Page 113

Para
Entender
as
Mídias
Sociais




112


‘Seguidores’
e
‘fãs’
contribuem
efetivamente
para
a
 construção
do
noticiário.
Em
fevereiro
passado,
uma
 falha
no
fornecimento
de
energia
fez
com
que
parte
do
 Nordeste
ficasse
às
escuras.
O
perfil
@JornalOGlobo
no
 Twitter
passou
a
dialogar
com
internautas
de
vários
 estados
atingidos
pelo
apagão,
que
informavam
como
 estava
a
situação,
diretamente
de
suas
regiões.
As
 informações
eram
repassadas
pelo
perfil
a
seus
 seguidores.
Que
redação
teria,
naquela
como
em
 qualquer
outra
madrugada,
dezenas
de
correspondentes
 a
postos?

 
 O
que
estamos
observando:
diferentemente
da
 participação
das
pessoas
nas
seções
de
comentários
dos
 sites
–
sujeita
a
uma
espécie
de
admissão,
como
a
feitura
 de
cadastros,
e
à
aprovação
de
comentários
pelo
 moderador
–
todos
com
perfis
nas
redes
agora
podem
 entrar.
E
não
mais
serem
silenciados
com
bloqueios
(a
 forma
mais
eficiente
de
terminar
um
relacionamento
 com
uma
pessoa).
Também
respeitando
a
lógica
das
 redes,
o
anonimato
garantido
nas
seções
de
comentários
 deu
lugar
a
bios
e
avatares,
trazendo
para
o
debate
 muitas
pessoas
preocupadas
com
sua
reputação
digital,
 que
sabem
que
comentam
sob
a
vigilância
de
seus
 amigos.

 
 Os
veículos
também
ganharam
‘caras’:
os
perfis
tiram
 dúvidas,
agradecem
pela
colaboração,
esclarecem
 opções
editoriais,
retribuem
#FF,
seguem
followers,
 participam
dos
debates
no
Facebook,
‘curtem’
 comentários.
O
foco
deve
ser
a
interação.
E
isso
exige
 


Para Entender as Midias Sociais  

Livro coletivo sobre assuntos transversais as redes de relacionamento, produzido e publicado por profissionais e pesquisadores da área em ab...

Advertisement