Page 99

Para
Entender
as
Mídias
Sociais






98


por
players
–
inclusive
da
mídia
de
massa
–
após
a
 criação
do
noticiário
sul‐coreano
OhmyNews.
A
ideia
de
 fazer
de
cada
cidadão
um
repórter
foi
adotada
em
 inúmeras
partes
do
mundo,
despertando
no
público
um
 olhar
seletivo
diante
da
realidade.
Essa
consciência
de
 registrar
fatos
e
de
submeter
esse
material
aos
canais
de
 conteúdo
colaborativo
de
sites
jornalísticos
foi
 amadurecida
com
a
popularização
das
iniciativas
dos
 veículos
em
tornarem‐se
abertos
às
contribuições
do
 público.
O
canal
de
“Participe”
passou
de
diferencial
à
 obviedade
em
questão
de
poucos
anos
–
principalmente
 entre
2006
e
2008.
 
 Não
por
acaso,
foi
no
final
desse
período
que
redes
 sociais
focadas
em
produção
de
conteúdo
–
como
 YouTube,
Twitter,
Flickr
para
além
de
sites
de
 relacionamento
como
Orkut
e
Facebook
–
são
adotadas
 por
grupos
cada
vez
mais
expressivos
de
usuários
que
 enxergam
valor
no
conteúdo
que
produzem.
Esse
valor,
 até
então
convidado
pelos
veículos
para
fazer
parte
de
 um
espaço
profissional
de
conteúdo,
passa
a
circular
 pelas
redes
na
forma
de
capital
social.
Ter
uma
foto
 exclusiva
no
meu
perfil,
onde
meus
amigos
verão
pode
 valer
muito
mais
do
que
enviar
essa
foto
a
um
site
 noticioso.

 
 É
assim
que
acontece
o
turning
point
do
jornalismo
 colaborativo
ao
jornalismo
nas
mídias
sociais:
se
até
 então
o
usuário
batia
na
porta
de
um
veículo
oferecendo
 o
seu
conteúdo
para
publicação,
agora
é
o
veículo
que
 deve
correr
atrás
do
usuário
em
busca
de
um
conteúdo
 


Para Entender as Midias Sociais  

Livro coletivo sobre assuntos transversais as redes de relacionamento, produzido e publicado por profissionais e pesquisadores da área em ab...

Advertisement