Issuu on Google+

AMOL

W

o

r

l

d

m

a

g

a

z

i

n

e

#50 Fevereiro 2014

ww.amol.pt

Portefólio Ruben cruz Música Emanuel delgado em foco Adolfo Usier Teatro Nuno saraiva world models anna novikova maryah marimotto new face ana ramos joana pinto

Carina Figueiredo “A moda depois dos 26” c i n e m a

·

f o t o g r a f i a

-

l i t e r a t u r a

-

m o d a

·

m ú s i c a

·

t e a t r o


amol_mag

new face fevereiro 2014

joana pinto < ana ramos >

2


Editorial Amol Mag nº 50 Ano IV Mais uma Amol, 50 revistas publicadas por um grupo de pessoas que o fazem, sem remunerações, apenas pelo prazer de fazer uma revista. Neste mês continuámos o esforço de levar a Amol para fora das nossas fronteiras estendendo-a a participações de fotógrafos e modelos de outras nacionalidades e não residentes em Portugal. Tentaremos continuar não prejudicando o nosso propósito de dar a conhecer jovens valores que não tiveram ainda grandes oportunidades mas a quem reconhecemos talento. Cinquenta revistas publicadas é mais uma marca, iniciámos hoje o caminho em direcção às 100. Continuem a ler-nos e divulguem-nos. Os leitores também fazem parte desta equipa.   1 de Fevereiro de 2014

apoios

Ficha técnica

3

capa

fotografia

Design Gráfico

Fotógrafos

Carina Figueiredo

Pedro Cabral

André Araújo

Coordenação:

IT Manager

Relações públicas

Pedro Cabral

Tiago Silva

Lili Lopes

Pedro Cabral Nuri Roberto Rodrigues Itália Wanda Pacífico Loris Gonfiotti Holanda Mark Candari

Equipa editorial:

Florisa Nogueira Loris Gonfiotti Noa Mark Candari Nuno Pinheiro Pedro Cabral Wanda pacífico


amol_mag

AMOL_50

Fevereiro

10 12

08

CONTEÚDOS 06_CRÓNICA 08_CINEMA 10_MÚSICA 12_TEATRO 15_MODA 16_PORTEFÓLIO 31_CAPA

11

47_EU NA AMOL 53_EM FOCO 61_WORLD MODELS 77_AMOL ITALY 93_FOTOS DOS LEITORES 97_NEW FACE

4


31 77 53 16 5

93


amol_mag

Crónica

sem medos Sobre/about Noa tem 31 anos. Cronológicos, porque às vezes acorda com 9 anos outras vezes com 77. Não é um caso patológico mas a verdade é que, mais do que tudo, Noa sente. Sente e exprime utilizando a voz, o violino, a literatura, a expressão corporal. Começou por dar aulas. Agora entrega-se à música e às palavras. Noa is 31, but sometimes when she wakes up she realizes she is 9, some other times 77. It is not a problem but something about Noa is really real she feels. She feels and she expresses her feelings when she sings, plays the violin,writes or through her body expression. She started her professional life as a teacher, now she woks music and words.

Conheço uma pessoa muito próxima que não sabe que erra. Toma todas as decisões em consonância consigo mesmo. A sua consciência não reconhece as suas escolhas como sendo de má índole ou que daí possa haver qualquer tipo de consequência para outra pessoa. Não percebe por que lhe ralham ou por que fica de castigo ou porque afasta as pessoas à sua volta. Não entende os argumentos quando explicados porque todos eles são menos importantes que os argumentos da sua integridade. É de uma fidelidade a si própria deveres intransigente e a verdade é que todas as suas acções têm uma segunda perspectiva. Quem age em consciência, erra? Pode ser acusada e condenada? Obviamente, resguardando os casos indubitáveis, quem declara esta gravidade ou a diferença entre o certo e o errado é a maioria, a sociedade, a moral e o bom senso. O curioso é que ela alastra esta perspectiva indisciplinada ao próprio inimigo e, de frente, sem qualquer constrangimento, inquire-o pelas suas acções e por que razão ele precisou de buscar reforços em “amigos” suspeitos. É claro que este tipo de pergunta desconstrói o inimigo e deixa-o desarmado, sem saber como agir a tão diferente reacção. Esta falta de limites, se assim se pode chamar, a falta de medo, a falta de reconhecimento

pelo abismo gera um despeito que o adversário sente-o como: “esta ainda é mais maluca do que eu!” e retrocede. A simpatia e a modéstia cria no adversário um tipo de desplante ao qual ele não sabe reagir e só lhe resta virar costas e ir embora. E é nesta linha de vida que a pessoa que amo vai conduzindo a sua vida, perigosamente (porque mulheres que leem vivem perigosamente), contornando os obstáculos como a água contorna os rochedos no seu leito. Geralmente não se chega a aperceber porque por vezes alguém tão chateado acaba por lhe virar as costas e desiste. Li um dia que uma pessoa calada tanto pode ser um idiota como um génio a pensar. Ela, a pessoa que eu amo. Para M.

