Page 1

lorem 2017.2, EDIÇÃO 01

design, sociedade e cultura na paraíba

ipsum

“Somos todos mais iguais do que gostaríamos.

E, ao mesmo tempo, cada um é único, um padrão que não se repete no universo, especialíssimo. Nossa singularidade só pode ser reconhecida no universal. Tudo é um jeito de olhar.”

Eliane Brum


REVISTA DIGITAL LOREM IPSUM EDITORIAL De que modo designers podem ocupar o papel de transformadores sociais? Ao atuarem como projetistas, pesquisadores, estudantes, os designers produzem cultura e podem ressignificar identidades, difundir valores, mudar a materialidade dos espaços e as dinâmicas sociais. Para tanto, durante a sua prática, devem constantemente se perguntar quais as necessidades, anseios e conexões entre as pessoas, capazes de gerar redes de apoio e transformação. LOREM IPSUM é uma revista digital como exercício de produzir signos a partir de reflexões sobre a identidade cultural do nordeste, da produção paraibana e das ações que buscam modificar contextos nos quais estão inseridas. Realizada pelxs alunxs do 4° período do Curso Superior Tecnológico em Design Gráfico do IFPB – Campus Cabedelo em abril de 2018.

CRIAÇÕES DE: LEONARDO BERNARDO [capa] CYNTIA ELLEN [II] VANESSA ANDRADE [IV] MARCELA LEITE [VI] TAMIRES NUNES [VII] MATHEUS PAULINO [VIII] EMERSON MOREIRA [X] KEZIA PADILHA [XII] THIAGO QUEIROGA [XIV] DRYELI ARAÚJO [XVI] ROSCELLINO NETO [XVIII] TIAGO NAVARRO [XIX] DIEGO BRITO [XX]

THAIS LEIROS [XXI] FELIPE ISIDORO [XXII] EMMILLY FRANTCHESKA [XXIV] WALTER LUCAS [XXVI] LAISE DE LIMA [XXVIII] MARCUS V. QUEIROZ [XXX] LUZIVAN DANTAS [XXXI] RODRIGO POLARY [XXXII] LAILDE BARBOSA [XXXIV] JUAN PABLO [XXXVI] MARCELO VILAR [XXXVIII] ELYDA ALVES [XL]

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – IFPB CST EM DESIGN GRÁFICO - Campus Cabedelo DESIGN SOCIEDADE E CULTURA - 2.2017 Telefone: (83) 3248-5410 E-mail: design.cabedelo@ifpb.edu.br


“Nasci Nasceu Cresceu Namorou Noivou Casou Noite nupcial, As telhas viram tudo Se as moças fossem telhas, não se casariam” (BEIRIZ in JOFFILY ,1980)


PROJETO EDUCANDO NO CAMINHO E OS BENEFÍCIOS DO KARATÊ -por Matheus Paulino

A prática de artes marciais é apontada como uma ótima opção de investimento no cuidado com a saúde. De forma geral, são inúmeros os benefícios proporcionados ao praticante, os quais se mostram tanto em aspectos físicos quanto mentais. Uma dentre as artes marciais é o Karatê-dô Tradicional (caminho das mãos vazias). Nascido em Okinawa, Japão, promove muitas vantagens para quem o pratica: a coordenação motora, por exemplo, será desenvolvida, pois o aluno precisa executar com destreza movimentos simultâneos; O ritmo das aulas, por sua vez, é uma boa opção para perda de peso e aumento da resistência física, beneficiando o sistema cardiovascular, melhorando assim a respiração, que é fundamental na prática dessa arte marcial; A postura também será melhorada através de exercícios e movimentos dedicados a tal pois o uso correto da postura, somada a outras técnicas fortalecem a força do golpe. Aumenta a auto-estima pois o aluno agora sabe que pode se defender mas que deve usar com sabedoria e sempre em último caso pois o karatê

não foi desenvolvido para iniciar lutas, mas para defesa pessoal. Ao contrário do que se pode parecer, o praticante de Karatê não se torna mais violento, isso se deve à filosofia que a arte carrega consigo e em um dos pontos diz “Conter o espírito de agressão”. O respeito é praticado todo o tempo na hierarquia presente no karatê, de modo que o kohai (iniciante) entende a superioridade de conhecimento do senpai (veterano), e este, por sua vez, utiliza desse conhecimento para ensinar o kohai a evoluir: uma consequência disso é o desenvolvimento de habilidades em liderança já que agora ele terá a responsabilidade de guiar e conduzir o kohai até que ele possa se tornar um senpai. Dito isso, se você tem interesse em praticar o Karatê-Dô Tradicional, há diversas academias localizadas pelo país. Aqui na Paraíba o projeto Educando no Caminho fornece aulas gratuitas no bairro de Tibiri II, Santa Rita. Todo Domingo às 7:00 e nas terças e quintas às 19:30. Contato pelo e-mail: dommpsilva@gmail.com.

