Issuu on Google+

Central Hip-Hop - 2010 - Bocada Forte

1 de 3

http://centralhiphop.uol.com.br/site/?url=materias_detalhes.php&id=878

ASSINE 0800 703 3000

BUSCAR:

BATE-PAPO

EMAIL:

HOME INFORME-SE Blog do Central Matérias

E-MAIL

SAC

SENHA:

SHOPPING

ÍNDICE PRINCIPAL

Caso não tenha login, cadastre-se.

MATÉRIAS

EVENTOS FSM 2010 Processos Emancipatórios no Hip-Hop Data: 29/01/2010 Canoas - RS

Bocada - Forte ::: Reportagens

"Entre a Luz e a Sombra": o outro lado Data: 02/12/2009

Opinião

Já está em cartaz em salas de cinema de São Paulo Belo Horizonte o

GALERIAS Audio Video Fotos

documentário "Entre a Luz e a Sombra" da jornalista Luciana Burlamaqui. O filme aperta o F5 na questão prisional do país a partir de registros de imagens e entrevistas que contam parte da trajetória da dupla 509-E formada por Dexter e Afro-X do lado de trás das grades. Também protagonizam o filme, Sophia Bisilliat, atriz e professora de teatro, que

SUA IDÉIA

torna-se empresária da dupla, e o então juiz corregedor dos presídios

Ponto de Vista

os shows desde o lançamento de Provérbios 13, há dez anos atrás. Apoio

Rimando

paulistas, Octávio de Barros Filho - que apóiava as saídas dos artistas para este, que mais tarde tornou-se alvo de críticas e chegou a afastar Filho do cargo, além de suspender as saídas do 509-E para as apresentações de

PESQUISE

divulgação do disco pelo país.

Biblioteca Letras de Rap

Com pouco mais de 150 minutos de duração, o apanhado de registros de

Gírias

2000 a 2007 mostra o início da carreira da dupla, as vitórias, o sucesso e os

Links

conflitos; a liberdade condicional de Afro-X, a transferência de Dexter após o Carandiru ser desativado e o fim do 509-E, que deu início a duas carreiras solo, a de Marcos e Christian, em realidades bem opostas - prisão X liberdade. O filme chega às salas de cinema de SP e BH atualizando o debate sobre o sistema carcerário, ainda tão sem progressos e quase idêntico ao da década passada, quando o cenário da discussão era o mesmo em Estação Carandiru, de Draúzio Varela. O recorte das quatro realidades envolvidas no enredo do filme aponta o leque de perspectivas de ressocialização que a arte - em especial o Rap pode proporcionar; e vai além, ao expor a lentidão do sistema

judiciário

e

a

dureza

das batalhas

particulares,

travadas

diariamente, por aqueles que acreditam na recuperação coletiva e na

FSM 2010 Hip-Hop sem fronteiras Data: 29/01/2010 Canoas - RS FSM 2010 Lançamento Prêmio Hip-Hop Preto Ghoez Data: 29/01/2010 Canoas - RS Festa L.S.D com Kamau Data: 29/01/2010 São Paulo - SP 1º Encontro de Hip-Hop na Zona Leste Data: 31/01/2010 São Paulo - SP Z´África Brasil e Rockin´Squat no CCJ Data: 31/01/2010 São Paulo - SP Scratchforfun com 4ª Estrofe Data: 01/02/2010 São Paulo - SP Festa Hip-Hop Vibe com Tio Skooby Data: 03/02/2010 Porto Alegre - RS Lançamento CD Antizona Data: 05/02/2010 Rio de Janeiro - RJ Festa da Bom Som Data: 07/02/2010 Hortolândia - SP

oferta de oportunidades dignas aos presidiários. De forma romântica, talvez para caber nas telas da tevê, mas numa tentativa visivelmente sincera de colocar luz sob a imensa massa carcerária que apenas em São Paulo ultrapassa os 300 mil. Dividindo opiniões, "Entre a Luz e a Sombra" estreou dois dias depois de um dos principais atores do documentário: o rapper Dexter, se manifestar dizendo não se sentir parte da obra. Em seu blog, Dexter disse apenas ter lido a sinopse do filme, e que o rumo tomado não condiz com a proposta incial - feita à ele e o seu então companheiro na época, Afro-X, em 2000, quando tiveram início as filmagens dentro

