Page 1

PUB PUB

Polémica na Câmara

PUB

Alegados crimes eleitorais ensombram tomada de posse DR

Concelho, 4 - 5

Pescador desaparecido

Eles casaram-se

SOCIEDADE. Homem foi pescar para a praia da Biscaia e acabou engolido pelas ondas. Deixa três filhos. Concelho, 6

CORREIO ROSA. Ator Diogo Infante e o seu agente, Rui Calapez, oficializaram relação de longa data. Famosos, 15 PUB


2 Correio de Sintra

22 de outubro de 2013

A abrir

editorial

 NUNO SÁ

DR

N

a vida dos órgãos de Comunicação Social, tal como na vida de todos nós, há ciclos. Quando a mudança se afigura premente, fundamental, há que aprender com os erros do passado, honrar tudo o que de bom esse mesmo passado nos deu e, com os pés bem assentes no presente, projetar um futuro risonho que nos garanta o concretizar de aspirações legítimas e de sonhos assumidos. A mudança de Direção e de redatores no nosso (de nós todos, sintrenses) jornal Correio de Sintra é, antes de mais, um tempo para agradecimento e homenagem às pessoas que pertencem à história desta publicação quinzenária gratuita de referência, mas também é tempo de reordenação de estratégias, de unir esforços, altura certa para, todos juntos, servirmos informando, cada vez mais e melhor, com rigor e foco, toda a população do concelho de Sintra. Em 1964, Marshall McLuhan já limitava o mundo a uma aldeia, onde tudo e todos se conheciam. Foi a primeira vez que se introduziu o conceito de aldeia global, uma antecâmara da globalização. Com o advento do digital, novos caminhos se abriram no espaço mediático. Chegaram as auto-estradas da Informação. O global passou a ser, primeiro, local; e o local passou a poder tornar-se global. Todos contamos e não estamos isolados. O que sucede na nossa rua reflete o mundo em que vivemos. Podemos ser bairristas, mas não deixamos de pertencer ao planeta. Aboliram-se fronteiras territoriais e mentais. Todos somos um. E somos de cá. Mesmo. O conceito informativo que sempre norteou, e continuará a nortear, o Correio de Sintra é o do jornalismo de proximidade. Vivemos num admirável mundo novo, em que as diversas televisões privadas, as rádios, e o jornalismo online nos dão notícias, ao segundo, do que se vai passando em muitos pontos do mundo, mas, quase sempre, não nos dão as notícias que acontecem à porta da nossa casa, na nossa aldeia, na nossa freguesia, no nosso concelho, na nossa região. Na voragem e na vertigem dos grandes meios de comunicação à escala nacional, perdemos, tantas vezes, a voz. A nossa voz para denunciarmos os flagelos sociais, a insegurança e a criminalidade no concelho, mas igualmente para sabermos o essencial da atualidade que nos vai pautando os dias, o que mais nos toca e diz respeito ao nosso lugar, da política à cultura, do lazer ao desporto. Nem só de denúncia se faz a cidadania ativa e participada. Há, também, que dar espaço ao lado bom da vida, mostrar os casos de sucesso, as histórias felizes, faróis que nos guiem e iluminem o rumo. Numa escala regional, mas no contexto óbvio do país e do globo onde nós vivemos, reafirmamos a razão da nossa existência: olhar jornalístico que vá ao encontro das reais necessidades de Informação das comunidades locais e regionais. Com respeito pela verdade e pela honestidade, sempre. Pugnando, sempre, doa a quem doer, pelo direito à Informação e pelo dever de informar, ancorados na deontologia profissional.

Salta à vista...

O

candidato pelo PPD-PSD, CDS-PP e MPT (“Sintra Pode Mais”) à União das Freguesias do Cacém e São Marcos, José Faustino, foi derrotado a 29 de setembro. Surpreendente, porque esperava-se a vitória de um homem popular que tem liderado a Junta de Freguesia do Cacém e a Concelhia do PSD de Sintra. Perdeu por pouco, é certo, mas já se diz nos “mentideros” políticos do concelho que Nuno Brilha Anselmo, o dinâmico ex-presidente da Junta de Freguesia de São Marcos, pela obra realizada e pela irreverência política, podia ter sido melhor escolha - até porque conquistou a união das freguesias José Estrela Duarte (“Todos por Sintra”), um socialista com passado na política de São Marcos… Bem dizia Nuno Anselmo que podiam contar com ele, Fernando Seara também achava o mesmo, mas foi Faustino a ir a votos e a perder. E, agora, nesta hora de balanço, que planos vai ter a concelhia do PSD para o Nuno? Contam, mesmo, com ele?

De terra em terra...

DR

A aldeia global no Correio de Sintra

As queijadas da Sapa

A

s famosas queijadas da Sapa são um ex-libris da vila de Sintra. Localizada na Volta do Duche, a Fábrica das Verdadeiras Queijadas da Sapa é a mais antiga representante das centenárias queijadas de Sintra, cujas primeiras referências históricas remontam ao remoto ano de 1756. Atualmente com uma pastelaria e uma casa de chá, é um local perfeito para experimentar estes bolos típicos do concelho, sendo a mais antiga das cinco marcas de queijadas reconhecidas

A frase...