O projeto é fornecido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia de Tibiri II através da ADRA.

fonte: http://karatedotanaka.com.br


Por Diego Brito Santos

Moda do Nordeste do Brasil?

Publicado no Jornal OTEMPO, Caderno Pandora Tarcísio D’Almeida

Não somente o universo da música nordestina nos presenteou com cantores e compositores do calibre de Alceu Valença, Dorival Caymmi, Cætano Veloso e Chico Science, dentre outros, mas também com a literatura de Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos e Ariano Suassuna, dentre tantos, orgulha-nos com suas sensibilidades interpretadas em canções e impressas nas páginas dos romances, crônicas e pœmas. As danças populares e o artesanato também são outros exemplos de patrimônios culturais. A área cultural da moda da região Nordeste do Brasil tem poucos nomes celebrados no cenário nacional e internacional. Mas esse quadro está mudando graças à realização da principal semana de moda da região, a Dragão Fashion Brasil (DFB), em Fortaleza (CE), a qual direciona e objetiva seus spots para a potencialização dos criadores regionais e que, na edição 2011, propõe o tema Artesanais: Identidades da Moda. O DFB, que tem esse nome por ter sido idealizado para acontecer no Centro Cultural Dragão do Mar, tem trilhado uma trajetória de descobertas e investimentos no traço autoral e conceitual dos criadores de moda da região, responsável por boa parte da autêntica produção com assinatura cultural do país e autoral no desenvolvimento das coleções. Pensando dessa maneira, vimos emergir nas passarelas nomes lançados e já celebrados pelo DFB, como o cearense Mark Greiner, além dos novos talentos, como o baiano Tarcisio Almeida e o cearense Lindebergue Fernandes. Outro palco para jovens criadores nordestinos é o Rio Moda Hype (RJ), que tem em seu line-up o piauiense Martins Paulo, além dos baianos Vitorino Campos e Alexandre Guimarães. Mas não podemos nos esquecer de um grande precursor, o baiano Ney Galvão, que, nos anos 1970, interpretou a vitalidade do povo brasileiro em suas visões de moda. Que tal criarmos a Semana de Moda do Nordeste do Brasil? Fonte: https://bibliobelas.wordpress.com/2013/ 01/29/a-cultura-da-moda-nordestina/


TURISMO

BAÍA DA TRAIÇÃO Criador: Walter Lucas

Casa ANIKAUAI

PARAÍSO OANIKAUAI

Localizada nap praia de Prainha, na Baía da Traição-PB, o nome ANIKUAU (ANHO-IKO-KAUAI, derivado do Tupi) significa “Apenas seja livre,” que reflete a tranquilidade e liberdade que o lugar proporciona. Usando de elementos da cultura e história indígenas, e com cerca de 90% de seu território em reservas Po�guaras, a Pousada Anikuai traz à cidade uma opção para quem quer conhecer e se banhar numas das praias mais belas e conhecidas do estado da Paraíba. Administrada por Brenno Xavier, a pousada oferece conforto para que seus hóspedes possam desfrutar e aproveitar a paisagem de forma mais harmônica possível, deixando uma boa impressão. Com sua decoração inspirada nas tradições indígenas, seu ambiente é repleto de objetos e ilustrações inspiradas na história dos na�vos, trazendo a esté�ca e essência da região ao visitante. ESPAÇO

OANIKAUAI Com ó�mas recomendações de quem já se hospedou na pousada, tudo é feito com carinho e atenção. “Ao chegar no paraíso você já sente a energia maravilhosa do lugar, é inevitável.” Palavras de Nathália, que se hospedou em 2017. Garan�ndo a beleza da região, na pousada é oferecida uma vasta variedade de comidas �picas no café da manhã por conta da casa. Outras refeições são oferecidas também, mas não está incluso na diária. As acomodações propiciam TV a cabo, Wifi, produtos de higiene básicos nos quartos e livre acesso à cozinha para quem desejar preparar sua própria refeição e agua livre. Check-in e Check-out podem se feitos a qualquer hora mediante reservas de outros hóspedes.


IMPACTO O SOCIAL Inicia�va de Brenno em desempenhar um trabalho social de preservação ambiental e do patrimônio cultural, ele promove a divulgação de obras de ar�stas indígenas locais em toda a pousada, há obras de artesanato e pinturas por toda a extensão da pousada como portas e muros, es�mulando a produção de arte e obras com a simbologia po�guara. No momento eles preparam uma exposição na própria pousada de um dos ar�stas locais responsável pelas únicas pinturas plás�cas, o ar�sta Severo. O ar� Paraíso foi inclusive sede de uma palestra sobre etnohistória com par�cipação do professor arte-educador indígena po�guar Pedro Lobo, que se encantou com as informações estampadas em pinturas nos muros do local. Brenno também promove e dá aulas de história local para os na�vos indígenas que não tem muita educação, e também aos que foram catequizados pelas doutrinas jesuítas e carmelitas, assim como aulas para alunos do ensino fundamental e médio das escolas da região, como por exemplo da escola estadual me Antônio Azevedo. É uma forma de trabalho de resgate da cultura an�ga. Também é uma oportunidade para todos os hospedes que chegam em forma de conversar e aprender tudo sobre a história das etnias, conhecer as aldeias e então deixar receita aos aldões com as compras dos artesanatos que os índios fazem pra vender na pousada. Não deixa de ter um papel e impacto social aos pequenos empresários e consequentemente à sociedade como todo, tudo graças à inicia�va de Brenno.

