”, garante Vianna. O presidente da ABO/BA, Delcik Santos Dutra, também garantiu que Salvador e a Bahia estão preparados para o que considera “o grande momento da Odontologia nacional”. Segundo ele, o estande do Brasil em Cingapura foi um dos mais disputados. “É uma alegria constatar que todo o esforço da ABO Nacional e da ABO/BA será recompensado com um dos maiores públicos da Odontologia mundial”, comemora. O presidente nacional da ABO, Norberto Lubiana, reeleito conselheiro da FDI, relata que a expectativa também é compartilhada pelos representantes da grande maioria dos 134 países que compõem a entidade máxima odontológica. “Não se falava de outra coisa em Cingapura, de como foi acertada a escolha do Brasil para 2010. Os mais de 220 mil cirurgiões-dentistas brasileiros estão no topo do mundo.” Segundo a organização do FDI’2010, a intenção é trazer seis mil cirurgiões-dentistas do exterior. Entre compras de materiais, contra-

Parte da delegação brasileira em Cingapura durante lançamento oficial do FDI’Salvador 2010

tação de pessoal, turismo, hotelaria e alimentação, o evento movimenta anualmente cerca de US$ 40 milhões no país sede. Só para a rede hoteleira, a edição de 2010 deve gerar cerca de 90 mil vagas ocupadas nos hotéis da cidade. Poder público mobilizado Para um evento dessa proporção ocorrer com sucesso, seus organizadores – ABO e FDI – já estão trabalhando em parceria desde 2008. Várias reuniões e visitas a Salvador foram realizadas, ocasiões em que foi solicitado o importante apoio do Governo do Estado da Bahia. Foram realizadas audiências oficiais, sempre com o objetivo de garantir perfeita infraestrutura para o FDI’2010 e o sucesso do evento. O Centro de Convenções da Bahia tem passado por melhorias na climatização e na substituição de equipamentos. Também estão sendo feitos investimentos na cidade. Como parte desse esforço, o aeroporto será ampliado, e os sete voos diretos para os Estados Unidos e para a Europa que existem hoje passarão a ser 22. Foi criado um grupo de trabalho, com integrantes das várias frentes interessadas na realização do FDI’2010, para acompanhar o processo de melhorias propostas.

Indústria odontológica reunida O congresso também será uma grande oportunidade para a indústria odontológica nacional e internacional. Com a parceria da International Dental Manufacturers

Association (IDM), a Exposição Mundial da FDI em Salvador vai receber mais de 300 companhias globais, entre elas as brasileiras, configurando-se uma plataforma comprovada para a indústria odontológica expor suas últimas novidades em produtos e serviços, além de tecnologias já testadas em todo o planeta (mais na pág. 21). Parlamento Mundial de Odontologia Mais de 140 países estarão em Salvador, representando mais de um milhão de cirurgiões-dentistas de todo o mundo, para debater importantes tópicos durante duas Assembleias Gerais, três fóruns abertos e outras reuniões das diversas comissões e organizações filiadas à FDI. Tais encontros produzirão documentos que influenciam a Odontologia de todo o planeta. Estão marcados em paralelo ao FDI’2010, também os congressos da International Association of Dental Students (IADS) e da International Organization for Standardization (ISO). Estarão presentes representações internacionais da Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas (ONU), International Dental Manufacturers Association (IDM), Forças de Defesa, Organizações Regionais da FDI, Seção de Saúde Pública da FDI e Seção das Mulheres Dentistas da FDI, entre outras. Mantenha-se informado Atualizações contínuas sobre a programação do FDI’2010 e muitas outras informações estão disponíveis no site da entidade mundial (www.fdiworldental.org), em Future Congresses, e no Portal ABO (www.abo.org.br).

Lideranças femininas reunidas no FDI’2010

Em paralelo ao Congresso da FDI em Salvador (BA), a American Dental Education

(ADEA) vai realizar sua 4º Conferência Internacional de Lideranças da Mulher. O objetivo é incentivar alianças globais e definir lideranças estratégicas entre mulheres para promover saúde bucal e saúde feminina em comunidades de todo o mundo. Para isso, a conferência é a oportunidade para debates e troca de experiências durante as palestras, apresentação de pôsteres, grupos de trabalho e

workshops. A cirurgiã-dentista Claudia Tavares, delegada da ABO na FDI, faz parte do comitê organizador deste encontro, além de também compor a organização do FDI’2010. O envio de trabalhos para apresentação deve ser feito até 22 de dezembro. Mais informações: www.abo.org.br e www.adea.org, em Events


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

9

N TT EE R RN NA AC C II O ON NA A LL II N

Repercussão de Cingapura O Brasil foi destaque no último Congresso Mundial da Federação Dentária Internacional (FDI), realizado em Cingapura, em setembro, consolidando o respeito e reconhecimento internacionais com a Odontologia do País. O 1º brasileiro eleito para a presidir a FDI, Roberto Vianna, tomou posse; com o apoio do Brasil, o português Orlando Monteiro foi escolhido como presidente eleito; Norberto Lubiana foi reeleito para o Conselho da entidade; Cláudio Fernandes foi escolhido para a Comissão de Ciências; e foi lançado oficialmente o Congresso FDI’2010, que será no Brasil, em Salvador (BA). Veja a repercussão, a seguir:

Vitória “Nos dois anos em que atuou como presidente eleito da FDI, Roberto Vianna já difundiu bastante a Odontologia brasileira pelo mundo. Agora, como presidente, o Brasil vai ganhar ainda mais notabilidade em todas as nações por quais passar. A escolha de Vianna foi uma vitória espetacular para nossa Odontologia e a Academia está muito orgulhosa de ter participado disto e de tê-lo como membro.” Placidino Guerrieri Brigagão, presidente da Academia Brasileira de Odontologia e delegado do Brasil na FDI

Reconhecimento “Foi com muito orgulho que participei de mais um congresso da FDI representando o Brasil. Além da emoção de estar entre colegas do mundo inteiro mostrando o potencial da Odontologia brasileira, pude compartilhar, nas reuniões, experiências da nossa atuação no Brasil. Pudemos promover o nosso congresso mundial de Salvador em 2010 e comprovar o reconhecimento internacional da ABO. Tenho certeza que isto trará para a ABO e ao Brasil muitas divisas, além do intercâmbio científico e cultural.” Osíris Pontoni Klamas, presidente da ABO/PR e delegado do Brasil na FDI

Ciência “A atuação do Brasil na FDI denota a pujança da nossa Odontologia e o trabalho muito bem feito pela ABO. Estão vendo o Brasil lá fora e estão vendo muito bem, isso já é uma importante vitória. Com o Brasil na direção da FDI, teremos também mais atenção para a produção científica brasileira, que é uma das maiores do mundo. E a escolha de Roberto Vianna foi muito merecida, ele sempre foi atento às questões da Odontologia, ligado ao ensino também. Uma escolha muito boa.” Miguel Nobre, presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO)

Marco “A participação do Brasil nas reuniões do congresso da FDI, como a maior delegação, mostra nossa força dentro desse grupo todo. Além da posse de Roberto Vianna, destaco a reeleição de Norberto Lubiana para o conselho da entidade e a esco-

lha de Cláudio Fernandes para a Comissão de Ciências, ou seja, temos mais um brasileiro na FDI. Outro destaque para o Brasil em Cingapura foi a repercussão da Conferência Anticárie realizada em julho no Rio de Janeiro, havia um painel sobre o evento, que deu bons resultados e está repercutindo bem para o Brasil. Com certeza, foi um marco.” Paulo Murilo Oliveira da Fontoura, presidente da ABO/RJ e delegado do Brasil na FDI

Liderança “As conquistas na FDI foram obtidas com um trabalho árduo. São quase 30 anos do Roberto Vianna atuando na FDI e Norberto Lubiana

já trabalhou muito internacionalmente. O Brasil está na liderança da América Latina na FDI e a Odontologia brasileira conseguiu um respeito muito grande do mundo. Em Cingapura, já estávamos divulgando o congresso da FDI de 2010, em Salvador, e ainda teve a escolha do português Orlando Monteiro como presidente eleito da entidade, ou seja, um patrício nosso. Foi um evento de muitas conquistas e realizações.” Delcik Dutra, presidente da ABO/BA e delegado do Brasil na FDI

Decisões “Com certeza o trabalho que a

ABO Nacional vem realizando na FDI tem sido muito frutífero. Temos hoje um feliz reconhecimento internacional em relação ao Brasil e isso acrescentou muito à Odontologia brasileira. Nos fóruns da FDI são discutidos vários temas relacionados à Odontologia no mundo e o peso dos delegados da ABO é muito importante nas decisões. A posse do Roberto Vianna na presidência da FDI foi um momento até emocionante para nós que estávamos lá. Ver o primeiro brasileiro nesta posição, sendo ele ainda um diretor da ABO, foi muito importante para nós.”

José Silvestre, presidente da ABO/SP e delegado do Brasil na FDI

Orgulho “A participação da ABO no Congresso da FDI, em Cingapura, foi muito proveitosa para o Brasil. Como nossa delegação era a maior, com 13 membros votantes, todos os países faziam questão de nossa presença em suas reuniões. Em todos os discursos, o nome da ABO era sempre citado positivamente. A entidade conquistou respeito e admiração de todos e devemos nos orgulhar disso.” Luiz Carlos Bourguignon dos Santos, presidente da ABO/ES e delegado do Brasil na FDI


10

RETROSPECTIVA

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Seis anos de conquistas pa Nos últimos seis anos, a Odontologia brasileira deu um salto com avanços nos campos institucional, político, social e em educação continuada. Esses ganhos foram impulsionados também pela forte atuação, em vários níveis, da gestão 20042010 do Conselho Executivo Nacional (CEN) da ABO Nacional, e se refletem em benefícios para a própria entidade e toda a Rede ABO, para todos os cirurgiõesdentistas brasileiros e para a saúde bucal da população. Os profissionais ganharam uma representação mais forte no âmbito político, com a ABO acompanhando projetos de lei e outras discussões junto ao governo e outros órgãos para defender os direitos e interesses da categoria. O fortalecimento da educação continuada e dos congressos oficiais de toda a Rede e os acordos firmados com outras entidades do Brasil e do exterior também resultam em benefícios para todos os CDs brasileiros. No campo institucional, a Rede ABO cresceu e se expandiu ainda mais pelo País, e hoje está mais forte e unida, identificada por um só logotipo, assim como as Escolas de Educação Continuada das Seções e Regionais, que agora têm nova nomenclatura, UniABO, e logotipo único. A entidade também tem alcançado cada vez maior visibilidade e respeito, tanto em níveis nacional, junto ao governo e outras entidades e instituições, quanto internacional. Para a população, a atuação da ABO está voltada a defender a saúde bucal dentro do Ministério da Saúde, reivindicando mais atenção e mais recursos para esta área, assim como melhorias nos serviços oferecidos. A entidade também incentiva e apoia ações sociais voltadas a grupos carentes e luta contra medidas prejudiciais, como o projeto de lei que proíbe a fluoretação das águas de abastecimento público. Essas importantes conquistas foram buscadas, alcançadas e superadas conforme as metas propostas no início da gestão. Acompanhe nas próximas páginas.

Promovendo a saúde a partir da boca que o atendimento seja feito rapidamente. A proposta, formulada pela ABO Nacional e pela ABO Uberlândia, foi aprovada por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados. As entidades esportivas serão as responsáveis pelo serviço, que deve ser prestado por cirurgião-dentista.

T

odos os passos da ABO caminham para a mesma direção: a promoção da saúde, com a devida atenção à saúde bucal como fundamental para o bom funcionamento de todo o organismo, o bemestar do indivíduo e a saúde das populações.