Noa’s text is about someone very close that doesn’t know when he/she is wrong. Someone who doesn’t recognize his/her mistakes and for whom the narrator recognizes to be in love.

6


workshop

formação de modelos

3 horas (3 sessões) de formação individual — Segurança — apresentação — pose — agendamento — maquilhagem — book + book 12 a 15 fotos informações: cabralpedro@hotmail.com 7


amol_mag

8


cinema

12 anos escravo Quando ainda há bem pouco tempo se falava de Lincoln e Django Unchained como dois importantes retratos (embora um mais focado que o outro) da escravidão nos Estados Unidos, talvez se estivesse longe de imaginar o portento que chegaria quase um ano mais tarde. 12 Years A Slave está longe do formalismo do filme de Steven Spielberg ou ainda mais da piada do filme de Quentin Tarantino. Aqui não há margem para concessões: o tema é ultra-sério, a dor é real, o que vamos sentir é devastador. Logo o plano inicial revela: não há dúvidas, a escravidão existe. A câmara move-se com a subtileza e virtuosismo suficientes para nos surpreendermos com articulação impressionante entre as pretensões artísticas de Steve McQueen, a forma como compõe a imagem e a forma como transmite a emoção das personagens. É a poesia da imagem que torna tudo ainda mais devastador: a emoção é real, como também o é a dor. Tal como em Hunger e Shame, também 12 Years A Slave retrata a força de um corpo como prisão. É no corpo daquele homem, Solomon Northup, que se vai sentir a imensidão esmagadora do mal que o homem provoca a outros. É também no corpo daquele homem e sobretudo no soberbo desempenho de Chiwetel Ejiofor que vamos perceber que há mais aqui do que dor e agonia, que há mais do aquelas aquelas espantosas e horrendas cenas de castigo físico - onde a dor se faz anunciar, se faz sentir e onde perdura. Há no olhar daquele actor a força da submissão e da injustiça, o poder de estilhaçar o coração do espectador e de proporcionar estupefacção e descrença no Homem enquanto ser social. Há mais ali - e também na intenção do cineasta - do que a vontade de querer retratar o atrozes actos cometidos contra a raça

9

negra nos Estados Unidos. Não é uma intenção meramente histórica, há algo muito mais profundo do que a mera revelação de um sistema moralmente corrompido, da denúncia do sangue derramado, da carne infligida.Steve McQueen não traz a questão da raça à tona, não é uma questão de racismo, é uma questão de maldade. McQueen melhora a sua destreza por conseguir utilizar (ainda melhor) os recursos técnicos que tem à sua disposição - aqui à escala de um orçamento maior. Fá-lo por potenciar a intensidade de cada cena, não só pelo olhar humano que dá à sua lente, mas por permitir que as componentes técnicas nunca se sobreponham ao que pretende, mas sim que complementem. Isso acontece por intermédio da montagem e da justaposição constante de eventos - imagem e som - mesmo que divergentes. Acontece pelo modo como permite que a banda sonora de Hans Zimmer seja um prolongamento do sentimento dos protagonistas, pela forma como dá espaço para escutar o vento nos campos de algodão, para ouvir as vergastadas no ar, as chibatadas na carne, o som da dor. Acontece pelo modo como permite que a direcção de fotografia de Sean Bobbitt seja tão infernal e horrenda (pelos eventos que revela), como dotada de uma rara beleza. E se Chiwetel Ejiofor demonstra um brilhantismo praticamente inigualável, não há que esquecer todo o excelente elenco - um dos melhores castings dos últimos anos. Lupita Nyong’o à cabeça, essa estonteante descoberta, que só uma única cena (momento inevitavelmente devastador em que faz um pedido a Solomon) consegue não deixar margem a mais ninguém para duvidar do seu talento. Uma in-

terpretação não só física - permanecerá na memória por muito tempo a forma como cruel como é retratada - mas também profundamente desesperançada. Paul Dano (a provar que é um dos mais subvalorizados actores de sempre), Adepero Oduye (aquele choro é difícil de esquecer), Michael Fassbender (assustadoramente real) e Sarah Paulson (notável e cínica surpresa) complementam ainda o rol de talento que é esbanjado - é a palavra - à frente da câmara. 12 Anos Escravo permanecerá na História. Não é só um filme sobre a incrível e desconcertante jornada de um homem. É a história da injustiça e não só a demonstração do racismo e da escravidão. É a história da brutalidade humana, mas também a forma como a sociedade aceita como correcto aquilo que lhes é imposto, a história de como a sociedade é subversiva, como o Homem é manipulável. É uma poderosa contribuição para nós espectadores e para a Humanidade: é esmagador.