29/1/2010 19:45


Central Hip-Hop - 2010 - Bocada Forte

2 de 3

http://centralhiphop.uol.com.br/site/?url=materias_detalhes.php&id=878

do Carandiru. Em um trecho do texto, Dexter explica o porquê: "(...) não posso concordar e apoiar aquilo que desconheço. Meu único contato com a obra finalizada foi a sinopse do mesmo que não me passou o que me foi proposto quando aceitei que gravassem imagens minhas para o referido documentário. Pela sinopse entendo que o foco apresentado no início da proposta, adotou outro rumo. A intenção era que o mesmo mostrasse que a recuperação do ser humano que se encontra privado de sua liberdade é totalmente possível, desde que a própria pessoa se interesse por sua vida e seu futuro. E não relações humanas individualizadas, com temáticas corriqueiras a qualquer programa comercial de TV. (isso obviamente baseado no pouco material que tive contato). Com certeza isso não faz parte dos meus objetivos". A asssessoria da produção do filme respondeu em nota de esclarecimento, apenas sobre o fato de Dexter não ter tido acesso ao filme finalizado: "A Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo (SAP) não autorizou a entrada da jornalista e documentarista Luciana Burlamaqui em todas as suas tentativas e pedidos formalizados por escrito nos últimos dois anos para mostrar o filme Entre a Luz e a Sombra para Marcos Fernandes de Omena (Dexter), alegando que o mesmo estava em regimefechado e a SAP não abriria qualquer exceção. Em razão destas negativas, o advogado da produtora junto com um dos advogados do Dexter estão juntos tentando conseguir esta autorização na vara de execuções criminais. Esperamos que em breve ela seja concedida e Dexter possa finalmente assistir a versão final do Entre a Luz e a Sombra, documentário produzido ao longo de nove anos com o intuito de promover reflexões sobre caminhos de cultura de paz e não-violência e de uma humanização do sistema prisional brasileiro. Todos os esforços da equipe de produção do documentário continuarão neste sentido e ansiamos por um parecer favorável da justiça". Do outro lado, Afro-X, também protagonista do filme, disse que o mais importante no momento é discutir a criação de políticas públicas que possam trazer melhoras para o sistema carcerário e não a condução da história feita pela cineasta. "O filme é uma visão da cineasta sobre a questão. Não é minha". O rapper, que lançou no último dia 20 de novembro o seu novo disco "Das Ruas pro Mundo", preferiu não entrar na questão e finalizou: "Eu faço música, e mesmo que ela tenha ficado perfeita, depois de um tempo ouvindo, você acaba encontrando partes que deviam ser melhoradas. O filme é a visão da cineasta sobre a questão, então prefiro não opinar neste sentido". O universo atrás das grades Um relatório divulagado em setembro de 2000, feito pela caravana da Comissão de Direitos Humanos em visita a diversos presídios do país, já apontava o quadro assustador do sistema prisional no país, que invariavelmente atinge gente pobre, jovem e semi-alfabetizada. De acordo com o documento, em carceragens do Ceará, presos se alimentavam com as mãos, e a comida, "estragada", era distribuída em sacos plásticos, já em Pernambuco, sacos plásticos serviam para que detentos isolados pudessem defecar. No Rio de Janeiro, em Bangu I, ,verificou-se que não havia oportunidade de trabalho e de estudo porque trabalho e estudo ameaçavam a segurança. No Paraná, os deputados se defrontaram com um preso recolhido em cela de isolamento (utilizada para punição disciplinar) havia sete anos, período que passou sem ter recebido visitas nem tomado banho de sol. No Rio Grande do Sul, na Penitenciária do Jacuí, com 1.241 detentos, apesar de progressos, havia a assistência jurídica de um único procurador do estado, e os visitantes dos presos eram expostos à humilhações durante a revista que não convém dizer aqui. Quase dez anos depois, pouca coisa ou quase nada mudou. Em abril de 2008, já havia 223.220 presos no Brasil, o que representava 142,1 detentos para cada grupo de 100 mil habitantes. A maior concentração estaá em São Paulo, com 94.737 presos e uma proporção de 277,7 presos para cada grupo de 100 mil habitantes. O déficit é de pelo menos 26 mil vagas no complexo formado pelas penitenciárias e pelas carceragens das delegacias de São Paulo. Como admitem os próprios comandantes destes depósitos de gente (a Secretaria de Administração Penitenciária e também a Secretaria de Segurança Pública), para dar conta do crescimento da população presa mensalmente (de 800 a mil), seria necessário construir um novo presídio a cada trinta

29/1/2010 19:45


Central Hip-Hop - 2010 - Bocada Forte

3 de 3

http://centralhiphop.uol.com.br/site/?url=materias_detalhes.php&id=878

dias. Para se ter uma noção, a população carcerária atual de São Paulo equivale ao número de habitantes de uma cidade como Bauru. E os números ainda não contabilizam os infratores com menos de 18 anos, que estão amontoados nos preparatórios "engrosse as estatísticas", já chamado de FEBEM e atualmente, Fundação CASA. No primeiro semestre de 2008, pelo menos 99 mil cumpriam medida sócio educativa, destes, ao menos 18 mil estavam internados em alguma das 46 unidades espalhadas pelo Estado de São Paulo. [+] Assista ao trailer de "Entre a Luz e a Sombra" [+] Acesse o site oficial do filme [+] Visite o blog oficial de Dexter [+] Clique e visite o Myspace de Afro-X Por: AnaJu

Comentários Não existe nenhum comentário.

Faça o seu comentário: Nome: E-Mail: Comentário:

Digite o código abaixo:

Alterar Imagem

FALE CONOSCO | CADASTRO | EQUIPE | PARCEIROS | POLÍTICAS DE USO | PROMOÇÕES

29/1/2010 19:45


Entre a Luz e a Sombra: o outro lado