O mundo contra a cárie - Foi com esse conceito que a ABO contribuiu para que o Brasil entrasse na história da Odontologia mundial ao sediar o lançamento da Iniciativa Global Anticárie, no último mês de julho. Desenvolvida pela Federação Dentária Internacional (FDI) em parceria com a ABO, a Associação Internacional de Pesquisa Odontológica (IADR) e a Federação Internacional de Educadores na área de Odontologia e Associações (IFDEA), a ação tem o objetivo de traçar estratégias para um mundo livre da cárie até 2020, através de ações coordenadas por uma aliança global que envolve pesquisa, educação, prática, saúde pública, indústria odontológica, sociedade civil e governos. O projeto foi lançado com a realização da Conferência Global Anticárie – Rio, durante o 19º Congresso Internacional de Odontologia do Rio de Janeiro (CIORJ). Na ocasião, Nigel Pitts, um dos mais importantes pesquisadores internacionais em Cariologia, minis-

trou curso promovido pela ABO Nacional complementado e ampliando temas também abordados na Conferência. Pitts, então presidente da conceituada Organização Europeia para Pesquisa em Cariologia (Orca) e membro da IADR e da Associação Europeia para Saúde Bucal Pública, abordou as evidências científicas sobre a carie, suas consequências e controle e o que há de consenso sobre isso, entre outros assuntos.

Brasil, exemplo para o mundo - A escolha do Brasil para sediar a primeira Conferência Global Anticárie não se deu à toa. É resultado do reconhecimento internacional de que desfruta a Odontologia brasileira (veja mais na pág. 12), representada nos maiores fóruns da saúde bucal mundial pela ABO, que faz ecoar pelo mundo os avanços aqui conquistados nos últimos anos. A entidade foi protagonista dos principais marcos desses avanços: o desenvolvimento da Política Nacional de Saúde Bucal, o Brasil Sorridente, e a realização do Levantamento das Condições de Saúde Bucal da População Brasileira, o SB-Brasil.

Solução definitiva - Ao mesmo tempo em que se posiciona como parceira do poder público no desenvolvimento de políticas pú-

blicas e ações em benefício do ideal de acesso irrestrito a serviços de saúde de qualidade, a ABO se une à sociedade civil organizada para exigir que novas posturas sejam tomadas. Foi assim que a Rede ABO se uniu a mais de mil manifestantes para protestar, em frente ao Palácio do Planalto e à luz de velas, ao anoitecer do dia 14 de julho de 2007, pela regulamentação da Emenda Constitucional 29, que obriga União, Estados e municípios a investir percentuais mínimos na saúde, organizando o repasse de verbas ao setor. Após a mobilização, o governo federal liberou R$ 2 bilhões para a saúde, e a EC 29 segue acumulando apoios e se fortalecendo no Congresso Nacional. Enquanto a EC 29 não é regulamentada, a ABO, junto a outras entidades odontológicas, disponibiliza cartilha aos milhares de prefeitos de municípios de todas as regiões do País com orientações sobre como utilizar os recursos públicos em saúde bucal.

De olho no Legislativo - Uma série de projetos de lei também têm sido acompanhados pela ABO no Congresso Nacional e em outras instâncias do Poder Legislativo – alguns deles, motivados pela própria entidade. É o caso do PL 2776/ 08, que tramita na Câmara dos

Deputados e torna obrigatória a inclusão de cirurgiões-dentistas nas equipes multidisciplinares das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), e o PL 488/08, em trâmite na Assembleia Legislativa de São Paulo, que trata do mesmo assunto. Em reunião com o Departamento Amib-ABO, parceria entre a ABO Nacional e a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo garantiu total apoio à proposta. Graças à atuação da parceria firmada entre ABO e Amib, o PL federal também tem acumulado importantes apoios. Além de parlamentares, também aderiram à proposta os profissionais representados pela Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva (Sobrati). Em seu site, a entidade destacou o tema Odontologia Intensiva e publicou matéria com informações sobre a necessidade de cuidar da saúde bucal do paciente crítico e os riscos que ele corre com a falta desse serviço.

Atendimento a atletas - Há poucos anos de o Brasil sediar, pela primeira vez, os Jogos Olímpicos, também tem ganhado força o PL 5.391/2005, que objetiva garantir aos atletas, profissionais ou não, cuidados especiais com sua saúde bucal, principalmente em caso de traumatismo dental, para

Defesa do flúor - Além de propor PLs que beneficiam a saúde bucal e integral, a ABO trabalha contra propostas que representam ameaça à população. Graças a essa atuação, foi arquivado o PL 297/ 2005, que previa o fim da adição do flúor em águas de abastecimento público. A entidade participa, ainda, de uma série de discussões sobre o assunto, como o 1º Fórum Regional Fluoretação das Águas de Abastecimento, realizado na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, pelo Comitê das Entidades de Classe da Odontologia (Ceco), do qual a ABO faz parte.

Saúde bucal como política de Estado

Para que a atenção pública à saúde bucal não se restrinja a iniciativas do legislativo, a ABO vinha reivindicando, ao longo dos últimos anos e em reuniões com o ministro da Saúde, José Gomes


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

11

RETROSPECTIVA

ra a Odontologia brasileira Temporão, e com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, mudança na estrutura do ministério para criação de espaço permanente para a Odontologia. Nos mais de 100 anos de história da Odontologia como profissão com formação superior no Brasil, nunca a área havia sido contemplada com uma diretoria ou mesmo uma condição que lhe desse mais autonomia no Ministério da Saúde. Nos mesmos encontros, o presidente da ABO enfatizou a importância de o Brasil Sorridente e as demais políticas públicas da área da saúde serem políticas de Estado, continuadas e aprimoradas ao longo do tempo, independente da gestão em que foram criadas. Tanto Temporão quanto Lula garantiram apoio às reivindicações. Recentemente, o presidente da República tornou pública a preocupação do governo em elaborar políticas com garantias de autonomia, e, no último mês de julho, foi instalada a Comissão Intersetorial de Saúde Bucal do Conselho Nacional de Saúde (Cisb-CNS). Formado por 26 membros especialistas no setor, o grupo vai discutir a aplicação das políticas públicas previstas na Política Nacional de Saúde Bucal, criada em 2004, e propor soluções para sua ampliação. A Cisb representa a oficia-

lização do espaço da saúde bucal no poder público federal, mas outros espaços de discussão de políticas públicas para a saúde já vinham sendo ocupados pela Diretoria da ABO Nacional, como as Conferências Nacionais de Saúde, instâncias com representação dos vários segmentos sociais que têm como objetivo avaliar e propor diretrizes para a formulação das políticas públicas da área nas três esferas de governo: nacional, estadual e municipal. A ABO também participou da 4ª Conferência Nacional de Saúde Indígena; Seminário Nacional de Controle Social nas Políticas de Saúde para as Mulheres; 3ª Conferência Nacional de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; 3ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador; 3ª Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família; 3º Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família; e 4º Seminário Internacional de Atenção Primária à Saúde, entre outros.

Prevenção e promoção- A defesa da saúde bucal e integral também é uma constante em ações de prevenção promovidas pela ABO. A entidade solicitou e publicou, no Jornal ABO Nacional, uma série de artigos científicos sobre flúor, de autoria dos pesquisado-

res Jaime Cury e Lívia Maria Andaló Tenuta, para atualizar e conscientizar os cirurgiões-dentistas de todo o Brasil sobre as bases científicas do uso do mineral. Além do JABO, também publicaram os artigos o ABO On-Line e Portal ABO. A ABO combate o tabaco em diversos flancos. Antecipando-se às legislações estaduais que baniram o uso de cigarro e derivados de tabaco em ambientes de uso coletivo – públicos ou privados –, a entidade decretou, em 2007, todos os seus ambientes (congressos, clínicas, salas de aula etc.), em todo o Brasil, 100% livres de fumaça de cigarro. A medida foi tomada em consonância com a Federação Dentária Internacional (FDI), que, em resolução oficial, enfatiza que “não há nenhum nível seguro de exposição ao ar contaminado por fumaça de tabaco”, chamando a atenção para a necessidade de se “promulgar leis sem exceções para proteger as pessoas dos perigos da fumaça do cigarro alheio”. As 321 unidades da ABO, espalhadas por todo o território nacional, também realizam em suas regiões campanhas de combate ao fumo e de prevenção e diagnóstico precoce do câncer bucal, destacando o tabaco como fator de risco. A ABO também orienta, constantemente, através de seus veícu-

los de comunicação, sobre prevenção de gripe A no consultório, dando informações atualizadas tendo como fontes a FDI, a OMS, a OSAP, o Ministério da Saúde e entidades de biossegurança. Uma das formas de prevenir o contágio pelo vírus H1N1 e importante medida de biossegurança na área da saúde, a lavagem das mãos também tem sido incentivada pela ABO, através de campanha encabeçada pela OMS, da qual a ABO participa oficialmente.

Só Sorriso - Junto à sociedade, a ABO tem participado de uma série de atividades que têm como objetivo o incentivo a ações de prevenção e a promoção da saúde bucal. No carnaval de 2005, para chamar a atenção na nação para a importância da higiene bucal, vários membros da Rede ABO participaram do desfile da Escola de Samba Viradouro, no Rio de Janeiro, que apresentou o enredo A Viradouro

é Só Sorriso. Cirurgiões-dentistas associados realizaram atendimento odontológico gratuito para os integrantes da escola. Diversas ações sociais têm sido realizadas e apoiadas pela ABO Nacional em todo o território nacional. Os projetos Um Sorriso pela Estrada e Um Piano pela Estrada contam com o apoio da entidade em seu trabalho de prevenção, que já beneficiou mais de 50 mil crianças em todas as regiões do País, incluindo as cidades mais longínquas e carentes. Em São Paulo, foi inaugurada, com apoio da ABO Nacional, a Clínica Multidisciplinar Beneficente Dr. Flávio Luce, na sede da Escola de Samba Unidos de Vila Maria, na Zona Norte da capital paulista. Os 12 cirurgiões-dentistas voluntários da ação contam com a melhor estrutura odontológica para atender crianças carentes da região todos os dias da semana (mais na pág. 16). A ABO também tem sido parceira da iniciativa privada na promoção da saúde bucal. A entidade apoia, entre outras ações, a Temporada Colgate de Saúde Bucal, evento promovido ao longo de todo mês de outubro com o objetivo de orientar a população sobre a importância dos cuidados com a higiene bucal (mais na pág. 22).

Em defesa do cirurgião-dentista Os

mais de 220 mil cirurgiões-dentistas brasileiros têm tido suas necessidades profissionais ecoadas nas mais diversas instâncias do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil pela atuação multidisciplinar da ABO, ampliada e fortalecida nos últimos anos.

são esses profissionais? Uma das ações mais recentes da ABO em prol do cirurgião-dentista pretende ajudar a responder a esta pergunta. Trata-se do envolvimento da entidade na formulação do Perfil Atual e Tendências do Cirurgião-dentista Brasileiro. Desenvolvido pelo Ministério da Saúde, o trabalho tem o objetivo de averiguar quantos profissionais atuam no País, como se distribuem geograficamente, quanto ganham e outras informações que vão ajudar a entender a Odontologia contemporânea e suas perspectivas. A ABO tem auxiliado no processo participando das reuniões do ministério e fornecendo informações sobre os cursos da entidade, que tem a maior rede de educação continuada odontológica do País.