10/10 Sobre/about Tiago Ramos é um aficionado por filmes, crítico amador de cinema, administrador e redactor do Split Screen (www.splitscreen-blog.blogspot.com), um blogue sobre cinema e televisão, há já quatro anos.


amol_mag

música/music

as as plantas plantas que que curam curam

Sobre/about Nuno Pinheiro, 30 anos, jornalista sem carteira. Nasceu e mora em Lisboa, numa casa com janela para o rio. Talvez por isso esteja muitas vezes bem-disposto e nunca escreva mal de nada. Colabora com a AMOL há uns bons meses e, que se saiba, não escreve sobre Música em mais lado nenhum. Também não precisa.

Os Boogarins começaram por ser um duo mas agora são uma banda de 4 miúdos de 20 anos que exploram os caminhos psicadélicos dos anos 60 e 70. Há quem diga que são os Tame Impala brasileiros mas só pode dizer isto quem não conhece os Mutantes. Presumo que a Rita Lee esteja muito orgulhosa do legado que deixou e da música que estes rapazes fazem. As Plantas que Curam é o álbum de estreia dos Boogarins que, do município de Goiânia, enviaram a maquete para Nova Iorque e conseguiram uma edição internacional. A emoção da voz

e as referências claras a Syd Barrett e Lou Reed na musicalidade, dão-lhes uma aura válida e mágica que ultrapassa o que em teoria seria um problema… cantarem em português. Os instrumentais e as letras têm uma incompreensão contida. Os Boogarins procuram a redenção do amor, o sentido da vida e, mesmo quando se sentem injustiçados nunca se exaltam. A resposta às perguntas deles encontram-se na viagem mística da música que fazem. Lucifernandis, Erre e Infinu são as três canções que abrem o álbum e que

fazem querer ouvir o resto. Se estes brasileiros conseguiram chamar a atenção de Nova Iorque e Londres, não têm como não chegar a Lisboa! Nuno Pinheiro

10


Entrevista

emanuel delgado

Quem é o Emanuel? O Emanuel, e espero que em breve todos os portugueses saibam responder a esta pergunta, é uma rapaz humilde, um rapaz determinado e trabalhador, que sonha vir a ser um cantor profissional. Falando na primeira pessoa, tenho 20 anos, estudo engenharia eletrotécnica e computadores na faculdade de engenharia do Porto. Parecendo que não, sou MUITO tímido, e nem sempre sou confiante. Tenho um estilo um bocadinho diferente, que se deve apenas a um estado de espírito. Quando é que descobres a tua vocação para cantar? Ui! Isso é uma história complicada e uma bocado emotiva, mas vou tentar resumir. Normalmente, ficava um bocado de parte na escola junto dos meus colegas, e um dia, na catequese, tivemos que gravar uma música. Como habitual, fiquei mais para trás, até que uma catequista me pôs mais á frente e comentou com outra: “Olha! Este rapaz canta bem!”. Na altura fiquei muito contente e assim nasceu o meu amor pela música. ;) E a partir daí, como é a tua evolução? A partir daí foi um auto combate. Como não tinha confiança nenhuma em mim, nem sequer tive coragem de dizer que sabia cantar aos meus pais. Aquilo tornou-se numa luta pessoal, quase como se fosse a minha coragem a lutar contra o meu medo. Andei nisso uns anos! Até que, e feliz o dia, a minha mãe apanhou-me a cantar às escondidas no quarto. Depois disso, e com ajuda dos pais e do irmão, tudo foi mais fácil. Comecei por concursos de canto, depois participei em programas de tv, etc etc. Estiveste no FactorX, como é que são vividos aqueles momentos? Sim participei. Os momentos são vividos com MUITA intensidade! Existe muita pressão, muito sentido de responsabilidade e acima de tudo não estamos num paraíso, mas sim num programa de tv. Os nervos e a ansiedade são indescritíveis, como devem calcular. Posso dizer, por exemplo, que o estado de êxtase e adrenalina no primeiro casting foi tal que mal me

11

Emanuel Delgado is a 20 year-old-boy living not far from Porto. He has been in Factor X and he wishes to be a great singer.