Há casos de pessoas que não votaram porque alguém já tinha votado por elas”

MARCO ALMEIDA, candidato à Câmara de Sintra (sobre as alegadas irregularidades no último ato eleitoral)

Ficha Técnica

PROIBIDA A REPRODUÇÃO OU ADAPTAÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, SOB QUALQUER FORMA DOS ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS E CONTEÚDOS DESTE JORNAL

Diretora: Tânia Tracana taniatracana@correiodesintra.net Redação: Carlos Tomás

Telefones: 219 208 394 Fax: 219 209 067 E-mails: geral@correiodesintra.net Comercial: taniatracana@correiodesintra.net Site: www.correiodesintra.net

Nuno Sá Redação: R. Guilhermina Suggia nº9 r/c drtº -Lj

2725-058 Algueirão

www.facebook.com/correiodesintra

Concepção Gráfica: Equipa Gráfica: Ana Costa Equipa Comercial: Ana Cristina,

Carlos Gonçalves, Tânia Simões

Propriedade: Raiz da Palavra Periodicidade: Quinzenal Tiragem Média: 55 000 Exemplares Registo ERC: 125896 Inscrição provisória Registo INPI: 461778 NIF: 508982545 Depósito Legal: 307601/10 Impressão: Gráfica Funchalense - Pêro Pinheiro


PUB


4 Correio de Sintra

22 de outubro de 2013

Autarquicas Concelho POLÍTICA. Basílio Horta,

DR

Basílio Horta “joga” à esquerda e à direita

candidato eleito pelo PS à Câmara Municipal de Sintra, conseguiu juntar o PS ao PSD/CDS e ainda à CDU.

O

Pub

Basílio Horta conseguiu juntar em Sintra a esquerda e a direita

Vereadores isolados O acordo de coligação irá dar pelouros a todos os vereadores eleitos, ficando o executivo camarário sintrense com sete vereadores com atribuições. De fora ficam os quatro vereadores eleitos nas listas de Marco Almeida, que não irão poder “riscar” nas grandes decisões sobre o futuro do concelho. “Não podemos coligar-nos com alguém que fez uma campanha contra os partidos”, afirmou publicamente Basílio Horta, justificando, desta forma, a escolha pelo PSD e CDU para o ajudar a governar a Câmara de Sintra. “Bastava-me o PSD, mas pretendi ir mais longe”, explicou Basílio Horta, realçando, no entanto, que “o projeto de governação é o do PS, obviamente”, mas a “participação do PSD e da CDU alarga e enriquece esse exercício”. A coligação entre PS e PSD/CDS/MPT já dava uma maioria de seis vereadores em onze eleitos, mas Basílio Horta desejou e conseguiu isolar em absoluto os autarcas eleitos pela lista de Marco Almeida, durante os próximos quatro anos, na

Câmara Municipal de Sintra. Tomada de posse O novo executivo da Câmara de Sintra e os eleitos nas últimas autárquicas para a Assembleia Municipal tomam posse esta quarta-feira, dia 23 de Outubro, pelas 17h00, numa cerimónia pública mar-

DR

ex-centrista, agora socialista, assegurou o apoio do social-democrata Pedro Pinto e conseguiu também ter do seu lado o vereador eleito pelas listas da CDU (Pedro Ventura). Tudo em prol de “uma união alargada” que lhe irá permitir um controlo total da autarquia sintrense contra os quatro vereadores eleitos pela lista do independente Marco Almeida, com quem o candidato socialista discutiu, quase até ao último voto, a vitória nas eleições autárquicas para o segundo concelho mais populoso do país. Assim, mais de duas centenas de autarcas eleitos nas eleições de 29 de Setembro de 2013 iniciaram na segunda-feira (dia 21 de Outubro) o mandato 2013/2017, após as primeiras sessões de tomada de posse (ler caixa). Foram atribuídos 235 mandatos: 11 para a Câmara de Sintra, 33 para a Assembleia Municipal e 191 para as Assembleias de Freguesia e Uniões de Freguesias. O candidato eleito à presidência da Câmara de Sintra elegeu nas Autárquicas quatro vereadores, os mesmos que o independente Marco Almeida, precisando por isso de fazer coligações para dominar o rumo da autarquia. Por via disso, os responsáveis do PS em Sintra avançaram com propostas de coligação com a lista do PSD/CDS/MPT, que garantiu dois mandatos, mas também com a CDU, que elegeu um autarca.

ciação Nacional de Municípios Portugueses. No entanto, algumas das listas estão a tentar impugnar judicialmente a tomada de posse (ler página seguinte). Dado adquirido é que o PSD vai manter-se na governação da Câmara de Sintra apesar da derrota estrondosa de 29 de Setembro. “Sete vereadores é o número essencial para a gestão da autarquia e estarão todos a tempo inteiro, porque a Câmara Municipal não é um local por onde se passa, mas sim um sítio para trabalhar”, garantiu o novo responsável pelos destinos do concelho sintrense nos próximos anos. O PS ganhou as eleições autárquicas em Sintra por uma diferença de 1738 votos sobre o movimento indepen-

