Page 1

PORTFOLIO

Amélie Thouveny Architecte Diplomée d’Etat amelie.thouveny@gmail.com +33 6 98 61 23 57 // +55 21 98993 8750

2018


Fotografia de cobertura: Amélie Thouveny. Projeto «Chez Georges».Santa Teresa, Rio de Janeiro. 6 Fevereiro 2015


CONTEúDO CURRICULUM VITAE RESUMO PROJETOS SELECIONADOS


amelie thouveny 18.01.1991 Marseille, França Nacionalidade: Francesa Endereço: Rua itaipava, 144/ 102 Jardim Botânico CEP: 22461-030 Rio de Janeiro - RJ @: amelie.thouveny@gmail.com Tel +55 21 989938750 (BR) +33 6 98 61 23 57 (FR)

formaçÃo Fev 2014 2013 - 2014 2011 - 2012 2008 - 2014

Diploma Estadual Francês na Escola de Arquitetura de Versailles (ENSA-V) Projeto de conclusão de curso: evolução do tecido urbano da cidade do Rio: «Acupuncture Carioca» Intercâmbio Universitário na PUC - Rio de Janeiro, Brasil Escola Nacional Superior de Arquitetura de Versailles (ENSA-V)

experiência MSF BRASIL | Khost, Afghanistão Manager de Construção | Setembro 2017 - Março 2018 Management de equipe, planificação de projetos e estratégias, acompanhamento financeiro e temporal de todos os projetos de construção do terreno MSF da maternidade de Khost. PLANEJAMENTO DE ESTRATEGIA DO PROJETO - Pesquisa de soluções existente para a evolução do projeto de maternidade MSF sobre a reabilitação do predio principal. Apresentação de diferentes estratégias em função dos custos e da duração do processo. ESTUDOS E CONCEPÇÃO DE PROJETOS - Desenvolvimento de projetos e verificação de planejamento de projetos na area da maternidade MSF. - Apoio à estudo sismico do prédio principal da maternidade MSF. CONCORRÊNCIAS DE OBRAS - Preparação de processo de concorrência e negociação pòs escolha da empresa Afegã. SUPERVISÃO - Supervisão das obras da maternidade e das obras de apoio à centros de saude da area de Khost.

FREELANCE | Rio de Janeiro, Brasil Concepção e acompanhamento de projetos diversos | Setembro 2016 - Agosto 2017 INTERIORES - DECORAÇÃO - Projeto Itaipava: decoração e acompanhamento de instalação dos interiores do Sitio São Marcos em Itaipava. ARQUITETURA - Estudo de viabilidade de execução do prédio principal da sede da empresa «Viação Redentor» com o escritório Areia Arquitetura. GRAFISMO - Projeto «Galpão Aplauso», produção do novo design gráfico de um conceito nacional de educação brasileira, ganhado pelo Estúdio Forno de design grafico.

PRINTEMPS Haussmann pólo de arquitetura | Missão de consultoria com MEOTEC Consulting | Paris, França Arquiteta assistente chefe de projeto | Outubro 2015 - Julho 2016 (10 meses) Projeto «L’Homme». Reabilitação da integralidade do futuro prédio do «Printemps de l’Homme» do térreo ao 5° andar. Recepção dos projetos de designers selecionados e verificação do respeito às exigencias «Printemps». Desenho de espaços e organização dos movimentos de marcas durante as fases provisórias. Projeto «Food». Elaboração de um conceito mercearia/restaurante para a loja «Printemps».


SDAL Engenharia Ltda | Projeto «Chez Georges» | Rio de Janeiro, Brasil Arquiteta / Consultoria | Março 2014 - Julho2015 (1 ano e 3 meses) Cliente: Privado. Obra de reabilitação de casa modernista com mudança de uso: hôtel de luxo, 596m2 em um terreno de 1586 m2. Bairro de Santa Teresa, Rio de Janeiro. LICENÇA DE CONSTRUÇÃO - Assistência aos aspectos jurídicos e legislativos: elaboração de pedido de licença de construção, em colaboração com uma arquiteta especializada em direito da construção brasileiro. CONCEPÇÃO + OBRA - Interface entre engenheiros da obra (BR) e cliente (FR) + traduções orais + tradução de documentos administrativos relativos ao projeto. - Concepção de modificações de projeto de diversas naturezas: arquitetônicas / espacialidade / decoração. - Concepção da segunda parte do projeto: piscina e planejamento de dois andares: quartos + estúdio de música. SUPERVISÃO DE OBRA - Administração da obra com o engenheiro responsável: gestão do calendário de execução e gestão das equipes. - Assistência ao cliente (FR).

Escritório Chaix & Morel et Associés | Paris, França Desenhista Projetista | Março 2013-Junho 2013 (4 meses) CONCURSO EuroRennes Feval_ Escritórios e Comércios Rennes, França. APS/ PC Reabilitação do Triângulo Histórico Roland Garros (8,6Ha)

Escritório Allende Arquitetos | Madri, Espanha Estagiária | Julho 2010 (1 mês) Escritório 3A Architectes Associés | Marseille, França Assistente de operações pré recepção da obra | Julho 2009 - Agosto 2009 (2 meses) SUPERVISÃO DE OBRA Hospital / Casa de Repouso_ Pont st Esprit, França Elaboração e supervisão da tabela de reservas da obra.

conhecimentoS Habilidades professionais - Management de equipe de obra para a SDAL Engenharia no projeto de reabilitação «Chez Georges». - Construction manager position during 6 months in Khost, Afghanistan for MSF Maternity Project Programas Autocad Rhinoceros 3DS max Sketchup

++++ ++++ ++++ ++++

Línguas

Photoshop Illustrator Indesign Premiere Pro

- Francês (língua materna) - Alemão (segunda língua materna): nível bilíngue - Inglês: fluente (oral e escrito)

++++ ++++ ++++ ++++

Word Excel Power Point

++++ ++++ ++++

V-Ray Laser Cut

++++ ++++

- Português: fluente (oral e escrito) - Espanhol: debutante

interesses Viagens América do Sul América do Norte Europa

Esportes Música

| Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Manaus, Bélem, São Luis, Olinda, Recife (...) | New York, Montréal | Berlin, Bonn, Köln, Londres, Lisboa, Porto, Madri, Viena, Barcelona, Turin Ginástica, Voleibol, Karatê, Snowboard, Esqui, Dança affro- brasileira Membro de fanfarra de Belas Artes (5 anos). Trompete

LINKS Portfolio Artigos

https://issuu.com/ameliethouveny/docs/ame__lie_thouveny_portfolio_2017 https://www.designhotels.com/hotels/brazil/rio-de-janeiro/chez-georges https://media.wix.com/ugd/1cf7a7_dcda355bb8e14c72a15ce048e0bffaa2.pdf (LIFE Magazine)


projetos Multiplicity Projeto Ensa-v Licence 2 Versailles, França

Pimp my chair Projeto Ensa-v Licence 2 Versailles, França

Tommy burns Projeto escala 1 Licence 3 L’isle D’abeau, França

RESCALE Intercâmbio Universitário Master 1 Paris, França

decalage nocturne Projeto Ensa-v Master 2 Paris, França

REABILITAção ROLAND GARROS Estágio AACMA Master 2 Paris, França

PATCHWORK CARIOCA Monografia Master2 Versailles, França

PROJETO "Chez Geor Supervisão de o Concepção Rio de Janeiro,

2010 2012

2011

2013

CONCURSO EURORENNES FEVAL Estágio AACMA Master 2 Paris, França

Autour de.... Projeto Ensa-v Licence 3 Versailles, França

Medicos sem fronteiras (MSF Brasil) .8

PROJETO ITAIPAVA .16

ESTUDO viação REDENTOR .18

Le Printemps (Retail)

"

.22

"

Chez Georges (Reabiltação) Santa Teresa, Rio de Janeiro, Brasil

Supervisão de obra_ Concepção / 2014-2015

.54

Paris, França

Estágio AACMA - Master 2 / 2013

.66

Paris, França

Estágio AACMA - Master 2 / 2013

.70

"RESCALE"

Printemps Haussmann, Paris, França

Consultoria de Arquitetura / 2015 - 2016

Projeto Final / 2013-2014

CONCURSO "EURORENNES FEVAL"

Jacarepaguá, Rio de Janeiro, Brasil

Estudo de viabilidade / 2017

Rio de Janeiro, Brasil

REABilitação Do triângulo histórico ROLAND GARROS

Itaipava, Rio de Janeiro, Brasil

Decoração de Interiores / 2017

ACUPUNCTURE C Projeto Final Diploma ENSA- Versailles, Fra

"ACUPUNCTURE CARIOCA"

Khost, Afghanistão

Missão Humanitaria Arquitetura / 2017-2018

2014

Rio de Janeiro, Brasil

Intercâmbio Universitário - Master 1 / 2012

.72

" decalage nocturne " .28

Paris, França

Projeto Ensa-v - Master 2 / 2012

.74


MSF AFGHANISTAN Missão Humanitaria Khost, Afghanistan

projetOs retail le printemps Consultoria de Arquitetura Paris, França

rges" obra Brasil

2015

2016

CARIOCA de Arquitetura ança

PROJETOS FREELANCE Arquitetura: Projeto Redentor Arquitetura de interior: Projeto Itaipava Design gráfico: Projeto Galpão Aplauso Rio de Janeiro, Brasil

"Autour de...."

Mantes la Jolie, França

Projeto Ensa-v - Licence 3 / 2011

TRAbalhos Fotográficos

Diversos

Projeto Ensa-v - Licence 2 / 2011

TRAbalhos DESIGN gráfico Diversos .80

"Multiplicity" Paris, França

Projeto Ensa-v - Licence 2 / 2010

.82

" Tommy burns project " L’isle d’Abeau, França

Projeto de Aprofundamento Licence 3 / 2011

.84

"Patchwork carioca" Rio de Janeiro, Brasil

Monografia - Master 2 / 2013

.90

.76

"Pimp my chair" Paris, França

2018

2017

.86

.92


MEDICOS SEM FRONTEIRAS_ AFEGHANISTãO Khost, Afeghanistão

Localização: Maternidade MSF Khost Período: Setembro 2017- Março 2018 Programa: Edifício Equipe: MSF+ National Local Staff

Os Médicos Sem Fronteiras, ONG humanitária francesa criada em 1971, atuam em mais de 70 países com projetos variados, em função do atendimento médico necessário. Em alguns destes projetos, a MSF atua a longo prazo, investindo no apoio específico e construindo infraestruturas. Eu tive a sorte de participar durante seis meses de um dos seis projetos que a MSF realizou no Afeganistão: reabilitação da maternidade de Khost, no Suldeste de Kabul, a uma hora da fronteira paquistanesa. Este projeto se iniciou em 2012, e a entrega final da estrutura está prevista para 2022. Atualmente, o edifício principal da maternidade é um prédio construído pelos americanos em 2002, no início da guerra por duas empresas diferentes. Hoje, ele mostra sinais de fraquezas, e um estudo sísmico está sendo feito para avaliar até que ponto a estrutura ainda pode ser utilizada. É um momento chave na evolução do projeto, sendo necessário definir rapidamente uma estratégia de atuação e avaliar as possíveis soluções, em função de prazo e dos investimentos necessários. Concomitante a esse estudo, desenvolvi vários outros projetos no mesmo complexo da MSF no período que estive em missão. Trabalhando como ”construction manager”: gerente das operações de construção. De fato, eu tive que gerenciar, junto à equipe da MSF, o andamento das obras de construção bem como as diferentes fases dos projetos, a serem desenvolvidas ao longo dos meses. Iniciamos a construção de um centro de neonatologia, a reabilitação do laboratório de microbiologia, e ao mesmo tempo (em menor escala), seguimos as obras do edifício dos geradores que alimentam o complexo. Todos esses projetos foram validados pelo escritório MSF de Kabul, antes de serem divulgados em licitações para selecionar uma empresa local. Além da ajuda direta às comunidades, a MSF está sempre buscando a participação da economia e mão de obra locais, permitindo assim uma troca direta com a população e o consequente entendimento sobre as atividades realizadas pela MSF. Este é um elemento muito importante para o reconhecimento e a aceitação da ONG na área. A maternidade da MSF é a principal na região, comportando o maior número de nascimentos – foi estabelecida em 2017 uma média de 2.000 bebês por ano. A estratégia do lugar a longo prazo é o tratamento 8

de casos mais complicados, mas para os partos normais a maternidade do hospital público recebe também o apoio da MSF. O povo pashto tem um grande senso de comunidade, e Centros Comunitários de Saúde (CHC) foram abertos ao longo dos anos para facilitar o acesso da população que vive ao redor da cidade principal. Além dos projetos dentro do complexo, desenhamos, organizamos e seguimos também as obras de apoio destes centros: um dos planos para 2018 é a instalação completa de uma ”Waste Zone” (zonas definidas de lixo organizadas para isolar os resíduos orgânicos da maternidade e os resíduos medicais) para cada maternidade comunitária. Nessa missão, tive a oportunidade de liderar uma equipe de engenheiros afegãos e desenvolvi capacidades de management (gerência), além de trabalhar diretamente como arquiteta e afiar a minha prática de obras e terreno. Foi um dos aprendizados mais completos que eu tive como parte do meu currículo.

ONGOING WORKS 1 2 3

GENERATOR ROOM DRYING AREA NEO BUILDING

COMMING WORKS 4 5

MICROBIOLOGY LABORATORY KINDERGARTEN

PLANS IN PROGRESS 6 7

FUEL TANK SHELTER

8

FEMALE WASHING AREA

MECHANIC PIT/ DRIVERS SHELTER/ AMBULANCE PARKING

TO CONFIRM FOR 2018 9 MATERNITY STRUCTURE REHABILITATION 10 IPD EXTENSIONS


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

9

8

10 3 6

4 2

5

1

7 9


CENTRO DE NEONATOLOGIA

17.10.2018

07.11.2018

21.11.2017

17.12.2017

21.12.2018

06.01.2018

21.12.2018

26.02.2018

CENTRAL DOS GERADORES

ÁREA DE SECAGEM

LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA

10


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

13.11.2018

05.12.2018

24.02.2018

09.01.2018

24.01.2018

21.02.2018

17.01.2018

22.01.2018

03.02.2018

03.03.2018

07.03.2018

07.03.2018 11


KINDERGARTEN PROVISÓRIO

17.02.2018

17.02.2018

11.10.2018

15.10.2018

ÁREA DE INFILTRAÇÃO

ZONA DE RESÍDUOS MATERNIDADES COMUNITARIAS

10.12.2018

17.12.2017

17.10.2018

30.10.2018

ESTUDO DE REFORÇO SÍSMICO

12


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

21.10.2018

20.02.2018

20.02.2018

07.03.2018

15.10.2018

15.10.2018

21.10.2018

27.02.2018

27.02.2018

27.02.2018

30.10.2018

30.10.2018

30.10.2018 13


ESTUDO DE ESTRATÉGIA GERAL DO PROJETO MSF KHOST

14


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

15


PROJETO ITAIPAVA

Rio de Janeiro, Brasil

Localização: Itaipava, Rio de Janeiro Ano: 2017 Programa: Decoração - Design de interiores Equipe: Areia Arquitetura + Amélie Thouveny

Construído na década de 1950, o sítio foi projetado em diversas partes, permitindo independência total na ocupação das casas: três edifícios compõem a propriedade, hoje reabilitados cada um com seu próprio estilo. Mais antiga, a Casa do Alto, que foi o objeto de nossa intervenção, não possui uma sequência de entrada definida, e sua longitudinalidade oferece diversas possibilidades de descoberta dos ambientes. A intenção era obter certa unidade de tratamento dos mesmos, sem suprimir a identidade singular de cada um. A pedido da proprietária, seguiu-se um partido inspirado na década de 60, com móveis e objetos de decoração de influências variadas. Juntamos as referências em um patchwork

CASA DO ALTO

personalizado, contando a história do sítio e de sua família. Pinturas na parede feitas pelo irmão da proprietária em 1957 foram preservadas na reforma e serviram de ponto de partida para definição da paleta de cores e ambiência. Valorizadas pela iluminação focal e dimerizável, são o grande marco do projeto. É uma casa completamente absorta em tons de verde, representados pelanatureza ao seu redor. A paleta de cores foi pensada para contrapesar e conferir toques vívidos a cada ambiente – tanto no interior, voltado para fora, quanto no exterior, sobrepondo diretamente as cores naturais do Sítio São Marcos.