lembro do que vi e ouvi enquanto estive no palco. Apesar disso, os melhores momentos da minha vida são vividos nesses ambientes, em cima de um palco. Infelizmente, não consegui chegar às galas, que era o meu objectivo pessoal, mas aprendi muito e foi uma experiencia EXCELENTE! Ah! Claro! Os amigos que fazemos lá, marcamnos imenso, pois são momentos importantíssimos da nossa vida. O júri foi injusto contigo? Não digo que foram injustos, não perceberam o meu talento e também as circunstâncias do programa levaram a tal. Eu tenho noção que era um risco o meu mentor apostar em mim. Ele decidiu não apostar e lá teve as suas razões. Na minha opinião, tanto eu como outras pessoas que ficaram de fora poderíamos ter dado outra “pimenta” ao programa, mas os que ficaram mereceram-no a 100%. Cantas com regularidade? Quem te quiser ouvir o que tem que fazer? Agora nem tanto. Tenho apostado mais na formação, coisa que nunca tinha tido até agora, e também na gravação e edição musical. Estou sempre atento a novos programas e concursos como é óbvio. Quem me quiser ouvir

tem que falar comigo, pedir de joelhos por favor e pagar 1 milhão de euros. Ahahahahahahahahahah. Claro que não! Sou super acessível e simpático. Falem comigo, ;). Quais são os teus projectos na música? Quero apostar cada vez mais na formação e ir tentando em programas, concursos, etc, até conseguir. E penso que mais tarde ou mais cedo alguém vai “perceber” o meu talento. Entretanto, quero acabar os meus estudos porque o mundo da música é muito difícil e é preciso ter uma base que nos garanta sustento. Já estou no 3º ano, só faltam 2. ;) E para além da música? Para além da música, tenho uma vida super normal. Gosto se sair com os meus amigos, sou fanático por ciclismo e gosto de aprender sempre mais. Sou solteiro! Ahahahahahahahahahah.

Obrigado Emanuel.


amol_mag

teatro

Foto: Dan Hubbard

artempalco Fotos de autoria da : MEDIA S7V7N - produções Texto – Leandro Covinha

Nuno Saraiva o que é a ArtemPalco? A Artempalco (Artempalco – Associação de Teatro e Cultura do Beato) é uma associação que tem como principal fim a actividade teatral, se bem que pretende igualmente desenvolver a sua actividade no âmbito das artes em geral, nomeadamente nas áreas da música e dança. Qual o primeiro espetáculo produzido pela ArtemPalco? A nossa primeira produção intitula-se “Lisboa, Pedaço de Nós” e podemos descreve-lo como sendo um espetáculo eclético, onde, na velha Lisboa, o humor está de braço dado com a seriedade do quotidiano. Como ator defina este projeto ? Defino-o acima de tudo como um projeto muito arrojado. Tenho alguma dificuldade em qualifica-lo ou em inclui-lo num género específico visto que é composto por um misto de números de comédia, números ditos sérios, música e dança. Acho que vai surpreender pela qualidade de tudo o que nele se irá apresentar, tudo graças à forma como foi composto e dirigido e aos excelentes textos, música e coreografias que o compõe. Qual vai ser a sua participação em “Lisboa Pedaços de Nós”? Participarei como actor. Sabemos que no espetáculo “Lisboa Pedaços de Nós” haverá a participação de artistas amadores e profissionais como é o caso de Clara, fadista profissional, e do encenador, o ator Rui de Sá. Poderemos considerar este espetáculo semi-profissional? Eu iria mais longe e ousaria dizer que este espetáculo é de facto profissional. A forma como todo o elenco e equipa técnica se dedicou ao mesmo faz com que tenha tudo para que o considere assim. Deixo, contu-