O novo presidente de Sintra justifica a coligação com uma “união alargada”

cada para o Centro Cultural Olga Cadaval. No mesmo dia, terá lugar a primeira reunião de funcionamento da Assembleia Municipal de Sintra para efeitos de eleição do presidente e secretários da mesa e eleição do representante dos presidentes de junta de freguesia (efetivo e suplente) ao XXI (vigésimo primeiro) Congresso da Asso-

dente “Sintrenses com Marco Almeida”. O PS registou 26,83%, Marco Almeida 25,42%. A coligação “Sintra Pode Mais” (PSD/CDS/MPT), liderada pelo vice-presidente do PSD, Pedro Pinto, teve 13,79% da votação – com metade dos votos do PS -, e a CDU conseguiu 12,5%. O concelho registou uma abstenção de 59,58%.  CARLOS TOMÁS

Cronologia das tomadas de posse

Durante esta semana e início da próxima já tomaram ou irão tomar posse os membros eleitos para as Assembleias e Uniões de Freguesia. O Correio de Sintra deixa aqui o calendário para onde as cerimónias foram marcadas: Algueirão-Mem Martins: dia 21, 21h00, Bombeiros Algueirão-Mem Martins; Casal de Cambra: dia 22, 21h00, Salão da Junta de Freguesia; Massamá e Monte Abrãao: dia 24, 18h00, Sede do Real Sport Clube, em Massamá; Colares: dia 24, 21h00, Salão do Edifício Sede da Junta de Freguesia; Queluz e Belas: dia 24, 21h00, Salão Nobre dos Bombeiros de Queluz; Agualva e Mira Sintra: dia 25, 18h00, Casa da Cultura de Mira Sintra; Santa Maria e São Miguel, S. Pedro Penaferrim e São Martinho: dia 25, 20h00, Sede da URCA, na Abrunheira; Rio de Mouro dia 25, 21h00, Auditório da Igreja Nossa Senhora da Paz, em Rio de Mouro; S. João das Lampas e Terrugem: dia 25, 21h30, Escola Básica Alto dos Moinhos, na Terrugem; Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar: dia 26, 15h00, Edifício Sede da União Desportiva e Recreativa Sabuguense, no Sabugo; e, finalmente, Cacém e São Marcos: dia 28, 19h00, Centro Lúdico e Desportivo Carlos Paredes, em S. Marcos. Recorde-se que, tal como o Correio de Sintra noticiou na última edição, o PS venceu sete Juntas de Freguesia nas passadas eleições: Algueirão-Mem Martins e Rio de Mouro (presidente Bruno Parreira); Agualva/Mira Sintra (Carlos Casimiro); Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro/Montelavar (Rui Maximiano); Cacém/S. Marcos (José Estrela Duarte); Massamá/Monte Abraão e Queluz/Belas (Paula Alves). Marco Almeida, que concorreu como independente, ganhou as seguintes Juntas: Colares (Rui Santos); Casal de Cambra (Fernanda Santos); São João das Lampas/Terrugem (Guilherme Ponce Leão); e o agregado das três freguesias de Sintra que foram extintas (Eduardo Casinhas).


22 de outubro de 2013

POLÍTICA Marco Almeida, o candidato independente (ex-PSD) que disputou, taco-a-taco, com o socialista Basílio Horta, a vitória na Câmara de Sintra, alega que foram cometidos vários crimes nas eleições de 29 de setembro último. E o mandatário da sua candidatura entregou, no dia 14 de outubro, uma queixa-crime no Tribunal de Sintra. A cerimónia para empossar Basílio Horta como novo presidente está marcada para esta quarta-feira, dia 23.

H

omem-forte da política de Sintra, conhecedor profundo, nos gabinetes e no terreno, da realidade concelhia (ou não tivesse sido, durante 12 anos, o vice-presidente do Executivo Municipal), o hoje independente Marco Almeida (ex-PPD/ PSD), candidato derrotado, por pouco, por Basílio Horta (PS), nas últimas Eleições Autárquicas em Sintra, alega que foram cometidos vários crimes no dia das eleições (29 de setembro último) no município. Queixa-crime entregue Foi o mandatário da candidatura de Marco Almeida, denominada “Sintrenses com MARCO ALMEIDA”, José Pedro Matias, quem entregou, no passado dia 14 de outubro (segunda-feira da semana transata), ao início da tarde, uma queixa-crime, “contra desconhe-

DR

Crimes eleitorais, diz ele

Movimento de Marco Almeida entregou queixa

Campanha de Basílio Horta: “manobra de diversão”

cidos”, no Tribunal de Sintra, por uma série de alegados crimes eleitorais. “Foi entregue hoje no Ministério Publico de Sintra uma queixa-crime contra desconhecidos relativamente a algumas anomalias que identificámos e que alguns munícipes nos fizeram chegar sobre o ato eleitoral de 29 de Setembro”, disse Marco Almeida, citado pela agência Lusa. Marco Almeida declarou, ainda, que o seu objetivo não passa por “impugnar as eleições”, mas apenas apurar “a veracidade” dos testemunhos dos munícipes, adiantando que tencionava enviar à Comissão Nacional de Eleições (CNE) uma proposta “que vise diminuir os riscos com possíveis irregularidades nos próximos atos eleitorais”.