CASA DO ALTO

Sala de estar

Cozinha

Elementos Principais: Armarios Equipamentos

Elementos Principais: Tapete Sofa Mesa de jantar

AREIA ARQUITETURA

AREIA ARQUITETURA

Extrato do moodboard propoosto

Planta baixa da Casa do Alto 16


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Fotos: Mariana Fisher_ Areia Arquitetura

17


estudo Viação " REDENTOR "

Rio de Janeiro, Brasil

Localização: Jacarepaugá, Rio de Janeiro Ano: 2017 Programa: Predio Equipe: Areia Arquitetura + Amélie Thouveny

Empresa brasileira de transporte coletivo urbano da cidade do Rio de Janeiro, a Viação Redentor está hoje implantada em um terreno de larga escala situado na região de Jacarepaguá. Este estudo de viabilidade foi realizado com o objetivo de otimizar o espaço disponível e redefinir as funções que compõem sua logística de funcionamento (garagem, atividade dos ônibus, gestão de funcionários e administração). O primeiro passo para entendimento das necessidades da empresa foi a análise dos fluxos existentes no terreno em situações distintas, ao longo do dia e da noite. Observamos então as diferenças de uso dos espaços de acordo com o momento do dia e as atividades exercidas: existem vários fluxos de motoristas – tanto na chegada ao trabalho quanto entre as rodadas das linhas –, que se adicionam aos dos funcionários administrativos. O estudo revelou rapidamente a ausência de separação entre

esses diferentes níveis da empresa, porém não podiam ser ignoradas as interações existentes entre motoristas e administração. A busca de uma dinâmica que separasse a atividade dos ônibus de outras atividades administrativas foi resolvida com a verticalização dos espaços, cujo grau de tratamento público / privado se traduziu no diagrama da página 8. Por fim, a implantação do edifício foi evidente, por se tratar de terreno em esquina: neste ângulo, no espaço enquadrado pelo cruzamento das vias, a visão do prédio e dos serviços que oferece se potencializa. Além de deixar mais espaço para a organização dos ônibus, esta resposta arquitetônica cria uma identidade visual externa da empresa, reconhecível como verdadeiro marco no ângulo mais eficiente deste terreno de 72.272m2.

Vista de frente do predio principal. Lojas + Garagem + Escritorios 18


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

escala grafica

0

200

100

300

400

escala grafica

escala grafica

0

200

100

300

0

400

5

1

200

100

300

400

4

4

3

ZONA MOTORISTAS ZONA ADMINISTR

3

2

1

1

2

4

5

4

3

3

2

1

4

5

ZONA ADMINISTRATIVA

3

4 EDIFICIO REDENTOR

1

1 Predios existentes

0

400

0

200

100

200

100 300

Area de projeto Predios a destruir

TERRENO

Zonas criadas pelo projeto

escala grafica

300

FLUXOS EXISTENTES_1

FLUXOS EXISTENTES_2

200

100

300

400

0

1

ENTRADA - bater ponto

2

VESTIARIO - troca de roupa

ESTACIONAMENTO - pegar ônibus

5

SAIDA

1

5

4

3

4

4

ADMINISTRAçAO

3

2

4

1 2

2

Area de projeto

2

5

4

Parada do onibus Parada do onibus

3

2

4

5

1

EDIFICIO REDENTOR

3

EDIFICIO EDIFICIO REDENTOR REDENTOR

ZONA ADMINISTRATIVA

NOVO PREDIO REDENTOR

2

3

EDIFICIO REDENTOR

Predios a destruir

EDIFICIO REDENTOR

ZONING CRIADO

Zonas criadas pelo projeto Predios existentes

ZONING CRIADO FLUXOS CRIADOS ZONING CRIADO

FLUXOS EXISTENTES_2 ZONING CRIADO AREA PROJETO

F

Predios a destruir

200

300

400

0

FLUXOS EXISTENTES_1

AREA REDENTOR

4

2

SAIDA

ZONA ADMINISTRATIVA

3

2

1

1

ENTRADA

2

ESTACIONAMENTO - parada do ônibus

3

EDIFICIO REDENTENTOR - depòsito $ na tisouraria

4

ESTACIONAMENTO - pegar ônibus

5

SAIDA

3

300

1

3

2

EDIFICIO EDIFICIO REDENTOR REDENTOR

1 2

FLUXOS EXISTENTES_1 AREA PROJETO

ZONA MOTORISTAS

ZONA ADMINISTRATIVA

5

1

1

4

5

EDIFICIO REDENTOR

3

ZONA ADMINISTRATIVA

3

4

2

1 2

Predios existentes

Area de projeto

5

4

2

3

ZONING CRIADO FLUXOS EXISTENTES_2

ZONA MOTORISTAS

4 4

EDIFICIO REDENTOR

Predios existentes

400

ZONA MOTORISTAS ZONA MOTORISTAS

ZONA ADMINISTRATIVA ZONA ADMINISTRATIVA

4

5

Predios existentes

Area de projeto

Predios a destruir

Predios a destruir

FLUXOS EXISTENTES_2

Zonas criadas pelo projeto Predios existentes

Area de projeto

200

100

FLUXOS EXISTENTES_2 AREA REDENTOR Zonas criadas pelo projeto

ZONA MOTORISTAS

ENTRADA - parada do ônibus

FLUXOS CRIADOS

Zonas criadas pelo projeto

Predios existentes

FLUXOS EXISTENTES_2 AREA PROJETO

FLUXOS CRIADOS ZONING CRIADO

Area de projeto

ZONING CRIADO AREA PROJETO

Predios a destruir

EDIFICIO REDENTOR

FLUXOS CRIADOS

Predios a destruir FLUXOS EXISTENTES_1

AREA REDENTOR Zonas criadas pelo projeto

FLUXOS EXISTENTES_2

FLUXOS EXISTENTES_1 ZONING CRIADO FLUXOS EXISTENTES_2 AREA REDENTOR AREA PROJETO Zonas criadas pelo projeto Organização interna da empresa no terreno. Estudo de fluxos existentes e futuros

Predios existentes

secretaria/ telefonia

PNE

sala reuniões

atendimento

copa diretoria

Predios existentes M

98m²

F

diretoria

Area de projeto

Area de projeto

+

Predios a destruir

jurídico

Zonas criadas pelo projeto

arquivo

gerência

atendimento

sala reuniões

+

acidentes

arquivo

relações públicas

auditoria

+

+

PNE

Predios a destruir M

financeiro arquivo

PNE

tesoureiro

arquivo

F

M F

contabilidade PNE

arquivo

R.H

T.I.

arquivo

367m²

Zonas criadas pelo projeto

CPD digitação

322m²

M F

departamento pessoal

OPERACIONAL INTERNO EMPRESA

arquivo morto

atendimento tráfego 1

atendimento tráfego 2

atendimento tráfego 3

atendimento tráfego 4

atendimento tráfego 5

escala

+

planejamento tráfego

PNE

arquivo

adm tráfego

multas

PNE

M

M

F

F

355m²

monitoramento

GPS análise de imagens

OPERACIONAL FROTAS

+

consultório 1 consultório 2 consultório 3 audiometria fisioterapia ambulatório

arquivo

PNE

PNE

M

segurança

F

sala de repouso

lavanderia

treinamento

PNE

M

M

F

F

315m²

refeitório

INTERMEDIARIO

auditório 1

auditório 2

auditório 3

auditório 4

256m²

PILOTIS

PILOTIS

1- PÚBLICO 2- ATENDIMENTO EXTERNO

ESTACIONAMENTO

3° ESTACIONAMENTO

3- INTERMEDIÁRIO 4- OPERACIONAL FROTAS ESTACIONAMENTO

5- OPERACIONAL INTERNO EMPRESA

2° ESTACIONAMENTO

6- ADMINISTRATIVO JURÍDICO FINANCEIRO distribuição cestas básicas

tesouraria

NIVEIS

3

2

escala grafica

Predios a destruir 100

TÉRREO - PÚBLICO

4

1

Predios existentes

FLUXOS EXISTENTES_1 Area de projeto FLUXOS EXISTENTES_2 AREA PROJETO

AREA PROJETO FLUXOS EXISTENTES_1 FLUXOS EXISTENTES_2

1

ADMINISTRATIVO JURÍDICO FINANCEIRO

1

Area de projeto

2

DIRETORIA

ZONA MOTORISTAS ZONA ADMINISTRATIV

ZONA ADMINISTRATIVA ZONA ADMINISTRATIVA

Volta ao onibus

2

Parada do onibus

VESTIARIO

FLUXOS EXISTENTES_1

2 ADMINISTRAÇÃO - depòsito $ na tisouraria 4 Zonas criadas pelo projeto ESTACIONAMENTO 3 4 5 3 3 - pegar ônibus

FLUXOS EXISTENTES_1 FLUXOS EXISTENTES_2 Zonas criadas pelo projeto

ZONE ADMINISTRATIVE 3

Depòsito $ na tisouraria

1

4

Zonas criadas pelo projeto

Predios a destruir

4

ENTRADA & SAIDA

1

1

Zonas criadas pelo projeto

Predios existentes escala grafica

Area de projeto

ADMINISTRAçAO

ZONA ADMINISTRATIVA

3

Predios a destruir

AREA REDENTOR FLUXOS EXISTENTES_1 AREA REDENTOR Area de projeto

FLUXOS EXISTENTES_2 ZONING CRIADO

ZONA MOTORISTAS ZONA MOTORISTAS

ESTACIONAMENTO

- Pegar ônibus

3

- Bater ponto

2

Zonas criadas pelo projeto

2

- Retirada roteiro

ZONE MOTORISTAS

FLUXOS EXISTENTES_1 AREA PROJETO

ZONA MOTORISTAS

- Troca de roupa

Area de projeto

Predios a destruir

4

5

4

5

Predios existentes

Predios existentes

1

400

2

Predios existentes

1

3

ENTRADA & SAIDA

1

1

Predios a destruir

300

ESTACIONAMENTO

4 5 3 ADMINISTRAÇÃO 3- retirada roteiro

4

200

100

AREA REDENTOR FLUXOS EXISTENTES_2

FLUXOS EXISTENTES_1

AREA REDENTOR

0

AREA PROJETO

escala grafica

0

1

EDIFICIO REDENTOR

400

AREA REDENTOR

Area de projeto

PREDIOS A DESTRUIR

Zonas criadas pelo projeto

400

escala grafica

1

2

Predios existentes

2

Area de projeto Predios a destruir

escala grafica

atendimento atendimento jurídico 1 jurídico 2

consultório dentário

RH recrutamento

113m²

posto atendimento bancário

252m² loja

loja

loja

loja

loja

7- DIRETORIA

loja

Diagrama das fonçoes da empresa. Termômetro Publico --- Privado 19


20


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Vista interna ao terreno da empresa

21


Retail Printemps Haussmann, Paris, França

Edifício construído em 1865, restaurado e reinaugurado na sequência de um incêndio devastador em 1924, o Printemps Haussmann é um dos maiores e mais luxuosos “Grands Magasins” de Paris. Ele é composto por 4 ilhotas que incluem diferentes setores: 1A Mulher, 2O Homem, 3A Casa / A Beleza e 4a marca Citadium, que também pertence ao Printemps e tem como alvo um público mais jovem. Estas ilhas oferecem uma escolha variada de marcas e estilos em um só espaço – seja moda, beleza ou acessórios para casa –, um princípio comercial revolucionário na época de sua construção. Assim, de um ponto de vista histórico e profissional, a experiência dentro do polo de Arquitetura e Engenharia da Printemps me permitiu descobrir os bastidores deste tipo de espaço comercial. Antes, apenas como cliente, não imaginava a complexidade da organização interna e a necessidade constante de renovação espacial, tendo o objetivo de surpreender até os clientes mais fieis. É um trabalho cênico real, com o grande desafio aqui de harmonizar vários conceitos da loja apresentados lado a lado – equilibrando o desejo de cada marca de aparecer mais, com, de fato, fortes diferenciações de conceitos. Uma característica deste tipo de projeto e da sua implementação é a operação em uma zona constantemente ocupada. As vendas não podem ser mais afetadas do que já estão durante as obras, assim, a primeira preocupação de atores desta orquestração é a minimização do impacto da obra nas áreas acessíveis ao público. Este tipo de reforma pede uma exigência e um rigor dignos deste espaço luxuoso e um faseamento extremamente preciso para uma boa gestão do fluxo de clientes durante os períodos de reabilitação. A complementaridade entre todos os setores que compõem a Printemps é assim claramente sentida – desde o setor de compras e vendas de espaços (contato direto com as marcas), até o de produtos de consumo –, a qualidade dos espaços de exposição, a iluminação, a sua lógica de fluxos. Este conjunto de dados, que o cliente não deve perceber ou sentir, se não for de forma positiva, forma uma arquitetura silenciosa 22

a serviço do produto e da sua magnificência no seio do “Grand Magasin”. Por conta da reputação internacional da Printemps, sua arquitetura deve ter um nome. Para o desenvolvimento de seus projetos, a Printemps é, na realidade, cliente de escritórios de arquitetura e agências de design para acomodar novos conceitos. O polo de arquitetura interno pratica essencialmente a assistência ao cliente, a fim de respeitar as exigências da direção. O desenvolvimento de um projeto é composto por várias idas e voltas entre cliente e agência(s), com a particularidade aqui da hierarquia da Printemps (cliente), a ser consultada para várias decisões, aumentando o tempo de decisão e, portanto, as alterações de projeto. Um arquiteto da Printemps é um condutor real, que tem de filtrar certos aspectos com rigor e objetividade, antecipando as reações de ambas as partes, com o objetivo de manter um equilíbrio constante para condicionar o melhor avanço do projeto. As diferentes fases clássicas de desenvolvimento de projeto arquitetônico são respeitadas e, por causa deste movimento contínuo, a Printemps liberou espaço para a parceria direta no mesmo espaço com o escritório de verificações e trabalhos técnicos. A SCO Sociedade de Coordenação e Programação, joga diferentes papéis na construção e avança em paralelo ao polo de arquitetura em diferentes projetos. A modernização permanente desses lugares exige a renovação regular de conceitos de arquitetura e, portanto, das agências de arquitetura, variando estilos, materiais e conceitos, embora algumas agências tenham conseguido se fidelizar, mantendo as mãos sobre diversos projetos. Este conceito de espaço comercial é um desafio constante para todas as equipes Printemps, com tantos riscos e limitações, mas também chances de sucesso.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

«La Voile se dévoile», futuro espaço «Printemps de l’Homme». Janeiro 2016. Foto: Printemps

23


L’Homme

Paris, França Localização: Haussmann, Saint Lazare Ano: 2015-2016 Programa: Retail Abertura completa: março 2018

Como as obras ainda estão em andamento, os documentos e detalhes estão sujeitos a uma cláusula de confidencialidade e não podem ser publicados.

Composto por cinco pisos e um café adjacente no térreo, o futuro espaço “O Homem” da Printemps irá desfrutar de uma área comercial extremamente ampla em relação à atual, substituindo o setor “A Casa / A Beleza”. Este projeto foi para mim um grande exemplo de orquestração: três designers foram escolhidos para oferecer a sua visão, conferindo um olhar eclético aos diferentes andares do edifício recém reabilitado. Além do desenvolvimento de projeto próprio à Printemps (conforme texto anterior), é essencial levar em conta os espaços e as coleções existentes durante o andamento da obra. Por razões de renovação permanente e questões econômicas óbvias, a loja de departamentos não fecha, e o trabalho é feito em zona ocupada, com fluxo de clientes. A obra é então faseada de acordo com as diferentes escalas de trabalho, sendo feitos um passo a passo geral do desenvolvimento das operações e das várias movimentações de um edifício para o outro e um faseamento ao nível dos andares, para facilitar a gestão do deslocamento das marcas e coleções impactadas. No início da obra do setor “O Homem”, pude perceber a importância dessa divisão, particularmente trabalhando nos espaços provisórios do piso térreo deste projeto. A atribuição dos espaços (temporários e definitivos) deve ser muito bem pensada, pois a negociação com as marcas é um fator crucial para o sucesso do projeto. Elas devem ser distribuídas de modo a não deixar nenhum espaço vazio e ao mesmo tempo levar em consideração sua importância frente às outras marcas. Eu tive a chance de fazer parte da equipe do polo de arquitetura e engenharia (DAIM) para uma reabilitação geral, em um momento chave da história da Printemps. Na verdade, além do edifício do setor “O Homem”, outros espaços foram renovados na mesma época, e a organização geral dessas reformas exigia grande rigor no planejamento. Daí o termo “orquestração”: as diferentes fases precisavam ser muito bem coordenadas e os prazos sempre respeitados, para evitar o risco de atraso em cascata em todos os diferentes projetos na engrenagem desta organização. As participações 24

financeiras são tão consideráveis que uma demora nas obras se faria sentir diretamente no volume de vendas do mês, como eu fui capaz de testemunhar durante o difícil ano de 2015. A visão nos bastidores de tal espaço dá a dimensão deste tipo de projeto – uma visão bem diferente de qualquer outra arquitetura comercial chamado “Retail” – e reforça o lado organizacional e rigoroso que um arquiteto deve ter. Essa experiência também me fez perceber a diferença de mentalidade desta prática arquitetônica, diretamente relacionada a questões comerciais. Devido à necessidade instantânea de resultados (do projeto ou conceito), é um terreno extremamente exigente, onde há preocupação com detalhes tanto luxuosos quanto sóbrios, para não sobrecarregar de materiais um espaço vazio que ainda vai receber, no seu seio, um conceito de marca forte. Assim, os arquitetos da Printemps devem cobrar o cumprimento de uma série de requisitos dos arquitetos e designers contratados, para reduzir as trocas de opiniões e manter um ritmo constante de desenvolvimento de projeto. Tenho, portanto, enorme interesse neste experimento, na importância da complementaridade dos setores de arquitetura e engenharia para concluir um projeto com sucesso e eficiência, atentando para um bom planejamento e o consequente cumprimento de prazos. É uma reflexão que nós normalmente não percebemos em outros contextos ou estruturas arquitetônicas, devido à separação sistemática da prática dessas profissões, que possuem uma relação historicamente conflituosa, mas que deveriam sempre trabalhar em conjunto, com um objetivo comum. A loja “Printemps de l’Homme” abrirá do piso R+1 a R+5 em Janeiro de 2017 e estará completa em Março de 2018.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Futuros andares do Printemps de l’Homme. Janeiro 2016. Fotos: Printemps

HAUSSMANN ILOT 1 / VERTICALITÉ / R+1 À R+8 DIRECTION ARCHITECTURE INGENIERIE & MAINTENANCE

LA TRÉMIE & LES ESCALATORS

25

CHAN PHO


Le Food

Paris, França Localização: Haussmann, Saint Lazare Ano: 2015-2016 Programa: Retail Abertura: Março 2018

Com um programa complexo, a Printemps recupera a antiga área de mercearia e restaurante. Como a loja é essencialmente cliente de escritórios de arquitetura e design, o projeto foi inicialmente apresentado através de um concurso de ideias, com diferentes profissionais. Finalmente, os primeiros conceitos foram desenvolvidos internamente no polo de arquitetura, onde tive a oportunidade de fazer parte da equipe. Vi um lado diferente do polo que, como desenhista, com um ritmo de competição de concurso, pretendia convencer a direção da Printemps do caráter essencial de tal reabilitação. Foi um projeto extremamente desafiador, que me permitiu perceber as muitas limitações logisticas que a associação de roupas e comida num mesmo espaço de varejo pode gerar. Essa coabitação em um edifício comercial de luxo deve ser muito bem controlada para ser bem sucedida, levando à seleção de vários novos atores de desenvolvimento do projeto: as melhores equipes para aconselhar e tornar realidade a proposta esboço e continuar nas fases

seguintes (APS e APD); muitos talentos gastronômicos para promover os produtos de grande qualidade encontrados na “Printemps Food”; especialistas em alimentos; assessores – os melhores trabalhadores da França de diversas categorias. Assim, tomamos consciência da importância da gestão da proposta de produtos diretamente relacionados com a situação geográfica no andar, o design dos espaços e o mobiliário. Uma vez aceita a proposta de projeto, as equipes Printemps delegaram a tarefa de aprofundar e detalhar o projeto a um escritório de arquitetura, cuja participação já havia tido sucesso em um projeto anterior, para o polo interno retomar seu lugar habitual no desenvolvimento de projeto – assistência ao cliente.