do, ao público o veredicto final. De facto, profissionalmente só a Clara detém uma carreira profissional, neste caso na área musical, nomeadamente no fado. Fadista de créditos firmados, com 2 cds editados, alia também a esta faceta a representação, na minha modesta opinião, de uma forma excelente. O facto deste espetáculo ser inteiramente concebido pelo ator e encenador Rui de Sá - também diretor artístico da nossa associação e dono de uma carreira com 30 anos, com créditos firmados na representação, quer nos palcos, quer na televisão e como diretor de atores e dobragens - é o garante da sua extrema qualidade. O Rui de Sá trata-nos como profissionais e a sua entrega não tem fim. É um nome grande do panorama artístico nacional. Que elementos artísticos e técnicos compõem este espetáculo? Em termos artísticos este espetáculo conta com um brilhante e talentoso naipe de atores, a maior parte já com créditos firmados no trabalho realizado em conjunto anteriormente, e que são: Carla Pires ( que se estreia como atriz neste espetáculo), Clara, Elsa Alves, José Nunes, Manuel Coelho, Miguel Gameiro, Paulo Mesquita e de mim próprio. Os textos são todos originais e da autoria de André Camilo, Beatriz Saraiva, Inês Marto, José Nunes, Manuel Coelho, Miguel Gameiro e Rui de Sá. A cenografia e figurinos são de Joaquim Castelo, a direção musical de Pedro Bargado e a música original também de Pedro Bargado e Tiago Silva. Para quando e onde a estreia? A ante-estreia e a estreia serão nos dias 7 e 8 de Fevereiro, pelas 21.30h. no Teatro Gil Vicente, em Cascais e gostava de aproveitar a oportunidade para agradecer publicamente à direção do teatro, na pessoa do seu zelador, o nosso amigo e colega ator Joaquim Carvalho, por uma vez mais nos ter aberto as portas daquele espaço tão emblemático. A estreia de um grande espetáculo, como esperamos que o nosso venha a ser, só podia acontecer também numa grande sala. O que tem de diferente este espetáculo para poder cativar o publico? Tal como referi acima, penso que a própria dinâmica do espetáculo e os temas ali abordados será o garante para cativar o público. É um espetáculo que tal como o descrevemos gira em volta de Lisboa, das suas gentes, das suas realidades passadas e presentes, tudo com muito humor, amor e acima de tudo verdade e respeito. Projectos Futuros ? Todos os que conseguirmos realizar e esperamos que sejam muitos e que possamos afirmar a Artempalco como mais uma difusora do que de melhor se faz no panorama artístico em Portugal.

12


13


amol_mag

uma produção

LISBOA ,

PEDAÇOS DE NÓS

Com:

CARLA PIRES CLARA ELSA ALVES JOSÉ NUNES MANUEL COELHO MIGUEL GAMEIRO NUNO SARAIVA PAULO MESQUITA

CoreograÞas e Bailados de: BRUNO PAREDES LUIS DRAKE MARIA MAIA MÓNICA BATALHA

Contacto para reservas:

artempalco@gmail.com 214830522 - 966567551 www.artempalco.pt.vu

Encenação e Direcção: RUI DE SÁ Direcção Musical:" PEDRO BARGADO Mœsica Original: TIAGO SILVA PEDRO BARGADO Figurinos e Cen‡rios: JOAQUIM CASTELO

Textos de: ANDRÉ CAMILO BEATRIZ SARAIVA INÊS MARTO JOSÉ NUNES MANUEL COELHO MIGUEL GAMEIRO RUI DE SÁ

Dias 7 e 8 Fevereiro 2014, 21.30 h.

TEATRO GIL VICENTE, em Cascais Fotografia de Nuno Trindade ©

14


moda/Fashion

outono/inverno

Florisa Nogueira brings us the new Fall/ Winter tendencies for men.

Depois de apresentarmos as tendências de Moda para mulher está na hora de darmos um pouco de atenção ao vestuário masculino. A Amol traz-lhe as tendências masculinas para este Outono Inverno. As inspirações para esta estação são variadas, desde um look punk glamoroso até à alfaiataria mais estruturada. Está presente um luxo relaxado com peças especiais e de bom corte, trazendo a alfaiataria ao sportswear. As terras altas da Escócia trazem-nos os padrões tartan e peças de inspiração equestre. Peças como o casaco de baseball recebem nova vida, feitas em materiais e cores inesperadas, tanto luxuosas como casuais. Os restantes casacos e sobretudos são estruturados e muitas vezes de escala ampliada. Nos acessórios observa-se a utilização de lenços atados ao pescoço e cachecois muito grandes de tricôt. O cabedal está também em voga nesta estação, acompanhado de materiais como pelo de diferentes padrões, algo pouco usual na Moda masculina. O tricôt colorido invade as tendências, com camisolas em grande escala. As cores do ano são o bordeaux, um pouco acastanhado, e o cinza misturado em tons e padrões num look total. O color blocking colorido ou em preto e branco marca também as tendências. Como já foi referido o tartan está entre os padrões mais usados nesta estação, abundante em padrões geométricos, no entanto padrões barrocos emprestam ainda uma qualidade luxuosa a muitas peças de streetwear. Texto: Florisa Nogueira Fotografia: Pedro Pinho

15


amol_mag

rub

Portef贸lio

Ruben Cruz, um arquitecto paisagista que leva a fotografia muito a s茅rio

Ruben Cruz is a landscape architect who loves photography.He likes shooting beauty/fashion and also loves digital retouching and digital art. Have a look at his photos.