Alegadas irregularidades A fazer fé na queixa-crime, entre várias outras anomalias registadas, no próprio dia das últimas Eleições Autárquicas, o presidente de uma mesa de voto da freguesia de Queluz-Belas terá levado para casa uma urna com votos, algo proibido por lei. De acordo com a queixa, houve votos na candidatura de Marco Almeida anulados sem justificação aparente e um eleitor terá sido, mesmo, impedido de exercer o seu voto. Ainda segundo a informação constante na queixa entregue no Tribunal de Sintra, registaram-se mais votos anulados nas freguesias onde o candidato independente perdeu do que naquelas em que Marco Almeida ganhou. À data

5

do fecho desta edição do Correio de Sintra, o staff de campanha de Marco Almeida esperava, com óbvia ansiedade, pela abertura do respetivo inquérito por parte do Ministério Público, para poder ser instaurada uma providência cautelar, ainda a tempo de impedir o socialista Basílio Horta de tomar posse como o novo presidente da Câmara Municipal de Sintra, o que está previsto acontecer já nesta quarta-feira, dia 23 de outubro. Corrida contra o tempo Uma verdadeira corrida contra o tempo que, segundo adiantou fonte ligada a Marco Almeida ao Correio de Sintra, «iria ser decerto muito difícil, mas nada impossível, de todo, devido à gravidade dos indícios que já foram apurados”. Recorde-se que o candidato Marco Almeida perdeu a Câmara de Sintra para Basílio Horta por apenas 1.738 votos (na noite eleitoral, houve “empate técnico” até muito tarde), tendo obtido 25,4% contra os 26,8% dos votos conquistados pelo movimento “Todos por Sintra”, liderado pelo antigo candidato a Presidente da República. Do lado da candidatura de Basílio Horta, já foi dito, à Imprensa, que a queixa-crime apresentada pelo movimento de Marco Almeida faz parte de “manobras de diversão sem sentido”.  NUNO SÁ PUB


6 Correio de Sintra

Sintra

Concelho

22 de outubro de 2013

Pescador engolido pelo mar deixa três filhos menores Correio de Sintra apurou, ao final da tarde daquela quinta-feira decidiu ir com o cunhado para mais uma pescaria. Cerca das 20h00, o anzol da cana ficou preso numa rocha e Aurelos tentou “safar” a linha. Quando estava na rocha, uma onda arrebatou-o. O cunhado ainda lançou um balde amarrado com uma corda para que o pescador o pudesse usar como boia, mas Aurelos não conseguiu resistir á forte ondulação e desapareceu.

DR

CONCELHO. Um homem, de 40 anos, residente no Mucifal, Sintra, foi arrebatado por uma onda, numa arriba da praia da Biscaia, em Alcabideche, Cascais, no passado dia 17 de Outubro, e encontrava-se desaparecido à hora de fecho da nossa edição. As autoridades marítimas têm já poucas esperanças de encontrar a vítima com vida e a recuperação do corpo nos próximos dias também é considerada pouco provável.

I

nfelizmente, ainda não foi possível encontrar a pessoa e o mais provável é ela já estar sem vida. A recuperação do corpo depende de muitos fatores. Temos prosseguido as buscas por terra, na esperança de resgatar o cadáver, mas quanto mais tempo passa mais a área é alargada. É possível calcular os locais para onde o corpo pode ter sido levado pelas correntes marítimas, mas, devido às características do local onde o acidente aconteceu, existem muitos imponderáveis e um deles é o facto de a vítima poder ter ficado presa nas rochas”, explicou ao Correio de Sintra o comandante da Capitania do Porto de Cascais, Dário Pinto Moreira. Segundo este responsável, foi mesmo impossível ir ao local da tragédia: “Apesar de termos empenhado todos os meios humanos e

As possibilidades de encontrar a vítima nos próximos dias são cada vez mais remotas

O comandante do Porto de Cascais, Pinto Moreira

materiais nas buscas, não foi possível aproximar embarcações e mergulhadores a menos de 150 metros do local onde o homem desapareceu. Trata-se de uma zona de rebentação de ondas muito forte e de acesso, quer por mar quer por terra, muito perigoso.” . O drama Aurelos Pilastres, um romeno a viver há mais de 14 anos em Portugal, adorava pescar. Segundo o

Deixa três filhos A vítima era casada e tinha três filhos, de 15, 13 e 2 anos. Todos a frequentar estabelecimentos de ensino no Mucifal e em Colares. “Ele era uma pessoa muito trabalhadora e a vida dele era casa trabalho. Nem frequentava cafés. Vivia para a família. Estamos todos a tentar ajudar a mulher e os filhos, mas há coisas que o dinheiro não paga. O nosso maior desejo é que o corpo apareça para podermos fazer um funeral digno. É só isso que pedimos”, disse ao nosso jornal Daniela, uma amiga da família romena. O comandante Pinto Moreira assegurou que as buscas da Polícia Marítima, Bombeiros de Alcabideche e GNR não vão parar e salientou que, neste momento, “também é preciso contar com a sorte para dar paz à família”.  CT

Parques de Sintra candidata a “óscar” CONCELHO. A Parques de Sintra - Monte Lua volta a ser finalista nos “World Travel Awards” (WTA), uma espécie de óscares do turismo, repetindo, na 20ª edição, a nomeação obtida em 2012 na categoria de “Melhor Empresa de Conservação do Mundo”.