Le Voyage Paris, França

Localização: Haussmann, Saint Lazare Ano: 2015-2016 Programa: Retail Abertura: Abril 2016

A dinâmica de reabilitação de vários setores da Printemps, neste momento chave, permitiu uma reorganização de espaços e da sua lógica de localização. O serviço “A Viagem”, considerado adicional na loja, não tinha boa visibilidade antes, e os efeitos da mudança de localização rapidamente foram sentidos. Foi transferido para um quiosque dentro da subdivisão de bagagem, no andar dos acessórios, que conta com uma saída de escada rolante direta para descer ao seu nível. Poderá então se desenvolver como espaço estratégico de venda e abre aos clientes a possibilidade de pegar informações sobre organização de viagens diretamente em sua loja. Como o conceito do projeto se baseava no convite para viajar, a onipresença de madeira no espaço – no mobiliário ou como ornamento de parede –pareceu muito apropriada. Foi um verdadeiro trabalho de composição: o espaço reduzido induziu a uma combinação sutil de materiais e cores, bastante quentes para uma melhor ligação entre o piso, as paredes de madeira e os móveis brancos Korian. Assim, o mobiliário dos assentos foi totalmente 26

concebido em madeira, oferecendo certa privacidade às reuniões entre consultor e cliente devido às diferentes alturas de ripas nos encostos. Por ser uma área relativamente restrita, a planta teve de ser eficiente em termos de economia de espaço e fluxo de pessoas. A presença de uma área de espera é prova de grande otimização. O desenho básico das poltronas consiste em círculos de circunferências de igual tamanho, cujos centros foram ajustados segundo a forma do espaço. Cada “onda” vista na planta está em harmonia espacial com as mesas redondas. O círculo e as curvas de mobiliário de exterior seguem uma engrenagem lógica que permitiu regular o acesso às mesas com distâncias mínimas de fluxo. Assim, o armazenamento foi colocado em uma dupla espessura da parede de acordo com as curvas dos círculos, para dar ao espaço facilidade e fluidez de uso, otimizando ao máximo as necessidades funcionais.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Andar Restaurante «Food» foto da época, Le Printemps, Paris

Planta do espaço «Printemps Voyage», Le Printemps, Paris 27


" CHez Georges" HÔTEL DE LUXo com estúdio de música

Santa Teresa, Rio de Janeiro, Brasil Arquiteto do projeto de origem (1974) : Wladimir Alves de Souza Arquitetos do projeto de reabilitação: Yorick Piette, Amélie Thouveny (Arquiteta D.E / Obtenção do visto professional Brasileiro VITEM V / 1 ano - Arquiteta responsável pela supervisão da obra + Arquiteta responsável pelo desenvolvimento do projeto). Responsável pelo projeto: « SDAL Engenharia » Engenheiro do projeto: Sergio Zajdenweber Missões: Supervisão da obra + Elaboração da licença de legalização da obra + Elaboração de plantas e cortes de execução de modificações + Arquiteta responsável pela 2a parte do projeto + Intermediária entre cliente e equipe de projeto (intérprete e tradutora de documentos). Modificações do projeto de reabilitação e elaboração do projeto Anexo & Piscina em colaboração com Yorick Piette, Arquiteto diplomado pela Escola das Belas Artes de Bruxelles. Cliente: Escapology Brasil LTDA

f Pierre Bident Moldeva @

https://www.facebook.com/chezgeorgesrio?fref=ts pierre@georges.life Booking: https://www.designhotels.com/hotels/brazil/rio-de-janeiro/chez-georges Publicação: https://media.wix.com/ugd/1cf7a7_dcda355bb8e14c72a15ce048e0bffaa2.pdf (LIFE Magazine)

FASE 1: CASA MODERNISTA Tipo: Reabilitação Programa: Casa modernista classificada no patrimônio transformada em hotel de luxo

Tipo: Construção Piscina e Reabilitação do Anexo Programa: Piscina / 2 Suites de luxo + Estúdio de música com espaço lounge

Superfície construída existente legalizada: 596 m2 1° pavimento: 310 m2 2° pavimento: 286 m2

Superfície total do terreno:1586 m2 Superficie da piscina: 124,35 m2 Superfície construída anexo: 152,80 m2 pavimento -1 :76,40 m2 pavimento -2 : 78 m2

7 Suites + Cozinha + Sala + Home Theater

Piscina + 2 Suites + 1 quarto de apoio (serviço) + Estúdio de música Obra: junho 2014 - agosto 2016

Obra: dezembro 2013 - julho 2015

28

FASE 2: PISCINA & ANEXO


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Entrada principal. Vigas de concreto armado existentes restauradas. Data: 09.12.14

Edifício projetado em 1974 pelo arquiteto modernista brasileiro Wladimir Alves de Souza, esta casa unifamiliar está localizada no alto do popular bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro. Ostenta o binômio concreto-madeira, símbolo do modernismo brasileiro e marca de herança portuguesa, um modelo de modernismo revisitado em um bairro onde diferentes estilos arquitetônicos convivem. Foi projetada em um terreno de 1.586m2, incluindo dois desníveis substanciais de cerca de 12m em cada extremidade. O arquiteto negociou com essas limitações criando um promenade, de modo que o edifício não possa ser visto da entrada – uma aproximação gradual para chegar à casa e, especialmente, perceber seus vários pontos de vista – descobrindo-o ao longo do caminho paisagístico criado para esta finalidade. A casa pode ser dividida em “elementos” aninhados, que seguem a forma do terreno. No caminho para o bloco principal, em primeiro lugar vemos um nível intermediário em balanço, funcionalmente independente, correspondente à área de serviço. Na esplanada abaixo dessa projeção encontram-se duas entradas: a de serviço, na fachada leste, e a principal, sob as pérgolas de concreto da fachada oeste. Como as fachadas são tombadas, elas não podiam ser mudadas, apenas restauradas. Internamente, entretanto, a casa sofreu mudanças radicais quanto à sua organização espacial original. O projeto pretendia transformar a residência unifamiliar em hotel de luxo, com um número máximo de suítes, sendo o piso térreo

composto pelos elementos comuns a todos os habitantes da casa (cozinha, sala de estar, Home Theater, lavabo), com exceção de uma suíte que era espaço de circulação entre os dois andares e agora foi redesenhada, e o primeiro andar composto principalmente por suítes que variam de 17,26m2 a 36,30m2. O caráter excepcional deste projeto no Rio foi uma experiência profissional muito gratificante tanto em relação ao desenvolvimento do projeto quanto de sua concretização – técnica e organização da obra. Para mim, um exemplo incomparável de primeira participação em projeto de reabilitação no exterior. Após a conclusão da obra, o proprietário proveu a casa com uma mistura de móveis brasileiros e europeus, a maioria vinda da Bélgica, e uma coleção de peças do sesigner Ricardo Fazanello. Criando um clima único de mistura de origens e épocas, o contemporâneo e o modernista convivendo na casa. As duas fases de andamento foram concluídas em julho de 2016, e o projeto está entrando na rede internacional de hotéis de luxo “Design Hotel”, já pronto para receber hóspedes.

29


FASE 1: REABILITAÇÃO CASA MODERNISTA

1 3 2

30

8

1. Sequencia de entrada. Vista desde o primeiro patamar

2. Vista aérea da sequencia de entrada

3. Nível intermédiàrio balançado

4. Corredor externo de acesso à Cozinha + Serviço


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

7

4

6

5 5. Sala com vista para a Baía de Guanabara

6. Fachada sul de origem

7. Fachada anexo, fundo do terreno

8. Acesso suite 1, antiga entrada principal sobre circulações 31


32


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Salão comum aos hóspedes Foto : Nicole Franzen 33


34


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

35


FASE 1: REABILITAÇÃO CASA MODERNISTA ANDAMENTO DA OBRA (março 2014 - junho 2015)

Espaço pérgola de concreto entrada principal

Home Theater

Suite 2

Suite 4 36

PRÉ - ENTREGA (26 junho 2015)


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

ANDAMENTO DA OBRA (março 2014 - junho 2015)

PRÉ - ENTREGA (26 junho 2015)

Salão comum

Suite 2

Banheiro, Suite 3

Quarto, Suite 5 37


FASE 1: REABILITAÇÃO CASA MODERNISTA

Banheiro, Suite 3 Foto : Nicole Franzen 38


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Cozinha principal Foto : Nicole Franzen 39


FASE 2: PISCINA & ANEXO Arquitetos: Yorick Piette & Amélie Thouveny Engenheiro: « SDAL Engenharia »_ Sergio Zajdenweber Professionais Som : «Spectacle»_ Dominique Chalhoub & Henri Adnot Engenheiro som: John Patrick Sullivan

Corte axonométrico do terreno. Desenvolvimento do projeto piscina e anexo. Fase: Esboço / Propostas

Hoje caracterizada por um variado programa, uma segunda entidade existente no terreno foi também restaurada, depois da obra da casa. Este anexo de dois andares está situado em frente à floresta do fundo do terreno, com vista para o Pão de Açúcar, símbolo da cidade. Um muro de contenção existente, ocupando a largura total do lote e com 80 cm de espessura, mantém o nível do terreno, evitando o deslizamento de terra da encosta. A piscina foi posicionada no topo do anexo, assumindo diversas formas durante a fase de esboço inicial para finalmente (respeitando as propriedades da estrutura existente) equilibrar-se em cima desse mesmo muro, sendo sustentada tanto pelo terreno (largura 1,90-2,30m) quanto pela edícula (largura 0,90-1,30m). O deck da piscina está virado para Norte, com a vista da cidade. Conjugando o uso dos materiais aos já existentes na casa, a estrutura da piscina e as paredes externas foram projetadas em concreto bruto. O deck de madeira sublinha então a dicotomia modernista onipresente no projeto. Este espaço anexo foi projetado de maneira a oferecer uma imersão total na Mata Atlântica, floresta densa característica da cidade e existente 40

no fundo do lote em todos os níveis do anexo. Sob o nível da piscina, o nível -1 comporta duas suítes de 32m2 cada, de frente para a mata. O andar inferior (-2), destinado ao estúdio de música, comporta também uma cozinha que funciona como apoio e lounge, garantindo independência entre os dois pavimentos. O objetivo principal sempre foi poder alugar o anexo como um todo, mas também poder dividir os espaços. De fato, antecipar essas situações foi importante para atender melhor as vontades do cliente.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Escavação das trincheiras para instalação das fundações de concreto para equilibrar a piscina em cima do muro de contenção existente

Andamento das obras da piscina / 29 de janeiro 2016 41


FASE 2: PISCINA & ANEXO

Andamento das obras da piscina / 4 outubro 2015

Andamento das obras da piscina / 25 outubro 2015

Colocação do deck da piscina/ 8 março 2016 42


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Andamento das obras da piscina / 6 maio 2015

Andamento das obras da piscina, nível -2 / 22 janeiro 2016

Vista terraços suite -1 / 3 fevereiro 2016 43


FASE 2: PISCINA & ANEXO

44


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

 

 



 



 

 



PROJETO

Ladeira dos Meireles, 90. Sant Rio de

TITULO

Plantas & Cortes Pisc DESENHO

ARQUIVO

SDAL Engenharia_ Amélie Thouveny

LAME 90_P

REVISÃO:

PRANCHA

01

22.07.2015 Notas 1.Todas as medidas devem ser conferidas no local 2. Em caso de dúvida, consultar o autor do projeto 3. Base Plantas Paisagismo: 1348_PE_R2 (EMBYA)

45


.10

1.50

.10

4.80

.50

3.59

.35

1.44

.15

.84

.98

.10

.25 .13

.90

J3

1

.03

2 .80

.03

P2

.70

PD 240

5 6

10

.10

PD 240

.15

4

12 11

1 1 1

.65

.83 .15

9

.63

.68 .70

4.48

4.58

.33

.48

5.48

1.45

3 15

.30

2 2 1

16

14

R

1.72

3.94

13

espessura: 6cm



.74



J2

.50

.11

Fixo

8

P1

1.53

7

1.00

6 5

1 1 1

4

2

.35

3

1 .80 6.44

PISO

1

Assoalho de madeira Cumaru 15cm

2

Piso banheiro A a definir

3

Piso banheiro B a definir

PAREDE

1

REVESTIMENTO Parede TOILETES a defnir

2

Parede banheiro A a definir

3

Parede banheiro B a definir

TETO

1 46

TABELA DE REVESTIMENTOS REVESTIMENTO

REVESTIMENTO Pintura Látex Acrílica Fosca sobre forro de gesso. Cor Branco Off White Suvinil (F162)

.20

PORTAS NOMENCLATURA P01 P02 P03 P04 P05 P06 P07 P08

1.47

QUADRO DE ESQUADRIAS JANELAS DIMENSÃO

MODELO

NOMENCLATU

70X210 80X210 110X210

de abrir de abrir de abrir de abrir

J01

198X210 300X210 360X210

de correr madeira c/ vidro

460X210 160X200

de correr madeira c/ vidro BLINDEX de correr

de correr

J02 J03


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

6.40

.10

VARANDA 24 m² 5.83

Fixo

.11

.25 .30

.94

.45 .03



R

.03 .27 .10

.73

1.80

3

espessura: 6cm

1

J3



.50

.48

3.75

2.08

.34

1.19

.20

4

3 3 1

5

.10

.15 1.53

8

13

1.45

.15

9

P1

12

10

11

1 1 1

.65

10

11

3.25

.73

12

PD 240

9

.70

.70

PD 240

8

13

BANHO 6.87m²

7

14

.70

6

15 .48

.63

1.00

7 6

1 1 1

5

4 3 2 1

.16

1.37

URA

DIMENSÃO

.20

.25

5.85

.93

MODELO

44X210

madeira c/ vidro fixo 80X210 madeira c/ vidro fixo 120X210 madeira c/ vidro maximar Projeto

LADEIRA DOS MEIRELES, 90

Notas 1.Todas as medidas devem ser conferidas no local 2. Em caso de duvida, consultar o autor do projeto

Fase

Arquitetura Anexo Pavimento -1

Desenho

SDAL Egenharia Amélie Thouveny

Arquivo LAME PL ARQUITETURA ANEXO REV00.dwg

Folha Escala Revisão

1:50 22.07.2015

01/02

A

47


48


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

49


PUBLICAÇÃO «FIFTY & ME MAGAZINE» N°40_ ABRIL 2017

D

epuis plusieurs années, Rio de Janeiro et plus globalement le Brésil bénéficient d’une couverture médiatique sans précédent. La Coupe du monde de football, les Jeux olympiques ou plus récemment le défilé croisière d’un célèbre malletier français ont relayé les innombrables facettes du pays et de sa Cidade Maravilhosa, comme la surnomment les Cariocas. Riche d’écosystèmes uniques au monde et d’un patrimoine matériel et immatériel inestimable, le Brésil est sans l’ombre d’un doute une destination où s’évader. Aujourd’hui, la mégapole poursuit sa croissance, repoussant régulièrement les frontières de l’ancienne capitale du Brésil. Située au sud de Brasilia et non loin de Sao Paulo et de ses milliers de gratte-ciels, Rio n’a rien à leur envier. Symbolisée par ses célèbres plages et son littoral montagneux, sa topographie ne laissait pas présager le développement d’une métropole de plus de six millions d’habitants !

