Page 1

Boletim Justo A Newsletter da Associação Reviravolta | Julho 2011 | n.º 47 | www.reviravolta-comercio-justo.blogspot.com

Nesta edição: Receitas justas

Saiba que …

Boletim Justo Esta newsletter é publicada com o objectivo de informar, consciencializar e mobilizar as pessoas para as temáticas relacionadas com o Comércio Justo e não só. Nesta newsletter encontrará informação sobre Comércio Justo e a Associação Reviravolta assim como notícias relacionadas com o Consumo Responsável e com o Desenvolvimento Sustentável.

Rótulos

Visa também servir de inspiração através de exemplos positivos como é possível criar um mundo mais justo. Feedback e sugestões quanto à newsletter são sempre bem-vindos e podem ser enviados para: inforeviravolta@gmail.com

Novidades na prateleira

Receitas justas Preparação

Prepare 250 ml de chá rooibos muito forte. Quando ainda estiver muito quente, misture 150g de açúcar integral de cana e

Ponche de Rooibos

mexa até dissolver. Quando estiver frio, junte um litro de sumo de laranja, um litro de sumo de maçã, três chávenas de água e um litro de ginger ale. Guarneça com

cerejas, menta, maçãs e rodelas de limão.

Ingredientes

várias saquetas de chá rooibos do Comércio Justo 250 ml de água 150 g de açúcar integral de cana Dulcita do Comércio Justo 1 l de sumo de laranja do Comércio Justo 1 l de sumo de maçã 3 chávenas de água 1 l de ginger ale cerejas, menta, maçãs e rodelas de limão q.b.

encontra esta e outras receitas no livro “Receitas Justas”, um livro de receitas onde reina a criatividade e bons sabores, mas também a dignidade e a solidariedade. À venda na loja de Comércio Justo no Parque da Cidade do Porto.

P á

ROOIBOS Um chá que tem origem nas folhas e caules das plantas da espécie Aspalathus linearis, planta endémica das regiões montanhosas da África do Sul e cultivada exclusivamente na pequena

g i n a 1

©anlu


A Newsletter da Associação Reviravolta | Junho 2011 | n.º 46 | www.reviravolta-comercio-justo.blogspot.com

região de Cedar Valley, próximo da cidade de Cedarberg. É um arbusto adaptado a solos pobres e a climas quentes e secos. Pode atingir de 1 a 12 metros de altura e tem ramos longos. As folhas lembram as agulhas de um pinheiro e as flores amarelas assemelham-se às da giesta. Sabe-se que há mais de 300 anos, as populações indígenas das regiões

montanhosas ao Norte do Cabo da Boa Esperança (África do Sul) colhiam as partes aéreas do Rooibos silvestre, que faziam fermentar para fazer uma infusão. O Rooibos é uma bebida tradicional quente dos descendentes Khoi (ou Bosquímanos) que vivem na região de Clanwilliam nas Montanhas de Cedarberg. Foram eles os primeiros a colher Rooibos silvestre e a usá-lo para

fazer chá. O Rooibos passou a ser cultivado nos finais dos anos 1920 e tem crescido em termos comerciais desde a Segunda Guerra Mundial. Actualmente, é exportado para todo o mundo e tornouse a bebida nacional da África do Sul. Legenda das Fotos: Chá Rooibos; Capa do livro “Receitas Justas”

Saiba que… 12 Julho –Dia Mundial contra o Trabalho Infantil Pelo direito a uma infância: o Comércio Justo combate a exploração do trabalho infantil.

Pelo menos nestA Altura, pense nas crianças que continuam a sofrer maus tratos, DE doenças, fome e discriminações, e pense nas suas crianças, nos seus filhos e filhas oferecendo ou fazendo uma festa com produtos de comércio justo que mimam as crianças Em ambos os hemisférios do mundo! Os movimentos de Comércio Justo apelam à acção imediata para combater a escravatura infantil, dão acesso à escola e a uma infância digna e feliz. A escravatura infantil destroi de forma horrível a infância de milhões de crianças em todo o mundo.