Valorização profissional – E para garantir que esses profissionais possam desempenhar sua importante função social nas melhores condições, a ABO tem fundamentado e acompanhado uma série de projetos de lei no Congresso Nacional, em diversas comissões da Câmara e do Senado na sua vigilância. Graças a esse trabalho, o Projeto de Lei 3734/ 2008, que fixa o piso salarial de

cirurgiões-dentistas e médicos em R$ 7 mil por 20 horas semanais, foi aprovado pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados. Para que a proposta entre em vigor da forma mais adequada às necessidades dos cirurgiões-dentistas, já foram realizadas visitas ao autor e ao relator do projeto, em Brasília, assim como reuniões com entidades médicas, como o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Odontologia no SUS - Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 54% dos empregos do setor estão no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante disso, a ABO tem participado dos maiores fóruns de discussão da atuação profissional na saúde pública. A ausência de uma política de gestão de trabalho, a dificuldade de fixar profissionais em determinados municípios e a falta de isonomia salarial afetam diretamente a qualidade da prestação de serviços aos usuários. Para debater uma proposta para o funcionalismo público, a ABO representou a Odontologia brasileira no Seminário Nacional sobre Plano de Carreiras, Cargos e

Salários no SUS, em Brasília (DF). As discussões foram promovidas pelo Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde do Ministério da Saúde.

Por um CBHPO justo - A atuação de cirurgiões-dentistas em um dos mercados que mais lucram no País, o da saúde suplementar, também ganhou importante instrumento de valorização, o Código Brasileiro Hierarquizado de Procedimentos Odontológicos (CBHPO), documento que servirá para o cálculo dos valores cobrados por procedimentos odontológicos em todo o território nacional, facilitando a negociação com as operadoras de planos de saúde. A elaboração do CBHPO, finalizada no último mês de agosto, foi encabeçada pelas entidades que formam a Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) – entre elas, a ABO, uma de suas fundadoras, e executada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas de São Paulo (Fipe), da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Agora, a CNCC concentra suas forças para que o CBHPO seja transformado em lei.

Novos procedimentos - Em paralelo, a ABO tem participado de uma série de reuniões junto a outras entidades odontológicas, com técnicos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e representantes das operadoras de planos de saúde para tratar da proposta de unificação do Rol de Procedimentos Odontológicos com o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. A entidade participa ativamente da revisão do documento, influindo em seu formato, procedimentos, nomenclatura e compatibilização de tabelas. A ABO defende, ainda, a inclusão de 15 novos procedimentos odontológicos no conjunto de procedimentos que as operadoras são obrigadas a oferecer.

Territórios odontológicos – Não só a ampliação da atuação profissional do cirurgião-dentista tem sido defendida pela ABO. O espaço já conquistado é igualmente defendido, preocupação responsável pelo resguardo das atribuições do cirurgião-dentista no Ato Médico, como ficou conhecido o projeto de lei que regulamenta o exercício da Medicina. O Ato Médico causou polêmica por afetar direta ou indiretamente 14

profissões da Saúde, inclusive a de cirurgião-dentista. A aprovação do substitutivo que resguarda o exercício da Odontologia foi resultado de ampla negociação, da qual a ABO foi uma das protagonistas. As atividades odontológicas foram resguardadas pela inclusão do parágrafo 6º, que se refere às atribuições privativas dos médicos e diz que “o disposto neste artigo não se aplica ao exercício da Odontologia, no âmbito de sua área de atuação”. Outros projetos de lei que afetam diretamente a atuação profissional do cirurgião-dentista têm sido acompanhados pela ABO, através de reuniões no Congresso Nacional e nos ministérios da Saúde, do Trabalho e do Planejamento, Orçamento e Gestão, entre outros, como o PL 422/ 07, que fortalece a especialidade da Odontologia do Trabalho, tornando obrigatória a realização de exames odontológicos periódicos pelo empregador; e o PL 3653/ 1997, que regulamenta as perícias oficiais de natureza criminal e inclui o perito odontolegista, entre outros cargos. A lei já em vigor também não escapa do olhar vigilante da ABO. Junto à Federação Interestadual dos

O CD brasileiro – Mas quem


12 ▼

RETROSPECTIVA

Odontologistas (FIO) e ao Conselho Federal de Odontologia (CFO), a entidade propõe o fim da necessidade de perícia médica em licenças para tratamento odontológico emitidos por cirurgiões-dentistas a servidores públicos estatutários. A proposta das três entidades odontológicas prevê a alteração da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, que trata do regime jurídico dos servidores públicos civis da União e das autarquias e fundações públicas, e que determina, em seus artigos 202 e 203, que a perícia para fins de concessão de licença para tratamento de saúde seja realizada por um médico ou junta médica. A iniciativa defendida pela ABO tem como base a Lei 5.081/ 66, que regulamenta a profissão de cirurgião-dentista e que, em seu art. 6º, confere poderes ao profissional para emitir atestados para justificação de faltas ao emprego para tratamentos odontológicos.

Não à proficiência - A ABO também tem se posicionado contra o exame de proficiência para recém-formados em Odontologia. A posição foi definida pelo Conselho Deliberativo Nacional (CDN), que entende que o exame é capaz de avaliar apenas o conhecimento teórico do graduado, não abrangendo sua habilidade e destreza numa situação real.

SB, trabalho de equipe - Os cirurgiões-dentistas não são os únicos profissionais dos quais a ABO se ocupa. A força política da entidade teve participação efetiva na sanção da Lei 11.889, que regulamentou o exercício das profissões de Auxiliar em Saúde Bucal (ASB) e de Técnico em Saúde Bucal (TSB) em todo o País. A atuação da entidade foi reconhecida em artigo do cirurgião-dentista sanitarista e doutor em Saúde Pública Paulo Capel Narvai, professor titular da Universidade de São Paulo (USP).

Ciência sem territórios - A atuação da ABO em prol do cirurgião-dentista se estende à sua qualidade técnico-científica, através do controle da sua formação (veja mais na pág.14) e de parcerias com a iniciativa privada. Como a que levou ao desenvolvimento dos programas de atualização odontológica a distância Pro-Odonto, fruto de parceria entre a ABO Nacional e a Artmed Panamericana Editora. O Pro-Odonto integra o Sistema de Educação em Saúde Continuada a Distância (Sescad) e oferece cursos em Implantodontia, Estética, Cirurgia, Prevenção e Ortodontia, com uma série de recursos on-line e multimídia, como o eLearning, que oferece portal exclusivo para cada programa e traz, entre outros recursos, biblioteca virtual e vasto clipping de saúde.

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Ações políticas pela ABO, Em

suas duas gestões, a atual diretoria da ABO Nacional vem realizando trabalho voltado a unir todas as suas Seções e Regionais, tornando a ABO a entidade de maior capilaridade do Brasil. Esta ação também objetiva o fortalecimento político e institucional da ABO como um todo, dentro e fora do Brasil. O esforço empregado nestes anos está rendendo bons frutos para a entidade e a Odontologia brasileira de forma geral, que agora têm maior visibilidade, reconhecimento e respeito, e para todos os cirurgiões-dentistas do País, como vantagens em eventos científicos e educação continuada, além de uma forte representação e defesa da classe.

gresso Internacional de Odontologia da ABO/SP e o Encontro Institucional de Profissões da Área da Saúde (Eipas), que debateu, entre outros temas, Odontologia Sistêmica – Estratégias das Áreas Médica, Odontológica e Hospitalar para Conscientizar a População. Recentemente a ABO Nacional renovou esta parceria para os próximos cinco anos.

Uma Rede ABO mais forte - Logo após a posse da primeira gestão da diretoria, em janeiro de 2004, foi definido e aprovado planejamento estratégico para delinear todas as ações da entidade e torná-las mais efetivas no cumprimento das metas estabelecidas. Uma das ações dentro deste plano foi o levantamento completo das Seções e Regionais da ABO em todo o País, que, unificadas sob o conceito e termo Rede ABO, passaram a ser identificadas por uma só logomarca. O crescimento da Rede também foi incentivado e novas Regionais vêm surgindo, saindo de 308 para 321 células hoje, além de 85 Escolas de Educação Continuada. Estas informações, colocadas em folder e em apresentação institucional, mostram a extensão da Rede ABO pelo Brasil e sua atuação política, social e em educação continuada e atualização profissional. Este material é distribuído e apresentado em diversos eventos e encontros nacionais e internacionais e em visitas a deputados, senadores, ministros, entre outras autoridades. A ABO Nacional também integra toda a Rede em importantes iniciativas. Em campanha contra o tabaco em todo o País, que tem grande aceitação, são distribuídos cartazes e selos a todas as 321 células e incentivado que proibiam o fumo em suas dependências. As empresas e produtos do setor odontológico sem registro na Anvisa também foram alvo de movimento que orientou toda a Rede ABO a não permitir a participação de fabricantes nesta situação em seus congressos, assim como denunciá-los às autoridades. Dando continuidade à estratégia de unificação, a Rede hoje conta com dois logotipos para identificar e estimular ações de Seções e Regionais: o de Responsabilidade Social e o de Responsabilidade Ambiental.

Odontologia na Saúde - Com o objetivo de também dar maior visibilidade à Odontologia e ao CD e integrá-los melhor ao setor saúde em geral, a ABO Nacional e a ABO São Paulo firmaram, em 2005, parceria com a Hospitalar, maior feira do setor da América Latina. Assim, foram realizados anualmente junto ao evento o Con-

Brånemark - A Rede ABO também esteve presente na comemoração, no Brasil, dos 40 anos de descobrimento da Osseointegração, em 2005, e entregou ao descobridor da técnica, o pesquisador sueco Per-Ingvar Brånemark, mundialmente reconhecido pela Odontologia, a Medalha Pedro Martinelli, honraria da entidade.

Entidade cidadã e atuante Ao mesmo tempo, foi intensificada a atuação política da entidade e o contato junto ao governo e a parlamentares para debater questões defendidas pela Odontologia, com participação ativa em órgãos e grupos em que são debatidas e tomadas decisões sobre temas importantes para a saúde no País. Nestes contextos, assumindo um caráter de entidade cidadã e atuante, a ABO sempre busca defender os interesses dos cirurgiões-dentistas, a Odontologia brasileira e a saúde bucal da população.

Voz no CNS - Assim, pela primeira vez a entidade tem representantes em diferentes comissões do Conselho Nacional de Saúde (CNS), importante órgão de controle social, que reúne diversos segmentos da sociedade, ao lado do governo, para definir e acompanhar as políticas públicas em saúde. No CNS, a entidade, junto com o Conselho Federal de Odontologia (CFO) e a Federação Interestadual dos Odontologistas (FIO), criou a Comissão de Saúde Bucal, uma grande conquista para a Odontologia. Dentro desta mesma atuação política, a ABO é presença constante em eventos e reuniões como a Conferência Nacional de Saúde, em que esteve na comissão organizadora; Simpósio sobre Política Nacional de Saúde; Grupo de Estudos sobre a Força de Trabalho em Saúde no Brasil; Caravana em Defesa do SUS. Nesta última, a ABO Nacional está articulada com a Rede ABO, disponibilizando material com o logo da entidade, para que as Seções participem das reuniões da Caravana em seus Estados, entre outras medidas.

Com a Anvisa - A ABO Nacional também está mais próxima da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e participou, por

exemplo, da revisão técnica do Manual de Prevenção e Controle de Risco em Serviços Odontológicos, do Comitê Técnico Assessor para Uso Racional de Antimicrobianos em Resistência Microbiana (Curarem) e da Câmara Setorial de Cosméticos.