BIENVENUE CHEZ GEORGES

Nouveau venu dans le paysage hôtelier de Santa Teresa, Chez Georges propose un service à la carte qui fait de ce lieu un véritable hôtel particulier. Présence d’une conciergerie, possibilité qu’un chef

brésilien vous cuisine une série de mets locaux ou encore service en chambre, l’établissement a tout d’un boutique-hôtel contemporain. En outre, grâce à une politique de réservation au cas par cas, la maison peut être louée selon les envies ou même privatisée le temps d’une soirée pour la tenue d’événements exclusifs. S’ajoute à cela un studio d’enregistrement professionnel qui permet à tout musicien de venir s’isoler et de créer dans un environnement unique. Nichées au bord de la forêt atlantique et au large de la Baie de Guanabara, la maison et sa piscine offrent un cadre exceptionnel et inspirant. Ce luxueux hôtel particulier dont les travaux viennent d’être achevés, est situé sur les hauteurs de Rio de Janeiro, au cœur du quartier bohème de Santa Teresa. Cette maison unifamiliale a été érigée dans les années septante par un des architectes phare du modernisme brésilien, Wladimir Alves de Souza. Classé, l’édifice a dû faire l’objet d’une transformation minutieuse, dans le respect de son caractère patrimonial. L’ensemble des menuiseries a été restauré, tout comme les bétons apparents. Il a fallu également repenser l’ensemble des accès et des volumes du premier étage, et multiplier le nombre de chambres à coucher. Aujourd’hui achevée, la maison compte neuf suites, huit salles de bain, un studio de musique et une piscine.

HOMMAGE À UNE ÉPOQUE

Le caractère typiquement seventies de la maison a pu être perpétué grâce au maintien des matériaux d’époque. Les marbres et les menuiseries extérieurs ont été restaurés dans les règles de l’art, en respectant ainsi les intentions originales de l’architecte Wladimir Alves de Souza. L’intervention de l’architecte d’intérieur s’est donc concentrée dans les pièces telles que les salles de bain et la cuisine mais aussi partout ailleurs à travers la mise en lumière, la conception de mobilier sur mesure et le choix des meubles.

10

LE CHARME du modernisme brésilien A Rio, les hôtels ne se résument heureusement pas aux usines à touristes qui étranglent le littoral carioca. Des boutiques-hôtels voient également le jour, à l’image de Chez Georges.

les apports de lumière ponctuels afin de créer des ambiances à la fois douces et harmonieuses. Dans le séjour, on retrouve un set d’opalines de Murano chiné à Anvers, qui a fait l’objet d’un véritable travail de composition. Le jeune architecte d’intérieur a joué sur les différences de taille, de couleurs et de hauteurs pour créer un rythme en accord avec le plafond en béton brut de décoffrage. Dans la salle à manger, deux suspensions scandinaves de Hammerborg surplombent une table à manger en verre noir. A ses côtés, huit chaises Anel, qui proviennent de l’atelier de Ricardo Fasanello.

PAR PIERRE-BENOIT SEPULCHRE.

Le tout offre une atmosphère en phase avec l’esprit moderniste de la maison. Subtil mélange entre modernisme brésilien et européen, l’ensemble est mis en scène par un éclairage étudié et rehaussé par d’harmonieux objets eux aussi en provenance du Vieux Continent.

YORICK PIETTE : JEUNE PRODIGE BRUXELLOIS

Diplômé de l’Académie Royale des Beaux-Arts, Yorick Piette est contacté au cours de ses études par un investisseur qui cherche à développer un projet immobilier à Rio de Janeiro. « J’ai été honnête et répondu que je ne me sentais pas prêt à me lancer dans un tel projet, avec aussi peu d’expérience ».

12

8

50

9

AMÉLIE THOUVENY

La réhabilitation de cette maison moderniste, on la doit aussi à la Marseillaise Amélie Thouveny, née comme Yorick Piette en 1991, et qui fut en charge de l’exécution des différentes phases du chantier. Diplômée de l’Ecole Nationale Supérieure d’architecture de Versailles, ce premier projet l’a encouragée à se familiariser avec le suivi et la coordination du chantier. Une expérience sociale et humaine qui lui a permis d’appréhender les disciplines complémentaires à la conception architecturale comme la menuiserie. Toujours à Rio, Amélie multiplie les projets professionnels dans l’optique d’ouvrir un jour sa propre structure et, si l’occasion se représente, de collaborer à nouveau avec Yorick Piette. « Cette collaboration fut extrêmement fructueuse et motivante, notre ‘duo’ était très complémentaire et dynamique » conclut la jeune Française.

Trois années passent, sa licence en poche et fort d’une expérience au sein du bureau Ermans & Vokaer Architectes, Yorick accepte cette fois de se lancer dans l’aventure, malgré les 9.400 km qui séparent le jeune belge du projet brésilien. Alors âgé de 22 ans, il entame parallèlement à son master la conception de dessins et de croquis, qu’il envoie au Brésil et qu’Amélie Thouveny se charge de concrétiser sur place. La volonté de chaque partie d’opter pour une rénovation dans l’esprit originel de la demeure imposera au jeune belge six allers et retours à Rio de Janeiro.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

PIERRE BIDENT MOLDEVA,

propriétaire de la maison, a choisi de faire confiance à deux jeunes architectes, tous deux fraîchement diplômés. Amélie Thouveny, française, et Yorick Piette, belge, ont ensemble, été chargés de la conception et du suivi de chantier. L’architecte d’intérieur belge s’est quant à lui concentré sur l’ensemble des aménagements intérieurs et de la décoration du lieu.

Les buffets fifties et sixties ont été chinés à Gand, Anvers, Bruxelles et Paris. Ils sont signés Nils Jonsson et V.B. Wilkins. Leurs essences de bois rappellent le nouveau plancher et les menuiseries restaurées. Quelques objets, que Yorick Piette qualifie de « couleurs mobiles » animent l’ensemble et attirent le regard. Quant à la plupart des chaises, elles proviennent de l’atelier de Ricardo Fasanello, designer brésilien dont la collection dessinée dans les années septante est encore produite aujourd’hui dans l’atelier du designer à Santa Teresa.

UNE CUISINE SOBRE ET CHALEUREUSE

La cuisine a été complètement repensée pour répondre aux besoins de cet hôtel particulier. Réalisés sur mesure, les placards sont en bois exotique et le plan de travail en granit noir brillant. L’ensemble des électroménagers présente une finition noire laquée. Les murs sont pour leur part habillés de plaques de béton. Les luminaires encastrés et les suspensions cuivrées sont équipés de dimmers. Le plafond, d’un blanc immaculé, éclaire naturellement la pièce. Enfin, un office, une réserve sèche et un accès de service sont dissimulés derrière une astucieuse porte coulissante.

LES SALLES DE BAIN : ODE AUX MOSAÏQUES

Les salles de bain sont couvertes de mosaïques blanches ou d’azulejos, héritage du Brésil colonial. En fonction du sens de la pose, elles offrent une multitude de combinaisons qui font littéralement vibrer les murs. Deux salles de bain sont couvertes de plaques de béton qui font écho aux plafonds de la demeure. L’âme brutaliste de l’ancienne maison unifamiliale a ainsi été soulignée et remise en valeur. Les éviers sous-encastrés ont été privilégiés pour leur facilité d’entretien mais aussi pour souligner les magnifiques tablettes en bois massif. Des robinets contemporains à trois trous confèrent robustesse et harmonie à l’ensemble. Les miroirs rétro-éclairés mettent pour leur part en valeur les mosaïques et azulejos et sont eux aussi équipés de dimmers. Les convives peuvent ainsi ajuster la luminosité de la salle de bain selon leur humeur.

LES LUMIÈRES DU VIEUX CONTINENT

Les nombreuses lampes et appliques proviennent d’Europe, parmi lesquelles plusieurs pièces d’époque produites par Philips. Elles ont été trouvées chez l’antiquaire bruxellois Philippe Lange, et habillent avec élégance les espaces, qu’il s’agisse de lampes de chevet ou de liseuses. Yorick Piette a privilégié

11

« MA DÉMARCHE EST AVANT TOUT ESTHÉTIQUE CAR JE SUIS INTIMEMENT PERSUADÉ QUE LA PROFESSION D’ARCHITECTE D’INTÉRIEUR NÉCESSITE ÉCOUTE, ATTENTION ET INSPIRATION. »

projets dans une réalité spatio-temporelle. De quoi donner une âme et surtout du sens aux lieux, et ainsi leur permettre de mieux traverser le temps, tout en évitant de tomber dans le pastiche ».

ÉCOUTER ET CONSEILLER

« Au-delà du premier projet qui m’était confié à l’étranger, ce fut une incroyable aventure humaine, avec la découverte d’un nouveau continent et d’une culture inattendue ».

« CETTE COLLABORATION FUT EXTRÊMEMENT FRUCTUEUSE ET MOTIVANTE, NOTRE ‘DUO’ ÉTAIT TRÈS COMPLÉMENTAIRE ET DYNAMIQUE. »

13

14

Souvent en vadrouille dans les rues bruxelloises et à l’étranger, Yorick Piette se nourrit de tout ce qu’il voit. Ses yeux constamment ouverts, il observe les courbes qu’il préfère aux droites pour leur fluidité et leur douceur. Ses « balades exploratoires » lui permettent d’identifier les auteurs dont il affectionne les œuvres. Parmi eux, Pierre Yovanovitch, à qui l’on doit le réaménagement de la Patinoire Royale à Saint-Gilles, Oscar Niemeyer, figure de l’architecture moderne, mais aussi les designers Alain Gilles et Muller Van Severen. Le Bruxellois Jules Wabbes est aussi une source d’inspiration pour Yorick, à tel point qu’il n’a pas hésité à disposer une série de bois debout en wengé dans la salle à manger de la maison à Santa Teresa. « Il est important, selon moi, de donner sens à mes aménagements, l’intemporel n’étant qu’une solution parmi d’autres. On bascule rapidement dans le froid et l’aseptisé, je tente donc toujours d’ancrer mes

« Ma démarche est avant tout esthétique car je suis intimement persuadé que la profession d’architecte d’intérieur nécessite écoute, attention et inspiration. Je suis là pour écouter les souhaits de mes clients et pour les transposer d’abord sur papier et ensuite dans l’espace » explique Yorick Piette. Au-delà du dessin et de la visualisation, son travail est aussi celui d’un coordinateur et d’un conseiller : « Régulièrement, je suis rappelé afin de donner mon avis sur tel tableau ou tel tissu et ce même après un chantier. C’est normal, ces demandes font partie de ma mission ». Aujourd’hui, ce talentueux Bruxellois continue de travailler dans la capitale belge, sur plusieurs projets résidentiels. Des projets qui vont de la villa de 500 m2 à l’appartement de 50 m2. « Toutes les échelles m’intéressent, le budget ne doit pas être un frein mais un challenge, j’ai d’ailleurs été récemment contacté pour la transformation de combles en chambres d’étudiants ». Autre démarche en cours : le développement d’une collection de mobilier avec l’artisan ferronnier Denis Romainville. Quant à l’étranger, il sait qu’à tout moment une opportunité peut se représenter : « je garde les pieds sur terre, avoir commencé par le Brésil m’a permis de réaliser qu’avec détermination et travail, un nombre impressionnant de choses est possible ». Pour ce qui est de l’avenir, Yorick Piette souhaite continuer à évoluer dans le résidentiel et dans le monde de l’hôtellerie de luxe. Il faut dire que le très réputé label Design Hotels a choisi Chez Georges pour présenter son nouveau segment des villas-hôtels ! www.georges.life/rio www.yorickpiette.com www.designhotels.com

15

51


52


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Foto : Nicole Franzen 53


"ACUPUNCTURE CARIOCA"

Rio de Janeiro, Brasil

Localização: Zona Norte do Rio de Janeiro Ano: 2014 Professores: Djamel Klouche_ Ido Avissar Programa: urbanismo_ densidade Equipe: Projeto Individual

Tendo sofrido um rápido desenvolvimento na última década por ser sede de vários eventos de escala internacional, a cidade do Rio de Janeiro se coloca atualmente numa virada histórica em sua evolução. A cidade vai receber dois grandes eventos esportivos – a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Assim se encaixam muitos fenômenos urbanos complexos, questionando uma cidade já extremamente dividida. Este projeto tem então como base um fato real: a implantação gradual de uma linha de transporte de passageiros que cruza transversalmente a Zona Norte da cidade, ligando a ilha do aeroporto internacional à futura Vila Olímpica – o BRT Transcarioca, a serviço dos Jogos Olímpicos de 2016. “BRT”, ou Bus Rapid Transit, é um sistema mundialmente reconhecido, inventado para a cidade de Curitiba no Brasil. Sua relação eficiência / economia foi a mais interessante para o território, dada a urgência da criação de um sistema eficiente de transporte de massa. Gerando uma necessidade de alargamento das estradas já existentes, as obras levaram a desapropriações maciças em toda a extensão das vias, numa área densa e congestionada. O município oferece uma compensação financeira risível (a Zona Norte do Rio e seus habitantes sempre foram submetidos a forte segregação, por ser uma área de origem industrial e de um desenvolvimento

54

acelerado, onde títulos de propriedade são inexistentes) ou realocação para o distrito de Cosmos, na Zona Oeste, a 40 km em linha reta a partir do trecho estudado, localizado entre os bairros de Olaria e Ramos. Esta área experimental é, então, uma amostra de uma real patchwork (costura). Inclui um futuro nó de fluxo de pedestres, com alta diversidade funcional e tipológica entre conjuntos habitacionais, usinas, prédios, condomínios ligados a fábricas e favelas. A proximidade com a Ilha do Fundão, futuro grande centro de pesquisa e conhecimento no Brasil, envolve uma importância particular deste fragmento. Sua principal via, a Rua do Engenho da Pedra, é hoje uma estrada de 7-8 metros de largura, que será ampliada para 17 a 20 metros e composta por dois corredores de ônibus e quatro faixas de tráfego. Atualmente, a seção estudada compreende um total de 220 lotes afetados pela implantação do BRT, com 139 lotes de habitação popular e 78 lotes industriais. Para permitir essa densificação, um sistema de parcelamento foi estabelecido. Cada lote inicialmente popular e livre de qualquer intervenção do BRT será recuperado e dividido em três partes.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Construção linhas de BRT. Madureira. maio 2012

55


56


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Cadastro da Zona Norte montada na sua integralidade. Display: 6 A0: 1,5 X 3,5m

57


PLAN DES HAUTEURScadrage zone Olaria

INSERTION DU BRT

58


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

PLAN DES HAUTEURS CADRAGE ÉCHANTILLON EXPÉRIMENTAL

1/2000

RDC

R+1

R+2

R+3

R+4

R+5 ET SUPÉRIEURS

N

PLAN DES USAGES CADRAGE ÉCHANTILLON EXPÉRIMENTAL

1/2000

HABITAT POPULAIRE

USINES

FAVELAS

RÉSIDENCES CONDOMINIOS

COMMERCES RDC

ENTITÉS PUBLIQUES

BÂTIMENTS GRANDE HAUTEUR

ZONE MILITAIRE

N

BRT

INSERTION DU BRT CADRAGE ÉCHANTILLON EXPÉRIMENTAL

1/2000

BÂTI DÉMOLI

BRT

BÂTI

N

59


É aqui que o reordenamento das famílias desapropriadas toma forma: 1/3 dos lotes será, então, redistribuído para a população, que sofre consequências diretas desse enxerto violento ao território, e 2/3 dos terrenos serão revendidos. Para fazer crescer esse sistema, um planejamento urbano participativo se desenvolve, em que cada família reinserida terá acesso a uma tipologia adaptada às diferentes características familiares, que vem a se estabelecer no território seguindo uma lógica de respeito do gabarito e da orientação do preexistente. Na verdade, essas tipologias são modeladas de acordo com as alturas mais frequentes presentes na seção, ou seja, um ou dois pavimentos no máximo. Um esquema de implantação é criado para concentrar-se na necessidade de planejamento do espaço público. Na Zona Norte há, em geral, poucos espaços livres planejados, uma clara consequência do crescimento espontâneo e desordenado da área. A possibilidade de construção na maioria dos espaços intersticiais ali existentes foi até agora o maior desafio dessa zona. Hoje, devido às transformações sofridas, é essencial iniciar um planejamento dos espaços livres. Graças a um tratamento diferente dos terrenos anteriormente ocupados por fábricas, uma nova abordagem para o espaço público pode ser implementada. Nos terrenos de maior área existe a possibilidade de criar uma mistura programática, estabelecendo uma tipologia de maior altura (R+4 / R+5), que não seria necessariamente destinada a habitações, mas poderiam incluir outros usos. Esses terrenos serão, portanto, destinados a escritórios, com taxa de ocupação de 50%, para dedicar o restante a espaços públicos planejados. Cada andar é de uso livre, aberto ou fechado; dependendo do prédio, o espaço público se mistura com o quarteirão e reduz os efeitos de bairros segregados verticais, como pode ser observado na Barra da Tijuca. A aplicação desses princípios na seção experimental se traduz então pela seguinte organização: edifícios de maior altura são colocados em lote frontal, para desenvolver o quarteirão à frente do fluxo viário, manter a privacidade e criar uma espécie de circulação secundária semiprivada no coração de cada “ilha”. Esta abordagem do projeto é descrita como participativa, em que a população tem influência direta sobre o planejamento local escolhendo a tipologia de acordo com suas características familiares, mas com implementação na trama de acordo com o esquema de planificação desenvolvido.