Pub

A

empresa de capitais exclusivamente públicos foi criada em 2000 na sequência da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade, e tem como acionistas o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, a Direção Geral do Tesouro e Finanças (que representa o Estado),

o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra. Em 2012, os valores naturais e culturais que a Parques de Sintra gere, ou seja, o Parque e Palácio da Pena, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate e Convento dos Capuchos, receberam mais de um milhão e 138 mil visitas, sendo 90% de nacionali-

dade estrangeira. Desde Setembro de 2012 a empresa é também responsável pelos palácios nacionais de Sintra e de Queluz, bem como pela Escola Portuguesa de Arte Equestre, sediada em Queluz. As votações para as várias categorias dos “World Travel Awards” decorrem na Internet até ao dia 10 de Novembro de 2013.  CT


PUB


PUB


22 de outubro de 2013

Cacém Agualva - Cacém

11

SOCIEDADE. Mário Brites, de 41 anos, esteve cinco meses preso por tentativa de homícidio a depois foi posto em liberdade por alegada falta de provas. O caso foi amplamente noticiado, em Outubro de 2011, nos órgãos de Comunicação Social. Agora, o Tribunal de Sintra confirmou que era tudo verdade. O réu foi condenado a três anos de prisão, mas ficou em liberdade.

DR

Tribunal iliba polícias de forjar provas contra “inocente”

O

indivíduo, segundo foi então divulgado, estaria inocente, mas acabou condenado, no mês passado, da prática dos crimes que lhe foram imputados e que tinham motivado a sua prisão preventiva: ameaças à integridade física, posse de arma proibida e tentativa de homicídio de um agente da PSP que participou na sua detenção. Mário Brites, de 41 anos, foi posto em liberdade, em Outubro de 2011 e o agente da PSP passou a ser indicado como suspeito de ter falsificado os autos da detenção e inventado o crime, tendo para isso contado com a ajuda de outro polícia. Uma alegada vingança pessoal teria estado na origem da “montagem” do crime, segundo a versão tornada pública pelo jornal Correio da Manhã e que foi sempre refutada pelo agente envolvido, Luís Maria e pelo seu colega, António Nereu, que continuam ao serviço. O arguido agora

Luís Maria foi ilibado pelo Tribunal de Sintra

condenado a três anos de cadeia (com pena suspensa por cinco anos) sempre clamou a sua inocência. Insatisfeito “Vingança de quê? Eu não tinha motivo nenhum para me querer vingar desse indivíduo. Pelo contrário. Ele é que tinha, porque devia dinheiro ao condomínio do prédio onde sou administrador. Aliás, eu até tinha uma ordem de penhora do carro dele e não a executei por achar que o prédio ficava mais bem servido se recebesse o dinheiro em dívida. Ele é que me ameaçou várias vezes de morte, tanto à porta do prédio,

como na esquadra do Cacém, onde presto serviço. Foi detido quando tentou concretizar essa ameaça”, garantiu ao Correio de Sintra Luís Maria, o agente sobre quem foram lançadas suspeitas de ter prendido “um inocente” e que viu o tribunal dar-lhe razão. Mas o polícia, que foi alvo de um processo disciplinar na PSP que acabou arquivado, não se conforma: “Vou recorrer da sentença para o Tribunal da Relação. Acho a pena demasiado pequena para um indivíduo que me perseguiu, ameaçou e tentou matar. No mínimo deveria ter sido condenado, de acordo com a legislação, a 10 anos de prisão efetiva.” Espancou grávida António Nereu, o agente que, segundo as notícias tornadas públicas em Outubro de 2011, era suspeito de cumplicidade no caso da prisão com provas falsas de Mário Brites é lacónico: “Limitei-me a contar a verdade no sítio onde devia. Não vou dizer mais nada sobre isso. O que se passou já disse em tribunal e mantenho tudo. Mas não deixa de ser surpreendente ter constato que o condenado, no seu cadastro, tenha vários espancamentos a pessoas, inclusive a uma mulher que se encontrava grávida, sendo o filho dele.” Segundo a sentença, um carro penhorado terá estado na origem da

tentativa de homicídio qualificado do agente da PSP da esquadra do Cacém. O caso ocorreu em Maio de 2011, na Rua Cidade de Londres, naquela localidade do concelho de Sintra, quando Mário Brites, diz a sentença, fez uma espera ao polícia, a quem já ameaçara várias vezes, acabando por sacar de uma arma e efectuar dois disparos sem que, no entanto, conseguisse atingir o alvo. Acabaria por ser desarmado e detido pelo próprio agente e por outro elemento da PSP. Depois de ser preso, um juiz ordenou a sua libertação alegando que os agentes tinham forjado tudo. O tribunal veio dar razão aos dois agentes. CT

Queixas contra jornais e televisões

Luís Maria, que chegou a ser alvo de uma investigação interna da PSP para se apurar as circunstâncias em que Mário Brites tinha sido detido, apresentou já várias queixas contra diversos órgãos de Comunicação Social, jornalistas e comentadores, entre os quais o jornal Correio da Manhã, a TVI e o comentador e ex-inspector da PJ Moita Flores. O agente exige indemnizações cíveis que totalizam mais de 100 mil euros, por danos morais sofridos e por ter visto colocada a sua carreira em risco. O facto de o tribunal de Sintra ter confirmado a condenação contra Mário Brites poderá revelar-se, segundo vários juristas ouvidos pelo Correio de Sintra, um argumento de peso para a defesa. Pub