Todas as crianças que são escravizadas são consideradas um objecto por parte dos seus “donos”, que os humilham, os submetem a abusos, os compram e vendem a outro “dono”. O desafio que se coloca à sociedade é que, se combata os numerosos casos de exploração de trabalho infantil, e se dê também importância, valor e reconhecimento do direito a ser livre e do direito à escola. A escola permite à criança inserir-se num meio social de influência fundamental que proporciona à criança instrumentos de trabalho, métodos de reflexão e conhecimentos que lhe vão ser úteis durante toda a vida, mas também lhe impõe regras e disciplina. Ajudar uma criança ou um jovem a assegurar a ter acesso à escola é um dos pilares do Comércio Justo. Fontes: www.peopletree.co.uk (adaptado) Legenda das Fotos: crianças da Kumbeshwar Technical School cantam na abertura da escola; uma aluna a usar um lenço da Cambodian Threads.

Rótulos São muitos os fabricantes que colocam etiquetas “verdes” nos seus produtos, mas nem todos falam verdade A proliferação de marcas “verdes” é um fenómeno dos últimos anos. Muitas têm enquadramento institucional sério, mas outras são mera autopromoção. Então, que confiança podem ter os consumidores nas informações

“ambiental e socialmente correctas” que lhes são apresentadas? O consumidor dispõe de pouca informação sobre o assunto e raramente conhece o significado dos símbolos que encontra nos produtos postos à venda. Alguns dos símbolos importantes do ponto de vista ambiental são pouco conhecidos – é o caso do Rótulo Ecológico Europeu.

P á g i n a 2

©anlu


A Newsletter da Associação Reviravolta | Julho 2011 | n.º 47 | www.reviravolta-comercio-justo.blogspot.com

Símbolos úteis no momento da compra Rótulo Ecológico Europeu É o único símbolo verdadeiramente ecológico, válido a nível europeu, baseado numa directiva de 1992. Para poder ser usado num produto é preciso que sejam cumpridos diversos requisitos desde o seu fabrico até ao fim do respectivo ciclo de vida. 95% reciclado Quando este símbolo é impresso numa embalagem significa que ela é feita de material reciclado. Pode ser encontrado habitualmente em embalagens de cartão ou de papel.

aditivos alimentares segundo a categoria a que pertencem: antioxidante, corante, conservante, edulcorante, mas como os nomes são complexos ou compridos são atribuídos códigos. Se corantes servem apenas para dar cor são absolutamente dispensáveis. À partida os aditivos alimentares são inócuos, mas as crianças não os devem consumir em grande quantidade dado o seu metabolismo ser diferente do dos adultos. Os edulcorantes substituem os açúcares e é obrigatório ser mencionados. Os ingredientes são discriminados por ordem decrescente de acordo com a sua quantidade no alimento.

que já não o têm. São enganadores e alguns podem provocar alergias. Conservantes (E200 a E299) Servem para impedir o crescimento de bactérias, bolores e enzimas, responsáveis pela degradação dos alimentos. Por exemplo, uma pequena dose de nitritos nos enchidos impede o crescimento da bactéria responsável pelo botulismo, que pode ser mortal. Uma pequena quantidade de sulfito no vinho também permite estabilidade. Antioxidantes (E300 a E321) Servem para diminuir a oxidação dos alimentos em contacto com o ar. Coadjuvante dos antioxidantes (E270, E325, E341 e E472) Reforça a acção dos anteriores Emulsionantes, espessantes e estabilizadores (E322 e E499) Servem para manter ou dar consistência ao produto. Utilizam-se nos produtos light para substituir os hidratos de carbono ou gorduras.

O que significam os “E”?