cr 16


ben

ruz 17


amol_mag

Portefólio

ruben cruz

Olá Ruben. Quem és tu? Olá chamo-me Ruben Cruz, sou arquitecto paisagista de formação, mas fotógrafo de eleição. Nasci e fui criado numa vila perto de Santarém mas actualmente resido em Coimbra. Sou um eterno apaixonado por arte e amante de fotografia. Fora do contexto profissional sou uma pessoa divertida e descontraída. Como é que a fotografia entra na tua vida? Terminei o mestrado em arquitectura paisagista, um pouco por imposição da família como igualmente do paradigma que vivi após terminar o ensino secundário. Durante a minha formação superior já sentia um interesse no mundo da fotografia, principalmente a área de beauty|fashion posteriormente a finalizar o curso decidi dar o beneficio da dúvida. Assim comecei a conhecer e estudar o mundo da fotografia descobrindo que tinha um grande gosto, quer a fotografar como no digital retouching. O que é que mais gostas de fotografar? Tenho preferência em beauty|fashion. Este tipo de trabalhos proporciona uma total liberdade criativa, onde consigo associar a técnica à estética. Este tipo de fotografia faz-me sentir totalmente preenchido, em todas as vertentes, sejam sociais, tecnológicas, criativas, etc. Acredito que as experiências de vida e a personalidade do fotografo são determinantes no modo como ele fotografa. O desenvolvimento da técnica, refinar do olhar e trabalho de pós-produção são variáveis que influenciam a forma como ele se exprime. Para além de fotógrafo quem és tu? Sou arquitecto paisagista com o grau de mestre. A minha formação académica influencia positivamente a minha fotografia, quer em termos conceptuais e estruturais de cada trabalho, como também tento obsessivamente a integração da modelo em sets rectilíneos, o que por vezes é impossível. Sendo um entusiasta por digital retouching e digital art nos meus tempos livres tento sempre aprender novas técnicas e aprofundar os meus conhecimentos

Consegues olhar à volta como qualquer pessoa ou vês o mundo através duma câmara? Consigo desligar a câmara sim, felizmente. Mas admito que ela insiste em ligar-se sozinha, isto derivado da minha preferência e foco de trabalho como fotografo, beauty|fashion. A busca de inspiração para trabalhos é diária e constante, onde podem ocorrer pelo deslumbramento do trabalhos de outros colegas, ou mais comum são situações, acontecimentos ou percepções do quotidiano que me inspiram. Neste contexto penso que

veja o mundo através duma câmara não directamente de “capturar” o momento, mas de inspiração para futuros trabalhos. Já conhecias a Amol ... Qual a tua opinião sobre o projecto Amol? Sim já conhecia a Amol e sempre achei muito interessante e dou bastante valor à capacidade de iniciativa e o projecto Amol, como outros do género. Mas admiro a capacidade que tem demonstrado em melhorar com o tempo.

18


19


amol_mag

20


21


amol_mag

22


23


amol_mag

24


25


amol_mag

26


27


amol_mag

28


29


amol_mag

30


capa

Carina figueiredo

Carina Figueiredo is 34 years old. She is from Barcelos, Portugal. She loves modelling and she was invited to be the cover of our magazine in a party where we were supposed to choose one of the participants.

31


amol_mag

capa

carina figueiredo Carina Figueiredo, selecionada para capa da Amol numa festa da Be Exotic como recebeste a notícia? Para ser sincera, foi uma grande surpresa numa noite que estava a ser agradável e ficou ainda melhor. Ser selecionada entre as demais modelos fez-me sentir lisonjeada e foi com enorme alegria que aceitei o vosso convite. Quem é a Carina Figueiredo? Sou uma jovem de 29 anos e vivo em Barcelos. Sou uma pessoa comunicativa, alegre, amiga do meu amigo e o mais importante para mim é a família. Adoro tudo o que tem a ver com moda, dançar, ouvir música, fazer desporto, ir à praia e estar com os amigos. O meu maior defeito é a teimosia mas também tenho virtudes como saber dar o braço a torcer e perdoar. Sabemos que te tens dedicado à moda e fotografia. Como é que entraste neste mundo? Aos 26 anos fui convidada a desfilar no Esposende Fashion e na altura aceitei porque sempre tive a curiosidade de saber a sensação de estar numa passerelle. Adorei a experiência e pouco tempo depois fui a um casting da Be Exoctic Agency onde fui aceite. Comecei por ter formação, desfiles, sessões fotográficas e foi assim que dei os meus primeiros passos no mundo da moda. Muitos trabalhos? Alguns. Em que pensas quando estás diante de uma câmara numa sessão fotográfica? Para começar, penso que a atitude é o mais importante por isso a confiança e concentração são os pontos essenciais que tento ter sempre presentes. Sobre os pensamentos, tem tudo a ver com o que é pretendido, ou seja, dependendo do objetivo do trabalho, tento pensar em coisas que me façam sentir as emoções pretendidas na fotografia.