Trabalho em várias frentes - A ABO Nacional tem hoje também uma atuação mais diversificada em várias áreas, identificando lacunas em que é preciso posicionar a Odontologia brasileira, para defender e trazer benefícios para o cirurgião-dentista e a saúde bucal da população. Uma das primeiras ações da entidade neste sentido – muito bem-sucedida, por sinal – foi a ação junto ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), em 2005, contra propaganda para a TV da Coca-Cola que mostrava uma jovem abrindo a garrafa do refrigerante com os dentes. Em ofício enviado ao órgão, a entidade explicou os sérios danos que esse movimento pode causar à saúde bucal e que o comercial poderia estimular os telespectadores, especialmente crianças, a fazer igual. O Conar atendeu o pedido, suspendeu a propaganda e a Coca-Cola a retirou do ar. A notícia foi divulgada pela assessoria de imprensa da ABO e teve muita repercussão na grande imprensa. Cerca de dois anos depois, a ABO Nacional voltou a acionar o Conar pedindo providências em relação às propagandas do Gel Clareador Extra White, que não mencionavam a importância do acompanhamento do CD no processo e ainda anunciavam que o produto tem “as mesmas características do clareamento profissional”. Atualmente, o processo está em andamento no Conar, que elogiou a iniciativa, e o Departamento Jurídico da ABO tem acompanhado o caso de perto. O Conar deverá se expressar oficialmente em breve.

Defesa do CD e do cidadão E a atuação política da ABO está além dos temas exclusivamente de saúde, chegando a questões que interferem na profissão do CD de alguma forma e na sociedade em geral. Assim, a entidade foi uma das primeiras a compor o Fórum Permanente em Defesa do Empreendedor, movimento que luta contra a pesada carga tributária imposta ao profissional brasileiro. As mais de 1.800 entidades da sociedade civil unidas no Fórum pressionam o governo e participam ativamente de vitórias

importantes, como a derrubada das Medidas Provisórias 232 e 275, que aumentavam a carga tributária paga pelos prestadores de serviços e das microempresas e as de pequeno porte, e da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). E, agora, continua a movimentação contrária à criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS), considerada a volta da CPMF. Dentro do Fórum do Empreendedor, a ABO também participou da luta e da vitória contra o aumenta do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) na cidade de São Paulo. Nestas outras frentes de atuação, a entidade esteve, ainda, na audiência pública promovida pelo Ministério Público para debater a corrupção eleitoral.

Visibilidade além das fronteiras Conforme definido no planejamento estratégico elaborado e aprovado pelo Conselho Deliberativo Nacional (CDN) da ABO, a entidade vem realizando um importante trabalho em nível internacional. O objetivo – alcançado e superado - é elevar a ABO e a Odontologia brasileira no cenário mundial, aumentando sua visibilidade e reconhecimento e atraindo os olhos de todos para o País, além de trazer benefícios para todos os CDs brasileiros. Um dos pontos principais desta atuação foi a consolidação do Brasil, representado pela ABO, como membro regular da Federação Dentária Internacional (FDI), com a maior delegação (13 delegados) e com direito a voz, a voto e a ser votado nas Assembleias Gerais da entidade. Um grande avanço para um País que antes contava apenas com três delegados e não representava uma força política importante na FDI. Com isto, estão ganhando também todos os CDs brasileiros, associados ou não à ABO, pois se estendem a eles os benefícios da afiliação à entidade internacional, entre eles o de participar dos Congressos Anuais da FDI pagando preços especiais. Mais vantagens para os CDs do País foram conseguidas pelo acordo de cooperação com a American Dental Association (ADA), que oferece desconto na inscrição para o congresso e na


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

RETROSPECTIVA

13

pelo CD e pela saúde bucal

Espírito Santo e Minas Gerais, e ainda declarou que gostaria de ver um congresso mundial da FDI acontecer no Brasil.

Brasil, palco internacional - Depois de escolhida Salvador para sediar o evento internacional, a ABO recebeu na capital baiana

comitiva da FDI, inclusive com o então presidente, o canadense Burton Conrod. Na ocasião, foi feita reunião com representantes do governo da Bahia, que confirmou apoio na realização do congresso de 2010. Também Conrod reforçou que a ABO é a maior entidade da FDI e líder em educação.

Buscando a integração regional no âmbito da América do Sul, a ABO Nacional ainda participou da criação e ainda atua no Fórum Permanente Mercosul para o Trabalho em Saúde, ligado ao Ministério da Saúde e que tem o objetivo de harmonizar as legislações dos Estados participantes quanto aos bens, serviços, matérias-primas e produtos da área da saúde, entre outros. Junto com a Confederação Odontológica da República Argentina (Cora), a Associação Odontológica Uruguaia e a Federação Odontológica do Paraguai, a entidade realizou as duas primeiras edições, em 2006 e 2008, do Congresso Odontológico do Mercosul.

assinatura da publicação da entidade, JADA. A ABO também tem acordos e parcerias com associações e instituições de outros países, como Bulgária, Portugal, Coréia, Japão, Estados Unidos e Moçambique, o que dá maior visibilidade mundial à Rede e possibilita cursos, eventos e intercâmbio de profissionais e de informações. Outra grande e inédita conquista foi a escolha de um brasileiro, o CD Roberto Vianna, como presidente da FDI – o primeiro latinoamericano eleito para o cargo em 109 anos da entidade internacional. Vianna, que é assessor internacional da ABO Nacional, foi escolhido em 2007, tendo ficado dois anos no cargo de presidente eleito, até que no último Congresso da FDI, em setembro deste ano, em Cingapura, ele assumiu a presidência da entidade máxima da Odontologia mundial, que reúne cerca de 1 milhão de cirurgiõesdentistas em todo o mundo. O Brasil ocupou outros importantes espaços na FDI, no Conselho da entidade, vaga para qual o presidente da ABO Nacional, Norberto Lubiana, foi reeleito, e na Comissão de Ciências; e na Federação Odontológica Latino-americana, que reúne 21 países do continente e na qual o dirigente da ABO é diretor-executivo. A credibilidade e força do Brasil, e consequentemente da ABO, no cenário internacional da Odontologia também estão comprovadas com a escolha de Salvador, capital da Bahia, para sediar o Congresso Anual da FDI em setembro de 2010. O evento é o maior da Odontologia no mundo e reúne programação científica de alto nível, reuniões institucionais e políticas em torno da profissão e da saúde bucal e exposição comercial com grandes empresas nacionais e internacionais do setor. Será uma grande oportunidade para os profissionais e para os negócios brasileiros e da América Latina. Antes mesmo destas conquistas da Odontologia brasileira, a crescente importância do País na FDI ficou clara pelas visitas, a convite da ABO, de vários presidentes da entidade internacional. O coreano Heung-Leung Yoon veio ao Brasil em 2004 e conheceu as Seções ABO do Distrito Federal e Rio Grande do Sul e, junto com dirigentes da entidade, realizou audiência com o ministro da Saúde na época, Humberto Costa. Na visita, Yoon declarou que a ABO é a maior rede de educação continuada em Odontologia do mundo. Em 2006, a presidente da FDI Michèle Aerden, da Bélgica, visitou o País duas vezes, recebida pela ABO. A dirigente conheceu as Seções ABO do Rio de Janeiro,

A atuação internacional da ABO Nacional também trouxe ao Rio de Janeiro, em julho de 2009, a Rio Caries Conference, realizada em parceria pela entidade e FDI e que lançou a Iniciativa Global Anticárie. O projeto tem o objetivo de traçar estratégias para um mundo livre da doença cárie até 2020, por meio de uma aliança global que envolve pesquisa, educação, saúde pública, indústria, sociedade e governos. A Iniciativa é promovida pela FDI, International Association for Dental Research (IADR), International Federation of Dental Educators and Associations (IFDEA) e tem o apoio da ABO Nacional.


14

RETROSPECTIVA Falando com a população

Imprensa: ABO na mídia em 25,4 dias por mês A visibilidade da ABO nos meios de comunicação praticamente dobrou neste ano, em relação a 2005. A imprensa procura por dados da ABO diariamente, seja para entrevistas, levantamento de informações ou para servir de refe-

rência a todos os assuntos que dizem respeito à Odontologia, e os publica com frequência de mais de 25 dias/mês . Há um ano, foi feito levantamento semelhante para aferir a divulgação da entidade no período 2005-2008, apontando

Janeiro a setembro de 2009

como resultado que a mídia nacional citava a ABO, em média, 15 vezes/mês Já nos 9 meses deste ano (janeiro a setembro de 2009), este número chega a 229 notícias, ou seja, em 25,4 dias de cada mês a entidade é fonte para jornalistas.

Período 2005 a 2008

Total geral (2005-2009)

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Base para a Odontologia crescer brasileira cresceu 17% em 10 anos, o número de cirurgiões-dentistas em atividade aumentou 82%.

Informação da ABO para o CD - A atualização e o aperfeiçoa-

Média/mês

Total

Média/mês

Total

4

36

90

126

Atendimento à imprensa

35

315*

1.680

1.995

Entrevistas

20

180**

960

1.140

mento dos profissionais nas Escolas de Educação Continuada da Rede ABO, a maior do mundo em Odontologia, também estiveram na pauta das ações da atual diretoria da ABO Nacional. Os interesses diretos da Rede foram defendidos em diversas audiências realizadas no Ministério da Educação, para reivindicar mais espaço para os cursos das ABOs.

31 notícias

75 notícias

91 notícias

UniABO, a maior rede - E

Releases

Notícias publicadas em Rádios e TVs Agência Radioweb

16 notícias, passadas 37 notícias, passadas 45 notícias,passadas a 300 emissoras = a 300 emissoras = a 300 emissoras = 4.800 notícias 22.500 notícias 27.300 notícias

Notícias publicadas em jornais/revistas/ sites/Radíos/TVs

25,4

229**

590

819

Ao

*Do atendimento constam: Pedidos de dados e pesquisas para complemento de reportagens Marcação de entrevistas com fontes da ABO ● Atendimento a pautas de jornais, revistas e telejornais, que exigem fontes e personagens e locais para gravação, no caso de TVs ● Solicitação de vídeos e materiais ilustrativos para as reportagens ● Pedidos de envio de fotos referentes (imprensa e ABOs) ● Declarações/posições/artigos (imprensa e ABOs) ● Atendimento a pedidos de outras entidades, como CFO e demais do setor ● Atendimento a aprofundamento de releases distribuídos ● ●

**Estes números se referem ao clipping de notícias a que se tem acesso, que não é tudo o que se publica no Brasil, em todas as mídias.

Falando com o CD

3,3 mil páginas de informação Os cirurgiões-dentistas brasileiros receberam informações preparadas especialmente para eles pela ABO Nacional, distribuídas por diversos meios, no período 2004-2009. No total, notícias de interesse da profissão, da Odontologia, de caráter informativo e científico foram impressas em 3.360

páginas nas publicações ABO. Destas, 1.356 destinaram-se a artigos científicos que retrataram parte da produção brasileira no campo odontológico. Portal ABO: Abrindo um canal direto com os CDs, o Portal ABO mantém atualizados conteúdos de interesse e disponibiliza o

JABO e a Revista ABO Nacional, ambos on-line, para leitura e consultas de todos os internautas. On-line: Ferramenta ágil, leva informações privilegiadas a 143 mil CDs. Até setembro, foram 168 boletins eletrônicos distribuídos, perfazendo o envio de 24 milhões de e-mails à classe odontológica.

Publicações ABO período 2004-2009 Veículo

Edições

Páginas

JABO

36

864

Revista ABO Nacional

36

2.304

Suplemento Revista ABO

1

24

Jabo Especial (inglês/espanhol)

8

96

Jabo Colgate

6

72

3.360

Total Revista ABO Nacional 2004-2009

Artigos científicos

Páginas

36 edições + 1 suplemento

1.356

ABO On-line: 168 boletins, enviados a 143 mil e-mails. Total de 24 milhôes de e-mails

defender a Odontologia brasileira, a ABO automaticamente se preocupa com o ensino e a formação do profissional, e tem lutado por isso junto ao governo e com ações voltadas diretamente aos cirurgiõesdentistas e acadêmicos. No nível político, a entidade divulgou, em março deste ano, Carta Aberta em que se manifesta publicamente sobre temas que considera relevantes em saúde e educação. Um dos pontos principais do documento são as medidas apresentadas em defesa da melhoria da formação odontológica, como o maior controle sobre as vagas e cursos de Odontologia abertos indiscriminadamente e o fechamento das faculdades precárias. O objetivo é conscientizar e exigir do poder público e das instituições de ensino suas responsabilidades.