3,50

9,50

3,50

TYPOLOGIE A

2 À 3 PERSONNES

4 MODULES 36 M²

12,50

6,50

TYPOLOGIE B

3 À 5 PERSONNES

6 MODULES 54 M²

12,50

6,50

TYPOLOGIE C

4 À 6 PERSONNES

8 MODULES 72 M²

Essa intervenção tem como objetivo tornar este território resiliente, acompanhando seu desenvolvimento em conexão com a intervenção drástica da implantação do BRT Transcarioca.

6,50

9,50

TYPOLOGIE D 9 MODULES 81 M²

60

6 À 8 PERSONNES


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

6,50 3 3,50

9,50

6,50 6,50

6,50 6,50

3,50

3,50

3,50

2 MODULES 18 M²

3 MODULES 27 M²

3 MODULES

4 MODULES

4 MODULES

27 M²

36 M²

36 M²

6,50

9,50

6,50

6,50

3,50 6,50

3,50

6 MODULES 54 M²

5 MODULES 45 M²

5 MODULES 45 M²

6,50

6,50

12,50

6,50

8 MODULES 72 M²

7 MODULES 63 M²

3m

6,50

3m

9 MODULES 81 M²

61


62


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

63


A ideia não é utilizar uma lógica artificial e fixa nessa zona, mas reinventá-la, criar um espaço rentável agindo localmente – daí o uso do termo ‘acupuntura’. É inconcebível agir de maneira monumental ou globalizante neste tecido. O mais realista é agir de forma pontual, para fins de disseminação do conceito participativo em diferentes eixos: no eixo longitudinal, ao longo de 22 km da linha de BRT, e no transversal, contaminando instintivamente e gradualmente os lotes mais próximos, convertendo seus “donos” a uma abordagem focada na qualidade de vida e não na quantidade de terra “possuída”.

Nos próximos anos, pela instalação dessa mega infraestrutura, a Zona Norte do Rio vai crescer, agregando valor e interesse. Não aproveitar de tal intervenção radical no território seria abrir mão de uma grande oportunidade de criar uma dinâmica de desenvolvimento da habitação na área, reintegrando de diferentes maneiras pessoas que seriam desapropriadas. Existe ali uma necessidade urgente de renovação urbana em torno deste elemento infraestrutural, um corpo estranho no tecido urbano. Explorando a riqueza de tal território, em vez de deixar acontecer um fenômeno insalubre de apropriação espontânea de espaços “residuais” criados por esta instalação, observado em inúmeros casos cariocas, o objetivo deste projeto é integrar a Zona Norte à cidade, garantindo seu desenvolvimento futuro. No entanto, no caso do Rio de Janeiro, fatores mais complexos ainda são difíceis de apreender, como em termos de gestão urbana, com fortes limitações políticas. O objetivo deste projeto é iniciar, através de uma organização econômica do território, uma dinâmica da progressão da política de habitação, articulada com o desenvolvimento dos transportes públicos no Rio de Janeiro.política de habitação, articulada com o desenvolvimento dos transportes públicos no Rio de Janeiro.

64


2018 Amélie Thouveny_ portfolio 2014

  FLUX ROUTIER ET LA DENSIFICATION

65


Reabilitação Do triângulo histórico ROLAND GARROS Paris, France

Tipo: Projeto de Escritorio / AACMA (Chaix & Morel et associés) Localização: Paris 75016 Superficie da parcela: terreno do triângulo histórico de 8,6 hectares Superfície programàtica: Construção de 20 172 m² com 9 653 m² para o prédio da organização dos torneios. Concurso 2012 - entrega prevista: Torneio 2018

A modernização do Triângulo Histórico de Roland Garros (Paris, 16 arr) foi um concurso público, vencido pelo escritório de arquitetura Chaix & Morel em 2012, com previsão de conclusão para o torneio de maio de 2018. Esta operação tem como objetivo a restruturação completa do atual estádio Roland Garros, que envolve a concepção do edifício da organização: atual “Village” de relações públicas, com escritório da FFT. No projeto estão também incluídas a criação de uma quadra de tênis com uma arquibancada de 2200 lugares sentados, a reabilitação dos pavilhões (d’Octroi e Federal) e a reforma das quadras existentes, do espaço de animação, do museu e da loja oficial. Fiz um estágio de 6 meses neste escritório e por 3 meses pude trabalhar neste projeto. Tive a sorte de acompanhar duas fases decisivas, para as quais eu desenvolvi vários documentos, dentre eles cortes

66

do terreno inteiro (anexo 4), que me permitiram entender rapidamente a lógica de funcionamento deste sítio histórico. Dificultado pela associação de moradores do bairro, este projeto teve várias pausas devido a processos jurídicos e quase foi suspenso. Após julgamento, o escritório foi obrigado, por exemplo, a mudar a altura do projeto inicial, por reivindicação desta poderosa associação. Como se pode ver nas fotos aéreas do sítio, o projeto mistura arquitetura e paisagismo com uma flora bem presente. Várias árvores foram classificadas através de levantamento e diversas medidas foram tomadas para assegurar o bom desenvolvimento da paisagem existente. O projeto visa acrescentar uma área de visitantes, oferecendo novas possibilidades comerciais e de eventos.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

2.

1.

3. 1. Plano de massa «antes / depois» do trabalho feito 2. Perspetiva representando os terraços do prédio «organização» substituindo o atual «Village» 3. Visão geral do projeto do triângulo historico 67


4. Cortes do terreno Roland Garros

COUPE LONGITUDINALE AA SUR L’ENSEMBLE DU TRIANGLE HISTORIQUE

COUPE LONGITUDINALE BB SUR L’ENSEMBLE DU TRIANGLE HISTORIQUE

COUPE TRANSVERSALE CC SUR L’ENTREE ET LA PELOUSE DES MOUSQUETAIRES

COUPE TRANSVERSALE FF SUR LE COURT 12

68

COUPE T

COUPE TRANSVERSALE GG SUR LE COURT 2200

COUPE T


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

FÉD

2, av

MOD PAR

TRANSVERSALE EE SUR L’ALLEE SUZANNE LENGLEN

TRANSVERSALE DD SUR LE COURT CHATRIER ET LA ZONE ITV

ATELIER D'ARCHITE Architecte Mandatai

16, rue des haies • 750 Tél. : 01 43 70 69 24 • http://www.chaixetmo

Z4 Z1

69

Z2

Z3 Z5


CONCURSo "EURORENNES FEVAL"

Paris, França

Assunto: Concurso Escritório/ AACMA (Chaix & Morel et associés) Localização: Rennes Ano: março 2013 Programa do concurso: 8000 m2 escritórios & comércios

O concurso “EuroRennes Feval” foi realizado em trinômio: o escritório Chaix & Morel se associou a dois escritórios parceiros: ECDM (Paris) e GOLHEN (Rennes) para responder à solicitação de dois edifícios de escritórios, em que também são distribuídos restaurantes e lojas, e um cinema. A missão do nosso escritório foi projetar um edifício de escritórios cuja altura não excedesse o limite de IGH (cobertura com limite de 28 metros de altura, ou R+8) contendo aproximadamente 7830 m2 de área útil, sendo 6170m2 de escritório e 160 m2 de lojas. No lote, a superfície utilizada por cada escritório associado foi pré-distribuída. A idéia principal da competição foi a fragmentação de um bloco urbano, proposta de ruptura do modelo tradicional de escritório (retangular), para encontrar qualidades funcionais, espaciais, de ventilação e de organização em um corte complexo. Além de fatores ecológicos, o conceito de divisão do terreno em três pedaços de “bloco quebrado”

possibilitou a circulação de pedestres entre os prédios, compondo térreos compartilhados de usos comerciais, base da mistura programática do espaço. Na fração feita pelo escritório Chaix & Morel, a pegada no solo do edifício proposto era próxima aos limites impostos pelo terreno. A organização interna permitiu colocar todas as circulações verticais viradas para Norte, para aproveitar o máximo da luz natural durante o dia e economizar energia elétrica. O estudo dos solos concluiu que a escavação poderia ser profunda, e uma grande economia de espaço foi feita com uma garagem enterrada diretamente no subsolo do prédio comercial. Durante o desenvolvimento do concurso, que durou um mês, eu participei de uma grande parte gráfica realizada para explicar o conceito geral, chave do projeto, que priorizava os avanços ecológicos deste tipo de proposta. Este concurso foi infelizmente perdido; a solução proposta pelo conjunto de escritórios ficou em 3° lugar.

1.

70


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

1. Corte do prĂŠdio projetado 2. Vista da entrada principal

71 2.


RESCALE

Rio de Janeiro, Brasil Localização: Madureira, Zona Norte, Rio de Janeiro Brasil Ano: 2012 Professores: Gabriel Duarte Programa: Urbanismo Equipe: Projeto Individual

Localizada no bairro de Madureira, na Zona Norte do Rio, esta área de projeto situa-se no caminho da linha de BRT construída para os Jogos Olímpicos Rio 2016 e acompanha os visitantes do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Noroeste) até a Vila Olímpica (Sudeste), cruzando vários bairros sem infraestrutura ou, à primeira vista, atrativos para turistas. Na época do projeto (2012), esta obra estava sendo iniciada em Madureira, que é justamente um bairro conhecido por ter uma forte atividade comercial local e uma área residencial extensa. Em comparação com outros bairros da Zona Norte, Madureira tem o benefício de abrigar um fluxo intenso e regular de pessoas em vários sentidos do território: o Mercadão atrai muitos visitantes dos bairros vizinhos, o que cria um fluxo lateral, e a estação de trem de Madureira amortece um fluxo permanente indo e vindo da estação Central do Brasil, no centro da cidade, no sentido horizontal do território. Além do projeto do BRT, que traria um meio de locomoção passando por estes bairros deixados de lado, o Parque de Madureira estava também em construção na época, transformando pontos isolados 72

em objetivos de deslocamento, e não só de passagem, onde as pessoas não tem motivos para permanecer. Neste cenário de novos pontos de interesse, fluxos intensos estão se estabelecendo na cidade, e a necessidade de infraestrutura para amortecer este uso parecia urgente e indispensável. A parte que se tornava a mais complexa do ponto de vista do desenvolvimento dos transportes foi o nó entre todas as futuras infraestruturas – o ponto de interseção entre as linhas de transporte rodoviário e ferroviário. Conciliar fluxos de pedestres e novos meios de se deslocar era então o objetivo principal deste projeto. Novas infraestruturas em um único prédio: o resultado é um HUB, plataforma multimodal ou edifício multifuncional, cujo propósito é permitir o acesso e o atravessamento rápido e simples para qualquer tipo de pedestre, com uma apropriação fácil do espaço, e incentivar a permanência neste sítio, seguro e agradável a qualquer hora do dia ou da noite. Este projeto em particular nasceu a partir da observação de grandes espaços residuais (sob os trilhos) e lugares subexplorados, hoje desperdiçados, que devem ser repensados e usados como pontos de acesso ao espaço sob os trilhos. Este HUB


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

1. vista em corte de toda a travessia: Estação / Cinema / Escritórios

faz o papel de tampão nessas áreas, porque o edifício foi concebido como um “plug-in”, inserido nos interstícios, mas também se desenvolvendo ao longo destas vias. Quatro blocos principais de circulação vertical acompanham o pedestre a partir do solo até os pisos do edifício, caracterizados pelas suas multifuncionalidades. Diferentes áreas se destacam: um espaço de compras com praça de alimentação, o núcleo cultural com biblioteca, cinema e um espaço de exposição, e a estação de trem de Madureira (preexistente, mas reformada neste projeto). Sua morfologia complexa resulta do desejo de diversificar as percepções que os pedestres tem da cidade, criando novos pontos de vista. Este projeto é também uma articulação de escalas, reais bonecas russas, todas atrizes da evolução do território fragmentado: a escala metropolitana, com o desenvolvimento de vários programas, cujo objetivo é atrair uma população diversificada; a escala urbana, com a função principal do edifício: criar um polo a partir do cruzamento dos transportes urbanos; e a escala humana, com diferentes modulações do dispositivo criado: uma estrutura que se transforma em passeio com algumas

partes acessíveis para pedestres. Devido à topografia existente em Madureira e nos arredores, o prédio visou responder a essa particularidade alcançando um nível mais elevado da cidade, caracterizado pela presença de escritórios, reforçando uma mistura programática e um uso regular do lugar, em várias horas do dia e da noite – uma solução para diminuir o perigo nestas áreas. Esse HUB cria uma ruptura na paisagem e destaca-se do existente, para uma maior atração da população. Cada cidadão teria um porquê, uma razão para se sentir atraído por esse espaço, por um programa especifico ou por um passeio diferente no cenário urbano de Madureira.

73


decalage nocturne Paris, França

Localização: Paris,11° arrondissement Ano: 2012 Professores: François Chochon & Matthieu Gelin Programa: Hotel Equipe: Pauline Vivaldi + Amélie Thouveny

Localizado perto da Place de la Bastille em Paris, este terreno goza de uma localização turística muito favorável. Em conexão direta com um espaço de passeio totalmente reflorestado sob arcos antigos chamado “La coulée verte parisenne”, o lote proposto é extremamente propício para a implementação de um hostel. Permitindo vistas inéditas sobre Paris, o conceito desta proposta de projeto foi justamente o enquadramento destas paisagens, conferindo um largo panorama em função do quarto escolhido. Dependendo do andar selecionado, esses enquadramentos guiam a visão do hóspede de dentro da cidade, passando pelo nível da coulée verte até dominar a cidade do topo do prédio. O conceito principal destes blocos em decalagem uns dos outros possibilita a diversidade de pontos de vista e deixa, ao mesmo tempo, um acesso externo quase sistemático para os quartos. As plantas das suítes foram criadas em um plano livre com

paredes de maior ou menor altura modulando a partição dos cômodos, dando sempre menos privacidade do banheiro até o quarto, colocando a vista como protagonista do espaço. Do lado de fora cria-se um ritmo de vida visível entre os quartos acesos e desligados – uma verdadeira tela viva no meio da cidade. A combinação de quatro tipos de pisos cria um movimento para todo o quadro do bairro e fornece uma continuidade dinâmica, hoje inexistente, para o passeio da coulée verte. Logo, este edifício foi projetado como criação de um sinal no meio da Rua de Lyon – uma visão que desperta a curiosidade vindo da Place de la Bastille e incentiva as pessoas a conhecer essa parte da cidade, perto de uma das estações de trem com maior fluxo de passageiros: a Gare de Lyon –, verticalizando uma parte que atualmente funciona com uma lógica mais horizontal.

A

C

M

J

CM

MJ

CJ

CMJ

N

1. Perspectiva do lobby do hotel 2. Seção transversal do hotel 3. Vista em perspectiva externa da rua de Lyon

74

A’


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

2. 3.

1.

75


Autour de....

Ile de France, France

Localização: Mantes la Jolie Ano: 2011 Professores:Andreas Alexopoulos Programa: Habitaçoes coletivas Equipe: Projeto individual

Situada a noroeste de Paris, a cidade de Mantes la Jolie é conhecida como familiar e residencial. Por causa da facilidade de deslocamento até Paris (35min de trem) ela também é considerada uma “cidade dormitório”: grande parte da população trabalha em Paris e aproveita valores mais favoráveis de aluguel e compra de imóveis do que em zonas mais próximas a Paris. De maneira mais precisa, a área do projeto está localizada a 15minutos a pé da estação principal de trem desta cidade. Por esse motivo, essa área, em pleno coração de bairro residencial, é um espaço com grande potencial para um projeto de habitação social. O planejamento deste tipo de programa arquitetônico pode ser caracterizado por um malabarismo entre custos baixos e qualidade de vida, com o objetivo de atender uma maior diversidade de famílias. Especificamente neste projeto, eu desenvolvi um conceito de otimização do espaço, criando um módulo quadrado fixo, no meio de cada apartamento, que concentra as áreas molhadas (a cozinha aberta para a sala e o banheiro fechado em frente aos quartos). Utilizando essa solução

76

para um empilhamento sistemático dos apartamentos, com gastos menores com instalações devido à simplificação dos canais, podiam ser acrescentados vários quartos ou espaços nos diferentes andares com o princípio de articulação de escalas. Este projeto teve como objetivo a automatização da imbricação do tipo de apartamento T3, T4, T5 com uma lógica interna simples: o banheiro como elemento central, e partes que se sobrepõem em duplex de modo a permitir automaticamente um acesso externo. A implantação de três edifícios neste terreno respeita os modelos de urbanização existentes ao redor e recria um coração de quadra neste terreno extremamente limitado, com espaços verdes, situados na borda do terreno, que visam melhorar a qualidade de vida dos moradores limitar a pegada da construção. Os acessos se fazem pelas laterais dos edifícios, o maior comportando 5 andares acima do térreo, (18 a 22m), iniciando um movimento de verticalização dos projetos perto da área de maior fluxo da cidade.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

1. Fotografias da maquete do projeto 2. Plantas do térreo e primeiro andar 3. Perspectiva externa dos edifícios

LOCAL

LOCAL

LOCAL

R+1

1/200 ème

2 1

4 3

5

6

7

8 9

RDC

3.