12 Correio de Sintra

Queluz

22 de outubro de 2013

Opinião

Esfaqueou colegas em escola por se sentir abandonado

Na sequência de uma busca efetuada na passada quinta-feira (dia 17 de Outubro), em Sintra, a uma garagem onde se desmantelavam veículos, a GNR detetou “inúmeros artigos furtados e um veículo em estado avançado de desmantelamento”, tendo também identificado um suspeito de 21 anos. “O veículo, tal como os outros artigos, tinha sido furtado em diversas zonas do concelho. Entre o material furtado constavam três banheiras de hidromassagem, vários cabos de alta tensão de energia, duas bilhas de hidrogénio para corte de veículos, 23 portas em carvalho, uma réplica de ‘shot-gun’, um carregador municiado, munições e quatro armas brancas”, revelou fonte do Comando-Geral da GNR. Abrunheira

granada de fumo para uma sala de aula e depois esfaqueou três colegas de turma e uma auxiliar educativa da Escola Secundária Stuart Carvalhais, em Massamá, Sintra, porque era ignorado pelos restantes colegas. Entre as vítimas, ironicamente, estava o seu único amigo..

U

m dia depois do incidente, ocorrido no passado dia 14 de Outubro, o rapaz (G. A.) foi presente a tribunal, tendo o juiz de instrução criminal ordenado o seu internamento num centro educativo de menores, onde irá permanecer três meses. Os pais apenas só o podem visitar uma vez por semana e apenas durante uma hora. Trauma Na Secundária Stuart Carvalhais alunos, encarregados de educação, professores e auxiliares educativas vão recuperando do enorme susto que viveram. “Estou divorciada e a minha filha está com o pai. Mas desde aquele dia que ela tem ficado em minha casa. Como vivo perto da escola ela sente-se mais segura se for eu a ir levá-la e buscar. Está muito traumatizada. Viu a colega ser esfaqueada mesmo à sua frente e não para de pensar que ela também podia ter sido uma vítima”, contou ao Correio de Sintra Anabela S., mãe de uma das alunas da turma onde tudo aconteceu. Segundo as autoridades conseguiram apurar, o estudante planeava um verdadeiro massacre. “Se tivesse uma pistola matava-os a todos”, terá confessado às autoridades o aluno, que frequentava uma turma do 11º Ano. Isolado Pedro Proença, advogado do menor, explicou que o tribunal determinou a medida cautelar pedida pelo Ministério Público, não tendo aceitado a proposta da defesa. “Pedi que o meu cliente ficasse em internamento domiciliário com apresentação obrigatória na polícia Pub

Sintra

Desmantelava carros roubados

DR

CRIME. Aluno de 15 anos lançou uma

Breves

Professores, auxiliares, pais e alunos ainda estão a recuperar psicologicamente do grave incidente

e num centro de acompanhamento psiquiátrico, mas o tribunal entendeu de forma diferente. É um rapaz com uma inteligência acima da média, que sente uma insatisfação com o mundo, com os pais e com a sociedade que o rodeia. O internamento agora determinado é uma medida provisória, que será seguida por uma medida tutelar educativa, que pode ir até um máximo de três anos de internamento”, esclareceu o causídico. Os factos No dia do incidente, o estudante terá entrado no Pavilhão “G” e aberto a porta da sala de aulas onde decorria uma aula de Português, cerca das 15h45, lançando uma granada de fumo verde para o interior. Foi confrontado pelo seu melhor amigo e não hesitou em desferir um golpe na zona do abdómen. Duas alunas que tentaram sair da sala foram igualmente golpeadas. Seguiu-se uma auxiliar educativa que também tentou imobilizar o agressor. Levou uma facada na garganta, tendo sido a pessoa que ficou em estado mais grave. De seguida, G. A. largou a faca e fugiu da escola, acabando por ser detido, minutos depois, por agentes da PSP de Massamá, sem oferecer qualquer resistência. As autoridades apreenderam a

mochila do jovem, tendo encontrado no seu interior mais duas facas, dois frascos de álcool, dois isqueiros e uma botija de gás pimenta, além de alguns apontamentos onde o jovem descrevia a forma como queria atacar os colegas e os pretendia matar. Na casa dos pais do estudante, a PSP apreendeu cinco granadas de fumo, artefactos pirotécnicos, um bastão, álcool, diversas facas e uma espingarda. O subintendente Hugo Palma, comandante da Divisão de Sintra da PSP, apenas confirmou oficialmente que foram apreendidos apontamentos pessoais, um computador e um “tablet” do menor e que “este material foi relevante para a investigação”. Livres de perigo A auxiliar educativa recebeu tratamento no Hospital Amadora/Sintra a ferimentos na cara e pescoço e um aluno foi tratado no Hospital de Santa Maria. Os outros feridos foram tratados na própria escola. Estão todos livres de perigo e a Secundária Stuart Carvalhais está a funcionar normalmente, acreditando a maioria das pessoas ouvidas pelo Correio de Sintra que tudo não terá passado de “um ato isolado levado a cabo por um estudante que atingiu o limite por ser ignorado por todos os colegas”.  CT