32


33


amol_mag

34


35


amol_mag

36


37


amol_mag

38


39


amol_mag

40


41


amol_mag

42


43


amol_mag

E agora, que proposta gostavas que te fizessem? Qualquer proposta que me fizesse mostrar de forma irreverente o meu valor e que dê a conhecer melhor a minha imagem e trabalho para que se possam abrir “portas” para novos projetos. No teu dia a dia és uma mulher vaidosa? Sim, adoro cuidar de mim. Penso que cuidar da nossa imagem é ter auto-estima, é gostar de nós próprios. Além do mais, penso que é fundamental ter alguns cuidados quando se entra no mundo da moda. Que fazes nos teus tempos livres? Costumo ir até ao parque da minha cidade para fazer algum desporto, ouvir música, dançar, passear pela praia e estar com os amigos. Qual a tua opinião sobre o projecto Amol Magazine? Penso que é um projeto inovador no sentido que dá a conhecer a imagem e trabalho de algumas modelos menos conhecidas. Foi difícil trabalhar connosco? Voltavas? Não, foi muito bom e profissional. Gostei da experiência pelo que se fosse apresentado um trabalho motivador, aceitaria sem qualquer problema.

44


Respostas com uma só palavra: Cor? Rosa Prato? Francesinha Bebida? Água Música? Royals - (Lorde) Animal? Cão Carro? BMW X6 Mulher? Sensual Homem? Cavallheiro Sexo? Essencial

45


amol_mag

making of Fotografia, produção e edição: Pedro Cabral Modelo: Carina Figueiredo Make up: Marta Moreira Vestuário: Kallima

A Kallima vestiu a Carina e ofereceu um conjunto lingerie.

A Ydentik, Matosinhos, passa a oferecer um perfume Ydentik às nossas modelos capa.

46


eu na amol

Nuno alves

47


amol_mag

Uma das razões para enviar as minhas fotografias foi o facto de estar à procura de novos trabalhos nesta área, também pelo gosto que tenho pela fotografia e por querer evoluir.

Nuno is sending is photos hoping that showing his work will open new doors.

48


Nome/name: Nuno Alves Idadeage: 21 Altura/height: 1,83 m Peso/weight: 75 Kg Residencia/Homecity: Guimar達es Fotografia/photographer: Ana Rita Da Silva

49


amol_mag

50


51


amol_mag

52


em foco

Adolfo Usier

Tentação, forte e sedutora. É senhora dos sentidos, assume cores e sabores, embelezando os perigos, nunca ficando indiferente aos olhares, com sua delicadeza desde os tempos milenares ... Assim é a Tentação, o mestre na sedução. (texto-Sergio Vieira)

53


amol_mag

Ficha técnica: Modelo/model: Cate Grilo (Royal Tattoos) Coimbra Maquilhadores (MUA): Adolfo Usier e Daniela Grilo Consultores de Moda e Produção /production: Adolfo Usier, Cate Grilo e Daniela Grilo Fotografia e edição/photography: Adolfo Usier (Coimbra)

54


55


amol_mag

Send us your photos until the 15th of each month for amolmagzine@ gmail.com with â&#x20AC;&#x153;Focusâ&#x20AC;? in the subject. Go to http://magazine.amol.pt/participa/emfoco download the disclaimer you have to send us and get acquaintance with the rules of this editorial. We are waiting for you.

56


57


amol_mag

58


59


amol_mag

60


world models

Maryah marimotto

World models is the new Amol section for models living out of Portugal. If you wish to publish your photos with us and let the world see your work, mail to amolmagazine@gmail.com, send us some photos and weâ&#x20AC;&#x2122;ll answer back with all the necessary information. Amol is waiting for you!

61


amol_mag

62


Maryah Marymotto é uma modelo de Espanha embora pense nos próximos meses saír de Espanha. Faz moda, moda alternativa (látex, fetish, pin up, anos 50, nu ...) e gosta de trabalhar com todo o tipo de artistas. Para além de ser modelo é também guitarrista e professora de Matemática

63

Maryah Marymotto is a model from Spain but her idea is going outside to live in the next months. She is into fashion, alternative fashion (latex, fetish, pin up, 50’s, nude ...) and she loves working with artists of all kinds. Besides being a model she is a guitarrist and Math’s teacher.


amol_mag

64


65


amol_mag

Modelo/Model: Maryah Marymotto https://www.facebook.com/pages/ Maryh-Marymotto/128306620616382? ref=hl http://raid.bandcamp.com/ Fot贸grafo/Photographer: Jmurias Fotografia www.jmurias.es

66


67


amol_mag

68


world models

anna novikova

World models is the new Amol section for models living out of Portugal. If you wish to publish your photos with us and let the world see your work, mail to amolmagazine@gmail.com, send us some photos and weâ&#x20AC;&#x2122;ll answer back with all the necessary information. Amol is waiting for you!

