Page 63

não pode ser expressa em números ordinários, como pi.) Para ele, a existência era o que restava depois que tudo o mais era analisado. Estava simplesmente “aí”. (Kierkegaard comparava-a a uma rã que se descobre no fundo da caneca de cerveja depois que se termina de beber a cerveja.) Mas quando examinamos nossa própria existência, descobrimos que é mais do que simplesmente estar “aí”. Ela precisa ser vivida. Tem que ser transformada em ação por meio do “pensamento subjetivo”. Esse é o elemento essencial da nossa subjetividade, que conduz à verdade subjetiva. Aqui vemos o que Kierkegaard quer dizer quando afirma que “a subjetividade é a verdade”. Para Kierkegaard há dois tipos de verdade. A verdade objetiva, como a da história e a da ciência, está ligada ao mundo exterior. Pode ser confirmada por referência a critérios externos.

01 kierkegaard em 90 minutos paul strathern  
01 kierkegaard em 90 minutos paul strathern  
Advertisement