Rótulos alimentares A uma crescente preocupação com aquilo que comemos nem sempre corresponde a respectiva implementação de hábitos importantes como a leitura dos rótulos alimentares. Quem vai às compras sabe que não é muito habitual ver as pessoas compararem rótulos para decidir o que devem levar para casa. No entanto, perder algum tempo no supermercado pode evitar que a dispensa fique atulhada de ingredientes desnecessários e, muitas vezes, pouco saudáveis. Como ler o rótulo Mesmo com boa vontade nem sempre é fácil. Ora bem, o que acontece é que a legislação europeia obriga a identificar os

A maioria dos produtos alimentares industriais contêm um ou vários aditivos que devem constar obrigatoriamente do rótulo. Nos países da União Europeia, os aditivos alimentares são designados por um número de código, formado pela letra E (de Europa) seguida de três ou quatro algarismos, por vezes a letra E é substituída por um H. Estes aditivos podem ser divididos em 7 grandes grupos, de acordo com as suas propriedades físicoquímicas e condições de utilização. Corantes (E100 a E119) Servem para conferir uma cor atraente ao alimento. A designação “corantes naturais” significa que estes aditivos foram extraídos da natureza. Os corantes podem conferir bom aspecto a alimentos

Intensificadores de sabor (E620 e E640) A maioria das vezes dá sabor a alimentos que já o tinham perdido. Os mais perigosos são os glutamatos, sais de ácido glutâmico que têm acção sobre o sistema nervoso central. Cada vez mais produtos contêm glutamatos: batatas fritas, aperitivos, caldos e sopas instantâneas, refeições preparadas, charcutaria, pizzas. Estes alimentos, quando ingeridos esporadicamente, não têm grandes consequências na saúde. Mas a sua acumulação excessiva pode produzir os seguintes sintomas: alterações da sensibilidade na nuca, braços e dorso, ansiedade, mal-estar, palpitações, dores de cabe ou rubor na face e até mesmo crises de asma. Investigadores neurologistas questionam mesmo a sua influência

P á g i n a 3

©anlu


A Newsletter da Associação Reviravolta | Julho 2011 | n.º 47 | www.reviravolta-comercio-justo.blogspot.com

a longo prazo em doenças neurológicas degenerativas.

Substituem o açúcar. Não se deve abusar deles, sobretudo as crianças.

Edulcorantes artificiais (E420, E421 e E950 a E960)

Fonte: www.apambiente.pt; Revista Fórum ambiente; www.dicasdenutricao.com (adaptados) Legenda das Fotos: rótulo ecológico; rótulo alimentar

Novidades na Prateleira — TARA

O projecto Tara (Trade Alternative Reform Action) teve início de forma muito humilde nos anos 1970 com o objectivo de criar vias de crescimento económico para artesãos economicamente desfavorecidos de Deli, na Índia. Artesãos que não estavam organizados e trabalhavam em casa.

Encorajados pelo êxito inicial do projecto, este foi-se estendendo gradualmente também a outras áreas do Norte da Índia. Desde o início trata-se de um projecto activamente envolvido no sentido de fornecer mecanismos de produção e marketing para artesãos de acordo com os princípios do Comércio Justo garantido assim a dignidade humana. Fonte: Ctm altromercato (traduzido e adaptado) Legenda da Foto: Artesãs da Tara; Bijuteria

Colabore com a Associação Reviravolta como VOLUNTÁRIO. A Lei n.º 71/98 de 3 de Novembro, regulamentada pelo Decreto-lei n.º 389/99 de 30 de Setembro, enquadrou juridicamente o trabalho voluntário. Voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada se compromete, de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre, a realizar acções de voluntariado no âmbito das actividades da Associação Reviravolta. A Associação Reviravolta está receptiva e interessada na colaboração de voluntários. Ajude-nos e valorize-se!

P á g i n a 4 ©anlu

Newsletter | Boletim Justo | Julho 2011  

A newsletter da Associação Reviravolta

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you