Issuu on Google+

“The Heart is a Lonely Hunter”


Uma criação colectiva da C.A.L comunidade de artistas livres

Com: Ana Leitão Henrique Calado Luís Pimenta Musica e Luz: Miguel Alegria Fotografia: Miguel Castro Produção: Inês Pinelas

Este projecto contou com o apoio da Câmara Municipal de Évora, colaboração das Companhias Era Uma Vez, teatro de marionetas e Pim Teatro


PROJECTO Este projecto surgiu da vontade de trabalhar a poesia acompanhada de música, numa estrutura menos convencional que permitisse a adaptação a espaços alternativos. Fizemos a pergunta: o que temos vontade de criar no agora?! Desta forma fomos selecionando textos poéticos, alguns originais outros adaptados, dos quais, após uma triagem, criamos um alinhamento que nos fosse lógico no que queríamos mostrar e tendo em conta a intensidade dos mesmos. Numa análise destes deparamo-nos com o tema do Amor, uma linha que unia todos os textos. Da selecção passamos à forma. Não foi difícil, pois continuamos no seguimento da pergunta inicial… e fomos descortinando as nossas vontades e estéticas. Fomos caminhando para um projecto circense ou freak show que nos permitisse desconstruir a ideia romântica do amor e mostrar de outros pontos de vista aliados a personagens muito fora do comum, quase decadentes e perdidas, inadaptadas, com um vinco comum – a procura do amor. Oscilando entre um espectáculo em vias de ruir e as vidas de bastidor das personagens, vamos abandonando a comédia, que mascara este espectáculo, para dar lugar à tragédia, num lugar “entre dois tuneis, perto da autoestrada” onde actores, texto, cenário e música trabalham como um só. Em O Amor, Por Definição, É Um bocado… quisemos que o todos funcionasse como uma “melodia só” do início até ao final, com um gráfico de representação muito próprio. O espaço à improvisação existe, em tempo real, mas nada pode funcionar sem o resto. O Amor, a Sociedade, o Dinheiro, os Fetiches, a Melancolia, os Desejos, a Exploração, o Abandono, a Doçura, a Tristeza… estão presentes neste espectáculo camuflado de comédia onde tudo parece caminhar para um fim. O lugar do amor aqui no meio, é algo que convidamos a pensar e principalmente a assistir, levantando perguntas sem resposta, solicitamos ao espectador que as encontre, dentro de si. A.L.


SINOPSE O Amor, Por Definição, É Um Bocado… partiu da

vontade de se explorar um universo que trabalhasse a poesia e a música de uma forma diferente, autentica. Assim nasceu um “circo” decadente, onde tudo está perto do fim, com personagens que, como o texto, funcionam um pouco ao contrário. Contamos com palhaços, gigantes, anões, bonecas, travestis e putas, que apresentam a sua visão do amor, de uma forma muito particular, sem qualquer moral envolvida. O amor tem-se ou é? Vive-se ou compra-se? Constrói-se ou mata-se? Perguntas não respondidas. Apresentadas num espectáculo que não é espectáculo, um circo que não é circo, um show que não é show… Junta-se a comédia e a tragédia e nasce um espaço aberto a tudo o que é rejeitado pela convenção do normal.

O Amor, Por Definição, É Um Bocado…


o amor, por definição, é um bocado puta. de todo o modo, por definição, o amor é um bocado puta

Pai, quero um coração novo. Pode ser de pedra, não faz mal, assim serei menos humano. Mãe, dá-me uns pulmões para o Natal. Nessa altura já estarei farto de acordar todos os dias ao lado dum cinzeiro e sem ninguém ao pé. Avó, se tu estivesses viva, pedir-te-ia uma cidade sem ninguém, Mas como assim não o é, dá-me só um lugar no céu pode ser?

o amor, por definição, é um bocado... de todo o modo, por definição, o amor é um bocado…


Mr. Pepper

o dono do circo


A miuda

“Arqueja-me o dilúculo no ventrículo esquerdo da alma. Quando te avisto a descer, metitabunda, A avenida da minha liberdade de expressão. ...”


a an達


o contador de histĂłrias

uma mulher sentia uma dor no peito que julgava certo lhe ficara ali por amor. era uma dor em espiral que lhe subia e descia o interior do seio esquerdo como se fosse um animal. contava às amigas o seu drama‌


"Hoje não me apetece ser bonzinho... Quero que tu morras! Este é hoje o meu desejo mais sincero. Eu realmente quero que tu morras. Mas que essa tua morte seja apenas a do teu modo errado de viver.