Assaltaram posto de combustíveis

Três homens armados assaltaram o posto de abastecimento de combustíveis da Repsol existente na localidade da Abrunheira, Sintra, no passado dia 16 de Outubro. Depois de concretizarem o crime, os autores colocaram-se em fuga e ainda não foram identificados pelas autoridades. Os assaltantes entraram nas bombas, pouco depois das 23h00, e no local encontravam-se dois funcionários que, perante a ameaça de uma pistola, não ofereceram resistência, entregando-lhes o dinheiro existentes na caixa registadora. Terão roubado cerca de 300 euros, após o que se colocaram em fuga num veículo já identificado pelas autoridades e que terá sido furtado. O caso está a ser investigado por inspetores da Polícia Judiciária. Carregueira

Isaltino espera liberdade em breve

Isaltino de Morais, que cumpre uma pena de dois anos de prisão efetiva no Estabelecimento Prisional da Carregueira, freguesia de Belas, é o recluso mais visitado daquela prisão, soube o Correio de Sintra. “Ele recebe visitas durante todo o dia. São sempre anunciados como advogados, mas já se sabe que são todos membros do gabinete jurídico da Câmara de Oeiras. De hora a hora esta a ser chamado pelos altifalantes da prisão para ir a um advogado”, contou ao Correio de Sintra um recluso do presídio mais mediático do país. Ainda segundo o nosso jornal apurou, Isaltino emagreceu mais de 20 quilos e anda muito tranquilo, evitando contatos com os restantes reclusos: “Diz que vai sair em breve da prisão”, confidenciou a nossa fonte.


22 de outubro de 2013

PERFORMANCE & STYLE Reparação e Manutenção de Automóveis Unip. Lda

13


22 de outubro de 2013

LAZER. No próximo domingo,

Orientação e BTT no dia 5 em Sintra DESPORTO. No âmbito do projeto municipal “EscolAventura”, o Parque da Liberdade, em Sintra, é palco, no próximo dia 5 de novembro, de provas de Orientação e BTT.

dia 27 de outubro, às 18h30m, realiza-se um concerto coral gratuito no Palácio Nacional de Queluz.

D

ando início ao novo ano coral, o concerto “Gentes e Poetas”, do GCQ - Grupo Coral de Queluz (sob a direção de Pedro Miguel), será apresentado no próximo domingo, 27 de outubro, pelas 18h30m, com entrada

Grupo Coral de Queluz é, há já 15 anos, instituição de utilidade pública

DR

Monte da Lua. Numa outra vertente, o GCQ acaba de lançar um CD em que celebra, através do

O Palácio Nacional de Queluz é um palco privilegiado de manifestações culturais

livre, no Palácio Nacional de Queluz. Trata-se de mais uma organização do Grupo Coral de Queluz e da junta de freguesia local, apoiada pela Parques de Sintra –

canto, a obra do maestro e compositor Fernando Lopes-Graça (1906-1994), um dos maiores nomes portugueses, na sua área, no século XX.

O GCQ É uma associação de amadores de música que tem como principais objetivos praticar e divulgar a música coral, numa perspetiva de contribuição para uma permanente educação pela arte dos coralistas e do público. O Grupo Coral de Queluz (GCQ) está aberto a todos os que, através da prática do canto e da aquisição coletiva de conhecimentos musicais e da técnica vocal, pretendam desenvolver o gosto pelo canto e alargar as suas vivências musicais. O grupo foi fundado no ano de 1967. O seu primeiro concerto realizou-se em 1970 e a sua legalização como associação cultural aconteceu já no início dos anos 80, em 1982. É uma instituição de utilidade pública reconhecida desde 1998.  NS

O

idílico Parque da Liberdade, na Volta do Duche, na vila de Sintra, será o local escolhido para as próximas atividades de Orientação e de Bicicleta Todo-o-Terreno (BTT), que vão decorrer já no próximo dia 5 de novembro. A prática destas atividades ao ar livre, a par da escalada, inserem-se no projeto municipal “EscolAventura”, que visa potenciar e promover os espaços naturais para a prática de desportos de ar livre, e é direcionado aos alunos do Ensino Básico e Secundário, nomeadamente ao nível da Educação Física e do Desporto, e enquadrado nos programas curriculares dessas áreas educativas e no âmbito do Desporto Escolar. Inscrição prévia A inscrição nestas atividades fica sujeita a confirmação por parte da Divisão de Juventude e Desporto da

DIVULGAÇÃO

Grupo Coral de Queluz atua no Palácio Nacional

DR

Lazer & Desporto

Natureza propicia atividades de ar livre DIVULGAÇÃO

14 Correio de Sintra

Provas de BTT conquistam jovens

Câmara Municipal de Sintra, sendo que a ficha de inscrição tem de ser enviada, no máximo, até oito dias antes da data das provas que, neste caso, têm lugar a 5 de novembro próximo. Cada dia de atividade calendarizada apenas vai permitir a participação, no máximo, de duas turmas – uma no período da manhã (9h30-12h) e outra no período da tarde (14h30-17h).  NS

DR

Oficina e aulas de pintura em Sintra São ministradas oficina e aulas de iniciação à pintura no Espaço Cultural Voando em Cynthia, em Sintra.

LAZER.