1/200ème

77


78


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

79


Pimp my chair

Paris, França

Localização: Localização abstrata Ano: 2011 Professores:Jean Christophe Quinton Programa: Projeto de experimentação Equipe: Cyril Roullier + Hugo Maffre + Amélie Thouveny

Estudar as relações de escala com um só elemento como base: a cadeira Steltman de Rietveld (1963). Este exercício teve como objetivo observar a maneira de moldar os espaços dependendo da escala do elemento base: a cadeira se tornou o único elemento construtivo a ser transformado em função das escalas. Tanto as paredes estruturais e os módulos de separação de espaços quanto os detalhes da casa foram concebidos a partir dos componentes da cadeira de Rietveld. Da moradia unifamiliar até a torre, passando pelo edifício comercial, cada escala permitiu a descoberta de espaços que se formaram, como a sala de concertos que a escala da torre podia fornecer. Na escala intermediária, o prédio médio permitiu programas como restaurantes em um espaço externo semicoberto, que garante a visão da cidade mesmo estando dentro do prédio – um limite interessante entre

o uso interno e externo dos espaços privados em ligação direta com a cidade. Este projeto nos levou a perceber os detalhes de um objeto que parecia simples numa primeira abordagem, mas cujos encaixes e usos escondiam sutilezas utilizadas para ampliação das diferentes escalas. Ao longo do projeto, fomos gradualmente guiados da escala maior até a menor, compreendendo que detalhes são cruciais e que a chegada a esses elementos mínimos é permitida a partir da resolução das questões anteriores. Além disso, o foco do exercício foi também estimular a imaginação, transitando nas escalas e deixando a mente se apropriar do objeto, construído para um uso específico, mas cujas características (ergonomia, estética, material) podem levar à criação de outras peças pertencentes a outras áreas, como as peças arquitetônicas propostas neste projeto.

1.

1 cadeira de arquiteto / 3 programas / 3 escalas 80


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

1. 2.

1. Figuras de axonometria evolutiva das três escalas 2. Perspectiva interior da escala «prédio» 81


Multiplicity

Paris, França

Localização: Porte de Bagnolet Ano: 2010 Professores: Franck Vialet Programa: Equipamento público Equipe: Cyril Roullier + Amélie Thouveny

Desafio arquitetônico, este projeto se insere em uma “janela urbana” entre a rodovia e o parque Jean Moulin, no bairro sensível de Porte de Bagnolet, leste de Paris. Esta intervenção teve por objetivo a criação de um polo atrativo numa região malcuidada e perigosa desse bairro. A coordenação destes dois espaços (rodovia e parque) permitiria alterar a frequentação dessa área, com usos especificos em momentos diferenciados do dia, criando um fluxo constante e diversificado – por idade, classe social e interesses. Uma piscina e uma sala de concerto são espaços muito diferentes à primeira vista, mas que, na realidade, tem muitas características semelhantes ou articuláveis para funcionar em um mesmo prédio. Na junção destes dois equipamentos públicos se dá o núcleo principal: o salão de recepção, parte comum que fornece entrada para a piscina durante o dia e acesso à sala de concerto à noite. Esta combinação de usos gerou uma reflexão sobre o uso arquitetônico de um programa para tornar outro melhor: enquanto os visitantes estão esperando para entrar na sala de concerto, eles tem uma visão noturna da piscina, iluminada até

82

certo horário. A interligação programática dos espaços não se compõe somente de uma relação visual; a piscina é também um centro cultural (circulação a seco existente) com passagem para os estúdios de gravação. A conexão entre esses espaços é também física, através de passarelas no teto da piscina, verdadeiro passeio em uma área urbana. Esta ponte, parte da cobertura da piscina, é uma combinação de diferentes tamanhos de fitas que reproduzem o esquema da circulação interna. O objetivo desta composição é estabelecer uma transição suave entre o centro comercial do bairro, o fluxo de pedestres vindo da estação de metrô existente e o parque, espaço verde subutilizado atualmente. Essa diversidade dá origem a percepções visuais inesperadas e novas nesse bairro. Como se pode ver no corte, a escala de construções deste território é alta, sendo necessário diferenciar as dimensões dos prédios desta nova área esportiva e cultural, vista da rua ou do passeio como um sinal. A parte principal de sala de concerto tinha que ser erguida de maneira a competir com a escala das construções existentes, mas também atrair certa curiosidade, uma diferenciação na paisagem.


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

1. 1. Planta de massa do projeto 2. Seção transversal do projeto

2. 83


Tommy burns project

L’isle d’Abeau, França

Assunto: Projeto de aprofundamento Ano: maio 2011 Professor: Gwenael Delhumeau

Construir um muro de concreto, desenhando, estudando e produzindo todas as peças das diferentes etapas da construção: esse foi o desafio do projeto Tommy Burns. Imaginar o desenvolvimento de um novo processo de construção de uma parede de concreto simples, sem usar nenhum elemento pré fabricado. Cada exemplar deste projeto é único, e todos foram concebidos e construídos um a um por nós mesmos, experimentando os materiais. Este projeto de aprofundamento foi refletido em 6 meses e realizado em uma semana, em grandes ateliês de criação disponíveis para as escolas de arquitetura e design no sudoeste da França, na cidade de L’isle d’Abeau. Eram vários passos, a começar por fazer o módulo da base em plástico, para produção das peças de concreto do molde da parede. O desenho da forma de plástico foi estudado para ter peso mínimo, preservando certa resistência para a peça metálica de fixação. Estas peças foram talhadas a partir do arquivo de Autocad, em uma máquina de corte a laser, esquentando o plástico espesso para deformá-lo. Tendo todas as “formas das formas” – o negativo das

84

peças –, podíamos começar a despejar o concreto para completar a segunda etapa desse processo. Depois de secas as peças, começamos a montar o molde do muro. Como não tínhamos certeza do resultado, o projeto foi um desafio constante que finalmente deu frutos; uma parede de 2m de altura com um ângulo reto foi o culminar dos 6 meses de discussão, reflexão e aprendizagem de técnicas de construção. Este projeto de aprofundamento foi muito importante no desenvolvimento dos estudos de arquitetura, por ter sido a primeira experiência concreta de construção após desenvolvimento de um projeto, em uma escola de arquitetura conhecida como muito conceitual. Este contato com a realidade dos materiais e dos passos a seguir para a concretização de uma ideia foi fundamental. O projeto Tommy Burns foi um sucesso e mereceu este título: veio da perseverança no desenvolvimento do projeto, metáfora do boxeador canadense de mesmo nome, o primeiro a aceitar lutas mistas de brancos e negros.


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Fotografias pessoais do desenvolvimento do projeto 85


Patchwork carioca Assunto: Monografia de fim de estudos com problemàtica principal: «Articulação de redes e espaços verdes em uma cidade em extensão». Análise do parque do Flamengo e das diferentes planificações urbanas da Cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Ano: 2013 Tutores: Georges Farhat_Stéphanie de Courtois_ Jörn Garleff

No início deste trabalho sobre o Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro, não sabia que ele levaria à elaboração de um estudo profundo sobre as complexidades urbanísticas da cidade. Durante o meu intercâmbio, morei no bairro da Glória, próximo ao objeto de estudo, e visitei o local diversas vezes antes de começar as minhas observações, o que me levou a ter uma visão bem objetiva do mesmo. A combinação da escala de bairro com a escala metropolitana desperta a curiosidade do visitante neste espaço tão utilizado pelos cariocas para vários tipos de atividades em paralelo ao fluxo constante de veículos. A partir das observações do sítio e das pesquisas encaminhadas, passei a entender o caráter artificial do parque, o que me levou a questionar a real necessidade de uma porção de território tão grande anexada a uma cidade que já nitidamente mesclada com a natureza, naturalmente arborizada, uma “cidade verde”. Eu logo tive a sensação de que este parque não era apenas um parque, mas um espaço de conexão da cidade. Na realidade, o fato do Aterro do Flamengo ser um parque foi um combate de pessoas politicamente influentes sobre o planejamento de vias cruas sobre o mar, para atenuar o fluxo do bairro central, puramente administrativo, até a zona sul do Rio de Janeiro. O que me levou finalmente à historia e à evolução da cidade do Rio de Janeiro foi o estudo deste aterro, resultado do desmonte dos primeiros morros de favela no centro, demolidos por questões de higienismo no início do século XX. O objetivo desta monografia se esclareceu neste momento da pesquisa: não

86

seria apenas um estudo do Parque do Flamengo, mas um estudo progressivo saindo da escala micro do parque para a escala macro da cidade – um estudo sobre a “articulação de redes e espaços verdes em uma cidade em extensão”. A cidade do Rio de Janeiro é uma fonte interminável de interesses urbanísticos, e entender a montagem, a colagem e a convivência cotidiana de espaços sociais tão diferentes, que até hoje se prejudicam de acordo com as decisões urbanísticas, mas que se criaram um em função do outro, começou para mim com uma observação da cidade atual. E, mesmo bem integrado à cidade, o Parque do Flamengo pode ser caraterizado como um espaço costurado no território. Expandindo essa noção, podemos constatar que as diferentes partes da cidade são morfologicamente ligadas, mas não em uma perspectiva verdadeiramente urbana – mais devido à criação de tipologias específicas para determinadas áreas do que frutos que um planejamento urbano. Finalmente, o Rio de Janeiro inteiro se tornou um imenso patchwork, sendo costurado por inúmeras tipologias com caraterísticas e personalidades fortes, e com 450 anos de desenvolvimento e todas as camadas acomodadas umas sobre as outras. Considerando as suturas urbanas realizadas em todo o território, utilizando eixos desenvolvidos, podemos fazer uma metáfora do Rio de Janeiro como uma “cidade miscelânea”, justificando o título do trabalho: “Patchwork Carioca”.


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

87


Patchwork Carioca / ÂŤArticulation de rĂŠseaux & espaces verts dans une ville en extension Âť

&Ä‚Ä?ÄžăĹŻÄ‚žĞŜĂÄ?ÄžĆ?ŽǀĹ?Ä Ć&#x;ƋƾĞ ZÄ Ĺ?Ĺ?žĞDĹ?ĹŻĹ?ƚĂĹ?ĆŒÄžÍ—ĆľĹ?žĞŜƚĂĆ&#x;ŽŜĚĞĹŻÄ‚ĚĞƊĞ͕ &Ä‚Ä?ÄžăĹŻÄ‚žĞŜĂÄ?ÄžĆ?ŽǀĹ?Ä Ć&#x;ƋƾĞ ZÄ Ĺ?Ĺ?žĞDĹ?ĹŻĹ?ƚĂĹ?ĆŒÄžÍ—ĆľĹ?žĞŜƚĂĆ&#x;ŽŜĚĞĹŻÄ‚ĚĞƊĞ͕ et rĂŠpression etĂ Ă l’ingĂŠrance l’ingĂŠrancede del’Êconomie l’Êconomie rĂŠpression importante importante et et censure. censure. amĂŠricaine, amĂŠricaine,GetĂşlio GetĂşlioVargas Vargasest estrĂŠĂŠlu rĂŠĂŠlu Juscelino JuscelinoKubitschek Kubitschek Ć‰ĆŒÄ Ć?Ĺ?ĚĞŜƚĚĞĹŻÄ‚ZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞăƾŜĞ Ć‰ĆŒÄ Ć?Ĺ?ĚĞŜƚĚĞĹŻÄ‚ZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞăƾŜĞ WĆŒÄ Ć?Ĺ?ĚĞŜƚĚĞĹŻÄ‚ZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞĚƾ WĆŒÄ Ć?Ĺ?ĚĞŜƚĚĞĹŻÄ‚ZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞĚƾ ĂŠcrasante majoritĂŠ. ĂŠcrasante majoritĂŠ. BrĂŠsil BrĂŠsilaprès aprèsavoir avoir ĂŠchappĂŠ ĂŠchappĂŠ Ă Ă  Le 'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?ĚĠƉŽĆ?Ä Ć‰Ä‚ĆŒ Le BrĂŠsil BrĂŠsil fait son entrĂŠe dans le un 'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?ĚĠƉŽĆ?Ä Ć‰Ä‚ĆŒ uncoup coupd’État d’ÉtatmontĂŠ montĂŠ Ă Ă  la la fois fois marchĂŠ un marchĂŠ commun de l’AmĂŠrique Ć‰Ä‚ĆŒĹŻÄžĆ?ĹľĹ?ĹŻĹ?ƚĂĹ?ĆŒÄžĆ?Í•ĹŻÍ›hEÍžhĹśĹ?ŽŜ ungroupe groupede degĂŠnĂŠraux gĂŠnĂŠraux 'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?ÍžĎ­Ď´Ď´ĎŽÍ˛Ď­ĎľĎąĎ°ÍżÍ˜ Ć‰Ä‚ĆŒĹŻÄžĆ?ĹľĹ?ĹŻĹ?ƚĂĹ?ĆŒÄžĆ?Í•ĹŻÍ›hEÍžhĹśĹ?ŽŜ 'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?ÍžĎ­Ď´Ď´ĎŽÍ˛Ď­ĎľĎąĎ°ÍżÍ˜ du du Sud, Sud, le Mercosul. Son poids ĠžŽÄ?ĆŒÄ‚Ć&#x;ƋƾĞEÄ‚Ć&#x;ŽŜĂůĞͿĞƚĹŻÄž PrĂŠsidence ĠžŽÄ?ĆŒÄ‚Ć&#x;ƋƾĞEÄ‚Ć&#x;ŽŜĂůĞͿĞƚĹŻÄž PrĂŠsidencesous sousleleGouvernement Gouvernement ĂŠconomique ĂŠconomique important en fait un puissant provisoire puissantconservateur conservateur Carlos Carlos provisoireaprĂŠs aprĂŠsun uncoup coupd’Êtat. d’Êtat. ZÄ Ĺ?Ĺ?žĞÄšĹ?Ä?ĆšÄ‚ĆšĹ˝ĆŒĹ?Ä‚ĹŻĚĞ'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?Í• ZÄ Ĺ?Ĺ?žĞÄšĹ?Ä?ĆšÄ‚ĆšĹ˝ĆŒĹ?Ä‚ĹŻĚĞ'ĞƚƜůĹ?Ĺ˝sÄ‚ĆŒĹ?Ä‚Ć?Í• des acteurs des acteurs les plus importants Lacerda. ŚĞĨĚĞĹŻÄ‚ĆŒÄ Ç€Ĺ˝ĹŻĆľĆ&#x;ŽŜĚĞϭϾϯϏ͕Ĺ?ĹŻžĞƚ Lacerda. ŚĞĨĚĞĹŻÄ‚ĆŒÄ Ç€Ĺ˝ĹŻĆľĆ&#x;ŽŜĚĞϭϾϯϏ͕Ĺ?ĹŻžĞƚ S’inspirant S’inspirantdu durĂŠgime rĂŠgimeĂŠponyme ĂŠponyme ÄŽĹśăĹŻÄ‚ͨsĹ?ÄžĹ?ĹŻĹŻÄžZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞ͊ ÄŽĹśăĹŻÄ‚ͨsĹ?ÄžĹ?ĹŻĹŻÄžZĠƉƾÄ?ĹŻĹ?ƋƾĞ͊ Estado Transfert EstadoNuovo NuovoĂŠtabli ĂŠtabliau auPortugal, Portugal, Transfert de de la la capitale capitale de de Rio Rio Mandat Mandatde deCarlos CarlosSampaio Sampaio Vargas Ă Ă la Vargasinstaure instaurelelerĂŠgime rĂŠgime laville ville moderniste moderniste Brasilia Brasilia dictatorial dictatorialaprès aprèslelecoup coupd’Etat d’Etatdu du AnnĂŠes AnnĂŠes 1980: 1980: MontĂŠe MontĂŠe Mandat Mandatde deAntonio Antonio 10 10Novembre Novembre1937. 1937. de de l’insĂŠcuritĂŠ l’insĂŠcuritĂŠ Ă Ă  Rio Rio da daSilva SilvaPrado PradoJunior Junior

Mandat MandatdedeFransisco FransiscoPereira PereiraPassos, Passos,plan plan dederĂŠformes rĂŠformesurbaines urbainesÂŤMise ÂŤMiseĂ Ă platÂť platÂť: : Assainissement, Assainissement,Embellissement, Embellissement, hĆŒÄ?Ä‚ĹśĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜ hĆŒÄ?Ä‚ĹśĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜ  

 

 

 

 

 

2003-2011: PrĂŠsidence ĚĞ>ĆľĹŻÄ‚Í˜ZÄžĆ‰ĆŒÄ Ć?ĞŜƚĂŜƚĚƾ renouveau brĂŠsilien de ces dernières annĂŠes. Il a lancĂŠ le BrĂŠsil sur la scene ĂŠconomique mondiale.





 

PrĂŠsidence 2011-.....: PrĂŠsidence ĚĞĹ?ůžĂZŽƾĆ?Ć?Ğč ĚĞĹ?ůžĂZŽƾĆ?Ć?Ğč



)LQ;,;q )LQ;,;q W,^DKZd/YhÍ—ĹŻÄžÄ?Ć&#x;ŽŜĆ? Ć‰ĆŒÄ Ć?Ĺ?ĚĞŜĆ&#x;ĞůůĞĆ?ƚŽƾĆ?ĹŻÄžĆ?Ď°Ä‚ĹśĆ?