Com o presidente da Câmara Federal - A carta foi entregue e lida para deputados federais e senadores com que a ABO Nacional se reuniu em Brasília, inclusive para o presidente da Câmara Federal, Michel Temer. O problema e o documento foram apresentados ainda em reunião com a diretora do Departamento de Gestão da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Ana Estela Haddad.

Com o ministro da Educação - Dirigentes da entidade também foram recebidos pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, que garantiu à ABO que ainda neste ano os cursos com conceito baixo seriam fiscalizados, para que fossem tomadas providências. Para elucidar a questão das vagas e cursos que têm sido abertos indiscriminadamente, a entidade ainda mostrou ao ministro dados que indicam que, enquanto a população

para dar mais força e união à Rede, foi criada, pelos Conselhos Executivo Nacional e Deliberativo Nacional da ABO (CEN e CDN) e diretores das escolas, a nova nomenclatura para as Escolas de Aperfeiçoamento Profissional (EAPs), que passaram a se chamar UniABO – Escola de Educação Continuada, com novo e único logotipo para identificá-la em todo o Brasil. O novo nome em defesa da unidade de todas as escolas, além de fazer parte de um esforço conjunto pela padronização dos procedimentos do sistema de educação continuada da entidade.

Cresce público dos congressos - A ABO também contribui para a atualização dos cirurgiões-dentistas, acadêmicos e profissionais auxiliares através dos seus congressos oficiais, realizados anualmente em diversas regiões do País e que levam informação científica e clínica atualizada aos participantes. Todos os eventos da Rede passaram a integrar o Calendário Oficial e têm recebido apoio da ABO Nacional em sua realização e divulgação. Dados levantados no período 2007 e 2008, apontou crescimento de 20% de público presente nesses eventos. A contribuição na atualização do profissional é dada também pelas informações divulgadas nos veículos de comunicação da ABO Nacional. Nos últimos seis anos, foram publicadas na Revista ABO Nacional 2.304 páginas de artigos científicos, além de outros artigos assinados e reportagens sobre pesquisa e clínica odontológica no Jornal e Portal ABO e no boletim ABO Online. A revista, inclusive, adotou em 2006 as normas estilo Vancouver, oferecendo aos autores e leitores o que há de mais recente nas tendências de publicações em saúde (veja mais na página ao lado) Os estudantes de Odontologia também foram contemplados através do Jornal ABO/Programa Futuro Profissional, criado e desenvolvido em parceria com a Colgate no início de 2008 e distribuído gratuitamente para mais de 30 mil acadêmicos de todo o Brasil. A publicação está em sua sexta edição e criou um canal de comunicação direto entre entidade e acadêmicos (detalhes na página ao lado).


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

15

PROFISSÃO

ANS submete novo rol a consulta pública Esteve em consulta pública, entre os dias 8 de setembro e 8 de outubro últimos, o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que reúne a cobertura mínima obrigatória para planos de saúde. Entre as mudanças submetidas à opinião pública está a unificação das tabelas do rol médico e do rol odontológico, defendida pela ABO Nacional. Durante os 30 dias, usuários puderam opinar, também, sobre a revogação dos antigos normativos sobre saúde mental, planejamento familiar e transplantes. Em relação às novas coberturas, destacam-se a inclusão da prótese dentária unitária (coroa e bloco), do marcapasso multissítio, do pet-scan oncológico, do transplante alogênico de medula óssea, e das cirurgias torácicas por vídeo, além da ampliação do número de consultas de Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Psicologia/Psicoterapia e Nutrição, de acordo com as necessidades do paciente e confor-

Comissão da Câmara aprova PL de Odontologia Desportiva

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou por unanimidade, em setembro último, o parecer favorável ao Projeto de Lei 5391/2005, que contempla a Odontologia Desportiva ao tratar da atenção em saúde bucal dos atletas. O PL, idealizado pela ABO e proposto pelo deputado Gilmar Machado (PT-MG), tem o objetivo de garantir aos atletas, profissionais ou não, cuidados especiais com sua saúde bucal, principalmente em caso de traumatismo dental, para que o atendimento seja feito rapidamente. Segundo a proposta, as entidades esportivas são as responsáveis pelo serviço, que deve ser prestado por um CD. Mais informações sobre o PL 5391/2005: www.camara.gov.br, em Projetos de Lei e Outras Proposições

me discriminado no anexo II da nova Resolução Normativa. Histórico A atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde faz parte de um processo contínuo e periódico realizado pela ANS. No dia 2 de abril de 2008, entrou em vigor a última atualização (RN 167). A partir de então, a relação de procedimentos obrigatórios passou a contar com 2.973 itens e incluiu algumas novas tecnologias, como o Yag Laser (para cirurgia de catarata), procedimentos para anticoncepção (DIU, vasectomia

e ligadura tubária) e procedimentos cirúrgicos e invasivos, além de exames laboratoriais. Também foi incorporado o atendimento multidiscipli-

nar, com a inclusão da cobertura ambulatorial a atendimentos de Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Nutrição e Psicoterapia, além de pro-

cedimentos de promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças, como a mamografia digital, e de procedimentos contraceptivos. No início de 2009, criou-se um grupo técnico com a participação de representantes de todos os atores que compõem o setor de saúde suplementar – entre eles, a ABO. Foram realizados sete encontros ao longo do ano com o objetivo de debater as propostas de mudanças para a atualização do rol. Mais informações: www.ans. gov.br, em Transparência/Consultas Públicas


16

PROFISSÃO Dia do Cirurgião-dentista

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

CDs são exemplo de compromisso social e com a saúde O cirurgião-dentista é uma profissão crucial para promover entre a população saúde e bem-estar, e, consequentemente, qualidade de vida, autoestima e alegria. Porém,

esse importante serviço não chega de forma de satisfatória, ou nem sequer chega, às pessoas. Por isso, neste Dia do Cirurgião-dentista, a ABO presta uma homenagem aos profissionais que dedicam parte de seu tempo e do seu conhecimento para ajudar a diminuir essa carência. A ABO, como parte de sua missão, tem forte atuação social, seja por meio de sua Rede e da

UniABO - Escolas de Educação Continuada, seja por ações específicas que levam seu selo de Responsabilidade Social. Para a entidade, responsabilidade social é uma questão de cidadania, da qual ela não pode se furtar. No entanto, este seu papel não poderia ser cumprido sem o apoio e a colaboração de cirurgiões-dentistas comprometidos e conscientes da importância

sultórios odontológicos, em 85 pontos do País, nos quais acontecem aulas práticas para cirurgiões-

dentistas e, ao mesmo tempo, o atendimento gratuito ou subsidiado à população, supervisionado por mais de 4 mil professores. A Rede ABO é formada por 321 células, entre 27 Seções e 294 Regionais, cobrindo todas as regiões brasileiras e conhecida mundialmente como a maior rede de capacitação profissional em Odontologia.

Ensino e atenção bucal à população A UniABO – Escolas de Educação Continuada é o mais forte exemplo do trabalho da Rede ABO. A ela estão vinculados 1.500 con-

1/4 dos habitantes recebe atenção Na cidade de Araçoiaba, interior do Pernambuco, o Centro Odontológico da ABO ajudou a elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) brasileiro. Por meio de parceria com a Federação Dentária Internacional (FDI) e as empresas Unilever e Odontoprev, a população local registrou queda de 6% na taxa de mortalidade infantil graças à atenção à saúde e à saúde bucal que vem sendo prestada nos três consultórios do Centro. As atividades já beneficiaram cerca de 4 mil crianças e adolescentes - 1/4 da população - com atendimento gratuito e pessoas de todas as idades com ações de prevenção e promoção de saúde bucal. O projeto tem também o apoio da ABO Pernambuco.

Araçoiaba tem 17 mil habitantes e, segundo levantamentos da Datamétrica, o terceiro pior IDH entre os municípios brasileiros: 0,637 – realidade que motivou a instalação Projeto Mais Vida, do qual o Centro Odontológico da ABO faz parte, na região. Após a identificação das necessidades locais, foi implantado, com base no envolvimento comunitário, melhorias nas áreas de educação, saúde e desenvolvimento econômico. O projeto começou em janeiro de 2005, e, em menos de três anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice de analfabetismo da cidade caiu pela metade, e a taxa de mortalidade infantil foi reduzida em 6%.

O Centro Odontológico mantido pela ABO, que leva o selo de Responsabilidade Social da entidade, pretende avaliar odontologicamente toda a população de Araçoiaba. Os trabalhos começaram em 2007, quando 6.962 pacientes foram atendidos. Ao longo do ano, foram realizados 22.150 procedimentos ambulatoriais e 13.810 procedimentos coletivos. Em paralelo, são realizadas campanhas de promoção da saúde bucal, conscientizando a população sobre a importância dos hábitos de escovar os dentes e de manter higiene bucal constante, além de distribuição de kits com escovas e pastas de dente. Segundo a ABO Nacional, novos consultórios devem ser construídos pela entidade em Araçoiaba.

Saúde bucal para 2 mil crianças Crianças de 13 instituições filantrópicas do Distrito Federal vêm sendo beneficiadas por acompanhamento odontológico gratuito através do ABO na Comunidade, projeto social mantido pela ABO/ DF há dois anos. A ação tem duas mil crianças cadastradas, que se beneficiam, além dos atendimentos contínuos, de atividades educativas, como palestras, exibição de filmes, orientações de higiene bucal e escovação supervisionada, aplicação de flúor etc. Em parceria com a Caravana da Fra-

ternidade, ação social da comunidade espírita brasileira, o ABO na Comunidade também auxilia na alfabetização das crianças e dos adolescentes participantes.

O trabalho de assistência odontológica da iniciativa é dividido em duas fases. Na primeira, cirurgiõesdentistas voluntários vão às instituições levando informações às crianças sobre como manter a saúde bucal e fazendo triagem dos casos que mais precisam de atendimento. Em seguida, as crianças selecionadas recebem tratamento odontológico gratuito até o fim do ano no consultório da ABO/DF, em Brasília. Cada uma das 13 instituições beneficiadas recebe, no mínimo, duas visitas anuais do projeto.

da Odontologia para o País. Desta forma, nesta edição são apresentadas ações sociais em diferentes pontos do Brasil, realiza-

das pela Rede ABO, que provocam transformações ao levar mais atenção e saúde bucal à população. Novas ações, no próximo JABO.

12 CDs na Clínica do Projeto Um Caso de Amor O Selo de Responsabilidade Social foi lançado em 2007 na inauguração de clínica multidisciplinar beneficente na quadra da Escola de Samba Unidos de Vila Maria, na cidade de São Paulo. A iniciativa, parceria da ABO Nacional, Instituto Pedro Martinelli-Pró/Odontologia (IPM) e com apoio da iniciativa privada, integra as ações do Projeto Social Vila Maria – Um Caso de Amor, mantido pela escola de samba há nove anos e que já beneficiou mais de 30 mil pessoas da comunidade. O consultório da Clínica Multidisciplinar Prof. Flávio Luce atende, com 12 cirurgiões-dentistas voluntários e de forma permanen-

te, crianças e adolescentes da comunidade. Nele já foram realizadas 4.430 consultas, foram finalizados mil tratamentos e feitos 1.600 exames clínicos. Por semana são atendidos 16 pacientes com necessidades especiais.