o palhaço


prometo ser-te fiel se mo fores também. não é certo que mo venhas a ser. por isso, já to perdoo

prefiro partir assim para o resto da vida. assim, com os olhos abertos à frustração e talvez à vulnerabilidade não prevejo nada em concreto, acredita, não tenho olhos para outras moças, só digo assim por ser verdade

gigante + anã


CANDY

… todos dormem dentro de caixas, uma serpente flutua falamos baixinho não se ouvem mais barulhos de cidade o sono e o cansaço subiram-me á boca ....movemo-nos lentamente para fora de nossos corpos e devastamos, devastamos.....


A BONECA


Não tenho palavras para descrever o quanto eu gostei deste espectáculo! Continuem a tirar-nos o fôlego assim! Amei Ana Dias

O amor por definição é um bocado… E um bocado de tudo isto que acabámos de ver. A luta constante pelo equilíbrio, seja lá isso o que for! Este show, circo, trapézio da vida, foi mais uma luz da nossa C.A.L. Carla Leal (actriz) … das coisas simples, mas verdadeiras. Simplesmente adorei, por tudo! Alberto Ferreira

Emocionante! Grande trabalho, parabéns!!! São Barradas


O amor por definição é um bocado… fala-nos Uma interessante reflexão sobre o do amor cru, envolvido por palavras amor, sobre a sua etiologia, poéticas, ora bruscas, ora delicadas, diversidade(s), vivência(s), desconstroem-se em prol de uma abordagem, finalidade(s) (ou ausência dela), sem moralismo, a diferentes formas de num texto que eleva a sua amar. Sem questionarem, de forma alguma, o sentimento, nem o seu conceito ou (in)compreensão e convida o divagação filosófica, traçaram linhas em espectador a mergulhar no universo das suas possibilidades. A comédia que desenharam momentos onde “estranhas formas de amar” mostram as suas relações, junta-se à tragédia (como é dito na o que fizeram por amor, o amor ao outro, a ficha), mas é o drama que si próprio, a sonhos realizados ou insidiosamente imana do circo/show perdidos, a desejos… num circo comicamente (que não é circo nem show) podre, um tanto ou quanto decadente mas cheio de vida. O circo, um sitio onde tudo e convida à reflexão, criando a vai ruindo, instalado sob uma aparência tensão, provocando o conflito ao inicial de espaço agradável e divertido, o espectador, estimulando-o a uma que o mantem vivo são as suas personagens, procura de respostas para que não a sua força, as suas histórias, e, de uma fique “tão vazio (duvidas, confusão, forma muito peculiar, o tema como motor de desassossego) quanto as ruas de uma roulotte (não presente na cenografia) Lisboa em hora de ponta (o texto que, de estrada para estrada, vai amando bombardeia-nos com perguntas quantos mais, com mais força, e, paralelamente, carros na entrada da Ponte 25Abril desgastando o asfalto como acontece com a própria estrutura do circo - metáfora ao às 8:15 da manhã)”. No final, não sentimento que, nos dias presentes, devido importa ter respostas sobre o que o a muitos e muitos factores, é o que mais amor é (afinal “ter é sempre tão se precisa e aquilo que menos se encontra. pouco” e é um fardo!!), urge mais Um espectáculo cheio de euforia, alegria, sermos enquanto assistimos, mas lá momentos hilariantes, que no momento seguinte nos dá um aperto no estomago… E no fundo, qualquer coisa de quantos não foram aqueles que, rindo de si existencialismo a acenar, quase próprios, segundos seguintes, a expressão estoico por vezes, mascarado de não era a mesma. comédia, terno e triste, ao mesmo O Amor, Por Definição, É Um Bocado… tempo, enfim, como o amor… parabéns precisa ser visto para se encontrar a (não vos conhecia e assisti hoje, resposta. gostei!!) Ana Manuel (produtora de espectáculos) Edgar Palminhas (psicólogo clinico)


Contactos: Geral_C.A.L@sapo.pt 266 705 002 965 509 113 www.comunidadedeartistaslivres.blogspot.com comunidadedeartistaslivres@facebook.com


Não Ladies and gentleman Meninos e meninas Não Este espectáculo foi criado por mim, na minha roulotte … …

Teaser promocional: http://www.youtube.com/watch?v=W7Fr1Tu3Rqs


cartaz


O Amor, Por Definição, É Um Bocado...