À

Ensina-se a pintar na Voando em Cynthia Pub

s terças e às quintas-feiras, pelas 19 horas, e aos domingos, pelas 11 horas, até ao dia 31 de janeiro próximo, decorrem, no Espaço Cultural Voando em

Cynthia, na Av. Heliodoro Salgado, n.º 41, 1.º frente, em Sintra, uma oficina de pintura e aulas de iniciação à pintura destinadas a todas as idades. A inscição nestas ações de formação em artes plásticas decorre por marcação prévia, no mínimo, de grupos de quatro pessoas. A duração destas formações artísticas é de duas

horas e os preços praticados são de 50€/mês (uma vez por semana) e de 15€/dia. Artes e produtos biológicos A Voando em Cynthia, Associação Cultural, tem por missão a partilha de artes, sabedorias, conhecimentos, técnicas e práticas que visam o envolvimento e o desenvolvimento da comu-

nidade. Iniciativa que espelha bem a atividade desta associação cultural é a realização mensal dos “Encontros D’Artes e Produtos Bio”, com entrada livre no Espaço Cultural, desta feita já no próximo fim-de-semana (sábado e domingo), dias 26 e 27 de outubro, das 10 às 20 horas, com inscrições limitadas ao espaço.  NS


22 de outubro de 2013

Correio rosa

Diogo Infante casou-se com empresário FAMOSOS. O reconhecido ator, residente no concelho de Sintra, oficializou, na última quinta-feira, dia 17 de outubro, a longa relação com o seu agente, Rui Calapez. Os dois costumam ser vistos num café de Almoçageme, perto de onde moram, e espalham simpatia e simplicidade pela população. Diogo Infante tem um filho adotivo, o Filipe, que estuda na Escola da Sarrazola, Colares. Relação assumida Foi na internet que o ator, encenador e diretor artístico, Diogo Infante, de 46 anos, assumiu publicamente, através da sua página pessoal no “Facebook”, o casamento gay com o seu agente, o empresário Rui Calapez (trata da carreira de figuras públicas, caso de Catarina Furtado, amiga do casal), 50 anos, com quem mantinha uma relação de longa data. Pondo um ponto final a possíveis histórias mal contadas e a boatos, Diogo Infante foi felicitado pela sua coragem por centenas de seguidores seus no “Facebook”, muitos deles famosos. Elogios dos famosos O apresentador da TVI Manuel Luís Goucha comentou a oficialização desta relação homossexual. “Parabéns Diogo e Rui. Como sempre, uns senhores. E que bem que cumprem a vida”, escreveu Goucha. Também Isabel Medina deixou uma mensagem de apreço pelo casal. “Querido Diogo, estou tão feliz por vocês! Be happy! Merecem que a vida vos dê muita luz e alegria. Porque amor não vos vai faltar. E a minha amizade, sempre! Beijo enorme aos dois!”, publicou a atriz. Ana Mesquita também não deixou de homenagear a decisão tomada por Diogo Infante e pelo companheiro. “Por causa de pessoas com a tua fibra, a tua dimensão humana, a tua visão do que a vida nos dá de melhor, que é o amor, o mundo realmente avança, muda, melhora. Aqui fica, PUB

também em público, o quanto te admiro. Os meus parabéns também aos que te rodeiam, que estão ao teu nível. Keep on Diogo querido!”, publicou a jornalista. O casamento e o filho A relação de vários anos entre Diogo Infante e Rui Calapez foi oficializada através do Assento de Casamento n.º 1501 do ano de 2013, na Conservatória do Registo Civil de Torres Vedras, na tarde da última quinta-feira, dia 17 de outubro. Formando uma autêntica família, o ator também adotou, há dois anos, uma criança. Filipe, com 11 anos, é um miúdo introvertido que estuda na Escola da Sarrazola, na freguesia de Colares, na «região saloia» do concelho de Sintra. O café em Almoçageme Diogo e Rui são vistos, por moradores na região, como «pessoas muitíssimo simpáticas e simples», «acessíveis», «tendo conquistado já amizades do coração na zona». O casal, como qualquer outro, tem rotinas. Tomam o pequeno-almoço, todos os dias, por volta das 11 horas, num café de Almoçageme, perto de onde residem, «sempre sorridentes e de bem com a vida», refere fonte ao Correio de Sintra, acrescentando que «também são vistos a fazer compras num mini-mercado de Janas», ainda na região saloia.  NS

«

Já que o casamento é um ato público e antes que a curiosidade e a especulação se imponham, quero que saibam, sim, casei-me! Casei-me porque, felizmente, vivo num país que o permite fazer, mas tenho direito à minha privacidade e a perseguir a felicidade nesta viagem a que chamamos vida. A todos os que verdadeiramente se preocupam, sim, estou muito feliz! Obrigado pelo vosso carinho. Diogo Infante»

Diogo Infante é figura cintilante na representação

A suposta relação com Sócrates

Durante a campanha eleitoral de 2005, José Sócrates foi vítima de um boato que o ligava a uma relação gay com Diogo Infante. Quer o ex-primeiro-ministro, quer o ator já negaram, de forma veemente, a suposta relação homossexual. Em entrevista ao “Expresso”, José Sócrates conta a sua versão da história e apresenta uma possível explicação para o rumor. “É (Diogo Infante) uma pessoa que nunca conheci e com quem nunca falei na minha vida. Namorava com a Fernanda (jornalista Fernanda Câncio) e ficava muitas vezes em casa dela”, num apartamento no mesmo prédio de Diogo Infante. “Deixava ali o meu carro e viam-me sair, é daí que isso deve vir”, alega Sócrates.

15


PUB

Correio de Sintra 66 net  

Edição 66_ Correio de Sintra

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you