Aula de História, Arte e Iden�dade Cultural Étnica para alunos da rede estadual de educação do município.

Adornos e elementos feitos pelas mãos dos aldeões.

DONO O FUNDADOR Com uma história muito peculiar, nascido em Palmares-PE, terra de índios trombetas. Ele é descendente de índio por parte de pai; foi morar no Recife após uma enchente destruir toda a sua cidade em 2010. Lá, onde segundo ele, não encaixou no perfil da cidade, decidiu por realização e decisão própria e de seu companheiro, transformar sua casa de praia na Baía em uma pousada integrando suas origens e cultura na�vas.

A biodiversidade e sua relação etnobiologica nos Potiguara.

Host e Fundador, Brenno Xavier


A

Milagre Sertão

partir da iniciativa de um grupo de jovens para levar mantimentos às famílias do interior paraibano surgiu a ideia do Projeto Milagre Sertão. A primeira ação desenvolveu-se de forma espontânea, obtendo êxito e se tornando fonte de inspiração e incentivo para uma pesquisa maior sobre o tema, que revelou as causas reais das necessidades existentes. Projeto Milagre Sertão é uma ONG criada em 2013, com sede em João Pessoa, atuante em todo o estado da Paraíba, que busca promover soluções eficazes no desenvolvimento de sistemas sustentáveis através do empoderamento das famílias que sofrem com os efeitos da seca. Nasceu com caráter assistencialis

Diagramação: Laise de Lima

ta e, em decorrência disso, promove ações de atendimento às famílias que vivem na zona rural das cidades paraibanas, levando doações de alimentos, roupas, brinquedos e outros itens de necessidade básica, além de oferecer serviços de apoio à comunidade, como atendimento médico. Paralelamente, o Projeto tem uma linha de atuação baseada na busca por soluções efetivas e duradoras contra os efeitos da seca, como a implantação de sistemas de comércio solidário sustentável, instalação de poços, cisternas, realização de cursos de capacitação para o melhor aproveitamento dos recursos naturais e consequente amenização dos efeitos desse fenômeno natural.

Foto e texto: www.milagresertao.org


Juazeiro frondoso, um sombreiro divino A água no poço, o “cumê dos menino” Não viver do desgosto de só depender do destino” Milagre Sertão - Zé Neto

O Milagre Sertão age em conjunto com a sociedade e depende dela como um pilar de sustentação para continuar a desenvolver seus projetos. Faça sua doação e compartilhe da alegria de poder melhorar as condições de vidas de diversas famílias. Caixa Econômica Federal Agência 0904 OP. 013 Conta Poupança: 25465-3

Rua: Antonio Rabelo Júnior, nº81 Sala 01 e 02 - Caixa postal 076 Miramar - João Pessoa/PB CEP: 58032-090 milagresertao@gmail.com +55 83 3021-9891

#Façapartedessemilagre

“Meu pedaço de chão Meu morar, meu lugar Um dia eu vou voltar Pra te ver florescer Ver meu céu do sertão A brilhar bem feliz Ver o país de Luiz Respirar o viver


Doe a quem tanto doou A Vila Vicentina Júlia Freire é uma instituição filantrópica de Entidade civil de direito privado, beneficente e de assistência social, sem fins econômicos, administrada pela Sociedade de São Vicente de Paulo (Vicentinos). Foi criada em 1944, com a construção de 32 pequenas habitações no terreno localizado no bairro da Torre, doado pela família da Sra. Júlia Freire. A Vila Vicentina oferece aos idosos moradia, alimentação e tratamento nas áreas médica, odontológica, fisioterapêutica e psicológica. Como organização sem fins lucrativos, a Vila doações, tanto material como de depende de d trabalho voluntário, para funcionar de modo adequado. Doações: Banco do Brasil Agência: 0011-6 | Conta: 48.974-3.


Peça gráfica feita por: Rodrigo Polary

NO BRASIL ?!

ISONOMIA RELIGIOSA


Lorem ipsum - design sociedade e cultura na Paraíba  

LOREM IPSUM é uma revista digital como exercício de produzir signos a partir de reflexões sobre a identidade cultural do nordeste, da produç...

Lorem ipsum - design sociedade e cultura na Paraíba  

LOREM IPSUM é uma revista digital como exercício de produzir signos a partir de reflexões sobre a identidade cultural do nordeste, da produç...

Advertisement