Sorriso de Criança atende mais de 7 mil Mais de sete mil crianças de escolas públicas de Medianeira (PR) passaram por atendimento odontológico gratuito nos últimos três anos graças a parceria firmada entre cirurgiões-dentistas voluntários, coordenados pela Regional Medianeira da ABO Paraná, e o Lions Clube Medianeira Parque Iguaçu. A iniciativa é intitulada Sorriso de Criança e é mais uma que compõe o conjunto de ações de Responsabilidade Social da Rede ABO. No último semestre, foi encerrada a sétima etapa da ação, que consiste em palestras educativas, aulas de escovação supervisionada por cirurgiões-dentistas e entrega de kits

de higiene bucal, contendo creme, escova e fio dental, disponibilizados pela Cooperativa Agroindustrial Lar e seus fornecedores. Os voluntários também realizam, periodicamente, pesquisa de índice de cárie entre as crianças das escolas beneficiadas pela ação, usando as informações coletadas para avaliar os resultados obtidos e fornecimento de dados para políticas públicas em saúde bucal. Alémdebeneficiarascriançasatendidas, o Sorriso de Criança vem inspirando outras entidades do município, como a Ordem Internacional das Filhas de Jô. As adolescentes da entidade religiosa são voluntárias da ação, colaborando na realização das atividades.

idade como candidatos ao Programa Primeiro Emprego e, em uma lan house montada no local, foram sele-

cionados jovens interessados em participar de curso de computação, que será levado em breve à comunidade.

Prevenção e cidadania Iniciativa conjunta da ABO Ceará e do Rotary Internacional resultou em mais de dois mil atendimentos nas áreas social, de saúde e de cidadania a pessoas carentes do interior do Ceará, em 2009. Por meio da Ação Cívico Social (Aciso), a comunidade de São Chico, na fronteira com o Rio Grande do Norte, recebeu a visita de mais de 150 voluntários, profissionais de diversas áreas. A ABO Ceará, responsável pe-

los serviços de saúde, levou à localidade 12 cirurgiões-dentistas e 11 estudantes de Odontologia, além de profissionais das áreas de Clínica Geral, Oftalmologia, Traumatologia e prevenção ginecológica. As equipes realizaram 216 extrações dentárias, atendimento médico e prevenção ginecológica a mais de 200 pessoas, além da realização de bochechos com flúor em mais de 500 crianças. A elas também foram da-

das orientações sobre a correta escovação dos dentes, em escovódromo especialmente montado para a ocasião. A ação contou, ainda, com exibição de filmes infantis sobre prevenção em saúde bucal e distribuição de 600 kits de higiene oral – incluindo 600 amostras de pastas de dente para adultos. A Secretaria de Ação Social do Estado do Ceará participou cadastrando jovens de 16 a 21 anos de


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

17

PROFISSÃO

Congresso da Amib aborda Odontologia nas UTIs A Odontologia será um dos destaques do XIV Congresso Brasileiro de Medicina Intensiva (CBMI), promovido pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) entre os próximos dias 11 e 14 de novembro, no Anhembi, em São Paulo (SP). Um simpósio dedicado exclusivamente à discussão da atenção à saúde bucal nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) acontece ao longo de todo o dia 14, reunindo profissionais que trabalham a temática tanto na teoria quanto na prática. As discussões começam com a mesa redonda “Por que cuidados bucais na UTI?”, mediada pela cirurgiã-dentista Teresa Marcia Nascimento de Moraes, presidente do Departamento Amib-ABO de Odontologia, criado pelas duas entidades Informe-se

ABO/MG realiza 9º Meeting Internacional de Estética A capital mineira, Belo Horizonte, sedia, entre os próximos dias 12 e 14 de novembro, o 9º Meeting Internacional de Estética da ABO/ MG. Interessados em participar ainda podem se inscrever no site do evento, acessado a partir do site da ABO/MG (www.abomg.org.br). Dois especialistas internacionais integram a programação científica: o inglês James Goolnik, à frente da palestra “Divirta-se divulgando seu consultório”, e o mexicano Alejandro Treviño Santos, com a palestra “A chave do sucesso na reabilitação estética oral – Visão do trabalho em equipe para obter os melhores resultados”. Grandes nomes da Odontologia nacional também marcam presença: José Arbex Filho, com a apresentação “Estratégias clínicas na arte de construir um sorriso natural”; Laerte Schenckel, com “Harmonia e integração estética com restaurações cerâmicas: uma visão biológica”; Carlos Alberto de Sousa Costa, com “Nossos procedimentos clínicos matam ou preservam a polpa”; Oswaldo Scopin e Ronaldo Hirata, com “As mais importantes dicas clínicas em procedimentos diretos e indiretos”; Cláudio Pinho e Rogério Zambonato, com “Estética facial e estética bucal – a busca do equilíbrio”; Edson Araújo, com “Os desafios estéticos do dia a dia”; Julio César Joly e Maurício Motta, com “Excelência estética na Implantodontia – Reconstrução tecidual periimplantar – Limites das reconstruções teciduais frente às próteses dentogengivais”; e Sidney Kina, com “Restaurações estéticas cerâmicas”. A Exodus Viagens e Turismo (www.exodus.tur.br), agência oficial do Meeting, oferece pacotes turísticos especiais. Mais informações: www.abomg.org.br (+31) 3298.1800

para estreitar a relação entre cirurgiões-dentistas e médicos na promoção da saúde integral dos pacientes. Também vai atuar na mediação das discussões o pesquisador Paulo Sérgio S. Santos, de São Paulo, e a mesa redonda será composta pelos pesquisadores Nilton Brandão da Silva (RS), Denise Oleiniski (SC), Maria Cristina Brunetti (SP) e Celi Vieira

(DF), que vão debater, entre outros assuntos, a avaliação odontológica no paciente crítico; as doenças bucais e seu relacionamento com doenças sistêmicas; o papel da saliva e do biofilme na colonização bacteriana dos tecidos bucais; e a pneumonia associada à ventilação mecânica. Em seguida, acontece sessão temática sobre pacientes especiais

na UTI, em que os pesquisadores Ana Cristina Bezerra (DF), Manoele Martins (SP) e Edela Puriceli (RS) falam sobre crianças criticamente comprometidas, pacientes críticos oncológicos e CTBMF e o paciente crítico. As discussões serão mediadas por Maria Cristina Brunetti (SP) e Maria Magalhães (SP). O simpósio será encerrado por

mais uma mesa redonda – dessa vez, sobre risco infeccioso no paciente crítico. Assuntos como infecções bucais bacterianas, fúngicas e viróticas serão discutidos pelos pesquisadores Maria Elvira P. Correa (SP), Paulo Sergio S. Santos e Marina Magalhães. Os moderadores serão os pesquisadores Gisela Rapp (BA) e Raphael Comeli Lia (SP). As inscrições podem ser feitas no site do XIV CBMI (www.cbmi. com.br). Mais informações: cbmi_secretaria@amib.org.br


18

PROFISSÃO

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

CBHPO passa por revisão técnica Apresentados no último mês de agosto, os resultados finais dos trabalhos de elaboração do Código Brasileiro Hierarquizado de Procedimentos Odontológicos (CBHPO) têm passado por revisões técnicas propostas pela Agência Nacional de Saúde (ANS) para facilitar a negociação com as operadoras de planos odontológicos. A ABO participa do processo desde a idealização do documento, que servirá ao cálculo dos valores cobrados por procedimentos odontológicos em todo o território nacional. Ao longo de todo o mês de outubro, ABO, representada por Ricardo Duarte (ABO/RN), Conselho Federal de Odontologia (CFO), representado por José Mário Mateus e Benício

Mesquita, e Federação Nacional dos Odontologistas (FNO), representada por Jorge Oliveira, encontram-se quatro vezes com técnicos da ANS. Da primeira reunião, realizada na sede da Agência, no Rio de Janeiro, no último dia 2, saíram definições quanto à nomenclatura dos procedimentos listados pelo CBHPO. As entidades representadas nas reuniões fazem parte da Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC), que, para executar a elaboração técnica do CBHPO, contratou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas de São Paulo (Fipe), da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). O economista

Hélio Zylberstajn, professor da FEAUSP, coordenou os trabalhos da Fipe na formulação do código. Valorização profissional Segundo a ANS, a receita dos planos odontológicos em 2008 foi superior a R$ 1 bilhão. A grande fatia do bolo é da Odontologia de Grupo, cuja receita em 2008 foi de mais de R$ 760 milhões. Os grandes empresários do setor viram a entrada monetária de seus empreendimentos – que, segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (Sinog), contam com o trabalho de mais de 65% do total de profissionais da área odontológica brasileiros – crescer 71% em menos de 10 anos,

desde 2001. Mas o repasse do lucro advindo dessa receita aos profissionais é controverso – planos

pagam, em média, R$ 10,00 por procedimento. “A atuação das entidades odontológicas, do Sinog, representando a iniciativa privada, e da ANS deve buscar o equilíbrio entre as partes para que ganhem usuários, profissionais e empresas. Isso é parceria. O contrário é exploração”, defende o presidente nacional da ABO, Norberto Francisco Lubiana. O CBHPO deverá se transformar em uma resolução do CFO. A publicação oficial do Código está prevista para o primeiro trimestre de 2010, durante o 3º Fórum Nacional de Convênios e Credenciamentos, em Brasília (DF). Para que passe a vigorar, ainda é preciso apresentar seus resultados finais nas plenárias das entidades que compõem a CNCC, publicá-lo no Diário Oficial da União e aproválo em forma de Projeto de Lei no Congresso Nacional.

ABO no Estadão A ABO participou, em jornal da grande imprensa, de debate sobre importante e polêmico tema que poderá virar projeto de lei da Câmara dos Deputados: a obrigatoriedade de recém-formados em Odontologia e Medicina de universidades públicas prestarem serviço por um ano a comunidades carentes, sem remuneração. A proposta foi aprovada em setembro pela Comissão de Legislação Participativa da Câmara. O Jornal O Estado de S. Paulo colocou o assunto em debate e ouviu o presidente da ABO Nacional, Norberto Lubiana, que disse ser contrário à medida. “O recémformado não pode ser obrigado a pagar nada ao Estado, já que sua formação lhe custou um bom montante. Para chegar à universidade foi necessário outro montante em escolas particulares, já que o Estado não oferece ensino fundamental e médio de qualidade”, disse Lubiana ao jornal. Ele argumentou ainda que a medida fere o princípio de igualdade, pois o Brasil tem outros problemas além dos de saúde. “Não seria o caso de obrigar, também, outros profissionais a realizar esse trabalho ‘voluntário’?”. O dirigente ainda colocou que o Brasil deveria resolver seus problemas na saúde por meio de políticas adequadas, aprovando, por exemplo, a regulamentação da Emenda Constitucional 29, que organiza o repasse de verbas à saúde.