69


amol_mag

Nome/name: Anna Novikova Nacionalidade/Nationality:Russian Idade/age: 23 Vive em/Lives in: Novosibirsk (Siberia), but also in Moscow and Paris Altura/height: 1,77 Peso/weight: 56

70


71


amol_mag

72


Anna Novikova iniciou a carreira de modelo profissional há 3 anos, embora sonhasse ser modelo desde criança. Gosta de ser criativa e considera interessante tentar perceber o que as pessoas pensam quando vêm as suas fotos.Fala russo e inglês. Anna Novikova started modeling as a pro 3 years agoSince she was a little girl she has dreamed about being a model. She likes to be creative and feeling what people think when watching her photos. She speaks Russian and English.

73


amol_mag

74


75


amol_mag

76


amol italy

loris gonfiotti

Loris Gonfiotti é um fotógrafo de Toscana, Itália. Considera que aaptidão para a fotografia de Glamour é inata e que o seu destino ficou traçado em 2003 quando encontrou a actual mulher e abraçou a fotografia de Glamour. Loris Gonfiotti is a photographer from Toscana, Italy. He thinks his aptitude for Glamour is innate and that his destination was decided when he shot his actual wife and started shooting glamour.

77


amol_mag

78


79


amol_mag

80


Gerardo Molinaro,”GERRY”, é um modelo e personal trainer com 27 anos. Gerardo Molinaro, aka "GERRY", is a 27 year-old Italian boy, model and personal trainer. Gerardo Molinaro in arte “GERRY”, ragazzo italiano 27enne, modello e personal trainer , per gioco si è trovato davanti alla mia macchina fotografica e adesso sta per uscire su un importante lavoro fotografico pubblicitario.

81


amol_mag

A sessão fotográfica foi realizada no verão passado nas proximidades de La Spezia, no famoso porto de Liguria, num veleiro entre ondas e outras embarcações. A simbiose de Gerry com o local foi imediata.

This photoshoot was held last summer in the vicinity of La Spezia, in the famous harbor of Liguria, in a sailboat in beautiful crystal clear waters with waves and other vessels around. The symbiosis of Gerry with the location was effective Il servizio si è svolto nell’estate passata nei pressi di La Spezia , famoso porto ligure, su una barca a vela nelle stupende acque cristalline tra onde e altre imbarcazioni, la simbiosi di Gerry con la location è stata subito incisiva

82


83


amol_mag

84


amol italy

wanda pacífico

Wanda Pacifico é uma fotógrafa italiana, de Roma, com interesse por várias áreas mas que coloca muita da sua criatividade no ambito do munda da fotografia de moda.

Wanda Pacifico is an Italian photographer working in different areas of photography. Most of her creativity is shown in photography and fashion.

85


amol_mag

Modelo/ Model: Olga Voevoda Make up and photography: Wanda PacĂ­fico

86


87


amol_mag

88


89


amol_mag

90


91


amol_mag

92


amol

fotos dos leitores

93


amol_mag

94


foto do mês Categoria:Arquitectura Título: Dawn Autor: Ricardo Pedro

95


amol_mag

Categoria: Retrato TĂ­tulo: Bruna Autor: Ricardo Pedro

96


new face janeiro 2014

joana pinto

97


amol_mag

98


Joana pinto Nome/Name: Joana Pinto DN/DB: 25/02/1993 Cidade/ City: Famalic達o Medidas/details: Altura/height:169 cm Peso/weight: 65 Kg Peito/bust: 34 cm Cintura/waist: 34 cm Ancas/hips: 40 cm Olhos/eyes: castanhos/brown Cabelo/hair: preto/black

99


amol_mag

100


101


amol_mag

102


tipos de trabalho: retrato/Portrait Glamour Bikini Lingerie Nu/Nude

103


104


new face janeiro 2014

ana ramos

105


amol_mag

106


Ana ramos Nome/Name: Ana Ramos DN/DB: 19/10/1988 Cidade/ City: Cascais Medidas/details: Altura/height: 161 cm Peso/weight: 58 Kg Peito/bust: 86 cm Cintura/waist: 67 cm Ancas/hips: 92 cm Olhos/eyes: castanhos/brown Cabelo/hair: castanhos/brown

107


amol_mag

108


109


amol_mag

110


tipos de trabalho: retrato/Portrait Glamour Bikini Lingerie Nu/Nude

111


amol_mag

Be amazing Be sexy, be you!

you

by pedro cabral

www.cabralpedro.pt

112


AMOL Magazine 50 - Fevereiro 2014