 

 

 

 

HISTORIQUE/ POLITIQUE 1929.Plan Plande deLeLeCorbusier Corbusierpour pour 1929. ĹŻÄ‚Ç€Ĺ?ĹŻĹŻÄžĚĞZĹ?Ĺ˝ 1920- Arasement Arasement Morro Morro do do ĹŻÄ‚Ç€Ĺ?ĹŻĹŻÄžĚĞZĹ?Ĺ˝ 1920Castelo. Castelo. dĆŒÄ‚ĹśĆ?Ä¨Ĺ˝ĆŒĹľÄ‚Ć&#x;ŽŜ ĹľĹ˝ĆŒĆ‰ĹšĹ˝ĹŻĹ˝ĹľĹ˝ĆŒĆ‰ĹšĹ˝ĹŻĹ˝dĆŒÄ‚ĹśĆ?Ä¨Ĺ˝ĆŒĹľÄ‚Ć&#x;ŽŜ Ď­ĎľĎŻĎŽÍ˜Ä Ä?ƾƚĚĞĹŻÄ‚Ç€ÄžĆŒĆ&#x;Ä?Ä‚ĹŻĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜĚĞ Ď­ĎľĎŻĎŽÍ˜Ä Ä?ƾƚĚĞĹŻÄ‚Ç€ÄžĆŒĆ&#x;Ä?Ä‚ĹŻĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜĚĞ giqueconcrète concrètede delalaville. ville.LaLa gique l’ensemblede delalazone zoneSud Sudaprès aprèslele l’ensemble žĂĆ&#x;Ä&#x;ĆŒÄžĆ‰ĆŒÄžĹľĹ?Ä&#x;ĆŒÄž Ć‰ĆŒÄžĹľĹ?Ä&#x;ĆŒÄžĆ?ÄžĆŒÇ€Ĺ?ĆŒÄ‚ Ć?ÄžĆŒÇ€Ĺ?ĆŒÄ‚ăă žĂĆ&#x;Ä&#x;ĆŒÄž Ć‹ĆľÄ‚ĆŒĆ&#x;ÄžĆŒĚĞŽƉĂÄ?Ä‚Ä?ĂŜĂ Ć‹ĆľÄ‚ĆŒĆ&#x;ÄžĆŒĚĞŽƉĂÄ?Ä‚Ä?ĂŜĂ construire espace espace dĂŠdiĂŠ dĂŠdiĂŠ Ă Ă  construire l’aĂŠroportSantos SantosDumont Dumont l’aĂŠroport

1891-Arasement Arasement 1891Morro Senado Morro dodo Senado DDÄ‚ Ä‚Ć&#x; Ć&#x;Ä&#x; Ä&#x; ĆŒ ĆŒÄžÄž première dede lala première Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜ ĚĞ ĚĞ ĹŻÄ‚ĹŻÄ‚ Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜ ĨĂĕĂĚĞ ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞ͗ ĨĂĕĂĚĞ ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞ͗ actuel port port dede actuel Ä?Ĺ˝ĹľĹľÄžĆŒÄ?ÄžĚĞZĹ?Ĺ˝ Ä?Ĺ˝ĹľĹľÄžĆŒÄ?ÄžĚĞZĹ?Ĺ˝

1926. Commande Commande du du PLAN PLAN 1926. AGACHE:base basede delalarĂŠorganisarĂŠorganisaAGACHE: Ć&#x;ŽŜĆľĆŒÄ?Ä‚Ĺ?ŜĞ ĆľĆŒÄ?Ä‚Ĺ?ŜĞĚĞ ĚĞZĹ?Ĺ˝Í˜ ZĹ?Ĺ˝Í˜WĆŒĹ?Ć?Äž WĆŒĹ?Ć?ÄžĞŜ ĞŜ Ä Ä?ƾƚĚĞ ĚĞĆ‰ĆŒĹ˝ÄšĆľÄ?Ć&#x;ŽŜ Ć‰ĆŒĹ˝ÄšĆľÄ?Ć&#x;ŽŜ Ć&#x;ŽŜ Ä Ä?ƾƚ Ä?ŽžƉƚĞ ĚĞĆ? ĚĞĆ? ÄšĹ?ĸÄ?ƾůƚĠĆ? ÄšĹ?ĸÄ?ƾůƚĠĆ? ĚĞ ĚĞ AutomobileauauBrĂŠsil BrĂŠsil Ä?ŽžƉƚĞ Automobile Ä?Ĺ?ĆŒÄ?ƾůĂĆ&#x;ŽŜ ÄžĹśĆšĆŒÄž ÄžĹśĆšĆŒÄž ÄšĹ?ÄŤÄ ĆŒÄžĹśĆšÄžĆ? ÄšĹ?ÄŤÄ ĆŒÄžĹśĆšÄžĆ? Ä?Ĺ?ĆŒÄ?ƾůĂĆ&#x;ŽŜ zonesde delalaville ville zones

1ères rĂŠformes rĂŠformes urbaines: urbaines: 1ères Ĺ˝Ä?ĹŠÄžÄ?Ć&#x;Ä¨Ń ĆšĆŒÄ‚Ć?Ä¨Ĺ˝ĹľÄžĆŒ ĆšĆŒÄ‚Ć?Ä¨Ĺ˝ĹľÄžĆŒZĹ?Ĺ˝ ZĹ?Ĺ˝ĞŜ ĞŜ Ĺ˝Ä?ĹŠÄžÄ?Ć&#x;Ä¨Ń  capitalesur surmode modeFrançais. Français. capitale /ĹśĆ?ƉĹ?ĆŒÄ‚Ć&#x;ŽŜ,Ä‚ĆľĆ?Ć?žĂŜŜĹ?ĞŜŜĞ KÄ?Ä?ƾƉĂĆ&#x;ŽŜĚƾ /ĹśĆ?ƉĹ?ĆŒÄ‚Ć&#x;ŽŜ,Ä‚ĆľĆ?Ć?žĂŜŜĹ?ĞŜŜĞ KÄ?Ä?ƾƉĂĆ&#x;ŽŜĚƾ ÂŤPlanodedemelhoramentoÂť melhoramentoÂť morrodada ÂŤPlano morro ĂŠlaborĂŠenen1875 1875 Providencia: ĂŠlaborĂŠ Providencia: premièrefavela favela première s’organise s’organise    

 

 

ZÄ ÄžĹŻ ÄžĆ?Ć?Ĺ˝ĆŒ ÄžĆ?Ć?Ĺ˝ĆŒ ĚĞ ĚĞ ZĠĞů Ĺś ƉƉ ĆŒĆŒ ŽŽ ĚĚ ƾƾ Ä?Ä? Ć&#x;Ć&#x; ŽŽ Ĺś Automobile au au BrĂŠsil BrĂŠsil Automobile

1943-Morro Morrode deSanto SantoAntonio AntonioarasĂŠ. arasĂŠ. 1943DÄ‚Ć&#x;Ä&#x;ĆŒÄžĆ‰ĆŒÄžĹľĹ?Ä&#x;ĆŒÄžĚĞĹŻÄ‚Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜĚĞĹŻÄ‚ DÄ‚Ć&#x;Ä&#x;ĆŒÄžĆ‰ĆŒÄžĹľĹ?Ä&#x;ĆŒÄžĚĞĹŻÄ‚Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜĚĞĹŻÄ‚ ĨĂĕĂĚĞ ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞ ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞ Ěƾ Ěƾ Ć‹ĆľÄ‚ĆŒĆ&#x;ÄžĆŒ Ć‹ĆľÄ‚ĆŒĆ&#x;ÄžĆŒ ĚĞ ĚĞ ĨĂĕĂĚĞ Flamengo. Futur Futur Parque Parque do do Flamengo. Flamengo. Flamengo.

 

ŽŜĆ?ĆšĆŒĆľÄ?Ć&#x;ŽŜĚĞZ^/>/ ŽŜĆ?ĆšĆŒĆľÄ?Ć&#x;ŽŜĚĞZ^/>/

 





 



)LQ;,;q )LQ;,;q

 

 

 

 

 

 

URBANISTIQUE

Premièrs ĂŠlargissements Premièrs ĂŠlargissements des limites territoire des limites dudu territoire baie Guanabara sursur la la baie dede Guanabara Ć‰Ĺ˝ĆľĆŒĹŻÄ‚Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜĚ͛ƾŜĞ Ć‰Ĺ˝ĆľĆŒĹŻÄ‚Ä?ĆŒÄ Ä‚Ć&#x;ŽŜĚ͛ƾŜĞ façade ĂŠconomique façade ĂŠconomique ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞăĹŻÄ‚Ç€Ĺ?ĹŻĹŻÄžÍ˜ ĹľÄ‚ĆŒĹ?Ć&#x;žĞăĹŻÄ‚Ç€Ĺ?ĹŻĹŻÄžÍ˜

DĂŠbutdes desĂŠtudes ĂŠtudes DĂŠbut

Ouverturededel’Avenida l’Avenida Ouverture BeiraMar: Mar:frange frange Beira ĹŻĹ?ĆŠĹ˝ĆŒÄ‚ĹŻÄžÄžĹśĆšĆŒÄžĹŻÄžÄžĹśĆšĆŒĹ˝ ĹŻĹ?ĆŠĹ˝ĆŒÄ‚ĹŻÄžÄžĹśĆšĆŒÄžĹŻÄžÄžĹśĆšĆŒĹ˝ baiededeBotafogo Botafogo etetlalabaie

Ouverturede del’Avenida l’Avenida Ouverture ZĆľĹ?Ä‚ĆŒÄ?Ĺ˝Ć?Ä‚ ZĆľĹ?Ä‚ĆŒÄ?Ĺ˝Ć?Ä‚ contournantleleMorro Morroda da contournant Viuva Viuva  

 

 

m ii èè rr ee ss PP rr ee m ĆŒÄ ĹśĹ˝Ç€Ä‚Ć&#x;ŽŜĆ? Ěƾ Ěƾ ĆŒÄ ĹśĹ˝Ç€Ä‚Ć&#x;ŽŜĆ? parc, ajout parc, ajout ’Ê q qu u ii p p ee m me ntss dd ’Ê e nt manquants avec avec manquants Ĺ˝ ĹŻĹŻ Ćľ Ćľ Ć&#x; Ć&#x; Ĺ˝ Ĺ˝ Ĺś Ä Ä  ǀǀ Ĺ˝ Ĺś Ě͛ƾĆ&#x;ĹŻĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜ Ěƾ Ěƾ Ě͛ƾĆ&#x;ĹŻĹ?Ć?Ä‚Ć&#x;ŽŜ parc... parc...

/Ĺ?ŜĂƾĹ?ĆľĆŒÄ‚Ć&#x;ŽŜ /Ĺ?ŜĂƾĹ?ĆľĆŒÄ‚Ć&#x;ŽŜ

Traitement du du parc parc de de Flamengo Flamengo Traitement  

 

  ĂŠtudes ĂŠtudes

 

 

 

 

 

 

)LQ;,;q )LQ;,;q

Concours lancĂŠ Concours lancĂŠ pour pour la la marina marina de de Gloria Gloria  

travaux travaux

 

 

 

 

QUARTIER QUARTIER DE DE FLAMENGO FLAMENGO

Ă€J3KDVHVFKURQRORJLTXHV3URGXFWLRQ$PpOLH7KRXYHQ\

11

10 Patchwork Carioca / ÂŤArticulation de rĂŠseaux & espaces verts dans une ville en extension Âť

&RXSH$$

D ÀJD7\SH

3DUFGH)ODPHQJRHQ

C &RXSH%%

$ ÀJE7\SH &URTXLVVFKpPDWLTXHGHVà X[DXWRPRELOHVHWSLpWRQVTXLVHFURLVHQWVRXUFH7UDYDX[pWXGLDQWVŠ%=ª(QVD9

% 7\SH

% 7\SH

C 7\SH

D 7\SH

7UDYHUVpHGHW\SHSDVVHUHOOHUHOLDQW GHX[HVSDFHVSD\VDJHUV

$

7UDYHUVpHGHW\SHSDVVDJHVRXVOHV YRLHVUDSLGHV

% ÀJ3ODQGXSDUFGH)ODPHQJRUpIpUHQFHGHVPR\HQVH[LVWDQWVGHIUDQFKLVVHPHQWGHVYRLHV3URGXFWLRQ$PpOLH7KRXYHQ\ 40

88

3KRWRJUDSKLHV$PpOLH7KRXYHQ\ 41


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

Acupuncture Carioca. Renouvellement urbain d’une zone en transition CARTE DE L’ARTICULATION ENTRE RESEAUX ET ESPACES VERTS NATURELS DE RIO DE JANEIRO

Niteroi

Rio de Janeiro

10 km

AMENAGEMENT: Forêt de Tijuca Morros naturels Voies rapides Appropriation urbaine du territoire Mer DENSITE DE POPULATION: + ++ +++ Source: TracÊ d’origine  Recueil non Exhaustif, Paris-Rio , Travaux d’Êtudiants, Master ENSAV, 2012; RetravaillÊ par AmÊlie Thouveny

Morro existant Morro existant

Favela Favela

Morro de Santo Antonio/ 1943 Morro de Santo Antonio/ 1943

Maisons coloniales coloniales Maisons

Patchwork Carioca / ÂŤArticulation de rĂŠseaux & espaces verts dans une ville en extension Âť

Morro do Senado/ 1891 Morro do Senado/ 1891

Maisons coloniales+ coloniales+Edifices Edificesomposants omposants Maisons

Morro do Castelo/ 1920 Morro do Castelo/ 1920

AĂŠroport Santos Dumont AĂŠroport Santos Dumont

Baie de Guanabara Baie de Guanabara

ÂŤGrattescielsÂť cielsÂťdu duquartier quartieradministratif administratif ÂŤGrattes

3306, 3306,88 1KM 28

Ă€J&RXSHVVXUOHFHQWUHGH5LRFRPSDUDLVRQGHVUHOLHIVDYDQWHWDSUqVOHVDUUDVHPHQWVGHŠPRUURVÂŞ

29

89


TRAbalhos Fotográficos

90

Laacher See, Allemagne, 2008

Favela do Vidigal, Rio de Janeiro, Brésil, 2011

Digue de La Ciotat, France, 2009

Théâtre de Brasilia, Brésil, 2012

Metrô, São Paulo, Brésil, 2013

Manaus, Brésil, 2012

Exposition photographique, Arles, 2009

Berlin,Allemagne, 2013


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Carnaval, Rio de Janeiro, Brésil, 2013

Musée et Cathédrale, Brasilia, Brésil, 2012

Moma exposition, New York, USA, 2006

Amazonia, Brésil, 2012

Dois Irmãos, Rio de Janeiro, Brésil, 2013

Amazonia, Brésil, 2012

Deserto dos Lençois, Maranhão, Brésil, 2012

Carnaval, Rio de Janeiro, Brésil, 2013 91


TRAbalhos DESIGN gráfico Tipo: Portfolio + CV (projeto particular) Objetivo: Aplicação à um mestrado estrangeiro Ano: 2016 - PANELADA Vitória Pinheiro de Faria Neves 16.12.1988 / Rio de Janeiro, Brasil

Rua Artur Araripe, 63/203 - Gávea CEP: 22451-020 Rio de Janeiro, RJ - Brazil +55 (21) 34426348 / +55 (21) 982394897 vickneves@gmail.com

Year: 2015

What is it?

Panelada is the name a brand developed for a culinary project created by five young entrepreneurs.

Panelada (Casserole) is a gastronomic event which is nothing like the traditional culinary fairs, food trucks and restaurants. It is a competition between cooks and it is for everybody who loves the culinary art.

How does it work? It is an event open to the public. The organizers invite two chef duos – professional or amateur – to elaborate a three-course menu: starter, main dish and dessert. The audience buys each pair’s tasting menu and votes for their favourite recipes, according to the criteria previously decided by the organization, such as presentation, creativity and taste. At the end of the event the votes are counted and the winning team receives a prize from Panelada and a percentage of the tasting menu’s sales. Every edition the Panelada team defines a theme, an ingredient list and a budget, all of which contestants must follow when creating their recipes. The Panelada can be held anywhere, it just requires a kitchen. Each event lasts approximately five hours.

VP FN

What is my role? As a part of the team I’ve participated in the following activities: Branding: the construction of the “Panelada” brand, developing the concept and its name. _Event production: organizing the decor and setting the atmosphere, inviting participants, buying ingredients, developing promotional material. _Marketing: creating partnerships with brands which can contribute with the project and work on the promotion of the event in social media channels like Facebook and Instagram.

- Selected Work PANELADA (Casserole) CERVEJA CANAL BRASIL (Channel Brazil Beer) CAMINHOS DO MAR (Seaway) 1

- CAMINHO DO MAR – Surface Design Project -

- CERVEJA CANAL BRASIL -

Year: 2016

Year: 2014

Caminho do Mar (Seaway) was a Project I presented as the conclusion assigment of the extension course Introdução ao Design de Superfície (Introduction to Surface Design) from IED (Istituto Europeo di Design) in Rio de Janeiro.

What was it? Caminho do Mar is a small print collection meant to be applied on beachwear and interior design pieces. The concept of the sea, theme of the collection, was inspired by Brazil’s natural beauty. The goal was to convey the mystery, the freshness and the lightness of the Brazilian seas. To translate the elements of this scenery, the prints were hand painted, I used light and lively watercolour and oil paint colours. Afterwards, the artwork was digitalized and I used Photoshop to develop the final prints.

What was it?

Canal Brasil (Channel Brazil Beer) is a Brazilian paid television channel whose focus is Brazilian cinema. The programming features only national productions and it’s the Brazilian television channel which most provides incentive to the Brazilian film industry.

Canal Brasil decided to create an artisanal beer as a way of strengthening the channel’s bond with its current viewer base, calling the attention of younger audiences and building relationships. Beer is, unquestionably, a very popular drink in Brazil, hence another goal of the project was to showcase the approachable side of the Canal Brasil brand. Putting together the popularity of the beverage and the idea of a custom-made brew, which should be carefully elaborated and have a restricted – but not necessarily small – production, the result was a sophisticated, diversified end product.