19

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

PROFISSÃO

Perfil do CD brasileiro tem resultados prévios

Orlando Ayrton Toledo

Previsto para ser publicado em janeiro de 2010, o Perfil do Cirurgião-dentista Brasileiro – Perspectivas Atuais e Tendências, elaborado pelo Observatório de Recursos Humanos em Odontologia da USP a pedido do Ministério da Saúde, deve ter seus resultados preliminares apresentados no próximo dia 24 de outubro. A ABO auxilia no processo participando das reuniões propostas pelo ministério e fornecendo informações sobre os cursos da entidade, que tem a maior rede de educação continuada odontológica do País. A pesquisa tem o objetivo de averiguar quantos profissionais atuam no País, como se distribuem geograficamente, quanto ganham e outras informações que vão ajudar a entender a Odontologia contemporânea e suas perspectivas. Segundo dados preliminares, cerca de um terço dos 220 mil cirurgiões-dentistas do Brasil, 72,5 mil, está no município de São Paulo, enquanto em centenas de cidades

Ana Estela Haddad

não há nenhum desses profissionais. Para o vice-presidente nacional da ABO, Luiz Roberto Craveiro Campos, as informações do Perfil podem ajudar na busca de soluções para esse e outros problemas. “O levantamento é importante porque nos ajuda a entender como a Odontologia brasileira vai se comportar daqui para a frente. É o trabalho de um ano, desde outubro de 2008, e a ABO participa desde o início. Foi uma coleta de dados ampla sobre os cirurgiões-dentistas brasileiros, as características do grupo, o mercado de trabalho”, explica. O vice-presidente do CFO - entidade que também dá suporte ao projeto -, Ailton Rodrigues, acredita que os resultados do trabalho ajudarão a Odontologia a “avançar com qualidade, para melhoria da saúde bucal da população brasileira”. A coordenadora da pesquisa, Maria Celeste Morita, enfatiza que “o mapeamento vai balizar políticas públicas, distribuindo melhor

Maria Celeste Morita

os cirurgiões-dentistas pelo País e melhorando o controle de dados para evitar cadastros duplos”. A expectativa é compartilhada pela diretora de Gestão de Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Ana Estela Haddad. “As informações de que vamos dispor serão de extrema relevância na tomada de decisões na gestão, já que o cirurgião-dentista é peça fundamental na equipe básica da saúde da família, junto ao médico e ao enfermeiro. Também serão importantes na formulação de políticas de formação desses profissionais.” Para o presidente da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno), Orlando Ayrton Toledo, “o trabalho parece fácil, mas é complexo e servirá como ponto de partida para uma série de resoluções de problemas da Odontologia nacional”. O levantamento completo seria divulgado no próximo dia 25 de outubro, Dia Nacional do Cirurgião-dentista e da Saúde Bucal.

MS: mais R$ 53,1 milhões para 96 novos CEOs O Ministério da Saúde anunciou ontem no dia 7 de outubro investimento de R$ 53,1 milhões para ampliar o atendimento de saúde bucal da população brasileira no Sistema Único de Saúde (SUS). O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, durante o I Encontro Nacional de Centro de Especialidades Odontológica (CEOs) e Equipe de Saúde Bucal da Estratégia Saúde da Família, realizadoem Brasília (DF). As novas medidas anunciadas referem-se a : - Criação de 96 novos Centros de Especialidades Odontológicas - R$ 4,5 milhões para construção dos centros, mais R$ 789,8 mil mensais custeio em 2009 - Compra e fornecimento de equipamentos odontológicos. Serão investidos R$ 20,1 milhões ainda em 2009 para aparelhar as novas 2.018 Equipes de Saúde Bucal este ano - Cobrança do valor pago pelas próteses dentárias, de R$ 30,00 para R$ 60,00. Em 2009, serão R$ 6,1 milhões. O Ministério quer aumentar a produção

de próteses no Brasil em cinco vezes. Hoje, é de 110 mil próteses por ano - Compra de 160 Unidades Móveis Odontológicas – R$ 22,4 milhões para a compra, além de R$ 560 mil para implantanção e R$ 748,8 mil mensais para custeio. Novos CEOs Os novos centros serão criados em 18 Estados: Alagoas (2), Amazonas (1) Bahia (11), Ceará (7), Goiás (3), Maranhão (2), Minas Gerais (8), Pará (7), Paraíba (12), Pernambuco (2), Piauí (5), Paraná (3), Rio de Janeiro (12), Rio Grande do Norte (1), Rio Grande do Sul (1), Santa Catarina (2), Sergipe (2), São Paulo (15). Os CEOs são divididos em três tipos. Do total de serviços credenciados, 49 são do tipo I (com três cadeiras odontológicas); 39 do tipo II (de quatro a seis cadeiras); e 8 do tipo III (com no mínimo sete cadeiras). Atualmente, são 675 centros. Com as novas unidades, passará para 771 garantindo a oferta de tratamentos endodônticos e periodontais, atendimento a pacientes com necessidades especiais, cirurgia oral menor e di-

agnóstico de câncer de saúde bucal. Serão R$ 4,5 milhões para construção e mais R$ 789,8 mil mensais para custeio. O trabalho nos CEOs complementa o das equipes de saúde bucal, responsáveis pelo primeiro atendimento ao paciente. De acordo com o coordenador Nacional de Saúde Bucal do MS, os novos centros vão atender a população mais carente, permitindo o tratamento bucal adequado, evitando milhares de extrações de dentes e reforçando a inclusão social no País. Desde que o Programa Brasil Sorridente foi criado, em dezembro de 2002, cerca de 3 milhões dentes deixaram de ser extraídos entre a população usuário do SUS. Atualmente, 88 milhões pessoas vivem em áreas cobertas por ações e serviços de saúde bucal no Brasil por meio do SUS. Mais informações: www.portal. saude.gov.br, http://portal.saude. gov.br/portal/aplicacoes/noticias/ default.cfm?pg=dspDetalhe Noticia&id_area=124&CO_ NOTICIA=10622


20

MARKETING

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Como selecionar o melhor funcionário para sua clínica

Plínio Tomaz*

Tenho recebido muitos e-mails sugerindo que escreva sobre “recrutamento e seleção” de funcionários para o consultório odontológico. Parece que os colegas estão com dificuldade de encontrar boas pessoas para trabalhar. O cirurgião-dentista que vai contratar uma nova pessoa para auxiliálo, seja secretária, recepcionista, ACD ou outra função, deve começar o processo descrevendo a função detalhadamente, a fim de descobrir

quais sãos os atributos e competências necessárias para que possa desempenhar aquelas atividades que estarão sendo propostas. Alguns destes itens serão “chave” e não devemos abrir mão deles, enquanto outros podem ser classificados apenas como “preferências”. Por exemplo, para uma clínica que atende muitos estrangeiros, pode ser que o domínio da língua inglesa seja essencial, enquanto na maioria absoluta dos consultórios não fará quase

diferença alguma tal habilidade. Para alguns consultórios, o candidato ter idade superior a 30 anos pode ser chave enquanto para outros pode ser apenas uma preferência. Com o perfil bem desenhado, faz-se o recrutamento (anúncios em sites especializados, jornais e associações de classe, por exemplo) e começa a busca por aqueles que melhor se enquadrem nestes quesitos que definiu. E qual o perfil que essa pessoa

deve ter? Isso depende um pouco da função, mas há algumas características que acho particularmente essencial em qualquer auxiliar de consultório: ● Ter valores pessoais similares ou compatíveis com os da clínica; ● Gostar de pessoas, ser relacional – é terrível ver uma recepcionista que não gosta e não sabe lidar com pessoas; ● Ter iniciativa e proatividade, ou seja, não ser o tipo de pessoas que apenas reage às ordens do chefe; ● Saber se portar em grupo e ter espírito de equipe; ● Gostar do que faz; ● Ser aberto a novos aprendizados; ● Ter boa saúde (o dentista deve sempre cuidar do sorriso de suas funcionárias, até mesmo para servir de cartão de visitas e “modelo”); ● Ser organizado e disciplinado é absolutamente indispensável; ● Gostar de desafios; ● Querer crescer profissionalmente; ● Ter conhecimentos básicos de informática, matemática, português e ter boa caligrafia; é péssimo para uma clínica quando sua representante não sabe falar o português corretamente ou se quando escreve algo dá vergonha em todo mundo que está ao redor; ● Saber lidar com pressão e/ou situações de conflito (pacientes irritados, por exemplo); ● Não fumar. Bom este último é uma opinião bem pessoal minha, mas acho que não convém ter funcionários fumantes em clínicas. Permita-me aqui dizer o que não se deve fazer ao selecionar um funcionário: ● Não escolha alguém apenas por aspectos físicos: esta ou aquela candidata é mais “bonitinha” ou mais “feiazinha” do que a outra. É muito comum acabar se deparando com a famosa “bonitinha mas ordinária”; ● Não escolha alguém por dó, ou seja, contratar alguém porque sentiu pena dela e viu que a pessoa - supostamente - precisa mais do emprego do que a outra; ● Não escolha alguém só porque foi indicada por um parente. Prefira basear a contratação em critérios de perfil. Estes itens podem servir, na melhor das hipóteses, como critério de desempate entre bons candidatos, mas ainda assim é preciso ter reservas quanto a isso. O que precisa ser feito é buscar a pessoa que melhor se encaixa no perfil ideal para o exercício da função desejada, o que deverá ser feito antes de iniciar o processo de recrutamento e seleção. Bom, esta foi apenas uma “pincelada” sobre o assunto, mas já é um bom começo... Até a próxima. * Plínio Augusto Rehse Tomaz é cirurgiãodentista e diretor da Tomaz Assessoria e Marketing S/S Ltda. Autor dos livros “Marketing para Dentistas” (Navegar Editora, 4ª edição, 2004) e “Consultório-Empresa” (Navegar Editora, 2004) e Alcançando o Alvo!!!(Navegar Editora, 2006). http://www.tomazmkt.com.br E-mail: plinio@tomazmkt.com.br


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

21

INDÚSTRIA

2010 pode ser o pulo do gato para o mercado odontológico O mercado de equipamentos e materiais odontológicos e de produtos de higiene bucal tem alcançado números muito satisfatórios no País. O Brasil não só já é um grande mercado no mundo, como tem potencial de crescer mais. Oportunidade para isso a indústria nacional terá ao participar da exposição comercial do Congresso Mundial da Federação Dentária Internacional (FDI), em 2010, em Salvador (Bahia) Há motivos para otimismo quando se trata dos mercados brasileiros de equipamentos e materiais odontológicos e de produtos de higiene bucal. De forma geral, o setor vem crescendo, apresenta bons resultados em relação a outras áreas da saúde e coloca o Brasil entre os primeiros mercados do mundo em alguns segmentos. Além disso, o mercado odontológico brasileiro, tanto em equipamentos e materiais quanto em higiene bucal, tem potencial de crescer e se aprimorar ainda mais como produtor, exportador e consumidor. É para este cenário que apontam os dados, as análises e as experiências das entidades que representam o setor: a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo), a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) e a Associação Brasileira do Comércio de Produtos Odontológicos (ABCPO). Mas para essa força em potencial se tornar real e se manter assim, além de chegar à população de forma mais democrática, muitas e grandes mudanças são necessárias. Para as entidades representativas, são grandes obstáculos para o setor odontológico a alta carga tributária, a complicada e cara burocracia, o baixo acesso dos brasileiros aos serviços e produtos em saúde bucal, por questões econômicas e de educação, e a ainda pequena participação do Estado nas vendas internas, entre outros. As boas notícias Respondendo por 22% de toda a produção da indústria médico-hospitalar e odontológica, o setor de equipamentos e artigos em Odontologia – formado por 93 empresas brasileiras, 29 a mais do que há 10 anos - tem registrado bons números e, se não crescentes, estão em patamar estável. Segundo a Abimo, o

TAMANHO DO MERCADO US$ 31 bilhões é o tamanho do mercado mundial de produtos de higiene bucal liderado por: 1º EUA - 16,2% 2º Brasil - 9,2% 3º China - 7,4%

O mercado mundial de enxaguatórios é de US$ 3,5 bilhões • Brasil é o 2º país neste mercado • Brasil é o 3º mercado consumidor em higiene pessoal

O mercado mundial de cremes dentais é de US$ 17,3 bilhões, liderado por: 1º EUA - 12,1% 2º China - 10% 3º Brasil - 7,4%

faturamento do setor vem crescendo nos últimos anos, saindo de R$ 728 milhões em 2006, para R$ 973 milhões em 2007 e chegando a R$ 985 milhões no ano passado. E o grande responsável por este faturamento é o mercado brasileiro. As vendas internas geraram R$ 916 milhões em 2008, sendo 88,3% delas para o setor privado, 10,5% para o público e o 1,2% restante resultado de contratos exclusivos de fornecimento, leasing e outros. Embora a participação do mercado externo ainda tenha uma representação bem menor, a indústria tem se voltado para ele também e os volumes exportados tiveram crescimento, saindo de US$ 71,7 milhões em 2006 para US$ 82,5 milhões em 2008. Na exportação, os produtos que se destacam são mobiliário para consultório, próteses em acrílico, artigos e aparelhos de prótese dentária, brocas, entre outros instrumentos e aparelhos. Em relação aos produtos para higiene bucal, o Brasil também acumula bons números. A maioria das empresas que fabricam estes itens no País é transnacional, mas mantém expressiva produção aqui, inclusive para exportação. Além disso, o comércio e consumo brasileiros também ajudam a movimentar este mercado mundial, que, segundo a Abihpec, atualmente é de US$ 31 bilhões. O Brasil é o segundo

neste mercado, responsável por 9,2% dele, atrás dos EUA (16,2%) e na frente da China (7,4%). E essa boa posição foi sendo melhorada nos últimos anos: em 2005 o País era o quarto mercado, em 2006, o terceiro, e em 2007 já ocupava o segundo lugar. Dois produtos podem ser destacados neste mercado brasileiro: os enxaguatórios e os cremes dentais. O primeiro, mesmo com o consumo concentrado em poucos países, cresceu muito nos últimos anos, mas foi no Brasil em que alcançou sua maior evolução e hoje está na segunda posição no mercado mundial de enxaguatórios, que é de US$ 3,5 bilhões. Em relação aos cremes dentais, detém o terceiro lugar, com 7,4% de um mercado de US$ 17,3 bilhões, ficando atrás dos EUA (12,1%) e China (10%). A boa posição econômica do Brasil em higiene bucal acompanha o desempenho no segmento de higiene pessoal em geral, em que é o terceiro mercado consumidor do mundo, segundo dados da Abihpec. “O crescimento do País neste mercado pode ser atribuído à estabilidade da economia brasileira e à maior inserção das mulheres no mercado de trabalho e no ensino superior, pois elas têm um foco

e consciência maiores em higiene, beleza e prevenção”, avalia João Carlos Basílio, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal e Cosméticos. Perspectivas e potenciais E, mesmo em tempos de crise, as perspectivas para o mercado em Odontologia no Brasil continuam boas, e um indicativo disso é sua comparação com toda a indústria médico-hospitalar e odontológica de equipamentos e materiais. Enquanto o crescimento médio desta para 2009 é estimado em 8%, o do segmento odontológico, apenas, é de 16%. “A tendência evolutiva das vendas nos indica isso. Este crescimento deve ser impulsionado pela inovação tecnológica dos produtos e pelos resultados obtidos no ano passado”, diz Hely Maestrello, diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares

EXPECTATIVAS DE CRESCIMENTO PARA 2009

• Indústria médico-hospitalar e odontológica – 8% • Indústria odontológica – 16% • O segmento odontológico é responsável por 22% de toda a produção da indústria médico-hospitalar e odontológica

e de Laboratórios (Abimo). Outro indicativo do potencial de crescimento ainda maior em produção e faturamento da indústria odontológica brasileira é que os gastos com importação neste setor também aumentaram, saindo de US$ 26,5 milhões em 2006 para US$ 44,3 milhões no ano passado. Desta forma, ainda há espaço para a indústria nacional crescer no mercado interno, que vem consumindo mais nos últimos anos. Para a Abihpec, a produção brasileira em produtos de higiene bucal também pode aumentar ainda mais, tanto com vendas internas quanto externas. “Em 2008, exportamos US$ 151 milhões. Higiene bucal é o terceiro item mais exportado dentro do segmento todo de higiene pessoal e cosmética. Está bom, mas ainda dá para crescer”, diz Basilio. A entidade que representa o setor também destaca o consumo interno de escovas de dente, que é de 300 milhões de unidades por ano, número grande, mas que pode ser maior considerando o tamanho da população brasileira. “Assim temos 1,6 escova per capita por ano, que é um número muito baixo. Deveríamos ter quase 1 bilhão de escovas comercializadas no País, anualmente”, afirma o presidente da Abihpec. A produção deste item no País também tem potencial de crescimento, isso porque as escovas dentais da linha premium, de melhor qualidade, ainda não são produzidas no Brasil e a demanda interna é toda importada. “O mercado brasileiro de creme dental também pode crescer e chegar ao dobro”, completa o presidente da Abihpec.


22

SAÚDE BUCAL

JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

ABO e Colgate realizam Temporada de Saúde Bucal Entre 29 de setembro e 9 de novembro, a Colgate- Palmolive e a ABO realizam em parceria a Temporada Colgate de Saúde Bucal, com atividades e ações com cirurgiões-dentistas, estudantes de Odontologia e população em geral, para homenagear o Dia do Dentista e mês da saúde bucal, ambos comemorados em outubro. Para os profissionais, especialmente para os que estão em cidades menores de diferentes partes do Brasil, será enviada uma caixa especial com diversos produtos de higiene bucal da marca, para uso próprio e para dar aos pacientes, além de material informativo sobre os cremes dentais da linha Colgate Total 12. Durante a Temporada, será também oferecida aos cirurgiõesdentistas a possibilidade de visitar a fábrica da Colgate. As ações dedicadas à população seguem o tema Junte-se a Nós para uma Boca mais Saudável e acontecerão em supermercados, hipermercados e farmácias de todo o País, com o objetivo de informar sobre os principais problemas bucais e como manter uma boca mais

Temporada tem ações e atividades com CDs, acadêmicos de Odontologia e população em geral, em todo o País saudável. As orientações são dadas por CDs e acadêmicos e as pessoas ainda ganham materiais que ensinam a fazer higiene bucal adequada. As atividades ainda contam com o apoio do mascote das ações educacionais da Colgate, o coelho

cirurgião-dentista Dr. Dentuço, para que haja uma melhor interação com as crianças. O consumidor ainda poderá ganhar brindes se participar das promoções e em alguns pontos poderá passar por avaliação bucal em uma unidade odontológica móvel.

Em paralelo a isso, a Temporada de Saúde Bucal promove o concurso cultural Sorrindo para o Mundo, sobre sustentabilidade e higiene bucal e voltado a alunos da pré-escola. Para os adultos foi criado um quiz com perguntas sobre saúde bucal. Os vencedores das

duas ações ganharão prêmios. A Temporada também conta com a parceria de emissoras de televisão, que estão divulgando a importância de uma correta higiene bucal. Mais informações: www.colgate.com.br/ temporadadesaudebucal

FDI lança Atlas da Saúde Bucal No último dia 12 de setembro, os mais de um milhão de cirurgiões-dentistas dos 134 países que integram a entidade máxima da Odontologia internacional – entre eles, o Brasil, representado pela ABO – celebraram o Dia Mundial da Saúde Bucal. Em comemoração à data, a FDI lançou o Atlas da Saúde Bucal, publicação que reúne uma série de informações atuais sobre o assunto, com textos curtos e de fácil compreensão, infográficos e mapas coloridos e de utilização intuitiva, entre outros recursos. O lançamento no Brasil tem o apoio da ABO, entidade com o maior número de representantes na FDI. Na publicação, além de curiosidades sobre a saúde bucal, há orientações sobre políticas públicas, economia, bem-estar das populações e doenças como HIV/ Aids e diabetes.

Segundo a FDI, o objetivo é chamar a atenção para o problema do descuido com a saúde bucal e o impacto das doenças relacionadas, mapeando o estado atual de saúde bucal e fornecendo soluções para todos os níveis da população. Mais informações: www.oralhealthatlas.org

Pesquisadores belgas desenvolvem gel anestésico Um novo gel anestésico foi testado por pesquisadores belgas que buscaram determinar sua eficiência quando comparado a outros métodos anestésicos tradicionais. O novo produto se destaca por não ser injetável, aspecto que reduz sensivelmente a rejeição de pacientes pelo método. Uma amostra de 170 pacientes foi avaliada segundo

os efeitos anestésicos obtidos com o gel ou com a anestesia tradicional, durante procedimentos para tratamento de periodontite. A maioria dos pacientes preferiu a aplicação do gel anestésico, mesmo diante de uma discreta perda do efeito esperado com a anestesia injetável tradicional. Fonte: Journal of Periodontology


JABO - Ano XXVI - Número 121 - Setembro/outubro - 2009

Speed Graph já tem promoção de Natal O Natal 2009 já chegou para a Speed Graph, especializada em ferramentas de comunicação e marketing de relacionamento para profissionais da Odontologia, com promoções para os cirurgiões-dentistas. A empresa está oferecendo combos de brindes para os pacientes, com desconto de até R$ 48,00. A coleção de Natal traz cartões, calendários e brindes, e foi desenvolvida com o propósito de levar ao profissional produtos com desenho diferenciado e inovador. A Speed Graph, que está neste ramo há 13 anos, ainda lançou há seis meses a Dental Speed, para revender materiais de consumo e periféricos de marcas consagradas no mercado, com bons preços. Para conhecer os produtos da empresa: www.speedgraph.com.br ou 0800 701 6870.

A Titanium Fix, fabricante brasileira de implantes dentários, componentes protéticos e instrumental cirúrgico, tem agora duas novas filiais, uma em Goiânia (GO) e outra em Ribeirão Preto (SP), onde os clientes podem encontrar todos os produtos da marca. A filial de Goiânia fica na

Av. T2, 762, sala 4, Setor Bueno, e a de Ribeirão Preto, Rua Garibaldi, 2.052, sala 5, Alto da Boa Vista. Mais informações: (62) 3251.0251, titanium.goias@titaniumfix.com.br, (16) 3620.6883 e ribeirao.preto@titaniumfix.com.br.

Informe-se

Estudo: melhor forma de limpar as próteses é com creme dental Uma revisão científica realizada pela Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) da USP e publicada em outubro pela Cochrane (rede global dedicada à revisão de pesquisas na área de saúde) mostra que a melhor forma de limpar as próteses é escová-las com creme dental. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. De acordo com o pesquisador e professor da Forp Raphael Freitas

Johnson & Johnson lança escova ecológica A Johnson & Johnson acaba de colocar no mercado a nova escova de dente Reach®Eco, que, segundo a fabricante, além de econômica (o preço sugerido é R$ 1,49), é ecologicamente responsável. Isso porque o cabo da Eco é produzido com 40% de polipropileno e polietileno reciclados pré-consumo, enquanto o produto convencional é feito com 100% de polipropileno virgem. Para fabricar a Reach®Eco, a Johnson & Johnson do Brasil reutiliza as sobras de polipropileno

Titanium Fix: novas filiais em SP e GO

de Souza, há poucos estudos disponíveis sobre o assunto, apesar da sua importância. Foram avaliados seis estudos que compararam métodos de limpeza com escova e pastilhas efervescentes especiais para este fim. Para remoção da placa bacteriana, a escovação com creme dental se mostrou a melhor alternativa, embora as publicidades sugiram que as pastilhas substituem a escovação.

23

O D O N T O S/A

e polietileno provenientes de outros processos industriais, ao invés de descartá-las. Segundo a fabricante, esses resíduos são comprovadamente atóxicos, totalmente seguros e adequados para o uso em itens de higiene oral e a reutilização deles representa menor extração de matéria-prima e redução no impacto ambiental.

A nova escova oferece os benefícios típicos de uma escova de dente mais sofisticada: cabo angulado, cabeça arredondada, dois níveis de cerdas e limpador de língua. Mais informações: www.jnjbrasil.com.br e Central de Relacionamento com o Consumidor J&J – 08000 703 6363


24

JABO - Ano XXVI - NĂşmero 121 - Setembro/outubro - 2009



JORNAL ABO - Edição 121 - Set/ Out - 2009