What was my role?

The goal was to associate the characteristics of the artisanal beer to the Canal Brasil programming: high-quality national movies, mostly made by independent producers. The idea was to take the beer bottles to the most prestigious Brazilian film festivals and events which had on their attendance list the channel’s target audience, men and women over thirty who like alternative and cult entertainment options. The beer was released in 2014 and it is a great success in many festivals such as Festival do Rio (Rio International Film Festival) and Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (Sao Paulo International Film Festival).

This was an authorial work in which I developed the name, the concept and the artwork of the project.

What was my role? I was a marketing analyst in the team which developed the concept and the strategy of the Project, throughout the process. Immersion Marketing: identifying market trends and behaviour. Also, defining premises and differentiating values, in order to support strategic decisions, giving the new brand footing. Brand creation and graphic deisgn: together with the advertising agency which works for Canal Brasil, our team followed the creation process of the beer’s visual identity and name. Developing the recipe: we worked with a small brewery in Rio de Janeiro. The head brewer helped us come up with a recipe which paired with our marketing strategy. The result was a Lager Bohemian Pilsener whose alcohol content is 5,0% ABV. It is a golden crystal beer with a white tasty foam. Canal Brasil beer has got personality and, as pilsens should be, it is characterised by low fermentation and lighter flavour, which is a favourite among beer lovers. 3

2

Vitória Pinheiro de Faria Neves

PROFESSIONAL BACKGROUND

16.12.1988 / Rio de Janeiro, Brasil

Today | 2016

Marketing Analyst at the Brazilian television channel Canal Brasil

Address Rua Artur Araripe, 63/203 - Gávea CEP: 22451-020 - Rio de Janeiro, RJ - Brazil Phone +55 (21) 34426348 / +55 (21) 982394897 @ vickneves@gmail.com

2016 | 2014

Marketing Assistant at the Brazilian television channel Canal Brasil

2013

Press agent at the press office Palavra Assessoria

2012

Marketing Assistant at the television channel Telecine

QUALIFICATIONS

Bachelor’s Degree in Social Communication – Advertising

at Pontifical Catholic University of Rio de Janeiro (PUC-Rio) from August 2008 to July 2012

Secondary School

at the German School Corcovado in Rio de Janeiro from February 2005 to December 2007

Primary School

_Portuguese - Native Speaker

Intern at the marketing department of the Brazilian television channel GNT

2011

Intern at the account management area of the production company Aquarela Filmes

_Spanish - Beginner

Studied Spanish at primary school

Wardrobe assistant in the French movie “OSS 117: Rio ne repond plus” (2008)

EXTRACURRICULAR ACTIVITIES 2016

Surface Design - Introductory Course at the Istituto Europeo di Design – Rio de Janeiro (IED) (2016)

2016

Workshop : creative process - the Design Thinking approach at Globosat (2016)

2013 2012

Contemporary Communication - course at Perestroika (2013) Branding workshop held by Institute Rio Moda and Ana Couto Branding - “Branding: do you know what it is or you just pretend you do?” (2012)

2012

Digital Media Extension Course at the School of Higher Education in Advertising and Marketing (ESPM) - Creating in Digital Media workshop (2012)

2010

Television Extension Course at PUC-Rio - TV – From design creation to production (2010)

2010 2006

92

Wardrobe assistant in “The Twilight Saga: Breaking Dawn – Part 1” Shot in Rio de Janeiro

2008

COMPUTER SKILLS Microsoft Word and Microsoft PowerPoint: advanced Excel, Photoshop, InDesign and Illustrator: basic

I acted in the Channel’s internal marketing area, negotiating with suppliers and allocating budget; I was in touch with advertising agencies, elaborating promotional material (souvenirs, newsletter, marketing e-mails). It was also part of my job to assist with the channel’s public relations, following the development of market plans and event production

I was a research and image editing assistant. I work with the advertising agencies DPZ-Rio and Ogilvy-Rio. I was involved in the production of the movie “Semana do otimismo que transforma” for the Coca-Cola Brasil 2010

_German - Intermediate

Certificates: Zentralen Deutschprüfung (ZDP), Deutsches Sprachdiplom Erste Stufe (DSD I), Deutsches Sprachdiplom Zweite Stufe (DSD II) Intensive course in Berlin (2008) Studied German as a foreign language during my school years

I worked for Canal Viva as a press agent. I wrote marketing literature, such as releases and summaries for TV shows and also stories for journalists. In addition, I was in charge of the channel’s customer service area and I would often accompany the cast during shootings.

I was responsible for promoting the Telecine Play plataform together with the channel’s press agency.

_English - Advanced

A month-long intensive course at Frances King, London – The United Kingdom (2008) Studied English as a foreign language during my school years

I was responsible for the brand management and I was the liaison between my team and the press office.Our team is in charge of developing marketing strategies and campaigns. In addition, I assist with promotional activities for movie premiers and film festivals. For example, the release of the artisanal beer Canal Brasil. It was also part of my job composing and sending promotional e-mails with the channel’s programming and developing corporate gifts.

2012 | 2011

at the Swiss Brazilian School- from February 1993 to December 2004

LANGUAGE SKILLS

I was promoted from assistant to analyst. Besides having kept my assistant’s duties I have gained more autonomy and assumed more leadership roles.

Basic Photography Course – at Atelie da Imagem (2010) Volunteer work at Uniao de Caridade Sao Bonifacio - I took care of underprivileged children, promoting games, activities and helping with their homework (2006)


Amélie Thouveny_ portfolio 2018

Tipo: Logo Objetivo: Desenvolvimento de identidade visual de empresa de import/export Ano: 2016 LOGOS TESTES LOGOS TESTES LOGOS TESTES

LOGOSÂ TESTES

DEGANIA DEGANIA DEGANIA

    DEGANIA

     

     

 

 

ESPESSURAS ESPESSURAS ESPESSURAS

ESPESSURAS

0,01 0,01

0,01

0,02 0,02

0,02

NUANCES PRETO/CINZA 0,02 0,05 0,1 NUANCES PRETO/CINZA NUANCES PRETO/CINZA NUANCES PRETO/CINZA

0,05

0,05 0,05

0,01

0,1 0,1

0,1

0,25

0,25 0,25

0,25

0,01 cinza 90 0,05 cinza 40 0,01 cinza 70 0,01 cinza 90 0,01 cinza 50 0,25 cinza 20 0,05 cinza 40 0,01 cinza 70 0,01 cinza 50 0,25 cinza 20 0,01 cinza 90 0,05 cinza 40 0,01 cinza 70 0,01 cinza 50 0,25 cinza 20

0,25 cinza 20

NUANCES VERDES 0,01 cinza 50 NUANCES VERDES NUANCES VERDES

0,05 cinza 40

NUANCESÂ VERDES

V1

V1 V1 V1

V2

DEGANIA

 

V2 V2

0,01 cinza 90

0,01 cinza 70

V2

V3

DEGANIA DEGANIA DEGANIA DEGANIA      

 

V3 V3

V3

V4 V4

V4

V4

DEGANIA DEGANIA DEGANIA DEGANIA      

 

DEGANIA DEGANIA DEGANIA DEGANIA      

DEGANIA DEGANIA DEGANIA

     

 

Tipo: Folheto de comunicação Objetivo: Divulgação de atualidades sobre o fundo comunitário Judaico Rio de Janeiro Ano: 2017

Quem somos

O

Fundo Comunitário é uma ONG sem fins lucrativos, que ajuda a perpetuar o judaísmo e a fortalecer a sociedade israelense e a comunidade judaixa do Rio de Janeiro.

Aliá e Absorção

ESTíMULO à conexÃO DOS JOVENS COM ISRAEL, TRAVés da educação

SUBSIDIAMOS: Passagens Transporte Moradia Alimentação Suporte jurídico e emocional

VEJA O QUE FAZEMOS

SUBSIDIAMOS PARTE DE : Taglit (parceira com o Hillel) Schnat Projeto MASA Xxxxxxxxxxxx

A

rrecadamos recursos destinados a projetos sociais e educacionais, aqui e em Israel, em três diferentes pilares:

Combate à desigualdade social em Israel

A

poiamos diversos programas de inclusão social voltados para famílias das periferias urbanas. São projetos de inclusão social e de coexistência, que têm o objetivo de tirar crianças e jovens do risco da marginalidade.

PRECISAMOS DE VOCÊ

Contribuir é Entender que somos parte de um único Povo. Sentir nossa conexão com o Estado de Israel. Exercer nossa responsabilidade para com o Povo Judeu. Saber que só seremos fortes se estivermos unidos Perceber que só estaremos unidos se formos solidários.

Como posso contribuiR ? Ligue para (21) 2267-5016 ou mande um e-mail para fcrj@fcrj.org.br

É

o seu sentimento de pertencimento e de responsabilidade para com nossos irmãos em Israel que viabiliza todos esse projetos.

FUNDO COMUNITARIO DO RIO DE JANEIRO CAMPANHA 2017

93


Tipo: Criação e Produção identidade gràfica Objetivo: Projeto educacional da ONG «Galpão Aplauso» Ano: 2016-2017 Time: Estudio Forno: Marina Kelson + Eduarda de Aquino (Conceito + Produção) + Amélie Thouveny (Produção)

Apre s ent ações “Obr igado” “De scul p a ” “ Por fav or ” “Com licença” nível : 1

VALORES E VIRTUDES

Não é necessário material.

1º PASSO

Na primeira aula, o instrutor se apresenta e faz uma introdução do trabalho a ser desenvolvido. Em seguida, os alunos se apresentam informando nome, idade, onde moram e uma palavra que os defina.

CONCLUSÃO: Depois da realização das cenas, o instrutor deverá realizar um debate para estimular a reflexão por parte dos alunos. Ou seja, despertar em cada um deles a importância de serem tratados e de tratar as pessoas com gentileza e boas maneiras. O objetivo é que o jovem se torne um agente multiplicador desse pensamento, interferindo de forma positiva em seu ambiente social, já que vivemos em um mundo cada vez mais individualista. Observamos, com frequência, que as pessoas pensam apenas em si mesmas e no seu próprio bem-estar. A boa educação e a cortesia estão deixando de existir. Os “por favor”, “com licença”, “desculpa” e “obrigado” estão ficando cada dia mais raros.

1

2º PASSO Aproveitando a apresentação pessoal dos alunos, o instrutor introduz as quatro primeiras palavras consideradas importantes para a boa convivência: “Com licença”, “Por Favor”, “Desculpa” e “Obrigado”.

3º PASSO Os alunos deverão ser divididos em grupos para criarem duas cenas teatrais. Na primeira, eles encenarão situações em que as palavras “Com licença”, “Por favor”, “Desculpa” e “Obrigado” devem ser utilizadas. Na segunda cena, o inverso é realizado, sendo que deverão criar uma situação desconfortável com as mesmas palavras.

nível: 1

RACIOCÍNIO LÓGICO

nível: 1 MATERIAL

MATERIAL

Raciocínio sócio cogn itivo Cada grupo terá um curto espaço de tempo, determinado pelo instrutor, para formar filas (30 segundos, 10 segundos etc.). A fila pode ser formada levandose em conta a idade dos alunos, do mais novo ao mais velho — a ideia é estimular os alunos a não se organizarem apenas pela idade, mas também pelo mês de nascimento, em caso de idades iguais. Outro exemplo é pedir para que eles se organizem em ordem alfabética – desse modo, procura-se observar se os alunos irão além do raciocínio comum e se conseguirão se

2º PASSO O instrutor separa a turma em 2 grupos para a realização de uma gincana em que se estimulam o raciocínio lógico e o trabalho em equipe.

O instrutor deverá dividir a turma em grupos de 3 alunos. Na sala, haverá um recipiente com 400 balas.

2º PASSO

1

O instrutor se apresenta aos novos alunos e faz um breve relato sobre sua história profissional. Os alunos, por sua vez, se apresentam um a um, destacando o nome, a idade e a escolaridade.

organizar também pela segunda letra do nome, em caso de empate. O instrutor pode aplicar outras regras similares e, ao final, verificar, dentro do tempo determinado, qual grupo obteve maior acerto.

1º PASSO

1

3º PASSO

CONCLUSÃO: Fazer o fechamento desta dinâmica focando no trabalho em equipe, agilidade de raciocínio, integração e concentração, e levar essas reflexões para o dia a dia.

OFICINA DA PALAVRA

nível: 1

nível: 1

3º PASSO Após a apresentação, serão distribuídas folhas de papel e lápis para que eles escrevam um texto ou desenhem algo que: 1: expresse o que eles esperam do curso. 2: defina em uma palavra como foi o primeiro encontro. 3: diga o que não pode faltar no curso.

94

CONCLUSÃO: O instrutor deverá estimular nos alunos o pensamento/ reflexão sobre as expectativas existentes ao conhecermos novas pessoas e lugares. O importante é deixar o aluno livre para expressar sua opinião, sem preocupação com a norma culta.

Em seguida, cada um vai se aproximar de outras pessoas e se apresentar (desse modo, eles vão trocando de nome). O objetivo é que, após algumas rodadas, a pessoa se apresente para aquele que carrega o nome dela. Ao achar seu nome novamente, o aluno levanta os braços e sai do jogo. Isso é feito até todos recuperarem os seus nomes. ATENÇÃO: As folhas deverão ser guardadas e lidas por cada aluno na última dinâmica do curso, momento em que o instrutor comentará sobre suas expectativas do primeiro encontro.

SEQUÊNCIA 2: 1. Pegar 6 balas 2. Triplicar o número de balas 3. Devolver metade das balas 4. Dividir em 3 porções 5. Somar 6 balas a cada porção 6. Somar as 3 porções Ao final, cada grupo deverá ter 27 balas. O monitor anota os resultados. As balas voltam ao recipiente. SEQUÊNCIA 3: 1. Pegar 4 balas 2. Multiplicar por 4 3. Somar 9 balas 4. Dividir em 5 porções 5. Subtrair 10 balas

Sabendo que no recipiente existiam 400 balas, e que após as operações realizadas cada aluno tem um número X delas, quantas restaram no recipiente? Nesse momento, cada grupo deverá ter 15 balas. O resultado final dessa sequência dependerá do número de grupos existentes. A seguir, o instrutor divulga o resultado dos grupos obtidos nas 3 sequências. Ao final da dinâmica, cada aluno poderá levar as balas que restaram com eles, e os grupos vencedores ganharão as balas do recipiente.

CONCLUSÃO: O instrutor poderá propor uma reflexão sobre a utilização das quatro operações no dia a dia dos alunos: Adição = crescer (planejamento, foco) Subtração = saber perder (resiliência) Divisão = compartilhar (generosidade) Multiplicação = expandir (levar ao próximo, replicar, evoluir)

OFICINA DA PALAVRA

me

Não é necessário material.

1

2º PASSO O instrutor propõe um jogo. Todos devem se levantar e começar a circular pela sala. O instrutor dá um sinal para que parem, e então cada um deve encontrar a pessoa mais próxima e se apresentar dizendo o nome. A partir desse momento, as pessoas trocam de nome (ex: João e Carlos se apresentam, agora João passa a ser Carlos e Carlos passa a ser João).

1

1º PASSO

Ao final, os grupos deverão ter 30 balas cada um. Os resultados serão anotados pelo monitor. Todos os grupos precisarão devolver as balas para os recipientes.

De sc re v a-

1. Folha de papel sulfite 2. Lápis e borracha

O instrutor faz sua apresentação pessoal, para que a turma o conheça, e fala sobre suas expectativas.

Cada grupo receberá instruções, de forma oral, para realizar as operações propostas no menor tempo possível. Pode-se usar uma corneta para sinalizar cada item da sequência. SEQUÊNCIA 1: 1. Pegar 20 balas 2. Adicionar 10 balas 3. Dividir as balas em 3 porções 4. Devolver 15 balas 5. Dobrar o número de balas do grupo.

Ac ol h im ent o

MATERIAL

RACIOCÍNIO LÓGICO

1. Recipiente com 400 balas 2. Lápis e papel

Duas Cornetas

1º PASSO

As qua t ro ope raçõ e s

1º PASSO A turma deve ser colocada em círculo.

2º PASSO O instrutor pede a todos os alunos que observem uns aos outros e que, mentalmente, cada um escolha um colega.

3º PASSO O instrutor escolhe um aluno para começar a dinâmica. O objetivo é fazer a descrição de forma sutil do colega escolhido, para que alguém da turma descubra de quem se fala. O aluno que acertou será o próximo a fazer a descrição — e, assim, sucessivamente. Cada aluno só poderá ser descrito uma única vez.

CONCLUSÃO: O instrutor deve mostrar a importância de observarmos as pessoas, além de refletir sobre as facilidades e as dificuldades encontradas na descrição de um indivíduo, já que temos mais facilidade em descrever alguém fisicamente do que emitir uma opinião sobre a personalidade.


AmĂŠlie Thouveny_ portfolio 2018

95


Obrigada pela atenção dispensada a este portfolio.


8102

OILOFTROP

ynevuohT eilémA tatE’d eémolpiD etcetihcrA moc.liamg@ynevuoht.eilema 0578 39989 12 55+ // 75 32 16 89 6 33+

PORTFOLIO2018_ Amélie Thouveny  
PORTFOLIO2018_ Amélie Thouveny  
Advertisement